MICROPROPAGAÇÃO DE PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 IN VITRO, COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CITOCININA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MICROPROPAGAÇÃO DE PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 IN VITRO, COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CITOCININA."

Transcrição

1 MICROPROPAGAÇÃO DE PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 IN VITRO, COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE CITOCININA. MICROPROPAGATION OF STOCK FOR GRAFTING OF GRAPEVINE PAULSEN 1103 "IN VITRO", WITH DIFFERENT CITOCININA CONCENTRATIONS Leandro Schossler Coletto 1 ; Carlos Roberto Martins 2 ; Maykol Goulart¹ RESUMO A técnica da micropropagação através da cultura de tecidos é uma alternativa para a propagação em grande escala de diversas espécies, com alto grau de sanidade e com custo reduzido. Com isso, o experimento teve como objetivo avaliar o comportamento in vitro de porta-enxerto de videira Paulsen 1103 em diferentes concentrações de citocinina (BAP-6- benzilaminopurina) em meio de cultura MS (Murashige & Skoog, 1962) com a metade das concentrações de sais. Este trabalho foi conduzido no laboratório de Cultura de Tecidos da PUCRS, Campus Uruguaiana. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com sete repetições. O teste de comparação de médias utilizado foi o de Tukey (5%). Em relação ao tamanho das brotações, a concentração de 2,5µM BAP apresentou os melhores resultados, porém não se diferiu estatisticamente dos meios de cultura com 1 e 5µM BAP. Quanto ao número de brotações por explante, o meio de cultura suplementado com 1µM BAP apresentou os melhores resultados, porém foi considerado estatisticamente igual aos meios de cultura com 0, 0,5 e 2,5µM BAP. Palavras-chave: Uva, Vitis vinifera, biotecnologia, vitivinicultura. ABSTRACT The technique of the micro propagation through the tissue culture is an alternative for the large-scale propagation of diverse species, with high degree of health and reduced cost. 1 Acadêmico, Agronomia, FZVA/PUCRS, Campus Uruguaiana, 2 Eng Agr Prof. Dr. Agronomia, FZVA/PUCRS, Campus Uruguaiana,

2 103 Micropropagação de porta-enxerto... Based on this, the experiment had as objective to evaluate the behavior in vitro of stock for grafting of grapevine Paulsen 1103 in different concentrations of citocinina (BAP-6- benzilaminopurina) within MS (Murashige & Skoog, 1962) culture and half of salt concentrations. This work was led in the laboratory of Tissue Culture of PUCRS Uruguaiana. The experimental delineation was used on randomly blocks, with seven repetitions. It was used Tukey averages comparison test (5%). Relating to the sprouting size, the concentration of 2,5µM BAP presented the best results, however it was not statistically differed from the ways of culture with 1 and 5µM BAP. As to the number of sprouting for explante, the way of culture supplemented with 1µM BAP presented the best results, however it was considered statistically equal to the ways of culture with 0, 0,5 and 2,5µM BAP. Key words: Grape, Vitis vinifera, biotechnology, vitivinicultura INTRODUÇÃO A região da Fronteira Oeste, principalmente Uruguaiana, já foi uma grande produtora de uvas no passado, perdendo espaço para as outras culturas no decorrer do tempo devido a grande ocorrência de pragas, as quais não havia nenhum método de controle conhecido. Além disso, as mudas eram feitas a partir de plantas matrizes já contaminadas, promovendo uma rápida disseminação das doenças e consequentemente, desestimulando os produtores de uva da região. Esse fato poderia ter sido evitado se a multiplicação das mudas não fosse feita a partir de plantas matrizes contaminadas. A utilização da micropropagação através da cultura de tecidos é uma alternativa para a propagação em grande escala de diversas espécies, com alto grau de sanidade, com custo reduzido e em um curto espaço de tempo. Pela inexistência, no Brasil, de estrutura empresarial para a produção de mudas de videira certificadas, o setor vitivinícola optou pela crescente importação de matrizes e mudas, originárias de paises da Europa, como a Itália e França, e também da África do Sul. Essa importação de mudas de variedades de Vitis vinífera atingiu números em torno de em 1996 e passou para mais de de mudas nos últimos anos (SILVA, 2002). Porém, esse cenário causa alguns problemas como, primeiramente à não concordância das estações de ano, obrigando a armazenagem de mudas em câmara fria, o que pode acarretar sérias conseqüências sobre o crescimento e vigor; também está ligado a introdução de pragas e doenças, e a adaptação dos porta-enxertos

3 Coletto, L.S. et al. 104 europeus aos solos brasileiro, que tipicamente são ácidos e alícos, e finalmente o custo da muda importada, que por seu alto valor comercial, dificulta a maioria dos produtores a sua aquisição. A técnica da micropropagação pode ser utilizada em videiras, buscando multiplicá-las a partir de gemas axilares, possibilitando uma rápida multiplicação de plantas sadias em grande escala, viabilizando a implantação da cultura em nossa região. A primeira etapa de um vinhedo é a implantação dos porta-enxertos, que acrescentam vigor e conferem sanidade a cultivar produtora, melhorando a qualidade e aumentando sua produtividade. Com a necessidade de plantas de elevado padrão genético e adaptadas à região, a cultivar de porta-enxerto a ser utilizada é a Paulsen 1103, originário da Itália. Optou-se por essa cultivar devido a grande preferência dos produtores, pois ele é resistente a filoxera, adapta-se a solos arenosos e argilosos, tolerando ainda seca e umidade. Com isso, o experimento teve como objetivo avaliar o desenvolvimento in vitro de porta-enxerto Paulsen 1103 com diferentes concentrações de citocinina (BAP-6-benzilaminopurina) em meio de cultura MS com a metade das concentrações de sais. MATERIAL E MÉTODOS O presente trabalho foi desenvolvido no laboratório de Cultura de Tecidos da PUCRS, Campus Uruguaiana. O estabelecimento dos explantes de videira foi realizado no dia 31/03/05, com delineamento experimental de blocos ao acaso, com sete repetições. O meio de cultura utilizado foi o meio básico MS (Murashige & Skoog, 1962) acrescido de sacarose (30 g.l-1), mio-inositol (100 mg.l-1) e ágar (6 g.l-1), com a metade das concentrações de sais e diferentes concentrações de Citocinina (MS/2 + 0µM BAP; MS/2 + 0,5µM BAP; MS/2 + 1µM BAP; MS/2 + 2,5µM BAP; MS/2 + 5µM BAP). A planta matriz utilizada foi o portaenxerto Paulsen 1103, dos quais eram retiradas apenas as gemas axilares com tamanho aproximado de 0,7 cm de comprimento. A assepsia utilizada para promover a limpeza dos explantes foi realizada em quatro etapas. Primeiramente o material a ser utilizado ficou por 30 minutos em água corrente, posteriormente foram postos em álcool por dez segundos, sendo estes retirados do álcool e imediatamente postos no hipoclorito de sódio a 1% com 20 gotas

