Gênero Leishmania. século XIX a febre negra ou Kala-azar era temida na Índia. doença semelhante matava crianças no Mediterrâneo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gênero Leishmania. século XIX a febre negra ou Kala-azar era temida na Índia. doença semelhante matava crianças no Mediterrâneo"

Transcrição

1 Leishmaniose Leishmaniose é um espectro de doenças produzidas por Leishmania sp. cuja manifestação clínica varia de infecção assintomática tica à morte Gênero Leishmania Histórico século XIX a febre negra ou Kala-azar era temida na Índia doença semelhante matava crianças no Mediterrâneo 1885 Cunningham viu amastigotas em fragmento de lesões do Botão do Oriente na Índia pensou ser um fungo 1898 Borovsky reconheceu que era um protozoário 1903 Leishman e Donovan viram os mesmos corpúsculos intracelulares nas vísceras de casos fatais de Kala-azar indiano achando-os parecidos com Trypanosoma 1903 Laveran & Mesnil denominaram-no Piroplasma donovani e Ross corrigiu para Leishmania donovani 1

2 Leishmaniose Zoonose causada por Leishmania spp Protozoário parasita intracelular de macrófagos Distribuição geográfica África, Europa (países mediterrâneos), Ásia Central, India, América Central e do Sul Distribuição geral mundial da leishmaniose Estima-se a existência de 12 milhões de casos no mundo todo. (WHO/CID/Leish/98.9 Add.1) 2

3 Principais espécies de Leishmania Velho Mundo Leishmania donovani Leishmania infantum Américas Leishmania chagasi Leishmania braziliensis Hospedeiros Vertebrados: - mamíferos silvestres: canídeos, roedores, marsupiais, edentados - homem - cão doméstico (principal reservatório doméstico) Invertebrados: - mosquitos flebotomíneos Américas: Gênero Lutzommyia ( mosquito-palha ) 3

4 Formas evolutivas Leishmania spp Hospedeiro invertebrado promastigota Hospedeiro vertebrado amastigota 4

5 Amastigotas em citoplasma de macrófagos Promastigotas (em cultivo celular) 5

6 Ciclo Biológico Leishmania spp Cão: principal reservatório doméstico na América 6

7 Doença no cão Manifestações variáveis, determinadas pelo reação imune do hospedeiro * (Sinais clínicos de progressão lenta) - Úlceras superficiais nos lábios, pinas e pálpebras (possível remissão espontânea) - Dermatite descamativa, perda de pelo generalizada, alopecia ao redor dos olhos, ceratoconjuntivite, onicogrifose - Febre intermitente, anemia, caquexia, aumento dos linfonodos, esplenomegalia Patogenia Leishmanias inoculadas penetram macrófagos da pele Multiplicação das amastigotas no interior de macrófagos da pele Rompimento da célula hospedeira Invasão de novas células (instalação de processo inflamatório) Lesões cutâneas * atuação da imunidade celular cura das lesões 7

8 Amastigotas fagocitadas - distribuição sistêmica Multiplicação em células de órgãos do SFM Hipertrofia e hiperplasia do sistema macrofágico das vísceras Aumento volume dos linfonodos e baço Medula óssea - macrófagos parasitados substituem tecido hematopoiético Anemia 8

9 9

10 10

11 11

12 Doença no homem Leishmaniose tegumentar forma cutânea: lesões nodulares não ulcerativas lesões ulcerosas em botão forma mucocutânea: lesões ulcerativas e destrutivas das mucosas (desfigurantes) Leishmaniose visceral: Kalazar forma grave - crônica e progressiva emagrecimento, anemia, hepatomegalia, esplenomegalia... 12

13 13

14 14

15 Diagnóstico Clínico: sinais inespecíficos Hematologia: - Hiperprotinemia (hiperglobulinemia e hipoalbuminemia) - Pancitopenia Parasitológico: - Citologia observação de amastigotas em esfregaço de punção de medula óssea, baço,linfonodos, biópsia e imprintings de pele Imunológico: ELISA, IFI, RFC detecção de anticorpos anti-leishmania 15

16 Tratamento disponível não totalmente efetivo * antimoniato de meglumine (Glucantine ) - ameniza os sintomas animal continua portador - caro, longo, doloroso (via IM) - efeitos adversos (mialgia,, cefaléia, vômito, náusea...) * Anfoterecina B - extremamente caro - apenas 10 dias tratamento Controle e prevenção para o homem Sacrifício de cães infectados Controle mosquitos (controle químico) área do foco Medidas de proteção individual Situação no Brasil Distribuição da LTA no Brasil FUNASA / 2000 Distribuição da LV no Brasil FUNASA / Coeficiente de detecção por hab caso não registrado baixo < 3 médio 3 < 11 alto 11 < 71 muito alto > 71 90% dos casos estão no NE 16

17 Número de casos Número de casos de leishmaniose no Brasil 80 a 99 LTA LV De acordo com a Organização Mundial da Saúde, é ainda um grave problema de saúde pública (WHO,2002) 350 milhões de pessoas no mundo sob risco, 1,5 milhões de casos novos/ano (1 milhão de LT e 0,5 milhão de LV) É uma doença intimamente relacionada à pobreza e cresce com o aumento da desigualdade social O avanço da urbanização e conseqüente desmatamento contribuem para aumento do número de casos da doença 17

Leishmaniose. Família: Trypanosomatidae (da mesma família que o Trypanosoma cruzi, causador de Chagas).

Leishmaniose. Família: Trypanosomatidae (da mesma família que o Trypanosoma cruzi, causador de Chagas). Leishmaniose Parasito Reino: Protozoa Filo: Sarcomastigophora (porque possui flagelo) Ordem: Kinetoplastida (porque tem cinetoplasto) Família: Trypanosomatidae (da mesma família que o Trypanosoma cruzi,

Leia mais

Complexo Leishmania donovani Forte tendência a visceralização (baço, fígado, medula óssea e órgãos linfóides).

