DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I"

Transcrição

1 WORKSHOP DE DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I Maurício Lamartine PETROBRAS 1

2 Sumário O Empreendimento da Refinaria Premium I (Refinaria, Faixa de Dutos, Terminal e Berços atracação) Demandas de bens e serviços para o Empreendimento Como os Fornecedores se inserem no Empreendimento? Serviços das Etapas Principais do Empreendimento Serviços Gerais Demandas Indiretas para o Empreendimento 2

3 O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I 3

4 4

5 5

6 6

7 7

8 8

9 9

10 DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I 10

11 COMO OS FORNECEDORES SE INSEREM NO EMPREENDIMENTO? 11

12 OS FORNECEDORES SE INSEREM NO EMPREENDIMENTO: Por licitação pela Petrobras Por contratação por empresa prestadora de serviço para a Petrobras Por atendimento à elevação da atividade econômica local, decorrente do empreendimento 12

13 SERVIÇOS DAS ETAPAS PRINCIPAIS DOS EMPREENDIMENTOS: Preparação dos Terrenos Infra-estrutura para as Obras Instalações Primárias Construção e Montagem ( Berços e Unid.) 13

14 PREPARAÇÃO DOS TERRENOS Terraplenagem: Levantamentos aerofotogramétricos Sondagens e investigações geotécnicas Supressão da vegetação Cercas e guaritas Acessos preliminares Movimentação de terras 14

15 E X E M P L O 15

16 E X E M P L O 16

17 E X E M P L O 17

18 INFRA-ESTRUTURA PARA AS OBRAS Principais Serviços: Redes de Águas e efluentes Redes de transmissão e distribuição Subestações Arruamentos e drenagens Telecomunicações e informática 18

19 E X E M P L O 19

20 INSTALAÇÕES PRIMÁRIAS Principais Serviços: Canteiros de Obras Refeitórios e postos médicos Oficinas e almoxarifados 20

21 E X E M P L O 21

22 CONSTRUÇÃO E MONTAGEM DE BERÇOS DE ATRACAÇÃO E UNIDADES INDUSTRIAIS Principais Serviços: Geotecnia, Fundações, Dragages, Pier(s) Estrut. de concreto e metálicas Instalação de equipamentos Montagem de tubulação Montagem eletromecânica/instrum. Revestimentos e pintura Isolamento térmico 22

23 E X E M P L O 23

24 E X E M P L O 24

25 E X E M P L O 25

26 E X E M P L O 26

27 E X E M P L O 27

28 E X E M P L O 28

29 E X E M P L O 29

30 SERVIÇOS GERAIS Produção gráfica, editorial, foto e vídeo Produção jornalística Assessoria de imprensa Vigilância e segurança empresarial Conservação e limpeza Lavanderia Movimentação e armazenagem de cargas Locação de equipamentos, veículos, contêineres 30

31 DEMANDAS INDIRETAS PARA OS EMPREENDIMENTOS Infra-estrutura Insumos Serviços Equipamentos 31

32 DEMANDAS INDIRETAS Infra-estrutura Saúde e educação Habitação e lazer Hotelaria e turismo Vias (rodovias e ferrovias) Transportes (passageiros e cargas) Abastecimento (gêneros alimentícios, medicamentos, material escolar e para escritórios etc) 32

33 DEMANDAS INDIRETAS Insumos Areia, cimento e brita Concreto e pré-moldados Cabos e conexões Tubulação, acessórios e conexões Elétrica e iluminação Hidráulica e saneamento Pintura e revestimento Formas e escoras Andaimes 33

34 DEMANDAS INDIRETAS Serviços Telecomunicações e informática Manutenção de equipamentos e veículos Calibração, ensaios e testes Laboratoriais 34

35 DEMANDAS INDIRETAS Equipamentos Ferramentas EPI e uniformes Instrumentos Equipamentos: de soldagem, de corte, de movimentação de carga, de usinagem, de preparação de superfícies, de pintura geradores... 35

36 OBRIGADO! 36

Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades

Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades RAIMUNDO LUTIF Gerente Estruturação Negócio Fortaleza Ceará Fortaleza, 13 / setembro/ 2011. 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões

Leia mais

2013 2014 2015 2016 2017 J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J 01/07

2013 2014 2015 2016 2017 J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J 01/07 ESTALEIRO EISA ALAGOAS S.A. - CRONOGRMA DE CONSTRUÇÃO 45,96 meses 1 LICENÇA AMBIENTAL 29,51 meses 1.1 LICENÇA PRÉVIA 0 meses 1.2 LICENÇA DE INSTALAÇÃO 5,33 meses 1.2.1 PROJETOS EXECUTIVOS 4 meses 1.2.2

