8 a SÉRIE 9 o ANO EDUCAÇÃO FÍSICA CADERNO DO ALUNO. Linguagens. ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS Volume 2

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "8 a SÉRIE 9 o ANO EDUCAÇÃO FÍSICA CADERNO DO ALUNO. Linguagens. ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS Volume 2"

Transcrição

1 8 a SÉRIE 9 o ANO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS Volume 2 EDUCAÇÃO FÍSICA Linguagens CADERNO DO ALUNO

2 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO MATERIAL DE APOIO AO CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO CADERNO DO ALUNO EDUCAÇÃO FÍSICA ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS 8 a SÉRIE/9 o ANO VOLUME 2 Nova edição São Paulo

3 Governo do Estado de São Paulo Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador Guilherme Afif Domingos Secretário da Educação Herman Voorwald Secretária-Adjunta Cleide Bauab Eid Bochixio Chefe de Gabinete Fernando Padula Novaes Subsecretária de Articulação Regional Rosania Morales Morroni Coordenadora da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores EFAP Silvia Andrade da Cunha Galletta Coordenadora de Gestão da Educação Básica Maria Elizabete da Costa Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos Cleide Bauab Eid Bochixio Coordenadora de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional Ione Cristina Ribeiro de Assunção Coordenadora de Infraestrutura e Serviços Escolares Dione Whitehurst Di Pietro Coordenadora de Orçamento e Finanças Claudia Chiaroni Afuso Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação FDE Barjas Negri

4 Caro(a) aluno(a), Com este Caderno conclui-se um ciclo de aprendizagens. Mais uma vez, você poderá registrar suas descobertas ou pesquisas e encontrará desafios para ampliar seus saberes escolares. Continue aproveitando as oportunidades de aprendizagem para construir e consolidar seus conhecimentos e habilidades nas aulas de Educação Física. Os temas tratados serão Jogo e esporte Diferenças conceituais e na experiência dos jogadores ; Esporte Modalidade alternativa ou popular em outros países: beisebol ; Atividade rítmica Organização de festival de dança e de expressões corporais e Esporte Organização de campeonato esportivo. No tema Jogo e esporte são abordadas as diferenças conceituais entre jogo e esporte segundo a experiência dos jogadores. A ideia é permitir que você discuta sobre suas próprias vivências e experiências com o jogo e com o esporte e que compreenda os pontos comuns e divergentes entre esses dois elementos culturais. Você poderá analisar se o que realiza nas aulas de Educação Física, na rua e nas praças esportivas constitui uma situação com características de jogo ou com características de esporte. Poderá, também, descobrir as intenções da prática esportiva destinada ao rendimento ou ao lazer. No tema Esporte Modalidade alternativa ou popular em outros países, o assunto sugerido é o beisebol. Seu professor poderá escolher outra modalidade esportiva. Como essa modalidade não é muito difundida no Brasil, com este Caderno você terá oportunidade de conhecer os objetivos, as finalidades e a estruturação dessa modalidade. Poderá comparar o beisebol com jogos que usam materiais e solicitam movimentos e gestos similares. Procure mobilizar-se para aprender, de modo crítico e autônomo, com as vivências e situações propostas para essa modalidade esportiva alternativa! Nos temas Atividade rítmica e Esporte são tratados assuntos como a organização de um festival e uma competição. Você está quase terminando o Ensino Fundamental. Assim, todos os conhecimentos sistematizados nas aulas de Educação Física, ao longo de sua escolarização, vão ajudá-lo a elaborar e desenvolver esses eventos de forma prazerosa e eficaz para o incentivo da prática regular da atividade física. Quando surgirem dificuldades, o melhor a fazer é pedir ajuda ao professor, que sempre poderá retomar explicações e conteúdos estudados. Parabéns pelo esforço, bom estudo e sucesso no evento! Equipe Técnica de Educação Física Área de Linguagens Coordenadoria de Gestão da Educação Básica CGEB Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

5

6 TEMA 1 JOGO E ESPORTE DIFERENÇAS CONCEITUAIS E NA EXPERIÊNCIA DOS JOGADORES PARA COMEÇO DE CONVERSA Alguma vez você jogou com seus amigos na rua ou no quintal de casa? Já quis jogar e teve de esperar a vez, porque havia mais de duas equipes? Já assistiu a uma competição de algum esporte de que você gosta e torceu muito por seu time? Competiu em alguma equipe? Quando jogamos com nossos amigos, só o fazemos enquanto estiver legal ou enquanto quisermos, não é? Quando você joga taco, por exemplo, quem determina as regras? É necessário usar uniforme ou ter árbitro, tempo definido de jogo e campo com medidas certas para jogar? Provavelmente, você e seus amigos jogam em um espaço livre qualquer (rua, campinho, quintal etc.), sem árbitros, com as regras combinadas pelos jogadores, sem uniformes. Além disso, a duração do jogo é definida pelos jogadores. Isso é o que se chama de jogo. Você é livre para tomar as decisões. Joga quando e como quer, sem a preocupação de ganhar ou perder. Não há maiores consequências, porque não há nada mais envolvido, apenas sua vontade de se divertir. Mas, quando todos têm de seguir com rigidez as regras como o tempo certo de jogo buscando o máximo de performance, quando todos têm de estar uniformizados, quando há pessoas cuja função é controlar o cumprimento das regras (no caso, os árbitros), punindo quem não as cumpre, quando a vitória ou a derrota traz consequências para a equipe (que poderá ser eliminada da competição, ser rebaixada para outra série do campeo nato, perder a medalha etc.), estamos falando do esporte de competição ou de rendimento. 1. Observe as imagens a seguir e escreva que situação está acontecendo em cada uma: jogo ou esporte. a) b) c) Gabriela Romeu/Folhapress Randy Faris/Corbis/Latinstock David Madison/The Image Bank/Getty Images 5

7 d) e) Wilson Dias/ABr Chris Ryan/Stone/Getty Images 2. Há um alto estresse, uma rivalidade elevada, as discussões entre as equipes precisam da intervenção do árbitro e somente a vitória interessa às duas equipes. Essas características são típicas do: ( ) jogo. ( ) esporte. 3. A disputa é séria, as equipes querem vencer, há discussão em lances polêmicos, mas geralmente as decisões são negociadas e o jogo continua como se nada tivesse acontecido. Essas características são do: ( ) jogo. ( ) esporte. 4. Regras, tempo, espaço e número de jogadores são flexíveis e decididos pelos participantes. Essas características são do: ( ) jogo. ( ) esporte. PESQUISA EM GRUPO Vimos que há diferenças entre o jogo e o esporte. Mesmo quando falamos no esporte, há diferenças entre o que praticamos na praia, na rua, na praça e aquele praticado no clube ou pelo time do coração, por exemplo. Quem quer ver o seu time perder? Mesmo que você não torça por nenhum time específico, você gostaria de ver qualquer seleção brasileira perder? Não importa a modalidade esportiva (voleibol, futebol ou outra), ninguém quer ver a representação de seu país perder, não é verdade? Forme um grupo com seus colegas e, juntos, discutam as questões referentes às práticas de jogo e esporte do quadro a seguir. Pesquisem em sites, revistas e livros e/ou conversem com amigos para buscar as respostas. 6

8 Taco ou bets Base quatro Beisebol a) Em que local se realiza? b) Com quantas equipes e quantos jogadores? c) Qual é o objetivo e como é jogado? d) Qual o tipo de equipamento utilizado? e) Que tipo de vestimenta se usa para jogar? f) Precisa de árbitros? g) É jogo ou esporte? 7

9 LIÇÃO DE CASA Você já notou que há jogos que se parecem com os esportes a que assistimos na TV, nos clubes ou nos campos? Você já vivenciou e aprendeu vários jogos e modalidades esportivas ao longo de sua vida escolar, especialmente a partir da 5 a série/6 o ano. 1. Na tabela a seguir, na coluna da esquerda, você encontrará uma breve descrição de alguns jogos. Escreva, na coluna da direita, a que modalidade esportiva esses jogos podem ser associados. Na Pesquisa em grupo, vocês pesquisaram o jogo de taco, que pode ser associado ao beisebol porque tem movimentos utilizados nessa modalidade, como arremessar a bola, rebater, correr para alcançar a base antes da recuperação da bola etc. Agora, vamos à Lição de casa! Bom trabalho! Jogo Esporte Câmbio: duas equipes de nove jogadores cada uma (formando três linhas de três jogadores frente, meio e fundo), utilizando como quadra um retângulo dividido ao meio por uma rede ou corda elástica. O jogador de uma das equipes inicia lançando (saque) a bola para a outra equipe, gritando câmbio. Nesse momento, ele e seus colegas de equipe realizam o rodízio de posição. A bola não poderá ser lançada na área dos 3 metros. A outra equipe deverá pegar a bola (segurá-la), executar de um a três passes entre os seus jogadores e devolvê-la para a outra equipe, gritando câmbio e fazendo o rodízio de posição. Os jogadores não podem saltar para passar a bola. Será ponto sempre que a bola cair ao chão, os jogadores errarem dentro ou fora dos limites da quadra o número de passes, não fizerem o rodízio corretamente ou a bola arremessada não passar por cima da rede ou da corda. Torrebol ou bola ao capitão: duas equipes; um apanhador de cada equipe sobre uma superfície mais alta (plinto, cavalo) no campo adversário. A bola deve chegar às mãos do apanhador por meio de um passe convertendo o ponto. As equipes tentam impedir que a bola chegue às mãos do apanhador adversário. 8

10 Vinte e um: geralmente um contra um ou de dois a quatro jogadores por equipe; uma cesta e meia quadra. Os jogadores driblam, passam a bola entre si e procuram acertá-la na cesta. Vence a equipe que converter primeiro 21 pontos. As demais regras são definidas entre os participantes. Caixabol: duas metas (caixote vazado ou plinto) e duas equipes. Os jogadores devem tocar a bola com os pés, procurando passá-la no vão do caixote. Cada equipe deve impedir que o time oponente passe a bola no seu próprio caixote. Queimada: duas equipes; uma área retangular dividida ao meio é usada como quadra. Jogadores dispostos nas duas meias quadras, e apenas um na linha de fundo da meia quadra oposta. Um jogador de uma equipe inicia o jogo arremessando uma bola ao campo contrário com o propósito de acertá-la ( queimar ) em algum adversário. Se o jogador for queimado, passa para o fundo da quadra, e o colega que estava lá se junta aos demais membros da equipe. A partir do segundo jogador queimado, não haverá mais troca entre os jogadores que estão no fundo da quadra e os que estão na meia quadra. Se a bola for pega pelo adversário, esse jogador tentará queimar alguém da outra equipe, e assim sucessivamente. As demais regras são definidas pelos participantes: que região do corpo é fria, por exemplo. Vence a equipe que conseguir queimar todos os jogadores da equipe adversária primeiro. Jogo das quatro cestas: duas cestas em cada campo, em lados opostos; quatro equipes. Cada equipe defende uma cesta e ataca na oposta. Ao sinal, as equipes trocam de cesta no sentido que for indicado (horário ou anti-horário). Se a equipe acerta na cesta adversária, faz 2 pontos; se o faz na sua própria cesta, perde 1 ponto. Peteca: duas equipes; um retângulo dividido ao meio com uma rede ou corda elástica é usado como quadra. Um dos times começa sacando a peteca, e esta deve cair dentro do limite da quadra do adversário, que precisará rebatê-la, passando-a até três vezes entre seus colegas de equipe e devolvendo-a para a equipe que a sacou ou rebatendo-a de volta diretamente. Se a equipe que receber o saque deixar a peteca cair, será ponto para a adversária. Se a equipe que sacou errar na rebatida da peteca, haverá rodízio da equipe que recebeu o saque. As demais regras são decididas pelo grupo, definindo-se o que é permitido ou não. 9

