Processo criativo na fotografia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processo criativo na fotografia"

Transcrição

1 Processo criativo na fotografia

2 A fotografia é uma forma particular e enviesada de retratar a "realidade". Ansel Adams falava em construir uma foto, não em tirá-la.

3 Processo de criação na fotografia: seleção do assunto seleção dos equipamentos (câmera, objetivas, filtros etc.) e materiais fotossensíveis (natureza e tipo de filmes) enquadramento ou composição do assunto seleção do momento processamento do filme (laboratório) tratamento posterior da imagem

4 Para que o conteúdo de uma fotografia atinja os seus objetivos, é necessário que o seu praticante domine três requisitos fundamentais: arte saber acaso

5 A arte refere-se à composição da fotografia. O saber são os códigos de conhecimento da pessoa que a pratica. O acaso são os imprevistos aos quais está sujeita a fotografia no instante da tomada da foto.

6 A fotografia tem uma realidade própria, ela é a realidade do documento, da representação, uma segunda realidade. A imagem fotográfica é uma representação resultante do processo de criação/construção do fotógrafo.

7 A imagem fotográfica contém em si o registro se um dado fragmento selecionado do real: o assunto (recorte espacial) congelado num dado momento de sua existência/ocorrência (interrupçãp temporal). Em toda fotografia há um recorte espacial e uma interrupação temporal. A fotografia é um registro que nos mostra um fragmento selecionado da aparência das coisas, das pessoas, dos fatos, tal como foram congelados.

8 Assunto/ Fotógrafo/ Tecnologia = Fotografia Elementos constitutivos Produto final Espaço e Tempo coordenadas de situação

9 Como qualquer outra fonte de informação histórica ou documentos, a fotografia tem que ser analisada dentro do contexto em que ela foi construída (social, político, econômico, artístico, cultural). (Boris Kossoy, Realidades e ficções na trama fotográfica, 1999, p.19-39)

10

11

12

13

14 Processo de criação Os méritos e deméritos de cada fotografia são imutáveis, mas independentemente deles podemos compreender em cada foto os nossos processos de criação. E podemos falar sobre os processos de criação, assim retirando coisa tão importante do território da vagueza, do acaso mágico, da inspiração, trazendo-os para o entendimento, tanto quanto possam ser entendidos. Podemos lançar luz sobre o jogo que acontece entre nossas intenções e os resultados, jogo esse que é mistura de planejamento e de aproveitamento.

15

16 Uma fotografia é estática porque parou o tempo. Um desenho ou pintura é estático porque abarcou o tempo John Berger

17 Para Hockney o que essencialmente falta à fotografia é o tempo. A fotografia capta apenas um instante do fotografado, mas a nossa visão do mundo se dá no tempo. Pg. 37

18 As colagens de fotografias de Hockney procura fazer o que ele julga que a fotografia não é capaz de fazer. A partir de um conjunto de fotografias articuladas de polaroid ele procura colocar o tempo na fotografia.

19 Cada foto montada é considerada não apenas individualmente, mas também na composição que faz com as outras: chamam atenção as diferenças de luz e ângulo, e as diferenças sofridas pelo conteúdo durante a sessão de fotos. Pg. 40

20

21 Relações entre as fotomontagens de Hockney e o Cubismo O Cubismo mostra a imagem de múltiplas perspectivas- Cubos, volumes e planos geométricos entrecortados reconstroem formas que se apresentam, simultaneamente, de vários ângulos nas telas. O movimento trata da estrutura da visão do objeto.

22 Juan Gris "Portrait of Picasso "

23 As fotocolagens de Hockney dão continuidade à rejeição cubista da perspectiva linear de um único ponto de vista que é o princípio da fotografia, paradoxalmente usando a própria fotografia. Para ele a fotografia não é suficientemente realista pois nos mostra um dos ângulos do fotografado.

24 O sentido das fotocolagens é justamente o de mostrar a percepção como se dá no tempo, a partir de diversos ângulos, incorporando não apenas o movimento do fotografado mas também o do fotógrafo.

25 A partir de 1981, Hockney deixa de trabalhar com polaróides incomodado com as margens brancas, pois ela evocava a metáfora da janela. Cunhada na Renascença, ela concebe o quadro como uma janela através da qual um observador parado observa uma cena no exterior.

26 Hockney rejeita a metáfora da janela, ele prefere uma porta que lhe permita entrar no mundo, em vez de vê-lo de fora: ou melhor, ele já quer estar do lado de fora.

CONSTRUTIVISMO SANDRA MIKA MAGNA PATRÍCIA ALAN MOURA JACKSON HELBERT

CONSTRUTIVISMO SANDRA MIKA MAGNA PATRÍCIA ALAN MOURA JACKSON HELBERT CONSTRUTIVISMO SANDRA MIKA ALAN MOURA MAGNA PATRÍCIA JACKSON HELBERT Linha construtiva A ideia sobre o construtivismo, com a linha construtiva idealizada pelo suíço Jean Piaget, o seu método procura instigar

Leia mais

Liberte-se: um exercício usando a técnica alternativa do fotograma 1

Liberte-se: um exercício usando a técnica alternativa do fotograma 1 Liberte-se: um exercício usando a técnica alternativa do fotograma 1 Vinicius Medeiros BRASIL 2 Anamaria TELES 3 Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, SC RESUMO A técnica utilizada neste trabalho,

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E JUVENIL INVERNO, LONDRINA, DE. NOME: 8ºANO TEMPO INÍCIO: TÉRMINO: TOTAL:

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E JUVENIL INVERNO, LONDRINA, DE. NOME: 8ºANO TEMPO INÍCIO: TÉRMINO: TOTAL: INSTITUTO DE EDUCAÇÃO INFANTIL E JUVENIL INVERNO, 2017. LONDRINA, DE. NOME: 8ºANO TEMPO INÍCIO: TÉRMINO: TOTAL: CUBISMO O Cubismo é um movimento artístico do século que utilizou as formas geométricas principalmente

Leia mais

Uma silhueta 1. Fernando Luiz Favero 2. Maria Zaclis Veiga 3. Universidade Positivo, Curitiba, PR

Uma silhueta 1. Fernando Luiz Favero 2. Maria Zaclis Veiga 3. Universidade Positivo, Curitiba, PR Uma silhueta 1 Fernando Luiz Favero 2 Maria Zaclis Veiga 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO É permitido e devido que a fotografia rompa a barreira entre o registro histórico e a expressão artística.

