A POÉTICA DO SÉCULO XVII

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A POÉTICA DO SÉCULO XVII"

Transcrição

1 A POÉTICA DO SÉCULO XVII

2

3 O Enterro do Conde de Orgaz (1586) El Greco Igreja de São Tomé, Toledo

4 São Jerônimo (c. 1605). Caravaggio. Galeria Borghese, Itália

5 Êxtase de Santa Teresa ( ) Igreja de Santa Maria della Vittoria, Roma Gian Lorenzo Bernini

6 O Rapto de Proserpina ( ) Bernini Galleria Borghese, Roma

7 Interior da igreja de São Francisco, Salvador (BA)

8 Baldaquino. Basílica de São Pedro Coluna barroca

9 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Antítese Nasce o sol, e não dura mais que um dia, Depois da luz se segue a noite escura, Em tristes sombras morre a formosura, Em contínuas tristezas a alegria.

10 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Paradoxo (...) Que um dia é eternidade da beleza

11 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Oximoro Enquanto, com gentil descortesia

12 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Hipérbato É a vaidade, Fábio, nesta vida, Rosa (...)

13 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Quiasmo (...) neste mundo há muitas misérias que não são ignorâncias e não há ignorância que não seja miséria. misérias (a) ignorância (b) X ignorâncias (b) miséria (a)

14 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Gradação Em terra, em cinza, em pó, em sombra, em nada.

15 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Hipérbole Mil noites padeci de ausência dura Por um só dia (...)

16 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Metáfora É a vaidade, Fábio, nesta vida, Rosa (...)

17 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Metonímia Para a tropa do trapo vazo a tripa

18 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Aliteração e assonância Pa ra a t r o p a d o t ra p o va zo a t r i p a

19 Características Dualismo: teocentrismo e antropocentrismo Sinuosidade Ornamentalismo (figuração abundante) Alegoria Se uma ovelha perdida e já cobrada Glória tal e prazer tão repentino Vos deu, como afirmais na sacra história, Eu sou, Senhor, a ovelha desgarrada, Cobrai- a; e não queirais, pastor divino, Perder na vossa ovelha a vossa glória.

20 Características ENGENHO: invenção, capacidade ou talento de criar beleza por meio da linguagem aguda. AGUDEZA: procedimento pelo qual o discurso engenhoso se realiza. Caracteriza-se pela aproximação ou pela fusão de imagens e de conceitos distanciados. Retrato de Baltasar Gracián ( ), autor de Arte de Ingenio: Tratado de la Agudeza (1642)

21 Estilos CULTISMO (gongorismo) agudeza e engenho descrição sensorialismo Gongora ( ) CONCEPTISMO (quevedismo) agudeza e engenho dissertação (argumentação) intelectualismo Quevedo ( )

22 Texto cultista Se as sobrancelhas vejo, Setas despedes contra o meu desejo; Se do rosto os primores, Em teu rosto se pintam várias cores; Vejo, pois, para pena e para gosto As sobrancelhas arco; íris o rosto. Manuel Botelho de Oliveira

23 Texto conceptista Navegava Alexandre em uma poderosa armada pelo mar Eritreu a conquistar a Índia: e como fosse trazido à sua presença um pirata, que por ali andava, roubando os pescadores, repreendeu-o muito Alexandre de andar em tão mau ofício: porém ele, que não era medroso nem lerdo, respondeu assim: Basta, senhor, que eu, porque roubo em uma barca, sou ladrão, e vós, porque roubais em uma armada, sois imperador? Assim é. O roubar pouco é culpa, o roubar muito é grandeza: o roubar com pouco poder faz os piratas, o roubar com muito, os Alexandres. [...] O ladrão que furta para comer, não vai nem leva ao inferno: os que não só vão, mas levam, de que eu trato, são outros ladrões de maior calibre e

24 de mais alta esfera; os quais debaixo do mesmo nome e do mesmo predicamento distingue muito bem São Basílio Magno. Não só são ladrões, diz o santo, os que cortam bolsas, ou espreitam os que se vão banhar para lhes colher a roupa, os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título, são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e legiões ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais já com manha, já com força roubam e despojam os povos. Os outros ladrões roubam um homem, estes roubam cidades e reinos; os outros furtam debaixo do seu risco, estes sem temor nem perigo; os outros se furtam, são enforcados, estes furtam e enforcam. Pe. Antônio Vieira

25 Temática 1. Angústia mística 2. Angústia existencial 3. Angústia erótica

BARROCO. Vaidade, de Domenico Piola

BARROCO. Vaidade, de Domenico Piola BARROCO Vaidade, de Domenico Piola. HISTORICAMENTE - Realização do Concílio de Trento, entre os anos de 1545 e 1563; - Estabelecimento da divisão da cristandade entre protestantes e católicos; - Reforma

Leia mais

Revisão com aprofundamento: Barroco e Arcadismo

Revisão com aprofundamento: Barroco e Arcadismo Revisão com aprofundamento: Barroco e Arcadismo Revisão com aprofundamento: Barroco e Arcadismo Texto para as questões 1 e 2. SONETO Carregado de mim ando no mundo, E o grande peso embarga-me as passadas,

Leia mais

https://www.youtube.com/watch?v=hiiydd ZIK4I

https://www.youtube.com/watch?v=hiiydd ZIK4I https://www.youtube.com/watch?v=hiiydd ZIK4I Pintura Composição assimétrica, em diagonal - substituindo a unidade geométrica e o equilíbrio da arte renascentista. * Acentuado contraste de claro-escuro,expressão

