Caso de Ensino em Admnistração. Afinal, Quantas Empresas Tem Nesta Cidade?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caso de Ensino em Admnistração. Afinal, Quantas Empresas Tem Nesta Cidade?"

Transcrição

1 Caso de Ensino em Admnistração Afinal, Quantas Empresas Tem Nesta Cidade? Autoria: Andrea Leite Rodrigues, Rosane Torres Guimarães Resumo: Localizada na zona oeste da região metropolitana da Grande São Paulo, a uma distância de 26,5 quilômetros do marco zero de São Paulo, na Praça da Sé, Barueri tem uma área de 64 quilômetros quadrados e uma população fixa de aproximadamente 224 mil habitantes. A cidade oferece alíquotas diferenciadas para impostos municipais a empresas que aí se instalam, tornando-se um importante pólo de atração industrial. Adicionalmente, Barueri tornou-se uma cidade cheia de "empresas de papel", o que torna difícil o desenvolvimento de qualquer trabalho que requeira acessar as empresas que efetivamente tenham operações no município, como é o caso da Universidade Mackenzie que pretende estabelecer programas de parcerias com empresas da região. Assim sendo, coloca-se o desafio de definir universo e plano amostral para projetos de pesquisa envolvendo empresas em Barueri. Sentadas na sala dos professores, Helena e Sofia olhavam com desânimo os resultados do trabalho da última semana. Ambas são docentes do Curso de Administração de Empresas do Centro de Ciências Sociais da Universidade Presbiteriana Mackenzie, tanto no campus de São Paulo (na Consolação), quanto no campus de Barueri (Tamboré). Naquele momento, conversavam mais uma vez sobre as dificuldades em obter dados primários para o projeto de pesquisa que desenvolviam no Campus de Tamboré. Um ano antes, setembro de 2005, quando propuseram o projeto ao Mackpesquisa i, não imaginavam as dificuldades que encontrariam para definir o universo de empresas no município de Barueri. Depois de tanto trabalho, as docentes ainda não conseguiam responder a questões que lhes pareciam tão simples, no começo: Quantas empresas há no município de Barueri? Quais suas características: setores de atividade, tamanho em volume de venda, em faturamento? Quantos funcionários e qual perfil de cargos e funções? Finalmente, quais as possibilidades de parceria entre estas empresas e o Mackenzie Tamboré? O Instituto Presbiteriano Mackenzie é instituição de ensino renomada que conta com unidades nas cidades de São Paulo, Barueri (Tamboré), Campinas, Brasília e Recife. O campus localizado em Barueri é denominado Campus Boanerge Ribeiro, mas é popularmente conhecido por Campus de Tamboré, no qual encontram-se unidades do Colégio Presbiteriano Mackenzie, do Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA) e da Faculdade de Educação Física (FEF). Em abril de 2007, a unidade do CCSA Tamboré contava com aproximadamente 1000 alunos que freqüentam dois cursos de graduação no período noturno: Administração de Empresas e Administração de Empresas com Habilitação em Comércio Exterior. A partir de fevereiro, o campus passou a ter turmas iniciantes para ambos os cursos também no período da manhã. Além disso, há cerca de 150 alunos que freqüentam cursos de pós-graduação lato senso, oferecidos no período noturno. Como parte do planejamento do CCSA-Tamboré, um grupo de docentes liderados por Helena desenvolveu um projeto de pesquisa, utilizando a prática de pesquisa-ação (EDEN, C. HUXHAM, 2001; PATTON, 2002) com vistas a gerar informações sobre características dos ambientes interno e externo àquela unidade de ensino. Tais informações seriam a matéria prima para geração de mudanças no currículo escolar e no projeto pedagógico dos cursos de 1

2 graduação, pós-graduação e extensão em administração de empresas oferecidos pelo CCSA Tamboré. Entende-se por projeto pedagógico um conceito amplo que se refere ao conjunto de disciplinas e todas as outras atividades desenvolvidas tendo em vista a formação do aluno (MASETTO, 2003; ZABALZA, 2003). Helena acreditava que mudanças no projeto pedagógico deveriam acontecer a partir de duas premissas: 1) todos os atores sociais relevantes para o CCSA-Tamboré deveriam estar envolvidos. Assim, docentes, discentes e representantes da comunidade empresarial circunvizinha deveriam participar da construção de um projeto pedagógico; 2) há consenso de que as planejar projetos pedagógicos deve considerar o perfil do aluno que se quer formar, em sintonia com as novas diretrizes curriculares e as competências que se espera que um aluno graduado possua ao final do curso superior (UNESCO, 1998). Porém, indo além disso, só se poderia pensar no aluno a formar se se conhecesse o contexto social e econômico de todos os atores envolvidos com aquele espaço escolar. Portanto, o desenvolvimento de um novo projeto pedagógico começaria por aprender sobre pessoas, lugares, fatos e contexto que envolvem o CCSA-Tamboré. Assim, surgiu o projeto de pesquisa Conhecendo Tamboré: Uma Análise do Ambiente Utilizando Pequisa-Ação, definido como uma proposta de investigação destinada a gerar conhecimento sobre empresas da circunvizinhança, comunidade, docentes e discentes, além de envolvê-los no próprio desenvolvimento das propostas de mudança do projeto pedagógico do CCSA Tamboré; daí a proposta de trabalhar com pesquisa-ação e contemplar todos os atores que estão implicados ou influenciam no ambiente imediato do CCSA-Tamboré. Este projeto recebeu fundos de apoio do Mackpesquisa e foi definido, originalmente, em duas fases de trabalho: A Fase 1 foi definida ao levantamento de características de empresas localizadas na circunvizinhança da unidade CCSA- Tamboré. Para fins operacionais, denominou-se de "ambiente externo" o conjunto de organizações empresariais localizadas nos municípios de Barueri e adjacências. Dados quantitativos seriam levantados por meio de questionário estruturado, disponibilizado eletronicamente para gestores que trabalham em empresas na região. Levantar-se-ia um rol de informações junto a organizações potenciais parceiras para o CCSA - Tamboré, considerando os imensos parques industriais localizados nos municípios de Barueri e vizinhos. Conhecendo-as melhor, seria possível estabelecer estratégias de relacionamento a partir de programas de parceria para incentivo do intercâmbio entre empresas e universidade. A Fase 2 foi dedicada ao conhecimento da opinião de alunos e docentes do CCSA- Tamboré quanto ao currículo e projeto pedagógico da unidade. Entrevistas em profundidade e focus groups, técnicas para coleta de dados apropriadas para pesquisas qualitativas, viabilizariam o conhecimento mais profundo das impressões desses atores. Como produto final, oferecer-se-ia um arcabouço de conhecimento para o desenvolvimento de mudanças no currículo e no projeto pedagógico do Curso de Graduação em Administração de Empresas do CCSA-Tamboré. No momento em que Helena e Sofia conversavam na sala dos professores, a realização da Fase 1 excedia em muito o tempo que fora planejado no cronograma do projeto, sendo que ainda não havia resultados confiáveis. Sofia, professora-doutora com formação em métodos quantitativos de pesquisa, docente em disciplinas de Estatística e Pesquisa em Marketing, 2

