PLANO DE AÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO NA MÍDIA LOCAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE AÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO NA MÍDIA LOCAL"

Transcrição

1 PLANO DE AÇÃO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO NA MÍDIA LOCAL PROPOSTA DE AÇÃO Criar um Observatório para mapear a cobertura realizada pela imprensa local sobre o tema da educação, a fim de ampliar sua visibilidade e qualidade. CONTEXTUALIZAÇÃO Nas duas últimas décadas verifica-se o crescimento da participação da sociedade civil na análise crítica dos meios de comunicação. Estas iniciativas partem de movimentos organizados, muitas vezes denominados de observatórios. O mais conhecido no Brasil talvez seja o Observatório da Imprensa, que desde 1996 vem desenvolvendo análises críticas da cobertura da grande mídia às questões relativas à democracia, cidadania, liberdade de expressão, etc. Outro exemplo, bem mais recente, é o Observatório do Direito à Comunicação, que faz um trabalho de acompanhamento, mapeamento e debate sobre a comunicação social no Brasil, buscando estimular a pluralidade e a democratização dos meios. Com relação à educação e à infância, a experiência mais consolidada no país é a da ANDI Agência de Notícias dos Direitos da Infância, um projeto de mobilização em rede que também analisa criticamente a cobertura da mídia, neste caso com foco nas temáticas relacionadas a crianças e adolescentes. Além de medir o espaço dedicado a notícias sobre esse segmento, a agência analisa a qualidade dos conteúdos e também premia todos os anos o jornalista amigo da criança, buscando valorizar aqueles profissionais que dedicam atenção a esta temática. Finalmente, vale citar a experiência do Observatório da Educação, criado em 2002 pela ONG Ação Educativa. Ele tem um trabalho um pouco mais amplo que inclui não apenas o acompanhamento e análise da cobertura da Educação pela mídia, mas também a produção de pautas e boletins informativos, realização de oficinas, pesquisas e debates públicos. Essas experiências são exemplos de como a sociedade civil pode de fato influenciar a imprensa, oferecendo um olhar crítico sobre o material por ela veiculado. Elas podem ser reproduzidas, em menor escala, na forma de Observatórios da Educação na Mídia Local. COMO EXECUTAR Iniciar o acompanhamento das notícias sobre educação veiculadas na mídia local, recortando (no caso da mídia imprensa) e gravando (no caso de mídia eletrônica) as que chamem sua atenção. Registrar suas primeiras impressões ainda que superficiais sobre essa cobertura. Definir quem formará a equipe do Observatório. Esta atividade foi pensada para um trabalho envolvendo educadores e alunos. Mas ele também pode ser desenvolvido apenas entre a rede de agentes-chave, como uma forma de integrar os membros a partir de uma atividade concreta.

2 Pesquisar sobre as práticas de Observatórios já existentes, como o Observatório da Imprensa (www.obervatoriodaimprensa.org), o Observatório do Direito à Comunicação (www.direitoacomunicacao.org.br), a ANDI (www.andi.org.br) e o Observatório da Educação (www.observatoriodaeducacao.org.br). Definir a duração da ação, pois isso terá implicações na dimensão do mapeamento. Nesse primeiro momento, não há necessidade de priorizar questões burocráticas referentes à criação ou formalização do Observatório. QUEM PODE EXECUTAR Mobilizadores, agentes-chave e funcionários da área de Comunicação da Unidade de Negócio. DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE Obs.: a atividade pode ser adaptada conforme a realidade local e os conhecimentos prévios do mobilizador sobre o assunto. Planejamos as etapas a seguir como referência no mapeamento da cobertura da mídia, em atividade voltada a educadores e estudantes de uma ou mais escolas. Etapa 1: Problematização inicial Provocar um debate inicial para problematizar o papel da mídia nas sociedades contemporâneas. Alguns pontos para discussão: 1. Contribuição da imprensa livre na democracia 2. Presença da mídia no cotidiano das pessoas 3. O pluralismo e diversidade de ideias e opiniões 4. O momento atual e a transição de uma sociedade de comunicação de massa para uma sociedade de comunicação em rede 5. As novas possibilidades abertas pela internet e as novas tecnologias 6. O papel formativo da imprensa 7. Os meios de comunicação mais acessados no município 8. As características da mídia local: públicos, estatais, comunitários? Voltados a que público? Quais os principais interesses? Selecionar com o grupo o tipo de mídia que será analisada: TV, jornal, rádio, internet. Definir se a pesquisa vai comparar a cobertura de diferentes veículos ou focar em um só. A perspectiva comparativa é sempre mais interessante, mas requer um maior número de pessoas envolvidas. Fazer um recorte de tempo para o mapeamento (por exemplo, a cobertura da mídia ao longo de um semestre).