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1º EM Literatura Klaus Av. Dissertativa 21/09/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

Flagelação de Cristo (Foto: Pintura: Caravaggio / Reprodução)

Flagelação de Cristo (Foto: Pintura: Caravaggio / Reprodução) O Barroco O Barroco foi um período do século XVI marcado pela crise dos valores Renascentistas, gerando uma nova visão de mundo através de lutas religiosas e dualismos entre espírito e razão. O movimento

Leia mais

Questões de Vestibular: Língua Portuguesa - Figuras e vícios de linguagem

Questões de Vestibular: Língua Portuguesa - Figuras e vícios de linguagem Questões de Vestibular: Língua Portuguesa Figuras e vícios de linguagem (URJ) Universidade do stado do Rio de Janeiro Questão 141: linguagem figurada, conhecida característica de textos literários, encontrase

Leia mais

comem os pequenos, não bastam cem nem cem nem mil pequenos para um só grande

comem os pequenos, não bastam cem nem cem nem mil pequenos para um só grande COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ PROFESSORA: CAMILA PASQUAL DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA BARROC0: DOS ANOS 1600 E INÍCIO DOS ANOS 1700- CONTEXTO HISTÓRICO Renascimento e a Reforma de Lutero. A contra- Reforma

Leia mais

Anjo no nome, Angélica na cara, Isso é ser flor, e Anjo juntamente, Ser Angélica flor, e Anjo florente, Em quem, senão em vós se uniformara?

Anjo no nome, Angélica na cara, Isso é ser flor, e Anjo juntamente, Ser Angélica flor, e Anjo florente, Em quem, senão em vós se uniformara? Anjo no nome, Angélica na cara, Isso é ser flor, e Anjo juntamente, Ser Angélica flor, e Anjo florente, Em quem, senão em vós se uniformara? Quem veria uma flor, que a não cortara De verde pé, de rama

Leia mais

GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO

GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO Profª Ivandelma Gabriel Características * abusa de figuras de linguagem; * faz uso do estilo cultista e conceptista, através de jogos de palavras e raciocínios sutis;

Leia mais

MARCO INICIAL: Prosopopeia (1601)- poema épico de Bento Teixeira, tendo por assunto os feitos militares de Jorge de Alburquerque.

MARCO INICIAL: Prosopopeia (1601)- poema épico de Bento Teixeira, tendo por assunto os feitos militares de Jorge de Alburquerque. COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ PROFª Drª. CAMILA PASQUAL DISCIPLINA: LINGUA PORTUGUESA BARROC0: DOS ANOS 1600 E INÍCIO DOS ANOS 1700- CONTEXTO HISTÓRICO Renascimento e a Reforma de Lutero. A contra- Reforma

Leia mais

É planta, que de abril favorecida Por mares de soberba desatada, Florida galeota empavesada, Sulca ufana, navega destemida

É planta, que de abril favorecida Por mares de soberba desatada, Florida galeota empavesada, Sulca ufana, navega destemida Desenganos da vida humana metaforicamente É a vaidade, Fábio, nesta vida, Rosa, que da manhã lisonjeada, Púrpuras mil, com ambição dourada, Airosa rompe, arrasta presumida. É planta, que de abril favorecida

Leia mais

BARROCO BRASILEIRO. O Homem em Conflito (século XVII)

BARROCO BRASILEIRO. O Homem em Conflito (século XVII) BARROCO BRASILEIRO O Homem em Conflito (século XVII) ARQUITETURA BARROCA Igreja de S. Carlos Barromeu - Áustria ESCULTURA BARROCA Bernini Êxtase de Santa Tereza PINTURA BARROCA Caravaggio Judith degola

Leia mais

BARROCO PINTURA Caravaggio Andrea Pozzo

BARROCO PINTURA Caravaggio Andrea Pozzo BARROCO A arte barroca originou-se na Itália (séc. XVII), mas não tardou a irradiar-se por outros países da Europa e a chegar também ao continente americano, trazida pelos colonizadores portugueses e espanhóis.

Leia mais

Prof. Eloy Gustavo. Aula 7 A estética barroca

Prof. Eloy Gustavo. Aula 7 A estética barroca Aula 7 A estética barroca Marcos cronológicos Século XVII Barroco Portugal 1580: Morte de Camões / União Ibérica 1756: Fundação da Arcádia Lusitana Brasil 1601: Prosopopéia de Bento Teixeira 1768: Obras

Leia mais

O Subtexto é uma teia de incontáveis movimentos interiores, toda sorte de imaginações, que nos faz dizer as palavras que dizemos de um determinado

O Subtexto é uma teia de incontáveis movimentos interiores, toda sorte de imaginações, que nos faz dizer as palavras que dizemos de um determinado 1. Subtexto O Subtexto é uma teia de incontáveis movimentos interiores, toda sorte de imaginações, que nos faz dizer as palavras que dizemos de um determinado texto. Somente quando os nossos sentimentos

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 3ª Etapa 2012 Disciplina: Literatura Ano: 2012 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 1º ano Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de

Leia mais

C8_COMP_PORT_Prof_Alu 4/8/10 11:05 AM Página I

C8_COMP_PORT_Prof_Alu 4/8/10 11:05 AM Página I C8_COMP_PORT_Prof_Alu 4/8/10 11:05 AM Página I C8_COMP_PORT_Prof_Alu 4/8/10 11:05 AM Página II C8_COMP_PORT_Prof_Alu 4/8/10 11:05 AM Página 1 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias PORTUGUÊS MÓDULO 15