Complexo Leishmania donovani Forte tendência a visceralização (baço, fígado, medula óssea e órgãos linfóides). ORDEM: KINETOPLASTIDA FAMÍLIA: TRYPANOSOMATIDAE GÊNERO: Leishmania Classificações: A) SUBGÊNEROS: Leishmania Viannia B) COMPLEXOS: Parasitologia (Nutrição) Aula 4 (26/03) Leishmania Profa. Adriana Pittella

Leia mais

FAMÍLIA TRYPANOSOMATIDAE

FAMÍLIA TRYPANOSOMATIDAE FAMÍLIA TRYPANOSOMATIDAE CLASSIFICAÇÃO: FILO SARCOMASTIGOPHORA(flagelos, pseudópodes ou ambos) SUBFILO MASTIGOPHORA (protozoários com 1 ou + flagelos) FAMÍLIA TRYPANOSOMATIDAE: São nove gêneros que parasitam

Leia mais

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora! Leishmaniose

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora!  Leishmaniose Leishmaniose Sob a denominação genérica de leishmaniose, a ciência médica descreve um grupo de doenças infecciosas causadas por protozoários do gênero Leishmania, transmitidos ao homem por mosquitos do

Leia mais

Universidade de São Paulo -USP. Leishmanioses. Luciana Benevides. Ribeirão Preto- 2013

Universidade de São Paulo -USP. Leishmanioses. Luciana Benevides. Ribeirão Preto- 2013 Universidade de São Paulo -USP Leishmanioses Luciana Benevides Ribeirão Preto- 2013 Tópicos abordados Definição Leishmaniose Vetores Parasita Manifestações clínicas Epidemiologia Classificação das doenças

Leia mais

Módulo: Nível Superior Dezembro/2014 GVDATA

Módulo: Nível Superior Dezembro/2014 GVDATA Módulo: Nível Superior Dezembro/2014 GVDATA Classificada no grupo de doenças extremamente negligenciadas Leishmanioses Volta Redonda Barra Mansa Rio de Janeiro Niterói Definição de Caso suspeito Todo individuo

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Veterinária Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Veterinária Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Instituto de Veterinária Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública LEISHMANIOSE CANINA Leishmanose Tegumentar America LTA Leishmania Visceral - LV Adivaldo

Leia mais

LEISHMANIOSES 31/08/2015. Leishmanioses: etiologia. Leishmanioses: distribuição mundial

LEISHMANIOSES 31/08/2015. Leishmanioses: etiologia. Leishmanioses: distribuição mundial LEISHMANIOSES L E I S H M A N I O S E T E G U M E N T A R A M E R I C A N A L E I S H M A N I O S E V I S C E R A L http://www.zoonoses.org.br/ Fonte: http://www.mdsaude.com/ Fonte: http://www.wspabrasil.org/

Leia mais

MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA

MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA DOTTA, Silvia Cristina Nardy Discente do Curso de Medicina Veterinária da FAMED Garça LOT, Rômulo Francis Estangari ZAPPA, Vanessa Docentes da Associação

Leia mais

Leishmaniose Tegumentar Americana

Leishmaniose Tegumentar Americana Leishmaniose Tegumentar Americana (Leishmania) Prfª. M.Sc. Yara Bandeira Azevedo UNIFAN Leishmania Filo: Sarcomastigophora Subfilo: Mastigophora Ordem: Kinetoplastida Família: Trypanosomatidae Gênero:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - DF HOSPITAL REGIONAL DA ASA SUL PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA M CALAZAR GERMANO DA SILVA DE SOUZA R 2

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - DF HOSPITAL REGIONAL DA ASA SUL PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA M CALAZAR GERMANO DA SILVA DE SOUZA R 2 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - DF HOSPITAL REGIONAL DA ASA SUL PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA M EM PEDIATRIA CALAZAR GERMANO DA SILVA DE SOUZA R 2 www.paulomargotto.com.br CALAZAR DEFINIÇÃO ÃO: Zoonose

Leia mais

LEISHMANIOSE LEISHMANIOSE LEISHMANIOSE LEISHMANIOSE. Protista SUB-REINO: REINO: Protozoa FILO: Sarcomastigophora SUBFILO: Mastigophora CLASSE:

LEISHMANIOSE LEISHMANIOSE LEISHMANIOSE LEISHMANIOSE. Protista SUB-REINO: REINO: Protozoa FILO: Sarcomastigophora SUBFILO: Mastigophora CLASSE: PROTOZOÁRIOS Sarcomastigophora Apicomplexa Ciliophora Mastigophora Sarcodina Babesia Balantidium Trypanosoma Giardia Entamoeba Acanthamoeba Naegleria Eimeria Isospora Sarcocystis Trichomonas Endolimax

Leia mais

Manual de Vigilância e Controle das Leishmanioses

Manual de Vigilância e Controle das Leishmanioses Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso Superintendência de Vigilância em Saúde Coordenadoria de Vigilância em Saúde Ambiental Gerência de Vigilância de Vetores e Antropozoonoses Manual de Vigilância

Leia mais

Trypanosoma cruzi Doença de Chagas

Trypanosoma cruzi Doença de Chagas Disciplina de Parasitologia Trypanosoma cruzi Doença de Chagas Profa. Joyce Fonteles Histórico Histórico 1908- Carlos Chagas MG encontrou o parasito no intestino de triatomíneos. 1909- descrição do primeiro

Leia mais

Toxoplasmose. Zoonose causada por protozoário Toxoplasma gondii. Único agente causal da toxoplasmose. Distribuição geográfica: Mundial

Toxoplasmose. Zoonose causada por protozoário Toxoplasma gondii. Único agente causal da toxoplasmose. Distribuição geográfica: Mundial Toxoplasmose Zoonose causada por protozoário Toxoplasma gondii Único agente causal da toxoplasmose Distribuição geográfica: Mundial Hospedeiros: a) Hospedeiros finais ou definitivos: - felideos (gato doméstico

