Âmbito da rubrica Viagens e Turismo. Definição de conceitos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Âmbito da rubrica Viagens e Turismo. Definição de conceitos"

Transcrição

1 Questões específicas da rubrica Viagens e Turismo Âmbito da rubrica Viagens e Turismo Definição de conceitos Indicações específicas de reporte para a atividade das agências de viagens Indicações específicas de reporte para a atividade dos operadores turísticos

2 Âmbito da rubrica Viagens e Turismo

3 Âmbito da rubrica Viagens e Turismo Viagens e Turismo Serviços adquiridos por viajantes que visitam uma determinada economia onde são não residentes durante a sua estadia. Serviços adquiridos pelo viajante Serviços de alojamento Serviços de transporte local Outros serviços: Alimentação Culturais e de lazer Saúde Educação Outros

4 Âmbito da rubrica Viagens e Turismo Códigos de Classificação Estatística País de residência do viajante B2110 Viagens e turismo em realizadas por residentes no exterior País de destino da viagem B2120 Viagens e turismo no exterior realizadas por residentes em Tipo de bem/ serviço prestado B2111 / B2121 B2112 / B2122 B2113 / B2123 B2114 / B2124 B2115 / B2125 B2116 / B2126 Alojamento Transporte local Outros serviços Pacotes turísticos com viagem internacional incluída Cruzeiros Time-sharing temporário (associado a direitos de habitação periódica)

5 Âmbito da rubrica Viagens e Turismo Operações de Residência do Destino da viagens e turismo viajante viagem Viagens e Turismo Viajante residente em Viajante não residente em Em No exterior Em No exterior B212* B211*

6 Agência de viagens vs. operador turístico

7 Definição de conceitos Agências de viagens vs. Operadores turísticos Agências de viagens (vendedoras) empresas que vendem ou propõem para venda ao cliente final pacotes turísticos/viagens organizadas. Operadores turísticos (ou agências de viagens organizadoras) empresas que elaboram pacotes turísticos/viagens ti i organizadas e as vendem ou propõem para venda diretamente ao cliente final ou através de uma agência vendedora: As operações de venda direta ao cliente final deverão ser reportadas segundo os princípios aplicáveis às agências de viagens. As operações de venda a agências de viagens deverão ser reportadas segundo osprincípios i aplicáveis i aos operadores turísticos. ti

8 para agências de viagens

9 Agências de Viagens Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Agências de viagens - 1. Reporte das transações na ótica da atividade individual da entidade reportante. 2. Reporte de todas as operações associadas a clientes finais não residentes que se deslocam a e a clientes finais residentes em que se deslocam ao estrangeiro. 3. A informação reportada refere-se ao momento do usufruto pelo cliente final dos serviços. Pode ser tomado como aproximação o mês do início da viagem. 4. As comissões recebidas de operadores turísticos ou outros fornecedores não residentes são comunicadas no código D7080 serviços de intermediação comercial, seguindo os mesmos princípios dos restantes códigos estatísticos que não os de viagem e turismo.

10 Agências de Viagens Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Agências de viagens - 5. As taxas de reserva cobradas a clientes finais não devem ser incluídas no valor reportado nos códigos de viagens e turismo: a) Se o cliente final é residente em, este valor não é reportado. b) Se o cliente final é não residente, este valor é reportado em Serviços de Intermediação Comercial (código D7080) 6. No país da é indicado o país de residência do cliente e no país do ativo financeiro é identificado o país de destino da viagem. 7. No caso das viagens que tenham mais do que um país de destino, e caso não seja possível repartir o valor pelos vários países, indica-se como país do ativo financeiro o país mais relevante (onde o período de permanência do viajante é superior). Se não for possível identificar o país mais relevante, identifica-se como país de destino o último país do itinerário.

11 Agências de Viagens Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Agências de viagens - 8. Para efeitos de simplificação, todas as operações são reportadas indicando como tipo de conta movimentada X (sem movimentação de conta). 9. No campo de identificação da é identificado o segmento do cliente final/ motivação da viagem de acordo com: Cliente particular: zero (0); Cliente de negócios:

12 Exemplo 1 Indicações específicas de reporte Agências de Viagens Venda de pacote organizado pela agência de viagens com destino a a uma empresa residente na Alemanha para viagem de negócios. Viagem internacional: Alojamento: Aluguer de viatura: Taxa de reserva: 200 COPE Viag. e tur. em realizadas por residentes no exterior Alojamento Viagem internacional não é reportada Agência de Viagens Valor do pacote + taxa de reserva Viagem internacional Alojamento Aluguer de viatura Código Tipo de Tipo de conta País da Montante Estatístico Valor movimentada X sem B2111 Entrada movimentação de conta Viag. e tur. em realizadas X sem por residentes no exterior Transporte Local B2112 Entrada movimentação de conta Identificação da Clientes de negócios Alemanha Destino País do ativo financeiro Alemanha Alemanha Serv. interm. comercial D7080 Entrada I;E;O;C;X 200 Alemanha - -

13 Exemplo 2 Indicações específicas de reporte Agências de Viagens Agência de viagens recebe comissões de um grupo hoteleiro residente em Espanha associadas à venda de alojamento em Espanha a cliente particular residente em. Alojamento Agência de Viagens Grupo Hoteleiro Espanha Pagamento de Comissões Valor do alojamento + taxa de reserva Alojamento Cliente particular Destino Espanha COPE Código Estatístico Tipo de valor Tipo de conta movimentada País da Identificação da País da entidade do ativo financeiro Viag. e tur. no exterior realizadas por residentes em Alojamento B2121 Entrada X sem movimentação de conta 0 Espanha Serviços de intermediação comercial D7080 Entrada I;E;O;C;X Espanha - -

14 Agências de Viagens Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Agências de viagens Pacotes Turísticos 10. Quando não é possível para a entidade reportante identificar o valor das diferentes componentes do pacote turístico: a) Se no pacote turístico estiver incluída a viagem internacional, o valor é reportado no código B21*4 - Pacotes turísticos com viagem internacional incluída. b) Senopacote turístico ti não estiver incluída aviagem internacional, i ovalor é reportado no código do serviço de viagens e turismo mais relevante. 11. Aplicam-se os restantes princípios gerais referidos anteriormente.