Leia mais

Sem tela, sem pincel, sem tinta

Sem tela, sem pincel, sem tinta Sem tela, sem pincel, sem tinta Rita de Cássia Schipmann Eger 1 Este trabalho é um dos desdobramentos da busca por uma maneira de apresentar as idéias geradas pela apropriação das formas do conjunto de

Leia mais

O som de uma infância desaparecendo 1. Fernando Luiz FAVERO 2 Maria Zaclis VEIGA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR

O som de uma infância desaparecendo 1. Fernando Luiz FAVERO 2 Maria Zaclis VEIGA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR O som de uma infância desaparecendo 1 Fernando Luiz FAVERO 2 Maria Zaclis VEIGA 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO É dito e repetido que a fotografia é um recorte da realidade. Mas de qual realidade?

Leia mais

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL

ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Disciplina: Arte Prof.: Paula Caroline de Souza Turmas: 61 e 62 ESCOLA ADVENTISTA SANTA EFIGÊNIA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Rua Prof Guilherme Butler, 792 - Barreirinha - CEP 82.700-000 - Curitiba/PR

Leia mais

Exercício do Olhar. Luz 25/08/ Luz

Exercício do Olhar. Luz 25/08/ Luz Prof. Dr. Paulo Sergio Scarazzato USP, UNICAMP IAB, ANTAC, IES, CIE-Brasil, CIBSE 01. Luz Luz Para todos nós, seres humanos que vivemos sobre a terra, as coisas mais importantes são o ar, a água e a luz.

Leia mais

A Sombra das Almas 1. Paula Peçanha de Oliveira 2 André Luis Carvalho 3 Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, MG

A Sombra das Almas 1. Paula Peçanha de Oliveira 2 André Luis Carvalho 3 Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, MG A Sombra das Almas 1 Paula Peçanha de Oliveira 2 André Luis Carvalho 3 Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, MG Resumo A fotografia é um exercício estético que trabalha muitas vezes com um referente

Leia mais

ILUMINAÇÃO NATURAL EXERCITANDO O OLHAR

ILUMINAÇÃO NATURAL EXERCITANDO O OLHAR ILUMINAÇÃO NATURAL EXERCITANDO O OLHAR LUZ Para todos nós, seres humanos que vivemos sobre a terra, as coisas mais importantes são o ar, a água e a luz. A luz não é só essencial, mas inegavelmente bela.

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE CONSTRUÇÃO E AMPLIAÇÃO DE UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA 24h.

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE CONSTRUÇÃO E AMPLIAÇÃO DE UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA 24h. ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA FOTOGRAFAR AS OBRAS DE CONSTRUÇÃO E AMPLIAÇÃO DE UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO - UPA 24h. APRESENTAÇÃO As informações descritas neste documento têm o objetivo de orientar os municípios/distrito

Leia mais

Resenha do livro A Câmara Clara, de Roland Barthes

Resenha do livro A Câmara Clara, de Roland Barthes Resenha do livro A Câmara Clara, de Roland Barthes Este trabalho, realizado no âmbito do curso de pós-graduação em Fotografia da Universidade Cândido Mendes, tem como finalidade comentar o livro A Câmara

Leia mais

Introdução Geral a Computação Gráfica. Universidade Católica de Pelotas Curso de Engenharia da Computação Disciplina de Computação Gráfica

Introdução Geral a Computação Gráfica. Universidade Católica de Pelotas Curso de Engenharia da Computação Disciplina de Computação Gráfica Introdução Geral a Computação Gráfica Universidade Católica de Pelotas Curso de Engenharia da Computação Disciplina de 2 Introdução Geral a O que é CG? Áreas de Atuação Definição, Arte e Matemática Mercado

Leia mais

GIACOMETTI. Sempre há progresso/não refazer as coisas negativas 108. É preciso destruir (destrói mesmo?) tudo (= cabeça) 49

GIACOMETTI. Sempre há progresso/não refazer as coisas negativas 108. É preciso destruir (destrói mesmo?) tudo (= cabeça) 49 GIACOMETTI QUESTÕES SINTÁTICAS CONCEITO DE INACABAMENTO Inacabamento insatisfação 27/64 (não fim de obra) Inacabamento Cézanne 44 Tempo inacabamento 113 / 117 / 119 Obra não é abandonada enquanto há chance

Leia mais

ARTE DOS SÉCULOS XIX E XX

ARTE DOS SÉCULOS XIX E XX ARTE DOS SÉCULOS XIX E XX Os movimentos europeus de vanguarda eram aqueles que, segundo seus próprios autores, guiavam a cultura de seus tempos, estando de certa forma à frente deles. Movimentos vanguardistas

Leia mais

Cada lance da Copa do Mundo vai render um clique

Cada lance da Copa do Mundo vai render um clique 1 de 5 02-06-2014 11:46 Cada lance da Copa do Mundo vai render um clique Fotografias de partidas de futebol podem ser um ótimo instrumento para estudar a imagem do corpo Anna Rachel Ferreira < < Página

Leia mais

Figura Nº 66. Figura Nº 68. Figura Nº 67

Figura Nº 66. Figura Nº 68. Figura Nº 67 3.2 - Introdução aos procedimentos digitais Para a obtenção dos fotogramas, tem-se a necessidade de objetos, planos ou tridimensionais que são dispostos sobre uma superfície com um suporte sensível a luz,