11 2. Registre na tabela a seguir as diferenças que existem entre jogo e esporte. Lembre-se da pesquisa que foi feita sobre o jogo de taco, o jogo base quatro e o beisebol. Quadro-resumo: diferenças entre jogo e esporte Diferenças Jogo Esporte Regras Espaço Tempo (duração) Vestimentas Arbitragem 10

12 PARA SABER MAIS Sites Você gostou do tema e quer se aprofundar? Então, fique ligado nas dicas a seguir. Visite os seguintes sites para ampliar seus conhecimentos: Jogos Antigos. Disponível em: < Acesso em: 12 nov Apresenta informações variadas sobre jogos antigos e modernos, jogos de tabuleiro, quebra-cabeças e brincadeiras infantis, além de sugestões de filmes, livros e artigos relacionados ao tema. Labrimp Laboratório de Brinquedos e Materiais Pedagógicos da Faculdade de Educação da USP. Disponível em: < Acesso em: 12 nov Traz um inventário de jogos e brincadeiras tradicionais, elencando jogos de bola e de locomoção, contos e fábulas, cantigas, jogos verbais e outros. Apresenta também uma vasta bibliografia sobre a temática dos jogos. VOCÊ APRENDEU? Assinale as informações com V (verdadeira) ou F (falsa). 1. No jogo, as regras são f lexíveis e podem ser definidas pelos participantes. ( ) 2. Nos esportes de competição ou de rendimento, o tempo da partida não é definido, varia de acordo com o interesse dos jogadores. ( ) 3. O jogo de peteca está associado ao esporte handebol. ( ) 4. No esporte praticado como lazer, os participantes jogam a sério, seguindo regras, mas geralmente sem árbitros. As diferenças são decididas entre os próprios jogadores, para continuarem a partida. ( ) 5. O jogo vinte e um está associado ao esporte basquetebol. ( ) 11

13 TEMA 2 ESPORTE MODALIDADE ALTERNATIVA OU POPULAR EM OUTROS PAÍSES: BEISEBOL PARA COMEÇO DE CONVERSA Dymamic Graphics/Latinstock Durante os intervalos das aulas, quando você está pensando em se divertir ou em algo para fazer depois da aula ou nas férias, viriam a sua mente pensamentos como esses que você vê na imagem anterior? Será que você pensaria em jogar beisebol? Preste atenção no que acontece quando falamos em esporte. De qual modalidade você se lembra em primeiro lugar? Futebol? Voleibol? Natação? Faça o teste com algum amigo e peça que ele lhe diga em qual pensou. Veja o que acontece. Existem muitas modalidades esportivas, coletivas e individuais, pouco divulgadas ou não muito populares no Brasil, mas que são muito difundidas e apreciadas em outros países. O beisebol é uma dessas modalidades. Você sabia que ele é uma das modalidades esportivas mais praticadas no mundo? Procure responder, com seus colegas, às questões que se seguem. Anote quantas vocês acertaram e veja o que sabem sobre o beisebol. Ao término deste tema, repitam o teste e vejam o quanto aprenderam. 12

14 1. O beisebol foi criado em que país? ( ) Inglaterra. ( ) Estados Unidos. ( ) Japão. 2. No Brasil, o beisebol foi difundido principalmente pelos: ( ) ingleses. ( ) estadunidenses. ( ) japoneses. 3. O Brasil, até 2014, foi campeão mundial na modalidade: ( ) uma vez. ( ) duas vezes. ( ) três vezes. 4. O beisebol é praticado por duas equipes, cada uma composta de: ( ) 6 jogadores. ( ) 9 jogadores. ( ) 12 jogadores. 5. O rebatedor e os corredores são integrantes: ( ) da equipe atacante. ( ) da equipe que defende. ( ) de equipes diferentes. 6. O arremessador e os jardineiros são integrantes: ( ) da equipe atacante. ( ) da equipe que defende. ( ) de equipes diferentes. 13

15 PESQUISA EM GRUPO O beisebol é uma modalidade que vem ganhando adeptos no Brasil ano a ano. Atualmente, temos vários campeonatos nacionais e cerca de 3 mil praticantes, distribuídos por vários Estados brasileiros. O jogo ocorre entre duas equipes de nove jogadores cada uma, com um técnico. Uma equipe ataca (rebate) e a outra defende, em nove entradas conhecidas como innings. Quando a equipe que defende eliminar três jogadores da outra equipe (atacante), trocam-se as posições, isto é, a equipe que defendia será a equipe que irá rebater (ataque), enquanto a outra vira defensora. O rebatedor é eliminado quando: a bola que ele rebateu é pega (no alto) sem que ela quique no chão; a bola chega à primeira base antes dele; ele é tocado com a bolinha na mão por algum jogador da defesa antes que chegue à primeira base; são feitos três strikes (arremessos válidos), e o receptor (catcher) não solta a bola. O corredor, que no caso é o rebatedor (batter), só corre pela quantidade de bases que ele conseguir, podendo parar em qualquer uma. Para fazer um ponto, o jogador tem que passar por todas as bases. Se a equipe da defesa (arremessador) acertar a bolinha em um jogador do ataque, o atingido vai para a próxima base. O arremessador e o apanhador se comunicam por meio de códigos de jogada para conseguir evitar a rebatida. Forme um grupo com seus colegas de turma e confrontem as informações, sem nenhum tipo de consulta, para realizar as atividades que se seguem: 1. Coloque, ao lado de cada palavra, o que ela significa no jogo de beisebol. a) inning: b) bat: c) strike: d) ball: e) walk: 14

16 f) out: g) safe: h) fair ball: i) foul ball: j) home run: k) runner: Você sabe que existem princípios operacionais de ataque e de defesa nos esportes, não sabe? Provavelmente você vem estudando esses princípios desde a 5 a série/6 o ano, em diferentes modalidades esportivas coletivas. Esses princípios também se aplicam ao beisebol. 2. A seguir, são apresentadas diferentes situações que correspondem aos princípios operacionais de ataque e de defesa (de A até E). Coloque, ao lado do número das imagens, a letra da unidade funcional correspondente. (A) Relação jogador-bola: o jogador se familiariza e aprimora sua relação com a bola e o taco/ bastão. (B) Relação jogador-bola-colegas: os jogadores fazem exercícios como troca de passes em duplas ou em trios. (C) Relação jogador-bola-alvo: o jogador treina o deslocamento entre as bases após a rebatida da bola ou após a recuperação da bola na defesa. (D) Relação jogador-bola-colegas-alvo: troca de passes entre jardineiro externo e defensor de base e deslocamento à base seguinte, ou rebatida da bola e deslocamento do rebatedor e outro jogador da base seguinte. (E) Relação jogador-bola-colegas-adversários-alvo: situações de ataque e de defesa em diferentes composições um atacante e dois defensores (1 2); um atacante e três defensores (1 3); dois atacantes e dois defensores (2 2) etc. 15

17 1. ( ) Evan Hurd/Corbis/Latinstock Duane Osborn/Somos Images/Corbis/Latinstock moodboard/corbis/latinstock 2. ( ) 3. ( ) 16

18 4. ( ) Donald Miralle/Photodisc/Getty Images Erik Isakson/Fancy/Latinstock 5. ( ) 17

19 3. No esquema a seguir, coloque um círculo ao redor dos jogadores da equipe de ataque e um quadrado ao redor dos árbitros. Dorling Kindersley/Getty Images Dorling Kindersley/Getty Images 4. Cada jogador da equipe tem uma função e uma posição no campo de acordo com a situação do jogo (ataque ou defesa). Coloque, no esquema a seguir, o número do jogador (veja a lista), segundo a função/posição que ele ocupa. Jogadores: (1) Rebatedor/batedor (batter) (2) Arremessador (pitcher) (3) Corredor (runner) (4) Jardineiro (externo) direito (right fielder) (5) Jardineiro (externo) esquerdo (left fielder) (6) Jardineiro (externo) central (central fielder) (7) Jogadores da base (8) Jogadores interbases (9) Receptor (catcher) 18

20 LIÇÃO DE CASA Agora que você aprendeu e compreendeu o beisebol, procure responder às perguntas relacionadas a cada imagem. Se precisar, peça ajuda a colegas e ao professor, ou pesquise em sites, revistas e livros. 1. Bom trabalho! Lothar Schulz/Getty Images O que está acontecendo no jogo neste momento? O que há na imagem que o fez chegar a essa resposta? 2. David Madison/Stone/Getty Images O que acontece com o jogador do ataque neste tipo de jogada da defesa? 19

21 3. Absodels/Getty Images O que está acontecendo nesta jogada? 4. Yellow Dog Productions/The Image Bank/Getty Images Qual o nome dado à posição e à função deste jogador, e o que está acontecendo? 20

22 5. Alloy/Corbis/Latinstock Como é chamada a bola arremessada pelo pitcher e por quê? 6. Duane Osborn/Cardinal/Corbis/Latinstock O que está acontecendo nesta jogada, que nome se dá a este jogador e por quê? 21

23 7. Comstock/Thinkstock/Getty Images O que a equipe branca está comemorando e por quê? PARA SABER MAIS Você gostou do assunto? Fique ligado nas dicas a seguir. Sites Centro de Computação Unicamp. Como praticar beisebol. Disponível em: < ccuec.unicamp.br/~ide/praticar_baseball.html>. Acesso em: 12 nov Oferece informações sobre como jogar beisebol e contém figuras ilustrativas a respeito da dinâmica do esporte. Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol. Disponível em: < br>. Acesso em: 12 nov Oferece fotos, informações sobre o esporte, campeonatos pelo país, federações etc. 22

24 VOCÊ APRENDEU? 1. O beisebol foi criado em que país? ( ) Inglaterra. ( ) Estados Unidos. ( ) Japão. 2. O beisebol é praticado por duas equipes, cada uma composta de: ( ) 6 jogadores. ( ) 9 jogadores. ( ) 12 jogadores. 3. Marque no campo a seguir a posição dos seguintes jogadores: A. rebatedor. B. pitcher (arremessador). C. catcher (receptor). D. jardineiro externo direito. E. jardineiro central. F. jardineiro externo esquerdo. G. interbase. H. segunda base. David Madison/Photographer s Choice/Getty Images 23

25 4. O arremesso em que a bola passa abaixo da linha do ombro, acima da linha do joelho e entre a base é chamado: ( ) ball. ( ) strike. ( ) run. 5. No momento em que o rebatedor acerta a bola, passa a ser chamado de: ( ) batter. ( ) jardineiro. ( ) runner. 6. Quando um jogador consegue passar pelas 1 a, 2 a e 3 a bases e chegar à home plate (4 a base), a equipe: ( ) perde um jogador. ( ) conquista um ponto. ( ) comete uma falta. 7. Associe o nome à imagem: catcher; pitcher; batter. a) b) Comstock/Thinkstock/Getty Images Duane Osborn/Cardinal/Corbis/Latinstock c) Mike Powell/Allsport Concepts/Getty Images 24

26 Desafio! Palavras parceiras As palavras destacadas em vermelho no texto a seguir são parceiras das palavras da coluna da esquerda do diagrama por terem alguma relação com o seu significado. Preencha os espaços com as letras das palavras em destaque no texto, que são parceiras das palavras da coluna da esquerda. Melhores de 2008 (COB) Jennifer Lika Jisaka (16 anos) e Leandro Akira Hasegawa (25 anos) foram premiados como melhores atletas de softbol e beisebol, respectivamente, pelo Comitê Olímpico Brasileiro em dezembro de Jennifer é de Atibaia (SP) e integrou a Seleção Brasileira Adulta em 2008, em uma série de partidas amistosas em comemoração ao Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, e também disputou o Campeonato Sul-americano de Softbol Feminino Sub-17 na Venezuela, ocasião em que o Brasil sagrou-se campeão continental. Leandro Akira Hasegawa foi um dos destaques da Seleção Brasileira de Beisebol Adulta na disputa do Campeonato Pré-mundial na Venezuela em outubro desse mesmo ano. Esporte Mulher Nacionalidade Destaques Sobrenome Gênero Comitê 25

