Manual de Operação e Configuração

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Operação e Configuração"

Transcrição

1 Manual de Operação e Configuração LEITOR DE CÓDIGO DE BARRAS BIVISON modelo LZ-1000 Sem fio Tecnologia ZigBee Exclusivo alcance de até 100 metros Versão 321 Dezembro de

2 Conteúdo Pg 01 Sobre este manual Como configurar os parâmetros do leitor Inserção de caracteres em meio aos aos códigos09 04 Definindo o caracter terminador Preâmbulo, postâmbulo e outros12 Detalhes sobre cada um dos padrões de código 06 UPC-A14 07 UPC-E16 08 EAN EAN Código CODABAR25 12 Código Código de 5 Intercalado de 5 Industrial de 5 Matrix Código Postal Chinês39 18 Plessey/MSI Código Código Telepen GS1 DataBar49 Anexos51 2 3

3 (5) Leitura do código fim de programação (pág 13) 01 SOBRE ESTE MANUAL Obs: Para encontrar a correspondência entre as letras do preâmbulo e os códigos hexadecimais utilizar a tabela constante nas páginas 52 e 53 Para uma perfeita adaptação do Leitor BIVISION modelo LZ-1000 ao seu aplicativo, talvez seja necessário alterar um ou mais parâmetros que definem a maneira que o leitor irá se comportar Exemplo 2 Programar um postâmbulo igual a LZ-1000, a ser enviado após cada código lido: (1) Leitura do código início de programação (pág 12) (2) Leitura do código postâmbulo programar (pág 12) (3) Leitura dos valores 4C, 5A, 2D, 31, 30, 30, 30 na tabela hexadecimal (pág 54) (4) Leitura do código de confirmação (pág 54) (5) Leitura do código fim de programação (pág 13) Este manual descreve a forma de programação dos diversos parâmetros comportamentais do Leitor BIVISION modelo LZ-1000 Contudo, recomenda-se que antes de alterar qualquer parâmetro o usuário tenha certeza que tal alteração é realmente necessária, uma vez que para a grande maioria das aplicações não é necessário nenhum tipo de programação ou mudança nesses parâmetros 02 COMO CONFIGURAR OS PARÂMETROS Obs: Para encontrar a correspondência entre as letras do postâmbulo e os códigos hexadecimais utilizar a tabela constante nas páginas 52 e 53 Exemplo 3 Programar um identificador C para identificar qualquer Código 39 que seja lido: (1) Leitura do código início de programação (pág 22) (2) Leitura do código de programação do identificador do CÓDIGO 39 programar (pág 22) (3) Leitura dos valores 43 na tabela hexadecimal (pág 54) (4) Leitura do código de confirmação (pág 54) (5) Leitura do código identificador habilitada (pág 13) (6) Leitura do código fim de programação (pág 13) Em regra, a programação dos parâmetros comportamentais do Leitor BIVISION modelo LZ-1000 é feita da seguinte maneira: (1) Leitura do código especial intitulado início de programação (2) Leitura dos códigos correspondentes às opções desejadas (3) Leitura do código especial intitulado fim de programação Como exceção à esta regra, tem-se o códigos especial abaixo, que se destina a enviar a versão do software básico presente no leitor Mostra a versão do software básico do Leitor Sempre que houver dúvidas quanto ao estado das diversas 8 5

4 variáveis do leitor, deve-se ler os três códigos abaixo, na seqüência, para retornar todos os parâmetros comportamentais do leitor à sua condição original Este procedimento é conhecido pelo nome de voltar ao default Nesses casos, a programação se dará pelos seguintes passos: (1) Leitura do código especial intitulado início de programação (2) Leitura dos códigos hexadecimais requeridos (pág 54) (3) Leitura do código de confirmação (pág 54) (4) Leitura do código especial intitulado fim de programação O formato geral dos códigos lidos e enviados ao computador pode ser esquematizado da seguinte forma: Volta os parâmetros para os valores Default {Preâmbulo} {Identificador do padrão do código lido} {Código lido + os caracteres inseridos} {Postâmbulo} {Terminador} Pode-se inserir um conjunto de até 10 (dez) caracteres para um preâmbulo e um postâmbulo (se desejados) O Identificador do padrão do código lido é representado sempre por um caracter (se desejado) Obs: nas páginas seguintes, as opções marcadas com (*) são as Default, isto é, aquelas que são automaticamente assumidas quando os códigos acima são lidos Como mencionado anteriormente, a programação da grande maioria dos parâmetros comportamentais do Leitor BIVISION modelo LZ-1000 é feita da seguinte maneira: O terminador pode ser representado por nenhum, um ou dois caracteres de controle especiais, como o CR e o LF Abaixo exemplos de programação desses parâmetros, bem como a forma de ativá-los Exemplo 1 (1) Leitura do código especial intitulado início de programação (2) Leitura dos códigos correspondentes às opções desejadas (3) Leitura do código especial intitulado fim de programação Entretanto, para alguns parâmetros especiais serão necessárias várias leituras para completar a programação, como por exemplo para o preâmbulo, postâmbulo e outros Programar um preâmbulo igual a BIVISION, a ser enviado precedendo cada código lido: (1) Leitura do código início de programação (pág 12) (2) Leitura do código preâmbulo programar (pág 12) (3) Leitura dos valores 42, 49, 56, 49, 53, 4F, 4E na tabela hexadecimal (pág 54) (4) Leitura do código de confirmação (pág 54) 6 7

5 05 PREÂMBULO, POSTÂMBULO E OUTROS Obs: Para encontrar a correspondência entre a letras do identificador e os códigos hexadecimais utilizar a tabela constante nas páginas 52 e 53 Exemplo 4 Habilitar a leitura de códigos no padrão 2 de 5 Intercalado: Preâmbulo (default = 00H = nenhum) Postâmbulo (default = 00H = nenhum) Inserção de caracteres G1 Inserção de caracteres G2 Posição para inserção G1 (Default = 00H = nenhuma) Posição para inserção G2 (Default = 00H = nenhuma) Programar (01-40H) Programar (01-40H) (1) Leitura do código início de programação (pág 33) (2) Leitura do código Leitura do padrão 2 de 5 intercalado habilitada (pág 33) (3) Leitura do código fim de programação (pág 34) 03 INSERÇÃO DE CARACTERES EM MEIO AOS CÓDIGOS O Leitor BIVISION modelo LZ-1000 permite a inserção caracteres em meio aos códigos lidos Essa inserção se dá conforme o grupo ao qual pertence o padrão do código lido Existem dois grupos distintos de códigos, denominados G1 e G2 Para definir que um determinado padrão pertence a um determinado grupo (G1 ou G2), proceder conforme o exemplo abaixo Pode-se definir dois conjuntos de até 10 (dez) caracteres a serem inseridos em meio aos códigos lidos, um conjunto para cada um dos grupos (G1 e G2) O exemplo a seguir ilustra claramente o processo de definição dos caracteres a serem inseridos e a definição do grupo (G1 ou G2): Exemplo

