(*) Alguns operadores de telefonia móvel não permitem o acesso aos números iniciados por ou cobram estas chamadas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(*) Alguns operadores de telefonia móvel não permitem o acesso aos números iniciados por 00 800 ou cobram estas chamadas"

Transcrição

1 aíses sem roteiras Aa Maria Magalhães. Isabel Alçada IP PT-C Aa Maria Magalhães. Isabel Alçada A UNIÃO EUROPEIA rro rä isscch he io io ea ISBN aíses sem roteiras A UNIÃO EUROPEIA ió ió ió Еввр Евро ропе пейс йски йс к съ ки ъю юз юз E ro Ev rs ská ui e ro ro a Li LLiit itt ro oa a ui io io i ro e ea a i o o i io o o e E re ea U iaa r u ur ej ejsska Evvro r ssk ská ká ui e iã iãão ro rro o e eeiaa E æ is iske k iio ke E ro ræ æ æisske k i io o io io i rro ééee ee A ta tao Aota tas EEo tas or acch Eir iras a Sav aviieeīība ba iiu ueeaa r ur eeaaă aăă r u ó ósskka ú úia úi ia urró sk ska úia i ro o s SSąąjju ug ga urr r o ei eisk skaa U io oee EEvvro rs sskkaa u iija ja EEvvro ska ka uija ijjaa i Ε ρω Ευρω Ευ ρωπα π ϊκ πα ϊ ή Έν ϊκή Ένωσ ωση η L--U j jo oi Ew wro eea ro rääis i ch he io io U ió ó ro ro eea ió ó ó r uróaii ur esee iee i Еввр роп о ей е сски скки съю юз ro ro ro a Li a L it r o oo a a u io io oi U io o E ré ro éée ée ee A A ta Ao ot tass Eor aach h Ευρ υ ω ωπ πα αϊϊκή ϊκή κή Έννω ωση ση urró ó aai ió r ea eea a iio o U iio oe e urr o eaa Eir iro o as a Savi Sa v e vi eīīb ība r ur r o oss Sąj ąju ug gaa L-U L-- jo joi Ewr wro eeaa E urro e ese se iie i a re ejs e jska ka i ão ã urr ei eia iu iu eea ro re eaăă re ro e eis iskaa i io oee r ur äi äisc scch hee iio o Евр вроп о еей йсскки съ съюз Evro Ev rs ro ská s ká ui iee r uræi æi æ sskke U io io r uró ó sskka ú iiaa E ro Ev r s ka k ui jaa ió ió ro ro eea E roo ro a Li Liiitt ro ro aa u iioi i U io io urro é éee e e A A ta Ao ottaass Eor orra o ach h Ευ Ευρ ρω ωπα παϊϊκκή Έννωσ ση ró ró ó aai U ió E ro reese i ie r ur ea e ea io io i a E ro re eejs j ka ka Евро Ев ро опеейс йски к съ съю юз E ro Ev rs ská káá uiie i oe o e E u re ro eea U iã ião o eeiiaa ræ æ æiisske i io o o Eirro Ei Eiro aas Sa Savi viee īb ībaa i iu u ea ea rro ea eaă rró ósska ka úi iaa E o os Są Sąju jug ju ga r ur ur eeiisskka ka io ioe io e Evr vr sskka u uijija L--U jjo i Ewro eaa ro rä äisch isch che io i ió r ur ea ea rrro o o a LLiiitt E ro ro o a ui io oi io io ro ré éée e A ta taota tao otaas Eor o Eo or aacch Ευρ ρωπ ωπαϊϊκή ωπαϊ κή Ένω νωση ση σ η E uró r aai ió r ur o eaa U io io oe re ea Eiro Ei ro a s Sa Savi vie īb ī a iu iue eea ea E r ea aă E r o os Są Sąju jug a g L--U jo jjo oii Ew wro re eea re r reis iska kaa i io o ee E rä äisscch he U io io E r eeese ssee iie Евр Ев ро оп пеей йсск скки и съю ъюз ia ia r u eejjsk jskka EEvvro vro s ská ká ui ká ie iião o ro ro eeia ia ro ræ ro æis iisske k io ró ró ó sska ka úi a EEvvro sskkaa uiijjaa i ió ó ó r ur ea ea e ro ro o a Li Liiiit it E roo aa u iio o i iio o rro é éee e A ta Ao ta t s Eo orr aach h Ευ υρ ρω ωπα αϊκ ϊκή ή Έννωσ ωση urró ó aaii iió E re eea a i io o i iio o o e r E ur re ro ea Eir ir aass Saavvie ieī ība ro ro o s Sąju Sąąju ug ga L-U jjo o i Ew wro eea E ro reessee iie i ia ia ro E urro eejjsska ka iã iãão r eeiiaa iiu u eeaa urrr ea eeaa ăă r ei e sk skaa U io oee rr ääisscch he io io o Ев Евро р пе ро пейски йсскки и съ ъю юз Evrro sskká u u ie ie ro ræ æ æiske ke i io o rró ó sskkaa ú iia EEvvro rs skkaa ui ja i ó rr ea e ro o a L it Li it r a a ui ioi io ioi oi io io io o ro ré ée ée ee ee A ta ttao Ao ota taas Eo EEor orr or aacch ΕΕυρ υρωπ υρ υ ρωπ ρ ω αϊ ωπ αϊκή ϊκκή ή Ένω Ένωση νω ωση ση E uró róai róa i a U iió ió ó Ero re ro ea ea io i o o

2 re Direct é um serviço que resode às suas ergutas sobre a ião reia Liha telefóica gratuita (*): (*) Algus eradores de telefoia móvel ão ermitem o acesso aos úmeros iiciados or ou cobram estas chamadas Ecotram-se disoíveis umerosas outras iformações sobre a ião reia a rede Iteret, via servidor ra (htt://eura.eu) Uma ficha catalográfica figura o fim desta ublicação Luxemburgo: Serviço das Publicações da ião reia, 2012 ISBN doi: /19007 ião E ureia, 2012 Rerodução autorizada mediate idicação da fote Prited i Belgium IMPRESSO EM PAPE L BRANQUEADO SEM CLORO ELEMENTAR (ECF)

3 Aa Maria Magalhães. Isabel Alçada aíses sem roteiras A UNIÃO EUROPEIA

4 2

5 a ião ureia A ra é um cotiete dividido em muitos aíses. Vite e sete aíses fazem arte da ião reia. A ião reia tem uma badeira rória: doze estrelas douradas sobre fudo azul. E adtou como hio a Ode à Alegria do comositor Beethove. O lema da ião reia é: ida a Diversidade. O Dia da ra festeja-se a 9 de Maio. 3

6 27 aíses da ião ureia Cada um dos 27 aíses da ião reia tem o seu hio e a sua badeira 1 België Belgique Bélgica 2 България Bâlgariya Bulgária 3 Česká Reublika Reública Checa 4 Damark Diamarca 5 Deutschlad Alemaha 6 Eesti Estóia 7 Éire Irelad Irlada 8 Ελλαδα Ellada Grécia 9 Esaña Esaha 10 Frace Fraça 11 Italia Itália 12 Kyπροσ Kyros Kibris Chire 13 Latvija Letóia 14 Lietuva Lituâia 15 Luxembourg Luxemburgo 16 Magyarország Hugria 17 Malta Malta 18 Nederlad Holada 19 Österreich Áustria 20 Polska Polóia 21 Portugal Portugal 22 Româia Roméia 23 Sloveija Eslovéia 24 Slovesko Eslováquia 25 Suomi Filâdia 26 Sverige Suécia 27 ited Kigdom Reio ido 4

7 TERRITÓRIOS NÃO-CONTINENTAIS E ULTRAMARINOS DOS ESTADOS-MEMBROS 21 Açores Madeira Caárias Guiaa Fracesa Guadalue Martiica 10 Reuião

8 O ome da ura UMA LENDA GREGA ra era uma ricesa muito boita que vivia a Ásia. Um dia o ai dos deuses, que se chamava Zeus, viu-a a aahar flores de mahãziha, aaixoou-se or ela e decidiu ratá-la. Para agir mais à votade, tomou a forma de um lido to castaho com um círculo rateado a testa. Deois aroximou-se, muito maso, muito meigo. A ricesa ficou ecatada. Afagou-o e a ideia de ir dar um asseio, setou-se-lhe o dorso. Nesse mometo, Zeus disarou a voar or cima do oceao em busca de uma ilha sossegada ara viver o seu romace de amor. Assim deixaram a Ásia e assaram ao cotiete viziho que aquela altura aida ão tiha ome. Veio a chamar-se ra, em hora da ricesa. 6

9 7

10 élgica BELGIE BELGIQUE POPULAÇÃO: 10,5 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: moarquia costitucioal LÍNGUAS: fracês, eerladês e alemão MOEDA: e CAPITAL: Bruxelas Hallo! Salut! Hallo! Na Bélgica há imesos cocertos de sios. Uma das ersoages belgas mudialmete famosa ertece ao reio da fatasia: O Titim foi criado or um dos mais famosos artistas da bada desehada: Hergé. 8

11 Os edifícios da Grad Place em Bruxelas arecem atigos alácios, mas uca o foram. Aqui fucioavam as cororações rofissioais: casa dos adeiros, casa dos alfaiates, dos itores, etc. Famosos também são os bombos! 9

12 ulgária БЪЛГАРИЯ BÂLGARIYA POPULAÇÃO: 7,6 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: búlgaro MOEDA: lev CAPITAL: Sofia Na Bulgária utiliza-se o alfabeto cirílico que foi ivetado or dois moges chamados Cirilo e Metódio. 10

13 As raias do Mar Negro atraem turistas durate todo o ao. O Mosteiro de Rila foi fudado o temo dos castelos. Christo Javachev é um artista famoso que tem embrulhado moumetos em todo o mudo. O resultado é imressioate. 11

