PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)"

Transcrição

1 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) Fonte: PLD: CCEE / PLD médio: PONDERAÇÃO COMERC. PLD médio é a média ponderada dos valores já divulgados do PLD, pelas horas das semanas publicadas. 2. PLD médio 2 supondo que o último PLD publicado se estenda pelas semanas restantes de maio de 205. Fonte: ONS e CCEE O CMO (Custo Marginal de Operação) diminuiu em relação à primeira semana de maio em todos os submercados. O CMO saiu de R$438,979/MWh para R$42,5/MWh no Sudeste e Sul. No Nordeste, foi para R$424,37/MWh; e no Norte, saiu de R$00,06 para R$92,96/MWh. Energia armazenada para maio de 205 Fonte: CCEE Na primeira semana de maio não houve nenhum aumento considerável no nível dos reservatórios. O submercado Sul sofreu deplecionamento de,5 pontos percentuais entre o valor inicial e o observado na semana. 2 DE MAIO DE 205

2 Análise de Sensibilidade: Cenário de vazão mensal para a revisão do PMO. Semana vigente: 9/5 a 5/5/205. Fonte: ONS Análise de Sensibilidade Vazões Previsão de ENA Mensal (Prev-2) SE/CO S NE N Previsão Previsão Previsão CMO CMO CMO de ENA de ENA de ENA Semanal Semanal Semanal Mensal Mensal Mensal R$/MWh R$/MWh R$/MWh (Prev-2) (Prev-2) (Prev-2) CMO Semanal R$/MWh Limite Superior 09% 36 52% 36 7% 36 4% 93 Valor Esperado 00% % % % 05 Limite Inferior 9% % % % 2 O gráfico acima representa a ENA verificada entre º e 0 de maio e os cenários possíveis de ENA mensal para a revisão da próxima semana (revisão 2). Por exemplo, caso a previsão de ENA mensal do submercado Sudeste fique em 00% da MLT na próxima semana (valor esperado), a previsão do CMO semanal ficará em torno de R$40/MWh. O valor observado até o dia 0 de maio está em 03% da MLT. No Sudeste/Centro-Oeste, a análise de sensibilidade para a próxima semana está variando entre 9% da MLT (limite inferior) e 09% da MLT (limite superior). No Sul a variação está entre 58% da MLT (limite inferior) e 52% da MLT (limite superior). No Nordeste, a variação está entre 54% (limite inferior) e 7% da MLT(limite superior). No Norte, a variação está entre 98% (limite inferior) e 4% da MLT (limite superior). No Sul, a ENA mensal observada até o dia 0 de maio foi de 6% da MLT, uma diferença de 46 pontos percentuais em relação ao Valor Esperado (VE). No Norte, a previsão é de redução de ENA mensal, uma vez que o submercado está a 33% da MLT até o dia 0. A tabela com o valor de CMO, em R$/MWh, de acordo com a análise de sensibilidade da ENA aponta que se o limite superior ocorrer na previsão de ENA mensal da próxima semana (rev.2), o PLD poderá sair do teto em todos submercados. 2 DE MAIO DE 205 2

3 Energia solar no Brasil e no mundo O Brasil é um dos países com maior potencial de energia solar no mundo, mas possui apenas 5 MW de capacidade instalada de energia fotovoltaica. O Brasil possui hoje cerca de 5 MW de potência instalada de energia fotovoltaica, segundo dados da ANEEL, além de seis projetos de empreendimentos fotovoltaicos com potência total 28 MW, que devem ser construídos nos próximos anos. A geração solar é incipiente se comparada à matriz elétrica brasileira, que possui MW de potência instalada. A Alemanha é um exemplo no que diz respeito à geração de energia solar, com MW de potência instalada em centrais fotovoltaicas - capacidade instalada superior ao total de usinas termelétricas instaladas no Brasil, atualmente com MW de capacidade instalada. Importante ressaltar que a Alemanha recebe menos da metade da radiação solar diária em comparação com o Brasil cerca de 2,5KWh/m² contra, em média, 5,9KWh/m² diários do Nordeste brasileiro. O Brasil é um dos países com maior potencial de energia solar do mundo. O mapa abaixo mostra como é distribuída a radiação solar diária por região no Brasil: Fonte: Atlas Brasileiro de Energia Solar, 2006 Em 202, estudo da EPE mostrou que, se uma área de 2.400km² fosse coberta com painéis fotovoltaicos, em uma região com insolação média da ordem de.400 KWh/m²/ano, essa instalação atenderia integralmente ao consumo do SIN verificado em 20, com carga de MWmed. O cálculo foi realizado considerando um fator de capacidade de 8%. As perspectivas para a energia solar são animadoras. No 6º Leilão de Energia de Reserva (LER), o teto para comercialização da energia solar foi definido em R$262/MWh, mas, ao final do leilão, os contratos mostraram o preço médio de R$25/MWh, deságio de 8%. 2 DE MAIO DE 205 3

4 Os leilões de energia solar poderão estimular a indústria de painéis fotovoltaicos no Brasil, pois a importação dos painéis solares expõe os investidores à variação do dólar e encarecem o produto. Em 205, a variação do insumo foi de 30% devido à desvalorização do real. A expectativa do mercado e do governo é de forte crescimento deste mercado no médio prazo. O Brasil tem recursos naturais para a produção nacional dos painéis solares uma vez que detém 95% das reservas mundiais do silício, a principal matéria-prima dos equipamentos. Um ponto de atenção para o uso de energia solar no mercado livre é a inconstância da geração. Os painéis solares geram energia, em média, durante cinco horas por dia. Por mais que uma empresa tenha capacidade instalada de painéis fotovoltaicos para suprir a sua demanda, ela precisará gerenciar o risco de ocorrerem dias nublados ou chuvosos e também à obrigação de comprar energia para modulação de carga referente ao período do dia em que as placas não geram. Por isso, é importante complementar essa geração com outras fontes de energia, sendo importante o gerenciamento do consumo de energia. Clipping Comerc Sua conta de luz subiu? Ela vai aumentar ainda mais. Na última sexta-feira, 8 de maio, o site da Revista Veja publicou a reportagem Sua conta de luz subiu? Ela vai aumentar ainda mais, que contou com estudo realizado exclusivamente pela Comerc para a revista e com a participação de Cristopher Vlavianos, Presidente da empresa. Fonte: Site Revista Veja Clique aqui e leia a matéria na íntegra: 2 DE MAIO DE 205 4

