Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015"

Transcrição

1 Fiéis em cristo Direitos e deveres dos fiéis leigos Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015

2 A igreja Necessidade de se fazer a distinção quando usamos o termo IGREJA. Quando falamos em IGREJA, de que igreja estamos falando? Quando falamos em IGREJA, podemos estar nos referindo à Igreja de Deus (Ecclesia Dei). A Igreja de Deus é composta pelas três grandes religiões monoteístas que têm Abraão como pai: Judaísmo Cristianismo (que se constitui na IGREJA DE CRISTO) Islamismo

3 A igreja A IGREJA DE CRISTO (ECCLESIA CHRISTI) Formada por TODOS os batizados, independente da comunidade cristã a que pertença. Por isso, a Igreja de Cristo é formada pelas seguintes comunidades de fiéis: Igreja católica (Ecclesia Catholica) Igrejas ortodoxas (surgidas do Cisma do Patriarca de Constantinopla, Celulário 1054). Igrejas protestantes (surgidas da Reforma de Lutero, no século XVI: Luteranos, Batistas, Presbiterianos, Metodistas, Calvinistas, Anglicanos). Igrejas pentecostais (surgidas nos Estados Unidos nos séculos XIX e XX e que chegaram ao Brasil no século XX). Igrejas neopentecostais (surgidas nos Estados Unidos e no Brasil nos séculos XX e XXI e que batizam de modo válido, segundo a Igreja Católica).

4 A igreja Por sua vez, a Igreja Católica é composta por seis ritos diferentes: Latino, ao qual nós pertencemos Constantinopolitano ou bizantino Sírio-caldaico Antioqueno Alexandrino Armênio Rito: patrimônio litúrgico, teológico, espiritual e disciplinar, distinto da cultura e da circunstâncias históricas de cada povo, e que se expressa no modo próprio de viver a fé própria de cada Igreja (cân. 28, 1, do Código dos Cânones das Igrejas Orientais).

5 PERTENÇA À IGREJA Cânon 204 diz: São fiéis cristãos aqueles que: 1. Pelo Batismo são incorporados a Cristo, 2. Integrados ao povo de Deus, 3. Por isso, participantes do tríplice munera de Cristo: sacerdote, profeta e rei, 4. Cada um, segundo sua própria condição, a desempenhar sua missão que Deus encarregou a Igreja neste mundo. Por sua vez, o cânon 205 afirma: Esta Igreja subsiste na Igreja Católica, governada pelo sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele. Cânon 206: Encontram-se em plena comunhão com a Igreja católica, nesta terra, os batizados que se unem a Cristo dentro da estrutura visível daquela; quer dizer, pelos vínculos da profissão de fé, dos sacramentos e do regime eclesiástico.

6 PERTENÇA À IGREJA NÓS, cristãos católicos: Fomos batizados, Incorporados a Cristo, Tornados pessoas na Igreja (sujeitos de direitos e deveres), Que subsiste plenamente na Igreja católica, De Rito Latino, no nosso caso. Pertencemos a ela enquanto mantivermos os vínculos da comunhão visível com ela, pela profissão de fé, pelos sacramentos e pelo regime, sob a autoridade do Romano Pontífice e dos Bispos.

7 Os fiéis em Cristo Na Igreja TODOS os batizados são fiéis em Cristo, portadores de uma mesma dignidade fundamental: TODOS somos filhos de Deus. Esta igualdade fundamental é que faz com que TODOS sejamos membros de um único corpo. Na Igreja não há nem maior e nem melhor. O que nos distingue uns dos outros são as FUNÇÕES que exercemos, onde umas trazem responsabilidades diferentes das outras e, por isso, responsabilidades maiores que outras. No exercício dessas responsabilidades, a Igreja reconhece duas categorias de fiéis: os clérigos (diáconos, presbíteros e bispo, marcados com o Sacramento da Ordem)e os leigos. Os religiosos e religiosas compõem um universo à parte.

