Alficlean 138 Produto sólido fracamente emulsionante, de aplicação universal; tempo de retenção elevado (tempo de vida do banho).

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alficlean 138 Produto sólido fracamente emulsionante, de aplicação universal; tempo de retenção elevado (tempo de vida do banho)."

Transcrição

1 Ciclo de Tratamento Desengordurantes alcalinos Aroclean 4117 Desengordurante em pó fracamente alcalino, com tensioactivos, isento de silicatos. Aplicação: desengorduramento por imersão de alumínio e suas ligas. - produto ecológico - concebido para remoção de pastas de polir - não emulsionante, para aumentar o tempo de vida do banho - concentração de trabalho: g/l - temperatura de trabalho: ºC. Aroclean 4102 Desengordurante em pó fracamente alcalino, com tensioactivos de baixa temperatura, isento de silicatos. Aplicação: desengorduramento por imersão de alumínio e suas ligas. - não emulsionante, para aumentar o tempo de vida do banho - concentração de trabalho: g/l - temperatura de trabalho: ºC. Aroclean 4101 Desengordurante em pó fracamente alcalino, com tensioactivos. Aplicação: desengorduramento por imersão de alumínio e suas ligas. - concebido para remoção de pastas de polir - emulsionante - concentração de trabalho: g/l - temperatura de trabalho: ºC. Alficlean 138 Produto sólido fracamente emulsionante, de aplicação universal; tempo de retenção elevado (tempo de vida do banho). Alficlean 145 Desengordurante sólido para alumínio, não emulsionante, com uma larga gama de aplicações. Alficlean 154/2 Desengordurante líquido fracamente emulsionante e ecológico; pode ser doseado automaticamente, de fácil manuseamento. Desengordurantes ácidos Alfideox 72 / Alfisid 16/3 Desengordurante líquido não emulsionante, de dois componentes, à base de ácido fosfórico; especialmente desenvolvido para o pré-tratamento prévio ao polimento químico e pré-

2 tratamento de ligas de fundição. Decapagem alcalina Arosatin 4401 Aditivo líquido inibidor de formação de lama e pedra, para banhos de decapagem alcalina. Alfinal 204 Produto sólido para acetinagem / decapagem alcalina (E0), com inibidor de formação de lama e pedra. Alfinal 241 Aditivo líquido para preparação de banhos para limpeza de matrizes. Steinex 22 Aditivo líquido inibidor de formação de lama e pedra, para banhos de decapagem alcalina (E0). Acetinagem alcalina Arosatin 4420 Aditivo líquido para banhos de acetinagem de longa duração, com alto teor em alumínio dissolvido até 200 g/l. Acabamento mate. Arosatin 4430 Aditivo líquido para banhos de acetinagem de longa duração, com teor em alumínio dissolvido até 150 g/l. Acetinado de grão fino, mesmo em presença de iões zinco. Alfisatin 339/1 Aditivo líquido para banhos de acetinagem de longa duração, isento de cloratos; excelentes propriedades de escorrimento das cargas e baixa formação de espuma. Alfisatin 345 Aditivo pronto a usar, com Soda Cáustica, para banhos de acetinagem de longa duração, com as mesmas propriedades do Alfisatin 339/1. Neutralização Arodeox 4001 Aditivo líquido para banhos de neutralização à base de ácido sulfúrico. Não é necessária lavagem entre a Neutralização e a Anodização. Arodeox 4005

3 Aditivo líquido para banhos de neutralização à base de ácido sulfúrico. É necessária lavagem entre a Neutralização e a Anodização. Alfideox 75 Aditivo líquido ecológico para banhos de desoxidação à base de ácido sulfúrico; a preparação de banhos de desoxidação/neutralização novos, é feita com banhos de anodização velhos com alto teor em alumínio. Alfideox 79 Aditivo sólido para banhos de desoxidação à base de ácido nítrico; especialmente indicado para a remoção de elementos da liga, tais como cobre e chumbo. Polimento químico Alfiflex 403 Produto principal para banhos de polimento químico, com acabamento de alto brilho. Alfflex 410 Novo processo de polimento químico, com grau de acetinagem reduzido. Alfiflex 450 Banho de polimento químico acetinado; isento de ácido nítrico e cromatos. Alfiflex 451 Aditivo líquido para preparação e manutenção de banhos de polimento químico acetinado. Polimento electrolítico Alfiflex 490 Banho para polimento electrolítico, pronto a usar; isento de cromatos. Aditivos para banhos de anodização Alfinox 502 Aditivo para banhos de anodização, para trabalhar com uma larga gama de valores de temperatura e densidade de corrente; pode ser utilizado até 35 ºC. Alfinox 510 Novo aditivo para banhos de anodização; permite a obtenção de camadas anódicas com maior dureza e menor sensibilidade à temperatura, assim como maior penetração dos processos de coloração.

4 Colorações inorgânicas Coloração ouro Oxalato de ferro amoniacal Coloração bronze Acetato de cobalto Permanganato de potássio Alficolor Gold 602 Corante líquido, para coloração ouro, muito estabilizado e tamponado; longo tempo de retenção, de fácil manutenção através do controlo da concentração e do valor de ph. Alficolor Gold 604 Corante em pó, para coloração ouro, muito estabilizado e tamponado; longo tempo de retenção, de fácil manutenção através do controlo da concentração e do valor de ph, insensível à proliferação de germes. Produtos orgânicos para coloração Alficolor Schwarz 612 Corante orgânico em pó, para coloração preta, com grande resistência à descoloração e ao desgaste; corante especial para material de interiores e exteriores. Coloração electrolítica Arocolor 4270 Produto líquido completo, composto por Sulfato de Estanho (II), agentes complexantes e antioxidantes, para coloração electrolítica de alumínio anodizado. Teor em Sulfato de Estanho (II): ± 224 g/l. Arocolor 4271 Produto líquido completo, composto por Sulfato de Estanho (II), agentes complexantes e antioxidantes, para coloração electrolítica de alumínio anodizado. Teor em Sulfato de Estanho (II): ± 200 g/l. Arocolor 4250 AD Aditivo líquido estabilizador, com agentes complexantes e antioxidantes, para coloração electrolítica de alumínio anodizado. Caracteriza-se por conferir ao processo de coloração, elevada estabilidade, excelente poder de penetração e boa reprodutibilidade das tonalidades pretendidas. Não contém substâncias perigosas para os efluentes. Arocolor 4230 SN Solução aquosa estabilizada de Sulfato de Estanho (II), para banhos de coloração electrolítica de alumínio anodizado. Sulfato de Estanho (II) cristalino Sulfato de Estanho (II) em pó, para banhos de coloração electrolítica de alumínio anodizado. Alficolor 606 Concentrado pronto a usar para coloração ouro, electrolítica.