5 CONSUMO DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE CAI 0,20% EM MARÇO Em relação a março de 204, o consumo de energia caiu -,45% O Índice Setorial Comerc, estudo mensal que avalia os dados de consumo de energia elétrica das 540 unidades sob administração da empresa no mercado livre de energia, revela que, em março de 205, o consumo de energia no mercado livre caiu -0,20% em relação ao mês anterior. No comparativo anual, o consumo de energia caiu -,45% em relação a março de 204. Importante observar que março de 205 teve três dias úteis a mais do que fevereiro do mesmo ano e dois dias úteis a mais do que março de 204 e, ainda assim, o consumo de energia foi inferior nos dois comparativos mensal e anual. No comparativo anual do Índice Comerc, o consumo de energia caiu -,45% em março de 205 em relação ao mesmo mês do ano passado, o que está alinhado aos dados preliminares de medição coletados entre º e 4 de abril pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que confirmam o viés de queda. Segundo a CCEE, o consumo de energia elétrica teve variação negativa tanto no mercado cativo quanto no livre, neste período. O consumo cativo, de MW médios, foi 5% menor que o registrado no mesmo mês do ano passado, enquanto os agentes livres apresentaram redução de 6,4%, e consumo de MW médios. No histórico do comparativo anual, abaixo, observa-se que o patamar do consumo de energia no mercado livre nesses três primeiros meses do ano é inferior ao de 204, com quedas de -4,0% em janeiro, -5,80% em fevereiro e -,45% em março. 2 DE MAIO DE 205 5

6 Comparativo setorial No comparativo setorial mensal, os setores de Material de Construção Civil e Higiene e Limpeza registraram aumento do consumo de energia em março de 205, com 6,7% e 2,2% respectivamente, em relação a fevereiro do mesmo ano. O setor de maior queda no consumo de energia foi o de Papel e Celulose, com -9,28%, seguido do de Comércio e Varejo, com -2,6%. De modo geral, a maior parte dos setores demonstra leve recuperação do consumo de energia em relação a fevereiro, o que pode estar relacionado, como já mencionado anteriormente, aos três dias úteis a mais em março. No comparativo anual, em que os efeitos da sazonalidade são reduzidos, os resultados indicam o contrário a maior parte dos setores não se encontra nos patamares de consumo de energia registrados em 204. As maiores quedas estão no setor de siderurgia, com - 8,98%, e de Papel e Celulose, com -8,5%. Dos onze setores avaliados pelo Índice Comerc, no comparativo anual, apenas três registraram aumento do consumo de energia nesta base Embalagem (0,86%), Higiene e Limpeza (3,88%) e Alimentos (2,3%). 2 DE MAIO DE 205 6

7 Meteorologia da semana 02/05/205 a 08/05/205 A figura mostra o comparativo entre os valores da precipitação prevista, observada, normal climática para o período de 98 a 200 e a porcentagem do desvio em relação à climatologia para a semana de 2/5 a 8/5/205. A maior parte do País apresentou acumulado semanal de precipitação acima de 90% da normal climática (figuras b e d). Destacam-se as regiões ao sul da Bahia, Sudeste e boa parte da região Centro-Oeste, com valores acima da normal climática. Em média, essas regiões apresentaram um total acumulado na semana de 5 mm, quando os valores médios acumulados nesse período ficaram em torno de 30 mm. As regiões centro-norte do Nordeste e Norte apresentaram valores acumulados semanais 60% abaixo da normal climática, em média. Figura : Fonte: Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climático/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais/Operador Nacional do Sistema (CPTEC/INPE/ONS) e Climate Prediction Center/National Centers for Environmental Prediction/National Oceanic and Atmospheric Administration (CPC/NCEP/NOAA). A figura 2 mostra as previsões de precipitação feitas pelos modelos ETA (CPTEC/INPE/ONS), figura 2a, e COSMO (INMET), figura 2b, para semana operativa de 9/5 a 5/5/205. A figura 3 mostra a normal climática de 98 a 200 (OMM) para mesma semana operativa. Os modelos ETA e COSMO preveem totais significativos de precipitação acumulada para a semana operativa de 9 a 5 de maio sobre as regiões Norte e Centro-Oeste, com valores médios acumulados de 30 mm. Na região Sudeste, a previsão é de que os valores devem ficar em torno da média climática (0 a 5 mm, figura 3). A previsão para as regiões Sul e 2 DE MAIO DE 205 7

8 Nordeste indica valores esperados abaixo da normal climática, respectivamente 30 e 5 mm médios, para o período da semana operativa. Figura 2: Fonte: Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climático/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais/Operador Nacional do Sistema (CPTEC/INPE/ONS) e Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Figura 3: Fonte: Organização Meteorológica Mundial (OMM) e Climate Prediction Center/National Centers for Environmental Prediction/National Oceanic and Atmospheric Administration (CPC/NCEP/NOAA). Legenda: Figura : Mapas de precipitação para semana de 2/5 a 8/5/205, em (a) precipitação acumulada prevista pelo modelo ETA (CPTEC/INPE/ONS), em (b) precipitação acumulada observada para semana, em (c) normal climática (98 a 200) para a semana e em (d) porcentagem do desvio em relação a normal climática (CPC/NOAA). Figura 2: Precipitação acumulada prevista pelos modelos em (a) ETA 40 km (CPTEC/INPE/ONS) e (b) COSMO 7 km (INMET) para o período de 25/4 a /5/205. Figura 3: Normal climática de 98 a 200 (OMM) para a semana operativa da ONS de 9/5 a 5/5/ DE MAIO DE 205 8

