SISTEMA TREPANTE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA TREPANTE MANUAL DE UTILIZAÇÃO"

Transcrição

1 SISTEMA TREPANTE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

2 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE

3 ESTE MANUAL FOI PRODUZIDO NO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA Mills Estruturas e Serviços de Engenharia Ltda. Estrada do Guerenguê, Curicica Rio de Janeiro RJ Tel: (21) TÍTULO Manual de Utilização SISTEMA TREPANTE EDIÇÃO Dezembro Edição 4 TEXTO TÉCNICO Miguel Henrique de Oliveira Costa Renan Rosa de Castro SUPERVISIONADO POR Avelino Pinto da Silva Garzoni DIRETOR DE ENGENHARIA Vinicius Monteiro GERENTE TÉCNICO Miguel Henrique de Oliveira Costa COORDENADOR TÉCNICO Mário Luiz Sartorio Valiati SUPERVISOR DE PRODUTO REDAÇÃO Miguel Henrique de Oliveira Costa Renan Rosa de Castro Roberta da Costa Melo DIAGRAMAÇÃO EDIÇÃO Laryssa da Cunha Macedo Priscilla dos Santos Oliveira Roberta da Costa Melo CAPA Laryssa da Cunha Macedo Priscilla dos Santos Oliveira Roberta da Costa Melo REVISÃO Ana Lúcia dos Santos Menezes Moura Avelino Pinto da Silva Garzoni Joana Marques Bastos Mario Luiz Sartorio Valiati Miguel Henrique de Oliveira Costa Renan Rosa de Castro Vinicius Monteiro Copyright 2014 Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. É proibida a reprodução desta publicação, por qualquer meio ou processo, mesmo que parcial, sem autorização prévia e por escrito tanto dos proprietários como dos autores intelectuais.

4 SUMÁRIO 05 DESCRIÇÃO DO SISTEMA 06 COMPONENTES DO SISTEMA 06 Mísula 08 Ligação mísula - montante 10 Starter 12 Guarda corpo 13 Aprumador 14 Ligação montante aprumador 15 Andaimes Andaime superior Andaime inferior 16 Cones 17 Rabicho 18 Içador 19 UTILIZAÇÃO COM OS SISTEMAS DE FORMAS MILLS 19 TOPMILLS 20 ALU-L 21 PAINEL ALUMA 22 Viga Aluma 23 Montante Aluma 23 Tirante 24 Placa do tirante 24 Grampo Aluma 25 Porca borboleta 26 AVANÇO DO SISTEMA TREPANTE 29 PRESSÃO ATUANTE ADMISSIVEL NO PAINEL ALUMA 35 DESCRIÇÃO DE COMPONENTES 40 ANOTAÇÕES

5 PAINEL ALUMA Pág.21 ANDAIME SUPERIOR Pág.15 APRUMADOR Pág.13 LIGAÇÃO MONTANTE APRUMADOR Pág.14 LIGAÇÃO MÍSULA MONTANTE Pág.8 ANDAIME INFERIOR Pág.15 MÍSULA Pág.6

6 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA O SISTEMA TREPANTE foi concebido para solucionar a execução de estruturas verticais de grande altura onde é inviável a execução em apenas uma etapa de concretagem, como paredes e pilares de pontes, viadutos, edifícios e barragens. O princípio básico do SISTEMA TREPANTE consiste na reutilização da forma na próxima etapa de concretagem, apoiando-se na ancoragem prevista na camada executada anteriormente. Diversos sistemas de formas Mills podem ser utilizados juntamente ao SISTEMA TREPANTE, tendo sua escolha condicionada a melhor solução para estrutura da obra. Sua aplicação é indicada em estruturas especiais de obras industriais, pilares de pontes e de viadutos e em quase todas as estruturas de usinas hidrelétricas. Também pode ser utilizado na execução de caixas de elevador, escadas, e empenas cegas de prédios residenciais e comerciais. O sistema é composto por mísula, plataformas de trabalho e aprumadores com todas as regulagens necessárias para o posicionamento e movimentação dos paineis. Permite a concretagem de camadas de 2m de altura sem necessidade de atirantamento. No caso de forma atirantada, a concretagem pode chegar a 3,6 m dependendo da logistica, metodologia da armação e da segurança do trabalho. A velocidade de concretagem varia de 0,8 m/h à 1,0 m/h, dependendoda existência de atirantamento. SISTEMA TREPANTE MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 5

7 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 2. COMPONENTES DO SISTEMA 2.1. MÍSULA A mísula é o principal componente do SISTEMA TREPANTE, sendo utilizado em todas as etapas de concretagem, exceto na primeira. Todos os outros grandes componentes são acoplados na mísula, que com a ajuda do guarda corpo possibilita uma área de trabalho segura na sua plataforma forrada por pranchões de madeira Rabo de andorinha 2 Pino de segurança 3 Cunha horizontal 4 Colmeia 5 Suporte do aprumador Mísula As pranchas de assoalho devem ficar apoiadas na faixa inferior para não interferirem nos processos das mísulas. Encaixe do "rabo de andorinha" e o pino de segurança Encaixe do tubo Mills na 1/2 braçadeira Encaixe do sarrafo de madeira no guarda corpo 6

8 COLMEIA A colmeia permite que sejam desenvolvidos diferentes modulações de painéis, Aluma, Alu-l e TOPMILLS. 120 mm Distância entre o "rabo de andorinha" e a colmeia A 1/2 braçadeira é fixada na diagonal vertical externa com a função de garantir o contraventamento. 1/2 braçadeira AJUSTE DO PAINEL NA COLMEIA Podemos observar a seguir as posições da cunha de acordo com o tipo de painel utilizado em projeto. A B C D TOPMILLS Painel Aluma com VA horizontal Painel Aluma com VA vertical ALU-L A B C D A cunha horizontal fixada na mísula permite o travamento dos painéis. SISTEMA TREPANTE Encaixe da cunha horizontal na mísula C Painel Aluma com VA vertical B Painel Aluma com VA horizontal MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 7

9 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 2.2 LIGAÇÃO MÍSULA-MONTANTE A ligação mísula-montante tem a função de unir a mísula ao montante vertical, como apresentado abaixo: 6 Parfusos Ø ¾ x 2 ¾ cabeça rebaixada PARAFUSO DE AJUSTE CUNHA DE AJUSTE VERTICAL Ligação mísula-montante ENCAIXE DA CUNHA VERTICAL NA LIGAÇÃO LIGAÇÃO MÍSULA MONTANTE A cunha vertical tem como função, travar todo o conjunto do painel na mísula e evitar a subida da forma durante a concretagem. 8

10 Parafuso cabeça sextavado ø1.1/2" O parafuso de ajuste, permite fazer um ajuste fino no alinhamento vertical nos painéis. AJUSTE FINO DO PAINEL Nível para ajuste do painel SISTEMA TREPANTE ERRADO CERTO ERRADO MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 9

11 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE Detalhe do starter montado na laje do piso STARTER O starter é o componente do SISTEMA TREPANTE que é utilizado apenas na primeira etapa de concretagem, onde não é possível utilizar forma atirantada e tem função de receber carga proveniente da pressão do concreto, além de servir como base horizontal para início do avanço vertical do sistema. É acoplado ao painel através da placa de ligação. 1 Placa de ligação 2 Eixo com trava 3 Porca borboleta 1 4 Cone 5 Rabicho Suporte do aprumador 7 1/2 Braçadeira Starter 10

12 PORCA BORBOLETA Utilizada como trava do tirante para sustentação do sistema. O tubomills tem a função de garantir o contraventamento e alinhamento no par da estrutura. 1/2 braçadeira soldada ao starter POSSIBILIDADES DE ANGULAÇÃO A angulação do painel permite maiores variações de concretagens O calço de madeira garante estabilidade do compensado SISTEMA TREPANTE O eixo com trava permite a variação na angulação É essencial a utilização do cone e rabicho nesta etapa. Rabicho com cone MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 11

13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 2.4. GUARDA CORPO O Sistema Trepante Mills, atende aos critérios de segurança da NR-18, onde o guarda corpo funciona como limitador da plataforma de trabalho da mísula. 70 mm 50 mm DETALHE União do guarda corpo com a mísula. Dois parafusos 5/8"x1 1/2" por poste. Sistema com guarda corpo GUARDA CORPO COM ABA AJUSTÁVEL Movimentação para adequar o rodapé Os sarrafos ou travessas de suporte devem ser dimencionadas a resistirem os esforços solicitantes. 12

