Produção Gráfica 4 - PAPEL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Produção Gráfica 4 - PAPEL"

Transcrição

1 4 - PAPEL O papel é uma das principais preocupações do designer gráfico, pois, entre a infinita variedade de tipos disponíveis, deve-se saber escolher adequadamente o papel para a produção de seus projetos. Esta seleção pode ser mais fácil quando se conhecem todas as propriedades e características dos tipos de papeis. E é exatamente isto que veremos a partir de agora. Histórico A origem da palavra papel vem do termo grego papyrus, que significa junco. Os gregos assim denominaram o primeiro suporte para escrita inventado pelos egípcios, devido a utilização de plantas aquáticas em sua composição. Por volta de 300 a.c., os egípcios produziam os papiros entrelaçando as fibras dos juncos extraídos no rio Nilo. Após esse minucioso trabalho, eles o ensopavam na água e batiam no chão para dar a liga necessária à escrita. No entanto, o papiro egípcio também levou povos do antigo oriente a elaborar seu próprio sistema de escrita, nos séculos que antecederam a Era Cristã. Dentre os quais a China se destacou por sua intensa dedicação na produção e no aprimoramento do sistema de escrita. Em princípio, os chineses adotaram o mesmo sistema egípcio, onde entrelaçavam finas tiras de bambu para a confecção de seu suporte. O resultado, entretanto, era um material fino, porém pouco flexível. Até que por volta do ano 105 d.c. eles passaram a reaproveitar os desperdícios texteis (trapos) em sua produção. Onde eram misturados com as tiras, molhados, e em seguida batidos por um longo tempo, até formarem uma pasta. Essa composição era depositada em peneiras quadradas para que a água pudesse escoar. Secando até virar uma folha de papel. Esse sistema de produção foi extremamente significativo para a produção de suportes da escrita, pois, alterou a união das fibras, que antes eram entrelaçadas uma à outra (união física), para o entrelaçamento de modo hidrogênio (união química). Resultando na folha de papel, tal como conhecemos hoje. Um material extremamente fino, leve, flexível e totalmente impermeável. Totalmente apropriado para a escrita. 12

2 Principais Características dos Papéis: Gramatura: o peso de uma folha de papel é determinado de acordo com a extensão de sua superfície em metro quadrado. Sendo expresso em gramas por metro quadrado (g/m²). Resma: é o nome dado a certa quantidade junta de papel. No mercado gráfico, a resma é formada por 500 folhas e serve para facilitar a comercialização do papel. Podendo ser dividida em dois (pacote c/ 250 folhas) ou quatro (pacote c/ 125 folhas). Peso: como o peso do papel é praticamente imensurável, este só pode ser determinado se relacionados a gramatura da folha com o peso de sua resma. Assim, se uma resma de 500 folhas pesar 2 quilos (2.000g), então cada folha terá aproximadamente 4 gramas. Formatos de Papel: Com a invensão da imprensa e a expansão do setor gráfico em nível mundial, os produtores de papel viram a necessidade de padronizar sua produção. De modo a facilitar a comercialização, atendendo a todo tipo de demanda. Foi criado então um sistema mundial com medidas pré-definidas, onde grandes folhas uniformemente produzidas eram cortadas em vários formatos proporcionalmente menores. Os quais cada um receberia uma denominação específica, para auxiliar em sua distribuição aos comerciantes. E também na identificação feita pelos consumidores do tamanho ideal de papel a ser comprado de acordo com suas necessidades. Ao longo dos tempos, existiram diversos padrões de medidas que auxiliaram no aprimoramento deste sistema, no entanto hoje há basicamente dois padrões em vigor: o popularmente conhecido sistema internacional (do formato A4 e seus derivados) que foi adotado na maioria dos países do mundo, e o sistema U.S. Standard. Com formatos como o Letter, por exemplo, utilizados por Estados Unidos e Canadá Como podemos observar no esquema acima do atual sistema internacional vigente, esse agrupamento de vários formatos dentro de um maior, funciona na seguinte proporção crescente: A) a altura do tamanho atual passa a ser a largura do próximo tamanho, e B) a altura do próximo tamanho é o dobro da largura do tamanho atual. 13

3 Tabela dos Principais Formatos e suas Medidas SÉRIE A Formato mm SÉRIE B Formato mm SÉRIE C Formato mm A 0 A 1 A 2 A 3 A 4 A 5 A 6 A 7 A 8 A 9 A 1 0 A 11 A x x x x x x x x x x x x x 18 B 0 B 1 B 2 B 3 B 4 B 5 B 6 B 7 B 8 B 9 B 1 0 B 11 B x x x x x x x x x x x x x 22 C 0 C 1 C 2 C 3 C 4 C 5 C 6 C 7 C 8 C 9 C 1 0 C 11 C x x x x x x x x x x x x x 20 Tabela de Cortes Para o Papel em Folha Formato BB No padrão gráfico, o formato da folha BB, que corresponde às medidas 66x69 cm, é o mais utilizado em gráficas brasileiras. A tabela abaixo, ilustra o porque desta preferência, dadas as várias opções para montagem e distribuição das imagens dentro deste formato. Formato 66x96 1 Pedaço Formato 48x66 2 Pedaços Formato 32x66 3 Pedaços Formato 33x48 4 Pedaços Formato 32x34 5 Pedaços Formato 33x32 6 Pedaços Formato 42x24 6 Pedaços Formato 22x48 6 Pedaços Formato 37x22 7 Pedaços Formato 33x24 8 Pedaços Formato 16,5x48 8 Pedaços Formato 22x32 9 Pedaços Formato 33x19,2 10 Pedaços Formato 22x26 10 Pedaços Formato 25x21 11 Pedaços Formato 36x16 12 Pedaços Formato 22x24 12 Pedaços Formato 23,4x19,2 14 Pedaços Formato 22x19,2 15 Pedaços Formato 16,5x24 16 Pedaços 14

