COMPARAÇÕES ENTRE PERFIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPARAÇÕES ENTRE PERFIS"

Transcrição

1 TABELAS DE COMPARAÇÕES ENTRE PERFS TABELAS DE REFERÊNCA esa altura e ainda os perfil co altura iediataente superior, as co assa ainda enor que a do perfil original. E copleento e reproduzindo as esas substituições feitas nos critérios acia, foi ontada ua tabela única para a referência no sentido Perfis Gerdau Açoinas --> Perfil a ser substituído. ncluíos ainda alguas referências para a substituição de perfis forados à frio, na faia de altura usual para este tipo de perfil. Estas tabelas serve coo ua prieira aproiação para a escolha de u perfil lainado para a substituição de perfis soldados, perfis lainados iportados e tabé perfis lainados de abas inclinadas. As tabelas trata da substituição na direção Perfil a ser substituido --> Perfis Gerdau Açoinas, tendo coo critério: - Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente a PERFS Europeu Abas nclinadas MASSA ÁREA ALT. LNEAR d 2 kg/ ALMA tw h ABAS EXO X - X bf EXO Y - Y REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* r Z ry Zy, 5,61 6,0 7,21 8, 6,6, ,5 5,2,7, 7, 10,7 1,8 26,0,1 1,2 1,9 1,55 1,71 1,87 2,0 12, 2,8,,6 55,7 tf y y 1,0 1,0 1 19, 1, PN PN PN PN PN PN 11,1 1, 21,9 26,2 1,0 1,2 18,2 22,8,9, 5,1 5,7 6,9 7,5 8, ,7 8,6 10, 11, 12, ,7, PN 6,2,1 8,7 21 1, , 2 221,7 2,19 70,0 2,7 2,8 28, PN,8 5, 9, 22 1, , 51 2,2,9 8,5 2,7 8,7 PN 7,9 61,0 10,1 15, ,2 6 61,2 2, 10 8,7,5 2,9 9,0 PN,2 69,0 10, , ,2 2,56 122,5,0 9,0 PN 61,0 77,7 11,5 2 17, ,7 1 PN 0,1 86,7 0 12,2 0 18, , , 2, ,0 0,0 0 67,0 PN 76,1 1, , ,90 72,0 0,0 0 67,0 0,0 PN 8,0,0 1,7 9, ,02 222,0 0 67,0 0,0 PN,6 11 1, 57 21, ,7 1,1 0,0 6 7,0,0 89,0 PN 10,6 12,0 15, 79 2, , ,0,0 89, ,0 50 7,0 PN 115, 17,0 01 2, , , 5 PN 12 16,0 17,1 2, , , ,0 50,0 50,0 50, ,0 PN,5 1 1, ,6 2,72 56 PN 166,,0 90 0, ,6 90 9, ,0 1,0,0,0 PN 199,,0 21,6 55 2, , 70, ,0 22,,, 28, Perfis Europeu Abas nclinadas * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente PERFS Aericano Abas nclinadas ALMA ABAS EXO X - X EXO Y - Y ry Zy 110 8, ,28 79, ,28 8, 1 9,12 8,6 1 9,12 87,5 1 9,12 90,6 1 11,00 101,6 1 11,00 10,6 1 11,00, ,21,96,76 6,2 5,99 5,79 8,0 8 7, ,6 69,1,7 8,9 96,2,1 165,9 179, 1,2 1,7 16,6 19, 21,2 0,5 2,0,9 1,6 1, 1,57 1,79 1,7 1,72 2,11 2,07 2, , ,00 108, ,0 5,8 2,00 7,87 11,0 15, ,70 1,0 17,0 1,00 1,00 1,00 1, , 5 121,8 5 1, , 660 1, , , , 9,9 9, 9,5 12,11 11,8 11, ,0 12,0 89,0 569,0,0 6,0 7,6 51,2 55,,2, 88,7 9,0 2,2 2, 2,29 2,26 2,71 2,66 2, ,9 10,, 1 12, ,5 709,0 99,7 2,61 6, 66,5 7,9,,,6 8,7 9,2 10,6 10, ,0 11,50 1, , ,7,8 1,,7, ,18 0 1,65 1, ,0 65,0 696,0 867,0,6 87,2,1,5 11,8 2,72 2,69 2,6 2, , 89, 11,8 57 1, , , 188 2,0 11 2, ,8 96,8 12, , ,29 7 7,0 122,1 2, , 10, 12, , , ,0 57,0 126, 2, 121,2 1 1,0 1,5 1,9 1, 161,,7, 189,7 15, 16, 18,0, ,98 19, ,0 19, ,0 2,0 199,0 70,0 2,0,,5,2,9, kg/ d 2 tw 1,8 18,2 22,0 18,5 22,0,7, 0,5, 18,8 2,2 2 2,6 2 2,7,8 8,9,7 5, 8, 0 5,8 8,71 11, 6,86 8,86 11,, 7,8,1,6,6 67,0 7, 7,8,1,6,6 67,0 7,,1 56,9 66,,9 77,, 9,8,9 6, 66,5 7,9,, Perfis Aericano Abas nclinadas MASSA ÁREA ALT. LNEAR 57 1,8* 18,2* 22,0* 18,5* 22,0*,7*, 0,5, 121,2 1 1,0 1,5 1,9 h tf 2,00 2,00 2,00 2,00 2,00 bf 177,8 179,1 1,0 1,9, r Z y y,6 21,6,2 226,,7 * Perfis que ainda são produzidos no Brasil ** Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* 1,0 1,0 1,0 1 22,5 22,5 1, 1, 2,7 HP HP HP 50 2,0 22, 22, 22, 5,9 19,,,, 22, 8,5 8,5,8,8,0 28,,8 2,7 8,7 2,7 2,7 8,7,5 72,0 72,0,0,0, ,0,0,0,0 89,0 0, , 22,5 28, 28, 2,7, 28, 8,7,5,0,5,0 72,0 72,0 67,0 67,0 0,0 72,0 50 7,0 72,0 50 7,0 50,0,0 50,0 50, ,0 50 7,0 50,0 89,0 50, , , ,0,0 11, , ,0 11,0 11,0 11,0 1,0 50 7,0 50,0 1,0 1,0 1,0,0,0

2 Perfis Soldados Série CS (NBR 588) PERFS SÉRE CS NBR 588 CS CS 29 CS 1 CS 7 CS 5 CS 29 CS CS 9 CS CS 50 CS 61 CS CS 9 CS CS 6 CS 66 CS 76 CS 79 CS 8 CS 90 CS CS 108 CS CS 76 CS CS CS 102 CS 109 CS 115 CS 122 CS CS 18 CS 19 CS 89 CS 9 CS 108 CS 112 CS 119 ABAS EXO X - X EXO Y - Y LNEAR d t w h t f b f r Z y y r y Z y kg/ 2,5 28,9 0,6 7, 5,1 29,0,2 8,8,2,8,0,7 51,8 6,2 65,8 76,5 79,1 8,2 90,, 108,1, 76,1,2, 101,7 109,0 115,2 1 10,5 19,2 89,1,9,9 111,6 119,1 2, 6,8 9,0 57, 7,0,6 9,,5 77,,7,1,5 8,9 97,,7, 115,1 121,5 17,7 7, 121, ,9 1,8,9 16,2 190,0 11,5 118, 17, 12,2 151, , ,2 6,5 2 6,29 8,67 8,7 8, 8,61 10, 11,01 10, 10, 10,77 10,9 10, 10, 10, 10, 10, 1,0 1, 1,26 1,12 12, 1,1 12,90 12,65 12,90 12, 1 15,9 15,28 15, 15,2 15, * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente ,7,,70,,96,77, 5,06, 5,10 5, 6,17 1 6,12 6 6,2 6, 6, 6,2 6,56 8 6,51 7, 7, 7,8 7, 7, 7,6 7, 7,79 7, 8,87 8,69 9,12 8,97 8, REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* 22,5 29,8 29,8 7,1 7,1 5,9 5,9,7,7,1 HP 5,0 HP,0 HP,0 HP,0 HP,0 HP,0 7,0,0 HP,0 HP,0 HP 89,0 HP 89,0 HP HP HP HP HP 9,0,0,0,0,0 HP 110,0,0,0 HP 110,0,0,0 1,0,0 HP 1,0 HP 1,0 110,0,0 110,0 122,0 122,0 PERFS SÉRE CVS NBR 588 CVS 15 CVS 18 CVS CVS 22 CVS 2 CVS 21 CVS 2 CVS CVS 28 CVS 0 CVS 6 CVS 8 CVS CVS 0 CVS CVS 0 CVS 7 CVS 56 CVS 6 CVS 72 CVS 7 CVS 55 CVS 57 CVS 66 CVS 67 CVS 70 CVS 79 CVS CVS 8 CVS CVS 9 CVS CVS CVS 11 CVS 7 CVS 87 CVS 98 CVS CVS 118 CVS 128 CVS 16 CVS CVS 87 ABAS EXO X - X EXO Y - Y LNEAR d t w h t f b f r Z y y r y Z y kg/ 2 21,7 2,,8 2, 26,7,6 29,8 6,1 8,5 5,7 0,1 2,9 9,9 56, 6,1 71,5,9 56,5 6 67,1 70,2 79,2 79,6,8, 9,1,, 11,0 7, 86,5 97,8,2,9,6 15,8, 86,8 19,1,2,6 1,1 26,5 1,1,0 5,2,0 9,0 58,2 8,,9 50,8,5 71,8,7,1,5 70,0 72,0 8,5, 8,9 101,,5 108,8 119,9 121,5,8 1,9 9, 110,2,6 1,0,2,5 17,0,0 110, ,0, , ,29 8, 8,9 8, 8,7 8,55 8,8 8, 10,8 10, 10,0 10,57 10,65 10,2 10,28 12, 6 1, ,11 12,9 12, ,8 2 15,11 1,77 1,8 1,86 1,56 17,7 17, * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente , 2, 2,51,0,,28,51,8,5,2,55,1,,,12,,01,1,58 5,, 6,21 5,00,89 5,01 6, 6,29,8 6,,96 6,2 7 5, 6,15 6,08 6,2 6,1 7,2 7, REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* ,5 22,5 22,5 1, 1, 5,9 5,9,1 2,7 2,7 8,5,8 HP,0 HP,0 7,0,5,0,0 HP 72,0 HP 72,0 HP 72,0 HP 72,0 HP HP HP 72,0 HP 9,0 HP 9,0,0,0,0 HP 110,0,0,0 110,0 122,0 122,0 110,0 110,0 Perfis Soldados Série CVS (NBR 588)