6 Deseja-se inserir os números 456 na 3ª posição de qualquer código lido do padrão Código 39 Ou seja, se o código lido for BIVISION o leitor enviará ao computador a seqüência BI456VISION : 04 DEFININDO O CARACTER TERMINADOR (1) Leitura do código início de programação (pág 12) (2) Leitura do código posição para inserção de caracteres G1 programar (pág 12) (3) Leitura dos códigos 03 na tabela hexadecimal (pág 54) (4) Leitura do código de confirmação (pág 54) (5) Leitura do código inserção de caracteres G1 programar (pág 12) (6) Leitura dos códigos 34, 35, 36 na tabela hexadecimal (pág 54) (7) Leitura do código de confirmação (pág 54) (8) Leitura do código início de programação (pág 22) (9) Leitura do código (pág 24) (10) Leitura dos códigos 01 na tabela hexadecimal (pág 54) (11) Leitura do código de confirmação (pág 54) (12) Leitura do código fim de programação (pág 24) PARÂMETRO Caracter terminador Nenhum *CR+LF CR LF Obs: Para encontrar a correspondência entre os caracteres a serem inseridos e os códigos hexadecimais utilizar a tabela constante nas páginas 52 e 53 TAB Após os passos 1 a 12 acima terem sido executados, os caracteres 456 serão inseridos em todos os códigos lidos, se forem do padrão Código 39 Se for o caso, repetir o processo descrito para outros padrões, bem como para definição do segundo grupo (G2) 10 11

7 07 UPC-E CONTINUAÇÃO Identificador Leitura do padrão UPC-E * Precisão das leituras * Lê uma vez Programação do identificador do Lê duas vezes UPC-E (Default = G ) Códigos positivos ou negativos Códigos negativos Expansão UPC-E para UPC-A * Códigos positivos * Eliminação de digitos à esquerda Programar (00-08H) 16 13

8 06 UPC-A CONTINUAÇÃO Eliminação de digitos à esquerda Programar (00-0DH) Eliminação de digitos à direita Programar (00-0DH) Leitura do padrão UPC-A * Programação do identificador do * Nenhum UPC-A (Default = F ) 2 digitos Expansão UPC-A para EAN-13 Complementos 5 digitos 2 ou 5digitos Auto-discriminante * Eliminação do zero à esquerda 14 15

9 09 EAN-8 CONTINUAÇÃO Eliminação de digitos à direita Programar (00-08H) Leitura do padrão EAN-9 * Eliminação do zero à esquerda Programação do identificador do EAN-8 (Default = I ) * Nenhum 2 digitos * Complementos Eliminação de digitos à esquerda Programar (00-08H) 5 digitos 2 ou 5 digitos Auto-discriminante 20 17

10 08 EAN-13 CONTINUAÇÃO * Nenhum 2 digitos Leitura do padrão EAN-13 Complementos 5 digitos * 2 ou 5 digitos Programação do identificador do EAN-13 (Default = H ) Auto-discriminante Conversão ISBN / ISSN * Eliminação de digitos à esquerda Programar (00-0DH) Eliminação de digitos à direita Programar (00-0DH) 18 19

11 CONTINUAÇÃO CONTINUAÇÃO Eliminação de digitos à direita Envia os caracteres de Start/Stop Programar (00-08H) * Nenhum Eliminação de caracteres à esquerda Programar (00-32H) 2 digitos Eliminação de caracteres à direita Programar (00-32H) Complementos 5 digitos 2 ou 5 digitos Auto-discriminante 24 21

12 10 CÓDIGO 39 CONTINUAÇÃO Concatenação Leitura do padrão CÓDIGO 39 Tamanho mínimo dos códigos (Default = 00H = qualquer) Programar (00-32H) * Tamanho máximo dos códigos (Default = 00H = qualquer) Programar (00-32H) Programação do identificador do CÓDIGO 39 (Default = J ) Formato * Código 39 padrão Verificação do check-digit Código 39 Full ASCII * 22 23

13 12 CÓDIGO CODABAR Leitura do padrão CÓDIGO 93 Leitura do padrão CODABAR * * Programação do identificador do Programação do identificador do CÓDIGO 93 (Default = L ) Ref: Appendix (20-7EH) CODABAR (Default = K ) Verificação do check-digit Verificação do check-digit * * 28 25

14 CONTINUAÇÃO CONTINUAÇÃO Tamanho mínimo dos códigos Concatenação (Default = 05H) Programar (00-3CH) Tamanho máximo dos códigos (Default = 3CH) Programar (00-3CH) Eliminação de caracteres à esquerda (Default = 00 = nenhum) Programar (00-7EH) Eliminação de caracteres à direita Programar (00-7EH) * ABCD / ABCD Tipos de caracteres de Start / Stop abcd / abcd abcd / tn*e Envío dos caracteres de Start / Stop 26 27

15 CONTINUAÇÃO CONTINUAÇÃO Separador de campo GS Habilita Eliminação de caracteres à esquerda Programar (00-7FH) Tamanho mínimo dos códigos Eliminação de caracteres à direita Programar (00-7FH) (Default = 00H) Tamanho máximo dos códigos Programar (0-50H) Tamanho mínimo dos códigos (Default = 00H) Programar (00-7FH) (Default = 50H) Programar (0-50H) Tamanho máximo dos códigos (Default = 7FH) Programar (00-7FH) Eliminação de caracteres à esquerda Programar (00-7EH) Eliminação de caracteres à direita Programar (00-7EH) 32 29

16 13 CÓDIGO 128 CONTINUAÇÃO Leitura do padrão CÓDIGO 128 Concatenação FNC2 * Programação do identificador do CÓDIGO 128 (Default = M ) Padrão UCC / EAN128 Verificação do check-digit * Transmissão FNC

17 CONTINUAÇÃO 14 2 de 5 Intercalado Eliminação de dígitos à esquerda Programar (00-32H) Eliminação de dígitos à direita Programar (00-32H) Leitura do padrão 2 de 5 * Desabilitado Intercalado Verificação do check-digit Habilitado Programação do identificador do 2 de 5 Intercalado (Default = N ) Verificação do check-digit Desabilitado * * Habilitado Desabilitado * Habilitado 36 33

18 CONTINUAÇÃO 15 2 de 5 INDUSTRIAL Eliminação de dígitos à esquerda Programar (00-7EH) Eliminação de dígitos à direita Tamanho mínimo dos códigos (Default = 04H) Programar (00-7EH) Programar (04-7FH) Leitura do padrão 2 de 5 Industrial * Desabilitado Habilitado Tamanho máximo dos códigos (Default = 7FH) Programar (00-7FH) Programação do identificador do 2 de 5 Industrial (Default = O ) Tamanho mínimo dos códigos (Default = 00H) Programar (00-32H) Tamanho máximo dos códigos (Default = 32H) Programar (00-32H) 34 35