4 5 - O FLUXO PRODUTIVO GRÁFICO : Pré-Impressão É a fase produtiva responsável pela concretização das ideias de um artista gráfico, em um arquivo digital que possa ser reproduzido em sistemas de impressão, em escala industrial. É neste processo que a definição de todas as características do impresso serão definidas, tais como suas fontes, cores, imagens e até mesmo seu formato. Fontes As fontes são conjuntos de caracteres e símbolos desenvolvidos em um mesmo desenho. Esse desenho de letra ou caractere é chamado de tipo. Atualmente, na área de editoração eletrônica, utilizamos as fontes redimensionáveis, ou seja, que podem ser ampliadas e reduzidas sem que percam a qualidade (vetoriais). Existem, atualmente duas principais tecnologias de fontes para a área de editoração eletrônica: o padrão Adobe e o padrão True Type. Fontes Adobe Também chamadas de fontes 1 ou de PostScript, foram desenvolvidas pela Adobe Systems para serem absolutamente compatíveis na linguagem PostScript. Em outras palavras, são totalmente adequadas para se trabalhar nos vários softwares gráficos como os próprios da Adobe (Photoshop, Illustrator, InDesign) e o CorelDRAW. Fontes True Type Foram desenvolvidas pela Apple e Microsoft e incluídas como fontes de sistema tanto no Windows como no Mac OS. Por não serem diretamente compatíveis com a linguagem PostScript, têm de ser convertidas no padrão Adobe no momento da impressão em uma impressora profissional. 15

5 Onde obter fontes Gratuitamente, as fontes estão disponíveis nos CDs do Corel Draw (cerca de 1200) e nos CDs que acompanham o PageMaker e Adobe Illustrator. Elas também podem ser adquiridas por meio do Adobe Font Folio e Adobe Type and Call. Pela Internet você encontrará uma listagem das principais fontes no site My Fonts ( Cores A cor é um fenômeno ocorrido entre a interação de três elementos: fonte luminosa, objeto e observador. Sem a presença de um destes três elementos não podemos falar sobre o fenômeno cor. Assim, a primeira conclusão a que podemos chegar é que a cor é um fenômeno subjetivo, ou seja, que depende do observador. Mudando-se o observador a cor também será percebida de uma maneira diferente pois cada pessoa possui uma sensibilidade cromática diferente. 16

6 Podemos definir a luz como uma forma de energia que se propaga em ondas eletromagnéticas. Quando o olho humano recebe uma onda com comprimento de 1 metro nada ocorre, porém ao -9 receber ondas compreendidas entre 400 e 700 nm (nanômetros, 1nm = 10 metro = 0, ) temos a sensação das cores. Esta parte eletromagnética, entre 400 e 700 nm é chamada de Espectro. A qual ao ser visível em três partes proporcionais teremos a predominância de três cores: Vermelho, Verde e Azul Violeta que traduzidas para o inglês serão: Red, Green and Blue, ou seja, RGB. A luz branca é luz formada pela adição destas três luzes coloridas RGB, no sistema conhecido como Síntese Aditiva que pode ser observado em qualquer monitor de computador ou televisão que possui somente pontos destas três cores em suas polegadas. Pode-se criar cores através da mistura de pigmentos coloridos (Síntese subtrativa), e a maneira mais conhecida em Artes Gráficas, é a utilização das cores (Cyan, Magenta e Yellow) somadas ao pigmento Preto (Black) formando o também conhecido CMYK. Através da mistura em diferentes proporções de CMYK nós podemos formar todas as cores visualizadas em um material impresso. Determinando Valores Para as Cores O simples nome da cor não é suficiente para informarmos ao impressor que cor desejamos obter no trabalho impresso, se fazendo necessária a determinação numérica da cor para que possamos predizer o resultado desejado. Então podemos determinar a cor por meio da combinação numérica do sistema RGB ou do sistema CMYK, também chamados espaços de cor. Por exemplo, uma cor pode ser informada da seguinte forma no espaço CMYK: 0% de ciano, 100% de magenta, 100% de amarelo e 0% de preto, ou no espaço RGB: 182 vermelho, 0 verde e 38 no azul. Desta maneira podemos informar as cores desejadas de maneira precisa. 17

7 Formas de Composição das Cores Existem sistemas menos complexos para determinação das cores, que apresentam certas limitações, mas podem ser de grande valia na ausência de sistemas informática. Talvez o sistema mais largamente conhecido seja a escala de cores Pantone, onde podemos especificar uma cor escolhendo-a em uma tabela impressa que possui a fórmula para sua confecção. O sistema Pantone possui várias escalas de cor, sendo as mais conhecidas aquelas que se utilizam da mistura na composição das tintas (Formula Guide) e a que se utiliza da mistura de porcentagens de ponto das tintas CMYK (Color Process), ambas utilizando as tintas próprias da Pantone. As escalas de cores Pantone já possuem aplicações digitais onde as cores são escolhidas e aplicadas diretamente no computador através do programa Pantone Color Drive, disponível tanto para Macintosh quanto para Windows. Cores Pantone são cores especiais, para cada uma usada é necessário um filme e uma chapa pois as elas não podem ser diluídas no processo CMYK. As paletas Pantone (que são vendidas no mercado gráfico) indicam os percentuais para se atingir aquela cor específica. Quando a gráfica recebe de um cliente um arquivo com uma cor dessa paleta, ela é obrigada a gerar seus fotolitos, inclusive um especial para aquela cor Pantone, gravar as chapas e antes de imprimir misturar as tintas que compões tal cor. Utilizando, portanto, uma quinta cor. 18