3 PERFS SÉRE VS NBR 588 VS 15 VS 18 VS 19 VS VS 21 VS 19 VS VS 22 VS 2 VS VS 26 VS 21 VS 2 VS 2 VS VS 26 VS VS 29 VS 0 VS 2 VS 2 VS VS 26 VS VS 28 VS 1 VS 2 VS VS VS 7 VS VS 26 VS 28 VS 0 VS 1 VS 2 VS VS 5 VS 6 VS 8 VS 9 VS 2 VS 51 VS 28 VS 0 VS 2 VS VS 5 VS 7 VS 8 VS 9 VS VS VS 5 VS 51 VS VS VS 70 VS 71 VS VS 8 VS VS 61 VS 7 VS 86 VS 97 VS 6 VS VS 88 VS VS VS VS 111 VS 1 VS VS VS 8 VS 98 VS 11 VS 128 VS 1 VS ABAS EXO X - X EXO Y - Y LNEAR d t w h t f b f r Z y y r y Z y kg/ 2 19,2 21, 18,9 21,9 2,2 2,6 26,1,7 22,7 2,8 2,7 2 26,5 28,8 2 2,5 22,6 2,6,7 26,5 28, 0,7 1,,2, 7, 5,6 26, 28, 0,0 0, 2,6,2 5,1 6,2 7,6 9,2 2,2 51, 28, 0, 1,9, 5,1 6,9 8,1 9,,1 5,2 51,1 58,6, 70,1 70,9,0 8,5,0 61,1 72,6,9 97, 6,5,0 88, 99,9,2,0 111,0,8,, 8, 98,1 11,2,9 1,5, 19,1 2,,2, 2,0,,9 2 1,, 26, 28,9 0, 1,,5,8 6,7 7,6, 28,8 1, 2,7,8 6,1 9,1 9,9 2,,7 58,1,7 6,2 8, 8,7,5 2,,1 7,9 9,9 5,7 65, 6,0 8,6 0,6,8 7,0,5, 56,1 67,8 65,2 7,7 76,8 89, 90, 102, ,0 77,8, 10,1,0,6 112,6, 10,5 121,0 1,,0,8,0,5 1,0, 16,0 1, ,0, ,28 5 6,18 8 6,2 8,6 8, 8,57 8,6 10, 10, 10, 10, 10,6 10, 10,77 10,7 10,87 12,08 12, , 12, 12, 1,05 1,21 1,1 1,7 1, 1,57 1,70 1,70 1,89 1, 8 15,22 15, 15, 16, 1 16, 16,61 16, 16,86 17,01 17,06 17,2 17, 18,6 19, , , ,0 21,51 21, 22,02 22,9 2,9 2,90 2,12 2,6,29,79 26,07 26, ,5,,78 28,11 28,7 28, * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente , 2, 2, 2,51 2, 2,,02 2,87,15 2,,2 2,,16 2,76,70,0 2,,86,0,96 2,51,0 2,66,57 2,,7,0,29,,,57 2,9,5,09,98,6,21,17,,72,0,86 5,05 2,8,,00,5,12,07,66,61,,96, 5,76,66 6,0,86,99 6,26 6,0 5,6 5,9 6,17 1 5,5 5,8 6,08 6,2 6, 6, 7,1 7, 7,51 7, 1 6,71 7,0 7,2 7, 7, REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* 1, , 19, 22,5 22,5 22, 22, 22, 21,0 22, 21,0, 21,0, 21,0, 21,0, 21,0 28, 2,8 28, 2,8 2,7 2,7 2,8 2,8 28, 28, 28, 2,7 2,7 2,7 2,9 2,7 2,9 8,7 2,9,5 2,9 2,9 2,9 2,9 2,9 2,9 2,9 9,0 9,0 9,0 0 8,8 9,0 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0 8,8 0,1 0,1 0,1 0 5,0,0,0,0,0 7,0 50 7,0 50, ,0 89,0 50 7,0 50, ,0 50,0 50, ,0 50, ,0 11,0 1,0,0 17,0 11,0,0,0 17,0 17,0 Perfis Soldados Série VS (NBR 588)

4 Perfis Eletro-Soldados (NBR 79) PERFS ELETRO- NBR 79 CE 11 CE CE 26 CE 22 CE 29 CE CE 9 CE CE 9 CE 6 CE CE CE 76 CVE 22 CVE 28 CVE 1 CVE 8 CVE 7 VE 1 VE 18 VE 16 VE VE 18 VE VE 26 VE VE 5 VE VE VE 9 VE 51 VE VE 61 VE VE 7 VE 79 ABAS EXO X - X EXO Y - Y LNEAR d t w h t f b f r Z y y r y Z y kg/ 2 10,8,1,5 22,0 29,, 8,9,1,8 6,2 51,8, 76,1 21,9 2 0,7 7,6 16, 2,9 18,,,7,0 5,0 2,6,8 51, 58,8 61, 67,5 72,7 78,9 1,8,6 2,5 2 7,,7,9,2,5 7,9 5,7 9,1 7,9,5,9 1,7 2,,9 2,7 2,0,9, 56,1,2 65, 7,9 7 86,0,7, ,21 6, 6,2 8, 8,67 8,72 10, 11,00 10, 1,17 1,0 1, 8, 10, 10, 6,15 5 8, 8,28 10,01 10,17 12,2 12, 1,8 1, 17,2 16,7 18, 9 21,01, 21,9, * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente ,0,7,72,77,9 5,06 6, ,8 7, 7,,58,55,,21,58 2,21 2, 2,72 2,87 2,58 2,7,1,,0,96,51,0 5, 5,6 5,7 5,9 5, REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* 1,0 22,5 29,8 1, 5,9,7,8 HP,0 HP,0,0 HP HP 22,5 2,7 8,5,5 1,0 1 19, 22, 28, 21,0 2,8 28, 2,7 2,9 9,0 0 8,8 0,1 0 5,0,0, ,0 50,0 PERFS Ue MASSA ÁREA LNEAR EXO Y - Y FORMADOS À FRO b w b f D t n r g y y r y NBR-655 kg/ 2 U,00 U,5 U, U, U U,00 U,5 U, U, U 2,65 U U 0 U,00 U,5 U 2,65 U, U, U U 0 U,00 U,5 U, U, U U 0 6,8 7,57 8,0 9, 10,9 8,96 9,9 11,05 12, 9, 1, 18,2 10, 11,78 10,5 1, ,69 11,78 1,10 1,58 18,2 2,16 8,71 9,65 10,70 11,99 1,2 11, 12,66 1,08 15, 11,99 17, 2,22 1,51 1 1,2 16,70 18,79,8,6 1 16, 18,58, 2,22 0, ,00,5,,,00,5,, 2,65,00,5 2,65,,,00,5,, ,7,69 5,22 58, , 8 9, 90,70 10,69 1, 101,67 112,9 112,7 18, 0,9 10,50 1,9,9,88 197, 7,11 5, 5,8 5, 5,77 5,7 7, 7,79 7,76 7,7 9,72 7,69 7,58 9,70 9, 11,5 9,65 9,61 8 9, 11,2 11,9 11,6 11, 11,29 11,19 1, 1, 1, 1, 1, 2, 2, 2, 2,2 2, 2,2 2,5 2, 2, 2, 2,2 2,2 2,55 2,2,9 5,7 9,6,1 58,2 87,,6 10,6 115,2 11,1 1,0 165, 126,9 19,2,,6 1,5 18, 2,9 1,9 1,9 161,1 177,8 19,6 10,28 11,18 12,15 1, 1,2 16,90 18,9,22 22, 18, 2,1 2,70, 22, 19,12,1,7 0,17 0,96 21,26 2,2,57 28,22 0,71,72 2,19 2,18 2,15 2,1 2,10 2,77 2, 2,7 2,70,08,07,05,01,02 2,99 2,99 2,9 2, * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente 1,0 1,0 1,0 1,0 1,0 21,0 21,0 21,0 21,0 2,8 REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* Perfis Ue Forados à Frio (NBR 655) Perfis U Forados à Frio (NBR - 655) PERFS U FORMADOS À FRO NBR-655 U 2,65 U,00 U,5 U, U, U U U 2,65 U,00 U,5 U, U, U U U 2,65 U,00 U,5 U, U, U U MASSA LNEAR kg/ 7,10 1 8, 9,9 11,21 9 9,18 10,7 11, 12,88 1,55 16, 21,2 10,22 11, 12,86 1, ,70 ÁREA DMENSÕES EXO X - X EXO Y - Y b w b f t n r y y r y 2 9,0 2,65 2,22 7,7 7,7 8,26 2,0 10,,00 9,89 7,72 5,6 9,0 2,29 11,6,5 6 67,5 7,71, 10, 2,29 12,66, 7 7, 7,69 65,9 11,50 2,28 1,28, 88 8, 7,66 7,8 12,9 2, 15,88 6,57 7,6,6 1,6 2,, 1 118,5 7,55 10,5 18,61 2,2 11,69 2, , 9, 112,6 1,70,10 1,, ,78 126,8 16,58,10 1,71, ,12 9,76,7 18,5,09 16,, 8, 9,7 156,5,56,09 18,5, 0 19,97 9,72,9 2,18,08,6 198,0 9,69,9,76,07, ,90 9,61 1,8,,05 1,02 2, ,71 11,50 118, 2,02 1,70, ,15 11, 1, 16,9,01 18, ,2 11, 1 18,,01 18,29, 29 11, 16,7 21,01,00,66, ,5 11, 1,1 2, 2,99 2,01 298, 11,9 5,2 2 2,99 0, 8 7,19 11,0 265,,5 2,96 * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* 1,0 1,0 1,0 22, 21,0 21,0 21,0 21,0 2,8