8 Direitos e deveres de todos os fiéis Cânones do Código de Direito Canônico, de 1983 (CIC/83). Para levar ao bom termo a missão de cada um, segundo a sua condição, é necessário jamais perder de vista a íntima relação entre os Pastores e o seu povo. Num primeiro aspecto é preciso reconhecer o status do Pastor e consequentemente fazer-se obediente a ele. Num segundo momento, porém, é necessário abrir um profundo diálogo, se preciso propor ideias, mas sobretudo, estar sempre disposto a ouvira voz do Magistério, pois uma vez que estes guardam a lei e os costumes da Igreja, tendem sempre a orientá-la rumo aos caminhos que levam a Cristo. É direito dos fiéis receber de seus pastores os bens espirituais da Igreja, sobretudo o anúncio da Palavra e os sacramentos. A participação dos fiéis nessa profunda relação exige por sua vez uma íntima comunhão à doutrina da Igreja. Afinal, a consonância entre os Pastores e seu povo deve ser vivida dentro dos mesmos ideais, de modo que a unidade doutrinal e espiritual favoreça uma participação mais autêntica na vida da Igreja.

9 Direitos e deveres de todos os fiéis A Igreja reconhece aos seus filhos e filhas: 1) o direito de reunião e o direito de fundar e dirigir livremente associações para conseguir em comum os fins de culto e apostolado próprios de sua missão (cân. 215); 2) o direito a uma educação cristã, que os capacite a atingir a maturidade da pessoa humana e para conhecer e viver o mistério da salvação cristã(cân.217); 3) o direito a pesquisar e a manifestar a sua opinião, nas matérias em que são peritos (cân. 218). Nas suas relações com as autoridades da Igreja, os fieis têm o direito: 1) de manifestar a própria opinião sobre o que se refere ao bem da Igreja, com o devido respeito aos seus pastores; 2) de manifestar essa opinião aos outros fiéis; 3) de expor as próprias necessidades, principalmente as espirituais, e os próprios anseios (cân ).

10 Direitos e deveres de todos os fiéis O Código faz também uma série de referências a questões mais restritas, como: O dever da obediência das ovelhas aos pastores da Igreja. Pelo que diz respeito aos seus bens pessoais, os fiéis têm: 1) o direito à imunidade de coação na escolha do estado de vida (cân. 219); 2) o direito a proteger a sua intimidade e a própria fama (cân. 220); 3) o direito a reivindicar os seus direitos pessoais no foro eclesiástico; 4) direito à formação e à livre pesquisa nas áreas da exegese, moral e teologia dogmática, sob a supervisão do Magistério; 5) o direito a serem julgados de acordo com as prescrições do direito, a ser aplicadas com equidade; 6) o direito a não ser punidos, a não ser de acordo com a lei (cân. 221). Código ressalta a importância da participação dos fiéis na manutenção material da Igreja, de modo que ela possa dispor do que é necessário para a realização do culto divino; assista à caridade; e sustente honestamente os seus ministros.

11 Os Direitos e Deveres dos Fiéis Leigos Cânones CIC/83 LEIGOS: seu estatuto fundamental, portanto, é o dos fiéis cristãos, com especial responsabilidade nos deveres e direitos que os clérigos, por diversas razões, não podem exercer diretamente. Consequentemente, o estatuto fundamental do Leigo em sentido estrito presta especial atenção ao direito dos apostolados que somente eles podem desenvolver: o da cristianização da ordem temporal, social, política, econômica e o do estado da vida matrimonial. Também é obviamente exclusivo dos Leigos o poder cooperar com os clérigos, com a hierarquia da Igreja, em seus ministérios específicos. Em virtude do batismo, podem tomar parte ativa no exercício do ministério hierárquico: por exemplo, na presidência do culto público (cf. cân ; ), na evangelização com missão canônica (cân. 766; decreto geral da CNBB), e na direção do povo de Deus (cân ). Possuem, portanto, capacidade para exercer ofícios eclesiásticos e encargos em que cooperam mais estavelmente no exercício do poder eclesial de regime; os Leigos, homens e mulheres, podem, em determinadas circunstâncias, ser nomeados juízes que formem parte de um tribunal colegial (cân ) e também se lhes pode confiar uma participação no exercício do cuidado pastoral de uma paróquia, sob a direção de um presbítero (cân ).

12 Os Direitos e Deveres dos Fiéis Leigos Especialmente, podem ser peritos e conselheiros dos Conselhos que assessoram a hierarquia eclesiástica; assim, por exemplo, formam parte de alguns dicastérios da Cúria romana, dos conselhos pastorais, diocesanos, paroquiais, etc. Obviamente, a participação dos Leigos é plena e paritária com os clérigos nas atividades da Igreja e da sua hierarquia enquanto sociedade terrena, para cuja capacitação o sacramento da ordem não aporta nada. Por isso, em toda a necessária atividade econômica da Igreja, os Leigos podem ter as mesmas competências que os clérigos: podem ser ecônomos diocesanos (cân. 494), membros dos conselhos econômicos diocesanos (cân. 492) e paroquiais (cân. 537), administradores de quaisquer bens eclesiásticos (cf. cân. 1282).