5 Alficolor 677 Concentrado líquido pronto a usar (produto completo composto por SnSO4 + estabilizador) para processos de coloração à base de estanho, em duas fases (corrente alterna). Alficolor 697 Aditivo líquido estabilizador ecológico, para processos de coloração à base de estanho, em duas fases (corrente alterna). Alficolor 699 Aditivo líquido estabilizador ecológico, para processos de coloração à base de estanho, em duas fases (corrente alterna); caracterizado por um excelente poder de penetração, alta estabilidade e boa reprodutibilidade. Colmatagem Aroseal 4310 Produto líquido para colmatagem de alumínio anodizado, com boa estabilização (tamponamento) e tempo de vida elevado. - utilização com água desmineralizada (isenta de silicatos e fosfatos) - tempo de colmatagem: 2 3 min/µm de camada anódica - baixo consumo. Aroseal 4320 / Aroseal 4321 Processo líquido de dois componentes, para selagem a frio de alumínio anodizado. - fácil manutenção - elevado tempo de vida do banho (> 2 anos) - tempo de selagem: 0,8 1,2 min/µm de camada anódica - tonalidade do material selado a frio igual à do material colmatado - baixos consumos. Alfiseal 918 Banho de pré-colmatagem; isento de metais pesados. Alfiseal 931 Aditivo líquido de colmatagem, para águas isentas de cálcio e silicatos. Alfiseal 959 Aditivo líquido de colmatagem com boa estabilização (tamponamento) e tempo de retenção elevado; para utilização com água desmineralizada. Alfiseal 972 Aditivo líquido de colmatagem com boas propriedades de sedimentação e estabilização (tamponamento), e tempo de retenção elevado; para utilização com água desmineralizada. Alfiseal 986/987 Processo líquido de selagem a frio de dois componentes; fácil manutenção.

6

7 << voltar

Tratamento de superfícies metálicas

Tratamento de superfícies metálicas Tratamento de superfícies metálicas Melhorar as propriedades de proteção das superfícies metálicas, promover novas características funcionais para favorecer tratamentos posteriores ou proporcionar um acabamento

Leia mais

LL-SAL DE SELAGEM NF

LL-SAL DE SELAGEM NF Patentes: Italiana, Européia, USA, Canadá e México. DESCRIÇÃO O produto permite a selagem da camada anódica do Alumínio Anodizado e suas ligas, operando num intervalo de temperatura de 26 ºC a 30 ºC. A

Leia mais

Anodização e Coloração do Alumínio

Anodização e Coloração do Alumínio Anodização e Coloração do Alumínio CPA Corantes e Produtos Químicos para Anodização de Aluminio Ministrante: João Ricardo Baptista 1 1980 Fundação: Comércio Paulista de Anilinas Corantes e produtos químicos

Leia mais

Workshop. Alumínio 100% a Favor

Workshop. Alumínio 100% a Favor Alumínio 100% a Favor Uma iniciativa conjunta do ISEP - Instituto Superior de Engenharia do Porto e da APAL - Associação Portuguesa do Alumínio e representante em Portugal das marcas de qualidade para

Leia mais

CONHEÇA AS PRINCIPAIS ETAPAS QUÍMICAS NA INDÚSTRIA DE CELULOSE. Processos Químicos Industriais II

CONHEÇA AS PRINCIPAIS ETAPAS QUÍMICAS NA INDÚSTRIA DE CELULOSE. Processos Químicos Industriais II CONHEÇA AS PRINCIPAIS ETAPAS QUÍMICAS NA INDÚSTRIA DE CELULOSE E PAPEL Processos Químicos Industriais II POLPAÇÃO QUÍMICA Os cavacos são cozidos em licores ou lixívias, isto é, em soluções aquosas contendo

Leia mais

Noções Básicas de Anodização

Noções Básicas de Anodização Noções Básicas de Anodização 1 1.1. Por que alumínio? 1. ASPECTOS GERAIS DE APLICAÇÃO - Maior facilidade de obtenção em relação aos seus mais diretos substitutos. - Menor densidade que outros metais que

Leia mais

Em conformidade com os parâmetros abaixo recomendados na implementação do revestimento, você previne danos às pedras Preciosa.

Em conformidade com os parâmetros abaixo recomendados na implementação do revestimento, você previne danos às pedras Preciosa. Galvanização A galvanoplastia é um processo que utiliza a corrente elétrica contínua para a eliminação dos revestimentos finos dos metais a partir de uma solução dos seus sais em objetos condutores elétricos.

Leia mais

P o d e s e r u t i l i z a d o c o m o r e v e s t i m e n t o i n t e r m e d i á r i o e m a p l i c a ç õ e s t é c n i c a s.

P o d e s e r u t i l i z a d o c o m o r e v e s t i m e n t o i n t e r m e d i á r i o e m a p l i c a ç õ e s t é c n i c a s. AÇOS REVESTIDOS Além dos acabamentos de superfície convencionais, a tira relaminada pode ainda ser revestida superficialmente pelos mais diversos metais com propósitos técnicos, decorativos ou outros fins,

Leia mais

PARÂMETROS DE CARACTERIZAÇÃO DE UMA MASSA DE ÁGUA. As características organolépticas compreendem a cor, o cheiro e o sabor.

PARÂMETROS DE CARACTERIZAÇÃO DE UMA MASSA DE ÁGUA. As características organolépticas compreendem a cor, o cheiro e o sabor. PARÂMETROS DE CARACTERIZAÇÃO DE UMA MASSA DE ÁGUA Características Organolépticas: As características organolépticas compreendem a cor, o cheiro e o sabor. Origem da Cor: origem natural inorgânica, (p.ex.