Leia mais

LITERATURA BARROCA NO BRASIL

LITERATURA BARROCA NO BRASIL LITERATURA BARROCA NO BRASIL O que é o Barroco? O Barroco foi um período estilístico e filosófico da História da sociedade ocidental, ocorrido durante os séculos XVI e XVII (Europa) e XVII e XVIII (América),

Leia mais

Figuras de linguagem. Figuras de palavras (figuras semânticas ou tropos)

Figuras de linguagem. Figuras de palavras (figuras semânticas ou tropos) Figuras de linguagem Assuntos de PORTUGUÊS? Sim! Afinal, estou estudando para concurso e sempre é bom compartilhar o meu material de estudo, resumos e etc. Então, não estranhem a partir de agora, se no

Leia mais

TRABALHO DE LITERATURA PORTUGUESA Análise literária de Padre Vieira. Biografia

TRABALHO DE LITERATURA PORTUGUESA Análise literária de Padre Vieira. Biografia TRABALHO DE LITERATURA PORTUGUESA Análise literária de Padre Vieira Biografia Nascido em Lisboa Portugal no ano de 1608, o Padre Antônio Vieira representa a maior expressão da eloquência sacra de Portugal

Leia mais

BARROCO PROFESSORA: GEORGIANA E G SOUSA 3º ANO E. M.

BARROCO PROFESSORA: GEORGIANA E G SOUSA 3º ANO E. M. BARROCO PROFESSORA: GEORGIANA E G SOUSA 3º ANO E. M. BARROCO Surgiu na Itália no século XVII e deve-se a uma série de mudanças econômicas, religiosas e sociais ocorridas na Europa; Contrarreforma reafirmar

Leia mais

CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA 2

CONSULPLAN CONSULTORIA LTDA 2 CARGO: MÉDICO GENERALISTA TEXTO: Ladrões Navegava Alexandre em uma poderosa armada pelo mar Eritreu a conquistar a Índia, e como fosse trazido à sua presença um pirata, que por ali andava roubando os pescadores,

Leia mais

CARACTERISTICAS. - A busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, contracurvas, colunas retorcidas;

CARACTERISTICAS. - A busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, contracurvas, colunas retorcidas; O BARROCO A arte barroca originou-se na Itália (séc. XVII) mas não tardou a irradiar-se por outros países da Europa e a chegar também ao continente americano, trazida pelos colonizadores portugueses e

Leia mais

Êxtase de Santa Teresa, Bernini

Êxtase de Santa Teresa, Bernini Êxtase de Santa Teresa, Bernini O Barroco foi, nos países católicos, a arte da Contrarreforma. Barroco Broatki pérola irregular com coloração mesclada em tons de branco e escuros. Na arte, o termo foi

Leia mais

Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo

Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo Artes visuais AULA 3 Barroco, Rococó e Neoclassicismo Prof. André de Freitas Barbosa Altar do Mosteiro de São Bento (Rio de Janeiro, 1617), traçado original de Francisco Frias de Mesquita. Numa época de

Leia mais

Metáfora. Ó minha amada Que olhos os teus São cais noturnos cheios de adeus. São docas mansas. Que brilham longe Longe nos breus. Vinicius de Moraes

Metáfora. Ó minha amada Que olhos os teus São cais noturnos cheios de adeus. São docas mansas. Que brilham longe Longe nos breus. Vinicius de Moraes Metáfora Ó minha amada Que olhos os teus São cais noturnos cheios de adeus. São docas mansas Trilhando luzes Que brilham longe Longe nos breus. Vinicius de Moraes Comparação ou símile Amar é comomudar

Leia mais

ARTE BARROCA SÉCULO XVII

ARTE BARROCA SÉCULO XVII ARTE BARROCA SÉCULO XVII O Barroco surgiu na Itália, deve-se a uma série de mudanças econômicas, religiosas e sociais ocorridas na época. O grande império cristão começou a fragmentarse. Contra-Reforma

Leia mais

3) As primeiras manifestações literárias que se registram na Literatura Brasileira referem-se a:

3) As primeiras manifestações literárias que se registram na Literatura Brasileira referem-se a: ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA - LITERATURA PROFESSOR: Renan Andrade TURMA: 1ª Série EM REVISÃO 1) Comente a respeito das vertentes lírica e épica da poesia de Camões. 2) Não se relaciona à medida

Leia mais

Resumo Aula 4 e 5 de Literatura: Classicismo, Quinhentismo e Barroco.

Resumo Aula 4 e 5 de Literatura: Classicismo, Quinhentismo e Barroco. Resumo Aula 4 e 5 de Literatura: Classicismo, Quinhentismo e Barroco. Classicismo Período literário que surgiu na época do Renascimento. Teve inicio na Itália e difundiu-se ao longo na Europa, séc. XV

Leia mais

CADERNO DE PROVA EXAME CLASSIFICATÓRIO CURSOS TÉCNICOS CONCOMITANTES/SUBSEQUENTES. Data: 18/12/2011 (domingo manhã) Tempo: 4 horas.