Leia mais

CONSÓRCIO ETDI RNEST

CONSÓRCIO ETDI RNEST CONSÓRCIO ETDI RNEST O CONSÓRCIO ETDI - RNEST O Consórcio é formado por duas empresas: EGESA Engenharia: Com forte atuação no mercado de construção civil pesada, com obras nos mais diversos estados brasileiros,

Leia mais

Custos Totais de Implantação do Empreendimento PLANILHA 01 AEROPORTO

Custos Totais de Implantação do Empreendimento PLANILHA 01 AEROPORTO Custos Totais de Implantação do PLANILHA 01 AEROPORTO 1. Custo de aquisição do terreno, reassentamentos (com toda infraestrutura) e outras ações de caráter indenizatório. 2. Estudos ambientais 3. Projetos

Leia mais

Pesquisa Anual da Indústria da Construção IBGE. Data: 22/maio/2014

Pesquisa Anual da Indústria da Construção IBGE. Data: 22/maio/2014 Pesquisa Anual da Indústria da Construção Paic IBGE Data: 22/maio/2014 APRESENTAÇÃO A Pesquisa Anual da Indústria da Construção (Paic) se insere na missão institucional do IBGE, mensurando e delineando

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS E VIAS URBANAS: TERRAPLENAGEM. a conformação do relevo terrestre para implantação de obras de engenharia.

CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS E VIAS URBANAS: TERRAPLENAGEM. a conformação do relevo terrestre para implantação de obras de engenharia. CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS E VIAS URBANAS: TERRAPLENAGEM Objetivo: a conformação do relevo terrestre para implantação de obras de engenharia. Terraplenagem mecanizada: requer grandes investimentos em equipamentos

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamentos

Desoneração da Folha de Pagamentos Desoneração da Folha de Pagamentos Legislação Constituição Federal Art. 195, 12 e 13 Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991 Art. 22, inciso I e III Lei nº 12.546, de 14 de dezembro de 2011 Como isso funciona

Leia mais

Autor: Alexandre Marques Andrade Lemos

Autor: Alexandre Marques Andrade Lemos TABELA PRÁTICA DE RETENÇÃO DE INSS DOS OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL NAS ATIVIDADES DE CONSTRUÇÃO CIVIL Autor: Alexandre Marques Andrade Lemos Atualizada até 20 de outubro de 2014 (É proibida a reprodução

Leia mais

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA CONCEITO DE AVALIAÇÃO CHECK LIST 1. MEMORIAL SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NAS NOTA MÉDIA FINAL: 6,71NOTA MÉDIA FINAL: 4,82NOTA MÉDIA FINAL: 8,97 ATIVIDADES E OPERAÇÕES a) O memorial contempla

Leia mais

A Desoneração tributária na Construção Civil

A Desoneração tributária na Construção Civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 06 abril de 2014 Organização:

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil Canteiro

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RAS ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação Razão Social CNPJ Telefone Nome CPF

Leia mais

Qualidade e Segurança em Locação de Equipamentos. Geradores l Compactadores l Plataformas Aéreas l Balancins l Andaimes. www.plmaquinas.com.

Qualidade e Segurança em Locação de Equipamentos. Geradores l Compactadores l Plataformas Aéreas l Balancins l Andaimes. www.plmaquinas.com. Qualidade e Segurança em Locação de Equipamentos Geradores l Compactadores l Plataformas Aéreas l Balancins l Andaimes www.plmaquinas.com.br Andaime Tubular Equipamento leve e econômico que destina-se

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS CIVIS PERÍODO OUTUBRO DE 2015

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS CIVIS PERÍODO OUTUBRO DE 2015 PERÍODO OUTUBRO DE 2015 Andamento das Obras Execução dos barracões e Mobilização de canteiro de obras quantidade a executar 70% - quantidade acumulada ao final do período 70%; Durante o período executaremos

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

2.4.0 TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E SERVIÇOS RELACIONADOS

2.4.0 TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E SERVIÇOS RELACIONADOS Listagem Categorias Criticas Portugal Esta é a listagem de categorias de produto/serviço consideradas criticas pelas empresas que compõem a omunidade RePro em Portugal. Caso tenha inscrito ou pretenda

Leia mais

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015/1 SELEÇÃO PARA CURSOS TECNICOS SUBSEQUENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015/1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM AGRIMENSURA Aprovado

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA

PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA TABELA REFERÊNCIA DE PREÇOS 1. DIMENSIONAMENTO DE CUSTOS DE OBRAS E INSTALAÇÕES DA GARAGEM Par0a o dimensionamento dos custos de Obras e Instalações de Garagem foram adotados os seguintes parâmetros baseados

Leia mais

ANEXO VII DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. (Conforme Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE)

ANEXO VII DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. (Conforme Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE) 41 - CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 41.2 - CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS ANEXO VII DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 41.20-4 CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS (Conforme Classificação Nacional de Atividades