3 assombrava-se com a dificuldade em definir sequer o universo! Sendo Barueri um município que oferece benefícios fiscais a empresas que lá se estabelecem, ao tentar definir quantas empresas estão localizadas no município, as pesquisadoras depararam-se com as chamadas "empresas de papel", ou seja, apesar dos registros da razão social de uma empresa constarem formalmente da relação de empresas que estão localizadas no município de Barueri, não raro suas operações e atividades acontecem em outro lugar. Considerando que o objetivo do projeto de pesquisa era gerar conhecimento sobre empresas vizinhas com o fim de realizar parcerias e desenvolver programas de fomento ao intercâmbio universidade-empresas, as "empresas de papel" não ofereceriam nenhuma informação relevante. Como levantar a quantidade de empresas desconsiderando-as? Como definir quantas empresas estão, de fato, em Barueri? I. O Campus de Tamboré: Pequeno Histórico do Projeto de Pesquisa Os cursos de Administração de Empresas e de Administração de Empresas com ênfase em Comércio Exterior foram instalados no Campus Boanerges Ribeiro, em Barueri, em agosto de Foi o primeiro curso universitário em nível de graduação da Universidade Presbiteriana Mackenzie instalado fora do Campus de São Paulo. A região de influência do campus cobre, além de Barueri, os municípios de Osasco, Carapicuíba, Jandira, Cotia, Cajamar, Santana de Parnaíba e São Paulo. Nesses dois últimos, estão localizados os condomínios de Alphaville e Tamboré. Nestes, por sua vez, além dos condomínios residenciais, estão instalados condomínios industrias que abrigam uma grande concentração de indústrias de alta tecnologia como HP, Epson e Xerox, bem como um cluster de empresas de logística. Municípios como Barueri, Jandira e Carapicuíba tornaram-se localização interessante para empresas concedendo benefícios fiscais. Enquanto perdurar a guerra fiscal entre municípios e estados brasileiros, será comum encontrar regiões próximas a grandes centros metropolitanos que concentram pólos industriais, com empresas buscando vantagem competitiva por meio da redução de impostos. Com a inauguração do primeiro trecho do Rodoanel, a área de influência do campus de Tamboré ampliou-se, passando a incorporar as cidades próximas localizadas as margens das Rodovias Anhanguera e Raposos Tavares. O acesso ao campus por pessoas que moram ou trabalham nas cidades circunvizinhas ficou extremamente facilitado. Em conseqüência, o crescimento do número de alunos esgotou as possibilidades do espaço físico para a instalação de novas turmas e novos cursos. As perspectivas de crescimento da demanda pelos cursos em Tamboré sempre foram consideradas promissoras. Tanto assim que recentemente outras instituições de ensino superior também estabeleceram unidades no município de Barueri. É o caso da PUC, UNIP e ESPM. No entanto, seria prudente conhecer melhor as características da região para desenvolver o projeto pedagógico pensando em competência e habilidades. Neste sentido, um grupo de docentes do CCSA consideraram que não bastava repetir lá o projeto pedagógico do Campus do Mackenzie São Paulo. Deveria-se consolidar um espaço de ensino e pesquisa pertinente à identidade do público que ele pretendesse atender, bem como as competências e habilidades que se pretende que o aluno desenvolva ao freqüentar aquele espaço de ensino. 3

4 No momento atual, o alunado dos cursos de graduação do CCSA-Tamboré apresenta grande heterogeneidade de perfil. Convivem, lado a lado, indivíduos provenientes dos domicílios de alta renda localizados nos condomínios de luxo e, indivíduos moradores de bairros próximos, majoritariamente habitados por famílias das classes operárias, incluindo aí funcionários do próprio Mackenzie. Tal heterogeneidade pode ser o mote de experiências ricas em aprendizado e desenvolvimento humano. No entanto, requer maior atenção e conhecimento, pois não se deve simplesmente replicar as experiências positivas do campus de São Paulo. II. O Ensino Superior em Administração: Mudanças Recentes no Projeto Pedagógico A partir da década de 1990, ocorreram mudanças importantes na área de educação, mundialmente, em todos os níveis: fundamental, média e superior. Conferências mundiais de amplo impacto mobilizaram discussões em torno dos problemas com os sistemas de educação, trazendo debates sobre o papel da escola e da educação formal na formação de cidadãos. Conferências como as que ocorreram em Jomtien, 1990, Nova Delhi, 1993 e Dakar, 2000 levaram a mudanças sensíveis na concepção da educação. No Brasil, além da promulgação de nova Constituição em 1988, a reforma na educação ocorreu também após a promulgação da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, popularmente conhecida como Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional ou simplesmente LDB. A lei destina-se a explicitar a declaração do direito à educação presente na Constituição, assegura o direito à ampliação da carga horária escolar em tempo integral, valoriza as experiências extra-escolares e vincula educação escolar, trabalho e práticas sociais. Para a educação superior, o reflexo imediato foi a necessidade de repensar os projetos pedagógicos e desenvolver novos com vistas a formar por competências. Adiante, em 2004, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) passou a exigir a organização dos cursos superiores segundo as diretrizes curriculares, que devem estabelecer o perfil do egresso a partir de um conjunto de competências e habilidades; tal fato tornou este campo de estudos um dos mais polêmicos. Especialistas no ensino de administração promoveram, então, vários fóruns de discussão buscando, entre outras tarefas, estabelecer o conjunto de competências e habilidades que deveriam orientar a organização dos projetos pedagógicos dos cursos de graduação. Este conjunto de competências e habilidades ficou definido pelo Conselho Nacional de Educação na Resolução no. 1, de 2 de Fevereiro de Embora seja esperado que o aluno que conclui o seu curso de graduação apresente competências e habilidades, alguns autores vêm apontando dificuldades no alcance destas metas. Dentre estes estudos, que colocam em foco a questão da formação dos administradores em cursos de graduação, vale a pena destacar a contribuição de Guerra (2001), Ferreira (2002), Lopes (2002), Nicolini (2002), Araújo (2003), Fleury e Jacobsohn (2003) e Nunes e Barbosa (2003). Trabalhos destinados a repensar as características de cursos de graduação têm ganhado importância não apenas no Brasil (ZABALZA, 2003). No caso brasileiro, em específico, muitos estudos têm como foco a discussão do papel da universidade na formação profissional de seus alunos buscando entender os caminhos por meio dos quais tal formação se concretiza. Dentre estes caminhos, a organização do projeto pedagógico é essencial. Algumas breves definições são interessantes a titulo de esclarecimento geral do que se entende por objeto de estudo neste projeto de pesquisa. 4

