Controvérsias e Avanços Tecnológicos sobre Hemoglobina Glicada (A1C)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Controvérsias e Avanços Tecnológicos sobre Hemoglobina Glicada (A1C)"

Transcrição

1 Controvérsias e Avanços Tecnológicos sobre Hemoglobina Glicada (A1C) DR. AUGUSTO PIMAZONI NETTO Coordenador do Grupo de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim Universidade Federal de São Paulo UNIFESP 1

2 Qual o Vilão do Aumento de Risco de Mortalidade: A Própria Condição de Diabetes ou a Hiperglicemia? Aumento do Risco de Mortalidade Associada ao Diabetes +80% Todas as causas +25% Mortes por câncer +132% Causas vasculares +73% Outras causas O aumento da mortalidade só foi constatado em pacientes com glicemia de jejum acima de 100 mg/dl The Emerging Risk Factors Collaboration. Diabetes Mellitus, Fasting Glucose, and Risk of Cause-Specific Death. N Engl J Med 2011; 364:

3 Avaliação do Controle Glicêmico: Hemoglobina Glicada (A1C) Hemoglobina Hb A HbA1c é a única fração que deve ser usada como um índice de glicemia média e como uma medida do risco de complicações. Hb 0 Hemoglobina não glicada Hb 1 Hemoglobina glicada HbA1a HbA1b HbA1c Molécula da hemoglobina glicada (A1C) O National Glycohemoglobin Standardization Program (NGSP) padroniza os métodos rastreáveis àquele utilizado no DCCT 3

4 A Evolução da Qualidade dos Testes de A1C 1993 X

5 O Que é o National Glycohemoglobin Standardization Program (NGSP)? O NGSP é uma instituição dedicada à padronização dos testes laboratoriais para hemoglobina glicada, visando o desenvolvimento e a validação de técnicas laboratoriais compatíveis com o padrão utilizado no estudo DCCT. O NGSP é parcialmente financiado pela Divisão de Ciências Laboratoriais do Centers for Disease Control and Prevention (CDC). 5

6 O Novo Conceito da Glicemia Média Estimada (eag) ADA, EASD e IDF propõem o conceito de glicemia média estimada (eag) em substituição ao conceito de A1C. Glicemia Média Estimada GME = 28,7 x Valor de A1C 46,7 CALCULADORA A1C x GLICEMIA Disponível em: calculator.aspx Nathan, DM et al. Translating the A1C Assay Into Estimated Average Glucose Values. Diabetes Care 31:1-6,

7 Correlação Entre os Níveis de A1C e de Glicemia Média Estimada: o Estudo ADAG Níveis de A1C (%) Valores correspondentes de Glicemia Média Estimada (mg/dl) Nathan, DM et al. Translating the A1C Assay Into Estimated Average Glucose Values. Diabetes Care 31:1-6,

8 O Teste de A1C e o Diagnóstico do Diabetes Molécula da hemoglobina glicada (A1C) 8

9 A Hemoglobina Glicada no Diagnóstico do Diabetes Glicemia MÉDIA Estimada: 117 mg/dl Ausência de Diabetes 5,7% Níveis de A1C Pré-diabetes 6,5% Glicemia MÉDIA Estimada: 140 mg/dl Diagnóstico de Diabetes Os pontos de corte mencionados referem-se à utilização de métodos laboratoriais certificados pelo National Glycohemoglobin Standardization Program (NGSP) American Diabetes Association. Standards of Medical Care in Diabetes Diabetes Care 2011;33(Suppl 1):S11-S-61 9

10 A Posição da American Diabetes Association Um nível de A1C de 6,5% é suficientemente sensível e específico para identificar pessoas com diabetes. Níveis de A1C entre 6% e 6,5% identificam pessoas com o risco mais alto de desenvolver diabetes. A A1C pode ser um melhor marcador do diabetes e deve ser usada como teste diagnóstico. É mais conveniente e mais confortável para o paciente, dispensando o jejum e o teste de tolerância à glicose. American Diabetes Association. Standards of Medical Care in Diabetes Diabetes Care 33(Suppl 1):S11-S-61,

11 A Posição da American Association of Clinical Endocrinologists A AACE apoia as recomendações da ADA desde que obedecidas as seguintes condições/restrições: O teste de A1C deve ser considerado como um critério adicional e opcional, mas não um critério primário ou preferencial. Os testes tradicionais baseados na medida da glicemia são preferidos pela AACE. O teste de A1C não é recomendado para o diagnóstico do DM-1 e nem para o diabetes gestacional. AACE/ACE. Statement on the Use of A1C for the Diagnosis of Diabetes. February, Disponível em: Acesso em: 07 de maio de

12 A Posição da The Endocrine Society A The Endocrine Society apoia as recomendações da ADA, com as seguintes considerações: O teste de A1C oferece vantagens claras em relação aos métodos tradicionais. Diagnósticos do diabetes por nível de A1C 6,5%: Diagnóstico por A1C = 19,7 milhões Diagnóstico por glicemia de jejum = 21,5 milhões Diagnóstico por TOTG = 26,5 milhões Diagnóstico de pré-diabetes por níveis de A1C entre 5,7% e 6,4%: Diagnóstico por A1C = 12% da população adulta Diagnóstico por glicemia de jejum = 25% da população adulta The Endocrine Society. The Endocrine Society Statement on the Use of A1C for Diabetes Diagnosis and Risk Estimation. January Disponível em: Acesso em: 07 de maio de

13 A A1C é uma Medida Retrospectiva do Controle Glicêmico Data da coleta de sangue para o teste de A1C 4 meses antes 3 meses antes 2 meses antes 1 mês antes 100% 75% 50% 1 mês depois 2 meses depois 3 meses depois 4 meses depois 50% 75% 100% Data da intervenção terapêutica 13

14 O Valor Limitado do Teste de A1C no Diabetes Gestacional 0 meses 3 meses 7 meses 9 meses Início da gestação Diagnóstico do diabetes gestacional Efeitos terapêuticos completos Final da gestação Os efeitos terapêuticos completos de uma primeira intervenção aos 3 meses só serão sentidos ao redor dos 7 meses, muito próximo do final da gestação. 14

15 Testes Semanais de A1C para a Avaliação do Controle Glicêmico no Diabetes Gestacional Não há diretrizes para o uso da A1C no diabetes gestacional. O ciclo de vida dos eritrócitos durante a gravidez é reduzido para cerca de 90 dias. O estudo avaliou a velocidade de declínio da A1C realizando testes semanais. A média de redução da A1C foi de 0,47% por semana. Jovanovic L et al. Frequent Monitoring of A1C During Pregnancy as a Treatment Tool to Guide Therapy. Diabetes Care 34:53-54,