5 PERFS ABAS EXO X - X EXO Y - Y LAMNADOS LNEAR d t w h t f b f r Z y y r y Z EURONORM y DN 10-5 kg/ 2 PE A PE PE R PE A PE PE O PE R PE A PE PE O PE R PE A PE PE O PE R PE A PE PE O PE R PE 0 A PE 0 PE 0 O PE 0 R PE A PE PE O PE R PE 0 A PE 0 PE 0 O PE 0 R PE A PE PE O PE R PE A PE PE O PE R PE A PE PE O PE R PE A PE PE O PE R PE A PE PE O PE R PE A PE PE R 15,8 17,7 15, 18,8 21, 22,1 18,,1 22,2 26,2 29, 1,6 26,2 0,7, 7, 0,7 6,1 2, 6,5 2,2 9, 51,7,0 9,1 57,0, 57,1 70, 57, 6,7,5 67,2 77,6,,2 79, 90,7, 111,,1,5 122,5 1,7,6 122,5 1, PE O 1,5,1 22,6 19,6 2,9,1 28,1 2,5 28,5 2,0,9 28,, 7, 0,2, 9,1,7 9,2 5,9 5,8 56,0,5 5,8,8 65,9,7,6 72,6 76,9 72,7 8,1 89,6 7,1 8,5 96, 10,9,6 98,8,7 121, 101,1 115,5 16,7 12,0, 1, 156,1, 17,0 156,0 18,9 196, ,00 5,00 5,,0 5,0 6,0,50 5, 6, 6, 5,00 5,90 6, 6,70 5, 6, 5,50 6, 6,10 7,10 9, 6, 9,2 9,90 8, 9,7 10, 7,6 9, 11,0 11, 8, 10,2 12,0 12,6 9,0 11,1 1,0 9,8 12,0 1, ,6 1,6 1,6 1,,,,, 29,6 29,6 29,6 29,8 07,0 07,0 07,0 07,0,6,6,6,0 7,0 7,0 7,0 7,0,8,8,8,8 5,0 5,0 5,0 5,0 5,90 7,0 9, ,5 9,2 10, 11, 8,0 9, 10, 12,0 8,70 10, 1 1,10 9, 10,70 0 1,70 11,50 1,50 1,50 11,50 0 1,7 0 12,00 1,50 15,5 1 1,1 1,6 18,6 1,5,0 15,7 17,2,2 22,2 17,5 2,0 2, ,8 108,7 122,1, , 169,8 161,6,,9,7 21,5 2,0 2, 08,8 7,7 2, 61,1 9,8, 28,9 507,1 9,9,1 557,1 657,6 6,2 6,8 71,2 8,0 87, 1,9 90,7 10,6 1108, ,5,2 18,5 11,6 199,8 17,0 11,5 8,1,8 2,7 219, 20,8 7,6 09,1 78,1 069,7 6,5 6,58 6, 7,7 7,2 7,5 7, 8,2 8,26 8,2 8,5 9,05 9,11 9,16 9,29 9,9 9,97 10,08 11,21 11,2 11,6 11, 12,2 12, 12,61 12, 1,67 1,71 1,8 1,8 6 1, ,66 16,55 16,66 16,67 18,65 18, 18,65 18,70,61,,56,55 22,61 22,5 22, 22,55 2, 2,0 99,1 12,9,0 15, 166, 189,2 1, 1,7,7 29, 265,,2 2, 21,2 51,8 11,6 66,7 0,,0 57,7 1,7 5,8 8, 7,9 779,9 702,0,,9 9,0 906,9 1019,2 1186,2 12, 11, 2, 1617,8 19, 1,9, 211,7 6,2 2,,1 09, 27,9 87,2 5,7 1, ,7 2,9, , 71, , 16,7 18,7 1 22,2,5,2 2, 28,5,1,8 1,2 7, 2,8,1 0,0 7, 5,9 57, 5,0,2,5 77,6 69,2,5 98,1 99,0,6 98,5 118,6 121,2 111,1 122,8,5 151,2 10,1 1,,9, 158,1 176, 217,2,2 19,9 21,2 9,6 2,7,6,1 0,2 28, 28, 07,9 6 0,6 1,8 1,8 1,8 2,05 2,05 2,08 2,00 2,2 2,2 2,0 2,21 2, 2, 2,5 2,9 2, 2,69 2,7,02,02,09,0,,5,5,2,,55,6,5,8,79,86,76,00,,0,9,19,12,21,1,8,1,8,28,55,5,55,50,77,66,66,79,7 26,1 29, 2,6 9,9 9,7 6,5,6 51,9 5,2,5 58,1 66,9 71,8, 7,9 8, 90,1,,7 121,0, 1,2,6 1,5 1, 15,7 1,0 189,9,9 1,1 226,9 26,5 2,1 229,0 269,1 28,6 25,7 6,,0,1 01,6 5,9 08,5,8 61,5,5,5 0,9 2,1,7 5,2 60,1 1, ,0 29,8 19, 29,8 19, 19, 22,5 22,, 22, 22,, 1,, 28,, 28, 21,0, 21,0 28, 2,8 2,7 28, 2,7 2,7 28, 2,7 2,7 28, 8,5 2,7,8 8,7 8,7 2,9 8,7 2,9 8,7 2,9,5 9,0,0 9,0,5 9,0,0 9,0 0 8,8 0,1 0 5,0 0 8,8 0,1 0 5,0 0 8,8 0,1 0,1 0 5,0 0 5,0 0,0 72,0 0,0 0 67,0 0,0,0 0 67,0,0 0,0 6 7,0 0,0 6 7, ,0, ,0 50 7,0 89,0 50 7,0 50,0 50,0 50,0 50,0 50,0 50,0 50,0 50, , ,0 11,0 11,0 1,0 11,0 1,0,0,0 REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* Perfis Lainados Euronor (DN 10-5) * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente Perfis H Lainados Euronor 5- (DN 10-2/) PERFS H LAMNADOS EURONORM 5- DN 10-2/ HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE A HE B HE 0 A HE 0 B HE A HE B ABAS EXO X - X EXO Y - Y LNEAR d t w h t f b f r Z y y r y Z y kg/ 2, 2,7,7 0, 2,6 5,5 51,2 2, 61, 50,5 71,5, 8,2,2 9,0 76, 10,2 88,,0 97,6 126,7 10,8 1,2 112,1 1,8 26,0 1,,0 8,8, 5, 65, 5,8 78,1 6,,0 76,8 106,0 86,8 118,5 97, 1 19,1, 161, 1,5,9 12,8, ,50 9,00 10,0 7,5 10,0 10,5 8,5 11,0 9,0 11,5 12,0 10,0,0,0,0 1,0 1,0,0,0,0, ,0 6,0 2,0 2, ,0 2, ,00 9,00 1,00 0 1, ,00 12,00 17,0 17,5 1,0 1 1,0 15,5,5 16,5 21,5 17,5 22, ,9,0 2,1 11,5 29,6,7 88,7 569,7 515,,6 6,1 98, 86,5 117,7 1012,9 188,7 19,7 7,8 179, 6,6 8,5 2156,,8,16 5,7 5,9 6,57 6,78 7,5 7,66 8,28 8, 9,17 9, 10,05 10,1 10,97 11,22 11,86 12,10 12,99 1,58 1, 1,0 1,65 15,22 15, 10,2 17,0 25,0 25,2,0 2,9,5 2 62,6 5,5 7,1 7,2 9, , 1 18, 18,8 8, 219, 10,6 8, 88,7, ,5 55,6 78,5 76,9 111,2 102,7 151, 1,6, 177,7 8,5,7 26,9 2,1,0 0,2 71,,6,9 5,7 615,9,7 6,0 5,8 676,1 2,5,,58,98,05,,57,98 5,07 5,51 5, 6,08 6,58 7,05 7,9 7,58 7,9 7,57 7, 7,5 7, 7,9 51, 8,8,0,6,0 156,5,0,8,8 0,6 9,9 51,7 98, 0,2 2, 518,1 719, 6,2 870,1 709,7 99,1 6,0 9,7 2, 102,5 22,5 22,5 29,8 7,1 29,8 7,1 5,9 5,9,1,7,1 HP 5,0,0,0,0 71,0 86,0 HP,0 HP,0 7,0,0 HP 7,0 89,0 HP HP 9,0 HP,0 HP 1 HP 9,0 HP 9,0,0,0,0 110,0 122,0 110,0 122,0 REFERÊNCA PARA A SUBSTTUÇÃO* * Critério adotado para a escolha dos perfis: Perfil co aproiadaente o eso do perfil original e aproiadaente