Conselho Arquidiocesano de Pastoral

Conselho Arquidiocesano de Pastoral Conselho Arquidiocesano de Pastoral Capítulo 1 Marco histórico-eclesial Marco Histórico-Eclesial (VER-JULGAR-AGIR) OS LEIGOS NA ÉPOCA DA CRISTANDADE... A presença e organização dos leigos buscou sempre

Leia mais

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão.

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Como animadores da comunhão, temos a missão de acolher,

Leia mais

Teologia Sistemática

Teologia Sistemática Teologia Sistemática Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano de Formação Cristã Escola de Leigos 1º Semestre 2014/2015 Docente: Juan Ambrosio Fernando Catarino Tema da sessão Lumen Gentium 1. Aspetos

Leia mais

MINISTÉRIOS DO POVO DE DEUS

MINISTÉRIOS DO POVO DE DEUS MINISTÉRIOS DO POVO DE DEUS Novas condições eclesiais A Igreja é como uma família, a filha da mãe Maria. A Igreja, de fato, não é uma instituição fechada em si mesma ou uma associação privada, uma ONG,

Leia mais

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B

PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B PLANO DE ENSINO TEOLOGIA NÍVEL B (ENSINO MÉDIO) 1. PRÉ-REQUISITOS - Primeiro Grau Completo ou Segundo Grau Incompleto. - É necessária indicação da pároco/ministro encarregado e autorização do bispo diocesano.

Leia mais

I - Conceito e dimensões:

I - Conceito e dimensões: I - Conceito e dimensões: 1. O sacramento da Confirmação que imprime caráter e pelo qual os batizados, continuando o caminho da iniciação cristã são enriquecidos com o dom do Espírito Santo e vinculados

Leia mais

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 2- TEMA: Liturgia 3- OBJETIVO GERAL Assessorar as 12 comunidades pertencentes à Paróquia Santo Antônio, motivando-as a celebrar com fé o Mistério

Leia mais

Prof. Dr. José Francisco de Assis Dias. DIREITO ADMINISTRATIVO CANÔNICO Sacramento do Matrimônio

Prof. Dr. José Francisco de Assis Dias. DIREITO ADMINISTRATIVO CANÔNICO Sacramento do Matrimônio Prof. Dr. José Francisco de Assis Dias DIREITO ADMINISTRATIVO CANÔNICO Sacramento do Matrimônio ADMINISTRAÇÃO PAROQUIAL II Primeira Edição Editora Vivens O conhecimento a serviço da Vida! Maringá-PR 2012

Leia mais

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral Diocese de Criciúma Plano Diocesano de Pastoral 2012-2016 OBJETIVO GERAL Nós, povo de Deus da Diocese de Criciúma, animados pela Santíssima Trindade, queremos: Evangelizar vivendo em comunidade, como Igreja

Leia mais

VIVER A CATEQUESE BATISMAL. Arquidiocese de Ribeirão Preto

VIVER A CATEQUESE BATISMAL. Arquidiocese de Ribeirão Preto VIVER A CATEQUESE BATISMAL Arquidiocese de Ribeirão Preto O que é Catequese Batismal? A preparação para o Sacramento do Batismo, sem dúvida, é uma tarefa fascinante e necessária à vida pastoral de nossas

Leia mais

Estatutos do Conselho Paroquial de Pastoral PREÂMBULO

Estatutos do Conselho Paroquial de Pastoral PREÂMBULO Estatutos do Conselho Paroquial de Pastoral I PREÂMBULO Os Conselhos Paroquiais surgem, na renovação conciliar, como um meio primacial de conseguir a coordenação e animação da vida própria da Paróquia

Leia mais

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra);

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra); Uma nova paróquia Introdução DA: Conversão Pastoral Escolha de outro caminho; Transformar a estrutura paroquial retorno a raiz evangélica; Jesus: modelo (vida e prática); Metodologia: Nele, com Ele e a

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA

REFORMA E CONTRARREFORMA REFORMA E CONTRARREFORMA CONHECER E COMPREENDER A REFORMA PROTESTANTE Porque houve uma Reforma religiosa na Europa? Venda de indulgências Luxo da Igreja Corrupção Falta de vocação de membros do Clero Afastamento