Leia mais

Computação Gráfica. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto

Computação Gráfica. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto Computação Gráfica Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Para que objetos tridimensionais possam ser visualizados é necessário que suas imagens sejam geradas na tela. Para isso,

Leia mais

Catálogo de Moda M. Officina

Catálogo de Moda M. Officina Catálogo de Moda M. Officina Camilla Ziliotto Kretschmer Kathlyn Giacomini João Victor Tacla Macul Lays Schuchovski Luiza Zarnott Orientador: Prof. Ricardo Macedo Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO

Leia mais

Histograma Caroline Lima dos Santos, Aluna da Focus Escola de Fotografia

Histograma Caroline Lima dos Santos, Aluna da Focus Escola de Fotografia Histograma Caroline Lima dos Santos, Aluna da Focus Escola de Fotografia O Histograma é uma ajuda para a avaliação da foto, ele tem o papel de apresentar as informações reais contidas em determinada imagem,

Leia mais

Guião 2 Explorando sólidos geométricos - II

Guião 2 Explorando sólidos geométricos - II Guião 2 Explorando sólidos geométricos - II cubos, paralelepípedos retângulos, cilindros, esferas, pirâmides, cones,prismas A cadeia de tarefas aqui apresentada tem por objetivo continuar a exploração

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:Geografia ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 3 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:Geografia ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 3 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 OS LUGARES E SUAS PAISAGENS *Reconhecer semelhanças e diferenças entre as paisagens. *Perceber que as paisagens são constituídas por elementos naturais e culturais. *Compreender que a paisagem

Leia mais

MECÂNICA - Princípios do Movimento Unidimensional Exercícios selecionados - OBF. .:. Entre no nosso grupo e participe das discussões:

MECÂNICA - Princípios do Movimento Unidimensional Exercícios selecionados - OBF. .:. Entre no nosso grupo e participe das discussões: MECÂNICA - Princípios do Movimento Unidimensional Exercícios selecionados - OBF.:. Em caso de dúvidas: escola.olimpica@hotmail.com mrphalves@gmail.com Email do autor (Pedro Henrique de Oliveira Alves).:.

Leia mais

História da Ciência e da Tecnologia. Matheus kaique Hugo Yuri Joao Manoel Murilo Ribeiro

História da Ciência e da Tecnologia. Matheus kaique Hugo Yuri Joao Manoel Murilo Ribeiro História da Ciência e da Tecnologia Matheus kaique Hugo Yuri Joao Manoel Murilo Ribeiro Computação Gráfica A Computação Gráfica está presente em todas as áreas, desde os mais inconsequentes joguinhos eletrônicos

Leia mais

PLANO DE USO DE MATERIAIS: INFANTIL I (03 ANOS) 2017

PLANO DE USO DE MATERIAIS: INFANTIL I (03 ANOS) 2017 PLANO DE USO DE MATERIAIS: INFANTIL I (03 ANOS) 27 Possibilitar as habilidades motoras. Desenhos, pinturas, colagens, modelagens com Rolo de fita dupla face. Construir (ou ajudar a construir) e descobrir

Leia mais

InSolitus Urbanus: e s p a ç o s m e t a f í s i c o s

InSolitus Urbanus: e s p a ç o s m e t a f í s i c o s projeto InSolitus Urbanus: e s p a ç o s m e t a f í s i c o s PAULO ANGERAMI No início do ano de 2001, fui convidado pelo Conjunto Cultural da Caixa 1 para participar do V Mês Internacional da Fotografia

Leia mais

Introdução: Entendendo a distância focal

Introdução: Entendendo a distância focal 21 DE MAIO DE 2017 INICIANTE Introdução: Entendendo a distância focal Apresentando DIANE BERKENFELD, MIKE CORRADO & LINDSAY SILVERMAN A distância focal, geralmente representada em milímetros (mm), é uma

Leia mais

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS PROGRAMACAO E INTEGRACAO DE JOGOS I. Marcelo Henrique dos Santos

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS PROGRAMACAO E INTEGRACAO DE JOGOS I. Marcelo Henrique dos Santos Aula 4 Email: Site: marcelosantos@outlook.com www.marcelohsantos.com.br Conceitos sobre a Unity Conceitos sobre a Unity BARRA DE CONTROLE DA CENA O primeiro menu drop-down é para escolher o modo de desenho.

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 2 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA:História ÁREA DE ENSINO: Fundamental I SÉRIE/ANO: 2 ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 MUITO PRAZER, EU SOU CRIANÇA. *Conhecer e estabelecer relações entre a própria história e a de outras pessoas,refletindo sobre diferenças e semelhanças. *Respeitar e valorizar a diversidade étnico

Leia mais

Composição fotográfica é a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada.

Composição fotográfica é a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada. Composição fotográfica é a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada. Na fotografia publicitária a concepção prévia da imagem é esboçada pelo diretor de arte da agência

Leia mais

Introdução à Computação Gráfica

Introdução à Computação Gráfica Introdução à Computação Gráfica André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Ementa Conceitos Básico; Dispositivos Gráficos; Sistemas de Cores; Transformações geométricas; Primitivas gráficas; Visibilidade;

Leia mais

CURRÍCULO DISCIPLINAR

CURRÍCULO DISCIPLINAR CURRÍCULO DISCIPLINAR 1º CEB 4º ANO 1º CEB 4º Ano de escolaridade Número de aulas previstas no ano letivo 2017/18: 1º Período 64 2º Período 55 170 dias letivos 3º Período 51 PORTUGUÊS DOMÍNIO: ORALIDADE

Leia mais

Cartaz de frutas Esta fotografia de Walker Evans foi feita em 1936, durante sua viagem ao Sul dos Estados Unidos.