9 Energia em pílulas Revisão Tarifária Periódica da Distribuidora Eletropaulo está em Audiência Pública Para ler o Glossário de Termos, clique aqui 2 DE MAIO DE 205 9

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 5 04 5 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) Fonte: PLD: CCEE / PLD médio: PONDERAÇÃO COMERC. PLD médio é a média ponderada dos valores já divulgados do PLD, pelas horas das semanas publicadas. 2. PLD

Leia mais

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 9 05 5 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) Fonte: PLD: CCEE / PLD médio: PONDERAÇÃO COMERC. PLD médio é a média ponderada dos valores já divulgados do PLD, pelas horas das semanas publicadas. 2. PLD

Leia mais

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 24 06 5 6 06 5 Fonte: PLD: CCEE / PLD médio: PONDERAÇÃO COMERC. PLD médio é a média ponderada dos valores já divulgados do PLD, pelas horas das semanas publicadas.

Leia mais

Oferta e Demanda de Energia Elétrica: Cenários. Juliana Chade

Oferta e Demanda de Energia Elétrica: Cenários. Juliana Chade Oferta e Demanda de Energia Elétrica: Cenários Juliana Chade Agenda Cenário atual Preços Afluências Reservatórios Consumo de energia elétrica Meteorologia/Clima Expansão da Oferta Projeções de PLD 2 Agenda

Leia mais

JULHO RV0 1ª Semana

JULHO RV0 1ª Semana JULHO 2015 RV0 1ª Semana Sumário INTRODUÇÃO... 3 CONDIÇÕES INICIAIS... 3 1 - Nível dos reservatórios... 3 2 - Expansão da oferta hidrotérmica (MW)... 4 ANÁLISE DAS CONDIÇÕES HIDROMETEREOLÓGICAS... 5 1

Leia mais

3º Ciclo Revisões Tarifárias Periódicas

3º Ciclo Revisões Tarifárias Periódicas 8 02 3 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 4ª Semana de Fevereiro de 203 Fevereiro (6.02.203 a 22.02.203) PLD médio PLD médio 2 R$/MWh Sudeste Sul Nordeste Norte Sudeste 87,88 93,57 Pesada 27,60 27,60

Leia mais

O PLD da 5ª semana de Novembro foi republicado devido a um erro de entrada de dado no Modelo:

O PLD da 5ª semana de Novembro foi republicado devido a um erro de entrada de dado no Modelo: 02 2 3 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) PLD - ª Semana de Dezembro de 203 Dezembro (30..203 a 06.2.203) PLD médio PLD médio 2 R$/MWh Sudeste Sul Nordeste Norte Sudeste 309,49 309,33 Pesada 33,8

Leia mais

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5 % Armazenamento JUNHO RV0 1.1 ARMAZENAMENTO HISTÓRICO DO SISTEMA INTEGRADO NACIONAL 20 56,8 55,7 54,8,2 42,3 42,9 38,5,4 42,6 42,0 43,0,0 34,9 37,0 38,1,3 34,4 35,7 29,0 30,1 32,3 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4

Leia mais

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças)

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 25 03 5 PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) Fonte: PLD: CCEE / PLD médio: PONDERAÇÃO COMERC. PLD médio é a média ponderada dos valores já divulgados do PLD, pelas horas das semanas publicadas. 2.

Leia mais

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 12º Leilão de Energia Existente e Bandeira Tarifária

PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) 12º Leilão de Energia Existente e Bandeira Tarifária PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) PLD - 4ª Semana de Dezembro de 203 Dezembro (2.2.203 a 27.2.203) PLD médio PLD médio 2 R$/MWh Sudeste Sul Nordeste Norte Sudeste 297,09 296,73 Pesada 294,9 294,9

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro Semana Operativa de 17/12/2016 a 23/12/2016 1. APRESENTAÇÃO 2. NOTÍCIAS Na semana de 10 a 16/12/2016 ocorreu chuva fraca nas bacias dos

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Março Semana Operativa de 05/03/2016 11/03/2016 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 27/02 a 04/03 ocorreu chuva fraca a moderada nas bacias da região Sul

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação 1. APRESENTAÇÃO 2. NOTÍCIAS No início da semana de ocorreu chuva fraca isolada nas bacias dos rios Grande e São Francisco. No final da semana ocorreu chuva

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro Semana Operativa de 03/12/2016 a 09/12/2016 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 26/11 a 02/12/2016 ocorreu precipitação nas bacias hidrográficas

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro Semana Operativa de 21/01/2017 a 27/01/2017 1. APRESENTAÇÃO 2. NOTÍCIAS Na semana de 14 a 20/01/2017 ocorreu precipitação nas bacias dos

Leia mais

PMO de Setembro Semana Operativa de 09/09/2017 a 15/09/2017

PMO de Setembro Semana Operativa de 09/09/2017 a 15/09/2017 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 02 a 08/09/2017 ocorreu chuva fraca na bacia do rio Jacuí. Para a semana de 09 a 15/09/2017 há previsão de chuva fraca nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai, Iguaçu e Paranapanema.