14 eública heca ČESKÁ REPUBLIKA POPULAÇÃO: 10,3 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: checo MOEDA: coroa checa CAPITAL: Praga Ahoj! Nas florestas aida vivem muitas esécies de aimais selvages, como lobos, gatos selvages, lices. 12

15 A ote de Carlos em Praga, está decorada com estátuas de ajos e outras esculturas. Os artistas gostam de dar cocertos ao ar livre esta ote. Na Reública Checa há mais de 9000 fotes de água mieral. 13

16 iamarca DANMARK POPULAÇÃO: 5,4 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: moarquia costitucioal LÍNGUAS: diamarquês MOEDA: coroa diamarquesa CAPITAL: Cehaga Hej! O Lego, um dos briquedos mais famosos do mudo, foi ivetado a Diamarca. Em Billud há uma esécie de cidade feita com eças de Lego gigate. 14

17 A sereia de Cehaga torou-se o símbolo da Diamarca. Foi ivetada elo famoso escritor de livros ifatis Has Christia Aderse que também criou outras figuras iesquecíveis como o soldadiho de chumbo e a meia dos fósforos. A Diamarca tem muitas ilhas e os diamarqueses adoram velejar. 15

18 lemaha DEUTSCHLAND POPULAÇÃO: 82,5 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública federal LÍNGUAS: alemão MOEDA: e CAPITAL: Berlim Hallo! Um dos ratos tradicioais mais areciados: salsichas com batatas. A Floresta Negra é uma das regiões mais boitas. E as casas tíicas dessa zoa são tão giras! 16

19 Na Alemaha ão faltam moumetos magíficos. Há alácios de soho, castelos, igrejas Uma das mais cohecidas é a Catedral de Colóia. Etre gete famosa cota-se or exemlo: Wager Músico que comôs muitas óeras isiradas em ledas alemãs. Beethove Um dos maiores músicos da história da Humaidade. Eistei Cietista que revolucioou a ciêcia. Irmãos Grimm Passaram a escrito histórias e ledas tradicioais da ra, como Braca de Neve e os Sete Aões e O Polegarziho. 17

20 stóia EESTI POPULAÇÃO: 1,4 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: estóio MOEDA: e CAPITAL: Talli Tere! Tasuidu é um famoso festival de daça. Na Estóia, juto ao mar, há muitas aldeias de escadores bem boitas. 18

21 As florestas aida, servem de abrigo a. alces, ursos, lices e javalis "BTUBKÊSW " "BT "BTU "B BTTUUBKÊS BTU BT BKKÊS B BKÊ KKÊ ÊS W ÊS W t t "BCSB "B "BC " "BCS BC B BCS CSSB C B t "BTUFKÊSW t "ESJTLB t "HBMJ t "IFSV t "IJKÊSW tt "B " "B " BTUFK TUFK TUF TU UF UF FKKÊ ÊSSW ÊSW ÊSW SW W t " t" t "E "E ESJTL ESJTL SJTLB t J LB t JTL B "HBM B t "HB " HBMJ t J t t "IFS "IFSV t "IF V t "IJK "IJK " IJKÊSW ÊSW S SW t IJKÊSW ÊSW t t "IWFOBKÊSW "IWF "I " IWF W OBK OB SSW OBKÊ OB SW W t W t "LOBKÊSW "LOBKÊS " BKÊSW KÊS ÊS W W t t "LTUF "LT "LT "LTU L LTUF F t t "MBU "MBUTLJW "MBUTLJWJ BUTTL TLJW LJWJ J tt " "MP "M "MPQ "MPQJ MMPQ PQJJ tt "SC PQ "S "SCJ " "SCJ SSC CJ tt "SPKÊSW t "VLTJ t &OHMJ t &SBTUWFSF t &SNJTUV t )BBOKB LÜWFSKÊSW t )BSLV t )JMCB t )JOP LTJ t &O &OHMJ &O H t &S &SBTUW &SB BTUW UWFSF FSF t &S t &SNJTU t &S t & NJTUV t V t V t )BBO t )BBO ) KKB KB KB L B L LÜWF ÜWFS FSSKKÊS F KÊ KÊSW ÊSSW ÊS ÊSW W t ) ttt ) t ) )BS )BSLV BSL BSLV SL LV t ) t )JMCB t ) t JMCB C t ) CB tt ) ) )JJOP JO O P OP t )PMWBOEJ,JWJKÊSW KÊSW t )ààesv )à àà àe àesv ESV E SV t *MMJ *MMMJ *MMJ M t MJ MJ t *NBUV *NBUV BU t +BBMB BUV +B BBMB BMB BMB B t +ÊOVLKÊSW +ÊOVLK +ÊOVLK VL LKÊSW ÊSW S W t SW t +Ê +ÊSWFNÊF +ÊSSW WFN W FNÊ FN ÊF ÊF F t F t +ÊSWFQÊÊ +ÊS ÊSS W Ê WFQ WFQÊ FQÊ Q Ê Ê tt +ÜL ++ÜLTJ +Ü ÜLT Ü ÜL LTTJJ t L,BISJMB t,bkvnfsj t,bmjkêsw t,bmmj t,bobsjlv t,bsjkêsw t,bskbutf NFSJ t,êsokêsw t,bsvkêsw t,bstob FSJ t,bmjkês ÊSS W W t W t tt,bmm t t,bmmj t BMM MMJ t t,bob,bo OBSJLV LV V t, t,bsjk t, BSJ BS B SJJK SSJK JKÊ ÊSSW t,b ÊSW t, t,,bskbu SKBU BUTF TF N TF TF F N F N NFS FSJ FSJ F SJ t, SJ tt,ê,,ê, ÊSO SOK SSOKÊ OKÊ O KÊ ÊSW SW SW t W t t,bs,,b,bs, BSV BS VKÊS VK VKÊ KÊ KÊS ÊS W ÊS W tt, W t W t,bs,b BST B SSTTOB t,btbsjutb WFSJKÊSW KÊSW t,btukêsw t t,bvsv,b, BVSV VSV t t,bwbej,bwbej,bwbej WBE t t,ffsj,ffsj FFS t t,jjekêsw,jje JJEK JEK JJE EKÊ EK ÊSW ÊS ÊSW SSW SW W W tt,,j,jllbkêsw JL LLB LL LBK L LB BKKÊSW B ÊSW Ê SW tt, SW,J,JSJLVNÊF JSSJLV SJL SJ J VNÊF VNÊF NÊF NÊ NÊF ÊF F tt,j,jtfkêsw TFKÊSW t,mpphb t,üoov 1JLLKÊSW t,potv KÊSW KÊSW SW W t t,ptf 7BMHKÊSW,P PTF PT PTF TTF F 7BMH 7BMH HKÊSW KÊSW tt,pptb,,pptb PP PPTB P PTB TB tt, TB,VCJKB VCJK VC C B tt,vsh,v,,vshkêsw VSH VSH HKKÊ KÊS KÊSW ÊSW ÊS Ê SW S W tt,,êtnv,êtnv ÊTN Ê ÊTNV TNV NV N V tt,,àuj àuj -BIP -BIP t -ÊNNJKÊSW t -BTWB t -BWBTTBBSF t -FFWBLV QBJTKÊSW QBJJTKÊS TKÊ TK KÊS KÊ ÊS W W t t -FJHP -FJH -FJ --F FJJJH FJH F HP P t t -PIKB --PI -PIK PI IKB IK B t t -ÜÜEMB -Ü -ÜÜ -ÜÜE ÜÜ ÜÜE ÜE Ü EMB MMB B t B t -PPTV --PP -P PPTV PP TV TV V t t -VJHFUJJL -VJ -V -VJH JH HF FUJJL t -ààcojutb -ààcoj VNCKÊSW t.bbsev t.bltbnfsj t.êoojlv t.ffmwb t.fijlppsnb 6NCKÊSW t.úmesj NFSJ t.üsutvlb t.vmmvuv.bltbnfsj t.êoojlv t.ffmwb t.fijlppsnb 6 6N 6NC 6 NCKÊSW W t. t.ú ÚMES ÚM ÚME MES MME ES ESJ N JJ NF NF N FSSJ t SJJ tt.ü..ü. Ü ÜSS UTVLB t.vm MBIU t.vsbuj t /BSWB WFFIPJEMB t /FJUTJKÊSW t /JJOTBBSF t /PPEBTKÊSW t /PPUKÊSW t /àqmj t 1BJEF 5FIJTKÊSW t 1BJESB FFIPJEMB t /FJUTJKÊSW t /JJOTBBSF t /PPEBTKÊSW t t/ /PPU /P P PPUKKÊSW ÊS W ttt / ÊSW /à /à àqmj àq àqm QMJ QM Q MMJJ t t t 1 tt 1 1B BJE BJ JJE EF E F 5FIJTKÊSW t 1BJ t 1BMPKÊSW t 1BMPKàSJ t 1BOOKÊSW OOKÊSW t 1BQQKÊSW t 1BVLKÊSW t 1FJQTJ t 1FTVKÊSW t t 1JILWB 1JI 1 1J JJI IL LW W WB B t 1JJSBLBKÊSW B 1JJJS 1 JSB SBLBK BKÊS BKÊ KÊS KKÊ ÊS W t 1JMMFKÊSW t 1MBBOJ ÊS 1MBB,àMBKÊSW t 1PSLVOJ t 1ÜSNVKÊSW t 1SPTTB t 1àIBKÊSW t 1VMMJKÊSW t 3ÊÊLKÊSW t 3ÊÊUTNB t 3BLV t 3BJHBTUWFSF t 3ÊQJOB VKÊSW t 1SPTTB t 1àIBKÊSW t 1VMMJKÊSW t 3ÊÊLKÊSW t 3ÊÊUTN NB N B t 3 tt 3B 3 3B 3 3BL BLV LV L V t V V 3BJHBTUWFSF t 3ÊQJOB QBJTKÊSW t 3BUBTKÊSW t 3BUWB t 3ÜVHF -JJOKÊSW t 3ÜVHF 4VVSKÊSW t 3ÜVHF 7BMHKÊSW t 4BBEKÊSW t 4FMHKÊSW t ÀOFMMJ UJJL t t 3ÜVHF -JJOKÊSW t 3ÜVHF 4VVSKÊSW t 3ÜVHF 7BMHKÊSW t 4 4B 4 BB BEK BEKÊ BE EKK SW t E S 4 4FM 4F 4 F HKÊSW t ÀOFMMJ UJJL t 4PJUTKÊSW t 4ÜNFSQBMV QBJTKÊSW t 4VUMFQB NFSJ t 4VVS,JSLBKÊSW t 4VVS 1FINFKÊSW t 4VVSMBIU t 5BCJOB t 5BNVMB t KÊSW t 4VUMFQB NFSJ t 4VVS,JSLBKÊSW t 4VVS 1FINFK FKKÊ ÊSW ÊSW ÊS SSW SW W t 4V t 4VVSMB VSMB BIU t IUUU t 5 5BC 5B 5 B JOB t 5BNVMB t 5JIV t 5PPNB t 5VEV t 6CBKÊSW t 6IUKÊSW t ÃMFNJTUF t 6MKBTUF t ÃWBKÊSW t 7BHVMB t 7ÊIBKÊSW t 7ÊJLF,BSVKÊSW CBKÊSW t 6IUKÊSW t ÃMFNJTUF t 6MKBTUF t ÃWBKÊSW t 7B 7BH 7B BH B HVM HVMB VMB VMB V M t 7Ê t 7ÊIBKÊ I KÊSW t IBKÊSW t IBKÊ SW W 7 7Ê 7 ÊJLF,BSVKÊSW t 7BJLOF t 7ÊJNFMB "MBKÊSW t 7ÊJNFMB.ÊFKÊSW t 7ÊJOKÊSW t 7ÊMMBNÊF t 7BOBNÜJTB t 7BTLOB t 7FSFWJ t "MBKÊSW t 7ÊJNFMB.ÊFKÊSW t 7ÊJOKÊSW t 7ÊMMBNÊF tt 7BO 7B 7 7BO BOBNÜJ BO BNÜJTB t TB 7B TB t 7BT 7B BTL LOB t 7FSFWJ LOB W t 7JJUJOB t 7JJUJOB "MBKÊSW t 7JJUOB t 7JMKBOEJ t 7JTTJ t 7ÜOHKÊSW t 7ÚÚMBNFSJ t 7ÜSUTKÊSW "BCSB t "MBKÊSW t 7JJUOB t 7JMKBOEJ t 7JTTJ t 7ÜOHKÊSW t 7Ú ÚÚM ÚÚMB Ú ÚMB ÚMB BN NFSJ FSS t 7 7ÜSUT SUT UTKÊSW KÊSW ÊSW Ê ÊS S " "BC " "B B SB t "BTUBKÊSW t "BTUFKÊSW t "ESJTLB t "HBMJ t "IFSV t "IJKÊSW t IJKÊSW "IWFOBKÊSW t "LOBKÊSW UFKÊSW t "ESJTLB t "HBMJ t "IFSV t "IJKÊSW t IJKÊSSW SW W "I "IW "IW "I " IWFOBK OBKÊSW ÊSW t "L "L O "L OBKÊ BKÊ ÊSW t "LTUF t "MBUTLJWJ t "MPQJ t "SCJ t "SPKÊSW t "VLTJ t &OHMJ t &SBTUWFSF t &SNJTUV t )BBOKB LJWJ t "MPQJ t "SCJ t "SPKÊSW t "VLTJ t &OHMJ t &SBTUUW WFSF FSF F t t & &SNJT S UV t )BB UV t )BB )BB BOKB OKB OKB LÜWFSKÊSW t )BSLV t )JMCB t )JOP t )PMWBOEJ,JWJKÊSW t )ààesv t *MMJ t *NBUV t +BBMB SLV t )JMCB t )JOP t )PMWBOEJ,JWJKÊSW t )ààesv t V tt *MMJ * J ttt * *NBUV NBUUV t + t BBMB t + BB BMB B t +ÊOVLKÊSW t +ÊSWFNÊF t +ÊSWFQÊÊ t +ÜLTJ t,bisjmb t,bkvnfsj,b, BKV KVN KKVNF VNF VN V NF N FSSJ SJ J J tt,b,bmjkêsw,bm, BMMJKÊS B JKKÊS JK JKÊ KÊ ÊS W ÊS W tt,bmmj t,bobsjlv t,bsjkêsw t,bskbutf NFSJ t,êsokêsw t,bsvkêsw t,bstob JLV t,bsjkêsw t,bskbutf NFSJ t,êsokê ÊSSW SW t SW W t W W t t,bs,b,bs,b,bs BSVK VKÊS V KKÊ ÊS W t Wt, W t,bs,bsssttob,b OB t,btbsjutb WFSJKÊSW t,btukêsw t,bvsv t,bwbej t,ffsj t,jjekêsw t WFSJKÊSW t,btukêsw t,bvsv t,bwbejj t t, t, tt,,f FFS FF F FSSSJJ t, tt,,,jjje JJEK JEK JE E ÊSW ÊSW SW t t,jllbkêsw t,jsjlvnêf t,jtfkêsw t,mpphb t,üoov 1JLLKÊSW SW t,jsjlvnêf t,jtfkêsw t,mpphb t,,üo,üoo,ü, ÜOO ÜO Ü OO O OV V 1 1J 1JLLK LL L LKÊ LK L KKÊ ÊSW SW W t,potv KÊSW t,ptf,ptttf F 7BMHKÊSW 7BMH 7BM 7BMH 7B B BMMH MHKKÊ Ê ÊSSW ÊSW S W t,pptb,ppttb TB t t Na Estóia há mais de 1400 lagos! 19