Cartaz de frutas Esta fotografia de Walker Evans foi feita em 1936, durante sua viagem ao Sul dos Estados Unidos. Imagem e linguagem Cartaz de frutas Esta fotografia de Walker Evans foi feita em 1936, durante sua viagem ao Sul dos Estados Unidos. Características da imagem: imagem poluída e confusa enquadramento prioriza

Leia mais

FOTOGRAFIA E MEMÓRIA

FOTOGRAFIA E MEMÓRIA FOTOGRAFIA E MEMÓRIA Everson da Silva Mascarenhas Aluno Especial do Programa de Pós Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural RESUMO: Este artigo busca o entendimento sobre o simbolismo da fotografia

Leia mais

Protagonismo investigativo: (re) leituras socioambientais por meio de lentes fotográficas em seus múltiplos sentidos.

Protagonismo investigativo: (re) leituras socioambientais por meio de lentes fotográficas em seus múltiplos sentidos. Oficina de fotografia Protagonismo investigativo: (re) leituras socioambientais por meio de lentes fotográficas em seus múltiplos sentidos. Cuiabá-MT, 03 e 04 de setembro de 2015 Toda fotografia é um certificado

Leia mais

Dicas para um bom registro fotográfico

Dicas para um bom registro fotográfico Dicas para um bom registro fotográfico Manual de foto Enquadramento Tente fugir do clichê de colocar o assunto sempre no meio da foto. Deslocar o objeto principal de imagem pode fazer toda a diferença

Leia mais

SEGUNDA ATIVIDADE PROPOSTA

SEGUNDA ATIVIDADE PROPOSTA 1 SEGUNDA ATIVIDADE PROPOSTA Confecção de um Cone e suas secções Construir um cone de uma folha, analisando suas secções de acordo com o ângulo formado com uma de suas geratrizes, dando ênfase à figura

Leia mais

Sensibilizar os alunos para uma abordagem à imagem fotográfica, desde o aparecimento da fotografia até à actualidade.

Sensibilizar os alunos para uma abordagem à imagem fotográfica, desde o aparecimento da fotografia até à actualidade. FOTOGRAFIA [11801] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS Sensibilizar os alunos para uma abordagem à imagem fotográfica, desde o aparecimento da fotografia até à actualidade. Conhecer e explorar as relações

Leia mais

EDUCAÇÃO VISUAL 9º ano

EDUCAÇÃO VISUAL 9º ano EDUCAÇÃO VISUAL 9º ano 2016/2017 Projecto 1: IDENTIFICAÇÂO DA CAPA INDIVIDUAL Objetivo Geral: Com o recurso de uma foto do estudante e uma imagem de gosto pessoal através da técnica da colagem resultará

Leia mais

Computação Gráfica - 09

Computação Gráfica - 09 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Computação Gráfica - 9 jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav Objetos

Leia mais

O formato determina a composição. O formato exerce um papel fundamental no resultado final da composição.

O formato determina a composição. O formato exerce um papel fundamental no resultado final da composição. Composição Introdução UMA DAS PEÇAS ELEMENTARES NO DESENHO É A COMPOSIÇÃO... Uma pintura ou desenho muito bem feito pode perder todo o seu poder, se não estiver enquadrado dentro de uma composição bem

Leia mais

UEM, Maringá, Fábio Carlucci de OLIVEIRA 2 Aluísio STUANI 3 Iasmyn C. VOLPATO 4 Isadora CARAVACHI 5 Luis Carlos BULLA JR 6

UEM, Maringá, Fábio Carlucci de OLIVEIRA 2 Aluísio STUANI 3 Iasmyn C. VOLPATO 4 Isadora CARAVACHI 5 Luis Carlos BULLA JR 6 UEM, Maringá, 2010 1 Fábio Carlucci de OLIVEIRA 2 Aluísio STUANI 3 Iasmyn C. VOLPATO 4 Isadora CARAVACHI 5 Luis Carlos BULLA JR 6 Faculdade Maringá, Maringá, PR RESUMO: Este trabalho visa o estudo de uma

Leia mais

Câmeras Fotogramétricas. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia

Câmeras Fotogramétricas. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Câmeras Fotogramétricas Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Câmeras Fotográficas São todos os dispositivos que, através de um sistema ótico, registram a energia refletida

Leia mais

INTRODUÇÃO À FOTOGRAFIA O Equipamento Fotográfico. PROFESSOR JORGE FELZ

INTRODUÇÃO À FOTOGRAFIA O Equipamento Fotográfico. PROFESSOR JORGE FELZ INTRODUÇÃO À FOTOGRAFIA O Equipamento Fotográfico PROFESSOR JORGE FELZ jorgefelz@gmail.com textos básicos TRIGO, Thales. equipamento fotográfico. São Paulo: Senac, 2006. LANGFORD, M. Fotografia básica.

Leia mais

Tratamento de imagem em fotografia I Prof. Dr. Isaac A. Camargo

Tratamento de imagem em fotografia I Prof. Dr. Isaac A. Camargo Tratamento de imagem em fotografia I Prof. Dr. Isaac A. Camargo a- Fotografia e edição: P&B e Cor b- Programas de edição: Tratamento e fotomontagem Fotografia e edição: P&B e Cor O tratamento de imagens

Leia mais

TEORIA DO DESIGN. Aula 03 Composição e a História da arte. Prof.: Léo Diaz

TEORIA DO DESIGN. Aula 03 Composição e a História da arte. Prof.: Léo Diaz TEORIA DO DESIGN Aula 03 Composição e a História da arte Prof.: Léo Diaz O QUE É ARTE? Definição: Geralmente é entendida como a atividade humana ligada a manifestações de ordem estética ou comunicativa,

Leia mais

CRONOGRAMA DE AVALIAÇÕES DE ARTE 3 TRIMESTRE 2017 Professora: Fernanda Bastos TURMA DATA AVALIAÇÂO CONTEÚDOS PESO

CRONOGRAMA DE AVALIAÇÕES DE ARTE 3 TRIMESTRE 2017 Professora: Fernanda Bastos TURMA DATA AVALIAÇÂO CONTEÚDOS PESO CRONOGRAMA DE AVALIAÇÕES DE ARTE 3 TRIMESTRE 2017 Professora: Fernanda Bastos TURMA DATA AVALIAÇÂO CONTEÚDOS PESO 611 22/11 Trabalho 1: Desenho inspirado nos Gatos do artista Aldemir Martins e pintura

Leia mais

Lomografia: uma forma artística de documentação do cotidiano 1 Mariana Capeletti CALAÇA 2. PALAVRAS-CHAVE: Fotografia; lomografia; cotidiano; arte.