Leia mais

PMO de Setembro Semana Operativa de 16/09/2017 a 22/09/2017

PMO de Setembro Semana Operativa de 16/09/2017 a 22/09/2017 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 09 a 15/09/2017 a atuação de duas frentes frias na região Sul, uma no início da semana e a outra no final, ocasionou apenas chuva fraca isolada nas bacias dos rios Jacuí e

Leia mais

Análise PLD 5ª semana operativa de janeiro

Análise PLD 5ª semana operativa de janeiro 125,16 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,7 287,2 24,8 145,9 227,4 212,32 22,87 116,8 5,59 46,2 35,76 3,25 3,25 395,73 387,24 369,39 688,88 www.ccee.org.br Nº 226 5ª

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de dezembro

Análise PLD 2ª semana operativa de dezembro www.ccee.org.br Nº 219 2ª semana de dezembro/15 8 1 8 O InfoPLD é uma publicação semanal que traz uma análise dos fatores que influenciam na formação do Preço de Liquidação das Diferenças - PLD, calculado

Leia mais

PMO de Setembro Semana Operativa de 02/09/2017 a 08/09/2017

PMO de Setembro Semana Operativa de 02/09/2017 a 08/09/2017 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 26/08 a 01/09/2017 ocorreu precipitação de fraca intensidade na bacia do rio Jacuí e chuvisco em pontos isolados da bacia do rio Uruguai. Para a semana de 02 a 08/09/2017 prevê-se,

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro Semana Operativa de 17/12/2016 a 23/12/2016 1. APRESENTAÇÃO 2. NOTÍCIAS Na semana de 10 a 16/12/2016 ocorreu chuva fraca nas bacias dos

Leia mais

JANEIRO RV0 1º Semana

JANEIRO RV0 1º Semana JANEIRO 2015 RV0 1º Semana JANEIRO RV0 Sumário INTRODUÇÃO... 3 INFORMAÇÕES ESTRUTURAIS PARA CONSTRUÇÃO DA FUNÇÃO DE CUSTO FUTURO... 4 1 - Armazenamento inicial dos reservatórios equivalentes... 4 2 - Tendência

Leia mais

Análise PLD 4ª semana operativa de dezembro

Análise PLD 4ª semana operativa de dezembro 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 38,73 125,16 97,36 7,28 29,42 135,43 166,69 145,9 263,7 24,8 227,4 212,32 22,87 149,49 134,33 11,1 14,15 395,73 387,24 369,39 688,88 www.ccee.org.br Nº 221 4ª semana de embro/15

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Março 2017 Semana Operativa de 04/03/2017 a 10/03/2017

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Março 2017 Semana Operativa de 04/03/2017 a 10/03/2017 Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Março 2017 Semana Operativa de 04/03/2017 a 10/03/2017 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 25/02 a 03/03/2017,

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de novembro

Análise PLD 2ª semana operativa de novembro www.ccee.org.br Nº 215 2ª semana de novembro/15 8 1 8 O InfoPLD é uma publicação semanal que traz uma análise dos fatores que influenciam na formação do Preço de Liquidação das Diferenças - PLD, calculado

Leia mais

Perspectivas do Mercado de Energia

Perspectivas do Mercado de Energia Perspectivas do Mercado de Energia Tractebel Energia GDF SUEZ - todos os direitos reservados Março de 2014 1 Conjuntura do Sistema 2 Recordes de demanda mensal de energia elétrica... Fev/14 68.500 61.106

Leia mais

Análise PLD 4ª semana operativa de maio

Análise PLD 4ª semana operativa de maio 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 38,73 125,16 97,36 7,28 29,42 35,66 3,42 37,73 49,42 135,43 86,45 8,39 74,51 73,31 166,69 263,6 287,2 395,73 689,25 www.ccee.org.br Nº 243 4ª semana de o/216 8 1 8 O InfoPLD

Leia mais

Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro

Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro 15 de Agosto de 2016 Boletim de conjuntura do setor elétrico brasileiro A energia elétrica é insumo essencial à indústria, podendo representar até 40% dos custos de produção em setores eletrointensivos.

Leia mais

Análise PLD 3ª semana operativa de maio

Análise PLD 3ª semana operativa de maio 125,16 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,7 287,2 24,8 145,9 227,4 212,32 22,87 116,8 35,66 3,42 37,73 49,42 86,45 8,39 74,51 395,73 387,24 369,39 688,88 www.ccee.org.br

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 02/01/2016 a 08/01/2016

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 02/01/2016 a 08/01/2016 Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 02/01/2016 a 08/01/2016 1. APRESENTAÇÃO Findo o primeiro bimestre do período chuvoso nas regiões Norte, Nordeste

Leia mais

Energia Natural Afluente Chuvas

Energia Natural Afluente Chuvas A estimativa de afluência (chuvas) para ao mês de março continua com vazões abaixo da média histórica (MLT) em todo o país. O índice de Energia Natural Afluente ENA esperado para o Sudeste/Centro-Oeste

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 09/01/2016 a 15/01/2016

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 09/01/2016 a 15/01/2016 Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2016 Semana Operativa de 09/01/2016 a 15/01/2016 1. APRESENTAÇÃO No início da semana de 02 a 08/01/2015, ocorreu chuva fraca nas bacias

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL DEZ.2014

INFORMATIVO MENSAL DEZ.2014 INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 8, PLD Médio /214 8 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 7, 7 6, 6 5, 4, 3, 2, 1,, MÉDIA SEMANA 1 29/ a 5/ NORTE SEMANA 2 6/ a 12/ SEMANA 3 13/ a 19/

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de fevereiro

Análise PLD 2ª semana operativa de fevereiro 125,16 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,6 94,28 35,66 3,42 37,73 49,42 75,93 61,32 83,43 115,58 149,2 2,21 166,5 122,19 121,44 1,64 111,91 287,2 395,73 689,25 www.ccee.org.br

Leia mais

Nº 003 Março/ Nº de usinas

Nº 003 Março/ Nº de usinas Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e geração das usinas, tendo como referência a contabilização

Leia mais

PMO de Novembro Semana Operativa de 28/10/2017 a 03/11/2017

PMO de Novembro Semana Operativa de 28/10/2017 a 03/11/2017 1. APRESENTAÇÃO Na primeira quinzena de outubro ocorreu chuva fraca a moderada nas bacias dos subsistemas Sul e Sudeste/Centro-Oeste. Na quarta semana do mês ocorreram totais elevados de precipitação nas

