As mais-valias actuais e potenciais para as empresas resultantes da utilização da diversidade intravarietal da videira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As mais-valias actuais e potenciais para as empresas resultantes da utilização da diversidade intravarietal da videira"

Transcrição

1 Workshop Viticultura com futuro Auditório do Solar do IVDP - Régua, 06/03/2015 As mais-valias actuais e potenciais para as empresas resultantes da utilização da diversidade intravarietal da videira Elsa Gonçalves

2 Se existir variabilidade genética inter e intravarietal, então existe matéria-prima disponível para realizar a selecção no sentido dos actuais e dos futuros interesses da viticultura

3 Ensaios de Selecção de Videira (Junho 2014) Total: 165 Açores População Experimental de Clones (POP) Campo de Comparação Clonal (CCClo) População de Espera

4 Esquema geral da metodologia selecção e conservação da videira PROSPECÇÃO ALEATÓRIA (AMOSTRAGEM) DE GENÓTIPOS NAS VINHAS Diagnóstico sanitário (vírus) Conservação da variabilidade genética intravarietal em vasos POPULAÇÃO EXPERIMENTAL DE CLONES ( ) 1º Ciclo de Selecção CAMPOS DE COMPARAÇÃO CLONAL REGIONAIS 2º Ciclo de Selecção SELECÇÃO CLONAL (7 CLONES) (1) Conservação da variabilidade genética intravarietal (2) Quantificação da variabilidade genética (3) Selecção de um grupo de clones superiores material policlonal

5 Qual o critério de selecção?

6 Exemplo: Moscatel Graúdo Clone Rendimento (kg/planta), h 2 =0,72 Clone Peso bago(g), h 2 =0,73 clone Grau Brix, h 2 =0,493 MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS

7 Exemplo: Moscatel Graúdo Alguns componentes do aroma Clone Compostos terpénicos (mg/l), h 2 =0,46 Clone Hexanal (mg/l), h 2 =0,60 MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS MS

8 Exemplo: Aragonez Tolerantes ao stress abiótico: Avaliação da Temperatura da Superfície da Folha (SLT) - indicador do stress abiótico, esperando que clones mais tolerantes tenham menor temperatura da folha. Variabilidade genética significativa relativamente a esta característica (p<0.001) Os 15 genótipos menos tolerantes rank Clone EBLUP Predicted genotypic value 1clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C Os 15 genótipos mais tolerantes rank Clone EBLUP Predicted genotypic value 241clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C clone_C The research leading to these results has received funding from the European Union s Seventh Framework Programme for research, technological development and demonstration under grant agreement number , Project Innovine

9 Exemplo: Aragonez Clones EBLUP- Rank- EBLUP- Rank- EBLUP- Rank- Rank- EBLUP-Ant SLT SLT Yield Yield Brix Brix Ant EBLUP-Aci Rank-Aci clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c clone_c The research leading to these results has received funding from the European Union s Seventh Framework Programme for research, technological development and demonstration under grant agreement number , Project Innovine

10 ?

11 MATERIAL POLICLONAL Resultados

12 Características do material resultante da selecção massal genotípica (material policlonal, conjunto de 15 a 20 clones) -menor sensibilidade à interacção GxE -guarda alguma variabilidade genética na própria cultura -obtenção rápida e barata -permite ganhos elevados e previsíveis no acto da selecção 60 castas seleccionadas > 500ha de multiplicação > ha vinhas plantadas

13 Alfrocheiro Alvarelhão Alvarinho Amaral Antão Vaz Aragonez Arinto Arinto do Pico Avesso Azal Branco Baga Bastardo Bical Borraçal Camarate Castelão 60 CASTAS COM MATERIAL POLICLONAL 500ha de multiplicação > ha vinhas plantadas Cercial Cercial do Douro Encruzado Espadeiro Fernão Pires Fonte Cal Grenache Jaen Jampal Loureiro Malvasia de Colares Malvasia Fina Molar Moscatel de Setúbal Moscatel Galego Negra Mole Rabigato Rabo de Ovelha Ramisco Ratinho Sercial Síria Terrantez Tinta Barroca Tinta Caiada Tinta Francisca Tinta Miúda Tinto Cão Touriga Franca Touriga Nacional Trajadura Trincadeira Verdelho Vinhão Viosinho Vital

14 Ganhos genéticos de rendimento do material policlonal Casta Ganhos Genéticos previstos Casta Ganhos Genéticos previstos Alfrocheiro 16,7% Malvasia 15,3% Alvarelhão 12,7% Malvasia Fina 32,2% Alvarinho 21,5% Moscatel Graúdo 17,3% Amaral 24,0% Moscatel-Galego-Branco 32,1% Antão Vaz 31,9% Negra Mole 46,0% Aragonez 20,3% Rabigato 30,3% Arinto 15,6% Rabo de Ovelha 25,0% Avesso 9,4% Ramisco 11,8% Azal Branco 20,2% Ratinho 14,0% Baga 17,6% Rufete 42,1% Bastardo 30,4% Sercial 91,4% Bical 19,3% Síria 29,0% Borraçal 16,9% Tinta Barroca 11,6% Camarate 17,6% Tinta Caiada 40,5% Castelão 14,0% Tinta Francisca 31,9% Cercial-Branco 16,6% Tinta Miúda 30,9% Dona Maria 22,9% Tinto Cão 11,6% Encruzado 10,3% Touriga Franca 1,6% Espadeiro 10,8% Touriga Nacional 34,4% Fernão Pires 17,6% Trajadura 43,1% Fonte Cal 14,0% Trincadeira 13,8% Jaen 5,9% Vinhão 17,8% Jampal 26,7% Viosinho 30,9% Loureiro 38,7% Vital 33,7% 14

15 Onde obter material policlonal? Muitas parcelas de multiplicação estão em empresas (na sua maioria associadas da PORVID), cujas parcelas são inscritas por vários viveiristas Viveiristas: VitiOeste, Pierre Boyer, Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão, Direcção Regional de Agricultura do Norte PORVID Parcelas de multiplicação no Pólo Experimental de Pegões Para os sócios, criar-se-á um processo de fornecimento dedicado obedecendo aos critérios particulares da empresa

16 No Pólo Experimental de Conservação da Diversidade da Videira da PORVID existem actualmente 12,38 ha de parcelas de material policlonal de 13 castas Casta Área (ha) Antão Vaz 0,29 Jampal 0,1 Moscatel Graúdo 4,72 Rabo de Ovelha 0,1 Vital 0,1 Alfrocheiro 0,23 Castelão 4,09 Tinta Barroca 0,2 Tinta Miúda 0,91 Touriga Nacional 1,02 Touriga Franca 0,34 Trincadeira 0,2 Vinhão 0,08

17 SELECCÃO CLONAL Resultados 17

18 24 castas com clones seleccionados ( ) >35 ha de parcelas produtoras de materiais certificado, em 13 viveiristas

19 A presença da interacção genótipo X ambiente é um dos maiores problemas da selecção clonal N. Mole POP CCClo CCClo POP CCClo CCClo CCClo Herit.(%) 52,4 72,8 80,2 62,1 71,3 58,8 56,5 Méd.R.(Kg/pl) 1,07 1,13 1,7 1,99 2,69 3,15 3,69 Ordem Ensaio Lg. 89 Ll. 94 Ll. 98 Lg. 90 Ll. 97 Ll. 95 Ll

20 Como lidar com a interacção? Da parte do seleccionador seleccionar clones menos sensíveis seleccionar vários clones, até cerca de 7 seleccionar material policlonal Da parte do viticultor usar misturas de clones, até 7 usar material policlonal (grupos de clones)

21 Clones obtidos, de 13 castas Alvarinho Aragonez Arinto Castelão Fernão Pires Jaen Loureiro Malvasia Fina Síria Touriga Nacional Trajadura Trincadeira Vinhão

22 CASTA: ARINTO Arinto B clone 36 EAN (PT) Arinto B clone 37 EAN (PT) Arinto B clone 38 EAN (PT) Arinto B clone 39 EAN (PT) Arinto B clone 40 EAN (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 40 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 42,9%. CLONE: 36 EAN (PT) Clone com muito bom rendimento, com teor em álcool bom e acidez total média. CLONE: 37 EAN (PT) Clone com rendimento médio, com teor em álcool muito bom e acidez total inferior à média. CLONE: 38 EAN (PT) Clone com rendimento moderado, muito bom teor em álcool e acidez total média. CLONE: 39 EAN (PT) Clone com rendimento excelente, muito bom teor em álcool e acidez total média. Bom resultado na microvinificação. CLONE: 40 EAN (PT) Clone com rendimento médio, muito bom teor alcoólico e acidez total baixa.