16 A Interpretação Clínica do Teste de A1C Exige Cautela Ambos os pacientes apresentam níveis equivalentes de A1C, apesar da grande diferença quanto à intensidade da variabilidade glicêmica. 16

17 Exemplo Prático de Perfil Glicêmico com A1C e Glicemia Média Normais e Alta Variabilidade Glicêmica A1C GMS VG Metas Terapêuticas 7,0% < 150 mg/dl < 50 mg/dl Este Paciente 6,6% 135 mg/dl 75mg/dL 17

18 Diagnóstico de Diabetes ou de Mau Controle Glicêmico em Pacientes de Pronto Socorro Objetivos do estudo: avaliar o controle glicêmico de pacientes diabéticos e a prevalência de diabetes não diagnosticado em pacientes de pronto socorro. 15% apresentava diabetes e 42% deles apresentava controle glicêmico inadequado. 14% dos pacientes avaliados teve o diabetes diagnosticado através do teste A1C Now+, segundo definição da ADA de A1C 6,5%. Menchine MD. et al. Prevalence of Undiagnosed and Suboptimally Controlled Diabetes by Point-of-care HbA1C in Unselected Emergency Department Patients. ACADEMIC EMERGENCY MEDICINE 2011; 18:1 4. Article first published online: 1 MAR DOI: /j x 18

19 Uma Homenagem à Formiga por seu Papel no Diagnóstico do Diabetes A primeira observação da capacidade diagnóstica da formiga foi relatada na Índia há mais de anos. O critério de cura baseava-se no momento em que a urina não mais atraía as formigas. 19

NOVAS ABORDAGENS INTENSIVAS PARA O CONTROLE DO DIABETES TIPO 2

NOVAS ABORDAGENS INTENSIVAS PARA O CONTROLE DO DIABETES TIPO 2 NOVAS ABORDAGENS INTENSIVAS PARA O CONTROLE DO DIABETES TIPO 2 DR. AUGUSTO PIMAZONI NETTO Coordenador do Grupo de Educação e Controle do Diabetes Hospital do Rim Universidade Federal de São Paulo UNIFESP

Leia mais

ATUALIZAÇÃO SOBRE HEMOGLOBINA GLICADA (A1C) PARA AVALIAÇÃO DO CONTROLE GLICÊMICO E PARA O DIAGNÓSTICO DO DIABETES: ASPECTOS CLÍNICOS E LABORATORIAIS

ATUALIZAÇÃO SOBRE HEMOGLOBINA GLICADA (A1C) PARA AVALIAÇÃO DO CONTROLE GLICÊMICO E PARA O DIAGNÓSTICO DO DIABETES: ASPECTOS CLÍNICOS E LABORATORIAIS ATUALIZAÇÃO SOBRE HEMOGLOBINA GLICADA () PARA AVALIAÇÃO DO CONTROLE GLICÊMICO E PARA O DIAGNÓSTICO DO DIABETES: ASPECTOS CLÍNICOS E LABORATORIAIS P O S I C I O N A M E N T O O F I C I A L 3 ª E D I Ç Ã

Leia mais

Como Criar Apresentações Efetivas e Impactantes

Como Criar Apresentações Efetivas e Impactantes Como Criar Apresentações Efetivas e Impactantes DR. AUGUSTO PIMAZONI-NETTO Coordenador do Grupo de Educação e Controle do Diabetes Hospital do Rim e Hipertensão Universidade Federal de São Paulo Brasil

Leia mais

Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus

Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus Há um desafio imposto a nós cooperados, de mantermos a anamnese e o exame físico como os pilares da avaliação médica, evitando

Leia mais

O Custo do Mau Controle do Diabetes para a Saúde Pública

O Custo do Mau Controle do Diabetes para a Saúde Pública O Custo do Mau Controle do Diabetes para a Saúde Pública DR. AUGUSTO PIMAZONI NETTO Coordenador dos Grupos de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim e Hipertensão da Universidade Federal de

Leia mais

DIABETES: IMPORTANTE FATOR DE RISCO CARDIOVASCULAR

DIABETES: IMPORTANTE FATOR DE RISCO CARDIOVASCULAR 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: SAÚDE DIABETES: IMPORTANTE FATOR DE RISCO CARDIOVASCULAR Apresentador 1 FERREIRA, Marina Abud Apresentador 2 SALINA MACIEL, Margarete Aparecida

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema HEMOGLOBINA GLICADA Elaborador Texto Introdutório Questão 1 Questão 2 Questão 3 Nairo M. Sumita, Professor Assistente Doutor da Disciplina de Patologia Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade

Leia mais

DOSAGEM DE 25 - HIDROXIVITAMINA D

DOSAGEM DE 25 - HIDROXIVITAMINA D DOSAGEM DE 25 - HIDROXIVITAMINA D Método: Quimioluminescência. Resultado: 25,7 ng/ml. Valores de Referência: Deficiência : Menor que 20,0 ng/ml. Insuficiência : 20,0 a 29,9 ng/ml. Suficiência : Igual ou

Leia mais

HEMOGRAMA COMPLETO SERIE VERMELHA

HEMOGRAMA COMPLETO SERIE VERMELHA Histórico de exames desde 1996 Laudo HEMOGRAMA COMPLETO SERIE VERMELHA CONTAGEM DE HEMACIAS : 4,83 m ilhoes/m m 3 DOSAGEM DA HEMOGLOBINA : 14,4 g/dl AVALIACAO DO HEMATOCRITO : 44,4 % VOLUME GLOBULAR MEDIO

Leia mais

Histórico de exames desde 1996

Histórico de exames desde 1996 Endereço: R Itaipava, 62, Apto 303 - Jd Botanico - Rio de Janeiro - RJ Nascimento: 12/08/1951 (62 anos), Sexo: M: Médico: Luiz Maurino Abreu (RJ-CRM-52355942) Unidade: Leblon - Cid Leblon HEMOGRAMA COMPLETO

Leia mais

Resultados Anteriores: Data: 17/08/ /02/ /03/ /04/ /01/ /04/2013 Valor:

Resultados Anteriores: Data: 17/08/ /02/ /03/ /04/ /01/ /04/2013 Valor: GLICOSE...: 169 mg/dl V.R. 70 a 99 mg/dl : Normal 100 a 120 mg/dl : Intolerancia a glicose (investigar) > de 126 mg/dl : Sugere Diabetes (investigar) NOTA: Valores obtidos com base na Sociedade Brasileira

Leia mais

XXXV Congresso Português de Cardiologia Abril ú ç

XXXV Congresso Português de Cardiologia Abril ú ç XXXV Congresso Português de Cardiologia Abril 2014 é í é A Diabetes em Portugal Prevalência elevada - 39,2% (20-79 anos) Diabetes ou Pré-Diabetes Aumento de 80% na incidência na última década Uma das principais

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MONITORAMENTO DA HEMOGLOBINA GLICADA NO CONTROLE DO DIABETES MELLITUS E NA AVALIAÇÃO DE RISCO DE COMPLICAÇÕES CRÔNICAS FUTURAS

A IMPORTÂNCIA DO MONITORAMENTO DA HEMOGLOBINA GLICADA NO CONTROLE DO DIABETES MELLITUS E NA AVALIAÇÃO DE RISCO DE COMPLICAÇÕES CRÔNICAS FUTURAS A ética retratada através da metodologia do psicocine 37 A IMPORTÂNCIA DO MONITORAMENTO DA HEMOGLOBINA GLICADA NO CONTROLE DO DIABETES MELLITUS E NA AVALIAÇÃO DE RISCO DE COMPLICAÇÕES CRÔNICAS FUTURAS

Leia mais

DOSAGEM DE HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) - ULTRA-SENSÍVEL

DOSAGEM DE HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) - ULTRA-SENSÍVEL DOSAGEM DE HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) - ULTRA-SENSÍVEL Método: Quimioluminescência. Resultado: 4,26 uui/ml. Confirmado e reanalisado na mesma amostra. Valores de Referência: Crianças (Idade) - 1 ano

Leia mais

Data de entrada: 19/12/2016 Data da entrega: 30/12/2016. ERITROGRAMA Valores de Referencia

Data de entrada: 19/12/2016 Data da entrega: 30/12/2016. ERITROGRAMA Valores de Referencia HEMOGRAMA COMPLETO Material: Sangue total Método: Automação - PENTRA 60 - ABX ERITROGRAMA Valores de Referencia Hemacias: 5,17 milhoes/mm3 4,5 a 6,1 milhoes/mm3 Hemoglobina: 14,6 g% 12,8 a 17,8 g% Hematocrito:

Leia mais

TÍTULO: EFEITO DA TERAPIA PERIODONTAL NÃO CIRÚRGICA SOBRE O CONTROLE GLICÊMICO EM INDIVÍDUOS COM DIABETES TIPO2 E PERIODONTITE CRÔNICA: ENSAIO CLÍNICO

TÍTULO: EFEITO DA TERAPIA PERIODONTAL NÃO CIRÚRGICA SOBRE O CONTROLE GLICÊMICO EM INDIVÍDUOS COM DIABETES TIPO2 E PERIODONTITE CRÔNICA: ENSAIO CLÍNICO 16 TÍTULO: EFEITO DA TERAPIA PERIODONTAL NÃO CIRÚRGICA SOBRE O CONTROLE GLICÊMICO EM INDIVÍDUOS COM DIABETES TIPO2 E PERIODONTITE CRÔNICA: ENSAIO CLÍNICO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Leia mais

Diário de Glicemia. O diabetes sob controle

Diário de Glicemia. O diabetes sob controle Diário de O diabetes sob controle Apresentação Com o desenvolvimento de novos medicamentos antidiabéticos, insulinas e equipamentos que auxiliam o controle da glicemia, o diabético pode viver bem. Entre

Leia mais

Paulo C J L Santos, PhD Department of Pharmacology Federal University of Sao Paulo, EPM-UNIFESP, Sao Paulo, Brazil

Paulo C J L Santos, PhD Department of Pharmacology Federal University of Sao Paulo, EPM-UNIFESP, Sao Paulo, Brazil Paulo C J L Santos, PhD Department of Pharmacology Federal University of Sao Paulo, EPM-UNIFESP, Sao Paulo, Brazil Alfenas, MG 2017 Paulo Caleb J. L. Santos, PhD O que é Diabetes O diabetes mellitus é

Leia mais

I Data: 15/11/04. II Grupo de Estudo: Adolfo Parenzi Silvana Kelles Regina Celi Silveira Clemilda Coelho Elen Queiroz Luciana Bernardino Gilmara Areal

I Data: 15/11/04. II Grupo de Estudo: Adolfo Parenzi Silvana Kelles Regina Celi Silveira Clemilda Coelho Elen Queiroz Luciana Bernardino Gilmara Areal Parecer do Grupo Técnico de Auditoria em Saúde 007/04 Tema: MONITORIZAÇÃO CONTÍNUA DE GLICOSE SUBCUTÂNEA I Data: 15/11/04 II Grupo de Estudo: Adolfo Parenzi Silvana Kelles Regina Celi Silveira Clemilda

Leia mais

EDSON DOS SANTOS TEODOLINO

EDSON DOS SANTOS TEODOLINO Impresso em 23/03/2017 011034 Página 1 Laboratório Direção Dr.João Pasqualin Neto - CRBM 0278 Rua Luiz Simon, 75 - (Largo do Riachuelo) - Jacareí - SP REG. CRBM (1986-0040-0) TeleFax (12) 3953-2778 Num.Lab.

Leia mais

Introdução Descrição da condição

Introdução Descrição da condição Introdução Descrição da condição Diabetes mellitus: desordem metabólica resultante de defeito na secreção e\ou ação do hormônio insulina. Consequência primária: hiperglicemia. Crônica: diagnóstico de diabetes.