Leia mais

Análise PLD 4ª semana operativa de abril

Análise PLD 4ª semana operativa de abril 1,16 37,61 13, 19,3 8,9 67,31 97,36 13,43 38,73 7,8 9,4 166,69 63,6 94,1 3,66 3,4 37,73 49,4 7,93 61,3 83,43 11,8 149,,1 166, 1,19 11,44 18,43 16,4 87, 39,73 46,1 36,68 3,66 331,1 689, www.ccee.org.br

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL MAR.2014

INFORMATIVO MENSAL MAR.2014 INFORMATIVO MENSAL.214 Preço de Liquidação das Diferenças 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, PLD Médio /214 PLD TETO 822,83 7 6 5 4 3 2 PLD Médio Anual - Seco x Úmido 1,, MÉDIA SEMANA 1 1/ a 7/ NORTE SEMANA 2 8/

Leia mais

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017

Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético. Maio de 2017 Superando as Barreiras Regulatórias para Comercialização de Eletricidade pelas Usinas do Setor Sucroenergético Maio de 2017 Instabilidade do preço-teto nos leilões O preço teto para a fonte biomassa tem

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2017 Semana Operativa de 07 a 13/01/2017

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2017 Semana Operativa de 07 a 13/01/2017 Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Janeiro 2017 Semana Operativa de 07 a 13/01/2017 1. APRESENTAÇÃO No início da semana de 31/12/2016

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro 2016 Semana Operativa de 03/12/2016 a 09/12/2016

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro 2016 Semana Operativa de 03/12/2016 a 09/12/2016 Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Dezembro 2016 Semana Operativa de 03/12/2016 a 09/12/2016 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 26/11 a 02/12/2016 ocorreu precipitação nas bacias hidrográficas

Leia mais

RELATÓRIO SEMANAL SEMANA DE 21 a 27 outubro 2017

RELATÓRIO SEMANAL SEMANA DE 21 a 27 outubro 2017 RELATÓRIO SEMANAL SEMANA DE 21 a 27 outubro 217 Custo Marginal da Operação CMO X PREÇO TÉRMICA R$1.2 R$1. R$8 R$ 86,45 R$6 R$4 R$2 R$ * O CMO (Custo Marginal da Operação), o seu valor nada mais é que a

Leia mais

ANÁLISE REGULATÓRIA EXCELÊNCIA ENERGÉTICA

ANÁLISE REGULATÓRIA EXCELÊNCIA ENERGÉTICA HÁ RISCO DE RACIONAMENTO? O título desta análise é a pergunta mais frequente neste início de 2013, e o objetivo deste artigo é aprofundar a discussão em busca de uma resposta. Desde setembro de 2012 há

Leia mais

Análise PLD 2ª semana operativa de janeiro

Análise PLD 2ª semana operativa de janeiro 125,16 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,7 287,2 24,8,9,4 212,32 22,87 116,8 5,59 46,2 395,73,48,48,48,48 387,24,39 688,88 www.ccee.org.br Nº 223 2ª semana de janeiro/16

Leia mais

Workshop: Smart Grids e Redes em Desenvolvimento Intermédio: Problemas Técnicos e Questões Regulatórias Vitor L. de Matos, D. Eng.

Workshop: Smart Grids e Redes em Desenvolvimento Intermédio: Problemas Técnicos e Questões Regulatórias Vitor L. de Matos, D. Eng. Workshop: Smart Grids e Redes em Desenvolvimento Intermédio: Problemas Técnicos e Questões Regulatórias Vitor L. de Matos, D. Eng. VII Conferência Anual da RELOP Praia, Cabo Verde 04 e 05/09/2014 Workshop:

Leia mais

Análise PLD 3ª semana operativa de março

Análise PLD 3ª semana operativa de março 12,16 37,61 13,2 19,3 28,9 67,31 97,36 13,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,6 287,2 94,1 3,66 3,42 37,73 49,42 7,93 61,32 83,43 11,8 149,2 2,21 166, 122,19 121,44 128,43 184,49 18,6 238, 39,73 689,2 www.ccee.org.br

Leia mais

Análise PLD 1ª semana operativa de fevereiro

Análise PLD 1ª semana operativa de fevereiro A 125,16 395,73 37,61 13,25 19,03 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 70,28 29,42,69 263,06 689,25 287,20 94,28 35,66 30,42 37,73 49,42 75,93 61,32 83,43 115,58 149,02,21,05,19 121,44,64 www.ccee.org.br Nº

Leia mais

Obrigado! Consultoria em Energia

Obrigado! Consultoria em Energia Obrigado! Marcos Guimarães Consultoria em Energia Pedro Kurbhi Agenda 1 - Eficiência Energética x Gestão Contratual 2 - Pontos Críticos na Gestão de Energia 3- A Demanda 4 - O Consumo 5- Reativos 6 - A

Leia mais

BIOELETRICIDADE: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS. Zilmar José de Souza

BIOELETRICIDADE: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS. Zilmar José de Souza BIOELETRICIDADE: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Zilmar José de Souza Câmara Consultiva do Açúcar e Etanol na BM&F-Bovespa São Paulo - 9 de setembro de 2014 Bioeletricidade: capacidade instalada (em MW)

Leia mais

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL

OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL OPHEN ACOMPANHAMENTO DIÁRIO DA OPERAÇÃO HIDROENERGÉTICA DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL 13/04/2009 INTRODUÇÃO O Acompanhamento Diário da Operação Hidroenergética tem como objetivo apresentar a situação

Leia mais

Análise PLD 1ª semana operativa de agosto

Análise PLD 1ª semana operativa de agosto a 125,16 395,73 37,61 13,25 19,3 28,95 67,31 97,36 135,43 38,73 7,28 29,42 166,69 263,6 689,25 287,2 35,66 3,42 37,73,42 75,93 61,32 83,43 117,58 www.ccee.org.br Nº 253 1ª semana de agosto/216 8 1 8 O