Leia mais

Minerais, Qualidade da Madeira e Novas Tecnologias de Produção de Celulose. Celso Foelkel

Minerais, Qualidade da Madeira e Novas Tecnologias de Produção de Celulose. Celso Foelkel Minerais, Qualidade da Madeira e Novas Tecnologias de Produção de Celulose Celso Foelkel Celso Foelkel Características de fábricas modernas Alta capacidade de utilização da capacidade e com produção estável

Leia mais

SurTec 610 Fosfato de Zinco para Deformação ou Oleamento

SurTec 610 Fosfato de Zinco para Deformação ou Oleamento SurTec 610 Fosfato de Zinco para Deformação ou Oleamento 1- DESCRIÇÃO O SurTec 610 M/R são produtos aplicados por imersão que produzem uma camada cristalina de fosfato de zinco sobre superfícies de ferro

Leia mais

Reações inorgânicas Atividades 2

Reações inorgânicas Atividades 2 Reações inorgânicas Atividades 2 Introdução Os exercícios propostos abaixo abordam o conteúdo de reações inorgânicas, com os principais tipos dessas reações, dessa vez com os nomes das substâncias, para

Leia mais

ANODIZAÇÃO E COLORAÇÃO DE PEÇAS DE ALUMÍNIO. Apontamentos sobre anodização: Q.A.E. Laura Martins

ANODIZAÇÃO E COLORAÇÃO DE PEÇAS DE ALUMÍNIO. Apontamentos sobre anodização: Q.A.E. Laura Martins ANODIZAÇÃO E COLORAÇÃO DE PEÇAS DE ALUMÍNIO 1 VANTAGENS DA ANODIZAÇÃO DURABILIDADE A maior parte dos produtos anodizados têm um tempo de vida extremamente longo oferecendo vantagens significativas do ponto

Leia mais

PORTFÓLIO DE PRODUTOS

PORTFÓLIO DE PRODUTOS PORTFÓLIO DE PRODUTOS PORTFÓLIO FOOD HYGIENE INDÚSTRIA ALIMENTAR MIDA - FEEL SAFE WITH US 1 A marca MIDA Sob a marca MIDA, a Christeyns oferece uma gama alargada de produtos e soluções para higienização

Leia mais

Materiais de Construção Alumínio

Materiais de Construção Alumínio Materiais de Construção José Carlos G. Mocito email:jmocito@ipcb.pt Como o alumínio é produzido http://www.hydro.com/pt/a Hydro no Brasil/Sobre oaluminio/como aluminio e produzido/ 1 Elemento químico metálico

Leia mais

Escola Técnica Estadual GETÚLIO VARGAS. Tipo de Ensino: Médio: x 2 Módulo/Série: 1º 2º 3º 4º

Escola Técnica Estadual GETÚLIO VARGAS. Tipo de Ensino: Médio: x 2 Módulo/Série: 1º 2º 3º 4º Escola Técnica Estadual GETÚLIO VARGAS NOME: N.º Tipo de Ensino: Médio: x 2 Módulo/Série: 1º 2º 3º 4º Conteúdo disciplinar: Química Funções Inorgânicas : ácidos, bases, sais e óxidos. PROVA: Mensal: Bimestral:

Leia mais

Centro Universitário Padre Anchieta Controle de Processos Químicos Ciência dos Materiais Prof Ailton. Metais Não Ferrosos

Centro Universitário Padre Anchieta Controle de Processos Químicos Ciência dos Materiais Prof Ailton. Metais Não Ferrosos Metais Não Ferrosos 8.1 - Introdução Denominam-se metais não ferrosos, os metais em que não haja ferro ou em que o ferro está presente em pequenas quantidades, como elemento de liga Os metais não ferrosos

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1º EM Química B Natália Av. Dissertativa 19/10/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

Capítulo 32. b) os tanatos e outros derivados tânicos dos produtos incluídos nas posições a 29.39, ou a 35.04;

Capítulo 32. b) os tanatos e outros derivados tânicos dos produtos incluídos nas posições a 29.39, ou a 35.04; Capítulo 32 Extratos tanantes e tintoriais; taninos e seus derivados; pigmentos e outras matérias corantes; tintas e vernizes; mástiques; tintas de escrever Notas. 1.- O presente Capítulo não compreende:

Leia mais

Soluções para a Indústria de Tratamento de Superfícies. cumprindo promessas, superando expectativas!

Soluções para a Indústria de Tratamento de Superfícies. cumprindo promessas, superando expectativas! Apresentação da Empresa Soluções para a Indústria de Tratamento de Superfícies cumprindo promessas, superando expectativas! Shintaro Química e Engenharia, Lda. Rua da Gandarinha, 10 4490-513 Póvoa de Varzim

Leia mais

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 21 EQUILÍBRIO IÔNICO: CONSTANTE DO PRODUTO DE SOLUBILIDADE

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 21 EQUILÍBRIO IÔNICO: CONSTANTE DO PRODUTO DE SOLUBILIDADE QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 21 EQUILÍBRIO IÔNICO: CONSTANTE DO PRODUTO DE SOLUBILIDADE V d V p 80 40 Fixação 1) (UFRRJ) A solubilidade do cloreto de chumbo (PbC 2) é 1,6 x 10-2 M a 25ºC. Sabendo-se que o

Leia mais

Ficha Informativa n.º 2 Tipos de Reações Químicas

Ficha Informativa n.º 2 Tipos de Reações Químicas FÍSICO-QUÍMICA 8º ANO DE ESCOLARIDADE Ficha Informativa n.º 2 Tipos de Reações Químicas Nome: Data: / /20 INTRODUÇÃO TEÓRICA Reações Químicas Nas reações químicas, uma ou várias substâncias iniciais (reagentes)

Leia mais

SAIS E ÓXIDOS FUNÇÕES INORGÂNICAS

SAIS E ÓXIDOS FUNÇÕES INORGÂNICAS SAIS E ÓXIDOS FUNÇÕES INORGÂNICAS SAIS Os sais são comuns em nosso cotidiano: SAIS São compostos iônicos que possuem, pelo menos um cátion diferente do H + e um ânion diferente do OH -. Exemplos: NaCl

Leia mais

Tecnologia Mecânica Propriedades dos materiais

Tecnologia Mecânica Propriedades dos materiais Propriedades dos materiais Por que o plástico é "plástico"? Por que o alumínio é mais leve que o ferro? Por que a borracha depois de esticada volta a sua forma primitiva? Por que o cobre conduz eletricidade

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO. Determinação da Cor pelo método espectrofotométrico - comprimento de onda único LQ: 10 CU

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO. Determinação da Cor pelo método espectrofotométrico - comprimento de onda único LQ: 10 CU ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 8 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO ANGLOGOLD ASHANTI CÓRREGO DO SÍTIO MINERAÇÃO S/A LABORATÓRIO

Leia mais

Limites para lançamento de efluente segundo indústria.

