COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO"

Transcrição

1 COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, COM(2006) 39 final 2006/0011 (COD) Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que estabelece a nomenclatura estatística das actividades económicas NACE Revisão 2 e que altera o Regulamento (CEE) n.º 3037/90 do Conselho, assim como certos regulamentos CE relativos a domínios estatísticos específicos (apresentada pela Comissão) PT PT

2 1) CONTEXTO DA PROPOSTA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS 110 Justificação e objectivos da proposta A nomenclatura estatística das actividades económicas conhecida como NACE Rev. 1 foi estabelecida em 1990 para a harmonização das estatísticas económicas. Propõe-se uma versão revista da NACE que tenha em conta a evolução da economia nos últimos 15 anos e uma revisão importante de outras nomenclaturas internacionais das actividades. 120 Contexto geral Na NACE Rev. 1 foram introduzidas, desde a sua adopção em 1990, algumas alterações de menor importância. A versão revista é motivada pela grande mudança ocorrida na economia desde 1990 e por uma revisão importante das nomenclaturas internacionais das actividades; em resultado disso, a NACE Rev. 2 proposta é mais relevantes no que diz respeito à realidade económica e mais comparável com outras nomenclaturas internacionais. 130 Disposições em vigor no domínio da proposta Regulamento (CEE) n.º 3037/90 do Conselho relativo à nomenclatura estatística das actividades económicas na Comunidade Europeia: estabeleceu a NACE Rev Coerência com outras políticas e objectivos da União Não aplicável. 2) CONSULTA DAS PARTES INTERESSADAS E AVALIAÇÃO DO IMPACTO Consulta das partes interessadas 211 Métodos de consulta, principais sectores visados e perfil geral dos inquiridos Foram lançadas desde 2002 diversas consultas aos institutos de estatística nacionais, assim como a associações empresariais e comerciais europeias, pedindo propostas e modificações da NACE Rev Resumo das respostas e do modo como foram tomadas em consideração Todas as propostas (mais de 2000) foram consideradas e analisadas por grupos de peritos técnicos. Obtenção e utilização de competências especializadas Não houve necessidade de recorrer a peritagem externa. Avaliação do impacto A primeira opção foi rever a NACE de acordo com princípios de relevância para a PT 2 PT

3 realidade económica, comparabilidade com outras nomenclaturas internacionais e continuidade em relação à nomenclatura anterior. A única opção alternativa era não alterar a nomenclatura. Isso teria impedido a comparabilidade das estatísticas com outras economias e a informação estatística não seria adequada às necessidades actuais. 3) ELEMENTOS JURÍDICOS DA PROPOSTA 305 Síntese da acção proposta Estabelecimento de uma nomenclatura revista das actividades económicas e de disposições para a sua aplicação nos inquéritos estatísticos correntes. 310 Base jurídica N.º 1 do artigo 285.º do Tratado CE. 329 Princípio da subsidiariedade A proposta é da competência exclusiva da Comunidade. O princípio da subsidiariedade não é, pois, aplicável. Princípio da proporcionalidade A proposta respeita o princípio da proporcionalidade pelas razões a seguir indicadas O regulamento proposto inclui uma disposição que permite aos Estados-Membros estabelecer uma nomenclatura estatística nacional coerente com a NACE, permitindolhes reponder às necessidades específicas da respectiva economia nacional. A presente proposta é uma posição de equilíbrio entre o nível de pormenor solicitado pelos principais utilizadores e a carga de trabalho dos institutos de estatística. Escolha dos instrumentos Instrumentos propostos: Regulamento.. Outros meios não seriam adequados pela seguinte razão. O regulamento proposto altera regulamentos já existentes. 4) IMPLICAÇÃO ORÇAMENTAL 409 A proposta não tem quaisquer consequências para o orçamento comunitário. 5) INFORMAÇÕES ADICIONAIS Cláusulas de reexame/revisão/caducidade 532 A proposta inclui uma cláusula de revisão no n.º 5 do artigo 4.º. PT 3 PT

4 60 Espaço Económico Europeu O acto proposto incide em matérias respeitantes ao EEE, pelo que o seu âmbito deve ser alargado ao Espaço Económico Europeu. E-1992 PT 4 PT

5 2006/0011 (COD) Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que estabelece a nomenclatura estatística das actividades económicas NACE Revisão 2 e que altera o Regulamento (CEE) n.º 3037/90 do Conselho, assim como certos regulamentos CE relativos a domínios estatísticos específicos (Texto relevante para efeitos do EEE) O PARLAMENTO EUROPEU E O CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA, Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia, nomeadamente o n.º 1 do artigo 285.º, Tendo em conta a proposta da Comissão 1, Deliberando nos termos do procedimento previsto no artigo 251.º do Tratado, Considerando o seguinte: (1) O Regulamento (CEE) n.º 3037/90 do Conselho, de 9 de Outubro de 1990, estabeleceu a nomenclatura estatística das actividades económicas na Comunidade Europeia 2 (adiante referida como NACE Rev. 1 ). (2) Para reflectir a evolução tecnológica e as mudanças estruturais da economia, deveria estabelecer-se uma nomenclatura actualizada, a designar por NACE Revisão 2 (adiante referida como "NACE Rev. 2"). (3) Uma nomenclatura actualizada como a NACE Rev. 2 é central para os actuais esforços da Comissão no sentido de examinar as estatísticas comunitárias; espera-se conseguir, através de dados mais comparáveis e relevantes, uma melhor governação económica a nível nacional e da CE. (4) O funcionamento do mercado interno exige normas estatísticas aplicáveis à recolha, transmissão e publicação de estatísticas nacionais e comunitárias, de modo a que as empresas, as instituições financeiras, as administrações públicas e todos os outros operadores do mercado único possam dispor de dados estatísticos fiáveis e comparáveis. Para isso, é vital que as várias categorias da nomenclatura das actividades na Comunidade Europeia sejam interpretadas uniformemente em todos os Estados-Membros. 1 2 JO C de, p.. JO L 293 de , p. 1. Regulamento com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CE) n.º 1882/2003 do Parlamento Europeu e do Conselho (JO L 284 de , p. 1). PT 5 PT

6 (5) As empresas precisam de estatísticas fiáveis e comparáveis para poderem avaliar a sua competitividade e tais estatísticas são úteis para as instituições comunitárias na prevenção de distorções da concorrência. (6) O estabelecimento de uma nomenclatura estatística comum revista das actividades económicas não obriga, por si só, os Estados-Membros a recolher, publicar ou fornecer dados. Só a utilização, pelos Estados-Membros, de nomenclaturas de actividades relacionadas com a nomenclatura comunitária permitirá fornecer uma informação integrada com a fiabilidade, a rapidez, a flexibilidade e o nível de pormenor exigidos para a gestão do mercado interno. (7) É conveniente prever a possibilidade de os Estados-Membros introduzirem nas suas nomenclaturas nacionais categorias suplementares baseadas na nomenclatura estatística das actividades económicas das Comunidades Europeias, para dar resposta a necessidades nacionais. (8) A comparabilidade internacional das estatísticas económicas exige que os Estados-Membros e as instituições comunitárias utilizem nomenclaturas das actividades económicas que estejam directamente ligadas à Classificação Internacional Tipo por Actividade (CITA) Rev. 4, tal como adoptada pela Comissão de Estatística das Nações Unidas 3. (9) A utilização da nomenclatura das actividades económicas na Comunidade exige que a Comissão seja assistida pelo Comité do Programa Estatístico criado pela Decisão 89/382/CEE, EURATOM 4 do Conselho nomeadamente no que respeita ao exame dos problemas resultantes da aplicação da NACE Rev. 2, à transição sem problemas da NACE Rev. 1 para a NACE Rev. 2 e à integração de alterações à NACE Rev. 2. (10) O Regulamento (CEE) n.º 2186/93 do Conselho, de 22 de Julho de 1993, estabeleceu um quadro comum para a criação de ficheiros estatísticos de empresas, com harmonização das definições, características, âmbito e procedimentos de actualização 5. (11) A criação de uma nomenclatura estatística das actividades económicas revista implica que se alterem, especificamente, as referências à NACE Rev. 1 e alguns instrumentos relevantes. É, por conseguinte, necessário alterar o Regulamento (CEE) n.º 3037/90, assim como o Regulamento (CEE) n.º 3924/91 do Conselho, de 19 de Dezembro de 1991, relativo à criação de um inquérito comunitário sobre a produção industrial 6, o Regulamento (CE, Euratom) n. 58/97 do Conselho, de 20 de Dezembro de 1996, relativo às estatísticas estruturais das empresas 7, o Regulamento (CE) n. 1165/98 do Conselho, de 19 de Maio de 1998, relativo a estatísticas conjunturais 8, o Regulamento (CE) n. 1172/98 do Conselho, de 25 de Maio de 1998, relativo ao levantamento JO L 181 de , p. 47. JO L 196 de , p. 1. Regulamento com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CE) n.º 1882/2003 do Parlamento Europeu e do Conselho (JO L 284 de , p. 1). JO L 374 de , p. 1. JO L 14 de , p. 1. Regulamento com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CE) n.º 1882/2003 do Parlamento Europeu e do Conselho (JO L 284 de , p. 1). JO L 162 de , p. 1. Regulamento com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CE) n.º 1158/2005 do Parlamento Europeu e do Conselho (JO L 191 de , p. 1). PT 6 PT