Leia mais

Resultado(s) Anterior(es) Em 30/03/16: 2,54 Em 11/02/15: 2,29 Em 29/10/14: 4,43

Resultado(s) Anterior(es) Em 30/03/16: 2,54 Em 11/02/15: 2,29 Em 29/10/14: 4,43 TSH ULTRA-SENSÍVEL Resultado: 4,66 uui/ml 0,27 a 4,20 uui/ml Em 30/03/16: 2,54 Em 11/02/15: 2,29 Em 29/10/14: 4,43 T4 LIVRE - TIROXINA LIVRE Resultado: 1,21 ng/dl 0,93 a 1,70 ng/dl Em 30/03/16: 1,05 Em

Leia mais

Capítulo 2 - Aspectos clínicos e laboratoriais do diagnóstico de Diabetes e Pré-Diabetes

Capítulo 2 - Aspectos clínicos e laboratoriais do diagnóstico de Diabetes e Pré-Diabetes Capítulo 2 - Aspectos clínicos e laboratoriais do diagnóstico de Diabetes e Pré-Diabetes Dr. Leão Zagury > Membro Titular da Academia de Medicina do RJ Chefe do Serviço de Diabetes do IEDE (1996 2003)

Leia mais

Contagem de Carboidratos

Contagem de Carboidratos Leticia Fuganti Campos Nutricionista da Nutropar Mestre pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Especialista em Nutrição Clínica pelo GANEP Pós-graduanda em Educação em Diabetes Treinamento

Leia mais

Epidemiologia Analítica TESTES DIAGNÓSTICOS 2

Epidemiologia Analítica TESTES DIAGNÓSTICOS 2 Epidemiologia Analítica TESTES DIAGNÓSTICOS 2 Revendo... Doença (definida pelo teste ouro) PRESENTE AUSENTE TOTAL TESTE + a Verdadeiro positivo b Falso positivo a + b Teste + - c Falso negativo d Verdadeiro

Leia mais

DIREÇÃO-GERAL DA SAÚDE Alameda D. Afonso Henriques, 45-1049-005 Lisboa Tel: 218430500 Fax: 218430530 E-mail: geral@dgs.pt www.dgs.

DIREÇÃO-GERAL DA SAÚDE Alameda D. Afonso Henriques, 45-1049-005 Lisboa Tel: 218430500 Fax: 218430530 E-mail: geral@dgs.pt www.dgs. EM AUDIÇÃO E TESTE DE APLICABILIDADE ATÉ 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 033/2011 DATA: 30/09/2011 Prescrição e determinação da hemoglobina glicada A1c HbA1c, hemoglobina

Leia mais

A Diabetes: que desafio?

A Diabetes: que desafio? A Diabetes: que desafio? José Manuel Boavida Director do Programa Nacional para a Diabetes Audição na Comissão Parlamentar da Saúde Assembleia da República 25 Fevº 2015 Prevalência da Diabetes Prevalência

Leia mais

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ.

VOCÊ CUIDA DO SEU DIABETES, A GENTE CUIDA DE VOCÊ. Referências bibliográficas: 1. Sociedade Brasileira de Diabetes. Algoritmo para o tratamento do diabetes tipo 2 atualização 2011. Posicionamento Oficial SBD no. 3. São Paulo: SBD; 2011. 2. Sociedade Brasileira

Leia mais

PREMIER Hb9210. Produto

PREMIER Hb9210. Produto PREMIER Hb9210 Produto Utilizando nossa tecnologia patenteada de afinidade, o Premier Hb9210 oferece resultados precisos, livre de interferências, em um pacote rápido e altamente confiável. Oferecendo

Leia mais

TABELA 1. Médias e desvios padrão da média (x±dp) das variáveis clínicas e laboratoriais das mulheres com diabetes gestacional

TABELA 1. Médias e desvios padrão da média (x±dp) das variáveis clínicas e laboratoriais das mulheres com diabetes gestacional FATORES DE RISCO EM MULHERES COM DIABETES GESTACIONAL ASSISTIDAS NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA 1. INTRODUÇÃO As mulheres cujas gestações são complicadas por Diabetes Gestacional

Leia mais

Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados. Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados

Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados. Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados STREPTOCOCCUS B. HEMOLÍTICO, CULTURA Bactéria isolada: Não houve crescimento bacteriano nos meios utilizados Meios utilizados: Ágar chrom ID, Strepto B Material : Swab anal STREPTOCOCCUS B. HEMOLÍTICO,

Leia mais

ACARBOSE. Hipoglicemiante

ACARBOSE. Hipoglicemiante ACARBOSE Hipoglicemiante INTRODUÇÃO Conforme a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) a síndrome metabólica corresponde a um conjunto de doenças cuja base é a resistência insulínica.

Leia mais

Manejo do Diabetes Mellitus na Atenção Básica

Manejo do Diabetes Mellitus na Atenção Básica Manejo do Diabetes Mellitus na Atenção Básica Daiani de Bem Borges Farmacêutica (NASF/PMF) Preceptora da Residência Multiprofissional em Saúde/UFSC/PMF Doutoranda - Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva/UFSC

Leia mais

SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgG. SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgM

SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgG. SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgM SOROLOGIA PARA CITOMEGALOVÍRUS - ANTICORPO CLASSE IgG Método: Eletroquimioluminescência. Resultado: 500,00 Não reagente = Menor que 0,50 U/mL. Indeterminado = De 0,50 a 0,99 U/mL. Reagente = Maior ou Igual

Leia mais

[José Manuel Boavida Director do Programa Nacional para a Diabetes]

[José Manuel Boavida Director do Programa Nacional para a Diabetes] [José Manuel Boavida Director do Programa Nacional para a Diabetes] Desafio do Dr. José António Freire Soares Contributo e informação recolhida a partir da base de dados de GDH s / ACSS na elaboração dos

Leia mais

O DIABETES MELLITUS E A HEMOGLOBINA GLICADA E SUA CORRELAÇÃO COM A GLICEMIA MÉDIA ESTIMADA

O DIABETES MELLITUS E A HEMOGLOBINA GLICADA E SUA CORRELAÇÃO COM A GLICEMIA MÉDIA ESTIMADA O DIABETES MELLITUS E A HEMOGLOBINA GLICADA E SUA CORRELAÇÃO COM A GLICEMIA MÉDIA ESTIMADA DIABETES MELLITUS AND THE GLYCATED HEMOGLOBIN AND ITS CORRELATION WITH AVERAGE ESTIMATED BLOOD GLUCOSE Lisangela

Leia mais

Protocolo para controle glicêmico de paciente não crítico com diagnóstico prévio ou não de diabetes mellitus

Protocolo para controle glicêmico de paciente não crítico com diagnóstico prévio ou não de diabetes mellitus Protocolo para controle glicêmico de paciente não crítico com diagnóstico prévio ou não de diabetes mellitus A) PACIENTES SEM DIAGNÓSTICO DE DIABETES MELLITUS PRÉVIO B) PACIENTES COM DIABETES MELLITUS

Leia mais

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta GLICOSE Resultado: 77 mg/dl 70 a 99 mg/dl Método: Enzimático Material: Soro Resultado(s) Anterior(es) Em 28/04/12: 90 HEMOGLOBINA GLICADA Resultado HbA1c: 5,0 % Não diabéticos: De 4 a 6% Bom controle :