5 Segundo Masetto (2003, p ) O Projeto Pedagógico pode ser entendido como um instrumento de balizamento para o fazer pedagógico, concebido coletivamente no âmbito da instituição, orientado para esta, como um todo, e para cada um de seus cursos, em particular. (ForGRAD, 1999) Especificamente em relação ao ensino de graduação, o projeto pedagógico é a organização interna da Instituição de ensino superior que define os perfis dos profissionais que pretende formar, explicitando sua marca, sua missão, sua visão de sociedade e de ensino superior; que planeja os cursos, as atividades e os projetos que pretende desenvolver na área de ensino e extensão buscando superar a fragmentação das áreas do conhecimento, integrando-as nas atividades acadêmicas e nas demais atividades; Ao trabalharmos no desenvolvimento de um novo projeto pedagógico para o CCSA- Tamboré, as docentes buscaram estabelecer um método de pesquisa que contemplasse a contribuição de todos os atores sociais implicados; desta forma, não se podería deixar de dar importância ao fato de que o CCSA Tamboré encontra-se em região empresarial notável no estado de São Paulo. Assim, o novo projeto pedagógico envolveria a participação de empresas o que favoreceria o entendimento de como as competências e habilidades, tão destacadas pela nova legislação, seriam construídas ao longo do ensino superior. III. Metas e Objetivos do Projeto de Pesquisa O objetivo geral do projeto de pesquisa Conhecendo Tamboré era gerar informações sobre os ambientes interno e externo CCSA-Tamboré, de uma forma que envolvesse os próprios atores sociais na investigação e possibilitasse a intervenção dos mesmos no próprio ambiente objeto da pesquisa. A Fase 1 foi definida para construir um arcabouço de informações sobre as empresas da região, suficientes para responder as seguintes questões: 1) Quais são as empresas localizadas no município de Barueri? 2) Quais são os setores da indústria, números gerais sobre faturamento e quantidade de funcionários? 3) Oferecem incentivos à realização de cursos de graduação e pós graduação a seus funcionários? Em caso positivo, quais? Quais as características do público potencial de alunado ligado ao quadro de funcionários destas organizações? 4) O que os profissionais de gestão de pessoas presentes nestas organizações sabem sobre o Mackenzie? E sobre o Mackenzie Tamboré? O segundo, conhecer os alunos identificando seu perfil socioeconômico e suas expectativas de trabalho e os professores identificando seu perfil de formação, experiência e perspectivas de trabalho no CCSA-Tamboré. Para os fins deste caso de ensino, interessa trabalhar com os desafios em realizar a Fase 1 do projeto de pesquisa. Vejamos como o trabalho aconteceu. 5

6 IV. Empresas em Barueri: Duas pesquisadoras em busca de um universo Ao final de oito meses de trabalho, Helena e Sofia concluíram que não tinham a menor idéia da dificuldade que enfrentariam para localizar empresas em Barueri. Inicialmente, pensaram que o contato com a Prefeitura seria suficiente, posto que esta já organizou um website com todas as empresas registradas no município. Ao acessar é possível obter facilmente uma lista com a Relação das Empresas Cadastradas no Município, oferecendo um banco de dados com aproximadamente empresas, classificadas em 46 ramos ou setores econômicos. A partir deste banco de dados, já tão organizado, as professoras pensaram em definir uma amostra probabilística estratificada. No entanto, duas questões inviabilizaram esta opção durante o trabalho de pesquisa; Primeiramente, o banco de dados englobava todo tipo de empresa cadastrada no município, o que gerava uma imensa variedade de organizações, em tamanho e setor de atuação. Assim, encontra-se no banco de dados registros de ambulantes a filiais de empresas multinacionais de grande porte, cuja planta principal está em Barueri, como é o caso da americana HP. Concluiu-se que não se poderia considera-lo como universo de organizações para fins de definição da amostra, pois o objetivo do projeto de pesquisa reside em entender as relações entre ambiente circunvizinho ao Mackenzie Tamboré e o projeto pedagógico do Curso de Administração de Empresas. Conseqüentemente, o universo de organizações considerado deveria ser tal que contivesse apenas organizações passíveis de estabelecer relações com o Mackenzie Tamboré. Em segundo lugar, não se poderia desconsiderar o fato da presença das empresas de papel, ou seja, aquelas cadastradas na Prefeitura de Barueri para se beneficiar de alíquotas menores de impostos e que, na realidade, tem seus escritórios e plantas em outros locais, fora do município. Nestes casos, seria necessário considerar que o interesse reside em estudar organizações que estejam de alguma maneira no raio de influência do Mackenzie Tamboré; empresas de papel não interessavam, por definição, pois não representariam potenciais parceiros. Em outras palavras, dos nomes ainda deveriam ser desconsiderados todos aqueles cujas fábricas e escritórios não estavam localizadas no município. Aqui residiu a maior de todas as dificuldades deste trabalho de pesquisa. Como saber se uma determinada razão social registrada na Prefeitura de Barueri representava ou não uma organização com atividade efetivamente desempenhada no município? Para lidar com estes obstáculos, as professoras começaram tentando gerar listas telefônicas e realizar contatos. O procedimento mostrou-se moroso e improdutivo, como se poderia esperar. O levantamento dos números de telefones já implicavam em listagens incorretas, incompletas ou que resultavam em contatos sem qualidade. Não raro, um número de telefone correto estabelecia o contato com um escritório de contabilidade, contratado pela "empresa de papel" para representa-la no município de Barueri. As professoras, então, começaram a realizar levantamentos com os alunos, tentando gerar listas com registros de local, endereço e telefone de contato profissional, com o objetivo de arregimentar nomes de empresas (de verdade!) no município. Esse procedimento resultou bem mais produtivo, afinal os próprios alunos começaram a promover apoio ao projeto de pesquisa dentro das empresas em que trabalhavam ou estagiavam. Apesar da boa vontade e empenho, o número de empresas que aderiram por esta via de contato foi pequeno, em torno de 20 nomes. 6