19 CONTINUAÇÃO 16 2 de 5 Matrix Eliminação de dígitos à esquerda Programar (00-50H) Eliminação de dígitos à direita Tamanho mínimo dos códigos (Default = 00H) Programar (00-50H) Programar (00-50H) Leitura do padrão 2 de 5 Matrix Tamanho máximo dos códigos (Default = 50H) Programar (00-50H) Programação do identificador do 2 de 5 Matrix (Default = P ) Verificação do check-digit 40 37

20 CONTINUAÇÃO 17 CÓDIGO POSTAL CHINÊS * Eliminação de dígitos à esquerda Leitura do padrão Código Postal Programar (00-50H) Chinês Eliminação de dígitos à direita Tamanho mínimo dos códigos Programar (00-50H) Programação do identificador do Código Postal Chinês (Default= Q ) (Default = 0BH) Programar (00-50H) Tamanho mínimo dos códigos Verificação do check-digit (Default = 50H) Programar (00-50H) * 38 39

21 CONTINUAÇÃO 18 PLESSEY / MSI Eliminação de dígitos à esquerda Programar (00-0AH) Eliminação de dígitos à direita Programar (00-0AH) Leitura do padrão PLESSEY / MSI Programação do identificador do PLESSEY / MSI (Default= R ) Verificação do check-digit MOD 10 MOD 10/10 MOD 11/

22 CONTINUAÇÃO 19 CÓDIGO 32 * Eliminação de dígitos à esquerda Programar (00-3CH) Leitura do padrão Código 32 Eliminação de dígitos à direita Programar (00-3CH) Programação do identificador do Código 32 (Default= S ) Tamanho mínimo dos códigos (Default = 00H) Tamanho máximo dos códigos Programar (00-3CH) Verificação do check-digit (Default = 3CH) Programar (00-3CH) * * 42 43

23 CONTINUAÇÃO 20 CÓDIGO 11 Formato dos dados Apenas numérico * Full ASCII Eliminação de caracteres à esquerda Programar (00-40H) Leitura do padrão Código 11 Eliminação de caracteres à direita Tamanho mínimo dos códigos (Default = 00H) Programar (00-40H) Programar (00-40H) Programação do identificador do Código 11 (Default= T ) Tamanho máximo dos códigos (Default = 40H) Programar (00-40H) Verificação do check-digit * 48 45

24 CONTINUAÇÃO 21 TELEPEN Eliminação de dígitos à esquerda Programar (00-50H) Eliminação de dígitos à direita Programar (00-50H) Tamanho mínimo dos códigos (Default = 00H) Programar (00-50H) Leitura do padrão Telepen Tamanho máximo dos códigos (Default = 50H) Programar (00-50H) Programação do identificador do Telepen 11 (Default= V ) Verificação do check-digit * 46 47

25 Dec Hex Char Dec Hex Char 0 00 NUL SP 1 01 SOH 33 21! 2 02 STX ETX # 4 04 EOT $ 5 05 ENQ % 6 06 ACK & 7 07 BEL BS ( 9 09 HT ) 10 0A LF 42 2A * 11 0B VT 43 2B C FF 44 2C, 13 0D CR 45 2D E SO 46 2E 15 0F SI 47 2F / DLE DC DC DC DC NAK SYN ETB CAN EM A SUB 58 3A : 27 1B ESC 59 3B ; 28 1C FS 60 3C < 29 1D GS 61 3D = 30 1E RS 62 3E > 31 1F US 63 3F? 22 GS1 DATA BAR (RSS) RSS-14 RSS-14 Limitado RSS-14 Expandido Conversão RSS para UPC / EAN 52 49

26 CONTINUAÇÃO Anexos Transmissão do ID da aplicação * * NULL DLE SP P ` p 1 SOH Insert DC1 F1! 1 A Q a q 2 STX Delete DC2 F2 2 B R b r 3 ETX Home DC3 F3 # 3 C S c s 4 ETO End DC4 F4 $ 4 D T d t 5 EAQ Up NAK F5 % 5 E U e u 6 ACK Down SYN F6 & 6 F V f v 7 BEL Left ETB F7 7 G W g w 8 BS BS CAN F8 ( 8 H X h x 9 HT TAB EM F9 ) 9 I Y i y A LF LF SUB F10 * : J Z j z B VT Right ESC F11 + ; K [ k { C FF PgUp FS F12, < L \ l D CR Enter GS ESC - = M ] m } E SO PgDn RS Right ALT > N ^ n ~ F SI US Enter /? O _ o Del Nota 1: Se o código abaixo for lido, será utilizado pelo BIVISION os códigos em azul Nota 2: Se o código abaixo for lido, será utilizado pelo BIVISION os códigos em vermelho Exemplos: letra A=41H, letra Z=5AH, FF (form feed)=0ch (se o código da Nota 1 tiver sido lido), PgUp=0CH (se o código da Nota 2 tiover sido lido) 50 51

27 Dec Hex Char Dec Hex Char Exemplos de códigos de barras (1) A a B b Padrão EAN C c D d E e F f G G H h I i Padrão UPC-A 74 4A J 106 6A j 75 4B K 107 6B k 76 4C L 108 6C l 77 4D M 109 6D m 78 4E N 110 6E n 79 4F O 111 6F o P P Padrão EAN Q q R r S s T t U u V v W w Padrão UPC-E X x Y y 90 5A Z 122 7A z 91 5B [ 123 7B { 92 5C \ 124 7C 93 5D } 125 7D } 94 5E ^ 126 7E ~ 95 5F _ 127 7F DEL 56 53

28 Tabela Hexadecimal para programação Anotações Confirmação 54 55

29 Exemplos de códigos de barras (2) Padrão 2 de 5 intercalado Padrão CÓDIGO 39 Padrão CODABAR Padrão CÓDIGO

30 58 59

Gráfico: Fluxo de Configuração Parte I Informação do Sistema: Restaurar Padrões: Versão de Firmware:...

Gráfico: Fluxo de Configuração Parte I Informação do Sistema: Restaurar Padrões: Versão de Firmware:... 1 2014/04/V1.2 Sumário Gráfico: Fluxo de Configuração... 9 Parte I Informação do Sistema:... 10 1.1 Restaurar Padrões:... 10 1.2 Versão de Firmware:... 10 Parte II Configurações do Sistema:... 11 2.1 Interface:...