Limites para lançamento de efluente segundo indústria. Limites para lançamento de efluente segundo indústria. Tipo de Indústria Efluente Limite Produção de alumínio Base Metal e Mineração de Ferro Cervejarias Chlor-Alcalóide: Produção de Cloro e soda cáustica

Leia mais

Ácido 1 Hidroxietano 1,1 difosfônico. De acordo com o CTFA, TURPINAL SL é denominado ÁCIDO ETIDRÔNICO.

Ácido 1 Hidroxietano 1,1 difosfônico. De acordo com o CTFA, TURPINAL SL é denominado ÁCIDO ETIDRÔNICO. RUA MINEIROS, 289 CUMBICA GUARULHOS SP CEP 07223-190 FONE: (11) 2413-1122 FAX: (11) 2413-1133 DENOMINAÇÃO QUÍMICA Ácido 1 Hidroxietano 1,1 difosfônico. De acordo com o CTFA, TURPINAL SL é denominado ÁCIDO

Leia mais

BANHO DE NIQUEL SEMI BRILHANTE

BANHO DE NIQUEL SEMI BRILHANTE Rev. 000 Data: 24/09/10 Página 1 1 DESCRIÇÃO O PROCESSO NÍQUEL SB 3NE deposita camadas semi-brilhantes de baixo teor de enxofre e com boas características de nivelamento. Seu uso principal é a deposição

Leia mais

PRINCIPIAS REATIVOS PARA MACRO - REVELAÇÃO

PRINCIPIAS REATIVOS PARA MACRO - REVELAÇÃO PRINCIPIAS REATIVOS PARA MACRO - REVELAÇ AÇOS AO CARBONO E AÇOS DE BAIXA E DE ALTA LIGA REATIVO COMPOSIÇ IDENTIFICAÇ TEMPO DE ATAQUE Nítrico Persulfato de Amônia Stead Fry Clorídrico 25 ml de Nítrico 10

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL ESTRUTURA DA MATÉRIA O termo matéria refere-se a todos os

Leia mais

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v QUÍMICA 1ª QUESTÃO Umas das reações possíveis para obtenção do anidrido sulfúrico é a oxidação do anidrido sulfuroso por um agente oxidante forte em meio aquoso ácido, como segue a reação. Anidrido sulfuroso

Leia mais

Eléctrodos de iões selectivos s de eléctrodos ISE Os eléctrodos Hanna de iões selectivos podem ser agrupados em três categorias gerais baseadas na sua

Eléctrodos de iões selectivos s de eléctrodos ISE Os eléctrodos Hanna de iões selectivos podem ser agrupados em três categorias gerais baseadas na sua Eléctrodos de iões selectivos s de eléctrodos ISE Os eléctrodos Hanna de iões selectivos podem ser agrupados em três categorias gerais baseadas na sua construção. Estado Sólido Membrana Líquida Sensor

Leia mais

SurTec 693-B Cromatização Preta para Zinco

SurTec 693-B Cromatização Preta para Zinco SurTec 693-B Cromatização Preta para Zinco 1- DESCRIÇÃO O SurTec 693-B é um processo para passivação preta, à base de ácido acético, fornecido em duas partes líquidas, concentradas que, diluídas em água,

Leia mais

SurTec 864 Cobre Alcalino Livre de Cianeto

SurTec 864 Cobre Alcalino Livre de Cianeto SurTec 864 Cobre Alcalino Livre de Cianeto 1- DESCRIÇÃO Elimina o alto risco ambiental e para saúde do uso e manipulação de eletrólitos contendo cianeto; Pode ser aplicado diretamente sobre aço, latão,

Leia mais

USO E APLICAÇÕES. Módulo 2 O que é Vidro?

USO E APLICAÇÕES. Módulo 2 O que é Vidro? USO E APLICAÇÕES Módulo 2 O que é Vidro? O QUE É VIDRO? O VIDRO É Substância inorgânica Homogênea Amorfa (sem forma definida) Obtida através do resfriamento de uma massa em fusão entorno de 1500ºC QUALIDADES

Leia mais

Corrosão e proteção de materiais no setor automóvel. Porto, 26 abril 2017

Corrosão e proteção de materiais no setor automóvel. Porto, 26 abril 2017 Corrosão e proteção de materiais no setor automóvel Porto, 26 abril 2017 Programa 1 Introdução 2 Tipos de substrato 3 Processo de Pré tratamento Desengordurante Ativação Fosfatação Passivação 4 Tecnologia

Leia mais

12 GAB. 1 1 o DIA PASES 2 a ETAPA TRIÊNIO QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30

12 GAB. 1 1 o DIA PASES 2 a ETAPA TRIÊNIO QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30 12 GAB. 1 1 o DIA PASES 2 a ETAPA TRIÊNIO 2004-2006 QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30 21. Os solos brasileiros são na sua maioria ácidos, de modo que para cultiválos muitas vezes é necessária a aplicação de

Leia mais

Ocorrência de reações

Ocorrência de reações Ocorrência de reações Dados: Força de ácidos e bases Classificação dos hidrácidos mais conhecidos: Regra prática para a classificação dos oxiácidos Determine a diferença (D) entre a quantidade de átomos

Leia mais

B) Defina a que forma de apresentação do alumínio corresponde cada uma das curvas. Justifique sua resposta.