15 Agências de Viagens Exemplo 3 Venda de pacote turístico com o itinerário Brasil (6 noites) e Argentina (2 noites) a clientes particulares residentes em (com viagem internacional incluída). Agência de Viagens Clientes particulares Pacote turístico (com viagem internacional incluída) Destinos Brasil (6 noites) Argentina (2 noites) COPE Código Estatístico Tipo de Valor Tipo de conta movimentada País da Identificação da País do ativo financeiro Viagens e turismo no exterior realizadas por residentes em Pacotes turísticos (com viagem internacional incluída) B2124 Entrada X sem movimentação de conta 0 Brasil

16 Agências de Viagens Exemplo 4 Venda de pacote turístico com destino a Espanha a clientes particulares residentes em. Constituição do pacote: alojamento, aluguer de viatura, bilhetes para museu. Assumindo que o preço do alojamento é superior ao dos restantes serviços. Agência de Clientes Viagens particulares Pacote turístico (sem viagem internacional incluída). Alojamento + Aluguer de viatura + bilhetes museu Destino Espanha COPE Código Tipo de Tipo de conta País da Estatístico tí ti Vl Valor movimentada t Identificação da País do ativo financeiro Viagens e turismo no exterior realizadas por residentes em Alojamento B2121 Entrada X sem movimentação de conta 0 Espanha

17 Agências de Viagens Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Agências de viagens - Cruzeiros 12. O valor a reportar no código B21*5 Cruzeirosinclui taxas de embarque, mas não inclui transporte até/a partir do porto de embarque. No caso particular dos cruzeiros internacionais adquiridos por residentes em, opaísdoativo financeiroi não deverá ser preenchido, tendo em conta a dificuldade d de identificação do país de destino. 13. O valor do transporte aéreo internacional não deve ser reportado. 14. Aplicam-se os restantes princípios gerais referidos anteriormente.

18 Agências de Viagens Exemplo 5 Venda de viagens em cruzeiros com itinerário pelo Mediterrâneo a clientes particulares residentes e da viagem para o porto de embarque em Barcelona. Valor do cruzeiro: Valor da viagem internacional: Agência de Viagens Viagem internacional não é reportada Cruzeiro Clientes particulares Destino Vários países do Mediterrâneo COPE Código Estatístico Tipo de Valor Tipo de conta movimentada Montante País da Identificação da País do ativo financeiro Viagens e turismo em realizadas por B2125 Entrada residentes no exterior Cruzeiros X sem movimentação de conta

19 Agências de Viagens Resumo das regras específicas de reporte dos códigos de viagens e turismo para agências de viagens COPE Código Estatístico Tipo de Valor País da Identificação da País da entidade do ativo Momento de reporte Tipo de conta Viagens e turismo, exceto cruzeiros B21*1 B21*2 B21*3 B21*4 Entrada País de residência do cliente final Viagens e País de turismo - B21*5 Entrada residência do cruzeiros 0 (cliente particular) (cliente de negócios) ói 0 (cliente particular) cliente final (cliente de negócios) País de destino da viagem Momento do usufruto da viagem (mês do inicio viagem) Momento do usufruto da - viagem (mês do inicio viagem) X (sem movimentação de conta) X (sem movimentação de conta)

20 para operadores turísticos

21 Operadores Turísticos Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Operadores Turísticos operações com Agências de Viagens 1. Reporte das transações na ótica da atividade individual da entidade reportante. 2. No âmbito das operações desenvolvidas pelos operadores turísticos: Vendas diretas ao cliente final: reporte idêntico ao aplicável às agências de viagens; Vendas a agências de viagens ou outros intermediários: reporte de acordo com regras específicas para operadores turísticos.

22 Operadores Turísticos Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Operadores Turísticos operações com Agências de Viagens 3. Enquanto operadores turísticos, estão isentos do reporte das COPE relativas a: venda de pacotes turísticos a agências de viagens ou a outros intermediários; compras a fornecedores não residentes para constituição dos pacotes turísticos.

23 Operadores Turísticos Princípios Gerais - Códigos de Viagens e Turismo - Operadores Turísticos operações com Agências de Viagens 4. As comissões que recebem de fornecedores não residentes ou que pagam a clientes não residentes devem ser reportadas em serviços de intermediação comercial (código D7080). 5. Numa base anual, deverão reportar uma estimativa da estrutura de custos dos diferentes componentes dos pacotes turísticos com viagem internacional incluída vendidos a agências de viagens ou a outros intermediários (residentes e não residentes), tal como indicado no quadro seguinte. Excluem-se deste reporte as operações relativas a cruzeiros.

24 Operadores Turísticos Pacotes turísticos vendidos a agências de viagens Residência da agência de viagens País de origem País de destino * Montante total faturado Peso transporte internacional Peso alojamento Peso transporte local Peso outros serviços Residente País de destino valor % % % % Residente País de origem valor % % % % Não Residente País de destino valor % % % % Não Residente País de origem valor % % % % * No caso dos pacotes turísticos que tenham mais do que um país de destino, e caso não seja possível repartir o valor pelos vários países, indica-se como país de destino o país mais relevante (onde o período de permanência do viajante é superior). Se não for possível identificar o país mais relevante, identifica-se como país de destino o último país do itinerário.