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Utilização de Cores em HTML Cores primárias Cores secundárias 2 Utilização de Cores em HTML Os comprimentos de onda vermelho, amarelo

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS

PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS Fundamentos da cor A visão da cor É a capacidade de um organismo ou máquina de distinguir objetos baseando-se nos comprimentos de onda (ou freqüências) da luz sendo refletida,

Leia mais

Computação Gráfica Síntese de Cores

Computação Gráfica Síntese de Cores Computação Gráfica Síntese de Cores Professora: Sheila Cáceres Natureza da cor O ser humano é capaz de visualizar só um subconjunto do espectro de luz solar: desde 380 nanômetros (violeta) a 780 nanômetros

Leia mais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais Sobre imagens bitmap e gráficos vetoriais Os elementos gráficos de um computador podem ser divididos em duas categorias principais -- bitmap e vetor. Imagem bitmap Gráfico vetorial Imagens bitmap são ideais

Leia mais

Corel Draw. Editoração Gráfica. Professor: Jarbas Araújo CENTRO EDUCACIONAL RADIER.

Corel Draw. Editoração Gráfica. Professor: Jarbas Araújo CENTRO EDUCACIONAL RADIER. Corel Draw Editoração Gráfica Professor: Jarbas Araújo professorjarbasaraujo@gmail.com CENTRO EDUCACIONAL RADIER Padrões CMYK ou RGB? Isso causa uma enorme confusão na cabeça de clientes, e pessoas leigas

Leia mais

Espaço de Cor Fotografia Digital Prof. Rogério Simões

Espaço de Cor Fotografia Digital Prof. Rogério Simões Espaço de Cor Prof. Rogério Simões Espaço de Cor Muito antes da invenção dos primeiros monitores coloridos, cientistas, artistas e técnicos já se preocupavam com a maneira de representar cores uniformemente.

Leia mais

RESOLUÇÃO. RESOLUÇÃO DE UMA IMAGEM - A resolução é a medida do detalhe de uma imagem que um dispositivo pode capturar ou reproduzir.

RESOLUÇÃO. RESOLUÇÃO DE UMA IMAGEM - A resolução é a medida do detalhe de uma imagem que um dispositivo pode capturar ou reproduzir. RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO DE UMA IMAGEM - A resolução é a medida do detalhe de uma imagem que um dispositivo pode capturar ou reproduzir. PPI - É a abreviatura de 'pixels per inch' (pixeis por polegada). Refere-se

Leia mais

Professor Gerson Witte Artes - EMI Informática. As Cores. Professor Gerson Witte EMI Informática Artes I

Professor Gerson Witte Artes - EMI Informática. As Cores. Professor Gerson Witte EMI Informática Artes I As Cores Professor Gerson Witte EMI Informática Artes I Apesar de serem o mesmo fenômeno físico, existe duas maneiras de entender as cores. A cor é uma radiação eletromagnética, corresponde à parte do

Leia mais

Fundamentos sobre. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Antonio G. Thomé Sala AEP/1033. Processamento de Imagens

Fundamentos sobre. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Antonio G. Thomé Sala AEP/1033. Processamento de Imagens Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Fundamentos sobre Processamento de Imagens Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/1033 Sumário do Curso Introdução Ambientação com o MatLab Aquisição

Leia mais

Aplicações Informáticas B 12º Ano

Aplicações Informáticas B 12º Ano Aplicações Informáticas B 12º Ano Prof. Adelina Maia 2013/2014 AIB_U4A 1 Bases sobre a teoria da cor aplicada aos sistemas digitais (red / Green / blue) Modelo CMYK (cyan / magenta / yellow + Black) Modelo

Leia mais

Manual de Identidade Visual >

Manual de Identidade Visual > Manual de Identidade Visual São Paulo 2011 Introdução A manutenção da Identidade Visual depende da aplicação. correta e consistente da Marca, Logomarca, Cores e Tipografias. Este manual contém todas as

Leia mais

Cores em Imagens e Vídeo

Cores em Imagens e Vídeo Aula 05 Cores em Imagens e Vídeo Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais Ciência da Computação Ciência das Cores A cor é fundamentada

Leia mais

Imagem Digital. Claudio Carvilhe

Imagem Digital. Claudio Carvilhe Imagem Digital Claudio Carvilhe Imagem Digital Roteiro Introdução. Pixel. Resolução espacial. Cor. Processamento de imagens. Introdução Informação Visual: Imagem vista na tela. Informação Descritiva: Modelo

Leia mais

Cores. Misturando apenas essas três cores, em proporções e intensidades variadas, podemos obter todas as outras, mesmo as que não estão no

Cores. Misturando apenas essas três cores, em proporções e intensidades variadas, podemos obter todas as outras, mesmo as que não estão no Cores A cor é uma sensação provocada pela luz sobre o órgão da visão, isto é, sobre nossos olhos. A cor-luz pode ser observada através dos raios luminosos. Cor-luz é a própria luz que pode se decompor

Leia mais

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA PRODUÇÃO GRÁFICA PUBLICIDADE & PROPAGANDA Prova Semestral --> 50% da nota final. Sistema de avaliação Atividades em laboratório --> 25% da nota final Exercícios de práticos feitos nos Laboratórios de informática.