6 Tabela Copleta de Equivalência ABAS NCLNADAS - PADRÃO AMERCANO PERFS PERFS ELETRO - PERFS LAMNADOS EUROPEUS ABAS NCLNADAS - PADRÃO EUROPEU ASTM A6/A6M kg/ pol. lb/ft NBR 7007 kg/ NBR 588 kg/ NBR 79 kg/ DN 10-5 / EM (kg/) DN 10-1 (kg/) 1,0 6 8,5 1,8 18,2 22,0 VS 15 CE 11 VE 1 PE A () PN (5,9) PN (8,) PN (11,1) PN (1,) ,5 VS 18 VS 19 VS VS 21 CVS 15 CVS 18 VE 18 PE (15,8) PE R (17,7) PE A (15,) PN () 22,5 (H) ,0,7 CS CVS CVS 22 CVS 2 CE HE A (2,7) 2,0 6 16,7 PE (18,8) 29,8 (H) 6 CS 29 CS 1 CE 26 HE B (,7) PE O (21,) PE R (22,1) HE A (0,) 7,1 (H) 6 CS 7 CS 5 HE B (,7) HE B (2,6) ,5 22,0,7 VS 18 VS 19 VS VS 21 PE R (17,7) PE A (15,) PE (18,8) PN () 19, ,0,7 VS 19 VS VE 16 PE O (21,) PE R (22,1) PE A (18,) PN (21,9) 22,5 8 15,7 VS 22 VS 2 CVE 22 PE () 8 18, 0,5 VS VS 26 CVS 21 CVS 2 CVS CE 22 VE CVE 28 PE O (,1) PE R () PE A (22,2) PE (26,2) PN (26,2) 1, 8 21, CVS 28 CVS 0 CE 29 PE O (29,) PN (1,1) 5,9 (H) 8 2 CS 29 CS CVS 6 CVS 8 CE HE B (2,6) HE A (5,5),7 (H) 8 28 CS 9 CS CE 9 HE A (2,),1 (H) 8 1 CVS CS 50 HE B (51,2) HE A (2,),0 (H) 8 5 HE A (2,) HE A (50,5) HP 5,0 (H) HP 8 6 CS 61 HE A (2,),0 (H) 8 0 HE B (61,) 71,0 (H) 8 HE B (71,5) 86,0 (H) 8 58 HE B (71,5) VS 19 VS VS 22 VS 2 VE 18 VE PE A (18,) PE () PE O (,1) PE A (22,2) PN (21,9) PN (26,2) 22, 10 15, 0,5, VS VS 26 VS 21 VS 2 VE PE R () PE A (22,2) PE (26,2) PN (26,2), 10 17, 0,5, VS 2 VS VS 26 VS PE R () PE (26,2) PE O (29,) PE R (1,6) PE A (26,2) PN (26,2) PN (1,1) 28, ,5, VS 29 VS 0 VE PE O (29,) PE R (1,6) PE (0,7) PN (1,1) 2, , VS 2 CVS 0 CVS CVE 1 PE O (,) PE R (7,) PE 0 A (0,7) PN (6,2) 8, ,8 CVS 0 CVE 8 PE 0 (6,1) PN (,8),8 10 0,1,6 CVS 7 CE PE 0 0 (2,) HP,0 (H) HP 10 2 CS CS 9 CS CS 6 CS 66 CVS 56 CVS 6 CE 9 CE 6 HE B (71,5) HE A (,) 7,0 (H) 10 9 CVS 72 CS 76 HE B (8,2) HE A (,2),0 (H) 10 CS 79 CS 8 HE B (8,2) HP,0 (H) HP CS 8 HE A (76,) 89,0 (H) 10 CS 90 CS HE B (9,0) (H) 10 CS 108 HE B (9,0) 1 (H) HE B (10,2) 21, VS 22 VS 2 VS 2 VS VS 26 VS VE PE R (1,6) PE A (26,2) 2, VS 29 VS 0 VS 2 VS VE PE (0,7) PN (6,2) 28, ,7 VS 26 VS VS 28 VE 26 PE O (,) PE R (7,) PE 0 A (0,7) PN (6,2) 2, ,7,1 VS 2 VS 1 VS 2 VS VS VE PE O (,) PE R (7,) PE 0 (6,1) PN (,8) 8, ,1,6 VS 7 PE 0 O (2,) PE 0 R () PE (2,2) PE A (6,5) PN (,8) PN (7,9),5 12 0,1,6 VS CVS 7 CVE 7 PE O (9,) PE 0 A (,0) PN (7,9) PN (,2),0 12 5,1,6,6 CVS 55 CVS 57 CE PE R (51,7) PE 0 (9,1) PN (,2) HP (H) HP ,0 7,,9 CS 79 CVS 8 CS 8 CVS 66 CVS CS 90 CVS 67 CS CVS 70 CS 108 CVS 79 CS CVS CS 76 CE CE 76 HE B (8,2) HE B (9,0) HE A (76,) HP 9,0 (H) HP 12 6 CS CVS 9 CVS HE B (9,0) HE B (10,2) HE A (88,) (H) CS CS 102 CVS HE B (10,2) HE A (97,6),0 (H) CS 109 CS 115 CVS 11 HE A (97,6) HP 110,0 (H) HP 12 7 CS 109 CS 115 CVS 11,0 (H) CS 122 HE B (,0) HP 1,0 (H) HP 12 8 CS 122 CS CS 18 2, VS VS 28 VS VS 0 VS 7 VS 1 VS VS 2 VS 26 VS VE PE 0 R () PE A (6,5) PE (2,2) PN (7,9) 9, VS 5 VS 6 VS 8 VS 9 VE 5 PE O (9,) PE R (51,7) PE 0 A (,0) PE 0 (9,1) PN (7,9) PN (,2) 1 0,6 67,0 VS 2 VE PE O (9,) PE R (51,7) PE 0 A (,0) PE 0 (9,1) PN (7,9) PN (,2) 1,6 67,0 7,,9 VS 51 PE R (51,7) PE 0 O (57,0) PE 0 R (,) PE A () PN (,2) PN (61,0) 1 8,6 67,0 7,,9 PE (57,1) PN (61,0) PN 0 (,1) 1 67,0 7,,9 PE O () PN 0 (,1) 72,0 1 7,,9 6, 66,5 CVS 66 CVS 67 CVS 70 CVS 79 CVS PE R (70,) PN (76,1) 1 5,9 7,9, CVS 9 CVS 7,0 (H) 1 61 CS CS 89 CS CS 102 CS 109 CVS CVS CVS 11 CS 115 CVS 87 CS 122 HE A (97,6) PN (8,0) (H) 1 CS 102 CS 18 CS 109 CS 115 CS 122 CS 9 CVS 11 CVS 98 CS CVS HE 0 A (10,8) 110 (H) 1 7 CS 19 CS 108 CVS 118 CVS CVS 87 HE B (126,7) HE A (112,1) 122 (H) 1 CS 112 CS 119 CVS 128 CVS 16 HE 0 B (1,2) HE B (1,8) 08,8 0, VS 8 VS 2 VS 9 VS 9 VS VS VS 2 VS 5 VS VS 51 VS 7 VS 28 VS 8 VS 0 VE VE PE 0 O (57,0) PE 0 O (57,0) PE 0 R (,) PE 0 R (,) PE A () PE A () PE (57,1) 05,0 0, , 6, 66,5 7,9, VS 5 VE 9 PE 0 O (57,0) PE O () PE 0 R (,) PE R (70,) PE (57,1) PE A (57,) PE O () PE (6) PN 0 (,1) PN 0 (,1) PN (76,1) 067, ,9, PE R (70,) PE (6) PN 0 (,1) PN (76,1) 0, , PE O (,7) PE R (,5) PN (76,1) PN (8,0) 0, PN (,6), VS 5 VS 51 VE 51 PE A (57,), VS VS VE 18 PE O (,7) PE R (,5) PE A (67,2) PN (,6) 7, VS 70 VS 71 PE O (,7) PE R (,5) PE (77,6) PN (,6), , 57 89, 57 96,8 VS PE (77,6) PN (,6) PN (10,6) 9, , 57 10, VS 8 PE O (,) PN (,6) PN (10,6) , , VS PE R (,2) PN (10,6) 06, PN (115,) , VS 70 VS 71 VS 61 VE 61 VE PE A (67,2) PE (77,6) 5072, , 57 89, 57 96, , VS VS 7 VS 6 PE (77,6) PN (10,6) 507, , 57 89, 57 96, , VS 8 VE 7 PE (77,6) PE O (,) PN (10,6) 50, , 57 96, , VS VS VE 79 PE O (,) PE R (,2) PE A (79,) PN (115,) 50, , 57 96, , VS 86 PE O (,) PE R (,2) PE (90,7) PN (115,) 50, , , VS 97 PE O (,) PE O (,) PE A (,1) PN (115,) ,2 VS 88 PE R (111,) PN (12) 50109, ,0 1,5 VS PE (,5) PN (12) 2 121,2 1 1,0 1,5 1,9 VS VS VS VS 8 PE (,5) PE R (111,) PE O (122,5) PE O (,) PN (,5) 11, ,2 1 1,0 1,5 1,9 VS 111 VS 98 PE O (122,5) PE R (1,7) PE A (,6) PN (,5) 1, ,0 1,5 1,9 VS 1 PE R (1,7) PE (122,5) PN (166,), ,5 1,9 VS 11 PE R (1,) PN (166,), VS VS 128 PE O (1,5) PN (166,) 17,0 2 VS VS 1 VS PN (199,)

7 São Paulo Av. das Nações Unidas, º andar Pinheiros - CEP Fone: (11) Fa: (11) Belo Horizonte (1) Recife () -769 Curitiba () Rio de Janeiro (21) 2-69 Porto Alegre (51) 2-29 Vitória () 98-1 E-ail:

Edfer, soluções em ferro e aço

Edfer, soluções em ferro e aço Edfer, soluções em ferro e aço Inaugurada em 2007, na cidade de Coronel Fabriciano, Vale do Aço - MG, a EDFER é uma empresa que atua no mercado de ferro e aço para estruturas metálicas, caldeiraria, usinagem,

Leia mais

www.comercialgerdau.com.br

www.comercialgerdau.com.br C a t á l o g o d e P r o d u t o s www.comercialgerdau.com.br Vergalhão GERDAU GG 50 Arame Farpado Pregos Perfis Estruturais Gerdau [LINHA DE PRODUTOS DA Telas Corte e Dobra Coluna Treliças www.comercialgerdau.com.br

Leia mais

ASPECTOS TECNOLÓGICOS DOS AÇOS ESTRUTURAIS

ASPECTOS TECNOLÓGICOS DOS AÇOS ESTRUTURAIS Estruturas de aço. Aspectos tecnológicos e de concepção. Prof. Edson Lubas Silva Agradecimento ao Prof. Dr. Valdir Pignatta pelo material cedido ASPECTOS TECNOLÓGICOS DOS AÇOS ESTRUTURAIS 1 O que é o aço?