CADERNO DE PROVA EXAME CLASSIFICATÓRIO CURSOS TÉCNICOS CONCOMITANTES/SUBSEQUENTES. Data: 18/12/2011 (domingo manhã) Tempo: 4 horas. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ EXAME CLASSIFICATÓRIO 2012-1 CADERNO DE PROVA CURSOS TÉCNICOS CONCOMITANTES/SUBSEQUENTES PORTUGUÊS MATEMÁTICA 30 QUESTÕES 30 QUESTÕES Data:

Leia mais

Barroco. www.roginei.com.br

Barroco. www.roginei.com.br Barroco As origens da palavra são incertas. Talvez venha do português barroco ou do espanhol berrueco, que significa pérola de formato irregular. O Juízo Final (1536-1541) afresco de Michelangelo Capela

Leia mais

C8_COMP_PORT_Prof 4/1/10 2:56 PM Página I

C8_COMP_PORT_Prof 4/1/10 2:56 PM Página I C8_COMP_PORT_Prof 4/1/10 2:56 PM Página I C8_COMP_PORT_Prof 4/1/10 2:56 PM Página II C8_COMP_PORT_Prof 4/1/10 2:56 PM Página 1 Linguagens, Códigos e suas Tecnologias PORTUGUÊS MÓDULO 15 Desenganos da Vida

Leia mais

Literatura Literatura Brasileira Barroco Médio [20 Questões]

Literatura Literatura Brasileira Barroco Médio [20 Questões] Literatura Literatura Brasileira Barroco Médio [20 Questões] 01 - (EFOA MG) Considere as afirmações que se seguem. Todas elas vinculam a poesia de Gregório de Matos aos princípios estéticos e ideológicos

Leia mais

POESIA RELIGIOSA "A JESUS CRISTO NOSSO SENHOR" Pequei, Senhor; mas não por que hei pecado, Da vossa alta clemência me despido: Porque, quanto mais ten

POESIA RELIGIOSA A JESUS CRISTO NOSSO SENHOR Pequei, Senhor; mas não por que hei pecado, Da vossa alta clemência me despido: Porque, quanto mais ten ANÁLISE DAS POESIAS DE GREGÓRIO DE MATOS Esta pesquisa tem por objetivo fazer uma análise de quatro poesias, sendo do autor, Gregório de Matos da escola literária Barroco e quatro liras do autor Tomás

Leia mais

Antologia, de Gregório de Matos

Antologia, de Gregório de Matos Antologia, de Gregório de Matos As obras de Gregório de Matos Guerra permanecem como uma das mais malditas e rebeldes da história da literatura bresileira. É o que comprova esta obra, Antologia, cuidadosamente

Leia mais

AULA 2 LITERATURA - EXERCÍCIOS SOBRE BARROCO PROFESSOR GUSTAVO MATIAS

AULA 2 LITERATURA - EXERCÍCIOS SOBRE BARROCO PROFESSOR GUSTAVO MATIAS AULA 2 LITERATURA - EXERCÍCIOS SOBRE BARROCO PROFESSOR GUSTAVO MATIAS 1. (UMCP-SP) O culto do contraste, pessimismo, acumulação de elementos, niilismo temático, tendência para a descrição e preferência

Leia mais

Literatura Literatura Brasileira Barroco Fácil [20 Questões]

Literatura Literatura Brasileira Barroco Fácil [20 Questões] Literatura Literatura Brasileira Barroco Fácil [20 Questões] 01 - (UNP RN) Assinale a opção correta em relação à seguinte afirmação: O período barroco, movimento que acaba por refletir os conflitos e o

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara Denotação x Conotação Sentido denotativo: Meus alunos comeram uns doces. Sentido conotativo: Meus alunos são uns doces. Figuras

Leia mais

BARROCO. Definição do amor. Mandai-me, Senhores, hoje que em breves rasgos descreva do Amor a ilustre prosápia, E de Cupido as proezas.

BARROCO. Definição do amor. Mandai-me, Senhores, hoje que em breves rasgos descreva do Amor a ilustre prosápia, E de Cupido as proezas. 1. (Unesp 2010) A cada canto um grande conselheiro, Que nos quer governar cabana, e vinha, Não sabem governar sua cozinha, E podem governar o mundo inteiro. (...) Estupendas usuras nos mercados, Todos,

Leia mais

FIGURAS DE LINGUAGEM. Relacionam-se ao trabalho com as palavras em sentido figurado

FIGURAS DE LINGUAGEM. Relacionam-se ao trabalho com as palavras em sentido figurado FIGURAS DE LINGUAGEM Relacionam-se ao trabalho com as palavras em sentido figurado Figuras fonéticas ONOMATOPEIA: é a imitação de ruídos através de sons da língua. Ex: Ela bateu à porta: toc, toc... ALITERAÇÃO:

Leia mais

Quando eu, senhora...

Quando eu, senhora... Quando eu, senhora... Sá de Miranda Quando eu, senhora, em vós os olhos ponho, e vejo o que não vi nunca, nem cri que houvesse cá, recolhe-se a alma em si e vou tresvariando, como em sonho. Isto passado,

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ANUAL DE LITERATURA - 2016 Nome: Nº 1ª Série Professores : Danilo / Fernando / Nicolas Nota: I Introdução Caro aluno, Neste ano, você obteve média inferior a 6,0 e, portanto, não

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO DA UNIDADE II PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS

LÍNGUA PORTUGUESA AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO DA UNIDADE II PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS DA UNIDADE II PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS Questão 01 Leia este trecho: Ninguém esquece um episódio de Os Simpsons Aquela estupidez memorável do Homer não sai da sua cabeça? Questão 01 Você não é o único. Seriado

Leia mais

Gregório de Matos Patrono da Cadeira nº 16, por escolha do fundador Araripe Júnior. AUTOR DADOS BIOGRÁFICOS

Gregório de Matos Patrono da Cadeira nº 16, por escolha do fundador Araripe Júnior. AUTOR DADOS BIOGRÁFICOS AUTOR DADOS BIOGRÁFICOS BIBLIOGRAFIA Gregório de Matos Patrono da Cadeira nº 16, por escolha do fundador Araripe Júnior. Nome completo: Gregório de Matos Guerra Nascimento: 7 de abril de 1623, Salvador,

Leia mais

Literatura: Barroco/ Arcadismo

Literatura: Barroco/ Arcadismo Literatura: Barroco/ Arcadismo Barroco ou seiscentismo séc. XVII Barroco = pérola irregular NO BRASIL, INICIA EM 1601 Destaques para Minas Gerais e Bahia Bahia = ciclo da cana de açúcar Principais características:

Leia mais

QUANDO EU, SENHORA...