Leia mais

14/06/12. Esta palestra não poderá ser reproduzida sem a referência do autor

14/06/12. Esta palestra não poderá ser reproduzida sem a referência do autor 14/06/12 Esta palestra não poderá ser reproduzida sem a referência do autor ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFÊNCIA DO AUTOR. LEISHMANIOSE VISCERAL TRANSMISSÃO EM BANCO DE SANGUE Dra. Margarida

Leia mais

REGINA LUNARDI ROCHA. Departamento de Pediatria FM/UFMG Serviço DIP-HC/UFMG

REGINA LUNARDI ROCHA. Departamento de Pediatria FM/UFMG Serviço DIP-HC/UFMG REGINA LUNARDI ROCHA Departamento de Pediatria FM/UFMG Serviço DIP-HC/UFMG LEISHMANIOSE VISIERAL Antropozoonose de áreas tropicais Febre, hepatoesplenomegalia, palidez, emagrecimento Hipoalbuminemia, hipergamaglobulinemia,

Leia mais

Cerca de 6000 espécies conhecidas - ~10000 são parasitas. Eucariotos unicelulares

Cerca de 6000 espécies conhecidas - ~10000 são parasitas. Eucariotos unicelulares Cerca de 6000 espécies conhecidas - ~10000 são parasitas. Eucariotos unicelulares Apresentam variadas formas, processo de alimentação, reprodução e locomoção De acordo com a estrutura de locomoção Sarcodina

Leia mais

INFORME TÉCNICO PARA MÉDICOS VETERINÁRIOS LEISHMANIOSE VISCERAL AMERICANA

INFORME TÉCNICO PARA MÉDICOS VETERINÁRIOS LEISHMANIOSE VISCERAL AMERICANA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Avenida Anchieta, 200 11º andar Centro CEP: 13015-904 Tel. (19) 2116-0187 / 0286 E-mail: covisa@campinas.sp.gov.br

Leia mais

LEISHMANIOSE VISCERAL REVISÃO DE LITERATURA VISCERAL LEISHMANIASIS REVIEW

LEISHMANIOSE VISCERAL REVISÃO DE LITERATURA VISCERAL LEISHMANIASIS REVIEW LEISHMANIOSE VISCERAL REVISÃO DE LITERATURA VISCERAL LEISHMANIASIS REVIEW BRANDÃO, Talita Galvão Evaristo Acadêmica do curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de

Leia mais

TÍTULO: OCORRÊNCIA DE LEISHMANIA SP DETECTADA POR PCR EM LABORATÓRIO DE PATOLOGIA CLÍNICA PARTICULAR DE SP

TÍTULO: OCORRÊNCIA DE LEISHMANIA SP DETECTADA POR PCR EM LABORATÓRIO DE PATOLOGIA CLÍNICA PARTICULAR DE SP Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: OCORRÊNCIA DE LEISHMANIA SP DETECTADA POR PCR EM LABORATÓRIO DE PATOLOGIA CLÍNICA PARTICULAR

Leia mais

Unir forças para não expandir

Unir forças para não expandir Alerta à População A leishmaniose visceral (LV) é uma doença grave, causada por um parasito transmitido para pessoas e cães por meio da picada de um inseto (vetor) muito pequeno, conhecido como mosquito

Leia mais

LEISHMANIOSE EM CÃES: REVISÃO DE LITERATURA

LEISHMANIOSE EM CÃES: REVISÃO DE LITERATURA LEISHMANIOSE EM CÃES: REVISÃO DE LITERATURA SAITO, Angela Satiko NAKASATO, Fernanda Hatsue Discentes da Faculdade de Medicina Veterinária de Garça FAEF/FAMED SARGASSO, Fabiana Médica Veterinária da Clínica

Leia mais

LEISHMANIOSE VISCERAL EM ANIMAIS E HUMANOS

LEISHMANIOSE VISCERAL EM ANIMAIS E HUMANOS LEISHMANIOSE VISCERAL EM ANIMAIS E HUMANOS Mayara Barbosa Santiago Graduanda em Medicina Veterinária, Faculdades Integradas de Três Lagoas - FITL/AEMS Íria Maria Abel Santos Graduanda em Medicina Veterinária,

Leia mais

Profa. Carolina G. P. Beyrodt

Profa. Carolina G. P. Beyrodt Profa. Carolina G. P. Beyrodt Agente etiológico: Toxoplasma gondii (Protozoário coccídeo do Filo Apicomplexa) Histórico Isolado em 1908 de um roedor do deserto: Ctenodactylus gondii 1923 descrição do primeiro

Leia mais

Instituto de Pesquisas em Patologias Tropicais IPEPATRO/FIOCRUZ. Ferida Brava (Leishmaniose): Conheça e Aprenda a se proteger

Instituto de Pesquisas em Patologias Tropicais IPEPATRO/FIOCRUZ. Ferida Brava (Leishmaniose): Conheça e Aprenda a se proteger Instituto de Pesquisas em Patologias Tropicais IPEPATRO/FIOCRUZ Ferida Brava (Leishmaniose): Conheça e Aprenda a se proteger Janeiro de 2013 O que é? É uma doença infecciosa, não contagiosa, que afeta

Leia mais

Reino Protista. Protozoários Algas

Reino Protista. Protozoários Algas Reino Protista Protozoários Algas Morfologia e ultra-estrutura de protozoários Características dos protozoários Unicelulares, alguns coloniais, alguns com etapas de vida multicelulares. Eucariontes. Heterótrofos,

Leia mais

Toxoplasmose. Filo: Apicomplexa (porque possui complexo apical)

Toxoplasmose. Filo: Apicomplexa (porque possui complexo apical) Toxoplasmose Parasito Reino: Protozoa Filo: Apicomplexa (porque possui complexo apical) Ordem: Eucoccidiida Família: Sarcocystidae Gênero: Toxoplasma Espécie: Toxoplasma gondii - É uma doença cosmopolita.