25 Exemplo 6 Operador turístico compra alojamento a um hotel em e vende a uma agência de viagens em Espanha. Indicações específicas de reporte Operadores Turísticos Alojamento Operador Turístico Grupo Hoteleiro Pagamento de Comissões Comissões Valor do alojamento Alojamento Agência de Viagens Espanha Viajantes Espanha Destino COPE Código Estatístico Tipo de valor Tipo de conta movimentada País da Identificação da País da entidade do ativo financeiro Serviços de intermediação comercial D7080 Saída I;E;O;C;X Espanha - - Reporte COPE

26 Exemplo 7 Operador turístico compra alojamento a um hotel em e vende a uma agência de viagens em Espanha. Indicações específicas de reporte Operadores Turísticos Alojamento Operador Turístico Grupo Hoteleiro Pagamento de Comissões Comissões Valor do alojamento Alojamento Agência de Viagens Espanha Viajantes Espanha Destino Residência da agência de viagens País de origem País de destino * Montante total faturado Peso transporte internacional i Peso alojamento Peso transporte locall Sem reporte, porque não inclui transporte internacional Peso outros serviços Reporte Anual

27 Operadores Turísticos Resumo das regras específicas de reporte dos códigos de viagens e turismo para operadores turísticos COPE Código Tipo de País da Estatístico Valor Identificação da País da entidade do ativo Momento de reporte Tipo de conta B21*1 B21*2 Viagens e B21*3 turismo B21*4 B21*5 B21*6 Isenção de reporte Reporte a enviar anualmente: Residência da AV País de origem País de destino * Montante total faturado % transporte internacional % alojamento % transporte local % outros serviços O reporte deverá ser feito em formato excel, via Área da Empresa, até ao 15º dia útil após o final de cada ano. O ficheiro com informação relativa ao ano de 2012 deverá ser enviado, excecionalmente, até dia 31 de Março de Solicitar o envio do modelo de ficheiro de reporte para com o assunto: Operador Turístico.

28 Princípios Gerais Outros códigos estatísticos Agências de Viagens e Operadores Turísticos 1. As restantes operações, não incluídas nos códigos de viagens e turismo, devem ser reportadas na ótica da atividade individual da entidade reportante face a entidades não residentes em.

29 Exemplo 8 Operador turístico ti recebe comissões de um hotel em Espanha. Operador Turístico Recebimento da comissão Serviço de intermediação comercial Hotel Espanha Operação COPE Código Estatístico Sentido País Recebimento pela venda de serviços de intermediação comercial Serviços de intermediação D7080 Entrada Espanha comercial Não é identificado o país do ativo financeiro e não é preenchida a identificação da

30 Exemplo 9 Aquisição i de serviços de informática ao Reino Unido pela agência de viagens. Agência de Viagens Pagamento Serviços informáticos Fornecedores Reino Unido Operação COPE Código Estatístico Sentido País Pagamento pela aquisição de serviços informáticos Serviços informáticos D2020 Saída Reino Unido Não é identificado o país do ativo financeiro e não é preenchida a identificação da

Apresentação do novo sistema de reporte. Dezembro 2012

Apresentação do novo sistema de reporte. Dezembro 2012 Apresentação do novo sistema de reporte Dezembro 2012 Esquema da Apresentação Novo sistema de reporte Área de Empresa Aplicação de Recolha Questões específicas da rubrica Viagens e Turismo Banco de Portugal

Leia mais

Âmbito da rubrica Viagens e Turismo. Indicações específicas de reporte para hotéis e outros empreendimentos turísticos

Âmbito da rubrica Viagens e Turismo. Indicações específicas de reporte para hotéis e outros empreendimentos turísticos Questões específicas da rubrica Viagens e Turismo Âmbito da rubrica Viagens e Turismo Indicações específicas de reporte para hotéis e outros empreendimentos turísticos Âmbito da rubrica Viagens e Turismo

Leia mais

Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior

Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior Apresentação do novo sistema de reporte Dezembro 2012 Esquema da Apresentação Novo sistema de reporte Área de Empresa Aplicação de Recolha Questões específicas

Leia mais

Questões específicas do transporte aéreo. Classificação dos serviços de transporte aéreo. Reporte das operações relacionadas com o transporte aéreo

Questões específicas do transporte aéreo. Classificação dos serviços de transporte aéreo. Reporte das operações relacionadas com o transporte aéreo Questões específicas do Classificação dos serviços de Reporte das operações relacionadas com o Banco de Dezembro de 2012 1 Classificação dos serviços de Banco de Dezembro de 2012 2 Classificação dos serviços

Leia mais

Âmbito das operações desenvolvidas por transitários

Âmbito das operações desenvolvidas por transitários Âmbito das operações desenvolvidas por transitários Banco de / Departamento de Estatística março de 2013 1 - s Transporte de mercadorias B1*10 Inclui os fretes relativos ao transporte de mercadorias. Não

Leia mais

Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos

Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos Legislação para Operações Turísticas Análise do quadro legal aplicável no contexto da atividade das agências de viagens. Caracterização dos organismos Institucionais

Leia mais

Papel das empresas no novo sistema das estatísticas externas. Carla Marques

Papel das empresas no novo sistema das estatísticas externas. Carla Marques Papel das empresas no P ld novo sistema das estatísticas externas Carla Marques ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO I. Estatísticas externas Portuguesas II. Sistema das estatísticas externas e necessidade de reformulação

Leia mais

DOCUMENTO OPERACIONAL. PROCESSO: ATENDIMENTO A CLIENTES EM VIAGENS PARTICULARES ou LAZER. SETOR RESPONSÁVEL: LAZER

DOCUMENTO OPERACIONAL. PROCESSO: ATENDIMENTO A CLIENTES EM VIAGENS PARTICULARES ou LAZER. SETOR RESPONSÁVEL: LAZER PÁGINA: 1 de 6 1.0 OBJETIVO: Atender aos clientes passageiros em suas solicitações de serviços de viagens particulares ou a lazer, identificar suas necessidades, analisar criticamente as solicitações (seleção

Leia mais

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009 INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS Praia, 29 de Abril de 2010 Plano de apresentação Introdução. Nota metodológica. Apresentação dos resultados..satisfação..gastos. TURISTAS, 2009 Objectivos do Inquérito

Leia mais

B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito

B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito Anexo B B. Norma de Reembolso de Despesas do Governador de Distrito Os governadores de distrito podem requisitar reembolso das atividades a seguir. Todas as viagens devem ser feitas da forma mais econômica