Leia mais

Universidade Aberta da Terceira Idade Sub-Reitoria de Extensão e Cultura

Universidade Aberta da Terceira Idade Sub-Reitoria de Extensão e Cultura MANUAL DA MARCA iversidade Aberta da Terceira Idade Este manual contém todos os elementos gráficos que representam a padronização visual da marca ati. Aqui são especificados todos os formatos, tamanhos,

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 O estudo das cores não é peculiar apenas da pintura ou do desenho; é um estudo amplo, que sem dúvida está presente dentro de muitas outras áreas e que estão diretamente interconectados. Veja nesta aula

Leia mais

Processamento Digital de Imagens. Cor

Processamento Digital de Imagens. Cor Processamento Digital de Imagens Cor Em uma descrição física a cor está associada ao seu comprimento de onda. Ao se analisar o espectro eletromagnético na região do visível, os menores comprimentos de

Leia mais

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga Processamento de Imagens Coloridas Prof. Adilson Gonzaga 1 Aparência de um Objeto A aparência de um objeto é o resultado de uma complexa interação da luz incidente sobre este objeto, suas características

Leia mais

MANUAL.

MANUAL. MANUAL DOUSUÁRIO Siga as normas para produção de seu material gráfico, respeitando-as sempre, muitos trabalhos não são processados em nosso sistema por pequenos detalhes. VERIFIQUE SEMPRE Dimensões especificadas

Leia mais

INTRODUÇÃO. Conheça essas regras nas próximas páginas deste manual.

INTRODUÇÃO. Conheça essas regras nas próximas páginas deste manual. MANUAL DA MARCA INTRODUÇÃO Este manual tem o objetivo de orientar as aplicações da marca ACIAP São José dos Pinhais. Os elementos gráficos que compõem a identidade visual são o logotipo, as cores institucionais

Leia mais

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1 As As As Dispositivos gráficos Resolução espacial de : pixel - unidade de imagem, usada para medir resolução gráfica; visão humana - cerca de 3000 x 3000 pixels; fotografia - até 8000 x 8000 pixels. 2001

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução Capítulo 2 - Tipos de Originais

Capítulo 1 - Introdução Capítulo 2 - Tipos de Originais Capítulo 1 - Introdução Luz O que É Luz Espectro Eletromagnético Luz Anárquica Cor Interpretação Espectro Visível Sínteses Aditiva e Subtrativa Síntese Aditiva Cores Opostas e Complementares Síntese Subtrativa

Leia mais

DICAS. #gruposantaedwiges

DICAS. #gruposantaedwiges DICAS Para você que irá confiar o fechamento à nossa gráfica, recomendamos que você se atente a pequenos detalhes de seu arquivo, pois estes farão enorme diferença na qualidade final do seu impresso gráfico.

Leia mais

Características da cor

Características da cor Características da cor Qualquer cor particular pode ser obtida a partir da combinação de VERMELHO AZUL VERDE (Primárias aditivas) (no caso de transmissão) Isto é, uma fonte de luz vermelha, uma fonte de

Leia mais

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA.

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução,

Leia mais

Manual de Identidade Visual Indústria de Impressoras Tecnológicas da Amazônia Ltda

Manual de Identidade Visual Indústria de Impressoras Tecnológicas da Amazônia Ltda Manual de Identidade Visual INTRODUÇÃO Com a importância que a IITA tem conquistado no Brasil, é essencial que a nossa marca seja utilizada seguindo o Manual de Identidade Visual. Uma marca sempre bem

Leia mais

Teoria da Cor - Fundamentos Básicos

Teoria da Cor - Fundamentos Básicos Teoria da Cor - Fundamentos Básicos O objetivo desse material de apoio é trazer algumas informações básicas sobre teoria da cor, embora seu estudo seja muito mais amplo e envolve diversos aspectos de percepção,

Leia mais

Aula 3 IMPRESSORAS UNICESPI 1º SEM 2011

Aula 3 IMPRESSORAS UNICESPI 1º SEM 2011 Aula 3 IMPRESSORAS UNICESPI 1º SEM 2011 Impressoras Uma impressora ou dispositivo de impressão é um periférico que, quando conectado a um computador ou a uma rede de computadores, tem a função de dispositivo

Leia mais

Produção Gráfica. Acompanhamento do processo de uma peça desde sua criação; Conhecimento técnico de matéria-prima;

Produção Gráfica. Acompanhamento do processo de uma peça desde sua criação; Conhecimento técnico de matéria-prima; Produção Gráfica É o conjunto de processos e atividades auxiliares que visa reproduzir, em qualquer número e cópias, escritos e imagens a partir de uma matriz; Acompanhamento do processo de uma peça desde

Leia mais

Alguns métodos utilizados

Alguns métodos utilizados Alguns métodos utilizados TIF Algumas pessoas exportam o trabalho feito no Corel em formato TIF,que é um procedimento comum para impressão em jornais e publicações impressas. Para exportar desta forma