3 Etapa 2: Mapeamento da cobertura da mídia local Se for adotada a perspectiva comparativa, o grupo deve ser subdividido em equipes menores para cada veículo. É interessante que cada equipe seja o mais heterogênea possível (ex.: um agente-chave, um educador e um aluno), para garantir diferentes olhares na análise do material. As equipes devem então se organizar para fazer, durante o período determinado, um clipping (seleção) de todas as notícias sobre educação divulgadas pelo veículo. Para cada matéria arquivada, registrar: Nome do veículo Data Nome do jornalista (caso esteja divulgado) Palavras-chave Seção/caderno (no caso de veículos impressos e internet) Visibilidade (em impressos, ver se está no alto ou no rodapé da página ou na capa do caderno; no rádio e na TV, reparar se é matéria de abertura ou encerramento ou se foi anunciada nos intervalos comerciais; na internet, ver se está na página inicial ou apenas na de educação). Espaço (em impressos, pode-se contar em cm 2 a área destinada à notícia; na TV ou no rádio, basta contar o tempo) Não é necessário que a equipe se reúna todos os dias para selecionar as notícias. Cada integrante pode ficar responsável por fazer o clipping num dia da semana. Ao final de um período definido conjuntamente (semanal ou quinzenalmente, por exemplo), devem então se reunir para discutir o material coletado. Algumas perguntas interessantes de serem feitas: Quais as fontes citadas na reportagem? O jornalista foi até alguma escola? Conversou com professores? Com alunos? Com familiares? A educação não formal também é abordada? Há uma análise mais aprofundada da questão ou ela é tratada de forma superficial? Um encontro entre todas as equipes deve ser agendado mensalmente (ou bimestralmente, dependendo da duração da ação) para comparar e analisar o conteúdo publicado. A análise deve ser quantitativa (espaço físico e quantidade de matérias sobre o tema) e qualitativa (análise de conteúdo das matérias). É importante que todos esses encontros sejam sistematizados, destacando as principais conclusões.

4 Etapa 3: Socialização dos resultados e produção de materiais Ao final do mapeamento, produzir um documento apresentando os resultados. Utilize gráficos para apresentar os dados quantitativos de forma mais didática e trechos de matérias para ilustrar com exemplos a análise qualitativa. Este relatório servirá a dois propósitos principais. Em primeiro lugar, deve ser socializado com a imprensa local, pois trará informações concretas valiosas para que ela reflita e repense seu próprio trabalho. Além disso, trata-se de um importante instrumento para a reflexão do próprio grupo de agentes-chave, oferecendo subsídios para a construção de novas propostas de ação. Realizar um encontro de fechamento do trabalho, consolidando as reflexões, fazendo uma avaliação coletiva do processo e reunindo ideias para passos futuros. Com base no mapeamento realizado, o grupo já tem condições de apontar alguns caminhos para uma cobertura local mais atenta e mais presente dos temas educacionais? Lembre-se de que a conclusão de um projeto é sempre um momento festivo. Portanto, procure formas de tornar esse momento o prazeroso, com música, fotos e um lanche especial com pratos preparados pelos participantes. Para dar continuidade ao trabalho do Observatório, o grupo deve aproveitar o canal de diálogo aberto com a imprensa local para pensar conjuntamente sobre outras ações para qualificar o trabalho dos jornalistas que cobrem o tema da educação. Algumas possibilidades: uma mesa de debates entre os jornalistas sobre os desafios da cobertura da área, o estreitamento do diálogo direto com as escolas (ver plano Conselho de Leitores) e oficinas temáticas com especialistas (ver plano Oficinas de formação de Comunicadores Locais). RECOMENDAÇÕES Procure estabelecer com os jornalistas uma relação de parceria. Mostre que a intenção do Observatório não é vigiá-los, e sim oferecer um olhar crítico sobre o que eles vêm produzindo e apoiá-los a retratar a educação com mais qualidade. Todos têm a ganhar. Aproveite os contatos com os profissionais da imprensa para divulgar a Rede Comunicador Parceiro da Educação. Além de gerar subsídios para qualificar o trabalho da mídia, a pesquisa realizada pelo Observatório acaba proporcionando, também, um processo formativo para todos os envolvidos (agentes-chave, alunos, professores etc.). Para dar mais visibilidade ao mapeamento realizado, escreva um relato da experiência e compartilhe no Blog Educação e com a rede de mobilizadores do Parceria Votorantim pela Educação. Se o grupo envolvido no trabalho do Observatório tiver interesse em desenvolver outras ações junto à mídia, apresente as ideias dos planos de ação Oficinas de Formação de

5 Comunicadores Locais, Conselho de Leitores, Retratos da Educação e Formação de Alunos Comunicadores. O Portal do Observatório da Educação (www.observatoriodaeducacao.org.br) é uma fonte muito completa de informações, incluindo também um espaço para que os professores publiquem artigos sobre temas educacionais. Não se esqueça de analisar criticamente o trabalho realizado, tirando desse processo aprendizados para futuras ações de mobilização. OBSERVAÇÃO A atividade aqui apresentada foi elaborada pelo Instituto Paulo Freire.

GUIA DO MOBILIZADOR VOLUNTÁRIO

GUIA DO MOBILIZADOR VOLUNTÁRIO GUIA DO MOBILIZADOR VOLUNTÁRIO COMUNIDADE DIGITAL O site da Rede de Mobilização Social (RMS) é um espaço virtual criado para reunir pessoas de idades, preferências, culturas e crenças as mais diversas

Leia mais

JORNALISTAS PRODUZINDO CONTEÚDO PARA A AGÊNCIA DE NOTÍCIAS. Jornalistas especializados em mercado financeiro, econômico e político.

JORNALISTAS PRODUZINDO CONTEÚDO PARA A AGÊNCIA DE NOTÍCIAS. Jornalistas especializados em mercado financeiro, econômico e político. 30 JORNALISTAS PRODUZINDO CONTEÚDO PARA A AGÊNCIA DE NOTÍCIAS Jornalistas especializados em mercado financeiro, econômico e político. Jornalistas especializados em conteúdo noticioso para impresso, online,

Leia mais

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM

Assessoria de Comunicação Social - ASCOM UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Assessoria de Comunicação Social - ASCOM Petrolina - PE Julho de 2016 2ª Versão Apresentação A Assessoria de Comunicação Social (Ascom) da Univasf tem como

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA ESPECIALIZADA

ASSESSORIA DE IMPRENSA ESPECIALIZADA Seja bem-vindo ASSESSORIA DE IMPRENSA ESPECIALIZADA 1 - Para que serve a assessoria de imprensa? Basicamente para fortalecer a imagem e divulgar o nome de empresas, associações, nomes, marcas, produtos,

