Profa. Martha Messerschmidt

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Profa. Martha Messerschmidt"

Transcrição

1 PROVIMENTO Nº 26/2008 MPE-RS PROCEDIMENTOS DE COMPETÊNCIA DO MP: - INQUÉRITO CIVIL - PROCEDIMENTO PREPARATÓRIO - COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO TAC - RECOMENDAÇÃO

2 INQUÉRITO CIVIL E PROCEDIMENTO PREPARATÓRIO Art. 1º - NATUREZA e OBJETO DO INQUÉRITO CIVIL: - NATUREZA = inquisitorial e facultativa. - OBJETO = apurar fato que possa autorizar a tutela dos interesses ou direitos, de competência do MP. - IC = preparação para o exercício das atribuições inerentes às funções institucionais do MP.

3 Parágrafo único COMPETÊNCIAS DO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO: DEFESA = interesses ou direitos previstos na Lei nº 8.069/90 (ECA) e na Lei nº /2003 (Estatuto do Idoso). INSTAURAÇÃO: - PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS = direito individual indisponível (vida; honra; imagem). - SINDICÂNCIAS = apuração de infrações às normas de proteção das referidas áreas.

4 INSTAURAÇÃO E INSTRUÇÃO Art. 2º - IC = PODERÁ SER INSTAURADO: I DE OFÍCIO = sem provocação de terceiros. II REQUERIMENTO OU REPRESENTAÇÃO do interessado. III DETERMINAÇÃO DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA = solução de conflito de atribuição ou delegação de sua atribuição originária.

5 IV - DETERMINAÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR DO MP = quando decidir pelo provimento de RECURSO contra a não-instauração de IC ou desacolher a promoção de ARQUIVAMENTO de PP. 1º - ATUAÇÃO DO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO: - INDEPENDENTEMENTE DE PROVOCAÇÃO = conhecimento, por qualquer forma, de fatos que, em tese, constituam lesão aos interesses ou direitos tutelados pelo MP (Art. 1º).

6 - DEVER = cientificar o membro do MP que possua atribuição, no caso de não a possuir. 2º - ATUAÇÃO DO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO, QUANDO: - FALTA ATRIBUIÇÃO = IC ou PP. OU - VERIFICADA COINCIDÊNCIA DE OBJETO = com outro procedimento em tramitação.

7 REMESSA DOS AUTOS = agente ministerial que detenha a atribuição: - REGISTRO no livro próprio, - NÃO SENDO NECESSÁRIO promover o arquivamento das peças até então juntadas. 3º - APÓS INSTAURADO O IC ou PP = CONCLUSÃO PELA ATRIBUIÇÃO DE OUTRO MP: PRESIDENTE ANTES DA REMESSA AO MP OU OUTRO ÓRGÃO COMPETENTE.

8 SUBMETE A DECISÃO à aprovação do ÓRGÃO DE REVISÃO competente, NO PRAZO DE 03 DIAS. Art. 3º - ÓRGÃO DE EXECUÇÃO COM ATRIBUIÇAO PARA ACP = RESPONSÁVEL PELA INSTAURAÇÃO DO IC. Parágrafo único. CONFLITO NEGATIVO ou POSITIVO DE ATRIBUIÇÕES: SOLUÇÃO = COMPETÊNCIA DO PGJ.

9 FORMA = SUSCITADO FUNDAMENTADAMENTE: - PRÓPRIOS AUTOS ou em PETIÇÃO DIRIGIDA ao PGJ DECISÃO = PRAZO DE 30 DIAS. Art. 4º - COMPETÊNCIA DO PGJ: - DELEGAÇÃO TOTAL ou PARCIAL DE ATRIBUIÇÃO ORIGINÁRIA. Art. 5º - ATUAÇÃO CONJUNTA = MAIS DE UM ORGÃO DE EXECUÇÃO, QUANDO:

10 - INSTAURAÇÃO E A CONDUÇÃO DE IC = fato investigado estiver diretamente relacionado com as respectivas atribuições. Art. 6º - LEGITIMIDADE DE QUALQUER PESSOA DO POVO = provocar a iniciativa do MP: - DEFESA dos interesses ou direitos do Art. 1º. - DEVE FORNECER POR MEIOS LEGAIS = informações sobre o FATO e seu POSSÍVEL AUTOR.

11 1º - INFORMAÇÕES VERBAIS AO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = DECLARAÇÕES REDUZIDAS A TERMO: - ART. 9º, 4º = a recusa de assinatura implica na assinatura por 02 testemunhas. 2º - FALTA DE FORMALIDADE = NÃO IMPLICA INDEFERIMENTO do pedido de instauração de IC. - EXCETO = NOTÍCIA MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE = DECISÃO EM 30 DIAS (Art. 7º).

12 3º - MANIFESTAÇÃO ANÔNIMA = não implicará ausência de providências pelo MP. Art. 7º - FATO NARRADO = NÃO CONFIGURA LESÃO AOS DIREITOS e INTERESSES (Art. 1º): - DECISÃO FUNDAMENTADA DO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = INDEFERIMENTO DO PEDIDO DE INSTAURAÇÃO DO IC. - PRAZO = 30 DIAS. - CIÊNCIA PESSOAL ao representante.

13 1º - RECURSO DO REPRESENTANTE: - PRAZO = 10 DIAS, a contar da ciência. 2º - RAZÕES DE RECURSO = CONTRA O ÓRGÃO QUE INDEFERIU O PEDIDO. PROTOCOLO = certificação do dia e hora. REMESSA AO CSMP = RECURSO + REPRESENTAÇÃO + DECISÃO ATACADA. PRAZO = 03 DIAS.

14 - O recurso terá andamento SE NÃO HOUVER RECONSIDERAÇÃO, execução. A CRITÉRIO do órgão de 3º - NOTIFICAÇÃO AOS INTERESSADOS = CONTRARRAZÕES PRAZO DE 10 DIAS. 4º - ATRIBUIÇÃO ORIGINÁRIA DO PGJ: - CABE PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO = PRAZO DE 10 DIAS.

15 5º - SEM RECURSO, NEM MANIFESTAÇÃO DO REPRESENTANTE = ARQUIVAMENTO NA ORIGEM: - PRAZO = 10 DIAS. - REGISTRO = SGP. Art. 8º - INSTAURAÇÃO DO IC = FORMALIDADES: - DESPACHO do Órgão de Execução. - ELABORAÇÃO = PORTARIA, autuação dos documentos, registro no SGP, se for o caso, a realização de diligências investigatórias iniciais.

16 1º - NUMERAÇÃO DO IC = ORDEM CRESCENTE ANUAL CORRESPONDE AO LANÇAMENTO NO SGP. 2º - REQUISITOS DA PORTARIA: I FUNDAMENTAÇÃO LEGAL = COMPETÊNCIA DO MP + DESCRIÇÃO DO FATO, objeto do IC. II - NOME E QUALIFICAÇÃO POSSÍVEL da pessoa jurídica e/ou física A QUEM O FATO É ATRIBUÍDO.

17 IV - REMESSA DE CÓPIA DA PORTARIA ao Centro de Apoio Operacional, vinculado à matéria do IC. V - LOCAL e DATA da instauração. VI - AFIXAÇÃO DA PORTARIA NO ÁTRIO DA SEDE DO MINISTÉRIO PÚBLICO ou em local adequado = DURANTE O PRAZO DE 15 DIAS REMESSA DE CÓPIA para publicação no Diário Eletrônico MP.

18 3º - NOVOS FATOS NO CURSO DO IC = NECESSIDADE DE INVESTIGAÇÃO DE OBJETO DIVERSO PROVIDÊNCIAS DO MP: - ADITAMENTO DA PORTARIA OU - EXTRAÇÃO DE PEÇAS para instauração de outro inquérito civil - Observadas as normas de divisão de atribuições dos órgãos do MP.