7 estatístico dos transportes rodoviários de mercadorias 9, o Regulamento (CE) n. 530/1999 do Conselho, de 9 de Março de 1999, relativo às estatísticas sobre a estrutura dos ganhos e dos custos da mão-de-obra 10, o Regulamento (CE) n.º 2150/2002 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 25 de Novembro de 2002, relativo às estatísticas de resíduos 11, o Regulamento (CE) n. 450/2003 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de Fevereiro de 2003, relativo ao índice de custos da mão-deobra 12, o Regulamento (CE) n. 48/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 5 de Dezembro de 2003, relativo à produção anual das estatísticas comunitárias da indústria siderúrgica para os anos de referência de 2003 a , o Regulamento (CE) n. 808/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 21 de Abril de 2004, relativo às estatísticas comunitárias sobre a sociedade da informação 14, e o Regulamento (CE) n. 1552/2005 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 7 de Setembro de 2005, relativo às estatísticas da formação profissional nas empresas 15. (12) Alguns instrumentos comunitários precisam de ser alterados, de acordo com os procedimentos específicos que lhes são aplicáveis, antes da transição para a NACE Rev. 2, nomeadamente: o Regulamento (CEE) n. 2223/96 do Conselho, de 25 de Junho de 1996, relativo ao sistema europeu de contas nacionais e regionais na Comunidade 16 ; o Regulamento (CE) n. 138/ do Parlamento Europeu e do Conselho, de 5 de Dezembro de 2003, sobre as contas económicas da agricultura na Comunidade; o Regulamento (CE) n.º 184/2005 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 12 de Janeiro de 2005, relativo a estatísticas comunitárias sobre a balança de pagamentos, o comércio internacional de serviços e o investimento directo estrangeiro 18. (13) As medidas necessárias à execução do presente regulamento serão aprovadas nos termos da Decisão 1999/468/CE do Conselho, de 28 de Junho de 1999, que fixa as regras de exercício das competências de execução atribuídas à Comissão 19. (14) O Comité do Programa Estatístico foi consultado JO L 163 de , p. 1. Regulamento com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CE) n.º 1882/2003. JO L 63 de , p. 6. Regulamento com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CE) n.º 1882/2003. JO L 332 de , p. 1. JO L 69 de , p. 1. JO L 7 de , p. 1. JO L 143 de , p. 49. JO L 255 de , p. 1. JO L 310 de , p. 1. Regulamento com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CE) n.º 1267/2003 do Parlamento Europeu e do Conselho (JO L 180 de , p. 1). JO L 33 de , p. 1. JO L 35 de , p. 23. JO L 184 de , p. 23. PT 7 PT

8 ADOPTARAM O PRESENTE REGULAMENTO: SECÇÃO 1: DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objecto e âmbito 1. O presente regulamento estabelece a nomenclatura estatística comum das actividades económicas na Comunidade, adiante referida como "NACE Rev. 2", com vista a garantir a relevância no que diz respeito à realidade económica e à comparabilidade entre as nomenclaturas nacionais, comunitárias e internacionais e, por conseguinte, entre as estatísticas nacionais, comunitárias e internacionais. 2. O presente regulamento aplicar-se-á unicamente à utilização da nomenclatura para fins estatísticos. Artigo 2.º 1. A NACE Rev. 2 incluirá: NACE Rev. 2 a) um primeiro nível constituído por rubricas identificadas por um código alfabético (secções), b) um segundo nível constituído por rubricas identificadas por um código numérico com dois dígitos (divisões), c) um terceiro nível constituído por rubricas identificadas por um código numérico com três dígitos (grupos), d) um quarto nível constituído por rubricas identificadas por um código numérico com quatro dígitos (classes). 2. A NACE Rev. 2 é apresentada no Anexo I. Artigo 3.º Utilização da NACE Rev. 2 A Comissão utilizará a NACE Rev. 2 para todas as estatísticas classificadas segundo as actividades económicas. PT 8 PT

9 Artigo 4.º Nomenclaturas nacionais das actividades económicas 1. As estatísticas dos Estados-Membros apresentadas segundo as actividades económicas serão produzidas utilizando a NACE Rev. 2 ou uma nomenclatura nacional dela derivada. 2. A nomenclatura nacional pode introduzir rubricas e níveis suplementares e pode ser utilizada uma codificação diferente. Cada um dos níveis, à excepção do mais alto, será constituído pelas mesmas rubricas que o nível correspondente da NACE Rev. 2 ou por rubricas que constituam uma subdivisão exacta desse nível. 3. Os Estados-Membros comunicarão à Comissão, com vista à sua aprovação e antes de serem publicados, os projectos de textos que definam ou alterem as respectivas nomenclaturas nacionais. A Comissão verificará, no prazo de dois meses, a conformidade desses projectos com o n.º 2 do presente artigo. A Comissão comunicará aos outros Estados-Membros, para informação, a nomenclatura nacional aprovada. As nomenclaturas nacionais dos Estados-Membros incluirão um quadro de correspondência entre as nomenclaturas nacionais e a NACE Rev Em caso de incompatibilidade entre algumas rubricas da NACE Rev. 2 e a estrutura económica nacional, a Comissão pode autorizar o Estado-Membro a utilizar uma agregação de rubricas da NACE Rev. 2 num sector específico. Para obter tal autorização, o Estado-Membro interessado deve fornecer à Comissão toda a informação necessária, a fim de permitir a avaliação do seu pedido. A Comissão decidirá no prazo de três meses. Contudo, não obstante o disposto no n.º 2, essa autorização não permite ao Estado-Membro em questão introduzir na rubrica agregada uma subdivisão diferente da da NACE Rev A Comissão, em colaboração com o Estado-Membro em questão, reverá periodicamente as disposições concedidas ao abrigo do presente artigo, para verificar se se continuam a justificar. Artigo 5.º Actividades da Comissão 1. A Comissão assegurará a difusão, manutenção e promoção da NACE Rev. 2, nomeadamente: a) redigindo, actualizando e publicando notas explicativas da NACE Rev. 2; b) elaborando e publicando orientações para a classificação das unidades estatísticas em conformidade com a NACE Rev. 2; c) publicando quadros de correspondência entre a NACE Rev. 1.1 e a NACE Rev. 2; PT 9 PT

10 d) operando com vista a melhorar a coerência com outras nomenclaturas sociais e económicas. 2. A Comissão adoptará as medidas necessárias para assegurar a execução da NACE Rev. 2. Artigo 6.º Medidas de execução As medidas de execução e actualização da NACE Rev. 2 serão adoptadas de acordo com o procedimento referido no artigo 7.º Essas medidas incluirão: a) alterações à NACE Rev. 2: (i) (ii) no intuito de levar em conta a evolução tecnológica ou económica; no intuito de a alinhar com outras nomenclaturas económicas e sociais; b) decisões exigidas em caso de problemas resultantes da aplicação da NACE Rev. 2, incluindo a afectação das actividades económicas a classes específicas; c) medidas que asseguram a transição sem problemas da NACE Rev. 1.1 para a NACE Rev. 2, nomeadamente no que diz respeito a questões relacionadas com rupturas nas séries cronológicas, incluindo o envio da informação em duplo código e a retrospectividade das séries cronológicas. Artigo 7.º Comitologia 1. A Comissão é assistida pelo Comité do Programa Estatístico, instituído pela Decisão 89/382/CEE, Euratom, adiante designado por «Comité». 2. Sempre que for feita referência ao presente número, são aplicáveis os artigos 4.º e 7.º da Decisão 1999/468/CE, levando em conta as disposições do artigo 8.º da mesma. O prazo previsto no n.º 3 do artigo 4.º da Decisão 1999/468/CE é de três meses. PT 10 PT

11 Artigo 8.º Aplicação da NACE Rev As unidades estatísticas referidas nos ficheiros de empresas, constituídos nos termos do Regulamento (CEE) n.º 2186/93, serão classificadas de acordo com a NACE Rev As estatísticas relativas às actividades económicas realizadas a partir de 1 de Janeiro de 2008 serão produzidas pelos Estados-Membros de acordo com a NACE Rev. 2 ou com uma nomenclatura nacional dela derivada nos termos do artigo O disposto no n.º 2 não se aplica à produção das seguintes estatísticas: a) estatísticas das Contas Nacionais ao abrigo do Regulamento (CE) n. 2223/96; b) estatísticas da agricultura ao abrigo do Regulamento (CE) n. 138/2004; c) estatísticas relativas à balança de pagamentos, comércio internacional de serviços e investimento directo estrangeiro ao abrigo do Regulamento (CE) n. 184/2005. SECÇÃO II: ALTERAÇÕES A ACTOS CONEXOS Artigo 9.º Alterações ao Regulamento (CEE) n.º 3037/90 relativo à nomenclatura estatística das actividades económicas No Regulamento (CEE) n. 3037/90 são suprimidos os artigos 3.º, 10.º e 12.º Artigo 10.º Alterações ao Regulamento (CEE) n.º 3924/91 relativo à criação de um inquérito comunitário sobre a produção industrial O Regulamento (CEE) n. 3924/91 é alterado do seguinte modo: 1. A designação "NACE Rev. 1" é substituída por "NACE Rev. 2" em todo o texto. 2. No artigo 2.º, o n.º 1 passa a ter a seguinte redacção: 1. O âmbito do inquérito referido no artigo 1. abrange as actividades enumeradas nas secções B e C da Nomenclatura das Actividades Económicas na Comunidade Europeia (NACE Rev. 2)." PT 11 PT

12 Artigo 11.º Alterações ao Regulamento (CE, Euratom) n.º 58/97 relativo às estatísticas estruturais das empresas O Regulamento (CE, Euratom) n.º 58/97 é alterado do seguinte modo: 1. A designação "NACE Rev. 1" é substituída por "NACE Rev. 2" em todo o texto e anexos, com excepção da Secção 10 Relatórios e estudos-piloto do Anexo 1, da Secção 5 Primeiro ano de referência do Anexo 3 e da Secção 9 Relatórios e estudos-piloto do Anexo 3, onde a referência à "NACE Rev. 1" se mantém. 2. No artigo 3.º, o n.º 1 passa a ter a seguinte redacção: 1. O presente regulamento abrange todas as actividades económicas enumeradas nas secções B a N e P a S da Nomenclatura Estatística das Actividades Económicas na Comunidade Europeia (NACE Rev. 2). 3. Os anexos são alterados em conformidade com o Anexo II do presente regulamento. Artigo 12.º Alterações ao Regulamento (CE) n. 1165/98, relativo às estatísticas conjunturais O Regulamento (CE) n. 1165/98 é alterado do seguinte modo: 1. No artigo 2.º, o n.º 1 passa a ter a seguinte redacção: 1. O presente regulamento é aplicável a todas as actividades económicas enumeradas nas secções B a N e P a S da Nomenclatura Estatística das Actividades Económicas na Comunidade Europeia (NACE Rev. 2). 2. No artigo 17.º, é aditado o texto seguinte: "(k) o primeiro ano de base a aplicar para as séries cronológicas na NACE Rev. 2 (l) para as séries cronológicas anteriores a 2009, a transmitir de acordo com a NACE Rev. 2, o nível de pormenor, a forma, o primeiro período de referência e o período de referência" 3. Os anexos do regulamento são alterados em conformidade com o Anexo III do presente regulamento. PT 12 PT