Leia mais

8ª Semana de Licenciatura

8ª Semana de Licenciatura 8ª Semana de Licenciatura O professor como protagonista do processo de mudanças no contexto social De 14 a 17 de junho de 2011 A EDUCAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA Susigreicy Pires de Morais susigreicy@gmail.com

Leia mais

COBERTURA DA IMPRENSA SOBRE TRABALHO INFANTIL. Santos, 23 de fevereiro de 2016

COBERTURA DA IMPRENSA SOBRE TRABALHO INFANTIL. Santos, 23 de fevereiro de 2016 COBERTURA DA IMPRENSA SOBRE TRABALHO INFANTIL Santos, 23 de fevereiro de 2016 ANDI COMUNICAÇÃO E DIREITOS A ANDI Nasce em 1993, com o objetivo de ampliar e qualificar a informação pública sobre direitos

Leia mais

JORNAL IMPRESSO E POLÍTICA: A COBERTURA DAS ELEIÇÕES 2010 E 2012 NAS CAPAS DOS JORNAIS FOLHA DE LONDRINA E GAZETA DO POVO

JORNAL IMPRESSO E POLÍTICA: A COBERTURA DAS ELEIÇÕES 2010 E 2012 NAS CAPAS DOS JORNAIS FOLHA DE LONDRINA E GAZETA DO POVO JORNAL IMPRESSO E POLÍTICA: A COBERTURA DAS ELEIÇÕES 2010 E 2012 NAS CAPAS DOS JORNAIS FOLHA DE LONDRINA E GAZETA DO POVO Leonardo Migues de Léon, Centro Universitário Internacional Uninter leomiguesleon@gmail.com

Leia mais

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal

CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Primeira 1/6 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Kélia Jácome Kélia Jácome Silvia Helena Correia Vidal Marcelo de Sousa Monteiro Michelle Borges C. Cunha HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES EDIÇÃO

Leia mais

O GRUPO SOLPANAMBY tem história. Criado em 1956, atua nos segmentos de serviços, agronegócio, comunicação e imobiliário.

O GRUPO SOLPANAMBY tem história. Criado em 1956, atua nos segmentos de serviços, agronegócio, comunicação e imobiliário. INSTITUCIONAL 2017 O GRUPO SOLPANAMBY tem história. Criado em 1956, atua nos segmentos de serviços, agronegócio, comunicação e imobiliário. Desde 2002, o DCI faz parte das empresas de comunicação do GRUPO

Leia mais

Projeto - Agenda 21 na escola

Projeto - Agenda 21 na escola Projeto - Agenda 21 na escola Fonte: istock Tema: Sustentabilidade socioambiental Público alvo O projeto é destinado a todos os alunos e funcionários da escola devendo ser estendido também aos pais e comunidade

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CEBC COMO SE ASSOCIAR 2014

APRESENTAÇÃO DO CEBC COMO SE ASSOCIAR 2014 APRESENTAÇÃO DO CEBC 201 QUEM SOMOS FUNDADO EM 200, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA,

Leia mais

HISTÓRICO DAS REVISÕES

HISTÓRICO DAS REVISÕES Página 1 de 7 HISTÓRICO DAS REVISÕES REVISÃO DATA DESCRIÇÃO 00 06/02/2015 Emissão inicial 1. OBJETIVO Criar uma sistemática de produção e disseminação de notícias institucionais para os diversos públicos

Leia mais

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012.

PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012. PROGRAMA PARA A VALORIZAÇÃO DE INICIATIVAS CULTURAIS VAI SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA São Paulo, Janeiro de 2012 Design D Kebrada 2. Dados do projeto 2.1 Nome do projeto Design D Kebrada 2.2 Data e

Leia mais

Rede Mobilizadores. Elaboração de Projetos Sociais: aspectos gerais

Rede Mobilizadores. Elaboração de Projetos Sociais: aspectos gerais Atividade Final: Elaboração de Pré-Projeto Aluno: Maurício Francheschis Negri 1 Identificação do Projeto Rede Mobilizadores Elaboração de Projetos Sociais: aspectos gerais Um dia na escola do meu filho:

Leia mais

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo:

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo: Foto Calabor@tiva Carga Horária: 15h presenciais Facilitador: Sandro Barros Objetivo: O objetivo é estimular crianças e jovens a utilizar a linguagem fotográfica como elemento alternativo e visual, despertando

Leia mais

DEZ ANOS: trajetórias e repercussões

DEZ ANOS: trajetórias e repercussões DEZ ANOS: trajetórias e repercussões Criação do Programa Gestão Criação do Programa Em busca das referências legais Criação do Programa Portaria Ministerial 2.896/2004 Cria no âmbito da Secretaria de Educação

Leia mais

RECONHECENDO AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DA AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO

RECONHECENDO AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DA AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO RECONHECENDO AS PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DA AVALIAÇÃO NACIONAL DA ALFABETIZAÇÃO Patrícia dos Santos Zwetsch- Apresentadora (UFSM) Rosane Carneiro Sarturi- Orientadora (UFSM) INTRODUÇÃO Este trabalho

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org GT de Comunicação - Nota Conceitual O Grupo de Trabalho de Comunicação do Comitê Organizador do

Leia mais

Comunicação Integrada: uma experiência em assessoria na Saúde Pública

Comunicação Integrada: uma experiência em assessoria na Saúde Pública Comunicação Integrada: uma experiência em assessoria na Saúde Pública Kalyne Menezes, mskalyne@gmail.com, UFG Daiana Stasiak, daiastasiak@gmail.com, UFG Silvana Coleta, silvanacoleta@gmail.com, UFG Marcelo

