Vetores e Matrizes. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Variáveis Compostas Homogêneas. Matriz

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Vetores e Matrizes. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Conceito. Variáveis Compostas Homogêneas. Matriz"

Transcrição

1 Variáveis Compostas Homogêneas São conhecidas na linguagem C como matrizes. Vetores e es É um conjunto de variáveis do mesmo tipo, acessíveis com um único nome e armazenadas de forma contínua na memória. Individualização dos elementos deste conjunto de variáveis é feita através da associação de índices. Material cedido pelo prof. Daniel Callegari e pela profa. Letícia Lopes Leite Nome de uma matriz É um identificador que obedece as mesmas regras de formação de identificadores de variáveis simples. Refere-se a todos os elementos da matriz. Para referência a um elemento é necessário colocar o nome da variável seguido de um ou mais índices entre colchetes. Todas as matrizes Consistem em localizações contínuas de memória. Menor endereço corresponde ao primeiro elemento. Maior endereço corresponde ao último elemento. As matrizes podem ter de uma a muitas dimensões Vetor = 1 dimensão = mais do que uma dimensão Podemos ter vetores de int, double, etc Vetores são utilizados para Manter os valores em memória. Reduzir a quantidade de variáveis. Índices são usados para acessar cada um dos elementos de um vetor O índice define a posição da variável dentro do vetor. Na linguagem de programação C, o primeiro elemento fica na posição 0 (zero). Assim, se tomarmos "K" como sendo o tamanho do vetor, a última posição é a de índice "K-1". Por exemplo um conjunto A de 5 elementos é representado como A 0 A 1 A 2 A 3 A 4 A é o nome de cada um dos 5 elementos. Identificação de cada elemento é feita pelo nome seguido do índice. A 0 é o primeiro elemento do conjunto. A 4 é o último elemento do conjunto. 1

2 Agora, supondo que as notas de 10 alunos estejam armazenadas em um vetor identificado por nota, a representação seria a seguinte Tipo Homogêneo Para referenciar o terceiro elemento desta variável nota[2] o conteúdo armazenado nesta posição é 9.0 e o índice é a constante inteira 2. nota nota Utilizando-se uma variável i como índice de nota pode-se ter acesso a qualquer uma das notas armazenadas, através da notação nota[i] seja o valor de i = 5 em um determinado instante, nota [i] seria substituída por nota[5], cujo valor é 9.1. nota Declaração e Utilização Declaração <tipo> <identificadorvetor> [<tamanhovetor>]; // declaração de um vetor de 100 posições float VetReais[100]; // declaração de um vetor de 5 posições int Vetor[5]; Vetor Vetor[0] = 60; Vetor[1] = 70; Vetor[2] = 90; Vetor[3] = 60; Vetor[4] = 75; Declaração e Utilização Acesso aos elementos do vetor Vetor[0]=8;//Coloca 8 na primeira posição de "Vetor" Vetor[4]=2;//Coloca 2 na última posição de "Vetor" Preenchimento de um vetor com um dado for(i=0; i<5; i++) Vetor[i]=30; for(i=0; i<=4; i++) Vetor[i]=30; s Colocar os números de 1 a 5 em Vetor for(i=0; i<5; i++) Vetor[i]=i+1; Colocar os números de 5 a 1 em Vetor for(i=0; i<5; i++) Vetor[i]=5-i; 2

3 s Uso de constantes para definir o tamanho de um vetor... double VetReais[TAM_MAX]; // coloca 5,4,3,2,1 no vetor for(i=0; i<tam_max; i++) VetReais[i]=TAM_MAX-i; Copiar os dados de um vetor para outro double VetReais[TAM_MAX], VetCopia[TAM_MAX]; for(i=0; i<tam_max; i++) VetCopia[i]=VetReais[i]; s Leitura dos dados de um vetor float Vet[TAM_MAX], val; for (i=0; i<tam_max; i++) printf("digite um número "); scanf("%f", &val); ou scanf("%f", &Vet[i]); Vet[i] = val; s Escrita dos dados de um vetor s Que valores são impressos na tela? float Vet[TAM_MAX]; printf("elementos do vetor \n ); for (i=0; i<tam_max; i++) printf("vet[%d]=%.2f \n", i, Vet[i]); E qual a diferença entre um vetor e uma matriz? O vetor apresenta apenas uma dimensão enquanto a matriz apresenta mais de uma. de Declaração int notas [4] [40]; Leitura de Dados para uma int i, j, notas [ 4 ] [ 40 ]; for ( i = 0 ; i < 4; i++ ) printf ( Entre com as notas da disciplina %d, i+1); for ( j = 0; j < 40; j++) printf ( Entre com a nota do aluno %d, j+1); scanf ( %d, &notas [ i ] [ j ]); 3