4 105 Micropropagação de porta-enxerto... de tweem por litro durante 30 minutos, por ultimo, utilizando água destilada e autoclavada fez-se uma tríplice lavagem dos materiais. Após a assepsia, os explantes foram implantados no meio de cultura com diferentes concentrações de citocinina e postos em sala climatizada com temperatura de 25 ± 2ºC e umidade relativa do ar de 60%, sendo mantidos com ausência de luz durante cinco dias, para evitar a oxidação dos mesmos. Posteriormente, foram mantidos na sala climatizada, porém com fotoperíodo de 16 horas com intensidade luminosa de 20 me.m-2.s-1, durante 60 dias. Após esse período, os explantes foram avaliados no tamanho das brotações e número de brotos por explante, sendo realizada a análise de variância que indicou haver diferença significativa entre as variáveis. Assim foi aplicado o teste de comparação de médias de Tukey com nível de significância de 5%. Os resultados são apresentados na Tabela 1. RESULTADO E DISCUSSÃO As diferentes concentrações de citocinina utilizadas no meio de cultura MS/2 apresentaram certas particularidades no tamanho e no numero das brotações, mostrando diferenças significativas entre os tratamentos utilizados. O número de brotos por explante de videira Paulsen 1103 foi influenciado pela concentração de citocinina (Tabela 1). Pode-se observar que o número de gemas axilares aumenta gradativamente até a concentração de 1µM BAP e decresce significativamente quando se utiliza 5µM BAP. DZAZIO et al. (2002), observaram em porta-enxerto 420-A que o meio de cultura contendo BAP de 1 a 10µM, não apresenta diferença significativa no número de brotações. BIASI et al. (1998), utilizando porta-enxerto Jales com concentrações de 0 a 20µM BAP, também não encontraram diferença significativa. Concordando com BIASI et al. (1998), LEE & WETZSTEIN (1990) e DZAZIO et al. (2002), concentrações de BAP devem ser adequadas para cada cultivar, otimizando o processo para a obtenção de brotações de boa qualidade e com mínimo de vitrificação, mesmo que a taxa de crescimento seja menor. Pois, fases subseqüentes dependem do bom estado fisiológico das brotações. O comprimento das brotações também apresentou diferença significativa com as concentrações de BAP utilizadas no meio de cultura MS/2 (tabela1), sendo o tratamento com 2,5µM BAP o que apresentou melhor resultado com

5 Coletto, L.S. et al. 106 comprimento de 1,47 cm, mas não diferiu estatisticamente dos tratamentos com 5µM BAP e 1µM BAP. Segundo CHÉE & POOL (1985), trabalhando com o híbrido R y Seedless, definiram que a ótima concentração para produção de brotos maiores seria de 2,5µM BAP, concordando com os dados obtidos no experimento. Os níveis de contaminação, tanto fungica quanto bacteriana, no experimento foram zero, pois a assepsia utilizada promoveu uma viabilidade de 100% dos explantes, mostrando-se totalmente eficaz na limpeza de porta enxerto de videira Paulsen A oxidação dos explantes mantevese baixo em todos os tratamentos, não comprometendo o desenvolvimento dos mesmos. Tamanho das brotações (cm) 1,5 1,4 1,3 1,2 1,1 1 0,9 0,8 0,7 0 0,5 1 2,5 5 Concentrações de Citocinina (µm BAP) FIGURA 01. Efeito das variações de citocinina no meio de cultura MS/2 sobre o comprimento dos explantes de porta-enxerto Paulsen Número de brotações por explante 2,5 2,2 1,9 1,6 1, ,5 1 2,5 5 Concentrações de Citocinina (µm BAP) FIGURA 02. Efeito das variações de Citocinina no meio de cultura MS/2 sobre o número de brotações por explante de porta-enxerto de videira Paulsen De acordo com a figura 01, aumentando os níveis de citocinina de 0µM BAP para 2,5µM BAP, tem-se um aumento continuo e expressivo no crescimento dos explantes, porém, aumentando essa a dosagem para 5,0µM BAP ocorre um efeito tóxico e consequentemente promove uma redução no crescimento dos porta-enxertos. Na figura 02, o número de brotações por explante, tem seu pico produtivo com 1µM BAP, chegando a obter mais que o dobro quando comparado com o MS/2 sem citocinina. Porém quando os níveis desse hormônio são elevados para 2,5µM BAP tem-se uma drástica redução no numero de brotos, e quando elevamos para 5µM BAP, os resultados obtidos são inferiores do que os obtidos com 0µM BAP, pois os altos níveis desse hormônio torna-se tóxicos para os explantes.

6 107 Micropropagação de porta-enxerto... TABELA 01. Resultados obtidos com a utilização de porta-enxertos de videira Paulsen 1103 submetidos a diferentes concentrações de citocinina no meio de cultura MS/2. Tratamentos Nº de brotos/ Comprimento dos explante brotos (cm) MS/2 + 1µM BAP 2,57 a 1,01 a b MS/2 + 0,5µM BAP 2,14 a b 0,84 b MS/2 + 2,5µM BAP 1,71 a b 1,47 a MS/2 + 0µM BAP 1,29 a b 0,82 b MS/2 + 5µM BAP 1,14 b 1,05 a b CV (%) 15, Médias seguidas das mesmas letras, na vertical, não diferem entre si ao nível de 5%. CONCLUSÕES Com o manejo utilizado no experimento, pode-se concluir que aumentando os níveis de citocinina no meio de cultura até 1µM BAP, aumenta a produção de brotos por explantes, porém concentrações acima desse valor tornam-se tóxicas para os mesmos, ocasionando uma redução drástica no número de brotações. Elevando os valores de citocinina no meio de cultura para 2,5µM BAP, promoveu um alongamento nos explantes, porém, o número de brotações reduziu. REFERÊNCIAS BIASI, L.A.; PASSOS, I.R. da S.; POMMER, C.V. Estabelecimento in vitro de porta-enxertos de videira através de ápices meristemáticos e segmentos nodais. Scientia Agricola, Piracicaba, p , BIASI, L.A.; PASSOS, I.R. da S.; POMMER, C.V. Micropropagação do porta-enxerto de videira Jales. Pesquisa agropecuária brasileira, Brasília, v. 33, n. 10, p , BORGHEZAN, M.; MORAES, L.K.A. DE; MOREIRA, F.M.; SILVA, A.L. da. Propagação in vitro e avaliação de parâmetros morfológicos de porta-enxertos de videira. Pesquisa agropecuária brasileira, Brasília, v. 38, n. 7, p , CHAUVET, M.; REYNIER, A. Manual de Viticultura. Litexa Portugal, 1984, 304p. CHÉE, R.; POOL, R.M. In vitro propagation of Vitis: the effects of organic substances on shoot multiplication. Vitis, Siebeldingen, v. 24, p , 1985.

7 Coletto, L.S. et al. 108 DZAZIO, P.M.; BIASI, L.A.; ZANETTE, F. Micropropagação do porta-enxerto de videira 420 A. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 24, n. 3, p , GIOVANNINI, E. Produção de uvas para vinho, suco e mesa. Porto Alegre, 1999, 364p. LEE, N.; WETZSTEIN, Y. In vitro propagation of muscadine grape by axillary shoot profileration. Journal of the American Society for Horticultural Science, Alexandria, v. 115, n. 2, p , PEIXOTO, P.H.P.; PASQUAL, M.; CHALFUN, N.N.J.; ALVARENGA, A.A. DE. Enraizamento e multiplicação in vitro de porta-enxertos de videira (Vitis spp L.). Revista Brasileira de Fruticultura, Cruz das Almas, v. 16, n. 1, p ,1994. SILVA, A.L. da. Programa de certificação de mudas de videira em Santa Catarina. In: REGINA, M.A.; ANTUNES, L.E.C.; DUARTE FILHO, J.; FADINI, M.A.M.; CANÇADO, G.M.A.; ALVARENGA, A.A.; AMORIM, D.A.; SOUZA, C.M.; PÁDUA, J.G.L. Viticultura e Enologia: Atualizando Conceitos. Caldas: Epamig, p , 2002.

ESTABELECIMENTO IN VITRO

ESTABELECIMENTO IN VITRO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE CANA-DE-AÇÚCAR. Paulo Sérgio Gomes da Rocha 1 ; Antonio Sergio do Amaral 1 ; Amito José Teixeira 1, Mayara Luana Coser Zonin 2 ; Sergio Delmar dos Anjos 3. INTRODUÇÃO O estabelecimento

Leia mais

EFEITO DA BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MICROPROPAGAÇÃO DA VARIEDADE CURIMENZINHA (BGM 611) DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz)

EFEITO DA BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MICROPROPAGAÇÃO DA VARIEDADE CURIMENZINHA (BGM 611) DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) EFEITO DA BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MICROPROPAGAÇÃO DA VARIEDADE CURIMENZINHA (BGM 611) DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) Mariane de Jesus da Silva de Carvalho 1, Antônio da Silva Souza 2, Karen

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO E ACLIMATAÇÃO DE PLÂNTULAS DE MORANGUEIRO. Palavras chaves: Micropropagação. Isolamento de meristema. Explante. Mudas sadias.