27 APRENDENDO A APRENDER Arroz e feijão: uma combinação perfeita Na hora do almoço ou do jantar, nada mais gostoso do que um bom prato de arroz e feijão, você não acha? Iara Venanzi/Kino Mais do que uma saborosa parceria, esse prato tipicamente brasileiro é uma combinação saudável, completa em proteínas e rica em fibras e carboidratos. Assim, o arroz e o feijão se completam. O que falta em um o outro fornece. Isso assegura um conjunto de nutrientes de dar inveja a qualquer vegetal. Para você ter uma ideia, um prato de arroz e feijão tem quase a mesma quantidade de proteínas encontrada na carne. Você conhece alguém com diabetes ou doenças do coração? A dupla arroz e feijão também é um bom alimento para essas pessoas. Alguns de seus nutrientes (amidos e fibras) ajudam a manter a quantidade de açúcar e gordura (colesterol) do sangue em níveis mais baixos. Além disso, a refeição que inclui arroz e feijão satisfaz a fome por mais tempo, ajudando a controlar o peso. É por tudo isso que dizemos que essa é uma união que deu muito certo. O arroz faz parte do grupo de alimentos mais consumidos no mundo inteiro: os carboidratos. Juntamente com o trigo, o milho, a aveia, a cevada e o centeio, pertence à família 26

28 dos grãos (cereais). Todos esses alimentos são ricos em amidos, aqueles carboidratos considerados mais saudáveis e que fornecem a maior parte da energia (glicose) de que nosso corpo e cérebro precisam. O feijão, por sua vez, pertence a um grupo alimentar diferente: as chamadas leguminosas. Fazem parte da família das leguminosas, além do feijão, a ervilha, o grão-de-bico, a soja, a vagem, a lentilha e outros alimentos menos conhecidos, como o tremoço e a fava. As leguminosas estão entre os alimentos de origem vegetal mais nutritivos, pois são ricas em proteínas, boas fontes de amidos, fibras, vitaminas do complexo B e minerais como ferro, cálcio e zinco. Elas também têm poucas calorias e gorduras. Haroldo Palo Jr./Kino Feijão. O feijão, por exemplo, é rico em ferro, um mineral importantíssimo para o corpo humano. Mas atenção! Nosso organismo só consegue absorver uma pequena parte desse ferro. Essa absorção aumenta bastante se comermos o feijão acompanhado de um alimento rico em vitamina C, como suco de laranja ou de outras frutas cítricas (acerola, limão, morango, goiaba etc.). Apesar de todos esses benefícios, infelizmente, os brasileiros estão comendo cada vez menos arroz e feijão e outras leguminosas (soja, grão-de-bico, ervilha, lentilha e fava). Quantas porções nós devemos comer por dia? Coma uma porção de feijão por dia. Varie os tipos de feijão (preto, carioquinha, verde, feijão de corda, branco e outros) e consuma também outros tipos de leguminosas. E quanto é uma porção? É uma concha de feijão ou duas colheres (de sopa) de lentilha, grão-de-bico, ervilha ou soja cozidos. 27

29 Ligue o nome das leguminosas às imagens correspondentes: 1. Ervilha. a) b) Ryan McVay/DigitalVision/ Thinkstock/Getty Images 2. Grão-de-bico. 3. Soja. 4. Lentilha. c) d) R-P/Kino Ivania Sant Anna/Kino R-P/Kino Curiosidade A proporção adequada de arroz e feijão é: uma parte de feijão para duas partes de arroz. Assim, se você come ½ concha de feijão (ou duas colheres e meia), deve comer o dobro de arroz, isto é, cinco colheres de sopa de arroz. Para refletir Agora você deve saber que: frutas cítricas (laranja, abacaxi, acerola) quando comemos leguminosas como o feijão. 28

30 Curiosidade Se você se interessou pelas modalidades beisebol e softbol e gostaria de assistir a alguns jogos pela televisão ou mesmo pessoalmente, confira o calendário de competições nacionais e internacionais no site da Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol (disponível em: < acesso em: 12 nov. 2013). A seguir, um modelo de calendário para reproduzir e preencher. Calendário de Eventos Nacionais Beisebol e Softbol Ano Mês Data Evento Local Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Calendário de Eventos Internacionais Beisebol e Softbol Ano Mês Data Evento Local Julho Agosto 29

31 Setembro Outubro Novembro Dezembro Você sabia? Você sabe o que é softbol? O softbol surgiu em 1887 para ser jogado em ginásios ou em espaços cobertos. É parecido com o beisebol e é praticado predominantemente por mulheres. A grande aceitação desse jogo levou a sua prática para áreas abertas, como parques e praças. O softbol tem as regras básicas do beisebol, mas se diferencia em alguns aspectos, como: Softbol Beisebol Bola Maior e mais leve Menor e mais pesada Campo Menor Maior Innings Sete Nove Arremesso De baixo para cima De cima para baixo 30

32 TEMA 3 ATIVIDADE RÍTMICA ORGANIZAÇÃO DE FESTIVAL DE DANÇA E DE EXPRESSÕES CORPORAIS PARA COMEÇO DE CONVERSA Ao longo de todo o ano letivo e das séries/anos anteriores, você e seus amigos vivenciaram diferentes experiências do Se-Movimentar. Neste volume, propomos que vocês organizem e desenvolvam, sob a coordenação de seu professor, juntamente com os demais colegas das 8 a séries/9 o anos de sua escola, um festival de dança e de expressões corporais e/ou um campeonato esportivo. Delfim Martins/Pulsar Imagens Festival de dança. 31

33 Mas, antes de entrarmos no assunto, discuta com seus colegas as questões a seguir: 1. Coloque C quando a característica se refere à competição, ou F quando se trata de festival. a) A classificação dos participantes depende dos resultados obtidos. ( ) b) A ênfase está na criatividade e na diversidade de práticas corporais no mesmo evento. ( ) c) Os adversários são determinados por organização de tabelas. ( ) d) Os confrontos são feitos segundo o agrupamento por gênero (masculino, feminino ou grupos mistos). ( ) e) Não é necessária a presença de árbitros. ( ) 2. Para realizar um festival, precisamos de muita organização. Quais das alternativas se referem a comissões que, a seu ver, precisam ser formadas para garantir a realização de um bom evento? a) Organizadora. d) De avaliação. b) De arbitragem. e) De execução. c) De divulgação. PESQUISA EM GRUPO Caso seu professor de Educação Física decida realizar um festival, vocês terão, em seguida, orientações sobre diferentes dados que devem ser levantados pelas comissões responsáveis pela organização do evento. Após a definição das comissões com o seu professor de Educação Física, vocês devem proceder à pesquisa referente à sua comissão. Registrem os resultados da pesquisa na página 34. As lutas podem integrar tanto o festival como o campeonato esportivo. Se houver competição entre os alunos, as lutas devem integrar o campeonato, mas, se eles apenas realizarem uma demonstração de lutas, elas devem integrar o festival. Todas as comissões são relevantes e trabalham com um único objetivo: promover um festival bonito, alegre e bem organizado. Todas as comissões têm um papel a desempenhar e, para alcançar o objetivo, há a necessidade de que todos saibam o que devem fazer. Por isso, precisam fazer bem o que lhes couber e colaborar com os outros no que for preciso para o êxito coletivo. Hudson Calasans 32

34 Comissões Comissão organizadora ou de planejamento Comissão de divulgação Pesquisar com os professores e colegas da escola: que tipos de atividades foram desenvolvidos ao longo do ano com todas as séries/anos diversas danças, ginásticas, lutas e outras atividades expressivas; qual o objetivo do festival para a escola; o número de interessados, em cada classe, em participar do festival; que atividades são desenvolvidas em instituições na comunidade (academias, clubes, associações etc.) e se há interesse na participação de algum grupo; quem serão os representantes das outras comissões que participarão das reuniões gerais; quais as possíveis datas de reunião para elaborar um cronograma geral de atividades; que tipo de regulamento normalmente é utilizado nesses eventos e a necessidade de elaborar algum para o festival da escola; se haverá algum incentivo (prêmio, pontuação) para as torcidas e como será feita a avaliação. junto aos professores e à direção: se há a possibilidade de divulgação do festival por meio de panfletos e murais das salas e dos corredores; modelos de panfletos, faixas, cartazes e outros meios de comunicação que sirvam de base para o trabalho da comissão; se há a possibilidade de divulgação por meio de algum jornal, revista ou rádio local e o que é necessário para efetivar a divulgação; junto à comunidade: quem elabora faixas e verificar a possibilidade de alguma doação para o festival; se os professores de Língua Portuguesa podem ajudar na elaboração e na revisão dos textos de divulgação; que recursos utilizar para convidar a comunidade e as autoridades que o grupo achar interessantes (cartas, ofícios ou outros); a disponibilidade de máquinas fotográficas ou filmadoras para registro e quem poderia executar essa atividade. Comissão técnica os possíveis locais, dentro e fora da escola, para a realização do festival; a disponibilidade de carteiras ou cadeiras da escola e a possibilidade de utilizá-las, ou ainda a necessidade de empréstimo de algum local nas proximidades (igreja, clube, órgão público etc.); como proceder para conseguir autorização e como serão feitos o deslocamento e a organização no local; se há algum local em que os participantes poderão trocar de roupa; a disponibilidade de equipamentos de som (aparelho de CD/gravador, caixas de som, microfone) e de iluminação (se for à noite) na escola ou o empréstimo feito por alguma entidade da localidade e quem poderá instalar os equipamentos; a possibilidade de alguma decoração no local (flores, painéis etc.); como devem ser os vestiários (camarins) e o que deve ser providenciado; a possibilidade de conseguir algum brinde ou certificado para os participantes etc. 33

35 Comissões Comissão do cerimonial Comissão de avaliação Pesquisar o que é preciso para a organização de um evento (cerimonial de abertura e encerramento); qual o papel dos apresentadores do evento e verificar quem se interessaria em realizar tal tarefa; como se organiza a sequência de entrada dos grupos e quem será responsável por isso; de que forma deve ser o atendimento de grupos convidados e o que deve ser providenciado para eles; como se faz a premiação em eventos dessa natureza, se há necessidade e possibilidade de fazê-la na escola e a quem premiará etc. como deve ser uma avaliação de evento; como será feita a avaliação e quem será o responsável por essa etapa; como serão coletadas as informações, as opiniões e os dados para compor a avaliação e um memorial do evento; como se elabora um relatório final sobre eventos; de que forma será feito o registro fotográfico ou a filmagem para compor a avaliação final e o memorial do evento. Registre a seguir os resultados da pesquisa sobre a sua comissão. Comissão: 34

36 LIÇÃO DE CASA Cada comissão fez o levantamento das informações necessárias para o desempenho das funções que lhe competem. Agora, de posse dos dados, faça uma proposta de ações para a sua comissão. Discuta essa proposta com os demais membros da sua comissão para escolher as ações que vocês acreditam ser mais pertinentes para conseguir um bom resultado. As decisões do grupo deverão ser apresentadas na reunião geral para aprovação final e posterior desenvolvimento. Veja, no quadro a seguir, algumas decisões que deverão ser tomadas pelas comissões e que o ajudarão a refletir sobre que proposta deve apresentar ao seu grupo. Registre sua proposta no quadro da página 37. Ops! Você e seus colegas não devem se esquecer de dar um nome ao festival e de criar uma logomarca para ele. Isso fortalece o evento à medida que, com o tempo, poderá fazer parte da cultura local. Veja o caso dos campeonatos de diferentes esportes ou eventos, como a Olimpíada de Matemática ou de Redação. Veja um exemplo: a imagem a seguir foi a logomarca escolhida para os Jogos Olímpicos do Brasil em 2016, no Rio de Janeiro. Comitê Olímpico Brasileiro Logomarca dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro Pensem na logomarca do festival de sua escola. Podem até fazer um concurso interno, o que seria muito, muito legal, não acham? Comissão Comissão organizadora ou de planejamento Decisões a tomar definir nome e logomarca (veja o exemplo citado) do festival; estabelecer local, data e horário; elaborar o regulamento (quem participa; quantas apresentações por participante; estabelecer o tempo máximo da apresentação; definir se haverá pontuações e classificação para as classes); definir se haverá premiação ou não; estipular as categorias: dança, ginástica, luta, expressão corporal etc.; definir como, quando e onde serão feitas as inscrições; elaborar o programa do festival e o cronograma de reuniões das comissões; definir os ofícios que serão encaminhados (para quê, para quem, quando, qual o texto) e tomar outras providências que a comissão considerar necessárias. 35