Leia mais

Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) Perguntas Frequentes - COPE

Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) Perguntas Frequentes - COPE Perguntas Frequentes - COPE Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) Departamento de Estatística Banco de Portugal +351 707 201 409 ddebp.reporte@bportugal.pt Versão Maio de 2013 Comunicação de Operações

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

GUIA DE BOLSO CARTÕES DE CRÉDITO CREDICARD CITI - CTA

GUIA DE BOLSO CARTÕES DE CRÉDITO CREDICARD CITI - CTA GUIA DE BOLSO CREDICARD CITI - CTA GUIA DE BOLSO CARTÃO CREDICARD CITI CORPORATE 1 GUIA DE BOLSO CARTÕES DE CRÉDITO CREDICARD CITI - CTA Índice 1. CARTÃO CREDICARD CITI CORPORATE TRAVEL ACCOUNT - CTA 03

Leia mais

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO

REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO REGRAS DE EXECUÇÃO DA DECISÃO N.º 32/2011 RELATIVA AO REEMBOLSO DAS DESPESAS DE VIAGEM DOS DELEGADOS DOS MEMBROS DO CONSELHO Bruxelas, 1 de Março de 2011 SN 1704/11 1. INTRODUÇÃO O presente documento descreve

Leia mais

REGULAMENTO VALE-VIAGEM CVC

REGULAMENTO VALE-VIAGEM CVC REGULAMENTO VALE-VIAGEM CVC A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S/A, pessoa jurídica de direito privado inscrita no CNPJ nº. 10.760.260/0001-19, com sede na Rua das Figueiras, 501, 8º andar, Bairro

Leia mais

Faturação simplificada: Principais alterações

Faturação simplificada: Principais alterações Faturação simplificada: Principais alterações Informação elaborada pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas Atualizado em 22 11 2012 Nota: Agradece-se que coloque qualquer dúvida ou sugestão através

Leia mais

Viena CAMPEONATO EUROPEU 2013. Elaborado a 17-09-2013

Viena CAMPEONATO EUROPEU 2013. Elaborado a 17-09-2013 Viena CAMPEONATO EUROPEU 2013 Elaborado a 17-09-2013 PROGRAMA PACOTE 4 NOITES Sexta-feira 04 Outubro Comparência120 minutos antes da partida. Assistência nas formalidades de embarque pelos representantes

Leia mais

DE OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM O EXTERIOR)

DE OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM O EXTERIOR) COPE - Configuração e Recolha de Informação (COMUNICAÇÃO DE OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM O EXTERIOR) Versão 1.0 abril de 2013 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Configurações Gerais... 4 Administrador...4

Leia mais

Agências de Viagens e Turismo. guia para empresários e empreendedores

Agências de Viagens e Turismo. guia para empresários e empreendedores Agências de Viagens e Turismo guia para empresários e empreendedores Agências de Viagens e Turismo guia para empresários e empreendedores Índice pág. 1. Viagens Turísticas 5 2. Agências de Viagens e Turismo

Leia mais

1 Instruções gerais para os dois formulários. 2 Instruções para o formulário relativo ao total dos ativos. Fevereiro de 2015.

1 Instruções gerais para os dois formulários. 2 Instruções para o formulário relativo ao total dos ativos. Fevereiro de 2015. Instruções para preenchimento dos formulários relativos ao total dos ativos e das posições em risco para efeitos de recolha dos fatores de taxa utilizados no cálculo das taxas de supervisão Fevereiro de

Leia mais

ITINERARIOS TURISTICOS. Tema I - Considerações Gerais. 3º ano Gestão de Mercados Turísticos Informação Turística e Animação Turística

ITINERARIOS TURISTICOS. Tema I - Considerações Gerais. 3º ano Gestão de Mercados Turísticos Informação Turística e Animação Turística ITINERARIOS TURISTICOS Tema I - Considerações Gerais 3º ano Gestão de Mercados Turísticos Informação Turística e Animação Turística Por: dr. Sérgio de Jesus Belchior Breves Considerações A diversificação

Leia mais

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras Access Azores. Associação privada s/ fins lucrativos;. Constituída em 2014;. Idealizada no seio académico das Universidades de Coimbra e de Aveiro;. Professores, alunos e ex-alunos ligados ao setor do

Leia mais

Taxa de Ocupação atinge 80,69% e registra o melhor resultado para um mês de abril

Taxa de Ocupação atinge 80,69% e registra o melhor resultado para um mês de abril TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, em parceria com Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro Abril de 2012 Taxa

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008. Evento: World Congress of Epidemiology

PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008. Evento: World Congress of Epidemiology PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008 SETEMBRO 2008 Informações do Evento. Evento: World Congress of Epidemiology Período: 20 a 24 de setembro de 2008

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO SOFIN CONCESSÃO DE DIÁRIAS OU HOSPEDAGEM E PASSAGENS PARA BANCA EXTERNA DE CONCURSOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO SOFIN CONCESSÃO DE DIÁRIAS OU HOSPEDAGEM E PASSAGENS PARA BANCA EXTERNA DE CONCURSOS 1. Legislação CONCESSÃO DE DIÁRIAS OU HOSPEDAGEM E PASSAGENS PARA BANCA EXTERNA DE CONCURSOS 1.1 A concessão de Diárias ou Hospedagem e Passagens pelo Setor de Educação da UFPR deverá observar o disposto

Leia mais

PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008. Consolidado 6 Eventos - Rio de Janeiro

PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008. Consolidado 6 Eventos - Rio de Janeiro PESQUISA DO IMPACTO ECONÔMICO DOS EVENTOS INTERNACIONAIS REALIZADOS NO BRASIL - 2007/2008 JUNHO 2008 Informações do Evento Consolidado 6 Eventos - Rio de Janeiro EVENTO CIDADE PERÍODO Nº DE PARTICIPANTES