Leia mais

Manual de Programação

Manual de Programação Leitor de Código de Barras Manual de Programação 32-bits versão 2.0 Março de 2016 Conteúdo Instalação... 4 Instalação do modelo Keyboard Wedge... 4 Instalação do modelo RS-232... 4 Instalação do modelo

Leia mais

CODIFICADORES / DECODIFICADORES

CODIFICADORES / DECODIFICADORES CODIFICADORES / DECODIFICADORES Uma grande parte dos sistemas digitais trabalha com os níveis lógicos (bits) representando informações que são codificadas em bits. Exemplo: computador trabalha com informações

Leia mais

Sistemas Digitais Representação Digital de Informação

Sistemas Digitais Representação Digital de Informação Sistemas Digitais Representação Digital de Informação João Paulo Baptista de Carvalho (Prof. Auxiliar do IST) joao.carvalho@inesc-id.pt Representação de números em Base b Base 10: 435 10 = 4 x 100 + 3

Leia mais

Voyager 9520/40 Voyager GS9590 Eclipse 5145 Guia Rápido de Operação

Voyager 9520/40 Voyager GS9590 Eclipse 5145 Guia Rápido de Operação Voyager 9520/40 Voyager GS9590 Eclipse 5145 Guia Rápido de Operação VG-ECL-BP-QS Rev C 6/12 Introdução Desligue o computador antes de conectar o scanner e ligue-o quando o scanner estiver totalmente conectado.

Leia mais

ANEXO A. Prof. Erico Lisboa 53 http://www.ericolisboa.eng.br

ANEXO A. Prof. Erico Lisboa 53 http://www.ericolisboa.eng.br ANEXO A TABELA ASCII A As tabelas mostradas neste apêndice representam os 256 códigos usados nos computadores da família IBM. Esta tabela refere-se ao American Standard Code for Information Interchange

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS DIGITAIS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 8 - Antes de começar o estudo sobre decodificadores, o que é bastante semelhante ao que já vimos anteriormente é necessário relembrarmos alguns conceitos sobre códigos binários. 1. Códigos Binários

Leia mais

+ + + + + + CODABAR MANUAL PROGRAMAÇÃO VERSÃO 1.0 - JUNHO / 2008

+ + + + + + CODABAR MANUAL PROGRAMAÇÃO VERSÃO 1.0 - JUNHO / 2008 CODABAR MANUAL DE PROGRAMAÇÃO VERSÃO 1.0 - JUNHO / 2008 CONTEÚDO capítulo página Instalação --------------------------------------------------------------------------------------------- 7 Programação --------------------------------------------------

Leia mais

Manual de Referência de Código de Barras

Manual de Referência de Código de Barras Manual de Referência de Código de Barras Versão 0 BRA-POR 1 Introdução 1 Visão geral 1 1 Este guia de referência fornece informações sobre impressão de código de barras que usa comandos de controle enviados

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Sistemas Numéricos e Armazenamento de dados Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Outubro de 2006 Sistema de base dez O sistema de numeração

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS SISTEMAS DE NUMERAÇÃO E CÓDIGOS

SISTEMAS DIGITAIS SISTEMAS DE NUMERAÇÃO E CÓDIGOS SISTEMAS DE NUMERAÇÃO E CÓDIGOS SISTEMAS DE NUMERAÇÃO E CÓDIGOS - 2 SUMÁRIO: SISTEMAS DE NUMERAÇÃO DEFINIÇÃO DE SISTEMA DE NUMERAÇÃO EQUIVALENTE DECIMAL OPERAÇÕES ARITMÉTICAS BÁSICAS MUDANÇA DE SISTEMA

Leia mais

Manual de Referência de Código de Barras

Manual de Referência de Código de Barras Manual de Referência de Código de Barras Versão 0 POR 1 Introdução 1 Descrição geral 1 1 Este manual de referência fornece informação sobre impressão de códigos de barras com utilização de comandos de

Leia mais

Leitor Bematech BR-400 CCD

Leitor Bematech BR-400 CCD Leitor Bematech BR-400 CCD O Bematech BR-400 é perfeito para micro e pequenos varejos que desejam investir em automação comercial. É o mais rápido e eficiente da sua categoria. Conheça. www.bztech.com.br

Leia mais

Impressora Não Fiscal Diebold IM453HU

Impressora Não Fiscal Diebold IM453HU Impressora Não Fiscal Diebold IM453HU Baseada em tecnologia de última geração, a IM453HU é um equipamento dois em um: apresenta alto desempenho de impressão térmica e autenticação matricial. www.bztech.com.br

Leia mais

PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO PARA LMI-FCPU IBRACON (IMM)

PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO PARA LMI-FCPU IBRACON (IMM) PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO PARA LMI-FCPU IBRACON (IMM) O LMI-FCPU permite seis tipos de mensagem via rede de dados RS 485 configurada como 1200/9600 baud, sem paridade e 8 bits mais um start bit (1200,N,8,1)/(9600,N,8,1),

Leia mais

VIII. VARIÁVEIS. Tabela I ARQUITETURA DA MEMÓRIA. 0x0000 0x34 0x0001 0xB0 0x0002 0x23. 0xFFFF 0x00

VIII. VARIÁVEIS. Tabela I ARQUITETURA DA MEMÓRIA. 0x0000 0x34 0x0001 0xB0 0x0002 0x23. 0xFFFF 0x00 Fundamentos da Programação 32 A. Conceito Variáveis contém dados: VIII. VARIÁVEIS de entrada que o computador precisa manipular; de saída que o computador precisa imprimir; e temporários, utilizados de

Leia mais

Prof. Luís Caldas Sistemas de Numeração e Transformação de Base NUMERAÇÃO, BASE NUMÉRICA E TRANSFORMAÇÃO DE UMA BASE

Prof. Luís Caldas Sistemas de Numeração e Transformação de Base NUMERAÇÃO, BASE NUMÉRICA E TRANSFORMAÇÃO DE UMA BASE NUMERAÇÃO, BASE NUMÉRICA E TRANSFORMAÇÃO DE UMA BASE Os números são na verdade coeficientes de uma determinada base numérica e podem ser representados como números assinalados, não assinalados, em complemento

Leia mais

Leitor de códigos de barras Manual do Usuário

Leitor de códigos de barras Manual do Usuário Versão: 1.0.0 CPX-2200 Leitor de códigos de barras Manual do Usuário Leitor de código de barras CPX-2200 Manual do Usuário Ver: 1.0.0 Revisado em: 01/10/2013 1 Compex Tecnologia Ltda. Índice CPX-2200...

Leia mais

IS3480 QuantumE QuantumT 3580 Fusion 3780 Orbit 7120/7180 Solaris 7820. Guia rápido de instalação

IS3480 QuantumE QuantumT 3580 Fusion 3780 Orbit 7120/7180 Solaris 7820. Guia rápido de instalação IS3480 QuantumE QuantumT 3580 Fusion 3780 Orbit 7120/7180 Solaris 7820 Guia rápido de instalação Introdução Desligue o computador antes de conectar o scanner e ligue-o quando o scanner estiver totalmente

Leia mais

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Sistema de Interrupções do 8086 Prática 11 Gustavo G. Parma Assunto: sistema de interrupcões do 8086. Interrupções do DOS Objetivos: Apresentação do

Leia mais

Lic. Engenharia Informática

Lic. Engenharia Informática Sistemas de Computação Lic. Engenharia Informática 1º ano 2014/15 Alberto Proença, Luís Paulo Santos André Pereira, Roberto Ribeiro AJProença, Sistemas de Computação, UMinho, 2014/15 1 AJProença, Sistemas