MICROPROPAGAÇÃO E ACLIMATAÇÃO DE PLÂNTULAS DE MORANGUEIRO. Palavras chaves: Micropropagação. Isolamento de meristema. Explante. Mudas sadias. MICROPROPAGAÇÃO E ACLIMATAÇÃO DE PLÂNTULAS DE MORANGUEIRO Tamires Oviedo 1, Fabiana Raquel Mühl 2, Neuri Antonio Feldmann 3, Anderson Rhoden 3 Palavras chaves: Micropropagação. Isolamento de meristema.

Leia mais

20º Seminário de Iniciação Científica e 4º Seminário de Pós-graduação da Embrapa Amazônia Oriental ANAIS. 21 a 23 de setembro

20º Seminário de Iniciação Científica e 4º Seminário de Pós-graduação da Embrapa Amazônia Oriental ANAIS. 21 a 23 de setembro 20º Seminário de Iniciação Científica e 4º Seminário de Pós-graduação ANAIS 21 a 23 de setembro 2016 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária

Leia mais

Indução e crescimento de calos em explantes foliares de hortelã-docampo

Indução e crescimento de calos em explantes foliares de hortelã-docampo Indução e crescimento de calos em explantes foliares de hortelã-docampo Priscila P. Botrel ; Juliana F. Sales,2 ; José E. B. P. Pinto ; Fabiano G. Silva,3 ; Vivian E. Nascimento ; Suzan K. V. Bertolucci.

Leia mais

Franca, Mariana Almeida Micropropagação de cana-de-açúcar cultivar RB Mariana Almeida Franca. Curitiba: f. il.

Franca, Mariana Almeida Micropropagação de cana-de-açúcar cultivar RB Mariana Almeida Franca. Curitiba: f. il. F814 Franca, Mariana Almeida Micropropagação de cana-de-açúcar cultivar RB966928. Mariana Almeida Franca. Curitiba: 2016. 64 f. il. Orientador: João Carlos Bespalhok Filho Dissertação (Mestrado) Universidade

Leia mais

Produção de Mudas de Abacaxizeiro Pérola Utilizando a Técnica do Estiolamento In Vitro

Produção de Mudas de Abacaxizeiro Pérola Utilizando a Técnica do Estiolamento In Vitro 61 Produção de Mudas de Abacaxizeiro Pérola Utilizando a Técnica do Estiolamento In Vitro Aparecida Gomes de Araujo¹, Milena M. de J. Ribeiro 2, Zilna B. de R. Quirino 3, Ana da S. Lédo 4, Jaci L. Vilanova-Neta

Leia mais

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE ABACATEIRO (Persea sp.), POR ESTAQUIA(1)

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE ABACATEIRO (Persea sp.), POR ESTAQUIA(1) PROPAGAÇÃO VEGETATIVA DE ABACATEIRO (Persea sp.), POR ESTAQUIA(1) Samar Velho da Silveira(2) Paulo Vítor Dutra de Souza(3) Otto Carlos KoIler(4) (1) Estudo financiado pela FINEP. (2) Eng. Agr., aluno do

Leia mais

EFEITO DE BIOESTIMULANTES SOBRE A CONCENTRAÇÃO FOLIAR DE NUTRIENTES EM MUDAS DE VIDEIRA THOMPSON SEEDLESS

EFEITO DE BIOESTIMULANTES SOBRE A CONCENTRAÇÃO FOLIAR DE NUTRIENTES EM MUDAS DE VIDEIRA THOMPSON SEEDLESS EFEITO DE BIOESTIMULANTES SOBRE A CONCENTRAÇÃO FOLIAR DE NUTRIENTES EM MUDAS DE VIDEIRA THOMPSON SEEDLESS LAYANA ALVES DO NASCIMENTO 1, JULIANNA MATOS DA SILVA 1, SAMARA FERREIRA DA SILVA 1, LUIZ FRANCINÉLIO

Leia mais

INFLUÊNCIA DO MEIO DE CULTURA E DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL NA MICROPROPAGAÇÃO DA MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz)

INFLUÊNCIA DO MEIO DE CULTURA E DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL NA MICROPROPAGAÇÃO DA MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) INFLUÊNCIA DO MEIO DE CULTURA E DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL NA MICROPROPAGAÇÃO DA MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) Mariane de Jesus da Silva de Carvalho 1, Antônio da Silva Souza 2, Mariana Conceição

Leia mais

Analista da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Caixa Postal 007, , Cruz das Almas, BA. 2

Analista da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Caixa Postal 007, , Cruz das Almas, BA.   2 ANÁLISE COMPORTAMENTAL DE UM ACESSO DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) EM RELAÇÃO A DOIS TIPOS DE MEIO DE CULTURA E DOSES DE UM FERTILIZANTE SOLÚVEL COMERCIAL Karen Cristina Fialho dos Santos 1, Antônio

Leia mais

Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes no Submédio do Vale do São Francisco

Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes no Submédio do Vale do São Francisco 171 Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes... Densidade de brotos e de cachos em cultivares de uvas sem sementes no Submédio do Vale do São Francisco Density of shoots and bunches

Leia mais

Efeito dos compostos esteviol, isoesteviol e oximo do isoesteviol na. micropropagação de videira cv. Bordô.

Efeito dos compostos esteviol, isoesteviol e oximo do isoesteviol na. micropropagação de videira cv. Bordô. Efeito dos compostos esteviol, isoesteviol e oximo do isoesteviol na micropropagação de videira cv. Bordô. Bruna Spinardi 1 ; Ricardo Antonio Ayub 2 RESUMO Os derivados do esteviosídeo apresentam estrutura

Leia mais

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental

Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Anais do Seminário de Bolsistas de Pós-Graduação da Embrapa Amazônia Ocidental Propagação Vegetativa de Piper hispidum Sw.

Leia mais

ENRAIZAMENTO DE ESTACAS SEMI-LENHOSAS DE CEREJEIRA-DO-RIO- GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA DC.) TRATADAS COM ANTIOXIDANTE, FLOROGLUCINOL E AIB

ENRAIZAMENTO DE ESTACAS SEMI-LENHOSAS DE CEREJEIRA-DO-RIO- GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA DC.) TRATADAS COM ANTIOXIDANTE, FLOROGLUCINOL E AIB ENRAIZAMENTO DE ESTACAS SEMI-LENHOSAS DE CEREJEIRA-DO-RIO- GRANDE (EUGENIA INVOLUCRATA DC.) TRATADAS COM ANTIOXIDANTE, FLOROGLUCINOL E AIB Rafaelle da Silva Soares 1 ; Leonardo Cury da Silva 2 ; Paulo

Leia mais

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE UVAS TINTAS PARA VINIFICAÇÃO SOB COBERTURA PLÁSTICA, 3 CICLO PRODUTIVO

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE UVAS TINTAS PARA VINIFICAÇÃO SOB COBERTURA PLÁSTICA, 3 CICLO PRODUTIVO PRODUÇÃO ORGÂNICA DE UVAS TINTAS PARA VINIFICAÇÃO SOB COBERTURA PLÁSTICA, 3 CICLO PRODUTIVO Alexandre Pozzobom Pavanello (PIBIC/CNPq-UNICENTRO), Agnaldo Tremea (IC-Voluntário), Douglas Broetto (IC-Voluntário),

Leia mais

Estabelecimento in vitro de aroeira da praia (Schinus terebinthifolius Raddi) em diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP)