22 rlada ÉIRE IRELAND POPULAÇÃO: 4 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: irladês, iglês MOEDA: e CAPITAL: Dubli Hi! Dia dhuit! Na aisagem verde da Irlada erguem-se igrejas, cruzes e torres do temo dos Celtas. 20

23 Nas histórias tradicioais irladesas há semre fadas, bruxas, gomos, géios da floresta e fatasmas. Os gomos têm tesos eterrados detro de grades aelas de ferro que escodem o sítio ode acaba o arco-íris. As fadas dedicam-se sobretudo à música. Catam e daçam em cerimóias secretas. Mas ai de quem as vê! Se ão foge deressa, está desgraçado orque a vigaça das fadas é terrível. Quem coseguiu ouvir e escaar, escreveu as mais lidas músicas irladesas. Boo é o vocalista e guitarrista dos U2. O gruo tem-se evolvido em camahas de defesa dos ovos mais desfavorecidos do mudo. 21

24 récia ELLADA ΕΛΛΑΔΑ Teia! POPULAÇÃO: 11 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: grego MOEDA: e CAPITAL: Ateas Letras do alfabeto grego: α - alfa; β beta; γ gama; ω ómega Sou Afrodite, a deusa do amor!! sou Zeus, o ai dos deuses! Sou Hera, mulher de Zeus sou Aolo, deus da beleza Atea, sou a deusa da az O deus do mar sou eu, Poseido! Os deuses da Grécia Atiga viviam o Mote Olimo. 22

25 Os jogos olímicos asceram a Grécia Atiga. A civilização grega? Um assombro! Partéo Arquitectos famosos. Só sei que ada sei... Sócrates Os maiores filósofos. Os actores do teatro grego usavam máscaras ara trasmitir emoções. Discóbolo Escultores de asmar. Máscara da comédia Máscara da tragédia 23

26 saha ESPAÑA POPULAÇÃO: 46,1 milhões de habitates Hola Hola Hola Kaixo! SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: moarquia costitucioal LÍNGUAS: castelhao, basco, galego e catalão MOEDA: e CAPITAL: Madrid As Sevilhaas e o catar flameco são uma delícia! Castelo de Segóvia Serviu de isiração ara o deseho aimado da Bela Adormecida. 24

27 Catedral de Satiago de Comostela Vêm eregrios de todo o mudo ara visitar esta catedral. O Alhambra de Graada No sul há moumetos do temo dos mos que são de esatar! Quem ivetou as ersoages D.Quixote e Sacho Paça foi um escritor esahol chamado Miguel de Cervates. 25

28 raça FRANCE POPULAÇÃO: 63,7 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: fracês MOEDA: e CAPITAL: Paris Salut! A alta costura asceu em Paris. A coziha fracesa é um requite! E os queijos são esectaculares. E os erfumes fraceses? Humm... Que cheiriho!!! 26

29 Joaa DArc A heroía de Fraça. La Fotaie Escritor de fábulas Louis Pasteur Grade cietista, ivetor das vacias. Naoleão O imerador que se coroou a si rório. Reoir Grade itor Torre Eiffel Irmãos Lumiere Os ivetores do ciema. 27

30 tália ITALIA Ciao! POPULAÇÃO: 57,3 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: italiao MOEDA: e CAPITAL: Roma Quase todas as cidades, vilas e aldeias de Itália têm moumetos de esatar! Coliseu de Roma. Igreja de São Marcos em Veeza. 28 Pote Vecchia de Floreça.