23 CASTA: FERNÃO PIRES Fernão Pires B clone 68 EAN (PT) Fernão Pires B clone 69 EAN (PT) Fernão Pires B clone 70 EAN (PT) Fernão Pires B clone 71 EAN (PT) Fernão Pires B clone 72 EAN (PT) Fernão Pires B clone 73 EAN(PT) Fernão Pires B clone 74 EAN (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 35 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média original da casta, de 18,0%. CLONE: 68 EAN (PT) Clone com muito bom rendimento, com boa estabilidade ambiental, muito bom teor alcoólico e acidez total ligeiramente abaixo da dos restantes. CLONE: 69 EAN (PT) Clone com rendimento médio, excelente teor em álcool provável, acidez abaixo da média. CLONE: 70 EAN (PT) Clone com rendimento muito bom, teor em álcool muito bom, mas acidez abaixo da média. CLONE: 71 EAN (PT) Clone com rendimento ligeiramente acima da média, álcool muito bom e acidez abaixo da média. CLONE: 72 EAN (PT) Clone com excelente rendimento, teor em álcool bom e acidez total abaixo da média. CLONE: 73 EAN (PT) Clone com rendimento médio, teor de álcool abaixo da média mas com acidez total elevada. CLONE: 74 EAN (PT) Clone com bom rendimento, com bom teor em álcool provável mas acidez abaixo da média.

24 CASTA: CASTELÃO Castelão T clone 29 EAN (PT) Castelão T clone 30 EAN (PT) Castelão T clone 31 EAN (PT) Castelão T clone 32 EAN (PT) Castelão T clone 33 EAN (PT) As apreciações comparativas têm como referência o conjunto de 33 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que transporta um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 13,4%. CLONE: 29 EAN (PT) Clone com muito bom rendimento, teor alcoólico elevado, acidez total média, com elevado teor em antocianas. CLONE: 30 EAN (PT) Clone com rendimento médio, com um bom equilíbrio de características qualitativas. CLONE: 31 EAN (PT) Clone muito bom em rendimento, bom teor em álcool e acidez total, com elevado teor em antocianas. CLONE: 32 EAN (PT) Clone com bom rendimento, teores em álcool e em acidez total médios, teores em antocianas e fenóis elevados. CLONE: 33 EAN (PT) Clone com bom rendimento, teor elevado em álcool e em acidez total, elevado teor em fenóis.

25 CASTA: TOURIGA NACIONAL Touriga Nacional T clone 17 ISA (PT) Touriga Nacional T clone 18 ISA (PT) Touriga Nacional T clone 19 ISA (PT) Touriga Nacional T clone 20 ISA (PT) Touriga Nacional T clone 21 ISA (PT) Touriga Nacional T clone 22 ISA (PT) Touriga Nacional T clone 23 ISA (PT) As apreciações comparativas têm como referência o conjunto de 25 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que transporta um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 30,0%. CLONE 17 Clone que revela um potencial de rendimento médio, com excelente adaptação ambiental, teor alcoólico muito bom e acidez total moderada. CLONE 18 Clone que se destaca pelo seu excelente rendimento, com teores em álcool e em acidez total moderados, bem adaptado a ambientes propícios a alto rendimento, onde pode revelar toda a sua potencialidade. CLONE 19 Clone que se evidencia pelo muito bom rendimento, bom teor em álcool e acidez total média. CLONE 20 Clone que revela um bom rendimento e uma acidez total intermédia. CLONE 21 Clone que evidencia um rendimento médio, com um excelente teor alcoólico e uma boa acidez total. CLONE 22 Clone que se destaca pelo seu excelente rendimento, com boa estabilidade ambiental, riqueza alcoólica moderada e boa acidez total. CLONE 23 Clone com rendimento médio, relativamente estável, com teores padrão de álcool e acidez.

26 CASTA: ARAGONEZ Aragonez T clone 54 EAN (PT) Aragonez T clone 55 EAN (PT) Aragonez T clone 56 EAN (PT) Aragonez T clone 57 EAN (PT) Aragonez T clone 58 EAN (PT) Aragonez T clone 59 EAN (PT) Aragonez T clone 60 EAN (PT) As apreciações comparativas têm como referência o conjunto de 40 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 21,0%. CLONE 54 Clone que se caracteriza pelo seu bom rendimento, muito bom teor alcoólico e muito boa acidez total. Mostra-se excelente nos parâmetros que determinam a cor (antocianas e fenóis totais), com bagos pequenos, o que é evidenciado pelo seu baixo peso médio do bago. CLONE 55 Clone com rendimento médio, destacando-se pelo seu muito bom teor em álcool e intensidade da cor elevada. A acidez total é moderada. CLONE 56 Clone que evidencia um bom rendimento e muito equilibrado em todos os outros parâmetros. Clone especialmente adaptado a bons ambientes onde poderá mostrar todo o seu potencial. CLONE 57 Clone que se destaca pelo seu excelente rendimento, evidenciando ainda um excelente grau alcoólico, com uma acidez total intermédia e muito bom valor dos parâmetros da cor. CLONE 58 Clone com bom rendimento, com excelente teor alcoólico, boa acidez total, excelente nos parâmetros da côr. CLONE 59 Clone caracterizado por um rendimento médio, bom teor alcoólico, acidez total intermédia, com muito bom comportamento nos parâmetros da cor. CLONE 60 Clone com rendimento médio, teor alcoólico médio, baixa acidez mas que se mostra muito bom nos parâmetros da cor.

27 CASTA: TRINCADEIRA Trincadeira T clone 10 EAN (PT) Trincadeira T clone 11 EAN (PT) Trincadeira T clone 12 EAN (PT) Trincadeira T clone 13 EAN (PT) Trincadeira T clone 14 EAN (PT) Trincadeira T clone 15 EAN (PT) As apreciações comparativas têm como referência o conjunto de 40 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 12,3%. CLONE 10 Clone que se caracteriza por apresentar um bom rendimento, com teor alcoólico médio, acidez total média e bom teor em substâncias da cor. CLONE 11 Clone que se evidencia pelo bom rendimento, um excelente teor em álcool provável, uma acidez total média e bom teor de antocianas. CLONE 12 Clone que se destaca pelo seu excelente rendimento, boa estabilidade ambiental, com teor alcoólico intermédio, com um teor de acidez total média e teor médio em substâncias da cor. CLONE 13 Clone com rendimento médio, revelando um bom potencial em álcool, uma acidez total média e antocianas de valor médio. CLONE 14 Clone caracterizado pelo seu muito bom rendimento, muito bom teor em álcool, uma acidez total média, e teores elevados em antocianas e fenóis totais. CLONE 15 Clone que se destaca pelo excelente rendimento e estabilidade ambiental, com teores em álcool e em acidez total intermédios e bons teores de antocianas e fenóis totais.

28 CASTA: SÍRIA Síria B clone 75 EAN (PT) Síria B clone 76 EAN (PT) Síria B clone 77 EAN (PT) Síria B clone 78 EAN (PT) Síria B clone 79 EAN (PT) Síria B clone 80 EAN (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 40 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 26,9%. CLONE 75 Clone que revela um bom rendimento, um teor alcoólico médio e acidez total média. CLONE 76 Clone que se evidencia pelo seu bom muito bom rendimento, bom teor alcoólico e bom teor em acidez total, muito equilibrado em todos os parâmetros de qualidade. CLONE 77 Clone que mostra um rendimento moderado, muito bom teor alcoólico, e teor médio de acidez total. CLONE 78 Clone que se destaca pelo seu muito bom rendimento, bom teor alcoólico, e boa acidez total. CLONE 79 Clone que se evidencia pelo seu muito bom rendimento e boa estabilidade ambiental, com um grau alcoólico médio e uma acidez total moderada. CLONE 80 Clone caracterizado pelo seu muito bom rendimento e boa estabilidade ambiental, grau alcoólico médio e acidez total intermédia.

29 CASTA: JAEN Jaen T clone 91 ISA (PT) Jaen T clone 92 ISA (PT) Jaen T clone 93 ISA (PT) Jaen T clone 94 ISA (PT) Jaen T clone 95 ISA (PT) Jaen T clone 96 ISA (PT) Jaen T clone 97 ISA (PT) As apreciações comparativas têm como referência o conjunto de 38 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 4,2%. CLONE 91 Clone que se destaca por apresentar bom rendimento, com boa estabilidade ambiental, com um excelente teor de álcool e de antocianas e teor de acidez total acima da média. CLONE 92 Clone que se caracteriza por ter um bom rendimento, um teor alcoólico intermédio, com teor de antocianas e um Índice de Folin excelentes. CLONE 93 Clone com bom rendimento, muito bom teor de álcool provável e acidez total ligeiramente abaixo da média, com excelente teor em antocianas. CLONE 94 Clone que se destaca por apresentar um excelente rendimento e boa estabilidade ambiental, teor alcoólico abaixo da média da casta, com excelente teor de antocianas. CLONE 95 Clone que revela excelentes rendimento e estabilidade ambiental, com boa adaptação geral, teor em álcool intermédio, com muito bom teor de acidez total e bom teor de antocianas. CLONE 96 Clone que se destaca por possuir um bom rendimento, muito bom teor alcoólico, boa acidez total e bom teor em antocianas. CLONE 97 Clone que evidencia um excelente rendimento, revelando grande estabilidade ambiental e boa adaptação geral, com um grau alcoólico relativamente baixo, mas com excelente teor em acidez total e bom teor em antocianas.

