Agentes - Definição. Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agentes - Definição. Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes"

Transcrição

1 Inteligência Artificial s Inteligentes s - Definição : entidade capaz de perceber e agir em um ambiente, comunicar-se com outros agentes, motivada por um conjunto de inclinações, que pode dispor de representação interna parcial de seu ambiente e até reproduzir-se. Em geral, uma determinada ação depende da seqüência de percepções observadas pelo agente. Seu comportamente é descrito pela função do agente que mapeia uma seqüência de percepções em uma ação. 1

2 s - Definição Função do Racional Faz tudo certo: mas o que significa isso? Ação certa é a que fará o agente obter maior sucesso. Então é necessário uma medida de desempenho para avaliar o sucesso do agente. Esta medida, em geral, é imposta pelo projetista do agente. Boa prática: medida baseada no resultado desejado e não no comportamento do agente! 2

3 Racionalidade Depende de 4 fatores: Medida de desempenho que define o critério de sucesso. O conhecimento que o agente tem do ambiente. A seqüência de percepções do agente até o momento. As ações que o agente pode executar. racional maximiza o desempenho esperado, agente perfeito maximizaria o desempenho real. Projeto de s Envolve especificar:, Medida de Desempenho, e. Exemplos: Tipo Desempenho Motorista de táxi Viagem segura, rápida, confortável, etc. Estradas, ruas, pedestres, clientes Direção, acelerador, buzina, setas Câmeras, sonar, velocidade, GPS, etc. Diagnóstico Médico Paciente saudável, minimizar custos Paciente, hospital, equipe Questionar, diagnósticos, tratamentos, indicações Respostas do paciente, sintomas Análise de Imagens de Satélite Classificação correta da imagem Transmissão do satélite em órbita Classificar um corpo celeste Foto no formato digital 3

4 Projeto de s - s Completamente observável ou parcialmente observável Determinístico ou estocástico Episódico ou seqüencial Estático ou dinâmico Discreto ou contínuo único ou multiagente Competição, Cooperação Projeto de s A especificação resulta em um programa de agente, que deve realizar as ações que maximizam o desempenho esperado, no ambiente especificado, obtendo as entradas dos sensores e realizando ações com os atuadores. = Arquitetura + Programa A maneira como este programa é criado divide os agentes inteligentes em quatro grandes categorias: s reativos simples s reativos baseados em modelo. s baseados em objetivos. s baseados na utilidade. 4

5 s Reativos Simples Baseiam a decisão apenas na percepção atual. Podem ser construídos através de regras condição-ação. ambiente está? Regras condiçãoação O que devo fazer? s Reativos Baseados em Modelos Mantêm um estado interno com alguma informação do mundo. ambiente está? Estado Interno Regras condiçãoação O que devo fazer? 5

6 s Baseados em Objetivos Em geral necessitam de uma seqüência de ações para chegar a um objetivo (busca e planejamento) ambiente está? Estado Interno ambiente estará após a ação A Objetivos O que devo fazer? s Baseados em Utilidade Utilidade mapeia uma seqüência de estados em um valor de felicidade ambiente está? Estado Interno O quanto estarei feliz após a ação A Objetivos O que devo fazer? 6

7 s e Aprendizagem Nos casos anteriores os agentes eram programados O ideal é que possamos ensiná-los Crítico Elemento de Aprendizado Elemento de Desempenho Gerador de Problemas Sistemas Multiagentes Atividades de um conjunto de agentes autônomos Nestes casos existe a interferência social: dados dois agentes x e y, em um mesmo ambiente, o efeito das ações de x que afetam a busca de objetivos de y. Alguns padrões de interação entre os agentes: Neutralismo: não há interação Competição: agentes se prejudicam, pois concorrem pelos mesmos recursos Parasitismo: um agente depende de outro para atingir seu objetivo, afetando-o negativamente Proto-cooperação: ambos obtém suas metas de forma mais eficiente juntos Simbiose: os agentes só podem obter a meta se trabalharam juntos 7

8 Exercício Projetar um agente reativo simples capaz de sair do labirinto. (A = agente, M = monstro, S = saída) A M S Leitura recomendada Capítulo 2 (p ), Russel & Norvig. 8