Leia mais

PERFIL E DEMANDA DAS EMPRESAS COMPRADORAS GRANDE RODADA DE NEGÓCIOS FORIND NE 2012

PERFIL E DEMANDA DAS EMPRESAS COMPRADORAS GRANDE RODADA DE NEGÓCIOS FORIND NE 2012 RAZÃO SOCIAL: ACIGUA ARTEFATOS DE CIMENTO LTDA. NOME FANTASIA: ACIGUA 100 CARGOS DOS PARTICIPANTES DOS ENCONTROS: SUPERVISOR DE COMPRAS; COMPRADOR. SEGMENTO: FABRICAÇÃO DE PRÉ MOLDADOS PEÇAS: ROLAMENTOS,

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01 25 de março de 2010

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01 25 de março de 2010 ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01 25 de março de 2010 Dispõe sobre a retenção das contribuições previdenciárias sobre os contratos de obra de construção civil por empreitada total. Orientação Técnica nº 01, 1ª

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como considerar o campo Tributação de uma NFS-e para serviços prestados fora do país 02/10/14

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como considerar o campo Tributação de uma NFS-e para serviços prestados fora do país 02/10/14 serviços prestados fora do país 02/10/14 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 2.1 Lei Complementar 116 de 2003... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Lei

Leia mais

1957 nasce a Tejofran 1975 foi adquirida pelos atuais sócios Atualmente possui mais de 14000 colaboradores Está dividida em 10 áreas de negócios Um

1957 nasce a Tejofran 1975 foi adquirida pelos atuais sócios Atualmente possui mais de 14000 colaboradores Está dividida em 10 áreas de negócios Um 1957 nasce a Tejofran 1975 foi adquirida pelos atuais sócios Atualmente possui mais de 14000 colaboradores Está dividida em 10 áreas de negócios Um dos maiores grupos de terceirização de serviços especializados

Leia mais

GESTÃO NO CANTEIRO DE OBRAS

GESTÃO NO CANTEIRO DE OBRAS 25/09/2012 GESTÃO NO CANTEIRO DE OBRAS ENG O. LEONARDO MENDES LEAL DA PAIXÃO AGENDA Definição. Fase de Planejamento. FasesOperacionais. a) Fase de Implantação; b) Fase Funcional; c) Fase de Desmontagems

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA Objetivo do Curso

TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA Objetivo do Curso I MÓDULO I TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA Objetivo do Curso Habilitar e qualificar profissionais para desenvolver atividades de projeto, especificação, instalação, montagem e manutenção de sistemas eletromecânicos

Leia mais

Edição 134 -Setembro/2012

Edição 134 -Setembro/2012 Edição 134 -Setembro/2012 Produção organizada Planejamento da obra requer projeto detalhado do canteiro e levantamento completo das informações acerca de equipamentos, materiais e perfil das equipes que

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015

USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015 USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015 O EMPREENDIMENTO LOCALIZAÇÃO POTÊNCIA MUNICÍPIOS RIO BACIA HIDROGRÁFICA TURBINAS POTÊNCIA INSTALADA Itaúba/MT (Margem Esquerda

Leia mais

Serviços Contratados Urbanismo, Arquitetura e Artes Visuais Obras Civis, Hidráulica, Saneamento e Ecologia Construção e Reformas Civil CONSTRUçãO

Serviços Contratados Urbanismo, Arquitetura e Artes Visuais Obras Civis, Hidráulica, Saneamento e Ecologia Construção e Reformas Civil CONSTRUçãO Urbanismo, Arquitetura e Artes Visuais Obras Civis, Hidráulica, Saneamento e Ecologia Construção e Reformas Civil CONSTRUçãO CIVIL Construção Civil até 200m2 Construção Civil de 201m2 até 1000m2 Construção

Leia mais

TABELA DAS ATIVIDADES SUJEITA A DESONERAÇÃO (Antes da MP 612/2013) - Elaborada por Daniel Pinheiro

TABELA DAS ATIVIDADES SUJEITA A DESONERAÇÃO (Antes da MP 612/2013) - Elaborada por Daniel Pinheiro TABELA DAS ATIVIDADES SUJEITA A DESONERAÇÃO (Antes da MP 612/2013) - Elaborada por Daniel Pinheiro Prestação de Serviços e Comércio varejista Início Atividade de indústria Início TI e TIC exclusivamente:

Leia mais

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS

SERVIÇO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE OURO PRETO SEMAE-OP CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº. 01/2007 ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS CARGO: 100 ADMINISTRADOR ANEXO I ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS Reportar-se ao Diretor de Gestão, de quem recebe orientação e supervisão; Redigir documentos e ter domínio de ferramentas de informática; Efetuar

Leia mais

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 A cidade de Cajazeiras, localizada no estado da Paraíba (PB), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros de obras que