B) Defina a que forma de apresentação do alumínio corresponde cada uma das curvas. Justifique sua resposta. Questão 01 PROVA DISCURSIVA QUÍMICA O gráfico abaixo representa a variação, em função do tempo, da concentração, em quantidade de matéria, do hidrogênio gasoso formado em duas reações químicas de alumínio

Leia mais

79 CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES 2.

79 CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES 2. CONCENTRAÇÕES DE SOLUÇÕES 2 www.aulasdequimica.com.br Nome ou Marca da Empresa Site /seulink @seunick Página 02 www.aulasdequimica.com.br /dino.quimica @andersondino Página 03 Uma solução é uma mistura

Leia mais

Tecnologia Corzan para Processamento Mineral Jorge Solorio Belo Horizonte, Brasil 8/6/2015

Tecnologia Corzan para Processamento Mineral Jorge Solorio Belo Horizonte, Brasil 8/6/2015 Tecnologia Corzan para Processamento Mineral Jorge Solorio Belo Horizonte, Brasil 8/6/2015 2014 The Lubrizol Corporation Lubrizol Líder Global em tecnologia CPVC 1958 Desenvolvido processo Pós- cloração

Leia mais

Estruturas Metálicas. Módulo IV. Tratamento de Superfície/Proteção

Estruturas Metálicas. Módulo IV. Tratamento de Superfície/Proteção Estruturas Metálicas Módulo IV Tratamento de Superfície/Proteção Tratamento de Superfície/Proteção Anticorrosiva A corrosão consiste na deterioração dos materiais pela ação química ou eletroquímica do

Leia mais

Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto)

Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Fluoreto de alumínio é insolúvel em ácido fluorídrico líquido, mas se dissolve quando fluoreto de sódio está presente. Quando fluoreto de boro

Leia mais

Documento Assinado Digitalmente

Documento Assinado Digitalmente CERTIFICADO DE CADASTRO DE LABORATÓRIO A Fundação Estadual de Proteção Ambiental, criada pela Lei Estadual nº 9.077 de 04/06/90, registrada no Ofício do Registro Oficial em 01/02/91, e com seu Estatuto

Leia mais

ANEXO 9 AO COMUNICADO: ACORDOS DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E MINAS GERAIS

ANEXO 9 AO COMUNICADO: ACORDOS DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E MINAS GERAIS ANEXO 9 AO COMUNICADO: ACORDOS DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E MINAS GERAIS Abrangência: operações interestaduais realizadas entre São Paulo e Minas Gerais. Segmentos: produtos alimentícios. Conteúdo:

Leia mais

PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11

PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11 PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil 1. PRODUTOS

Leia mais

TB DE RECUPERAÇÃO DE QUÍMICA 2ºTRIMESTRE DE 2016 PROF: LUCIA SÉRIE: 2º EM TURMA: A-B-C LEVE ESTA FOLHA PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO- 29/08/2016

TB DE RECUPERAÇÃO DE QUÍMICA 2ºTRIMESTRE DE 2016 PROF: LUCIA SÉRIE: 2º EM TURMA: A-B-C LEVE ESTA FOLHA PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO- 29/08/2016 TB DE RECUPERAÇÃO DE QUÍMICA 2ºTRIMESTRE DE 2016 PROF: LUCIA SÉRIE: 2º EM TURMA: A-B-C LEVE ESTA FOLHA PARA A AULA DE RECUPERAÇÃO- 29/08/2016 OBS: a) O trabalho deverá ser entregue no dia da prova de recuperação(8/09/2016)

Leia mais

PFA PTFE POLIAMIDA PU EVA EPOXI

PFA PTFE POLIAMIDA PU EVA EPOXI Ultra Polimeros PEEK Polimeros de Alta-Performance Polimeros de Engenharia PFA PTFE POLIAMIDA PU EVA EPOXI SEMI-CRISTALINO PEEK - Poli(éter-éter-cetona) PEEK é um termoplástico de Ultra Performance que

Leia mais

SurTec 652-B Zincato para Tratamento de Alumínio

SurTec 652-B Zincato para Tratamento de Alumínio SurTec 652-B Zincato para Tratamento de Alumínio 1- DESCRIÇÃO O SurTec 652-B é um produto líquido concentrado, tri metálico e com baixa concentração de cianeto, que funciona como fixador de aderência para

Leia mais

Aparelho Epóxi HS Isento de Cromato -

Aparelho Epóxi HS Isento de Cromato - Ficha Técnica do Produto Junho 2010 EXCLUSIVO PARA USO PROFISSIONAL Aparelho Epóxi HS Isento de Cromato - Bege P580-4023 Produto Descrição P580-4023 Aparelho Epóxi Isento de Cromato bege P210-984 Endurecedor

Leia mais

Generalidades. Metal. Elemento químico, sólido, com estrutura cristalina e com as seguintes propriedades de interesse para a Engenharia

Generalidades. Metal. Elemento químico, sólido, com estrutura cristalina e com as seguintes propriedades de interesse para a Engenharia Materiais Metálicos Generalidades Metal Elemento químico, sólido, com estrutura cristalina e com as seguintes propriedades de interesse para a Engenharia Alta dureza Grande resistência mecânica Elevada

Leia mais

1. A fermentação é um processo químico complexo do fabrico de vinho no qual a glucose é convertida em etanol e dióxido de carbono:

1. A fermentação é um processo químico complexo do fabrico de vinho no qual a glucose é convertida em etanol e dióxido de carbono: EB: QUÍMICA GERAL/ EQB: QUÍMICA GERAL I Capítulo 4. Reacções químicas II Ficha de exercícios 1. A fermentação é um processo químico complexo do fabrico de vinho no qual a glucose é convertida em etanol

Leia mais

QUÍMICA Exercícios de revisão resolvidos

QUÍMICA Exercícios de revisão resolvidos 9. (ENEM 2013) A produção de aço envolve o aquecimento do minério de ferro, junto com carvão (carbono) e ar atmosférico em uma série de reações de oxirredução. O produto é chamado de ferro-gusa e contém

Leia mais

Lista de Exercícios Equilíbrio de Solubilidade ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO.