Lomografia: uma forma artística de documentação do cotidiano 1 Mariana Capeletti CALAÇA 2. PALAVRAS-CHAVE: Fotografia; lomografia; cotidiano; arte. Lomografia: uma forma artística de documentação do cotidiano 1 Mariana Capeletti CALAÇA 2 RESUMO Conhecidas mundialmente a partir da década de 1990, as câmeras lomográficas vem aos poucos conquistando

Leia mais

1 Computação (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto:

1 Computação (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto: 1 N.º Nome completo: Curso: Foto: 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60

Leia mais

AGORA QUE VOCÊ ESTÁ ENXERGANDO. Now that you are seeing Ahora que usted está viendo SOBRE A IMAGEM

AGORA QUE VOCÊ ESTÁ ENXERGANDO. Now that you are seeing Ahora que usted está viendo SOBRE A IMAGEM Imagem de Capa Imagem de Capa AGORA QUE VOCÊ ESTÁ ENXERGANDO Now that you are seeing Ahora que usted está viendo Elena Valdivia Diaz Licenciada em Psicologia pela Universidade de Granada (Espanha). Pós-graduação

Leia mais

Revelando o Campus 1. Jane MACIEL 2 Marcus Ramúsyo de Almeida Brasil 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA

Revelando o Campus 1. Jane MACIEL 2 Marcus Ramúsyo de Almeida Brasil 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA RESUMO Revelando o Campus 1 Jane MACIEL 2 Marcus Ramúsyo de Almeida Brasil 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA Seqüência de Fotos tiradas no Campus do Bacanga da Universidade Federal do Maranhão

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2301GD - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina A - Fotografia III

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2301GD - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina A - Fotografia III Curso 2301GD - Bacharelado em Design Ênfase Identificação Disciplina 0003642A - Fotografia III Docente(s) Luiz Fernando Cardoso Furtado Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento

Leia mais

INSTITUTO CASA DA PHOTOGRAPHIA CURSO REFERENCIAL 1. Programa de curso

INSTITUTO CASA DA PHOTOGRAPHIA CURSO REFERENCIAL 1. Programa de curso INSTITUTO CASA DA PHOTOGRAPHIA CURSO REFERENCIAL 1 2014 Programa de curso "A beleza pode ser vista em qualquer lugar. Compor a beleza é o que separa o instantãneo da fotografia." - Matt Hardy INSTITUTO

Leia mais

Aprenda como fotografar com longa exposição e obtenha fotos criativas

Aprenda como fotografar com longa exposição e obtenha fotos criativas Aprenda como fotografar com longa exposição e obtenha fotos criativas Confira nossas dicas para fotografar com longa exposição de forma criativa. Este recurso é utilizado para fotografar cenas em que o

Leia mais

EDUCAÇÃO VISUAL - 8º ano

EDUCAÇÃO VISUAL - 8º ano EDUCAÇÃO VISUAL - 8º ano 2016/2017 Rotas de Aprendizagem mesquita.beta@gmail.com Profª Elisabete Mesquita Projeto 1: ANIMAÇÃO GRÁFICA DA CAPA Objetivo Geral: Reinventar uma foto do aprendente através do

Leia mais

Na Trilha do Fotógrafo Eduardo Jaunsem ( ) 1

Na Trilha do Fotógrafo Eduardo Jaunsem ( ) 1 Na Trilha do Fotógrafo Eduardo Jaunsem (1896-1977) 1 Rodrigo Weber Klahr 2 Rafael C.M. Meinecke 3 Paulo Ernesto Scortegagna 4 Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, RS.

Leia mais

PIC. Componentes da PIC 1. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo

PIC. Componentes da PIC 1. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo PIC Produção Integrada ao Conteúdo 9. o ano Ensino Fundamental Componentes da PIC 1. o bimestre Arte A nota da PIC é a média entre as atividades e as tarefas vinculadas ao caderno de Arte. Ciências A nota

Leia mais

CUBISMO ANALÍTICO E SINTÉTICO

CUBISMO ANALÍTICO E SINTÉTICO CUBISMO ANALÍTICO E SINTÉTICO O Cubismo Surgiu no século XX, sendo que o marco inicial foi em 1907 com a obra Les Demoiselles d Avignon de Picasso. Principais fundadores foram Pablo Picasso e Georges Braque,

Leia mais

Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995

Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995 Por Dentro do Filme II / Construção de Guiões de trabalho Julho 2011 Tavira André Mantas Guião de visionamento do filme ESTÓRIA DO GATO E DA LUA, de Pedro Serrazina, 1995 Planificação de actividades para

Leia mais

DESENHO DE OBSERVAÇÃO

DESENHO DE OBSERVAÇÃO QUESTÃO 1 DESENHO DE OBSERVAÇÃO Tendo como motivação as imagens abaixo, desenhe, no espaço reservado da página seguinte, o que está apresentado à sua frente, buscando, sobretudo, registrar o movimento.