Leia mais

ÍNDICE. 1 Definições Gerais Objetivo Fluxo das Regras de Comercialização...4

ÍNDICE. 1 Definições Gerais Objetivo Fluxo das Regras de Comercialização...4 a REGRAS DE COMERCIALIZAÇÃO DETERMINAÇÃO DO PREÇO DE LIQUIDAÇÃO DAS DIFERENÇAS (PL) Versão 2008 Resolução Normativa ANEEL n 293/2007 Resolução Normativa CNPE n 8/2007 Resolução Normativa ANEEL n 306/2008

Leia mais

Overview do Setor Elétrico

Overview do Setor Elétrico 000 6 de julho de 2017 Overview do Setor Elétrico Histórico dos Níveis dos Reservatórios A ocorrência de elevado volume de chuvas na região Sul durante a 1ª quinzena de junho/17 possibilitou a recuperação

Leia mais

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5

42,6 42,0 43,0 40,0 40,3 29,0 30,1 23,4 28,7 27,7 19,5 29,4 23,1 20,5 ET RV1 % Armazenamento ET RV1 1.1 ARMAZENAMENTO HITÓRICO DO ITEMA INTEGRADO NACIONAL 60 40 20 56,8 55,7 54,8 53,5 50,2 48,0 42,3 44,5 42,9 38,5 40,4 42,6 42,0 43,0 40,0 34,9 37,0 38,1 40,3 34,4 35,7 29,0

Leia mais

Balanço Energético. Versão 1.0

Balanço Energético. Versão 1.0 ÍNDICE BALANÇO ENERGÉTICO 4 1. Introdução 4 1.1. Lista de Termos 6 1.2. Conceitos Básicos 7 2. Detalhamento do Cálculo do 10 2.1. Cálculo do 10 2 Controle de Alterações Revisão Motivo da Revisão Instrumento

Leia mais

AGENDA SEMANAL. 3ª Semana de Agosto/2017 COMPARATIVO

AGENDA SEMANAL. 3ª Semana de Agosto/2017 COMPARATIVO AGENDA SEMANAL www.eige.com.br 3ª Semana de Agosto/2017 RESUMO CLIMÁTICO: Na semana de 05 a 11/08/2017 ocorreu, apenas, chuvisco nas bacias dos rios Jacuí e Uruguai. Para o início da semana de 12 a 18/08/2017

Leia mais

Junho Obs.: O detalhamento por classe de consumo será informado na Resenha de Mercado da EPE do mês de julho/17.

Junho Obs.: O detalhamento por classe de consumo será informado na Resenha de Mercado da EPE do mês de julho/17. 1. EVOLUÇÃO DA CARGA NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL E SUBSISTEMAS 1.1. Sistema Interligado Nacional A carga de energia do SIN verificada em junho/17 apresenta acréscimo de 1,5% em relação ao valor verificado

Leia mais

Avaliação das Condições do Atendimento Eletroenergético do SIN em 2014 e Visão para Hermes Chipp Diretor Geral

Avaliação das Condições do Atendimento Eletroenergético do SIN em 2014 e Visão para Hermes Chipp Diretor Geral Avaliação das Condições do Atendimento Eletroenergético do SIN em 2014 e Visão para 2015 Hermes Chipp Diretor Geral FGV Rio de Janeiro, 02/06/2014 1 Visão de Curto Prazo Avaliação das Condições Meteorológicas

Leia mais

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas Nº de usinas www.cceorg.br Nº 008 Agosto/2014 0 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia

Leia mais

AS OPORTUNIDADES E OS PRODUTOS DO MERCADO LIVRE. Felipe Barroso

AS OPORTUNIDADES E OS PRODUTOS DO MERCADO LIVRE. Felipe Barroso AS OPORTUNIDADES E OS PRODUTOS DO MERCADO LIVRE Felipe Barroso AGENDA CARACTERÍSTICAS DO MERCADO LIVRE ESPECIAL MONITORAMENTO DAS VARIÁVEIS DE FORMAÇÃO DOS PREÇOS APETITE AO RISCO EXPECTATIVA DE PREÇOS

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Em 2014, de acordo com a International Renewable Energy Agency (IRENA), a fonte biomassa apresentou 80.227

Leia mais

A bioeletricidade e o setor sucroenergético brasileiro: oportunidades e desafios

A bioeletricidade e o setor sucroenergético brasileiro: oportunidades e desafios A bioeletricidade e o setor sucroenergético brasileiro: oportunidades e desafios Zilmar Souza 5ª Edição do CampetroEnergy Bioeletricidade Campinas SP 29 de novembro de 2016 Geração da biomassa em 2014

Leia mais

Elbia Melo Presidente Executiva

Elbia Melo Presidente Executiva Elbia Melo Presidente Executiva QUEM SOMOS A ABEEólica Associação Brasileira de Energia Eólica congrega, em todo o Brasil, contando com 94 empresas pertencentes à cadeia produtiva direcionada à produção

Leia mais

O Mercado Livre de Energia Elétrica

O Mercado Livre de Energia Elétrica O Mercado Livre de Energia Elétrica Conjuntura atual do setor elétrico, seus impactos na indústria e perspectivas futuras. Campetro Energy Novembro de 2015 Sumário 1. Institucional Grupo Votorantim e Votorantim

Leia mais

3 Mercado Brasileiro de Energia Elétrica

3 Mercado Brasileiro de Energia Elétrica 24 3 Mercado Brasileiro de Energia Elétrica Algumas características e mecanismos do mercado de energia elétrica brasileiro precisam ser compreendidos para realizar a análise proposta neste estudo. Especialmente,

Leia mais

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Abril 2016 Semana Operativa de 26/03/2016 a 01/04/2016

Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Abril 2016 Semana Operativa de 26/03/2016 a 01/04/2016 % EARmáx Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Relatório Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Abril 2016 Semana Operativa de 26/03/2016 a 01/04/2016 1. APRESENTAÇÃO Durante o mês

Leia mais

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica

Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Perspectivas do Setor de Energia Elétrica Palestra Apimec RJ 19/set/2011 Leonardo Lima Gomes Agenda 1. Visão Geral do Setor 2. Mercado de Energia Elétrica 3. Perspectivas Desenvolvimento Mercado 4. Perspectivas