7 Helena e Sofia continuavam, portanto, diante de uma tremenda dificuldade em realizar a Fase 1 da pesquisa. Como estabelecer o universo e o plano amostral de empresas que efetivamente estivessem localizadas em Barueri? Como localiza-las? Qual seu perfil de atividade? Passados oito meses de trabalho, estas perguntas ainda continuavam sem resposta e as pesquisadores já cogitavam a hipótese de deixar de lado a idéia de amostra probabilística e fazer levantamentos por critérios de acessibilidade às empresas. Outro problema: se assim, procedessem, não seria possível avaliar as reais possibilidades do CCSA-Tamboré em termos de parcerias com empresas na região. Quais os impactos disso para a elaboração do novo Projeto Pedagógico? 7

8 I. Notas de ensino I. Orientações Gerais O objetivo deste caso de ensino é compartilhar com a comunidade acadêmica uma experiência de realização de trabalho de pesquisa com dados primários, cuja proposta inicial englobava estabelecer amostra probabilística a partir de universo de empresas localizadas em um município da Grande São Paulo, chamado Barueri. O presente caso destina-se a disciplinas nas quais questões básicas de um desenho de pesquisa que envolva definição de universo e amostra de indivíduos sejam debatidas e ensinadas, como é o caso das disciplinas Metodologia de Pesquisa, Pesquisa de Marketing, Estatística Básica, entre outras que contemplam aprendizado para o qual este caso real pode fornecer experiência e informações significantes. Pretendemos que, ao conhecer nossas dificuldades e façanhas para estabelecer tais pontos do desenho de pesquisa, outros pesquisadores atentem para desafios e dificuldades que poderão encontrar, tendo a partir deste caso uma experiência vicariante. O Caso destina-se a promover debates sobre as formas eficientes e eficazes de se conduzir uma pesquisa de campo segundo a moderna teoria de planejamento e condução de procedimentos amostrais. Sugere-se que seja material didático de apoio a discussão em disciplinas que requeiram definição de plano amostral, envolvendo dados primários e secundários. Enquanto objetivos de aprendizagem, pretende-se que este caso: seja uma experiência vicariante para proporcionar desenvolvimento de competências para levantar fontes de dados primários confiáveis e pertinentes ao objetivo de um projeto de pesquisa envolvendo empresas; possibilite aos alunos enfrentar uma situação real na qual dados de fontes públicas disponíveis não são adequados para os fins da pesquisa. Há, portanto, necessidade de desenvolver estratégia de pesquisa alternativa para definir Universo e Plano Amostral. Além disso, é preciso considerar as limitações de qualquer estratégia. Não constitui novidade relatar a pesquisadores quão difícil é trabalhar com levantamento de dados primários, principalmente no Brasil. O que nos parece curioso e singular nesta experiência que relataremos é que, no momento em que definimos o projeto de pesquisa, tínhamos em mãos um banco de dados completo, produzido pela Secretária de Indústria e Comércio de Barueri (ver com todas as razões sociais de empresas registradas no município. Conseqüentemente, imaginávamos que a tarefa de estabelecer amostragem probabilística de empresas no município seria viável, dado que já tínhamos em mãos o que chamamos, inicialmente, de o universo de empresas registradas em Barueri. No decorrer do trabalho de pesquisa, características do município e das empresas lá registradas não só inviabilizaram a amostragem probabilística, mas também nos mostraram quão pouco sabemos sobre as empresas brasileiras, dada a precariedade de informações públicas disponíveis sobre elas. Tal fato nos fez discutir longamente porque pesquisadores no Brasil têm tão poucos trabalhos envolvendo outros desenhos de pesquisa que não o estudo de caso e, mais raro ainda, estudos nos quais a escolha dos objetos de pesquisa não seja realizada por 8

9 conveniência ou acessibilidade. Até o momento, mesmo passado um ano de pesquisa e investigação no município, não conseguimos definir o construto "empresas em Barueri" com a devida precisão, permanecendo ainda incerto qualquer valor que tenhamos utilizado. Vejamos como isso aconteceu. Neste sentido, seu uso é apropriado como exercício de fixação de conceitos fundamentais que costumeiramente integram os programas de disciplinas como Metodologia de Pesquisa, Amostragem, Métodos de Pesquisa e Pesquisa de Marketing, nos cursos de graduação em administração. Para Kinnear e Taylor (1996), há quatro fontes básicas de dados de marketing: respondentes, situações análogas, experimentação e dados secundários. Essas fontes são acessadas por meio de técnicas de coleta, que podem ser de duas naturezas: observação e levantamento. Cada uma dessas técnicas se utiliza de abordagens distintas. Na observação, segundo Malhotra (1996), podemos utilizar as seguintes abordagens: observação pessoal, observação mecânica, auditoria, análise de conteúdo e análise de traço. No levantamento, segundo Aaker, Kumar e Day (1995), há três abordagens básicas: entrevista pessoal, entrevista telefônica e entrevista postal. Nas pesquisas, em geral, são utilizados diversos tipos de amostragens, que são classificadas em dois grandes grupos: amostragens probabilísticas e não-probabilísticas. A amostragem probabilística exige que cada elemento da população possua determinada probabilidade de ser selecionado e os elementos que irão compor a amostra são sorteados aleatoriamente. Ao utilizarmos um procedimento de amostragem probabilística é possível a generalizar os resultado da pesquisa para a população. Os tipos mais comuns de amostragem probabilística são aleatória simples, estratificada, sistemática e por conglomerado. Já na amostra não probabilística, há uma escolha deliberada dos elementos da amostra e não é possível generalizar os resultados das pesquisas para a população, pois as amostras não-probabilísticas não garantem a representatividade da população. Os procedimentos da amostragem não-probabilística mais usuais são por acessibilidade, por tipicidade e por quotas. Segundo OSUNA (1991), os procedimentos não-probabilísticos são muito mais críticos em relação à validade de seus resultados, todavia apresentam algumas vantagens, sobretudo no que se refere ao custo e ao tempo despendido. Quando executamos uma pesquisa, devemos ter em mente que estamos sempre sujeitos a erros. Esses erros ocorrem por diversas causas e podem ser classificados em erros de amostragem (ou erros aleatórios) e erros alheios à amostragem (ou erros sistemáticos). Como exemplo de erros de amostragem podemos citar o erro originário da variabilidade dos valores obtidos no processo de amostragem, e como exemplo de erros alheios à amostragem, os erros produzidos por métodos tendenciosos de medição PÉREZ (1999). Podem ocorrer erros nos resultados, em uma amostra particular, segundo PÉREZ (1999), causados pelos respondentes, entrevistadores, codificadores ou outros sujeitos envolvidos com a pesquisa, assim como é possível que o motivo do erro seja mais de um destes. O entrevistado, por exemplo, pode não compreender a pergunta, não conhecer as respostas ou ser influenciado pelo entrevistador. Os erros de amostragem e os erros alheios à amostragem têm, em geral, distintas fontes, efeitos e métodos de medida. A redução dos erros de amostragem pode ser feita com o aumento do tamanho da amostra, entretanto, para reduzir os erros alheios à amostragem é preciso "algo mais", como por exemplo uma supervisão ou um programa de controle. 9

