PERGUNTAS E RESPOSTAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERGUNTAS E RESPOSTAS"

Transcrição

1 PERGUNTAS E RESPOSTAS Ø SIGLA - O QUE SIGNIFICA A SIGLA IPVA? Impst sbre a prpriedade de veículs autmtres. Ø DIPLOMA LEGAL - QUAL A LEGISLAÇÃO QUE VERSA SOBRE O TRATAMENTO TRIBUTÁRIO RELATIVO AO IPVA? O tratament tributári relativ a IPVA, previst n art. 155, incis III, da Cnstituiçã Federal, rege-se pel dispst na LEI Nº 6.555, de 30 de dezembr de 2004, publicad n DOE em 31 de dezembr de Ø INCIDÊNCIA - QUANDO OCORRE A INCIDÊNCIA DO IPVA? O IPVA incide sbre a prpriedade de veícul autmtr(aére, terrestre, aquátic u anfíbi), sujeit a registr, matrícula u licenciament neste Estad. Ø COMPETÊNCIA - A QUEM COMPETE O LANÇAMENTO, A ARRECADAÇÃO, A FISCALIZAÇÃO E A COBRANÇA DO IPVA? Cmpete a Estad de Alagas através da Secretaria Executiva de Fazenda, Diretria de Fiscalizaçã Grup de Trabalh GT - IPVA, pdend-se lavrar Cnvênis cm s demais órgãs estaduais e municipais para sua timizaçã. Ø PERIODICIDADE - QUAL A PERIODICIDADE DO IPVA? O IPVA é um impst anual, cuj fat geradr crre nas seguintes situações: veícul nv: na data de sua aquisiçã pr cnsumidr final; na data da incrpraçã a ativ permanente pr empresa fabricante u revendedra; veícul usad: n dia primeir de janeir de cada exercíci; veícul nã registrad e nã licenciad em Alagas: na data da aquisiçã, se nã huver cmprvaçã d pagament d IPVA em utra Unidade da Federaçã; veícul de prcedência estrangeira, para efeit da primeira tributaçã: na data d desembaraç aduaneir, quand imprtad pr cnsumidr final; na data da aquisiçã pr cnsumidr final, quand imprtad pr empresa revendedra; n mment da incrpraçã a ativ permanente da empresa imprtadra revendedra, quand imprtad pr esta; Ns cass de revgaçã u anulaçã d benefíci da nã-incidência u isençã, quand interessad deixar de preencher as cndições e s requisits prevists nesta u em utra lei que a cnceder n dia primeir de janeir d exercíci da revgaçã u anulaçã da nã-incidência u isençã; ns cass de furt, rub, extrsã u estelinat n mment d restabeleciment da psse u d direit de prpriedade d veícul; Ø NÃO-INCIDÊNCIA - QUAIS OS CASOS EM QUE SE PODE REQUERER O RECONHECIMENTO DA NÃO-INCIDÊNCIA DO IPVA? O IPVA nã incide sbre veícul autmtr que integre patrimôni: da Uniã, ds Estads, d Distrit Federal e ds Municípis; das autarquias e fundações instituídas e mantidas pel Pder públic, n que se refere as veículs vinculads às suas finalidades essenciais u às delas decrrentes; ds partids plítics, inclusive suas fundações; das entidades sindicais ds trabalhadres;

2 ds templs de qualquer cult; das instituições de educaçã e assistência scial, sem fins lucrativs; Ø ISENÇÃO - QUAIS OS CASOS EM QUE SE PODE REQUERER A ISENÇÃO DO IPVA? Sã isents d IPVA s veículs autmtres: de prpriedade de missões diplmáticas, órgãs cnsulares e representações de rganisms internacinais, de caráter permanente, e de prpriedade ds respectivs funcináris estrangeirs indicads pel Ministéri das Relações Exterires; fabricads para us exclusiv na atividade agrícla u flrestal; tip autmóvel, de fabricaçã nacinal, cm capacidade para até cinc cupantes, incluíd cndutr, para ser utilizad cm táxi n transprte de pessas, cmprvadamente registrad u licenciad na categria aluguel, pertencente a prfissinal autônm habilitad, bservada a legislaçã que disciplina transprte públic de passageirs; tip autmóvel de passageirs, de fabricaçã nacinal, para us exclusiv de prtadr de deficiência física, inclusive especialmente adaptad para cnduçã pel mesm, e deficiência visual e mental; de us terrestre, cm quinze u mais ans de fabricaçã; tip embarcações e aernaves, cm trinta u mais ans de fabricaçã; sinistrads cm perda ttal, a partir da data de crrência d event, send devid impst crrespndente as meses, u fraçã, já transcrrids n exercíci, devend prprietári d veícul irrecuperável requerer a baixa d veícul n RENAVAM; de prpriedade u psse de turistas estrangeirs, prtadres de Certificads Internacinais de Circular e Cnduzir, pels prazs estabelecids nesses Certificads, mas nunca superir a um an, desde que país de rigem adte tratament recíprc relativamente as veículs d Brasil; tip mtcicleta e mtneta, de fabricaçã nacinal, cm ptência de até duzentas cilindradas, de prpriedade de pessas físicas e destinadas a us exclusiv em atividade agrícla, desde que beneficiári apresente certidã emitida pr órgã cmpetente que cmprve sua cndiçã de pequen prprietári, prdutr rural u assentad em áreas destinadas à refrma agrária; enquadrads ns cass de furt, rub, extrsã u estelinat, n períd cmpreendid entre a data de crrência d fat e a data de sua recuperaçã u devluçã a prprietári, desde que seja lavrada a crrência plicial respectiva, e efetivada a infrmaçã n Registr Nacinal de Veículs Autmtres - RENAVAM, pel órgã cmpetente. Ø BASE DE CÁLCULO - QUAIS SÃO AS BASES DE CÁLCULO DO IPVA? veícul nv adquirid pr cnsumidr final valr d veícul cnstante n dcument fiscal de aquisiçã, incluíd s valres ds pcinais e acessóris e demais despesas relativas à peraçã; veícul mntad em lcal divers d fabricante d chassi pr encmenda de cnsumidr final u para incrpraçã a ativ permanente de empresa fabricante u revendedra smatóri ds valres cnstantes ns dcuments fiscais de aquisiçã, relativs a partes, peças e serviçs prestads; veícul imprtad d exterir valr cnstante n dcument de imprtaçã d veícul, acrescid ds valres ds tributs incidentes e de qualquer despesa decrrente da imprtaçã, ainda que nã pags pel imprtadr; veicul incrprad a ativ permanente d fabricante u d revendedr valr d cust de fabricaçã u aquisiçã cnstante n dcument relativ a peraçã; veícul mntad pel própri cnsumidr, u pr cnta e rdem deste smatóri ds valres, cnstantes ns dcuments fiscais de aquisiçã, de partes e peças, incluíds s serviçs prestads; veícul usad valr médi de mercad, previst na tabela discriminativa cnstante em at nrmativ d Secretari Executiv de Fazenda, levand-se em cnta preç usualmente praticad n mercad e s preçs médis aferids pr publicações nacinais especializadas, e: veícul aére, levand-se em cnsideraçã fabricante, mdel, an de fabricaçã e pes de declagem; veícul aquátic, levand-se em cnsideraçã a ptência d mtr, cmpriment, tip de casc e an de fabricaçã; veícul terrestre: a marca, mdel, a ptência, a espécie, cmbustível e an de fabricaçã. Ø ALÍQUOTAS - QUAIS AS ALÍQUOTAS DO IPVA? 1,0% (um pr cent) para ônibus, micrônibus, caminhões, caval mecânic, aernaves e embarcações; 2,0% (dis pr cent) para mtcicletas, mtnetas, ciclmtres, tricicls, quadricicls e similares; 2,5% (dis e mei pr cent) para autmóveis, caminhnetes e caminetas;

3 2,5% (dis e mei pr cent) para qualquer utr veícul autmtr nã incluíd nas hipóteses previstas ns inciss anterires. Ø CONTRIBUINTE - QUEM É CONTRIBUINTE DO IPVA? Cntribuinte d impst é a pessa natural u jurídica prprietária de veícul autmtr. N cas de arrendament mercantil, cntribuinte é a empresa arrendadra. Ø RESPONSÁVEL SOLIDÁRIO - QUEM PODE RESPONDER SOLIDARIAMENTE PELO PAGAMENTO DO IPVA? devedr fiduciári, em relaçã a veícul autmtr adquirid cm alienaçã fiduciária em garantia; arrendatári, em relaçã a veícul autmtr, bjet de arrendament mercantil; pssuidr d veícul autmtr a qualquer títul; servidr que autrizar u efetuar registr, licenciament, inscriçã, matrícula, inspeçã, vistria u transferência de veícul, de qualquer espécie, sem pagament, cm pagament a menr, u sem recnheciment da nãincidência u isençã d impst, devidamente cmprvad; despachante dcumentalista que tenha prmvid s despachs de registr u licenciament d veícul, sem pagament d impst u cm pagament a menr d que devid; adquirente, em relaçã a impst cuj fat geradr seja anterir a temp de sua aquisiçã; leileir, n cas de veícul bjet de leilã; qualquer pessa que adulterar u falsificar dcuments e dads cm fim de suprimir u reduzir valr d impst; s curadres, pel que deixar de ser pag, em razã d enquadrament indevid na isençã para prtadres de deficiência física. Ø OBRIGAÇÕES - QUAIS SÃO AS OBRIGAÇÕES DO CONTRIBUINTE DO IPVA: pagar impst devid n praz fixad na legislaçã; facilitar a açã fiscal, franqueand acess a seus estabeleciments, livrs e dcuments necessáris a desempenh funcinal da autridade cmpetente; prestar, quand slicitad, infrmações de interesse da fiscalizaçã; cumprir as dispsições previstas em ats nrmativs expedids pela Secretaria Executiva de Fazenda. Ø LANÇAMENTO DE QUE MANEIRA É LANÇADO O IPVA PARA OS CONTRIBUINTES? impst, devid anualmente, será lançad de fíci pela autridade cmpetente u ficará sujeit à hmlgaçã pela SEFAZ. Ø QUAIS OS DOCUMENTOS QUE A AUTORIDADE FAZENDÁRIA UTILIZA PARA LANÇAR O IPVA E ENCAMINHÁ-LO AO DOMICÍLIO FISCAL DO CONTRIBUINTE? O AUTO DE LANÇAMENTO, relativamente a impst nã vencid, n qual cnste, n mínim: a identificaçã d sujeit passiv; a identificaçã d veícul; valr da base de cálcul e da alíquta; valr d impst devid; a data para reclhiment d impst; a intimaçã para cumpriment u impugnaçã da exigência, n praz de até quinze dias d lançament d impst, bservad dispst n 3º d art. 7º; a indicaçã d órgã e da autridade administrativa que emitiu; O Aut de Lançament será emitid pela autridade fazendária A NOTIFICAÇÃO DE DÉBITO, relativamente a impst vencid e nã pag u nã parcelad, u pag a menr, decrrente de emissã de Aut de Lançament u sujeit à hmlgaçã, na qual cnste, n mínim: s dads discriminads n Aut de Lançament; dispsitiv infringid e a penalidade aplicável; A Ntificaçã de Débit será emitida, retificada u anulada de fíci exclusivamente pel Secretári Adjunt da Receita Estadual e pel Diretr de Fiscalizaçã, ns demais cass; AUTO DE INFRAÇÃO, ns cass de dl, fraude u simulaçã, que caracterize a falta u reduçã d pagament d impst. O Aut de Infraçã será emitid pela autridade fazendária