Leia mais

Resultados 3T16 Novembro, 2016

Resultados 3T16 Novembro, 2016 Resultados Novembro, 2016 Hidrologia e Reservatórios Redução da afluência do SIN no para 86,5% da MLT 1 na comparação com o 3T15 e nível dos reservatórios ficaram em 38,3% Preço de Energia Expectativa

Leia mais

Boletim das Usinas Eólicas

Boletim das Usinas Eólicas www.ccee.org.br Nº Abril/ O Boletim das Usinas Eólicas é uma publicação mensal que apresenta os resultados consolidados de geração, garantia física e capacidade instalada das usinas eólicas cadastradas

Leia mais

Operação do SIN. PEA3496 Prof. Marco Saidel

Operação do SIN. PEA3496 Prof. Marco Saidel Operação do SIN PEA3496 Prof. Marco Saidel SIN: Sistema Interligado Nacional Sistema hidrotérmico de grande porte Predominância de usinas hidrelétricas Regiões (subsistemas): Sul, Sudeste/Centro-Oeste,

Leia mais

XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil. A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro. 15 de agosto de 2012

XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil. A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro. 15 de agosto de 2012 XIII Fórum Nacional de Energia e Meio Ambiente no Brasil A atuação da CCEE como operadora do mercado brasileiro 15 de agosto de 2012 Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação 1. APRESENTAÇÃO Na semana de 10 a 16 de agosto, conforme a previsão, a atuação de duas frentes frias e de áreas de instabilidade voltou a ocasionar precipitação

Leia mais

IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Contratação no ACL e no ACR. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração

IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Contratação no ACL e no ACR. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração IV Simpósio Jurídico das Empresas do Setor Elétrico Contratação no ACL e no ACR Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração Março de 2012 Agentes na CCEE Fevereiro 2012 1800 1650

Leia mais

3. O Setor Elétrico Brasileiro (SEB)

3. O Setor Elétrico Brasileiro (SEB) 3. O Setor Elétrico Brasileiro (SEB) Até 1995, o Setor Elétrico Brasileiro era formado por empresas verticalizadas, predominantemente estatais, detentoras das atividades de geração, transmissão e distribuição

Leia mais

Recado ao Leitor. Destaques do mês. TRADE ENERGY MERCADO EM FOCO Novembro de 2011 PÁGINA 1

Recado ao Leitor. Destaques do mês. TRADE ENERGY MERCADO EM FOCO Novembro de 2011 PÁGINA 1 Recado ao Leitor Caros amigos: Entre os dias 19 e 21 de Outubro a Trade Energy participou da Feira Powergrid Brasil 2011 que foi realizada no Centro de Eventos Cau Hansen em Joinville-SC. Durante a feira,

Leia mais

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 www.cceorg.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e

Leia mais

VANTAGENS DA GERAÇÃO HÍBRIDA FOTOVOLTAICA E HIDRELÉTRICA NO BRASIL II CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA SOLAR

VANTAGENS DA GERAÇÃO HÍBRIDA FOTOVOLTAICA E HIDRELÉTRICA NO BRASIL II CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA SOLAR VANTAGENS DA GERAÇÃO HÍBRIDA FOTOVOLTAICA E HIDRELÉTRICA NO BRASIL II CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA SOLAR São Paulo, 17 de Maio de 2017 1 GERAÇÃO HÍBRIDA FOTOVOLTAICA E HIDRELÉTRICA VANTAGENS E PERPECTIVAS

Leia mais

Destaque do Mês: A Recontabilização e O Risco de Mercado

Destaque do Mês: A Recontabilização e O Risco de Mercado Recado ao Leitor Neste segundo número do Mercado em Foco, queremos de início agradecer a boa recepção de nossos clientes e amigos ao nosso informativo mensal. Seguimos apresentando as condições operativas

Leia mais

A Competitividade do Carvão Mineral Nacional na Produção de Energia Elétrica

A Competitividade do Carvão Mineral Nacional na Produção de Energia Elétrica A Competitividade do Carvão Mineral Nacional na Produção de Energia Elétrica Associação Brasileira do Carvão Mineral Rio de Janeiro 18 de maio de 2009 Agenda Motivação Balanço Energético SIN Matriz Energética

Leia mais

Recado ao Leitor. Destaques do Mês. Prezados amigos,

Recado ao Leitor. Destaques do Mês. Prezados amigos, Recado ao Leitor Prezados amigos, O Mercado em Foco de setembro traz, ao lado das informações correntes sobre a condição do sistema eletroenergético e notícias sobre o que ocorre no setor, os resultados

Leia mais

AGENDA SEMANAL. 4ª Semana de setembro/2017 COMPARATIVO

AGENDA SEMANAL. 4ª Semana de setembro/2017 COMPARATIVO AGENDA SEMANAL 4ª Semana de setembro/2017 RESUMO CLIMÁTICO: Na semana de 09 a 15/09/2017 a atuação de duas frentes frias na região Sul, uma no início da semana e a outra no final, ocasionou apenas chuva

Leia mais

Resolução CNPE nº 03/2013

Resolução CNPE nº 03/2013 Resolução CNPE nº 03/2013 Agenda 1) Resolução CNPE nº 03 2) Cálculo do PLD F exemplo ilustrativo (simplificado) 3) Cálculo do PLD 1 e PLD F - primeira semana operativa de abril de 2013 A Resolução CNPE

Leia mais

Boletim das Usinas Eólicas

Boletim das Usinas Eólicas www.ccee.org.br Nº 2 Março/2 O Boletim das Usinas Eólicas é uma publicação mensal que apresenta os resultados consolidados de geração, garantia física e capacidade instalada das usinas eólicas cadastradas

Leia mais

Mercado de Energia Elétrica e Formação de Preços

Mercado de Energia Elétrica e Formação de Preços Mercado de Energia Elétrica e Formação de Preços Gustavo Arfux Agenda Principais aspectos da comercialização de energia no mercado livre A cadeia de modelos matemáticos de planejamento e operação Formação