10 Para MALHOTRA (1996), é importante salientar que há muitas fontes de erro e que em pesquisa, o pesquisador deve tentar minimizar o erro total e não somente uma única fonte de erro em particular. Com base nas colocações dos parágrafos anteriores, podemos verificar que o planejamento e a condução de um processo amostral envolve, ao longo de todo o seu processo, tomada de decisão e ação, tendo como norte os objetivos a que a pesquisa se propõe. Para que o debate do caso proposto flua, propomos que algumas questões sejam levantadas para discussão entre os alunos: 1. Que tipo de amostragem você recomendaria, considerando os objetivos do projeto de pesquisa e as dificuldades em definir o universo e o plano amostral de empresas localizadas em Barueri? 2. Considerando as seguintes fontes de dados: respondentes, situações análogas, experimentação e dados secundários, que tipos de fontes de dados são adequados para o objetivo a que o projeto Conhecendo Tamboré se propõe? 3. Considerando as seguintes formas de abordagem: observação pessoal, observação mecânica, auditoria, análise de conteúdo, análise de traço, entrevista pessoal, entrevista telefônica e entrevista postal, que formas você utilizaria no projeto de pesquisa em questão? 4. Quais as limitações e erros trazidos aos dados, que essas fontes e abordagens podem ocasionar? Como contornar estes problemas? 5. A que erros alheios à amostragem esta pesquisa está exposta? II. Desdobramentos do Projeto de Pesquisa Para fins de esclarecimento, cabe fazer saber aos docentes que utilizarem este Caso de Ensino que as pesquisadoras lançaram mão de outras tentativas para estabelecer amostragem probabilística, tal qual haviam proposto no projeto de pesquisa aprovado pelo Mackpesquisa. Vistas todas as dificuldades para conseguir dados sobre empresas que estivessem de fato em Barueri, as docentes fizeram o seguinte: 1) Tendo em mãos o banco de dados elaborado pela Prefeitura de Barueri, ambulantes, farmácias, açougues, bancas de jornais, cabeleireiros entre outros setores foram imediatamente excluídos, considerando improvável encontrar ali profissionais relacionados a uma instituição de ensino superior de administração de empresas. Analogamente, excluíram micro empresas (ME), retirando das listagens todos aqueles registros que contivessem ME na razão social. Com estas determinações, chegaram a um universo de 2973 nomes, aproximadamente; houve sensível diminuição em relação aos iniciais, mas ainda havia um universo muito grande e, pior ainda, desconhecido; 2) Saíram pelo município de automóvel e tomaram nota das empresas ao passar por elas, nas vias públicas. Este método é perfeito para garantir que o contato seria mesmo feito com empresas que de fato estão localizadas em Barueri. Porém, ainda 10

11 restava o trabalho de contato e de convencimento à participação da organização na pesquisa, além de ser um método caro, dispendioso e que exige muito tempo; 3) Obter do IBGE uma listagem de empresas selecionadas via censo empresarial. Após obter algumas respostas a questionários enviados eletronicamente, as pesquisadoras concluíram que havia uma relação positiva entre tamanho da empresa em termos de quantidade de funcionários e possibilidades de parceria com uma Instituição Superior de Ensino. Empresas com mais funcionários tem, em geral, mais chance de se interessar por aproximação com organizações que proporcionem formação e treinamento. As docentes entraram, então, em contato com o IBGE para que disponibilizasse os nomes e o contato de empresas com mais de 100 funcionários trabalhando em Barueri. Com esta tentativa, foi possível conseguir uma listagem com 214 nomes de empresas localizadas no município. Após todas estas tentativas, o trabalho de levantamento resultou em 115 registros, dos quais 89 foram considerados válidos. A amostra, inicialmente definida como probabilística estratificada, precisou ser redefinida, tornando-se uma amostra não-probabilística por acessibilidade. Com estas empresas, foram realizadas análises exploratórias, certos das limitações que estes resultados podem ter em função das dificuldades para definir sequer o universo de pesquisa. III. Referências bibliográficas ARAÚJO, M. A. D. de. Formação acadêmica do administrador: um estudo nas IES da cidade de natal. REAd Revista Eletrônica de Administração, ed. 33, v. 9, n. 3, jun Disponível em Acesso em: 02 abril AAKER, D.A., KUMAR, V. e DAY, G.S. Marketing Research. 5 ed. New York: John Wiley & Sons, CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Superior. Resolução n. 1 de 2 de fevereiro de Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, Bacharelado e dá outras providências. Relator: Èfrem de Aguiar Maranhão. Diário Oficial da União, Brasília, n. 43, 04 mar Seção 1, p. 11. EDEN, C. HUXHAM, C. Action Research for The Studies of Organizations. IN: CLEGG, S. R. HARDY, C. NORD, W. R. Handbook of Organization Studies. Londres: Sage Publications FERREIRA, R. G. Em busca de trabalho: posições, disposições e decisões ao término de um curso de graduação. In: XXVI ENANPAD ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, Atas... Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, CD ROM. 11

12 FLEURY, M. T. L.; JACOBSOHN, L. V. A contribuição do e-learning no desenvolvimento de competências do administrador. In: XXVII ENANPAD ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, Atas... Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, CD ROM. ForGRAD Fórum de Pró-Reitores das Universidades Brasileiras - Do pessimismo da razão para o otimismo da vontade: referências para a construção dos projetos pedagógicos. Curitiba, 1999, 27p. GUERRA, E. L. de A. O ensino superior de administração no Brasil: desafios do novo milênio. In: XXV ENANPAD ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, Atas... Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, CD ROM. KINNEAR, T.C e TAYLOR, J.R. Marketing Research: an applied approach. 5 ed. New York: McGraw-Hill, LOPES, P. da C. Reflexões sobre as bases da formação do administrador profissional no ensino de graduação. In: XXVI ENANPAD ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, Atas...Associação Nacional do Programas de Pós-Graduação em Administração, CD- ROM. MALHOTRA, Naresh K. Marketing research: an applied orientation. Rio de Janeiro: Editora Prentice-Hall do Brasil, MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, NICOLINI, A. O futuro administrador pela lente das novas Diretrizes Curriculares: cabeças bem feitas ou bem cheias. In: XXVI ENANPAD ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, Atas...Associação Nacional do Programas de Pós-Graduação em Administração, CD-ROM. NUNES, S. C.; BARBOSA, A. C. Q. A inserção das competências no curso de graduação em Administração: um estudo em universidades brasileiras.. In: XXVII ENANPAD ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, Atas...Associação Nacional do Programas de Pós-Graduação em Administração, CD-ROM. NUNES, S. C.; FERRAZ, D. M.; BARBOSA, A. C. Q. Organização curricular e acadêmica dos cursos de graduação em administração Uma investigação da adoção do conceito de competências em faculdades de Belo Horizonte, Minas Gerais. In: III EnEO ENCONTRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, Atas... Associação Nacional de Pós- Graduação e Pesquisa em Administração, CD ROM. 12