Leia mais

Display Torre Serial MANUAL DO USUÁRIO

Display Torre Serial MANUAL DO USUÁRIO Display Torre Serial MANUAL DO USUÁRIO Manual do Usuário Display Torre Serial Edição de março de 2001 Este manual tem caráter técnico-informativo, sendo propriedade da SWEDA. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Em um sistema de numeração de base b qualquer, um número positivo é representado pelo polinômio:

Em um sistema de numeração de base b qualquer, um número positivo é representado pelo polinômio: ELETRÔNICA DIGITAl I 1 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO INTRODUÇÃO A base dos sistemas digitais são os circuitos de chaveamento (switching) nos quais o componente principal é o transistor que, sob o ponto de vista

Leia mais

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Aula 04 Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Prof. Otávio Gomes otavio.gomes@ifmg.edu.br sites.google.com/a/ifmg.edu.br/otavio-gomes/ 1 Bytes A maioria dos microcomputadores

Leia mais

Encarte Técnico GS1-128

Encarte Técnico GS1-128 Encarte Técnico GS1-128 1. Introdução O Sistema GS1 é composto pelas seguintes bases: Sistema de numeração, que inclui o GTIN (Número Global de Item Comercial), o SSCC (Código de Série de Unidade Logística),

Leia mais

Algoritmos e Estrutura de Dados Aula 04 Strings em Python parte 1

Algoritmos e Estrutura de Dados Aula 04 Strings em Python parte 1 Algoritmos e Estrutura de Dados Aula 04 Strings em Python parte 1 Profa. Alana Oliveira e Prof. Davi Viana alanaslz@gmail.com e davi.viana@lsdi.ufma.br Se não entender, pergunte 2 1 Slides adaptados de:

Leia mais

PRODUTO: IDENTIFICADOR DE CHAMADAS Ic-Box SUB-PRODUTO: DESCRIÇÃO: PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO USB/SERIAL ELABORAÇÃO: FABIO / Wagner / Kleber ÁREA: TEC

PRODUTO: IDENTIFICADOR DE CHAMADAS Ic-Box SUB-PRODUTO: DESCRIÇÃO: PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO USB/SERIAL ELABORAÇÃO: FABIO / Wagner / Kleber ÁREA: TEC PRODUTO: IDENTIFICADOR DE CHAMADAS Ic-Box SUB-PRODUTO: DESCRIÇÃO: PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO USB/SERIAL ELABORAÇÃO: FABIO / Wagner / Kleber ÁREA: TEC 1 Equipamentos: 1. IC-Box com interface USB/serial 2.

Leia mais

004 CTRL-D 036 $ 068 D 100 da. 017 CTRL-Q 049 1 081 Q 113 qopn

004 CTRL-D 036 $ 068 D 100 da. 017 CTRL-Q 049 1 081 Q 113 qopn :: InfoIsis - +qisis - Textos - DOS - 1 :: Home Page Uma abordagem Mais Ferramentas a Conjuntos Que Isis de Textos Caracteres Bases De DOS Dados ASCII no DOSProposta http://www.infoisis.eti.br/mqisi/tex/dos/pgtxdos001.htm

Leia mais

Fácil & Prático. Guia de Configuração. Versão 1.0 SL 80

Fácil & Prático. Guia de Configuração. Versão 1.0 SL 80 Fácil & Prático Guia de Configuração Versão 1.0 SL 80 Guia de Configuração Versão 1.0 1 Guia de Configuração SL-80 Versão 1.0 Copyright @ 2013 Este manual é protegido por copyright, com todos os direitos

Leia mais

Representação de Dados

Representação de Dados Arquitetura de Computadores I Memória Secundária (parte 1) Prof. Raphael Garcia Arquitetura de Computadores I Conteúdo: Representação dos Dados Sistemas de Armazenamento de Dados Mídias de Armazenamento

Leia mais

Redes Industriais. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng.

Redes Industriais. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Redes Industriais Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Criado na década de 1970 pela Modicon. É um dos mais antigos protocolos utilizados em redes de CLPs para aquisição de sinais de instrumentos e comandar

Leia mais

MANUAL DA IMPRESSORA DR700

MANUAL DA IMPRESSORA DR700 MANUAL DA IMPRESSORA DR700 Rev. 05 CÓDIGO HEX PARÂMETROS DESCRIÇÃO [LF] Inicia a impressão e avança uma linha [HT] Tabulação horizontal [VT] Tabulação vertical [FF] Avanço de página

Leia mais

Scanner Vertical NCR RealPOS (7884) Release 1.0 Guia de Configuração

Scanner Vertical NCR RealPOS (7884) Release 1.0 Guia de Configuração Scanner Vertical NCR RealPOS (7884) Release 1.0 Guia de Configuração Guia de Configuração Scanner Vertical NCR RealPOS 7884 2 O produto descrito neste manual é um produto licenciado da NCR Corporation.

Leia mais

Leitor Laser Bematech S-500

Leitor Laser Bematech S-500 Leitor Laser Bematech S-500 O leitor de código de barras Bematech S500 tem um ótimo desempenho na leitura laser em codificações 1D, GS1Databar e PDF417. www.bztech.com.br 1 CERTIFICADO DE GARANTIA ATENÇÃO

Leia mais

Estrutura da Memória e do Arquivo de Imagem

Estrutura da Memória e do Arquivo de Imagem Apêndice Estrutura da Memória e do Arquivo de Imagem A memória de vídeo do MSX (VRAM) é uma memória separada da memória principal (RAM). A VRAM depende do modelo do MSX, variando de 16 Kb nos MSX 1 até

Leia mais

Curso de Formação LPIC-1 Exame 101

Curso de Formação LPIC-1 Exame 101 Curso de Formação LPIC-1 Exame 101 Bruno Santos Curso Linux: formação Expressões Regulares (ER) Expressões Regulares Basicamente, um padrão que descreve uma determinada quantidade

Leia mais

BARCODE SCANNER. FUZZYSCAN FAMILY Quick Start Guide

BARCODE SCANNER. FUZZYSCAN FAMILY Quick Start Guide BARCODE SCANNER FUZZYSCAN FAMILY Quick Start Guide Guia de Referência Rápida Obrigado por escolher o leitor Cino FuzzyScan. Todos os scanners FuzzyScan oferecem desempenho de categoria mundial para uma

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

IMPRESSORA TÉRMICA MODELO IT76050

IMPRESSORA TÉRMICA MODELO IT76050 IMPRESSORA TÉRMICA MODELO IT76050 MANUAL DE INSTRUÇÕES LEIA COM ATENÇÃO ÍNDICE 1. Apresentação... 2 2. Especificações Técnicas... 3 3. Instalação da Impressora... 4 3.1 Retirando a impressora da embalagem...