Leia mais

Atualização: JULHO/2011

Atualização: JULHO/2011 Uso do logo Teuto Pfizer Este material também é conhecido por manual da marca Teuto Pfizer. Ele é destinado a profissionais de comunicação, agências de publicidade, fornecedores e usuários em geral que

Leia mais

A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO

A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO O que é a cor? ? O que é a cor? O que é a cor? A cor é uma perceção visual provocada pela ação de um feixe de ondas eletromagnéticas sobre células especializadas da retina,

Leia mais

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 10/26/2004. Luz e Cor. λ (m) f (Hertz)

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 10/26/2004. Luz e Cor. λ (m) f (Hertz) Marcelo Gattass, PUC-Rio Luz Onda eletro-magnética 10 2 10 4 10 6 10 8 10 10 10 12 10 14 10 16 10 18 10 20 (m) rádioam FM,TV Micro-Ondas Ultra-Violeta Infra-Vermelho RaiosX f (Hertz) 10 6 10 4 10 2 10

Leia mais

Guia de qualidade de cores

Guia de qualidade de cores Página 1 de 7 Guia de qualidade de cores O Guia de qualidade de cores explica como as operações disponíveis na impressora podem ser usadas para ajustar e personalizar a saída colorida. Menu qualidade Modo

Leia mais

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Bruno Teixeira Moreira e Emídio Augusto Arantes Macedo Ciência da Computação 1 o. Período Professor: Rodney Josué Biezuner Disciplina: Geometria Analítica e

Leia mais

Manual de aplicação do selo comemorativo de 60 anos da Ufes

Manual de aplicação do selo comemorativo de 60 anos da Ufes Manual de aplicação do selo comemorativo de 60 anos da Ufes A marca comemorativa de 60 anos da Ufes, através do símbolo que representa o infinito, baseia-se no conceito de continuidade, de olhar para o

Leia mais

Então, como saber se uma cor que esteja sendo vista na tela será obtida com a mesma aparência na impressão? É aí que entram os modos de cor.

Então, como saber se uma cor que esteja sendo vista na tela será obtida com a mesma aparência na impressão? É aí que entram os modos de cor. Variações de cores entre dispositivos Todo trabalho feito em computação gráfica, mais especificamente com impressão, pode apresentar variações do tipo exibido abaixo. Você vê as cores de um modo na tela,

Leia mais

Scribus e o sistema de cores

Scribus e o sistema de cores Scribus e o sistema de cores Por Nélio Gonçalves Godoi Sistemas de cores Conhecer os sistemas de cores RGB e CMYK, e saber convertê-los, é bastante importante para o designer. O sistema de cores aditivas

Leia mais

Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream

Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream 1 O Maravilhoso Mundo dos Pixels Não adianta fechar um arquivo se você não o criou de forma correta. Não adianta mandar para a gráfica/lab/bureau

Leia mais

Prof. Fernando Lang da Silveira

Prof. Fernando Lang da Silveira As sombras são coloridas com as três cores originais das lâmpadas (vermelho, verde e azul) e mais outras três cores (magenta, ciano e amarelo), além do branco e do preto. Prof. Fernando Lang da Silveira

Leia mais

Fotografia Digital. Aula 1

Fotografia Digital. Aula 1 Fotografia Digital Aula 1 FOTOGRAFIA DIGITAL Tema da aula: A Fotografia 2 A FOTOGRAFIA A palavra Fotografia vem do grego φως [fós] ("luz"), e γραφις [grafis] ("estilo", "pincel") ou γραφη grafê, e significa

Leia mais

PROGRAMAÇÃO VISUAL COR. Prof. Carlos Café Dias

PROGRAMAÇÃO VISUAL COR. Prof. Carlos Café Dias PROGRAMAÇÃO VISUAL COR Prof. Carlos Café Dias O mundo à nossa volta é repleto de cores, mas tudo está na nossa cabeça, é ativado em nós. Experimentamos as cores por apenas um sentido: a visão. As cores

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 5)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 5) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 5) 1 Sistema de cores A modelagem dos sistemas de cor é essencial, pois para a visualização

Leia mais

CORANTES A Química nas Cores. Brasil. Pau brasil. Da árvore, o corante. Das cores, o carnaval. Nas cores, a química!

CORANTES A Química nas Cores. Brasil. Pau brasil. Da árvore, o corante. Das cores, o carnaval. Nas cores, a química! CORANTES A Química nas Cores Brasil. Pau brasil. Da árvore, o corante. Das cores, o carnaval. Nas cores, a química! Por toda a história, corantes e pigmentos foram objetos de atividades comerciais. Hoje,

Leia mais

Porque as. cores mudam?

Porque as. cores mudam? Porque as cores mudam? O que são cores? As cores não existem materialmente. Não possuem corpo, peso e etc. As cores correspondem à interpretação que nosso cérebro dá a certo tipo de radiação eletro-magnética

Leia mais

COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP

COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP COMO PREPARAR/ENVIAR SEU ARQUIVO PARA IMPRESSÃO EM COREL DRAW E PHOTOSHOP ÍNDICE EXPORTANTO EM COREL DRAW 1 - definindo o tamanho pág. 3 2 - padrão (sistema de cores - cmyk) pág. 3 3 - resolução pág. 4

Leia mais

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009 16 a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. 17 Marca Dinâmica e evolutiva, a marca Bematech é formada pelo símbolo e logotipo. Suas elipses simbolizam a essência de uma empresa empreendedora.