4 Ø INTIMAÇÃO - DE QUE FORMA O CONTRIBUINTE DO IPVA É INTIMADO DO VALOR DO IMPOSTO A RECOLHER? Ø relativamente a Aut de Lançament, mediante remessa pr via pstal u qualquer utr mei u via, cm avis de recebiment - AR u cm prva de entrega, n endereç d sujeit passiv u interessad, de cópia d instrument; relativamente à Ntificaçã de Débit, pr publicaçã n Diári Oficial d Estad, psterirmente a decurs d praz previst para pagament u venciment d impst. INTIMAÇÃO POR AUTO DE LANÇAMENTO QUANDO SE CONSIDERA INTIMADO ATRAVÉS DO AUTO DE LANÇAMENTO O CONTRIBUINTE DO IPVA? efetivada na data d recebiment n dmicíli fiscal d sujeit passiv, send que, se fr mitida a data, a intimaçã cnsidera-se feita na data em que fr devlvid cmprvante de recebiment a órgã fazendári encarregad da intimaçã; validamente efetuada quand fr: entregue n dmicíli fiscal d cntribuinte u respnsável; devlvida pr desatualizaçã d dmicíli fiscal d cntribuinte u respnsável. Ø INTIMAÇÃO POR NOTIFICAÇÃO DE DÉBITO QUANDO SE CONSIDERA INTIMADO ATRAVÉS DA NOTIFICAÇÃO DE DÉBITO O CONTRIBUINTE DO IPVA? efetivada, n primeir dia útil psterir a da data de sua publicaçã n Diári Oficial d Estad, quand sujeit passiv u interessad fr dmiciliad na capital d Estad; u n décim quint dia psterir a da data de sua publicaçã n Diári Oficial d Estad, quand sujeit passiv u interessad fr dmiciliad n interir d Estad. Ø HOMOLOGAÇÃO DO RECOLHIMENTO DO IPVA QUAIS OS CASOS EM QUE A AUTORIDADE FAZENDÁRIA HOMOLOGARÁ O RECOLHIMENTO DO IPVA PELO CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL? Quand cntribuinte u respnsável nã receba, em seu dmicíli fiscal, Aut de Lançament até praz de venciment d impst, desde que tenha efetuad pagament devid; Quand cntribuinte u respnsável efetuar pagament devid, relativamente as veículs adquirids n decrrer d exercíci de referência d impst; Quand cntribuinte u respnsável esteja brigad, pela legislaçã, a declarar e reclher antecipadamente impst, independentemente d lançament de fíci da autridade cmpetente. Ø RECOLHIMENTO DO MONTANTE DO IPVA A MENOR CASO O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL RECOLHA VALOR DO IPVA A MENOR DO QUE O EFETIVAMENTE LANÇADO, O QUE OCORRERÁ? Ø Na hipótese d cntribuinte u respnsável reclher valr d impst a menr, ns cass de lançament sujeit à hmlgaçã, a Secretaria Executiva de Fazenda emitirá Ntificaçã de Débit cm valr d impst nã reclhid, acrescid de multa, jurs e atualizaçã mnetária, cnfrme cuber. NOTIFICAÇÃO DE DÉBITO PROCEDIMENTOS - CASO O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL TOME CONHECIMEWNTO PELO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO E RECEBA EM SEU DOMICÍLIO FISCAL A NOTIFICAÇÃO DE DÉBITO, COMO DEVE PROCEDER: Publicada a Ntificaçã de Débit, deverá cntribuinte u respnsável, n praz de trinta dias cntads da data da referida publicaçã: efetuar reclhiment d impst acrescid de multa e jurs mratóris, inclusive atualizaçã mnetária, se cuber; cmprvar sua quitaçã; u slicitar, mediante a apresentaçã de elements cmprbatóris, a retificaçã de dads, inclusive relativs à prpriedade, marca, mdel e an de fabricaçã d veícul; Se cntribuinte nã prceder a nenhuma das frmas acima, n praz de 30 (trinta) dias, cntads da publicaçã da Ntificaçã de Débit, pagament d crédit tributári, iníci de pagament mediante parcelament regular, a cmprvaçã de quitaçã u a retificaçã de dads, será débit inscrit na Dívida Ativa d Estad, acrescid da multa e atualizaçã mnetária. Ø PAGAMENTO DO IPVA FORMAS - COMO DEVE O CONTRIBUYINTE OU RESPONSÁVEL PROCEDER PARA FAZER O PAGAMENTO DO IPVA? O pagament anual d impst pderá ser feit em cta única u em até três parcelas mensais e sucessivas, send cncedid descnt de 10% Sbre valr d impst, a ser reclhid integralmente, n praz de venciment. Quem estiver em débit cm IPVA de exercícis anterires só pderá pagar IPVA em parcela única quand a aquisiçã d veícul crrer n decurs desse mesm an impst será pag na prprçã de um dze avs (1/12) d valr devid anualmente, incluíd mês da crrência d event, relativamente as meses faltantes para términ d an civil, inclusive nas seguintes situações:

5 incrpraçã de veícul a ativ permanente d fabricante, d revendedr u d imprtadr revendedr; revgaçã u anulaçã da nã-incidência u isençã quand interessad deixar de preencher as cndições e s requisits; restabeleciment da psse u d direit de prpriedade d veícul isençã parcial ns cass de sinistrs cm perda ttal, desde que se prceda à devida baixa d veícul n RENAVAM Ø PAGAMENTO DO IPVA PRAZOS QUAIS OS PRAZOS PARA O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL PAGAR O IPVA DEVIDO? Ø pagament da cta única d impst deverá ser efetuad n praz de dez dias, cntads: da data de saída apsta na nta fiscal u d dcument que represente a aquisiçã da prpriedade de veícul nv; da data da revgaçã u anulaçã da nã-incidência u isençã, acrescid de multa, jurs e atualizaçã, cnfrme cuber, ns terms prevists n incis V d art. 3º; da data d desembaraç aduaneir; LICENCIAMENTO ANUAL - O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL PODE LICENCIAR O SEU VEÍCULO SEM A COMPROVAÇÃO DO PAGAMENTO? Nã. O licenciament anual d veícul, pel órgã cmpetente, smente será efetuad cm a cmprvaçã d pagament d IPVA, TAXAS, MULTAS DE TRÂNSITO e SEGURO DPVAT através da cta única d impst, tratand-se de veícul nv u d valr ttal d impst, em cta única u parcelad, tratand-se de veícul usad. Nenhum veícul será transferid u licenciad, pels órgãs cmpetentes, sem a cmprvaçã d pagament u d recnheciment da nã-incidência u isençã de impst já vencid. aplica-se igualmente as cass de renvaçã, averbaçã, frneciment de prntuári, emissã de certificads e quaisquer utrs que impliquem alteraçã n registr, na inscriçã u na matrícula d veícul. Ø PAGAMENTO DO IPVA EM ATRASO O QUE OCORRE SE O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL ATRASAR O PAGAMENTO DO IPVA? impst, quand nã pag n praz de seu venciment, ficará sujeit a acréscim de multa e jurs, estabelecids nesta Lei, e atualizaçã mnetária, cnfrme cuber. Ø TRANSFERÊNCIA DO VEÍCULO PARA OUTRO ESTADO PODE O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL TRANSFERIR O VEÍCULO EM DÉBITO PARA OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO? Nã. Fica vedada a transferência, para utra unidade da Federaçã, da prpriedade de veícul que pssua débit fiscal, inclusive bjet de parcelament nã quitad. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA - PODE O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL PARCELAR OS DÉBITOS COM O IPVA? Sim, s débits fiscais pendentes de pagament n exercíci subseqüente a d venciment d IPVA, inclusive s inscrits em Dívida Ativa, ajuizads u nã, calculads até a data da slicitaçã d parcelament, pderã ser pags em até seis parcelas, mensais e sucessivas, send que valr mínim de cada parcela nã pderá ser inferir a R$ 50,00 (cinqüenta reais). Ø ACRÉSCIMOS TRIBUTÁRIOS SOBRE O IPVA COMO SE DÁ A ATUALIZAÇÃO DO DÉBITO DO IPVA POR OCASIÃO DO PEDIDO DE PARCELAMENTO? Os acréscims tributáris, cmpreendend multa e jurs, e a atualizaçã mnetária, para efeit de cnslidaçã d débit, serã calculads até mês d pagament da parcela inicial, pdend a prtclizaçã d pedid ser efetuada ate quint dia psterir a referid pagament. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA CASO O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL ATRAZAR O PAGAMENTO DAS PARCELAS DO PARCELAMENTO DE DÉBITO, O QUE PODE OCORRER? atras n pagament de qualquer parcela, pr períd superir a sessenta dias, implicará cancelament d parcelament, cnsiderand-se vencidas tdas as parcelas vincendas. cancelad parcelament, sald d débit fiscal será inscrit em Dívida Ativa u acarretará a substituiçã da certidã, para iníci u prsseguiment da cbrança executiva, cnfrme cuber. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA O QUE DEVE CONTER O PEDIDO DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA? s dads d requerente; s dads d veícul; a cnfissã irretratável d débit;