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

Sumário. Prefácio... 13

Sumário. Prefácio... 13 Sumário Prefácio... 13 PARTE UM O LEGADO ISRAELITA 1. Cristianismo e judaísmo... 29 A separação dos caminhos... 29 O cristianismo e o cânone hebraico da Escritura... 40 O cristianismo e a interpretação

Leia mais

!" #$! %&% '( CAUSAS: ! "# $ % & ' $ (% & ) * + *, -$. / ++.) */ 0.) 0 0 0*

! #$! %&% '( CAUSAS: ! # $ % & ' $ (% & ) * + *, -$. / ++.) */ 0.) 0 0 0* º º !" #$! %&% '( CAUSAS:! "# $ % & ' $ (% & ) * + *, -$. / ++.) */ 0.) 0 0 0* -/ - !"#$%&'(#)*' $%+&,)* $-./0*1+2 23)4 15 $$ '6 & ) * + *, -$. / ++.) */ Séc. XIV e XV John Wyclif (Inglaterra) Jan Hus

Leia mais

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA 17-03-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze A Igreja no desígnio de Deus O que significa a palavra Igreja? Designa o povo que Deus convoca e reúne de todos os

Leia mais

FILOSOFIA - 2 o ANO MÓDULO 08 A REAÇÃO DE ROMA: O CONCÍLIO DE TRENTO

FILOSOFIA - 2 o ANO MÓDULO 08 A REAÇÃO DE ROMA: O CONCÍLIO DE TRENTO FILOSOFIA - 2 o ANO MÓDULO 08 A REAÇÃO DE ROMA: O CONCÍLIO DE TRENTO Como pode cair no enem A Reforma protestante e a Contrarreforma envolveram aspectos ligados à doutrina da religião cristã e à forma

Leia mais

ESTATUTO DO FUNDO ECONÓMICO PAROQUIAL

ESTATUTO DO FUNDO ECONÓMICO PAROQUIAL ESTATUTO DO FUNDO ECONÓMICO PAROQUIAL ARTIGO 1. Natureza do Fundo Económico Paroquial 1. O Fundo Económico Paroquial, consagrado no cn. 531 do Código de Direito Canónico e agora instituído na Diocese de

Leia mais

O Sacramento da Ordem - V Seg, 29 de Dezembro de :26 - Pe. Henrique Soares da Costa

O Sacramento da Ordem - V Seg, 29 de Dezembro de :26 - Pe. Henrique Soares da Costa Pe. Henrique Soares da Costa No artigo passado vimos em que sentido o sacramento da Ordem confere um modo especial de participar do único sacerdócio de Cristo. Veremos, agora como é celebrado este sacramento,

Leia mais

Teologia Sistemática

Teologia Sistemática Teologia Sistemática Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano de Formação Cristã Escola de Leigos 1º Semestre 2014/2015 Docente: Juan Ambrosio Fernando Catarino Tema da sessão A Igreja 1. Identidade e

Leia mais

A Santa Sé AD TUENDAM FIDEM, Igrejas Orientais, sejam acrescentadas normas, pelas quais expressamente se imponha o dever

A Santa Sé AD TUENDAM FIDEM, Igrejas Orientais, sejam acrescentadas normas, pelas quais expressamente se imponha o dever A Santa Sé CARTA APOSTÓLICA DO SUMO PONTÍFICE JOÃO PAULO II SOB A FORMA DE MOTU PROPRIO AD TUENDAM FIDEM, COM A QUAL SÃO INSERIDAS ALGUMAS NORMAS NO CÓDIGO DE DIREITO CANÓNICO E NO CÓDIGO DOS CÂNONES DAS

Leia mais

- MODELO DE ESTATUTOS - APRESENTAÇÃO

- MODELO DE ESTATUTOS - APRESENTAÇÃO CONSELHOS PASTORAIS PAROQUIAIS - MODELO DE ESTATUTOS - APRESENTAÇÃO Dom Augusto César Alves Ferreira da Silva, em 01 de julho de 1989, tornando presente a doutrina do Concílio Vaticano II, as recomendações

Leia mais

Pontifícias Obras Missionárias

Pontifícias Obras Missionárias Pontifícias Obras Missionárias www.pom.org.br Três Campanhas Campanha da Fraternidade (1963) Na Quaresma - coleta Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) Campanha Missionária (DMM - 1926) No mês de Outubro

Leia mais

Partir de cada realidade e suas particularidades NOVA PAROQUIA, uma Comunidade Comunidades (setorização), Estado permanente de missão