13 Artigo 13.º Alteração ao Regulamento (CE) n.º 1172/98 relativo ao levantamento estatístico dos transportes rodoviários de mercadorias; O Regulamento (CE) n. 1172/98 é alterado do seguinte modo: As designações "NACE Rev. 1" e " NACE Rev. 1.1" são substituídas por "NACE Rev. 2" em todo o texto e nos anexos. Artigo 14.º Alteração ao Regulamento (CE) nº 530/1999 relativo às estatísticas sobre a estrutura dos ganhos e dos custos da mão-de-obra O Regulamento (CE) n. 530/1999 é alterado do seguinte modo: 1. A designação "NACE Rev. 1" é substituída por "NACE Rev. 2" em todo o texto. 2. No artigo 3.º: a) o n.º 1 passa a ter a seguinte redacção: 1. As estatísticas abrangerão todas as actividades económicas definidas nas secções B (Indústrias extractivas), C (Indústrias transformadoras), D (Produção e distribuição de electricidade, gás, vapor e ar frio), E (Captação, tratamento e distribuição de água; saneamento, gestão de resíduos e despoluição), F (Construção), G (Comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos automóveis e motociclos), H (Transportes e armazenagem), I (Actividades de serviços de alojamento e restauração), J (Actividades de informação e comunicação), K (Actividades financeiras e de seguros), L (Actividades imobiliárias), M (Actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares), N (Actividades administrativas e dos serviços de apoio), P (Educação), Q (Saúde humana e acção social), R (Actividades artísticas, de espectáculos e recreativas) e S (Outras actividades de serviços) da nomenclatura estatística das actividades económicas na Comunidade Europeia, adiante referida como 'NACE Rev. 2'." b) é suprimido o nº 2. Artigo 15.º Alteração ao Regulamento (CE) n. 2150/2002 relativo às estatísticas de resíduos O Regulamento (CE) n. 2150/2002 é alterado do seguinte modo: 1. As designações "NACE Rev. 1" e " NACE Rev. 1.1" são substituídas por "NACE Rev. 2" em todo o texto e nos anexos. PT 13 PT

14 2. O Anexo 1 é alterado em conformidade com o Anexo IV do presente regulamento. Artigo 16.º Alteração ao Regulamento (CE) n. 450/2003 relativo ao índice de custos da mão-de-obra O Regulamento (CE) n. 450/2003 é alterado do seguinte modo: 1. A designação "NACE Rev. 1" é substituída por "NACE Rev. 2" em todo o texto. 2. O artigo 3.º passa a ter a seguinte redacção: Artigo 3.º - Âmbito de aplicação 1. O presente regulamento aplica-se a todas as actividades definidas nas secções B a S da NACE Rev A inclusão das actividades económicas definidas nas secções O a S da NACE Rev. 2 no âmbito do presente regulamento é determinada nos termos do n. 2 do artigo 12., tendo em conta os estudos de viabilidade previstos no artigo O artigo 5.º passa a ter a seguinte redacção: "Artigo 5. - Frequência e dados retrospectivos 1. Os dados para o ICM serão compilados pela primeira vez de acordo com a NACE Rev. 2 para o primeiro trimestre de 2009 e, seguidamente, para cada trimestre (terminando em 31 de Março, 30 de Junho, 30 de Setembro e 31 de Dezembro de cada ano). 2. Os dados retrospectivos desde o primeiro trimestre de 2000 até ao quarto trimestre de 2008 serão disponibilizados pelos Estados-Membros. Os dados retrospectivos serão fornecidos para cada uma das secções B a N da NACE Rev. 2 e para as variáveis do custo da mão-de-obra mencionadas no n.º 1 do artigo 4.º" 4. No artigo 6.º, o n.º 3 passa a ter a seguinte redacção: 3. Os dados retrospectivos referidos no artigo 5.º devem ser transmitidos à Comissão (Eurostat) em simultâneo com o ICM relativo ao primeiro trimestre de A alínea c) do artigo 11.º passa a ter a seguinte redacção: "(c) a inclusão das secções O a S da NACE Rev. 2 (artigo 3. ); " PT 14 PT

15 Artigo 17.º Alteração ao Regulamento (CE) n. 48/2004 relativo à produção anual das estatísticas comunitárias da indústria siderúrgica para os anos de referência de 2003 a 2009 O n.º 1 do artigo 3.º do Regulamento (CE) n. 48/2004 passa a ter a seguinte redacção: O presente regulamento abrange os dados da indústria siderúrgica, que é definida como o grupo 24.1 da nomenclatura estatística das actividades económicas na Comunidade Europeia (NACE Rev. 2)." Artigo 18.º Alteração ao Regulamento (CE) n. 808//2004 relativo às estatísticas comunitárias sobre a sociedade da informação O anexo I do Regulamento (CE) n.º 808/2004 é alterado em conformidade com o anexo V do presente regulamento. Artigo 19.º Alteração ao Regulamento n.º 1552/2005 relativo às estatísticas da formação profissional nas empresas O Regulamento (CE) n. 1552/2005 é alterado do seguinte modo: 1. A designação "NACE Rev. 1.1" é substituída por "NACE Rev. 2" em todo o texto. 2. É suprimido o n.º 2 do artigo 2.º 3. O artigo 4.º passa a ter a seguinte redacção: "Artigo 4. - Âmbito das estatísticas As estatísticas sobre a formação profissional nas empresas abrangerão pelo menos todas as actividades económicas definidas nas secções B a N e R a S da NACE Rev. 2." PT 15 PT

16 SECÇÃO 3: DISPOSIÇÕES FINAIS Artigo 20.º Disposições transitórias Sem prejuízo do n.º 1 do artigo 3.º do Regulamento (CE, Euratom) n. 58/97, os Estados-Membros transmitirão à Comissão as estatísticas estruturais das empresas relativas ao ano civil de 2008 de acordo tanto com a NACE Rev. 1 como com a NACE Rev. 2. A lista de características a transmitir utilizando a nomenclatura da NACE Rev. 1 e os detalhes relativos à produção dos resultados serão decididos nos termos do procedimento estabelecido no artigo 12.º do Regulamento (CE, Euratom) n. 58/97. Artigo 21.º Entrada em vigor 1. O presente regulamento entra em vigor no vigésimo dia seguinte ao da sua publicação no Jornal Oficial da União Europeia. A presente decisão é aplicável a partir de 1 de Janeiro de Por derrogação ao segundo parágrafo do n.º 1, o presente regulamento aplica-se às estatísticas produzidas ao abrigo do Regulamento (CE) n.º 1165/98 e ao índice do custo da mão-de-obra ao abrigo do Regulamento (CE) n.º 450/2003 a partir de 1 de Janeiro de 2009, para as estatísticas relativas às actividades económicas realizadas de 1 de Janeiro de 2009 em diante. O presente regulamento é obrigatório em todos os seus elementos e directamente aplicável em todos os Estados-Membros. Feito em Bruxelas, em [ ] Pelo Parlamento Europeu O Presidente Pelo Conselho O Presidente PT 16 PT

17 Divisão Grupo Classe A ANEXO I NACE Rev. 2 n.e. : não especificados SECÇÃO A - AGRICULTURA, FLORESTA E PESCA * parte de CITA Rev Produção vegetal e animal, caça e actividades dos serviços relacionados 01.1 Culturas temporáriass Cerealicultura (excepto arroz), leguminosas e sementes 0111 oleaginosas Cultura de arroz Cultura de produtos hortícolas e melões, raízes e 0113 tubérculos Cultura de cana-de-açúcar Cultura de tabaco Cultura de plantas têxteis Outras culturas temporárias Culturas permanentes Viticultura Cultura de frutos tropicais e subtropicais Cultura de citrinos Cultura de pomóideas e de prunóideas Cultura de outros frutos (incluindo de casca rija) em 0125 árvores e arbustos Cultura de frutos oleaginosos Cultura de plantas destinadas à preparação de bebidas Culturas de especiariase de plantas 0128 aromáticasmedicinais e farmacêuticas Outras cultiras permanentes Propagação de plantas Propagação de plantas Produção animal Criação de bovinos para produção de leite 0141* Criação de outros bovinos (excepto para a produção de 0141* leite) e búfalos Criação de equinos, asininos e muares Criação de camelos e outros camelídeos Criação de ovinos e caprinos Suinicultura Avicultura Outra produção animal Produção agrícola e animal combinadas Produção agrícola e animal combinadas 0150 PT 17 PT

18 01.6 Actividades dos serviços relacionados com agricultura e produção animal Actividades dos serviços relacionados com a 0161 agricultura Actividades dos serviços relacionados com a produção 0162 animal Actividades pós-colheita Tratamento de sementes para propagação Caça, repovoamento cinegético e actividades dos serviços relacionados Caça, repovoamento cinegético e actividades dos serviços relacionados Silvicultura e exploração florestal 02.1 Silvicultura e outras actividades florestais Silvicultura e outras actividades florestais Exploração florestal Exploração florestal Extracção de cortiça, resina e apanha de outros produtos florestais, excepto madeira Extracção de cortiça, resina e apanha de outros produtos florestais, excepto madeira Serviços de apoio à silvicultura e à exploração florestal Serviços de apoio à silvicultura e à exploração florestal Pesca e aquacultura 03.1 Pesca Pesca marítima Pesca em água doce Aquacultura Aquacultura em águas salgadas e salobras Aquacultura em água doce 0322 SECÇÃO B - INDÚSTRIAS EXTRACTIVAS 05 Extracção de carvão e lenhito 05.1 Extracção de hulha Extracção de hulha Extracção de lenhito Extracção de lenhito Extracção de petróleo bruto e de gás natural PT 18 PT