6 númer de parcelas; a relaçã discriminativa d débit fiscal pr exercíci; cmprvante d pagament da parcela inicial; a assinatura d requerente u de seu mandatári, send indispensável, nesse últim cas, a anexaçã da prcuraçã que autrize; Term de Acrd para pagament parcelad, na frma prevista em at nrmativ d Secretári Executiv de Fazenda, devidamente preenchid e assinad pel requerente u seu representante legal. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA CASO O CONTRIBUINTE TENHA SIDO AUTUADO POR SONEGAÇÃO DO IPVA DECORRENTE DE DOLO, FRAUDE OU SIMULAÇÃO, PODE TER DIREITO AO PARCELAMENTO DE DÉBITOS? Nã, pis parcelament nã será cncedid para débits fiscais relacinads a ats qualificads em lei cm crime u cntravençã e para aqueles que, mesm sem essa qualificaçã, sejam praticads cm dl, fraude u simulaçã pel sujeit passiv u pr terceir em benefíci daquele. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA COMPETÊNCIA QUEM É COMPETENTE PARA AUTORIZAR O PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA? Secretári Adjunt da Receita Estadual; u titular da Prcuradria da Fazenda Estadual, em relaçã as débits inscrits na Dívida Ativa. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM O IPVA CASO O PEDIDO DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS TENHA SIDO INDEFERIDO, PODE O CONTRIBUNTE RECURSAR? Nã, pis nã cabe recurs d despach que indeferir pedid de parcelament. Art. 30. O pedid de parcelament deverá cnter: I - s dads d requerente; II - s dads d veícul; III - a cnfissã irretratável d débit; IV - númer de parcelas; V - a relaçã discriminativa d débit fiscal pr exercíci; VI - cmprvante d pagament da parcela inicial; VII - a assinatura d requerente u de seu mandatári, send indispensável, nesse últim cas, a anexaçã da prcuraçã que autrize; VIII - Term de Acrd para pagament parcelad, na frma prevista em at nrmativ d Diretr Geral d Departament Estadual de Trânsit, devidamente preenchid e assinad pel requerente u seu representante legal. Art. 31. O parcelament nã será cncedid para débits fiscais relacinads a ats qualificads em lei cm crime u cntravençã e para aqueles que, mesm sem essa qualificaçã, sejam praticads cm dl, fraude u simulaçã pel sujeit passiv u pr terceir em benefíci daquele. Art. 32. É cmpetente para autrizar parcelament: I - Diretr Geral d Departament Estadual de Trânsit II - Titular da Prcuradria da Fazenda Estadual, em relaçã as débits inscrits na Dívida Ativa. 1º O Diretr Geral d Departament Estadual de Trânsit pderá instituir cmissã cm atribuições de examinar s pedids de parcelament, pinand pel deferiment u indeferiment desse pedid. 2º Nã cabe recurs d despach que indeferir pedid de parcelament. Art. 33. Aplica-se a parcelament previst nesta seçã dispst ns arts. 24 a 28, n que cuber. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO - PODE O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL PARCELAR OS DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO? Sim, s débits fiscais relativs a Taxa de Fiscalizaçã e Serviçs Diverss e multas de trânsit pr infraçã a Códig de Trânsit Brasileir, lavradas pr órgãs executivs estaduais de trânsit, inclusive s inscrits em Dívida Ativa, ajuizads u nã, calculads até a data da slicitaçã d parcelament, serã pags em até seis parcelas, mensais e sucessivas, send que valr mínim de cada parcela nã pderá ser inferir a R$ 50,00 (cinqüenta reais). Ø ACRÉSCIMOS TRIBUTÁRIOS SOBRE AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO COMO SE DÁ A ATUALIZAÇÃO DO DÉBITO POR OCASIÃO DO PEDIDO DE PARCELAMENTO?

7 s acréscims tributáris, cmpreendend multa e jurs, e a atualizaçã mnetária, para efeit de cnslidaçã d débit, serã calculads até mês d pagament da parcela inicial. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO CASO O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL ATRAZAR O PAGAMENTO DAS PARCELAS DO PARCELAMENTO DE DÉBITO, O QUE PODE OCORRER? atras n pagament de qualquer parcela, pr períd superir a sessenta dias, implicará cancelament d parcelament, cnsiderand-se vencidas tdas as parcelas vincendas. cancelad parcelament, sald d débit fiscal será inscrit em Dívida Ativa u acarretará a substituiçã da certidã, para iníci u prsseguiment da cbrança executiva, cnfrme cuber. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO O QUE DEVE CONTER O PEDIDO DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO? s dads d requerente; s dads d veícul; a cnfissã irretratável d débit; númer de parcelas; a relaçã discriminativa d débit fiscal pr exercíci; cmprvante d pagament da parcela inicial; a assinatura d requerente u de seu mandatári, send indispensável, nesse últim cas, a anexaçã da prcuraçã que autrize; Term de Acrd para pagament parcelad, na frma prevista em at nrmativ d Diretr Geral d DETRAN- AL, devidamente preenchid e assinad pel requerente u seu representante legal. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO CASO O CONTRIBUINTE TENHA SIDO AUTUADO POR SONEGAÇÃO DO IPVA DECORRENTE DE DOLO, FRAUDE OU SIMULAÇÃO, PODE TER DIREITO AO PARCELAMENTO DE DÉBITOS? Nã, pis parcelament nã será cncedid para débits fiscais relacinads a ats qualificads em lei cm crime u cntravençã e para aqueles que, mesm sem essa qualificaçã, sejam praticads cm dl, fraude u simulaçã pel sujeit passiv u pr terceir em benefíci daquele. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO COMPETÊNCIA QUEM É COMPETENTE PARA AUTORIZAR O PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO? Diretr Geral d Departament Estadual de Trânsit DETRAN - AL; u titular da Prcuradria da Fazenda Estadual, em relaçã as débits inscrits na Dívida Ativa. Ø PARCELAMENTO DE DÉBITOS COM AS TAXAS DE FISCALIZAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS E MULTAS DE TRÂNSITO CASO O PEDIDO DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS TENHA SIDO INDEFERIDO, PODE O CONTRIBUNTE RECURSAR? Nã, pis nã cabe recurs d despach que indeferir pedid de parcelament. Ø RESTITUIÇÃO DE VALORES INDEVIDAMENTE RECOLHIDOS QUAIS AS SITUAÇÕES EM QUE O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL PODE SOLICITAR A RESTITUIÇÃO DE VALORES INDEVIDAMENTE RECOLHIDOS? serã restituídas, n td u em parte, as quantias pagas indevidamente, relativas a impst u penalidade, ns seguintes cass: cbrança u pagament espntâne de quantia indevida u mair que a devida em face da legislaçã tributária aplicável u de natureza u circunstância d fat geradr efetivamente crrid; err na identificaçã d sujeit passiv, na determinaçã da alíquta aplicável, n cálcul d mntante d débit u na elabraçã u cnferência de qualquer dcument relativ a impst; refrma, anulaçã, revgaçã u rescisã de decisã cndenatória; quand crrer err de fat. Ø RESTITUIÇÃO DE VALOR INDEVIDAMENTE RECOLHIDO O CONTRIBUINTE QUE TENHA DIREITO A RESTITUIÇÃO DE VALOR INDEVIDAMENTE RECOLHIDO, DEVE SER RESTITUÍDO COM OS VALORES ATUALIZADOS? Sim, pis a restituiçã ttal u parcial d impst deve ser acmpanhada da devluçã, na mesma prprçã, ds valres das multas, jurs e atualizaçã mnetária, cnfrme cuber, pags a mair u indevidamente. Ø PRAZO PARA PLEITEAR A RESTITUIÇÃO QUAL O PRAZO QUE O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL TEM PARA TER DIREITO A RESTITUIÇÃO DE VALORES INDEVIDAMENTE RECOLHIDOS? direit de pleitear a restituiçã extingue-se cm decurs d praz de 5 (cinc) ans, cntads:

8 da data d reclhiment da quantia paga indevidamente; da data em que se trnar definitiva a decisã administrativa u passar em julgad a decisã judicial que tenha refrmad, anulad, revgad u rescindid a decisã cndenatória. Ø RESTITUIÇÃO DE VALOR RECOLHIDO ANTES DE OCORRÊNCIA DE FURTO, ROUBO, EXTORSÃO, ESTELIONATO, SINISTRO OU PERDA TOTAL DO VEÍCULO É DEVIDA A RESTITUIÇÃO DE VALORES RECOLHIDOS ANTES DA OCORRÊNCIA DESTES FATOS? Ø Nã, pis nã cabe restituiçã d impst já reclhid, se crrer furt, rub, extrsã, estelinat, sinistr u perda ttal d veícul. FISCALIZAÇÃO EM QUAIS LUGARES A SEFAZ PODE FISCALIZAR OS PROPRIETÁRIOS DE VEÍCULOS AUTOMOTORES? nas vias públicas d Estad de Alagas; ns órgãs encarregads d licenciament, registr u cntrle de veículs aquátics, aerviáris e terrestres; ns veículs em trânsit, cnduzids pr seus prprietáris u terceirs; nas empresas: ns cartóris. fabricantes e de cmérci, inclusive de peças e acessóris de veículs; de repar, cnsert, desmanch u expsiçã de veículs; nas cncessinárias autrizadas e agências revendedras de veículs; Ø CADASTRO DE PROPRIETÁRIOS DE VEÍCULOS AUTOMOTORES QUEM SÃO OS ÓRGÃOS COMPETENTES PARA A GESTÃO DOS CADASTROS DE VEÍCULOS AUTOMOTORES? A Secretaria Executiva de Fazenda pderá instituir, islada u cnjuntamente, cm utr órgã públic de âmbit federal, estadual u municipal, cadastr de cntribuintes prprietáris e respnsáveis d IPVA, devend cadastr de veículs será mantid atualizad pel DETRAN, tratand-se de veículs rdviáris e pela SEFAZ, tratand-se ds demais veículs(aquátics e aéres). Ø TRANSFERÊNCIA DE PROPRIEDADE O QUE PODE OCORRER COM O ALIENANTE DO VEÍCULO QUE NÃO COMUNICAR A ALIENAÇÃO AO DETRAN? n cas de transferência de prpriedade de veícul autmtr, prprietári que estiver efetuand a transferência deverá cmunicar fat a órgã respnsável pela matrícula, inscriçã u registr d veícul, pis a falta de cmunicaçã implica em respnsabilidade subsidiária d alienante pel pagament d impst. Ø PENALIDADES QUAIS AS PENALIDADES A QUE O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL FICAM SUJEITOS POR DESCUMPRIMENTO DA NORMA LEGAL? pagament d impst devid após praz de venciment previst na legislaçã tributária, ressalvad cas de denúncia espntânea, dispst n art. 40 da Lei nº 6.555/04: MULTA - 20% (vinte pr cent) d valr d impst devid; falta de pagament ttal u parcial d impst devid, quand crrer dl, fraude u simulaçã, pel sujeit passiv u pr terceir: MULTA - 5% (cinc pr cent) d valr venal d veícul; falta de cmunicaçã da recuperaçã d veícul, n praz estabelecid na alínea b d incis II d 8º d art. 6º da lei nº 6.555/04: MULTA - 5% (cinc pr cent) d valr d impst devid. Ø DENÚNCIA EXPONTÂNEA O QUE É DENÚNCIA ESPONTÂNEA E QUAIS CONSEQUÊNCIAS PARA O CONTRIBUINTE OU RESPONSÁVEL? cnsiderar-se-á espntânea a denúncia apresentada antes d iníci de qualquer prcediment administrativ u medida de fiscalizaçã relacinads cm a infraçã, ficand cntribuinte sujeit, além da incidência de jurs de mra, cnfrme cuber, as seguintes acréscims mratóris, ns cass de falta de reclhiment d impst: 0,2% (dis décims pr cent) d valr d impst, pr dia, se débit fr reclhid dentr de trinta dias, cntads d términ d praz previst para reclhiment tempestiv; 9% (nve pr cent) d valr d impst, se débit fr reclhid depis de trinta dias e até sessenta dias, cntads d términ d praz previst para reclhiment tempestiv; 15% (quinze pr cent) d valr d impst, se débit fr reclhid depis de sessenta dias, cntads d términ d praz previst para reclhiment tempestiv.

9 Outrssim a denúncia espntânea exclui a aplicaçã de multa pr infraçã relativa à brigaçã tributária a que crrespnda a falta cnfessada, desde que acmpanhada, se fr cas, d pagament d impst e acréscims mratóris. Ø JUROS DE MORA COMO SE APLICA OS JUROS DE MORA NA ATUALIZAÇÃO DO IPVA? s débits de qualquer natureza, para cm a Fazenda Estadual, nã reclhids até a data d respectiv venciment, inclusive aqueles bjet de parcelament, serã acrescids, na via administrativa u judicial, de jurs de mra incidentes sbre valr atualizad d débit, bedecid seguinte: à razã de 1% (um pr cent) relativamente a mês de venciment e 1% (um pr cent) relativamente a mês de pagament; equivalente à taxa referencial d Sistema Especial de Liquidaçã e de Custódia - SELIC, para títuls federais, em se tratand ds meses intermediáris, para s quais se tenha cm definida a mencinada taxa. Ø RECEITA DO IPVA QUAL A DESTINAÇÃO DA RECEITA ARRECADADA COM O IPVA? O impst efetivamente arrecadad será repartid da seguinte frma: 50 % (cinqüenta pr cent) para Estad de Alagas; 50 % (cinqüenta pr cent) para municípi nde veícul fr licenciad. Ø INTIMAÇÃO DO SUJEITO PASSIVO QUANDO SE CONSIDERA INTIMADO O SUJEITO PASSIVO POR MEIO DO AUTO DE LANÇAMENTO? A intimaçã d sujeit passiv, pr mei de Aut de Lançament, cnsidera-se efetuada na data d seu recebiment n endereç tributári d intimad, send que, se fr mitida a data, a intimaçã cnsidera-se feita na data em que fr devlvid cmprvante de recebiment a órgã fazendári encarregad da intimaçã. Ø IMPUGNAÇÃO DO LANÇAMENTO DO IPVA PODE O CONTRIBUINTE IMPUGNAR O LANÇAMENTO DO IPVA? Ø Sim a impugnaçã na cbrança, pr mei de Aut de Lançament, cabe a sujeit passiv que impugnará valr d impst exigid dentr d praz de até quinze dias psterires a d lançament, respeitad dispst n 3º d art. 7º da Lei nº 6.555/04 LOCAL DE INGRESSO DA IMPUGNAÇÃO ONDE DEVE O CONTRIBUINTE INGRESSAR COM O PEDIDO DE IMPUGNAÇÃO? A impugnaçã será prtclada na repartiçã fiscal de dmicíli d cntribuinte. Ø REQUESITOS DA IMPUGNAÇÃO QUAIS OS REQUESITOS PARA O INGRESSO DA IMPUGNAÇÃO? A impugnaçã deverá cnter as razões e arguments de defesa d sujeit passiv que, desde lg, juntará as prvas que tiver, instaurand-se a fase litigisa. Ø IMPUGNAÇÃO DO LANÇAMENTO A QUEM O CONTRIBUINTE DEVE ENDEREÇAR A IMPUGNAÇÃO DO AUTO DE LANÇAMENTO DO IPVA? Deve endereçar a titular da Crdenadria de Julgament que distribuirá, send a decisã de primeira instância prlatada dentr d praz de vinte dias. Ø RECURSO CONTRA DECISÃO DE PRIMEIRA INSTÂNCIA EM CASO DE INDEFERIMENTO EM PRIMEIRA INSTÂNCIA DO PEDIDO DE IMPUGNAÇÃO DO LANÇAMENTO DO IPVA, A QUEM CABE A APRESENTAÇÃO DO RECURSO? da decisã prevista na primeira instância pela Crdenadria de Julgament, caberá, cm únic recurs, pedid de revisã dirigid a titular da Crdenadria de Julgament, a ser interpst n praz de dez dias, devend a decisã, relativa a recurs, ser prlatada dentr d praz de vinte dias. Ø RECURSO CONTRA DECISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA - EM CASO DE INDEFERIMENTO EM SEGUNDA INSTÂNCIA, É POSSIVEL UM NOVO RECURSO NO ÂMBITO ADMINISTRATIVO? Nã, a decisã d titular da Crdenadria de julgament será cnsiderada definitiva n âmbit administrativ. Ø NOTIFICAÇÃO DE DEBITO ANTERIORES COMO SERÁ FEIRA A COBRANÇA DE IMPOSTOS VENCIDOS E NÃO RECOLHIDOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES? A cbrança d impst vencid e nã reclhid, relativamente a exercícis anterires à publicaçã da Lei nº 6.555/04, será feita pr mei de Ntificaçã de Débit, publicada n Diári Oficial d Estad. Ø NOTIFICAÇÃO DE DÉBITOS QUAIS OS REQUESITOS CONTIDOS NA NOTIFICAÇÃO DE DÉBITO DO IPVA: valr d crédit tributári devid, demnstrad em relaçã a cada exercíci; valr da base de cálcul e da alíquta; dispsitiv infringid e a penalidade aplicável; a identificaçã d sujeit passiv;

10 a identificaçã d veícul; lcal e a data da emissã; intimaçã para que, n praz de trinta dias, sujeit passiv: efetue reclhiment d impst e/u da multa, e respectivs acréscims tributáris, inclusive atualizaçã mnetária, cnfrme cas; cmprve já haver efetuad pagament d impst; u slicite, mediante a apresentaçã de elements cmprbatóris, a retificaçã de dads, inclusive relativs à prpriedade, marca, mdel e an de fabricaçã d veícul. a indicaçã d órgã e da autridade administrativa que emitiu. Ø DÍVIDA ATIVA EM QUE SITUAÇÃO HAVERÁ INSCRIÇÃO DO DÉBITO EM DIVIDA ATIVA? Quand decrrid praz de 30 (trinta) dias, cntad da publicaçã da Ntificaçã de Débit, sem que sujeit passiv efetue reclhiment d impst e/u da multa, e respectivs acréscims tributáris, inclusive atualizaçã mnetária, cnfrme cas; cmprve já haver efetuad pagament d impst; u slicite, mediante a apresentaçã de elements cmprbatóris, a retificaçã de dads, inclusive relativs à prpriedade, marca, mdel e an de fabricaçã d veícul, será débit inscrit na Dívida Ativa d Estad, adicinad da multa e ds acréscims tributáris incidentes. Ø HOMOLOGAÇÃO DO PAGAMENTO DO IPVA EM QUAIS CASOS A SEFAZ HOMOLOGARÁ A INEXISTÊNCIA DE DÉBITOS RELATIVOS AO IPVA? Ø O lançament d impst relativ as exercícis anterires à vigência da Lei nº 6.555/04, cnsidera-se hmlgad ns eguintes cass: cas impst tenha sid pag integralmente, ns terms da legislaçã em vigr à épca da crrência de seu fat geradr e de seu venciment; cas já tenha decrrid praz previst para sua hmlgaçã, assim cnsiderad períd de cinc ans, a cntar da data de crrência d fat geradr, bservad dispst n 4º d art. 150 da Lei nº 5.172, de 25 de utubr de NÃO - HOMOLOGAÇÃO DO PAGAMENTO DO IPVA EM QUAIS CASOS A SEFAZ NÃO HOMOLOGARÁ A INEXISTÊNCIA DE DÉBITOS RELATIVOS AO IPVA? a nã-hmlgaçã e a sujeiçã à cbrança pr mei de Ntificaçã de Débit, quand se cmprve missã u inexatidã n lançament u pagament d impst. Ø VEÍCULO SISNISTRADO QUANDO SE CONSIDERA O VEÍCULO SINISTRADO PARA EFEITOS DO CÁLCULO DO IPVA PROPORCI0NAL? para s efeits da Lei nº 6.555/04, cnsidera-se veícul sinistrad aquele que, na frma d Códig de Trânsit Brasileir e legislaçã cmplementar, deva, brigatriamente, ter seu registr baixad n RENAVAM, n praz e frma estabelecids pel CONTRAN.