37 Comissão Decisões a tomar Comissão de divulgação definir o tipo de divulgação que será feito, seu formato e teor (dizeres/texto sobre local, programação, regulamento, resultados etc.) e quem fará o material (mídia impressa); definir como e quando será a distribuição interna (dentro da escola) e externa (fora da escola); decidir o modelo dos convites e para quem serão encaminhados; se forem utilizadas imagens (fotos, filmes), definir quem vai produzi-las e quem vai providenciar a autorização; organizar a divulgação dos resultados, se houver premiação, e tomar outras providências que a comissão considerar necessárias. Comissão técnica escolher o local do festival com a comissão de organização; definir dias e horários de ensaios; decidir como e quando será feita a limpeza do local e quem a fará; definir a organização do espaço para a apresentação, a disposição das carteiras/cadeiras, a instalação do som (aparelhagem, caixas e microfones) e da iluminação, a colocação de mesas de apoio etc.; decidir como e quando será o deslocamento do material de apoio e quem o fará (quem irá buscar ou levar o material para o local do festival); organizar e equipar o vestiário; providenciar a decoração do local (como será, quem vai fazê-la, com que material e quando); organizar o local e a disposição de brindes (quando houver); orientar e controlar as torcidas e tomar outras providências que a comissão considerar necessárias. Comissão do cerimonial organizar a cerimônia de abertura e de encerramento do festival (desfile dos participantes; juramento dos participantes, se for o caso); organizar a programação; preparar roteiro para o apresentador, com o programa do festival e outras falas; elaborar as orientações para os responsáveis pelo controle de entrada e saída dos grupos (sequência da entrada); organizar a mesa de som para receber os CDs dos grupos (evitar confusões na hora de tocar a música); instalar e operar o som e a iluminação; organizar a premiação (se houver): como será, quando será feita e quem a fará; receber convidados e autoridades e tomar outras providências que a comissão considerar necessárias. Comissão de avaliação definir o que será avaliado (satisfação, organização, programação etc.) e como a avaliação será organizada (entrevista, questionário, diálogos após o festival etc.); realizar a tabulação ou sistematização dos dados obtidos (como, quando e quem fará); elaborar relatório final ou memorial do festival (o que foi o festival, pontos positivos e negativos, participação dos alunos na organização, torcidas, sugestões) com documentação, registros fotográficos e filmagens e tomar outras providências que a comissão considerar necessárias. 36

38 Registre a seguir a sua proposta. 37

39 PARA SABER MAIS Site Festival de Dança de Joinville. Disponível em: < Acesso em: 17 abr O site apresenta informações sobre as diferentes categorias e os regulamentos do festival, além de um banco de imagens do evento. VOCÊ APRENDEU? Assinale as alternativas com V (verdadeira) ou F (falsa). a) O festival é um evento que visa à integração e à participação. ( ) b) A organização de um festival pressupõe a participação de diferentes pessoas, cada qual com suas atribuições, geralmente organizadas em grupos (as comissões), que desempenham atividades afins. ( ) c) A organização de um festival envolve várias comissões, entre elas a de arbitragem. ( ) d) A comissão do cerimonial é responsável, entre outras atividades, pela abertura e pelo encerramento do festival. ( ) e) Todo festival precisa ter premiação para os participantes que alcançarem o primeiro, o segundo e o terceiro lugares. ( ) 38

40 TEMA 4 ESPORTE ORGANIZAÇÃO DE CAMPEONATO ESPORTIVO PARA COMEÇO DE CONVERSA Você já participou de algum campeonato, torneio ou copa? Você se lembra do evento? Será que você visualizou cenas de competições e de equipes se confrontando em campeonatos ou torneios esportivos? Ou será que a pergunta lhe trouxe as imagens de equipes desfilando ou perfiladas no campo, cantando o Hino Nacional? Enfim, você deve ter pensado em algumas imagens, talvez diferentes das que colocamos aqui, mas falar em campeonato esportivo remete à ideia de competição. Lucas Lacaz Ruiz/Futura Press Cerimônia de abertura dos jogos escolares no Estado de São Paulo. Será que todo evento esportivo é igual? O que envolve a sua organização? Converse com seus colegas sobre as perguntas que se seguem, e vamos descobrir o que vocês já sabem a respeito desse assunto, pois ele é um dos conteúdos deste volume. 1. Quando o evento esportivo prevê o confronto de todas as equipes ou dos atletas envolvidos pelo menos uma vez entre si, estamos nos referindo a: a) campeonatos. b) festivais. c) gincanas. d) torneios. Jorge Henrique/ASN Cerimônia de abertura dos jogos escolares no Estado de Sergipe. 39

41 2. Quando mencionamos eventos esportivos em que dificilmente todos os participantes se confrontam, pois têm caráter eliminatório, estamos falando de: a) campeonatos. b) festivais. c) gincanas. d) torneios. 3. São chamadas eliminatórias simples as organizações de eventos esportivos em que os participantes: a) são eliminados assim que sofrem a primeira derrota. b) são eliminados após a segunda derrota consecutiva. c) são eliminados após a terceira derrota consecutiva. d) são classificados pelos pontos obtidos no total de confrontos realizados. 4. Assinale quais alternativas (pode ser mais de uma) podem constituir os eventos esportivos: a) jogos cooperativos. b) esportes coletivos. c) lutas. d) esportes individuais. Você já ouviu expressões como o sorteio das equipes definirá a tabela de jogo, apenas os primeiros turnos têm data, horário e locais confirmados ou, ainda, os times X, Y e Z abrem a primeira rodada do campeonato. Elas têm relação direta com a forma ou o processo adotado na organização do evento. Para a boa organização e o bom desenvolvimento do evento, é preciso definir as modalidades esportivas, tradicionais ou não (futsal, basquetebol, handebol, voleibol, atletismo, futebol de mesa, tênis de mesa, judô, xadrez, damas, skate etc.); estabelecer um regulamento que permita a participação de todos de forma equilibrada (instituir categorias e variar as possibilidades de composição dos grupos: masculino, feminino, misto etc.) e justa (adaptação das regras, se necessário, para garantir que todos possam participar), prevendo números mínimo e máximo de participações por aluno. Nesse sentido, talvez seja interessante que o vencedor seja a classe que, no somatório de pontos obtidos nas diferentes categorias e modalidades, conseguir o melhor resultado. Quanto maior o número de participantes nas categorias e modalidades oferecidas, maiores as chances de a classe conseguir o primeiro lugar. Então, mãos à obra! Sob a coordenação de seu professor, organizem as comissões e comecem a trabalhar. Tomem como exemplo as comissões do festival. A seguir, vejam a diferença entre campeonato e torneio esportivo. 40

42 Você sabia? Você sabe diferenciar um campeonato de um torneio? Segundo os autores que escrevem sobre o assunto, os campeonatos são eventos que têm uma duração bastante longa, principalmente em função das características de sua organização. Uma das principais é que todos os participantes se enfrentam pelo menos uma vez. Já os torneios são mais rápidos e podem envolver muitos atletas ou equipes, pois têm caráter eliminatório, o que torna pouco provável o confronto entre todos os participantes, mesmo que seja apenas uma vez. A organização de torneios nas escolas é bastante comum, especialmente quando as competições ocorrem no período de aulas, a exemplo das competições interclasses, que não podem ocupar muito tempo do período letivo. Portanto, o que normalmente se chama de campeonato interclasses é, na verdade, um torneio. Então, fique ligado! PESQUISA EM GRUPO O desafio desta pesquisa é identificar como são as competições de diferentes esportes, individuais e coletivos. Por exemplo: as competições de atletismo envolvem as provas de pista (corridas com e sem obstáculos), campo (arremessos, saltos e lançamentos) e outras, como a maratona, lembram? Vocês precisam identificar o que envolve a competição, que locais dentro ou fora da escola (clubes ou parques, por exemplo) poderiam ser utilizados para as provas, que material é necessário (peso, disco, sarrafos, suporte para sarrafo, colchões, trena, cronômetros etc.), qual a duração média das provas, se os alunos podem ser os árbitros ou não, como identificar os participantes (como é a numeração dos atletas no esporte e qual a forma de apresentação, ou seja, qual o uniforme), se há medalhas disponíveis, quando ocorrerá a competição e quanto tempo durará etc. Isso se aplica também às outras modalidades esportivas individuais mencionadas anteriormente. Quanto aos esportes coletivos, o procedimento é o mesmo. Decidam em classe que esportes vocês gostariam de incluir em um campeonato interno. Conversem com o professor de Educação Física e verifiquem quais as possibilidades de inclusão dessas escolhas no evento esportivo da escola. É importante lembrar que tudo deve estar relacionado ao projeto político-pedagógico da escola. Procedam à pesquisa conforme as decisões gerais sobre o evento. Os quadros a seguir auxiliarão no registro das informações tanto para os esportes individuais quanto para os esportes coletivos. Coloquem os resultados no quadro A ou B, conforme o caso (esporte individual ou coletivo). 41

43 Quadro A: Esporte individual Modalidade Provas Espaços disponíveis na escola (listar) Possíveis espaços na comunidade (listar e colocar os endereços) Material necessário Arbitragem Duração média de uma competição Como são feitas as inscrições Como são definidos os oponentes (sorteios) Como se chega aos vencedores (eliminatórias, semifinais, finais etc.) Quem controla e onde são registrados os resultados (mesários, súmulas) Como são identificados os competidores e como se apresentam (uniformes, numeração etc.) Outras informações relevantes 42

44 Quadro B: Esporte coletivo Modalidade Espaços disponíveis na escola (listar) Possíveis espaços na comunidade (listar e colocar os endereços) Material necessário Arbitragem Duração média de uma competição Como são feitas as inscrições Como são definidos os oponentes, o calendário das competições (sorteios, tabela de jogos) Como se chega aos vencedores (eliminatórias, semifinais, finais etc.) Quem controla e onde são registrados os resultados (mesários, súmulas) Como são identificados os competidores e como se apresentam (uniformes, numeração etc.) Outras informações relevantes 43

45 Curiosidade Você imagina como é elaborada uma tabela de jogos? A seguir, apresentamos algumas dicas para uma tabela de jogos com eliminatória simples. No caso de dúvidas, consulte seu professor de Educação Física, que poderá auxiliá-lo nesta tarefa. Primeiro você deve saber quantas equipes (ou atletas) participarão do evento e quantos jogos serão realizados, por uma questão de tempo, pois é preciso definir o número de jogos que haverá por dia e durante quantos dias será realizada a competição. Dependendo do número de equipes, par ou ímpar, as chaves poderão ter diferentes configurações. Confira alguns exemplos. Exemplo 1: 16 equipes (n). Quantos jogos serão realizados (n o de jogos)? Faça a seguinte conta: n o de jogos = n 1, ou seja, 16 1 = 15. Logo, teremos 15 jogos. Para definir a posição de cada equipe na tabela, sugere-se um sorteio. Veja como fica a tabela (os números nos círculos correspondem aos jogos):