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial

TCC04040 Inteligência Artificial. Inteligência Artificial Inteligência Artificial Aula 2 Profª Bianca Zadrozny TCC04040 Inteligência Artificial Página web: http://www.ic.uff.br/~bianca/ia Material: Livro texto: Inteligência Artificial, Russell & Norvig, Editora

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial Edirlei Soares de Lima INF 1771 Inteligência Artificial Aula 02 Agentes Inteligentes Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de

Leia mais

AGENTES INTELIGENTES. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

AGENTES INTELIGENTES. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com AGENTES INTELIGENTES Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Agentes Inteligentes Um agente é tudo o que pode ser considerado capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Prof. Rafael Stubs Parpinelli DCC / UDESC-Joinville parpinelli@joinville.udesc.br www.joinville.udesc.br/portal/professores/parpinelli www2.joinville.udesc.br/~coca/ Agentes Inteligentes:

Leia mais

Inteligência Artificial (SI 214) Aula 2 Agentes Inteligentes

Inteligência Artificial (SI 214) Aula 2 Agentes Inteligentes Inteligência Artificial (SI 214) Aula 2 Agentes Inteligentes Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br 2012-2015 Josenildo Silva (jcsilva@ifma.edu.br) Este material é derivado dos slides de Hwee Tou Ng,

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Licenciatura em Computação Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial INF 1771 Inteligência Artificial Aula 02 Agentes Inteligentes Edirlei Soares de Lima Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de

Leia mais

Ementa. Inteligência Artificial. Agentes. Agentes Inteligentes. Exemplos 8/18/2010. Mapeando percepções em ações. Aula 2 Profª Bianca Zadrozny

Ementa. Inteligência Artificial. Agentes. Agentes Inteligentes. Exemplos 8/18/2010. Mapeando percepções em ações. Aula 2 Profª Bianca Zadrozny Ementa Inteligência Artificial Aula 2 Profª Bianca Zadrozny Agentes inteligentes (Cap. 1 e 2) Resolução de problemas por meio de busca (Cap. 3, 4 e 6) Representação de conhecimento e raciocínio através

Leia mais

Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes

Inteligência Artificial. Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Agentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores. em busca de um objetivo Exemplos

Leia mais

Inteligência Artificial Escola de Verão 2008. Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada LAC

Inteligência Artificial Escola de Verão 2008. Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada LAC Inteligência Artificial Escola de Verão 2008 Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada LAC www.lac.inpe.br/~demisio/ia_lac.html Agentes Inteligentes Agente: Qualquer coisa que pode: Agente

Leia mais

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial. Exemplos. Agentes Inteligentes. Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial. Exemplos. Agentes Inteligentes. Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores. Agente Prof. Ms. Luiz Alberto Contato:

Leia mais

Sistemas Inteligentes. Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco

Sistemas Inteligentes. Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco Sistemas Inteligentes Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco 1 Ao final desta aula a gente deve... Entender o que é um Agente Racional (inteligente)? Distinguir entre os vários tipos

Leia mais

Agentes Inteligentes

Agentes Inteligentes Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Site: http://jeiks.net E-mail: jacsonrcsilva@gmail.com

Leia mais

Agentes inteligentes. Capítulo 2 Inteligência Artificial Sistemas de Informação

Agentes inteligentes. Capítulo 2 Inteligência Artificial Sistemas de Informação Agentes inteligentes Capítulo 2 Inteligência Artificial Sistemas de Informação Resumo Agentes e ambientes Racionalidade Desempenho, ambiente, atuadores e sensores Tipos de ambientes Tipos de agentes Agentes

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial Edirlei Soares de Lima INF 1771 Inteligência Artificial Aula 12 Aprendizado de Máquina Agentes Vistos Anteriormente Agentes baseados em busca: Busca cega Busca heurística Busca local

Leia mais

Francisca Raquel de Vasconcelos Silveira Gustavo Augusto Lima de Campos Mariela Inés Cortés

Francisca Raquel de Vasconcelos Silveira Gustavo Augusto Lima de Campos Mariela Inés Cortés Francisca Raquel de Vasconcelos Silveira Gustavo Augusto Lima de Campos Mariela Inés Cortés Introdução Trabalhos Relacionados Abordagem Proposta Considerações Finais Conclusão Trabalhos Futuros 2 Agentes

Leia mais

Inteligência Artificial: 2. Agentes Inteligentes. Capítulo 2 Russell e Norvig

Inteligência Artificial: 2. Agentes Inteligentes. Capítulo 2 Russell e Norvig Inteligência Artificial: 2. Agentes Inteligentes Capítulo 2 Russell e Norvig Agentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por meio de atuadores.