Estabelecimento in vitro de aroeira da praia (Schinus terebinthifolius Raddi) em diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP) 300 Estabelecimento in vitro de aroeira da praia (Schinus terebinthifolius Raddi) em diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP) PAIVA, A.M.S. * ; ALOUFA, M.A.I. Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Tecnologias para produção de mudas de pequenas frutas e frutas nativas. Márcia Wulff Schuch Prof Titular Fruticultura FAEM/UFPel P PP

Tecnologias para produção de mudas de pequenas frutas e frutas nativas. Márcia Wulff Schuch Prof Titular Fruticultura FAEM/UFPel P PP Tecnologias para produção de mudas de pequenas frutas e frutas nativas Márcia Wulff Schuch Prof Titular Fruticultura FAEM/UFPel P PP Introdução o Pequenas frutas e Frutas nativas Alto potencial econômico

Leia mais

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Thiago Henrique Carvalho de Souza

Leia mais

INFLUÊNCIA DA DESINFESTAÇÃO E MEIO DE CULTURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO IN VITRO DE Prosopis affinis Sprenger 1

INFLUÊNCIA DA DESINFESTAÇÃO E MEIO DE CULTURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO IN VITRO DE Prosopis affinis Sprenger 1 INFLUÊNCIA DA DESINFESTAÇÃO E MEIO DE CULTURA NA GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO IN VITRO DE Prosopis affinis Sprenger 1 ROCHA, Bruna Nery 2 ; LÖBLER, Lisiane 2 ; MARTINS, Carlos Roberto 3 1 Trabalho de Pesquisa

Leia mais

QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA *

QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA * QUALIDADE DA FIBRA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES FORMAS DE PLANTIO DA SEMENTE DE ALGODÃO LINTADA, DESLINTADA E DESLINTADA E TRATADA * Tarcísio Marcos de Souza Gondim 1, Odilon Reny Ribeiro Ferreira da Silva

Leia mais

Indução de brotação in vitro em curauá: sistema de cultivo e concentrações de BAP

Indução de brotação in vitro em curauá: sistema de cultivo e concentrações de BAP Indução de brotação in vitro em curauá: sistema de cultivo e concentrações de BAP Carolina Mariane Moreira 1 ; Helena Botelho de Andrade 1 ; Lucila Elizabeth F. Monfort 1 ; José Eduardo Brasil Pereira

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BAP E ANA NA PROPAGAÇÃO IN VITRO DA FIGUEIRA (Ficus carica L.) 1

EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BAP E ANA NA PROPAGAÇÃO IN VITRO DA FIGUEIRA (Ficus carica L.) 1 EFEITO DE DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BAP E ANA NA PROPAGAÇÃO IN VITRO DA FIGUEIRA (Ficus carica L.) 1 GRAZIELLA RIBEIRO BRUM ADRIANO BORTOLOTTI DA SILVA MOACIR PASQUAL 3 RESUMO Objetivou-se com este trabalho

Leia mais

TOLERÂNCIA DE CULTIVARES DE MAMONEIRA À TOXICIDADE DE ALUMÍNIO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA.

TOLERÂNCIA DE CULTIVARES DE MAMONEIRA À TOXICIDADE DE ALUMÍNIO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA. TOLERÂNCIA DE CULTIVARES DE MAMONEIRA À TOXICIDADE DE ALUMÍNIO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA Adriana Rodrigues Passos 1, Simone Alves Silva 1, Fernando Irajá Félix de Carvalho 2, Irineu Hartwig 2, Maraísa Crestani

Leia mais

MULTIPLICAÇÃO DE BROTOS IN VITRO EM TRÊS CULTIVARES DE BANANEIRA

MULTIPLICAÇÃO DE BROTOS IN VITRO EM TRÊS CULTIVARES DE BANANEIRA MULTIPLICAÇÃO DE BROTOS IN VITRO EM TRÊS CULTIVARES DE BANANEIRA Hellen Cristina da Paixão MOURA 1 ; Oriel Filgueira de LEMOS 2 ; Meiciane Ferreira CAMPELO 3 Resumo Apesar de ser considerada uma das plantas

Leia mais

Protocolo para micropropagação de marmeleiro BA29 em meio semissólido

Protocolo para micropropagação de marmeleiro BA29 em meio semissólido DOI: 10.5965/223811711532016266 Protocolo para micropropagação de marmeleiro BA29 em meio semissólido Protocol for micropropagation of quince BA29 in semisolid media Fernanda Grimaldi *, Aline Meneguzzi,

Leia mais

6-BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLBUTÍRICO NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DA AMOREIRA PRETA (Rubus idaeus L.), cv. TUPY

6-BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLBUTÍRICO NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DA AMOREIRA PRETA (Rubus idaeus L.), cv. TUPY Ciência Rural, Santa Maria, v.32, n.5, p.765-770, 2002 ISSN 0103-8478 765 6-BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLBUTÍRICO NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DA AMOREIRA PRETA (Rubus idaeus L.), cv. TUPY 6-BENZYLAMINO

Leia mais

EFEITO DO TEMPO DE DESINFESTAÇÃO E ÉPOCAS DO ANO NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE EXPLANTES FOLIARES DE PINHÃO-MANSO

EFEITO DO TEMPO DE DESINFESTAÇÃO E ÉPOCAS DO ANO NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE EXPLANTES FOLIARES DE PINHÃO-MANSO EFEITO DO TEMPO DE DESINFESTAÇÃO E ÉPOCAS DO ANO NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE EXPLANTES FOLIARES DE PINHÃO-MANSO Eduardo Regiani Libert ; Enes Furlani Junior (2) ; Aline Namie Suzuki (3) ; Luiz De Souza

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 AVALIAÇÃO DE DIFERENTES TEMPOS DE IMERSÃO E S DA SOLUÇÃO DE HIPOCLORITO DE SÓDIO NA ASSEPSIA DE EXPLANTES FOLIARES DE ATROVERAN Ocimum selloi Benth. LUCILA ELIZABETH FRAGOSO MONFORT 1 ; CAROLINA MARIANE

Leia mais

Prof. Paulo Hercilio Viegas Rodrigues CEN-001

Prof. Paulo Hercilio Viegas Rodrigues CEN-001 Assepsia, estabelecimento e multiplicação in vitro Prof. Paulo Hercilio Viegas Rodrigues CEN-001 Assepsia Material Vegetal: Campo X Viveiro? Assepsia Campo... Está em contato direto com esporos de fungos,

Leia mais

Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho

Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho 303 Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho Germinação in vitro de Sementes de Mandacaruzinho In vitro germination of seeds of mandacaruzinho Amanda Pricilla Batista Santos 1 ; Luma dos Passos

Leia mais

Invertase neutra do citoplasma (mmol AR/ min/g MF) 29/01/03 29/03/03 29/05/03 29/07/03 29/09/03 29/11/03 Datas

Invertase neutra do citoplasma (mmol AR/ min/g MF) 29/01/03 29/03/03 29/05/03 29/07/03 29/09/03 29/11/03 Datas ATIVIDADE DE INVERTASES EM CULTIVARES-COPA x PORTA-ENXERTOS DURANTE A FORMAÇÃO DE VIDEIRAS NO VALE DO SÃO FRANCISCO Sara Raquel de Souza Luz; Bárbara França Dantas; Luciana de Sá Ribeiro; Alexandro Pereira

Leia mais

AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA

AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA AVALIAÇÃO DO USO DO PÓ DE ROCHA NO DESEMPENHO DE DUAS VARIEDADES DE MANDIOCA DE MESA Fernanda Pereira de Souza 1 Eder de Souza Martins 2 Luise Lottici Krahl 3 Eduardo Alano Vieira 4 Josefino de Freitas

Leia mais

EFEITO DE SEVERIDADE E DANO CAUSADO PELO MÍLDIO DA CEBOLA

EFEITO DE SEVERIDADE E DANO CAUSADO PELO MÍLDIO DA CEBOLA EFEITO DE SEVERIDADE E DANO CAUSADO PELO MÍLDIO DA CEBOLA Jaqueline CARVALHO 1, Leandro L. MARCUZZO 2 1 Bolsista PIBITI/CNPq; 2 Orientador IFC-Campus Rio do Sul). Introdução A cebola (Allium cepa L.) é

Leia mais

Palavras-chave: Babosa, cultura de tecidos, propagação in vitro.