11 PERGUNTAS E RESPOSTAS RELATIVAS AO IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA VERSÃO ATUALIZADA EM Ø Quais s lcais nde sujeit passiv d IPVA apresenta s seguintes dcuments: Cmprvante de reclhiment tempestiv d impst lançad através de Aut de Lançament u sujeit a hmlgaçã Nã há necessidade de apresentaçã a repartiçã fazendária d dcument de arrecadaçã DAR - CB IPVA referente a valr d impst lançad e reclhid u sujeit a hmlgaçã, pis a rede bancária credenciada respnsabilizar-se-á pel envi a SEFAZ. Cmprvante de reclhiment de Ntificaçã de Débit u Aut de Infraçã Nã há necessidade de apresentaçã a repartiçã fazendária d dcument de arrecadaçã DAR - CB IPVA referente a valr d impst lançad e reclhid, pis a rede bancária credenciada respnsabilizarse-á pel envi a SEFAZ. Impugnaçã de base de cálcul n Aut de Lançament Nas Centrais de Atendiment a Cidadã: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Retificaçã de Ntificaçã de Débit Inexiste impugnaçã de Ntificaçã de Débit. O 2º d Art. 15 da Lei nº 6.555/04 c/ Art. 23, I, II e III da IN GSEF nº 07/2005, versa que, deverá sujeit passiv, n praz de até (30) trinta dias cntads da data da intimaçã: efetuar reclhiment d impst acrescid de multa e jurs mratóris, inclusive atualizaçã mnetária, se cuber; nã havend necessidade de apresentaçã a repartiçã fazendária d dcument de arrecadaçã DAR - CB IPVA referente a valr d impst lançad e reclhid, pis a rede bancária credenciada respnsabilizar-se-á pel envi a SEFAZ; cmprvar sua quitaçã, nã havend necessidade de apresentaçã a repartiçã fazendária d dcument de arrecadaçã DAR - CB IPVA referente a valr d impst lançad e reclhid, pis a rede bancária credenciada respnsabilizar-se-á pel envi a SEFAZ, u slicitar, mediante a apresentaçã de elements cmprbatóris, a retificaçã de dads, inclusive relativs à prpriedade, marca, mdel e an de fabricaçã d veícul, ingressand em quaisquer Central de Atendiment a Cidadã que as remeterá a GT-IPVA: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Cmprvaçã de que entregu slicitaçã referente à cncessã de isençã u recnheciment de nãincidência fra d praz pr fats alheis à respnsabilidade d sujeit passiv. Relativamente a ingress d requeriment de cncessã de isençã u recnheciment de imunidade, em qualquer Central de Atendiment a Cidadã: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir

12 Relativamente a recepçã de uma das vias da Certidã de cncessã de isençã u da Certidã de recnheciment de nã-incidência: n Blc Administrativ Silvi Carls Lunna Viana, Rdvia AL 101 Nrte, KM 3,5, Jacarecica Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Slicitaçã de parcelament de débits fiscais Relativamente a ingress d requeriment de parcelament de débits fiscais, em qualquer Central de Atendiment a Cidadã: JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir A análise d requeriment e deferiment u nã d pleit se dará através da Diretria de Arrecadaçã e Crédit Tributári, Prédi sede da Secretaria Executiva de Fazenda, 4º Andar - Rua General Hermes, 80, Centr Fne: /9925/9926/9846/9850/9853 Slicitaçã de cncessã de isençã u recnheciment de nã-incidência Relativamente a ingress d requeriment de cncessã de isençã u recnheciment de imunidade, em qualquer Central de Atendiment a Cidadã: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Relativamente a recepçã de uma das vias da Certidã de cncessã de isençã u da Certidã de recnheciment de nã-incidência: n Blc Administrativ Silvi Carls Lunna Viana, Rdvia AL 101 Nrte, KM 3,5, Jacarecica Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Slicitaçã de restituiçã de valr indevidamente reclhid Relativamente a ingress d requeriment de restituiçã de valr indevidamente reclhid, em qualquer Central de Atendiment a Cidadã: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir A análise d requeriment e deferiment u nã d pleit se dará através da Diretria de Arrecadaçã e Crédit Tributári, Prédi sede da Secretaria Executiva de Fazenda, 4º Andar - Rua General Hermes, 80, Centr Fne: /9925/9926/9846/9850/9853 Slicitaçã de pagament d IPVA prprcinal (1/12 avs) Relativamente a ingress d requeriment de pagament d IPVA prprcinal, nas Centrais de Atendiment a Cidadã: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Ø Quais s lcais nde sujeit passiv d IPVA btém s seguintes dcuments:

13 DAR para reclhiment integral d tribut d exercíci; DAR para reclhiment integral d tribut de exercícis anterires; DAR para reclhiment parcelad d tribut d exercíci crrente; JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: N site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir DAR para reclhiment parcelad d tribut de exercícis anterires JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: N site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Frmulári de slicitaçã de parcelament de IPVA de exercícis anterires JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: N site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Frmuláris de slicitaçã de isençã JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: N site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Frmuláris de slicitaçã de nã incidência JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne:

14 2ª via CRLV DETRAN. JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: N site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Centrais de Atendiment a Cidadã JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: Serviç de Atendiment Integrad DETRAN-AL - Campus Tamandaré S/Nº - Pntal da Barra Fne: N site d DETRAN-AL, 2ª via AMARELINHA N site d DETRAN-AL, Centrais de Atendiment a Cidadã JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ MANGABEIRAS Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: Serviç de Atendiment Integrad DETRAN-AL Campus Tamandaré S/Nº - Pntal da Barra Fne: Cmprvante de capacidade ecnômica JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: N site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Certidã emitida pr órgã cmpetente que cmprve sua cndiçã de pequen prprietári, prdutr rural u assentad em áreas destinadas a refrma agrária. Certidã de registr de matrícula n registr de imóveis u escritura, cntrat u cmprmiss de cmpra e venda u n cas de psse, declaraçã de psse d imóvel rural; e Cmprvaçã de inscriçã n Institut Nacinal de Clnizaçã e Refrma Agrária INCRA mediante Certificad de Cadastr de Imóvel Rural CCIR u Declaraçã expedida pela Delegacia da Receita Federal em Alagas que a prpriedade é cadastrada n Cadastr de Imóveis Rurais CAFIR da Secretaria da Receita Federal, cnfrme Instruçã Nrmativa SRF nº 272, de 30 de dezembr de 2002, identificand NIRF númer de inscriçã na Receita Federal, nme e endereç de lcalizaçã, a área ttal e númer de inscriçã n INCRA d imóvel rural, bem assim, nme e númer de inscriçã n CPF d cntribuinte; Cmprvante da cndiçã de prtadr de deficiência d Laud de Avaliaçã - Deficiência Física decrrente de Perícia Médica executada pela Junta Médica Especial, designada pr at d Diretr Geral d Departament Estadual de Trânsit de Alagas - DETRAN/AL e, em grau de recurs, pela Junta Médica Especial, designada pr at d Presidente d

15 Cnselh Estadual de Trânsit CETRAN, situads n Campus Tamandaré S/Nº, Pntal da Terra Fne: O frmulári dispst na IN GSEF 07/2005 cm as alterações da IN GSEF 17/2005 encntrase n site da SEFAZ, - IPVA ON LINE d Laud de Avaliaçã - Deficiência Visual, emitid pr prestadr de serviç públic de saúde municipal, estadual u federal, cuja deficiência seja atestada pr equipe respnsável pela área crrespndente à deficiência, cmpsta pr, n mínim, dis médics. O frmulári dispst na IN GSEF 07/2005 cm as alterações da IN GSEF 17/2005 encntra-se n site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Laud de Avaliaçã - Deficiência Mental (Severa u Prfunda) - ANEXO IV e laud de Avaliaçã Autism (Transtrn Autista e Autism Atípic) - ANEXO V, emitid pr prestadr de serviç públic de saúde municipal, estadual u federal, cuja deficiência seja atestada pr equipe respnsável pela área crrespndente à deficiência, cmpsta pr, n mínim, um médic e um psicólg. O frmulári dispst na IN GSEF 07/2005 cm as alterações da IN GSEF 17/2005 encntra-se n site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Cmprvante de baixa d veícul n RENAVAN Serviç de Atendiment Integrad DETRAN-AL - Campus Tamandaré S/Nº - Pntal da Barra Fne: Ø Cas cntribuinte tenha perdid praz para parcelament referente a exercíci crrente, pde requerer parcelament três parcelas, cm penalidades, vist que tem direit à parcelar débits de exercícis anterires? Se autrizad, será em 3 parcelas, cm exercíci atual, u em seis parcelas, cm exercícis anterires? Cas inexista débits cm exercícis anterires a crrente e valr d IPVA a pagar fr igual u superir a R$ 100,00, estará dispnível nas Centrais de Atendiment u n site da SEFAZ, - IPVA ON LINE a parcela única u as 3(três) parcelas devidamente atualizadas cm jurs e multa mratória, cas exista até últim dia útil d exercíci crrente. A penalidade só será aplicada após cntribuinte sfrer a ntificaçã de débit pela SEFAZ e após praz de denúncia espntânea; Só existirá parcelament de débits de exercícis anterires em até 06(seis) parcelas a partir d mment da ntificaçã de débit u dea denúncia espntânea. Ø Pde-se slicitar parcelament simultâne de exercícis anterires e exercíci atual, em cas de perda de praz? (seis meses e três meses)? Sim. Estand em débit cm exercícis anterires pde-se parcelar exercíci crrente desde que se parcele primeiramente s anterires e reclha-se a primeira parcela, inclusive d exercíci crrente, alertand que s prazs de venciment d exercíci crrente nã serã alterads. Ø Paga a 1ª parcela d IPVA crrente, perdeu-se a psse d veícul ns cass que a legislaçã prevê; as parcelas subseqüentes respeitarã a prprcinalidade (1/12 avs); se afirmativ, quem fará esses cálculs? Onde/ cntra requeriment? Durante períd em que perdurar a perda da psse u da prpriedade d veícul ns cass de rub, furt, extrsã u estelinat nã haverá a incidência d impst, cnsiderand-se prém para efeit de tributaçã mês u fraçã de mês de crrência d event. O mesm tratament aplica-se para s cass de sinistr cm perda ttal. O impst só será devid prprcinalmente a períd d an em que veícul esteve efetivamente na psse u prpriedade de seu prprietári. Os cálculs serã feits nas Centrais de Atendiment e mediante ingress de prcess administrativ JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216- BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Ø Onde será emitid DAR para ptante de pagament d IPVA crrente em duas parcelas, e nã em três? JÁ FAROL Avenida Fernandes Lima, 2551, Farl Fne: JÁ Mangabeiras Avenida Gustav Paiva, 3439, Mangabeiras Fne: JÁ CENTRO Rua d Cmérci, 115, Centr Fne: FÁCIL SEBRAE Rua Dr. Marinh de Gusmã, 45, Centr Fne: PAVIMENTO VAZADO(PV) Rua General Hermes, 80, Cambna Fne: /3216-