Partir de cada realidade e suas particularidades NOVA PAROQUIA, uma Comunidade Comunidades (setorização), Estado permanente de missão PISTAS DE AÇÃO GRUPO 1 Partir de cada realidade e suas particularidades, para criar conselhos missionários diocesanos e paroquiais onde ainda não existem, e fortalecer aqueles existentes, para dinamizar

Leia mais

RENASCIMENTO CULTURAL

RENASCIMENTO CULTURAL RENASCIMENTO CULTURAL O termo renascimento, ou renascença, faz referência a um movimento intelectual e artístico ocorrido na Europa, entre os séculos XV e XVI, durante a transição da Idade Média para a

Leia mais

Teologicamente, o Matrimónio é considerado como Sacramento porque é a imagem da união de Cristo com a Sua Igreja.

Teologicamente, o Matrimónio é considerado como Sacramento porque é a imagem da união de Cristo com a Sua Igreja. A Instituição do Matrimónio foi oficialmente reconhecida como um dos Sacramentos da Igreja no Concílio de Latrão IV (1215). Antes desta data ele foi sempre considerado como uma realidade religiosa distintamente

Leia mais

O MAGISTÉRIO DA IGREJA NA FORMAÇÃO

O MAGISTÉRIO DA IGREJA NA FORMAÇÃO O MAGISTÉRIO DA IGREJA NA FORMAÇÃO ENCONTRO NACIONAL DO MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO - 2013 3 PILARES DA REVELAÇÃO PÚBLICA (Catec. 65) Sagrada Escritura - Palavra de Deus dirigida ao Homem por inspiração e escrita

Leia mais

O Ano Santo é um tempo de paz, reconciliação e perdão. Ele começa quando o Papa abre a

O Ano Santo é um tempo de paz, reconciliação e perdão. Ele começa quando o Papa abre a Neste mês ocorrerá a abertura do Ano Santo da Misericórdia: O jubileu dedicado à misericórdia de Deus. O rosto da misericórdia é o título da bula pela qual o Santo Padre convoca toda a Igreja para viver

Leia mais

OS PERIGOS DAS HERESIAS. Vlademir Hernandes

OS PERIGOS DAS HERESIAS. Vlademir Hernandes OS PERIGOS DAS HERESIAS Vlademir Hernandes 1 INTRODUÇÃO Conceito Negação de um fundamento Engano com consequências Nem todo erro é heresia Nem toda diferença de opinião é heresia 2 INTRODUÇÃO Tipos Facilmente

Leia mais

Dom José Manuel Garcia Cordeiro, por mercê de Deus e da Sé Apostólica, 44º Bispo de Bragança-Miranda

Dom José Manuel Garcia Cordeiro, por mercê de Deus e da Sé Apostólica, 44º Bispo de Bragança-Miranda Dom José Manuel Garcia Cordeiro, por mercê de Deus e da Sé Apostólica, 44º Bispo de Bragança-Miranda DECRETO Nº02/2014 Os Ministros Extraordinários da Comunhão Aos que este decreto virem, saúde e bênção.

Leia mais

ENSINO RELIGIOSO 8 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA PATRÍCIA FONSECA PROF. LUIS CLÁUDIO BATISTA

ENSINO RELIGIOSO 8 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA PATRÍCIA FONSECA PROF. LUIS CLÁUDIO BATISTA ENSINO RELIGIOSO 8 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ERIKA PATRÍCIA FONSECA PROF. LUIS CLÁUDIO BATISTA Avaliação da unidade III Pontuação: 7,5 pontos 2 Questão 01 (1,0) As religiões orientais desenvolveram-se

Leia mais

Pastoral do Batismo Diocesana Diocese de Petrópolis

Pastoral do Batismo Diocesana Diocese de Petrópolis Bispo Diocesano Dom Gregório Paixão Coordenador Diocesano das Pastorais Pe. Ernande Coord. Diocesano Pastoral Batismo Diác. Marco Carvalho Secretário(a) Diocesano Claudio Representante Pascom Diocesana

Leia mais

SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO

SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO Objetivo geral do encontro: Ao final deste encontro, o grupo deverá ser capaz de compreender o Matrimônio como uma instituição elevada à categoria de Sacramento por Jesus Cristo,

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO CALENDÁRIO ARQUIDIOCESANO DE PASTORAL 2017

ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO CALENDÁRIO ARQUIDIOCESANO DE PASTORAL 2017 ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO CALENDÁRIO ARQUIDIOCESANO DE PASTORAL 2017 Consulte sempre o site da Arquidiocese, pois irão sendo registradas as alterações e complementações que ocorrerem. DIA/SEM 20.01.2017

Leia mais

A comunicação na Igreja do Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Moisés Sbardelotto

A comunicação na Igreja do Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Moisés Sbardelotto A comunicação na Igreja do Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Moisés Sbardelotto Uma longa história de vivência e exercício da ação evangelizadora como prática de comunicação no Brasil 1963 Inter

Leia mais

Prefácio dos organizadores... Introdução...