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html Novos Cursos O SENAI criou 40 novos cursos a distância, sendo 10 cursos

Leia mais

EXECUÇÃO DE INFRA ESTRUTURA PARA UNIDADE DE RECUPERAÇÃO DE ENXOFRE NA PETRÓLEO BRASILEIRO S.A PETROBRAS UNIDADE PAULÍNIA

EXECUÇÃO DE INFRA ESTRUTURA PARA UNIDADE DE RECUPERAÇÃO DE ENXOFRE NA PETRÓLEO BRASILEIRO S.A PETROBRAS UNIDADE PAULÍNIA EXECUÇÃO DE INFRA ESTRUTURA PARA UNIDADE DE RECUPERAÇÃO DE ENXOFRE NA PETRÓLEO BRASILEIRO S.A PETROBRAS UNIDADE PAULÍNIA Marcelo Telles Kalybatas LOGOTIP DA EMPRESA 1 A Silcon Drilling foi fundada com

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS O canteiro de obras Introdução Sistema de produção Em muitos casos de obras de construção e montagem o canteiro de obras pode ser comparado a uma fábrica

Leia mais

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área 1.2 Destinação dos resíduos 1.3 Efluente 2.0 Paiol 2.1 Limpeza da área 2.2 Destinação dos resíduos 3.0 Aterro sanitário 3.1 Organização da área 3.2 Pátio de estoque Acúmulo

Leia mais

C o n s t r u t o r a

C o n s t r u t o r a C o n s t r u t o r a Trabalhamos em todo território nacional, com equipes qualificadas, supervisão diária, trazendo qualidade, preço, prazo e excelência em sua obra. Clientes Principais Serviços Projetos

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Parede de Concreto 29/04/2015 1 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA OBJETIVO - reduzir o déficit habitacional 2009 MCMV Início do Programa 2010 MCMV I 1.000.000 de unid. contratadas 2011/14 MCMV II 2.400.000

Leia mais

Programa Estadual de Contratações Públicas Sustentáveis

Programa Estadual de Contratações Públicas Sustentáveis Programa Estadual de Contratações Públicas Sustentáveis Brasília, 05 de dezembro de 2013 SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Poder de Compra do Governo Valor Médio Anual Negociado

Leia mais

O texto que segue foi extraído do nosso curso sobre a Legislação Tributária Municipal de São Paulo, disponível em PDF no site da Editora Ferreira.

O texto que segue foi extraído do nosso curso sobre a Legislação Tributária Municipal de São Paulo, disponível em PDF no site da Editora Ferreira. Olá, galera do ISS-SP! O texto que segue foi extraído do nosso curso sobre a Legislação Tributária Municipal de São Paulo, disponível em PDF no site da Editora Ferreira. Um forte abraço. Ricardo Ferreira

Leia mais

ESTRUTURA L va v ntando o s s pain i éis i s que c ontém

ESTRUTURA L va v ntando o s s pain i éis i s que c ontém O PVC E O SISTEMA ROYAL É leve (1,4 g/cm3), o que facilita seu manuseio e aplicação; Resistente à ação de fungos, bactérias, insetos e roedores; Resistente à maioria dos reagentes químicos; Bom isolante

Leia mais

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto.

Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. Bairro Novo: Sistema Construtivo em Paredes de Concreto. 1 Escolha do Sistema Construtivo Sistema construtivo com foco nas seguintes características: Alta produtividade Baixo custo de construção Redução

Leia mais

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível SEMINÁRIO JURÍDICO-FISCAL E WORKSHOP TÉCNICO DA 4 a RODADA DE LICITAÇÕES DA ANP CAPACIDADE Clique para editar NACIONAL os estilos do texto DA mestre CADEIA Segundo DE nível SUPRIMENTO PARA PETRÓLEO E GÁS

Leia mais

Consórcio CONDUTO EGESA. Forças que se unem para gerar resultados.

Consórcio CONDUTO EGESA. Forças que se unem para gerar resultados. Consórcio CONDUTO EGESA Forças que se unem para gerar resultados. EMPRESAS: Forças que se unem para gerar resultados. EMPRESA: CONDUTO Empresa de capital Alemão pertencente ao Grupo PDB, presente na América

Leia mais

PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO PORTO DE NATAL

PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO PORTO DE NATAL PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO PORTO DE NATAL CONSTRUÇÃO DO BERÇO Nº 04 DO PORTO DE NATAL, ATRACADOURO PARA PESCA ARTESANAL E SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA COLISÕES DOS PILARES CENTRAIS DA PONTE NEWTON NAVARRO ATRAVÉS