14 2.5. APRUMADOR O aprumador tem a função de ajustar o prumo dos painéis, mesmo quando o conjunto é submetido a altas pressões de concreto. O sistema de roscas invertidas permitem que o aprumador aumente ou diminua, conforme a necessidade de concretagem. 360 LIGAÇÃO MONTANTE APRUMADOR A abertura mínima e máxima do aprumador é em relação aos eixos dos parafusos. SISTEMA TREPANTE ABERTURA MÍNIMA E MÁXIMA DO APRUMADOR MIN. 177 cm MAX. 218 cm MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 13

15 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 2.6. LIGAÇÃO MONTANTE APRUMADOR A ligação montante aprumador tem como função principal de transferir os esforços e ligar o aprumador a forma atraves do montante vertical. 12 parafusos de 1 1/2" cabeça "T" com porca e arruela fixados a ranhura do montante. Ligação montante aprumador MONTAGEM DA LIGAÇÃO MONTANTE APRUMADOR I. Encaixar a ligação montante aprumador (A) nos montantes (B), com os parafusos já encaixados. II. Após definir a localização da ligação montante aprumador (A), gire os parafusos travando-os na ranhura. III. Em seguida encaixe as porcas e arruelas para fixar a ligação montante aprumador (A). I A II A III A B B 14

16 2.7.ANDAIMES DE SERVIÇO O Sistema Trepante possui dois tipos de andaimes: ANDAIME SUPERIOR O andaime superior permite o acesso a parte superior da concretagem que está sendo executada. TABELA 1 - ELEMENTOS DE FIXAÇÃO QDT. Descrição 08 Parafuso cabeça "T" Ø 1/2" x 2" 1 08 Porca sextavada Ø 1/2" 08 Arruela lisa 1/2" ANDAIME INFERIOR SISTEMA TREPANTE O andaime inferior tem a função de permitir acesso a parte inferior a forma, possibilitando a retirada do cone de apoio da camada anterior e o tratamento de juntas e do concreto. TABELA 2 - ELEMENTOS DE FIXAÇÃO QDT. Descrição 02 Parafuso cabeça sextavada Ø 1/2" x 3 1/2" 2 02 Porca sextavada Ø 1/2" 02 Arruela lisa 1/2" A proteção contra quedas, quando construída de anteparos rígidos, em sistema de guarda-corpo e rodapé, deve ter um travessão superior com altura de 1,20m e um travessão intermediária com altura de 0,70m, além de ter um rodapé com 0,20m. Os vãos entre as travessas deverão ser preenchidos com tela ou outro dispositivos que garanta o fechamento seguro de abertura. 1 MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 15

17 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 2.8. CONES O SISTEMA TREPANTE possui dois tipos de cones: de apoio (A) e de posicionamento (B). O esquema a seguir mostra onde cada um deles deve ser utilizado. A B B II. Retira-se o cone de posicionamento (B), e substitui-se pelo cone de apoio (A). A I. O cone de posicionamento (B) deve ser fixado a forma na etapa de concretagem, este deve ser engraxado para evitar que o concreto possa aderir ao cone, dificultando a sua retirada para a troca. B A Recuar a forma com o auxilio do aprumador Rabicho com placa 2 Cone de posicionamento MATERIAL Aço SAE 1045 SEÇÃO TRANSVERSAL Cone de posicionamento Cone de apoio A B Cone de apoio (A) A O cone de apoio servindo como base para o encaixe da mísula. Cone de posicionamento (B) Não esquecer de travar com pino de segurança. Vide Passo 4, pág

18 2.9. RABICHO O rabicho é utilizado com o cone e tem a função de reagir com o concreto através do arrancamento e/ou escorregamento. A MILLS possui rabichos de diversos tamanhos, cada um utilizado em um processo diferenciado. O cone de posicionamento e o rabicho devem ser previstos na armadura da laje e/ou piso. MATERIAL Aço SAE 1045 ø 7/8" RABICHO COM PLACA Rabicho com cone SISTEMA TREPANTE 120 mm 55 mm RABICHO EM GANCHO MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 17

19 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE IÇADOR O içador é posicionado na extremidade superior do montante do painel Aluma, e tem a função de suportar vôo do conjunto para a etapa posterior de concretagem. IÇAMENTO DO PAINEL P max = 20kN Içador 4 Parfusos Ø ¾ x 2 ¾ cabeça rebaixada max. 90 min. 45 min. 45 IÇAMENTO DE PAINÉIS Detalhe do içador fixado no painel Aluma. MATERIAL Aço SAE

20 3. UTILIZAÇÃO COM OS SISTEMAS DE FORMAS MILLS Além do painel Aluma, outros painéis MILLS podem ser usados junto ao SISTEMA TREPANTE como o TOPMILLS e ALU-L. Painel TOP MILLS Painel ALU-L 3.1. TOPMILLS O sistema TOPMILLS é formado paineis de grande área, estruturados em aço e revestidos com chapa compensada de 21 mm. TOPMILLS suporta altas pressões de concreto (80 KN/m 2 ), proporcionando também excelente acabamento final Os paineis TOPMILLS devem ser posicionados na horizontal, para garantir a perfeita ligação. 1 Painel TOPMILLS 2 Grampo TOPMILLS especial 3 Compensado SISTEMA TREPANTE 1 2 Seção união dos painéis TOPMILLS com grampo especial TOPMILLS 3 Grampo especial TOPMILLS para fixação Montagem Sistema Trepante com TOPMILLS MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 19

21 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 3.2. ALU-L O ALU-L é um sistema de formas de grande área estruturados com perfis de alumínio especiais e revestido com chapa compensada plastificadas de alta resistência de 15 mm, podendo suportar pressões de concretagem de até (60 KN/m 2 ), proporcionando um excelente acabamento no concreto. Para mais informações sobre o equipamento, verificar o manual especifico ALU-L. 1 Grampo ALU-L especial 2 Porca borboleta 3 Perfil de bordo do painel ALU-L Para a montagem do Sistema Trepante com o painel ALU-L utiliza-se um grampo especial com tirante soldado, para a fixação 4 Compensado Seção união dos painéis ALU-L com grampo especial ALU-L Grampo especial ALU-L para fixação no Sistema Trepante Os paineis ALU-L devem ser posicionados deitados, para garantir a perfeita ligação. 20

22 4. PAINEL ALUMA O painel Aluma é o tipo de forma mais utilizado no SISTEMA TREPANTE. Estruturados por vigas e montantes de alumínio unidos através de grampos e revestidos com chapa compensada plastificada de 18 mm, os painéis Aluma são montados de acordo com a necessidade da obra, tornando-o um sistema de formas flexível e de fácil adaptação geométrica. LIGAÇÃO MONTANTE APRUMADOR PLACA DO TIRANTE MONTANTE ALUMA SISTEMA TREPANTE VIGA ALUMA CHAPA 18 mm Composta por 9 lâminas prensadas com densas camadas de resina fenólica. GRAMPO ALUMA Une as vigas aos montantes. O compensado pode sofrer alterações conforme a necessidade da obra. MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 21

23 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 4.1. VIGA ALUMA As vigas Aluma são perfis extrudados em uma liga especial de alumínio com características mecânicas semelhantes ao aço, tornando-se assim um sistema de vigamento prático, produtivo, leve e com grande resistência. Possui diversas modulações como descrita na tabela abaixo: TABELA 3 - MODULAÇÕES DAS VIGAS Viga Tamanho Peso 1,50 m 6,00 kg 1,80 m 7,20 kg 2,00 m 8,00 kg 2,40 m 9,60 kg 3,00 m 12,00 kg 3,20 m 12,80 kg VA kg/m 140 mm 3,50 m 14,00 kg 3,60 m 14,40 kg 4,00 m 16,00 kg 4,20 m 16,80 kg 85 mm 4,50 m 18,00 kg 4,80 m 19,20 kg VA kg/m 165 mm 5,40 m 21,60 kg 6,40 m 25,60 kg 1,50 m 9,00 kg 1,80 m 10,80 kg 2,00 m 12,00 kg 2,40 m 14,40 kg 2,50 m 15,00 kg 3,00 m 18,00 kg 3,20 m 19,20 kg 3,60 m 21,60 kg 4,20 m 25,20 kg 4,80 m 28,80 kg 127 mm 5,40 m 32,40 kg 6,40 m 38,40 kg SARRAFO DE MADEIRA Cedrinho 40x40 mm VA 140 com sarrafo de madeira 22