Leia mais

vero Comunicação Corporativa

vero Comunicação Corporativa agência Comunicação Corporativa INTERUNESP 2009 Proposta de Assessoria de Imprensa AGO/09 APRESENTAÇÃO O seguinte documento visa desenvolver uma proposta de divulgação na imprensa do Interunesp 2009 e

Leia mais

O blog como ferramenta didática no ensino do jornalismo

O blog como ferramenta didática no ensino do jornalismo O blog como ferramenta didática no ensino do jornalismo Ariane Holzbach Gama Filho / UERJ Resumo: O trabalho vai narrar a experiência desenvolvida no curso de Comunicação Social da Universidade Gama Filho

Leia mais

Interprograma vivendo a arte 1. Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR

Interprograma vivendo a arte 1. Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR Interprograma vivendo a arte 1 Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3 Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR 1 Trabalho submetido ao XIX Expocom, na categoria A Audiovisual,

Leia mais

Parceiros Parceiro Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas

Parceiros Parceiro Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas Parceiros Ramo Sistemas Diante do cenário atual (necessidades x investimentos), onde a participação dos parceiros/canais Ramo Sistemas é essencial para o crescimento dos negócios das empresas no Brasil, sugerimos fazer: 1. Mapear

Leia mais

- Cada professor poderá organizar a participação de sua turma em função de suas prioridades curriculares.

- Cada professor poderá organizar a participação de sua turma em função de suas prioridades curriculares. ETAPA 1 ESCOLHA DO PERSONAGEM HISTÓRICO Na primeira etapa do projeto, o objetivo é simples: a turma deverá escolher e indicar um personagem histórico cujo papel irá assumir, na rede social criada exclusivamente

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SOCIAL

DESENVOLVIMENTO SOCIAL ENCONTRO DE GESTORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DA PARAÍBA FORTALECIMENTO DA GESTÃO MUNICIPAL PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL João Pessoa PB / 18, 19, 21 e 22 de março O PNUD reconhece a capacidade do TCE-PB de

Leia mais

ANEXO II MODELO DE PROJETO 1. Título II Reviravolta Coletiva Integração e Locomoção

ANEXO II MODELO DE PROJETO 1. Título II Reviravolta Coletiva Integração e Locomoção ANEXO II MODELO DE PROJETO 1. Título Integração e Locomoção 2. Apresentação A Reviravolta surgiu em Julho de 2012 como ideia e se concretizou no mês de Agosto do mesmo ano. O projeto em 2012 compreendia

Leia mais

PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO

PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO PRINCIPIOS NORTEADORES PARA ELABORAÇAO DO TRABALHO Identificar situação-problema : no âmbito das atribuições de coordenar, acompanhar e monitorar o processo de educação integral na Secretaria de Educação.

Leia mais

DizAí: jornalismo criativo 1

DizAí: jornalismo criativo 1 DizAí: jornalismo criativo 1 Andressa Bandeira SANTANA 2 Martina Wrasse SCHERER 3 Hélio ETGES 4 Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, RS RESUMO O jornal mural DizAí é uma atividade laboratorial

Leia mais

PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA. Apresentação

PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA. Apresentação PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA Apresentação PROGRAMA REDE COLABORATIVA DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DOS PRODUTOS DA COOPERATIVA DE MÚSICA

Leia mais

Projeto TRILHAS Evento de Lançamento

Projeto TRILHAS Evento de Lançamento Projeto TRILHAS Evento de Lançamento !"##"$"%&'()"$ Daqui a 15 anos Daqui a pouco tempo Daqui a um pouco mais de tempo *"+",$ Projeto TRILHAS: Material de apoio à prática dos educadores para promover a

Leia mais

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática A UTILIZAÇÃO DE BLOGs COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Maria Angela Oliveira Oliveira Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho matematicangela2007@yahoo.com.br Resumo: O Mini-Curso

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ASCOM / UNCISAL / 2016

RELATÓRIO DE ATIVIDADES ASCOM / UNCISAL / 2016 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 PUBLICAÇÕES NAS MÍDIAS ADMINISTRADAS PELA ASCOM EM 2016... 4 CAMPANHAS... 5 FACEBOOK... 12 NÚMERO DE INSERÇÕES MENSAIS NA MÍDIA EXTERNA... 13 ECONOMIA GERADA À INSTITUIÇÃO COM

Leia mais

Pílulas de Gestão do Conhecimento Por Anna Nogueira

Pílulas de Gestão do Conhecimento Por Anna Nogueira Pílulas de Gestão do Conhecimento Por Anna Nogueira Anna Nogueira? Formação multidisciplinar Bióloga (São Camilo) Especializada em cultura da marca e marketing de serviços (ESPM) Criatividade e Inovação

Leia mais

Avaliação da comunicação

Avaliação da comunicação Prof. Edmundo W. Lobassi A avaliação dos resultados da campanha é imprescindível como subsídio para a preparação do plano seguinte. Essa avaliação pode ser empírica (confronto com os resultados de venda)

Leia mais

PORTAL PARA FORMAÇÃO DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA.

PORTAL PARA FORMAÇÃO DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA. PORTAL PARA FORMAÇÃO DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA http://pacto.portalceel.com.br 2013 O portal para formação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa apresenta informações

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CRECHE MUNICIPAL JOSÉ LUIZ BORGES GARCIA PROJETO DO 2 SEMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL: CONSTRUINDO O CONHECIMENTO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CRECHE MUNICIPAL JOSÉ LUIZ BORGES GARCIA PROJETO DO 2 SEMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL: CONSTRUINDO O CONHECIMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CRECHE MUNICIPAL JOSÉ LUIZ BORGES GARCIA PROJETO DO 2 SEMESTRE EDUCAÇÃO INFANTIL: CONSTRUINDO O CONHECIMENTO CUIABÁ 2015 Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar

Leia mais

CIDADANIA NAS ONDAS DO RÁDIO

CIDADANIA NAS ONDAS DO RÁDIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO GEORGIA STELLA RAMOS DO AMARAL CIDADANIA NAS ONDAS DO RÁDIO Santa Cruz do Sul 2009 Abrangência Comunidade escolar de uma determinada escola.