Lista de Exercícios Equilíbrio de Solubilidade ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO. ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO. 1 Calcule o produto de solubilidade das seguintes substâncias: a) Oxalato de prata, S = 3,39 g/l e MM = 303,76

Leia mais

Gabarito de Química Frente 2

Gabarito de Química Frente 2 Gabarito de Química Frente 2 Módulo 05 01. E Calculo do nox: 1) HNO 3 1 + X + 3 x (- 2) = 0 X= + 5 +1 2 X 2) HNO 2 1 + Y + 2 x (- 2) = 0 Y= + 3 +1 Y 2 3) NH 3 Z + 3 x (+1) = 0 Z = - 3 Z 02.A +1 Para calcular

Leia mais

Reabilitação e Reforço de Estruturas Aula 7.1: Corrosão do aço e deterioração do betão.

Reabilitação e Reforço de Estruturas Aula 7.1: Corrosão do aço e deterioração do betão. Mestrado em Engenharia Civil 2011 / 2012 Reabilitação e Reforço de Estruturas Aula 7.1: Corrosão do aço e deterioração do betão. António Costa 1/53 ACÇÕES AGRESSIVAS FÍSICAS TEMPERATURA GELO / DEGELO FOGO

Leia mais

Exemplos que ilustram a seleção do nome apropriado para embarque para tais designações:

Exemplos que ilustram a seleção do nome apropriado para embarque para tais designações: 5 NOME APROPRIADO PARA EMBARQUE Exige-se a inclusão do nome apropriado para embarque da substância ou artigo a ser transportado, no documento de transporte e nos volumes que contêm os produtos, para garantir

Leia mais

ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE QUÍMICA - 1 ANO-HERSCHELL-CB2014. periódicas e aperiódicas. AP. propriedade aperiódica. Propriedades periódicas

ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE QUÍMICA - 1 ANO-HERSCHELL-CB2014. periódicas e aperiódicas. AP. propriedade aperiódica. Propriedades periódicas ATIVIDADE COMPLEMENTAR DE QUÍMICA - 1 ANO-HERSCHELL-CB014 P. AP. periódicas e aperiódicas A Tabela pode ser utilizada para relacionar as propriedades dos elementos com suas estruturas atômicas, podendo

Leia mais

9º Ano/Turma: Data / / ) Observe os sistemas onde as esferas representam átomos. Sobre esses sistemas, a afirmação incorreta é:

9º Ano/Turma: Data / / ) Observe os sistemas onde as esferas representam átomos. Sobre esses sistemas, a afirmação incorreta é: Estudante: Educadora: Daiana Araújo 9º Ano/Turma: Data / /2015 C.Curricular: Ciências/ Química 1) Observe os sistemas onde as esferas representam átomos. Sobre esses sistemas, a afirmação incorreta é:

Leia mais

ZAMAC MEGA ZINCO METAIS

ZAMAC MEGA ZINCO METAIS ZAMAC MEGA ZINCO METAIS Zinco Alumínio Magnésio Cobre 1 ZAMAC - Composição Química COMPOSIÇÃO QUÍMICA DAS LIGAS DE ZINCO ASTM B 240 07 - LINGOTES Elemento Químico ZAMAC 3 ZAMAC 5 Zamac 8 Alumínio - Al

Leia mais

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3

QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3 QUÍMICA - 2 o ANO MÓDULO 03 SOLUÇÕES: INTRODUÇÃO - PARTE 3 Fixação 1) (PUC) No preparo de solução alvejante de tinturaria, 521,5g de hipoclorito de sódio são dissolvidos em água suficiente para 10,0 litros

Leia mais

APARELHOS E VERNIZES 29

APARELHOS E VERNIZES 29 APARELHOS E VERNIZES 29 VERNIZES STARLACK LVC 400 1810540 5lt unid./caixa 4 1810140 1lt unid./caixa 12 Verniz HS Low Voc é um verniz acrílico Alto Sólido bicomponente com óptimas características de aplicação,

Leia mais

Metais no Organismo Humano

Metais no Organismo Humano Metais no Organismo Humano Relativamente à necessidade biológica podem classificar-se Metais Essenciais: Metais Tóxicos: sódio, potássio, cálcio, magnésio, ferro, crómio, zinco, cobalto, manganês e níquel.

Leia mais

Funções Inorgânicas - Ácidos e Sais

Funções Inorgânicas - Ácidos e Sais Funções Inorgânicas - Ácidos e Sais Material de Apoio para Monitoria 1. (ITA) A respeito das espécies químicas HNO3, HCN, CH3COOH, HCO3 -, HClO4, HPO4 2-, cada uma em solução aquosa e à temperatura ambiente,

Leia mais

METAIS, AÇOS E PROCESSOS SIDERÚRGICOS

METAIS, AÇOS E PROCESSOS SIDERÚRGICOS METAIS, AÇOS E PROCESSOS SIDERÚRGICOS METAIS Podem ser moldados; São dúcteis (deformam antes de romper); Bons condutores de energia elétrica e calor. OBTENÇÃO DOS METAIS OBTENÇÃO DOS METAIS OBTENÇÃO DOS

Leia mais

1) TRATAMENTO DE PISOS.

1) TRATAMENTO DE PISOS. 1) TRATAMENTO DE PISOS. Paviflex, ardósia, granitina, granilite, epóxi, mármores, cimento polido, cimento queimado. 1.1-Remoção de ceras. Para remover ceras novas e antigas, acumuladas camadas de ceras

Leia mais

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra MICROBIOLOGIA António Verissimo Paula Morais Coloração de Gram Esta técnica permite subdividir as bactérias em dois grandes grupos: as designadas Gram

Leia mais

TUDO SOBRE JOIAS: DAS BIJUTERIAS ÀS JOIAS FINAS. Por PRATAS925 TUDO SOBRE JOIAS 1

TUDO SOBRE JOIAS: DAS BIJUTERIAS ÀS JOIAS FINAS. Por PRATAS925 TUDO SOBRE JOIAS 1 TUDO SOBRE JOIAS: DAS BIJUTERIAS ÀS JOIAS FINAS Por PRATAS925 TUDO SOBRE JOIAS 1 ÍNDICE Introdução 3 Bijuterias 4 Semi-Joias 5 Joias banhadas a ouro 6 Joias de prata 7 Joias de ouro amarelo 8 Joias de

Leia mais

Informação sobre o Produto Deltron Progress UHS DG

Informação sobre o Produto Deltron Progress UHS DG Janeiro 2014 GLOBAL REFINISH SYSTEM Informação sobre o Produto Deltron Progress UHS DG Cor Ultra Altos Sólidos Brilho direto PRODUTOS Corantes Deltron Progress UHS DG Catalisadores UHS Deltron Diluente

Leia mais

AULA 1 Materiais de Construção II

AULA 1 Materiais de Construção II Faculdade de Engenharia - Licenciatura em Engenharia Civil AULA 1 Materiais de Construção II Capítulo Aula 1 I Estudo dos Metais em Geral Introdução ao Estudo dos Metais: Definição; Obtenção; Propriedades;

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS Em cada gota uma conquista CATÁLOGO DE PRODUTOS COAGULANTES São produtos utilizados para desestabilizar partículas dissolvidas na água (coloidais), provocando aglutinação e formação de pequenos flocos.