Leia mais

Posicionamento Oficial SBD, SBPC-ML, SBEM e FENAD 2017/2018

Posicionamento Oficial SBD, SBPC-ML, SBEM e FENAD 2017/2018 Posicionamento Oficial SBD, SBPC-ML, SBEM e FENAD 2017/2018 ATUALIZAÇÃO SOBRE HEMOGLOBINA GLICADA (A1C) PARA AVALIAÇÃO DO CONTROLE GLICÊMICO E PARA O DIAGNÓSTICO DO DIABETES: ASPECTOS CLÍNICOS E LABORATORIAIS

Leia mais

Prescrição e Determinação da Hemoglobina Glicada A1c HbA1c, Hemoglobina Glicada Médicos do Sistema Nacional de Saúde e Laboratórios Clínicos

Prescrição e Determinação da Hemoglobina Glicada A1c HbA1c, Hemoglobina Glicada Médicos do Sistema Nacional de Saúde e Laboratórios Clínicos NÚMERO: 033/2011 DATA: 30/09/2011 ATUALIZAÇÃO: 06/12/2012 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Prescrição e Determinação da Hemoglobina Glicada A1c HbA1c, Hemoglobina Glicada Médicos do Sistema Nacional

Leia mais

Diabetes e saúde: doença crônica e altamente incidente, pode ser diagnosticada precocemente

Diabetes e saúde: doença crônica e altamente incidente, pode ser diagnosticada precocemente Diabetes e saúde: doença crônica e altamente incidente, pode ser diagnosticada precocemente Por Guilherme Wendt, Equipe SIS.Saúde INTRODUÇÃO Em uma era de transformações demográficas, de avanços da medicina

Leia mais

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta

Método : HPLC (Cromatografia Líquida de Alta Performance) por troca Iônica. Material: Sangue Edta ÁCIDO ÚRICO Resultado: 6,1 mg/dl Homens : 3,4 a 7,0 mg/dl Mulheres: 2,4 a 5,7 mg/dl GLICOSE Resultado: 89 mg/dl 70 a 99 mg/dl Resultado(s) Anterior(es) Em 12/08/11: 89 Em 24/01/11: 82 Em 01/10/10: 78 HEMOGLOBINA

Leia mais

RASTREAMENTO DE PRESSÃO ARTERIAL E GLICEMIA

RASTREAMENTO DE PRESSÃO ARTERIAL E GLICEMIA RASTREAMENTO DE PRESSÃO ARTERIAL E GLICEMIA Andreza de Jesus Dutra Silva Mestre em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente - UniFOA Arielly Cristina VillarinhoVimar Mestranda em Ensino em Ciências

Leia mais

MUTIRÃO DA SAÚDE. Doutora, Docente do Departamento de Biologia Estrutural, Molecular e Genética da UEPG, 4

MUTIRÃO DA SAÚDE. Doutora, Docente do Departamento de Biologia Estrutural, Molecular e Genética da UEPG, 4 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA MUTIRÃO DA SAÚDE CHAVES, Camila

Leia mais

Diabetes Gestacional O que há de novo?

Diabetes Gestacional O que há de novo? VI JORNADAS DE ENDOCRINOLOGIA, DIABETES E NUTRIÇÃO DE AVEIRO III SIMPÓSIO DE NUTRIÇÃO Diabetes Gestacional O que há de novo? ROSA DANTAS, 26 DE JANEIRO DE 2017 Introdução Hiperglicémia na Gravidez Diabetes

Leia mais

Rio de Janeiro, Brasil

Rio de Janeiro, Brasil Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial ISSN: 1676-2444 jbpml@sbpc.org.br,adagmar.andriolo@g mail.com Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial Brasil Pimazoni Netto,

Leia mais

DIABETES MELLITUS: AVALIAÇÃO E CONTROLE ATRAVÉS DA GLICEMIA EM JEJUM E HEMOGLOBINA GLICADA

DIABETES MELLITUS: AVALIAÇÃO E CONTROLE ATRAVÉS DA GLICEMIA EM JEJUM E HEMOGLOBINA GLICADA 15 Recebido em 12/2012. Aceito para publicação em 09/2013. DIABETES MELLITUS: AVALIAÇÃO E CONTROLE ATRAVÉS DA GLICEMIA EM JEJUM E HEMOGLOBINA GLICADA DIABETES MELLITUS: AVALIATION AND CONTROL THROUGH FASTING

Leia mais

Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema?

Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema? Pé Diabético Epidemiologia Qual a dimensão do problema? Sessão Clínica Hospital Fernando Fonseca Amadora - 2012 Rui Carvalho Coordenador GEPED Consulta Multidisciplinar de Pé Diabético Serviço de Endocrinologia,

Leia mais

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS número 29 - setembro/2016 RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS INSULINAS ANÁLOGAS RÁPIDAS NO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS

Leia mais

SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES

SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES Síndrome de insulino-resistência, síndrome metabólica: definições 15 SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES Sandra Paiva Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo; Hospital

Leia mais

Estudo comparativo entre os níveis de glicemia venosa e glicemia capilar

Estudo comparativo entre os níveis de glicemia venosa e glicemia capilar Estudo comparativo entre os níveis de glicemia venosa e glicemia capilar Bárbara de Castro Borges 1 Tania Cristina Andrade 2 Resumo A manutenção da glicemia normal depende principalmente da capacidade

Leia mais

Hiperglicemia Hospitalar: Tratamento Atual

Hiperglicemia Hospitalar: Tratamento Atual Hiperglicemia Hospitalar: Tratamento Atual Dra. Anna Gabriela Fuks Mestre em Endocrinologia pela UFRJ Responsável pelo Serviço de Endocrinologia do Hospital Copa D or Diretora CienDfica da Sociedade Brasileira

Leia mais

Instituto Nacional de Salud Pública. Cobertura efectiva do programa de diabetes do Departamento de Saúde Hidalgo. MC Erika López López

Instituto Nacional de Salud Pública. Cobertura efectiva do programa de diabetes do Departamento de Saúde Hidalgo. MC Erika López López Instituto Nacional de Salud Pública Cobertura efectiva do programa de diabetes do Departamento de Saúde Hidalgo MC Erika López López 4 de Septiembre 2010 apresentação Script 1. Epidemiologia do Diabetes

Leia mais

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição glicose

Leia mais

INSULINOTERAPIA NO DIABETES TIPO 2. Alessandra Matheus (UERJ)

INSULINOTERAPIA NO DIABETES TIPO 2. Alessandra Matheus (UERJ) INSULINOTERAPIA NO DIABETES TIPO 2 Alessandra Matheus (UERJ) Nenhum conflito de interesses Agenda Tipos de insulina Quando e como iniciar a insulinoterapia? Qual esquema de insulina utilizar? Como intensificar?