Leia mais

Para contar as histórias do futuro: Jornalismo e Políticas de Internet

Para contar as histórias do futuro: Jornalismo e Políticas de Internet Escola InternetLab 2017 2 A 14 DE ABRIL CONVOCATÓRIA VERSÃO EM PORTUGUÊS Para contar as histórias do futuro: Jornalismo e Políticas de Internet INSCRIÇÕES ATÉ 16 JANEIRO 2017 QUEM SOMOS E O QUE É ESCOLA

Leia mais

PLANOS DECENAIS DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: FORTALECENDO OS CONSELHOS DE DIREITOS

PLANOS DECENAIS DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: FORTALECENDO OS CONSELHOS DE DIREITOS X CONFERÊNCIA DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PLANOS DECENAIS DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: FORTALECENDO OS CONSELHOS DE DIREITOS Objetivos do encontro Esclarecer sobre

Leia mais

Instituto de Educação Universidade de Lisboa

Instituto de Educação Universidade de Lisboa Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação e Tecnologias Digitais 14 15 Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmio de Incentivo à Educação é uma iniciativa das empresas do Polo Industrial, através do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari - COFIC. Tem por objetivo

Leia mais

Laboratório para Estruturas Flexíveis

Laboratório para Estruturas Flexíveis Casa do Povo Envie sua proposta até 04/06 Chamada Aberta para Estruturas Residência de Pesquisa para Coletivos 2 Sobre a Casa do Povo A Casa do Povo começou a ser construída logo após a Segunda Guerra

Leia mais

FICHA IV - ESPECÍFICA POR SUBPROJETO. Ensino-aprendizagem

FICHA IV - ESPECÍFICA POR SUBPROJETO. Ensino-aprendizagem FICHA IV - ESPECÍFICA POR SUBPROJETO Ensino-aprendizagem 1. Quais os materiais didáticos na área do(s) subprojeto(s) existentes na escola? Recursos didáticos, materiais diferenciados e/ou alternativos.

Leia mais

Conheça o Conselho Curador

Conheça o Conselho Curador Conheça o Conselho Curador O que é a EBC e o Conselho Curador A Empresa Brasil de Comunicação (EBC), criada em 2008, é a gestora dos canais TV Brasil, TV Brasil Internacional, da Agência Brasil, da Radioagência

Leia mais

O Seu Lar Aqui é mais novo e moderno portal do setor imobiliário, decoração e construção.

O Seu Lar Aqui é mais novo e moderno portal do setor imobiliário, decoração e construção. Mídia Kit 2012 O Seu Lar Aqui é mais novo e moderno portal do setor imobiliário, decoração e construção. Ele chega ao mercado com um conceito totalmente novo: proporcionar um conteúdo relevante, atualizado

Leia mais

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do

Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma. Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental. no âmbito do OBJETIVO Iniciar uma discussão sobre a elaboração de uma Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental no âmbito do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC DOCUMENTOS DE

Leia mais

A EM FOCO comemora 20 anos de atuação prestando serviços para CLIENTES CORPORATIVOS (INDÚSTRIA, COMÉRCIO, INFRAESTRUTURA, AGRICULTURA), ENTIDADES

A EM FOCO comemora 20 anos de atuação prestando serviços para CLIENTES CORPORATIVOS (INDÚSTRIA, COMÉRCIO, INFRAESTRUTURA, AGRICULTURA), ENTIDADES A EM FOCO comemora 20 anos de atuação prestando serviços para CLIENTES CORPORATIVOS (INDÚSTRIA, COMÉRCIO, INFRAESTRUTURA, AGRICULTURA), ENTIDADES GOVERNAMENTAIS E NÃO GOVERNAMENTAIS, PRODUTOS E DESTINOS

Leia mais

A OFB acredita que o aprendizado por meio das artes muda para melhor a vida das pessoas, sendo um poderoso instrumento para integração social

A OFB acredita que o aprendizado por meio das artes muda para melhor a vida das pessoas, sendo um poderoso instrumento para integração social O Viva Arte Viva - é um projeto de inclusão social que oferece oficinas gratuitas e permanentes de teatro, música e dança à comunidade do Distrito Federal e cidades do entorno. É o projeto mais atuante

Leia mais

A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO USINA CORURIPE

A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO USINA CORURIPE A COMUNICAÇÃO INTERNA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO USINA CORURIPE APRESENTAÇÃO: Anderson Tsuchida Jornalista, Publicitário e Pós Graduado em Comunicação Empresarial Por que a Comunicação Interna é tão

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Comunicação Social Habilitação em Publicidade e Propaganda 8ª Série Direção e Finalização de Arte para Meios Impressos A atividade prática supervisionada (ATPS) é um

Leia mais

Principais atividades do Deconcic em 2015

Principais atividades do Deconcic em 2015 Principais atividades do Deconcic em 2015 18 de janeiro de 2016 Participações em reuniões de trabalho; Representações institucionais em eventos do setor; Encontros específicos para tratar do Sistema Integrado

Leia mais

PROJETOS 2013 PROPOSTAS DE PATROCÍNIOS

PROJETOS 2013 PROPOSTAS DE PATROCÍNIOS PROJETOS PROPOSTAS DE PATROCÍNIOS CHINA-BRAZIL UPDATE Publicação que tem por objetivo monitorar os anúncios de investimentos mútuos, divulgar iniciativas desenvolvidas por diversas instituições no Brasil