Leia mais

MANUALGRAFICO MANUALGRAFICO PARAROTULOS EENCARTES

MANUALGRAFICO MANUALGRAFICO PARAROTULOS EENCARTES MANUALGRAFICO MANUALGRAFICO PARAROTULOS EENCARTES ESPECIFICAÇÕESTECNICAS As informações abaixo deverão constar OBRIGATORIAMENTE no rótulo/capa do CD e DVD: 1. Texto de identificação do fabricante: Produzido

Leia mais

Manual de Uso e Aplicação da Marca

Manual de Uso e Aplicação da Marca Manual de Uso e Aplicação da Marca O Valor da Marca A marca é o maior patrimônio de uma empresa. Leva-se muitos anos para se construir uma marca forte. É preciso compreender o impressionante poder que

Leia mais

CONVERSÃO PANTONE PARA CMYK

CONVERSÃO PANTONE PARA CMYK CONVERSÃO PANTONE PARA CMYK Conversão da escala de cores Pantone Coated para valores CMYK Prof. Ms. Paulo Alves de Lima paulo@garagedigital.com.br Nota do autor: Esse guia contém o setting de cores sólidas

Leia mais

Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação

Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação conteúdos tipos de imagem conceitos base cor em digital formatos de imagem imagem na web Tipos de imagens

Leia mais

manual de identidade visual ABCR

manual de identidade visual ABCR manual de identidade visual ABCR apresentação 01 A imagem corporativa de uma instituição nasce e cresce à medida que todos os elementos de comunicação com o público estejam integrados num padrão de homogeneidade

Leia mais

Estudo da cor [breve síntese]

Estudo da cor [breve síntese] Estudo da cor [breve síntese] Sem luz não existe cor Aristóteles, filósofo grego que viveu de 384 a 322 ac, parece ter sido o primeiro a perceber que os olhos não podem ver a cor sem luz. A cor está presente

Leia mais

Cor SCC0251 Processamento de Imagens

Cor SCC0251 Processamento de Imagens Cor SCC0251 Processamento de Imagens Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2012/1 Moacir Ponti Jr. (ICMCUSP) Cor 2012/1 1 / 39 Sumário 1 Introdução

Leia mais

Adobe FreeHand. Imagem Bitmap:

Adobe FreeHand. Imagem Bitmap: Imagem Bitmap: As imagens bitmap (mapa de bits), são tal como o nome indica, uma colecção de bits que formam uma imagem. A imagem consiste numa matriz de pontos individuais (ou píxeis) em que cada um tem

Leia mais

2/5/2010. PDF e Indesign. Plano de Voo. Bitmap e Vetor PDF o que é? Sistema de Cores - RGB e CMYK Bitmap Vetor Escolhendo imagens para os trabalhos.

2/5/2010. PDF e Indesign. Plano de Voo. Bitmap e Vetor PDF o que é? Sistema de Cores - RGB e CMYK Bitmap Vetor Escolhendo imagens para os trabalhos. PDF e Indesign Plano de Voo Bitmap e Vetor PDF o que é? Sistema de Cores - RGB e CMYK Bitmap Vetor Escolhendo imagens para os trabalhos. 1 O que é o Bitmap? Imagens raster (ou bitmap, que significa mapa

Leia mais

16 16,5 x 24 14,5 x 22

16 16,5 x 24 14,5 x 22 Introdução O desenvolvimento de um trabalho de design gráfico exige conhecimento acerca dos dados técnicos de produção gráfica para que o resultado final seja exatamente o esperado. É preciso acompanhar

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Introdução O manual da marca do Consultório na Rua tem a função de ordenar e padronizar o signo que distingue e diferencia o serviço, compreendendo os padrões e regras de aplicação

Leia mais

Glossário básico para

Glossário básico para Glossário básico para eventos e mini-glossário de termos de design e de processos gráficos COORDENADORIA DE GESTÃO DE EVENTOS Glossário básico para eventos Colóquio: é a exposição de um tema em reunião

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA BRASÍLIA

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA BRASÍLIA MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA BRASÍLIA JUL.2014 1 APRESENTAÇÃO MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL // CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA CFO 3 //APRESENTAÇÃO A concepção da nova marca

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Bitmap X Vetorial > Existem dois tipos de arquivos fundamentais na computação gráfica: bitmap e vetorial. Alguns programas mais

Leia mais

Os seres humanos percebem as cores em alguns comprimentos de onda específicos.

Os seres humanos percebem as cores em alguns comprimentos de onda específicos. Os seres humanos percebem as cores em alguns comprimentos de onda específicos. Comprimento de Onda Transmissão Ondas curtas FM Televisão Radar Infravermelho Luz Visível Ultravioleta Raios-X Raios-γ Vermelho

Leia mais

FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 2017

FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 2017 FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 2017 2 SUMÁRIO Introdução... 03 Versões... 04 Slogan... 05 Aplicação em fundos coloridos... 06 Usos Incorretos... 07 Área de Não Interferência... 08

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação

Introdução à Ciência da Computação 1 Universidade Federal Fluminense Campus de Rio das Ostras Curso de Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação Professor: Leandro Soares de Sousa e-mail: lsousa@id.uff.br site: http://www.ic.uff.br/~lsousa

Leia mais

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Madeira Manual de Marca. Elementos Básicos

Madeira Manual de Marca. Elementos Básicos Madeira Manual de Marca Elementos Básicos Madeira Manual de Marca Elementos Básicos ESTE MANUAL TEM COMO OBJETIVO DEFINIR UM CONJUNTO DE REGRAS E RECOMENDAÇÕES QUE GARANTAM UMA APLICAÇÃO CORRETA DA MARCA

Leia mais

Guilherme Lima. Designer Gráfico

Guilherme Lima. Designer Gráfico Guilherme Lima Designer Gráfico TEORIA DAS CORES A teoria A Teoria das Cores afirma que a cor é um fenômeno físico relacionado a existência da luz, ou seja, se a luz não existisse, não existiriam cores.