Leia mais

Levantamento epidemiológico da leishmaniose tegumentar na região Nordeste, Brasil, de 2001 a 2010

Levantamento epidemiológico da leishmaniose tegumentar na região Nordeste, Brasil, de 2001 a 2010 Levantamento epidemiológico da leishmaniose tegumentar na região Nordeste, Brasil, de 2001 a 2010 1 Médico Veterinário UFRPE. E-mail: vagne_melo@hotmail.com Vagne de Melo Oliveira 1 Resumo: Doença parasitária

Leia mais

LEISHMANIOSE VISCERAL EM CÃES: RELATO DE CASO

LEISHMANIOSE VISCERAL EM CÃES: RELATO DE CASO LEISHMANIOSE VISCERAL EM CÃES: RELATO DE CASO MONTEIRO, Maria Eduarda Zeni BARUQUE, Mariana Discentes da Associação Cultural e Educacional de Garça - FAMED NEVES, Maria Francisca Docente da Associação

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Leishmaniose visceral canina no município de São Vicente Férrer, Estado de Pernambuco, Brasil

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Leishmaniose visceral canina no município de São Vicente Férrer, Estado de Pernambuco, Brasil PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Leishmaniose visceral canina no município de São Vicente Férrer, Estado de Pernambuco, Brasil Otamires Alves da Silva* e Geovania Maria da Silva

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO VETERINÁRIO

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO VETERINÁRIO 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO VETERINÁRIO QUESTÃO 21 A brucelose causada pela Brucella abortus está disseminada por todo o território nacional, sendo a principal forma de entrada da doença

Leia mais

ARS VETERINARIA,Jaboticabal,SP,v.24, n.3, , ISSN

ARS VETERINARIA,Jaboticabal,SP,v.24, n.3, , ISSN ARS VETERINARIA,Jaboticabal,SP,v.24, n.3, 177-180, 2008. ISSN 0102-6380 DIAGNÓSTICO SOROLÓGICO PELO MÉTODO DE IMUNOFLUORESCÊNCIA INDIRETA (IFI) PARA DETECÇÃO DE ANTICORPOS ANTI-Leishmania sp., EM CÃES

Leia mais

Boletim Epidemiológico UHE Santo Antônio do Jari

Boletim Epidemiológico UHE Santo Antônio do Jari Editorial Índice - Editorial - Doença Leishmaniose - Gráfico de Notificações - Doença Malária Este é o segundo número do ano de, com veiculação semestral, referente aos meses de janeiro a junho, contendo

Leia mais

Lamentável caso de Mormo, em Minas Gerais

Lamentável caso de Mormo, em Minas Gerais Lamentável caso de Mormo, em Minas Gerais O Mormo é uma doença infecto-contagiosa que acomete os Equinos e Asininos e tem como agente causador a bactéria Burkholderia mallei; Mormo é uma Zoonose porque

Leia mais

Protistas. Thiago Lins do Nascimento

Protistas. Thiago Lins do Nascimento Protistas 1 Thiago Lins do Nascimento tiagolinsnasc@gmail.com Protistas: Características Gerais São seres eucariontes. Os protistas são compostos pelas algas e protozoários. Apresentam muita diversidade

Leia mais

Leishmaniose visceral: Complexidade na relação Homemanimal-vetor-ambiente

Leishmaniose visceral: Complexidade na relação Homemanimal-vetor-ambiente Leishmaniose visceral: Complexidade na relação Homemanimal-vetor-ambiente em municípios de Minas Gerais Eduardo Sergio da Silva silvaedu@ufsj.edu.br Agosto de 2016 Introdução Epidemiologia das Leishmanioses

Leia mais

Instruço es para a realizaça o do teste ra pido imunocromatogra ico Alere para diagno stico sorolo gico da leishmaniose visceral canina

Instruço es para a realizaça o do teste ra pido imunocromatogra ico Alere para diagno stico sorolo gico da leishmaniose visceral canina Instruço es para a realizaça o do teste ra pido imunocromatogra ico Alere para diagno stico sorolo gico da leishmaniose visceral canina Elaboraça o Andreza Pain Marcelino Job Alves de Souza Filho Serviço

Leia mais

ACURÁCIA E CONFIABILIDADE DO ENSAIO IMUNOENZIMÁTICO PRODUZIDO POR BIO-MANGUINHOS PARA O DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA

ACURÁCIA E CONFIABILIDADE DO ENSAIO IMUNOENZIMÁTICO PRODUZIDO POR BIO-MANGUINHOS PARA O DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA ACURÁCIA E CONFIABILIDADE DO ENSAIO IMUNOENZIMÁTICO PRODUZIDO POR BIO-MANGUINHOS PARA O DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA Sonia Regina Lambert Passos 1, Lílian Dias Nascimento 1, Maria de Fátima

Leia mais

Leishmaniose Visceral Americana no Hospital Materno Infantil de Brasília DF

Leishmaniose Visceral Americana no Hospital Materno Infantil de Brasília DF Leishmaniose Visceral Americana no HMI Leishmaniose Visceral Americana no Hospital Materno Infantil de Brasília DF Jaqueline de Deus Costa 1 Marco Túlio A. García-Zapata 2 RESUMO - Através de ficha padronizada,

Leia mais

Audiência Pública 17/08/2015. Projeto de Lei 1.738/2011

Audiência Pública 17/08/2015. Projeto de Lei 1.738/2011 Audiência Pública 17/08/2015 Projeto de Lei 1.738/2011 Prof. Vitor Márcio Ribeiro PUC Minas A LEISHMANIOSE VISCERAL NO BRASIL O primeiro caso no Brasil foi descrito por Migone L.E.,em 1913 O paciente era