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016 PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016 Apresentação O Curso de Licenciatura em Artes da tem como meta principal formar o professor de artes através de

Leia mais

Índice. 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional Os Saberes dos Professores...4

Índice. 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional Os Saberes dos Professores...4 GRUPO 5.3 MÓDULO 4 Índice 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional...3 2. Os Saberes dos Professores...4 2.1. O Papel do Coordenador Pedagógico... 5 2 1. PROFESSOR-COORDENADOR

Leia mais

8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1

8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1 MOBILIZAÇÃO SOCIAL, CAMPANHAS E ARTICULAÇÃO EM REDE Daniela Guedes 8 de agosto de 2011 Brasília 16/08/2011 1 Por que mobilizar? Melhores práticas em implantação de políticas públicas eficazes contam com

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

o mapa da infância brasileira

o mapa da infância brasileira o mapa da infância brasileira O Mapa da Infância Brasileira (mib) é uma comunidade de aprendizagem que reúne institutos, fundações, redes, órgãos públicos, ONGs, coletivos e sociedade civil, cujas ações

Leia mais

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Dezembro/2015)

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Dezembro/2015) Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Dezembro/015) Objetivo Estratégico / Iniciativa Estratégica/ Meta Estratégica 1. Aumentar para 5% os resíduos sólidos reciclados do TST Ação 1. Recolher

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE FAMÍLIA-ESCOLA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO

RELAÇÃO ENTRE FAMÍLIA-ESCOLA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO RELAÇÃO ENTRE FAMÍLIA-ESCOLA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO Laura Borges Fabiana Cia Universidade Federal de São Carlos/Programa de Pós-Graduação em Educação Especial Palavras-chave:

Leia mais

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública.

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública. REGIÃO SUDESTE Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Capacitar permanente os gestores e profissionais envolvidos

Leia mais

7. ROTEIRO DE ENTREVISTA DIREÇÃO OU COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DAS ESCOLAS

7. ROTEIRO DE ENTREVISTA DIREÇÃO OU COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DAS ESCOLAS 7. ROTEIRO DE ENTREVISTA DIREÇÃO OU COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DAS ESCOLAS Parte I Identificação e controle da entrevista 1. Data Dia Mês Ano 2. Articulador(a) 3. Nome da Escola 4. Nível (s) de ensino ofertado(s)

Leia mais

CANAL MINAS SAÚDE: A COMUNICAÇÃO E A EDUCAÇÃO EM SAÚDE EM MINAS GERAIS

CANAL MINAS SAÚDE: A COMUNICAÇÃO E A EDUCAÇÃO EM SAÚDE EM MINAS GERAIS CANAL MINAS SAÚDE: A COMUNICAÇÃO E A EDUCAÇÃO EM SAÚDE EM MINAS GERAIS Belo Horizonte, 02 de maio de 2010 BONTEMPO, Verlanda Lima Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais verlanda@fastmail.fm DALMAS,

Leia mais

Aula 1. Planejamento. Lilian R. Rios 18/02/16

Aula 1. Planejamento. Lilian R. Rios 18/02/16 Aula 1 Planejamento Lilian R. Rios 18/02/16 Planejamento de Ensino É um conjunto de conhecimentos práticos e teóricos ordenados de modo a possibilitar interagir com a realidade, programar as estratégias

Leia mais

CONEXÃO VERDE IASEA REDE NACIONAL DE ENSINO SOCIOAMBIENTAL INSTITUTO PARA APRENDIZAGEM SOCIAL, EMOCIONAL E AMBIENTAL

CONEXÃO VERDE IASEA REDE NACIONAL DE ENSINO SOCIOAMBIENTAL INSTITUTO PARA APRENDIZAGEM SOCIAL, EMOCIONAL E AMBIENTAL CONEXÃO VERDE REDE NACIONAL DE ENSINO SOCIOAMBIENTAL IASEA INSTITUTO PARA APRENDIZAGEM SOCIAL, EMOCIONAL E AMBIENTAL 1. APRESENTAÇÃO Conexão Verde é uma rede de aprendizagem e colaboração que envolve jovens

Leia mais

SOBRE A EVOLUIR. Visite: /

SOBRE A EVOLUIR. Visite:  / CONSTRUINDO MÚSICA SOBRE A EVOLUIR A Evoluir é uma editora e uma empresa de educação para sustentabilidade. O nosso trabalho é, por meio de projetos e materiais educativos, levar as pessoas a refletir

Leia mais

DIEESE. Departamento Intersindical de Estatística. e Estudos Sócio-Econômicos PROJETO DIEESE SINP/PMSP

DIEESE. Departamento Intersindical de Estatística. e Estudos Sócio-Econômicos PROJETO DIEESE SINP/PMSP DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos PROJETO DIEESE SINP/PMSP INSTITUCIONALIZAÇÃO DO SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE DA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO - SINP/PMSP

Leia mais

REUNIÃO COM OS EDUCADORES DO 2º SEGMENTO

REUNIÃO COM OS EDUCADORES DO 2º SEGMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/SEÇÃO DE ENSINO NÃO FORMAL REUNIÃO COM OS EDUCADORES DO 2º SEGMENTO Não é no silêncio que

Leia mais

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS PLANO DE TRABALHO OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO MUNICÍPIO DE DIADEMA e estudos sobre os pólos de autopeças e cosméticos no município de

Leia mais

A coleção está organizada em cinco séries temáticas, por faixa etária:

A coleção está organizada em cinco séries temáticas, por faixa etária: Coleção GIRA MUNDO Educação Infantil Na coleção Gira Mundo o brincar, o cantar e o fazer artístico são os eixos que atuam como forma de expressão da cultura da infância. São os grandes articuladores do