Leia mais

Área de Atividade/Produto Classe de Ensaio/Descrição do Ensaio Norma e/ou Procedimento

Área de Atividade/Produto Classe de Ensaio/Descrição do Ensaio Norma e/ou Procedimento Folha: 1 de 8 SAÚDE HUMANA E ANIMAL ENSAIOS QUÍMICOS Determinação de Metais Totais e Dissolvidos por espectrometria de emissão atômica em plasma de argônio indutivamente acoplado - ICP OES - geração de

Leia mais

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Profª Simone Noremberg Kunz 2 Mol Medidas em química analítica É a quantidade de uma espécie química que contém 6,02x10 23 partículas

Leia mais

Documento Assinado Digitalmente

Documento Assinado Digitalmente CERTIFICADO DE CADASTRO DE LABORATÓRIO A Fundação Estadual de Proteção Ambiental, criada pela Lei Estadual nº 9.077 de 04/06/90, registrada no Ofício do Registro Oficial em 01/02/91, e com seu Estatuto

Leia mais

Documento Assinado Digitalmente

Documento Assinado Digitalmente CINTER Nº CERTIFICADO DE CADASTRO DE LABORATÓRIO Processo nº 176-05.67 / 17.2 00017 / 2017-DL A Fundação Estadual de Proteção Ambiental, criada pela Lei Estadual nº 9.077 de 04/06/90, registrada no Ofício

Leia mais

Esta actividade laboratorial será realizada à microescala utilizando uma folha de laboratório e utilizando pequenas quantidades de reagentes.

Esta actividade laboratorial será realizada à microescala utilizando uma folha de laboratório e utilizando pequenas quantidades de reagentes. REALIZAÇÃO EXPERIMENTAL Esta actividade laboratorial será realizada à microescala utilizando uma folha de laboratório e utilizando pequenas quantidades de reagentes. Objectivos Caracterizar o equilíbrio

Leia mais

Escola Secundária de Lagoa. Correção da Ficha de Trabalho 1. Física e Química A. Espécie química. Número de massa.

Escola Secundária de Lagoa. Correção da Ficha de Trabalho 1. Física e Química A. Espécie química. Número de massa. Escola Secundária Lagoa Física e Química A 10º Ano Turma A Emília Correia e Paula Melo Silva Correção da Ficha Trabalho 1 Unida Zero Materiais: diversida e constituição 2014/2015 1.1. (A) Falso (B) Falso

Leia mais

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA SOLUÇÕES Introdução MISTURA MISTURA HETEROGÊNEA Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas A mistura seráheterogênea quando apresentar duas ou mais fases perceptíveis.

Leia mais

Revestimentos Odontológicos

Revestimentos Odontológicos Revestimentos Odontológicos HISTÓRICO: ± 500 AC Roma - Coroas e pontes em ouro. Séc.. 11 Theophilus - Técnica da cera perdida. 1907 - W. H. Taggart - Máquina de fundição utilizando a técnica da cera perdida.

Leia mais

SurTec 619 Fosfato de Zinco por Imersão para Deformação Mecânica a Frio

SurTec 619 Fosfato de Zinco por Imersão para Deformação Mecânica a Frio SurTec 619 Fosfato de Zinco por Imersão para Deformação Mecânica a Frio 1- DESCRIÇÃO O SurTec 619 é um produto líquido, que aplicado por imersão, a quente, produz uma densa camada cristalina de fosfato

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 8º Teste sumativo de FQA 20. maio Versão 1 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 8º Teste sumativo de FQA 20. maio Versão 1 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 8º Teste sumativo de FQA 20. maio. 2015 Versão 1 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Este teste é constituído por 9 páginas

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA FOLHA DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA FOLHA DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA FOLHA DE QUESTÕES 2007 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 A A configuração eletrônica de um átomo X é [ X ]. Determine: Z a) os valores de Z e de n, para

Leia mais

Em meio aquoso sofrem dissociação liberando íons na água, o que torna o meio condutor de corrente elétrica.

Em meio aquoso sofrem dissociação liberando íons na água, o que torna o meio condutor de corrente elétrica. Aula 7 Funções Inorgânicas (sais e óxidos) Sal Os sais são compostos que possuem um cátion qualquer (só não pode ser exclusivamente o H +, senão será um ácido) e um ânion qualquer(só não pode ser exclusivamente

Leia mais

Discos de fibra COMBICLICK patenteado sistema refrigerado com troca rápida

Discos de fibra COMBICLICK patenteado sistema refrigerado com troca rápida iscos de fibra COMBICLICK patenteado sistema refrigerado com troca rápida COOL QUICK COMBICLICK TRUST BLUE Redução da carga térmica sobre a ferramenta e a peça trabalhada Alta taxa de remoção e vida útil

Leia mais

Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Departamento de Química. Programa do 10º ano e do 11º ano de Química do Ensino Secundário

Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Departamento de Química. Programa do 10º ano e do 11º ano de Química do Ensino Secundário Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Departamento de Química Programa da Prova de Acesso de Química (2016): Exemplos de exercícios 1.Indique a afirmação correcta. Programa do 10º ano e do 11º

Leia mais

Portfólio de Produtos

Portfólio de Produtos Portfólio de Produtos Distribuidora HigiRib Distribuidora Rua Patrocínio, 1673 Campos Elíseos 14.085-530 Ribeirão Preto /SP (16) 3285.0150 Lavanderias Linha líquida Texspar DTX Detergente líquido concentrado

Leia mais

Uso de Separação Gravimétrica na Concentração de Metais Provenientes de Sucatas de Placas de Circuito Impresso.