Leia mais

CONEL CONEL Construções e Engenharia LTDA

CONEL CONEL Construções e Engenharia LTDA CONEL CONEL Construções e Engenharia LTDA http://www.conelengenharia.com.br 10-11-2015 1 A EMPRESA A CONEL ENGENHARIA é uma empresa fundada em 2004, cujo SGI Sistema de Gestão Integrada é Certificado nas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Meio Ambiente Anexo I a que se refere o Art. 2º, da Resolução do COEMA nº 107, de 08 de março de 2013. TIPOLOGIA SUB-TIPOLOGIA CONDIÇÃO ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável do Brasil INDICAR NESTE QUADRO EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA. APROVAÇÃO T.E Nome Rubrica Nome Rubrica E DIREX

Desenvolvimento Sustentável do Brasil INDICAR NESTE QUADRO EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA. APROVAÇÃO T.E Nome Rubrica Nome Rubrica E DIREX Nº Fls.: 01/16 INDICAR NESTE QUADRO EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA Rev/ Rev/ Fls. 01 02 0 04 05 06 07 08 09 Fls. 01 02 0 04 05 06 07 08 09 01 16 02 17 0 18 04 19 05 20 06 21 07 22 08 2 09 24 10 25 11 26

Leia mais

P R O J E T O D E P E S Q U IS A IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título: Projeto de Portos no Amazonas. Aluno Pesquisador:Ricardo Almeida Sanches

P R O J E T O D E P E S Q U IS A IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO. Título: Projeto de Portos no Amazonas. Aluno Pesquisador:Ricardo Almeida Sanches P R O J E T O D E P E S Q U IS A IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título: Projeto de Portos no Amazonas Aluno Pesquisador:Ricardo Almeida Sanches Curso: Engenharia Civil Duração: fevereiro de 2008 a junho de 2008

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO (-) RESULTADO LIQUIDO DO PERIODO R$ (1.530.403,65) (-) RESULTADO OPERACIONAL R$ (2.277.862,58) RECEITA OPERACIONAL R$ 14.478.475,92 RECEITA BRUTA R$ 16.039.707,46 RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO R$ 7.649.244,47

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 1 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Desenvolver e aplicar os conceitos de

Leia mais

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261

ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 ESPAÇO CORPORATIVO SILVA BUENO - CSB 261 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS PERÍODO DEZEMBRO DE 2014 Estrutura de Concreto: Conclusão do 9º pavimento 100% executado; Conclusão do 10º pavimento Barrilete,

Leia mais

INSS, IRRF e Obrigações Fiscais Texto 10

INSS, IRRF e Obrigações Fiscais Texto 10 Não incidência de retenção de INSS na contratação de pessoas jurídicas, nas. A retenção de contribuição previdenciária a alíquota de 11% quando o órgão público contrata uma pessoa jurídica para lhe prestar

Leia mais

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC PLANO DE OUTORGA ANEXO V CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES E APARELHAMENTO Abril/2014 Sumário

Leia mais

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ Código/Área de Estudo. Desenho Técnico, Desenho Assistido por Computador (CAD), Informática 02. Materiais para Construção Mecânica, Corrosão e Tribologia 03. Termodinâmica, Refrigeração, Transferência

Leia mais

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 A cidade de Campo Grande, localizada no estado do Rio Grande do Norte (RN), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros

Leia mais

AÇÕES, PROGRAMAS E PROJETOS

AÇÕES, PROGRAMAS E PROJETOS 1 de 6 Estudos e Projetos para infraestrutura portuária - Nacional Estudos e Planejamento para o Setor Portuário - Nacional Elaboração de Estudos de viabilidade econômica para construção de um cais com

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga

Comparativo da Despesa Paga Conselho Regional de Medicina Veterinária de MS CN: 03.981.172/0001-81 Comparativo da Paga Período: 01/01/2014 a 31/12/2014 CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 4.933.457,03 2.276.488,44 DESPESAS CORRENTES 3.390.110,50

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 NOVEMBRO/2012 1) CURSOS OFERTADOS: Automação Industrial Eletrônica Eletrotécnica* Informática Informática para Internet* Mecânica* Química* Segurança do Trabalho* * Cursos

Leia mais

Números da Acidentalidade Relacionada aos Transtornos Mentais e Comportamentais na Indústria da Construção 2007 a 2014

Números da Acidentalidade Relacionada aos Transtornos Mentais e Comportamentais na Indústria da Construção 2007 a 2014 Números da Acidentalidade Relacionada aos Transtornos Mentais e Comportamentais na Indústria da Construção 2007 a 2014 1 Lista C Anexo do Decreto n 3048/99, que regulamenta a Previdência Social Descrição:

Leia mais

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR Fone: (81) 3355-9011 GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR Orientação Técnica n 03/2013 Assunto: Dispensa da retenção previdenciária referente à contratação de

Leia mais

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO.