Leia mais

RELATÓRIO PÓS-VENDA PATROCÍNIO: APOIO:

RELATÓRIO PÓS-VENDA PATROCÍNIO: APOIO: RELATÓRIO PÓS-VENDA ÍNDICE 4Histórico 6 Expedição Avicultura 8 Atuação e Representatividade 18 Resultados Campanha 22 Evento Encerramento 26 Clipping 10 Campanha de Divulgação 20 Evento Lançamento 24 Expedição

Leia mais

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma notícia para o média escolar

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma notícia para o média escolar Sobre este documento Este documento tem por objetivo dar algumas sugestões e dicas acerca da produção de um trabalho jornalístico, nas suas diferentes fases, tendo em conta o contexto educativo e o enquadramento

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2011

PLANO DE TRABALHO 2011 Unidade Temática do Turismo Apresentada pela cidade Porto Alegre 1) Introdução PLANO DE TRABALHO 2011 Fortalecer o turismo internacional é um trabalho prioritário que deve ser cada vez mais consolidado

Leia mais

PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS

PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS PROJETO ESCOLA DE PAIS E FILHOS EMEF-I Prof. Manoel Ignácio de Moraes Professor(es) Apresentador(es): Sônia Maria Romano Rosemary de Almeida Teixeira Oliveira Realização: Foco do Projeto A programação

Leia mais

Os veículos de comunicação ideais para auxiliar o seu negócio e a sua. O seu público mais perto da sua marca!

Os veículos de comunicação ideais para auxiliar o seu negócio e a sua. O seu público mais perto da sua marca! Os veículos de comunicação ideais para auxiliar o seu negócio e a sua 2017 O seu público mais perto da sua marca! Mídia Kit Quem acessa A Mundo Agro Editora tem a grata satisfação de, primeiramente, agradecer

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI

Política de Responsabilidade Socioambiental da PREVI 1.1. A PREVI, para o cumprimento adequado de sua missão administrar planos de benefícios, com gerenciamento eficaz dos recursos aportados, buscando melhores soluções para assegurar os benefícios previdenciários,

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA TEORIA E PRÁTICA.

ASSESSORIA DE IMPRENSA TEORIA E PRÁTICA. ASSESSORIA DE IMPRENSA TEORIA E PRÁTICA. AUTORES Elisa Kopplin Ferraretto Graduada em Jornalismo e mestre em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Assessora de imprensa,

Leia mais

A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA

A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014 A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA BARROSO, Poliana Polinabarroso@saocamilo-es.br BICALHO, Alessandro Erick alessandrobicalho@saocamilo-es.br

Leia mais

RESOLUÇÃO CFN Nº 529 de 24 DE NOVEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CFN Nº 529 de 24 DE NOVEMBRO DE 2013 Página 1 de 6 RESOLUÇÃO CFN Nº 529 de 24 DE NOVEMBRO DE 2013 Aprova o regulamento sobre a Política Nacional de Comunicação (PNC) no âmbito do Sistema CFN/CRN e dá outras providências. O Conselho Federal

Leia mais

Jornal-Laboratório OutrOlhar e a Educomunicação: um Encarte Especial produzido por Estudantes do Ensino Médio de Viçosa 1

Jornal-Laboratório OutrOlhar e a Educomunicação: um Encarte Especial produzido por Estudantes do Ensino Médio de Viçosa 1 Jornal-Laboratório OutrOlhar e a Educomunicação: um Encarte Especial produzido por Estudantes do Ensino Médio de Viçosa 1 Caíque VERLI 2 Joaquim Sucena LANNES 3 Universidade Federal de Viçosa, Viçosa,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-2 DISCIPLINA: Socialização das Experiências Docentes II JP0040 PROFESSOR: Ms. Patrícia Moura Pinho I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II

Leia mais

ADEUS PROFESSOR, ADEUS PROFESSORA? NOVAS EXIGÊNCIAS EDUCACIONAIS E PROFISSÃO DOCENTE José Carlos LIBÂNEO. Benilda Silva

ADEUS PROFESSOR, ADEUS PROFESSORA? NOVAS EXIGÊNCIAS EDUCACIONAIS E PROFISSÃO DOCENTE José Carlos LIBÂNEO. Benilda Silva ADEUS PROFESSOR, ADEUS PROFESSORA? NOVAS EXIGÊNCIAS EDUCACIONAIS E PROFISSÃO DOCENTE José Carlos LIBÂNEO Benilda Silva AS NOVAS TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO, A ESCOLA E OS PROFESSORES Texto

Leia mais

Cabresto de Ouro. Conteúdo. Cobertura Exposições. Programa Nelore. Eventos. Site Especial

Cabresto de Ouro. Conteúdo. Cobertura Exposições. Programa Nelore. Eventos. Site Especial Nossa Causa Com o objetivo de estreitar ainda mais sua proximidade com a comunidade Nelore, o Canal Rural desenvolveu o Cabresto de Ouro, um projeto em parceria com a ACNB - Associação dos Criadores de

Leia mais

CONTIGO! é referência em premiações artísticas. Prestigia as artes cênicas e a música, assim como o talento de seus artistas, por meio dos prêmios CON

CONTIGO! é referência em premiações artísticas. Prestigia as artes cênicas e a música, assim como o talento de seus artistas, por meio dos prêmios CON CONTIGO! é referência em premiações artísticas. Prestigia as artes cênicas e a música, assim como o talento de seus artistas, por meio dos prêmios CONTIGO!, com o reconhecimento de toda a classe artística.