13 OSUNA, Jacinto R. Métodos de muestreo. España: CIS, PATTON, M. Q. Qualitative Research & Evaluation Methods. Thousand Oaks: Sage Publications. 3. ed., PÉREZ, César. Técnicas de muestreo estadístico: teoría, práctica y aplicaciones informáticas. Madrid: RA-MA, UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação Superior. Declaração Mundial sobre Educação Superior no Século XXI: visão e ação. Marco referencial de ação prioritária para a mudança e o desenvolvimento da educação superior. Piracicaba: Ed. UNIMEP, ZABALZA, M. A. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, i Fundo Mackenzie de Pesquisa, abreviadamente Mack Pesquisa, foi criado pelo Conselho Deliberativo do Instituto Presbiteriano Mackenzie através da Resolução 01/97 e é regulado por regimento próprio, denominado Regimento do Mack Pesquisa, aprovado em 28 de novembro de 1998 pelo Conselho Deliberativo do Instituto Presbiteriano Mackenzie. O MACKPESQUISA tem como objetivo básico incentivar a prática da investigação, pura ou aplicada, financiando projetos de pesquisa de interesse institucional, de acordo com a viabilidade econômica do Fundo e da relevância científica do projeto. (Fonte: 13

Amostragem. Prof. Joel Oliveira Gomes. Capítulo 9. Desenvolvimento

Amostragem. Prof. Joel Oliveira Gomes. Capítulo 9. Desenvolvimento Capítulo 9 Amostragem Desenvolvimento 9.1 Introdução 9.2 Censo versus Amostra 9.3 Processo de planejamento de uma amostragem 9.4 Técnicas Amostrais 9.5 Amostragem Não-probabilística 9.6 Amostragem Probabilística

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO 552 PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO Silvio Carvalho Neto (USP) Hiro Takaoka (USP) PESQUISA EXPLORATÓRIA

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

Estatística II Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística II Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística II Aula 1 Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Por que estudar estatística? Abordagem crescentemente quantitativa na análise dos problemas; Quantidade crescente de dados Com que qualidade?

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LASALLE UNILASALLE

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LASALLE UNILASALLE 1 PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO ÀS ATIVIDADES COMPLEMENTARES NO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LASALLE UNILASALLE Jesse Alencar da Silva Centro Universitário La Salle (UNILASALLE-RS)

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS ISSN 2316-7785 FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO IFAL INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS: REFLETINDO SOBRE OS TEMPOS E OS ESPAÇOS José André Tavares de Oliveira Instituto Federal de Alagoas

Leia mais

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação

Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Diretrizes Acadêmicas para os Cursos de Graduação Os cursos oferecidos pela instituição de Ensino Superior IES devem ter seus projetos pedagógicos construídos

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

ENSINO DE RELAÇÕES PÚBLICAS: UMA PROPOSTA DE ESTRUTURA CURRICULAR. Dra. Cláudia Peixoto de Moura (FAMECOS/PUCRS)

ENSINO DE RELAÇÕES PÚBLICAS: UMA PROPOSTA DE ESTRUTURA CURRICULAR. Dra. Cláudia Peixoto de Moura (FAMECOS/PUCRS) ENSINO DE RELAÇÕES PÚBLICAS: UMA PROPOSTA DE ESTRUTURA CURRICULAR Dra. Cláudia Peixoto de Moura (FAMECOS/PUCRS) Este trabalho versa sobre a aplicação das diretrizes curriculares na Comunicação Social,

Leia mais

PERFIL DE EGRESSOS DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA FEA.FUMEC

PERFIL DE EGRESSOS DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA FEA.FUMEC PERFIL DE EGRESSOS DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA FEA.FUMEC Lúcio Flávio Nunes Moreira luciof@fumec.br Faculdade de Engenharia e Arquitetura da Universidade FUMEC Rua Cobre, 200 Cruzeiro 30.310-190 -

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO/COMÉRCIO EXTERIOR - CONTAGEM

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO/COMÉRCIO EXTERIOR - CONTAGEM SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO/COMÉRCIO EXTERIOR - CONTAGEM 1) PERFIL DO CURSO: A missão do Curso de Administração com Linha de Formação Específica em Comércio Exterior da PUC Minas consiste

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso?

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? i n o v a ç ã o 8 Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? Carla Conti de Freitas Yara Fonseca de Oliveira e Silva Julia Paranhos Lia Hasenclever Renata

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro

O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro O PAPEL DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um estudo de caso sobre o curso técnico em administração de cruzeiro Geraldo José Lombardi de Souza, Paulo César Ribeiro Quintairos, Jorge

Leia mais

A AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA PÓS-GRADUAÇÃO E O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO

A AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA PÓS-GRADUAÇÃO E O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO A AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA PÓS-GRADUAÇÃO E O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO RESUMO Maria Lucia Indjaian Universidade Presbiteriana Mackenzie Marcos T.Masetto Universidade Presbiteriana Mackenzie Este trabalho

Leia mais

Eixo 4: Formação e valorização de profissionais da educação

Eixo 4: Formação e valorização de profissionais da educação Eixo 4: Formação e valorização de profissionais da educação AS AÇÕES DO PAR E A POLÍTICA MUNICIPAL DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DOCENTE: A PERCEPÇÃO DE PROFESSORES DA REGIÃO NORDESTE 1. Introdução: Juceli

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

ENADE NO EaD: CST GESTÃO DA PODUÇÃO INDUSTRIAL INADEQUAÇÕES DOS CRITÉRIOS

ENADE NO EaD: CST GESTÃO DA PODUÇÃO INDUSTRIAL INADEQUAÇÕES DOS CRITÉRIOS 1 ENADE NO EaD: CST GESTÃO DA PODUÇÃO INDUSTRIAL INADEQUAÇÕES DOS CRITÉRIOS Curitiba, maio/2010 ROBSON SELEME - Universidade Federal do Paraná - robsonseleme@hotmail.com ALESSANDRA DE PAULA - Faculdade

Leia mais

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 07.04.11 Agenda: A importância do levantamento

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIREÇÃO ACADÊMICA CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE SÃO LUIS MA 2009 DIRETORIA ACADÊMICA Diretor

Leia mais

Educação EAD: Sem fronteiras (?)