30 CASTA: VINHÃO Vinhão T clone 61 ISA (PT) Vinhão T clone 62 ISA (PT) Vinhão T clone 63 ISA (PT) Vinhão T clone 64 ISA (PT) Vinhão T clone 65 ISA (PT) Vinhão T clone 66 ISA (PT) Vinhão T clone 67 ISA (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 34 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 17%. CLONE 61 Clone que evidencia um rendimento médio, teor de álcool bom, com muito boa acidez total. CLONE 62 Clone que revela um rendimento médio, bom grau álcool provável e acidez total média. CLONE 63 Clone com rendimento médio, destacando-se pelo muito bom grau álcool e boa acidez total. CLONE 64 Clone com bom rendimento, bom teor em álcool e acidez total elevada. CLONE 65 Clone que mostra um bom rendimento, grau álcool médio e acidez total boa (teores baixos). CLONE 66 Clone que evidencia um muito bom rendimento, bom teor de álcool e acidez total excelente (o de menor valor). CLONE 67 Clone com bom rendimento, com teor de álcool baixo e acidez total muito boa (teores baixos).

31 CASTA: MALVASIA FINA Malvasia Fina B clone 98 ISA (PT) Malvasia Fina B clone 99 ISA (PT) Malvasia Fina B clone 100 ISA (PT) Malvasia Fina B clone 101 ISA (PT) Malvasia Fina B clone 102 ISA (PT) Malvasia Fina B clone 103 ISA (PT) Malvasia Fina B clone 104 ISA (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 40 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 30,8%. CLONE 98 Rendimento acima da média, preferindo ambientes de elevado potencial para melhor expressão do mesmo, bom teor alcoólico e acidez média. CLONE 99 Bom rendimento, bom álcool e com teor médio de acidez. CLONE 100 Excelente teor alcoólico, boa estabilidade ambiental do rendimento. Rendimento e teores de acidez e ph médios. CLONE 101 Rendimento bom, estabilidade ambiental do rendimento intermédia, com teores de acidez próximos da média. CLONE 102 Rendimento excelente e boa estabilidade ambiental, álcool médio, bom teor de acidez (acima da média). CLONE 103 Excelente rendimento e boa estabilidade, bom grau álcool e acidez e ph equilibrados. CLONE 104 Melhor em acidez e estabilidade ambiental do rendimento e acima da média nos restantes parâmetros.

32 CASTA: ALVARINHO Alvarinho B clone 44 ISA (PT) Alvarinho B clone 45 ISA (PT) Alvarinho B clone 46 ISA (PT) Alvarinho B clone 47 ISA (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 35 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 23,2%. CLONE 44 Clone que se evidencia pelo seu bom rendimento e bom teor em álcool, com uma acidez total correcta (teores medianos). CLONE 45 Clone que se destaca pelo seu excelente rendimento e boa estabilidade ambiental, com grau álcool intermédio e acidez total elevada. CLONE 46 Clone que revela excelente rendimento, teor de álcool provável muito bom e acidez total muito boa (teores baixos). CLONE 47 Clone com excelente redimento, boa estabilidade ambiental, com teor de álcool intermédio e acidez total boa (com teores baixos).

33 CASTA: LOUREIRO Loureiro B clone 81 ISA (PT) Loureiro B clone 82 ISA (PT) Loureiro B clone 83 ISA (PT) Loureiro B clone 84 ISA (PT) Loureiro B clone 85 ISA (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 36 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 35,7%. CLONE 81 Clone com bom rendimento, bom teor alcoólico e acidez total moderada. CLONE 82 Clone que revela um rendimento bom, com excelente teor de álcool e acidez total muito boa. CLONE 83 Clone com bom rendimento, muito bom grau álcool e acidez total muito boa. CLONE 84 Clone com bom rendimento, grau álcool muito bom e acidez total muito boa. CLONE 85 Clone com bom rendimento e muito boa estabilidade ambiental, teor de álcool muito bom e acidez total intermédia.

34 CASTA: TRAJADURA Trajadura B clone 86 ISA (PT) Trajadura B clone 87 ISA (PT) Trajadura B clone 88 ISA (PT) Trajadura B clone 89 ISA (PT) Trajadura B clone 90 ISA (PT) As apreciações comparativas têm como base a média do conjunto de 36 clones presentes nos campos de comparação clonal, isto é, um conjunto já anteriormente seleccionado, que proporciona um ganho de rendimento estimado, em relação à média inicial da casta, de 19,2%. CLONE 86 Clone com um rendimento moderado, revelando um excelente teor alcoólico, com uma acidez total intermédia. CLONE 87 Clone com bom rendimento, boa estabilidade ambiental, com excelente teor de álcool e bom nível de acidez total (baixa). CLONE 88 Clone que revela um rendimento muito bom, teor de álcool muito bom e acidez total elevada. CLONE 89 Clone que se destaca pelo seu muito bom rendimento, teor alcoólico moderado e acidez total elevada. CLONE 90 Clone de excelente rendimento, bom teor de álcool e acidez total elevada.

35 Viveiristas com material certificado seleccionado pela PORVID: António Monteiro CVRVV F.F.Monteiro Horta Monteiro José Carlos Monteiro Marques Herdeiros Mercier Orlando Leal Ferreira P.Boyer Plancert Plansel Plantivet VitiNorte VitiOeste

36 Clones a submeter a homologação em 2015 pela PORVID, de 11 castas Alfrocheiro Alvarelhão Antão Vaz Baga Camarate Negra Mole Rabo de Ovelha Tinta Francisca Tinta Miúda Tinto Cão Touriga Franca

37 Clones a seleccionar no imediato para registo em 2017, de 10 castas Viosinho Rabigato Vital Moscatel Galego Branco Moscatel Graúdo Ratinho Avesso Azal Branco Borraçal Rufete

38 Castas a iniciar a selecção em 2016 (prospecção em 2015 e anos seguintes) Códega do Larinho Uva Cão Moreto Gouveio Alicante Bouschet?

Forum Anual dos Vinhos de Portugal A BIODIVERSIDADE NAS CULTURAS-BASE DA CADEIA ALIMENTAR (CASTAS E CLONES)

Forum Anual dos Vinhos de Portugal A BIODIVERSIDADE NAS CULTURAS-BASE DA CADEIA ALIMENTAR (CASTAS E CLONES) Forum Anual dos Vinhos de Portugal Palácio da Bolsa, Porto A BIODIVERSIDADE NAS CULTURAS-BASE DA CADEIA ALIMENTAR (CASTAS E CLONES) J.E. Eiras Dias, A. Graça, A. Martins 28 de Novembro de 2012 Variedades

Leia mais

SELECÇÃO DA VIDEIRA. Guia para escolha de materiais (clones)a plantar

SELECÇÃO DA VIDEIRA. Guia para escolha de materiais (clones)a plantar SELECÇÃO DA VIDEIRA Guia para escolha de materiais (clones)a plantar SELECÇÃO GENÉTICA E SANITÁRIA EM FAVOR DA VITICULTURA PORTUGUESA: 4ª DÉCADA A Associação Portuguesa para a Diversidade da Videira (PORVID)

Leia mais

CASTAS PORTUGUESAS um património único!