Leia mais

Leishmaniose. Profa Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes

Leishmaniose. Profa Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes Leishmaniose Profa Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Taxonomia Reino: Protozoa Filo: Sarcomastigophora Classe: Zoomastigophorea Ordem: Kinetoplastida Família: Trypanosomatidae

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO BONITO- RJ DECISÃO DOS RECURSOS CONTRA GABARITO PRELIMINAR I DOS RECURSOS

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO BONITO- RJ DECISÃO DOS RECURSOS CONTRA GABARITO PRELIMINAR I DOS RECURSOS PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO BONITO- RJ DECISÃO DOS RECURSOS CONTRA GABARITO PRELIMINAR I DOS RECURSOS Trata-se de recursos interpostos pelos candidatos infra relacionados, concorrentes ao cargo, VETERINÁRIO

Leia mais

MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA II

MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA II MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA II MICROBIOLOGIA: Mikros (= pequeno) + Bio (= vida) + logos (= ciência) A Microbiologia é definida, como a área da ciência que dedica - se ao estudo de microrganismos. Os

Leia mais

ARTIGOS. Perfil diagnóstico de leishmaniose visceral em pacientes adultos admitidos no Hospital Universitário Clemente Faria

ARTIGOS. Perfil diagnóstico de leishmaniose visceral em pacientes adultos admitidos no Hospital Universitário Clemente Faria ARTIGOS Perfil diagnóstico de leishmaniose visceral em pacientes adultos admitidos no Hospital Universitário Clemente Faria Diagnostic profile of visceral leishmaniasis in adult patients at Clemente de

Leia mais

PATOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS EM CÃES PATOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS EMERGENTES DE CÃES NO RS LEISHMANIOSE 21/10/2010. Leishmaniose (etiologia)

PATOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS EM CÃES PATOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS EMERGENTES DE CÃES NO RS LEISHMANIOSE 21/10/2010. Leishmaniose (etiologia) PATOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS EM CÃES Rafael Fighera Laboratório de Patologia Veterinária Universidade Federal de Santa Maria PATOLOGIA DAS DOENÇAS INFECCIOSAS EMERGENTES DE CÃES NO RS (etiologia)

Leia mais

PATOLOGIA DO SISTEMA HEMATOPOIÉTICO

PATOLOGIA DO SISTEMA HEMATOPOIÉTICO PATOLOGIA DO SISTEMA HEMATOPOIÉTICO Rafael Fighera Laboratório de Patologia Veterinária Hospital Veterinário Universitário Universidade Federal de Santa Maria LEUCEMIA LINFOBLÁSTICA AGUDA EM GATOS Rafael

Leia mais

LEISHMANIOSES. Afonso Heusser Jr.*

LEISHMANIOSES. Afonso Heusser Jr.* LEISHMANIOSES Afonso Heusser Jr.* As leishmanioses compreendem um grupo de doenças zoonóticas causadas por protozoários flagelados heteroxenos, pertencentes ao gênero Leishmania (Protozoa, Kinetoplastida,

Leia mais

PROTOZOOLOGIA. Filo CILIOPHORA

PROTOZOOLOGIA. Filo CILIOPHORA Filo CILIOPHORA Filo CILIOPHORA Família BALANTIDIIDAE Balantidium coli Habitat: Intestino grosso PROTOZOOLOGIA Morfologia: organismo revestido por cílios, bastante móvel, mede 300µm, na parte anterior

Leia mais

MARTHA DE PAULA SOARES GRECA. LEISHMAN lose VISCERAL CAN INA

MARTHA DE PAULA SOARES GRECA. LEISHMAN lose VISCERAL CAN INA MARTHA DE PAULA SOARES GRECA LEISHMAN lose VISCERAL CAN INA Monografia apresentada como parte das exigencias para obtengiio do titulo de especialista do Curso de P6s-Graduagiio Lato sensu em Clfnica e

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS BIO 405 PARASITOLOGIA HUMANA --

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS BIO 405 PARASITOLOGIA HUMANA -- UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA U.E.F.S. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA REQUISITOS BIO 405 PARASITOLOGIA HUMANA -- CARGA HORÁRIA CRÉDITOS PROFESSOR(A)

Leia mais

LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA (REVISÃO DE LITERATURA)

LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA (REVISÃO DE LITERATURA) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO LUCIANA SILVA SOBRAL LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA (REVISÃO DE LITERATURA) SALVADOR-BA 2009 LUCIANA SILVA SOBRAL LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA (REVISÃO DE LITERATURA)

Leia mais

EFEITOS GERAIS DA INFLAMAÇÃO

EFEITOS GERAIS DA INFLAMAÇÃO EFEITOS GERAIS DA INFLAMAÇÃO Inflamação: reação local, multimediada e esteriotipada, mas tende a envolver o organismo como um todo. Mensageiros químicos liberados do foco de lesão: Moléculas de células

Leia mais

LEISHMANIOSE VISCERAL

LEISHMANIOSE VISCERAL LEISHMANIOSE VISCERAL BLAU, Diego Dias OLIVEIRA, Karla Henrique de Acadêmicos do Curso de Medicina Veterinária FAIT Itapeva/SP NAKAGHI, Andréa C. Higa Prof. Drª. Fait Itapeva/SP Faculdade de Ciências Sociais

Leia mais

Leishmanioses. Doenças parasitárias

Leishmanioses. Doenças parasitárias Doenças parasitárias Leishmanioses Protozoários flagelados do gênero Leishmania Endêmicas em 88 países em 5 continentes Número de casos estimado pela OMS 12 milhões (Leishmaniose Cutânea (LC), Cutâneomucosa

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA LEISHMANIOSE EM CÃES ERRANTES NO MUNICÍPIO DE IJUÍ RIO GRANDE DO SUL 1

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA LEISHMANIOSE EM CÃES ERRANTES NO MUNICÍPIO DE IJUÍ RIO GRANDE DO SUL 1 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA LEISHMANIOSE EM CÃES ERRANTES NO MUNICÍPIO DE IJUÍ RIO GRANDE DO SUL 1 Franciele Ceratti Dortzbacher 2, Francini Palha 3, Leonardo Sasso Bernardi 4, Luciana Mori Viero 5, Cristiane

Leia mais

Análise dos casos de leishmaniose humana e sua relação com a eutanásia de animais recolhidos pelo centro de controle de zoonoses de Mossoró- RN.