19 Art. 9º - PRESIDENTE DO IC = MEMBRO DO MP COM ATRIBUIÇÃO PARA INSTAURAÇÃO E INSTRUÇÃO. 1º - SECRATÁRIO DO IC = POSERÁ SER DESIGNADO PELO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO: 2º - PROVAS DO IC: LÍCITAS e NECESSÁRIAS. JUNTADA = ORDEM CRONOLÓGICA. NUMERAÇÃO = ORDEM CRESCENTE.

20 3º - DILIGÊNCIAS = DOCUMENTADAS TERMO ou AUTO CIRCUNSTANCIADO. 4º - DECLARAÇÕES e DEPOIMENTOS SOB COMPROMISSO: ASSINATURA DOS PRESENTES. RECUSA = ASSINATURA DE 02 TESTEMUNHAS.

21 5º - COMPETÊNCIA DO PGJ: ENCAMINHAMENTO DE OFICIOS EXPEDIDOS PELOS MEMBROS DO MP: - PR, VPR, GOV, SEN, DF, DE e DDF, ME, MSTF e MSTJ, CONSELHEIROS CNJ e CNMP, CONSELHEIROS TC, DESEMBARGADORES e CHEFES de missão diplomática de caráter permanente. - PRAZO = 10 dias.

22 - NÃO AVALIA o conteúdo do ofício. - MAS PODE DEIXAR DE ENCAMINHAR QUANDO não contenham os requisitos legais ou que não empreguem o tratamento protocolar. 6º - NOTIFICAÇÕES PARA COMPARECIMENTO À SEDE DO MP: - ANTECEDÊNCIA MÍNIMA DE 24H, sob pena de adiamento da solenidade.

23 7º - APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS e SUBSÍDIOS AO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO: - QUALQUER PESSOA, durante a tramitação do IC. 8º - CARTA PRECATÓRIA = expedição para diligências em outra Promotoria de Justiça. - IMPOSSÍVEL a utilização da VIA POSTAL. - PRAZO = 15 DIAS CUMPRIMENTO pelo Órgão de Execução deprecado.

24 9º - DEVER DO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO DEPRECANTE: - AUDIÊNCIA PARA TAC - CARTA INSTRUÍDA com minuta do termo a ser assinado COMPETÊNCIA DOS ÓRGÃOS DA PGJ: - APOIO ADMINISTRATIVO E OPERACIONAL para os atos do inquérito civil.

25 11 - VEDAÇÃO: requisição de informações ou de subsídios de CONTEÚDO JURÍDICO a quaisquer autoridades, pessoas físicas ou jurídicas, ou organismos, RESSALVADO o disposto no art. 337, CPC. CPC, Art A parte, que alegar direito municipal, estadual, estrangeiro ou consuetudinário, provar-lhe-á o teor e a vigência, se assim o determinar o juiz.

26 12 - OFÍCIOS REQUISITÓRIOS DE INFORMAÇÕES AO IC e PP = fundamentados e acompanhados de CÓPIA DA PORTARIA. PROCEDIMENTO PREPARATÓRIO Art COMPETÊNCIA e OBJETO DO PP: - A CRITÉRIO DO ORGÃO DE EXECUÇÃO DO MP. - TUTELA DE INTERESSES E DIREITOS (ART. 1º). - NATUREZA COMPLEMENTAR AO IC.

27 - ANTES DE INSTAURAR O IC = apurar elementos para identificação dos investigados ou do objeto. Parágrafo único - AUTUAÇÃO DO PP: - NUMERAÇÃO SEQUENCIAL A DO IC. - REGISTRO NO SISTEMA GERENCIADOR DE PROMOTORIAS (SGP), mantendo-se a numeração quando de eventual conversão.

28 PUBLICIDADE Art PRINCÍPIO DA PUBLICIDADE = IC e PP - EXCEÇÃO = SIGILO LEGAL ou PREJUDICIAL À INVESTIGAÇÃO DECRETAÇÃO MOTIVADA. 1º - REQUERIMENTOS = CERTIDÕES ou CÓPIA de documentos: - INTERESSADOS = RAZÕES DO PEDIDO, nos termos da Lei nº 9.051/95 (expedição de certidões para a defesa de direitos e esclarecimentos).

29 2º - FORMAS DE PUBLICIDADE: I - DIVULGAÇÃO OFICIAL = EXCLUSIVO FIM de conhecimento público mediante publicação de EXTRATOS NA IMPRENSA OFICIAL. II - DIVULGAÇÃO EM MEIOS ELETRÔNICOS = devem constar as PORTARIAS DE INSTAURAÇÃO e EXTRATOS DOS ATOS DE CONCLUSÃO;

30 III - EXPEDIÇÃO DE CERTIDÃO e EXTRAÇÃO DE CÓPIAS = sobre os fatos investigados, mediante REQUERIMENTO FUNDAMENTADO e por DEFERIMENTO DO PRESIDENTE DO IC; IV - PRESTAÇÃO DE INFORMAÇÕES = público em geral, A CRITÉRIO DO PRESIDENTE DO IC;

31 V - CONCESSÃO DE VISTA DOS AUTOS = em SECRETARIA, mediante REQUERIMENTO DO INTERESSADO ou de seu procurador legalmente constituído e por DEFERIMENTO TOTAL OU PARCIAL DO PRESIDENTE do inquérito civil. 3º - DESPESAS COM EXTRAÇÃO DE CÓPIAS = por conta de quem as requereu.

32 4º - RESTRIÇÃO À PUBLICIDADE: - DECISÃO MOTIVADA = interesse público. - PODERÁ SER LIMITADA = pessoas, provas, informações, dados, períodos ou fases, cessando quando extinta a causa que a motivou. 5º - DOCUMENTOS SIGILOSOS = autuados em apenso.

33 Art VEDAÇÃO: - MANIFESTAÇÃO PÚBLICA DO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO fato que não esteja conclusivamente apurado, SALVO para prestar informações sobre as providências realizadas. Art TODOS OS PROCEDIMENTOS: - IC, PP, TAC e RECOMENDAÇÃO. - RESPEITO aos direitos atinentes à privacidade.

34 PRAZOS Art CONCLUSÃO DO IC: - PRAZO = 06 MESES. - PRORROGAÇÃO = MESMO PRAZO, quantas vezes forem necessárias IMPRESCINDÍVEL para a realização ou conclusão de DILIGÊNCIAS. - DECISÃO FUNDAMENTADA = PRESIDENTE DO IC.

35 - A PARTIR DA 2ª PRORROGAÇÃO, INCLUSIVE = CIÊNCIA ao Conselho Superior do MP. Art CONSLUSÃO DO PP PRAZO = 90 DIAS. Parágrafo único - TÉRMINO DO PRAZO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = AJUIZAMENTO da ACP; CONVERSÃO em IC ou PROMOÇÃO do arquivamento.

36 ARQUIVAMENTO Art ESGOTADAS TODAS AS DILIGÊNCIAS: - INEXISTÊNCIA DE FUNDAMENTO PARA AÇÃO CIVIL PÚBLICA = promoção FUNDAMENTADA do arquivamento IC ou PP.

37 1º - REMESSA DO IC ou PP AO CONSELHO SUPERIOR DO MP: - Promoção de arquivamento EM ANEXO. - PRAZO = 03 DIAS, contados da comprovação da efetiva CIENTIFICAÇÃO PESSOAL dos interessados.

38 2º - INTERESSADOS NÃO LOCALIZADOS: - CIENTIFICAÇÃO = Diário Eletrônico do Ministério Público. OU - IMPOSSIBILIDADE = mediante lavratura de termo de AFIXAÇÃO DE AVISO no átrio da sede do Ministério Público ou em local adequado de grande circulação = PRAZO DE 15 DIAS.