46 Se a previsão é de 2 jogos por dia, quantos dias de jogos você terá? São 15 jogos divididos por 2: você terá 7 dias com 2 jogos e 1 dia para a final. Exemplo 2: 12 equipes (n). Quantos jogos serão realizados (n o de jogos)? Faça a seguinte conta: n o de jogos = n 1, ou seja, 12 1 = 11. Logo, teremos 11 jogos. As equipes que disputam os jogos 5 e 6 farão uma rodada a menos (opcionalmente o perdedor do jogo 10 poderia disputar a repescagem * com o vencedor do jogo 9 para disputar a vaga na final). Veja como é interessante fazer o sorteio para não favorecer uma equipe * repescagem 45

47 Desafio! Vocês resolveram organizar um torneio interclasses de futsal, fizeram as inscrições das equipes e há 8 equipes interessadas. Quantos jogos serão realizados? Como fica a tabela em uma eliminatória simples? LIÇÃO DE CASA Vejamos a seguinte situação: o Brasil está disputando um campeonato de voleibol e se classifica para a final. Quem seria o sétimo jogador da equipe no jogo da final? Ou, se fosse uma Copa do Mundo de Futebol, quem seria o 12 o jogador? Se você pensou na torcida, acertou. Todos sabem que a torcida é fundamental para motivar os jogadores de uma equipe. Mas também já vimos muitas situações desagradáveis, com torcedores que têm atitudes agressivas, gerando conflitos e prejudicando o espetáculo esportivo. Pensando nisso, que tal introduzir no evento esportivo de sua escola um incentivo para a participação da torcida, premiando com pontos a presença e o comportamento desse jogador adicional? Então, crie uma proposta para um prêmio destinado às torcidas organizadas da escola. 46

48 Crie um regulamento e um nome para o prêmio. Indique como ele integrará o evento esportivo e quais serão os critérios para avaliar a participação dos torcedores da escola. Leve o resultado dessa tarefa para a comissão organizadora de sua classe e compare a sua proposta com a de outros colegas. Escolham as melhores ideias e façam o regulamento final para as competições internas da escola. Talvez o seu professor de Educação Física até faça um concurso para selecionar a melhor proposta. Então, mãos à obra! Prêmio Nome: 47

49 PARA SABER MAIS Site Pedagogia do Handebol. Disponível em: < Acesso em: 12 nov Site do professor Lucas Leonardo, que discute a modalidade e apresenta princípios e sugestões para a realização de festivais esportivos. Desafio! Una as letras por meio de uma linha, tentando formar diferentes palavras. Quanto maior o número de palavras, maior é o seu vocabulário. Depois de formadas, procure identificar quais palavras podem ser relacionadas a festivais ou campeonatos esportivos. Exemplo: torcida está relacionada a competições e também a festivais. T R P S I C I O U O N A B M R M T O R E N C A B A D I D E T L H A T L A 48

50 VOCÊ APRENDEU? 1. Um evento esportivo em que todos jogam contra todos é um: a) torneio. b) campeonato. c) encontro entre amigos. 2. Um torneio de eliminatórias simples, realizado entre 64 equipes, terá: a) 63 jogos. b) 64 jogos. c) 65 jogos. 3. Um torneio entre 16 equipes, com eliminatória simples, com 2 jogos por dia, prevendo 1 dia para a final, terá a duração de: a) 6 dias + 1 dia para a final. b) 7 dias + 1 dia para a final. c) 8 dias + 1 dia para a final. 4. Na organização de um evento esportivo, a cerimônia de abertura inclui: a) desfile das equipes e premiação. b) desfile das equipes e os primeiros confrontos. c) desfile das equipes e juramento dos atletas. 5. Para a realização dos jogos de um torneio de basquetebol deve haver, no mínimo, além dos participantes: a) torcida, uniforme e bola. b) uniforme, bola e quadra de basquete. c) árbitros, súmulas, cronômetro, bola de basquete, quadra demarcada, tabelas com aros e apitos. 49

51 APRENDENDO A APRENDER Diminua a ingestão de refrigerantes e refrescos artificiais Como você costuma matar a sua sede? Se respondeu bebendo água, ótimo! Essa é mesmo a melhor opção. Mas, se você respondeu bebendo refrigerantes e refrescos, é importante lembrar que, para ter uma alimentação mais saudável, devem-se ingerir essas bebidas com moderação. Existem pelo menos sete razões para isso. Elas estão apresentadas a seguir: Refrigerantes e refrescos têm pouco ou nenhum valor nutritivo. O refrigerante é uma bebida feita à base de água com gás, suco de fruta ou extrato vegetal e açúcar (ou adoçante), em que são adicionadas várias substâncias artificiais ou naturais para dar cor e sabor. O refresco artificial (em pó) é feito de maneira parecida, porém, quando é preparado, a água utilizada é sem gás. Ao contrário dos sucos naturais, que têm vitaminas e minerais importantes, os refrigerantes e refrescos não contêm esses nutrientes. Os refrescos também possuem aditivos que podem causar alergias se a pessoa for sensível a essas substâncias. A grande quantidade de energia (açúcar) adicionada aos refrigerantes e refrescos pode levar ao aumento de peso. Os refrigerantes e refrescos não matam a sede completamente. Você já deve ter percebido que, após ingeri-los, em pouco tempo quer tomar mais, porque você continua com sede. Não se engane! Para a hidratação, não existe nada mais barato e fácil de encontrar do que a água (que deve ser filtrada ou fervida!). Água de coco, chás e sucos naturais também são excelentes opções. Os refrigerantes também demoram a satisfazer. Se você estiver com fome e tomar refrigerantes ou refrescos artificiais, o açúcar dessas bebidas será absorvido rapidamente, dando energia. Porém, em pouco tempo, o cérebro irá sentir falta de outra carga de açúcar. O que acontece, então? Você acaba bebendo uma quantidade muito grande de refrigerantes ou de refrescos para sentir-se satisfeito. Os refrigerantes e as bebidas à base de cola contêm cafeína. Essa substância é acrescentada para aumentar o sabor da bebida. Porém, se for consumida em grande quantidade, pode afetar o sono e causar agitação e irritação. Os refrigerantes também têm uma substância que pode fazer o organismo armazenar menos cálcio. Isso prejudica a formação dos ossos; com o tempo, pode torná-los mais frágeis. 50 Encyclopedia/Corbis/Latinstock

52 Já que um dos grandes problemas dos refrigerantes e refrescos artificiais é o açúcar, você pode estar se perguntando se as versões dessas bebidas sem esse ingrediente são aconselháveis. Não exatamente. Mesmo as versões sem açúcar continuam sem nutrientes importantes, e o uso de adoçante em excesso pode ter efeito laxativo, ou seja, soltar o intestino. Além disso, a grande quantidade de sódio (presente em alguns adoçantes) pode afetar quem tem pressão alta. Depois de tudo isso, você pode estar pensando que nunca mais deve tomar refrigerantes e refrescos artificiais, não é? Também não é assim. Essas bebidas podem fazer parte de uma alimentação saudável se forem consumidas de forma equilibrada. Elaborado especialmente para o São Paulo faz escola. Curiosidade Você sabia que a quantidade de açúcar presente em uma latinha de refrigerante (350 ml) é igual à de uma colher e meia (de sopa) de doce de leite? Maria do Carmo/Folhapress Para refletir Agora, você deve saber que: originário da própria fruta. 51

COLÉGIO SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA

COLÉGIO SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA > PARTICIPANTES: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental 1ª a 2ª Séries do Ensino Médio > COMISSÃO ORGANIZADORA: Departamento de Educação Física > SUB TEMA: Olimpíada no Brasil > OBJETIVOS: Promover a integração

Leia mais

SUGESTÃO DE ITENS PARA PROPOSTA DE EVENTO. Disciplina: Organização e Administração Desportiva Professor: Edson Farret

SUGESTÃO DE ITENS PARA PROPOSTA DE EVENTO. Disciplina: Organização e Administração Desportiva Professor: Edson Farret SUGESTÃO DE ITENS PARA PROPOSTA DE EVENTO Disciplina: Organização e Administração Desportiva Professor: Edson Farret EVENTOS Por categoria Institucional ou promocional; Por área de interesse: esportivo,

Leia mais

PROVAS A Performance B Participação 1) ATLETISMO Caminhada 25 metros - B Corrida 100 metros A

PROVAS A Performance B Participação 1) ATLETISMO Caminhada 25 metros - B Corrida 100 metros A PROVAS 1) Atletismo 2) Futsal 3) Voleibol Especial 4) Natação 5) Cabo de Guerra 6) Provas de Habilidade 7) Tênis de Mesa A Performance B Participação 1) ATLETISMO Caminhada 25 metros - B - Nesta prova

Leia mais

REGULAMENTO Vôlei

REGULAMENTO Vôlei REGULAMENTO 2017 - Vôlei 1. MISSÃO Criar um ambiente adequado para a prática esportiva, onde a competição entre equipes escolares se desenvolva de forma positiva, propiciando vivências práticas de valores

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. 3 - É permitida a reunião de associações da mesma região para participação dos Jogos.

REGULAMENTO GERAL. 3 - É permitida a reunião de associações da mesma região para participação dos Jogos. 1 DA FINALIDADE V JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA DE 26 A 30 DE MAIO DE 2010 Foz do Iguaçu PR REGULAMENTO GERAL Art. 1º - Os JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA, competição oficial da ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS

Leia mais

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 Aluno: _ Ano: Professora: Disciplina: No Colégio Pentágono trabalhamos com a Recuperação Contínua e Paralela. A Recuperação Contínua ocorre durante

Leia mais

VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA

VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA REGULAMENTO GERAL 1 DA FINALIDADE Art. 1º - Os VIII JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA, competição oficial da ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS (AMB), têm como objetivo

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO TORNEIO INTEGRAÇÃO DOS CURSOS DA FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO TORNEIO INTEGRAÇÃO DOS CURSOS DA FASETE TORNEIO INTEGRAÇÃO DOS CURSOS DA FASETE Paulo Afonso 2015 Docentes do curso de Educação Física TORNEIO INTEGRAÇÃO DOS CURSOS DA FASETE Paulo Afonso 2015 Torneio Integração dos Cursos da FASETE Regulamento

Leia mais

Apostila básica de Baseball

Apostila básica de Baseball Apostila básica de Baseball Objetivo do jogo: O objetivo de um time é marcar mais corridas que o time adversário, ao final dos 9 innings (duração da partida). O que é e como se marca uma corrida? Uma corrida

Leia mais

A organização do InterBand 2017 é de responsabilidade do Departamento de Educação Física e Esporte do Colégio Bandeirantes.