16 BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: N site da SEFAZ, - IPVA ON LINE Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Ø Manutençã de débit ns cadastrs SEFAZ/DETRAN de IPVA já reclhid, cm slucinar? Deve cntribuinte dirigir-se a Diretria de Arrecadaçã e Credit Tributári 4º Andar d prédi sede da SEFAZ na Rua General Hermes, 80 Centr - Fne: /9925/9926/9846/9850/9853, u BLOCO ADMINISTRATIVO SILVIO CARLOS LUNNA VIANA Rdvia AL 101 Nrte Km 3,5, Jacarecica Fne: GT-IPVA Nas Gerencia Reginal de Administraçã Fazendária GRAF, n interir Ø Reclhiment em duplicidade de uma mesma parcela; cnsidera-se a parcela subseqüente paga? Crrige-se na DIRAC? Sim, deve cntribuinte dirigir-se a Diretria de Arrecadaçã e Credit Tributári 4º Andar d prédi sede da SEFAZ na Rua General Hermes, 80 Centr - Fne: /9925/9926/9846/9850/9853 Ø Veícul de particular cntratad pr entidade de direit públic tem direit a algum benefíci de IPVA? Nã, pis a cncessã da isençã é persnalíssima e a prpriedade d veícul autmtr nã é da entidade de direit públic. Ø Sujeit passiv pde slicitar parcelament d IPVA de exercíci crrente de um veícul, mesm cm débit de IPVA de utr veícul? Sim, desde que esteja sem débits cm exercícis anterires a crrente e valr a pagar seja igual u superir a R$ 100,00 Ø Quem é inscrit na Dívida Ativa: veícul u a pessa; u seja, cm a sefaz vetará parcelament prque sujeit está na Dívida Ativa? Ou, a exempl d ICMS pde-se parcelar um debit inscrit na Dívida Ativa? O IPVA incide sbre a prpriedade de veícul autmtr de qualquer espécie, tend cm sujeit passiv da brigaçã tributária a pessa natural(pessa física) u jurídica prprietária d veícul autmtr; O débit inscrit em dívida ativa pderá ser parcelad em até 06(seis) vezes, send cmpetente para autrizar titular da Prcuradria da Fazenda Estadual Ø Se a placa d veícul nã tiver três letras veícul está irregular? Sim, pis ele estará fra d sistema RENAVAM Registr Nacinal de Veículs Autmtres, brigand-se a dirigirse a DETRAN para a devida regularizaçã, devend pagar tds s débits referentes a exercíci anterir e s valres referentes a exercíci crrente. Ø Antes d venciment d IPVA d exercíci, pde-se requerer parcelament d IPVA de exercícis anterires e atual? Sim Ø Pde licenciament anual ser parcelad? Entende-se pr licenciament anual a licença anual que é dada pel órgã de trânsit para que veícul autmtr pssa se deslcar pela malha viária d Estad. Para tant, as brigações d prprietári d veícul cm pagament d IPVA, Taxas de Fiscalizaçã e Serviçs Diverss, Multas pr infraçã as legislações de trânsit e ambiental, segur DPVAT,...etc devem ser quitadas anualmente. Cas prprietári d veícul esteja em dia cm s licenciaments anterires e valr a pagar de IPVA n exercíci crrente seja igual u superir a R$ 100,00, pde parcelar em até 3(três) vezes. Cas esteja inadimplente cm licenciaments anterires, pde slicitar parcelament de seus débits junt a SEFAZ e a DETRAN em até 06(seis) parcelas. Ø Qual a data em que licenciament deverá ser reclhid, pr placa de veícul? Cnfrme s prazs de licenciament pr final de placa publicads n Diári Oficial d Estad Ø Cmprei um veícul cuj IPVA vencerá psterirmente. Pagarei prprcinal as meses remanescentes d exercíci? Na cmpra de veículs usads em que haverá transferência de titularidade, fat geradr acntece em 01 de janeir de cada exercíci, nã pdend haver transferência de titularidade sem a cmprvaçã sem a cmprvaçã d pagament u d recnheciment da nã-incidência u isençã d impst já vencid. O escalnament para pagament d IPVA pr final de placa deve ser entendid cm uma flexibilizaçã da administraçã fazendária n tcante a reclhiment d impst, cuja brigaçã de reclher cnsuma-se em 01 de janeir de cada exercíci. Ø Pss depreender, pela leitura ds artigs 17 e 24 da Lei 6.555/04 e artig 9º da IN 06/05, que IPVA d exercíci pde ser parcelad em até 3 vezes e de exercícis anterires em até 6 vezes? Em utras palavras, minha dúvida é: em 2006 IPVA em atras de 2005 será parcelad em 3 u 6 vezes, limitads a licenciament?

17 O IPVA d exercíci crrente pde ser parcelad em até 3 vezes para cntribuintes que nã tenham débits de IPVA cm exercícis anterires a 2006 e cuj valr a pagar n exercíci crrente seja igual u superir a R$ 100,00. Quem pssua débits de IPVA cm exercícis anterires a 2006, pde slicitar parcelament de débits em até 6(seis) vezes. Ø Enquant se está pagand parcelament de exercícis anterires qual a legalidade d veícul? (vai pder licenciar, u circular?). N tcante a parcelament de IPVA, enquant prprietári cumprir s prazs de pagament e seus respectivs valres, veícul será cnsiderad adimplente N tcante a emissã d CRLV, Códig de Trânsit Brasileir determina que veícul só será cnsiderad licenciad estand quitads s débits relativs a tributs, encargs e multas de trânsit e ambientais, vinculads a veícul, independentemente da respnsabilidade pelas infrações cmetidas Ø Aquisiçã de veícul nv em utr Estad. A quem cabe tribut? O lcal de crrência d fat geradr é nde veícul autmtr fi registrad, nada impedind que ele seja adquirid em utr Estad e seja registrad em Alagas, cabend assim a Estad de Alagas tribut respectiv. Cas já tenha sid registrad em utr Estad quand de sua aquisiçã, caberá a este tribut. Ø Quand um veícul se submete a antecipaçã d licenciament anual, cnfrme IN 06/06, art. 4º, V? Quand huver mudança de dmicíli d prprietári para utr Estad Quand huver mudança de categria, passand veícul da cndiçã de isençã u nã-incidência para tributad Pr exclusiva vntade d prprietári Ø A que órgãs devem-se cmunicar a mudança de dmicíli? (existe mdel de frmuláris?). O gestr d sistema RENAVAM nde se registram s dads cadastrais ds veículs autmtres é DETRAN. Desta frma deve-se prcurar as Centrais de Atendiment d DETRAN, inclusive as CIRETRANS para a devida atualizaçã. O frmulári está dispnível nas Centrais de Atendiment e CIRETRANS d DETRAN Ø A que órgãs devem-se cmunicar alienaçã d veícul? (existe mdel de frmuláris?). O gestr d sistema RENAVAM nde se registram s dads cadastrais ds veículs autmtres é DETRAN. Desta frma deve-se prcurar as Centrais de Atendiment d DETRAN, inclusive as CIRETRANS para a devida atualizaçã. O frmulári está dispnível nas Centrais de Atendiment e CIRETRANS d DETRAN Ø Veículs nã tributads precisam se licenciar? Sim, pis existem taxas de serviçs diverss, multas de trânsit, cas exista, segur DPVAT, taxa de manutençã de vias públicas e taxa referente a inspeçã de gases e pluentes que precisam ser quitadas cm s Órgãs Executivs de Trânsit e Ambiental Ø Antes d venciment d IPVA d exercíci, pde-se requerer parcelament d IPVA de exercícis anterires, antes de reclher atual? Sim, pis sã fats geradres de brigaçã tributária distints. A requerer parcelament de IPVA de exercícis anterires, seu deferiment só se dará se abranger tds s débits cm IPVA, e nã apenas um determinad exercíci, deixand s demais em abert. Ø Pde-se parcelar IPVA d exercíci atual tend sujeit passiv débits de utrs veículs? Nã, se huver débits deste veícul, pis para se pagar IPVA d exercíci crrente em até três(3) parcelas, necessári cntribuinte está em dia cm IPVA de exercícis anterires e valr a reclher seja igual u superir a R$ 100,00. Sim, se nã huver débits deste veícul, independentemente ds demais Ø Pde-se parcelar IPVA d exercíci atual tend veícul débits de exercícis anterires? Nã, mas desde que prprietári d veícul autmtr requeira parcelament de débits de exercícis anterires e pague a primeira parcela, pderá também parcelar exercíci crrente, pis pedid de parcelament de débits suspende a exigibilidade d crédit tributári e trna cntribuinte adimplente desde que mesm cumpra s prazs e valres d parcelament de débits. Ø Pde-se parcelar IPVA de exercícis anterires estand inadimplente cm exercíci atual? Sim, requerend parcelament de débits em até 6(seis) vezes, excetuand-se exercíci crrente Ø Vendid veícul cm débit de IPVA, prprietári anterir pde se dirigir a SEFAZ e reclher IPVA vencid? Sim. Na hipótese d cmpradr adquirir veícul cm débit de IPVA, assumirá a respnsabilidade na cndiçã de Respnsável Slidári em relaçã a impst cuj fat geradr seja anterir a temp de sua aquisiçã. Ø O recnheciment de nã-incidência e a cncessã de isençã d IPVA é feita anualmente?