31 O tecto da caela Sistia o Vaticao. Adoro Saghetti! ref iro a Pizza! Os ratos tíicos de Itália esalharam-se elo mudo. Em Itália há vulcões em actividade: Vesúvio, Eta, Stromboli. Muitos heróis italiaos são artistas. Miguel Agelo ^ Pitor e escultor. Leoardo da Vici Ivetor e itor. Cristóvão Colombo Navegador famoso. Foi o rimeiro homem a atravessar o Oceao Atlâtico e trazer ara a ra otícias sobre as terras da América. 29

32 hire ΚΥΠΡΟΣ KYPROS KIBRIS POPULAÇÃO: habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: grego e turco MOEDA: e CAPITAL: Nicósia Tea! Merhaba! Os aturais de Chire chamam-se ciriotas. Os ciriotas vivem em cotacto ermaete com o mar e muitos raticam desortos áuticos. 30

33 Em Chire há lidos mosteiros com telhados de muitas formas. Segudo uma leda atiga, a deusa do amor (que os gregos chamavam Afrodite e os romaos Véus) asceu em Chire. 31

34 etóia LATVIJA POPULAÇÃO: 2,3 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: letão MOEDA: lats CAPITAL: Riga Sveiki! Na caital ergue-se uma estátua da liberdade com 43 metros de altura. 32

35 Boa arte da Letóia está coberta de florestas. Na zoa de férias chamada Jurmala há muitas casas de madeira. No arque atural do Lago Pae vivem cavalos selvages e bisotes. 33

36 ituâia Labas! LIÈTUVA POPULAÇÃO: 3,5 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: lituao MOEDA: litas CAPITAL: Vilius O arque atural de Kursiu Nerija ecata os visitates. A Lituâia é um aís de laícies. O ico mais alto chama-se Aukstasis e tem aeas 294 metros de altitude. 34

37 A igreja de Sata Aa é muito atiga e muito bela. O castelo de Trakai foi costruído uma ilhota do Lago Galve. 35

38 uxemburgo LUXEMBOURG Moie! Salut! Hallo! POPULAÇÃO: 500 mil habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: moarquia costitucioal LÍNGUAS: luxemburguês, fracês e alemão MOEDA: e CAPITAL: Luxemburgo Foi o rochedo de Bock que Siegfried, o rimeiro code do Luxemburgo, ergueu o seu castelo há mais de mil aos. E a cidade foi crescedo em volta. 36

39 O Luxemburgo é um dos aíses mais equeos da ião reia. Tem camos lidíssimos, uma cidade elegate e ovoações muito agradáveis. Melusie, a ifa do rio Alzette Segudo a leda, o code Siegfried aaixoou- -se or uma meia que ecotrou o bosque e foi ara ela que costruiu o seu castelo. Ela aceitou casar mas com uma codição: ficar soziha todos os sábados. Durate algum temo Siegfried reseitou o acordo imosto or Melusie. Um dia foi esreitá-la e viu-a bahar-se trasformada em sereia. Percebedo que o seu segredo fora descoberto, Melusie mergulhou o rio Alzette e desaareceu ara semre. 37

40 ugria MAGYARORSZÁG POPULAÇÃO: 10,1 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: húgaro MOEDA: forit CAPITAL: Budaeste Szia! Já o temo dos romaos havia termas de água quete a Hugria. 38

41 A caital resultou da ligação etre duas cidades das marges do rio Daúbio, Buda e Peste. Fraz Liszt Foi um grade iaista e comôs obras maravilhosas ara iao e orquestra. O lago Balatão é eorme! Ero.. Rubik Desiger famoso que, em 1974, ivetou o Cubo de Rubik, ou Cubo Mágico. 39

42 alta MALTA POPULAÇÃO: mil habitates SUPERFÍCIE: 316 km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: maltês, iglês MOEDA: e CAPITAL: La Valeta. Bogu! Hello! Gozo Comio O Lago Azul de Comio é uma atracção turística. tica. Malta Malta tem quatro ilhas mas só três são habitadas. As ilhas maltesas habitadas chamam-se Malta, Gozo e Comio. 40

43 Em Malta, os moumetos mais imortates foram costruídos or ordem de D.Atóio Maoel de Vilhea, obre ortuguês que viveu o século XVIII e foi grão-mestre da Ordem Religiosa Militar de São João, que tiha sede em Malta. Por isso, o castelo mais imortate chama-se Forte Maoel. Corto Maltese Persoagem da bada desehada que se torou símbolo de liberdade e avetura. 41

44 olada NEDERLAND POPULAÇÃO: 16,5 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: moarquia LÍNGUAS: eerladês MOEDA: e CAPITAL: Amesterdão (sede de govero: Haia) Hallo! Amesterdão é uma cidade muito esecial orque as ruas do cetro assam caais ode se ode avegar. 42

45 Na Holada há muitos moihos. Muitos já ão trabalham mas cotiuam lá a marcar a aisagem. Adoro as tulias! Rembradt Um dos maiores itores do mudo. Era filho de um moleiro holadês e fez muitos auto-retratos. Umas das maravilhas da Holada são as estufas de flores. Rembradt jovem Rembradt adulto Rembradt velho Rem Koolhaas É um grade arquitecto que tem rojectado edifícios magíficos em todo o mudo. Foi autor da Casa da Música o Porto. 43

46 ustria ÖSTERREICH Servus! POPULAÇÃO: 8,3 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública federal LÍNGUAS: alemão MOEDA: e CAPITAL: Viea A Áustria é o aís da música! Há imesos festivais e a Óera de Viea é célebre em todo o mudo. A edelweiss é a rimeira flor que aarece a Primavera quado aida há eve. Torou-se um símbolo de amor e amizade. 44

47 O Tirol é uma região lidíssima da Áustria. Aaha uma arte das motahas dos Ales. Mozart Um dos maiores géios da música, era austríaco. Comôs 626 obras! Strauss Ficou famoso sobretudo elas suas valsas. Uma das mais cohecidas chama-se Daúbio Azul. O afelstrudel é uma torta de maçã. É de comer e chorar or mais! 45

48 Odra Vístula olóia POLSKA POPULAÇÃO: 38,2 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: olaco MOEDA: zloty CAPITAL: Varsóvia Czesc! Odra Varta Varsóvia Polóia Vístula Na Polóia há 9000 lagos. Os rios riciais são o Vístula, o Odra e o Varta. 46

49 A mia de sal gema de Wieliczka é cohecida como a catedral subterrâea da Polóia, recebe mais de um milhão de visitates or ao. Tem túeis com 300 km de comrido com esculturas fabulosas feitas or vários artistas ao logo dos séculos. Cérico Descobriu que era a Terra que girava à volta do Sol e ão o cotrário. Chi Foi um iaista e comositor. Marie Curie Cietista que descobriu o rádio e o olóio, gahou dois rémios Nobel, um da física e outro da química. 47

50 ortugal PORTUGAL Olá! POPULAÇÃO: 10,4 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: ortuguês MOEDA: e CAPITAL: Lisboa A Torre de Belém é uma esécie de emblema do aís. Não há ehuma igual, em arecida em arte ehuma do mudo. Lembra os Descobrimetos. As festas ulares de Juho são aimadíssimas. 48

51 As raias são uma loga festa. Há mais de 400! Os heróis ortugueses são sobretudo descobridores e oetas. Ifate D.Herique Orgaizou as rimeiras viages dos Descobrimetos. Pedro Alvares Cabral Descobriu o Brasil e foi o rimeiro a ligar quatro cotietes. Camões Escreveu Os Lusíadas (História de Portugal em verso) e muitos oemas de amor. Vasco da Gama Descobriu o camiho marítimo ara a Ídia. Ferado Pessoa Os seus oemas são cohecidos em todo o mudo. 49

52 oméia ROMÂNIA POPULAÇÃO: 21,6 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: romeo MOEDA: leu CAPITAL: Bucareste Bua ziua! A Roméia tem raias o Mar Negro muito boitas. A leda do vamiro Drácula foi isirada um code romeo chamado Vlad Dracul. 50

53 O castelo do code Vlad Dracul fica uma região chamada Trasilvâia. gee Ioesco Escreveu eças de teatro muito giras. Costati Brâcusi Foi um escultor famoso. 51

54 slovéia SLOVENIJA POPULAÇÃO: 2 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: esloveo MOEDA: e CAPITAL: Liubliaa Zivijo! A Eslovéia é um aís motahoso. Por isso a sua badeira figuram os três icos da motaha mais alta do aís que se chama Triglav. 52

55 A região do rio Soca é cohecida or terra das águas vivas, orque tem muitas ascetes e cascatas que ao logo do temo deram formas estrahas às rochas das marges. A cidade de Liubliaa é um exemlo do estilo artístico que se chama Arte Nova. Joseh Stefa foi um cietista que se torou famoso orque com os seus estudos sobre as radiações lhe ermitiram calcular a temeratura da suerfície do Sol 53

56 slováquia SLOVENSKO POPULAÇÃO: 5,4 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: eslovaco MOEDA: e CAPITAL: Bratislava Ahoj! Os rios mais imortates são o Daúbio, o Váh, o Hro. Vah Hro Eslováquia Os motes Cáratos marcam a aisagem da Eslováquia. Bratislava Daúbio 54

57 A Torre Velha é um belo moumeto da cidade de Bratislava. Ady Warhol, O ivetor da P Art a verdade chamava-se Adrej Warhola e era filho de eslovacos. Stefa Baic Ivetou o ára-quedas. 55

58 ilâdia SUOMI POPULAÇÃO: 5,3 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: reública LÍNGUAS: filadês e sueco MOEDA: e CAPITAL: Helsíquia Hei! Hej! No Ivero a aisagem arece saída de um coto de fadas. Durate arte do Verão o sol uca se escode. Que emoção assistir ao sol da meia oite! 56

59 No orte dos ais vivem os Laões que se dedicam sobretudo à criação de reas. São uma mioria ética muito reseitada or toda a gete. A Filâdia é a terra do Pai Natal. Etre os cameões mudiais de Fórmula 1 cotam-se ilotos filadeses como Keke Rosberg, Mika Häkkie e Kimi Räikköe. A história do ovo filadês está cotada um logo oema chamado Kalevala que durate séculos se trasmitiu oralmete. O comositor filadês Sibelius isirou-se o Kalevala ara escrever a sua rimeira sifoia. 57

60 uécia SVERIGE POPULAÇÃO: 9,3 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: moarquia LÍNGUAS: sueco MOEDA: coroa sueca CAPITAL: Estocolmo Hej! Estocolmo, a caital da Suécia é uma cidade- -arquiélago, costruída sobre catorze ilhotas. Algumas estão ligadas etre si or otes e elo metrolitao. Na ilha cetral, Gamla Sta, ergue-se o alácio real. Muitos dos edifícios têm telhados verdes, orque são cobertos de cobre. 58