24 4.2. MONTANTE ALUMA Os montantes Aluma são perfis de alumínio dotados de características geométricas que os tornam mais resistentes que as vigas aluma. Suas modulações e peso estão descritas na tabela abaixo: TABELA 4 - MODULAÇÕES DO MONTANTE Viga Tamanho Peso MA 55 K 6kg/m MA 35 K 4,5kg/m 19 mm 1,90 m 11,40 kg 2,60 m 15,60 kg 3,00 m 18,00 kg 3,80 m 22,80 kg 4,80 m 28,80 kg 4.3. TIRANTE Montante SISTEMA TREPANTE O atirantamento da forma é realizado através da utilização do tirante, placa do tirante e porca borboleta, como apresentado abaixo: Tirantes 5/8 SAE 1045 MATERIAL Aço SAE 1045 ACABAMENTO Bicromatizado CARGA MÁXIMA ADMISSÍVEL 7000 kgf TABELA 5 - MODULAÇÕES DE TIRANTES NOE Comprimentos (cm) MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 23

25 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 4.4. PLACA DO TIRANTE Tem como função principal unir os montantes a um espaçamento máximo não superior a 1m, formando montantes duplos e permite a passagem do tirante no furo central PARAFUSO PARA UNIÃO DE MONTANTES PLACA DO TIRANTE PARAFUSO 150 mm Ø 1/2 200 mm Montante duplo 4.5. GRAMPO ALUMA O grampo tem a função de unir as vigas aluma aos montantes aluma. Observe a união do detalhe abaixo: DETALHE Grampo Aluma MONTAGEM DO GRAMPO ALUMA NO MONTANTE/VIGA ALUMA I. Folgar o parafuso (D), para liberar a porca (A), a arruela (B) e a base do grampo (C). II. Encaixe o parafuso (D), gire travando-o na ranhura. III. Em seguida encaixe a base (C), a arruela (B) e a porca (A). I II III A B A B C D D C 24

26 4.6. PORCA BORBOLETA A porca borboleta tem a função de fixação do tirante no painel Aluma e do starter no cone de posicionamento. Porca borboleta MATERIAL Ferro fundido nodular GGG40 ACABAMENTO Bicromatizado Quando a VA estiver na vertical, o cone de posicionamento deve ficar defasado do montante horizontal. SISTEMA TREPANTE PORCA BORBOLETA 10 cm Para melhor trabalhabilidade, usar um tirante com uma sobra de aproximadamente 10 cm. MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 25

27 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 5. AVANÇO DO SISTEMA TREPANTE Após uma etapa concretada, o sistema deverá subir para atingir a camada posterior da futura concretagem. Nesse deslocamento os seguintes procedimentos devem ser obedecidos: Passo 1 Desforma I. Soltar a porca borboleta (A) que fixa o tirante (B) ao cone de posicionamento (C). II. Soltar a cunha horizontal (D) da mísula e a cunha vertical (E). III. Girar as alças do aprumador (F), fazendo com que ocorra leve inclinação da forma DETALHE I. I II III B D F F C A E Todo o processo deve ser executado sem que haja pessoas ou materiais no andaime superior. Passo 2 Retirar o cone de posicionamento DETALHE I I. Encaixar a chave de cone (G) no cone de posicionamento (C) que está preso na concretagem (H). II. Girar a alça da chave (I) até travar o sistema e girar a chave de cone para soltar o cone posicionamento(c). III. Após retirar o cone de posicionamento (C), substitui-lo pelo cone de apoio (J). I II III H G I J C C C Cone de apoio Cone de posicionamento 26

28 Passo 3 Limpeza e avanço I. Limpar o compensado (L) com o auxílio de uma espátula (M) e aplicar desmoldante. II. Colocar a cunha horizontal (D) e vertical (E) para o içamento. III. Retirar o pino de segurança (N) da mísula. IV. Içar o conjunto completo com o auxílio de grua, pelo içador (O) DETALHE II. I L II D III N IV O M E Passo 4 Posicionamento Somente nesta etapa a grua é necessária. O DETALHE II SISTEMA TREPANTE I. Posicionar a mísula no cone de apoio (J). II. Colocar o pino de segurança (N). III. Girar as alças do aprumador (F) fazendo com que a forma dê prumo. IV. Apertar a cunha horizontal (D). I II III IV J N F F D MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 27

29 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE Passo 5 Regulagem do conjunto I. Ajustar o painel, girando o parafuso de ajuste (P). Regulando lateralmente o painel DETALHE III. II. Bata a cunha vertical (E). III. Fixar a porca borboleta (A) no tirante (B) fixado ao cone de posicionamento (C). I II III P B E C A DETALHE III Passo 6 Verificação de segurança I. Verificar se o pino de segurança (N) está posicionado corretamente e travado. II. Verificar as cunhas verticais (D) e horizontais (E). III. Revisar as bases em contato com a concretagem (H). I II III N D E H Todas as bases devem estar em contato com o concreto. 28

30 6. PRESSÃO ATUANTE E ADMISSÍVEL NO SISTEMA TREPANTE Antes de checar se o sistema trepante suporta os esforços a ele aplicado, deve-se calcular a modulação do painel Aluma para que este esteja de acordo com as pressões de concreto atuantes. Um painel Aluma funciona como se fosse um escoramento só que na vertical ao invés da posição horizontal, e portanto deverá ser calculado de acordo com a norma NBR Passo 1 Cálculo da velocidade de concretagem Supondo uma etapa de concretagem com 2,00m de altura, 1,0m de espessura e 21m de comprimento, e utilizando uma bomba de concretagem com vazão de 21m 3 /h, a temperatura de 20 C e contendo concreto líquido (consistência C4) Volume total = 2,0 x 1,0 x 21 = 42 m 3 Tempo = Volume total = 42 m 3 = 2 h Vazão da bomba 21,0m 3 Velocidade de concretagem = v = 2,0 m = 1,0 m/h 2,0 h Passo 2 Pressão máxima de concreto conforme a NBR Com a velocidade de concretagem conhecida (v=1,0m/h) e sabendo que se trata de um concreto de consistência C 4, a pressão atuante pode ser conhecida. Correção P = 12 v + 12 P = P = 24kN/m 2 P CORRIGIDA 1,15 = 27,6kN/m 2 Essa fórmula só pode ser utilizada com um concreto com temperatura de 25 C. A cada diferença de 1 C temperatura do concreto na hora da concretagem e durante a fase de endurecimento, adicionar 3% de pressão P. SISTEMA TREPANTE Altura hidrostática h s em m Pressão do concreto fresco p b em kn/m Densidade do concreto 25 kn/m 2 Tempo de cura máximo 5 horas Velocidade máxima de subida 7 m/h Temperatura do concreto fresco +25 C C4 - Concreto liquido 12 vb+12 C3-10 vb+13 C2-10 vb+13 C1-3,5 vb ,5 1,0 1,5 2,0 2,5 3,0 3,5 4,0 4,5 5,0 5,5 6,0 6,5 7,0 1,0 1,04 1,10 1,18 1,20 1,30 1,40 1,41 Consistência Velocidade da concretagem v b em m/h MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 29

31 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE Passo 3 Altura hidrostática Sabendo que a pressão máxima no painel, após correção pela temperatura, é de 27,6kN/m 2. Tem-se o gráfico com as devidas pressões: Onde: H = altura de concretagem H = 2,00m H 1 = 1,10m H 2 = 0,9m H 1 = pressão variante H 2 = pressão constante P = pressão líquida H 1 = 2 m 27,6 kn/m 2 50kN/m 2 P máx. = 27,6kN/m 2 P = 50kN/m 2 Passo 4 Modulação do painel Aluma Através dos conhecimentos de resistências dos materiais, realizar a modulação de painel Aluma de modo que suporte a pressão atuante. Atentar a região inferior do painel, devido a maiores pressões. Os cálculos fornecerão as distâncias entre as vigas primárias (montantes), vigas secundárias (vigas Aluma) e os balanços presentes no painel. Na obra, monte o painel exatamente como previsto em projeto. 30