39 3º - FATO NOVO ANTES DA REMESSA DA PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO: - ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = PODE suspender seus efeitos e reabrir as investigações COMUNICAÇÃO AO INVESTIGADO. - Na hipótese de os autos já se encontrarem no Conselho Superior do MP, NÃO TENDO AINDA OCORRIDO A HOMOLOGAÇÃO, o Órgão de Execução solicitará seu retorno.

40 4º - PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO = EXAME e DELIBERAÇÃO do Conselho Superior do MP. 5º - SEM A REMESSA NO PRAZO DE 03 DIAS: - REQUISIÇÃO do Conselho Superior do MP = DE OFÍCIO ou A PEDIDO DO PGJ, os autos do inquérito civil ou do procedimento preparatório = EXAME e DELIBERAÇÃO, COMUNICANDO O FATO à Corregedoria-Geral do MP.

41 6º - CONSELHO SUPERIOR DO MP NÃO HOMOLOGA A PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO = PROVIDÊNCIAS: I CONVERTERÁ O JULGAMENTO EM DILIGÊNCIA: realização de ATOS IMPRESCINDÍVEIS à sua decisão, especificando-os e REMETENDO OS AUTOS AO PGJ para designar o membro do MP que irá atuar;

42 II DELIBERARÁ PELA PROPOSITURA DA AÇÃO CIVIL PÚBLICA: indicando os FUNDAMENTOS DE FATO E DE DIREITO de sua decisão, REMETENDO OS AUTOS AO PGJ para a designação do membro do MP que ajuizará a ação.

43 7º - LEGITIMIDADE DE QUALQUER INTERESSADO NO IC ou PP: - OFERECER RAZÕES e JUNTAR DOCUMENTOS que possam contribuir para a decisão do Conselho Superior do MP. - MOMENTO = exame da promoção de arquivamento do inquérito civil ou do procedimento preparatório.

44 8º - APÓS A JUNTADA DAS RAZÕES e/ou DOCUMENTOS = CIÊNCIA AO ÓRGÃO que promoveu o arquivamento. - PODERÁ OFERECER esclarecimentos ou POSTULAR o retorno dos autos para prosseguimento das investigações = PRAZO DE 05 DIAS. 9º - SESSÃO DO CONSELHO SUPERIOR DO MP = PÚBLICA, SALVO no caso de haver sido decretado o sigilo.

45 Art VEDAÇÃO órgão responsável pela promoção de ARQUIVAMENTO NÃO HOMOLOGADA pelo Conselho Superior do MP = NÃO OFICIARÁ NOS AUTOS do IC, PP ou ACP. Art DESARQUIVAMENTO DO IC: - NOVAS PROVAS ou FATO NOVO RELEVANTE - PRAZO MÁXIMO = 06 MESES, após o arquivamento.

46 - TRANSCURSO DO PRAZO DE 06 MESES = NOVO IC, SEM PREJUÍZO das provas já colhidas. Parágrafo único DESARQUIVAMENTO DO IC ou PP PARA INVESTIGAÇÃO DE FATO NOVO: - NÃO SENDO AJUIZADA AÇÃO CIVIL PÚLICA = NOVO ARQUIVAMENTO E REMESSA ao Conselho Superior do MP = PRAZO DE 03 DIAS.

47 Art APLICAÇÃO DAS REGRAS DO ARQUIVAMENTO: - Quando estiver sendo investigado MAIS DE UM FATO LESIVO e a AÇÃO CIVIL PÚBLICA proposta não abranger todos eles.

48 COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Art TAC = ÓRGÃO DE EXECUÇÃO X RESPONSÁVEL (ameaça ou lesão): - OBJETIVOS = REPARAÇÃO do dano, ADEQUAÇÃO da conduta às exigências legais ou normativas e, ainda, à COMPENSAÇÃO e/ou à INDENIZAÇÃO pelos danos que não possam ser recuperados.

49 1º - TAC = DEVE qualificar o compromissário, com todos os dados relevantes para sua perfeita identificação. 2º - TAC COM PESSOA JURÍDICA = FIRMADO COM SEU REPRESENTANTE LEGAL, que promoverá a juntada dos documentos necessários para comprovar tal condição.

50 3º - TAC COM PREPOSTO ou ADVOGADO = procuração com poderes expressos. 4º - TAC = TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL. Art MEDIDA COMPENSATÓRIA = SUBSIDIÁRIA OU COMPLEMENTAR de responsabilização pelo fato danoso A COMPENSAÇÃO DO DANO NÃO EXCLUI A RESPONSABILIDADE.

51 Parágrafo único - ESTIPULAÇÃO DE MEDIDA COMPENSATÓRIA: - JUSTIFICATIVA da impossibilidade do restabelecimento ao estado anterior e da adoção de medidas de recuperação do dano. - NO PRÓPRIO TAC ou EM APARTADO. Art OBRIGAÇÕES DO TAC = CUMULATIVAS: - Obrigações de FAZER E/OU NÃO FAZER com obrigação de COMPENSAR E/OU INDENIZAR.

52 Parágrafo único - TAC POR DANO AMBIENTAL: - MEDIDA COMPENSATÓRIA E INDENIZAÇÃO = SUBSIDIÁRIAS OU COMPLEMENTARES de responsabilização do fato danoso. - JUSTIFICATIVA NO TAC ou EM APARTADO = IMPOSSIBILIDADE do restabelecimento ao estado anterior e da adoção de MEDIDAS DE RECUPERAÇÃO do dano.

53 Art OBRIGAÇÕES DE FAZER e DE NÃO FAZER: - TAC = previsão do MODO DE CUMPRIMENTO ESPECÍFICO, bem como os padrões de execução de obras, quando for o caso. 1º - COMPLEXIDADE = obrigações detalhadas em PLANOS ou PROGRAMAS ANEXOS, que serão parte integrante do TAC.

54 2º - TAC = DEVE PREVER PRAZO ESPECÍFICO para o adimplemento das obrigações, SALVO nos casos de cumprimento imediato. Art ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = NÃO FICA ADSTRITO (vinculado; obrigado): - Exato valor estabelecido em LAUDO OU PARECER TÉCNICO que fixe o montante de eventual indenização.

55 Parágrafo único - TAC = valor diverso do laudo ou parecer técnico: - ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = JUSTIFICATIVA da alteração RAZOABILIDADE, PROPORCIONALIDADE e CAPACIDADE FINANCEIRA do investigado. Art RECURSOS PROVENIENTES DO TAC = DEVERÃO SER DESTINADOS AOS FUNDOS Municipais e Estaduais previstos em lei.

56 1º - DESTINAÇÃO DE BENS e/ou VALORES: - Órgão de Execução poderá, EXCEPCIONAL E JUSTIFICADAMENTE = CONFERIR A FACULDADE AO COMPROMISSADO. - ENTIDADES que atuem, PREFERENCIALMENTE, na proteção do direito lesado.

57 2º - ENTIDADES = deverão estar ANTECIPADAMENTE CADASTRADAS no MP e PRESTAR CONTAS ao Órgão de Execução sobre a destinação dos bens e/ou valores recebidos, conforme proposta previamente aprovada. 3º - ATO DO PGJ = disciplinará o CADASTRAMENTO das entidades.

58 4º - VEDAÇÃO = ENTIDADE QUE PROVOCOU A ATUAÇÃO DO MP COM O OBJETIVO de obter a reciprocidade NÃO PODERÁ SER BENEFICIADA com a doação. 5º - VEDAÇÃO = ENTIDADE PRIVADA QUE PROVOCOU A ATUAÇÃO DO MP, COM OU SEM O OBJETIVO de obter reciprocidade, NÃO PODERÁ SER BENEFICIADA com a doação.