Prefácio dos organizadores... Introdução... SUMÁRIO Prefácio dos organizadores... XI SEÇÃO IX HISTÓRIA DA IGREJA NO SÉCULO XIX Kurt Nowak e Hubert W olf Parte A História da Igreja evangélica a partir da Revolução Francesa até o final da Primeira

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 8.º ANO DE EMRC 8.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir as metas abaixo indicadas, nos seguintes domínios: Religião e Experiência Religiosa Construir uma chave de

Leia mais

Barretos, 1º de agosto de Circular 07/2017. Caríssimos irmãos e irmãs,

Barretos, 1º de agosto de Circular 07/2017. Caríssimos irmãos e irmãs, Barretos, 1º de agosto de 2017 Circular 07/2017 Caríssimos irmãos e irmãs, Todos os anos, no mês de agosto, a Igreja do Brasil celebra o Mês Vocacional, dando destaque, a cada semana, a uma vocação específica:

Leia mais

GRUPO DE ORAÇÃO. Formação Missionária Diocese de Osasco

GRUPO DE ORAÇÃO. Formação Missionária Diocese de Osasco GRUPO DE ORAÇÃO Formação Missionária Diocese de Osasco Conceito Comunidade carismática presente em um lugar (...) que cultiva a oração, a partilha e todos os outros aspectos da vivência do Evangelho, a

Leia mais

O Matrimónio, uma vocação A família, lugar vocacional. Maio-2011 Vocação Matrimonial e Familiar 1

O Matrimónio, uma vocação A família, lugar vocacional. Maio-2011 Vocação Matrimonial e Familiar 1 O Matrimónio, uma vocação A família, lugar vocacional Maio-2011 Vocação Matrimonial e Familiar 1 Sumário O que é vocação Matrimónio, sinal e missão Matrimónio, aliança e compromisso Missão em casal Missão

Leia mais

ENCONTRO MATRIMONIAL MUNDIAL Secretariado da América Latina

ENCONTRO MATRIMONIAL MUNDIAL Secretariado da América Latina ENCONTRO MATRIMONIAL MUNDIAL Secretariado da América Latina GLOSSÁRIO DE TERMOS MAIS UTILIZADOS NO ENCONTRO MATRIMONIAL MUNDIAL 2017 2 A Apostolado: mudança de vida que acontece quando encontramos uma

Leia mais

ESTRUTUTA DE CORRESPONSABILIDADE NA COORDENAÇÃO DA PASTORAL

ESTRUTUTA DE CORRESPONSABILIDADE NA COORDENAÇÃO DA PASTORAL Capítulo IV ESTRUTUTA DE CORRESPONSABILIDADE NA COORDENAÇÃO DA PASTORAL Introdução A unidade da Igreja tem um instrumento importante na unidade de ação, tarefa da coordenação de Pastoral. A preocupação

Leia mais

Paróquia N. S. do Perpétuo Socorro Curso de Teologia Para Leigos Eclesiologia

Paróquia N. S. do Perpétuo Socorro Curso de Teologia Para Leigos Eclesiologia 1 A Igreja Ortodoxa (do grego όρθος, reto, e δόξα, doutrina) é uma Igreja cristã que separou-se da Igreja Católica Romana no século XI (1052), tendo quase mil anos, seus fiéis são chamados de católicos

Leia mais

Celebração Dominical da Palavra. Cap. 07 Ione Buyst

Celebração Dominical da Palavra. Cap. 07 Ione Buyst Celebração Dominical da Palavra Cap. 07 Ione Buyst A Igreja de Cristo, desde o dia de Pentecostes, após a descida do Espírito Santo, sempre se reuniu fielmente para celebrar o mistério pascal, no dia que

Leia mais

JANEIRO Tríduo da Festa de São Paulo Apóstolo

JANEIRO Tríduo da Festa de São Paulo Apóstolo ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO CALENDÁRIO ARQUIDIOCESANO DE PASTORAL 2017 Consulte sempre o site da Arquidiocese, pois irão sendo registradas as alterações e complementações que ocorrerem. DIA/SEM 25.05.2017