Análise dos casos de leishmaniose humana e sua relação com a eutanásia de animais recolhidos pelo centro de controle de zoonoses de Mossoró- RN. http://dx.doi.org/10.5935/1981-2965.20130019 http://www.higieneanimal.ufc.br Artigo Cientifico Medicina Veterinária Análise dos casos de leishmaniose humana e sua relação com a eutanásia de animais recolhidos

Leia mais

ESQUISTOSSOMOSE. Profa Carolina G. P. Beyrodt

ESQUISTOSSOMOSE. Profa Carolina G. P. Beyrodt ESQUISTOSSOMOSE Profa Carolina G. P. Beyrodt AGENTE ETIOLÓGICO Agente etiológico da esquistossomose mansônica: Schistosoma mansoni Schisto = fenda + soma = corpo (corpo em forma de fenda) Ocorre na África,

Leia mais

Imunidade adaptativa (adquirida / específica):

Imunidade adaptativa (adquirida / específica): Prof. Thais Almeida Imunidade inata (natural / nativa): defesa de primeira linha impede infecção do hospedeiro podendo eliminar o patógeno Imunidade adaptativa (adquirida / específica): após contato inicial

Leia mais

Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: Universidade Anhanguera Brasil

Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: Universidade Anhanguera Brasil Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: 1415-6938 editora@uniderp.br Universidade Anhanguera Brasil Oliveira de Andrade, Ana Rachel; Cardozo Pinto de Arruda, Carla; Rigo, Leonardo

Leia mais

FACULDADE TECSOMA Curso em Graduação em Biomedicina. Maria Aparecida dos Santos Souza. LEISHMANIOSES: Uma Revisão Bibliográfica

FACULDADE TECSOMA Curso em Graduação em Biomedicina. Maria Aparecida dos Santos Souza. LEISHMANIOSES: Uma Revisão Bibliográfica FACULDADE TECSOMA Curso em Graduação em Biomedicina Maria Aparecida dos Santos Souza LEISHMANIOSES: Uma Revisão Bibliográfica Paracatu MG 2015 Maria Aparecida dos Santos Souza LESHMANIOSES: Uma Revisão

Leia mais

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA LEISHMANIOSE NO MUNICÍPIO DE PIRENÓPOLIS GOIÁS BRASIL, NOS ANOS DE 2005 a 2010

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA LEISHMANIOSE NO MUNICÍPIO DE PIRENÓPOLIS GOIÁS BRASIL, NOS ANOS DE 2005 a 2010 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE FARMÁCIA FERNANDA FELICIANO DA SILVA RENATA DE LIMA CASTRO ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DA LEISHMANIOSE NO MUNICÍPIO

Leia mais

Vigilância da Leishmaniose Visceral. (calazar, esplenomegalia tropical, febre Dundun)

Vigilância da Leishmaniose Visceral. (calazar, esplenomegalia tropical, febre Dundun) Vigilância da Leishmaniose Visceral (calazar, esplenomegalia tropical, febre Dundun) LEISHMANIOSE VISCERAL Doença infecciosa causada por Leishmania infantum e transmitida pela picada de fêmeas de Lutzomyia

Leia mais

Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR X Ano de publicação: 2014 N.:11 Vol.:1 Págs.

Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR X Ano de publicação: 2014 N.:11 Vol.:1 Págs. Interdisciplinar: Revista Eletrônica da UNIVAR http://revista.univar.edu.br 1984-431X Ano de publicação: 2014 N.:11 Vol.:1 Págs.:71-76 ISSN PREVALÊNCIA DE LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA NO MUNICÍPIO

Leia mais

Toxoplasma gondii e Toxoplasmose. Nicolle e Manceaux, 1909

Toxoplasma gondii e Toxoplasmose. Nicolle e Manceaux, 1909 Nicolle e Manceaux, 1909 A toxoplasmose é uma zoonose, muito freqüente em várias espécies animais(+ de 300), mamíferos e aves, domésticos ou silvestres, de distribuição geográfica mundial, atinge 60% da

Leia mais

Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral Americana do Estado de São Paulo

Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral Americana do Estado de São Paulo Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral Americana do Estado de São Paulo CCD COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS SECRETARIA DA SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Manual de Vigilância

Leia mais

MICHELE SALMON FREHSE VIGILÂNCIA ATIVA DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PR

MICHELE SALMON FREHSE VIGILÂNCIA ATIVA DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PR MICHELE SALMON FREHSE VIGILÂNCIA ATIVA DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PR CURITIBA 2008 MICHELE SALMON FREHSE VIGILÂNCIA ATIVA DA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA NO

Leia mais

Gabriela Montaguti Farinha de Oliveira. Leishmaniose Visceral Canina: relato de caso alóctone em Curitiba - PR

Gabriela Montaguti Farinha de Oliveira. Leishmaniose Visceral Canina: relato de caso alóctone em Curitiba - PR Gabriela Montaguti Farinha de Oliveira Leishmaniose Visceral Canina: relato de caso alóctone em Curitiba - PR Curitiba/PR 2015 Gabriela Montaguti Farinha de Oliveira Leishmaniose Visceral Canina: relato

Leia mais

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE LEISHMANIOSE EM HUMANOS E CÃES NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GOIÁS

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE LEISHMANIOSE EM HUMANOS E CÃES NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GOIÁS ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE LEISHMANIOSE EM HUMANOS E CÃES NO MUNICÍPIO DE MINEIROS GOIÁS Beatriz Resende Freitas 1, Eduardo Leopoldo Rabelo 2 ; Karla Irigaray Nogueira Borges 3, Karolyne Almeida