59 Art CLÁUSULAS OBRIGATÓRIAS DO TAC: - DESCUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES = AJUIZAMENTO DE AÇÃO DE EXECUÇÃO para busca da tutela específica ou do resultado prático equivalente. - COMINAÇÃO DE MEDIDAS COERCITIVAS = hipótese de inadimplemento.

60 Multa Cominatória ou Astreintes: constitui uma medida cominatória em forma de multa pecuniária contra o devedor de obrigação de fazer, não fazer e entregar coisa. É fixada pelo juiz em sentença ou na concessão de tutela antecipatória (art. 461, 4º e art. 461-A) e dura enquanto permanece a inadimplência. É imposta de forma a compelir o devedor a cumprir a obrigação e, por este motivo, seu valor ( sempre fixado pelo juiz) deve ser considerável, de forma a forçar o devedor a cumpri-la o quanto antes.

61 1º - MULTA NO TAC: - PROPORCIONAL e ADEQUADA à obrigação. - Considerada a REPERCUSSÃO DO INADIMPLEMENTO. - PODE SER DIÁRIA ou POR EVENTO, de acordo com a natureza da obrigação. 2º - MULTA COMINATÓRIA DIÁRIA = O TAC DEVE PREVER O TERMO INICIAL.

62 3º - TAC = DEVERÁ INDICAR a destinação dos valores das multas cominatórias. 4º - CLAÚSULA OBRIGATÓRIA = A CELEBRAÇÃO DO TAC NÃO EXCLUI AS RESPONSABILIDADES ADMINISTRATIVA e CRIMINAL.

63 Art TAC COM CLÁUSULA CONDICIONAL ou CUJO INTEGRAL CUMPRIMENTO NECESSITE DE FISCALIZAÇÃO = ÓRGÃO DE EXECUÇÃO deverá manter os AUTOS NA PROMOTORIA DE JUSTIÇA, SOB FISCALIZAÇÃO, desconsiderando os prazos: Art. 14 = conclusão em 06 meses do IC, prorrogável por igual período, quantas vezes for necessário. Art. 15 = conclusão em 90 dias do PP.

64 1º - COMPROVAÇÃO DO CUMPRIMENTO INTEGRAL DO TAC = PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO DO IC: - COMPETÊNCIA = ÓRGÃO DE EXECUÇÃO REMESSA AO CONSELHO SUPERIOR DO MP = PRAZO DE 03 DIAS.

65 2º - DESCUMPRIMENTO DO TAC, COM CERTIFICAÇÃO NOS AUTOS: - APÓS ADOTADAS MEDIDAS CABÍVEIS PARA A CONCLUSÃO DO TAC = DEVERÁ ser proposta a EXECUÇÃO DO TÍTULO EXTRAJUDICIAL.

66 3º - PROPOSITURA DA AÇÃO DE EXECUÇÃO = PODE SER INSTRUÍDA COM O IC: - DESNECESSÁRIA A REMESSA dos autos ao Conselho Superior do MP = APÓS ENCERRADO o processo executivo. - SALVO se a execução não abranger todas as obrigações do TAC.

67 Art INCLUSÃO DE OBRIGAÇÃO NEGATIVA NO TAC: - MESMO QUE SEJA VEDADA POR LEI. - ADMITIDA a inclusão de MEDIDA COERCITIVA em caso de inadimplemento. Obrigações negativas, vedadas pela lei: dever de abstenção de causar danos ao meio ambiente; dever de abstenção de praticar calúnia, injúria ou difamação.

68 Parágrafo único - TAC = CLÁUSULAS COM OBRIGAÇÕES EXCLUSIVAMENTE NEGATIVAS: - ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = IMEDIATO ARQUIVAMENTO DO IC, com PRÉVIO REGISTRO do nome do compromissário e da obrigação assumida. - REMESSA ao Conselho Superior do MP = PRAZO DE 03 DIAS.

69 RECOMENDAÇÃO Art COMPETÊNCIA DO ÓRGÃO DE EXECUÇÃO NOS AUTOS DO IC ou PP: - EXPEDIR recomendações FUNDAMENTADAS. - OBJETIVO = melhoria dos SERVIÇOS PÚBLICOS e de relevância pública, bem como aos demais INTERESSES, DIREITOS E BENS cuja defesa lhe caiba promover.

70 Parágrafo único - VEDAÇÃO = expedição de RECOMENDAÇÃO COMO MEDIDA SUBSTITUTIVA ao TAC ou à ACP.

71 DISPOSIÇÕES FINAIS Art ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = ENCAMINHAMENTO AO CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DA ÁREA RESPECTIVA: - Portarias de instauração de IC e sindicâncias, TAC, recomendações, arquivamentos e petições iniciais de ACP. - PRAZO = ATÉ O DIA 05 DE CADA MÊS.

72 Art FATO INVESTIGADO NO IC = ILÍCITO PENAL EM TESE ou CONCRETAMENTE: - PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO deverá explicitar as providências: ajuizamento de ação penal, proposta de transação, pedido de extinção de punibilidade, promoção de arquivamento perante o juízo competente, requisição de Inquérito Policial, Termo Circunstanciado ou remessa de peças ao Órgão de Execução do Ministério Público com atribuições.

73 Parágrafo único - ÓRGÃO DE EXECUÇÃO SEM ATRIBUIÇÃO PARA PROMOVER A AÇÃO PENAL = REMESSA DE CÓPIA DOS AUTOS membro do MP com atribuição. Art ÓRGÃO DE EXECUÇÃO = REMESSA À CORREGEDORIA-GERAL DO MP: - RELATÓRIO de IC e PP em tramitação na Promotoria de Justiça = TRIMESTRALMENTE.

74 Art VIGÊNCIA DO PROV. 26/2008 = DATA DA PUBLICAÇÃO. PUBLICAÇÃO NO DOE: 02/06/2008. REPUBLICADO NO DOE EM 19/06/2008.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 23, DE 17 SETEMBRO DE 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 23, DE 17 SETEMBRO DE 2007. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 23, DE 17 SETEMBRO DE 2007. Regulamenta os artigos 6º, inciso VII, e 7º, inciso I, da Lei Complementar nº 75/93 e os artigos 25, inciso IV, e 26, inciso

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 77, DE 14 DE SETEMBRO DE 2004

CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 77, DE 14 DE SETEMBRO DE 2004 CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 77, DE 14 DE SETEMBRO DE 2004 Regulamenta o artigo 8º da Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993, disciplinando, no âmbito do Ministério

Leia mais

RESOLUÇÃO 87, DE 3 DE AGOSTO DE 2006, DO CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CSMPF Regulamenta, no âmbito do Ministério Público Federal,

RESOLUÇÃO 87, DE 3 DE AGOSTO DE 2006, DO CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CSMPF Regulamenta, no âmbito do Ministério Público Federal, RESOLUÇÃO 87, DE 3 DE AGOSTO DE 2006, DO CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CSMPF Regulamenta, no âmbito do Ministério Público Federal, a instauração e tramitação do Inquérito Civil (art.

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122.

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122. A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA Ato Normativo nº 978/2016-PGJ, de 05 de setembro de 2016 (Protocolado nº 122.738/16-MP) Disciplina o procedimento preparatório eleitoral no âmbito do Ministério

Leia mais

ww.concursovirtual.com.b

ww.concursovirtual.com.b MP RJ PROFESSORA RAQUEL TINOCO EDITAL: ORGANIZAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO O Ministério Público na Constituição Federal de 1988: princípios, garantias, vedações, estrutura e funções institucionais; Conselho

Leia mais

Ministério Público do Estado da Paraíba. Colégio de Procuradores de Justiça

Ministério Público do Estado da Paraíba. Colégio de Procuradores de Justiça Ministério Público do Estado da Paraíba Colégio de Procuradores de Justiça Resolução CPJ nº.04/2013 Regulamenta a tramitação da notícia de fato, do inquérito civil, do procedimento preparatório e do procedimento

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados.