61 Alfred Nobel É o sueco mais cohecido o mudo. Foi ele quem ivetou a diamite e a itrogliceria. Fez uma fortua colossal a veder exlosivos. Quado morreu deixou um testameto ivulgar: o seu diheiro seria alicado em rémios dados às essoas que fizessem algo de bom ela Humaidade. O rémio Nobel Prémio Nobel da Paz Prémio Nobel da Ecoomia Prémio Nobel da Literatura Prémio Nobel da Química Prémio Nobel da Medicia Prémio Nobel da Física A BA B As músicas do gruo ABBA toraram-se famosas e foram adtadas como temas ara filmes e esectáculos musicais, em todo o mudo. 59

62 eio ido UNITED KINGDOM POPULAÇÃO: 60,4 milhões de habitates SUPERFÍCIE: km 2 REGIME POLÍTICO: moarquia LÍNGUAS: iglês MOEDA: libra esterlia CAPITAL: Lodres Palácio de Buckigham É tão giro ver o reder da guarda em frete ao alácio da raiha! Hi! O Reio ido iclui: a Iglaterra o País de Gales a Escócia a Irlada do Norte 60

63 Os igleses ivetaram o futebol e muitos outros jogos! Newto Foi um grade cietista. Descobriu a lei da gravidade. só escrevi oemas e eças de teatro! Shakeseare O escritor mais traduzido o mudo....e eu escrevi muitas histórias de crimes e de mistério! Agatha Christie A seguda escritora mais traduzida o mudo, só escreveu livros oliciais. The Beatles Toraram-se famosos em todo o mudo e marcaram ara semre a música /rock. Charles Darwi Foi um grade cietista. Percebeu que todos os aimais do mudo têm um ateassado comum e que as diferetes esécies foram evoluido ao logo de miléios. Algumas extiguiram-se, outras cotiuam a evoluir. 61

64 a ura dá as mãos A ideia dos aíses da ra se uirem ara melhor resolverem os seus roblemas, surgiu deois da Seguda Guerra Mudial. Era ecessário recostruir as cidades bombardeadas, ôr outra vez fábricas a fucioar, reorgaizar o comércio. E sobretudo, garatir a az! Mas se cada um esasse aeas em si, o mais certo era brigar com os vizihos! Só com amizade, geerosidade e bom etedimeto se coseguiria az duradoura e rogresso. Acima de tudo era ecessária uião. Uma ião reia dizia Robert Schuma. Como uir aíses tão diferetes? Talvez a úica hiótese fosse ir rocurado a tal uião eureia devagar, or etaas. Foi isso que acoteceu. Quem rôs o rimeiro acordo ossível e cocreto foi um fracês chamado Jea Moet. Um acordo sobre o carvão e o aço. 62

65 O arvão e o ço (A Comuidade reia do Carvão e do Aço CECA) A Alemaha tiha muitas mias de carvão, idisesável ao fucioameto das fábricas. A Fraça fabricava aço, idisesável ara a recostrução de edifícios e ara fazer máquias. Os dois aíses tiham lutado ferozmete durate a guerra mas agora deviam esquecer o assado e ajudar-se mutuamete. De que maeira? Admiistrado o carvão e o aço em cojuto ruha Jea Moet. Os goveros cocordaram. A Bélgica, a Holada, a Itália e o Luxemburgo quiseram fazer arte do gruo e aderiram. Assim em Abril de 1951 assiaram o Tratado de Paris que criou a Comuidade reia do Carvão e do Aço. A sede da orgaização ficou o Luxemburgo e o rimeiro residete foi Jea Moet. O ascimeto da (Comuidade Ecoómica reia) Aesar das dificuldades e dos obstáculos que semre é reciso vecer, os seis aíses ficaram tão cotetes com o resultado que em 1957 resolveram alargar o acordo e assiaram o Tratado de Roma. Nessa altura assou a haver três comuidades. 63

Ana Maria Magalhães Isabel Alçada PAISES SEM FRONTEIRAS. A Uniao Europeia

Ana Maria Magalhães Isabel Alçada PAISES SEM FRONTEIRAS. A Uniao Europeia Ana Maria Magalhães Isabel Alçada PAISES SEM FRONTEIRAS A Uniao Europeia Países sem Fronteiras: a União Europeia Este livro é baseado na publicação Países sem Fronteiras: a União Europeia, editada pelo

Leia mais

www.aprendereuropa.pt / www.eurocid.pt União Europeia Estados-Membros: 28 População: 507 milhões de habitantes Superfície: + de 4 milhões km2

www.aprendereuropa.pt / www.eurocid.pt União Europeia Estados-Membros: 28 População: 507 milhões de habitantes Superfície: + de 4 milhões km2 União Europeia Estados-Membros: 28 População: 507 milhões de habitantes Superfície: + de 4 milhões km2 Bélgica (Belgique) Capital: Bruxelas (Bruxelles Brussel) População: 11.094,8 milhões de habitantes*

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO:

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO: CONSTITUIÇÃO: PARLAMENTO EUROPEU É a instituição parlamentar da União Europeia. Eleito por um período de 5 anos por sufrágio universal directo pelos cidadãos dos estados-membros Presidente do Parlamento

Leia mais

Ana Maria Magalhães. Isabel Alçada. aíses sem ronteiras A UNIÃO EUROPEIA

Ana Maria Magalhães. Isabel Alçada. aíses sem ronteiras A UNIÃO EUROPEIA Ana Maria Magalhães. Isabel Alçada aíses sem ronteiras A UNIÃO EUROPEIA Ana Maria Magalhães. Isabel Alçada aíses sem ronteiras A UNIÃO EUROPEIA 2 a nião uropeia A Europa é um continente dividido em muitos

Leia mais

Tempo para aprender A Cidadania Europeia

Tempo para aprender A Cidadania Europeia TACE Tempo para aprender A Cidadania Europeia Objetivos Reconhecer os marcos importantes da construção europeia Identificar as vantagens e inconvenientes da integração de Portugal na União Europeia Reconhecer

Leia mais

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS EM POUCAS PALAVRAS OS PRIMEIROS PASSOS DATA/LOCAL DE ASSINATURA E ENTRADA EM VIGOR PRINCIPAIS MENSAGENS QUIZ 10 PERGUNTAS E RESPOSTAS OS PRIMEIROS PASSOS No século XX depois das Guerras No século XX, depois

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

1. 2. 3. 4. PASSO A PASSO. Links para saber mais. A União Europeia. Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012?

1. 2. 3. 4. PASSO A PASSO. Links para saber mais. A União Europeia. Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012? junho 2012 PASSO A PASSO 1. 2. 3. 4. A União Europeia Ano Europeu: o que é? o que se comemora em 2012? Ano Europeu 2012: curiosidades iniciativas quiz Links para saber mais 1. A União Europeia 27 Estados-Membros

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia. de 21 de Abril de 2004. que cria o título executivo europeu para créditos não contestados

Jornal Oficial da União Europeia. de 21 de Abril de 2004. que cria o título executivo europeu para créditos não contestados 30.4.2004 L 143/15 REGULAMENTO (CE) N. o 805/2004 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 21 de Abril de 2004 que cria o título executivo europeu para créditos ão cotestados O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO

Leia mais

O QUE NOS UNE NO TRANSPORTE É A SEGURANÇA

O QUE NOS UNE NO TRANSPORTE É A SEGURANÇA O QUE NOS UNE NO TRANSPORTE É A SEGURANÇA A SEGURANÇA FAZ PARTE DA ESSÊNCIA DA VOLVO Ao lado da qualidade e do respeito ao meio ambiete, a seguraça é um dos valores corporativos que orteiam todas as ações

Leia mais

Em que país da UE posso visitar a Torre Eiffel? Qual o país da UE que é conhecido em todo o mundo pelos seus chocolates? França Espanha Bélgica

Em que país da UE posso visitar a Torre Eiffel? Qual o país da UE que é conhecido em todo o mundo pelos seus chocolates? França Espanha Bélgica Qual o país da UE que é conhecido em todo o mundo pelos seus chocolates? Suiça Bélgica Em que país da UE posso visitar a Torre Eiffel? Bélgica Qual a flor típica da Holanda? Rosa Cravo Tulipa Qual o país

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE Durante muito tempo os países da Europa andaram em guerra. A segunda Guerra Mundial destruiu grande parte do Continente Europeu. Para evitar futuras guerras, seria

Leia mais

INTERVALOS DE CONFIANÇA ESTATISTICA AVANÇADA

INTERVALOS DE CONFIANÇA ESTATISTICA AVANÇADA INTERVALOS DE CONFIANÇA ESTATISTICA AVANÇADA Resumo Itervalos de Cofiaça ara médias e roorções com alicações a Egeharia. Ferado Mori Prof.fmori@gmail.com Itervallos de Cofiiaça ara Médiias e Proorções

Leia mais

Problema de Fluxo de Custo Mínimo

Problema de Fluxo de Custo Mínimo Problema de Fluo de Custo Míimo The Miimum Cost Flow Problem Ferado Nogueira Fluo de Custo Míimo O Problema de Fluo de Custo Míimo (The Miimum Cost Flow Problem) Este problema possui papel pricipal etre

Leia mais

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA 1950 9 de Maio Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, profere um importante discurso em que avança propostas inspiradas nas ideias de Jean Monnet.