Palavras-chave: Babosa, cultura de tecidos, propagação in vitro. Julho a Setembro de 2016 302 Desenvolvimento de protocolos para micropropagação de Aloe vera L. Guilherme Borghetti Calixto 1 Resumo: A babosa (Aloe vera L.) é uma planta com inúmeras aplicações dentro

Leia mais

Desenvolvimento in vitro de Ocimum selloi

Desenvolvimento in vitro de Ocimum selloi Desenvolvimento in vitro de Ocimum selloi em diferentes variações do meio de cultivo MS Lucila Elizabeth Fragoso Monfort 1 ; Ivan Caldeira Almeida Alvarenga 1 ; Carolina Mariane Moreira 1 ; José Eduardo

Leia mais

ESTUDO DE ÉPOCA DE PLANTIO DO ALGODOEIRO ADENSADO NA REGIÃO DE CAMPINAS-SP INTRODUÇÃO

ESTUDO DE ÉPOCA DE PLANTIO DO ALGODOEIRO ADENSADO NA REGIÃO DE CAMPINAS-SP INTRODUÇÃO Página 985 ESTUDO DE ÉPOCA DE PLANTIO DO ALGODOEIRO ADENSADO NA REGIÃO DE CAMPINAS-SP Luiz Henrique Carvalho 1 ; Nelson Machado da Silva 1 ; Julio Isao Kondo 1 ; Edivaldo Cia 1 ; Ederaldo José Chiavegato

Leia mais

REGENERAÇÃO IN VITRO DE ESPINHEIRA-SANTA (Maytenus ilicifolia Mart.)

REGENERAÇÃO IN VITRO DE ESPINHEIRA-SANTA (Maytenus ilicifolia Mart.) REGENERAÇÃO IN VITRO DE ESPINHEIRA-SANTA (Maytenus ilicifolia Mart.) FLORES, Rejane 1 ; STEFANELLO, Suzana 2 ; FRANCO, Elcí T. H. 3 ; MANTOVANI, Nilton 4 1 Aluna do Curso de Pós-Graduação em Agronomia

Leia mais

EFEITO DA TEMPERATURA E DO FOTOPERÍODO NA GERMINAÇÃO in vitro DE CONÍDIOS DE Aspergillus niger, AGENTE ETIOLÓGICO DO MOFO PRETO DA CEBOLA

EFEITO DA TEMPERATURA E DO FOTOPERÍODO NA GERMINAÇÃO in vitro DE CONÍDIOS DE Aspergillus niger, AGENTE ETIOLÓGICO DO MOFO PRETO DA CEBOLA EFEITO DA TEMPERATURA E DO FOTOPERÍODO NA GERMINAÇÃO in vitro DE CONÍDIOS DE Aspergillus niger, AGENTE ETIOLÓGICO DO MOFO PRETO DA CEBOLA Autores: Jéssica Tainara IGNACZUK 1, Leandro Luiz MARCUZZO 2 Identificação

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS DE VIDEIRA

PRODUÇÃO DE MUDAS DE VIDEIRA Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ESALQ/USP HISTÓRIA DA PRODUÇÃO DE MUDAS DE VIDEIRA PRODUÇÃO DE MUDAS DE VIDEIRA - Método de estaquia - Europa: filoxera (praga do

Leia mais

Embrapa Uva e Vinho. Produtos & Serviços. Missão Institucional. Infra-Estrutura e Recursos Humanos

Embrapa Uva e Vinho. Produtos & Serviços. Missão Institucional. Infra-Estrutura e Recursos Humanos Embrapa Uva e Vinho A vitivinicultura é uma atividade que apresenta grande importância sócio-econômica em vários Estados brasileiros, com especial destaque para o Rio Grande do Sul. Por esta razão, a Embrapa

Leia mais

IN VITRO DE AMOREIRA-PRETA CV. TUPY

IN VITRO DE AMOREIRA-PRETA CV. TUPY CLORETO DE Cloreto POTÁSSIO de potássio E e FOSFATO fosfato de sódio DE na multiplicação SÓDIO NA in vitro... MULTIPLICAÇÃO 37 IN VITRO DE AMOREIRA-PRETA CV. TUPY Effect of KCl and NaH 2 O on in vitro

Leia mais

PROPAGAÇÃO IN VITRO DO PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 E CONTROLE DO CRESCIMENTO DE FUNGOS NO MEIO DE CULTURA.

PROPAGAÇÃO IN VITRO DO PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 E CONTROLE DO CRESCIMENTO DE FUNGOS NO MEIO DE CULTURA. PROPAGAÇÃO IN VITRO DO PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 E CONTROLE DO CRESCIMENTO DE FUNGOS NO MEIO DE CULTURA. Júlia Thomé1; René A. Nadal e Gabriel Werner Malkiewiez2; Aledson Rosa Torres3; Liliane

Leia mais

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010)

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) 5771-5775 AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE ARROZ IRRIGADO NO USO DE NITROGÊNIO CARVALHO, Glaucilene Duarte 1 ; DE CAMPOS, Alfredo Borges 2 & FAGERIA,

Leia mais

ENXERTIA DE PLANTAS FRUTÍFERAS

ENXERTIA DE PLANTAS FRUTÍFERAS ENXERTIA DE PLANTAS FRUTÍFERAS Prof. Angelo P. Jacomino Fruticultura - LPV 0448 2017 1 - Introdução Multiplicação Sexuada X Assexuada SEXUADA: - Facilidade; - Baixo custo. ASSEXUADA: - Características

Leia mais

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL

BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL BROTAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR NAS CONDIÇÕES DE CERRADO DO BRASIL-CENTRAL Adeliano Cargnin 1, João Augusto Müller 1, Fernando Daminelli Araújo Mello 1, Cláudia Martellet Fogaça 1 ( 1 Embrapa

Leia mais

INFLUÊNCIA DA COMPOSIÇÃO DO MEIO DE CULTIVO E DO TIPO DE EXPLANTE NA MICROPROPAGAÇÃO DO PORTA-ENXERTO DE Prunus sp. GXN-9 1

INFLUÊNCIA DA COMPOSIÇÃO DO MEIO DE CULTIVO E DO TIPO DE EXPLANTE NA MICROPROPAGAÇÃO DO PORTA-ENXERTO DE Prunus sp. GXN-9 1 INFLUÊNCIA DA COMPOSIÇÃO DO MEIO DE CULTIVO E DO TIPO DE EXPLANTE NA MICROPROPAGAÇÃO DO PORTA-ENXERTO DE Prunus sp. GXN-9 INFLUENCE OF CULTURE MEDIUM COMPOSITION AND EXPLANT TYPE ON MICROPROPAGATION OF

Leia mais

VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS

VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR SOB IRRIGAÇÃO NO NORTE DE MINAS GERAIS Geraldo Magela da Silva (1), Geraldo Antônio Resende Macêdo (2), Édio Luiz da Costa (3), Heloísa Mattana Saturnino (3), Fúlvio Rodriguez

Leia mais

BIOCARVÃO COMO COMPLEMENTO NO SUBSTRATO PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE CEREJA

BIOCARVÃO COMO COMPLEMENTO NO SUBSTRATO PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE CEREJA BIOCARVÃO COMO COMPLEMENTO NO SUBSTRATO PARA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATE CEREJA Lucas Gomes de Souza 1, Francisco Lopes Evangelista 2, Gabriel José Lima da Silveira 3, Susana Churka Blum 4 Resumo: O