Leia mais

Plano de Execução ou Utilização do material escolar Ensino Fundamental - 7 ano/2016 Lei Distrital nº 4.311/2009 Anexo da lista de material

Plano de Execução ou Utilização do material escolar Ensino Fundamental - 7 ano/2016 Lei Distrital nº 4.311/2009 Anexo da lista de material Plano de Execução ou Utilização do material escolar Ensino Fundamental - 7 ano/2016 Lei Distrital nº 4.311/2009 Anexo da lista de material Itens da lista de material anexa Quantidade Data de utilização

Leia mais

SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO

SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO UNIDADE 1 EU E OS OUTROS *Perceber a diversidade étnica física e de gênero no seu meio de convivência. *Reconhecer mudanças e permanências nas vivências humanas, presentes na sua realidade e em outras

Leia mais

Computação Gráfica Transformações Projetivas

Computação Gráfica Transformações Projetivas Computação Gráfica Transformações Projetivas Professora: Sheila Cáceres Transformações Projetivas Projetar modelos geométricos 3D numa imagem 2D, exibível em dispositivos de saída 2D Exemplo: 2 Projeção

Leia mais

Introdução à Direção de Arte

Introdução à Direção de Arte Introdução à Direção de Arte A Tarefa do Publicitário O objetivo final de toda propaganda é vender mercadoria, mas para consegui-lo, o publicitário precisa vencer alguns obstáculos. A Tarefa do Publicitário

Leia mais

TERÇA FEIRA (03) QUINTA FEIRA (05) Ciências (2): Dia das Mães (Confecção das lembrancinhas). Matemática (2): Trabalhar o Primeiro e o Último.

TERÇA FEIRA (03) QUINTA FEIRA (05) Ciências (2): Dia das Mães (Confecção das lembrancinhas). Matemática (2): Trabalhar o Primeiro e o Último. PLANO SEMANAL DE 02 A 06 DE MAIO PRÉ-ESCOLA I Arte: Pintura Livre Dia do Trabalhador. Português (2): Coordenação motora (Nome Próprio). Matemática (2): Primeiro e Último (Livro de Matemática). Ciências:

Leia mais

Fotografia de alta faixa dinâmica (HDR)

Fotografia de alta faixa dinâmica (HDR) 10 DE JULHO DE 2017 AVANÇADO Fotografia de alta faixa dinâmica (HDR) D3S, AF-S NIKKOR 14-24 mm f/2.8g ED. f/22, ISO 200, prioridade de abertura, fotometria por matriz. Basicamente, existem duas razões

Leia mais

Cinco Dicas Fáceis de Composição

Cinco Dicas Fáceis de Composição 18 DE MARÇO DE 2017 INICIANTE Cinco Dicas Fáceis de Composição Apresentando DIANE BERKENFELD Você pode não perceber, mas sempre que trazemos a câmera para perto dos olhos, estamos tomando decisões sobre

Leia mais

Cinco Dicas Fáceis de Composição

Cinco Dicas Fáceis de Composição 16 DE OUTUBRO DE 2017 INICIANTE Cinco Dicas Fáceis de Composição Apresentando DIANE BERKENFELD Você pode não perceber, mas sempre que trazemos a câmera para perto dos olhos, estamos tomando decisões sobre

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Pedro Martins Menezes. Um estudo dos estágios dos pipelines gráficos

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Pedro Martins Menezes. Um estudo dos estágios dos pipelines gráficos UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Pedro Martins Menezes Um estudo dos estágios dos pipelines gráficos Niterói 2008 Pedro Martins Menezes Um estudo dos estágios dos pipelines gráficos Trabalho de Conclusão

Leia mais

Vivenciando o ensino do desenho em perspectiva: um estudo de caso

Vivenciando o ensino do desenho em perspectiva: um estudo de caso Capítulo 6 Vivenciando o ensino do desenho em perspectiva: um estudo de caso O fazer desenho em perspectiva à mão livre exige do desenhista algumas habilidades e conhecimentos específicos para conseguir

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 015/2016-CEPE/UNESPAR. Considerando o art. 7º, incisos I, II e VII do Regimento Geral da Unespar;

RESOLUÇÃO Nº 015/2016-CEPE/UNESPAR. Considerando o art. 7º, incisos I, II e VII do Regimento Geral da Unespar; RESOLUÇÃO Nº 015/2016-CEPE/UNESPAR Convalida as alterações e prazos de vigência na matriz curricular do curso Superior de Pintura do campus Curitiba I - EMBAP. Considerando o art. 7º, incisos I, II e VII

Leia mais

A fotografia como estímulo para a construção de uma dramaturgia teatral. Joice Rodrigues de Lima, com orientação do Profº Dr.Cassiano Sydow Quilici.

A fotografia como estímulo para a construção de uma dramaturgia teatral. Joice Rodrigues de Lima, com orientação do Profº Dr.Cassiano Sydow Quilici. A fotografia como estímulo para a construção de uma dramaturgia teatral. Joice Rodrigues de Lima, com orientação do Profº Dr.Cassiano Sydow Quilici. Universidade Estadual de Campinas Palavras-chave: fotografia

Leia mais

Prof. Fernando V. Paulovich 3 de agosto de SCC Computação Gráca

Prof. Fernando V. Paulovich  3 de agosto de SCC Computação Gráca Dispositivos de Saída e SCC0250 - Computação Gráca Prof. Fernando V. Paulovich http://www.icmc.usp.br/~paulovic paulovic@icmc.usp.br Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) Universidade

Leia mais

PARADIGMA DE COMUNICAÇÃO

PARADIGMA DE COMUNICAÇÃO A HIPERMÍDIA É UM NOVO A HIPERMÍDIA É UM NOVO PARADIGMA DE COMUNICAÇÃO O texto identifica e organiza os elementos constitutivos da roteirização de produções audiovisuais como o cinema ou a televisão, e