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 2 Histórico Tecnologia anterior

Leia mais

Catálogo de produtos

Catálogo de produtos Catálogo de produtos 2 a bernifer A Bernifer Perfilados de Aço, com mais de 40 anos de experiência em siderurgia, distribui e processa aço para diversos segmentos, tais como: construção civil, óleo e gás,

Leia mais

São João da Boa Vista SP Tel 19 3636 1600. Cambuí MG Tel 19 3634 3760. São João da Boa Vista SP Tel 19 3634 3600

São João da Boa Vista SP Tel 19 3636 1600. Cambuí MG Tel 19 3634 3760. São João da Boa Vista SP Tel 19 3634 3600 Manual Técnico A História da Soufer São João da Boa Vista SP Tel 34 00 São João da Boa Vista SP Tel 1600 A Soufer Industrial Ltda. fabrica produtos siderúrgicos para as mais variadas aplicações; é uma

Leia mais

07. Obras célebres da literatura brasileira foram ambientadas em regiões assinaladas neste mapa:

07. Obras célebres da literatura brasileira foram ambientadas em regiões assinaladas neste mapa: 6 FUVEST 09/0/202 Seu é Direito nas Melhores Faculdades 07. Obras célebres da literatura brasileira fora abientadas e regiões assinaladas neste apa: Co base nas indicações do apa e e seus conhecientos,

Leia mais

UMA HEURÍSTICA PARA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA DE CARREGAMENTO DE CONTAINER

UMA HEURÍSTICA PARA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA DE CARREGAMENTO DE CONTAINER Pesquisa Operacional na Sociedade: Educação, Meio Aente e Desenvolviento 2 a 5/09/06 Goiânia, GO UMA HEURÍSTICA PARA RESOLUÇÃO DO PROBLEMA DE CARREGAMENTO DE CONTAINER E. Vendraini Universidade Estadual

Leia mais

SALTO CAXIAS UM PROBLEMA DE FLUTUAÇÃO NA COROA POLAR EVIDENCIADO PELO AGMS

SALTO CAXIAS UM PROBLEMA DE FLUTUAÇÃO NA COROA POLAR EVIDENCIADO PELO AGMS SALTO CAXIAS UM PROBLEMA DE FLUTUAÇÃO NA COROA POLAR EVIDENCIADO PELO AGMS Pedro Massanori Sakua, Álvaro José Noé Fogaça, Orlete Nogarolli Copel Copanhia Paranaense de Energia Paraná Brasil RESUMO Este

Leia mais

Aula 6 Primeira Lei da Termodinâmica

Aula 6 Primeira Lei da Termodinâmica Aula 6 Prieira Lei da Terodinâica 1. Introdução Coo vios na aula anterior, o calor e o trabalho são foras equivalentes de transferência de energia para dentro ou para fora do sistea. 2. A Energia interna

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA - FÍSICA - Grupos H e I

PADRÃO DE RESPOSTA - FÍSICA - Grupos H e I PDRÃO DE RESPOST - FÍSC - Grupos H e a UESTÃO: (, pontos) valiador Revisor Íãs são frequenteente utilizados para prender pequenos objetos e superfícies etálicas planas e verticais, coo quadros de avisos

Leia mais

Rua Guishi Yoshioka, 305 - Itaquera - São Paulo/SP Tel. (011) 6525-9555

Rua Guishi Yoshioka, 305 - Itaquera - São Paulo/SP Tel. (011) 6525-9555 PAULISTEEL Ru Guishi Yoshiok, 0 Itquer São Pulo/SP Tel. (0) 9 0 nos Perfil U pdrão merino Perfil I pdrão merino Perfil H pdrão merino Perfil T Cntoneir s iguis Cntoneir s desiguis Trilhos Perfís As Prlels

Leia mais

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa E. alternativa A. gasto pela pedra, entre a janela do 12 o piso e a do piso térreo, é aproximadamente:

Questão 46. Questão 48. Questão 47. alternativa E. alternativa A. gasto pela pedra, entre a janela do 12 o piso e a do piso térreo, é aproximadamente: Questão 46 gasto pela pedra, entre a janela do 1 o piso e a do piso térreo, é aproxiadaente: A figura ostra, e deterinado instante, dois carros A e B e oviento retilíneo unifore. O carro A, co velocidade

Leia mais

Objetivo: converter um comando de posição de entrada em uma resposta de posição de saída.

Objetivo: converter um comando de posição de entrada em uma resposta de posição de saída. Prof. Celso Módulo 0 83 SISTEMAS DE CONTOLE DE POSIÇÃO Objetivo: converter u coando de posição de entrada e ua resposta de posição de saída. Aplicações: - antenas - braços robóticos - acionadores de disco

Leia mais

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1 CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1 GRUPO ESTRUTURAS METÁLICAS, PARTE 1 LOTE 01 A CAIXA apresenta o grupo de composições de serviços que representam o transporte e

Leia mais

PRODUTOS PARA CONsTRUçãO CIVIL E MECÂNICA

PRODUTOS PARA CONsTRUçãO CIVIL E MECÂNICA PRODUTOS PARA CONsTRUçãO CIVIL E MECÂNICA VOTORAÇO VS 50 Construção Civil Principais características dimensionais e de propriedades mecânicas do produto, conforme a ABNT NBR 7480. Especificação Diâmetro

Leia mais

Brasília, junho de 2014

Brasília, junho de 2014 ORIENTAÇÕES PARA NOTIFICAÇÃO E GERENCIAMENTO DOS DADOS NO SISTEMA NOTIVISA PARA NÚCLEOS DE SEGURANÇA DO PACIENTE (NSP) E COORDENAÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Brasília, junho de 2014 NOTIVISA EVENTOS ADVERSOS

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE BARRAS E PERFIS AÇO PARA INDÚSTRIA TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Quando você usa a ampla linha de barras e perfis Gerdau, você coloca mais qualidade no seu trabalho. Cada produto foi desenvolvido

Leia mais

1ª LISTA DE DINÂMICA E ESTÁTICA. está inicialmente em repouso nas coordenadas 2,00 m, 4,00 m. (a) Quais são as componentes da

1ª LISTA DE DINÂMICA E ESTÁTICA. está inicialmente em repouso nas coordenadas 2,00 m, 4,00 m. (a) Quais são as componentes da Universidade do Estado da Bahia UNEB Departaento de Ciências Exatas e da Terra DCET I Curso de Engenharia de Produção Civil Disciplina: Física Geral e Experiental I Prof.: Paulo Raos 1 1ª LISTA DE DINÂMICA

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS

ESTRUTURAS METÁLICAS ESTRUTURAS METÁLICAS Disciplina: Projeto e dimensionamento de estruturas de aço em perfis soldados e laminados. Curso: Especialização em Engenharia de Estruturas Professor: Carlos Eduardo Javaroni Mini

Leia mais

Impermeabilização de túnel com geomembrana de PVC

Impermeabilização de túnel com geomembrana de PVC RESUMO Para atender ao plano de recuperação da Estação da Luz (TM) no centro da cidade de São Paulo e visando facilitar o deslocaento dos usuários dos serviços de transporte de assa, a Copanhia Paulista

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS

ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS 1 INDICE CAPÍTULO 1 - AÇOS ESTRUTURAIS...1 1 INTRODUÇÃO - HISTÓRICO... 1 2 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DAS ESTRUTURAS DE AÇO... 2 3 REFERÊNCIAS NORMATIVAS...

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS CATÁLOGO TÉCNICO DE MATERIAIS VOLUME III MATERIAIS DE PVC/PP/PE TOMO XIII FLANGE DE PVC/PP/PE JUNHO/2015 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS CATÁLOGO TÉCNICO

Leia mais

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Sistemas de Partículas

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Sistemas de Partículas www.engenhariafacil.weebly.co Resuo co exercícios resolvidos do assunto: Sisteas de Partículas (I) (II) (III) Conservação do Moento Centro de Massa Colisões (I) Conservação do Moento Na ecânica clássica,

Leia mais

C A S A S P R É - FA B R I C A D A S

C A S A S P R É - FA B R I C A D A S C A S A S P R É - FA B R I C A D A S As Casas Pré-fabricadas Fladafi são seguras, confortáveis e bonitas. Seu sistema construtivo possibilita uma montagem rápida, sem geração de resíduos e com economia

Leia mais

100m. aprox. 5m. Legenda. Detalhes croquis / anotações. Desenhos: PLANTA DO TÉRREO ELEVAÇÃO DOS EDIFÍCIOS PLANTA TÉRREO

100m. aprox. 5m. Legenda. Detalhes croquis / anotações. Desenhos: PLANTA DO TÉRREO ELEVAÇÃO DOS EDIFÍCIOS PLANTA TÉRREO Térreo: Meça e desenhe as diensões principais e eleentos que observar na planta. Preste atenção no edifício e divisão de lotes, entradas, canteiros, obiliário urbano, diensões livres do passeio, etc. Elevação

Leia mais

QUÍMICA PRISE II SOLUÇÕES 4.1 FENÔMENO DE SATURAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO. Sal (soluto) Água (solvente) 1. INTRODUÇÃO

QUÍMICA PRISE II SOLUÇÕES 4.1 FENÔMENO DE SATURAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO. Sal (soluto) Água (solvente) 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO QUÍMICA PRISE II SOLUÇÕES 4.1 FENÔMENO DE SATURAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO Quando a istura apresenta as esas características e toda a extensão do recipiente teos ua istura hoogênea e, se tiver ais

Leia mais

Capítulo 14. Fluidos

Capítulo 14. Fluidos Capítulo 4 luidos Capítulo 4 - luidos O que é u luido? Massa Especíica e ressão luidos e Repouso Medindo a ressão rincípio de ascal rincípio de rquiedes luidos Ideais e Moviento Equação da continuidade

Leia mais

Quinta aula de estática dos fluidos. Primeiro semestre de 2012

Quinta aula de estática dos fluidos. Primeiro semestre de 2012 Quinta aula de estática dos fluidos Prieiro seestre de 01 Vaos rocurar alicar o que estudaos até este onto e exercícios. .1 No sistea da figura, desrezando-se o desnível entre os cilindros, deterinar o

Leia mais

Selo diafragma com conexão higiênica Para aplicações sanitárias Modelos 990.22, 990.52 e 990.53, conexão tipo clamp