Leia mais

Manual de Operação VT100

Manual de Operação VT100 Manual de Operação VT100 Anexo ao Manual de Operação do TSW200E1 Versão: 1 Revisão: 4 Dezembro/2008 Direitos de edição Este manual foi elaborado pela equipe da Wise Indústria de Telecomunicações. Nenhuma

Leia mais

Padrão e Impressora Térmica TSP143M

Padrão e Impressora Térmica TSP143M Versão do Firmware: Produtos relacionados: I41.2X.00.PD1.XX, I41.2X.00.MP1.XX, I41.2X.01.MI1.XX, I41.2X.00.TS1.XX, I41.2X.00.PC1.XX e I41.2X.00.TC1.XX (*) Impressora Térmica IM4X3T, Módulo Impressor Padrão

Leia mais

Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas WEGTP SCA06. Manual do Usuário

Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas WEGTP SCA06. Manual do Usuário Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas WEGTP SCA06 Manual do Usuário Manual do Usuário WEGTP Série: SCA06 Idioma: Português N º do Documento: 10001626006 / 00 Data da Publicação:

Leia mais

ELETRÔNICA DIGITAL 1

ELETRÔNICA DIGITAL 1 CENTRO FEDERAL DE ENSINO TECNOLÓGICO DE SANTA CATARINA UNIDADE DESCENTRALIZADA DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO DE TELECOMUNICAÇÕES ELETRÔNICA DIGITAL 1 CAPÍTULO 3 Prof. Jorge H. B. Casagrande ABRIL 2005 SUMÁRIO

Leia mais

Manual de Usuário D-7500

Manual de Usuário D-7500 Manual de Usuário D-7500 1 Manual de Usuário do Leitor D-7500 Código: 501009740 - Revisão 1.0 Janeiro de 2016 Copyright Bematech S.A., Curitiba-PR, Brasil Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

Entendendo Injeção de SQL

Entendendo Injeção de SQL Entendendo Injeção de SQL Autor K4m1k451 < k4m1k451@gmail.com bere_bad@hotmail.com > 18/05/2009 Sumário: ---[ 0x00 Introdução... 4 ---[ 0x01 Desmistificando as single quotes... 4 ---[ 0x02 Injetando...

Leia mais

MinyScanCheck. Leitor Manual de Cheques E Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.4

MinyScanCheck. Leitor Manual de Cheques E Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.4 MinyScanCheck Leitor Manual de Cheques E Código de Barras Manual do Usuário Versão 2.4 Data da Revisão: 12/01/2007 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. APRESENTANDO O MINYSCANCHECK...4 2.1. COMPOSIÇÃO BÁSICA DO

Leia mais

Protocolo XREP Manual para Desenvolvedores

Protocolo XREP Manual para Desenvolvedores Ver.: 2 Atualizado em: 22/04/2010 Protocolo XREP - 520 Manual para Desenvolvedores 1 Protocolo de comunicação XREP 520...3 Estrutura das mensagens...3 Cálculo do CRC...3 Fluxos das Mensagens...5 Mensagens

Leia mais

MANUAL COMUNICAÇÃO SERIAL SERVOCONVERSOR CA SÉRIE SCA -04 SOFTWARE : V3.XX REVISÃO: 05/2001

MANUAL COMUNICAÇÃO SERIAL SERVOCONVERSOR CA SÉRIE SCA -04 SOFTWARE : V3.XX REVISÃO: 05/2001 SERIAL - SCA-04 MANUAL DA COMUNICAÇÃO SERIAL SERVOCONVERSOR CA SÉRIE SCA -04 SOFTWARE : V3.XX REVISÃO: 05/2001 SERIAL - SCA-04 1 CUIDADO?? Ler o Manual do Servoconversor na íntegra, antes de instalar ou

Leia mais

Versão Especial - Contador de tempo com pré-determinador (BANDAG).

Versão Especial - Contador de tempo com pré-determinador (BANDAG). Versão Especial - Contador de tempo com pré-determinador (BANDAG). Solicitante Responsável: Depto.: As informações contidas nesta folha têm prioridade sobre aquelas do manual técnico do instrumento. COMPORTAMENTO:

Leia mais

Como funciona um computador eletrônico digital?

Como funciona um computador eletrônico digital? Versão 0.8 Capítulo 2 Como funciona um computador eletrônico digital? Um computador é um dispositivo que faz cálculos, executa instruções definidas e resolve problemas. Por ser eletrônico, funciona com

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Comunicação Direta com ECF Térmica

STK (Start Kit DARUMA) Comunicação Direta com ECF Térmica STK (Start Kit DARUMA) Comunicação Direta com ECF Térmica Este Start Kit foi elaborado para dar dicas importantes sobre o protocolo de comunicação direta nas impressoras Fiscais Térmicas Daruma FS600,

Leia mais

Guia do AirPrint. Este Manual do usuбrio aplica-se aos seguintes modelos: DCP-J105, MFC-J200. Versão 0 BRA-POR

Guia do AirPrint. Este Manual do usuбrio aplica-se aos seguintes modelos: DCP-J105, MFC-J200. Versão 0 BRA-POR Guia do AirPrint Este Manual do usuбrio aplica-se aos seguintes modelos: DCP-J05, MFC-J00 Versão 0 BRA-POR Definições das observações Utilizamos os seguintes ícones ao longo deste manual do usuário: OBSERVAÇÃO

Leia mais

MANUAL DO PROTOCOLO MODBUS PLC1, PLC2 E POS2. Idioma: Português P/1

MANUAL DO PROTOCOLO MODBUS PLC1, PLC2 E POS2. Idioma: Português P/1 MANUAL DO PROTOCOLO MODBUS PLC1, PLC2 E POS2 Idioma: Português 0899.5230 P/1 12/2005 ÍNDICE 1.1 MODBUS-RTU. 4 1.1.1 Modos de Transmissão 4 1.1.2 Estrutura das Mensagens no Modo RTU. 5 1.2 Operação do Cartão

Leia mais

Modbus Wireless. Site: - V 1.0 IEEE REV

Modbus Wireless. Site:  -   V 1.0 IEEE REV Modbus Wireless V 1.0 IEEE 802.15.4 REV 01-02082016 Fractum Indústria e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA - Av. Antônio Américo Junqueira 335 Pôr do Sol - Santa Rita do Sapucaí-MG - CEP 37540-000

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

1) DVD Player DVD-5000

1) DVD Player DVD-5000 INFORMAÇÃO TÉCNICA Nº 365 DATA: 12 de Maiol de 2004 MODELO: DVDs em Geral ASSUNTO: CÓDIGOS PARA LIBERAR REGIÃO 1) DVD Player DVD-5000 - A 1. Deixe o aparelho STAND-BY (LED Vermelho do Painel Frontal aceso)

Leia mais

MinyScanMag Leitor Manual de Código de Barras E de Cartões Magnéticos

MinyScanMag Leitor Manual de Código de Barras E de Cartões Magnéticos MinyScanMag Leitor Manual de Código de Barras E de Cartões Magnéticos Manual do Usuário Versão 2.3 1 Ìndice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APRESENTANDO O MINYSCANMAG... 4 2.1 Composição básica do equipamento...