Leia mais

CULTURA NO CULTIVO IN VITRO DE ABACAXIZEIRO E BANANEIRA

CULTURA NO CULTIVO IN VITRO DE ABACAXIZEIRO E BANANEIRA EFEITO DE AGENTES Efeito de agentes GELEIFICANTES geleificantes alternativos ALTERNATIVOS no meio de cultura... NO MEIO DE CULTURA NO CULTIVO IN VITRO DE ABACAXIZEIRO E BANANEIRA 4 Effect of alternative

Leia mais

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013, Belo Horizonte Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Sueli Lourdes Ferreira Tarôco (1), Erivelton

Leia mais

Protocolo de Micropropagação de Cana-de-açúcar

Protocolo de Micropropagação de Cana-de-açúcar ISSN 1516-8832 Protocolo de Micropropagação de Cana-de-açúcar 128 Introdução A cana-de-açúcar (Saccharum officinarum L.) tem grande importância econômica na agricultura no Brasil e, mais recentemente,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ VANESSA REINHART

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ VANESSA REINHART UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ VANESSA REINHART MULTIPLICAÇÃO DE MATRIZES DE PORTA-ENXERTOS HÍBRIDOS DE VIDEIRA (Vitis labrusca x Vitis rotundifolia) POR MICROPROPAGAÇÃO CURITIBA 2013 VANESSA REINHART

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO.

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO. QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA (Ricinus communis L.) CULTIVAR NORDESTINA, SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO. Andréa dos Santos Oliveira, Renata Silva-Mann, Michelle da Fonseca Santos,

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Campus Cariri 3 o Encontro Universitário da UFC no Cariri Juazeiro do Norte-CE, 26 a 28 de Outubro de 2011

Universidade Federal do Ceará Campus Cariri 3 o Encontro Universitário da UFC no Cariri Juazeiro do Norte-CE, 26 a 28 de Outubro de 2011 TESTE DE GERMINAÇÃO PARA AVALIAR A QUALIDADE DA SEMENTE DO MILHO PIPOCA Laianny Morais Maia¹, Silvério de Paiva Freitas Júnior², Mikaelle Cavalcante de Brito¹, Cícero Secifram da Silva¹, Edilza Maria Felipe

Leia mais

Causas de GL IVE TMG PGER IVE TMG PGER

Causas de GL IVE TMG PGER IVE TMG PGER Efeito Alelopático do Óleo Essencial de Citronela (Cymbopogon winterianus) Sobre a Germinação de Sementes de Picão-Preto e de Milho em Diferentes Épocas de Aplicação. MARIA LITA PADINHA CORREA 1, ANA PAULA

Leia mais

SPINARDI, B. et al. Extratos vegetais...

SPINARDI, B. et al. Extratos vegetais... Scientia Agraria ISSN 1519-1125 (printed) and 1983-2443 (on-line) SPINARDI, B. et al. Extratos vegetais... EXTRATOS VEGETAIS E ÓLEOS ESSENCIAIS NA MICROPROPAGAÇÃO DE VIDEIRA CV. BORDÔ EXTRACTS AND ESSENTIAL

Leia mais

Obtenção de Híbridos de Uvas sem Sementes por Meio da Técnica de Resgate de Embriões Durante o Período

Obtenção de Híbridos de Uvas sem Sementes por Meio da Técnica de Resgate de Embriões Durante o Período Obtenção de Híbridos de Uvas sem Sementes por Meio da Técnica de Resgate de Embriões Durante o Período 2014-2015 Obtaining Hybrid Seedless Grape by Embryo Rescue Technique During t he Period 2014-2015

Leia mais

FENOLOGIA E PRODUÇÃO DA CULTIVAR TETRAPLÓIDE DE UVA DE MESA NIABELL SOBRE DIFERENTES PORTA-ENXERTOS (1)

FENOLOGIA E PRODUÇÃO DA CULTIVAR TETRAPLÓIDE DE UVA DE MESA NIABELL SOBRE DIFERENTES PORTA-ENXERTOS (1) Fenologia e produção de uva de mesa Niabell 109 FENOLOGIA E PRODUÇÃO DA CULTIVAR TETRAPLÓIDE DE UVA DE MESA NIABELL SOBRE DIFERENTES PORTA-ENXERTOS (1) MÁRIO JOSÉ PEDRO JÚNIOR (2,3) ; JOSÉ LUIZ HERNANDES

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB

QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE MAMONA ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS E ARMAZENADAS SOB CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DE CAMPINA GRANDE-PB Sandra Maria de Figueiredo 1, Fernanda Fernandes de Melo

Leia mais

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MAMONA SUBMETIDOS A DIFERENTES TEMPERATURAS NOTURNAS: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO*

COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MAMONA SUBMETIDOS A DIFERENTES TEMPERATURAS NOTURNAS: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO* COMPORTAMENTO DE GENÓTIPOS DE MAMONA SUBMETIDOS A DIFERENTES TEMPERATURAS NOTURNAS: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO* Lígia Rodrigues Sampaio 1, Robson César Albuquerque 2, Liv Soares Severino 3. 1 Universidade

Leia mais

SOBREVIVÊNCIA DE ESTACAS DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM SUBSTRATOS COM DIFERENTES DOSES DE AIB PLANTADAS EM TUBETE

SOBREVIVÊNCIA DE ESTACAS DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM SUBSTRATOS COM DIFERENTES DOSES DE AIB PLANTADAS EM TUBETE 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG SOBREVIVÊNCIA DE ESTACAS DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM SUBSTRATOS COM DIFERENTES

Leia mais

EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.)

EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) EFEITO DO TIPO DE SUBSTRATO NA GERMINAÇÃO E VIGOR DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) Reynaldo de Mello Torres Docente da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal de Garça SP. Dagoberto

Leia mais

Micropropagação de abacaxi ornamental (Ananas comosus var. bracteatus) por meio da indução ao estiolamento e regeneração de plântulas

Micropropagação de abacaxi ornamental (Ananas comosus var. bracteatus) por meio da indução ao estiolamento e regeneração de plântulas 121 Artigo Científico Micropropagação de abacaxi ornamental (Ananas comosus var. bracteatus) por meio da indução ao estiolamento e regeneração de plântulas ANA CRISTINA PORTUGAL PINTO DE CARVALHO 1, EMÍLIA

Leia mais

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS DE SEMEADURA PARA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE CORIANDRUM SATIVUM L.

INFLUÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS DE SEMEADURA PARA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE CORIANDRUM SATIVUM L. INFLUÊNCIA DE DIFERENTES MÉTODOS DE SEMEADURA PARA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE CORIANDRUM SATIVUM L. Elisiane Martins de Lima 1 ; Milena Maria 2 ; Cosmo Rufino de Lima 3 ; Pablo Radamés Cabral

Leia mais

Planejamento da pesquisa científica: incerteza e estatística. Edilson Batista de Oliveira Embrapa Florestas

Planejamento da pesquisa científica: incerteza e estatística. Edilson Batista de Oliveira Embrapa Florestas Planejamento da pesquisa científica: incerteza e estatística Edilson Batista de Oliveira Embrapa Florestas Pesquisa em laboratórios na Embrapa Anos 70 Anos 80 Anos 90 Século 21 Precisão em Laboratórios:

Leia mais

TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO)

TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO) TEMPO DE COZIMENTO DE RAÍZES DE GENÓTIPOS DE MANDIOCA DE MESA (Manihot esculenta Crantz) SOB SISTEMA IRRIGADO E DE SEQUEIRO) Rosangela Nascimento da Silva Ribeiro 1 ; Maurício Antônio Coelho Filho 2 ;

Leia mais

Concentrações de BAP sobre a proliferação in vitro de brotos de Lippia alba [(Mill.)N.E.Brown]