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Nº, de de 2012. Dispõe sobre as audiências públicas no âmbito do Ministério Público da União e dos Estados. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício da competência

Leia mais

TOMADA DE CONTAS ESPECIAL. SINDICÂNCIA e PROCESSO DISCIPLINAR MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO

TOMADA DE CONTAS ESPECIAL. SINDICÂNCIA e PROCESSO DISCIPLINAR MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO TOMADA DE CONTAS ESPECIAL SINDICÂNCIA e PROCESSO DISCIPLINAR MAURINO BURINI ASSESSOR JURÍDICO E ADVOGADO TOMADA DE CONTAS ESPECIAL Instrução Normativa N.TC-13/2012 Definição e Objetivo A tomada de contas

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.745, DE 2006

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.745, DE 2006 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 6.745, DE 2006 Altera dispositivos da Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985, para instituir o controle judicial sobre os inquéritos civis,

Leia mais

INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO

INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO INQUÉRITO POLICIAL - V TERMO CIRCUNSTANCIADO - ARQUIVAMENTO TERMO CIRCUNSTANCIADO TERMO CIRCUNSTANCIADO -Substitui o inquérito policial, é utilizado para crimes de menor potencial ofensivo (pena máxima

Leia mais

REQUISIÇÃO DE DOCUMENTOS

REQUISIÇÃO DE DOCUMENTOS Data versão inicial: Data versão vigente: 1/6 Unidade de Aplicação: Promotorias de do MP-PR. Objetivo do Processo: Responsável(is) envolvido(s): Secretarias, assessorias e promotores de justiça. Cumprimento

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Ato (N) nº 664/2010 - PGJ-CGMP-CSMP, de 08/10/2010 Professora Bruna Refosco www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo Ato Normativo n 664 de 08 de outubro de 2010 PGJ/CGMP/CSMP

Leia mais

O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA

O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA O Conselho Tutelar e o Ministério Público PAOLA DOMINGUES BOTELHO REIS DE NAZARETH PROMOTORA DE JUSTIÇA COORDENADORA CAO-DCA CONSELHO TUTELAR 1. CONCEITO (art. 131, ECA): órgão permanente e autônomo, não

Leia mais

a revolução no MP Mas não lhe davam instrumentos para se daí o inquérito civil

a revolução no MP Mas não lhe davam instrumentos para se daí o inquérito civil INQUÉRITO CIVIL E PEÇAS DE INFORMAÇÃO origens e conceito valor e objeto as 3 fases controle de legalidade 1 Inquérito civil a revolução no MP As diversas leis davam atribuições ao Ministério Público Ações

Leia mais

Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Administrador Judicial na Falência e na Recuperação de Empresas Administrador Judicial O administrador judicial será profissional idôneo, preferencialmente advogado, economista, administrador de empresas

Leia mais

Ana Cristina Mendonça Geovane Moraes DELEGADO DE POLÍCIA. Teoria, Peças e Questões Comentadas. 2ª edição revisada, atualizada e ampliada.

Ana Cristina Mendonça Geovane Moraes DELEGADO DE POLÍCIA. Teoria, Peças e Questões Comentadas. 2ª edição revisada, atualizada e ampliada. Ana Cristina Mendonça Geovane Moraes DELEGADO DE POLÍCIA Teoria, Peças e Questões Comentadas 2ª edição revisada, atualizada e ampliada Recife PE 2016 . DIFERENÇA ENTRE DESPACHO, OFÍCIO, AUTO, TERMO, PORTARIA,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.363 INSTRUÇÃO Nº 1160-71.2011.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Arnaldo Versiani Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a apuração de crimes

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.396 INSTRUÇÃO Nº 958-26.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Dias Toffoli Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a apuração de crimes eleitorais.

Leia mais

Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências.

Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. Resolução nº 121, de 5 de outubro de 2010 Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Notícia de fato nº MPPR

Notícia de fato nº MPPR Notícia de fato nº MPPR-0051.12.000423-2 Interessada: 3º Promotoria de Justiça de Fazenda Rio Grande PR. Natureza: Solicitação de sugestões de diligências nos autos originais de Notícia de Fato nº MPPR-0051.12.000423-3,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA REGIONAL PORTARIA Nº T2-PTC-2011/00404 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011.

PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA REGIONAL PORTARIA Nº T2-PTC-2011/00404 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL - 2ª REGIÃO CORREGEDORIA REGIONAL PORTARIA Nº T2-PTC-2011/00404 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011. O Doutor ANDRÉ FONTES, Corregedor-Regional da Justiça

Leia mais

Ofício Circular nº 01/2014 CGMP Curitiba, 17 de janeiro de Senhor(a) Promotor(a) de Justiça:

Ofício Circular nº 01/2014 CGMP Curitiba, 17 de janeiro de Senhor(a) Promotor(a) de Justiça: Ofício Circular nº 01/2014 CGMP Curitiba, 17 de janeiro de 2014. Senhor(a) Promotor(a) de Justiça: Tendo sido detectado problemas de ordem técnica, por ocasião da geração do CD anteriormente apresentado

Leia mais

RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL.

RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. RESOLUÇÃO N XXXXXXX INSTRUÇÃO N xxx-xx.20xx6.00.0000 - CLASSE 19 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Dias Toffoli. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe sobre a apuração de crimes

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos POLÍCIA Superintendência de Atendimento e Controle Processual TERMO DE COMPROMISSO E TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Daniela de Souza Superintendência

Leia mais

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 Revogada pela RMPC 2/11 O Procurador-Geral do Ministério Público de Contas, com fundamento direto nos artigos 32 e 119 da Lei Complementar nº 102, de 17 de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM MATO GROSSO DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM MATO GROSSO DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM MATO GROSSO DO SUL PORTARIA DE INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO Nº 156/2011/PR-MS, DE 15 DE JULHO DE 2011 Classificação Temática: 3ª CCR Ordem

Leia mais

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ Posição legal Momento processual Necessidade, finalidade, objeto e limites Natureza jurídica Liquidação na pendência de recurso Liquidação concomitante com execução Modalidades Liquidação de sentença Sumário

Leia mais

NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL

NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL INSTITUTOS IMPORTANTES PARA O MERCADO DE SEGUROS MARCIO MALFATTI NOVEMBRO 2016 DO INCIDENTE DE RESOLUÇÃO DE DEMANDAS REPETITIVAS IRDR DO CABIMENTO Art. 976. É cabível a instauração

Leia mais

VÍCIOS E DEFEITO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS E ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO

VÍCIOS E DEFEITO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS E ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO VÍCIOS E DEFEITO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS E ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO Dra. Adriana Borghi Fernandes Monteiro Promotora de Justiça Coordenadora da Área do Consumidor Vício do Produto ou do Serviço CDC

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 02/2004 de 20/02/2004

ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 02/2004 de 20/02/2004 ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 02/2004 de 20/02/2004 Nº PAUTA: 210.1 ASSUNTO: PROCEDIMENTO DISCIPLINAR ENQUADRAMENTO CONVENCIONAL E LEGAL: Código do Trabalho REVOGAÇÕES: Orientação Normativa nº.21/2000, de 20/11/2000

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO

ATOS DO PODER EXECUTIVO Página 1 de 9 ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO Nº 8.754, DE 10 DE MAIO DE 2016 Altera o Decreto nº 5.773, de 9 de maio de 2006, que dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação

Leia mais

Decisão de Diretoria CETESB nº 153 DE 28/05/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 29 mai 2014

Decisão de Diretoria CETESB nº 153 DE 28/05/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 29 mai 2014 Decisão de Diretoria CETESB nº 153 DE 28/05/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 29 mai 2014 Dispõe sobre os Procedimentos para o Licenciamento Ambiental com Avaliação de Impacto Ambiental