Selo diafragma com conexão higiênica Para aplicações sanitárias Modelos 990.22, 990.52 e 990.53, conexão tipo clamp Selos diafragma Selo diafragma com conexão higiênica Para aplicações sanitárias Modelos 990.22, 990.52 e 990.53, conexão tipo clamp WIKA folha de dados DS 99.41 outras aprovações veja página 3 Aplicações

Leia mais

GUINDASTE PARA TERRENO ACIDENTADO - SRC 350. Capacidade de 35 toneladas

GUINDASTE PARA TERRENO ACIDENTADO - SRC 350. Capacidade de 35 toneladas GUINDASTE PARA TERRENO ACIDENTADO - SRC 0 01 Produto internacional desenvolvido co a colaboração de especialistas de dois países, baseado na platafora de R&D China e nos Estados Unidos; A lança totalente

Leia mais

CAPíTULO 10 - ACELERAÇÃO DE CORIOL\S E CORRENTES GEOSTRÓFICAS

CAPíTULO 10 - ACELERAÇÃO DE CORIOL\S E CORRENTES GEOSTRÓFICAS 1 CAPíTULO 10 - ACELERAÇÃO DE CORIOL\S E CORRENTES GEOSTRÓFICAS 1. Introdução Seja u vetor à nu sistea de coordenadas (x, y, z), co os versores T,], k, de odo que - - - A = A 1 i + A 2 j + A 3 k. A derivada

Leia mais

Filtros Industriais. Para utilização em vapor, líquidos e gases

Filtros Industriais. Para utilização em vapor, líquidos e gases Filtros Industriais Para utilização em vapor, líquidos e gases Filtros Y Spirax Sarco Há mais de 60 anos, a Spirax Sarco vem fornecendo tecnologia em filtragem para qualificação de fluidos e proteção de

Leia mais

Manual Técnico do Sistema MODULAR de Terças para Cobertura e Fechamento. Edição - Julho/2012. modular@modularsc.com.br www.modularsc.com.

Manual Técnico do Sistema MODULAR de Terças para Cobertura e Fechamento. Edição - Julho/2012. modular@modularsc.com.br www.modularsc.com. Manual Técnico do Sistema MODULAR de Terças para Cobertura e Fechamento Edição - Julho/2012 modular@modularsc.com.br CONTEÚDO A EMPRESA 3 SISTEMA DE TERÇAS PARA COBERTURA E FECHAMENTO 4 Apresentação 4

Leia mais

Simulado 2 Física AFA/EFOMM 2012. B)30 2 m. D)50 2 m. 1 P r o j e t o F u t u r o M i l i t a r w w w. f u t u r o m i l i t a r. c o m.

Simulado 2 Física AFA/EFOMM 2012. B)30 2 m. D)50 2 m. 1 P r o j e t o F u t u r o M i l i t a r w w w. f u t u r o m i l i t a r. c o m. Prof. André otta - ottabip@hotail.co Siulado 2 Física AFA/EFO 2012 1- Os veículos ostrados na figura desloca-se co velocidades constantes de 20 /s e 12/s e se aproxia de u certo cruzaento. Qual era a distância

Leia mais

:: Física :: é percorrida antes do acionamento dos freios, a velocidade do automóvel (54 km/h ou 15 m/s) permanece constante.

:: Física :: é percorrida antes do acionamento dos freios, a velocidade do automóvel (54 km/h ou 15 m/s) permanece constante. Questão 01 - Alternativa B :: Física :: Coo a distância d R é percorrida antes do acionaento dos freios, a velocidade do autoóvel (54 k/h ou 15 /s) peranece constante. Então: v = 15 /s t = 4/5 s v = x

Leia mais

TEORIA ELETRÔNICA DA MAGNETIZAÇÃO

TEORIA ELETRÔNICA DA MAGNETIZAÇÃO 113 17 TEORA ELETRÔNCA DA MANETZAÇÃO Sabeos que ua corrente elétrica passando por u condutor dá orige a u capo agnético e torno deste. A este capo daos o noe de capo eletro-agnético, para denotar a sua

Leia mais

ANÁLISE DE UMA REFEIÇÃO VEGETARIANA

ANÁLISE DE UMA REFEIÇÃO VEGETARIANA Laboratório de Broatologia e Análises Broatológicas ANÁLISE DE UMA REFEIÇÃO VEGETARIANA Trabalho realizado por: Ana Gonçalves José Nogueira Luís Tavares Laboratório de Broatologia e Análises Broatológicas

Leia mais

Notas de Aula de Física

Notas de Aula de Física Versão preliinar 7 de setebro de 00 Notas de Aula de ísica 05. LEIS DE NEWON... ONDE ESÃO AS ORÇAS?... PRIMEIRA LEI DE NEWON... SEGUNDA LEI DE NEWON... ERCEIRA LEI DE NEWON... 4 APLICAÇÕES DAS LEIS DE

Leia mais

4.2-Setor da Construção apresenta ao Governo proposta para resolver a questão do déficit habitacional.

4.2-Setor da Construção apresenta ao Governo proposta para resolver a questão do déficit habitacional. BOLETIM ECONÔMICO NOVEMBRO/07 Suário 1.Conjuntura: No ês de outubro, IPCA e INPC auenta, IGPM recua e INCC é o eso do ês anterior. IPCA cheio de outubro (0,30%) é superior ao de setebro (0,18%). As aiores

Leia mais

Método Simbólico. Versus. Método Diagramas de Euler. Diagramas de Venn

Método Simbólico. Versus. Método Diagramas de Euler. Diagramas de Venn IV Método Sibólico Versus Método Diagraas de Euler E Diagraas de Venn - 124 - Método Sibólico Versus Método Diagraas de Euler e Diagraas de Venn Para eplicar o que é o Método Sibólico e e que aspecto difere

Leia mais

Aparelho de elevação ABS 5 kn

Aparelho de elevação ABS 5 kn 1 597 0503 PT 01.2013 pt Instruções de ontage e de serviço Tradução das instruções originais www.sulzer.co Instruções de ontage e de serviço Instruções de ontage e de serviço para aparelho de elevação

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções 2 ATENÇÃO Leia o Manual de Operação com atenção, para que o relógio opere de forma adequada e eficiente por um longo período de tempo. O relógio de ponto deve ser instalado em um ambiente

Leia mais

A Teoria dos Jogos é devida principalmente aos trabalhos desenvolvidos por von Neumann e John Nash.

A Teoria dos Jogos é devida principalmente aos trabalhos desenvolvidos por von Neumann e John Nash. Teoria dos Jogos. Introdução A Teoria dos Jogos é devida principalente aos trabalhos desenvolvidos por von Neuann e John Nash. John von Neuann (*90, Budapeste, Hungria; 957, Washington, Estados Unidos).

Leia mais

Física Fascículo 04 Eliana S. de Souza Braga

Física Fascículo 04 Eliana S. de Souza Braga Física Fascículo Eliana S. de Souza raa Índice Choques, Lançaentos, Graitação esuo eórico... Exercícios... Gabarito... Choques, Lançaentos, Graitação esuo eórico Lançaento horizontal x oiento ertical queda

Leia mais

KSB MEGANORM. Bomba Centrífuga Normalizada para Uso Geral. 3. Denominação. 1. Aplicação. 2. Descrição Geral. 4. Dados de Operação.

KSB MEGANORM. Bomba Centrífuga Normalizada para Uso Geral. 3. Denominação. 1. Aplicação. 2. Descrição Geral. 4. Dados de Operação. Folheto Descritivo Nº A272.1P/ KSB MEGANORM Boba Centrífuga Noralizada para Uso Geral LINA : NORMA: Mega ISO 288 1. Aplicação A boba centrífuga KSB Meganor é indicada para o bobeaento de água e de líquidos

Leia mais

FÍSICA DADOS. 10 v som = 340 m/s T (K) = 273 + T( o C) s = 38) 27) Q = mc T = C T 39) i = 30) U = Q τ 42) 31) Instruções:

FÍSICA DADOS. 10 v som = 340 m/s T (K) = 273 + T( o C) s = 38) 27) Q = mc T = C T 39) i = 30) U = Q τ 42) 31) Instruções: FÍSICA DADOS 9 N. g = 0 k 0 = 9,0 0 s C 8 c = 3,0 0 v so = 340 /s T (K) = 73 + T( o C) s 0) d = d 0 + v 0 t + at 4) E p = gh 6) 0) v = v 0 + at 5) E c = v 03) v = 04) T= f 05) 0 PV P V = 38) T T V = k0

Leia mais

Hidrômetros de Interiores

Hidrômetros de Interiores Hidrôetros de Interiores ETK ETW Hidrôetros de Chuveiro e Banheira Hidrôetros de Pia Hidrôetros de Torneira Seis soluções copletas co nosso hidrôetro onojato universal de ou de copriento Hidrôetros Ebutidos

Leia mais

A Unicamp comenta suas provas COMISSÃO PERMANENTE PARA OS VESTIBULARES

A Unicamp comenta suas provas COMISSÃO PERMANENTE PARA OS VESTIBULARES A Unicap coenta suas provas COMISSÃO PERMANENTE PARA OS VESTIBULARES As questões de Física do Vestibular Unicap versa sobre assuntos variados do prograa (que consta do Manual do Candidato). Elas são foruladas

Leia mais

b) Dalton proporções definidas. c) Richter proporções recíprocas. d) Gay-Lussac transformação isobárica. e) Proust proporções constantes.

b) Dalton proporções definidas. c) Richter proporções recíprocas. d) Gay-Lussac transformação isobárica. e) Proust proporções constantes. APRFUDAMET QUÍMIA 2012 LISTA 9 Leis ponderais e voluétricas, deterinação de fórulas, cálculos quíicos e estudo dos gases. Questão 01) A Lei da onservação da Massa, enunciada por Lavoisier e 1774, é ua

Leia mais

Manipulação, Armazenamento, Comercialização e Utilização de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)

Manipulação, Armazenamento, Comercialização e Utilização de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) É ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO DE OPERAÇÕES DE DEFESA CIVIL Departaento de Proteção Contra Incêndio, Explosão e Pânico NORMA TÉCNICA n. 28/2008 Manipulação,

Leia mais

IMPULSO E QUANTIDADE DE MOVIMENTO

IMPULSO E QUANTIDADE DE MOVIMENTO IMPULSO E QUNTIDDE DE MOVIMENTO 1. Ua bolinha se choca contra ua superfície plana e lisa co velocidade escalar de 10 /s, refletindo-se e seguida, confore a figura abaixo. Considere que a assa da bolinha

Leia mais

Pré-Dimensionamento de Estruturas de Aço e Madeira

Pré-Dimensionamento de Estruturas de Aço e Madeira Pré-Dimensionamento de Estruturas de Aço e Madeira Aplicações para Perfis Formados a Frio e Perfis aminados AMA (FAE-472) Estruturas de Aço e Madeira Prof. Alexandre andesmann Departamento de Estruturas

Leia mais

Curso Profissional de Técnico de Energias Renováveis 1º ano. Módulo Q 2 Soluções.