Leia mais

VIAGEM IBIZA SPRING BREAK 2013

VIAGEM IBIZA SPRING BREAK 2013 VIAGEM IBIZA SPRING BREAK 2013 INFORMAÇÃO GERAL VIAGEM CONDIÇÕES GERAIS E ESPECÍFICAS DE RESERVA ORGANIZAÇÃO Organização e Coordenação Técnica: > Megaviagens (Movimento Viagens - Viagens e Turismo Unipessoal,

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições:

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições: REGULAMENTO A OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS CVC TUR LTDA., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às condições

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 29 de dezembro de 2014 GASTOS TURÍSTICOS INTERNACIONAIS NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ANO DE 2013 Nota introdutória O Inquérito aos Gastos Turísticos Internacionais (IGTI) foi uma operação estatística

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE SERVIÇOS DE TURISMO (este contrato deve ser impresso e preenchido de próprio punho e enviado para o endereço de contato em até 5 dias úteis após a confirmação da compra do

Leia mais

Capítulo 1- Agências de Viagem

Capítulo 1- Agências de Viagem Capítulo 1- Agências de Viagem 1.1- Quadro Sinótico Relativamente ao D.L. n.º 199/2012, de 24 de agosto, transcrito de seguida, os seus artigos n.º s 2, 3, 4, 5 e 6 foram omitidos neste trabalho. Neles

Leia mais

3-5 TURISMO. Os dados sistematizados nesta seção referemse fundamentalmente à entrada e procedência de estrangeiros e aos índices de hotelaria.

3-5 TURISMO. Os dados sistematizados nesta seção referemse fundamentalmente à entrada e procedência de estrangeiros e aos índices de hotelaria. Anuário Estatístico do Município de Belém-2012 3-5 TURISMO 1 3-5 TURISMO Os dados sistematizados nesta seção referemse fundamentalmente à entrada e procedência de estrangeiros e aos índices de hotelaria.

Leia mais

Cod_estat A1010 A1020 A1030 A1040 A2010 A3010 A4010 A5010 A5020 B1110 B1120 B1130 B1140 B1211 B1212 B1213 B1214 B1221 B1222 B1223 B1224 B1230 B1240

Cod_estat A1010 A1020 A1030 A1040 A2010 A3010 A4010 A5010 A5020 B1110 B1120 B1130 B1140 B1211 B1212 B1213 B1214 B1221 B1222 B1223 B1224 B1230 B1240 Cod_estat A1010 A1020 A1030 A1040 A2010 A3010 A4010 A5010 A5020 B1110 B1120 B1130 B1140 B1211 B1212 B1213 B1214 B1221 B1222 B1223 B1224 B1230 B1240 B1310 B1320 B1330 B1340 B1410 B1420 B1430 B1440 B1510

Leia mais

Deslocações turísticas de residentes aumentaram

Deslocações turísticas de residentes aumentaram PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 2º Trimestre 2013 31 de outubro de 2013 Deslocações turísticas de residentes aumentaram Entre abril e junho de 2013, os residentes em Portugal efetuaram 3,9 milhões de

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE

DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE DIREITOS DOS PASSAGEIROS DOS TRANSPORTES AÉREOS FORMULÁRIO DE RECLAMAÇÃO UE ESTE FORMULÁRIO PODE SER UTILIZADO PARA APRESENTAR UMA RECLAMAÇÃO JUNTO DE UMA TRANSPORTADORA AÉREA E/OU DE UM ORGANISMO NACIONAL

Leia mais

Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) formação online. Casos práticos

Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) formação online. Casos práticos Casos práticos Comunicação de Operações com o Exterior (COPE) formação online O presente documento compreende a informação correspondente aos casos práticos da Comunicação de Operações com o Exterior (COPE)

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015

REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 REGULAMENTO DO CONCURSO DE BOLSAS SANTANDER TOTTA/ UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2015 Este concurso visa reforçar a cooperação existente entre a Universidade de Coimbra (UC) e as instituições suas parceiras,

Leia mais

22-05-2013 NUNO CASEIRO IPCB/ESA

22-05-2013 NUNO CASEIRO IPCB/ESA NUNO CASEIRO IPCB/ESA 1 Uma ideia não é um negócio!? Tempo Que restaurante? Onde? Para quem? Horário? Tenho uma ideia Um restaurante Como divulgar? O que preciso? Licenciamentos? Que tipo de comida? Horário?

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 O Regulamento (UE) n.º 181/2011 (a seguir designado por «Regulamento») é aplicável a partir de 1 de março de 2013. Estabelece um conjunto

Leia mais

Apresentação: WebTour - Sistema de Gestão de Pacotes Turísticos

Apresentação: WebTour - Sistema de Gestão de Pacotes Turísticos Apresentação: WebTour - Sistema de Gestão de Pacotes Turísticos M&M Soluções Web www.mmsolucoesweb.com.br Página 2 de 18 Apresentação Criada oficialmente em 2009, a M&M iniciou suas atividades através

Leia mais

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Comércio e Serviços Andréa Bastos da Silva Guimarães. Contas-satélites

Diretoria de Pesquisas Coordenação de Comércio e Serviços Andréa Bastos da Silva Guimarães. Contas-satélites Diretoria de Pesquisas Coordenação de Comércio e Serviços Andréa Bastos da Silva Guimarães Contas-satélites 24/06/2015 Fontes e referências Manual de Contas Nacionais SNA 1993. Manual de Contas Nacionais

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA NO SETOR DE INSTALAÇÕES SINDICATO DA INDÚSTRIA DE INSTALAÇÃO - SP

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA NO SETOR DE INSTALAÇÕES SINDICATO DA INDÚSTRIA DE INSTALAÇÃO - SP 1 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA NO SETOR DE INSTALAÇÕES SINDICATO DA INDÚSTRIA DE INSTALAÇÃO - SP 2 APRESENTAÇÃO O Sindicato da Indústria de Instalação -, identificou

Leia mais

Novas regras de faturação. (DL n.º197/2012 de 24 de agosto)

Novas regras de faturação. (DL n.º197/2012 de 24 de agosto) 1 Novas regras de faturação (DL n.º197/2012 de 24 de agosto) Este diploma introduz alterações às regras de faturação em matéria de imposto sobre o valor acrescentado, em vigor a partir de 1 de janeiro

Leia mais

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo PERFIL PROFISSIONAL Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo É o profissional que atua em agências de viagens, em meios de hospedagem, em empresas de transportes e de eventos; promove

Leia mais

Formulários ANEXO C 239) QUAL É A UNIDADE MONETÁRIA A CONSIDERAR PARA PREENCHIMENTO DA IES?