Concentrações de BAP sobre a proliferação in vitro de brotos de Lippia alba [(Mill.)N.E.Brown] 149 Concentrações de BAP sobre a proliferação in vitro de brotos de Lippia alba [(Mill.)N.E.Brown] ASMAR, S.A.*; RESENDE, R.F.; ARARUNA, E.C.; MORAIS, T.P.; LUZ, J.M.Q. Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Efeito das concentrações de vitaminas e reguladores de crescimento no superbrotamento da cultivar BRS-verde

Efeito das concentrações de vitaminas e reguladores de crescimento no superbrotamento da cultivar BRS-verde REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 8 - Número 2-2º Semestre 2008 Efeito das concentrações de vitaminas e reguladores de crescimento no superbrotamento da cultivar BRS-verde Nara

Leia mais

Produção antecipada de mudas de videira Rubi (Vitis vinifera) através de enxertia verde 1

Produção antecipada de mudas de videira Rubi (Vitis vinifera) através de enxertia verde 1 Ciência Rural, Santa Maria, Produção v.34, antecipada n.4, p.1059-1064, de mudas jul-ago, de videira 2004 Rubi (Vitis vinifera) através de enxertia verde. ISSN 0103-8478 1059 Produção antecipada de mudas

Leia mais

ENXERTIA HERBÁCEA EM MYRTACEAE NATIVAS DO RIO GRANDE DO SUL

ENXERTIA HERBÁCEA EM MYRTACEAE NATIVAS DO RIO GRANDE DO SUL ENXERTIA HERBÁCEA EM MYRTACEAE NATIVAS DO RIO GRANDE DO SUL Daiane Silva Lattuada 1 ; Paulo Vitor Dutra de Souza 2 ; Mateus Pereira Gonzatto 1 ; Sérgio Francisco Schwarz 2 1 Eng. Agrônomo, mestrando no

Leia mais

Título - Arial 44pt - Bold

Título - Arial 44pt - Bold Variedades resistentes: intersecção entre rusticidade e qualidade a experiência brasileira Título - Arial 44pt - Bold Patricia Ritschel Outras João Informações Dimas G. Maia - Arial 28pt Umberto Almeida

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata).

AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata). AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO TARDIA DE COBALTO, NA ABSCISÃO DE FLORES E COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO FEIJOEIRO COMUM (Vigna unguiculata). Rezanio Martins Carvalho (bolsista do PIBIC/CNPq), Fabiano André Petter

Leia mais

Lista Teste de hipóteses

Lista Teste de hipóteses Lista Teste de hipóteses 01) Realizou-se uma pesquisa para comprar dois locais, Itajaí e Araranguá, quanto à produção de arroz irrigado, em t/ha, na safra 19881989. Dez progênies foram utilizadas nos dois

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO Página 1481 CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. Murilo Barros Pedrosa (Fundação Bahia / algodao@fundacaoba.com.br), Camilo de Lelis Morello (Embrapa

Leia mais

Efeitos do BAP e do AIA na indução e no crescimento in vitro de brotos de dez clones de palma forrageira 1

Efeitos do BAP e do AIA na indução e no crescimento in vitro de brotos de dez clones de palma forrageira 1 Efeitos do BAP e do AIA na indução e no crescimento in vitro de brotos de dez clones de palma forrageira 1 Effects of BAP and IAA on in vitro shoot initiation and growth of ten clones of palm grass Hamilton

Leia mais

77 mil hectares hemisfério sul desde latitude 30 o até latitude 5 º Regiões Temperadas (repouso hibernal) Regiões Subtropicais (dois ciclos anuais)

77 mil hectares hemisfério sul desde latitude 30 o até latitude 5 º Regiões Temperadas (repouso hibernal) Regiões Subtropicais (dois ciclos anuais) 77 mil hectares hemisfério sul desde latitude 30 o até latitude 5 º Regiões Temperadas (repouso hibernal) Regiões Subtropicais (dois ciclos anuais) repoda Regiões Tropicais ( 2,5 a 3 ciclos anuais) podas

Leia mais

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09

Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Resultados de Pesquisa dos Ensaios de Melhoramento de Soja Safra 2008/09 Alberto Francisco Boldt; Engenheiro agrônomo, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão IMAmt; Caixa Postal: 149, CEP 78.850-000;

Leia mais

Jana Koefender, Juliane Nicolodi Camera, Diego Pascoal Golle, Roberta Cattaneo Horn, Péricles Dalazeri Junho de 2017.

Jana Koefender, Juliane Nicolodi Camera, Diego Pascoal Golle, Roberta Cattaneo Horn, Péricles Dalazeri Junho de 2017. CIRCULAR TÉCNICA Cultura da mandioca Jana Koefender, Juliane Nicolodi Camera, Diego Pascoal Golle, Roberta Cattaneo Horn, Péricles Dalazeri Junho de 2017. C496 Circular Técnica: propagação rápida de mandioca

Leia mais

ANÁLISE DE CRESCIMENTO DE VARIEDADES DE LARANJA SOB SISTEMA DE PRODUÇÃO ORGÂNICO PARA A CIDADE DE LONTRAS/SC

ANÁLISE DE CRESCIMENTO DE VARIEDADES DE LARANJA SOB SISTEMA DE PRODUÇÃO ORGÂNICO PARA A CIDADE DE LONTRAS/SC ANÁLISE DE CRESCIMENTO DE VARIEDADES DE LARANJA SOB SISTEMA DE PRODUÇÃO ORGÂNICO PARA A CIDADE DE LONTRAS/SC Autores: Mirielle Aline GREIN 1 ; Jeferson IELER 1 ; Marcelo PEZENTI 1 ; Leonardo NEVES 2. 1

Leia mais

6-BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE PRUNÁCEAS (Prunus sp.)

6-BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE PRUNÁCEAS (Prunus sp.) 6-BENZILAMINOPURINA (BAP) NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE PRUNÁCEAS (Prunus sp.) LEONTIEV-ORLOV, Oleg; ROGALSKI, Marcelo; MOSSI, Altemir J. & CANSIAN, Rogério L. URI Campus de Erechim, Departamento de Ciências

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE PEPINO EM IPAMERI-GO

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE PEPINO EM IPAMERI-GO AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE PEPINO EM IPAMERI-GO Érica Fernandes Leão¹, Valdivina Lúcia Vidal²; Emersom Rodrigues de Moraes³; José Antônio de Paula Oliveira³ Odilon Peixoto de Morais Junior³ ¹Bolsista PBIC/UEG

Leia mais

CULTIVO IN VITRO DE SEGMENTOS NODAIS DE HORTELÃ

CULTIVO IN VITRO DE SEGMENTOS NODAIS DE HORTELÃ MICROPROPAGAÇÃO CULTIVO IN VITRO DE SEGMENTOS NODAIS DE HORTELÃ As mentas ou hortelãs são plantas perenes, raramente anuais, que se expandem mediante estolões. O fenômeno de hibridização interespecífica,

Leia mais

REGENERAÇÃO IN VITRO DE Oncidium leucochilum BATEM. EX LINDL. (ORCHIDACEAE).