Leia mais

Mídias Discretas. Introdução à Ciência da Informação

Mídias Discretas. Introdução à Ciência da Informação Mídias Discretas Introdução à Ciência da Informação Mídias Discretas Mídias discretas (estáticas) Texto Gráficos e Imagens Estáticas Caracteres são convertidos para uma representação com um número fixo

Leia mais

Manual de identidade visual

Manual de identidade visual Manual de identidade visual 2.0 - Manual de identidade visual 2.1 - Elementos da marca 2.2 - Redução 2.3 - Área de proteção 2.4 - Aplicação 2.5 - Versões PB 2.6 - Malha construtiva 2.7 - Paleta de cores

Leia mais

MANUAL DE MARCA HEXAGON ELO LINE MODE

MANUAL DE MARCA HEXAGON ELO LINE MODE MAUAL DE MARCA ODELO LI ODELO LIE MODEL ODELO LIE MODELO ELO LIE MODE M LO LI 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 SUMÁRIO Assinatura Principal Assinaturas Alternativas Padrão Tipográfico Padrão Cromático

Leia mais

Azul, amarelo, mais amarelo Abóbora ou laranja Vermelho e amarelo Marrom, vermelho e preto

Azul, amarelo, mais amarelo Abóbora ou laranja Vermelho e amarelo Marrom, vermelho e preto Tabela para mistura de cores Verde Azul, amarelo, mais amarelo Abóbora ou laranja Vermelho e amarelo Vinho Marrom, vermelho e preto Cinza Roxo Marrom Marrom oliva Marrom telha Marrom castanha Marrom claro

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Configurando Color Sttings - no CS3 Shift + Ctrl + K

Configurando Color Sttings - no CS3 Shift + Ctrl + K GCR Photoshop CS3 Cores Digitais Primeiramente, vamos entender como é possível substituir o CMY por preto apenas nas áreas cinzas e escuras sem influenciar nas outras cores da foto. Quando um scanner captura

Leia mais

Como capturar imagens de alta resolução?

Como capturar imagens de alta resolução? Perguntas frequentes sobre captura de imagens com câmeras de alta resolução que utilizam conexão USB. O Laudo & Imagem oferece a opção de captura de imagens de câmeras de alta resolução que utilizam a

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual APRESENTAÇÃO :::... A Associa ção Horizontes, apresenta seu manual de aplicação de marca e com ele pretende consolidar o bem mais valioso que uma empresa ou instituição possui:

Leia mais

APOSTILA DE ARTES VISUAIS 7º

APOSTILA DE ARTES VISUAIS 7º Colégio Pedro II Campus São Cristóvão II APOSTILA DE ARTES VISUAIS 7º ano 1º trimestre Unidade I Cor Nome: Nº.: Turma: Ano: Professor(a): 1 Cor No momento, meu espírito está inteiramente tomado pela lei

Leia mais

Produção Gráfica I. A esse conjunto de pontos que formam a imagem impressa damos o nome de retícula.

Produção Gráfica I. A esse conjunto de pontos que formam a imagem impressa damos o nome de retícula. Produção Gráfica I SISTEMA DE FOTORREPRODUÇÃO RETÍCULA Fotografia preto e branco Se observarmos uma fotografia em preto e branco com uma lupa, vamos notar que existe a imagem é formada de pequenos grãos.

Leia mais

Diagramas e Camadas Representação e Linguagem em Arquitetura ARQ1342 Tópicos Especiais em Arquitetura XXVII Prof. Gabriel Duarte

Diagramas e Camadas Representação e Linguagem em Arquitetura ARQ1342 Tópicos Especiais em Arquitetura XXVII Prof. Gabriel Duarte Diagramas e Camadas Representação e Linguagem em Arquitetura ARQ1342 Tópicos Especiais em Arquitetura XXVII Prof. Gabriel Duarte AULA 04 Imagem Digital / Pós-Produção Cores & Contrastes Tutorial B (parte

Leia mais

Luz, Cor e Percepção Visual

Luz, Cor e Percepção Visual Luz, Cor e Percepção Visual André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Capítulo 13 do Foley O que é luz? Luz é uma forma de energia. Tipo de radiação eletromagnética com um comprimento de onda que afeta

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PROCEDIMENTO UTILIZAÇÃO DO LOGOTIPO GENPRO Nº PE-GDQ-011 Fl. 1/8 ata Descrição Executado Verificado Aprovado 0 A B C D 25/07/05 17/08/07 22/02/08 25/07/13 27/03/15 Emissão Inicial Revisão Geral. Substituído

Leia mais

Tipos de cores. Entendendo as cores. Imprimindo. Usando cores. Manuseio de papel. Manutenção. Solucionando problemas. Administração.