19 06.1 Extracção de petróleo bruto Extracção de petróleo bruto Extracção de gás natural Extracção de gás natural Extracção e preparação de minérios metálicos 07.1 Extracção e preparação de minérios de ferro Extracção e preparação de minérios de ferro Extracção e preparação de minérios metálicos não-ferrosos Extracção de minérios de urânio e de tório Extracção e preparação de outros minérios metálicos 0729 não-ferrosos 08 Outras indústrias extractivas toro 08.1 Extracção de pedra, areia e argila Extracção de rochas ornamentais e de outras pedras de construção, calcário, gesso, cré e ardósia Extracção de saibro, areia e pedra britada; extracção de argilas e caulino 0810* 0810* 08.9 Indústrias extractivas, n.e Extracção de minerais para a indústria química e para a 0891 fabricação de adubos Extracção e aglomeração de turfa Extracção de sal Outras indústrias extractivas, n.e Actividades de serviços de apoio às indústrias extractivas 09.1 Actividades de apoio à extracção de petróleo e de gás natural Actividades de apoio à extracção de petróleo e de gás natural Actividades de apoio a outras indústrias extractivas Actividades de apoio a outras indústrias extractivas 0990 SECÇÃO C INDÚSTRIAS TRANSFORMADORAS 10 Indústrias alimentares PT 19 PT

20 10.1 Abate de animais, preparação e conservação de carne e de produtos à base de carne Abate de gado (produção de carne) 1010* Abate de aves (produção de carne) 1010* Fabricação de produtos à base de carne 1010* 10.2 Preparação e conservação de peixes, crustáceos e moluscos Preparação e conservação de peixes, crustáceos e moluscos Preparação e conservação de frutos e de produtos hortícolas Preparação e conservação de batatas 1030* Fabricação de sumos de frutos e de produtos hortícolas 1030* Preparação e conservação de frutos e de produtos 1030* hortícolas, n.e Produção de óleos e gorduras animais e vegetais Produção de óleos e gorduras 1040* Fabricação de margarinas e de gorduras alimentares similares 1040* 10.5 Indústria de lacticínios Indústrias do leite e derivados 1050* Fabricação de gelados e sorvetes 1050* 10.6 Transformação de cereais e leguminosas; fabricação de amidos, féculas e produtos afins Transformação de cereais e leguminosas Fabricação de amidos, féculas e produtos afins Fabricação de produtos de padaria e outros produtos à base de farinha Panificação e pastelaria fresca 1071* Fabricação de bolachas, biscoitos, tostas e pastelaria de 1071* conservação Fabricação de massas alimentícias, cuscuz e similares Fabricação de outros produtos alimentares Indústria do açúcar Indústria do cacau, do chocolate e dos produtos de 1073 confeitaria Indústria do café e do chá 1079* Fabricação de condimentos e temperos 1079* Fabricação de refeições e pratos pré-cozinhados Fabricação de alimentos homogeneizados e dietéticos 1079* Fabricação de outros produtos alimentares, n.e. 1079* 10.9 Fabricação de alimentos preparados para animais Fabricação de alimentos para animais de criação 1080* PT 20 PT

21 10.92 Fabricação de alimentos para animais de estimação 1080* 11 Indústria das bebidas 11.0 Indústria das bebidas Fabricação de bebidas alcoólicas destiladas; produção 1101 de álcool etílico de fermentação Indústria do vinho 1102* Fabricação de cidra e outras bebidas fermentadas de 1102* frutos Fabricação de vermutes e de outras bebidas 1102* fermentadas não destiladas Fabricação de cerveja 1103* Fabricação de malte 1103* Produção de bebidas refrescantes não alcoólicas; produção de águas minerais e de outras águas engarrafadas Indústria do tabaco 12.0 Indústria do tabaco Indústria do tabaco Fabricação de têxteis 13.1 Preparação e fiação de fibras têxteis Preparação e fiação de fibras têxteis Tecelagem de têxteis Tecelagem de têxteis Acabamento de têxteis Acabamento de têxteis Fabricação de outros têxteis Fabricação de tecidos de malha Fabricação de artigos têxteis confeccionados, excepto 1322 vestuário Fabricação de tapetes e carpetes Fabricação de cordoaria e redes Fabricação de não tecidos e respectivos artigos, 1329* excepto vestuário Fabricação de têxteis para uso técnico e industrial 1329* Fabricação de outros n.e. 1329* 14 Indústria do vestuário 14.1 Confecção de artigos de vestuário, excepto artigos de pele com pêlo Confecção de vestuário em couro 1410* PT 21 PT

22 14.12 Confecção de vestuário de trabalho 1410* Confecção de outro vestuário exterior 1410* Confecção de vestuário interior 1410* Confecção de outros artigos e acessórios de vestuário, 1410* n.e Confecção de artigos de peles com pêlo Confecção de artigos de peles com pêlo Fabricação de artigos de malha Fabricação de meias e similares de malha 1430* Fabricação de outro vestuário de malha 1430* 15 Indústria do couro e dos produtos do couro 15.1 Curtimenta e acabamento de peles sem pêlo; fabricação de artigos de viagem e de uso pessoal, de marroquinaria, de correeiro e de seleiro; curtimenta e acabamento de de peles com pêlo Curtimenta e acabamento de peles sem pêlo e com pêlo Fabricação de artigos de viagem e de uso pessoal, de 1512 marroquinaria, de correeiro e de seleiro 15.2 Indústria de calçado Indústria de calçado Indústrias da madeira e da cortiça e suas obras, excepto mobiliário; fabricação de artigos de espartaria e cestaria 16.1 Serração e aplainamento da madeira Serração e aplainamento da madeira Fabricação de artigos de madeira, de cortiça, de espartaria e cestaria Fabricação de folheados e painéis à base de madeira Fabricação de pavimentos em painéis montados 1622* Fabricação de outras obras de carpintaria para a 1622* construção Fabricação de embalagens de madeira Fabricação de outras obras de madeira; fabricação de 1629 artigos de cortiça, de espartaria e cestaria 17 Fabricação de pasta, de papel, de cartão e seus artigos 17.1 Fabricação de pasta, de papel e de cartão (excepto canelado) Fabricação de pasta 1701* Fabricação de papel e de cartão (excepto canelado) 1701* 17.2 Fabricação de artigos de papel e de cartão Fabricação de papel e de cartão canelados e de 1702 embalagens de papel e cartão Fabricação de artigos de papel para uso doméstico e 1709* PT 22 PT

23 sanitário Fabricação de artigos de papel para papelaria 1709* Fabricação de papel de parede 1709* Fabricação de artigos de papel e de cartão, n.e. 1709* 18 Impressão e reprodução de suportes gravados 18.1 Impressão e actividades dos serviços relacionados com a impressão Impressão de jornais 1811* Impressão, n.e. 1811* Actividades de preparação da impressão e de produtos media 1812* Encadernação e actividades relacionadas 1812* 18.2 Reprodução de suportes gravados Reprodução de suportes gravados Fabricação de coque e de produtos petrolíferos refinados 19.1 Fabricação de produtos de coqueria Fabricação de produtos de coqueria Fabricação de produtos petrolíferos refinados Fabricação de produtos petrolíferos refinados Fabricação de produtos químicos e de fibras sintéticas e artificiais 20.1 Fabricação deprodutos químicos de base, adubos e compostos azotados, matérias plásticas e borracha sintética sob formas primárias Fabricação de gases industriais 2011* Fabricação de corantes e pigmentos 2011* Fabricação de outros produtos químicos inorgânicos de 2011* base Fabricação de outros produtos químicos orgânicos de 2011* base Fabricação de adubos e de compostos azotados Fabricação de matérias plásticas sob formas primárias 2013* Fabricação de borracha sintética sob formas primárias 2013* 20.2 Fabricação de pesticidas e outros produtos agroquímicos Fabricação de pesticidas e outros produtos agroquímicos 20.3 Fabricação de tintas, vernizes e produtos similares, tintas de impressão e mastiques Fabricação de tintas, vernizes e produtos similares, tintas de impressão e mastiques PT 23 PT

24 20.4 Fabricação de sabões e detergentes, produtos de limpeza e de polimento, perfumes e produtos de higiene Fabricação de sabões e detergentes, produtos de limpeza e de polimento Fabricação de perfumes, de cosméticos e de produtos de higiene 2023* 2023* 20.5 Fabricação de outros produtos químicos Fabricação de explosivos e artigos de pirotecnia 2029* Fabricação de colas 2029* Fabricação de óleos essenciais 2029* Fabricação de outros produtos químicos, n.e. 2029* 20.6 Fabricação de fibras sintéticas ou artificiais Fabricação de fibras sintéticas ou artificiais Fabricação de produtos farmacêuticos de base e de preparações farmacêuticas 21.1 Fabricação de produtos farmacêuticos de base Fabricação de produtos farmacêuticos de base 2100* 21.2 Fabricação de preparações farmacêuticas Fabricação de preparações farmacêuticas 2100* 22 Fabricação de artigos de borracha e de matérias plásticas 22.1 Fabricação de artigos de borracha Fabricação de pneus e câmaras-de-ar; reconstrução de 2211 pneus Fabricação de produtos de borracha, n.e Fabricação de artigos de matérias plásticas Fabricação de chapas, folhas, tubos e perfis de plástico 2220* Fabricação de embalagens de plástico 2220* Fabricação de artigos de plástico para a construção 2220* Fabricação de artigos de plástico, n.e. 2220* 23 Fabricação de outros produtos minerais não metálicos 23.1 Fabricação de vidro e artigos de vidro Fabricação de vidro plano 2310* Moldagem e transformação de vidro plano 2310* Fabricação de vidro de embalagem e cristalaria (vidro 2310* oco) Fabricação de fibras de vidro 2310* Fabricação e transformação de outro vidro (incluindo 2310* vidro técnico) PT 24 PT