Leia mais

MinyScan Check II Leitor manual de cheques e código de barras Manual do usuário versão 1.0

MinyScan Check II Leitor manual de cheques e código de barras Manual do usuário versão 1.0 MinyScan Check II Leitor manual de cheques e código de barras Manual do usuário versão 1.0 1 Índice 1. Introdução... 4 2. Apresentando o MinyScanCheck II... 5 2.1. Composição básica do equipamento... 5

Leia mais

SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO TELEMETRIA E PROJETOS MANUAL AC66-G V1.1. Especificações do Hardware

SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO TELEMETRIA E PROJETOS MANUAL AC66-G V1.1. Especificações do Hardware MANUAL AC66-G V1.1 Especificações do Hardware Firmware: 1.5.5 - Alimentação, fonte externa 12 a 24Vdc 2A; - Modulo GSM Quadriband, funciona em todas as operadoras brasileiras atuais. - 6 Entradas digitais

Leia mais

Atividade prática: Rodando o programa SOMA

Atividade prática: Rodando o programa SOMA Atividade prática: Rodando o programa SOMA Representação de caracteres ASCII: Letras e pontuação não são representáveis diretamente em computadores e circuitos lógicos. Utiliza-se alguns códigos binários

Leia mais

NONUS - KIT SLOT READER

NONUS - KIT SLOT READER NONUS - KIT SLOT READER D.O do Brasil Manual Kit Slot Reader IT - ENG - 196v1-14/JAN/2009 CONTEÚDO 1) CARACTERISTICAS TÉCNICAS 2) CONECTORES PLACA DECODIFICADORA 3) CONECTORES SENSOR BARCODE 4) DIMENSÕES

Leia mais

Notas de Aplicação. Impressão Matricial com os Controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público

Notas de Aplicação. Impressão Matricial com os Controladores HI. HI Tecnologia. Documento de acesso público Notas de Aplicação Impressão Matricial com os Controladores HI HI Tecnologia Documento de acesso público ENA.00013 Versão 1.03 dezembro-2007 HI Tecnologia Impressão Matricial com os Controladores HI Apresentação

Leia mais

Manual do Usuário X8 Dispositivo de Controle de Acesso

Manual do Usuário X8 Dispositivo de Controle de Acesso Manual do Usuário X8 Dispositivo de Controle de Acesso Versão 1. 1 Sumário 1. Equipamento X8... 4 1.1 Sinalização de Programação:... 4 1.2 Sinalização de Verificação:... 4 1.3 Configurações de Fábrica:...

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 1 Conceitos necessários Prof. Leonardo Augusto Casillo Sistema de numeração: conjunto de regras que nos permite escrever e ler

Leia mais

Atividade prática: Criando e rodando um programa assembly

Atividade prática: Criando e rodando um programa assembly Atividade prática: Criando e rodando um programa assembly Fluxogramas (ou diagramas de fluxo): Descrevem algoritmos (idéias) quanto à sequência de operações realizadas. Ajudam a estruturar a solução de

Leia mais

Conceitos Básicos. Informática Aplicada à Ciência da Informação. Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração

Conceitos Básicos. Informática Aplicada à Ciência da Informação. Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração Informática Aplicada à Ciência da Informação Conceitos Básicos Conceito de Sistema Computacional Dispositivos de Entrada Unidade Central de Processamento Unidade de Controle ULA Unidade Primária de Armazenamento

Leia mais

Comandos de Pesagem para Protocolo ALFA Instrumentos

Comandos de Pesagem para Protocolo ALFA Instrumentos Comandos de Pesagem para Protocolo ALFA Instrumentos 1. Introdução Este documento descreve o Protocolo de Comunicação Serial Assíncrona de Dados e deve ser utilizado para propiciar a comunicação de dados

Leia mais

Manual de Treinamento Módulo: Solicitação

Manual de Treinamento Módulo: Solicitação Manual de Treinamento Módulo: Solicitação Treinamentos Lemontech Sumário Acessando o Self Booking 3 Criando uma solicitação de viagem 4 Produtos 6 Produto aéreo online 7 Produto aéreo off-line 11 Produto

Leia mais

Sistemas de Numeração.

Sistemas de Numeração. Sistemas de Numeração. No início deste curso dissemos que computadores só entendem informações em números binários, hexadecimais ou octais. Agora teremos a oportunidade de conhecer mais a fundo esses sistemas

Leia mais

ANTENA LF485 São Caetano do Sul 09/09/2009

ANTENA LF485 São Caetano do Sul 09/09/2009 ANTENA LF485 São Caetano do Sul 09/09/2009 CARACTERÍSTICAS: Para cartões de proximidade padrão EM4100 ou similar; Aciona a uma distância de aproximadamente 50cm, dependendo do tipo de cartão; Funciona

Leia mais

Dicas de utilização do Microsoft Outlook

Dicas de utilização do Microsoft Outlook Dicas de utilização do Microsoft Outlook Qual o aplicativo que fica aberto a maior parte do tempo? Microsoft Outlook? O Microsoft Outlook permite a utilização de diversas teclas de atalho para as mais

Leia mais

Capítulo 10. MATRIZES

Capítulo 10. MATRIZES Capítulo 10. MATRIZES OBJETIVOS DO CAPÍTULO Conceitos de: conjunto multidimensional (matriz), ciclo implícito, ciclo duplo Comandos do FORTRAN: DIMENSION(:,:), MATMUL 10.1 programa10a.f90 Para inicializar

Leia mais

DigiCall c 2.x Configuração do Driver genérico

DigiCall c 2.x Configuração do Driver genérico DigiCall c 2.x Configuração do Driver genérico (DgcGen32.dll 2.3.0.470 e seguintes) (http://www.digirede.pt) E-Mail: 30 de Maio de 2001 Conteúdo 1 Opções e Campos de Configuração 3 1.1 Opções da secção

Leia mais

Questão 1. Nome para o arquivo fonte questao1.c

Questão 1. Nome para o arquivo fonte questao1.c Questão 1 Nome para o arquivo fonte questao1.c Construa um programa, na linguagem de programação C, que receba através da entrada padrão um número natural, o qual indicará quantas operações de divisão

Leia mais

Programação. Folha Prática 7. Lab. 7. Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Portugal Copyright 2010 All rights reserved.