32 Com as reações R 1 e R 2 determinados podemos encontrar a reação na mísula: Verificação das mísulas R A PA R B R C PD SISTEMA TREPANTE R D R A = 68,5 kn R B = 30,8 kn R C = 176,4 kn R D = 41,8 kn P A = 126,8 kn P D = 57,3 kn MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 31

33 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE 8. DESCRIÇÃO DE COMPONENTES Item Código Peso (kg) MM ETM Starter 25,5 Cone de apoio ,5 Cone de posicionamento ,8 Grampo Aluma ,14 Chave do cone de posicionameto ,4 32

34 Item Rabicho com gancho Código MM ETM Peso (kg) ,5 Rabicho com placa ,5 Ligação mísula montante ,0 SISTEMA TREPANTE Mísula trepante ,8 Parfuso Ø ¾ x 2 ¾ cabeça rebaixada ,284 MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 33

35 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE Item Código Peso (kg) MM ETM Plataforma superior ,0 Guarda corpo da mísula ,2 Aprumador ,0 Plataforma inferior ,0 Placa do tirante ,5 34

36 Item Código Peso (kg) MM ETM Içador Aluma ,24 Parafuso Aluma c/ porca e arruela ,083 Ligação aprumador montante ,69 SISTEMA TREPANTE Tirante 0,25 m ,38 0,50 m ,75 0,75 m ,13 1,00 m ,5 1,25 m ,87 1,50 m ,25 1,75 m ,62 2,00 m ,0 2,25 m ,37 2,50 m ,75 2,75 m ,13 3,00 m ,5 MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 35

37 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE Item Viga Aluma 140 MM Código ETM Peso (kg) 1,50 m ,0 1,80 m ,2 2,00 m ,0 2,40 m ,6 3,00 m ,0 3,20 m ,8 3,50 m ,0 3,60 m ,4 4,00 m ,0 4,20 m ,8 4,50 m ,0 4,80 m ,2 5,40 m ,6 6,40 m ,6 Viga Aluma 165 1,50 m ,0 1,80 m ,8 2,00 m ,0 2,40 m ,4 2,50 m ,0 3,00 m ,0 3,60 m ,60 4,20 m ,20 4,80 m ,80 5,40 m ,40 6,40 m ,40 Montante Aluma 1,90 m ,60 m ,00 m ,80 m ,80 m ,4 15,6 18,0 22,8 28,8 36

38 ANOTAÇÕES.

39

40 SISTEMA TREPANTE A Mills Infraestrutura mantém equipes capacitadas a auxiliar no planejamento da obra, detalhamento de projeto, supervisão de montagem e fornecer orientação técnica. A Mills Infraestrutura conta com uma equipe de engenheiros e técnicos especializados que exercem papel consultivo e de apoio ao cumprimento dos cronogramas, otimização de custos e segurança. mills.com.br

ALU-L MANUAL DE UTILIZAÇÃO

ALU-L MANUAL DE UTILIZAÇÃO ALU-L MANUAL DE UTILIZAÇÃO MANUAL DE UTILIZAÇÃO ALU-L EDIÇÃO NOV/2014 Este manual foi produzido no DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Estrada do Guerenguê, 1381

Leia mais

ELITE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

ELITE MANUAL DE UTILIZAÇÃO ELITE MANUAL DE UTILIZAÇÃO MANUAL DE UTILIZAÇÃO ELITE ESTE MANUAL FOI PRODUZIDO NA ENGENHARIA NACIONAL Mills Estruturas e Serviços de Engenharia Ltda. Estrada do Guerenguê, 1381 - Curicica 22713-001 -

Leia mais

built build to LAJES ST100

built build to LAJES ST100 uilt build to LAJES LAJES ST100 Lajes_mesa st110 382 Empresa Projetos Produtos mesa ST110 Mesa para lajes de grande superfície, ideal para a execução em fases repetidas, de lajes de grandes dimensões

Leia mais

Conhecendo o Lumiform. Abre aspas % dos pisos padrões e o console que alcança até dois metros... 1º.Semestre 2017 forma de laje sem pino

Conhecendo o Lumiform. Abre aspas % dos pisos padrões e o console que alcança até dois metros... 1º.Semestre 2017 forma de laje sem pino Conhecendo o Lumiform O Lumiform é um forma totalmente em alumínio para confecção de paredes, lajes, vigas e pilares feitas no local. Geralmente são utilizadas em paredes de 10 cm em casas, sobrados e

Leia mais

built build to ANDAIMES MP

built build to ANDAIMES MP uilt build to ANDAIMES ANDAIMES MP Andaime_Multidirecional MP 150 Empresa Projetos Produtos Andaimes e coberturas ANDAIME Multidirecional MP O sistema multidirecional MP é a solução moderna que reflete

Leia mais

SISTEMA TREPANTE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SISTEMA TREPANTE MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE MANUAL DE UTILIZAÇÃO Versátil Resistência Criatividade MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA TREPANTE EDIÇÃO JUN/2013 ESTE MANUAL FOI PRODUZIDO NO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA Mills Estruturas e

Leia mais

SOLUÇÕES EM ACESSO SEJA QUAL FOR O SEU DESAFIO EM ACESSO, A MILLS TEM A SOLUÇÃO.

SOLUÇÕES EM ACESSO SEJA QUAL FOR O SEU DESAFIO EM ACESSO, A MILLS TEM A SOLUÇÃO. SOLUÇÕES EM ACESSO SEJA QUAL FOR O SEU DESAFIO EM ACESSO, A MILLS TEM A SOLUÇÃO. PLATAFORMA CREMALHEIRA Sistema versátil que permite acesso a fachadas com produtividade e segurança. O equipamento não ocupa

Leia mais

Formas e Escoramentos ECONOMIA, QUALIDADE E SEGURANÇA NOSSO OBJETIVO: ATENDER BEM PARA ATENDER SEMPRE

Formas e Escoramentos ECONOMIA, QUALIDADE E SEGURANÇA NOSSO OBJETIVO: ATENDER BEM PARA ATENDER SEMPRE ECONOMIA, QUALIDADE E SEGURANÇA NOSSO OBJETIVO: ATENDER BEM PARA ATENDER SEMPRE VIGAS H20 Utilizada como viga principal no nosso sistema de escoramento, a Viga H20 é um material de ponta na construção

Leia mais

Aula 2 - Tensão Normal e de Cisalhamento.

Aula 2 - Tensão Normal e de Cisalhamento. Aula 2 - Tensão Normal e de Cisalhamento. A - TENSÃO NORMAL MÉDIA 1. Exemplo 1.17 - A luminária de 80 kg é sustentada por duas hastes, AB e BC, como mostra a figura 1.17a. Se AB tiver diâmetro de 10 mm

Leia mais

built build to FORMAS P300

built build to FORMAS P300 uilt build to FORMAS P300 FORMAS P300 Empresa Projetos Produtos P300 Sistema universal de formas modular, para a execução de estruturas verticais de concreto, apto para qualquer tipo de construção. Os

Leia mais

TS MILLS MANUAL DE UTILIZAÇÃO

TS MILLS MANUAL DE UTILIZAÇÃO TS MILLS MANUAL DE UTILIZAÇÃO MANUAL DE UTILIZAÇÃO TSMILLS ESTE MANUAL FOI PRODUZIDO NA ENGENHARIA NACIONAL Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Estrada do Guerenguê, 1381 - Curicica 22713-001

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS MECÂNICA DOS SÓLIDOS I

LISTA DE EXERCÍCIOS MECÂNICA DOS SÓLIDOS I LISTA DE EXERCÍCIOS MECÂNICA DOS SÓLIDOS I A - Tensão Normal Média 1. Ex. 1.40. O bloco de concreto tem as dimensões mostradas na figura. Se o material falhar quando a tensão normal média atingir 0,840

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM. Médio (25 a 50kg) Gatilho Cinza

MANUAL DE MONTAGEM. Médio (25 a 50kg) Gatilho Cinza Cód.: 1398 MANUAL DE MONTAGEM SS 200 Qual o amortecedor para sua porta? Leve (15 a 25kg) Gatilho Branco Médio (25 a 50kg) Gatilho Cinza Pesado (50 a 80kg) Gatilho Preto Importante: Caso o peso não seja