CASTAS PORTUGUESAS um património único! CASTAS PORTUGUESAS um património único! UTAD Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Vila Real I 19 de abril de 2012 Paulo Costa I paulo.costa@advid.pt Sumário: A ADVID, breves referências Evolução

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DO SECTOR VIVEIRISTA VITÍCOLA

CARACTERIZAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DO SECTOR VIVEIRISTA VITÍCOLA CARACTERIZAÇÃO DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DO SECTOR VIVEIRISTA VITÍCOLA Ricardo ANDRADE VITICERT Rua Cândido dos Reis, 1 Polígono do IVV 2560-312 TORRES VEDRAS geral@viticert.mail.pt RESUMO O sector viveirista

Leia mais

Título da apresentação. Lisboa, Fevereiro 2009

Título da apresentação. Lisboa, Fevereiro 2009 Título da apresentação Lisboa, Fevereiro 2009 Principais castas portuguesas Espadeiro Tintas Trincadeira Touriga Nacional Jaen Castelão Touriga Franca Baga Alfroncheiro Moreto Tinta Negra Tinta Barroca

Leia mais

Workshop Viticultura com Futuro. Régua Antero Martins

Workshop Viticultura com Futuro. Régua Antero Martins Workshop Viticultura com Futuro. Régua 06.03.2015 Antero Martins Do título: Associação Portuguesa para a Diversidade da Videira, o actor institucional das acções alvo deste worshop Associação dos Viticultores

Leia mais

POTENCIAL AGRONÓMICO DA CASTA TOURIGA NACIONAL

POTENCIAL AGRONÓMICO DA CASTA TOURIGA NACIONAL POTENCIAL AGRONÓMICO DA CASTA TOURIGA NACIONAL NUNO MAGALHÃES ANA ALEXANDRA OLIVEIRA UTAD AS REFERÊNCIAS AO CULTIVO DA CASTA TOURIGA NACIONAL SURGEM A PARTIR DO SEC. XVIII Lacerda Lobo (1790) faz referência

Leia mais

REGIÕES VITÍCOLAS PORTUGUESAS E PRINCIPAIS VARIEDADES. Nuno Magalhães

REGIÕES VITÍCOLAS PORTUGUESAS E PRINCIPAIS VARIEDADES. Nuno Magalhães REGIÕES VITÍCOLAS PORTUGUESAS E PRINCIPAIS VARIEDADES Nuno Magalhães 01.03.2012 REGIÕES VITIVINÍCOLAS MINHO,TRANSMONTANO, DURIENSE BEIRAS (DO DÃO e DO LAFÕES) TEJO, LISBOA,ALENTEJANO PENINSULA DE SETUBAL,

Leia mais

Vertice Reserva Bruto 10 Trás-Os-Montes 25,00

Vertice Reserva Bruto 10 Trás-Os-Montes 25,00 GRANDES ESCOLHAS VINHO BRANCO Soalheiro Reserva Alvarinho 13 Minho 45,00 Redoma Rabigato, Códega, Viosinho, Donzelinho & Gouveio 14 Douro 31,00 Campolargo Cerceal 14 Bairrada 40,00 Qta dos Carvalhais Reserva

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DOURO

CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DOURO ESTUDO DA EVOLUÇÃO DA MATURAÇÃO - 2009 CENTRO DE ESTUDOS VITIVINÍCOLAS DO DOURO José Joaquim Guerra Enologia - 10 de Dezembro de 2009 ÍNDICE A. Introdução. Objectivos... 3 B. Material e Métodos... 3 C.

Leia mais

Importância da utilização de plantas de qualidade

Importância da utilização de plantas de qualidade DIREÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO Importância da utilização de plantas de qualidade Anabela Andrade DAAP, Divisão de Apoio à Agricultura e Pescas, 2014 Com uma área total de 240.000 hectares

Leia mais

A VINHA E O VINHO: Inovação e Competitividade do Sector. As Castas dos Vinhos do Alentejo

A VINHA E O VINHO: Inovação e Competitividade do Sector. As Castas dos Vinhos do Alentejo ATEVA Associação Técnica dos Viticultores do Alentejo VINIPAX Experiências a Sul A VINHA E O VINHO: Inovação e Competitividade do Sector As Castas dos Vinhos do Alentejo Francisco Mata Parque de Feiras

Leia mais

Tel Fax

Tel Fax WINE PORTFOLIO PREMIUM VINHO DO PORTO ADEGA DE COLARES A SERENADA HERDADE DA AJUDA QUINTA PENEDO DO SALTO QUINTA DO SOBREIRÓ DE CIMA QUINTA DA FIRMIDÃO HERDADE DA AMENDOEIRA ALENTEJO & DOURO PORTO SINTRA

Leia mais

Prospecção das castas antigas na região da Beira Interior

Prospecção das castas antigas na região da Beira Interior Prospecção das castas antigas na região da Beira Interior BEIRA INTERIOR Prospeção e conservação em larga escala da diversidade das castas antigas de videira em Portugal BEIRA INTERIOR AREA DE INFLUÊNCIA

Leia mais

Região Vitivinícola do Algarve

Região Vitivinícola do Algarve Região Vitivinícola do Algarve Região Vitivinícola do Algarve 1 Índice 1. Introdução pág. 3 2. Caracterização da região pág. 3 3. Castas pág. 4 4. Tipos de vinhos pág. 4 5. Rótulos premiados pág. 5 6.

Leia mais

MUX MUX MUXAGAT TINTA BARROCA

MUX MUX MUXAGAT TINTA BARROCA MUX BRANCO / WHITE Castas/Grape Varieties: Rabigato, Field Blend de Castas antigas. Enólogo/Winemaker: Mateus Nicolau de Almeida Álcool / Alcohol: 13% MUX TINTO / RED Ano/Year : 2009 Castas/Grape Varieties

Leia mais

Manual em caixas de 15 Kg Vinificação. cubas de aço inox. Estágio Maturação em cubas de aço inox durante 3 meses.

Manual em caixas de 15 Kg Vinificação. cubas de aço inox. Estágio Maturação em cubas de aço inox durante 3 meses. A Serenada Enoturismo integra duas parcelas de vinha: a vinha velha, plantada em 1961 e a nova em 2008. Os vinhos são frescos, minerais, complexos e elegantes. As vinhas situam-se a cerca de 10 km da orla

Leia mais

Espumantes Sparkling Wine. Champagnes

Espumantes Sparkling Wine. Champagnes Rei das Praias Rosé Filipa Pato Brut 3B Soalheiro Brut Rei das Praias Magnum Brut Espumantes Sparkling Wine Paul Bara Grand Rosé de Bouzy Paul Bara Spécial Club 2004 Paul Bara Spécial Club Rosé 2009 Champagnes

Leia mais

Vinho Verde Quinta de Gomariz Trás-os-Montes Encostas do Trogão Douro Vinilourenço Quinta de Cottas. Vinhos de Quinta

Vinho Verde Quinta de Gomariz Trás-os-Montes Encostas do Trogão Douro Vinilourenço Quinta de Cottas. Vinhos de Quinta Catálogo 2013 Projectos Pessoais Vinho Verde Astronauta Maria Saudade Sonhador Dão Quinta da Giesta Lisboa Escondido Fonte das Moças Astronauta Alentejo Vinhos de Quinta Vinho Verde Quinta de Gomariz Trás-os-Montes

Leia mais

CASTAS DO DÃO POTENCIAL VITÍCOLA E ENOLÓGICO

CASTAS DO DÃO POTENCIAL VITÍCOLA E ENOLÓGICO CASTAS DO DÃO POTENCIAL VITÍCOLA E ENOLÓGICO Plano de Acção Agro-Florestal para a Fileira Vitivinícola na Região Demarcada do Dão JORGE BRITES, VANDA PEDROSO, SÉRGIO MARTINS e CARLOS SILVEIRA DRAPC Centro

Leia mais

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVR Lisboa-Caderno Especificações DO ÓBIDOS final.pdf

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVR Lisboa-Caderno Especificações DO ÓBIDOS final.pdf I. NOME(S) A REGISTAR: Óbidos II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua Mouzinho

Leia mais

PORTUGUESE GRAPE VARIETIES SAVING A LOCAL UNIQUE HEIRLOOM FOR GLOBAL ADAPTATION. António Rocha Graça SOGRAPE VINHOS

PORTUGUESE GRAPE VARIETIES SAVING A LOCAL UNIQUE HEIRLOOM FOR GLOBAL ADAPTATION. António Rocha Graça SOGRAPE VINHOS PORTUGUESE GRAPE VARIETIES SAVING A LOCAL UNIQUE HEIRLOOM FOR GLOBAL ADAPTATION António Rocha Graça SOGRAPE VINHOS PORTUGAL Not a Mediterranean country......despite having Mediterranean climate in about

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS 2416 Diário da República, 1.ª série N.º 79 23 de Abril de 2009 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS Portaria n.º 426/2009 de 23 de Abril Ainda que os vinhos com direito ao uso

Leia mais

O Vinho do Porto. Eduardo Abade. Wine - Karen Kauffman. Simple. Wine. Centro de Estudos Vitivinícolas do Douro. Anadia 07Set06

O Vinho do Porto. Eduardo Abade. Wine - Karen Kauffman. Simple. Wine. Centro de Estudos Vitivinícolas do Douro. Anadia 07Set06 O Vinho do Porto Eduardo Abade Centro de Estudos Vitivinícolas do Douro Simple Wine Wine - Karen Kauffman Anadia 07Set06 Região Demarcada do Douro 1ª REGIÃO DEMARCADA E REGULAMENTADA DO MUNDO 1ª REGIÃO