Leia mais

Ministério de Minas e Energia SECRETARIA DE ENERGIA ELÉTRICA DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA ELÉTRICO. Dezembro 2014

Ministério de Minas e Energia SECRETARIA DE ENERGIA ELÉTRICA DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA ELÉTRICO. Dezembro 2014 Secretaria de Energia MINISTÉRIO Elétrica Departamento DE MINAS de Monitoramento E ENERGIA do Sistema Elétrico SECRETARIA DE ENERGIA ELÉTRICA DEPARTAMENTO DE MONITORAMENTO DO SISTEMA ELÉTRICO Dezembro

Leia mais

AGENDA SEMANAL. 2ª Semana de outubro/2017 COMPARATIVO

AGENDA SEMANAL. 2ª Semana de outubro/2017 COMPARATIVO AGENDA SEMANAL 2ª Semana de outubro/2017 RESUMO CLIMÁTICO: Na semana operativa de 30/09 a 06/10/2017 ocorreu precipitação nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai, Iguaçu, Paranapanema, Tietê, Grande, Paranaíba,

Leia mais

Resultados 2016 Março, 2017

Resultados 2016 Março, 2017 Resultados Março, 2017 Hidrologia e Reservatórios Redução da afluência no SIN em (86,7% da MLT 1 vs. 89,4% em 2015) com maior nível dos reservatórios em 31,7% em vs. 29,4% em 2015 Destaques $ Preço de

Leia mais

BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ

BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ BOLETIM CLIMÁTICO SOBRE A PRIMAVERA NO ESTADO DO PARANÁ Data da previsão: 22/09/15 Duração da Primavera: 23/09/15 (05h20) a 22/12/2015 (01h48 não ajustado ao horário de verão) Características climáticas

Leia mais

A bioeletricidade no setor sucroenergético

A bioeletricidade no setor sucroenergético A bioeletricidade no setor sucroenergético Zilmar Souza Bioeletricidade Audiência Pública Comissão de Serviços de Infraestrutura Senado Federal Brasília DF 22 de agosto de 2016 Sobre a UNICA http://www.unica.com.br/

Leia mais

MERCADO FOTOVOLTAICO. Análise de Viabilidade. Onde estão as melhores oportunidades do setor fotovoltaico?

MERCADO FOTOVOLTAICO. Análise de Viabilidade. Onde estão as melhores oportunidades do setor fotovoltaico? MERCADO FOTOVOLTAICO Análise de Viabilidade. Onde estão as melhores oportunidades do setor fotovoltaico? Palestrantes Márcio Takata - Engenheiro Eletricista pela Escola Politécnica da USP, MBA INSPER,

Leia mais

Submódulo 5.6. Consolidação da previsão de carga para a elaboração do Programa Mensal da Operação Energética

Submódulo 5.6. Consolidação da previsão de carga para a elaboração do Programa Mensal da Operação Energética Submódulo 5.6 Consolidação da previsão de carga para a elaboração do Programa Mensal da Operação Energética Rev. Nº. 1.1 2016.12 Motivo da revisão Atendimento à Resolução Normativa ANEEL nº 376/09, de

Leia mais

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação

Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação PMO de Novembro Semana Operativa de 29/10/2016 a 04/11/2016 1. APRESENTAÇÃO Nas segunda, terceira e quarta semanas do mês de outubro ocorreram totais elevados

Leia mais

FÓRUM E MOSTRA TECNOLÓGICA ÁGUA E ENERGIA.

FÓRUM E MOSTRA TECNOLÓGICA ÁGUA E ENERGIA. FÓRUM E MOSTRA TECNOLÓGICA ÁGUA E ENERGIA Sandra Carneiro ANÁLISE TÉCNICA E ECONÔMICA COMPARATIVA DE FONTES DE ENERGIA Vitória (ES), Junho de 2017. Sandra Carneiro PEDRO PACHECO BACHETI 2013 2014 2015

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa pouco mais de 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia

Leia mais

Treinamento Metodologias de Projeção do PLD. São Paulo junho de 2016

Treinamento Metodologias de Projeção do PLD. São Paulo junho de 2016 Treinamento Metodologias de Projeção do PLD São Paulo junho de 6 Agenda Processo de Cálculo do CMO/PLD Metodologias de Projeção de CMO/PLD Principais Premissas para um Estudo de Projeção Projeção de PLD

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA

PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA Manoel Zaroni Torres São Paulo, 30 de Março de 2016 1 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 PIB: histórico x projeção 7,6%

Leia mais

Expectativas Relacionadas às Políticas Governamentais e Incentivos Fiscais para as Térmicas à Biomassa

Expectativas Relacionadas às Políticas Governamentais e Incentivos Fiscais para as Térmicas à Biomassa Expectativas Relacionadas às Políticas Governamentais e Incentivos Fiscais para as Térmicas à Biomassa Zilmar José de Souza Planejamento Termelétrico Brasileiro Rio de Janeiro RJ 11 de abril de 2012 A

Leia mais

AGENDA SEMANAL. 3ª Semana de Junho/2017 COMPARATIVO

AGENDA SEMANAL. 3ª Semana de Junho/2017 COMPARATIVO AGENDA SEMANAL 3ª Semana de Junho/2017 RESUMO CLIMÁTICO: No início da semana de 03 a 09/06/2017 ocorreu chuva fraca a moderada nas bacias dos rios Uruguai, Iguaçu, Paranapanema e Tietê, e no trecho incremental

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS ABRIL DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS ABRIL DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS ABRIL DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa já representa quase 10% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração

11 de abril de Paulo Born Conselho de Administração Operações do Mercado de Energia Evolução e Perspectiva Seminário FIEPE 11 de abril de 2013 Paulo Born Conselho de Administração Agenda Visão Geral do Mercado de Energia Governança e Ambientes de Comercialização

Leia mais