Leia mais

I. Pensando Enem º ano do Ensino Fundamental e 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio

I. Pensando Enem º ano do Ensino Fundamental e 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Prezado(a) diretor(a) e coordenador(a), São Paulo, janeiro de 2017. Comunicamos que, em 2017, o Sistema Mackenzie de Ensino disponibilizará às escolas parceiras os materiais didáticos que servirão de apoio

Leia mais

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº

- REGIMENTO INTERNO. Secretaria de Comunicação. Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº /06 e Nº - REGIMENTO INTERNO Secretaria de Comunicação Leis Nº 6.529/05 e Nº 6.551/06, Decretos Nº 12.659/06 e Nº 15.052 I - Secretaria Executiva: - assessorar o Secretário Municipal no exercício de suas atribuições;

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: REFLEXÃO SOBRE O ESTÁGIO E PRÁTICAS DE ENSINO i

CURSO DE PEDAGOGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: REFLEXÃO SOBRE O ESTÁGIO E PRÁTICAS DE ENSINO i 1 CURSO DE PEDAGOGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO: REFLEXÃO SOBRE O ESTÁGIO E PRÁTICAS DE ENSINO i LIMA, Vanda Moreira Machado Faculdade de Ciências e Tecnologia/UNESP- Presidente Prudente, SP Este artigo apresenta

Leia mais

Relações Governamentais no Brasil Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Relações Governamentais no Brasil Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

O blog que só mostra o que a Região Serrana do Rio tem de melhor para oferecer!

O blog que só mostra o que a Região Serrana do Rio tem de melhor para oferecer! O blog que só mostra o que a Região Serrana do Rio tem de melhor para oferecer! O BLOG APRESENTAÇÃO: Bem-vindo a era da interatividade e do marketing de conteúdo. Só na internet você pode expor sua marca

Leia mais

QUEM SOMOS SUA AGÊNCIA ONLINE DE PRODUÇÃO, MARKETING E CONTEÚDO

QUEM SOMOS SUA AGÊNCIA ONLINE DE PRODUÇÃO, MARKETING E CONTEÚDO QUEM SOMOS SUA AGÊNCIA ONLINE DE PRODUÇÃO, MARKETING E CONTEÚDO Some prática, profissionalismo, inovação e retorno. O resultado da equação é a mistura da Sorella Studio. O conceito de agência online amplia

Leia mais

Luciana Cressoni, Rita Prates e Sueli Araujo

Luciana Cressoni, Rita Prates e Sueli Araujo Luciana Cressoni, Rita Prates e Sueli Araujo Apresentação do Plano de Ação do ETAPA Núcleo Pedagógico aos Supervisores Reunião com Diretores e Professores ETAPA Coordenadores ETAPA COM OS PROFESSORES Refletir

Leia mais

Rádio Escola: Influência que a mídia rádio pode ter na aprendizagem 1

Rádio Escola: Influência que a mídia rádio pode ter na aprendizagem 1 Rádio Escola: Influência que a mídia rádio pode ter na aprendizagem 1 Rosane Terezinha Pendeza Callegaro² Tânia Heloisa Fitz³ Raquel Scremin 4 Escola Estadual de Educação Básica Augusto Ruschi Santa Maria,

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ALAGOAS

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ALAGOAS PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ALAGOAS OBJETIVOS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS E PARCERIAS CRONOGRAMA MONITORAMEN TO INDICADOR 1. Incluir anualmente,

Leia mais

PLANO DE METAS E AÇÕES 2016/2017

PLANO DE METAS E AÇÕES 2016/2017 PLANO DE METAS E AÇÕES Divide-se em: > Perspectivas > Objetivos > Ações > Metas Divide-se em: > Perspectivas > Objetivos > Ações > Metas > Beneficiário e Sociedade > Processos internos > Pessoas > Financeira

Leia mais

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome - 06-23-2016 Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome por Por Dentro da África - quinta-feira, junho 23,

Leia mais

Blocos Econômicos Regionais. Roteiro de Atividades Didáticas

Blocos Econômicos Regionais. Roteiro de Atividades Didáticas Blocos Econômicos Regionais Autor: Laura Thais Silva 2º semestre/ 2012 Roteiro de Atividades Didáticas Atividade 1 - Pesquisa dirigida com mapa on line interativo Pesquisa a respeito de três dos blocos

Leia mais

DIA 20 DE NOVEMBRO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA ATIVIDADE 1: NOSSA HERANÇA NEGRA

DIA 20 DE NOVEMBRO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA ATIVIDADE 1: NOSSA HERANÇA NEGRA DIA 20 DE NOVEMBRO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA Jogar Capoeira ou Danse de la guerre. Quadro de Johann Moritz Rugendas, 1835. ATIVIDADE 1: NOSSA HERANÇA NEGRA 1. RESUMO DA AÇÃO 1.1 Proposta Pesquisar

Leia mais

Futuro Integral. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa: SESC Parana Unidade Apucarana

Futuro Integral. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa: SESC Parana Unidade Apucarana Futuro Integral Mostra Local de: Apucarana (Municípios do Vale do Ivaí) Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa: SESC Parana Unidade Apucarana Cidade:

Leia mais

Prémio Floresta e Sustentabilidade 2016

Prémio Floresta e Sustentabilidade 2016 Prémio Floresta e Sustentabilidade 2016 Formulário de Candidatura Categoria Sustentabilidade Florestal Iniciativa desenvolvida pela CELPA em associação com o Correio da Manhã e o Jornal de Negócios, com

Leia mais

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Fevereiro/2016)

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Fevereiro/2016) Núcleo Socioambiental - NSA Objetivo Estratégico / Iniciativa Estratégica/ Meta Estratégica 1. Aumentar para 5% os resíduos sólidos reciclados do TST Ação 1. Recolher Resíduos. Reaproveitamento de resíduos

Leia mais