Formulários ANEXO C 239) QUAL É A UNIDADE MONETÁRIA A CONSIDERAR PARA PREENCHIMENTO DA IES? Formulários ANEXO C 239) QUAL É A UNIDADE MONETÁRIA A CONSIDERAR PARA PREENCHIMENTO DA IES? O preenchimento deve ser efetuado em euros, com duas casas decimais. 240) SOU UM MEDIADOR DE SEGUROS (CAE REV.3

Leia mais

SINOPSE DE PESQUISA 2012/2013 INDICADORES ECONÔMICOS DAS VIAGENS CORPORATIVAS ALAGEV VERSÃO FINAL

SINOPSE DE PESQUISA 2012/2013 INDICADORES ECONÔMICOS DAS VIAGENS CORPORATIVAS ALAGEV VERSÃO FINAL SINOPSE DE PESQUISA 2012/2013 INDICADORES ECONÔMICOS DAS VIAGENS CORPORATIVAS ALAGEV VERSÃO FINAL São Paulo Janeiro/2014 1 Associação de Apoio à Pesquisa ALAGEV Associação Latino Americana de Gestores

Leia mais

ROADSHOW BR-PORTO ALEGRE(BS15) Informação geral. Condições de participação. Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo

ROADSHOW BR-PORTO ALEGRE(BS15) Informação geral. Condições de participação. Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo De: ViniPortugal Enviado: quinta-feira, 2 de Abril de 2015 15:16 Para: tiagocaravana@vinhosdoalentejo.pt Assunto: ViniPortugal - Evento

Leia mais

Passagem aérea, Hospedagem, Ingressos com Aluguel de carro

Passagem aérea, Hospedagem, Ingressos com Aluguel de carro Passagem aérea, Hospedagem, Ingressos com Aluguel de carro Pacote 01: 1ª Etapa / 1ª Fase / 11 dias - Saída 3 setembro 2011 - Regresso: 13 setembro de 2011 Hotel com café da manhã: 06 noites em Auckland

Leia mais

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT.

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Versão: 01/2013 As presentes instruções aplicam-se a todas as Operações de Transportes

Leia mais

CATALUNHA pátria de artistas

CATALUNHA pátria de artistas oportunidade aproveitando a oportunidade do espaço, visitaremos a Casa-Museu Salvador Dalí em Cadaqués e o Teatro-Museu Dalí em Figueres os cenários mar, espaços naturais, mosteiro em ruínas, vida selvagem,...

Leia mais

TARIFA OPERADORA TAM. Procedimentos e orientações para consulta, reserva e emissão de bilhetes TAM Tarifa Operadora. Julho/2013

TARIFA OPERADORA TAM. Procedimentos e orientações para consulta, reserva e emissão de bilhetes TAM Tarifa Operadora. Julho/2013 Julho/2013 TARIFA OPERADORA TAM Procedimentos e orientações para consulta, reserva e emissão de bilhetes TAM Tarifa Operadora Clube Turismo Matriz Av. Pres. Epitácio Pessoa, 724, Torre CEP 58040-000 João

Leia mais

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE ICANN PT AL/2007/SD/4.Rev1 ORIGINAL: inglês DATA: 6 de junho de 2007 STATUS: FINAL Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números Série de documentos 2007 - Propostas para a equipe COMUNIDADE

Leia mais

08 DE SETEMBRO DE 2013

08 DE SETEMBRO DE 2013 08 DE SETEMBRO DE 2013 A Meia Maratona de Buenos Aires é uma das mais charmosas provas realizadas na América do Sul. Possui grande procura pelos brasileiros pelo fato do percurso plano e distância de 21

Leia mais

Entrega de Folhas de Férias

Entrega de Folhas de Férias Entrega de Folhas de Férias Questões mais frequentes FAQs Maio/2012 Versão 2.0 DDO É obrigatório adoptar o novo formato para envio da informação de Folhas de Férias estabelecido na legislação em vigor

Leia mais

Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior

Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior Apresentação do novo sistema de reporte de informação Março 2013 Esquema da Apresentação Área de Empresa Comunicação de Operações e posições com o exterior

Leia mais

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 OBJECTO Facilitar o acesso ao crédito por parte das PME, nomeadamente através da bonificação de taxas de juro e da minimização

Leia mais

Especialmente elaborada para: Soluções criativas para viagens inesquecíveis

Especialmente elaborada para: Soluções criativas para viagens inesquecíveis Especialmente elaborada para: Soluções criativas para viagens inesquecíveis Douro 06 a 08 de Outubro de 2016 Itinerário 1º Dia 06 Outubro - LISBOA / COIMBRA / PORTO Em hora e local a informar, partida

Leia mais

Segunda-feira. Sessão de Abertura e Jantar de Boas- Vindas oferecido pela Prefeitura da cidade de Búzios.

Segunda-feira. Sessão de Abertura e Jantar de Boas- Vindas oferecido pela Prefeitura da cidade de Búzios. www.apavtnet.pt PROGRAMA DO CONGRESSO 01DEZ 02DEZ 03DEZ 04DEZ 05DEZ Sábado Chegada dos Congressistas à cidade de acolhimento do Congresso. Transfer para os hotéis. Entrega da pasta de Congressista no Welcome

Leia mais

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores 2009 Cartilha de Câmbio Envio e recebimento de pequenos valores Apresentação O Banco Central do Brasil criou esta cartilha para orientar e esclarecer você, que precisa negociar moeda estrangeira, sobre

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

TMS - TRAVEL MANAGEMENT SYSTEM. Sistema de pesquisa, reservas e gerenciamento de viagens nacionais e internacionais.