Leia mais

[ERLICHIOSE CANINA]

[ERLICHIOSE CANINA] [ERLICHIOSE CANINA] 2 Erlichiose Canina A Erlichiose Canina é uma hemoparasitose causada pela bactéria Erlichia sp. Essa bactéria parasita, geralmente, os glóbulos brancos (neste caso, Erlichia canis)

Leia mais

VANESSA FIGUEREDO PEREIRA. Uso de suabe conjuntival na detecção de Leishmaniose Visceral Canina por PCR

VANESSA FIGUEREDO PEREIRA. Uso de suabe conjuntival na detecção de Leishmaniose Visceral Canina por PCR VANESSA FIGUEREDO PEREIRA Uso de suabe conjuntival na detecção de Leishmaniose Visceral Canina por PCR Pirassununga 2013 VANESSA FIGUEREDO PEREIRA Uso de suabe conjuntival na detecção de Leishmaniose Visceral

Leia mais

Modelagem Computacional da disseminação da Leishmaniose:

Modelagem Computacional da disseminação da Leishmaniose: CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado em Modelagem Matemática e Computacional Modelagem Computacional da disseminação da Leishmaniose:

Leia mais

[DEMODICIOSE]

[DEMODICIOSE] [DEMODICIOSE] 2 Demodiciose É uma dermatose parasitária não contagiosa (ou seja, não há transmissão de um cão para o outro) muito comum da pele dos cães e um problema também reconhecido em gatos, embora

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Leishmaniose visceral

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=260>. Leishmaniose visceral PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Leishmaniose visceral Taís Aline Bregion dos Santos¹, Mônica Kawahisa Yoshioka², Mirian

Leia mais

Giardia lamblia. Profª Me. Anny C. G. Granzoto

Giardia lamblia. Profª Me. Anny C. G. Granzoto Giardia lamblia Profª Me. Anny C. G. Granzoto 1 CLASSIFICAÇÃO TAXONÔMICA Reino Protista Subreino Protozoa Filo Sarcomastigophora Subfilo Mastigophora Classe Zoomastigophora Ordem Diplomonadida Flagelos

Leia mais

Tuberculose. Definição Enfermidade infecto-contagiosa evolução crônica lesões de aspecto nodular - linfonodos e pulmão Diversos animais Zoonose

Tuberculose. Definição Enfermidade infecto-contagiosa evolução crônica lesões de aspecto nodular - linfonodos e pulmão Diversos animais Zoonose 1 2 3 Tuberculose Definição Enfermidade infecto-contagiosa evolução crônica lesões de aspecto nodular - linfonodos e pulmão Diversos animais Zoonose ETIOLOGIA Família: Mycobacteriaceae Ordem: Actinomycetalis

Leia mais

Sub-Reino Metazoa. - Esse sub-reino possui 30 filos, sendo 2 de importância médica. São os filos Platyhelminthes e Nemathelminthes.

Sub-Reino Metazoa. - Esse sub-reino possui 30 filos, sendo 2 de importância médica. São os filos Platyhelminthes e Nemathelminthes. Sub-Reino Metazoa - Esse sub-reino possui 30 filos, sendo 2 de importância médica. São os filos Platyhelminthes e Nemathelminthes. - Suspeita-se que 20% da população mundial esteja infectada com algum

Leia mais

05/03/2017. Zoonose. Cocobacilos gram (-) Colônias Lisas B. suis (A e M) B. abortus (A) B. melitensis (M)

05/03/2017. Zoonose. Cocobacilos gram (-) Colônias Lisas B. suis (A e M) B. abortus (A) B. melitensis (M) Doença infectocontagiosa crônica provocada por bactérias do Gênero Brucellasp. Impacto econômico Queda na produção e aborto Repetição de cio / retenção de placenta Zoonose Cocobacilos gram (-) Colônias

Leia mais

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: UMA ANÁLISE NO TERRITÓRIO DO RECÔNCAVO DA BAHIA

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: UMA ANÁLISE NO TERRITÓRIO DO RECÔNCAVO DA BAHIA LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: UMA ANÁLISE NO TERRITÓRIO DO RECÔNCAVO DA BAHIA Ismael Mendes Andrade Ramon Andrade de Souza Maria da Paz dos Santos Neta 2 Leyla Vaccarezza Barbosa 2 RESUMO A Leishmaniose

Leia mais

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108

Módulo I: Processos Patológicos Gerais (108 Semana Distribuição Esquemática das Atividades Didáticas do Curso de Medicina - UFSJ/SEDE Turn Unidades Curiculares Seg Ter Qua Qui Sex o 3 4 5 6 7 Módulo I: Processos Patológicos Gerais ( horas) Profª.

Leia mais

Hematologia Clínica : bases fisiopatológicas

Hematologia Clínica : bases fisiopatológicas Para entender Hematologia: compartimento 1 = medula óssea ( MO), onde são produzidas as células sanguíneas compartimento 2 = sangue periférico (SP), onde circulam as células compartimento 3 = órgãos linfóides

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS INFECCIOSAS MARCO ANDRÉ LOUREIRO TONINI

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS INFECCIOSAS MARCO ANDRÉ LOUREIRO TONINI UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS INFECCIOSAS MARCO ANDRÉ LOUREIRO TONINI DESCRIÇÃO DE UM NOVO FOCO DE CALAZAR CANINO AUTÓCTONE NO

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM VIGILÂNCIA E CONTROLE DAS LEISHMANIOSES

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM VIGILÂNCIA E CONTROLE DAS LEISHMANIOSES CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM VIGILÂNCIA E CONTROLE DAS LEISHMANIOSES Francisco Bergson Pinheiro Moura Médico Veterinário bergson.moura@saude.ce.gov.br bergson.moura@live.com Leishmaniose Visceral ( Calazar

Leia mais

Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain

Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain 67 4.2 Estudo II Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain Enquanto anticorpos anti-t. gondii são

Leia mais

Anemia Infecciosa das Galinhas

Anemia Infecciosa das Galinhas Anemia Infecciosa das Galinhas Leonardo Bozzi Miglino Programa de Pós-graduação - UFPR Mestrado Ciências Veterinárias 2010 Histórico: Isolado e descrito no Japão (1979), chamado de agente da anemia das

Leia mais

AVALIAÇÃO HISTOLÓGICA DE LEISHMANIOSE VISCERAL EM GATOS DOMÉSTICOS (Felis catus domesticus).