Leia mais

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes na Plataforma MOODLE para Apoio às Atividades Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Parnaíba, 14 de Novembro de 2012

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Agenda O que é um Agente Como Definir Agentes Arquitectura dos Agentes 1 O que é um agente Em geral um agente é qualquer entidade que: Percebe seu ambiente

Leia mais

Agentes Inteligentes. Módulo 02 27/02/2013. Inteligência Artificial. Profª Hemilis Joyse

Agentes Inteligentes. Módulo 02 27/02/2013. Inteligência Artificial. Profª Hemilis Joyse Agentes Inteligentes Módulo 02 1 Agente É tudo que pode ser considerado capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre esse ambiente por intermédio de atuadores. 2 Agente Tabela parcial

Leia mais

Agentes Inteligentes: Uma Abordagem Prática com o Java Agent Development Framework

Agentes Inteligentes: Uma Abordagem Prática com o Java Agent Development Framework Agentes Inteligentes: Uma Abordagem Prática com o Java Agent Development Framework Daniel Abella Cavalcante Mendonça de Souza daniel@abella.com.br Capítulo 1. Introdução Segundo Russel e Norvig [1], um

Leia mais

TEORIA DOS JOGOS E APRENDIZADO

TEORIA DOS JOGOS E APRENDIZADO TEORIA DOS JOGOS E APRENDIZADO DE MÁQUINA Estudos Iniciais André Filipe de Moraes Batista Disciplina de Aprendizagem de Máquina UFABC 2010 TEORIA DOS JOGOS Ramo da matemática aplicada estuda situações

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial CTC15 Aula 1 CTC15 Aula 1 1 Motivação e orientações gerais Sumário O que é e para que serve IA Breve história e estado da arte Divisões em IA Bibliografia e organização do curso

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Fonte: José Francisco Salm Junior (Diretor de Engenharia de Sistemas Instituto Stela) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação

Leia mais

Agentes Inteligentes. Qualquer coisa que pode: 1. Perceber seu ambiente através de sensores e

Agentes Inteligentes. Qualquer coisa que pode: 1. Perceber seu ambiente através de sensores e Agentes Inteligentes Agente: Qualquer coisa que pode: Agente 1. Perceber seu ambiente através de sensores e 2. Agir sobre ambiente através de atuadores. Características de um agente humano: Sensores: Olhos

Leia mais

AGENTES E AMBIENTES. BREVE INTRODUÇÃO A AGENTES Prof. Tacla UTFPR/Curitiba

AGENTES E AMBIENTES. BREVE INTRODUÇÃO A AGENTES Prof. Tacla UTFPR/Curitiba AGENTES E AMBIENTES BREVE INTRODUÇÃO A AGENTES Prof. Tacla UTFPR/Curitiba AGENTE SITUADO Ênfase na visão de IA como agente situado e racional em um ambiente que consegue perceber por meio de sensores e

Leia mais

O OBTURADOR 1. FUNCIONAMENTO:

O OBTURADOR 1. FUNCIONAMENTO: Esse anexo é um complemento do material didático exclusivo do Curso de Fotografia Digital - A fotografia sob uma nova óptica e função, com Célio Ricardo, constituindo uma parte que completa o total de

Leia mais

Introdução 12. 1 Introdução

Introdução 12. 1 Introdução Introdução 12 1 Introdução O crescente avanço no acesso à informação, principalmente através da rede mundial de computadores, aumentou o ritmo de mudanças, impondo uma diminuição no tempo necessário para

Leia mais

Inteligência Artificial Agentes Inteligentes

Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Inteligência Artificial Agentes Inteligentes Prof. Kléber de Oliveira Andrade pdjkleber@gmail.com Agentes Inteligentes Definição Um agente é tudo que pode ser considerado como capaz de perceber seu ambiente

Leia mais

Aula 02a Agentes Inteligentes

Aula 02a Agentes Inteligentes Tópicos Aula 02a Agentes Inteligentes Prof. Dr. Alexandre da Silva Simões 1. Agentes: Conceitos básicos: função, programa, percepção, ações,... Relação entre comportamento e desempenho Racionalidade Autonomia

Leia mais

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia.