Leia mais

Gerência de Compra GERÊNCIA DN

Gerência de Compra GERÊNCIA DN 1 1 16/01529 MESA RETA DE 1800X800X740MM (L X P X H) - (CHEFIA) UND 1 MESA RETANGULAR COM ESTRUTURA METÁLICA E TAMPO AMADEIRADO. A ESTRUTURA É AUTOPORTANTE PRODUZIDA EM CHAPA DE AÇO, COMPOSTA POR 2 QUADROS

Leia mais

SUPORT E AIRON CEILING M B SUPORT E AIRON CEILING L B INSTRUÇÕES DE MONTAGEM

SUPORT E AIRON CEILING M B SUPORT E AIRON CEILING L B INSTRUÇÕES DE MONTAGEM SUPORT E AIRON CEILING M B SUPORT E AIRON CEILING L B INSTRUÇÕES DE MONTAGEM Imagens ilustrativas * ATENÇÃO A boa fixação do suporte no teto (quadro e 02) é fundamental para a segurança do conjunto. Assim,

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante

MANUAL DE OPERAÇÃO. Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante MANUAL DE OPERAÇÃO Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante Balancim Individual Manual KTB O Balancim Individual Manual KTB é um equipamento para movimentações verticais realizadas

Leia mais

Normativas Gerais da NR-18

Normativas Gerais da NR-18 Normativas Gerais da NR-18 18.12 - ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS 2 ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS - A transposição de pisos com diferença de nível superior a 40cm deve ser feita por meio de escadas ou rampas.

Leia mais

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO 1) Determinar a tensão normal média de compressão da figura abaixo entre: a) o bloco de madeira de seção 100mm x 120mm e a base de concreto. b) a base de concreto

Leia mais

built build to ANDAIMES COBERTURAS

built build to ANDAIMES COBERTURAS uilt build to ANDAIMES ANDAIMES COBERTURAS Andaime_coberturas 178 Empresa Projetos Produtos Andaimes e coberturas COBERTURAS T74 Building Sistema de coberturas modulares temporárias de duas águas, feitas

Leia mais

built build to ANDAIMES SE

built build to ANDAIMES SE uilt build to ANDAIMES ANDAIMES SE Andaime_Pré fabricado SE 132 Empresa Projetos Produtos Andaimes e coberturas ANDAIME PRÉ FABRICADO SE ANDAIME PRÉ FABRICADO Siguro O andaime pré fabricado SE foi projetado

Leia mais

Professor: José Junio Lopes

Professor: José Junio Lopes Aula 2 - Tensão/Tensão Normal e de Cisalhamento Média; Tensões Admissíveis. A - TENSÃO NORMAL MÉDIA 1. Exemplo 1.17 - A luminária de 80 kg é sustentada por duas hastes, AB e BC, como mostra a Figura 1.17a.

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO MANUAL PFM

MANUAL DE MONTAGEM PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO MANUAL PFM MANUAL DE MONTAGEM PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO MANUAL PFM (REVISÃO-0) SUMÁRIO. COMPONENTES PRINCIPAIS DA PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO MANUAL...PÁG. 0. CARACTERISTICAS GERAIS DA PLATAFORMA PARA

Leia mais

Divisão Construção

Divisão Construção www.mills.com.br Divisão Construção A Mills foi fundada na década de 50 e tem se destacado pela introdução de novas tecnologias nos mercados de construção civil e industrial. Focada em oferecer as mais

Leia mais

E-Book Projetos de Andaimes

E-Book Projetos de Andaimes 2016 E-Book Projetos de Andaimes TIPOS DE ANDAIMES TIPOS DE FIXAÇÃO DE POSTE COM BRAÇADEIRA SOLUÇÕES PARA ESTABILIDADE DO ANDAIME Tipos de Andaimes 1) Andaimes Padrão Torres Simples - (isoladas) São andaimes

Leia mais

SUPORTE DE TETO FIT PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE DE TETO FIT PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE DE TETO FIT PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação no teto. - Para Tv s e monitores Plasma ou LCD com padrão VESA 75x75, 100x100, 200x100 ou 200x200 (HxV) 26 a 40. -

Leia mais

MANUAL TÉCNICO ANDAIME MULTIDIRECIONAL SISTEMA MULTIMAX

MANUAL TÉCNICO ANDAIME MULTIDIRECIONAL SISTEMA MULTIMAX MANUAL TÉCNICO ANDAIME MULTIDIRECIONAL SISTEMA MULTIMAX Andaime Multidirecional...03 Instruções de Montagem...04 Componentes do Sistema...06 Informações Técnicas...08 Modos e Pontos de Ancoragem...09 Dicas

Leia mais

PRENSA PARA ESTÊNCIL A TINTA

PRENSA PARA ESTÊNCIL A TINTA MANUAL PARA A FABRICAÇÃO DE UMA PRENSA PARA ESTÊNCIL A TINTA Vivaldo Armelin Júnior 2006 Todos os direitos Reservados e pertencentes ao Portal ArteEducar. Proibido qualquer uso que não seja em sala de

Leia mais

file://///sb-arquivos/projetos/projetos_2016_ii/corporativo/a_/andra...

file://///sb-arquivos/projetos/projetos_2016_ii/corporativo/a_/andra... file://///sb-arquivos/projetos/projetos_2016_ii/corporativo/a_/andra... Peso Estimado [ton] QUANTIDADES ESTIMADAS Código 580526000 588631000 586137000 588250000 586135000 581966000 588153400 588403000

Leia mais

DE TETO PARA PLASMA/LCD

DE TETO PARA PLASMA/LCD SUPORTE ARTICULÁVEL DE TETO PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação no teto. - Articulações que permitem diversas combinações de movimentos laterais e angulares para baixo. -

Leia mais

SUPORTE AIRON WALL MF 100

SUPORTE AIRON WALL MF 100 SUPORTE AIRON WALL MF 100 INSTRUÇÕES DE MONTAGEM Imagens Ilustrativas www.aironflex.com INSTRUÇÕES DE MONTAGEM 05 07 03 05 06 Componentes - Haste do Tv - Distanciador Regulável 03 - Trava de Segurança

Leia mais

Professor: José Junio Lopes

Professor: José Junio Lopes Lista de Exercício Aula 3 TENSÃO E DEFORMAÇÃO A - DEFORMAÇÃO NORMAL 1 - Ex 2.3. - A barra rígida é sustentada por um pino em A e pelos cabos BD e CE. Se a carga P aplicada à viga provocar um deslocamento

Leia mais

Andaime móvel de segurança Alumínio plettac AluStar 140. Manual de montagem e utilização Edição: novembro de 2007

Andaime móvel de segurança Alumínio plettac AluStar 140. Manual de montagem e utilização Edição: novembro de 2007 Andaime móvel de segurança Alumínio plettac AluStar 14 Edição: novembro de 27 ALTRAD plettac assco GmbH plettac Platz 1 5884 Plettenberg / Alemanha Certificado de comprovação do Sindicato de Construtores

Leia mais

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO

TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO TENSÃO NORMAL e TENSÃO DE CISALHAMENTO 1) Determinar a tensão normal média de compressão da figura abaixo entre: a) o bloco de madeira de seção 100mm x 120mm e a base de concreto. b) a base de concreto

Leia mais

Andaime móvel de segurança Alumínio plettac AluStar 80. Manual de montagem e utilização Edição: novembro de 2007

Andaime móvel de segurança Alumínio plettac AluStar 80. Manual de montagem e utilização Edição: novembro de 2007 Andaime móvel de segurança Alumínio plettac AluStar 80 Edição: novembro de 2007 Certificado de comprovação do Sindicato de Construtores BAU 07103 Segurança Comprovada Seguro obrigatório alemão contra acidentes

Leia mais

Manual de montagem Sistema de envidraçamento de Sacada

Manual de montagem Sistema de envidraçamento de Sacada Manual de montagem Sistema de envidraçamento de Sacada Envidraçamento de Sacada NBR -16259 Envidraçamento de Sacada NBR -16259 Envidraçamento de Sacada NBR -16259 Informações Técnicas Perfis Utilizados

Leia mais

Ferragens Ferragens Ferragens

Ferragens Ferragens Ferragens Catálogo de Produtos Ferragens Apoio Sistema para Estantes Trilhos Regulável Permite regular a altura entre as prateleiras a cada 3 cm, sem desencaixar o suporte do trilho. Suportes para Trilhos Excelente