Leia mais

PLANO DE ENSINO ANO 2016

PLANO DE ENSINO ANO 2016 Praça Tiradentes, 416 Centro Tel.:(35) 3464-1200 - CEP 37576-000 Inconfidentes - MG PLANO DE ENSINO ANO 2016 CURSO TÉCNICO EM AGRIMENSURA PROFESSOR DISCIPLINA: Sensoriamento Remoto e Fotogrametria MOSAR

Leia mais

Direitos Autorais. Posição da câmera, retrato ou paisagem? Essa é uma grande dúvida para a maioria daqueles

Direitos Autorais. Posição da câmera, retrato ou paisagem? Essa é uma grande dúvida para a maioria daqueles Posição da câmera, retrato ou paisagem? Essa é uma grande dúvida para a maioria daqueles ou daquelas que pretendem registrar fotograficamente monumentos arquitetônicos durante sua viagem. Quando optar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 013/2016-CEPE/UNESPAR. Considerando o art. 7º, incisos I, II e VII do Regimento Geral da Unespar;

RESOLUÇÃO Nº 013/2016-CEPE/UNESPAR. Considerando o art. 7º, incisos I, II e VII do Regimento Geral da Unespar; RESOLUÇÃO Nº 013/2016-CEPE/UNESPAR Convalida as alterações e prazos de vigência da matriz curricular do curso Superior de Escultura do campus Curitiba I - EMBAP. Considerando o art. 7º, incisos I, II e

Leia mais

A IMAGEM DE TELEVISÃO

A IMAGEM DE TELEVISÃO STV 18 AGO 2008 1 A IMAGEM DE TELEVISÃO a televisão, basicamente, reproduz imagens estáticas a seqüência dessas imagens, em rápida sucessão, nos dá a sensação de movimento cada uma das imagens, ou quadro,

Leia mais

Análise Cinemática. Prof. Dr. André L. F. Rodacki

Análise Cinemática. Prof. Dr. André L. F. Rodacki Análise Cinemática Prof. Dr. André L. F. Rodacki Cinemática A cinemática se preocupa com grandezas físicas que descrevem matematicamente as características do movimento de uma partícula/segmento, tais

Leia mais

ProcellStudio Tabela de Pacotes

ProcellStudio Tabela de Pacotes ProcellStudio Tabela de Pacotes PACOTE 15 ANOS1 LISTA DE ITENS 1-100 FOTOS TRATADAS NO PHOTOSHOP FOTOGRAFIA COM 1 FOTOGRAFO PROFISSIONAL, COBERTURA DA CERIMONIA & RECEPÇÃO 2-1 DVD COM TODAS AS FOTOS TODAS

Leia mais

Direitos Autorais. Fotografia de igrejas

Direitos Autorais. Fotografia de igrejas Fotografia de igrejas Fotografar igrejas é como fotografar qualquer monumento e as igrejas católicas não são apenas um espaço de culto a Deus, mas também a história deste país. Sua arquitetura é bem variada,

Leia mais

REGULAMENTO 1º PRÊMIO SEMESTRAL DE FOTOGRAFIA THÉO BRANDÃO/2016.1

REGULAMENTO 1º PRÊMIO SEMESTRAL DE FOTOGRAFIA THÉO BRANDÃO/2016.1 REGULAMENTO 1º PRÊMIO SEMESTRAL DE FOTOGRAFIA THÉO BRANDÃO/2016.1 1. Objetivo: O 1º PRÊMIO SEMESTRAL DE FOTOGRAFIA THÉO BRANDÃO/2016.1, com o tema RETRATOS DA VIDA EM VIÇOSA, tem como objetivos: 1.1 Mostrar

Leia mais

PROGRAMA DE OFICINA de ARTES DISCIPLINA DE OFERTA DE ESCOLA

PROGRAMA DE OFICINA de ARTES DISCIPLINA DE OFERTA DE ESCOLA PROGRAMA DE OFICINA de ARTES DISCIPLINA DE OFERTA DE ESCOLA Oficina de Artes é uma disciplina cujo nome releva da noção de ofício, no sentido que lhe é conferido atualmente pelo operador plástico, enquanto

Leia mais

Projeções. Cap 2 (do livro texto) Aula 6 UFF

Projeções. Cap 2 (do livro texto) Aula 6 UFF Projeções Cap 2 (do livro texto) Aula 6 UFF - 2014 Projeções PLANAS: Classificação BÁSICA: B Características: Um objeto no espaço o 3D A forma mais simples de representar um objeto 3D em 2D é simplesmente

Leia mais

ProcellStudio Tabela de Pacotes

ProcellStudio Tabela de Pacotes ProcellStudio Tabela de Pacotes 4-1 DVD COM SELEÇÃO DE CENAS E MENU INTERATIVO R$ 311,47 5-ÁLBUM TIPO LIVRO 15X21 fechado e 15x42 aberto DE 60 FOTOS COM LUVA LISTA DE ITENS 1-100 FOTOS TRATADAS NO PHOTOSHOP

Leia mais

BASTA UM ERRO PARA COLOCAR TODA A FOTOGRAFIA DE NEWBORN EM RISCO

BASTA UM ERRO PARA COLOCAR TODA A FOTOGRAFIA DE NEWBORN EM RISCO BASTA UM ERRO PARA COLOCAR TODA A FOTOGRAFIA DE NEWBORN EM RISCO FOTOGRAFIA DE NEWBORN COM STEPHANIE ROBIN RIO DE JANEIRO BELO HORIZONTE (CANADÁ) O WORKSHOP DE NEWBORN MAIS DISPUTADO DO BRASIL VOCÊ SE

Leia mais

Planos e Ângulos Prof. Dr. Isaac A. Camargo

Planos e Ângulos Prof. Dr. Isaac A. Camargo Planos e Ângulos Prof. Dr. Isaac A. Camargo a- Conceito de Planos e características técnicas b- Angulação: Enquadramento e efeitos de sentido Conceito de Planos e características técnicas A idéia de Planificação