Leia mais

Curso de Formação Avançada em Diabetes

Curso de Formação Avançada em Diabetes Curso de Formação Avançada em Diabetes Fundamentação Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crónica cada vez mais frequente na nossa sociedade. Em 2014 a prevalência estimada da Diabetes na população portuguesa

Leia mais

SEMINÁRIO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO QUATERNÁRIA EM APS

SEMINÁRIO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO QUATERNÁRIA EM APS SEMINÁRIO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO QUATERNÁRIA EM APS DISLIPIDEMIA E PREVENÇÃO QUATERNÁRIA João Carlos Schneider, MFC Unidade de Saúde Estrela SMS Curitiba jschneider@gmail.com V DIRETRIZ DE DISLIPIDEMIA

Leia mais

[Diabetes: Factos & Números] [Luís Gardete Correia Director do Observatório Nacional da Diabetes]

[Diabetes: Factos & Números] [Luís Gardete Correia Director do Observatório Nacional da Diabetes] [Diabetes: Factos & Números] [Luís Gardete Correia Director do Observatório Nacional da Diabetes] Diabetes: Factos & Números, 2014 Epidemiologia da Diabetes Controlo e Tratamento da Diabetes Regiões e

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS I CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA SARAH PEREIRA LINS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS I CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA SARAH PEREIRA LINS UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS I CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA SARAH PEREIRA LINS ANÁLISE DO PERFIL GLICÍDICO DE IDOSOS ATENDIDOS EM UM

Leia mais

PERFIL GLICÊMICO DOS PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO CLÍNICO DA PUC GOIÁS NO PERÍODO DE JANEIRO A JUNHO DE 2013*

PERFIL GLICÊMICO DOS PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO CLÍNICO DA PUC GOIÁS NO PERÍODO DE JANEIRO A JUNHO DE 2013* PERFIL GLICÊMICO DOS PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO CLÍNICO DA PUC GOIÁS NO PERÍODO DE JANEIRO A JUNHO DE 2013* MARILLYA MARIA DE S. A. MORAIS, MIRELLA OLIVEIRA MAR- TINS, IASMIM RIBEIRO DA COSTA Resumo:

Leia mais

ÁCIDO ÚRICO DIHIDROTESTOSTERONA ANTICORPOS ANTI-MICROSSOMAL/TPO ANTICORPO ANTI-TIREOGLOBULINA

ÁCIDO ÚRICO DIHIDROTESTOSTERONA ANTICORPOS ANTI-MICROSSOMAL/TPO ANTICORPO ANTI-TIREOGLOBULINA ÁCIDO ÚRICO Resultado: 4,8 mg/dl Homens : 3,4 a 7,0 mg/dl Mulheres: 2,4 a 5,7 mg/dl DIHIDROTESTOSTERONA Resultado: 70,1 pg/ml Pre-Pubere : < 50 pg/ml Homem : 122 a 473 pg/ml Mulher fase folicular: 50 a

Leia mais

NÚMERO: 008/2011 DATA: 31/01/2011 Diagnóstico Sistemático da Nefropatia Diabética

NÚMERO: 008/2011 DATA: 31/01/2011 Diagnóstico Sistemático da Nefropatia Diabética ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: NÚMERO: 008/2011 DATA: 31/01/2011 Diagnóstico Sistemático da Nefropatia Diabética Nefropatia; Diabetes Conselhos Directivos das Administrações Regionais de Saúde,

Leia mais

DIA MUNDIAL DA SAÚDE: DETERMINAÇÃO DA GLICEMIA CAPILAR EM SERVIDORES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

DIA MUNDIAL DA SAÚDE: DETERMINAÇÃO DA GLICEMIA CAPILAR EM SERVIDORES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

CAIO HENRIQUE ALMEIDA SANTOS CORRELAÇÃO ENTRE HEMOGLOBINA GLICADA, GLICEMIA EM JEJUM E GLICEMIA MÉDIA ESTIMADA

CAIO HENRIQUE ALMEIDA SANTOS CORRELAÇÃO ENTRE HEMOGLOBINA GLICADA, GLICEMIA EM JEJUM E GLICEMIA MÉDIA ESTIMADA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CAIO HENRIQUE ALMEIDA SANTOS CORRELAÇÃO ENTRE HEMOGLOBINA GLICADA, GLICEMIA EM JEJUM E GLICEMIA MÉDIA

Leia mais

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Paris, 07 de junho, de 2008 Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Novos dados apresentados na Annual

Leia mais

DIABETES MELITO. Marina Prigol

DIABETES MELITO. Marina Prigol DIABETES MELITO 1 Marina Prigol RELEMBRANDO ALGUNS CONCEITOS!!! O que é um carboidrato? Qual a função? Como ocorre a absorção dos carboidratos nas células intestinais? Glicólise, Glicogenólise, Glicogênese,

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS DESENVOLVIDAS NO ANO DE Faculdade de Medicina -Universidade Federal da Bahia

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS DESENVOLVIDAS NO ANO DE Faculdade de Medicina -Universidade Federal da Bahia RELATÓRIO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS DESENVOLVIDAS NO ANO DE 2010.2 Faculdade de Medicina -Universidade Federal da Bahia 1. IDENTIFICAÇÃO Nome do Docente: LÍSIA MARCÍLIO RABELO Regime de Trabalho: DE (Dedicação

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL EM DIABÉTICOS ADULTOS*

AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL EM DIABÉTICOS ADULTOS* AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL EM DIABÉTICOS ADULTOS* BRAGA, Ana Karolina Paiva 1 ; PEREIRA, Edna Regina Silva 2, NAGHETTINI, Alessandra Vitorino 3, BATISTA, Sandro Rogério Rodrigues 4 Palavras-chave: doença

Leia mais

ATUALIZAÇÃO EM DIABETES TIPO 2 E METAS GLICÊMICAS

ATUALIZAÇÃO EM DIABETES TIPO 2 E METAS GLICÊMICAS ATUALIZAÇÃO EM DIABETES TIPO 2 E METAS GLICÊMICAS Setembro de 2016 SUMÁRIO 1. CONTEXTUALIZAÇÃO... 3 2. ASPECTOS RELEVANTES DA ENTREVISTA CLÍNICA E DO EXAME FÍSICO DO PACIENTE DIABÉTICO... 3 3. ESTABELECIMENTO