QUANDO EU, SENHORA... QUANDO EU, SENHORA... Sá de Miranda Quando eu, senhora, em vós os olhos ponho, e vejo o que não vi nunca, nem cri que houvesse cá, recolhe-se a alma em si e vou tresvariando, como em sonho. Isto passado,

Leia mais

SUMÁRIO. Unidade I Teoria da Comunicação. Capítulo 1 Linguagem, Língua, Fala, Signo Linguístico, Linguagem Verbal e Linguagem não Verbal

SUMÁRIO. Unidade I Teoria da Comunicação. Capítulo 1 Linguagem, Língua, Fala, Signo Linguístico, Linguagem Verbal e Linguagem não Verbal SUMÁRIO Unidade I Teoria da Comunicação Capítulo 1 Linguagem, Língua, Fala, Signo Linguístico, Linguagem Verbal e Linguagem não Verbal Linguagem Língua Fala Signo linguístico Significado Significante Linguagem

Leia mais

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS DE LITERATURA PARA EXAME FINAL 2014 Conteúdo: QUINHENTISMO/ BARROCO PROFESSORA ROSANA 1 ANO

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS DE LITERATURA PARA EXAME FINAL 2014 Conteúdo: QUINHENTISMO/ BARROCO PROFESSORA ROSANA 1 ANO 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS DE LITERATURA PARA EXAME FINAL 2014 Conteúdo: QUINHENTISMO/ BARROCO PROFESSORA ROSANA 1 ANO 01 Qual a importância da Literatura de Informação? 02 Qual a obra que marca o início da

Leia mais

A tristeza. A tristeza

A tristeza. A tristeza E a leitura continua..."o Principezinho" - quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2013 No capítulo V, o Principezinho demonstra muita tristeza nas suas palavras. Após a leitura, foi proposto aos alunos escreverem

Leia mais

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa Page 1 of 5 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Sociologia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Amor & Sociologia

Leia mais

Jesus Cristo, ouvi-nos.[www.arcanjomiguel.net] Jesus Cristo, atendei-nos.

Jesus Cristo, ouvi-nos.[www.arcanjomiguel.net] Jesus Cristo, atendei-nos. Ladainha de São Miguel Arcanjo Senhor, tende piedade de nós. Jesus Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós. Jesus Cristo, ouvi-nos.[www.arcanjomiguel.net] Jesus Cristo, atendei-nos.

Leia mais

domingo, 19 de setembro de 2010 A n é s i o R o d r i g u e s

domingo, 19 de setembro de 2010 A n é s i o R o d r i g u e s A n é s i o R o d r i g u e s Salmo 127:2 Anésio Rodrigues A vida: um dom de Deus Comida, Trabalho Família, diversão, igreja Anésio Rodrigues Salmo 127:2 Salmo 127:2 Será inútil levantar cedo e dormir

Leia mais

Quaresma de São Miguel Arcanjo

Quaresma de São Miguel Arcanjo Quaresma de São Miguel Arcanjo A quaresma deve ser rezada diariamente, entre os dias 15 de agosto e 29 de setembro, dia da Festa dos arcanjos são Miguel, são Gabriel e são Rafael. Preparação da Quaresma

Leia mais

AULA 05 LITERATURA BARROCO EM PORTUGAL E LITERATURA INFORMATIVA

AULA 05 LITERATURA BARROCO EM PORTUGAL E LITERATURA INFORMATIVA AULA 05 LITERATURA PROFª Edna Prado BARROCO EM PORTUGAL E LITERATURA INFORMATIVA 1 - Barroco em Portugal Em Portugal, o Barroco ou também chamado Seiscentismo (por ter sido estilo que teve início no final

Leia mais

COLÉGIO PRO CAMPUS A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO RESUMO DE OBRAS UFPI. Sermões. Padre Antônio Vieira

COLÉGIO PRO CAMPUS A PAZ ESTÁ NA BOA EDUCAÇÃO RESUMO DE OBRAS UFPI. Sermões. Padre Antônio Vieira Sermões Padre Antônio Vieira O autor: Vieira nasceu em Lisboa, em 1608. com sete anos de idade vem para Bahia, e em 1623 entra para a Companhia de Jesus. Após a Restauração (1640), movimento pelo qual

Leia mais

Gregório de Matos POEMAS SELECIONADOS

Gregório de Matos POEMAS SELECIONADOS Gregório de Matos POEMAS SELECIONADOS Características da linguagem barroca Quanto ao conteúdo Conflito entre fé e razão (visão antropocêntrica e teocêntrica); Oposição entre mundo material e mundo espiritual;

Leia mais

01. SENHOR AMADO (GERMANO GUILHERME) PARA OS TEMPOS QUE ESTAVAS NO MUNDO

01. SENHOR AMADO (GERMANO GUILHERME) PARA OS TEMPOS QUE ESTAVAS NO MUNDO 01. SENHOR AMADO (GERMANO GUILHERME) PARA OS TEMPOS QUE ESTAVAS NO MUNDO MANDARAM TE CHAMAR NA CASA DA MÃE SANTÍSSIMA, PARA TI, PARA TI TE APRESENTAR. SENHORA MÃE SANTÍSSIMA, EU VIM ME APRESENTAR. ATENDER