18 Em linhas gerais recnheciment da nã-incidência e a cncessã de isençã devem ser feits anualmente através da emissã de certidões, prém há permissiv legal que autriza a manutençã ds benefícis enquant subsistirem as razões para sua emissã Art. 17 da IN GSEF Nº 07/2005. Ø Quem tiver direit a prprcinalidade de 1/12 avs e a parcelament (veícul usad), está btend simultaneamente s dis benefícis? Precisa requerer? inexiste previsã legal para se autrizar parcelament de IPVA a vencer, integral u prprcinal referente a veícul nv existe previsã legal para se autrizar parcelament de IPVA a vencer, integral u prprcinal referente a veícul usad, desde que, mntante seja igual u mair que R$ 100,00 e cntribuinte esteja adimplente cm exercícis anterires Ø Quem tiver direit a prprcinalidade de 1/12 avs e a descnt de 10%(veícul usad), está btend simultaneamente s dis benefícis?? Precisa requerer? inexiste previsã legal para se cnceder descnt de 10% sbre IPVA a vencer, integral u prprcinal referente a veícul nv existe previsã legal para se cnceder descnt de 10% sbre IPVA a vencer, integral u prprcinal referente a veícul usad, desde que pagament seja efetuad até a data de venciment Ø A Lei estabelece que veícul nv nã pde ter IPVA parcelad. O veícul imprtad usad pde? Nã, pis tratand-se de veícul de prcedência estrangeira, para efeit da primeira tributaçã, crre fat geradr: na data d desembaraç aduaneir, quand imprtad pr cnsumidr final; na data da aquisiçã pr cnsumidr final, quand imprtad pr empresa revendedra; n mment da incrpraçã a ativ permanente da empresa imprtadra revendedra, quand imprtad pr esta; O pagament da cta única d impst deverá ser efetuad n praz de 10(dez) dias cntads da data d desembaraç aduaneir Ø Quais prblemas que só pdem ser reslvids n GT IPVA u na DIRAC N GT-IPVA Na DIRAC Deferiment de requeriments para cncessã de isençã u recnheciment de nã-incidência, se cntribuinte fr dmiciliad na capital; cas seja n interir, nas Gerências Reginais de Administraçã Tributária Reencaminhament de arquivs de isençã u nã-incidência para DETRAN Crreçã d cnteúd de Certidões de isençã u nã-incidência Crreçã d status d cntribuinte referente à brigaçã tributária(isençã, nã-incidência, tributad) nas bases de dads da SEFAZ e d DETRAN Retificaçã de cnteúd de camps d Aut de Lançament Retificaçã de cnteúd de camps da Ntificaçã de Débit Cmprvaçã de transferência de titularidade de veícul autmtr cm bjetiv de alterar sujeit passiv da brigaçã n Aut de Lançament u na Ntificaçã de Débit Err n pagament de parcelas d IPVA crrente u parcelament de débits JOSE EUGENIO BARROS FILHOS DIFIS/GT - IPVA - PEDRO FERNANDES MARTINS - DIFIS/GT - IPVA - DIFIS/GT-IPVA /

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

FIES - Documentação comprobatória

FIES - Documentação comprobatória FIES - Dcumentaçã cmprbatória OBS: Devem ser apresentads riginais e cópias ds dcuments relacinads. COMPROVANTES DE RESIDÊNCIA DO ESTUDANTE: O estudante deverá cmparecer à CPSA e psterirmente a agente financeir

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

IPVA. 9. Veículo Novo... 04

IPVA. 9. Veículo Novo... 04 IPVA ÍNDICE 1. IPVA...02 2. Contribuinte do IPVA...02 3. Legislação Estadual...02 4. Base de Cálculo...02 5. Alíquotas...03 6. Como pagar o IPVA......04 7. Desconto...04 8. Parcelamento do IPVA do Exercício

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST A MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE PASSAGEIROS E/OU TRIPULANTE (APP) INVEST O presente Manual d Prdut cntém: SEGURO APP INVEST 1. VANTAGENS

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013 Item 01. Requisits básics cm justificaçã a. Serviç a ser licitad:. Escrituraçã mensal d livr diári; Escrituraçã mensal d livr

Leia mais

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR?

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Criad em 27.01.2014 Revisad em 19.02.2015 1. COMO SE CADASTRAR JUNTO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Para se cadastrar junt a Cadastr Unificad de Frnecedres d Estad CADFOR/SEGPLAN-GO, a entidade

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. Dads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS

TRIBUTAÇÃO DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS Pribida a reprduçã. TRIBUTAÇÃO DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS Abril de 2012 Índice Pessas Físicas 1. À Vista... 2 2. Opções... 4 3. POP Prteçã d Investiment cm Participaçã... 6 4. Term... 7 5. Futur Títuls

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO O QUE É O BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO? É um auxíli financeir que tem cm bjetiv cntribuir para, u pssibilitar, a cntrataçã de um cuidadr para auxiliar beneficiáris

Leia mais

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N 01/2007 De 8 de nvembr de 2007 Reedita as Nrmas para Recnheciment de Títuls de Pós-Graduaçã, revgand a Resluçã Cmplementar n 02/93, de 25 de junh de 1993. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

Ficha Cadastro Pessoa Física

Ficha Cadastro Pessoa Física Ficha Cadastr Pessa Física Grau de sigil #00 Em se tratand de mais de um titular, preencher uma ficha para cada um. Cas necessári, utilize utra ficha para cmpletar s dads. ads da Cnta na CAIXA Cód. agência

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO DODF Nº 158 DE 05 DE AGOSTO DE 2014 ALTERADA POR MEIO DA PORTARIA Nº 112, DE 13 DE AGOSTO DE 2014, PUBLICADA NO

Leia mais

CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO DE ACTIVIDADES DE PRODUÇÃO E RENOVAÇÃO DE CADASTRO PREDIAL

CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO DE ACTIVIDADES DE PRODUÇÃO E RENOVAÇÃO DE CADASTRO PREDIAL O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui a cnsulta ds diplmas legais referenciads e da entidade licenciadra. FUNCHAL CAE Rev_3: 74900 e 71120 LICENCIAMENTO DE EMPRESAS PARA O EXERCÍCIO

Leia mais

MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008.

MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008. MENSAGEM Nº 458, DE 30 DE JUNHO DE 2008. Senhr Presidente d Senad Federal, Cmunic a Vssa Excelência que, ns terms d 1 d art. 66 da Cnstituiçã, decidi vetar parcialmente, pr incnstitucinalidade e cntrariedade

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E ESTABELECIMENTOS SIMILARES. (atualizado até 16.02.2009)

RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E ESTABELECIMENTOS SIMILARES. (atualizado até 16.02.2009) RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E ESTABELECIMENTOS SIMILARES (atualizad até 16.02.2009) INTRODUÇÃO... 3 1. CLASSIFICAÇÃO ECONÔMICA E TRIBUTAÇÃO PELO ICMS... 4 2. REGIME NORMAL... 6 2.1. CRÉDITO PRESUMIDO...

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

O QUE É? Assinatura mensal Andante especialmente vocacionada para indivíduos e agregados familiares com menores recursos económicos.

O QUE É? Assinatura mensal Andante especialmente vocacionada para indivíduos e agregados familiares com menores recursos económicos. SOCIAL + O QUE É? Assinatura mensal Andante especialmente vcacinada para indivídus e agregads familiares cm menres recurss ecnómics. QUANTO CUSTA? Oferece um descnt de 25% face a preç da assinatura nrmal.

Leia mais

PORTARIA N! oao- D LOG, DE 3.3 DE NOVEMBRO DE 2005

PORTARIA N! oao- D LOG, DE 3.3 DE NOVEMBRO DE 2005 MNSTÉRO DA DEFESA EXÉRCTO BRASLERO DEPARTAMENTO WGtSTCO (D Lg 000) PORTARA N! a- D LOG, DE 3.3 DE NOVEMBRO DE 005 Aprva as nrmas regladras da aqisiçã, registr, cadastr e transferência de prpriedade de

Leia mais

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV,

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV, DECRETO Nº 5218 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2011. EMENTA: Regulamenta os procedimentos de declaração, avaliação, emissão de guias de recolhimento, processo de arbitramento e a instauração do contencioso fiscal

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 29/11/2011 Recolhimento Espontâneo 001 Quais os acréscimos legais que incidirão no caso de pagamento espontâneo de imposto ou contribuição administrado pela Secretaria da Receita

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES CIRCULAR AC Nº 07/2015 Atualiza a Lista de Prduts, Linhas e Prgramas Passíveis de Outrga de Garantia pel Fund Garantidr para Investiments FGI.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489 Publicado no Diário Oficial Nº 8708 de 08/05/2012 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, e considerando o disposto na Lei

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

b) 40% (quarenta por cento) das penalidades pecuniárias por descumprimento de obrigações acessórias;

b) 40% (quarenta por cento) das penalidades pecuniárias por descumprimento de obrigações acessórias; Portaria SUACIEF nº 12, de 03.05.2010 - DOE RJ de 05.05.2010 Dispõe sobre alterações de prazos para usufruir da anistia concedida pela Lei nº 5647/2010, prorrogada pela lei nº 7508/2010. O Superintendente