Uso de Separação Gravimétrica na Concentração de Metais Provenientes de Sucatas de Placas de Circuito Impresso. Uso de Separação Gravimétrica na Concentração de Metais Provenientes de Sucatas de Placas de Circuito Impresso. Nichele de Freitas Juchneski Agosto de 2014 RESÍDUO ELETRÔNICO É todo produto que utiliza

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE FUNDIÇÃO Prof. Cassius Rebelatto

PROCEDIMENTOS DE FUNDIÇÃO Prof. Cassius Rebelatto PROCEDIMENTOS DE FUNDIÇÃO Prof. Cassius Rebelatto Sempre que desejarmos um procedimento restaurador fazendo uso de ligas metálicas, torna-se obrigatório o procedimento de fundição. Coroas metálicas, restaurações

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO ECOZINK PLUS (BANHO DE ZINCO ALCALINO ISENTO DE CIANETO, COM EXCELENTE PENETRAÇÃO)

BOLETIM TÉCNICO ECOZINK PLUS (BANHO DE ZINCO ALCALINO ISENTO DE CIANETO, COM EXCELENTE PENETRAÇÃO) Página 1 de 11 O é um processo de zinco alcalino isento de cianeto o qual proporciona uma série de vantagens quando comparado aos demais processos existentes no mercado, prevalecendo dentre muitas o excelente

Leia mais

AQUOSOS CONSTRUÇÃO CIVIL

AQUOSOS CONSTRUÇÃO CIVIL AQUOSOS CONSTRUÇÃO CIVIL Primários/Isolantes SELCRIL ISOLAQUA Primário acrílico aquoso de cor branca, indicado para o exterior e interior. Foi concebido com resinas acrílicas de fácil penetração e de excelente

Leia mais

Matriz I Acreditação Flexível Intermédia - Lista de Ensaios Acreditados Acreditação Nº L Data:

Matriz I Acreditação Flexível Intermédia - Lista de Ensaios Acreditados Acreditação Nº L Data: Acreditação Nº L216-1 Data: 4-2-216 Águas 1 Águas naturais doces (superficiais, subterrâneas) de consumo e de processo Determinação da dureza. Complexometria NP 424:1966 2 e residuais Determinação da turvação.

Leia mais

INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Pintura KTL - Eletroforese catódica (pintura de proteção) Pintura a Pó (acabamento)

INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Pintura KTL - Eletroforese catódica (pintura de proteção) Pintura a Pó (acabamento) INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Pintura KTL - Eletroforese catódica (pintura de proteção) Pintura a Pó (acabamento) HISTÓRICO Fundada março de 1992, na cidade de Santo André, Grande São Paulo, utilizando-se

Leia mais

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO. CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica Qualitativa

Centro de Educação Superior do Oeste - CEO. CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica Qualitativa CURSO: Engenharia de Alimentos ANO/SEMESTRE: 2012/1 DISCIPLINA: Química Analítica Qualitativa FASE: 3 a CARGA HORÁRIA: 72 TURNO: Vespertino PROFESSOR (A): Alexandre T. Paulino CRÉDITOS: 4 PLANO DE ENSINO

Leia mais

EFEITO DOS ELEMENTOS DE LIGA NOS AÇOS RSCP/ LABATS/DEMEC/UFPR

EFEITO DOS ELEMENTOS DE LIGA NOS AÇOS RSCP/ LABATS/DEMEC/UFPR EFEITO DOS ELEMENTOS DE LIGA NOS AÇOS RSCP/ LABATS/DEMEC/UFPR Seleção do processo de fundição Metal a ser fundido [C. Q.]; Qualidade requerida da superfície do fundido; Tolerância dimensional requerida

Leia mais

Otimização do processo de anodização e coloração do alumínio utilizando pigmento orgânico

Otimização do processo de anodização e coloração do alumínio utilizando pigmento orgânico Otimização do processo de anodização e coloração do alumínio utilizando pigmento orgânico G. J. T. Alves 1, A. F. Fritzen 2, Gallina, A. L 2, Kurchaidt, S. M. 2, Antunes, S. R. M. 1, Rodrigues, P. R. P.

Leia mais

Funções inorgânicas : Sais e Óxidos

Funções inorgânicas : Sais e Óxidos Funções inorgânicas : Sais e Óxidos Sais Bicarbonato de sódio (NaHCO 3 ) Utilizado em antiácidos Carbonato de cálcio (CaCO 3 ) Encontrado no mármore, no calcário, nas cascas de ovos etc Sulfato de cálcio

Leia mais

Materiais / Materiais I. Guia para Trabalho Laboratorial IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS SÓLIDOS ATRAVÉS DA DENSIDADE

Materiais / Materiais I. Guia para Trabalho Laboratorial IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS SÓLIDOS ATRAVÉS DA DENSIDADE Materiais / Materiais I Guia para Trabalho Laboratorial IDENTIFICAÇÃO DE MATERIAIS SÓLIDOS ATRAVÉS DA DENSIDADE 1. Introdução Os materiais para engenharia são convencionalmente classificados em cinco classes:

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version ProfªAna Carmela ProfªDulce Lins Profº Eduardo Alécio

PDF created with pdffactory trial version  ProfªAna Carmela ProfªDulce Lins Profº Eduardo Alécio COMPOSIÇÃO E CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS ProfªAna Carmela ProfªDulce Lins Profº Eduardo Alécio VIDRO VIDRO Vidro Alcalino (Corning 0080): Lâminas descartáveis de microscópio e frasco reagente de baixo

Leia mais

Lista de Exercícios 1 Química Geral I Licenciatura em Química Prof. Udo Sinks

Lista de Exercícios 1 Química Geral I Licenciatura em Química Prof. Udo Sinks 1. Qual parte da descrição de um composto ou de uma substância elementar se refere às suas propriedades físicas e qual se refere às suas propriedades químicas? (a) O líquido incolor etanol queima no ar.

Leia mais

Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente.

Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente. SOLUÇÕES Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente. Fase: numa mistura, é cada uma das porções que apresenta aspecto homogéneo ou uniforme. CLASSIFICAÇÃO

Leia mais