Leia mais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais Índice de aulas Tipologias textuais Texto narrativo Ação Personagens Narrador Espaço Tempo Modalidades do discurso Narrativas de tradição popular O caldo de pedra Mestre Finezas: o passado glorioso Mestre

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS

CARACTERÍSTICAS GERAIS BARROCO BARROCO Originou-se na Itália, no século XVII e irradiouse pela Europa, adquirindo peculiaridades; Pode ser compreendido como a arte da Contra- Reforma Concílio de Trento (1545-1563); Igreja será

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 1 LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA. Conteúdos: Semântica: Sinônimos e antônimos

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 1 LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA. Conteúdos: Semântica: Sinônimos e antônimos CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 1 Conteúdos: Semântica: Sinônimos e antônimos CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL

Leia mais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais Índice de aulas Tipologias textuais Texto narrativo Ação e personagens Espaço e tempo Narrador e modalidades do discurso Narrativas de tradição popular Chocolate à Chuva: as férias de Mariana Chocolate

Leia mais

LINGUA PORTUGUESA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ COMISSÃO COORDENADORA DE CONCURSOS EXAME DE SELEÇÃO ETEC CRATEÚS

LINGUA PORTUGUESA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ COMISSÃO COORDENADORA DE CONCURSOS EXAME DE SELEÇÃO ETEC CRATEÚS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ COMISSÃO COORDENADORA DE CONCURSOS EXAME DE SELEÇÃO ETEC CRATEÚS 00- LINGUA PORTUGUESA 4 5 6 7 8 9 0 4 5 6 7 8 9 SERMÃO DO BOM LADRÃO Suponho

Leia mais

PREGAÇÃO DO DIA 12 DE OUTUBRO DE 2013 TEMA: SOLICITUDE PELA VIDA PASSAGEM: LUCAS 12: 22-34

PREGAÇÃO DO DIA 12 DE OUTUBRO DE 2013 TEMA: SOLICITUDE PELA VIDA PASSAGEM: LUCAS 12: 22-34 PREGAÇÃO DO DIA 12 DE OUTUBRO DE 2013 TEMA: SOLICITUDE PELA VIDA PASSAGEM: LUCAS 12: 22-34 LUCAS 12:22-34 E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre

Leia mais

O tempo barroco O tempo barroco designa todas as manifestações artísticas do século XVII e inícios do século XVIII. Politicamente, estes séculos foram marcados por regimes absolutistas. Luís XIV foi o

Leia mais

Idade Média. Barroco RENASCIMENTO. Prof. Vinicius Rodrigues

Idade Média. Barroco RENASCIMENTO. Prof. Vinicius Rodrigues Idade Média, RENASCIMENTO Barroco e Prof. Vinicius Rodrigues LITERATURA MEDIEVAL Alta Idade Média TROVADORISMO (Século XI-XIV) Novelas de Cavalaria (PROSA) - O herói-cavaleiro carrega os ideias da Igreja

Leia mais

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus Paróquia de Barco Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus Missa com crianças Entrada: Linda noite, Linda noite Linda noite de Natal (bis) Introdução A imagem de Maria está aqui ao lado, porque hoje celebramos

Leia mais

VIAGEM A ESPANHA. Salamanca, Segóvia, Ávila e Toledo

VIAGEM A ESPANHA. Salamanca, Segóvia, Ávila e Toledo VIAGEM A ESPANHA Salamanca, Segóvia, Ávila e Toledo 02 a 06 de Outubro de 2012 Espanha é o segundo país do mundo com maior número de lugares declarados Património da Humanidade pela UNESCO. A lista inclui

Leia mais

PROFESSOR: Daniel. ALUNO (a): Data da prova: 09/05/15

PROFESSOR: Daniel. ALUNO (a): Data da prova: 09/05/15 GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 2 ano ALUNO (a): Data da prova: 09/05/15 No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2 BIMESTRE O Barroco - a arte que predominou

Leia mais

Saudai o Nome de Jesus! 1.Saudai o nome de Jesus; Ó anjos, vos prostrai. O Filho do glorioso Deus, Com glória coroai!

Saudai o Nome de Jesus! 1.Saudai o nome de Jesus; Ó anjos, vos prostrai. O Filho do glorioso Deus, Com glória coroai! ALL HAIL KING JESUS Salve! Rei Jesus Salve! Emanuel Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, A Brilhante Estrela da Manhã Por toda eternidade nós cantaremos Seus louvores E reinaremos com Ele por toda eternidade

Leia mais

Gregório de Matos Guerra. (Boca do Inferno)

Gregório de Matos Guerra. (Boca do Inferno) Usina de Açúcar Franz Post Barroco Século XVII - Bahia Gregório de Matos Guerra (Boca do Inferno) Lírico-Amoroso: estabelece um jogo oposições, apela para os sentidos, explora imagens fugidias para retratar

Leia mais

Artes visuais AULA 2 Arte Bizantina, Renascimento e Maneirismo Prof. André de Freitas Barbosa

Artes visuais AULA 2 Arte Bizantina, Renascimento e Maneirismo Prof. André de Freitas Barbosa Artes visuais AULA 2 Arte Bizantina, Renascimento e Maneirismo Prof. André de Freitas Barbosa Retrato dos Reis Magos na Basílica de Santo Apolinário (Ravena, Itália, séc. VI) A principal característica

Leia mais

Quinhentismo (Século XVI)

Quinhentismo (Século XVI) Aula 01 A Literatura no Período Colonial Brasileiro Estudar literatura é, basicamente, ampliar nossas habilidades de leitura do texto literário. No Ensino Médio, esse estudo é acrescido da história literária,

Leia mais

A Literatura no Período Colonial Brasileiro

A Literatura no Período Colonial Brasileiro Aula 01 A Literatura no Período Colonial Brasileiro Estudar literatura é, basicamente, ampliar nossas habilidades de leitura do texto literário. No Ensino Médio, esse estudo é acrescido da história literária,

Leia mais

O que faz do Natal tão especial? O nascimento de Jesus Cristo é o evento mais signicante da história da humanidade.