Leia mais

ÍNDICE GRANDE DEGUSTAÇÃO DOS DE PORTUGAL 2016 PORTO ALEGRE - 13 DE ABRIL NOME DO PRODUTOR NÚMERO DE MESA AVELEDA 1 20 CAMINHOS CRUZADOS 2 21 PÁGINA CASA SANTOS LIMA - COMPANHIA DAS VINHAS 3 22 ESPORÃO

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS

DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS DIRECÇÃO REGIONAL DE AGRICULTURA E PESCAS DO CENTRO TABELA DE PREÇOS DE VENDA DE BENS - 2012 (AO ABRIGO DA LEI Nº 2/2004, DE 15 DE JANEIRO, COM A NOVA REDACÇÃO DADA PELA LEI Nº 51/2005, DE 30 DE AGOSTO)

Leia mais

CATÁLOGO DAS CASTAS REGIONAIS DA BAIRRADA

CATÁLOGO DAS CASTAS REGIONAIS DA BAIRRADA CATÁLOGO DAS CASTAS REGIONAIS DA BAIRRADA INTRODUÇÃO Este catálogo das castas regionais da Bairrada tem por finalidade, de uma forma simples mas objectiva, possibilitar a identificação e caracterização

Leia mais

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: Cad. especificações IG Alentejano final.pdf

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: Cad. especificações IG Alentejano final.pdf I. NOME(S) A REGISTAR: Alentejano II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal Endereço:

Leia mais

Sugestão. Suggestion. Fita Preta... Garrafa / Bottle 9,00 Caiado... Garrafa / Bottle 7,50

Sugestão. Suggestion. Fita Preta... Garrafa / Bottle 9,00 Caiado... Garrafa / Bottle 7,50 Sugestão Suggestion Fita Preta... Garrafa / Bottle 9,00 Caiado... Garrafa / Bottle 7,50 Vinhos a copo Wines by the glass Farias Vineyards 2014... Copo / Glass 3,00 Ilha do Pico Fita Preta 2014...Copo /

Leia mais

Índice. Index. Conceito 02. O Vinho 03. Vinho do Mês 04. Vinhos a Copo 05. Espumantes e Champagnes 07. Vinhos Biológicos 08

Índice. Index. Conceito 02. O Vinho 03. Vinho do Mês 04. Vinhos a Copo 05. Espumantes e Champagnes 07. Vinhos Biológicos 08 CARTA DE VINHOS Índice. Index Conceito 02 Concept O Vinho 03 The Wine Vinho do Mês 04 Wine of the month Vinhos a Copo 05 Wine by Glass Espumantes e Champagnes 07 Sparkling Wine and Champagnes Vinhos Biológicos

Leia mais

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVRLisboa-Caderno Especificações DO ALENQUER final.pdf

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES: Estatuto: Em anexo Nome do processo: CVRLisboa-Caderno Especificações DO ALENQUER final.pdf I. NOME(S) A REGISTAR: Alenquer II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua Mouzinho

Leia mais

PATO FRIO SELECTION. 37,5 cl: ,0 cl: 13.00

PATO FRIO SELECTION. 37,5 cl: ,0 cl: 13.00 PATO FRIO SELECTION Tipo: Branco Colheita: 2012 Região: Vidigueira Alentejo Portugal Castas: Antão Vaz, Arinto, Síria Enólogo: Paulo Laureano Produtor: Ribafreixo Engarrafado em : 2013 Produção: 40.000

Leia mais

I. NOMES(S) A REGISTAR: Península de Setúbal

I. NOMES(S) A REGISTAR: Península de Setúbal I. NOMES(S) A REGISTAR: Península de Setúbal II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal

Leia mais

ESPUMANTES. QUINTA DAS BÁGEIRAS Bruto Natural 2013... 16.00

ESPUMANTES. QUINTA DAS BÁGEIRAS Bruto Natural 2013... 16.00 ESPUMANTES QUINTA DAS BÁGEIRAS Bruto Natural 2013... 16.00 Branco. Castas: Maria Gomes, Baga. Alc: 12% Enólogo: Mário Sérgio Alves Nuno. Como todos os espumantes da Quinta das Bágeiras (Bairrada), este

Leia mais

Seleção de vinhos Wines Selection

Seleção de vinhos Wines Selection Seleção de vinhos Wines Selection Vinho a copo / Wine By the glass Espumante / Sparkling Champagne NC Extra Brut 8 Portugal Juvé Camps Cinta Purpura 8 Spain Charles Pelletier Rosé 10 France Vinho Rosé

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO MAR, DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO MAR, DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Diário da República, 1.ª série N.º 225 21 de novembro de 2012 6705 Artigo 49.º Regulamentação A regulamentação prevista no presente decreto -lei é aprovada no prazo de 180 dias a contar da publicação deste.

Leia mais

Caderno de Especificações IG Transmontano PGI-PT-A1467. I. NOME(S) A REGISTAR: Transmontano

Caderno de Especificações IG Transmontano PGI-PT-A1467. I. NOME(S) A REGISTAR: Transmontano I. NOME(S) A REGISTAR: Transmontano II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua

Leia mais

o m e l h o r v i n h o p o s s í v e l a o m e n o r p r e ç o p o s s í v e l

o m e l h o r v i n h o p o s s í v e l a o m e n o r p r e ç o p o s s í v e l o m e l h o r v i n h o p o s s í v e l a o m e n o r p r e ç o p o s s í v e l Visconte i m p o r t a ç ã o, e x p o r t a ç ã o e d i s t r i b u i ç ã o d e v i n h o s t e l : ( + 5 5 6 1 ) 3 3 4 0

Leia mais

Caderno de Especificações IG AÇORES PGI-PT- A1447. I. NOME(S) A REGISTAR: Açores

Caderno de Especificações IG AÇORES PGI-PT- A1447. I. NOME(S) A REGISTAR: Açores I. NOME(S) A REGISTAR: Açores II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Endereço: 5, Rua Mouzinho

Leia mais

CVRVV A REGIÃO DEMARCADA DOS VINHOS VERDES UM SÉCULO DE HISTÓRIA 48/72

CVRVV A REGIÃO DEMARCADA DOS VINHOS VERDES UM SÉCULO DE HISTÓRIA 48/72 CVRVV A REGIÃO DEMARCADA DOS VINHOS VERDES UM SÉCULO DE HISTÓRIA 48/72 À custa da sua antiguidade nesta Região e pelo facto de serem apenas cultivadas no NW ibérico, são consideradas autóctones. Por um

Leia mais

AS NOSSAS SUGESTÕES OUR SELECTION

AS NOSSAS SUGESTÕES OUR SELECTION AS NOSSAS SUGESTÕES OUR SELECTION FILOCO BRANCO 27,50 SONANTE 27,50 RIBEIRO SANTO Entrecruzado 27,50 LUÍS PATO (Vinhas Velhas) Bairrada 27,50 CASAL DE SANTA MARIA Clássico, Arinto, Chardonnay Colares 27,50

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO VINHOS DE PORTUGAL (Wines of Portugal Challenge) (2017)

REGULAMENTO DO CONCURSO VINHOS DE PORTUGAL (Wines of Portugal Challenge) (2017) REGULAMENTO DO CONCURSO VINHOS DE PORTUGAL (Wines of Portugal Challenge) (2017) O Concurso Vinhos de Portugal / Wines of Portugal Challenge 2017, adiante designado por CVdP ou WoP Challenge, decorrerá

Leia mais

VINHOS TINTOS RED WINES ESPUMANTES E CHAMPANHES CHAMPAGNES VINHOS ROSADOS ROSÉ WINES VINHOS BRANCOS WHITE WINES

VINHOS TINTOS RED WINES ESPUMANTES E CHAMPANHES CHAMPAGNES VINHOS ROSADOS ROSÉ WINES VINHOS BRANCOS WHITE WINES ESPUMANTES E CHAMPANHES CHAMPAGNES MINHO... P. 1 BAIRRADA... P. 1 BEIRA ATLÂNTICO... P. 1 TEJO... P. 2 BORGONHA... P. 2 CHAMPAGNE... P. 2-3 VINHOS ROSADOS ROSÉ WINES ALENTEJO... P. 4 SETÚBAL... P. 4 LISBOA...