4 Leitura de Dados para uma Controla as linhas da matriz for ( i = 0 ; i < 4; i++ ) printf ( entre com as notas da disciplina%d, i+1); for ( j = 0; j < 40; j++) printf ( entre com a nota do aluno %d, j+1); scanf ( %d, &notas [ i ] [ j ]); for ( i = 0 ; i < 4; i++ ) printf ( entre com as notas da disciplina%d, i+1); Controla as colunas da matriz for ( j = 0; j < 40; j++) printf ( entre com a nota do aluno %d, j+1); scanf ( %d, &notas [ i ] [ j ]); for ( i = 0 ; i < 4; i++ ) printf ( entre com as notas da disciplina%d, i+1); for ( j = 0; j < 40; j++) printf ( entre com a nota do aluno %d, j+1); scanf ( %d, &notas [ i ] [ j ]); Leitura dos dados para a matriz [linha] [coluna] s Um caracter é uma letra, um numeral, uma pontuação ou um símbolo. Um string consiste em um conjunto de caracteres, sendo, portanto, utilizado para armazenar textos em geral. Char Declaração char c; Atribuição char opcao = A ; c = n ; Como um char armazena apenas um caracter, é necessário ter uma maneira de armazenar uma seqüência de caracteres. 4

5 em C consiste em um conjunto de caracteres terminado por nulo ( \0 ). char str[21]; // string de 20 caracteres char palavra[9] = PUCRS ; //string de 8 caracteres Cuidado!! Este tipo de atribuição para string é válido apenas no momento da sua declaração!! Constantes string Lista de caracteres entre aspas. Alo Mundo! Não é necessário adicionar nulo no final das constantes string (compilador C faz isso automaticamente). Definição de uma string char nome[6] nome da variável número de posições - 0 à 5 última posição ocupada pelo \0 Atribuição entre strings Uma das maneiras de fazer atribuição é de posição por posição. strings sempre começam na posição zero (0). nome[0] = M ; nome[1] = A ; Variável nome [0] [1] [2] [3] [4] Conteúdo M A R I A Endereço de memória Declaração 12 char nome[6]; void main() char nome1[6]; nome1[0] = M ; nome1[1] = A ; nome1[2] = R ; nome1[3] = I ; nome1[4] = A ; nome1[5] = \0 ; printf( O nome é %s\n, nome1); printf( A terceira letra da string é %c\n, nome1[2]); [5] \0 15 Leitura de strings do teclado Função gets() Lê string até o primeiro enter Função scanf() Lê string até o primeiro espaço em branco... char palavra[20]; gets(palavra); scanf( %s, palavra);... C suporta uma ampla gama de funções de manipulação de strings É necessário incluir a biblioteca string.h #include <string.h> Algumas funções strcpy(str1, str2) Copia str2 em str1 strcat(str1, str2) Concatena str2 ao final de str1 int tam = strlen(str1) Retorna o tamanho de str1 int valor = strcmp(str1, str2) Retorna 0 se str1 e str2 são iguais; < que 0 se str1<str2; > que 0 se str1>str2 5

6 s #include<string.h> main() char nome1[12], nome2[12], nome3[15]; strcpy(nome1, Carolina ); strcpy(nome2, Rodrigo ); strcpy(nome3, Ana Julia ); printf( Nome1 é %s\n, nome1); printf( Nome2 é %s\n, nome2); printf( Nome3 é %s\n, nome3); #include<string.h> main() char s1[30]; strcpy(s1, Marcia ); printf( %d\n, strlen(s1)); #include<string.h> void main() char nome1[5], nome2[6], nome12[12]='\0'; strcpy(nome1, Zeze ); strcpy(nome2, Maria ); strcat(nome12, nome2); strcat(nome12, ); strcat(nome12, nome1); printf( Concatenação de nomes é %\n, nome12); #include<string.h> main() char str1[5], str2[5]; strcpy(str1, aaaa ); strcpy(str2, aabb ); if(strcmp(str1,str2) == 0) printf( s iguais ); else printf( s diferentes ); #include <stdio.h> #include <string.h> main() char s1[80], s2[80]; gets(s1); gets(s2); printf( Comprimentos %d %d\n, strlen(s1), strlen(s2)); if(!strcmp(s1, s2)) printf( s iguais \n ); strcat(s1, s2); printf( %s \n, s1); strcpy(s1, Isto eh um teste.\n ); printf( %s \n, s1); Execução se for digitado alo e alo no exemplo anterior comprimentos 3 3 As string são iguais aloalo Isto eh um teste. Passagem de Parâmetro de Vetor 6