Introdução ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. ENERGIA ELÉTRICA: GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO. Introdução A energia elétrica que alimenta as indústrias, comércio e nossos lares é gerada principalmente em usinas hidrelétricas, onde a passagem

Leia mais

Lei Complementar nº 116/2003 que dispõe sobre o ISS com alterações propostas pelo PLC nº 386

Lei Complementar nº 116/2003 que dispõe sobre o ISS com alterações propostas pelo PLC nº 386 Lei Complementar nº 116/2003 que dispõe sobre o ISS com alterações propostas pelo PLC nº 386 Art. 1º O Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, de competência dos Municípios e do Distrito Federal,

Leia mais

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia 4 1 INTRODUÇÃO Esse relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas pelo acadêmico Joel Rubens da Silva Filho no período do estágio obrigatório para conclusão do curso de Engenharia

Leia mais

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Fevereiro/2015. Mão-de-Obra

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Fevereiro/2015. Mão-de-Obra Direta MOD000050 Agente Operador de Tráfego h 11,37 MOD000100 Agente Operador de Tráfego Sênior h 13,81 MOD000150 Ajudante de instalação e manutenção de equipamentos (Caldeira, Gerador, Subestação, Redes,

Leia mais

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I CONTRATO N.º ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO DO RESIDENCIAL SANTA MÔNICA A INFRAESTRUTURA DE IMPLANTAÇÃO DO LOTEAMENTO RESIDENCIAL SANTA MONICA OBEDECERÁ

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA CIVIL

ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA CIVIL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENADORIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO ESTRUTURA CURRICULAR DA ENGENHARIA

Leia mais

RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE DRA. VALÉRIA DE SOUZA TELLES

RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE DRA. VALÉRIA DE SOUZA TELLES RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE CESSÃO DE MÃO-DE-OBRA DRA. VALÉRIA DE SOUZA TELLES CONCEITOS CESSÃO DE MÃO-DE-OBRA Colocação à disposição da contratante Em suas dependências ou nas de terceiros indicadas

Leia mais

COORDENAÇÃO DE CURSO DE ENGENHARIA CIVIL - 1º PERÍODO 2015.1. Segunda-Feira Terça-Feira Quarta-Feira Quinta-Feira Sexta-Feira. 09901-5 A / B Física 1

COORDENAÇÃO DE CURSO DE ENGENHARIA CIVIL - 1º PERÍODO 2015.1. Segunda-Feira Terça-Feira Quarta-Feira Quinta-Feira Sexta-Feira. 09901-5 A / B Física 1 COORDENAÇÃO DE CURSO DE ENGENHARIA CIVIL - 1º PERÍODO 2015.1 08910-9 C / D Cálculo 1 06216-2 A / B Leitura e Produção de Textos para Civil 09901-5 A / B 1 08111-6 C / D Geometria Analítica 08910-9 C /

Leia mais

Construção de Edifícios 20,34% 22,12% 25,00% Construção de Rodovias e Ferrovias 19,60% 20,97% 24,23%

Construção de Edifícios 20,34% 22,12% 25,00% Construção de Rodovias e Ferrovias 19,60% 20,97% 24,23% CE 001/2013 GIDURCX Senhor Prefeito 1. Em atenção ao estabelecido pelo Acórdão 2622/2013 TCU Plenário indicamos a utilização dos seguintes parâmetros para taxas de BDI: VALORES DE BDI POR TIPO DE OBRA

Leia mais

Vocação para ser líder.

Vocação para ser líder. Vocação para ser líder. Pioneirismo, tradição e inovação: o caminho certo para a liderança. A NM Engenharia preserva uma história de sucesso. Há mais de três décadas, a empresa deu início a suas atividades

Leia mais

PROGRAMA PARAÍBA DE QUALIDADE E CONTROLE TOTAL

PROGRAMA PARAÍBA DE QUALIDADE E CONTROLE TOTAL 22000 SERV TEC-PROF EM OBRAS E SERV ENGENHARIA 22001 TOPOGRAFIA 22002 GEOTECNIA 22003 ESTUDOS E PROJETOS DE ARQUITETURA E URBANISMO 22004 TESTES E ENSAIOS 22005 SERVICOS DE SOLDAGEM E SERRALHARIA 22006

Leia mais

Norma Técnica Interna SABESP NTS 024

Norma Técnica Interna SABESP NTS 024 Norma Técnica Interna SABESP NTS 024 REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Elaboração de Projetos Procedimento São Paulo Maio - 1999 NTS 024 : 1999 Norma Técnica Interna SABESP S U M Á R I O 1 RECOMENDAÇÕES DE

Leia mais

Gerenciamento de Propriedade & Soluções de Engenharia

Gerenciamento de Propriedade & Soluções de Engenharia Gerenciamento de Propriedade & Soluções de Engenharia Há 25 anos, a Engepred associa o conhecimento sobre o mercado imobiliário à experiência de promover o melhor funcionamento de shoppings centers, prédios