Leia mais

Caderno de Especificações DO DoTejo PDO-PT-A1544. I. NOME(S) A REGISTAR: DoTejo

Caderno de Especificações DO DoTejo PDO-PT-A1544. I. NOME(S) A REGISTAR: DoTejo I. NOME(S) A REGISTAR: DoTejo II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal Endereço:

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DAS PESCAS 620 Diário da República, 1.ª série N.º 45 5 de Março de 2010 aquisição de serviços de prestação de cuidados de saúde, nas áreas da urologia, cirurgia cardiotorácica, ortopedia, cirurgia vascular e oftalmologia,

Leia mais

SANTA VITÓRIA. O aroma de um estilo de vida

SANTA VITÓRIA. O aroma de um estilo de vida EMPRESA A Casa de Santa Vitória éuma empresa do Grupo Vila Galé, um dos principais grupos hoteleiros portugueses. O negócio de produção de vinhos e azeites de qualidade, surge no final da década de 90

Leia mais

Vinhos Brancos White Wines. Vinhos Tintos Red Wines

Vinhos Brancos White Wines. Vinhos Tintos Red Wines Sabemos que a criação de uma Carta de Vinhos de excelência é uma tarefa difícil. É com enorme orgulho que apresentamos a nossa selecção, depois de um cuidadoso processo de prova dos melhores vinhos produzidos

Leia mais

EVOLUÇÃO DO ENCEPAMENTO DA REGIÃO DO DÃO

EVOLUÇÃO DO ENCEPAMENTO DA REGIÃO DO DÃO 1º CONGRESSO INTERNACIONAL DOS VINHOS DO DÂO EVOLUÇÃO DO ENCEPAMENTO DA REGIÃO DO DÃO L.C. CARNEIRO (1) ; Antero MARTINS (2) ; Vanda PEDROSO (3) 1. Instituto Nacional de Recursos Biológicos, I.P./L-INIA

Leia mais

1 3NOGUEIRA & Cie (BELGIUM) Chauss e de Jette Bruxelles - TVA

1 3NOGUEIRA & Cie (BELGIUM) Chauss e de Jette Bruxelles - TVA T l. 02 425 23 83 - fax 02 425 23 82 - info@nogueira.be - BNP-FORTIS n Ц 210-0522099-97 Frais de livraison : + 30 EUR (htva) pour toute commande en-dessous de 250 EUR (htva) Nous nous r servons le droit

Leia mais

PATO FRIO SELECTION. 37,5 cl: ,0 cl: 13.50

PATO FRIO SELECTION. 37,5 cl: ,0 cl: 13.50 PATO FRIO SELECTION Tipo: Branco Colheita: 2014 Região: Vidigueira Alentejo Portugal Castas: Antão Vaz, Arinto, Síria Enólogo: Paulo Laureano Produtor: Ribafreixo Engarrafado em : 2015 Produção: 40.000

Leia mais

!!!! Grande Escolha Herdade Fonte Paredes 2012 Regional Alentejano Vinho Branco! Região: Alentejo. Colheita: Castas: 100% Chardonnay.

!!!! Grande Escolha Herdade Fonte Paredes 2012 Regional Alentejano Vinho Branco! Região: Alentejo. Colheita: Castas: 100% Chardonnay. Grande Escolha Herdade Fonte Paredes 2012 Regional Alentejano Vinho Branco Colheita: 2012 Castas: 100% Chardonnay. Prova organoléptica: Cor citrina. Excelente intensidade e complexidade aromática lembrando

Leia mais

Caracterização Enológica de Castas Autóctones

Caracterização Enológica de Castas Autóctones Centro de Estudos Vitivinícolas do Douro Caracterização Enológica de Castas Autóctones Região Demarcada do Douro Vindima de 2008 Enologia Nov. 2009 Joaquim Guerra ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. MATERIAL E MÉTODOS

Leia mais

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES Estatuto: Em anexo Nome do processo: DO - Caderno Especificações DO Vinho Verde - final.pdf

III. CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES Estatuto: Em anexo Nome do processo: DO - Caderno Especificações DO Vinho Verde - final.pdf I. NOME(S) A REGISTAR: Vinho Verde II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, IP Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal Endereço:

Leia mais

RESTAURANTE. CERVEJARIA

RESTAURANTE. CERVEJARIA RESTAURANTE. CERVEJARIA Vinho da Casa house wine / vin maison Tinto Red/rouge A Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo fundada em 1956, por 154 sócios, conta atualmente com 800. Anualmente e

Leia mais

INTRODUÇÃO. Colaboradores:

INTRODUÇÃO. Colaboradores: INTRODUÇÃO Este catálogo agora editado, é o resultado de inúmeros ensaios e observações efectuadas nos campos experimentais do Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão e em vinhas da região, no período 1957-2000.

Leia mais

As vinhas estendem-se por uma área de 20 ha, o que nos permite obter uma produção de garrafas ano.

As vinhas estendem-se por uma área de 20 ha, o que nos permite obter uma produção de garrafas ano. A Quinta de Carapeços, Lda., produtora de Vinho Verde, é uma empresa familiar estabelecida apenas em 2003, apesar da produção de uvas de altíssima qualidade se verificar na propriedade há mais de 200 anos.

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de Decreto-Lei n.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de Decreto-Lei n. 2442 Diário da República, 1.ª série N.º 81 27 de Abril de 2009 Área geográfica de produção de vinho com IG «Tejo» Distrito Lisboa...................... Santarém................... Concelho Azambuja. Abrantes.

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Diário da República, 1.ª série N.º de Abril de Diário da República, 1.ª série N.º 76 18 de Abril de 2011 2335 Referência Nome principal Sinónimo reconhecido Cor 131 Fonte -Cal......................................... B 142 Gouveio..........................................

Leia mais

PONTVAL Vinhos. PONTVAL Vinhos

PONTVAL Vinhos. PONTVAL Vinhos PONTVAL Vinhos PONTVAL Vinhos Índice 1. A Companhia de Vinhos do Alandroal 3 2. Produção Vinícola 6 3. Vinhos 8 2 1. PLC - Companhia de Vinhos do Alandroal A PLC - Companhia de Vinhos do Alandroal A PLC

Leia mais

Herdade da Figueirinha

Herdade da Figueirinha Pinot Noir 2009 O Pinot Noir 2009 é um Vinho Regional Alentejano produzido a partir da casta Pinot Noir, de uvas provenientes da, situada na região de Beja. Apresenta cor rubi intensa, aroma frutado, menta,

Leia mais

Caracterização Enológica de Castas Autóctones do Douro ÍNDICE ABREVIATURAS. Colaboração

Caracterização Enológica de Castas Autóctones do Douro ÍNDICE ABREVIATURAS. Colaboração Caracterização Enológica de Castas Autóctones da Região do DOURO Joaquim Guerra Eduardo Abade DRAPN - Dezembro 8 Caracterização Enológica de Castas Autóctones do Douro ÍNDICE. INTRODUÇÃO... 3. MATERIAL

Leia mais

Contributo para o Estudo de Castas e Porta-Enxertos

Contributo para o Estudo de Castas e Porta-Enxertos Contributo para o Estudo de Castas e Porta-Enxertos Campos de Xisto e Granito - Numão Eduardo Abade Novembro 2009 ÍNDICE Índice de Gráficos... 3 INTRODUÇÃO... 4 1. MATERIAL E MÉTODOS... 5 1.1. Campos Experimentais...

Leia mais

CARTA DE VINHOS WINE LIST. O Vinho traz na essência, o que o seu mentor carrega na alma.

CARTA DE VINHOS WINE LIST. O Vinho traz na essência, o que o seu mentor carrega na alma. CARTA DE VINHOS WINE LIST O Vinho traz na essência, o que o seu mentor carrega na alma. Wine brings in its essence, what his mentor carries in the soul. VIDAGO PALACE HOTEL SN-08/2014 CARTA DE VINHOS Ìndice

Leia mais

*Acresce taxa de IVA em vigor 1

*Acresce taxa de IVA em vigor 1 QS 04 TINTO DOC DOURO CONSENSUAL GRANDE RESERVA 2003 É um vinho com boa concentração e muito bonito na cor. Aroma fino, com fruto limpo de amora e figo, fresco e floral com ligeiras notas balsâmicas. A

Leia mais

INSPECÇÃO DE MATERIAIS VITÍCOLAS SINOPSE -2012

INSPECÇÃO DE MATERIAIS VITÍCOLAS SINOPSE -2012 DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO AGROALIMENTAR, RURAL E LICENCIAMENTO - DIVISÃO DE APOIO Á AGRICULTURA E PESCAS INSPECÇÃO DE MATERIAIS VITÍCOLAS SINOPSE -2012 Autores: Anabela Andrade, Fernando Carranca,

Leia mais

Quinta da Bacalhôa. Bacalhôa. Tinto. Regional. Peninsula de Setúbal. 16 a 18ºC. Cabernet Sauvignon e Merlot. 14,5% vol

Quinta da Bacalhôa. Bacalhôa. Tinto. Regional. Peninsula de Setúbal. 16 a 18ºC. Cabernet Sauvignon e Merlot. 14,5% vol Quinta da Bacalhôa Peninsula 16 a 18ºC 14,5% vol Cabernet Sauvignon e Merlot Medalha de Bronze, Decanter World Wine Awards, 2013; Medalha de Bronze, International Wine Challenge, 2012; Medalha de Bronze,

Leia mais

PORTA-ENXERTOS RESULTADOS DA EXPERIMENTAÇÃO NA REGIÃO DO DÃO

PORTA-ENXERTOS RESULTADOS DA EXPERIMENTAÇÃO NA REGIÃO DO DÃO PORTA-ENXERTOS RESULTADOS DA EXPERIMENTAÇÃO NA REGIÃO DO DÃO Vanda PEDROSO (1) ; Sérgio MARTINS (1) ; Jorge BRITES (1) ; Alberto VILHENA (1) ; Isabel ANDRADE (2) ; João Paulo GOUVEIA (3) ; Carlos LOPES

Leia mais

. vinhos..