7 Passagem de Parâmetro de Vetor Não é possível passar um vetor inteiro como um argumento para uma função. É passado apenas o endereço, ou seja, um vetor é sempre passado por referência Qualquer alteração em seus elementos altera a variável usada como parâmetro na chamada da rotina. Passagem de Parâmetro de Vetor Passagem de um vetor como parâmetro Declarar o parâmetro da mesma forma que o vetor foi declarado. O comprimento do vetor não importa à função (C não faz verificação de limites). A passagem dos elementos de um vetor como parâmetro Idêntica à passagem de uma variável. Passagem por valor elemvet (no protótipo da função) Passagem por referência &elemvet Passagem de Parâmetro de Vetor #define TAM 10 void funcao1(int x[tam]) // Vetor dimensionado for (i=0; i<tam; i++) x[i] = i; void funcao2(int x[]) // Vetor nao-dimensionado for (i=0; i<tam; i++) printf("vetor[%d] = %d \n", i, x[i]); main() int v[tam]; funcao1(v); funcao2(v); Passagem de Parâmetro de Vetor void ImprimeVet(int tam, int Vet[TAM_MAX]) for (i=0; i<tam; i++) printf("%d", Vet[i]); main() int Notas[TAM_MAX]; ImprimeVet(TAM_MAX, Notas); // Passa o vetor //'Notas' como parâmetro Exercícios 1) Declarar um vetor chamado Vet para armazenar 6 elementos do tipo inteiro e inicializá-lo com o valor 0. 2) Foi realizada uma pesquisa entre 100 habitantes de uma certa região. De cada habitante foi coletado o valor do salário. Faça um programa que leia esses dados e armazene-os em um vetor. Depois, os valores armazenados em cada posição do vetor devem ser exibidos na tela. 3) Implemente um programa que leia a nota de vinte alunos, armazenandoas em um vetor. Depois, este programa deve percorrer o vetor para apresentar a média das notas, qual é a nota mais alta e a sua posição no vetor, e qual é a nota mais baixa e a sua posição no vetor. 4) Elabore um programa que declare um vetor de caracteres e inicialize este vetor com os caracteres contendo o seu nome. Em seguida, usando um laço, apresente o conteúdo do vetor na tela do computador. Exercícios 5) Implemente um programa que tenha as seguintes funções a) Função que recebe por parâmetro um vetor de números inteiros e um número inteiro indicando o número de elementos armazenados neste vetor. Esta função deverá retornar o maior valor armazenado neste vetor. b) Função que recebe por parâmetro um vetor de números inteiros e um número inteiro indicando o número de elementos armazenados neste vetor. Esta função deverá retornar a média dos valores armazenados neste vetor. Na função main deverá ser declarado um vetor de 100 posições para armazenar a idade dos alunos do primeiro semestre do curso de Análise de Sistemas. Peça para o usuário digitar as idades e armazeneas no vetor até que seja digitado uma idade negativa ou até que o vetor seja totalmente preenchido. Depois apresente a média das idades e a idade do aluno mais velhor chamando as funções implementadas. 7

8 Exercícios 6) Implemente um programa que verifique em uma matriz 3x3 qual o maior valor e qual o menor armazenados. 7) Implemente um programa que leia uma matriz 6x6 e um valor A e calcule o resultado da multiplicação do valor fornecido por cada elemento da matriz, substituindo o valor original. 8

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Algoritmos e Programação Linguagem C Vetores, Matrizes, Strings Eliane Pozzebon Variáveis Compostas São um conjunto de variáveis veis identificadas por um mesmo nome. Homogêneas (vetores e matrizes) Heterogêneas

Leia mais

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings)

Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Apêndice B. Cadeias de Caracteres (Strings) Até agora, quando desejávamos indicar o número de elementos existentes em um vetor qualquer, utilizávamos uma variável inteira, digamos tam, para armazenar tal

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Matrizes em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Universidade Federal do Paraná

Matrizes em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Universidade Federal do Paraná em C Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto Universidade Federal do Paraná Uma matriz é uma coleção de variáveis do mesmo tipo que é referenciada por um nome comum; Em C todas as matrizes consistem

Leia mais

Strings. Introdução. Definição de strings. Criação/Declaração de strings. Inicialização de strings. Manipulação de strings. Exemplos.

Strings. Introdução. Definição de strings. Criação/Declaração de strings. Inicialização de strings. Manipulação de strings. Exemplos. Introdução Definição de strings. Criação/Declaração de strings. Inicialização de strings. Manipulação de strings. Exemplos. 1 definições Uma string é uma sequência, um conjunto, ou uma cadeia de caracteres.

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados II IEC013

Algoritmos e Estruturas de Dados II IEC013 Algoritmos e Estruturas de Dados II IEC013 Linguagem C -Vetores e Matrizes- Prof. César Melo Todos os créditos ao Prof. Leandro Galvão Variáveis Compostas São um conjunto de variáveis identificadas por

Leia mais

Vetores e Strings. 4. Funções Básicas para manipulação de Strings. A função gets() lê uma string do teclado. Sua forma geral é:

Vetores e Strings. 4. Funções Básicas para manipulação de Strings. A função gets() lê uma string do teclado. Sua forma geral é: 4. Funções Básicas para manipulação de Strings - gets A função gets() lê uma string do teclado. Sua forma geral é: gets (nome_da_string); 187 - gets (continuação) Exemplo: Vetores e Strings 188 #include

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 15. Revisão Vetores e Matrizes Trabalho

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 15. Revisão Vetores e Matrizes Trabalho CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 15 Revisão Vetores e Matrizes Trabalho Definição: Introdução a Linguagem C Vetores Estrutura que permite armazenar um conjunto de dados do mesmo tipo na mesma variável;

Leia mais

Computação 2. Aula 5. Profª. Fabiany defines vetor, strings e matriz por parâmetros de função