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia. Tecnologias da Educação Marco Antônio Tecnologias e mídias Comunicar não é de modo algum transmitir uma mensagem ou receber uma mensagem. Isso é a condição física da comunicação, mas não é comunicação.

Leia mais

Robótica Móvel Inteligente: Aplicações da Inteligência Artificial nas Pesquisas em Robótica

Robótica Móvel Inteligente: Aplicações da Inteligência Artificial nas Pesquisas em Robótica ! " # $% #'&()(& Robótica Móvel Inteligente: Aplicações da Inteligência Artificial nas Pesquisas em Robótica * +, -. - / 012 34 5 1 6 7 8 7 9 : 7 ;< = >? > 8 @ A B : 8 : B 7 8 @ C 9 D 0 E. F 0,. / 0, +

Leia mais

Uma Experiência com Agentes Inteligentes e Jogos de Cartas

Uma Experiência com Agentes Inteligentes e Jogos de Cartas 1 Uma Experiência com Agentes Inteligentes e Jogos de Cartas Anita Maria da R. Fernandes Daniel de Oliveira Helton Machado Kraus Universidade do Vale do Itajaí Universidade do Vale do Itajaí Universidade

Leia mais

Controle Inteligente de Robos Móveis: Aplicações da Inteligência Artificial nas Pesquisas em Robótica

Controle Inteligente de Robos Móveis: Aplicações da Inteligência Artificial nas Pesquisas em Robótica ! #" $ %'&(#(& Controle Inteligente de Robos Móveis: Aplicações da Inteligência Artificial nas Pesquisas em Robótica ) * +, -,. /01 2 + 3 /4 5 6 5 7 8 5 9: ; < = < 6 >? @ 8 6 8 @ 5 6 > A 7 ) - + B * 3

Leia mais

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial

Agentes Inteligentes. Inteligência Artificial Agentes Inteligentes (Capítulo 2 - Russell) Inteligência Artificial Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Ambiente de Tarefas 3. Exemplos de ambiente de Tarefas 4. Propriedades

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Faculdade Ieducare 7º Semestre Sistemas de Informação Professor: Rhyan Ximenes 1 Objetivos de hoje: Agentes Inteligentes 2 Revisão: Barr & Feigenbaum (1981) IA é a parte da ciência da computação que se

Leia mais

GIA- Grupo de Inteligência Artificial GVPA Grupo de Pesquisas em Veículos Autônomos

GIA- Grupo de Inteligência Artificial GVPA Grupo de Pesquisas em Veículos Autônomos MScFarleiHeinen-farlei@exatas.unisinos.br Dia Fernando da Computação UNOCHAPECÓ, Osório-osorio@exatas.unisinos.br http://inf.unisinos.br/~osorio/ Cursos Março de 2004 Informática Colaboradores: Prof.Dr.Christian

Leia mais

Inteligência Artificial para Jogos Eletrônicos

Inteligência Artificial para Jogos Eletrônicos Inteligência Artificial para Jogos Eletrônicos Prof. Marcelo Henrique dos Santos O que é Inteligência Artificial? inteligência apresentada por uma entidade artificial (geralmente um computador); ramo da

Leia mais

Alertas Para Existência De Problemas: Oportunidade

Alertas Para Existência De Problemas: Oportunidade Tomar Decisão É o processo de escolher um curso de ação entre várias alternativas para se defrontar com um problema ou oportunidade 2 Uma decisão ocorre sempre que se apresenta alternativas. As Fontes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO EM GRUPO

FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO EM GRUPO PARTE III O GRUPO CAPÍTULO 8 FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO EM GRUPO Prof. Germano G. Reis germanoglufkereis@yahoo.com.br Prof. Luciel H. de Oliveira luciel@uol.com.br 2006 by Pearson Education OBJETIVOS