25 23.2 Fabricação de produtos cerâmicos refractários Fabricação de produtos cerâmicos refractários Fabricação de produtos de barro para a construção Fabricação de azulejos, ladrilhos, mosaicos e placas de cerâmica Fabricação de tijolos, telhas e de outros produtos de barro para a construção 2392* 2392* 23.4 Fabricação de outros produtos de porcelana e cerâmicos Fabricação de artigos cerâmicos de uso doméstico e 2393* ornamental Fabricação de artigos cerâmicos para usos sanitários 2393* Fabricação de isoladores e peças isolantes em cerâmica 2393* Fabricação de outros produtos em cerâmica para usos 2393* técnicos Fabricação de outros produtos cerâmicos, n.e. 2393* 23.5 Fabricação de cimento, cal e gesso Fabricação de cimento 2394* Fabricação de cal e gesso 2394* 23.6 Fabricação de produtos de betão, cimento e gesso Fabricação de produtos de betão para a construção 2395* Fabricação de produtos de gesso para a construção 2395* Fabricação de betão pronto 2395* Fabricação de argamassas 2395* Fabricação de produtos de fibrocimento 2395* Fabricação de outros produtos de betão, gesso e 2395* cimento 23.7 Serragem, corte e acabamento de pedra Serragem, corte e acabamento de pedra Fabricação de outros produtos minerais não metálicos Fabricação de produtos abrasivos 2399* Fabricação de outros produtos minerais não metálicos, 2399* n.e. 24 Indústrias metalúrgicas de base 24.1 Siderurgia e fabricação de ferro-ligas Siderurgia e fabricação de ferro-ligas 2410* 24.2 Fabricação de tubos, condutas, perfis ocos e respectivos acessórios, de aço Fabricação de tubos, condutas, perfis ocos e respectivos acessórios, de aço 2410* 24.3 Outras actividades da primeira transformação do ferro e do aço Estiragem a frio de barras 2410* Laminagem a frio de arco ou banda 2410* Perfilagem a frio 2410* Trefilagem a frio 2410* PT 25 PT

26 24.4 Obtenção e primeira transformação de metais não ferrosos Obtenção e primeira transformação de metais preciosos 2420* Obtenção e primeira transformação de alumínio 2420* Obtenção e primeira transformação de chumbo, zinco e 2420* estanho Obtenção e primeira transformação de cobre 2420* Obtenção e primeira transformação de metais não 2420* ferrosos, n.e Tratamento de combustível nuclear 2420* 24.5 Fundição de metais ferrosos e não ferrosos Fundição de ferro fundido 2431* Fundição de aço 2431* Fundição de metais leves 2432* Fundição de metais não ferrosos, n.e. 2432* 25 Fabricação de produtos metálicos, excepto máquinas e equipamentos 25.1 Fabricação de elementos de construção em metal Fabricação de estruturas de construção metálicas 2511* Fabricação de portas e janelas metálicas 2511* 25.2 Fabricação de reservatórios e recipientes metálicos Fabricação de caldeiras e radiadores para aquecimento central Fabricação de outros reservatórios e recipientes metálicos 25.3 Fabricação de geradores de vapor (excepto caldeiras para aquecimento central) Fabricação de geradores de vapor (excepto caldeiras para aquecimento central) 2512* 2512* Fabricação de armas e munições Fabricação de armas e munições Fabricação de produtos forjados, estampados e laminados; metalurgia dos pós Fabricação de produtos forjados, estampados e laminados; metalurgia dos pós Tratamento e revestimento de metais; actividades de mecânica geral Tratamento e revestimento de metais 2592* Actividades de mecânica geral 2592* 25.7 Fabricação de cutelaria, ferramentas e ferragens Fabricação de cutelaria 2593* Fabricação de fechaduras, dobradiças e outras 2593* ferragens Fabricação de ferramentas 2593* 25.9 Fabricação de outros produtos metálicos PT 26 PT

27 25.91 Fabricação de embalagens metálicas pesadas 2599* Fabricação de embalagens metálicas ligeiras 2599* Fabricação de produtos de arame, correntes e molas 2599* metálicas Fabricação de rebites, parafusos e porcas 2599* Fabricação de outros produtos metálicos, n.e. 2599* 26 Fabricação de equipamentos informáticos, equipamentos para comunicação, produtos electrónicos e ópticos 26.1 Fabricação de componentes electrónicos e placas Fabricação de componentes electrónicos 2610* Fabricação de placas de circuitos electrónicos 2610* 26.2 Fabricação de computadores e de equipamento periférico Fabricação de computadores e de equipamento periférico 26.3 Fabricação de aparelhos e de equipamentos para comunicações Fabricação de aparelhos e de equipamentos para comunicações 26.4 Fabricação de receptores de rádio e de televisão e bens de consumo similares Fabricação de receptores de rádio e de televisão e bens de consumo similares 26.5 Fabricação de instrumentos e aparelhos de medição, verificação e navegação; relógios e material de relojoarias Fabricação de instrumentos e aparelhos de medição, verificação e navegação * Fabricação de relógios e material de relojoaria Fabricação de equipamento de irradiação, electromedicina e electroterapêutico Fabricação de equipamento de irradiação, electromedicina e electroterapêutico 26.7 Fabricação de equipamentos e de instrumentos ópticos e fotográficos Fabricação de instrumentos e de equipamentos, ópticos e fotográficoso 26.8 Fabricação de suportes de informação magnéticos e ópticos Fabricação de suportes de informação magnéticos e ópticos PT 27 PT

28 27 Fabricação de equipamento eléctrico 27.1 Fabricação de motores, geradores e transformadores eléctricos e fabricação de material de distribuição e de controlo para instalações eléctricas Fabricação de motores, geradores e transformadores eléctricos Fabricação de material de distribuição e de controlo para instalações eléctricas 2710* 2710* 27.2 Fabricação de acumuladores e de pilhas eléctricas Fabricação de acumuladores e de pilhas eléctricas Fabricação de fios e cabos isolados e seus acessórios Fabricação de cabos de fibra óptica Fabricação de outros fios e cabos eléctricos e 2732 electrónicos Fabricação de acessórios para fios e cabos Fabricação de lâmpadas eléctricas e de outro material de iluminação Fabricação de lâmpadas eléctricas e de outro material de iluminação Fabricação de aparelhos para uso doméstico Fabricação de aparelhos electrodomésticos 2750* Fabricação de aparelhos não eléctricos para uso 2750* doméstico 27.9 Fabricação de outro equipamento eléctrico Fabricação de outro equipamento eléctrico Fabricação de máquinas e equipamentos, n.e Fabricação de máquinas e de equipamentos para uso geral Fabricação de motores e turbinas (excepto motores 2811 para aeronaves, automóveis e motociclos) Fabricação de equipamento hidráulico e pneumático Fabricação de outras bombas e compressores 2813* Fabricação de torneiras e válvulas 2813* Fabricação de rolamentos, de engrenagens e de outros 2814 órgãos de transmissão 28.2 Fabricação de outras máquinas para uso geral PT 28 PT

29 28.21 Fabricação de fornos e queimadores Fabricação de equipamento de elevação e de 2816 movimentação Fabricação de máquinas e equipamento de escritório 2817 (excepto computadores e equipamento periférico) Fabricação demáquinas-ferramentas portáteis com 2818 motor Fabricação de equipamento não doméstico para 2819* refrigeração e ventilação Fabricação de outras máquinas para uso geral, n.e. 2819* 28.3 Fabricação de máquinas e de tractores para a agricultura, pecuária e silvicultura Fabricação de máquinas e de tractores para a agricultura, pecuária e silvicultura Fabricação de maquinaria para metalurgia e de máquinas-ferramentas Fabricação de máquinas-ferramentas para metais 2822* Fabricação de outras máquinas-ferramentas, n.e. 2822* 28.9 Fabricação de outras máquinas e equipamento para uso específico Fabricação de máquinas para a metalurgia Fabricação de máquinas para as indústrias extractivas e 2824 para a construção Fabricação de máquinas para as indústrias alimentares, 2825 das bebidas e do tabaco Fabricação de máquinas para as indústrias têxtil, do 2826 vestuário e do couro Fabricação de máquinas para as indústrias do papel e 2829* do cartão Fabricação de máquinas para as indústrias do plástico e 2829* da borracha Fabricação de outras máquinas e equipamento para uso 2829* específico, n.e. 29 Fabricação de veículos automóveis, reboques e semi-reboques 29.1 Fabricação de veículos automóveis Fabricação de veículos automóveis Fabricação de carroçarias, reboques e semi-reboques Fabricação de carroçarias, reboques e semi-reboques Fabricação de componentes e acessórios para veículos automóveis e seus motores Fabricação de equipamento eléctrico e electrónico para veículos automóveis e seus motores 2930* PT 29 PT

30 29.32 Fabricação de outros componentes e acessórios para veículos automóveis e seus motores 2930* 30 Fabricação de outro equipamento de transporte 30.1 Construção naval Construção de embarcações e estruturas flutuantes Construção de embarcações de recreio e desporto Fabricação de material circulante para caminhos-deferro Fabricação de material circulante para caminhos-deferro 30.3 Fabricação de aeronaves, veículos espaciais e equipamento relacionado Fabricação de aeronaves, veículos espaciais e equipamento relacionado Fabricação de veículos militares de combate Fabricação de veículos militares de combate Fabricação de equipamento de transporte, n. e Fabricação de motociclos Fabricação de bicicletas e de veículos para inválidos Fabricação de outro equipamentol de transporte, n.e Fabricação de mobiliário e de colchões 31.0 Fabricação de mobiliário e de colchões Fabricação de mobiliário para escritório e comércio 3100* Fabricação de mobiliário de cozinha 3100* Fabricação de colchoaria 3100* Fabricação de mobiliário para outros fins 3100* 32 Indústrias transformadoras, n.e Fabricação de joalharia, ourivesaria, bijutaria e artigos similares Cunhagem de moedas 3211* Fabricação de joalharia, ourivesaria e artigos similares 3211* Fabricação de bijutarias Fabricação de instrumentos musicais Fabricação de instrumentos musicais Fabricação de artigos de desporto Fabricação de artigos de desporto Fabricação de jogos e de brinquedos PT 30 PT

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p - C O R R E S P. = igual + mais - menos p - Rev.1 OBSERVAÇÕES 0 1 Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades dos serviços = 0 1 relacionados + 81p Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades

Leia mais

Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto

Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto Apêndice A: Algumas Tabelas Usadas no Texto Tabela 1 alança Tecnológica Sectorial de Portugal Período 1996-98 Fonte: anco de Portugal CAE Total Direitos de utilização e Propriedade Industrial Serv. assistência