AVALIAÇÃO HISTOLÓGICA DE LEISHMANIOSE VISCERAL EM GATOS DOMÉSTICOS (Felis catus domesticus). AVALIAÇÃO HISTOLÓGICA DE LEISHMANIOSE VISCERAL EM GATOS DOMÉSTICOS (Felis catus domesticus). Alves, M. L.¹,* ; Alves-Martin, M. F.²; Silva, D. T.¹; Ferreira, A. G. 1 ; Lucheis, S. B.³; Buzetti, W. A. S.¹;

Leia mais

REINO PROTOCTISTA. - Organismos unicelulares autótrofos: algas unicelulares. - Organismos pluricelulares autótrofos: algas pluricelulares

REINO PROTOCTISTA. - Organismos unicelulares autótrofos: algas unicelulares. - Organismos pluricelulares autótrofos: algas pluricelulares REINO PROTOCTISTA - Organismos unicelulares autótrofos: algas unicelulares - Organismos pluricelulares autótrofos: algas pluricelulares - Organismos unicelulares heterotótrofos: protozoários Prof. Ana

Leia mais

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012 Jean Berg Alves da Silva Médico Veterinário UFERSA (2001) Dr. Ciências Veterinárias UECE (2006) Professor do Departamentos de Ciências Animais da UFERSA HIGIENE ANIMAL Jean Berg Jean Berg Alves da Silva

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE TAVIRA LEISHMANIOSE

CÂMARA MUNICIPAL DE TAVIRA LEISHMANIOSE LEISHMANIOSE Definição As leishmanioses são doenças parasitárias causadas por parasitas intracelulares pertencentes ao género Leishmania. A maioria das leishmanioses são zoonoses 1, daí a sua importância

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGÉTICAS E NUCLEARES Autarquia associada a Universidade de São Paulo

INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGÉTICAS E NUCLEARES Autarquia associada a Universidade de São Paulo INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGÉTICAS E NUCLEARES Autarquia associada a Universidade de São Paulo INCIDÊNCIA E EPIDEMIOLOGIA DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO NORTE DO TOCANTINS ROSÂNGELA DO SOCORRO PEREIRA RIBEIRO

Leia mais

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA : RELATO DE CASO. American Tegumentar Leishmaniosis : a case report

LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA : RELATO DE CASO. American Tegumentar Leishmaniosis : a case report LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA : RELATO DE CASO American Tegumentar Leishmaniosis : a case report Recebido em 10/2004 Aprovado em 01/2005 Everton Luís Santos da Rosa * Moema P. Veloso ** João Batista

Leia mais

Portaria de Instauração de Procedimento Administrativo

Portaria de Instauração de Procedimento Administrativo REPRESENTANTE: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE CLÍNICOS VETERINÁRIOS DE PEQUENOS ANIMAIS REPRESENTADOS: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO E MINISTÉRIO DA SAÚDE Portaria de Instauração de Procedimento

Leia mais

REBES REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E SAÚDE

REBES REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E SAÚDE REBES REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO E SAÚDE http://www.gvaa.com.br/revista/index.php/rebes ARTIGO CIENTÍFICO Avaliação do perfil de pacientes acometidos de leishmaniose no Alto Sertão da Paraíba com ênfase

Leia mais

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h.

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h. Carteira de Carteira de VETPRADO Hospital Veterinário 24h www.vetprado.com.br Esquema de VacinaçãoGatos V5 Panleucopenia - Rinotraqueíte - Calicivirose Clamidiose - Leucemia Felina 90Dias 111Dias Raiva

Leia mais

Parasitologia VET05596 REINO PROTOZOA. Jankerle Neves Boeloni

Parasitologia VET05596 REINO PROTOZOA. Jankerle Neves Boeloni Parasitologia VET05596 REINO PROTOZOA Jankerle Neves Boeloni Classificação Reino Protozoa Filo Sarcomastigophora Filo Apicomplexa Classes: Sarcodina Mastigophora Classes: Coccidia Piroplasmasida Reino

Leia mais

Estudo do sistema imune do corpo e suas funções e alterações. uuhsc.utah.edu/healthinfo/adult/path/glossary.htm

Estudo do sistema imune do corpo e suas funções e alterações. uuhsc.utah.edu/healthinfo/adult/path/glossary.htm O estudo de todos os aspectos do sistema imune, incluindo sua estrutura e função, falhas e alterações do sistema imune, banco de sangue, imunização e transplantes de órgãos. www.als.net/als101/glossary.asp

Leia mais

1. SOBRE A HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA, DIFERENCIE PERÍODO EPIDEMIOLÓGICO DE PERÍODO PATOLÓGICO. 2. CONCEITUE: A. AGENTE ETIOLÓGICO: B.

1. SOBRE A HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA, DIFERENCIE PERÍODO EPIDEMIOLÓGICO DE PERÍODO PATOLÓGICO. 2. CONCEITUE: A. AGENTE ETIOLÓGICO: B. QUESTIONÁRIO ROTEIRO DE ESTUDOS PROVA N2 A AVALIAÇÃO TERÁ 16 QUESTÕES OBJETIVAS, VALENDO 0,5 PONTOS CADA, MAIS UMA QUESTÃO EXTRA QUE, SE RESPONDIDA CORRETAMENTE, SUBSTITUIRÁ EM NOTA, UMA DAS QUESTÕES ERRADAS,

Leia mais