Leia mais

Gerência de Redes NOC

Gerência de Redes NOC Gerência de Redes NOC Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os conceitos fundamentais, assim como os elementos relacionados a um dos principais componentes

Leia mais

Pedagogia. Comunicação matemática e resolução de problemas. PCNs, RCNEI e a resolução de problemas. Comunicação matemática

Pedagogia. Comunicação matemática e resolução de problemas. PCNs, RCNEI e a resolução de problemas. Comunicação matemática Pedagogia Profa. Luciana Miyuki Sado Utsumi Comunicação matemática e resolução de problemas PCNs, RCNEI e a resolução de problemas Consideram aspectos fundamentais, como: As preocupações acerca do ensino

Leia mais

Comunicação entre Agentes

Comunicação entre Agentes Comunicação entre Agentes Bibliografia: Jacques Ferber, Multi-Agent Systems: An Introduction to Distributed Artificial Intelligence, Addison-Wesley, 1999. Weiss, G. - Multiagent Systems: A Modern Approach

Leia mais

Sistema de Mídia Digital

Sistema de Mídia Digital Sistema de Mídia Digital Sistema completo para gestão de conteúdo informativo, entretenimento e publicidade para diversos ramos mercadológicos: Supermercados; Ônibus; Academias; Shoppings; Universidades;

Leia mais

Robótica Autônoma Sensores e Atuadores

Robótica Autônoma Sensores e Atuadores * Sensores: Percepção do Ambiente Robótica Autônoma Sensores e Atuadores * Atuadores: Ações e Movimentação do Robô MIT -OCW * Sensores: Robótica Autônoma Sensores e Atuadores Distância: Luz, Som, Força

Leia mais

SEU SITE COMO CANAL DE VENDAS ESTATÍSTICAS SOBRE O COMPORTAMENTO ONLINE DOS TURISTAS -2015-

SEU SITE COMO CANAL DE VENDAS ESTATÍSTICAS SOBRE O COMPORTAMENTO ONLINE DOS TURISTAS -2015- SEU SITE COMO CANAL DE VENDAS ESTATÍSTICAS SOBRE O COMPORTAMENTO ONLINE DOS TURISTAS -2015- Conheça melhor o comportamento online do hóspede e prepare sua estratégia digital para os últimos meses deste

Leia mais

Resumo das respostas obtidas e análise do material coletado

Resumo das respostas obtidas e análise do material coletado Resumo das respostas obtidas e análise do material coletado Figura 1. Distribuição de respostas entre as categorias professors e alunos e profissionais Grupo de Professores Figura 2. Distribuição de atuação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.9 Especificações do Sistema de Monitoramento da Frota PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 2 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 2 2.1 Aquisição de Dados Monitorados do Veículo...

Leia mais

Atuadores: Atuadores: Atuadores:

Atuadores: Atuadores: Atuadores: Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais - Campus Rio Pomba Bacharelado em Ciência da Computação Inteligência Artificial (Lista 1) Prof. Alex F.

Leia mais

Temas Principais: Manipuladores, Robôs Móveis Terrestres, Aquáticos, Aéreos,...

Temas Principais: Manipuladores, Robôs Móveis Terrestres, Aquáticos, Aéreos,... 3 Robótica Inteligente e Veículos Autônomos Temas Principais: Introdução Parte I Tipos de Robôs Parte II Manipuladores, Robôs Móveis Terrestres, Aquáticos, Aéreos,... Parte III Inteligência & Robôs Modelos

Leia mais

Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing)

Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing) Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing) Transforme suas comunicações mais lidas em participações multicanais altamente direcionadas que reduzem custos, aumentam a satisfação do cliente e geram

Leia mais

Robótica Inteligente e Veículos Autônomos: Novos Desafios para a Computação

Robótica Inteligente e Veículos Autônomos: Novos Desafios para a Computação MScFarleiHeinen-farlei@exatas.unisinos.br Dia Fernando da Computação UNOCHAPECÓ, Osório-osorio@exatas.unisinos.br http://inf.unisinos.br/~osorio/ Cursos Março de 2004 Informática Colaboradores: Prof.Dr.Christian

Leia mais

DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial

DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial DAS6607 - Inteligência Artificial Aplicada à Controle de Processos e Automação Industrial Aluno: André Faria Ruaro Professores: Jomi F. Hubner e Ricardo J. Rabelo 29/11/2013 1. Introdução e Motivação 2.