Computação 2. Aula 5. Profª. Fabiany defines vetor, strings e matriz por parâmetros de função Computação 2 Aula 5 defines vetor, strings e matriz por parâmetros de função Profª. Fabiany fabianyl@utfpr.com.br #define A diretiva #define define um identificador e uma string que o substituirá toda

Leia mais

Seqüências de Caracteres

Seqüências de Caracteres Seqüências de Caracteres Strings Material da Prof. Ana Eliza Definição Uma STRING é uma seqüência de caracteres. Exemplos Maria José Número 10 5% de R$ 20,00 Introdução a Programação II - Prof. Márcio

Leia mais

O vetor é provavelmente um dos mais simples e importantes tipos agregados. Através do seu uso, podemos

O vetor é provavelmente um dos mais simples e importantes tipos agregados. Através do seu uso, podemos Cláudio C. Rodrigues Faculdade da Computação -UFU LINGUAGEM C 04: VETORES, STRINGS E MATRIZES Faculdade da Computação - UFU 1 Introdução & Objetivo O vetor é provavelmente um dos mais simples e importantes

Leia mais

Funções em Linguagem C Parte II

Funções em Linguagem C Parte II Slides inicialmente preparados pelo Prof. Dr. Claudio Fabiano Motta Toledo Funções em Linguagem C Parte II Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 1. Semestre 2017 Sumário Introdução a Ponteiros Escopo de Variáveis

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes?

Sumário. Introdução à Ciência da Computação. Ponteiros em C. Introdução. Definição. Por quê ponteiros são importantes? Introdução à Ciência da Computação Ponteiros em C Prof. Ricardo J. G. B. Campello Sumário Introdução Definição de Ponteiros Declaração de Ponteiros em C Manipulação de Ponteiros em C Operações Ponteiros

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Métodos Computacionais. Strings (Vetor de Caracteres)

Métodos Computacionais. Strings (Vetor de Caracteres) Métodos Computacionais Strings (Vetor de Caracteres) Em C, o tipo char : Caracteres é usado para representar caracteres pode armazenar valores inteiros (em 1 byte), representando assim, 256 valores distintos

Leia mais

Comandos de entrada. e saída. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada.

Comandos de entrada. e saída. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. Comandos de entrada. e saída Biblioteca stdio.h Comandos Função scanf() Função gets() Função getchar() Material cedido pelo prof. Daniel Callegari scanf() Rotina de entrada que lê todos os tipos de dados. Protótipo: int scanf(const

Leia mais

cadeia de caracteres (string) INF Programação I Prof. Roberto Azevedo

cadeia de caracteres (string) INF Programação I Prof. Roberto Azevedo cadeia de caracteres (string) INF1005 -- Programação I -- 2016.1 Prof. Roberto Azevedo razevedo@inf.puc-rio.br cadeia de caracteres (string) tópicos caracteres cadeia de caracteres referência Capítulo

Leia mais

INF 1620 P1-04/10/03 Questão 1 Nome:

INF 1620 P1-04/10/03 Questão 1 Nome: INF 1620 P1-04/10/03 Questão 1 a) Implemente uma função para calcular as raízes de uma equação do segundo grau do tipo ax 2 +bx+c=0. O protótipo dessa função deve ser: void raizes (float a, float b, float

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 12 Cadeia de Caracteres (Strings) Edirlei Soares de Lima Caracteres Até o momento nós somente utilizamos variáveis que armazenam números (int, float ou

Leia mais

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação

Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C. DCC 120 Laboratório de Programação Tipos de Dados, Variáveis e Entrada e Saída em C DCC 120 Laboratório de Programação Variáveis Uma variável representa um espaço na memória do computador para armazenar um determinado tipo de dado. Em C,

Leia mais

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente:

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente: Vetores Vetor é um tipo de dado usado para representar uma certa quantidade de variáveis de valores homogêneos (do mesmo tipo). Imagine o seguinte problema: calcular a média das notas da prova de 5 alunos.

Leia mais

Estruturas de Dados Aula 6: Cadeias de 28/03/2010

Estruturas de Dados Aula 6: Cadeias de 28/03/2010 Estruturas de Dados Aula 6: Cadeias de Caracteres 28/03/2010 Caracteres Caracteres são representados internamente por códigos numéricos Tipo char (inteiro pequeno ) 1 byte (8 bits) 256 caracteres possíveis

Leia mais

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores ! Variáveis, Tipos de Dados e Operadores Engenharias Informática Aplicada 2.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) VARIÁVEL VARIÁVEL É um local lógico, ligado a um endereço físico da memória

Leia mais

Curso de Introdução à Liguagem de. Grupo PET-Tele. Universidade Federal Fluminense. July 16, 2012

Curso de Introdução à Liguagem de. Grupo PET-Tele. Universidade Federal Fluminense. July 16, 2012 urso de à urso de à Universidade Federal Fluminense July 16, 2012 Indrodução urso de à O é uma linguagem de programação criada por Dennis Ritchie, em 1972 e que continua a ser muito utilizada até os dias

Leia mais

LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES

LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES LINGUAGEM C: ARRAY: VETORES E MATRIZES Prof. André Backes POR QUE USAR ARRAY? As variáveis declaradas até agora são capazes de armazenar um único valor por vez. Sempre que tentamos armazenar um novo valor