Leia mais

Guia Prático de Instalação Completo Forros Nexacustic. Revisão: 2

Guia Prático de Instalação Completo Forros Nexacustic. Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Completo Forros Nexacustic Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Forros Nexacustic Cuidados Iniciais Cuidados iniciais: Os forros Nexacustic foram desenvolvidos para aplicação

Leia mais

Yep. Console 60/80/100 com 1 Gaveta Aramada - 57cm. Partes do Produto. Componentes

Yep. Console 60/80/100 com 1 Gaveta Aramada - 57cm. Partes do Produto. Componentes Yep Partes do Produto Console 60/80/00 com Gaveta Aramada - 57cm Tampo Vendido Separadamente Frentes de Gaveta Vendida Separadamente - Lateral Direita/Esquerda (x) 3- Corrediça Telescópica (x) - Base (x)

Leia mais

3 PROGRAMA EXPERIMENTAL

3 PROGRAMA EXPERIMENTAL 3 PROGRAMA EXPERIMENTAL 3.1.Características dos modelos ensaiados 3.1.1.Parâmetros e variáveis A Figura 3.1 apresenta as características geométricas dos espécimes. Figura 3.1 Características geométricas

Leia mais

Exercícios de Resistência dos Materiais A - Área 3

Exercícios de Resistência dos Materiais A - Área 3 1) Os suportes apóiam a vigota uniformemente; supõe-se que os quatro pregos em cada suporte transmitem uma intensidade igual de carga. Determine o menor diâmetro dos pregos em A e B se a tensão de cisalhamento

Leia mais

Paredes de concreto. Passo 1. O nivelamento preciso da fundação, neste caso em radier, assegura a montagem correta do sistema de fôrmas.

Paredes de concreto. Passo 1. O nivelamento preciso da fundação, neste caso em radier, assegura a montagem correta do sistema de fôrmas. Paredes de concreto Sistema, assim como a produtividade, está associado a uso de concreto autoadensável, que não exige vibração. Veja como fazer montagem e desmontagem das fôrmas, bem como o lançamento

Leia mais

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE ARTICULÁVEL DE PAREDE PARA PLASMA/LCD/LED MEDIUM 3A MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Fixação na parede. - Para Tv s e monitores Plasma ou LCD - até 46. - Para Tv s e monitores LED até

Leia mais

Guia Prático de Instalação Revestimentos Nexacustic. Revisão: 1

Guia Prático de Instalação Revestimentos Nexacustic. Revisão: 1 Guia Prático de Instalação Revestimentos Nexacustic Revisão: 1 Guia Prático de Instalação Nexacustic Cuidados Iniciais Cuidados iniciais: Os produtos Nexacustic foram desenvolvidos para aplicação em ambientes

Leia mais

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO

4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4. DIMENSIONAMENTO DE ESCADAS EM CONCRETO ARMADO 4.1 Escada com vãos paralelos O tipo mais usual de escada em concreto armado tem como elemento resistente uma laje armada em uma só direção (longitudinalmente),

Leia mais

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2

ESCORAMENTO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 MÓDULO ESCORAMENTO 5 MOS ESPECIFICAÇÕES REVISÃO 2 PÁGINA 1/9 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 0501 ESCORAMENTO DE MADEIRA... 2 0502 ESCORAMENTO METÁLICO...

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO PROPRIETÁRIO: Município de Três Arroios OBRA: Pavilhão em concreto armado, coberto com estrutura metálica, destinado a Ginásio de Esportes (1ª etapa) LOCAL: Parte do lote

Leia mais

SISTEMA DE FÔRMA COM REFIL PARA EXECUÇÃO DE LAJE NERVURADA (SISTEMA PATENTEADO)

SISTEMA DE FÔRMA COM REFIL PARA EXECUÇÃO DE LAJE NERVURADA (SISTEMA PATENTEADO) SISTEMA DE FÔRMA COM REFIL PARA EXECUÇÃO DE LAJE NERVURADA 1. INTRUDUÇÃO (SISTEMA PATENTEADO) A presente invenção é um sistema de fôrma utilizada para execução de laje nervurada montada sobre tablado ou

Leia mais

SISTEMA FACHADEIRO TS MANUAL DE MONTAGEM

SISTEMA FACHADEIRO TS MANUAL DE MONTAGEM SISTEMA FACHADEIRO TS MANUAL DE MONTAGEM MANUAL DE montagem SISTEMA Fachadeiro TS ESTE MANUAL FOI PRODUZIDO NA ENGENHARIA NACIONAL Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. Estrada do Guerenguê, 1381

Leia mais

PROCEDIMENTO DE APLICAÇÃO DA FITA (SGT) VHB 4972 Structural Glazing

PROCEDIMENTO DE APLICAÇÃO DA FITA (SGT) VHB 4972 Structural Glazing PROCEDIMENTO DE APLICAÇÃO DA FITA (SGT) VHB 4972 Structural Glazing Requisitos para termo de garantia 3M O termo de garantia de 20 anos da fita VHB-4972 somente é emitido após vistoria da obra, com agendamento

Leia mais

Realização: Características de projeto, sistemas construtivos e execução da estrutura do Shopping Cidade São Paulo e Torre Matarazzo

Realização: Características de projeto, sistemas construtivos e execução da estrutura do Shopping Cidade São Paulo e Torre Matarazzo Realização: 2014 Características de projeto, sistemas construtivos e execução da estrutura do Shopping Cidade São Paulo e Torre Matarazzo Luiz Antonio Nascimento Maria Diretor da Método Engenharia Caracteristicas

Leia mais

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS

ELEVADORES MECAN PARA MATERIAIS OU PASSAGEIROS ELEVADOR UM SISTEMA MECAN DE ELEVADOR E CABINA FECHADA OU SEMIFECHADA PARA O TRANSPORTE DE PASSAGEIROS OU MATERIAIS EM CANTEIRO DE OBRAS EQUIPADO COM FREIO DE SEGURANÇA AUTOMÁTICO E MANUAL TIPO CUNHA ELEVADORES

Leia mais

COLOCAÇÃO DE JANELA DE CORRER

COLOCAÇÃO DE JANELA DE CORRER COLOCAÇÃO DE JANELA DE CORRER PASSO 01 O primeiro passo é tirar as medidas do vão em quatro pontos, sendo dois na horizontal e dois na vertical. Em seguida, adquirir o kit-instalação Alclean na medida

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos A TORCISÃO A Torcisão foi fundada em 1968, iniciando suas atividades na fabricação de peças para a indústria automobilística. Em 2006, o grupo se expandiu e fundou

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ELEMENTOS FINITOS PARA ANÁLISE DE ESTRUTURAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ELEMENTOS FINITOS PARA ANÁLISE DE ESTRUTURAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ELEMENTOS FINITOS PARA ANÁLISE DE ESTRUTURAS Trabalho Final Grupo: Carlos Alexandre Campos Miranda Diego Franca

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa.

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais. Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa. Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais Cálculo Estrutural EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons Objetivo: Projeto e dimensionamento de estruturas estáticas ou dinâmicas

Leia mais

110 o uso do aço na arquitetura

110 o uso do aço na arquitetura 110 o uso do aço na arquitetura 10 objetivo: compreender o funcionamento estrutural do edifício e fornecer alternativas para seu bom desempenho estrutural 111 edifícios de andares múltiplos: Conceito relativo

Leia mais

PROCEDIMENTO DE EXECUÇÃO

PROCEDIMENTO DE EXECUÇÃO Ferramentas utilizadas PROCEDIMENTO DE EXECUÇÃO Furadeira Parafusadeira Serrote Estilete Escada Linha de marcar Nível a laser / mangueira de nível Trena metálica Lápis de carpinteiro Martelo Tesoura para

Leia mais

web CurSo 2015 InStALAção DE ProDutoS EConomIzADorES DE ÁguA ACESSIBILIDADE

web CurSo 2015 InStALAção DE ProDutoS EConomIzADorES DE ÁguA ACESSIBILIDADE web curso 2015 Instalação de Produtos Economizadores de Água ACESSIBILIDADE A Linha Benefit da Docol possui produtos adequados a pessoas com dificuldades de locomoção, deficientes físicos e crianças. Os

Leia mais

Yep. Balcão Inferior Lava-Louças 60-53cm Balcão Inferior Lava-Louças 60-57cm. Partes do Produto. Componentes