Leia mais

A insulinoterapia ao alcance de todos Curso Prático Televoter

A insulinoterapia ao alcance de todos Curso Prático Televoter 2012 Norte 16 de Novembro 6ª feira A insulinoterapia ao alcance de todos Curso Prático Televoter António Pedro Machado Simões-Pereira Indicações para insulinoterapia na Diabetes tipo 2 Hiperglicémias em

Leia mais

Transplante de pâncreas

Transplante de pâncreas Transplante de pâncreas Marcelo Moura Linhares mlinhares@unifesp.br Prevalência do diabetes 8,7% Terceira doença mais comum. Média de vida: 15 anos menor que a população não diabética. International Diabetes

Leia mais

Avaliação do nível de controle glicêmico dos pacientes diabéticos tipo 2 atendidos em um Hospital Universitário

Avaliação do nível de controle glicêmico dos pacientes diabéticos tipo 2 atendidos em um Hospital Universitário doi: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrv.2012.102.0311 Avaliação do nível de controle glicêmico dos pacientes diabéticos tipo 2 atendidos em um Hospital Universitário Denise da Silva PINHEIRO 1 Carla Danielle

Leia mais

RECURSOS: Os recursos argumentam que a questão admite como corretas as alternativas C e D.

RECURSOS: Os recursos argumentam que a questão admite como corretas as alternativas C e D. CIRURGIA VASCULAR Prova : Clínica Médica QUESTÃO 18 Situação: Recursos Improcedentes. Os recursos argumentam que a questão admite como corretas as alternativas C e D. Na letra C, refere- se às lesões estenosantes

Leia mais

Diabetes e Outros Distúrbios na Homeostasia dos Hidratos de Carbono

Diabetes e Outros Distúrbios na Homeostasia dos Hidratos de Carbono Diabetes e Outros Distúrbios na Homeostasia dos Hidratos de Carbono Carlos Alberto Pereira Vaz Técnico Superior de Laboratório carlosvaz@laboratoriopioledo.pt A glicose é a principal fonte de energia do

Leia mais

JEJUM PRÉ-ANESTÉSICO E OPERATÓRIO. Localizador: Data: Vigência: Revisão: Página: HND.ANT.POP /5

JEJUM PRÉ-ANESTÉSICO E OPERATÓRIO. Localizador: Data: Vigência: Revisão: Página: HND.ANT.POP /5 HND.ANT.POP.002 20.10.2015 20.10.2017 01 1 /5 1. FINALIDADE Este procedimento tem como objetivo estabelecer regras e normas para orientar a realização do jejum pré-anestésico visando redução dos riscos

Leia mais

HEMOGLOBINA GLICADA COMO MARCADOR DE PREVENÇÃO DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM IDOSOS DIABÉTICOS

HEMOGLOBINA GLICADA COMO MARCADOR DE PREVENÇÃO DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM IDOSOS DIABÉTICOS HEMOGLOBINA GLICADA COMO MARCADOR DE PREVENÇÃO DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM IDOSOS DIABÉTICOS Heronides dos Santos Pereira 1 ; Diego de Sousa Barros 2 ; Karla Simone Maia da Silva 3 ; Sabrina Laís

Leia mais

TRATAMENTO DO DIABETES DO IDOSO CONGRESSO CATARINENSE DE CARDIOLOGIA 2012

TRATAMENTO DO DIABETES DO IDOSO CONGRESSO CATARINENSE DE CARDIOLOGIA 2012 TRATAMENTO DO DIABETES DO IDOSO CONGRESSO CATARINENSE DE CARDIOLOGIA 2012 Potencial Conflito de Interesses De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 102/2000 da

Leia mais

Rua Luiz Simon, 75 - (Largo do Riachuelo) - Jacareí - SP REG.: CRBM ( ) TeleFax: (12)

Rua Luiz Simon, 75 - (Largo do Riachuelo) - Jacareí - SP REG.: CRBM ( ) TeleFax: (12) Impresso em 01/12/2016 171714 Página 1 Laboratório Direção Dr.João Pasqualin Neto - CRBM 0278 Rua Luiz Simon, 75 - (Largo do Riachuelo) - Jacareí - SP REG. CRBM (1986-0040-0) TeleFax (12) 3953-2778 Num.Lab.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JACY MARIA ALVES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JACY MARIA ALVES I UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ JACY MARIA ALVES RECLASSIFICAÇÃO PÓS-PARTO DO ESTADO GLICÊMICO EM MULHERES COM DIABETES MELLITUS GESTACIONAL E FATORES DE RISCO ASSOCIADOS CURITIBA 2015 I JACY MARIA ALVES

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Hipertensão arterial. Diabetes mellitus. Glicemia capilar. Medicamentos.

PALAVRAS-CHAVE Hipertensão arterial. Diabetes mellitus. Glicemia capilar. Medicamentos. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Diabetes Mellitus Tipo 1 Cetoacidose diabética

Diabetes Mellitus Tipo 1 Cetoacidose diabética HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO PARANÁ LIGA MÉDICO-ACADÊMICA DE PEDIATRIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ LIPED - UNIOESTE RESIDÊNCIA MÉDICA DE PEDIATRIA Diabetes Mellitus Tipo 1 Cetoacidose

Leia mais

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito);

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito); O diabetes mellitus é uma doença crônica que se caracteriza por uma elevada taxa de glicose (açúcar) no sangue. Essa elevação ocorre, na maioria das vezes, por uma deficiência do organismo em produzir

Leia mais

MANUAIS ISGH UTILIZAÇÃO DE INSULINA ENDOVENOSA

MANUAIS ISGH UTILIZAÇÃO DE INSULINA ENDOVENOSA E L A B O R A Ç Ã O Kessy Vasconcelos de Aquino Médica Consultora ISGH Meton Soares de Alencar Médico UTI HRC Mozart Ney Rolim Teixeira Henderson Médico Consultor ISGH Nárya Maria Gonçalves de Brito Enfermeira

Leia mais

Diabetes: hora de rever as metas?