Educação EAD: Sem fronteiras (?) Educação EAD: Sem fronteiras (?) Laila Maria Oliveira Silva Luiza Carolina Lucchesi Barbosa Mariana Damasceno Rocha F de Albuquerque Resumo: A modalidade EAD (Educação a Distância) surgiu com a intenção

Leia mais

A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO: A REALIDADE DAS EMPRESAS

A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO: A REALIDADE DAS EMPRESAS A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO: A REALIDADE DAS EMPRESAS Michelle Mike Nose 1, Daisy Aparecida do Nascimento Rebelatto 2 Universidade de São Paulo 1 Escola de Engenharia de São Carlos Av. Trabalhador

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC) , INCLUINDO ESSE, DEVEM SER RETIRADOS DO TEXTO FINAL, POIS SERVEM SOMENTE COMO ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO DOCUMENTO FINAL> PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO (PPC)

Leia mais

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO E ASCENSÃO PROFISSIONAL

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO E ASCENSÃO PROFISSIONAL A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO E ASCENSÃO PROFISSIONAL OLIVEIRA, Silvana Aparecida Guietti de (UEM) COSTA, Maria Luisa

Leia mais

MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING. Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br

MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING. Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br ESTATÍSTICA População e Amostra População Amostra Idéia Principal Resumir para entender!!! Algumas Técnicas Pesquisa de

Leia mais

PROJETO DE INCENTIVO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

PROJETO DE INCENTIVO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO DE INCENTIVO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA 1. Introdução Desnecessário discorrer sobre a importância da iniciação científica para a formação acadêmica e seus benefícios

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DOS DOCENTES DE BIOLOGIA QUE ATUAM NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA CIDADE DE ANÁPOLIS/GOIÁS

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DOS DOCENTES DE BIOLOGIA QUE ATUAM NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA CIDADE DE ANÁPOLIS/GOIÁS FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DOS DOCENTES DE BIOLOGIA QUE ATUAM NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA CIDADE DE ANÁPOLIS/GOIÁS Jaqueline Souza Lacerda 1,4 ; Eude de Sousa Campos 2,4 ; Andréia Juliana Leite Rodrigues

Leia mais

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação Pesquisa Semesp 2009 Índice de Imagem e Reputação Uma ferramenta estratégica para a qualidade de mercado Desvendar qual é a real percepção de seus públicos estratégicos com relação à atuação das instituições

Leia mais

A INFLUENCIA DA LOCALIZAÇÃO RESIDENCIAL NO DESEMPENHO DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA UNIJUÍ

A INFLUENCIA DA LOCALIZAÇÃO RESIDENCIAL NO DESEMPENHO DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA UNIJUÍ A INFLUENCIA DA LOCALIZAÇÃO RESIDENCIAL NO DESEMPENHO DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA UNIJUÍ Luciana L. Brandli brandli@detec.unijui.tche.br Cristina E. Pozzobon pozzobon@unijui.tche.br Universidade Regional

Leia mais

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES?

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? BARREIROS, Marat Guedes Especialização em Gestão Estratégica de Recursos Humanos Coordenador de Curso, Professor Faculdade do Guarujá GODOY, Valdir

Leia mais

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: A QUALIDADE DA OFERTA A DISTÂNCIA DO CURSO DE PEDAGOGIA A PARTIR DA LDB DE 1996

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: A QUALIDADE DA OFERTA A DISTÂNCIA DO CURSO DE PEDAGOGIA A PARTIR DA LDB DE 1996 A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: A QUALIDADE DA OFERTA A DISTÂNCIA DO CURSO DE PEDAGOGIA A PARTIR DA LDB DE 1996 RESUMO Aila Catori Gurgel Rocha 1 Rosana de Sousa Pereira Lopes 2 O problema proposto

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM CURSOS

Leia mais

Marilene Sinder (Universidade Federal Fluminense) Renato Crespo Pereira (Universidade Federal Fluminense)

Marilene Sinder (Universidade Federal Fluminense) Renato Crespo Pereira (Universidade Federal Fluminense) A Pesquisa com Egressos como Fonte de Informação Sobre a Qualidade dos Cursos de Graduação e a Responsabilidade Social da Instituição Universidade Federal Fluminense (UFF) Eixo II Indicadores e instrumentos

Leia mais

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE

A PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II e III NA BIBLIOTECA DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL DO CEARÁ SENAC-CE XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 A PRÁTICA DO ESTÁGIO

Leia mais

VARIÁVEIS FUNDAMENTAIS NA DISCUSSÃO E NO PLANEJAMENTO DO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DOS INSTITUTOS SUPERIORES DE EDUCAÇÃO

VARIÁVEIS FUNDAMENTAIS NA DISCUSSÃO E NO PLANEJAMENTO DO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DOS INSTITUTOS SUPERIORES DE EDUCAÇÃO VARIÁVEIS FUNDAMENTAIS NA DISCUSSÃO E NO PLANEJAMENTO DO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DOS INSTITUTOS SUPERIORES DE EDUCAÇÃO Maria Beatriz de Carvalho Melo Lobo Roberto Leal Lobo e Silva Filho Diante da nebulosidade

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES PARECER CNE/CES 1.302/2001 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em 4/3/2002, publicado no Diário Oficial da União de 5/3/2002, Seção 1, p. 15. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS

CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS CURSOS TECNOLÓGICOS EM NÍVEL SUPERIOR: BREVES APONTAMENTOS Alan do Nascimento RIBEIRO, Faculdade de Políticas Públicas Tancredo Neves Universidade do Estado de Minas Gerais Maria Amarante Pastor BARACHO,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. Portaria n 816, publicada no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas

TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas TÍTULO DO PROJETO: I FORUM DA GRADUAÇÃO da UENF: Educação Contemporânea Desafios e Perspectivas I-Introdução A Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro UENF é uma Instituição Estadual de

Leia mais

Curso de Pós-Graduação Teoria e Prática em Educação de Nível Superior Edição ESPM Rio de Janeiro

Curso de Pós-Graduação Teoria e Prática em Educação de Nível Superior Edição ESPM Rio de Janeiro Curso de Pós-Graduação Teoria e Prática em Educação de Nível Superior Edição ESPM Rio de Janeiro Período de realização: 2013/2014 12 de setembro de 2014: Enfim formados! Este foi o brinde dos dez estudantes

Leia mais

20 de junho de 2013.)