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Do ponto de vista técnico, o balanço é positivo

Do ponto de vista técnico, o balanço é positivo por ZÉLIA PINHEIRO Do poto de vista técico, o balaço é positivo A rede urbaa de frio e calor do Parque das Nações já tem oze aos e João Castaheira, director-geral da Climaespaço, faz o balaço. Garate que

Leia mais

! "#" $ %&& ' ( )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36 " #89 : /&*&

! # $ %&& ' ( )%*)&&&& +,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36  #89 : /&*& ! "#" %&& ' )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) 3 4 5 6 7 36 " #89 : /&*& #" + " ;9" 9 E" " """

Leia mais

Desafio em Física 2013 PUC-Rio 05/10/2013

Desafio em Física 2013 PUC-Rio 05/10/2013 Desafio e Física 2013 PUC-Rio 05/10/2013 Noe: GABARITO Idetidade: Nº iscrição o vestibular: Questão Nota 1 2 3 4 5 6 7 8 Total O teo de duração da rova é de 3 horas É eritido o uso de calculadora eletrôica;

Leia mais

A ESEC para o Novo Aluno...

A ESEC para o Novo Aluno... Praça Heróis do Ultramar Solum, 3030-329 Coimbra, Portugal Tel: (+ 35) 239 79 3 45/ 22 Fax: (+ 35) 239 40 46 www.esec.pt A ESEC para o Novo Aluo... CONTEÚDO A ESEC Serviços Directores de Curso Iformações

Leia mais

Sistemas de Filas Simples

Sistemas de Filas Simples Sistemas de Filas Simles Teoria de Filas Processo de chegada: se os usuários de uma fila chegam os istates t, t, t 3,..., t, as variáveis aleatórias τ t - t - são chamadas de itervalos etre chegadas. As

Leia mais

7. ANÁLISE COMBINATÓRIA Professor Fernando Vargas. n 1 Cuidado

7. ANÁLISE COMBINATÓRIA Professor Fernando Vargas. n 1 Cuidado 7. ANÁLISE COMBINATÓRIA Professor Ferado Vargas É a área da Matemática que trata dos problemas de cotagem. Estuda problemas que evolvem o cálculo do úmero de agrupametos que podem ser feitos com os elemetos

Leia mais

A União Europeia tem um hino. Verdadeiro ou falso? Qual é o símbolo do euro? a) $ b) c)

A União Europeia tem um hino. Verdadeiro ou falso? Qual é o símbolo do euro? a) $ b) c) Quais são as cores da bandeira da União Europeia? a) Azul e amarelo b) Azul e verde c) Verde e vermelho Quantas pontas têm as estrelas da União Europeia? a) 3 b) 5 c) 10 1/52 A União Europeia tem um hino.

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 3ª MENSAL - 3º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 3ª MENSAL - 3º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE FÍSICA º ANO - ª MENSAL - º TRIMESTRE TIPO A 0) Aalise as afirativas abaixo. I. A lete atural do osso olho (cristalio) é covergete, ois gera ua iage virtual, eor e direita a retia. II. Istruetos

Leia mais

Artículo técnico CVM-NET4+ Cumpre com a normativa de Eficiência Energética. Novo analisador de redes e consumo multicanal Situação actual

Artículo técnico CVM-NET4+ Cumpre com a normativa de Eficiência Energética. Novo analisador de redes e consumo multicanal Situação actual 1 Artículo técico Joatha Azañó Departameto de Gestão Eergética e Qualidade de Rede CVM-ET4+ Cumpre com a ormativa de Eficiêcia Eergética ovo aalisador de redes e cosumo multicaal Situação actual As ormativas

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

EQUAÇÕES DIFERENCIAIS LINEARES DE ORDEM N

EQUAÇÕES DIFERENCIAIS LINEARES DE ORDEM N EQUAÇÕES DIFERENCIAIS LINEARES DE ORDEM N Estudaremos este capítulo as equações diereciais lieares de ordem, que são de suma importâcia como suporte matemático para vários ramos da egeharia e das ciêcias.

Leia mais

Guia do Professor. Matemática e Saúde. Experimentos

Guia do Professor. Matemática e Saúde. Experimentos Guia do Professor Matemática e Saúde Experimetos Coordeação Geral Elizabete dos Satos Autores Bárbara N. Palharii Alvim Sousa Karia Pessoa da Silva Lourdes Maria Werle de Almeida Luciaa Gastaldi S. Souza

Leia mais

AULA: Inferência Estatística

AULA: Inferência Estatística AULA: Iferêcia Estatística stica Prof. Víctor Hugo Lachos Dávila Iferêcia Estatística Iferêcia Estatística é um cojuto de técicas que objetiva estudar uma oulação através de evidêcias forecidas or uma

Leia mais

2º e 3º Ciclos Ensino Profissional

2º e 3º Ciclos Ensino Profissional 2º e 3º Ciclos Ensino Profissional Índice 1. A União Europeia O caminho da UE 2. Os Anos Europeus 3. 2010 Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social (AECPES) 4. 2010 AECPES. Pobreza e Exclusão

Leia mais

Dispensa e Redução de Contribuições

Dispensa e Redução de Contribuições Dispesa Temporária do Pagameto de Cotribuições Dec - Lei º 89/95, de 6 de Maio Dec - Lei º 34/96, de 18 de Abril Dec - Lei º 51/99, de 20 de Fevereiro Lei º 103/99, de 26 de Julho Taxa Cotributiva Dec

Leia mais

CAPÍTULO VIII - REGIMES DE TRABALHO

CAPÍTULO VIII - REGIMES DE TRABALHO 8. Regimes de trabalho. CAÍULO VIII - REGIMES DE RABALHO Há iúmeros tios de máquias cujos regimes de trabalho se caracterizam or aresetar eríodos curtos de oeração, seguidos de logos eríodos de reouso.

Leia mais

Avaliação da Confiabilidade de Itens com Testes Destrutivos - Aplicação da Estimação da Proporção em uma População Finita Amostrada sem Reposição

Avaliação da Confiabilidade de Itens com Testes Destrutivos - Aplicação da Estimação da Proporção em uma População Finita Amostrada sem Reposição Avaliação da Cofiabilidade de Ites com Testes Destrutivos - Alicação da Estimação da roorção em uma oulação Fiita Amostrada sem Reosição F. A. A. Coelho e Y.. Tavares Diretoria de Sistemas de Armas da

Leia mais

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO Portugal situa-se no extremo sudoeste da Europa e é constituído por: Portugal Continental ou Peninsular (Faixa Ocidental da Península Ibérica) Parte do território

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

A estabilidade de preços é importante porquê? Brochura informativa para os alunos

A estabilidade de preços é importante porquê? Brochura informativa para os alunos A estabilidade de preços é importante porquê? Brochura informativa para os alunos O que é que podes comprar com uma nota de 10? Que tal dois CD-singles ou talvez a tua revista preferida todas as semanas,

Leia mais

CAPÍTULO 3 - RETIFICAÇÃO

CAPÍTULO 3 - RETIFICAÇÃO CAPÍTULO 3 - RETFCAÇÃO A maioria dos circuitos eletrônicos recisa de uma tensão cc ara oder trabalhar adequadamente Como a tensão da linha é alternada, a rimeira coisa a ser feita em qualquer equiamento

Leia mais

Matemática Alexander dos Santos Dutra Ingrid Regina Pellini Valenço

Matemática Alexander dos Santos Dutra Ingrid Regina Pellini Valenço 4 Matemática Alexader dos Satos Dutra Igrid Regia Pellii Valeço Professor SUMÁRIO Reprodução proibida. Art. 84 do Código Peal e Lei 9.60 de 9 de fevereiro de 998. Módulo 0 Progressão aritmérica.................................

Leia mais

Lista 2 - Introdução à Probabilidade e Estatística

Lista 2 - Introdução à Probabilidade e Estatística UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Lista - Itrodução à Probabilidade e Estatística Modelo Probabilístico experimeto. Que eveto represeta ( =1 E )? 1 Uma ura cotém 3 bolas, uma vermelha, uma verde e uma azul.

Leia mais

n Mais de 133 m 2 de salões independentes com n Tomadas para voz y dados n Ligação Wifi n Facilidades para qualquer tipo de montagem

n Mais de 133 m 2 de salões independentes com n Tomadas para voz y dados n Ligação Wifi n Facilidades para qualquer tipo de montagem Carrís Hoteles é uma jove rede hoteleira implatada as pricipais cidades da Euro-Região Galiza-Norte de Portugal. Nascida em 2006, com capital majoritariamete galego, a empresa cota com sete uidades hoteleiras,

Leia mais

CAPÍTULO 5 - INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA

CAPÍTULO 5 - INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA CAPÍTULO 5 - INTRODUÇÃO À INFERÊNCIA ESTATÍSTICA 5. INTRODUÇÃO É freqüete ecotrarmos problemas estatísticos do seguite tipo : temos um grade úmero de objetos (população) tais que se fossem tomadas as medidas

Leia mais

O QUE SÃO E QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL EM ESTATÍSTICA PARTE li

O QUE SÃO E QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL EM ESTATÍSTICA PARTE li O QUE SÃO E QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL EM ESTATÍSTICA PARTE li Média Aritmética Simples e Poderada Média Geométrica Média Harmôica Mediaa e Moda Fracisco Cavalcate(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova Fudametos de Bacos de Dados 3 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Dezembro de 2008 Duração: 2 horas Prova com cosulta Questão (Costrução de modelo ER) Deseja-se projetar uma base de dados que dará suporte a

Leia mais

A MÍDIA E SUA INFLUÊNCIA NAS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS. Erika Milena de Souza

A MÍDIA E SUA INFLUÊNCIA NAS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS. Erika Milena de Souza A MÍDIA E SUA INFLUÊNCIA NAS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS. Erika Milea de Souza INTRODUÇÃO Um dos problemas causados pelo aumeto do processo de urbaização é a falta de seguraça, o qual limitou os espaços

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA A CRIAÇÃO EUROPEIA. Maria do Rosário Baeta Neves Professora Coordenadora

UNIÃO EUROPEIA A CRIAÇÃO EUROPEIA. Maria do Rosário Baeta Neves Professora Coordenadora UNIÃO EUROPEIA A CRIAÇÃO EUROPEIA 1952 CECA (TRATADO DE PARIS 18 de Abril 1951) Países aderentes: França Alemanha Bélgica Holanda Luxemburgo Itália Objectivos do Tratado de Paris: Criação do Mercado Comum