Leia mais

ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética EDUCATIVA ética CONSULTIVA ética CONCILIADORA RESPONSABILIZADORAética ética

ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética ética EDUCATIVA ética CONSULTIVA ética CONCILIADORA RESPONSABILIZADORAética ética ÉTICA EDUCATIVA CONCILIADORA PREVENTIVA RESPONSABILIZADORA COMISSÃO DE CONSULTIVA DO IFBA COMISSÃO DE ÉTICA DO IFBA 3 Apresentação Esta guia tem como objetivo esclarecer, orientar e estimular a compreensão

Leia mais

SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 962/16 - PGJ, 27 DE ABRIL DE 2016 (Protocolado nº /16)

SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 962/16 - PGJ, 27 DE ABRIL DE 2016 (Protocolado nº /16) SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 962/16 - PGJ, 27 DE ABRIL DE 2016 (Protocolado nº 52.586/16) Reorganiza as Subprocuradorias-Gerais de Justiça, extingue a Subprocuradoria-Geral

Leia mais

PAULA MELLO ASSESSORIA JURÍDICA NO TERCEIRO SETOR

PAULA MELLO ASSESSORIA JURÍDICA NO TERCEIRO SETOR PRINCIPAIS ASPECTOS DO TERMO DE PARCERIA ESTABELECIDO PELA LEI 9790/99 E REGULAMENTADO PELO DECRETO 3100/99 A lei 9790/99 em seu capitulo II, institui o termo de parceria como o instrumento passível de

Leia mais

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS PROJETO DE LEI Nº XXX, DE 2013 Dispõe sobre a investigação criminal e dá outras providências. A Presidenta da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Capítulo

Leia mais

I RELATÓRIO. Trata-se de ação direta de inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, proposta pelo Procurador-Geral da República,

I RELATÓRIO. Trata-se de ação direta de inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, proposta pelo Procurador-Geral da República, N o 155.389/2016-AsJConst/SAJ/PGR Relatora: Ministra Cármen Lúcia Requerente: Procurador-Geral da República Interessado: Congresso Nacional CONSTITUCIONAL. AÇÃO DIRETA DE INCONSTITU- CIONALIDADE. LEI 10.001/2000.

Leia mais

Processo administrativo Lei 9.784/99. Disposições gerais (art. 1º) Início do processo (art. 5º) Disposições gerais (art. 1º, 1º)

Processo administrativo Lei 9.784/99. Disposições gerais (art. 1º) Início do processo (art. 5º) Disposições gerais (art. 1º, 1º) Processo administrativo Lei 9.784/99 Direito Administrativo Prof. Armando Mercadante Nov/2009 Disposições gerais (art. 1º) Art. 1º Esta Lei estabelece normas básicas sobre o processo administrativo no

Leia mais

ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP.

ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP. 1 1 ATO REGULAMENTAR CONJUNTO Nº 01/2008-GPGJ/CGMP. Dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados pelos órgãos da Procuradoria-Geral de Justiça para a concessão, a suspensão, a interrupção e

Leia mais

Ministério Público do Estado de Mato Grosso

Ministério Público do Estado de Mato Grosso TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA com cominação de multa diária N 007/2014 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO, representado, neste ato, pelo da Comarca de Porto Esperidião/MT, Dr., doravante designado

Leia mais

Lei Nº12.527/2011 Acesso à Informação Pública Principais pontos da lei brasileira e desafios para sua implementação. Controladoria-Geral da União

Lei Nº12.527/2011 Acesso à Informação Pública Principais pontos da lei brasileira e desafios para sua implementação. Controladoria-Geral da União Lei Nº12.527/2011 Acesso à Informação Pública Principais pontos da lei brasileira e desafios para sua implementação Controladoria-Geral da União Acesso a informação: Conceito Transparência Ativa ACESSO

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 Publicada no DOE de 05/11/2008 CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CENTRO DE ATENDIMENTO SÓCIO-EDUCATIVO AO ADOLESCENTE FUNDAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO A ǧ.! A A ǧ

SUMÁRIO A ǧ.! A A ǧ SUMÁRIO... 19 1. Introdução e breve reconstrução histórica da função e da carreira... 19 2. Fundamento constitucional da carreira... 20 2.1 Abrangência da expressão Autoridade Policial... 20 3. Lei de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011, 98/2013, 113/2014 e 121/2015) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011, 98/2013, 113/2014 e 121/2015) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO (Alterada pelas Resoluções nº 65/2011, 98/2013, 113/2014 e 121/2015) RESOLUÇÃO Nº 20, DE 28 DE MAIO DE 2007. Regulamenta o art. 9º da Lei Complementar nº 75, de

Leia mais

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade.

LFG MAPS. INQUÉRITO POLICIAL 08 questões. qualquer diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade. NOÇÕES DE DIREITO PENAL Nível de importância Tema QTDE de Questões Porcentagem (%) 1 Inquérito Policial 8 32% 2 Prisões 7 28% 3 Provas 6 24% 4 Ação Penal 2 8% 5 Habeas Corpus 2 8% TOTAL 25 100% INQUÉRITO

Leia mais

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA

Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA Brasília - DF, quarta-feira, 20 de agosto de 2014 página 26 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.491, DE 19 DE AGOSTO DE 2014 Dispõe sobre os débitos a

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, no uso da atribuição

Leia mais

Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta - TCAC

Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta - TCAC Termo de Compromisso de Ajuste de Conduta - TCAC Simone Sanches Freire Diretora de Fiscalização Porto Alegre, 12/05/2015 Conceito de TCAC Instrumento Regulatório... por meio do qual a ANS firma compromissos...

Leia mais

LEI N.º 1.921/2015 DATA: 29/09/2015

LEI N.º 1.921/2015 DATA: 29/09/2015 Publicado em 01/10/2015 Edição 2239 Pág. 6A Jornal Correio do Povo. LEI N.º 1.921/2015 DATA: 29/09/2015 SÚMULA: Autoriza o Município a não ajuizar ações ou execuções fiscais de débitos de pequeno valor;

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Procedimento Comum e Ordinário Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal PROCEDIMENTO COMUM E ORDINÁRIO LIVRO II Dos Processos em Espécie

Leia mais

OBJETO: CONTROLE DAS ATIVIDADES DOS PROCURADORES MUNICIPAIS ESPECIALIZADOS AUTÁRQUICOS E SETORIAIS.

OBJETO: CONTROLE DAS ATIVIDADES DOS PROCURADORES MUNICIPAIS ESPECIALIZADOS AUTÁRQUICOS E SETORIAIS. PROVIMENTO DA PGM N. 007/2014 OBJETO: CONTROLE DAS ATIVIDADES DOS PROCURADORES MUNICIPAIS ESPECIALIZADOS AUTÁRQUICOS E SETORIAIS. Considerando a necessidade de acompanhamento das funções institucionais

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM. 1 Registro: 2016.0000888926 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2223275-04.2016.8.26.0000, da Comarca de Santa Bárbara D Oeste, em que é agravante ELZA DOMINGOS

Leia mais

RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009

RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009 RESOLUÇÃO CFESS Nº 548, de 23 de março de 2009 EMENTA: Institui procedimentos que deverão ser adotados no processamento das denúncias éticas que forem objeto de DESAFORAMENTO, conforme previsão do artigo

Leia mais

Lei Nº12.527/2011 Acesso à Informação Pública Principais pontos da lei brasileira e desafios para sua implementação

Lei Nº12.527/2011 Acesso à Informação Pública Principais pontos da lei brasileira e desafios para sua implementação Lei Nº12.527/2011 Acesso à Informação Pública Principais pontos da lei brasileira e desafios para sua implementação Diretoria de Prevenção da Corrupção Controladoria-Geral da União Lei 12.527/2011 Abrangência:

Leia mais

Realização de Acampamentos Ocasionais

Realização de Acampamentos Ocasionais Capítulo 470 Realização de Acampamentos Ocasionais MR.470.01.Vers.1.0.b Página 1 de 11 Conteúdo PREÂMBULO... 3 CAPÍTULO I - ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 4 Artigo 1.º Lei habilitante... 4 Artigo 2.º Âmbito e

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. EMENTA: Regulamenta a concessão e o pagamento de auxílio funeral no

Leia mais

OBJETO DA NORMA E CONCEITOS E TIPOS PENAIS

OBJETO DA NORMA E CONCEITOS E TIPOS PENAIS - LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL - - Lei nº 12.850/13 - Lei de Combate às Organizações Criminosas - Professor: Marcos Girão - OBJETO DA NORMA E CONCEITOS E TIPOS PENAIS 1 OBJETO DA LEI Nº 12.850/13 Art. 1 o

Leia mais

RESOLVE: RESOLVE: PROCURADORES DE JUSTIÇA

RESOLVE: RESOLVE: PROCURADORES DE JUSTIÇA Manaus, Quarta-feira, 06 de abril de 2016 ATOS DA PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA PORTARIA Nº 0649/2016/PGJ O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, e DESIGNAR o Exmo. Sr. Dr. MÁRCIO

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000.

RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. RESOLUÇÃO CNSP N 25, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2000. Dispõe sobre escritório de representação, no País, de ressegurador admitido, e dá outras providências. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL I AULA DIA 04/05/2015. Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA

DIREITO PROCESSUAL PENAL I AULA DIA 04/05/2015. Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA DIREITO PROCESSUAL PENAL I AULA DIA 04/05/2015 Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com 10.2.5. Características - Procedimento escrito: não se permite uma investigação verbal. Todas

Leia mais

INTERESSES DIFUSOS E COLETIVOS PROFESSOR: Ms. JOSÉ ROBERTO SANCHES

INTERESSES DIFUSOS E COLETIVOS PROFESSOR: Ms. JOSÉ ROBERTO SANCHES INTERESSES DIFUSOS E COLETIVOS PROFESSOR: Ms. JOSÉ ROBERTO SANCHES UniSalesiano Inquérito Civil e Termo de Ajustamento de Conduta Inquérito Civil: 1. Generalidades: A previsão legal : art. 129, III da

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO a 1. Índice de Investigação Extrajudicial Identifica o percentual de procedimentos investigatórios instaurados pelo MP a partir das demandas recebidas. Todas 47 2.545 1,8% 2. Índice de Resolutividade sem

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2002

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2002 SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 31, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2002 Baixa instruções para análise do requerimento de autorização de saque do FGTS de contas vinculadas, em nome de empregadores,

Leia mais

PEDIDOS NO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Pedido de Providência nº

PEDIDOS NO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Pedido de Providência nº PEDIDOS NO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA Pedido de Providência nº 0001568-90.2014.2.00.0000 Realização das promoções e remoções nas Comarcas de Entrância Intermediária. Protocolizado em 06 de março de 2014.

Leia mais

Marco Civil e a Proteção de Dados Brasília, 10 de novembro de 2016

Marco Civil e a Proteção de Dados Brasília, 10 de novembro de 2016 Marco Civil e a Proteção de Dados Brasília, 10 de novembro de 2016 Carlos Bruno Ferreira da Silva Procurador da República Secretário de Cooperação Internacional Adjunto da PGR Coordenador do GT de Tecnologia

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO E AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE COMPROMISSO E AJUSTAMENTO DE CONDUTA INQUÉRITO CIVIL N : INTERESSADOS: COMPROMISSÁRIO E POPULAÇÃO EM GERAL OBJETO: MANUTENÇÃO DE PÁSSARO DA FAUNA SILVESTRE EM CATIVEIRO. TERMO DE COMPROMISSO E AJUSTAMENTO DE CONDUTA No dia de de, compareceu

Leia mais

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015.

PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. PORTARIA Nº 214, DE 01 DE JULHO DE 2015. Dispõe sobre a concessão de diárias de viagem e reembolso ao servidor público municipal e dá outras providenciais. O Diretor-Executivo do Instituto de Previdência

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:

LICENCIAMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: LICENCIAMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei 6938/81 (PNMA), art. 9º, inc. IV Dec. 99.274/90, art. 7, inc. I Resolução CONAMA 001/86 e 237/97 e 006/86 CF/88 art. 225 (proteção e prevenção) Art. 2º

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 11 EXECUÇÃO Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo.

Leia mais

Direitos Difusos e Coletivos

Direitos Difusos e Coletivos Direitos Difusos e Coletivos noções fundamentais Hugo Nigro Mazzilli www.mazzilli.com.br 1 O processo coletivo Processo estava voltado p/ conflitos tradicionais entre Estado x indivíduo entre indivíduo(s)

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CORREGEDORIA DA JUSTIÇA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CORREGEDORIA DA JUSTIÇA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ CORREGEDORIA DA JUSTIÇA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM PROVIMENTO Nº 002/2009 Estabelece normas para a distribuição de títulos de crédito apresentados

Leia mais

LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE

LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE 6 de agosto de 2014 LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral: Conquistas e Desafios para Eleições Limpas PROJETO DE LEI 6.316,

Leia mais

Correspondência entre articulados: CPA'15/CPA'91. Disposições gerais PARTE I. Princípios gerais da atividade administrativa CAPÍTULO II

Correspondência entre articulados: CPA'15/CPA'91. Disposições gerais PARTE I. Princípios gerais da atividade administrativa CAPÍTULO II Disposições gerais PARTE I Disposições preliminares CAPÍTULO I Definições Artigo 1.º Âmbito de aplicação Artigo 2.º Princípios gerais da atividade administrativa CAPÍTULO II Princípio da legalidade Artigo

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento comum: ordinário e sumário Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 PLANO DA AULA 1. Comparação dos procedimentos ordinários 2. Procedimento

Leia mais

Habilitação e Nomeação de Perito 18/04/16

Habilitação e Nomeação de Perito 18/04/16 Habilitação e Nomeação de Perito 18/04/16 PERITO De acordo com o 1º do artigo 156 do novo CPC, "os peritos serão nomeados entre os profissionais legalmente habilitados e os órgãos técnicos ou científicos

Leia mais

Portaria MTE nº 40, de 14/1/ DOU 1 de 17/1/2011

Portaria MTE nº 40, de 14/1/ DOU 1 de 17/1/2011 Portaria MTE nº 40, de 14/1/2010 - DOU 1 de 17/1/2011 Disciplina os procedimentos relativos aos embargos e interdições. O Ministro de Estado do Trabalho e Emprego, no uso da atribuição conferida pelo art.