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 25 DE MARÇO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 25 DE MARÇO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 25 DE MARÇO DE 2015 Disciplina os procedimentos relativos ao reconhecimento de não-incidência, de isenção e de dispensa de pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 298, DE 28 DE ABRIL DE 2015 Altera a Lei Complementar n. 114, de 30 de dezembro de 2002, que Dispõe acerca do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores - IPVA. O GOVERNADOR

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAUCAIA

MUNICÍPIO DE CAUCAIA LEI N 1765, DE 25 DE AGOSTO 2006. Institui o Programa de Recuperação Fiscal - REFIS no Município de Caucaia, e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE CAUCAIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

SEMANA DE NEGOCIAÇÃO FISCAL 2015 (nov/2015) CONCEITOS / ABRANGÊNCIA

SEMANA DE NEGOCIAÇÃO FISCAL 2015 (nov/2015) CONCEITOS / ABRANGÊNCIA SEMANA DE NEGOCIAÇÃO FISCAL 2015 (nov/2015) CONCEITOS / ABRANGÊNCIA 1. O que é a Semana de Negociação Fiscal? A Semana de Negociação Fiscal de que trata a Lei 19.088/2015 se constituí de medidas facilitadoras

Leia mais

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas:

2. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias. Síntese dos termos e condições gerais da Linha de Crédito PME Crescimento. Condições genéricas: 2. Cndições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Síntese ds terms e cndições gerais da Linha de Crédit PME Cresciment ( presente dcument identifica as principais características da Linha de Crédit PME

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PdC CZ.01 PM 3.5 Versã 1 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid índice. Alterada

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Código: MAN-VCIV-002 Versão: 00 Data de Aprovação: 18/01/2011 Elaborado por: Magistrados e servidores das 8ª e 14ª varas cíveis

Código: MAN-VCIV-002 Versão: 00 Data de Aprovação: 18/01/2011 Elaborado por: Magistrados e servidores das 8ª e 14ª varas cíveis Códig: MAN-VCIV-002 Versã: 00 Data de Aprvaçã: 18/01/2011 Elabrad pr: Magistrads e servidres das 8ª e 14ª varas cíveis Aprvad pr: Presidente d TJPB 1 Objetiv Estabelecer critéris e prcediments para recebiment

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 005/2014 DE 07 DE ABRIL DE 2014 PROCESSO SELETIVO O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP.: 64.073-505,

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

AGÊNCIA VIRTUAL GUIA DE SERVIÇOS WEB

AGÊNCIA VIRTUAL GUIA DE SERVIÇOS WEB AGÊNCIA VIRTUAL GUIA DE SERVIÇOS WEB ALTERAR: NOME DA RUA, NÚMERO DO IMÓVEL OU NOME DO CLIENTE Onde Slicitar? Regiã Metrplitana de Sã Paul Interir e Litral Telefne: 0800 0119911 - de segunda à sexta-feira,

Leia mais

Dívidas não parceladas anteriormente

Dívidas não parceladas anteriormente Débitos abrangidos Dívidas não parceladas anteriormente Artigo 1º da Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 6, de 2009 Poderão ser pagos ou parcelados, em até 180 (cento e oitenta) meses, nas condições dos arts.

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO 01. Instruções para recadastrament Pessa Física IN CVM 301/2001 e 463/2008 1. Pr favr preencha tds s camps ds frmuláris, aqueles que nã frem preenchids, pr gentileza, bliterá-ls u invalidá-ls; 2. Imprima

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA

IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA Informações Gerais Como consultar o valor do IPVA? É possível consultar o valor do IPVA

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING)

CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) O cnteúd infrmativ dispnibilizad pela presente ficha nã substitui FUNCHAL CAE Rev_3: 47990 VENDAS AUTOMÁTICAS (VENDING) ÂMBITO A atividade de venda autmática deve bedecer à legislaçã aplicável à venda

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

DECRETO N. 3.032 DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicado no DOE em 27 de dezembro de 2005

DECRETO N. 3.032 DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicado no DOE em 27 de dezembro de 2005 DECRETO N. 3.032 DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicado no DOE em 27 de dezembro de 2005 ALTERA O REGULAMENTO DO ICMS, APROVADO PELO DECRETO N 35.245, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1991, RELATIVAMENTE AO PARCELAMENTO

Leia mais

Orientações quanto ao preenchimento da NF-e para contribuintes optantes pelo SIMPLES

Orientações quanto ao preenchimento da NF-e para contribuintes optantes pelo SIMPLES Essas rientações visam a esclareciment quant a preenchiment da NF-e pr cntribuintes ptantes pel SIMPLES, basead na Nta Técnica 2009/004, a partir da aba Tributs. 1) Grup de tributs PIS Infrmar valr 99

Leia mais

NORMATIVA ADMINISTRATIVA

NORMATIVA ADMINISTRATIVA Assunt: DIRETRIZES PARA COMPRA E APROVEITAMENTO DE Data de Emissã: Data de Revisã: De: 18/12/2013 Assunts Estratégics Tdas as áreas d 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estabelecer regras e parâmetrs que

Leia mais

EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES

EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES Trna pública a abertura de inscrições para Curs PJE VARAS CÍVEIS Módul Servidres, destinad

Leia mais

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal

INDICE DE PREÇOS TURISTICO. Desenvolvido no quadro do Programa Comum de Estatística CPLP com o apoio técnico do INE de Portugal INDICE DE PREÇOS TURISTICO Desenvlvid n quadr d Prgrama Cmum de Estatística CPLP cm api técnic d INE de Prtugal Estrutura da Apresentaçã INTRODUÇÃO. METODOLOGIA. FORMA DE CÁLCULO. PROCESSO DE TRATAMENTO.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. Brasília/DF neste ato legalmente representado por sua Ordenadora de Despesas, Senhora SÔNIA

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. Brasília/DF neste ato legalmente representado por sua Ordenadora de Despesas, Senhora SÔNIA TERMO DE CONTRATO CNMP N. 003 / 2010 PutlIced tle 30 CI II d OS. / 0 21/4900 J,(108,Lt.tt_ CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS QUE ENTRE SI CELEBRAM O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO E A PESSOA JURÍDICA

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências.

DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências. DECRETO Nº 2.525, DE 4 DE SETEMBRO DE 2014 - Institui o Programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Estadual REFAZ e dá outras providências. EMENTA: Concede parcelamento de débitos fiscais com anistia

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

LEI Nº 7.068, DE 01 DE OUTUBRO DE 2015

LEI Nº 7.068, DE 01 DE OUTUBRO DE 2015 LEI Nº 7.068, DE 01 DE OUTUBRO DE 2015 Altera a Lei nº 2.877, de 22 de dezembro de 1997, que dispoe sobre o imposto sobre a propriedade de veículos automotores - IPVA. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS

REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO MINISTRADOS NO IPP NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS REGULAMENTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR NOS CURSOS MINISTRADOS NO IPP JULHO 2010 ÍNDICE CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Object... 3 Âmbit bjectiv... 3 Âmbit subjectiv...

Leia mais

Cm Criar Seu Própri Empreg em Apenas 5 Passs 1 1º Pass: A IDEIA 2º Pass: O CONTACTO COM VÁRIAS INSTITUIÇÕES E ENTIDADES 3º Pass: PLANO DE NEGÓCIOS 4º Pass: CRIAÇÃO DA EMPRESA E INÍCIO DE ACTIVIDADE 5º

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 Aprova o Regulamento de Parcelamento de Créditos Não Tributários Administrados pela Agência Nacional de Telecomunicações Anatel

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970,

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970, 1 Pedid de Prvidências n" 970 Requerente: Escla Nacinal da Magistratura e Assciaçã ds Magistrads d Brasil. Assunt:Resluçã n 11/2006 CNJ - Atividade jurídica - Curss de Pósgraduaçã - Ediçã de nrma de transiçã.

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014

MINISTÉRIO DA FAZENDA. Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA FAZENDA PUBLICADO NO DOU DE 06/02 SEÇÃO 1, PÁG. 53 Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PORTARIA PGFN Nº 79, DE 03 FEVEREIRO DE 2014 Disciplina o parcelamento do valor correspondente à

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

A nova metodologia de apuração do DI propõe que o cálculo seja baseado em grupos de taxas e volumes, não mais em operações.

A nova metodologia de apuração do DI propõe que o cálculo seja baseado em grupos de taxas e volumes, não mais em operações. Taxa DI Cetip Critéri de apuraçã a partir de 07/10/2013 As estatísticas d ativ Taxa DI-Cetip Over (Extra-Grup) sã calculadas e divulgadas pela Cetip, apuradas cm base nas perações de emissã de Depósits

Leia mais

LEIS ESTADUAIS. LEI Nº 6.348 DE 17 DE DEZEMBRO DE 1991 (Publicada no Diário Oficial de 19/12/1991)

LEIS ESTADUAIS. LEI Nº 6.348 DE 17 DE DEZEMBRO DE 1991 (Publicada no Diário Oficial de 19/12/1991) LEIS ESTADUAIS LEI Nº 6.348 DE 17 DE DEZEMBRO DE 1991 (Publicada no Diário Oficial de 19/12/1991) Alterada pelas Leis nºs 6.697/94, 6.934/96, 7.981/01, 8.534/02, 8.542/02, 8.967/03, 9.430/05, 9.837/05.

Leia mais

LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO

LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO Dec. 24.569/97(RICMS/CE), art. 843 ao 850. Art. 843. As mercadorias retidas poderão ser liberadas, no todo em parte, antes do trânsito

Leia mais

REGULAMENTO REGRA GERAL PARA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO. Carrinho Premiado Tricard Smart 2015

REGULAMENTO REGRA GERAL PARA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO. Carrinho Premiado Tricard Smart 2015 REGULAMENTO REGRA GERAL PARA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO Carrinh Premiad Tricard Smart 2015 Banc Triângul S.A. (mandatária), cm sede na Av. Cesári Alvim, 2209, Bairr Aparecida Uberlândia/MG, inscrita n CNPJ/MF

Leia mais