Leia mais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais Mater Ecclesiae Liturgia 2 Aula 14 Sacramentais Definição À imitação dos Sacramentos A santa mãe Igreja instituiu os sacramentais, que são sinais sagrados pelos quais, à imitação dos sacramentos, são significados

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÁTÃO CURRÍCULO DISCIPLINAR 3º ANO EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC) (SNEC) 2015-16 3 º ANO Unidade Letiva 1 A Dignidade das Crianças 1. Tomar consciência de que as crianças

Leia mais

O Papa João Paulo II Magno afirma no número 34 da Ecclesia de

O Papa João Paulo II Magno afirma no número 34 da Ecclesia de Côn. Henrique Soares da Costa A Eucaristia faz a Igreja ser corpo de Cristo. Neste corpo, formado por muitos membros, nem todos fazem a mesma coisa, mas cada um tem sua função, seu dom, seu modo específico

Leia mais

HISTÓRIA 1 ANO PROF. AMAURY PIO PROF. EDUARDO GOMES ENSINO MÉDIO

HISTÓRIA 1 ANO PROF. AMAURY PIO PROF. EDUARDO GOMES ENSINO MÉDIO HISTÓRIA 1 ANO PROF. AMAURY PIO PROF. EDUARDO GOMES ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade III Conceitos sobre Era Medieval e Feudalismo 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 12.2 Conteúdo As Reformas Religiosas

Leia mais

Diretrizes diaconato permanente

Diretrizes diaconato permanente Diretrizes diaconato permanente Enviado por Dom Zeno DIRETRIZES PARA PROMOVER O DIACONATO PERMANENTE NA DIOCESE DE NOVO HAMBURGO... DIRETRIZES PARA PROMOVER O DIACONATO PERMANENTE NA DIOCESE DE NOVO HAMBURGO

Leia mais

Agenda Pastoral 2017

Agenda Pastoral 2017 Janeiro Arquidiocese de Ribeirão Preto Agenda Pastoral 2017 Finalizada em 5 de janeiro de 2017 (sujeito a alteração) 01/01 - Domingo - Solenidade da Santa Mãe de Deus, Maria 07/01 - Sábado - Capacitação

Leia mais

1. - Todas as matérias que lhe sejam atribuídas pelo Prelado da Arquidiocese;

1. - Todas as matérias que lhe sejam atribuídas pelo Prelado da Arquidiocese; Estatuto do Conselho Pastoral Paroquial Capitulo I Natureza Jurídica Art. 1 - O CPP é um órgão representativo do Povo de Deus constituído na paróquia para promover um diálogo institucionalizado entre o

Leia mais

Conferência Doutrinária, Pastoral e Teológica 20º Concílio Geral. Palavra do Bispo Roberto Alves de Souza Bispo da 4ª Região Eclesiástica

Conferência Doutrinária, Pastoral e Teológica 20º Concílio Geral. Palavra do Bispo Roberto Alves de Souza Bispo da 4ª Região Eclesiástica Conferência Doutrinária, Pastoral e Teológica 20º Concílio Geral Palavra do Bispo Roberto Alves de Souza Bispo da 4ª Região Eclesiástica julho de 2016 Teresópolis RJ Bispo Roberto: Bom dia Bispo Adonias

Leia mais

A IGREJA MEDIEVAL. História 1 Aula 13 Prof. Thiago

A IGREJA MEDIEVAL. História 1 Aula 13 Prof. Thiago A IGREJA MEDIEVAL História 1 Aula 13 Prof. Thiago A IGREJA MEDIEVAL Instituição centralizada, poderosa, hierárquica, supranacional e autoritária Única instituição coesa com o fim do Império Romano Controle

Leia mais

INSTRUMENTO DE ESTUDO ESCOLAS CATEQUÉTICAS ORIENTAÇÕES III. ESCOLAS BÍBLICO - CATEQUÉTICAS

INSTRUMENTO DE ESTUDO ESCOLAS CATEQUÉTICAS ORIENTAÇÕES III. ESCOLAS BÍBLICO - CATEQUÉTICAS INSTRUMENTO DE ESTUDO ESCOLAS CATEQUÉTICAS ORIENTAÇÕES III. ESCOLAS BÍBLICO - CATEQUÉTICAS 23. Muitas são as modalidades de formação dos catequistas tais como cursos, jornadas, encontros, semanas catequéticas,