Leia mais

1ª Lista de Exercícios

1ª Lista de Exercícios Universidade Federal do Rio de Janeiro Data: 26/04/05 Disciplina: Computação I 1ª Lista de Exercícios 1) Faça um programa, em pseudo-código, que peça ao usuário que informe n números reais e então calcule

Leia mais

ponteiros INF Programação I Prof. Roberto Azevedo

ponteiros INF Programação I Prof. Roberto Azevedo ponteiros INF1005 -- Programação I -- 2016.1 Prof. Roberto Azevedo razevedo@inf.puc-rio.br ponteiros tópicos o que são ponteiros operadores usados com ponteiros passagem de ponteiros para funções referência

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 04 Alocação Dinâmica Edirlei Soares de Lima Vetores - Declaração e Inicialização Declaração de um vetor: int meu_vetor[10]; Reserva um espaço de memória

Leia mais

Laboratório de Programação 02

Laboratório de Programação 02 Laboratório de Programação 02 Tipos Agregados Homogêneo e String Prof. Carlos Eduardo de Barros Paes Prof. Julio Arakaki Departamento de Computação PUC-SP Variáveis Compostas São um conjunto de variáveis

Leia mais

O que é um apontador em C (type pointer in C)?

O que é um apontador em C (type pointer in C)? O que é um apontador em C (type pointer in C)? Um apontador é uma variável que contém um endereço de outra variável. int x = 10;//variável inteira iniciada com o valor 10 int *px = &x;//variável apontadora

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação. Sumário. Estruturas de Dados. Agradecimentos. Arranjos: Vetores, Strings & Matrizes em C

Introdução à Ciência da Computação. Sumário. Estruturas de Dados. Agradecimentos. Arranjos: Vetores, Strings & Matrizes em C Agradecimentos Introdução à Ciência da Computação Arranjos: Vetores, Strings & Matrizes em C Parte dos slides a seguir são adaptações dos originais gentilmente cedidos por: Prof. Rudinei Goularte Prof.

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

Computação I (MAB120) DCC/UFRJ

Computação I (MAB120) DCC/UFRJ Computação I (MAB120) DCC/UFRJ Aula 12: vetores 13 de maio de 2016 Objetivos dessa aula Apresentar o conceito de Tipos Compostos Homogêneos Apresentar o conceito de vetores Apresentar as operações básicas

Leia mais

Linguagem C (repetição)

Linguagem C (repetição) Linguagem C (repetição) André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Exercício Escrever um programa que conte (mostre na tela) os números de 1 a 100. Comandos aprendidos até o momento: printf, scanf, getchar,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Manipulação de strings. Prof. Alex Camargo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Manipulação de strings. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Manipulação de strings Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Variáveis "string" Na linguagem C uma cadeia de caracteres (string)

Leia mais

Aula 15: Vetores e Matrizes em C

Aula 15: Vetores e Matrizes em C Aula 15: Vetores e Matrizes em C Fernanda Passos Universidade Federal Fluminense Programação de Computadores IV Fernanda Passos (UFF) Vetores e Matrizes Programação de Computadores IV 1 / 50 Agenda 1 Revisão

Leia mais

Alocação Dinâmica em C

Alocação Dinâmica em C Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Alocação Dinâmica em C Profa Rosana Braga Adaptado de material preparado pela profa Silvana Maria Affonso de Lara

Leia mais

INF 1620 P3-25/11/05 Questão 1 Nome:

INF 1620 P3-25/11/05 Questão 1 Nome: INF 1620 P3-25/11/05 Questão 1 Dizemos que uma matriz quadrada é um quadrado mágico se a soma dos elementos de cada linha, a soma dos elementos de cada coluna e a soma dos elementos de sua diagonal principal

Leia mais

Funções em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Linguagem de Programação Estruturada I. Universidade Federal do Paraná

Funções em C. Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto. Linguagem de Programação Estruturada I. Universidade Federal do Paraná em C Linguagem de Programação Estruturada I Lucas Ferrari de Oliveira Professor Adjunto Universidade Federal do Paraná Sumário Funções: Conceitos; Forma Geral das funções; Regras de Escopo; Argumentos

Leia mais

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1)

Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Linguagem C Princípios Básicos (parte 1) Objetivos O principal objetivo deste artigo é explicar alguns conceitos fundamentais de programação em C. No final será implementado um programa envolvendo todos

Leia mais

Vetores(Arrays) Olimpíadas de Informática. Aulas preparatórias Introdução a Programação em C.