Yep. Balcão Inferior Lava-Louças 60-53cm Balcão Inferior Lava-Louças 60-57cm. Partes do Produto. Componentes Yep Partes do Produto Balcão Inferior Lava-Louças 60-53cm Balcão Inferior Lava-Louças 60-57cm Tampo Vendido Separadamente - Lateral Direita/Esquerda (x) - Base (x) 3- Travessa (x) 4- Traseiro (x) 5- Fechamento

Leia mais

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS

ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS Universidade Federal de Ouro Preto - Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV620-Construções de Concreto Armado ESTRUTURAS DE FUNDAÇÕES RASAS Profa. Rovadávia Aline Jesus Ribas Ouro Preto,

Leia mais

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA. Módulo

Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA. Módulo Curso de Dimensionamento de Estruturas de Aço Ligações em Aço EAD - CBCA Módulo 3 Sumário Módulo 3 Dimensionamento das vigas a flexão 3.1 Dimensionamento de vigas de Perfil I isolado página 3 3.2 Dimensionamento

Leia mais

SISTEMA DE VENTILAÇÃO MÍNIMA (INLET TETO)

SISTEMA DE VENTILAÇÃO MÍNIMA (INLET TETO) MANUAL DE INSTALAÇÃO SISTEMA DE VENTILAÇÃO MÍNIMA (INLET TETO) REV.01-01/2015-MI0100P 0 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 IMPORTANTE... 3 SEGURANÇA... 3 JANELA VENTILAÇÃO DE TETO... 4 Instruções de instalação...

Leia mais

AVALIAÇÃO DE RISCOS VERIFICAÇÕES DIÁRIAS

AVALIAÇÃO DE RISCOS VERIFICAÇÕES DIÁRIAS AVALIAÇÃO DE RISCOS Antes da montagem da Torre, é importante efetuar uma avaliação dos riscos. Deverá ser efetuada por um colaborador credênciado para o efeito. Para apoio à avaliação, evidenciamos alguns

Leia mais

arquitetura e expografia

arquitetura e expografia METRO arquitetura e expografia masp 14.40m 2 o 8.40m 1 o 0.00m T 1SS -5.10m 2SS -9.95m CORTE TRANSVERSAL TRANSVERSAL SECTION ESCALA SCALE // 1:300 2 o 1 o T 1SS 2SS 2 O PAVIMENTO 2 ND FLOOR

Leia mais

ENG1200 Mecânica Geral Semestre Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos

ENG1200 Mecânica Geral Semestre Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos ENG1200 Mecânica Geral Semestre 2013.2 Lista de Exercícios 6 Corpos Submersos 1 Prova P3 2013.1 - O corpo submerso da figura abaixo tem 1m de comprimento perpendicularmente ao plano do papel e é formado

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM MAN UAL DE UTILIZACAO E DE MONTAGEM CONFORME NORMA EUROPEIA: NEN-EN1004/1298. Página1

MANUAL DE MONTAGEM MAN UAL DE UTILIZACAO E DE MONTAGEM CONFORME NORMA EUROPEIA: NEN-EN1004/1298. Página1 Página1 MANUAL DE MONTAGEM MAN UAL DE UTILIZACAO E DE MONTAGEM CONFORME NORMA EUROPEIA: NEN-EN1004/1298 Página2 Colocar as rodas nos bastidores os horizontais e o horizontal / diagonal Levantar o bastidor,

Leia mais

3. Descrição dos Testes Experimentais

3. Descrição dos Testes Experimentais 36 3. Descrição dos Testes Experimentais Neste capítulo serão descritos todos os testes experimentais realizados. 3.1. Considerações Iniciais O sistema estrutural construído consiste em uma laje mista

Leia mais

VERSATILIDADE PARA EDIFÍCIOS COMERCIAIS

VERSATILIDADE PARA EDIFÍCIOS COMERCIAIS Catálogo Técnico VERSATILIDADE PARA EDIFÍCIOS COMERCIAIS Perfis extrudados nas ligas 6060-T5 ou 6005A-T5, conforme solicitação de esforços de cada região. Guarnições vulcanizadas ajudam no equilíbrio das

Leia mais

título: alteração na base das unidades condensadoras da família splitão

título: alteração na base das unidades condensadoras da família splitão Página 01/06 título: alteração na base das unidades condensadoras da família splitão SUMÁRIO: Este Boletim Técnico visa informar a alteração na base das unidades condensadoras da família Splitão (Fixo/Inverter).

Leia mais

Manual do Usuário. Antena Parabólica Vazada 806 a 960MHz - 18,5dBi. Este manual aplica- se somente ao produto que o acompanha

Manual do Usuário. Antena Parabólica Vazada 806 a 960MHz - 18,5dBi. Este manual aplica- se somente ao produto que o acompanha ANTENA PARABÓLICA Manual do Usuário Cód: ANT060002 Antena Parabólica Vazada 806 a 960MHz - 18,5dBi Este manual aplica- se somente ao produto que o acompanha VHT Fab. e Com. de Equip. de Telecomunicação

Leia mais

FECHAMENTO DE SHAFT SISTEMA ECONÔMICO E PRÁTICO DE PAINÉIS REMOVÍVEIS. SOLUÇÕES QUE MULTIPLICAM OS ESPAÇOS

FECHAMENTO DE SHAFT SISTEMA ECONÔMICO E PRÁTICO DE PAINÉIS REMOVÍVEIS. SOLUÇÕES QUE MULTIPLICAM OS ESPAÇOS FECHAMENTO DE SHAFT SISTEMA ECONÔMICO E PRÁTICO DE PAINÉIS REMOVÍVEIS. SOLUÇÕES QUE MULTIPLICAM OS ESPAÇOS DETALHES DO SISTEMA FECHAMENTO DE SHAFT MÓDULO ALTO COM TRAVESSA MÓDULO BAIXO SEM TRAVESSA PAINÉL

Leia mais

MEGANT. Ligador não aparente removível Chapa tridimensional furada em liga de alumínio MEGANT - 01 GAMA COMPLETA POTENTE ÚNICO UNIVERSAL

MEGANT. Ligador não aparente removível Chapa tridimensional furada em liga de alumínio MEGANT - 01 GAMA COMPLETA POTENTE ÚNICO UNIVERSAL MEGANT Ligador não aparente removível Chapa tridimensional furada em liga de alumínio GAMA COMPLETA Disponível em 9 variações, satisfaz de modo eficaz quaisquer exigências de carga CAMPOS DE EMPREGO Junções

Leia mais

A caixa-d água de polietileno polivalente da Eternit.

A caixa-d água de polietileno polivalente da Eternit. A caixa-d água de polietileno polivalente da Eternit. As caixas-d'água de polietileno Eternit são de alta densidade e grande resistência, produzidas pelo processo de rotomoldagem totalmente mecanizado,

Leia mais

Exercícios de cargas axiais em barras rígidas - prof. Valério SA Universidade de São Paulo - USP

Exercícios de cargas axiais em barras rígidas - prof. Valério SA Universidade de São Paulo - USP São Paulo, dezembro de 015. 1. A barra rígida AC representa um muro de contenção de terra. Ela está apoiada em A e conectada ao tirante flexível BD em D. Esse tirante possui comprimento de 4 metros e módulo

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS 9 LIGAÇÕES parte 2

ESTRUTURAS METÁLICAS 9 LIGAÇÕES parte 2 PUC Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Civil ESTRUTURAS METÁLICAS 9 LIGAÇÕES parte 2 Professor: Juliano Geraldo Ribeiro Neto, MSc. Goiânia, junho de 2016. 9.5 CONDIÇÕES

Leia mais

SUPORTE DE TETO UNIVERSAL NEW EASY PARA PROJETOR

SUPORTE DE TETO UNIVERSAL NEW EASY PARA PROJETOR SUPORTE DE TETO UNIVERSAL NEW EASY PARA PROJETOR MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Compatível com diversos modelos de projetor. - Fixação no teto. - Produzido em aço. - Hastes móveis para ajuste

Leia mais

Central de Atendimento

Central de Atendimento www.acoplation.com.br Central de Atendimento 0800 212 8000 www.acoplation.com.br SOBRE O GRUPO O Grupo Acoplation oferece soluções em Engenharia de Acesso. Hoje é reconhecido no mercado pela vasta experiência

Leia mais

Fichas Técnicas de Produto. Linha Duraline

Fichas Técnicas de Produto. Linha Duraline Fichas Técnicas de Produto Estante Dupla Face Base Aberta 10 prateleiras 2M Imagem de Referência Descritivo Técnico Completo Estante face dupla totalmente confeccionada em chapas de aço de baixo teor de

Leia mais

SUPORTE DE PAREDE ARM PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SUPORTE DE PAREDE ARM PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO SUPORTE DE PAREDE ARM PARA PLASMA/LCD MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Disponível em dois modelos: Com Braço Fixo que distancia da parede. Peso líquido: 4,3 kg. Com Braço Articulável que distancia

Leia mais

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro.