O que faz do Natal tão especial? O nascimento de Jesus Cristo é o evento mais signicante da história da humanidade. O que faz do Natal tão especial? O nascimento de Jesus Cristo é o evento mais signicante da história da humanidade. O que faz do Natal tão especial? Mas, quando chegou o tempo certo, Deus enviou o seu

Leia mais

Bíblia:- Sociedade no tempo de Jesus e sua Proposta AS RAÍZES DA POBREZA. Segunda Parte

Bíblia:- Sociedade no tempo de Jesus e sua Proposta AS RAÍZES DA POBREZA. Segunda Parte Bíblia:- Sociedade no tempo de Jesus e sua Proposta AS RAÍZES DA POBREZA Segunda Parte Lc 2,1-2 Mt 17,24-27 Mt 9,36 Lc 3,1 Mt 26,57 Mc 9,35-36 25 Colheitas 20 15 10 Pedágio e alfândega Anona 5 0 Jo 18,3-12

Leia mais

TERCEIRA SEMANA O PODER DA ORAÇÃO

TERCEIRA SEMANA O PODER DA ORAÇÃO TERCEIRA SEMANA O PODER DA ORAÇÃO Deus ouve e responde nossas orações. I A BASE DA ORACÃO: O NOME DE JESUS. E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho.

Leia mais

Síntese do Novo Testamento (Curso de Formação Ministerial, 2014) Prof. Marco Aurélio Correa

Síntese do Novo Testamento (Curso de Formação Ministerial, 2014) Prof. Marco Aurélio Correa 1 Evangelho de João Este evangelho tem 21 capítulos. Evangelho do Filho de Deus / Divino. 1 - Autor: João, o apóstolo, ele foi o último dos apóstolos a morrer. 2 - Data: Alguns escritores acreditam que

Leia mais

Natal e Reis. Conteúdo. Arquivo de letras de música 14 de Novembro de 2001

Natal e Reis. Conteúdo. Arquivo de letras de música 14 de Novembro de 2001 Natal e Reis Arquivo de letras de música 14 de Novembro de 2001 Conteúdo Neve......................... 2 Entrai pastores.................... 3 Foi na noite de Natal................ 4.............. 5 Oh

Leia mais

LITERATURA Prof. Jorge Alves

LITERATURA Prof. Jorge Alves LITERATURA Prof. Jorge Alves 1. Não é característica do Barroco a: 2. a) Preferência pelos aspectos científicos da vida. b) Tentativa de reunir, num todo, realidades contraditórias. c) Angústia diante

Leia mais

O PODER DA LITERATURA MORALIZADORA DE PADRE ANTÔNIO VIEIRA E O CONFLITO DO HOMEM BARROCO EM GREGÓRIO DE MATOS

O PODER DA LITERATURA MORALIZADORA DE PADRE ANTÔNIO VIEIRA E O CONFLITO DO HOMEM BARROCO EM GREGÓRIO DE MATOS O PODER DA LITERATURA MORALIZADORA DE PADRE ANTÔNIO VIEIRA E O CONFLITO DO HOMEM BARROCO EM GREGÓRIO DE MATOS Gisele Palmieri (UERJ) giselepalmieri@yahoo.com.br INTRODUÇÃO O presente trabalho tem por objetivo

Leia mais

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Edição oficial do CICLUMIG Flor do Céu De acordo com revisão feita pelo Sr. Luiz Mendes do Nascimento, zelador do hinário. www.mestreirineu.org 1 01 - DIVINO PAI

Leia mais

BARROCO. 1766 Aleijadinho projeta a Igreja de São Francisco de Assis.

BARROCO. 1766 Aleijadinho projeta a Igreja de São Francisco de Assis. 1. INTRODUÇÃO Historicismo 1523 Reforma Protestante de Lutero. 1541 Contra-Reforma Católica. 1542 Instaurada a Santa Inquisição pelo Concílio de Trento. 1600 Caravaggio pinta A Conversão de Santo Paulo.

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM Segunda-feira da 4ª Semana da Páscoa 1) Oração Ó Deus, que

Leia mais

DOMINGO IV DO ADVENTO

DOMINGO IV DO ADVENTO 65 DOMINGO IV DO ADVENTO LEITURA I 2 Sam 7, 1-5.8b-12.14a.16 O reino de David permanecerá eternamente na presença do Senhor Leitura do Segundo Livro de Samuel Quando David já morava em sua casa e o Senhor

Leia mais

Álvaro de Campos. Ricardo Reis. Alberto Caeiro

Álvaro de Campos. Ricardo Reis. Alberto Caeiro Entre pseudónimos, heterónimos, personagens fictícias e poetas mediúnicos contam-se 72 nomes, destes destacam-se 3 heterónimos Álvaro de Campos Ricardo Reis Alberto Caeiro Álvaro de Campos De entre todos

Leia mais

AS 4 COLUNAS DO MDA PROJETO PURÊ DE BATATAS

AS 4 COLUNAS DO MDA PROJETO PURÊ DE BATATAS AS 4 COLUNAS DO MDA PROJETO PURÊ DE BATATAS Esta é a primeira das 4 Colunas do MDA. Neste projeto, o objetivo principal é obter comunhão entre os irmãos das células, das redes e da Igreja, como um todo.