Leia mais

inspire COM ÓTIMAS FOTOS

inspire COM ÓTIMAS FOTOS inspire COM ÓTIMAS FOTOS CONTEÚDO POR QUE FOTOS? 3 O QUE FOTOGRAFAR? 6 Área Externa 7 Saguão/Recepção 8 Áreas comuns 9 Refeições 10 Comodidades 11 Quartos 12 Vista 15 FOTOGRAFANDO:TRUQUES E DICAS 16 Importância

Leia mais

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral:

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral: PLANEJAMENTO Julho NOME DO LIVRO: Estratégias de outras áreas do conhecimento A BRUXA SALOMÉ Leitura e escrita; Oralidade; Dias da Semana; Rimas. -Desenvolver o gosto pela leitura, valorizando a como fonte

Leia mais

CURSO COMPLETO DE FOTOGRAFIA MANHÃ TARDE NOITE FINAL DE SEMANA BELO HORIZONTE E RIO DE JANEIRO

CURSO COMPLETO DE FOTOGRAFIA MANHÃ TARDE NOITE FINAL DE SEMANA BELO HORIZONTE E RIO DE JANEIRO CURSO COMPLETO DE FOTOGRAFIA MANHÃ TARDE NOITE FINAL DE SEMANA BELO HORIZONTE E RIO DE JANEIRO SOBRE O CURSO O Curso completo de fotografia da Escola de Imagem nasceu a partir do desejo de muitos alunos

Leia mais

HAND-COLOURING FOTOGRAFIA COLORIZADA. por Rochele Zandavalli e Carine Wallauer. Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida

HAND-COLOURING FOTOGRAFIA COLORIZADA. por Rochele Zandavalli e Carine Wallauer. Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida HAND-COLOURING FOTOGRAFIA COLORIZADA por Rochele Zandavalli e Carine Wallauer Todos os direitos reservados a Fluxo - Escola de Fotografia Expandida HAND COLOURING FOTOGRAFIA COLORIZADA Historicamente,

Leia mais

125 bilhões de imagens são compartilhadas pela internet anualmente. 300 milhões de imagens são postadas apenas no Facebook diariamente

125 bilhões de imagens são compartilhadas pela internet anualmente. 300 milhões de imagens são postadas apenas no Facebook diariamente 1 125 bilhões de imagens são compartilhadas pela internet anualmente 300 milhões de imagens são postadas apenas no Facebook diariamente 2 A foto tem o poder de cativar, envolver e deixar o cliente curioso

Leia mais

PROJETO ACERVO ARTÍSTICO DA UFMG: Manual para Fotografia de Campo

PROJETO ACERVO ARTÍSTICO DA UFMG: Manual para Fotografia de Campo PROJETO ACERVO ARTÍSTICO DA UFMG: Manual para Fotografia de Campo Bolsista da área de Fotografia no Projeto AAUFMG: Samara Santos Asevedo Orientador e Coordenador da área de Fotografia no Projeto AAUFMG

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTENÇÃO Livro_Freeman_Mente.indb 8 Livro_Freeman_Mente.indb 8 20/04/12 17:09 20/04/12 17:09

CAPÍTULO 1 INTENÇÃO Livro_Freeman_Mente.indb 8 Livro_Freeman_Mente.indb 8 20/04/12 17:09 20/04/12 17:09 CAPÍTULO 1 INTENÇÃO A fotografia é extremamente boa em ir direto ao ponto. Talvez boa até demais. Alguma coisa está em frente à câmera? Dispare que você terá uma imagem dela, com ou sem nenhum pensamento.

Leia mais

AULA 4. Atividade Complementar 10: Sistemas lineares 2x2 e sua interpretação geométrica 31

AULA 4. Atividade Complementar 10: Sistemas lineares 2x2 e sua interpretação geométrica 31 AULA 4 Atividade Complementar 10: Sistemas lineares 2x2 e sua interpretação geométrica 31 Conteúdos Estruturantes: Números e Álgebra / Geometrias Conteúdo Básico: Sistemas lineares / Geometria espacial

Leia mais

FOTOGRAFIA DE MODA E DIREÇÃO DE MODELOS

FOTOGRAFIA DE MODA E DIREÇÃO DE MODELOS FOTOGRAFIA DE MODA E DIREÇÃO DE MODELOS Áreas de Atuação em Fotografia De Moda 1 FOTOJORNALISMO DE MODA No fotojornalismo de moda, o foco está na: documentação dos bas/dores de um desfile, na moda de rua,

Leia mais

UNIDADE I. Processo evolutivo da fotografia. Múltiplas descobertas

UNIDADE I. Processo evolutivo da fotografia. Múltiplas descobertas UNIDADE I Processo evolutivo da fotografia Múltiplas descobertas Fev/2012 Busca da Imagem IMAGEM do latim imagine,aquilo que possui semelhança com alguma coisa conhecida ou idealizada. Sendo a imagem uma

Leia mais

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO - 1ºAno e 2ºAno de escolaridade Domínios Competências Avaliação Sabe escutar para reproduzir pequenas mensagens e para

Leia mais

3.3.3 As imagens de Alexandre França

3.3.3 As imagens de Alexandre França a primeira imagem [Figura 66] observamos a tônica que orientará a imagem de Hélio de Lima, uma leitura muito lúdica em que Hélio surge descontraído, alegre. Atitude pública, que muitas pessoas teriam dificuldade

Leia mais

P. P. G. em Agricultura de Precisão DPADP0800: Cartografia e GPS aplicados a A. P. (Prof. Dr. Elódio Sebem)

P. P. G. em Agricultura de Precisão DPADP0800: Cartografia e GPS aplicados a A. P. (Prof. Dr. Elódio Sebem) Escalas: Razão de semelhança entre a representação e o mundo real. Relação entre a medida de um objeto ou lugar representado no papel e sua medida real. Relação entre a distância no mapa e a correspondente

Leia mais