Leia mais

Processos Especiais de Revitalização Homologados: por Classificação de Actividades Económicas (CAE) desagregada

Processos Especiais de Revitalização Homologados: por Classificação de Actividades Económicas (CAE) desagregada Processos Especiais de Revitalização Homologados: por Classificação de Actividades Económicas (CAE) desagregada Divisão Grupo Classe Designação Nº de Processos 0 Agricultura, produção animal, caça, floresta

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Lista de Actividades (CAE) elegíveis na Linha de Crédito PME Investe II

Lista de Actividades (CAE) elegíveis na Linha de Crédito PME Investe II Lista de Actividades (CAE) elegíveis na Linha de Crédito PME Investe II Em conformidade com o disposto no nº 1 do Capítulo I, nº 2 do Anexo I, nº 2 do Anexo II e nº 1 do Anexo III, todos do Protocolo da

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PORTUGUESA DAS ATIVIDADES ECONÓMICAS (CAE REV. 3) ATIVIDADES OU TRABALHOS DE RISCO ELEVADO INTEGRADOS NOS SETORES DE ATIVIDADE

CLASSIFICAÇÃO PORTUGUESA DAS ATIVIDADES ECONÓMICAS (CAE REV. 3) ATIVIDADES OU TRABALHOS DE RISCO ELEVADO INTEGRADOS NOS SETORES DE ATIVIDADE S OU TRABALHOS DE RISCO ELEVADO (Artigo 79.º da Lei 102/2009, de 10 de Setembro) CLASSIFICAÇÃO PORTUGUESA DAS S ECONÓMICAS GRUPO CLASSE SUBCLASSE SETORES DE 011 0111 0112 0113 0114 0115 0116 0119 012 0121

Leia mais

SERVE/DNID. Glossário de Códigos da Classificação Industrial Padrão Internacional (ISIC) FABRICAÇÃO DE COQUE, PRODUTOS PETROLÍFEROS REFINADOS E

SERVE/DNID. Glossário de Códigos da Classificação Industrial Padrão Internacional (ISIC) FABRICAÇÃO DE COQUE, PRODUTOS PETROLÍFEROS REFINADOS E AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANIMAL, CAÇA, FLORESTA, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANIMAL, CAÇA E ATIVIDADES DOS SERVIÇOS RELACIONADOS 011 CULTURAS TEMPORÁRIAS 012 CULTURAS PERMANENTES 013 CULTURA

Leia mais

CAE CV-Rev.1 ESTRUTURA

CAE CV-Rev.1 ESTRUTURA ESTRUTURA LISTA DAS SECÇÕES E SUAS RELAÇÕES COM AS DIVISÕES S E C Ç Ã O DESIGNAÇÃO RELAÇÃO SECÇÃO COM DIVISÃO A AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANIMAL, CAÇA, FLORESTA E PESCA A= 01+02+03 B INDÚSTRIAS EXTRACTIVAS

Leia mais

ANEXO I Classificação das Atividades económicas - TIMOR-LESTE Versão 1.1 Seção Divisão Grupo Classe Subclasse Designação AGRICULTURA, PRODUÇÃO

ANEXO I Classificação das Atividades económicas - TIMOR-LESTE Versão 1.1 Seção Divisão Grupo Classe Subclasse Designação AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANEXO I Classificação das Atividades económicas - TIMOR-LESTE Versão 1.1 Seção Divisão Grupo Classe Subclasse Designação A AGRICULTURA, PRODUÇÃO ANIMAL, CAÇA, FLORESTA, PESCA E AQÜICULTURA 01 AGRICULTURA,

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR. ISII - Inquérito sobre o Investimento Internacional

MANUAL DO UTILIZADOR. ISII - Inquérito sobre o Investimento Internacional MANUAL DO UTILIZADOR ISII - Inquérito sobre o Investimento Internacional Maio de 2013 ÍNDICE I Introdução 3 II Acesso à aplicação 3 III Entrada na aplicação 4 IV Instruções de preenchimento 4 V Modo de

Leia mais

Código Designação Código Designação. 01112 Culturas agrícolas, n.e. 01112 Cultura de leguminosas secas e sementes oleaginosas

Código Designação Código Designação. 01112 Culturas agrícolas, n.e. 01112 Cultura de leguminosas secas e sementes oleaginosas CAE Rev.2.1 CAE Rev.3 Código Designação Código Designação 01111 Cerealicultura 01120 Cultura do arroz 01111 Cerealicultura (excepto arroz) 01112 Culturas agrícolas, n.e. 01112 Cultura de leguminosas secas

Leia mais

= p01420 Actividades de serviços relacionados com a

= p01420 Actividades de serviços relacionados com a .1 01420 Actividades de serviços relacionados com a produção animal, excepto serviços de veterinária 14121 Extracção de calcário e cré = p14121 Extracção de calcário e cré 17710 Fabricação de meias e artigos

Leia mais

ANEXO A Lista das Empresas Existentes em Almancil, por Ordem Alfabética, por Sector

ANEXO A Lista das Empresas Existentes em Almancil, por Ordem Alfabética, por Sector ANEXO A Lista das Empresas Existentes em Almancil, por Ordem Alfabética, por Sector ACTIVIDADE ECONÓMICA PRINCIPAL Concelho Freguesia Loulé Almancil Abate de gado (produção de carne) 1 Acção social para

Leia mais

Tabela de Conversão CAE-Rev.2.1-> CAE-Rev.3

Tabela de Conversão CAE-Rev.2.1-> CAE-Rev.3 Tabela de Conversão CAE-Rev.2.1-> CAE-Rev.3 CAE Rev.2.1 Produção de bens ou serviços do âmbito de actividades da CAE Rev.3 Código Designação CAE Rev.2.1 que passaram para actividades da CAE Rev.3 Código

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Anexo 1. Listagem das actividades do sector terciário que responderam ao inquérito municipal. nº

Anexo 1. Listagem das actividades do sector terciário que responderam ao inquérito municipal. nº Anexo 1 Listagem das actividades do sector terciário que responderam ao inquérito municipal. nº empresas C.A.E. Sector terciário 46 41200 Construção de edifícios (residenciais e não residenciais). 37 56301

Leia mais

Código Designação Observaçao 01610 Actividades dos serviços relacionados com a agricultura 01620 Actividades dos serviços relacionados com a produção

Código Designação Observaçao 01610 Actividades dos serviços relacionados com a agricultura 01620 Actividades dos serviços relacionados com a produção 01610 Actividades dos serviços relacionados com a agricultura 01620 Actividades dos serviços relacionados com a produção animal, excepto serviços de veterinária 01630 Preparação de produtos agrícolas para

Leia mais

5656 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 197 27 de Agosto de 2003 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Artigo 685. o. Decreto-Lei n.

5656 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 197 27 de Agosto de 2003 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Artigo 685. o. Decreto-Lei n. 5656 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 197 27 de Agosto de 2003 Artigo 685. o Comissões de trabalhadores Constitui contra-ordenação grave a violação do disposto nos n. os 1,2,3e7doartigo 467. o, nos n.

Leia mais

Actividades Enquadráveis na Linha de Crédito PME Madeira Decreto Lei n.º 381/2007, de 14 de Novembro - REV. 3

Actividades Enquadráveis na Linha de Crédito PME Madeira Decreto Lei n.º 381/2007, de 14 de Novembro - REV. 3 INDUSTRIA EXTRACTIVA 08111 Extracção de mármore e outras rochas carbonatadas 08112 Extracção de granito ornamental e rochas similares 08113 Extracção de calcário e cré 08114 Extracção de gesso 08115 Extracção

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

IAF NACE ATIVIDADES A SEÇÃO A AGRICULTURA, FLORESTA E PESCA

IAF NACE ATIVIDADES A SEÇÃO A AGRICULTURA, FLORESTA E PESCA CÓDIGO NACE - REVISÃO 02 IAF NACE ATIVIDADES A SEÇÃO A AGRICULTURA, FLORESTA E PESCA Culturas temporárias 1 01.11 Cereais (exceto arroz), leguminosas e sementes oleaginosas 1 01.12 Cultura de arroz 1 01.13

Leia mais

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 01 - Animais Vivos Gênero do NCM 02 - Carnes e miudezas 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 04 - Produtos Comestiveis de origem animal 05 - Outros Produtos de Origem Animal

Leia mais

Extração de linhito 02 05.20 Extração de linhito Extração de petróleo bruto 02 06.10 Extração de petróleo bruto Extração de gás natural 02 06.

Extração de linhito 02 05.20 Extração de linhito Extração de petróleo bruto 02 06.10 Extração de petróleo bruto Extração de gás natural 02 06. Revisada em 01/07/2015 IAF NACE DESCRIÇÃO SEÇÃO A AGRICULTURA, FLORESTA E PESCA Culturas temporárias 01 01.11 Cereais (exceto arroz), leguminosas e sementes oleaginosas 01 01.12 Cultura de arroz 01 01.13

Leia mais

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Franca Total da Indústria NA NA Indústria Extrativa 0,157899 0,018606 Indústria de Transformação 99,842101 99,981394

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 Dispõe sobre as empresas industriais enquadráveis nos Artigos 59 e 60 da Lei n.º 5.194/66. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA, no uso das

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

PORTUGAL GREECE Trade Balance

PORTUGAL GREECE Trade Balance PORTUGAL GREECE Trade Balance March 2013 TRADE BALANCE PORTUGAL GREECE IMPORTS (CIF) Annual Variation % EXPORTS (FOB) Annual Variation % 10³ Euros BALANCE 2003 81.998 121.881 39.883 2004 76.487-6,72 126.685

Leia mais

Código LER Descrição (os mais utilizados estão sublinhados) Resíduos de minas 01 01 01 Resíduos metálicos 01 01 02 Resíduos não metálicos 01 03 06 Rejeitados de minério 01 03 08 Poeiras e pós de extracção

Leia mais

ANEXO I CARACTERÍSTICAS DA LINHA ESPECÍFICA SECTORES EXPORTADORES

ANEXO I CARACTERÍSTICAS DA LINHA ESPECÍFICA SECTORES EXPORTADORES ANEXO I CARACTERÍSTICAS DA LINHA ESPECÍFICA SECTORES EXPORTADORES A. CONDIÇÕES GERAIS DA LINHA 1. Montante Global: Até 500 Milhões de Euros. 2. Empresas beneficiárias: As empresas beneficiárias terão de