Leia mais

GPS. Global Positioning System

GPS. Global Positioning System GPS Global Positioning System Microsoft PowerPoint Johnny F. Crivellaro João Elinaldo GPS Global Positioning System Navegador portátil que identifica informações de satélites e define através de calculo

Leia mais

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial João Marques Salomão Rodrigo Varejão Andreão Inteligência Artificial Definição (Fonte: AAAI ): "the scientific understanding of the mechanisms

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO VI - ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO DA FROTA.

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO VI - ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO DA FROTA. EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO VI - ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO DA FROTA. 1. Sistema de Monitoramento da Frota O Sistema de Monitoramento da Frota será implantado pela concessionária para

Leia mais

Automação Hidráulica

Automação Hidráulica Automação Hidráulica Definição de Sistema hidráulico Conjunto de elementos físicos associados que, utilizando um fluido como meio de transferência de energia, permite a transmissão e o controle de força

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI

HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI PROJETO REVELAÇÃO DE IMAGEM DIAGNÓSTICA DIGITALIZADA ECIMARA DOS SANTOS SILVA Email: e.santos@hospitalnardini.org.br Telefone: (11) 4547-6906 Cel. (11) 98697-6908

Leia mais

Ferramentas de AP Arvus Tecnologia. Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115

Ferramentas de AP Arvus Tecnologia. Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115 Ferramentas de AP Arvus Tecnologia Gerente nacional de vendas Luiz Ghilherme Bridi Luiz.bridi@arvus.com.br (48) 8817-4115 Arvus Tecnologia Estrutura e Equipe Unidade Administrativa (SC) Unidade Industrial

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL: Conceitos e fundamentos (Cap. 1)

COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL: Conceitos e fundamentos (Cap. 1) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (UFMS) CAMPUS DE BONITO/MS, CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL: Conceitos e fundamentos (Cap. 1) Prof. Ana Cristina Trevelin Exemplo Você é o

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Evolução e conceito de geomarketing. 2. Técnicas de geoprocessamento. Geomarketing : Tomada de Decisão no Varejo

Leia mais

Tecnologia e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS

Tecnologia e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS PORTAL DE TELEMETRIA SYSTEMTEK PARA GERENCIAMENTO DE FROTAS Características Design inovador Controle de acesso Permite criar usuários com senhas podendo-se definir no sistema quais as funcionalidades cada

Leia mais

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA A VIA RÁPIDA PARA O DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL DA COMUNICAÇÃO DE EXCELÊNCIA.

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA A VIA RÁPIDA PARA O DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL DA COMUNICAÇÃO DE EXCELÊNCIA. PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA A VIA RÁPIDA PARA O DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL DA COMUNICAÇÃO DE EXCELÊNCIA. A PNL, é uma área da psicologia que se reveste de um de carácter muito prático e eficaz,

Leia mais

SISTEMA INTELIGENTE DE NAVEGAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS

SISTEMA INTELIGENTE DE NAVEGAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS SISTEMA INTELIGENTE DE NAVEGAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DE ROBÔS MÓVEIS Aluno: Lucas Grativol Ribeiro Orientador: Karla Tereza Figueiredo Leite Introdução As aplicações da robótica fora do contexto industrial têm

Leia mais

Mudança Orientada por Comportamento

Mudança Orientada por Comportamento Mudança Orientada por Comportamento Quando um sistema de gestão de SSO não é suficiente para melhorar o desempenho organizacional em acidentes Caroline Passuello e Mauro Tavares Abril 2012 DNV Business

Leia mais

1. Introdução à Administração

1. Introdução à Administração 1. Introdução à Administração Conteúdo 1. Conceito de Administração 2. Funções do Administrador 3. As Competências do Administrador 4. As Habilidades do Administrador 5. As Atividades do Administrador

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Razões para prestar um fantástico atendimento. 2. Motivação e empregabilidade. 3. Fidelização do cliente. 4.

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS.

GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS. GEOPROCESSAMENTO COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE NOS IMPACTOS AMBIENTAIS: MINERADORA CAMPO GRANDE TERENOS/MS. CÁSSIO SILVEIRA BARUFFI(1) Acadêmico de Engenharia Sanitária e Ambiental, Universidade Católica

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco - Centro de Informática Introdução aos Agentes Inteligentes (Pós-Graduação 2014.1) Lista de Exercícios 01

Universidade Federal de Pernambuco - Centro de Informática Introdução aos Agentes Inteligentes (Pós-Graduação 2014.1) Lista de Exercícios 01 Universidade Federal de Pernambuco - Centro de Informática Introdução aos Agentes Inteligentes (Pós-Graduação 2014.1) Lista de Exercícios 01 Danilo Carlos Gouveia de Lucena Albert F. J. Costa Parte I -

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO JAN/FEV.

BOLETIM INFORMATIVO JAN/FEV. BOLETIM INFORMATIVO JAN/FEV. 2013 [Edição 5] Mais um ano se inicia, novas oportunidades, novas aprendizagens e para iniciamos esse novo ano, algo comum de se fazer são as METAS. A Meta que destitinei ao

Leia mais

AS FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS

AS FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS AS FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS Professor Djair Picchiai Campus São Paulo Março 2010 AS FUNÇÕES ADMINISTRATIVAS Todo diretor, gerente, chefe e encarregado exercem estas sete funções administrativas, a saber:

Leia mais

04/04/2014. Antes de 1940

04/04/2014. Antes de 1940 Prof. William Costa Rodrigues Eng. Agrônomo Um Sistema de Informação Gerenciais é um instrumento administrativo que contribui efetivamente para a otimização das comunicações e do processo decisório nas

Leia mais

LISTA EXTRA MRU e MRUV - 2ª SÉRIE

LISTA EXTRA MRU e MRUV - 2ª SÉRIE LISTA EXTRA MRU e MRUV - ª SÉRIE 1. (Unicamp 014) Correr uma maratona requer preparo físico e determinação. A uma pessoa comum se recomenda, para o treino de um dia, repetir 8 vezes a seguinte sequência:

Leia mais

Scania Driver Support, Opticruise e Retarder.

Scania Driver Support, Opticruise e Retarder. Scania Condução Econômica Scania Driver Support, Opticruise e Retarder. Scania Condução Econômica 2 3 A Scania avança para que o seu negócio não pare de prosperar. A Scania não para de acelerar rumo à

Leia mais

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS

Nas Ruas de BH. BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional. Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS BIENAL ANTP de MARKETING 2.006 Categoria: Marketing Institucional Nas Ruas de BH Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte - BHTRANS Responsável pela Experiência: Rodrigo César Magalhães Silva

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 10 Síntese Curso CRONOGRAMA - CURSO Data Assunto Detalhamento 8/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 15/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 22/mar

Leia mais

Temas positivos observados: 1 2 3 4 5. Temas negativos observados: 1 2 3 4 5. Atende aos requisitos

Temas positivos observados: 1 2 3 4 5. Temas negativos observados: 1 2 3 4 5. Atende aos requisitos Observações da entrevista Korn Ferry Interview Architect Pontos principais/situação: Perguntas estruturadas: Ações: Como você abordou isso? Como você fez isso? (Preste atenção nas etapas de ação específicas.)

Leia mais

Engenharia de Software baseada em Agentes

Engenharia de Software baseada em Agentes IV Congresso Brasileiro de Ciência da Computação CBComp 2004 (Procedimentos) Brasil ISSN Engenharia de Software baseada em Agentes Rosario Girardi Universidade Federal do Maranhão - DEINF - GESEC Av. dos

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

Educação a Distância: quando se justificam os encontros presenciais?

Educação a Distância: quando se justificam os encontros presenciais? Educação a Distância: quando se justificam os encontros presenciais? Paulo Alcantara Gomes Representante do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras Audiência Pública no Senado Federal 6 de maio

Leia mais

Um estudo sobre o uso de um sistema multiagentes para comunicação baseada no rastreamento ocular

Um estudo sobre o uso de um sistema multiagentes para comunicação baseada no rastreamento ocular 1 Um estudo sobre o uso de um sistema multiagentes para comunicação baseada no rastreamento ocular Luisa Helena Junqueira Parreira Resumo Este trabalho apresenta um estudo sobre o uso de um sistema multi-agentes,

Leia mais

Resumo Aula-tema 08: Ideário ético. Desafios, questionamentos e propostas.