Norma Regulamentadora NR 18 e Manual da Fundacentro. Aberturas em pisos e paredes. Revisão: 00 Folha: 1 de 5 1. Objetivo Assegurar que todos os canteiros de obras efetuem a montagem e a colocação das proteções de acordo com as especificações da NR -18 e

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: SUNNY, SUNNY CONTR FHARO Obrigado por adquirir o. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o em local seguro para consultas

Leia mais

Manual de Instalação e Manutenção. Torniquete Hexa. revisão: 6 data de atualização:16/01/09

Manual de Instalação e Manutenção. Torniquete Hexa. revisão: 6 data de atualização:16/01/09 Manual de Instalação e Manutenção Torniquete Hexa revisão: 6 data de atualização:16/01/09 Índice 1 - Apresentação pg.03 2 - Dimensões principais e vão livre para manutenção pg.04 3.1. Identificação dos

Leia mais

MANUAL DA CONCRETAGEM

MANUAL DA CONCRETAGEM O planejamento da concretagem é um conjunto de medidas a serem tomadas antes do lançamento do concreto para assegurar a qualidade da peça concretada. Este manual tem a finalidade de servir como um check

Leia mais

SUPORTE AIRON WALL L A 400

SUPORTE AIRON WALL L A 400 SUPORTE IRON WLL L 400 INSTRUÇÕES DE MONTGEM Imagens ilustrativas www.aironflex.com viso Importante montagem correta é de essencial importância e a IRONFLEX não se responsabiliza pela mesma. Os materiais

Leia mais

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS Serão construídos dois suportes, um para a bobina transmissora, o qual será fixado na barra do detector de metal em posição vertical e outro, para a bobina receptora

Leia mais

Tecnologia da Construção Civil - I Estruturas de concreto. Roberto dos Santos Monteiro

Tecnologia da Construção Civil - I Estruturas de concreto. Roberto dos Santos Monteiro Tecnologia da Construção Civil - I Estruturas de concreto Estruturas de concreto As estruturas das edificações, sejam eles de um ou vários pavimentos, são constituídas por diversos elementos cuja finalidade

Leia mais

SUPORTE MÓVEL PARA PROJETOR, DVD OU NOTEBOOK

SUPORTE MÓVEL PARA PROJETOR, DVD OU NOTEBOOK SUPORTE MÓVEL PARA PROJETOR, DVD OU NOTEBOOK MANUAL DE UTILIZAÇÃO 1 Características: - Deslocamento através de rodízios. - Ajustes para diferentes tamanhos de equipamentos. - Base para a utilização de

Leia mais

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Apresentação Fundada no ano de 000, a TEMEC Terra Maquinas Equipamentos e Construções LTDA é uma empresa especializada no fornecimento de Soluções de Engenharia

Leia mais

ANDAIME MULTIDIRECIONAL MECANFLEX

ANDAIME MULTIDIRECIONAL MECANFLEX ANDAIME MULTIDIRECIONAL MECANFLEX ADAPTÁVEL A DIVERSAS APLICAÇÕES E FORMATOS, ENCAIXE E ACLOPAGEM RÁPIDA E AUTOMÁTICA. ANDAIME MULTIDIRECIONAL MECANFLEX Andaime Multidirecional Mecanflex: Andaime O Multidirecional

Leia mais

MEMORIAL DE CÁLCULO / 1-0 MINI GRUA MODELO RG MG 500.1

MEMORIAL DE CÁLCULO / 1-0 MINI GRUA MODELO RG MG 500.1 MEMORIAL DE CÁLCULO 060513 / 1-0 MINI GRUA MODELO RG MG 500.1 FABRICANTE: Metalúrgica Rodolfo Glaus Ltda ENDEREÇO: Av. Torquato Severo, 262 Bairro Anchieta 90200 210 Porto alegre - RS TELEFONE: ( 51 )

Leia mais

built build to FORMAS SISTEMAS TREPANTES CONTRA-TERRA APLICAÇÕES ESPECIAIS

built build to FORMAS SISTEMAS TREPANTES CONTRA-TERRA APLICAÇÕES ESPECIAIS uilt build to FORMAS FORMAS SISTEMAS TREPANTES CONTRA-TERRA APLICAÇÕES ESPECIAIS Empresa Projetos Produtos sistemas trepantes SUPORTES DE PLATAFORMA TREPANTES para concretagem em alturas elevadas, sem

Leia mais

SEMEADEIRA MANUAL INSTRUÇÕES DO OPERADOR

SEMEADEIRA MANUAL INSTRUÇÕES DO OPERADOR R SEMEADEIRA MANUAL INSTRUÇÕES DO OPERADOR INDÚSTRIA MECÂNICA KNAPIK LTDA Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 Bairro Santa Rosa 89.400-000 Porto União - SC Telefone (42)3522-2789 - 3522-1819 E-mail: vendas@knapik.com.br,

Leia mais

CATÁLOGO Network, Datacom e Telecom

CATÁLOGO Network, Datacom e Telecom CATÁLOGO Network, Datacom e Telecom ACESSÓRIOS EF Porta de aço standard / bipartida adicional avulsa Bipartida adicional avulsa SS 3160 SS 3180 SS 3860 SS 3880 SS 3060 SS 3080 SS 3260 SS 3280 SS 3160 A

Leia mais

GUILHOTINA SEMI-INDUSTRIAL 51cm Manual de Instruções Conheça em detalhes, neste site, toda, a linha de produtos Lassane

GUILHOTINA SEMI-INDUSTRIAL 51cm Manual de Instruções Conheça em detalhes, neste site, toda, a linha de produtos Lassane Manual de Instruções GUILHOTINA SEMI-INDUSTRIAL 51cm DIMENSÕES: Área de Corte: 510mm Mesa: 655 x 710 mm Altura: 470 mm Peso: 37kg www.lassane.com.br Conheça em detalhes, neste site, toda, a linha de produtos

Leia mais

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS

FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS FIXADORES PARA ESTRUTURAS METÁLICAS LINHA ASTM A325 TIPO 1 São fixadores específicos de alta resistência, empregados em ligações parafusadas estruturais e indicados em montagens de maior responsabilidade.

Leia mais

Manual de Instalação - Defletor de Ar Mercedes-Benz Sprinter 2013

Manual de Instalação - Defletor de Ar Mercedes-Benz Sprinter 2013 Manual de Instalação - Defletor de Ar Mercedes-Benz Sprinter 2013 Aprenda passo-a-passo como instalar o defletor de ar Rodoplast para o chassi-cabine Sprinter da Mercedes-Benz fabricados a partir do ano

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT.

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT. EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG NÚMERO: 132008 DESENHO: DT- 494/7 EMISSÃO: MARÇO/2013 VALIDADE: MARÇO/2015 REVOGA: 082104 REVOGA

Leia mais

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2

Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux. Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Completo Forro NexaLux Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Nexacustic Cuidados Iniciais Cuidados iniciais: Os produtos Nexacustic foram desenvolvidos para aplicação em ambientes

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CONCRETO PROTENDIDO

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CONCRETO PROTENDIDO NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CONCRETO PROTENDIDO Por Guilherme Laini L2 Projeto Estrutural Para entender melhor o que é o concreto protendido, vamos repassar alguns conceitos básicos sobre as estruturas de edificações.

Leia mais

título: alteração na base das unidades condensadoras da família splitão e chiller

título: alteração na base das unidades condensadoras da família splitão e chiller Página 01/07 título: alteração na base das unidades condensadoras da família splitão e chiller SUMÁRIO: Este Boletim Técnico visa informar a alteração na base das unidades condensadoras da família Splitão

Leia mais