TMS - TRAVEL MANAGEMENT SYSTEM. Sistema de pesquisa, reservas e gerenciamento de viagens nacionais e internacionais. TMS - TRAVEL MANAGEMENT SYSTEM Sistema de pesquisa, reservas e gerenciamento de viagens nacionais e internacionais. G u i a do u s u á r i o TMS TRISTAR MANAGEMENT SYSTEM Guia do Usuário TRISTAR VIAGENS

Leia mais

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento Captação de Grandes Congressos Internacionais Regulamento Artigo 1º Objecto 1. O presente regulamento tem por objecto a definição dos termos de concessão de apoio a projectos de captação de grandes Congressos

Leia mais

ALGUMAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO PARA A CONTABILIDADE DO DECIVIL. 1. Enquadramento

ALGUMAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO PARA A CONTABILIDADE DO DECIVIL. 1. Enquadramento ALGUMAS REGRAS DE FUNCIONAMENTO PARA A CONTABILIDADE DO DECIVIL 1. Enquadramento É essencial assegurar a uniformidade de procedimentos em todos os Serviços de Contabilidade do IST que dispõem de autonomia

Leia mais

O cliente pode escolher as transações que quer pagar na Loja CTT? Não, pode escolher os dias (valor total para um dia) que pretende pagar.

O cliente pode escolher as transações que quer pagar na Loja CTT? Não, pode escolher os dias (valor total para um dia) que pretende pagar. FAQ 1. Sistema Pós-Pago Quais os custos administrativos associados? Os custos administrativos são cobrados no momento do pagamento, dependendo do número de viagens cobradas (0,26 +IVA por viagem até um

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014 ACORDO PRÉ-ADESÃO O presente acordo visa definir os termos de participação na Participação na Feira BIJORHCA em França (Paris) que se realizará de 22 a 27 de janeiro de 2015, promovida pela ANJE Associação

Leia mais

A verdadeira arte de viajar

A verdadeira arte de viajar A verdadeira arte de viajar A Ducato Turismo é uma agência especializada na prestação de serviços de gestão de viagens corporativas, com proposta e objetivo de personalização no atendimento diferenciado

Leia mais

Agências de Viagens e Turismo. O que o cliente deve saber

Agências de Viagens e Turismo. O que o cliente deve saber Agências de Viagens e Turismo O que o cliente deve saber Agências de Viagens e Turismo O que o cliente deve saber Índice pág. 1. Informações relevantes 1.1. Antes da viagem 1.2. Durante a viagem 1.3.

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP. Edital de Seleção 2014. Universidade Autônoma de Barcelona PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DA FESPSP Edital de Seleção 2014 Universidade Autônoma de Barcelona A área de Extensão Acadêmica e Cooperação Internacional da FESPSP em conjunto com as coordenações

Leia mais

Informação geral. Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo

Informação geral. Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo Tiago Caravana - Vinhos do Alentejo De: Sofia Salvador Enviado: terça-feira, 7 de Abril de 2015 19:53 Assunto: PROLONGAMENTO DATA LIMITE INSCRIÇÃO 15 ABRIL GRANDE PROVA

Leia mais

A participação neste passatempo é feita através da aplicação disponibilizada para o efeito em www.

A participação neste passatempo é feita através da aplicação disponibilizada para o efeito em www. 1. ENTIDADE PROMOTORA VIAGENS ABREU, SA com sede na Avenida dos Aliados, 207, Porto, Pessoa Coletiva número 500297177, com o RNAVT n.º 1702, adiante designada por Agência Abreu é a promotora do presente

Leia mais

I. OPERAÇÕES EFECTUADAS PELOS BANCOS

I. OPERAÇÕES EFECTUADAS PELOS BANCOS Anexo à Instrução nº 1/96 I. OPERAÇÕES EFECTUADAS PELOS BANCOS 1. Regras de comunicação ao Banco de Portugal A obrigatoriedade de transmissão de uma COE (Comunicação de Operação com o Exterior) ao Banco

Leia mais

a) As inscrições terminarão quando se atingirem o número total de quartos disponíveis a) Pagamento Integral (100%) (Bilhete de Avião - ver alínea d);

a) As inscrições terminarão quando se atingirem o número total de quartos disponíveis a) Pagamento Integral (100%) (Bilhete de Avião - ver alínea d); Páscoa na Neve 09 Regulamento para Inscrições Preâmbulo Este regulamento visa estabelecer os critérios de inscrição (Páscoa na Neve), nomeadamente em relação aos pagamentos, devoluções, cheques, entrada

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO: MACAU

REGULAMENTO DO CONCURSO: MACAU REGULAMENTO DO CONCURSO: MACAU 1.- Entidade organizadora. - A entidade organizadora deste concurso é a empresa Vacaciones edreams, S.L. Sociedad Unipersonal (a partir desde momento designada como edreams),

Leia mais

Como o TMC agrega valor ao Cliente Corporativo?

Como o TMC agrega valor ao Cliente Corporativo? Como o TMC agrega valor ao Cliente Corporativo? Palestrante Lúcio Oliveira Consultor de Gestão Estratégica, Vendas e Planejamento Estratégico, Instrutor, Palestrante e Advisor de Empresas do Turismo, é

Leia mais

TABELA 1 INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROCESSO COMPLETO DE DESALFANDEGAMENTO 1) PREPARAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS.