Vetores(Arrays) Olimpíadas de Informática. Aulas preparatórias Introdução a Programação em C. Olimpíadas de Informática Aulas preparatórias Introdução a Programação em C. Vetores(Arrays) Prof. Gemilson George gemilson@colegiogeo.com.br Blog: informaticageo.wordpress.com GEO.OBI Aula 05 Definição:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E MATEMÁTICA APLICADA. DIM0320 Algoritmos e Programação de Computadores

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E MATEMÁTICA APLICADA. DIM0320 Algoritmos e Programação de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E MATEMÁTICA APLICADA DIM0320 Algoritmos e Programação de Computadores #VARIÁVEIS #TIPOS DE DADOS E L I EZ I O S O A R ES E L I EZ

Leia mais

Módulo 5 Vetores e Alocação Dinâmica

Módulo 5 Vetores e Alocação Dinâmica Estruturas de Dados Módulo 5 Vetores e Alocação Dinâmica 1/9/2005 (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1 Referências Waldemar Celes, Renato Cerqueira, José Lucas Rangel, Introdução a Estruturas de Dados, Editora

Leia mais

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio)

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio) Módulo 1 Introdução AEDS I C++ (Rone Ilídio) Introdução Linguagens de Programação Fonte Compilador Executável SO I Hardware C++ - Características Evolução do C, ou seja, possui a mesma sintaxe É uma linguagem

Leia mais

Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída

Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída Introdução à Computação (IC) Linguagem C: Comandos de entrada e saída Prof.ª Dr.ª Symone Gomes Soares Alcalá Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Goiânia (RG) Campus Aparecida de Goiânia (CAP)

Leia mais

Departamento de Informática - PUC-Rio INF 1007 Programação 2 P1 17/04/2010

Departamento de Informática - PUC-Rio INF 1007 Programação 2 P1 17/04/2010 Departamento de Informática - PUC-Rio INF 1007 Programação 2 P1 17/04/2010 Aluno: Instruções: 1) Escreva seu nome completo, matrícula e turma em todas as folhas desta prova; 2) A prova deve ser completamente

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Vetores e Strings int vetor[] / rand() / #define / char string[] / gets() Gil Eduardo de Andrade Vetores Introdução Um vetor pode ser definido como é um conjunto de elementos (variáveis)

Leia mais

Capítulo 2 Operadores. A função scanf()

Capítulo 2 Operadores. A função scanf() Capítulo 2 Operadores A função scanf() A função scanf() é outra das funções de E/S implementadas em todos os compiladores e nos permite ler dados formatados da entrada padrão (teclado). Sintaxe: scanf(

Leia mais

C++ - Matrizes. Observ.: C++ não avisa quando o limite de uma matriz foi excedido. Providenciar a verificação é responsabilidade do programador.

C++ - Matrizes. Observ.: C++ não avisa quando o limite de uma matriz foi excedido. Providenciar a verificação é responsabilidade do programador. C++ - Matrizes É um conjunto de variáveis, do mesmo tipo, referenciadas por um único nome, onde cada variável é diferenciada por meio de um número entre colchetes chamado índice. Declaração : tipo nome

Leia mais

Linguagem C (Funções)

Linguagem C (Funções) 1. Sub-Rotinas em Linguagem C/C++ Um importante recurso apresentado nas linguagens de programação é a modularização, onde um programa pode ser particionado em sub-rotinas bastante específicas. A linguagem

Leia mais

1 Resumo: Matrizes. 2.1 Como declarar uma matriz IME/USP. Departamento de Ciência da Computação

1 Resumo: Matrizes. 2.1 Como declarar uma matriz IME/USP. Departamento de Ciência da Computação Departamento de Ciência da Computação MAC2166 Introdução a Computação IME/USP Matrizes 1 Resumo: Matrizes são estruturas bi-dimensionais utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo. Para declarar

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Primeiro programa em C #include int main() { int num1, num2, result; scanf("%d",&num1); scanf("%d",&num2); result = num1 + num2; printf("%d",

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Matrizes Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Definição Matriz é uma variável composta homogênea multidimensional. Conjunto de

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Algoritmos e Programação Parte 02 Vetores e Matrizes

Algoritmos e Programação Parte 02 Vetores e Matrizes Parte 02 Vetores e Matrizes o Algoritmos e Programação Vetores Estrutura de Dados Homogênea e Estática o Unidimensional o Exemplo : Prédio com um apartamento por andar Conjunto habitacional com apenas

Leia mais

Comandos de controle de fluxo: if / for / while / do while.

Comandos de controle de fluxo: if / for / while / do while. Conceitos básicos do C. 2 Introdução às funções. Entrada e saída. Comandos de controle de fluxo: if / for / while / do while. Variáveis, constantes, operadores e expressões Switch / break / matrizes e

Leia mais

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Operações com Strings Introdução a Ponteiros e Funções Profa Rosana Braga 1 Strings Strings são seqüências de caracteres

Leia mais

Introdução à Programação C

Introdução à Programação C Introdução à Programação C Fabio Mascarenhas - 2014.2 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/introc Vetores Para vários problemas precisamos de uma maneira de representar uma sequência de valores com um número

Leia mais

Aula 9 Oficina de Programação Matrizes. Profa. Elaine Faria UFU

Aula 9 Oficina de Programação Matrizes. Profa. Elaine Faria UFU Aula 9 Oficina de Programação Matrizes Profa. Elaine Faria UFU - 26 Variáveis Compostas Homogêneas O que uma variável composta homogênea? - Conjunto de variáveis do mesmo tipo - É chamada de forma geral

Leia mais

INF 1620 P3-29/06/04 Questão 1 Nome:

INF 1620 P3-29/06/04 Questão 1 Nome: INF 1620 P3-29/06/04 Questão 1 Considere um arquivo texto que descreve um conjunto de retângulos e círculos. Cada linha do arquivo contém a descrição de uma figura. O primeiro caractere da linha indica

Leia mais

CAP. IX - MANIPULAÇÃO DE ARQUIVOS Generalidades sobre Arquivos. 9.2 Abertura e Fechamento de Arquivos. Operações com arquivos:

CAP. IX - MANIPULAÇÃO DE ARQUIVOS Generalidades sobre Arquivos. 9.2 Abertura e Fechamento de Arquivos. Operações com arquivos: CAP. IX - MANIPULAÇÃO DE ARQUIVOS 9.1 Generalidades sobre arquivos 9.2 Abertura e fechamento de arquivos 9.3 Arquivos textos e arquivos binários 9.4 Leitura e escrita em arquivos binários 9.5 Procura direta

Leia mais

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva.

Linguagem C Funções. André Tavares da Silva. Linguagem C Funções André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Funções É uma coleção de comandos identificados por um nome (identificador); As funções executam ações e podem retornar valores; main, printf

Leia mais

Matrizes. DCC 119 Algoritmos

Matrizes. DCC 119 Algoritmos Matrizes DCC 119 Algoritmos Matrizes: vetores multidimensionais Assim como os vetores, as matrizes são estruturas de dados homogêneas. Podem ser construídas dos diversos tipos básicos primitivos (real,

Leia mais

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Ciência da Computação Algoritmos e Estruturas de Dados I (AED-I) Prof. Nilton nilton@comp.uems.br Introdução A linguagem C foi inventada por Dennis Ritchie e

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

A Linguagem C. A forma de um programa em C

A Linguagem C. A forma de um programa em C A Linguagem C Criada em 1972 por D. M. Ritchie e K. Thompson. Tornou-se uma das mais importantes e populares, principalmente pela portabilidade e flexibilidade. Foi projetada para o desenvolvimento de

Leia mais

Ambiente de desenvolvimento

Ambiente de desenvolvimento Linguagem C Ambiente de desenvolvimento Um programa em C passa por seis fases até a execução: 1) Edição 2) Pré-processamento 3) Compilação 4) Linking 5) Carregamento 6) Execução Etapa 1: Criação do programa

Leia mais

Modularidade - Fun ções e Procedimentos

Modularidade - Fun ções e Procedimentos Modularidade - Fun ções e Procedimentos José Gustavo de Souza Paiva Problema Em diversas situa ções, é preciso executar uma tarefa específica diversas vezes em um programa, variando apenas os dados de

Leia mais

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010

Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Segunda Aula Prática - 3 de setembro de 2010 1 Introdução O objetivo desta aula prática é exercitar o uso de variáveis de vários tipos

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação Linguagem C++: arrays - aula I Bruno Emerson Gurgel Gomes 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) 2012 Bruno Gomes (IFRN) Fundamentos de Programação

Leia mais

INF 1620 P1-11/04/03 Questão 1 Nome:

INF 1620 P1-11/04/03 Questão 1 Nome: INF 1620 P1-11/04/03 Questão 1 (a) Escreva uma função em C que receba como parâmetro um número inteiro não negativo e retorne, como resultado da função, o valor do seu fatorial. Essa função deve obedecer

Leia mais

INF1007: Programação 2. 0 Revisão. 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1

INF1007: Programação 2. 0 Revisão. 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1 INF1007: Programação 2 0 Revisão 06/08/2015 (c) Dept. de Informática - PUC-Rio 1 Tópicos Principais Variáveis e Constantes Operadores e Expressões Entrada e Saída Tomada de Decisão Construção com laços

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais

Programação e Sistemas de Informação

Programação e Sistemas de Informação Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Programação e Sistemas de Informação Programação e Sistemas de Informação REVISÕES 1 Conteúdos Introdução Declaração de strings Atribuição de valores a strings

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Linguagem C Professor: André de Carvalho Aula de hoje Introdução Tipos compostos Tipo enumeração Conclusão Tipos compostos A Linguagem C permite criar tipos de dados definíveis

Leia mais

Figura 1: Uma matriz contem elementos de um mesmo tipo, com início em (0,0). 30 é o número de colunas!

Figura 1: Uma matriz contem elementos de um mesmo tipo, com início em (0,0). 30 é o número de colunas! 22 Matrizes Ronaldo F Hashimoto e Carlos H Morimoto Oobjetivodestaaulaéintroduzirotipomatriz Aofinaldessaaulavocêdeverásaber: descrever o que são matrizes em C Declarar matrizes Como acessar elementos

Leia mais

Introdução à Computação MAC0110

Introdução à Computação MAC0110 Introdução à Computação MAC0110 Prof. Dr. Paulo Miranda IME-USP Aula 2 Variáveis e Atribuições Memória Principal: Introdução Vimos que a CPU usa a memória principal para guardar as informações que estão