A organização do InterBand 2017 é de responsabilidade do Departamento de Educação Física e Esporte do Colégio Bandeirantes. XXI Torneio Intercolegial do Colégio Bandeirantes Regulamento Geral Objetivos O InterBand 2017 será realizado de 05 de agosto a 02 de setembro de 2017, nas dependências do Colégio Bandeirantes, à Rua Estela

Leia mais

TORNEIOS ESPORTIVOS MARÇO REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS

TORNEIOS ESPORTIVOS MARÇO REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS DISPOSIÇÕES GERAIS REALIZAÇÃO 19 de março de 2016 no Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo, para crianças nascidas entre 2007 e 2004. CERIMÔNIA DE ABERTURA Em cada grupo, às 08h30

Leia mais

Regulamento Técnico Jogos Estudantis para Todos 2012 Secretaria Municipal de Educação e Desporto Novo Hamburgo

Regulamento Técnico Jogos Estudantis para Todos 2012 Secretaria Municipal de Educação e Desporto Novo Hamburgo Regulamento Técnico Jogos Estudantis para Todos 2012 Secretaria Municipal de Educação e Desporto Novo Hamburgo CAPÍTULO I Das Disposições Gerais Art. 1º - Este regulamento é o conjunto das disposições

Leia mais

Interséries FEMA 2016

Interséries FEMA 2016 Interséries FEMA 2016 CAPITULO I - DA ORGANIZAÇÃO Art. 01 - Este regulamento é o conjunto das disposições que regem as disputas das interséries 2016, nas modalidades de voleibol e caçador misto, basquete,

Leia mais

O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE:

O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE: NOTA OFICIAL Nº 066.2016 O Presidente da Federação Mineira de Basketball, no uso de suas atribuições estatutárias, RESOLVE: DA COORDENAÇÃO TÉCNICA 1 Publicar as informações sobre o 2º Encontro Sub 12:

Leia mais

Jogos Champagnat 2013

Jogos Champagnat 2013 Jogos Champagnat 2013 Capítulo I Geral Art. 1º - Este Regulamento é o conjunto das disposições que regem os Jogos Champagnat 2013. Art. 2º - Os Jogos Champagnat são organizados pelo Colégio Marista Santa

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL DA PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO: A promoção e a organização são do Centro Universitário UNIVATES/Complexo Esportivo

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO 3 JOGOS DO IFRS

REGULAMENTO ESPECÍFICO 3 JOGOS DO IFRS REGULAMENTO ESPECÍFICO 3 JOGOS DO IFRS REGULAMENTO ESPECÍFICO 3 JOGOS DO IFRS DO FUTSAL Art.1 - Os jogos de futsal nos 3º JOGOS DO IFRS serão realizados de acordo com as Regras Oficiais da CBFS, pelo regulamento

Leia mais

REGULAMENTO INTERCLUBES INFANTO JUVENIL 2012

REGULAMENTO INTERCLUBES INFANTO JUVENIL 2012 REGULAMENTO INTERCLUBES INFANTO JUVENIL 2012 1. DO CAMPEONATO Poderá participar do Interclubes Infanto Juvenil toda agremiação que estiver devidamente cadastrada na FPT e com suas obrigações financeiras

Leia mais

FESTIVAL SESI MIRIM DE VOLEIBOL

FESTIVAL SESI MIRIM DE VOLEIBOL FESTIVAL SESI MIRIM DE VOLEIBOL - 2015 REGULAMENTO DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO ARTIGO 1º - FESTIVAL MIRIM DE VOLEIBOL é o nome fantasia oficial da XX COPA SESI MIRIM DE VOLEIBOL, competição máxima do calendário

Leia mais

REGULAMENTO CIRCUITO SESC DE CÂMBIO

REGULAMENTO CIRCUITO SESC DE CÂMBIO REGULAMENTO CIRCUITO SESC DE CÂMBIO 1 ÍNDICE CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO...3 CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS...3 CAPÍTULO III DA COORDENAÇÃO...3 CAPÍTULO IV DA FASE DE DISPUTA...4 CAPÍTULO V DAS INSCRIÇÕES E DOCUMENTOS...4

Leia mais

Ministério de Juniores e Adolescentes. JUNAD nos JOGOS

Ministério de Juniores e Adolescentes. JUNAD nos JOGOS REGULAMENTO GERAL: Ministério de Juniores e Adolescentes O regulamento tem a função de orientar os participantes e a equipe que está executando as atividades do evento. Participantes de outras igrejas,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL 2º ANO/EF AO 5º ANO/EF

REGULAMENTO GERAL 2º ANO/EF AO 5º ANO/EF REGULAMENTO GERAL 2º ANO/EF AO 5º ANO/EF 1 XXXIII OLIMPÍADA MARISTA 2016 1º SEGMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2º AO 5º ANO/EF OBJETIVOS DOS JOGOS: Art. 1 Além do objetivo previsto no Regulamento da XXXIII

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DA PARTE ESPORTIVA

REGULAMENTO TÉCNICO DA PARTE ESPORTIVA REGULAMENTO TÉCNICO DA PARTE ESPORTIVA Das Modalidades Esportivas Art. 1º - A Parte esportiva da gincana conterá as seguintes modalidades: I Futsal II Voleibol Misto III Basquetebol IV Handebol V Tênis

Leia mais

PANELINHAS XXIV Campeonato Interno de Futebol de Base.

PANELINHAS XXIV Campeonato Interno de Futebol de Base. PANELINHAS 2016 XXIV Campeonato Interno de Futebol de Base. I Objetivos: - Desenvolver o interesse do associado pela prática do futebol. - Promover o entretenimento e a sociabilização através do futebol.

Leia mais

REGULAMENTO. HELVETIA LEAGUE 2016 Torneio Interno de Futebol

REGULAMENTO. HELVETIA LEAGUE 2016 Torneio Interno de Futebol REGULAMENTO HELVETIA LEAGUE 2016 Torneio Interno de Futebol O objetivo do Torneio é proporcionar momentos de integração, sociabilização e lazer para os sócios e participantes do Clube Esportivo Helvetia.

Leia mais

REGULAMENTO INTERCLUBES SENIORS 2016

REGULAMENTO INTERCLUBES SENIORS 2016 REGULAMENTO INTERCLUBES SENIORS 2016 1. DO CAMPEONATO Poderá participar do Interclubes Seniors toda agremiação que estiver devidamente cadastrada na FPT e com suas obrigações financeiras em dia. O campeonato

Leia mais

COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL / 2017 REGULAMENTO

COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL / 2017 REGULAMENTO COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL / 2017 REGULAMENTO I DA FINALIDADE Art. 1 A COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL tem como objetivo a integração dos docentes e funcionários da Universidade de São Paulo, incentivando-os à

Leia mais

Datas: 27, 28, 29 e 30 de junho de R E G U L A M E N T O

Datas: 27, 28, 29 e 30 de junho de R E G U L A M E N T O OLIMPÍADAS 2016 ENSINO FUNDAMENTAL II E ENSINO MÉDIO I DISPOSIÇÕES GERAIS Datas: 27, 28, 29 e 30 de junho de 2016. R E G U L A M E N T O Art. 1º - Os jogos têm por finalidade promover o intercâmbio sócio-desportivo

Leia mais

LIGA WILLIAN MORGAN DE VOLEIBOL MASCULINO

LIGA WILLIAN MORGAN DE VOLEIBOL MASCULINO 1 DA DESCRIÇÃO, OBJETIVO E FORMAÇÃO 1.1 A Liga Willian Morgan de Voleibol Masculino é uma agremiação esportiva independente, formada por times masculinos, sem fins lucrativos. 1.2 A Liga tem como Objetivo

Leia mais

46ª OLIMPÍADAS DO COLÉGIO DE APLICAÇÃO

46ª OLIMPÍADAS DO COLÉGIO DE APLICAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO COLÉGIO DE APLICAÇÃO COMISSÃO CENTRAL ORGANIZADORA 46ª OLIMPÍADAS DO COLÉGIO DE APLICAÇÃO 13 a 17 de OUTUBRO 2015 REGULAMENTO GERAL

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 REGULAMENTO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 REGULAMENTO GERAL CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 REGULAMENTO GERAL DA PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO A promoção e a organização são do Centro Universitário UNIVATES/Complexo Esportivo

Leia mais

OLITA REGULAMENTO GERAL

OLITA REGULAMENTO GERAL OLITA REGULAMENTO GERAL OLIMPÍADAS INTERNAS DO ITAMIRIM De 6 de Novembro a 02 de Dezembro / 2011 AGENDA DATA HORA EVENTO LOCAL 22 de agosto Início da divulgação do evento e Regulamento Geral Itamirim 3

Leia mais

Regulamento. 4º BANDEIRA: : Cada turma deverá confeccionar uma bandeira do país que representará.

Regulamento. 4º BANDEIRA: : Cada turma deverá confeccionar uma bandeira do país que representará. Regulamento 1º CERIMÔNIA DE ABERTURA: No dia 20 de maio, às 10 h, todas as turmas deverão ir para o pátio onde ocorrerá o desfile de abertura. Em caso de chuva, transfere-se para o Ginásio. 2º ESCOLHA

Leia mais

REGULAMENTO GERAL I - DO OBJETIVO. Art. 1. São objetivos dos XXI CIRCUITO DOM BOSCO previstos neste Regulamento:

REGULAMENTO GERAL I - DO OBJETIVO. Art. 1. São objetivos dos XXI CIRCUITO DOM BOSCO previstos neste Regulamento: REGULAMENTO GERAL I - DO OBJETIVO Art. 1. São objetivos dos XXI CIRCUITO DOM BOSCO - 2014 previstos neste Regulamento: Promover o desporto educacional, através de jogos que envolvam varias modalidades

Leia mais

BEACH HAND 1. As competições de Handebol serão realizadas de acordo com as Regras Internacionais da FIH e os Regulamentos, Normas e Informes da CBDU.

BEACH HAND 1. As competições de Handebol serão realizadas de acordo com as Regras Internacionais da FIH e os Regulamentos, Normas e Informes da CBDU. BEACH HAND 1. As competições de Handebol serão realizadas de acordo com as Regras Internacionais da FIH e os Regulamentos, Normas e Informes da CBDU. 2. O tempo de duração de cada jogo será de 20 (vinte)

Leia mais

Regulamento do Contador Bola Cheia Safeweb 2016

Regulamento do Contador Bola Cheia Safeweb 2016 Regulamento do Contador Bola Cheia Safeweb 2016 Leia atentamente o regulamento antes de efetivar a inscrição do seu time. SUMÁRIO 1. Conceito e objetivo 2. Realização e categorias 3. Participação 4. Dinâmica

Leia mais

FUTSAL Art. 1º - As partidas obedecerão as regras oficiais da C.B.F.S.. Art. 2º - O tempo de cada partida será de 08 (oito) minutos. Inciso I - quando

FUTSAL Art. 1º - As partidas obedecerão as regras oficiais da C.B.F.S.. Art. 2º - O tempo de cada partida será de 08 (oito) minutos. Inciso I - quando VOLEIBOL Art. 1º - As partidas obedecerão às regras oficiais da FIVB, com as seguintes alterações: Inciso I - Os jogos serão realizados em 01 (um) set de 16 (dezesseis) pontos. Inciso II - Em caso de empate

Leia mais

CAPÍTULO I DA EQUIPE DE ARBITRAGEM

CAPÍTULO I DA EQUIPE DE ARBITRAGEM V COPA Sinttelrs de Futsal 2013 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA EQUIPE DE ARBITRAGEM Art. 01 - Os jogos do torneio serão regulamentados pelas Regras Oficiais de Futsal da Confederação Brasileira de Futebol de

Leia mais

Escola de Ensino Médio Francisca Moreira de Souza Extensão Parajuru Rua: Carmozita Ferreira Cassiano, s/n. Sucatinga Beberibe - CE

Escola de Ensino Médio Francisca Moreira de Souza Extensão Parajuru Rua: Carmozita Ferreira Cassiano, s/n. Sucatinga Beberibe - CE Escola de Ensino Médio Francisca Moreira de Souza Extensão Parajuru Rua: Carmozita Ferreira Cassiano, s/n. Sucatinga Beberibe - CE REGULAMENTO DOS JOGOS FM DO FUTSAL O Regulamento Específico de Futsal

Leia mais

XIII REGULAMENTO GERAL CURITIBA

XIII REGULAMENTO GERAL CURITIBA XIII REGULAMENTO GERAL CURITIBA -2016- COMITÊ ORGANIZADOR Presidente do Círculo Militar do Paraná Ten. Cel. Sérgio Cooper de Almeida Diretora Geral de Esportes Sra. Marisa Krieger Coordenadora Geral de

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ART. 1º A competição será para alunos devidamente matriculados na Instituição de Ensino - Univale. ART. 2º As pessoas físicas que participarem do evento consideradas

Leia mais

XXIV OLIMPÍADA ECC 2013

XXIV OLIMPÍADA ECC 2013 XXIV OLIMPÍADA ECC 2013 CALENDÁRIO De 25/06 a 28/06 2013 Horário de 25/06 até 27/06-7h10 às18h30 28/06-7h10 às 13h00 VALORES QUE ACREDITAMOS VIVENCIAR Atitude Coragem Perseverança Compromisso Disciplina