Leia mais

URBES TRÂNSITO E TRANSPORTES

URBES TRÂNSITO E TRANSPORTES CADASTRO DE FORNECEDORES RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAMENTO NESTA EMPRESA PÚBLICA, CONFORME ARTIGOS 27 A 31 DA LEI FEDERAL 8.666/93 E SUAS ALTERAÇÕES, EM ATENDIMENTO AO ARTIGO 35 DA REFERIDA

Leia mais

COPASA Águas Minerais de Minas S/A

COPASA Águas Minerais de Minas S/A ANEXO I EDITAL 001/2009 CÓDIGOS/DETALHES DE ESPECIALIDADE DO CARGO DE AGENTE INDUSTRIAL Código: 01 Detalhe de Especialidade: Ajudante de Serviços Faixa Salarial: 1 Salário Base (R$): 465,00 Requisitos

Leia mais

Por tonelada líquida de registro (TLR) de embarcação destinada ao transporte de passageiros, turismo e recreio, na área do Porto Organizado

Por tonelada líquida de registro (TLR) de embarcação destinada ao transporte de passageiros, turismo e recreio, na área do Porto Organizado Tabela I Utilização da Infraestrutura de Acesso Aquaviário (Taxas devidas pelo armador ou agente) No. Espécie Incidência Valor() 1. Carregamento, descarga ou baldeação, por tonelada ou fração 3,73 2. Carregamento,

Leia mais

TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5

TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5 TC042 CONSTRUÇÃO CIVIL IV AULA 5 DURAÇÃO DAS ATIVIDADES Como estimar a duração das atividades ou serviços? Existem duas formas básicas: Determina-se a quantidade de dias e a partir deste parâmetro compõe-se

Leia mais

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Gerente de Relações Institucionais Marcio Mendonça Cruz Revitalização Revitalização da da indústria indústria

Leia mais

ANEXO 4.I DESCOMISSIONAMENTO IGARAPÉ BAHIA. Golder Associates

ANEXO 4.I DESCOMISSIONAMENTO IGARAPÉ BAHIA. Golder Associates ANEXO 4.I DESCOMISSIONAMENTO IGARAPÉ BAHIA DIOC / LEPDM LAECA TÍTULO PROJETO CONCEITUAL FEL 2 DESCOMISSIONAMENTO IGARAPÉ BAHIA ITENS DE INTERESSE PARA O PROJETO ALEMÃO RELATÓRIO Nº VALE PROJETO ALEMÃO

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

O Mapa de Referência sobre o Plano de Contas de Pedido de Apoio Financeiro. Versão (Fevereiro de 2013)

O Mapa de Referência sobre o Plano de Contas de Pedido de Apoio Financeiro. Versão (Fevereiro de 2013) O Mapa de Referência sobre o Plano de Contas de Pedido de Apoio Financeiro Versão (Fevereiro de 2013) Índice 1. O mapa de referência destinado ao ponto 4.1 do impresso Requerimento de Apoio Financeiro

Leia mais

CONSTRUÇÃO METÁLICA MODULAR BENEFÍCIOS

CONSTRUÇÃO METÁLICA MODULAR BENEFÍCIOS 0 CONSTRUÇÃO METÁLICA MODULAR BENEFÍCIOS 1 Redução significativa do tempo de construção: módulos chegam montados prontos para instalação Módulos são fabricados enquanto o local é preparado, minimizando

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA E ACOMPANHAMENTO DE OBRAS

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA E ACOMPANHAMENTO DE OBRAS PRO APAC 2 PLANILHA ORÇAMENTÁRIA E ACOMPANHAMENTO DE OBRAS PLANILHA ORÇAMENTÁRIA (ANEXO VI) APRESENTAÇÃO DE PLANILHAS COM MAIOR DETALHAMENTO POSSÍVEL. NÃO UTILIZAR A UNIDADES GENÉRICAS OU A EXPRESSÃO

Leia mais

Pretendemos por este meio dar a conhecer as áreas de intervenção da nossa empresa, na expectativa do vosso interesse.

Pretendemos por este meio dar a conhecer as áreas de intervenção da nossa empresa, na expectativa do vosso interesse. Energia sem limites Lic. n.º 38549 Amorlux Projectos e Instalações Eléctricas, Lda. Amorlux, Projectos e Instalações Eléctricas, Lda, fundada em 1994, é uma empresa Portuguesa com ampla e reconhecida experiência

Leia mais

MERCADOS DE ATENDIMENTO. construção civil, obras públicas, indústrias, petroquímico, eventos, educação, saúde, agrícola habitação, telecomunicações.