Leia mais

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007 Conteúdo e desafios Os Tratados Tratado de Paris (CECA) 18 de Abril de 1951 Tratados de Roma (CEE e CEEA) 25 de Março de 1957 Acto Único Europeu 17 de Fevereiro 1986

Leia mais

Endereço. Dados. Mem Read Mem select

Endereço. Dados. Mem Read Mem select Parte IV Sistea de Meória Os sisteas de coputação utiliza vários tipos de dispositivos para arazeaeto de dados e de istruções. Os dispositivos de arazeaeto cosiste e eória pricipal e eória secudária. A

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova Fudametos de Bacos de Dados 3 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Julho de 2008 Duração: 2 horas Prova com cosulta Questão (Costrução de modelo ER - Peso 2 Deseja-se costruir um sistema WEB que armazee a comuicação

Leia mais

113 milhões de euros para o programa a favor das pessoas mais necessitadas em 2012

113 milhões de euros para o programa a favor das pessoas mais necessitadas em 2012 COMISSÃO EUROPEIA - COMUNICADO DE IMPRENSA 113 milhões de euros para o programa a favor das pessoas mais necessitadas em 2012 Bruxelas, 20 de Junho de 2011 O montante global da dotação para 2012 do programa

Leia mais

Uma abordagem histórico-matemática do número pi (π )

Uma abordagem histórico-matemática do número pi (π ) Uma abordagem histórico-matemática do úmero pi (π ) Brua Gabriela Wedpap, Ferada De Bastiai, Sadro Marcos Guzzo Cetro de Ciêcias Exatas e Tecológicas UNIOESTE Cascavel - Pr. E-mail: bruagwedpap@hotmail.com

Leia mais

ESTUDO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FAFIC EM MATEMÁTICA

ESTUDO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FAFIC EM MATEMÁTICA ESTUDO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FAFIC EM MATEMÁTICA Prof. Ms. Rhodolffo Allysso Felix de Alecar Lima * Prof. Ms. José Flávio Portela Soares** Joelbso Moreira Alves Josefa Tavares

Leia mais

LAYOUT CONSIDERAÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO. Fabrício Quadros Borges*

LAYOUT CONSIDERAÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO. Fabrício Quadros Borges* LAYOUT Fabrício Quadros Borges* RESUMO: O texto a seguir fala sobre os layouts que uma empresa pode usar para sua arrumação e por coseguite ajudar em solucioar problemas de produção, posicioameto de máquias,

Leia mais

Resolução -Vestibular Insper 2015-1 Análise Quantitativa e Lógica. Por profa. Maria Antônia Conceição Gouveia.

Resolução -Vestibular Insper 2015-1 Análise Quantitativa e Lógica. Por profa. Maria Antônia Conceição Gouveia. Resolução -Vestibular Isper 0- Aálise Quatitativa e Lógica Por profa. Maria Atôia Coceição Gouveia.. A fila para etrar em uma balada é ecerrada às h e, quem chega exatamete esse horário, somete cosegue

Leia mais

Parte 1: Matemática Combinatória, Binômio de Newton e Cálculo de Probabilidades

Parte 1: Matemática Combinatória, Binômio de Newton e Cálculo de Probabilidades Pós Graduação em Educação Matemática UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Parte : Matemática ombiatória, Biômio de Newto e álculo de Probabilidades Prof. Ilydio Pereira de Sá ombiatória e Probabilidades ara Educadores

Leia mais

CIRCUITOS SEQUÊNCIAIS

CIRCUITOS SEQUÊNCIAIS Coelh ho, J.P. @ Sistem mas Digita ais : Y20 07/08 CIRCUITOS SEQUÊNCIAIS O que é um circuito it sequêcial? Difereça etre circuito combiatório e sequecial... O elemeto básico e fudametal da lógica sequecial

Leia mais

A TORRE DE HANÓI Carlos Yuzo Shine - Colégio Etapa

A TORRE DE HANÓI Carlos Yuzo Shine - Colégio Etapa A TORRE DE HANÓI Carlos Yuzo Shie - Colégio Etapa Artigo baseado em aula miistrada a IV Semaa Olímpica, Salvador - BA Nível Iiciate. A Torre de Haói é um dos quebra-cabeças matemáticos mais populares.

Leia mais

MÓDULO V B C D E PÓS-EURO

MÓDULO V B C D E PÓS-EURO O PÓS-EURO A B C D E MÓDULO V O Euro face às s principais moedas internacionais Pacto de Estabilidade e Crescimento O Tratado de Amesterdão O Tratado de Nice Reforçar e Reformar as Políticas da União na

Leia mais

Juros Simples e Compostos

Juros Simples e Compostos Juros Simples e Compostos 1. (G1 - epcar (Cpcar) 2013) Gabriel aplicou R$ 6500,00 a juros simples em dois bacos. No baco A, ele aplicou uma parte a 3% ao mês durate 5 6 de um ao; o baco B, aplicou o restate

Leia mais

Introdução ao Estudo de Sistemas Lineares

Introdução ao Estudo de Sistemas Lineares Itrodução ao Estudo de Sistemas Lieares 1. efiições. 1.1 Equação liear é toda seteça aberta, as icógitas x 1, x 2, x 3,..., x, do tipo a1 x1 a2 x2 a3 x3... a x b, em que a 1, a 2, a 3,..., a são os coeficietes

Leia mais

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova

Fundamentos de Bancos de Dados 3 a Prova Fudametos de Bacos de Dados 3 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Dezembro de 2007 Duração: 2 horas Prova com cosulta Questão 1 (Costrução de modelo ER - Peso 3) Deseja-se costruir um sistema WEB que armazee

Leia mais

a taxa de juros i está expressa na forma unitária; o período de tempo n e a taxa de juros i devem estar na mesma unidade de tempo.

a taxa de juros i está expressa na forma unitária; o período de tempo n e a taxa de juros i devem estar na mesma unidade de tempo. UFSC CFM DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MTM 5151 MATEMÁTICA FINACEIRA I PROF. FERNANDO GUERRA. UNIDADE 3 JUROS COMPOSTOS Capitalização composta. É aquela em que a taxa de juros icide sempre sobre o capital

Leia mais

Módulo 4 Matemática Financeira

Módulo 4 Matemática Financeira Módulo 4 Matemática Fiaceira I Coceitos Iiciais 1 Juros Juro é a remueração ou aluguel por um capital aplicado ou emprestado, o valor é obtido pela difereça etre dois pagametos, um em cada tempo, de modo

Leia mais

Ano Europeu da Criatividade e Inovação

Ano Europeu da Criatividade e Inovação Ano Europeu da Criatividade e Inovação Imaginar criar inovar Índice A União Europeia O caminho da UE O Ano Europeu Criatividade e Inovação. Porquê? Criatividade e Inovação. Importância Criatividade e Inovação.

Leia mais

A Europa em poucas palavras

A Europa em poucas palavras A Europa em poucas palavras O que é a União Europeia? É europeia = está situada na Europa. É uma união = une países e pessoas. Examinemos mais atentamente: O que têm os europeus em comum? De que forma

Leia mais

É madrugada MÚSICA BRASILEIRA PARA CORO JUVENIL. Stella Junia. texto de Mário Quintana

É madrugada MÚSICA BRASILEIRA PARA CORO JUVENIL. Stella Junia. texto de Mário Quintana É madrugada tella Juia texto de Mário Quitaa MÚIA BRAILEIRA PARA ORO JUVENIL Presidete da Reúlica Luiz Iácio Lula da ilva Miistro da ultura Juca erreira udação Nacioal de Arte UNARTE Presidete ergio Mamerti

Leia mais

onde d, u, v são inteiros não nulos, com u v, mdc(u, v) = 1 e u e v de paridades distintas.

onde d, u, v são inteiros não nulos, com u v, mdc(u, v) = 1 e u e v de paridades distintas. !"$# &%$" ')( * +-,$. /-0 3$4 5 6$7 8:9)$;$< =8:< > Deomiaremos equação diofatia (em homeagem ao matemático grego Diofato de Aleadria) uma equação em úmeros iteiros. Nosso objetivo será estudar dois tipos

Leia mais

CPV seu Pé Direito no INSPER

CPV seu Pé Direito no INSPER CPV seu Pé Direito o INSPE INSPE esolvida /ovembro/0 Prova A (Marrom) MATEMÁTICA 7. Cosidere o quadrilátero coveo ABCD mostrado a figura, em que AB = cm, AD = cm e m(^a) = 90º. 8. No plao cartesiao da

Leia mais

ELEMENTOS DE ÓPTICA. c v n

ELEMENTOS DE ÓPTICA. c v n ELEMENTOS DE ÓPTICA ÓPTICA GEOMÉTICA Dimesões dos comoetes óticos muito sueriores ao comrimeto de oda da luz. Um eixe lumioso como um cojuto de raios erediculares à rete de oda. ÍNDICES DE EFACÇÃO, LEI

Leia mais

CAP. I ERROS EM CÁLCULO NUMÉRICO

CAP. I ERROS EM CÁLCULO NUMÉRICO CAP I ERROS EM CÁLCULO NUMÉRICO 0 Itrodução Por método umérico etede-se um método para calcular a solução de um problema realizado apeas uma sequêcia fiita de operações aritméticas A obteção de uma solução

Leia mais

Teste de Hipóteses VÍCTOR HUGO LACHOS DÁVILAD

Teste de Hipóteses VÍCTOR HUGO LACHOS DÁVILAD Teste de ióteses VÍCTOR UGO LACOS DÁVILAD Teste De ióteses. Exemlo. Cosidere que uma idustria comra de um certo fabricate, ios cuja resistêcia média à rutura é esecificada em 6 kgf (valor omial da esecificação).