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Introdução à Linguagem C Eduardo Simões de Albuquerque Instituto de Informática UFG 13/03/2006 1 História Inventada e desenvolvida por Dennis Ritchie em um DEC- PDP 11 Originária de: BCPL desenvolvida

Leia mais

Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões

Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões INF1005: Programação 1 Introdução à Linguagem C Variáveis e Expressões 08/03/10 (c) Paula Rodrigues 1 Tópicos Principais Programando em C Funções Variáveis Define Operadores e Expressões Entrada e Saída

Leia mais

MC-102 Aula 10 Vetores

MC-102 Aula 10 Vetores MC-102 Aula 10 Vetores Instituto de Computação Unicamp 15 de Setembro de 2016 Roteiro 1 Introdução 2 Vetores Definição de Vetores Vetores Como usar Vetores e a Memória Vetores Exemplos 3 Informações Extras:

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada 1º Programa: olamundo.c #include // biblioteca padrão de E/S /* Programa Olá Mundo */ int main(void) { printf( Olá mundo\n ); //exibe Olá mundo

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza

Universidade Federal do Espírito Santo. Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Universidade Federal do Espírito Santo Programação I Tipos de Dados Básicos - C Professora: Norminda Luiza Variáveis Tipos de Dados Básicos Formação dos identificadores o nome deve começar com uma letra

Leia mais

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância

Classes o Objetos. Classes, objetos, métodos e variáveis de instância Classes o Objetos Um recurso comum de cada aplicativo feito até agora é que todas as instruções que realizavam tarefas localizavam-se no método main. Se você tornar parte de uma equipe de desenvolvimento

Leia mais

Linguagem C Controle do Fluxo de Execução. Lógica de Programação

Linguagem C Controle do Fluxo de Execução. Lógica de Programação Linguagem C Controle do Fluxo de Execução Lógica de Programação Caro(a) aluno(a), Aqui começaremos a escrever os nossos primeiros programas em uma Linguagem de Programação. Divirta-se!!! Estrutura Seqüencial

Leia mais

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1 Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação Lista de Exercícios 1 1. O programa seguinte tem vários erros em tempo de compilação. Encontre-os. Main() int a=1; b=2,

Leia mais

Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011

Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011 Estruturas de Dados Aula 2: Estruturas Estáticas 02/03/2011 Tipos Básicos Quantos valores distintos podemos representar com o tipo char? Operadores de Incremento e Decremento ++ e -- Incrementa ou decrementa

Leia mais

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero Linguagem C Prof.ª Márcia Jani Cícero A estrutura Básica de um Programa em C Consiste em uma ou várias funções ou programas. main( ) // primeira função a ser executada // inicia a função // termina a função

Leia mais

INF 1620 P1-14/04/07 Questão 1 Nome:

INF 1620 P1-14/04/07 Questão 1 Nome: INF 1620 P1-14/04/07 Questão 1 Considerando o critério de aprovação de uma disciplina que determina que um aluno está aprovado se a média ponderada de suas três provas for maior ou igual a 5.0, onde a

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

Estruturas II UFOP 1/35

Estruturas II UFOP 1/35 BCC 201 - Introdução à Programação I Estruturas II Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/35 Conceito de struct I Vetores e matrizes Estruturas de dados homegêneas Armazenam vários valores, mas todos de um mesmo

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

Métodos Computacionais

Métodos Computacionais Métodos Computacionais Objetivos da Disciplina e Introdução a Linguagem C Construções Básicas Objetivos da Disciplina Objetivo Geral Discutir técnicas de programação e estruturação de dados para o desenvolvimento

Leia mais

1 Exercícios com ponteiros

1 Exercícios com ponteiros Computação para Informática - Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Oitava Aula Prática - 29 de outubro de 2010 O objetivo desta aula prática é exercitar ponteiros e funções. 1 Exercícios com ponteiros

Leia mais

Métodos Computacionais. Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros

Métodos Computacionais. Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros Métodos Computacionais Funções, Escopo de Variáveis e Ponteiros Tópicos da Aula Hoje vamos detalhar funções em C Escrevendo funções Comando return Passagem de argumentos por valor Execução de uma função

Leia mais

Laboratório de Introdução à Ciência da Computação I Aula de Vetores e Matrizes

Laboratório de Introdução à Ciência da Computação I Aula de Vetores e Matrizes Laboratório de Introdução à Ciência da Computação I Aula de Vetores e Matrizes Professor: Jó Ueyama Estagiária PAE: Aurea Soriano 1 Vetores em C Variável para armazenar valores homogêneos e é unidimensional

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: ponteiros e alocação dinâmica

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: ponteiros e alocação dinâmica Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: ponteiros e alocação dinâmica Prof. Renato Pimentel 1 Ponteiros 2 Prof. Renato Pimentel 1 Ponteiros: introdução Toda a informação

Leia mais

Introdução a Programação na Linguagem C.

Introdução a Programação na Linguagem C. Introdução a Programação na Linguagem C. Prof. Gemilson George E-mail: gemilson@geo.com.br Skype: gemilson_geo MSN: gemilsongeorge@gmail.com Facebook: facebook.com/gemilson Fone: (83)8880-2046 Blog: informaticageo.wordpress.com

Leia mais