. vinhos.. . vinhos. Champagnes [090] [091] [092] [093] Mumm Cordon Rouge Brut (Maison G. H. Mumm) 45% Pinot Noir, 25% Pinot Meunier e 30% Chardonnay. Fresco de bolha abundante. Billecart-Salmon Brut Réserve (Maison

Leia mais

Como servir: Ideal para acompanhar pratos de carne, grelhados, queijos e pastas. Deve ser servido a uma temperatura de 14ºC a 16º C.

Como servir: Ideal para acompanhar pratos de carne, grelhados, queijos e pastas. Deve ser servido a uma temperatura de 14ºC a 16º C. Alentejo-pt sãopaulo-br ALENTEJO Syrah, Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional e Alicante Bouschet Grau de Teor Alcoólico: 13,5% Vinificação em depósitos de aço inox com controle da temperatura. Todas as

Leia mais

CARTA DE VINHOS WINE LIST. O Vinho traz na essência, o que o seu mentor carrega na alma.

CARTA DE VINHOS WINE LIST. O Vinho traz na essência, o que o seu mentor carrega na alma. CARTA DE VINHOS WINE LIST O Vinho traz na essência, o que o seu mentor carrega na alma. Wine brings in its essence, what his mentor carries in the soul. VIDAGO PALACE HOTEL SN-11/2013 CARTA DE VINHOS Ìndice

Leia mais

Nós provámos e pode confiar!! We tasted and you can trust us!!

Nós provámos e pode confiar!! We tasted and you can trust us!! Nós provámos e pode confiar!! We tasted and you can trust us!! Nesta página, apresentamos algumas sugestões de vinhos que nos surpreenderam e que acreditamos serem excelentes parceiros para acompanhar

Leia mais

ÍNDICE GRANDE DEGUSTAÇÃO DOS DE PORTUGAL 2016 CURITIBA - 11 DE ABRIL NOME DO PRODUTOR NÚMERO DE MESA AVELEDA 1 20 CALHEIROS CRUZ 8 30 PÁGINA CAMINHOS CRUZADOS 2 21 CASA AGRICOLA ALEXANDRE RELVAS 3 22 CASA

Leia mais

INSPEÇÃO DE MATERIAIS VITÍCOLAS SINOPSE -2013

INSPEÇÃO DE MATERIAIS VITÍCOLAS SINOPSE -2013 DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO AGROALIMENTAR, RURAL E LICENCIAMENTO - DIVISÃO DE APOIO À AGRICULTURA E PESCAS INSPEÇÃO DE MATERIAIS VITÍCOLAS SINOPSE -2013 Autores: Anabela Andrade, Fernando Carranca,

Leia mais

A COLECÇÃO DE ESTIRPES AUTÓCTONES DE SACCHAROMYCES CEREVISIAE DAS PRINCIPAIS REGIÕES VITIVINÍCOLAS PORTUGUESAS

A COLECÇÃO DE ESTIRPES AUTÓCTONES DE SACCHAROMYCES CEREVISIAE DAS PRINCIPAIS REGIÕES VITIVINÍCOLAS PORTUGUESAS A COLECÇÃO DE ESTIRPES AUTÓCTONES DE SACCHAROMYCES CEREVISIAE DAS PRINCIPAIS REGIÕES VITIVINÍCOLAS PORTUGUESAS E. VIEIRA 1,6 ; J. DRUMONDE-NEVES 1,5 ; R. MACHADO 1 ; P. SILVA 1 ; A.C. GOMES ; S. SOUSA

Leia mais

FÓRUM ANUAL VINHOS DE PORTUGAL

FÓRUM ANUAL VINHOS DE PORTUGAL FÓRUM ANUAL VINHOS DE PORTUGAL MERCADO NACIONAL & EXPORTAÇÕES CURIA PALACE HOTEL, 23 NOVEMBRO M A R I A J O Ã O D I A S I V V, I P 1. VINHA 2. VINHO 3. EXPORTAÇÕES VINHA DISTRIBUIÇÃO DA VINHA EM PORTUGAL

Leia mais

TEMOS ALGUNS VINHOS À COPO. WE ALSO HAVE SEVERAL WINES BY THE GLASS.

TEMOS ALGUNS VINHOS À COPO. WE ALSO HAVE SEVERAL WINES BY THE GLASS. TEMOS ALGUNS VINHOS À COPO. PODE SEMPRE DESFRUTAR OS VINHOS QUE TEMOS ABERTOS. WE ALSO HAVE SEVERAL WINES BY THE GLASS. ASK THE WAITER TO TASTE ONE OF OUR OPEN WINES. ESPUMANTES E CHAMPANHES * CHAMPAGNES

Leia mais

Vallado Douro Branco. Aroma: Floral e fruta bem madura com algumas notas de melão.

Vallado Douro Branco. Aroma: Floral e fruta bem madura com algumas notas de melão. Vallado Douro Branco Aroma: Floral e fruta bem madura com algumas notas de melão. Sabor: Vinho muito mineral e fresco, com sabor equilibrado e persistente com notas cítricas. Vinificação: As uvas, provenientes

Leia mais

VINHO VERDE D.O. PORTARIA N. 668/2010 DE 11 DE AGOSTO 2010

VINHO VERDE D.O. PORTARIA N. 668/2010 DE 11 DE AGOSTO 2010 VINHO VERDE D.O. PORTARIA N. 668/2010 DE 11 DE AGOSTO 2010 O Decreto -Lei n.º 263/99, de 14 de Julho, aprovou os Estatutos da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, actualizando diversas disposições relativas

Leia mais

- Estrutura orgânica. A região. Os números

- Estrutura orgânica. A região. Os números - Estrutura orgânica A região Os números COMISSÃO DE VITICULTURA DA REGIÃO DOS VINHOS VERDES A CVRVV foi criada em 1926 para regular a PRODUÇÃO e o COMÉRCIO do Vinho Verde. Actualmente é uma entidade certificadora

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TIPO DE PODA SOBRE O RENDIMENTO E QUALIDADE DA CASTA VERDELHO RESUMO

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TIPO DE PODA SOBRE O RENDIMENTO E QUALIDADE DA CASTA VERDELHO RESUMO ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TIPO DE PODA SOBRE O RENDIMENTO E QUALIDADE DA CASTA VERDELHO João Brazão 1, José A. Aguiar 2 RESUMO Com o intuito de estudar a influência de vários tipos de poda na casta Verdelho,

Leia mais

1. COMO SE FAZ UM VINHO 2 2. HISTÓRIA VINHO VERDE 3 4. HISTÓRIA DO DOURO 4 5. HISTÓRIA DO DÃO 8 6. HISTÓRIA DAS BEIRAS 10 1

1. COMO SE FAZ UM VINHO 2 2. HISTÓRIA VINHO VERDE 3 4. HISTÓRIA DO DOURO 4 5. HISTÓRIA DO DÃO 8 6. HISTÓRIA DAS BEIRAS 10 1 INDICE 1. COMO SE FAZ UM VINHO 2 2. HISTÓRIA VINHO VERDE 3 3. VINHOS VERDES DISPONÍVEIS 3 4. HISTÓRIA DO DOURO 4 A. VINHOS TINTOS DISPONÍVEIS 5 B. VINHOS BRANCOS DISPONÍVEIS 7 5. HISTÓRIA DO DÃO 8 A. VINHOS

Leia mais

Quinta da Bacalhôa. Bacalhôa. Tinto. Regional. Peninsula de Setúbal. 16 a 18ºC. Cabernet Sauvignon e Merlot. 14,5% vol

Quinta da Bacalhôa. Bacalhôa. Tinto. Regional. Peninsula de Setúbal. 16 a 18ºC. Cabernet Sauvignon e Merlot. 14,5% vol Quinta da Bacalhôa Peninsula 16 a 18ºC 14,5% vol Cabernet Sauvignon e Merlot Medalha de Bronze, Decanter World Wine Awards, 2013; Medalha de Bronze, International Wine Challenge, 2012; Medalha de Bronze,