Leia mais

Classificação Portuguesa das Atividades Económicas, Revisão 3

Classificação Portuguesa das Atividades Económicas, Revisão 3 10120 Abate de aves (produção de carne) 10110 Abate de gado (produção de carne) 13303 Acabamento de fios, tecidos e artigos têxteis, n.e. 91042 Actividade dos parques e reservas naturais 82110 Atividades

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 18.10.2007 COM(2007) 619 final 2007/0216 (COD) Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera o Regulamento (CE) n. 2252/2004 do Conselho

Leia mais

APRESENTAÇÃO GERAL PRINCÍPIOS GERAIS, OBJECTIVOS E CONCEITOS CORRESPONDÊNCIA ENTRE A CAE-CV E OUTRAS NOMENCLATURAS UNIDADES ESTATÍSTICAS E MÉTODOS

APRESENTAÇÃO GERAL PRINCÍPIOS GERAIS, OBJECTIVOS E CONCEITOS CORRESPONDÊNCIA ENTRE A CAE-CV E OUTRAS NOMENCLATURAS UNIDADES ESTATÍSTICAS E MÉTODOS APRESENTAÇÃO GERAL PRINCÍPIOS GERAIS, OBJECTIVOS E CONCEITOS CORRESPONDÊNCIA ENTRE A CAE-CV E OUTRAS NOMENCLATURAS UNIDADES ESTATÍSTICAS E MÉTODOS 1. NOTA HISTÓRICA As actividades económicas em Cabo Verde

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS PLANTAÇÃO/VEGETAÇÃO NATIVA IBAMA, 2014 Guia de Preenchimento

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE ATIVIDADES ECONÓMICAS PREVISTAS NO REGIME DE EXERCÍCIO DA ATIVIDADE INDUSTRIAL (REAI)

INFORMAÇÃO SOBRE ATIVIDADES ECONÓMICAS PREVISTAS NO REGIME DE EXERCÍCIO DA ATIVIDADE INDUSTRIAL (REAI) PORTAL DA EMPRESA INFORMAÇÃO SOBRE ATIVIDADES ECONÓMICAS PREVISTAS NO REGIME DE EXERCÍCIO DA ATIVIDADE INDUSTRIAL (REAI) Notas para a leitura do documento A) O presente documento contém: Na LISTA 1, todas

Leia mais

REQUISITOS ESPECÍFICOS DE ACREDITAÇÃO CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

REQUISITOS ESPECÍFICOS DE ACREDITAÇÃO CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 1. Objetivo O presente documento tem como objetivo definir o serviço de acreditação para o sector Certificação de Sistemas de Gestão da Saúde e Segurança no Trabalho, em complemento do estabelecido no

Leia mais

Relação de (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) cujos contribuintes estão obrigados à Escrituração A partir desta competência, os contribuintes que iniciarem atividades ou que mudarem a atividade

Leia mais

(PROGRAMA LEONARDO DA VINCI)

(PROGRAMA LEONARDO DA VINCI) ANGLIA UNIVERSITY PROGRAMA LEONARDO DA VINCI GROUP ESC PAU GROUP ESC TOULOUSE PRIORIDADES PARA EL DESARROLLO DIRECTIVO INSTITUTO SUPERIOR SUPERIOR DE GESTAO MIDDLESEX UNIVERSITY INSTITUTO DE EMPRESA UNIÓN

Leia mais

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano Q.10.01 - Resultados Globais, por ano Unidade: 1 000 Euros 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Importações (CIF) 34 490 773 37 505 656 43 257 180 44 093 881 42 466 265 41 753 699 45

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TECNOLOGICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PIAUÍ ATIVIDADES ECONÔMICAS

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TECNOLOGICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PIAUÍ ATIVIDADES ECONÔMICAS Página: 001 / 052 S ECONÔMICAS A 01 011 0111-3 0111-3/01 0111-3/02 0111-3/03 0111-3/99 0112-1 0112-1/01 0112-1/02 0112-1/99 0113-0 0113-0/00 0114-8 0114-8/00 0115-6 0115-6/00 0116-4 0116-4/01 0116-4/02

Leia mais

TOTAL NACIONAL OUTUBRO 1999

TOTAL NACIONAL OUTUBRO 1999 NÚMERO DE EMPRESAS DO CONTINENTE E REGIÕES AUTÓNOMAS, POR ACTIVIDADE ECONÓMICA NACIONAL OUTUBRO 1999 ACTIVIDADES (CAE - REV.2) 244239 234850 4604 4785 A AGRICULTURA, PROD. ANIMAL, CAÇA E SILVIC. 9302 8468

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 3.8.2005 COM(2005) 361 final 2005/0147 (COD) Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que revoga a Directiva 90/544/CEE do Conselho relativa

Leia mais

25.11.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 310/11

25.11.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 310/11 PT 25.11.2011 Jornal Oficial da União Europeia L 310/11 DECISÃO DA COMISSÃO de 18 de Novembro de 2011 que estabelece regras e métodos de cálculo para verificar o cumprimento dos objectivos estabelecidos

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

ANEXO 1 Regras aplicáveis aos modelos de documentos fiscais

ANEXO 1 Regras aplicáveis aos modelos de documentos fiscais Padrão Mínimo Tipo de Impresso Emissão Operação Série Subsérie Nota Fiscal, modelo 1 Bloco Manual *, 1 a N 4 3 Nota Fiscal, modelo 1 Jogo Solto Mecanizado *, 1 a N 4 3 Nota Fiscal, modelo 1 Jogo Solto

Leia mais

Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses

Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses Seções CNAE 2.0 - subclasses Divisões Grupos Classes Subclasses (Fiscal) A - 01.. 03 - Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aqüicultura 3 12 34 122 B -

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA CABO VERDE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA CABO VERDE INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA CABO VERDE RESULTADOS DEFINITIVOS 1997 Presidente Francisco Fernandes Tavares Editor Instituto Nacional de Estatística Av. Amilcar Cabral, CP 116 Cidade da Praia Composição

Leia mais

13302 Estampagem 13303 Acabamentos de fios, tecidos e artigos têxteis, n.e. 13910 Fabricação de tecidos de malha 13920 Fabricação de artigos têxteis

13302 Estampagem 13303 Acabamentos de fios, tecidos e artigos têxteis, n.e. 13910 Fabricação de tecidos de malha 13920 Fabricação de artigos têxteis ANEXO III Actividades Enquadráveis na Linha de Crédito Bonificado para Micro e Pequenas Empresas da Madeira Decreto Lei n.º 381/2007, de 14 de Novembro REV. 3 Alerta: Ficam sujeitos às restrições aplicaveis

Leia mais

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para São Tomé e Príncipe de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 3 500 3 336 3 000 valores em milhares de euros 2 500 2 000 1 500 1 000 1 367 1 279 727 500

Leia mais

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008)

Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) Principais exportações para o Brasil de produtos agrícolas, florestais e das pescas (média 2004-2008) 70 000 62 207 60 000 valores em milhares de euros 50 000 40 000 30 000 20 000 21 786 17 825 8 620 10

Leia mais

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2. ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.0 AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA,

Leia mais

Descrição CNAE FABRICACAO DE OLEOS VEGETAIS REFINADOS, EXCETO OLEO DE MILHO 1/4/2010

Descrição CNAE FABRICACAO DE OLEOS VEGETAIS REFINADOS, EXCETO OLEO DE MILHO 1/4/2010 Descrição CNAE Início da obrigatoriedade 0722701 EXTRACAO DE MINERIO DE ESTANHO 1/4/2010 0722702 BENEFICIAMENTO DE MINÉRIO DE ESTANHO 1/4/2010 1011201 FRIGORIFICO - ABATE DE BOVINOS 1/4/2010 1011202 FRIGORÍFICO

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 175. o,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 175. o, 25.6.2003 L 156/17 DIRECTIVA 2003/35/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 26 de Maio de 2003 que estabelece a participação do público na elaboração de certos planos e programas relativos ao ambiente

Leia mais

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2014, CONFORME DEC. Nº 24.

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2014, CONFORME DEC. Nº 24. ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2014, CONFORME DEC. Nº 24.712/2013 CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES Seção Divisão Grupo Classe Subclasse

Leia mais

Volume de Negócios do setor do Comércio estabilizou, mas o número de empresas e pessoal ao serviço diminuíram

Volume de Negócios do setor do Comércio estabilizou, mas o número de empresas e pessoal ao serviço diminuíram Estatísticas do Comércio 2013 26 de dezembro de 2014 Volume de Negócios do setor do Comércio estabilizou, mas o número de empresas e pessoal ao serviço diminuíram Em 2013 o setor do Comércio era constituído

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 07 Julho 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01

Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01 Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01 Cultivo de açaí 0133-4/02 Cultivo de banana 0133-4/03

Leia mais

Lei Municipal 3.263/99: ANEXO 3 - CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES QUADRO 1. COMÉRCIO VAREJISTA - CONDIÇÕES PARA INSTALAÇÃO

Lei Municipal 3.263/99: ANEXO 3 - CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES QUADRO 1. COMÉRCIO VAREJISTA - CONDIÇÕES PARA INSTALAÇÃO NA BACIA DE CONTRIBUIÇÃO INDIRETA CÓD. ATIVIDADES EM ÁREA COM IMPLANTADO EM ÁREA SEM COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS 10101 AÇOUGUE E PEIXARIA 10102 BOMBONIÈRE E CONFEITARIA 10103 CONDIMENTOS

Leia mais

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2015, CONFORME DEC. Nº 25.