Curso Profissional de Técnico de Energias Renováveis 1º ano. Módulo Q 2 Soluções. Curso Profissional de Técnico de Energias Renováveis 1º ano Docuento de apoio Módulo Q 2 Soluções. 1. Dispersões 1.1. Disperso e dispersante Dispersão Ua dispersão é ua istura de duas ou ais substâncias,

Leia mais

Volume II - Número II - Mai./Ago. - 2011

Volume II - Número II - Mai./Ago. - 2011 e v i s t a Gestão Pública em uritiba Volume II - Número II - Mai./Ago. - 2011 Instituto Municipal de Administração

Leia mais

Aços Longos. Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria

Aços Longos. Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria Aços Longos Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria Perfis e Barras Linha Estrutural e Serralheria Padrão de Qualidade O padrão de qualidade dos produtos ArcelorMittal está presente também na linha

Leia mais

que faz a velocidade angular de um corpo mudar. Como, então, explicar que a velocidade angular do martelo dessa Figura permanece constante?

que faz a velocidade angular de um corpo mudar. Como, então, explicar que a velocidade angular do martelo dessa Figura permanece constante? Exercícios Sears & Zeanski, Young & Freedan Física 0ª Edição Editora Pearson Capítulo 0 Torque e Moento angular QUESTÕES PAA DISCUSSÃO Q0. Ao apertar os parafusos da cabeça do otor de u autoóvel, a grandeza

Leia mais

Selo diafragma com conexão flangeada Com diafragma faceado ao processo Modelo 990.27

Selo diafragma com conexão flangeada Com diafragma faceado ao processo Modelo 990.27 Selo diafragma Selo diafragma com conexão flangeada Com diafragma faceado ao processo Modelo 990.27 WIKA Folha técnica DS 99.27 Outras aprovações veja página 3 Aplicações Indústria de processos químicos

Leia mais

Optima Para projetos únicos.

Optima Para projetos únicos. Optima Para projetos únicos. iq Optima (cores 3242825, 3242862 e 3242841) Classic Colours 3242836 CS 1290078 A 414 3242860 CS 1290066 3242903 CS 1290092 3242904 CS 1290093 A 212 3242821 CS 1290032 A 821

Leia mais

Selo diafragma com conexão higiênica Para aplicações sanitárias Modelos 990.18, 990.19, 990.20 e 990.21, conexão rosqueada

Selo diafragma com conexão higiênica Para aplicações sanitárias Modelos 990.18, 990.19, 990.20 e 990.21, conexão rosqueada Selos diafragma Selo diafragma com conexão higiênica Para aplicações sanitárias Modelos 990.18, 990.19, 990.20 e 990.21, conexão rosqueada WIKA folha de dados DS 99.40 outras aprovações veja página 3 Aplicações

Leia mais

4 UM MODELO DE SAZONALIZAÇÃO DA GARANTIA FÍSICA DE PCHS EM PORTFOLIOS PCH+BIOMASSA

4 UM MODELO DE SAZONALIZAÇÃO DA GARANTIA FÍSICA DE PCHS EM PORTFOLIOS PCH+BIOMASSA EM PORTFOLIOS PCH E BIOMASSA 48 4 UM MODELO DE SAZONALIZAÇÃO DA GARANTIA FÍSICA DE PCHS EM PORTFOLIOS PCH+BIOMASSA Confore explicado no capitulo anterior, a decisão do agente hidráulico de coo sazonalizar

Leia mais

Construmetal 2010 Habitação de Interesse Social em Aço

Construmetal 2010 Habitação de Interesse Social em Aço Construmetal 2010 Habitação de Interesse Social em Aço Setembro 2010 Contexto da Habitação Social O déficit habitacional brasileiro é de 7 milhões de unidades e só poderá ser combatido de forma efetiva

Leia mais

Building Services. Circuladores para sistemas de aquecimento, sanitários e refrigeração Série ECOCIRC TLC FLC

Building Services. Circuladores para sistemas de aquecimento, sanitários e refrigeração Série ECOCIRC TLC FLC Circuladores para sisteas de aqueciento, sanitários e refrigeração Série ECOCIRC TLC FLC Série Ecocirc TLC FLC O otivo da escolha A vasta gaa de circuladores da ITT Lowara é a sua prieira escolha devido

Leia mais

CIRCUITOS ELÉTRICOS REGIME PERMANENTE SENOIDAL, REPRESENTAÇÃO FASORIAL E POTÊNCIAS ELÉTRICAS

CIRCUITOS ELÉTRICOS REGIME PERMANENTE SENOIDAL, REPRESENTAÇÃO FASORIAL E POTÊNCIAS ELÉTRICAS CICUIOS EÉICOS EGIME PEMANENE SENOIDA, EPESENAÇÃO FASOIA E As análises de circuitos até o presente, levou e consideração a aplicação de fontes de energia elétrica a u circuito e conseqüente resposta por

Leia mais

ANÁLISE DE ERROS. Todas as medidas das grandezas físicas deverão estar sempre acompanhadas da sua dimensão (unidades)! ERROS

ANÁLISE DE ERROS. Todas as medidas das grandezas físicas deverão estar sempre acompanhadas da sua dimensão (unidades)! ERROS Físca Arqutectura Pasagístca Análse de erros ANÁLISE DE ERROS A ervação de u fenóeno físco não é copleta se não puderos quantfcá-lo Para é sso é necessáro edr ua propredade físca O processo de edda consste

Leia mais

GUIA VERTICAL PARA RACK DATA CENTER

GUIA VERTICAL PARA RACK DATA CENTER GUIA VERTICAL PARA RACK DATA CENTER Manual de Instalação GUIA VERTICAL PARA RACK DATA CENTER APRESENTAÇÃO FURUKAWA INDUSTRIAL S.A. Produtos Elétricos Empresa especializada em soluções completas de alta

Leia mais

Construção de um sistema de Realidade Virtual (1 a Parte) O Engine Físico

Construção de um sistema de Realidade Virtual (1 a Parte) O Engine Físico Construção de u sistea de Realidade Virtual (1 a Parte) O Engine Físico Roberto Scalco, Fabrício Martins Pedroso, Jorge Tressino Rua, Ricardo Del Roio, Wellington Francisco Centro Universitário do Instituto

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG.. Cabos Elétricos e Acessórios 02.1. Geral 02.2. Noras 02.3. Escopo de Forneciento 02 T-.1. Tabela 02.4. Características Construtivas 04.4.1. Aplicação 04.4.2. Diensionaento 04.4.3.

Leia mais

CONCORRÊNCIA Nº 007/2012/CPL-GERAL/CML/SEMAD/PVH PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO

CONCORRÊNCIA Nº 007/2012/CPL-GERAL/CML/SEMAD/PVH PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO CONCORRÊNCIA Nº 7/212/CPL-GERAL/CML/SEMAD/PVH PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PARQUE DAS ÁGUAS

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL 002/2014 EDITAL 002/2014 - RETIFICAÇÃO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO PRESENCIAL N.º 002/2014

PREGÃO PRESENCIAL 002/2014 EDITAL 002/2014 - RETIFICAÇÃO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO PRESENCIAL N.º 002/2014 PREGÃO PRESENCIAL 002/2014 EDITAL 002/2014 - RETIFICAÇÃO Retifica a sequência numérica dos itens, no sub item 3 - DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS, NO ANEXO I, TERO DE REFERENCIA DO PREGÃO PRESENCIAL 002/2014 3

Leia mais

Passado, presente e futuro

Passado, presente e futuro Passado, presente e futuro A SteelPack iniciou suas atividades em 1989 com beneficiamento de bobinas laminadas a quente e a frio, decapadas, zincadas e alumínio. Em 2011 ampliou sua capacidade produtiva,

Leia mais

Existemcorposdeordemq se, e somente se, q éumapotência de primo.