Tipos de cores. Entendendo as cores. Imprimindo. Usando cores. Manuseio de papel. Manutenção. Solucionando problemas. Administração. Sua impressora permite que você se comunique em cores. As cores chamam a atenção, indicam respeito e agregam valor ao material ou às informações impressas. O uso de cor aumenta o público leitor e faz com

Leia mais

Guia de qualidade de cores

Guia de qualidade de cores Página 1 de 6 Guia de qualidade de cores O Guia de qualidade de cores ajuda os usuários a entender como as operações disponíveis na impressora podem ser usadas para ajustar e personalizar a saída colorida.

Leia mais

Siga nossos padrões de margens especificadas abaixo e utilize nossas matrizes (disponíveis no link Gabaritos).

Siga nossos padrões de margens especificadas abaixo e utilize nossas matrizes (disponíveis no link Gabaritos). Guia de Instruções Atenção com as margens de corte Siga nossos padrões de margens especificadas abaixo e utilize nossas matrizes (disponíveis no link Gabaritos). Sempre utilize no mínimo a 3,5mm de margem

Leia mais

2-) Descreva algumas das diferenças entre mistura de cores de luz e mistura de cores de tintas.

2-) Descreva algumas das diferenças entre mistura de cores de luz e mistura de cores de tintas. Lista cores 1-) Três fontes de luz projetam luz sobre um anteparo como mostrado na figura ao lado. Cada fonte projeta uma região circular de cor diferente. A. Nomeie cada parte do anteparo com a cor apropriada.

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Normas e padrões de utilização

Manual de Identidade Visual. Normas e padrões de utilização Manual de Identidade Visual Normas e padrões de utilização Apresentação A Fundep - Fundação de Desenvolvimento da pesquisa, vem através deste documento consolidar o bem mais valioso que uma instituição

Leia mais

porto. logótipos white studio porto. Guia de utilização dos logótipos institucionais

porto. logótipos white studio porto. Guia de utilização dos logótipos institucionais logótipos white studio porto. Guia de utilização dos logótipos institucionais logótipos Que logo utilizar? Quando utilizados num cartaz, flyer ou outros elementos de divulgação de eventos, os logótipos

Leia mais

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Este tutorial tem por finalidade esclarecer algumas dúvidas sobre arquivos abertos e arquivos fechados. Leia e entenda um pouco mais sobre PDF, diferenças

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 07

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 07 8 PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 07 QUESTÃO 21: A unidade de impressão de uma impressora offset rotativa que imprime pelo sistema blanqueta contra blanqueta deve possuir, no mínimo, o seguinte número

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

MANUAL DA MARCA Julho 2011

MANUAL DA MARCA Julho 2011 MANUAL DA MARCA Julho 2011 INTRODUÇÃO Esta é a nossa marca. É por meio dela que nos relacionamos com colaboradores, fornecedores, parceiros, consumidores e o mercado. O objetivo deste manual é oferecer

Leia mais

16/09/2016. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

16/09/2016. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica professor Rafael Hoffmann Cor Modelos cromáticos - Síntese aditiva/cor-luz Isaac Newton foi o responsável pelo desenvolvimento da teoria das cores. Em

Leia mais

Manual de Branding e Aplicação de Marca

Manual de Branding e Aplicação de Marca Manual de Branding e Aplicação de Marca Introdução Este manual foi criado com o objetivo de explicar / orientar os nossos fornecedores e parceiros nas questões referentes à reprodução e aplicação da nossa

Leia mais

ANEXO I. Pará Pag.: 1 Governo Municipal de Rio Maria. Preço Unit (R$) Código ALMOFADA P/ CARIMBO

ANEXO I. Pará Pag.: 1 Governo Municipal de Rio Maria. Preço Unit (R$) Código ALMOFADA P/ CARIMBO Pará Pag.: 1 002750 ALMOFADA P/ CARIMBO 30,0000UNIDADE 025786 APONTADOR DE LÁPIS MANUAL COM 15,0000UNIDADE RESERVATORIO 000942 BORRACHA ESCOLAR BRANCA Nº 40 6,0000CAIXA CAIXA CONTENDO 50 UNIDADES 000637

Leia mais

Definição de cores e suas diferenças. RGB, CMYK e Pantone

Definição de cores e suas diferenças. RGB, CMYK e Pantone Introdução Esta cartilha foi criada com o objetivo de facilitar e ensinar de maneira didática o processo de fechamento de arquivos, desde os processos iniciais, até a exportação do seu arquivo para o PDF/X-1a.

Leia mais

Relógio Digital - Face Estática

Relógio Digital - Face Estática Especificações Técnicas de Produção Relógio Digital - Face Estática Relógio Digital - Face Estática Material de impressão Backfilm Opaco = Filme em poliéster opaco, com 400gr/m² e com passagem de luz para

Leia mais

Representação de cores. Computação Gráfica Cores. O que é luz. Distribuição espectral da iluminação 11/12/12

Representação de cores. Computação Gráfica Cores. O que é luz. Distribuição espectral da iluminação 11/12/12 Representação de cores Computação Gráfica Cores Renato Ferreira Tratados de maneira geral como triplas RGB Um parâmetro alpha opcional Quase todas operações separadas por componente Mas usualmente tratadas

Leia mais

Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores

Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores As imagens formadas na retina são planas, entretanto, conseguimos enxergar o volume dos objetos, uma das razões disto ocorrer é devido à iluminação nas diferentes

Leia mais