20 de junho de 2013.) 20 de junho de 2013.) Tecnologias Educacionais (G.E.N.T.E.) _ 2 _ > Rio de Janeiro 20 de junho de 2013 Proposta elaborada pelo IETS _Contextualização O projeto Ginásio Experimental de Novas Tecnologias

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Os Centros Urbanos do Século XXI

Urban View. Urban Reports. Os Centros Urbanos do Século XXI Urban View Urban Reports Os Centros Urbanos do Século XXI Os centros urbanos do século XXI Hoje 19,4 milhões de pessoas vivem na região metropolitana de São Paulo. A quinta maior aglomeração humana do

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE 1 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO (Síntese dos resultados) COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS NOTA TÉCNICA 020/2014 Indicador de adequação da formação do docente

Leia mais

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG.

Aberta e a Distância - CEAD, da UNIFAL-MG. RESOLUÇÃO Nº 023/2011, DE 28 DE ABRIL DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental GOVERNO DO ESTADO DE SÃO APULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PEDAGÓGICAS O que se espera

Leia mais

ANTECIPAÇÃO DE ESTUDOS

ANTECIPAÇÃO DE ESTUDOS ANTECIPAÇÃO DE ESTUDOS 1 INTRODUÇÃO O Estatuto da UFCG, em seu Art. 11, estabelece as finalidades da Universidade Federal de Campina Grande, entre elas: V ministrar o ensino, visando à formação de pessoas

Leia mais

Pesquisa em Marketing

Pesquisa em Marketing Pesquisa em Marketing Aula 4 1. Identificar o tamanho da amostral ideal 2. Saber calcular a amostra O Processo de Amostragem TIPOS DE AMOSTRAGEM Amostra não-probabilística Amostra por Conveniência Amostra

Leia mais

Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Concepção

Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Concepção Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Marcello de Oliveira Pinto (UERJ) Márcia Magarinos (UERJ) Marina Dias O presente trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt**

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** * Assessoria de Avaliação Institucional da Universidade de Santa

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação

MANUAL DO CANDIDATO. Pós-graduação MANUAL DO CANDIDATO Pós-graduação Prezado(a) Candidato(a), Agradecemos o interesse pelos nossos cursos. Este manual contém informações básicas pertinentes ao curso, tais como: objetivos do curso e das

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação Pronatec Aprendiz Orientações para Implementação Edição de 2015 Apresentação O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) representa um passo importante para a consolidação da educação

Leia mais

DECRETO Nº. III - criação de estrutura de financiamento pública e transparente para a extensão universitária;

DECRETO Nº. III - criação de estrutura de financiamento pública e transparente para a extensão universitária; DECRETO Nº. Institui o Plano Nacional de Extensão Universitária PNExt Art. 1º Fica instituído o Plano Nacional de Extensão Universitária PNExt constante deste Decreto, com o objetivo de promover a política

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 UMA ANÁLISE DA PERSPECTIVA DOS GRADUANDOS DO CURSO DE MATEMÁTICA DAS MODALIDADES DE LICENCIATURA E BACHARELADO DA UFRN SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA STRICTO SENSU Claudianny Noronha Amorim Universidade Federal

Leia mais

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018)

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO

Leia mais

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES

O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES O PEDAGOGO NAS ORGANIZAÇÕES KOWALCZUK, Lidiane Mendes Ferreira - PUCPR lidianemendesf@gmail.com VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski - PUCPR alboni@alboni.com Eixo Temático: Formação de Professores

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

ser ministrado pela Faculdade de Ciências Administrativas de Valinhos.

ser ministrado pela Faculdade de Ciências Administrativas de Valinhos. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO VALINHENSE DE EDUCAÇÃO E CULTURA - AVEC UF SP ASSUNTO: Autorização (Carta-Consulta) para criação do Curso

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

Recorte de um estudo dos cursos de formação inicial de professores de Matemática do Estado de São Paulo Brasil

Recorte de um estudo dos cursos de formação inicial de professores de Matemática do Estado de São Paulo Brasil Recorte de um estudo dos cursos de formação inicial de professores de Matemática do Estado de São Paulo Brasil Marcelo Dias Pereira Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Faculdades Integradas de

Leia mais

HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS

HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS O processo de avaliação institucional foi desenvolvido pela comunidade acadêmica da Faculdade Atenas, com o intuito

Leia mais

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares ABEPRO Associação Brasileira de Engenharia de Produção DOCUMENTO NÃO CONCLUÍDO Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares Documento elaborado nas reuniões do grupo de trabalho de graduação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

PESQUISA DE MERCADO JÓIAS, FOLHEADOS E BIJUTERIAS

PESQUISA DE MERCADO JÓIAS, FOLHEADOS E BIJUTERIAS PESQUISA DE MERCADO JÓIAS, FOLHEADOS E BIJUTERIAS AGENDA Metodologia Dados Secundários Dados Primários Comentários, Sugestões e Críticas das Empresas Considerações Finais TRABALHO DE CAMPO PASSO A PASSO

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar:

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar: Professor: Muitas razões para votar em Scolforo e Édila O QUE FOI FEITO! Quando um membro de sua comunidade seja professor (a), técnico (a) administrativo ou estudante - apresentar uma crítica sobre algo

Leia mais

Os Objetivos Foram Definidos de Modo a Complementar os Estudos Necessários para Responder ao Problema de Pesquisa Proposto

Os Objetivos Foram Definidos de Modo a Complementar os Estudos Necessários para Responder ao Problema de Pesquisa Proposto Gestão de Pequenas e Médias Empresas Brasileiras por Sistema de Consórcio Trabalho de Conclusão de Curso - TCC MBA Executivo Internacional - Turma 34 Fábio Mattos Fernando Alcântara Fernando Moulin Jorge

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº09/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Administração do Centro de

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

O Plano Nacional de Extensão Universitária

O Plano Nacional de Extensão Universitária O Plano Nacional de Extensão Universitária Antecedentes A universidade brasileira surgiu tardiamente, na primeira metade do século XX, pela união de escolas superiores isoladas, criadas por necessidades

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 Elaine Turk Faria 1 O site do Ministério de Educação (MEC) informa quantas instituições já estão credenciadas para a Educação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Administração LFE em Análise de Sistemas

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003 DE 18 DE SETEMBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 003 DE 18 DE SETEMBRO DE 2014. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA MINAS GERAIS CAMPUS SABARÁ Endereço provisório: Avenida Serra Piedade, 341,

Leia mais