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2015, CONFORME DEC. Nº 25. ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2015, CONFORME DEC. Nº 25.746/2014 CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Visão Perspectiva da Lei de Investimento Privado e a Nova Pauta Aduaneira - A NOVA PAUTA ADUANEIRA

Visão Perspectiva da Lei de Investimento Privado e a Nova Pauta Aduaneira - A NOVA PAUTA ADUANEIRA Visão Perspectiva da Lei de Investimento Privado e a Nova Pauta Aduaneira - A NOVA PAUTA ADUANEIRA SUMÁRIO 1. Generalidades- Factores/Alterações 2. Fundamentos para as Alterações 3. Opções de Política

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 2004R0639 PT 05.12.2008 002.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B REGULAMENTO (CE) N. o 639/2004 DO CONSELHO de30 de Março de 2004 relativo à gestão

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 31.8.2009 COM(2009) 437 final Proposta de REGULAMENTO DO CONSELHO que encerra o reexame, relativo a um «novo exportador», do Regulamento (CE) n.º 1174/2005

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice Índice Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente de Origem e Principais Nacionalidades - Situação no fim do mês de Dezembro, de 2003 a 2009... 2 Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

DIRECTIVA 2003/94/CE DA COMISSÃO

DIRECTIVA 2003/94/CE DA COMISSÃO L 262/22 DIRECTIVA 2003/94/CE DA COMISSÃO de 8 de Outubro de 2003 que estabelece princípios e directrizes das boas práticas de fabrico de medicamentos para uso humano e de medicamentos experimentais para

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 15.01.2001 COM(2001) 12 final 2001/0018 (COD) Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera pela vigésima quarta vez a Directiva do 76/769/CEE

Leia mais

Anexo Técnico de Acreditação nº 00/OCF.06-1 Accreditation Annex nº

Anexo Técnico de Acreditação nº 00/OCF.06-1 Accreditation Annex nº Anexo Técnico de nº -1 Nº de Accreditation nr Acreditado de acordo com (Accredited to) NP EN 45012 Localização: TagusPark - Núcleo Central 237/239 2780-920 Oeiras Contacto (Contact) Ana Freire Tel: 214220640

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

Áreas e Sub-Áreas de Formação CIME

Áreas e Sub-Áreas de Formação CIME de Formação CIME e Sub- de Formação CIME Sub- 09. Desenvolvimento Pessoal 090. Desenvolvimento Pessoal 14.Formação de Professores/Formadores e Ciências da Educação 141.Formação de Professores e Formadores

Leia mais

Tabela de Correspondência CNAE-Fiscal 1.1 x CNAE 2.0 e subclasses

Tabela de Correspondência CNAE-Fiscal 1.1 x CNAE 2.0 e subclasses Tabela de Correspondência A A A A 01 01 01 01 01 CNAE-Fiscal 1.1 (versão atual) CNAE 2.0 e subclasses (D.O.U. 05/09/2006) código código AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL AGRICULTURA,

Leia mais

NELAG Núcleo de Empresários da Lagoa NEWSLETTER n.º5 25.Outubro.2013

NELAG Núcleo de Empresários da Lagoa NEWSLETTER n.º5 25.Outubro.2013 Boletim Informativo: - Calendário Fiscal Novembro e Dezembro - Novo Regime de Bens - Manual Regime Circulação de Bens em circulação para venda e consulta - Controlo Integrado de Roedores novas imposições

Leia mais

Sistema de Informação Schengen - acesso pelos serviços de emissão de certificados de matrícula dos veículos ***II

Sistema de Informação Schengen - acesso pelos serviços de emissão de certificados de matrícula dos veículos ***II P6_TA(2005)044 Sistema de Informação Schengen - acesso pelos serviços de emissão de certificados de matrícula dos veículos ***II Resolução legislativa do Parlamento Europeu referente à posição comum adoptada

Leia mais

Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica

Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica Setores obrigados a emitir NF-e em Abril/2010 (Inclui todos os setores já obrigados a emitir NF-e nas relações divulgadas anteriormente: Abril/2008, Dezembro/2008,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CPRH Nº 005/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA CPRH Nº 005/2012 INSTRUÇÃO NORATIVA CRH Nº 005/2012 Disciplina o Enquadramento para Licenciamento Ambiental na CRH das Indústrias quanto ao otencial Degradador previsto no item 1.1 da Tabela 1 do Anexo I, da Lei Estadual

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) 26.6.2015 L 161/9 REGULAMENTO (UE) 2015/1005 DA COMISSÃO de 25 de junho de 2015 que altera o Regulamento (CE) n. o 1881/2006 no que diz respeito aos teores máximos de chumbo em certos géneros alimentícios

Leia mais

A Matriz Input-Output para a Região Alentejo: uma aproximação ao seu primeiro quadrante

A Matriz Input-Output para a Região Alentejo: uma aproximação ao seu primeiro quadrante A Matriz Input-Output para a Região Alentejo: uma aproximação ao seu primeiro quadrante Elsa Cristina Vaz 1, José Belbute 2, António Caleiro 3, Gertrudes Saúde Guerreiro 4, Ana Eduardo 5 1 elsavaz@uevora.pt,

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Outubro 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação AGO SET OUT

Leia mais

TABELA II - TAXAS GENÉRICAS

TABELA II - TAXAS GENÉRICAS TABELA II - TAXAS GENÉRICAS ACTIVO CORPÓREO GRUPO 1 - IMÓVEIS 2005 Edificações ligeiras (fibrocimento, madeira, zinco, etc.) 10 Edifícios (a): 2010 Habitacionais 2 2015 Comerciais e administrativos 2 2020

Leia mais

CodCurso Curso 212201 Artes do Espectáculo - Cenografia, Figurinos e Adereços 212202 Artes do Espectáculo - Interpretação 212203 Artes do Espectáculo

CodCurso Curso 212201 Artes do Espectáculo - Cenografia, Figurinos e Adereços 212202 Artes do Espectáculo - Interpretação 212203 Artes do Espectáculo CodCurso Curso 212201 Artes do Espectáculo - Cenografia, Figurinos e Adereços 212202 Artes do Espectáculo - Interpretação 212203 Artes do Espectáculo - Interpretação e Animação Circense 212204 Artes do

Leia mais

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de Regulamento (CEE) nº 1768/92 do Conselho, de 18 de Junho de 1992, relativo à criação de um certificado complementar de protecção para os medicamentos Jornal Oficial nº L 182 de 02/07/1992 p. 0001-0005

Leia mais

Vantagens Comparativas Reveladas do Comércio Internacional Português por Grupos de Produtos

Vantagens Comparativas Reveladas do Comércio Internacional Português por Grupos de Produtos Vantagens Comparativas Reveladas do Comércio Internacional Português por Grupos de Produtos 1. Introdução Pretende-se com esta análise, apresentar de forma sucinta, o Índice das Vantagens Comparativas

Leia mais

9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS

9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/329 ANEXOS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/331 ANEXO I LISTA PREVISTA NO ARTIGO 38. o DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA

Leia mais

DIRETIVA 2013/56/UE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

DIRETIVA 2013/56/UE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO 10.12.2013 Jornal Oficial da União Europeia L 329/5 DIRETIVA 2013/56/UE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 20 de novembro de 2013 que altera a Diretiva 2006/66/CE do Parlamento Europeu e do Conselho

Leia mais

Formulário de Resíduos Sólidos

Formulário de Resíduos Sólidos Quem deve preencher este formulário? Geradores de resíduos sólidos, perigosos ou não, que realizem atividades relacionadas no Anexo I da Instrução Normativa Ibama nº 13/12, disponível no link abaixo (também

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Maio 2011 Indicador de Sentimento Económico Os indicadores de sentimento económico da União Europeia e da Área

Leia mais

INQUÉRITOS DE CONJUNTURA Metodologia INTRODUÇÃO I. ENQUADRAMENTO

INQUÉRITOS DE CONJUNTURA Metodologia INTRODUÇÃO I. ENQUADRAMENTO INQUÉRITOS DE CONJUNTURA Metodologia INTRODUÇÃO Um inquérito de conjuntura é um instrumento efectivo de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. As perguntas são de carácter

Leia mais

29.11.2005 Jornal Oficial da União Europeia L 312/3

29.11.2005 Jornal Oficial da União Europeia L 312/3 29.11.2005 Jornal Oficial da União Europeia L 312/3 REGULAMENTO (CE) N. o 1947/2005 DO CONSELHO de 23 de Novembro de 2005 que estabelece a organização comum de mercado no sector das sementes e que revoga

Leia mais

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor

Diretoria de Pesquisas COIND. Índice de Preços ao Produtor Diretoria de Pesquisas COIND Índice de Preços ao Produtor Índice de Preços ao Produtor Indústrias de Transformação Resultados Agosto 2012 Principais Indicadores Indústrias de Transformação JUN JUL AGO

Leia mais

DIRECTIVA 2009/14/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

DIRECTIVA 2009/14/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO 13.3.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 68/3 DIRECTIVAS DIRECTIVA 2009/14/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 11 de Março de 2009 que altera a Directiva 94/19/CE relativa aos sistemas de garantia

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS EMPRESAS 2011/2012

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS EMPRESAS 2011/2012 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em maio, o conjunto das

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Finlândia Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Finlândia Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Finlândia Condições Legais de Acesso ao Mercado Janeiro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS 1

PREFEITURA DE PALMAS 1 PREFEITURA DE PALMAS 1 ANEXO UNICO 31/12/2005 Secretaria Municipal de Finanças Relação de Atividades CNAE para Informação das faixas para lançamento da TLF e controle DMS INDUSTRIA 1.01 011 PRODUCAO DE

Leia mais

PDR 2014-2020. 3.3.2 Pequenos Investimentos na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas

PDR 2014-2020. 3.3.2 Pequenos Investimentos na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas PDR 2014-2020 3.3.2 Pequenos Investimentos na Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas Portal dos Incentivos Maio 2015 Índice 1 Apresentação de Tema... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Beneficiários...

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia

Jornal Oficial da União Europeia 6.2.2003 L 31/3 REGULAMENTO (CE) N. o 223/2003 DA COMISSÃO de 5 de Fevereiro de 2003 que diz respeito aos requisitos em matéria de rotulagem relacionados com o modo de produção biológico aplicáveis aos

Leia mais

(Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

(Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) 7.7.2006 Jornal Oficial da União Europeia L 186/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) N. o 1028/2006 DO CONSELHO de 19 de Junho de 2006 relativo às normas de

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) CERTIFICADOS AMBIENTAIS VERSÃO 2 IBAMA JANEIRO, 2015 Certificados ambientais 2

Leia mais