Leia mais

Grande é o Senhor, e digno de todo louvor na cidade do nosso Deus. (NVI) Sl 48.1

Grande é o Senhor, e digno de todo louvor na cidade do nosso Deus. (NVI) Sl 48.1 INTRODUÇÃO Grande é o Senhor, e digno de todo louvor na cidade do nosso Deus. (NVI) Sl 48.1 Grande é o SENHOR e mui digno de ser louvado, na cidade do nosso Deus.(RA) Sl 48.1 Deus está presente entre nós

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 3 Bimestre disciplina Gramática 1º EM Conteúdo: Texto / pronomes Carinhoso Meu coração Não sei por que Bate feliz Quando te vê E os meus olhos ficam

Leia mais

ESTUDO BÍBLICO I A SALVAÇÃO EM JESUS CRISTO SAMUEL CORNÉLIO

ESTUDO BÍBLICO I A SALVAÇÃO EM JESUS CRISTO SAMUEL CORNÉLIO ESTUDO BÍBLICO I A SALVAÇÃO EM JESUS CRISTO SAMUEL CORNÉLIO AGOSTO 2016 www.abracandoapalavra.org A Salvação em JESUS CRISTO Um Novo Nascimento De acordo com a Bíblia, O Santo, Eterno, Soberano e Todo

Leia mais

HTAU II Aula 5 Michelangelo Buonarrotti

HTAU II Aula 5 Michelangelo Buonarrotti BIBLIOGRAFIA BÁSICA: ARGAN, Giulio Carlo. Clássico anticlássico: o Renascimento de Brunelleschi a Brueguel. Tradução Lorenzo Mammi. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. LOTZ, Wolfgang. Arquitetura na

Leia mais

Encarte e letras disponíveis em Conheça mais esta inovação da MK Music. Uma empresa que pensa no futuro.

Encarte e letras disponíveis em  Conheça mais esta inovação da MK Music. Uma empresa que pensa no futuro. Todas as músicas foram editadas por Cem por Um Edições Encarte e letras disponíveis em WWW.ENCARTEDIGITALMK.COM.BR Conheça mais esta inovação da MK Music. Uma empresa que pensa no futuro. Ouça a Rádio

Leia mais

REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA

REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA CANTO DE ENTRADA SENHOR EIS AQUI O TEU POVO CANTO DE ENTRADA SENHOR EIS AQUI O TEU POVO Em D Em G C B 7 Senhor, eis aqui o teu povo/ Que vem implorar teu perdão/ Am B

Leia mais

Leito maculado quando o casamento se torna um empecilho para a Obra de Deus

Leito maculado quando o casamento se torna um empecilho para a Obra de Deus Leito maculado quando o casamento se torna um empecilho para a Obra de Deus Muitos jovens vêm se mostrando arredios aos trabalhos na sua Igreja após contraírem matrimônio. Quem antes era atuante no ministério

Leia mais

VIGÍLIA DE ORAÇÃO POR QUEM NOS MORREU

VIGÍLIA DE ORAÇÃO POR QUEM NOS MORREU VIGÍLIA DE ORAÇÃO POR QUEM NOS MORREU PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA HORA 2010-2011 P = Presidente: Aquele que preside à oração. Qualquer pessoa o pode fazer, desde que tenha gosto e capacidade para tal.

Leia mais

Entre Margens, 12.º ano. Fernando Pessoa. Ortónimo e heterónimos

Entre Margens, 12.º ano. Fernando Pessoa. Ortónimo e heterónimos Fernando Pessoa Ortónimo e heterónimos Motivos poéticos Fernando Pessoa. tensão sinceridade/fingimento, consciência/inconsciência, sentir/pensar;. intelectualização das emoções;. fingimento artístico;.

Leia mais

Terra Papagalli. José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta

Terra Papagalli. José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta Terra Papagalli José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta Terra Papagalli - Terra dos Papagaios. Nome dado ao Brasil em 1501. O livro é uma narrativa que conta, através da ótica de um degredado, a

Leia mais

«Simão, filho de João, tu amas-me?».

«Simão, filho de João, tu amas-me?». III Domingo da Páscoa «Simão, filho de João, tu amas-me?». Leitura dos Actos dos Apóstolos Actos 5, 27-32.40-41 Naqueles dias, o sumo sacerdote falou aos Apóstolos, dizendo: «Já vos proibimos formalmente

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos Mosteiro dos Jerónimos Guia de visita dos 6 aos 12 anos Serviço Educativo do Mosteiro dos Jerónimos/ Torre de Belém Bem-vindo ao Mosteiro dos Jerónimos A tua visita de estudo começa logo no Exterior do

Leia mais

HTAU II Aula 4 A Cidade Renascentista

HTAU II Aula 4 A Cidade Renascentista BIBLIOGRAFIA BÁSICA: ARGAN, Giulio Carlo. Clássico anticlássico: o Renascimento de Brunelleschi a Brueguel. Tradução Lorenzo Mammi. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. p. 55-88. BENEVOLO, Leonardo.

Leia mais