Leia mais

A Informação do Sector Público O acesso aos documentos da Administração Pública. Juiz Conselheiro Castro Martins ( CADA )

A Informação do Sector Público O acesso aos documentos da Administração Pública. Juiz Conselheiro Castro Martins ( CADA ) Informação do Sector Público: Acesso, reutilização e comercialização 24 de Novembro de 2004 Representação da Comissão Europeia em Portugal A Informação do Sector Público O acesso aos documentos da Administração

Leia mais

PROCESSO PENAL I 7ª - Part r e Pro r f o e f ss s o s r o : r :Ru R b u ens s Co C r o r r e r ia a Jun u ior

PROCESSO PENAL I 7ª - Part r e Pro r f o e f ss s o s r o : r :Ru R b u ens s Co C r o r r e r ia a Jun u ior PROCESSO PENAL I 7ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 PROCESSO PENAL I 2 PROCESSO PENAL FORMA Será escrito art. 9 do CPP objetivando o controle dos atos e posteriormente servir de base ao processo;

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 323, DE 3 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 323, DE 3 DE ABRIL DE 2013 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 323, DE 3 DE ABRIL DE 2013 Dispõe sobre a instituição de unidade organizacional específica de ouvidoria pelas operadoras de planos privados de assistência saúde. [Correlações]

Leia mais

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO RESPOSTAS DO RÉU CONTESTAÇÃO; EXCEÇÃO (Incompetência relativa, suspeição

Leia mais

SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA. Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015

SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA. Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015 SYNGENTA PREVI SOCIEDADE DE PREVIDENCIA PRIVADA Regimento Eleitoral aprovado pelo Conselho Deliberativo da Syngenta Previ em 22/09/2015 Regimento Eleitoral A Diretoria-Executiva resolve expedir o presente

Leia mais

Ministério Público DO ESTADO DE MATO GROSSO 1ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Barra do Bugres

Ministério Público DO ESTADO DE MATO GROSSO 1ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Barra do Bugres SIMP nº. 000954-033/2016 NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA nº 002/2016 O Promotor de Justiça, oficiante na Comarca de Barra do Bugres/MT, no uso de suas atribuições legais e constitucionais, na defesa do patrimônio

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA DAC N o 192/DGAC, DE 14 DE MARÇO DE 2002 Aprova a Instrução de Aviação Civil que dispõe sobre os Procedimentos para Celebração

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA ÍNDICE. Página 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES OBJETIVO ÁREAS ENVOLVIDAS NORMAS GERAIS... 2

INSTRUÇÃO NORMATIVA ÍNDICE. Página 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES OBJETIVO ÁREAS ENVOLVIDAS NORMAS GERAIS... 2 ÍNDICE Página 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 2 1. OBJETIVO... 2 2. S ENVOLVIDAS...2 3. NORMAS GERAIS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 5. DISPOSIÇÕES FINAIS... 5 Anexos: Não há 1/5 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES REVISÃO

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 77, DE 2016

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 77, DE 2016 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 77, DE 2016 Dispõe sobre a substituição processual pelo sindicato da categoria profissional. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º O sindicato da categoria profissional,

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO Portaria nº 08/2014 Parquet Web n. 2014001010026297 DEFESA DA PROBIDADE EMENTA: INQUÉRITO CIVIL PÚBLICO. ATUAÇÃO EXTRAJUDICIAL DO PARQUET. OBJETIVO DEFESA DA PROBIDADE. POSSÍVEL

Leia mais

Ministério Público do Estado de Mato Grosso 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Bugres-MT

Ministério Público do Estado de Mato Grosso 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Bugres-MT NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA nº 003/2015 Considerando o teor de fls. 17/19, o Sr. José Damião é o locador do imóvel em questão, e o Sr. José Limeira da Silva Filho é o locatário, o Promotor de Justiça, oficiante

Leia mais

Professor Wisley Aula 16

Professor Wisley Aula 16 - Professor Wisley www.aprovaconcursos.com.br Página 1 de 7 PRISÕES 1. PRISÃO TEMPORÁRIA: Lei 7.960/89 A prisão temporária caracteriza-se por

Leia mais

O QUE É O FRBL meio ambiente consumidor, economia popular, bens e direitos de valor artístico, histórico, estético, turístico e paisagístico,

O QUE É O FRBL meio ambiente consumidor, economia popular, bens e direitos de valor artístico, histórico, estético, turístico e paisagístico, O QUE É O FRBL O Fundo para Reconstituição de Bens Lesados é um fundo estadual gerido pelo MPSC e destinado à reparação dos danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, à economia popular, a bens e

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Execução I. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Execução I Prof. Luiz Dellore Inadimplemento + título executivo extrajudicial: Processo de execução. PARTE ESPECIAL LIVRO II DO PROCESSO DE EXECUÇÃO Sempre? Art. 785. A existência

Leia mais

REGULAMENTO DA OUVIDORIA

REGULAMENTO DA OUVIDORIA REGULAMENTO DA OUVIDORIA Ribeirão Preto - SP 1 Sumário CAPÍTULO I... 3 Da Natureza, Objetivos e Finalidade... 3 CAPÍTULO II... 4 Da Vinculação Administrativa... 4 CAPÍTULO III... 4 Da Competência e Atribuições

Leia mais

O Regulamento n.º 668-A/2015, publicado no Diário da República, s.2, n.º 194 (1.º suplemento), de 5 de Outubro de ORDEM DOS ADVOGADOS

O Regulamento n.º 668-A/2015, publicado no Diário da República, s.2, n.º 194 (1.º suplemento), de 5 de Outubro de ORDEM DOS ADVOGADOS O Regulamento n.º 668-A/2015, publicado no Diário da República, s.2, n.º 194 (1.º suplemento), de 5 de Outubro de 2015. ORDEM DOS ADVOGADOS Regulamento n.º668-a / 2015 Por deliberação do plenário do Conselho

Leia mais

EXPROPRIAÇÕES. Instrução dos pedidos de declaração de utilidade pública. Orientações técnicas

EXPROPRIAÇÕES. Instrução dos pedidos de declaração de utilidade pública. Orientações técnicas EXPROPRIAÇÕES Instrução dos pedidos de declaração de utilidade pública Orientações técnicas 2016 1 Introdução A declaração de utilidade pública da expropriação dos bens imóveis e direitos a eles inerentes

Leia mais

PROCESSO: RES nº / Conselheiro Antônio Pereira Duarte Conselheiro Almino Afonso RELATÓRIO

PROCESSO: RES nº / Conselheiro Antônio Pereira Duarte Conselheiro Almino Afonso RELATÓRIO PROCESSO: RES nº 0.00.000.000394/2011-67 RELATOR: RECORRENTE: Conselheiro Antônio Pereira Duarte Conselheiro Almino Afonso RELATÓRIO Trata-se de proposta de resolução apresentada pelo excelentíssimo conselheiro

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 1, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 1, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 1, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015 A PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeada por Decreto de 5 de maio de 2015, publicado

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. Estabelece procedimentos para obtenção de autorização prévia para instalação de escritório de representação, cadastramento,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS ADEP MG ANÁLISE PRELIMINAR DO ANTEPROJETO DE REFORMA DO CPC

ASSOCIAÇÃO DOS DEFENSORES PÚBLICOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS ADEP MG ANÁLISE PRELIMINAR DO ANTEPROJETO DE REFORMA DO CPC Nº Aspectos Positivos 1 Capítulo IV, Seção III - Da Defensoria Pública (havia a previsão específica de uma seção para tratar apenas da Defensoria Pública) Há o reconhecimento da instituição como essencial

Leia mais

Instrução Processual de Contratos Temporários (Resolução n.º 003/2016/TCM-PA)

Instrução Processual de Contratos Temporários (Resolução n.º 003/2016/TCM-PA) Instrução Processual de Contratos Temporários (Resolução n.º 003/2016/TCM-PA) RAPHAEL MAUÉS OLIVEIRA Assessor Especial do TCM-PA BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A CONTRATAÇÃO DE PESSOAL NO ÂMBITO MUNICIPAL

Leia mais

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte I Professor Zulmar Duarte Instaura a relação processual (linear) Apresenta a Demanda (causa de pedir e pedido) Litispendência (art. 312) Fixação da competência (art. 43) Requisitos Art. 319 Competência

Leia mais

PERGUNTA 1: O Edital do Pregão Eletrônico prevê, em seu item 4.1.1:

PERGUNTA 1: O Edital do Pregão Eletrônico prevê, em seu item 4.1.1: Esclarecimentos I PERGUNTA 1: O Edital do Pregão Eletrônico prevê, em seu item 4.1.1: 4.1.1 Deverão ser protocolados na ANP, Avenida Rio Branco nº 65, 16º andar, Superintendência de Abastecimento, Centro,

Leia mais