Existemcorposdeordemq se, e somente se, q éumapotência de primo. Corpos Finitos U corpo é, grosso odo, u conjunto no qual podeos soar, subtrair, ultiplicar e dividir por não nulo, no qual vale todas as propriedades usuais de tais operações, incluindo a coutativa da

Leia mais

= C. (1) dt. A Equação da Membrana

= C. (1) dt. A Equação da Membrana A Equação da Mebrana Vaos considerar aqui ua aproxiação e que a célula nervosa é isopotencial, ou seja, e que o seu potencial de ebrana não varia ao longo da ebrana. Neste caso, podeos desprezar a estrutura

Leia mais

Exercícios. setor 1302. Aulas 39 e 40. 1L (mar) 30 g x 60 10 3 g x = 2 10 3 L ou m 1 C = V 60 10. τ = m 1 V = 2 10 3 L

Exercícios. setor 1302. Aulas 39 e 40. 1L (mar) 30 g x 60 10 3 g x = 2 10 3 L ou m 1 C = V 60 10. τ = m 1 V = 2 10 3 L setor 1302 13020508 Aulas 39 e 40 CONCENTRAÇÃO COMUM, PORCENTAGEM EM MASSA DE SOLUTO E NOÇÃO DE PPM (PARTES POR MILHÃO) Concentração Concentração Cou (C) C 1 Densidade (d) g/l; g/ 3, etc d 1+ 2 g/c 3,

Leia mais

Normas para o Projeto das Estradas de Rodagem

Normas para o Projeto das Estradas de Rodagem MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM Noras para o Projeto das Estradas de Rodage Aprovadas pelo Senhor Ministro da Viação e Obras Públicas consoante Portarias núeros

Leia mais

Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Nome: R.A. Gabarito 4 a lista de exercícios

Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Nome: R.A. Gabarito 4 a lista de exercícios Engenharia Quíica Físico Quíica I. O abaixaento da pressão de vapor do solvente e soluções não eletrolíticas pode ser estudadas pela Lei de Raoult: P X P, onde P é a pressão de vapor do solvente na solução,

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Eng. Mecânica. Introdução aos ciclos de refrigeração

Programa de Pós-Graduação em Eng. Mecânica. Introdução aos ciclos de refrigeração Nov/03 Prograa de Pós-Graduação e Eng. Mecânica Disciplina: Siulação de Sisteas Téricos Introdução aos ciclos de refrigeração Organização: Ciclo de Carnot Ciclo padrão de u estágio de copressão Refrigerantes

Leia mais

2 O Preço Spot de Energia Elétrica do Brasil

2 O Preço Spot de Energia Elétrica do Brasil 2 O Preço Spot de Energia Elétrica do Brasil Inicialente, vai se expor de ua fora uita sucinta coo é criado o preço spot de energia elétrica do Brasil, ais especificaente, o CMO (Custo Marginal de Operação).

Leia mais

SOBRE O PROBLEMA DA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA DE UM CORPO

SOBRE O PROBLEMA DA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA DE UM CORPO 44 SOBRE O PROBLEMA DA VARIAÇÃO DE TEMPERATURA DE UM CORPO Resuo Jair Sandro Ferreira da Silva Este artigo abordará a aplicabilidade das Equações Diferenciais na variação de teperatura de u corpo. Toareos

Leia mais

Propagação do Potencial de Ação ao Longo do Axônio

Propagação do Potencial de Ação ao Longo do Axônio 5910187 Biofísica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 1 Propagação do Potencial de Ação ao Longo do Axônio Os experientos originais de Hodgkin e Huxley que os levara ao seu odelo era realizados e condições

Leia mais

Recomenda-se que os requisitos gerais desta Norma sejam adequados pela autoridade competente à legislação específica local.

Recomenda-se que os requisitos gerais desta Norma sejam adequados pela autoridade competente à legislação específica local. AGO 2000 NBR 14570 ABNT Associação Brasileira de Noras Técnicas Instalações internas para uso alternativo dos gases GN e GLP - Projeto e execução Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP

Leia mais

AGEL Anéis Gaxetas Equipamentos Ltda ÍNDICE. Dimensões para usinagem dos canais para alojamento Página Gaxeta 3 Raspador 4. Alicate de Instalação 5

AGEL Anéis Gaxetas Equipamentos Ltda ÍNDICE. Dimensões para usinagem dos canais para alojamento Página Gaxeta 3 Raspador 4. Alicate de Instalação 5 AGEL Anéis Gaxetas Equipamentos Ltda ÍNDICE Dimensões para usinagem dos canais para alojamento Página Gaxeta 3 Raspador 4 Ferramenta Página Alicate de Instalação 5 Gaxetas Página Perfil - B 7 Perfil -

Leia mais

Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41

Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41 Selos diafragma Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41 WIKA folha de dados DS 99.32 outras aprovações veja página 3 Aplicações Para montagem (montagem direta,

Leia mais

Rua Dianópolis, 122-1º andar CEP: 03125-100 - Parque da Mooca - São Paulo / SP - Brasil Telefone: 55 (11) 2066-3350 / Fax: 55 (11) 2065-3398

Rua Dianópolis, 122-1º andar CEP: 03125-100 - Parque da Mooca - São Paulo / SP - Brasil Telefone: 55 (11) 2066-3350 / Fax: 55 (11) 2065-3398 Frefer System Estruturas Metálicas Rua Dianópolis, 122-1º andar CEP: 03125-100 - Parque da Mooca - São Paulo / SP - Brasil Telefone: 55 (11) 2066-3350 / Fax: 55 (11) 2065-3398 www.frefersystem.com.br A

Leia mais

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO

EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Contribuição técnica nº 19 EDIFÍCIOS GARAGEM ESTRUTURADOS EM AÇO Autor: ROSANE BEVILAQUA Eng. Consultora Gerdau SA São Paulo, 01 de setembro de 2010. PROGRAMA Introdução Vantagens da utilização de Edifícios

Leia mais

Resposta em Freqüência Filtros Passivos 1. Resposta em freqüência XL = XC 1.1. Resistor quanto à freqüência:

Resposta em Freqüência Filtros Passivos 1. Resposta em freqüência XL = XC 1.1. Resistor quanto à freqüência: Ω Ω Ω π π Ω µ Ω Ω Ω Ω Ω φ φ φ π Ω Ω π Ω µ Ω Ω Ω Ω Ω φ φ Ω µ µ µ Ω Ω µ µ Ω α α α θ α θ ( ) () Ω Ω ( ) Ω Ω ( ) ( ) ( ) ( ) α α α () α! α α α α! ( )! ()! ( ) R Ve - C Vs - ( ) ( ) α ( ) ( ) ( ) (

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª

ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES CARGO/ FORMÇÃO ÚLTIMA CLASSIFICAÇÃO CONVOCADA EDITAL 01/2011 PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª ACOMPANHAMENTO DAS CONVOCAÇÕES PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 51ª PROFISSIONAL JÚNIOR ADMINISTRAÇÃO NACIONAL 3ª PCD * PROFISSIONAL JÚNIOR ANALISTA DE SISTEMAS - ÊNFASE EM INFRAESTRUTURA RJ

Leia mais

Cálculo de resistência para poços de proteção

Cálculo de resistência para poços de proteção Informação técnica Cálculo de resistência para poços de proteção WIKA folha de dados IN 00.15 Aplicações O cálculo de resistência em um poço de proteção é uma prova matemática da capacidade do mesmo em

Leia mais

E L E V A D O R A C E S S I B I L I D A D E

E L E V A D O R A C E S S I B I L I D A D E E L E V A D O R A C E S S I B I L I D A D E REV DEZ/2011 Imagens meramente ilustrativas. Com mais de 15 anos de mercado, a Daiken apresenta a experiência e a tecnologia de uma empresa que é referência

Leia mais

Modelagem e Simulação de um Sistema de Comunicação Digital via Laço Digital de Assinante no Ambiente SIMOO

Modelagem e Simulação de um Sistema de Comunicação Digital via Laço Digital de Assinante no Ambiente SIMOO Modelage e Siulação de u Sistea de Counicação Digital via Laço Digital de Assinante no Abiente SIMOO Luciano Agostini 1 Gaspar Steer 2 Tatiane Capos 3 agostini@inf.ufrgs.br gaspar@inf.ufrgs.br tatiane@inf.ufrgs.br

Leia mais

ATIVIDADE DE COMPOSTAGEM

ATIVIDADE DE COMPOSTAGEM ATIVIDADE DE COMPOSTAGEM 1. Identificação Epresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-ail: Atividade: Localização do epreendiento (Endereço): Bairro: CEP: Contato:

Leia mais

Cálculo da Velocidade na Secção de Medida

Cálculo da Velocidade na Secção de Medida DIMENSIONAMENTO DAS UNIDADES DE MISTURA RÁPIDA E LENTA Dados do Projeto Vazão: 1,0 /s Mistura rápida: Calha Parshall Mistura lenta: Sistea de floculação hidráulico ou ecanizado 1. Diensionaento da Calha

Leia mais

UHE Igarapava Como o monitoramento do entreferro evitou danos de grande monta no gerador

UHE Igarapava Como o monitoramento do entreferro evitou danos de grande monta no gerador UHE Igarapava Coo o onitoraento do entreferro evitou danos de grande onta no gerador utores: Raiundo Jorge Ivo Metzker, CEMIG Marc R. Bissonnette, VibroSystM ndré Tétreault, VibroSystM Jackson Lin, VibroSystM

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014 Departamento Comercial e Assistência Técnica: Av. Infante D. Henrique, lotes 2E-3E - 1800-220 LISBOA * Tel.: +351.218 500 300 Novembro 2014 FICHA TÉCNICA Depósitos Gama S ZB-Solar www.vulcano.pt FICHA

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE BARRAS E PERFIS AÇO PARA INDÚSTRIA TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Ao usar a ampla linha de Barras e Perfis Gerdau, você coloca mais qualidade no seu trabalho. Cada produto foi desenvolvido

Leia mais

Ficha de Dados de Segurança

Ficha de Dados de Segurança Ficha de Dados de Segurança SECÇÃO 1: Identificação da substância/istura e da sociedade/epresa 1.1. Identificador do produto: Tinteiro EPSON T6309 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância

Leia mais

PONTO DE CONSOLIDAÇÃO LGX 1P/2P

PONTO DE CONSOLIDAÇÃO LGX 1P/2P PONTO DE CONSOLIDAÇÃO LGX 1P/2P Manual de Instalação PONTO DE CONSOLIDAÇÃO LGX 1P/2P APRESENTAÇÃO FURUKAWA INDUSTRIAL S.A. Produtos Elétricos Empresa especializada em soluções completas de alta performance

Leia mais

HANGARES: da história à atualidade Prioridade ao aço na proteção de aviões e reaproveitamento de estrutura

HANGARES: da história à atualidade Prioridade ao aço na proteção de aviões e reaproveitamento de estrutura Edição 94 2009 ISSN 1414-6517 Publicação Especializada da ABCEM Associação Brasileira da Construção Metálica HANGARES: da história à atualidade Prioridade ao aço na proteção de aviões e reaproveitamento

Leia mais

FINANCIAMENTOS E GARANTIAS

FINANCIAMENTOS E GARANTIAS FINANCIAMENTOS E GARANTIAS Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios Fortaleza, 1º de Outubro de 2015 Fábio Sertori A REDE DE CONTRATOS A REDE DE CONTRATOS Por que

Leia mais