Leia mais

tel: fax:

tel: fax: ENCOSTA DO SOBRAL - VINHO BRANCO 2008 CLASSIFICAÇÃO: Regional Tejo SUBREGIÃO: Tomar Tipo: Branco Ano: 2008 CASTAS: Fernão Pires (40%), Arinto (40%), Malvasia (20%) ANÁLISE SUMÁRIA: Teor alcoólico - 13%

Leia mais

Efeito da Aplicação do Bioestimulante

Efeito da Aplicação do Bioestimulante Efeito da Aplicação do Bioestimulante FitoAlgasSAPEC na descompactação dos cachos das castas Arinto e Trajadura Teresa Mota (EVAG) e Luís Simplício (ESAC) I Jornadas Vitivinícolas, 29 de Novembro de 2013

Leia mais

MEDALHA PLATINA MEDALHA DE OURO

MEDALHA PLATINA MEDALHA DE OURO MEDALHA PLATINA Vinho Região Ano Cor / Tipo Península de Bacalhôa Moscatel Setúbal 2013 Fortificado Blandy's Verdelho Madeira 1979 Fortificado MEDALHA DE OURO Vinho Região Ano Cor / Tipo Adriano Ramos

Leia mais

DECRETO LEI Nº. Os vinhos produzidos na região do Dão desfrutam de renome já secular, tendo a sua tipicidade sido legalmente reconhecida pela Carta

DECRETO LEI Nº. Os vinhos produzidos na região do Dão desfrutam de renome já secular, tendo a sua tipicidade sido legalmente reconhecida pela Carta DECRETO LEI Nº. Os vinhos produzidos na região do Dão desfrutam de renome já secular, tendo a sua tipicidade sido legalmente reconhecida pela Carta de Lei de 18 de Setembro de 1908, que delimitou a sua

Leia mais

RANKING DE VINHOS PORTUGUESES 2016 TOP 50 VINHO TIPO REGIÃO PRÉMIOS PONTOS

RANKING DE VINHOS PORTUGUESES 2016 TOP 50 VINHO TIPO REGIÃO PRÉMIOS PONTOS RANKING DE VINHOS PORTUGUESES 2016 TOP 50 VINHO TIPO REGIÃO PRÉMIOS PONTOS 1 Sandeman Porto Tawny 40 Years Old Port Tawny Douro 7 234.75 2 Horta Osorio H.O. Reserva Doc Douro 2012 Red Douro 8 227.75 3

Leia mais

GRANDE DEGUSTAÇÃO DOS VINHOS DE PORTUGAL. Ribeirão Preto - SP 03 de Setembro

GRANDE DEGUSTAÇÃO DOS VINHOS DE PORTUGAL. Ribeirão Preto - SP 03 de Setembro GRANDE DEGUSTAÇÃO DOS DE PORTUGAL 2014 Ribeirão Preto - SP 03 de Setembro ESQUEÇA O COMUM APROVEITE Indicações Geográficas & DOCs EUROPA 250 CASTAS AUTÓCTONES LISBOA 9 DOC Encostas de Aire 10 DOC Óbidos

Leia mais

WI N E I S S UN LI G HT, H E L D TO G E TH E R BY WATE R.

WI N E I S S UN LI G HT, H E L D TO G E TH E R BY WATE R. C E L L A R L I ST Minho (Vinho Verde) Zesty, zippy and fresh Douro Intense, mineral and complex Bairrada Light, f irm and grippy Beira Interior Dão Elegant, fruity and herby Lisboa Tejo Setubal Crisp,

Leia mais

AVINHEZ. Tipo: Vinho Branco 5 L Graduação: 9 % Vol. Observações Exame Visual: Exame Olfativo: Exame Gustativo:

AVINHEZ. Tipo: Vinho Branco 5 L Graduação: 9 % Vol. Observações Exame Visual: Exame Olfativo: Exame Gustativo: AVINHEZ Tipo: Vinho Branco 5 L Graduação: 9 % Vol. Engarrafador: JDA Jarros D`Alegria Vinhos Lda. Castas: Brancas Tradicionais Portuguesas. Vinificação: Vinificado partir das castas brancas tradicionais

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º de outubro de Artigo 2.º

Diário da República, 1.ª série N.º de outubro de Artigo 2.º Diário da República, 1.ª série N.º 199 12 de outubro de 2015 8841 Artigo 2.º Alteração à Portaria n.º 72/2014, de 17 de março O Anexo II a que se refere o artigo 5.º da Portaria n.º 72/2014, de 17 de março,

Leia mais

Cabeças do Reguengo Wijnen Rode wijn Cabeças do Reguengo Solstício ,15 Witte wijn Cabeças do Reguengo Equinocio ,75 26 vanaf 6

Cabeças do Reguengo Wijnen Rode wijn Cabeças do Reguengo Solstício ,15 Witte wijn Cabeças do Reguengo Equinocio ,75 26 vanaf 6 Alentejo Adega Cooperativa de Borba Wijnen Rode wijn Adega de Borba Premium Tinto 2014 10,44 Rode wijn Adega de Borba 'Rótulo Cortiça' Grande Reserva 2011 Tinto 20 Rode wijn Adega de Borba 'Rótulo Cortiça'

Leia mais

ADEGA DE BORBA BRANCO

ADEGA DE BORBA BRANCO ADEGA DE BORBA BRANCO Especificações Técnicas Região:Borba Alentejo Portugal Classificação:D.O.C. Alentejo Tipo:Branco Colheita:2014 Castas: Roupeiro, Arinto e Antão Vaz Solos:Argilo-calcários e xistosos

Leia mais

Caracterização de Castas Cultivadas na Região Vitivinícola de Trás-os-Montes. Sub-regiões de Chaves, Planalto Mirandês e Valpaços

Caracterização de Castas Cultivadas na Região Vitivinícola de Trás-os-Montes. Sub-regiões de Chaves, Planalto Mirandês e Valpaços Colecção Uma Agricultura com Norte Caracterização de Castas Cultivadas na Região Vitivinícola de Trás-os-Montes Sub-regiões de Chaves, Planalto Mirandês e Valpaços Mário Sousa Carlos Pereira Joaquim Guerra

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Região: Douro. Sub-Região: Douro Superior Ano: Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz.

FICHA TÉCNICA. Região: Douro. Sub-Região: Douro Superior Ano: Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz. CASTELL US TINTO DOC Da congregação das diversas castas desta região, nasce um vinho de cor intensa com um aroma a frutos vermelhos, verdadeiro néctar de alta qualidade. Região: Douro FICHA TÉCNICA Sub-Região:

Leia mais

SANDES ATUM PASTA DE ATUM E ALFACE, EM BAGUETE DE CEREAIS SALMÃO SALMÃO FUMADO, QUEIJO PHILADELPHIA E RÚCULA, EM BAGEL

SANDES ATUM PASTA DE ATUM E ALFACE, EM BAGUETE DE CEREAIS SALMÃO SALMÃO FUMADO, QUEIJO PHILADELPHIA E RÚCULA, EM BAGEL COUVERT CESTO DE PÃO 2,00 MANTEIGA 1,50 COUVERT 2,50 SANDES COMPONHA A SUA SANDES PÃO À ESCOLHA + INGREDIENTES BASE PÃO À ESCOLHA CADA INGREDIENTE QUEIJO FRESCO, QUEIJO CHEVRÉ, COGUMELOS, OVO, TOMATE,

Leia mais

I. NOMES(S) A REGISTAR: Palmela

I. NOMES(S) A REGISTAR: Palmela I. NOMES(S) A REGISTAR: Palmela II. DADOS RELATIVOS AO REQUERENTE: Nome e título do requerente: Instituto da Vinha e do Vinho, I.P. Estatuto jurídico: Instituto Público Nacionalidade: Portugal Endereço:

Leia mais

Regional Terras do Sado

Regional Terras do Sado Medalha Produtor Marca Côr Ano Origem Geográfica Direct Wine, Xisto Roquette e Cazes Tinto 2005 DOC Douro Vitória, Vitória Touriga Nacional Tinto 2007 Regional Alentejano s Abibes - s Vitivinicultura Abibes,

Leia mais

Poda de Inverno e Condução da vinha (Princípios da poda; tipos de poda)

Poda de Inverno e Condução da vinha (Princípios da poda; tipos de poda) Poda de Inverno e Condução da vinha (Princípios da poda; tipos de poda) Arcos de Valdevez, 8 de Fevereiro de 2013 João Garrido Teresa Mota (EVAG/CVRVV) Sumário Importância da poda Poda de formação Poda

Leia mais

PRODUCT PORTFOLIO PORTFOLIO PRODUTOS

PRODUCT PORTFOLIO PORTFOLIO PRODUTOS PRODUCT PORTFOLIO PORTFOLIO PRODUTOS APRESENTAÇÃO Fundada em 1978, a Adigeste Trading Lda. é uma empresa especializada no Comércio Internacional de Produtos Alimentares com sede em Vila Nova de Famalicão,

Leia mais