Resumo Aula-tema 08: Ideário ético. Desafios, questionamentos e propostas. Resumo Aula-tema 08: Ideário ético. Desafios, questionamentos e propostas. O ideário ético é um conjunto essencial de valores que deve ser conscientizado por todos na Organização para que se consiga implantar

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

AMBIENTE INTERATIVO DE APRENDIZAGEM: O PAPEL FUNDAMENTAL DA TELEDUCAÇÃO NA APRENDIZAGEM E PREVENÇÃO DOS DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL

AMBIENTE INTERATIVO DE APRENDIZAGEM: O PAPEL FUNDAMENTAL DA TELEDUCAÇÃO NA APRENDIZAGEM E PREVENÇÃO DOS DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL AMBIENTE INTERATIVO DE APRENDIZAGEM: O PAPEL FUNDAMENTAL DA TELEDUCAÇÃO NA APRENDIZAGEM E PREVENÇÃO DOS DISTÚRBIOS DA COMUNICAÇÃO NO BRASIL Wanderléia Blasca, Andressa S. C.da Silva, Ana C. Spinardi,Thaís

Leia mais

2. O Domínio da Aplicação

2. O Domínio da Aplicação ARTEMIS - Raciocínio e emoção na tomada de decisão de um agente em um cenário específico Aline A. Soares, Júlio C. Ho Kelly C. C. Silva, Claudia Ferlin Abstract. This work aims to construct a cognitive

Leia mais

Concurso de Motorista - 2014

Concurso de Motorista - 2014 PORTUGUÊS MATEMÁTICA 01 QUESTÃO Analise as alternativas abaixo e assinale a alternativa correta na divisão silábica. A ( ) par aná; sá-ba-do. B ( ) ó cu-los; sa-la-da. C ( ) ci-garro; ca-na. D ( ) Todas

Leia mais

Gestão da Qualidade. Gestão da. Qualidade

Gestão da Qualidade. Gestão da. Qualidade Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade 1621131 - Produzido em Abril/2011 Gestão da Qualidade A Gestão da Qualidade é um modelo de mudança cultural e comportamental, através de uma liderança persistente

Leia mais

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America 5º Encontro de Telecomunicações Respeito ao Consumidor 4G no Brasil: FIESP Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações Alexandre Jann Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America Tópicos Perfil

Leia mais

4 Estratégias para Implementação de Agentes

4 Estratégias para Implementação de Agentes Estratégias para Implementação de Agentes 40 4 Estratégias para Implementação de Agentes As principais dúvidas do investidor humano nos dias de hoje são: quando comprar ações, quando vendê-las, quanto

Leia mais

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você.

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você. Somos uma empresa inovadora, que através de uma metodologia vencedora proporciona a nossos clientes um ambiente favorável ao desenvolvimento de capacidades, para que seus profissionais alcancem o melhor

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015. Aula 5. Características do tráfego (cont.

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015. Aula 5. Características do tráfego (cont. Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015 Aula 5 Características do tráfego (cont.) fonte: revista 4 Rodas Publicidade, 1.962 5.1. Planejamento

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais

Engenharia de Sistemas Computacionais

Engenharia de Sistemas Computacionais Engenharia de Sistemas Detalhes no planejamento UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Introdução Na aplicação de um sistema

Leia mais

Powered By: IMPORTANTE:

Powered By: IMPORTANTE: Powered By: IMPORTANTE: Este manual contém informações seguras de operação. Por favor, leia e siga as instruções desse manual. Falhas podem resultar em ferimentos pessoais, morte, e/ou danos no Delphi

Leia mais

Data, Text and Web Mining

Data, Text and Web Mining Data, Text and Web Mining Fabrício J. Barth TerraForum Consultores Junho de 2010 Objetivo Apresentar a importância do tema, os conceitos relacionados e alguns exemplos de aplicações. Data, Text and Web

Leia mais