Programação. Folha Prática 7. Lab. 7. Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Portugal Copyright 2010 All rights reserved. Programação Folha Prática 7 Lab. 7 Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Portugal 2015 Copyright 2010 All rights reserved. 1. Revisão. 2. Objectivos. 3. Exercícios LAB. 7 7ª semana

Leia mais

SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO TELEMETRIA E PROJETOS MANUAL ACT146-DS. Especificações do Hardware

SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO TELEMETRIA E PROJETOS MANUAL ACT146-DS. Especificações do Hardware SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO TELEMETRIA E PROJETOS MANUAL ACT146-DS Firmware: 1.5.5 Especificações do Hardware - Alimentação, fonte externa 12 a 24Vdc 2A; - Modulo GSM Quadriband, funciona em todas as operadoras

Leia mais

SWEDA GUIA DE PESQUISA RÁPIDA AOS RECURSOS IMPLEMENTADOS (COMANDOS STX) IF ST120 IF ST200 21/05/2007

SWEDA GUIA DE PESQUISA RÁPIDA AOS RECURSOS IMPLEMENTADOS (COMANDOS STX) IF ST120 IF ST200 21/05/2007 SWEDA GUIA DE PESQUISA RÁPIDA AOS RECURSOS IMPLEMENTADOS (COMANDOS STX) IF ST0 IF ST00 /05/007. INTRODUÇÃO..... VERSÃO DO PROTOCOLO DE COMANDOS..... RECURSOS ACRESCENTADOS À VERSÃO E DO PROTOCOLO DE COMANDOS.....

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

MINICURSO. Comunicação Serial - RS232

MINICURSO. Comunicação Serial - RS232 MINICURSO Comunicação Serial - RS232 Edmur Canzian CNZ Engenharia e Informática Ltda. http://www.cnz.com.br e-mail: engenharia@cnz.com.br Conceitos Básicos sobre Comunicação Serial O que é Comunicação

Leia mais

8051 PROGRAMAÇÃO EM C

8051 PROGRAMAÇÃO EM C 1 8051 PROGRAMAÇÃO EM C C E ASSEMBLY for-loop em C int z; for (z=255; z>0; z--) P1=z; loop em Assembly MOV R1,#255 ABC: MOV P1,R1 DJNZ R1,ABC 2 TIPOS DE DADOS (DATA TYPES) E ATRASOS (TIME DELAY) EM C DO

Leia mais

Manual Prático. Elisabete Aguiar

Manual Prático. Elisabete Aguiar Manual Prático Elisabete Aguiar Índice A BARRA DE OPÇÕES... 4 Abrir um documento existente... 6 Guardar um documento Word... 7 Ambiente de Trabalho no Microsoft Word 2007... 9 Configuração de Páginas...

Leia mais

TASM DEFINIÇÃO DE UMA NOVA TABELA DE CONVERSÃO

TASM DEFINIÇÃO DE UMA NOVA TABELA DE CONVERSÃO TASM O TASM (Telemark Assembler) é um assemblador baseado em tabelas de conversão que corre em MS-DOS ou Linux. Código Assembly escrito de acordo com uma determinada sintaxe pode ser compilado usando o

Leia mais

Tutorial: Programação do CLP Siemens S Ambiente do software TIA Portal V11 da Siemens

Tutorial: Programação do CLP Siemens S Ambiente do software TIA Portal V11 da Siemens Tutorial: Programação do CLP Siemens S7-1200 Ambiente do software TIA Portal V11 da Siemens Criando um novo projeto 1 Abrir o software TIA Portal V11. Iniciar - > Programas - > TIA Portal V11 2 Clique

Leia mais

TECLADO PAINEL OPERADOR USB COM DISPLAY GRÁFICO. Código : FT 023/09 REV: 02

TECLADO PAINEL OPERADOR USB COM DISPLAY GRÁFICO. Código : FT 023/09 REV: 02 TECLADO PAINEL OPERADOR USB COM DISPLAY GRÁFICO Código : FT 023/09 REV: 02 Características LCD gráfico de 240 x 64 pontos ( 8 linhas x 40 colunas ). Teclas reprogramáveis. Interface USB 2.0. Porta Serial

Leia mais

HARDWARE SISTEMA NUMÉRICO E CODIFICAÇÃO. Wagner de Oliveira

HARDWARE SISTEMA NUMÉRICO E CODIFICAÇÃO. Wagner de Oliveira HARDWARE SISTEMA NUMÉRICO E CODIFICAÇÃO Wagner de Oliveira SUMÁRIO Sistemas de Numeração Base de um Sistema Notação Posicional Sistema Binário (Base dois) Sistema Hexadecimal (Base 16) Codificação BCD

Leia mais

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings)

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Até agora, quando desejávamos indicar o número de elementos existentes em um vetor qualquer, utilizávamos uma variável inteira, digamos tam, para armazenar tal

Leia mais

LINGUAGEM C: COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL

LINGUAGEM C: COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL LINGUAGEM C: COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL Prof. André Backes FLUXOGRAMAS Condição ou Decisão Representado por losangos Normalmente contém uma pergunta do tipo Sim/Não ou um teste de Verdadeiro/Falso.

Leia mais

Coletor de dados Optimus S MK 5502

Coletor de dados Optimus S MK 5502 Coletor de dados Optimus S MK 5502 Compacto, porém, de alta desempenho o Coletor de Dados Honeywell MK 5502 Optimus S possui memória RAM de 2MB aliada a uma bateria de alta capacidade que pode suportar

Leia mais

Guia rápido de configuração para ATV21 Versão do manual: 1.8

Guia rápido de configuração para ATV21 Versão do manual: 1.8 Guia rápido de configuração para ATV21 Versão do manual: 1.8 1) Restauração das configurações de fábrica pag. 41 typ (reset de parâmetro) mudar para 3 (retorna as configurações de fábrica) STATUS ATUAL

Leia mais

INTERFACE SERIAL Série SSW-03 e 04

INTERFACE SERIAL Série SSW-03 e 04 INTERFACE SERIAL Série SSW-03 e 04 MANUAL DA COMUNICAÇÃO SERIAL DA SSW-03 e 04 CÓD. 0899.4436 P/2 MANUAL DA COMUNICAÇÃO SERIAL DA SSW-03 e 04 Série: SSW-03 e 04 Software: Versão 4.XX 0899.4436 P/2 ATENÇÃO!

Leia mais

Manual. Abandono de Carrinho e Navegação com

Manual. Abandono de Carrinho e Navegação com Manual Abandono de Carrinho e Navegação com O Tag Manager é uma ferramenta do Google que possui diversas funcionalidades, dentre elas, uma que permite adicionar scripts facilmente ao seu site. Neste tutorial

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO LUÍS PAULO REIS

FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO LUÍS PAULO REIS FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO REPRESENTAÇÃO DE DADOS E SISTEMAS DE NUMERAÇÃO LUÍS PAULO REIS LICENCIATURA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DISCIPLINA DE INFORMÁTICA BÁSICA - 1º ANO SETEMBRO

Leia mais

Manual de Utilização do Convert Video. Passo Fundo, abril de Av. Presidente Vargas, 1305 / Sala 201 Passo Fundo RS

Manual de Utilização do Convert Video. Passo Fundo, abril de Av. Presidente Vargas, 1305 / Sala 201 Passo Fundo RS Manual de Utilização do Convert Video Passo Fundo, abril de 2015 ÍNDICE 1) Acesso... 3 2) Permissões do Flash... 4 3) Configurações de Som... 5 4) Tela inicial do programa... 6 5) Funcionalidades da barra

Leia mais