Leia mais

Práticas pedagógicas Educação Física

Práticas pedagógicas Educação Física Práticas pedagógicas Educação Física Recomendada para o Ensino Fundamental Ciclo II (7a e 8a séries) Tempo previsto: 2 aulas Elaboração: Equipe Técnica da CENP Professor(a): Apresentamos aqui três (3)

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERNOS DOS SERVIDORES DO IFRN/CNAT 2012

REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERNOS DOS SERVIDORES DO IFRN/CNAT 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE - IFRN REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERNOS DOS SERVIDORES DO IFRN/CNAT 2012 Art. 1º - Os Jogos Internos

Leia mais

Atividade 1: V de Vitamina Tipo de Atividade: Energia para Ler, Energia para Atuar, Energia para Mover

Atividade 1: V de Vitamina Tipo de Atividade: Energia para Ler, Energia para Atuar, Energia para Mover VITAMINA ABC Tema: Eu e Minhas Escolhas Visão Geral: Nesta série de atividades, os alunos vão aprender o que são vitaminas e como as vitaminas nos alimentos fazem um trabalho importante para nos ajudar

Leia mais

Regras importantes LEIA O REGULAMENTO COMPLETO ABAIXO

Regras importantes LEIA O REGULAMENTO COMPLETO ABAIXO Regras importantes LEIA O REGULAMENTO COMPLETO ABAIXO Cada participante deverá estar inscrito em no mínimo uma e no máximo duas modalidades; As EQUIPES que tiverem representantes em todas as modalidades

Leia mais

Regulamento das Tarefas

Regulamento das Tarefas i i Regulamento das Tarefas XXIII scm *TEMA: JOGOS SAGRADOLÍMPICOS HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Jogos Sagradolímpicos Estabelecer relações equilibradas e construtivas com o outro, consigo mesmo e com o meio

Leia mais

REGULAMENTO 2016 CAPÍTULO I DA OBSERVÂNCIA DESTE REGULAMENTO

REGULAMENTO 2016 CAPÍTULO I DA OBSERVÂNCIA DESTE REGULAMENTO REGULAMENTO 2016 CAPÍTULO I DA OBSERVÂNCIA DESTE REGULAMENTO Art. 1º- Este Regulamento é um conjunto das disposições que regem as disputas da 12ª COPA MINAS TÊNIS CLUBE DE VOLEIBOL FEMININO e obriga aos

Leia mais

XXI OLIMATER ºs aos 5ºs anos É muito importante compromisso Data de Abertura: Horário da Abertura: Dias da Olimater: Local: Traje:

XXI OLIMATER ºs aos 5ºs anos É muito importante compromisso Data de Abertura: Horário da Abertura: Dias da Olimater: Local: Traje: XXI OLIMATER 2016 Srs. Pais, Comunicamos que realizaremos a XXI Olimater, com a participação dos alunos dos 2º s aos 5º s anos do Ensino Fundamental. É muito importante a participação de todos, portanto

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO TÊNIS DE MESA

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO TÊNIS DE MESA REGULAMENTO ESPECÍFICO DO TÊNIS DE MESA 1. A competição do Tênis de Mesa dos JOGOS ESCOLARES DA JUVENTUDE será realizada de acordo com as Regras da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF) e a Confederação

Leia mais

CLUBE COMERCIAL DE LORENA

CLUBE COMERCIAL DE LORENA TORNEIO INTERNO DE FUTSAL 2014 I - Dos Objetivos: REGULAMENTO Art. 1 - O evento tem por finalidade promover o intercambio social e esportivo entre os associados do Clube Comercial de Lorena e desenvolver

Leia mais

REGULAMENTO CIRCUITO VERÃO 2015 SINUCA CAPITULO I DAS CONDIÇÕES BÁSICAS E DA ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO CIRCUITO VERÃO 2015 SINUCA CAPITULO I DAS CONDIÇÕES BÁSICAS E DA ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO CIRCUITO VERÃO 2015 SINUCA CAPITULO I DAS CONDIÇÕES BÁSICAS E DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º - O torneio de sinuca denominado Circuito Verão 2015 será promovido em conformidade com o presente REGULAMENTO.

Leia mais

COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL / 2016 REGULAMENTO

COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL / 2016 REGULAMENTO COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL / 2016 REGULAMENTO I DA FINALIDADE Art. 1 A COPA CEPEUSP DE VOLEIBOL tem como objetivo a integração dos docentes e funcionários da Universidade de São Paulo, incentivando-os à

Leia mais

Olimpíada º, 4º e 5º Anos Ensino Fundamental I

Olimpíada º, 4º e 5º Anos Ensino Fundamental I Olimpíada 2016 3º, 4º e 5º Anos Ensino Fundamental I Regulamento Geral Caros Alunos! Um dos grandes momentos da nossa escola está chegando. A Olimpíada será uma oportunidade de manifestarmos nossa alegria

Leia mais

IV JOGOS DOS APOSENTADOS DO ESTADO DE SÃO PAULO. PARCERIA APEA/SP e APCEF/SP REGULAMENTO GERAL

IV JOGOS DOS APOSENTADOS DO ESTADO DE SÃO PAULO. PARCERIA APEA/SP e APCEF/SP REGULAMENTO GERAL IV JOGOS DOS APOSENTADOS DO ESTADO DE SÃO PAULO PARCERIA APEA/SP e APCEF/SP PERÍODO: 27 e 28/09/2014 LOCAL: CECOM - APCEF/SP REGULAMENTO GERAL - 2014 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1º- Este

Leia mais

OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola;

OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola; OPapeldoesportenaescola; Porque somente os Esportes Coletivos são trabalhados na escola; Como trabalhar os esportes individuais na escola; Introdução ao Atletismo; 1 PCN Parâmetro Curricular Nacional A

Leia mais

A Roda dos Alimentos LEITE

A Roda dos Alimentos LEITE LEITE A Roda dos Alimentos serve para nos ensinar o que devemos comer, quando e em que quantidades. Ajuda-nos a manter uma alimentação equilibrada, variada e completa, ou seja, mais saudável! A Roda dos

Leia mais

1º CAMPEONATO INTERNO DA UNIOESTE CAMPUS TOLEDO FUTEBOL SETE SINTÉTICO REGULAMENTO GERAL

1º CAMPEONATO INTERNO DA UNIOESTE CAMPUS TOLEDO FUTEBOL SETE SINTÉTICO REGULAMENTO GERAL 1º CAMPEONATO INTERNO DA UNIOESTE CAMPUS TOLEDO FUTEBOL SETE SINTÉTICO - 2010 - REGULAMENTO GERAL DAS FINALIDADES 1 O Campeonato Interno da Unioeste / Campus de Toledo tem por finalidade a integração e

Leia mais

Gincana da Integração Regulamento. O aluno deverá preencher o formulário referente a equipe a qual fará parte.

Gincana da Integração Regulamento. O aluno deverá preencher o formulário referente a equipe a qual fará parte. Gincana da Integração Regulamento 1. Das inscrições Período de inscrição: De11 à 18/08/2016 Os times serão definidos por curso/area Local: Sala da Assistência de Alunos ou CAE O aluno deverá preencher

Leia mais

Jaraguá Clube Campestre VI Campeonato Interno de Futsal -2015

Jaraguá Clube Campestre VI Campeonato Interno de Futsal -2015 Jaraguá Clube Campestre VI Campeonato Interno de Futsal -2015 INFANTIL REGULAMENTO: A Sub-diretoria de Futsal Infantil de Esportes do Jaraguá Clube Campestre realizará, no período de 30/08 a 14/11/2015.

Leia mais

Critério para escolha dos Melhores do Ano Jogos Escolares de Minas Gerais

Critério para escolha dos Melhores do Ano Jogos Escolares de Minas Gerais Critério para escolha dos Melhores do Ano Jogos Escolares de Minas Gerais Apresentação Critérios para escolha dos melhores do ano, em cada modalidade, módulo e naipe, será de acordo com o Regulamento Geral

Leia mais

a) VITÓRIA PONTOS b) EMPATE COM GOL PONTOS c) EMPATE SEM GOL PONTO d) DERROTA PONTO

a) VITÓRIA PONTOS b) EMPATE COM GOL PONTOS c) EMPATE SEM GOL PONTO d) DERROTA PONTO REGULAMENTO GERAL DO 1º CAMPEONATO DE FUTEBOL SOCIETY DA ASSTBM l DA FINALIDADE: Art. 1º O Torneio de Futebol Society, tem por finalidade: A congregação de associados e público em geral, através do esporte.

Leia mais

22 a 25 de OUTUBRO REGULAMENTO PRAÇA DO PAPA VITÓRIA - ES

22 a 25 de OUTUBRO REGULAMENTO PRAÇA DO PAPA VITÓRIA - ES 22 a 25 de OUTUBRO REGULAMENTO PRAÇA DO PAPA VITÓRIA - ES REGULAMENTO DA I COPA ESPIRITO SANTO DE FUTEBOL 7 FEMININO/ 2013 CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º - O presente Campeonato será promovido e dirigido

Leia mais

PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES

PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES Artigo 1º - Valores e princípios que norteiam a 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA

Leia mais

Regulamento Geral. - 1º Torneio de Basquetebol Interclasses ITE Bauru

Regulamento Geral. - 1º Torneio de Basquetebol Interclasses ITE Bauru 1. DA ORGANIZAÇÃO E DIREÇÃO Art. 1. O campeonato interclasses de basquete obedecerá às disposições deste regulamento, da Declaração do Termo de Responsabilidade constante na Ficha de Inscrição e das demais

Leia mais

X SEMANA ESPORTIVA DA UTFPR-CP (SEUT 2016) De 03 a 09 de novembro

X SEMANA ESPORTIVA DA UTFPR-CP (SEUT 2016) De 03 a 09 de novembro X SEMANA ESPORTIVA DA UTFPR-CP (SEUT 2016) De 03 a 09 de novembro REGULAMENTO GERAL 1. FINALIDADE Resgatar momentos lúdicos e de companheirismo por meio de atividades esportivas entres alunos dos cursos

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANCHIETA - DEFA JOGOS INTERNOS ANCHIETA 2016

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANCHIETA - DEFA JOGOS INTERNOS ANCHIETA 2016 Formando pessoas para transformar o mundo. DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANCHIETA - DEFA JOGOS INTERNOS ANCHIETA 2016 TÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º Os Jogos Internos Anchieta tem por finalidade motivar

Leia mais

REGULAMENTO III TORNEIO DE TRUCO

REGULAMENTO III TORNEIO DE TRUCO XIII SEMANA DE INTEGRAÇÃO VII GINCANA DE INTEGRAÇÃO REGULAMENTO III TORNEIO DE TRUCO 2017 XIII SEMANA DE INTEGRAÇÃO VII GINCANA DE INTEGRAÇÃO REGULAMENTO III TORNEIO DE TRUCO REGULAMENTO GERAL I - DAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERCURSOS DA UAG/UFRPE 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERCURSOS DA UAG/UFRPE 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS INTERCURSOS DA UAG/UFRPE 2013 I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES: Art. 1º - Este regulamento é o conjunto

Leia mais

VII JOGOS DOS APOSENTADOS FENACEF 2016

VII JOGOS DOS APOSENTADOS FENACEF 2016 REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL SOÇAITE Art. 1º. O campeonato de futebol soçaite será realizado com as regras estabelecidas pelo Regulamento Geral do VII JOGOS FENACEF, pelo que dispuser o presente regulamento

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO VOLEIBOL. Art. 1º - As partidas obedecerão as regras oficiais da FIVB, com as seguintes alterações:

REGULAMENTO ESPECÍFICO VOLEIBOL. Art. 1º - As partidas obedecerão as regras oficiais da FIVB, com as seguintes alterações: VOLEIBOL Art. 1º - As partidas obedecerão as regras oficiais da FIVB, com as seguintes alterações: Inciso I - Os jogos serão realizados em 01 (um) set de 18 (dezoito) pontos. Inciso II - Em caso de empate

Leia mais

GOVERNO FEDERAL PODER EXECUTIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE RONDONIA CAMPUS PORTO VELHO CALAMA JICs 2016

GOVERNO FEDERAL PODER EXECUTIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE RONDONIA CAMPUS PORTO VELHO CALAMA JICs 2016 MODALIDADE DE ATLETISMO Art. 1º - A Competição de atletismo dos - será regida de acordo com as regras da Confederação Brasileira de Atletismo, pelo regulamento geral e por este regulamento. Art. 2º - Os

Leia mais

REGULAMENTO CIRCUITO VERÃO 2015 TRUCO CAPITULO I DAS CONDIÇÕES BÁSICAS E DA ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO CIRCUITO VERÃO 2015 TRUCO CAPITULO I DAS CONDIÇÕES BÁSICAS E DA ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO CIRCUITO VERÃO 2015 TRUCO CAPITULO I DAS CONDIÇÕES BÁSICAS E DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º - O torneio de truco denominado Circuito Verão 2015 será promovido em conformidade com o presente regulamento.