MERCADOS DE ATENDIMENTO. construção civil, obras públicas, indústrias, petroquímico, eventos, educação, saúde, agrícola habitação, telecomunicações. Vídeo Institucional MERCADOS DE ATENDIMENTO construção civil, obras públicas, indústrias, petroquímico, eventos, educação, saúde, agrícola habitação, telecomunicações. NOVOS MERCADOS Defesa, Saúde, Habitacional,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº 073, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 068/2011 DO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS

Leia mais

A AngoBIM é uma empresa de direito Angolano, sedeada em Talatona, que tem como atividade principal o desenvolvimento de projetos de Arquitectura e de

A AngoBIM é uma empresa de direito Angolano, sedeada em Talatona, que tem como atividade principal o desenvolvimento de projetos de Arquitectura e de A AngoBIM é uma empresa de direito Angolano, sedeada em Talatona, que tem como atividade principal o desenvolvimento de projetos de Arquitectura e de Engenharia, bem como Assistência Técnica e Fiscalização

Leia mais

VIMOS SOLICITAR A ANALISE DO PROJETO ARQUITETÔNICO TRATA-SE DE UM CONJUNTO RESIDENCIAL VERTICAL COM AS SEGUINTES CARACTERISTICAS:

VIMOS SOLICITAR A ANALISE DO PROJETO ARQUITETÔNICO TRATA-SE DE UM CONJUNTO RESIDENCIAL VERTICAL COM AS SEGUINTES CARACTERISTICAS: Á PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO EM ANEXO. VIMOS SOLICITAR A ANALISE DO PROJETO ARQUITETÔNICO TRATA-SE DE UM CONJUNTO RESIDENCIAL VERTICAL COM AS SEGUINTES CARACTERISTICAS: - 12 EDIFICIOS COM 10

Leia mais

Instrução de Serviço GETM nº 006, de 4 de setembro de 2015

Instrução de Serviço GETM nº 006, de 4 de setembro de 2015 Instrução de Serviço GETM nº 006, de 4 de setembro de 2015 Interpreta a legislação aplicável e indica as atividades de prestação de serviço cuja mensuração do imposto devido permite reduções da base de

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO FÓRUM TRABALHISTA DO CARIRI TOPOGRAFIA E MOVIMENTO DE TERRA 14/1/2014

CONSTRUÇÃO DO FÓRUM TRABALHISTA DO CARIRI TOPOGRAFIA E MOVIMENTO DE TERRA 14/1/2014 TOPOGRAFIA E MOVIMENTO DE TERRA 1 - Uso da Topografia para Locação da Obra 2 - Corte terreno natural para terraplenagem 3 - Marcação pontos topográficos terreno 4 - Retirada da camada vegetal 5 - Escavação

Leia mais

CONVOCAÇÃO: Dispensada nos termos do 2º do artigo 71, e do 4º do artigo 124, da Lei nº 6.404/76.

CONVOCAÇÃO: Dispensada nos termos do 2º do artigo 71, e do 4º do artigo 124, da Lei nº 6.404/76. ATA DA SEGUNDA ASSEMBLEIA GERAL DE TITULARES DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS DA 267ª SÉRIE DA 1ª EMISSÃO DA BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO ("CRI"), REALIZADA EM 03 DE JULHO

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

Fluxo de caixa desde Qui 10/2/11 GP5 - Cronograma 201010010

Fluxo de caixa desde Qui 10/2/11 GP5 - Cronograma 201010010 Projeto GP5: Casa Popular Gerenciamento de Projetos 1ª Entrega Project Charter do Projeto Pesquisar sobre o Projeto R$ 7.666,88 R$ 7.666,88 Descrever o Project Charter R$ 573,75 R$ 573,75 Revisar o Project

Leia mais

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento associado 0810-0/03 Extração de mármore e beneficiamento

Leia mais

RESUMO DE ORÇAMENTO POR PREÇO GLOBAL - DUPLICAÇÃO

RESUMO DE ORÇAMENTO POR PREÇO GLOBAL - DUPLICAÇÃO ANEXO III 50612.001705/2008-80 RESUMO DE ORÇAMENTO POR PREÇO GLOBAL - DUPLICAÇÃO DISCRIMINAÇÃO PARCIAL VALOR TOTAL A - EQUIPE TÉCNICA R$ 271.064,61 A.1 - Pessoal de Nível Superior R$ 160.487,94 A.2 - Pessoal

Leia mais

VII Seminário de Combustíveis Salvador, 13 de junho de 2008

VII Seminário de Combustíveis Salvador, 13 de junho de 2008 VII Seminário de Combustíveis Salvador, 13 de junho de 2008 COMPANHIA PETROQUÍMICA DE PERNAMBUCO A PetroquímicaSuape foi criada em 11 de abril de 2006 para produzir ácido tereftálico purificado PTA, com

Leia mais