Diabetes: hora de rever as metas? artigo original Diabetes: hora de rever as metas? Diabetes: time to redefine goals? Leandro Arthur Diehl 1 RESUMO Objetivo: O objetivo deste trabalho foi avaliar se a meta de A1c da Sociedade Brasileira

Leia mais

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO A Diabetes Mellitus é uma doença crónica, cujos índices de incidência e prevalência aumentam a cada ano. Para poderem prestar cuidados de saúde globais

Leia mais

Rio de Janeiro, Brasil

Rio de Janeiro, Brasil Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial ISSN: 1676-2444 jbpml@sbpc.org.br,adagmar.andriolo@g mail.com Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial Brasil Sumita, Nairo

Leia mais

TÍTULO: HIPERTRIGLICERIDEMIA PÓS-PRANDIAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 E O RISCO CARDIOVASCULAR

TÍTULO: HIPERTRIGLICERIDEMIA PÓS-PRANDIAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 E O RISCO CARDIOVASCULAR TÍTULO: HIPERTRIGLICERIDEMIA PÓS-PRANDIAL EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 E O RISCO CARDIOVASCULAR CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Diário da Diabetes. Nome. Endereço. Telefone / Telemóvel. . Disponível em

Diário da Diabetes. Nome. Endereço. Telefone / Telemóvel.  . Disponível em Nome Diário da Diabetes Endereço Telefone / Telemóvel E-mail Disponível em www.controlaradiabetes.pt www.msd.pt Tel.: 214 465 700 Merck Sharp & Dohme, Lda. Quinta da Fonte, Edifício Vasco da Gama, 19 -

Leia mais

Insulinoterapia no Diabetes tipo 1. Profa. Fernanda Oliveira Magalhães

Insulinoterapia no Diabetes tipo 1. Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Insulinoterapia no Diabetes tipo 1 Profa. Fernanda Oliveira Magalhães Doença crônica caracterizada pela destruição parcial ou total das células beta das ilhotas de Langerhans pancreáticas, resultando na

Leia mais

MUDANÇA NOS COMPORTAMENTOS ALIMENTAR E DE ATIVIDADE FÍSICA EM PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO 2, COM BASE NO MODELO TRANSTEÓRICO

MUDANÇA NOS COMPORTAMENTOS ALIMENTAR E DE ATIVIDADE FÍSICA EM PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO 2, COM BASE NO MODELO TRANSTEÓRICO CELESTE MARIA NATALI MUDANÇA NOS COMPORTAMENTOS ALIMENTAR E DE ATIVIDADE FÍSICA EM PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO 2, COM BASE NO MODELO TRANSTEÓRICO Dissertação apresentada à Universidade Federal

Leia mais

AÇÃO DE INTERVENÇÃO SOCIAL EM SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NO MUNICÍPIO DE GRÃO MOGOL MINAS GERAIS

AÇÃO DE INTERVENÇÃO SOCIAL EM SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NO MUNICÍPIO DE GRÃO MOGOL MINAS GERAIS 152 AÇÃO DE INTERVENÇÃO SOCIAL EM SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NO MUNICÍPIO DE GRÃO MOGOL MINAS GERAIS Mariângela Aparecida Pereira Gonçalves 1 Gilson José Fróes 2 Marcelo Resende Otaviano 3 RESUMO

Leia mais

Palavras- chave: Diabetes Mellitus, hemoglobina glicada, glicemia, ciências e experimento.

Palavras- chave: Diabetes Mellitus, hemoglobina glicada, glicemia, ciências e experimento. HEMOGLOBINA GLICADA NO DIAGNÓSTICO, MONITORAMENTO DE PACIENTES DIABÉTICOS E O USO DE MODELOS DIDÁTICOS NA PRÁTICA DA DOCÊNCIA. FERREIRA, Andressa Felipe* VIEIRA, Francisco** RESUMO O Diabetes Mellitus

Leia mais

(LAING, COUGLEY, KLENERMAN, % 50% ; BIRKE

(LAING, COUGLEY, KLENERMAN, % 50% ; BIRKE 1 - INTRODUÇÃO 2 As alterações de sensibilidade no paciente portador de diabetes mellitus são responsáveis diretas pela considerável morbidade relacionada com as úlceras plantares e suas conseqüências.

Leia mais

PREVALENCIA DA INCONTINÊNCIA COMBINADA AUTO-RELATADA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS

PREVALENCIA DA INCONTINÊNCIA COMBINADA AUTO-RELATADA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS PREVALENCIA DA INCONTINÊNCIA COMBINADA AUTO-RELATADA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS Vera Lucia Conceição Gouvêa Santos Claudia Regina de Souza Santos Introdução Conforme a Sociedade International Continence

Leia mais

Sessão II - Inibidores do co transportador de sódio e glucose 2. Ana Paróla Hospital de Egas Moniz - CHLO

Sessão II - Inibidores do co transportador de sódio e glucose 2. Ana Paróla Hospital de Egas Moniz - CHLO Sessão II - Inibidores do co transportador de sódio e glucose 2 Ana Paróla Hospital de Egas Moniz - CHLO Contextualização Avanços na área da diabetologia Novas classes de medicamentos; Mudança de paradigmas:

Leia mais

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO

AVALIAÇÃO BIOQUÍMICA NO IDOSO C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O C AT Ó L I C O S A L E S I A N O A U X I L I U M C U R S O D E N U T R I Ç Ã O - T U R M A 6 º T E R M O D I S C I P L I N A : N U T R I Ç Ã O E M G E R I AT R I A

Leia mais

ANÁLISE DO PERFIL GLICÍCIDO DE IDOSOS ATENDIDOS NO CENTRO DE HEMATOLOOGIA E LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS-LTDA

ANÁLISE DO PERFIL GLICÍCIDO DE IDOSOS ATENDIDOS NO CENTRO DE HEMATOLOOGIA E LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS-LTDA ANÁLISE DO PERFIL GLICÍCIDO DE IDOSOS ATENDIDOS NO CENTRO DE HEMATOLOOGIA E LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS-LTDA Sarah Pereira Lins 1 ; Heronides dos Santos Pereira 2 ; Lucas Linhares Lócio 3 ; Diego

Leia mais

Estudo de um Grupo de Grávidas com Diabetes Gestacional seguidas numa consulta multidisciplinar de Diabetes e Gravidez QjGSA)

Estudo de um Grupo de Grávidas com Diabetes Gestacional seguidas numa consulta multidisciplinar de Diabetes e Gravidez QjGSA) Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto Estudo de um Grupo de Grávidas com Diabetes Gestacional seguidas numa consulta multidisciplinar de Diabetes e Gravidez QjGSA) Ano

Leia mais