Leia mais

38º ZESKAMP Regulamento

38º ZESKAMP Regulamento 38º ZESKAMP 2016 Regulamento Art. 1º - Poderão participar dos jogos: atletas holandeses, descendentes, casados com holandeses ou casados com descendentes. Os casos excepcionais deverão ser apresentados

Leia mais

A Copa das Federações será realizada nas seguintes categorias: -Profissional - Amador: A B C - Até 14 anos anos

A Copa das Federações será realizada nas seguintes categorias: -Profissional - Amador: A B C - Até 14 anos anos COPA DAS FEDERAÇÕES DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2016 1. DO CAMPEONATO Anualmente a CBT - Confederação Brasileira de Tênis promoverá a Copa das Federações de Beach Tennis, para definir o Estado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - IFPI CAMPUS FLORIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - IFPI CAMPUS FLORIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - IFPI CAMPUS FLORIANO EDITAL Nº 003/2016, DE 14 DE JANEIRO DE 2016 Seleção para Alunos de Pós-Graduação Lato Sensu para

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. 1º lugar 8 pontos 2º lugar 6 pontos 3º lugar 5 pontos 4º lugar 4 pontos 5º lugar 3 pontos 6º lugar 2 pontos

REGULAMENTO GERAL. 1º lugar 8 pontos 2º lugar 6 pontos 3º lugar 5 pontos 4º lugar 4 pontos 5º lugar 3 pontos 6º lugar 2 pontos REGULAMENTO GERAL Pelo presente regulamento fica instituída a OLIMPÍADA INTERCOLEGIAL, que visa desenvolver a prática das modalidades desportivas no âmbito estudantil, bem como, possibilitar às comunidades

Leia mais

SISTEMA DEDISPUTAS. Para esta etapa, cada duas microrregiões formarão uma região, que terá uma sede onde ocorrerão as disputas:

SISTEMA DEDISPUTAS. Para esta etapa, cada duas microrregiões formarão uma região, que terá uma sede onde ocorrerão as disputas: 1 - CRITÉRIOS PARA CLASSIFICAÇÃO O XXIII JIMI será disputado em 03 (três) etapas: SISTEMA DEDISPUTAS 1.1-1ª ETAPA - JOGOS MICRORREGIONAIS Esta etapa será realizada em duas datas sendo: 1ª data Microrregionais

Leia mais

Regulamento Oficial do 1º Jogos Intercampus UFV

Regulamento Oficial do 1º Jogos Intercampus UFV Regulamento Oficial do 1º Jogos Intercampus UFV 1 DA FUNDAMENTAÇÃO Art. 1º - Este regulamento é o conjunto de normas e disposições que regem o 1º JOGOS INTERCAMPUS UFV, e obriga obediência aos que a ele

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO TÊNIS DE MESA

REGULAMENTO TÉCNICO TÊNIS DE MESA Art. 1º - As competições de Tênis de Mesa dos III JOIAPOF serão regidas pelas Regras Simplificadas de Tênis de Mesa em anexo, por este Regulamento e conforme o disposto no Regulamento Geral. Art. 2º -

Leia mais

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16

CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 CAMPEONATOS BRASILEIROS DE ATLETISMO SUB-20 SUB-18 SUB-16 Art. 1º - Com a finalidade de identificar o máximo desempenho nas provas do atletismo, através das entidades de prática do atletismo brasileiro,

Leia mais

historias de crianças

historias de crianças historias de crianças como e bom ser criança brinca se sujar faz parte da infãncia, mas essa nova geração esta destruindo o mundo e celular, tablets e etc. hoje em dia as crianças não brincam mais na rua

Leia mais

8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY 2016

8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY 2016 8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY 2016 REGULAMENTO GERAL I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 01 - Este regulamento é o conjunto das disposições preliminares que regem a 8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY

Leia mais

JOGOS DE INTEGRAÇÃO DO IFAP CAMPUS MACAPÁ REGULAMENTO ESPECÍFICO

JOGOS DE INTEGRAÇÃO DO IFAP CAMPUS MACAPÁ REGULAMENTO ESPECÍFICO JOGOS DE INTEGRAÇÃO DO IFAP CAMPUS MACAPÁ REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL Art. 1º - A competição de Basquetebol dos Jogos de Integração do Campus Macapá será realizada de acordo com as Regras Oficiais

Leia mais

Regulamento Específico. Tênis de Mesa

Regulamento Específico. Tênis de Mesa Regulamento Específico Tênis de Mesa 2015 Art. 1º - A competição do Tênis de Mesa dos Escolares de Minas Gerais JEMG/2015 obedecerá às regras oficiais da Federação Internacional de Tênis de Mesa - ITTF

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO GINÁSTICA ARTÍSTICA FRG

REGULAMENTO ESPECÍFICO GINÁSTICA ARTÍSTICA FRG 1. FINALIDADE REGULAMENTO ESPECÍFICO GINÁSTICA ARTÍSTICA FRG - 2013 1.1. O presente Regulamento tem por finalidade orientar e ordenar a modalidade de ginástica artística na FRG, juntamente com o regulamento

Leia mais

EDITAL Nº 04 /2016 DIGER/CAMPUS MACAPÁ NORMAS PARA OS JOGOS INTERNOS DO INSTITUTO FEDERAL DO AMAPÁ - CAMPUS MACAPÁ, 1ª EDIÇÃO/2016.

EDITAL Nº 04 /2016 DIGER/CAMPUS MACAPÁ NORMAS PARA OS JOGOS INTERNOS DO INSTITUTO FEDERAL DO AMAPÁ - CAMPUS MACAPÁ, 1ª EDIÇÃO/2016. campus MACAPÁ O DIRETOR GERAL DO CAMPUS MACAPÁ DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ IFAP, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS QUE LHE CONFERE A PORTARIA IFAP Nº 1.321/2015, CONFORME

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017

CRITÉRIOS DE CONVOCAÇÃO PARA ATLETAS E TREINADORES INTEGRANTES DE SELEÇÕES BRASILEIRAS DE ATLETISMO EM 2017 O presente critério considerará as parcerias com o Comitê Olímpico do Brasil, Ministério do Esporte e principalmente o patrocínio da Caixa Econômica Federal, entre outras fontes, podendo ser revisto a

Leia mais

Circuito Ayrton Senna de Juventude Orientações para a Comissão de Líderes

Circuito Ayrton Senna de Juventude Orientações para a Comissão de Líderes Circuito Ayrton Senna de Juventude 2014 Orientações para a Comissão de Líderes Parabéns, jovens líderes! Vocês foram os escolhidos para fazer parte da Comissão de Líderes Representantes de Turma! Esse

Leia mais

JOGOS INTERNOS REGULAMENTO

JOGOS INTERNOS REGULAMENTO JOGOS INTERNOS REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Promover o intercâmbio sócio-desportivo entre os discentes, docentes dos cursos de graduação e pósgraduação além do corpo técnico da Universidade

Leia mais

XI COPA AMISTOSA DOM BOSCO DE GINÁSTICA RÍTMICA

XI COPA AMISTOSA DOM BOSCO DE GINÁSTICA RÍTMICA XI COPA AMISTOSA DOM BOSCO DE GINÁSTICA RÍTMICA REGULAMENTO 2016 Objetivo: A Copa Amistosa de Ginástica Rítmica é um evento de caráter amistoso que tem a finalidade de reunir ginastas, técnicos, árbitros,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DA PRIMEIRA LIGA MACAÍBA

REGULAMENTO GERAL DA PRIMEIRA LIGA MACAÍBA REGULAMENTO GERAL DA PRIMEIRA LIGA MACAÍBA Art. 1º - A liga tem por finalidade: A confraternização entre os times, o fortalecimento dos laços de amizade e a camaradagem sadiamente disputada. I - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

A Ideia Através da união entre pessoas interessadas em contribuir engajando-se na organização de ação esportiva com objetivo solidário, propomos o Circuito Solidário de Tênis Muito mais que um jogo...

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 FUTSAL FEMININO

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 FUTSAL FEMININO REGULAMENTO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 10ª COPA UNIVATES/DCE 2017 FUTSAL FEMININO DA PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO: A promoção e a organização são do Centro Universitário UNIVATES/Complexo

Leia mais

REGULAMENTO GERAL I- ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO GERAL I- ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO GERAL I- ORGANIZAÇÃO Artigo 1 - Os jogos do CAMPEONATO ABERTO serão promovidos, dirigidos e organizados pelo Departamento de Esportes, do Centro Esportivo Multi Esporte. A inscrição do campeonato

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO TORNEIO DE FUTEBOL 7 - MONTEIRO LOBATO 2016 NOME DA EQUIPE: REPRESENTANTE: CELULAR: 1. RG/MATRÍCULA 2.

FICHA DE INSCRIÇÃO TORNEIO DE FUTEBOL 7 - MONTEIRO LOBATO 2016 NOME DA EQUIPE: REPRESENTANTE: CELULAR:   1. RG/MATRÍCULA 2. FICHA DE INSCRIÇÃO TORNEIO DE FUTEBOL 7 - MONTEIRO LOBATO 2016 NOME DA EQUIPE: REPRESENTANTE: CELULAR: EMAIL: 1. RG/MATRÍCULA 2. RG/MATRÍCULA: 3. RG/MATRÍCULA: 4. RG/MATRÍCULA 5. RG/MATRÍCULA 6. RG/MATRÍCULA

Leia mais

Jogos Integrados de Pirajuba (JIP)

Jogos Integrados de Pirajuba (JIP) Jogos Integrados de Pirajuba (JIP) REGULAMENTO GERAL: 1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 - Este Regulamento dispõe sobre a organização dos Jogos Integrados de Pirajuba (JIP) foi elaborado pela Comissão Organizadora,

Leia mais

2º Torneio Universitário Projeção de Futsal

2º Torneio Universitário Projeção de Futsal PROJEÇÃO E ESPORTES 2º Torneio Universitário Projeção de Futsal REGULAMENTO I DOS VALORES Artigo 1º - Valores e princípios que norteiam a 2º Torneio Universitário Projeção de Futsal. a) Estimular a prática

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO 4 JOGOS DO IFRS

REGULAMENTO ESPECÍFICO 4 JOGOS DO IFRS REGULAMENTO ESPECÍFICO 4 JOGOS DO IFRS DO FUTSAL Art.1 - Os jogos de futsal nos 4º JOGOS DO IFRS serão realizados de acordo com as Regras Oficiais da CBFS, pelo regulamento geral e específico. Art.2 -

Leia mais

CAMPEONATO INTERCLUBES DE FUTEVÔLEI

CAMPEONATO INTERCLUBES DE FUTEVÔLEI CAMPEONATO INTERCLUBES DE FUTEVÔLEI REGULAMENTO A Federação Paulista de Futevôlei vem através deste regulamento normatizar o torneio disputado entre clubes filiados a entidade. 1. Cronograma 1.1. O Campeonato

Leia mais