Leia mais

Conceito 31/10/2015. Módulo VI Séries ou Fluxos de Caixas Uniformes. SÉRIES OU FLUXOS DE CAIXAS UNIFORMES Fluxo de Caixa

Conceito 31/10/2015. Módulo VI Séries ou Fluxos de Caixas Uniformes. SÉRIES OU FLUXOS DE CAIXAS UNIFORMES Fluxo de Caixa Módulo VI Séries ou Fluxos de Caixas Uiformes Daillo Touriho S. da Silva, M.Sc. SÉRIES OU FLUXOS DE CAIXAS UNIFORMES Fluxo de Caixa Coceito A resolução de problemas de matemática fiaceira tora-se muito

Leia mais

Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos Mosteiro dos Jerónimos Guia de visita dos 6 aos 12 anos Serviço Educativo do Mosteiro dos Jerónimos/ Torre de Belém Bem-vindo ao Mosteiro dos Jerónimos A tua visita de estudo começa logo no Exterior do

Leia mais

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI

MNE DGAE. Tratado de Lisboa. A Europa rumo ao século XXI Tratado de Lisboa A Europa rumo ao século XXI O Tratado de Lisboa Índice 1. Contextualização 1.1. Porquê um novo Tratado? 1.2. Como surgiu o Tratado de Lisboa? 2. O que mudará com o Tratado de Lisboa?

Leia mais

Lista 9 - Introdução à Probabilidade e Estatística

Lista 9 - Introdução à Probabilidade e Estatística UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Lista 9 - Itrodução à Probabilidade e Estatística Desigualdades e Teoremas Limites 1 Um ariro apota a um alvo de 20 cm de raio. Seus disparos atigem o alvo, em média, a 5 cm

Leia mais

Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa

Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa IP/09/343 Bruxelas, 3 de Março de 2009 Comissão reconhece a necessidade de um melhor acesso de elevado débito à Internet para revitalizar as zonas rurais na Europa A Comissão declarou hoje considerar prioritária

Leia mais

Anexo VI Técnicas Básicas de Simulação do livro Apoio à Decisão em Manutenção na Gestão de Activos Físicos

Anexo VI Técnicas Básicas de Simulação do livro Apoio à Decisão em Manutenção na Gestão de Activos Físicos Aexo VI Técicas Básicas de Simulação do livro Apoio à Decisão em Mauteção a Gestão de Activos Físicos LIDEL, 1 Rui Assis rassis@rassis.com http://www.rassis.com ANEXO VI Técicas Básicas de Simulação Simular

Leia mais

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA UNIÃO EUROPEIA ESTADOS-MEMBROS Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE Fevereiro de 2011 FICHA TÉCNICA Título Informação Estatística União Europeia/Estados-membros,

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

Uma Observação sobre. Exposição ao risco de acidentes domésticos. sticos. www.onsa.pt

Uma Observação sobre. Exposição ao risco de acidentes domésticos. sticos. www.onsa.pt Uma Observação sobre Seguraça a a Habitação. Exosição ao risco de acidetes domésticos sticos www.osa.t Uma observação sobre a seguraça a habitação. Exosição ao risco de acidetes domésticos Relatório Maria

Leia mais

COLÉGIO ANCHIETA-BA. ELABORAÇÃO: PROF. ADRIANO CARIBÉ e WALTER PORTO. RESOLUÇÃO: PROFA, MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

COLÉGIO ANCHIETA-BA. ELABORAÇÃO: PROF. ADRIANO CARIBÉ e WALTER PORTO. RESOLUÇÃO: PROFA, MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Questão 0. (UDESC) A AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA DA UNIDADE I-0 COLÉGIO ANCHIETA-BA ELABORAÇÃO: PROF. ADRIANO CARIBÉ e WALTER PORTO. PROFA, MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA Um professor de matemática, após corrigir

Leia mais

NEUTRINOS. - história e primeiras medidas - fontes e detectores - oscilações e massa - futuro

NEUTRINOS. - história e primeiras medidas - fontes e detectores - oscilações e massa - futuro NEUTRINOS - história e rimeiras medidas - fotes e detectores - oscilações e massa - futuro Sofia Adriga (sofia@li.t)::física de Partículas, Nov. 2011 História breve dos eutrios 1930 Proostos or Pauli,

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD)

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) MEMO/11/406 Bruxelas, 16 de Junho de 2011 Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) Em férias nunca se sabe! Está a pensar viajar na UE ou na Islândia,

Leia mais

INE 5111- ESTATÍSTICA APLICADA I - TURMA 05324 - GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE AMOSTRAGEM E PLANEJAMENTO DA PESQUISA

INE 5111- ESTATÍSTICA APLICADA I - TURMA 05324 - GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE AMOSTRAGEM E PLANEJAMENTO DA PESQUISA INE 5111- ESTATÍSTICA APLICADA I - TURMA 534 - GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE AMOSTRAGEM E PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Aalise as situações descritas abaixo e decida se a pesquisa deve ser feita por

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M5 Análise combinatória

Matemática. Resolução das atividades complementares. M5 Análise combinatória Resolução das atividades complemetares Matemática M Aálise combiatória p. 6 Ao laçarmos um dado duas vezes, quatas e quais são as possibilidades de ocorrêcia dos úmeros? Ao laçarmos um dado duas vezes,

Leia mais

Resposta: L π 4 L π 8

Resposta: L π 4 L π 8 . A figura a seguir ilustra as três primeiras etapas da divisão de um quadrado de lado L em quadrados meores, com um círculo iscrito em cada um deles. Sabedo-se que o úmero de círculos em cada etapa cresce

Leia mais

Matemática Em Nível IME/ITA

Matemática Em Nível IME/ITA Caio dos Satos Guimarães Matemática Em Nível IME/ITA Volume 1: Números Complexos e Poliômios 1ª Edição São José dos Campos 007 SP Prefácio O livro Matemática em Nível IME/ITA tem como objetivo ão somete

Leia mais

CURTOSE. Teremos, portanto, no tocante às situações de Curtose de um conjunto, as seguintes possibilidades:

CURTOSE. Teremos, portanto, no tocante às situações de Curtose de um conjunto, as seguintes possibilidades: CURTOSE O que sigifica aalisar um cojuto quato à Curtose? Sigifica apeas verificar o grau de achatameto da curva. Ou seja, saber se a Curva de Freqüêcia que represeta o cojuto é mais afilada ou mais achatada

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD Objectivos: ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA FICHA DE ACTIVIDADE N.º 4- " de A a Z " 1. Reconhecer conceitos que integram o indivíduo na sociedade. 2. Conhecer o exercício da cidadania. AUTARQUIAS:

Leia mais

Análise de Projectos ESAPL / IPVC. Critérios de Valorização e Selecção de Investimentos. Métodos Estáticos

Análise de Projectos ESAPL / IPVC. Critérios de Valorização e Selecção de Investimentos. Métodos Estáticos Aálise de Projectos ESAPL / IPVC Critérios de Valorização e Selecção de Ivestimetos. Métodos Estáticos Como escolher ivestimetos? Desde sempre que o homem teve ecessidade de ecotrar métodos racioais para

Leia mais

Sistema Computacional para Medidas de Posição - FATEST

Sistema Computacional para Medidas de Posição - FATEST Sistema Computacioal para Medidas de Posição - FATEST Deise Deolido Silva, Mauricio Duarte, Reata Ueo Sales, Guilherme Maia da Silva Faculdade de Tecologia de Garça FATEC deisedeolido@hotmail.com, maur.duarte@gmail.com,

Leia mais

III Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade (SimpGES) Produtos eco-inovadores: produção e consumo"

III Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade (SimpGES) Produtos eco-inovadores: produção e consumo 4 e 5 de outubro de 03 Campo Grade-MS Uiversidade Federal do Mato Grosso do Sul RESUMO EXPANDIDO COMPARAÇÃO ENTRE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS E REGRESSÃO LINEAR MÚLTIPLA PARA PREVISÃO DE PREÇOS DE HORTALIÇAS

Leia mais

ESTUDO DA DISTRIBUIÇÃO ASSINTÓTICA DOS ESTIMADORES DOS PARÂMETROS DA DISTRIBUIÇÃO WEIBULL NA PRESENÇA DE DADOS SUJEITOS A CENSURA ALEATÓRIA

ESTUDO DA DISTRIBUIÇÃO ASSINTÓTICA DOS ESTIMADORES DOS PARÂMETROS DA DISTRIBUIÇÃO WEIBULL NA PRESENÇA DE DADOS SUJEITOS A CENSURA ALEATÓRIA ESTUDO DA DISTRIBUIÇÃO ASSINTÓTICA DOS ESTIMADORES DOS PARÂMETROS DA DISTRIBUIÇÃO WEIBULL NA PRESENÇA DE DADOS SUJEITOS A CENSURA ALEATÓRIA Almir MANTOVANI Maria Aarecida de Paiva FRANCO 2 RESUMO: O objetivo

Leia mais

Geografia/15 8º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / PROJETOS-SÍNTESE PARA RECUPERAÇÃO FINAL 2015. Geografia

Geografia/15 8º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / PROJETOS-SÍNTESE PARA RECUPERAÇÃO FINAL 2015. Geografia Geografia/15 8º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / 8ºgeo303r PROJETOS-SÍNTESE PARA RECUPERAÇÃO FINAL 2015 Geografia 3º TRIMESTRE EUROPA: Aspectos econômicos, Bloco econômico, Aspectos físicos e População

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA MODELAGEM MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO: ÂNGULO DE VISÃO DAS CORES DO ARCO-ÍRIS

CONTRIBUIÇÕES DA MODELAGEM MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO: ÂNGULO DE VISÃO DAS CORES DO ARCO-ÍRIS CONTRIBUIÇÕES DA MODELAGEM MATEMÁTICA PARA O ENSINO MÉDIO: ÂNGULO DE VISÃO DAS CORES DO ARCO-ÍRIS Profª. Drª. Vailde Bisogi UNIFRA vailde@uifra.br Prof. Rodrigo Fioravati Pereira UNIFRA prof.rodrigopereira@gmail.com

Leia mais