REGENERAÇÃO IN VITRO DE Oncidium leucochilum BATEM. EX LINDL. (ORCHIDACEAE). REGENERAÇÃO IN VITRO DE Oncidium leucochilum BATEM. EX LINDL. (ORCHIDACEAE). ALESSANDRO IGLIKOSKI BERNARDI 1, RODRIGO CAETANO DA SILVA 1, ANDRÉ LUÍS LOPES DA SILVA 2, AUREA PORTES FERRIANI 3. 1- Acadêmico

Leia mais

Resultados e Discussão

Resultados e Discussão AVALIAÇÃO E ADAPTAÇÃO DE METODOLOGIA PARA SELEÇÃO FENOTÍPICA DE PORTA- ENXERTOS DE VIDEIRA PARA TOLERÂNCIA AO ALUMÍNIO TÓXICO CULTIVADOS EM SOLUÇÃO NUTRITIVA (1) Franscinely Aparecida de Assis (2), Ângelo

Leia mais

AÇÃO DA 6-BENZILAMINOPURINA E DA QUALIDADE DA LUZ NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE MACIEIRA (Malus domestica BORKH.) CVS. GALAXY E MASTERGALA

AÇÃO DA 6-BENZILAMINOPURINA E DA QUALIDADE DA LUZ NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE MACIEIRA (Malus domestica BORKH.) CVS. GALAXY E MASTERGALA AÇÃO DA 6-BENZILAMINOPURINA E DA QUALIDADE DA LUZ NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE MACIEIRA (Malus domestica BORKH.) CVS. GALAXY E MASTERGALA ACTION OF THE 6-BENZYLAMINOPURINE AND OF THE LIGHT QUALITY ON THE

Leia mais

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE PORTA-ENXERTO DE MACIEIRA (MALUS PRUNIFOLIA) CV. MARUBAKAIDO: EFEITO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO GIBERÉLICO 1

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE PORTA-ENXERTO DE MACIEIRA (MALUS PRUNIFOLIA) CV. MARUBAKAIDO: EFEITO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO GIBERÉLICO 1 PROPAGAÇÃO IN VITRO DE PORTA-ENXERTO DE MACIEIRA (MALUS PRUNIFOLIA) CV. MARUBAKAIDO: EFEITO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO GIBERÉLICO 1 SOUZA, Letiele Bruck de 2 ; COGO, Maurício Ricardo de Melo 2 ; SANTOS,

Leia mais

Soluções de condicionamento na longevidade de inflorescências de copo-de-leite colhidas em diferentes fases de abertura da espata

Soluções de condicionamento na longevidade de inflorescências de copo-de-leite colhidas em diferentes fases de abertura da espata Soluções de condicionamento na longevidade de inflorescências de copo-de-leite colhidas em diferentes fases de abertura da espata Ingrid Santos da Fonseca (1), Elka Fabiana Aparecida Almeida (2), Simone

Leia mais

INFLUÊNCIA DO PORTA-ENXERTO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DE VINHOS TINTOS TROPICAIS CV. ALICANTE BOUSCHET

INFLUÊNCIA DO PORTA-ENXERTO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DE VINHOS TINTOS TROPICAIS CV. ALICANTE BOUSCHET INFLUÊNCIA DO PORTA-ENXERTO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DE VINHOS TINTOS TROPICAIS CV. ALICANTE BOUSCHET Geisiane Batista Nunes Vasconcelos 1 ; Fernanda da Silva Lantyer Batista 1 ; Juliane

Leia mais

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA PROPAGAÇÃO VEGETATIVA Propagação vegetativa em espécies florestais: Enxertia Estaquia Microestaquia Enxertia União de partes de uma planta em outra, de forma que as duas partes de plantas diferentes passem

Leia mais

Influências das Épocas de Plantio sobre Dirceu Luiz Broch a Produtividade de Híbridos de Milho Safrinha

Influências das Épocas de Plantio sobre Dirceu Luiz Broch a Produtividade de Híbridos de Milho Safrinha 5 Carlos Pitol Influências das Épocas de Plantio sobre Dirceu Luiz Broch a Produtividade de Híbridos de Milho Safrinha André Luis F. Lourenção 5.. Introdução O zoneamento agrícola para plantio de milho

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR

PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA A FERTILIZAÇÃO FOLIAR 28 Resumos da XXXIII Reunião de Pesquisa de Soja da Região Central do Brasil - Londrina, PR, agosto de 203 5 PRODUTIVIDADE DE SOJA EM RESPOSTA AO ARRANJO ESPACIAL DE PLANTAS E À ADUBAÇÃO NITROGENADA ASSOCIADA

Leia mais

PRODUÇÃO DE CULTIVARES DE AZEVÉM NO EXTREMO OESTE CATARINENSE. Palavras-chave: Lolium multiflorum L., Produção de leite, Pastagem de inverno.

PRODUÇÃO DE CULTIVARES DE AZEVÉM NO EXTREMO OESTE CATARINENSE. Palavras-chave: Lolium multiflorum L., Produção de leite, Pastagem de inverno. PRODUÇÃO DE CULTIVARES DE AZEVÉM NO EXTREMO OESTE CATARINENSE José Tiago Rambo Hoffmann 1 ; Leandro Werlang 1 ; Rogério Klein 1 ; Marcos Paulo Zambiazi 1 ; Fabiana Raquel Mühl 2 ; Neuri Antônio Feldman

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA: ESTABELECIMENTO E INICIAÇÃO DE CULTURAS COM A UTILIZAÇÃO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLACÉTICO

MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA: ESTABELECIMENTO E INICIAÇÃO DE CULTURAS COM A UTILIZAÇÃO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLACÉTICO MICROPROPAGAÇÃO DE VIOLETA-AFRICANA: ESTABELECIMENTO E INICIAÇÃO DE CULTURAS COM A UTILIZAÇÃO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO INDOLACÉTICO Micropropagation of African-Violet: establishment and initiation

Leia mais

INDUÇÃO DE MULTIBROTAÇÕES IN VITRO, A PARTIR DE GEMAS COTILEDONARES DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum L.) DA CULTIVAR CNPA

INDUÇÃO DE MULTIBROTAÇÕES IN VITRO, A PARTIR DE GEMAS COTILEDONARES DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum L.) DA CULTIVAR CNPA INDUÇÃO DE MULTIBROTAÇÕES IN VITRO, A PARTIR DE GEMAS COTILEDONARES DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum L.) DA CULTIVAR CNPA 98-1034 Adriana Carneiro Tavares (UEPB / adrianaestevam@yahoo.com.br), Morganna Pollynne

Leia mais

EFEITO DO TEOR DE UMIDADE DAS SEMENTES DURANTE O ARMAZENAMENTO NA GERMINAÇÃO DE MILHO CRIOULO

EFEITO DO TEOR DE UMIDADE DAS SEMENTES DURANTE O ARMAZENAMENTO NA GERMINAÇÃO DE MILHO CRIOULO EFEITO DO TEOR DE UMIDADE DAS SEMENTES DURANTE O ARMAZENAMENTO NA GERMINAÇÃO DE MILHO CRIOULO Daniela GOETEN 1, Joacir do NASCIMENTO 2, Oscar Emilio Ludtke HARTHMANN 3 1 Acadêmica do curso de Agronomia

Leia mais

Efeito do tamanho e do peso específico na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso (Jatropha curcas L.)

Efeito do tamanho e do peso específico na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso (Jatropha curcas L.) Efeito do tamanho e do peso específico na qualidade fisiológica de sementes de pinhão-manso (Jatropha curcas L.) Gabriel Moraes Costa (1), Roberto Fontes Araujo (2), Eduardo Fontes Araujo (3), João Batista

Leia mais

ESTUDOS SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE GOIABEIRA-SERRANA

ESTUDOS SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE GOIABEIRA-SERRANA ESTUDOS SOBRE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE GOIABEIRA-SERRANA Nair Dahmer¹, Divanilde Guerra²; Ingrid Bergman Inchausti De Barros³; Lucia Brandão Franke 4 ; Paulo Vitor Dutra de Souza 3 ; Sergio Francisco

Leia mais

Qualidade de luz e fitorreguladores na multiplicação e enraizamento in vitro da amoreira-preta Xavante

Qualidade de luz e fitorreguladores na multiplicação e enraizamento in vitro da amoreira-preta Xavante Ciência 1392 Rural, Santa Maria, v.42, n.8, p.1392-1396, ago, 2012 Pasa et al. ISSN 0103-8478 Qualidade de luz e fitorreguladores na multiplicação e enraizamento in vitro da amoreira-preta Xavante Light

Leia mais