TABELA 1 INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROCESSO COMPLETO DE DESALFANDEGAMENTO 1) PREPARAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS. TABELA 1 INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROCESSO COMPLETO DE DESALFANDEGAMENTO 1) PREPARAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS a) LICENCIAMENTO Para que uma mercadoria seja legalizada o primeiro passo a tomar deverá

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS 1 CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE PROGRAMAS DE VIAGENS IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES O(a)Sr(a)., RG n.º, CPF, telefone(s),e-mail, endereço, Bairro,Cidade, Cep, de ora em diante denominado(a) simplesmente

Leia mais

III Olimpíadas da Economia. Regulamento

III Olimpíadas da Economia. Regulamento III Olimpíadas da Economia Regulamento Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1. O presente regulamento estabelece um conjunto de normas e orientações gerais sobre as III Olimpíadas da Economia

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Agências de Viagens e Transportes Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL MÉXICO

MISSÃO EMPRESARIAL MÉXICO MISSÃO EMPRESARIAL MÉXICO Cidade do México - 27 a 31de Outubro de 2014 COM GARANTIA DE SUCESSO Saiba mais na pág. 5 MÉXICO O México, oficialmente Estados Unidos Mexicanos, é uma república constitucional

Leia mais

XIX CAMPEONATO REGIONAL DAS PROFISSÓES A Ç O R E S 2 0 1 0

XIX CAMPEONATO REGIONAL DAS PROFISSÓES A Ç O R E S 2 0 1 0 Composição da Prova A prova de Recepção de Hotelaria e Turismo é composta por: 1. Provas escritas 2 Testes teóricos de avaliação de conhecimentos 2 Teste teórico-práticos de avaliação de conhecimentos

Leia mais

1) O QUE É A INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA (IES)?

1) O QUE É A INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA (IES)? Âmbito Geral 1) O QUE É A INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA (IES)? A IES, criada pelo Decreto-Lei n.º 8/2007, de 17 de janeiro, recentemente alterado pelo Decreto-lei n.º 10/2015, de 16 de janeiro, consiste

Leia mais

b) Envio e Inscrição: A intenção da inscrição deverá ser enviada através do e-mail aferreira.neve@gmail.com

b) Envio e Inscrição: A intenção da inscrição deverá ser enviada através do e-mail aferreira.neve@gmail.com Carnaval na Neve 12 Regulamento para Inscrições Preâmbulo Este regulamento visa estabelecer os critérios de inscrição (Carnaval na Neve), nomeadamente em relação aos pagamentos, devoluções, cheques, entrada

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO: OLÁ BRASIL!

REGULAMENTO DO CONCURSO: OLÁ BRASIL! REGULAMENTO DO CONCURSO: OLÁ BRASIL! 1.- Entidade organizadora. - A entidade organizadora deste sorteio é a empresa Vacaciones edreams, S.L. Sociedad Unipersonal (a partir desde momento designada como

Leia mais

09 DE OUTUBRO DE 2011

09 DE OUTUBRO DE 2011 09 DE OUTUBRO DE 2011 A Maratona de Buenos Aires, do mesmo organizador da Meia Maratona porém em datas diferentes, possui grande procura pelos brasileiros. O percurso passa por diferentes pontos turísticos

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES. 1.1. Crianças até 12 anos: Sempre que acompanhadas por um adulto - usufruirão do serviço gratuitamente.

TERMOS E CONDIÇÕES. 1.1. Crianças até 12 anos: Sempre que acompanhadas por um adulto - usufruirão do serviço gratuitamente. TERMOS E CONDIÇÕES Processo de Venda Todos os pedidos deste serviço são efectuados online. Os pedidos de assistência deverão ser efetuados com um mínimo de 72h de antecedência e máximo de 60 dias. Terá

Leia mais

1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 3. FORMAS DE ACESSO... 1 4. COMO ACESSAR O SISTEMA?... 1 5. ESQUECI MINHA SENHA, O QUE DEVO FAZER?... 2 6.

1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 3. FORMAS DE ACESSO... 1 4. COMO ACESSAR O SISTEMA?... 1 5. ESQUECI MINHA SENHA, O QUE DEVO FAZER?... 2 6. 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 3. FORMAS DE ACESSO... 1 4. COMO ACESSAR O SISTEMA?... 1 5. ESQUECI MINHA SENHA, O QUE DEVO FAZER?... 2 6. COMO FAZER UMA SOLICITAÇÃO DE VIAGEM?... 3 7. COMO FAZER A

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Taxa de Serviço do Consumidor pelos Serviços Prestados de Agência de Viagens

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Taxa de Serviço do Consumidor pelos Serviços Prestados de Agência de Viagens Parecer Consultoria Tributária Segmentos Taxa de Serviço do Consumidor pelos Serviços Prestados de Agência de Viagens 28/09/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo

Leia mais

Formuláriosf ANEXO B 191) QUAL É A UNIDADE MONETÁRIA A CONSIDERAR PARA PREENCHIMENTO DA IES ANEXO B?

Formuláriosf ANEXO B 191) QUAL É A UNIDADE MONETÁRIA A CONSIDERAR PARA PREENCHIMENTO DA IES ANEXO B? Formuláriosf ANEXO B 191) QUAL É A UNIDADE MONETÁRIA A CONSIDERAR PARA PREENCHIMENTO DA IES ANEXO B? O preenchimento deve ser efetuado em euros, com duas casas decimais. 192) AS EMPRESAS QUE UTILIZAM AS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/DIR/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/DIR/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/DIR/2012 ESTABELECE AS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE CONCESSÃO DE ADIANTAMENTO, PARA COMPENSAR FUTURAS DESPESAS COM HOSPEDAGEM, LOCOMOÇÃO URBANA E ALIMENTAÇÃO, DE ALUNOS, TÉCNICOS,

Leia mais

Perguntas frequentes procedimentos Código dos Contratos Públicos

Perguntas frequentes procedimentos Código dos Contratos Públicos Perguntas frequentes procedimentos Código dos Contratos Públicos Questões de âmbito geral - Os novos procedimentos adotados pela FFCUL aplicam-se a que tipologias de projeto? Os novos procedimentos implementados

Leia mais

Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior

Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior Estatísticas de Operações e Posições com o Exterior Apresentação do novo sistema de reporte Dezembro 2012 Esquema da Apresentação Novo sistema de reporte Reporte de informação Casos práticos Área de Empresa

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado

7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado 7. Fundamentos do agenciamento e produtos turísticos 7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado INSTRUTOR(A): Andreia Roque Representantes de agências de viagens, técnicos

Leia mais