Leia mais

15/8/2011. Dom Dimas MINISTÉRIO DO CATEQUISTA. Apresentação (D. Eugênio Rixen)

15/8/2011. Dom Dimas MINISTÉRIO DO CATEQUISTA. Apresentação (D. Eugênio Rixen) MINISTÉRIO DO CATEQUISTA Dom Dimas Mesmo crescendo o número de serviços eclesiais, o do catequista ainda é necessário e fundamental e com características peculiares (RM 73). Isto vem sendo estudado e refletido

Leia mais

Condições Gerais. Políticas: Crise do Feudalismo Crescimento da Burguesia Rei não aceita interferência da Igreja Supranacionalismo Papal

Condições Gerais. Políticas: Crise do Feudalismo Crescimento da Burguesia Rei não aceita interferência da Igreja Supranacionalismo Papal Condições Gerais Políticas: Crise do Feudalismo Crescimento da Burguesia Rei não aceita interferência da Igreja Supranacionalismo Papal Econômicas: Nobreza interessada nas Terras da Igreja Burguesia contra

Leia mais

Ser e estar na igreja

Ser e estar na igreja Ser e estar na igreja Segundo a Revista Época de 25 de maio de 2009 estima-se que em 2020 50% da população brasileira poderá ser evangélica. E se a previsão se cumprir, o aumento no número de fiéis ajudará

Leia mais

Documento 99 da CNBB. Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Pastoral da Comunicação Araucária, 11 de Fevereiro de 2017

Documento 99 da CNBB. Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Pastoral da Comunicação Araucária, 11 de Fevereiro de 2017 Documento 99 da CNBB Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Pastoral da Comunicação Araucária, 11 de Fevereiro de 2017 Pauta Documento 99 da CNBB no âmbito PAROQUIAL Planejamento integrado de 2017

Leia mais

Apêndice Dois: Proposta para o Convênio Anglicano

Apêndice Dois: Proposta para o Convênio Anglicano Apêndice Dois: Proposta para o Convênio Anglicano O Convênio Anglicano Preâmbulo Nós, as igrejas da Comunhão Anglicana, visando promover maior unidade e consolidar nossos entendimentos de comunhão, solenemente

Leia mais

IDADE MODERNA A REFORMA PROTESTANTE

IDADE MODERNA A REFORMA PROTESTANTE REFORMA PROTESTANTE REFORMA PROTESTANTE OTESTANT IDADE MODERNA Definição: movimento religioso que rompeu com a autoridade da Igreja Católica, dando origem a novas religiões cristãs; Quando: a partir do

Leia mais

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica

CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas. Estudo da Teologia E Metodologia Teológica CURSO DE TEOLOGIA Forania Santana Arquidiocese de Campinas Estudo da Teologia E Metodologia Teológica INTRODUÇÃO 1 - Vivemos tempos difíceis para a fé e portanto para a Teologia. Porém este desafio é nosso,

Leia mais

O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e

O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e irmãos uns dos outros; identifica-nos com Jesus-Verdade,

Leia mais

O Cristianismo - Questionário

O Cristianismo - Questionário O Cristianismo Cristianismo é uma religião abraâmica monoteísta centrada na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, tais como são apresentados no Novo Testamento; A fé cristã acredita essencialmente

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS SACRAMENTOS E SACRAMENTO DO BATISMO

INTRODUÇÃO AOS SACRAMENTOS E SACRAMENTO DO BATISMO INTRODUÇÃO AOS SACRAMENTOS E SACRAMENTO DO BATISMO (PARÓQUIA DE SANTA SUZANA - ESCOLA SANTO AGOSTINHO) O QUE É SACRAMENTO? 1 IDÉIA BÁSICA DEUS NÃO QUER VIVER LONGE DO HOMEM; AO CONTRÁRIO, QUER FICAR UNIDO

Leia mais

ECLESIALIDADE DA VIDA CONSAGRADA

ECLESIALIDADE DA VIDA CONSAGRADA ECLESIALIDADE DA VIDA CONSAGRADA Profa. Ir. Thereza Rosa Benedetto PUCRS O presente artigo apresenta aspectos concernentes à eclesialidade da Vida Consagrada. A Igreja reconhece que existe Vida Consagrada,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO

ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO Sumário Introdução 1. A compreensão do dízimo 1.1 Os fundamentos do dízimo 1.2 O que é o dízimo? 1.3 As dimensões do dízimo 1.4 As finalidades do dízimo 2. Orientações

Leia mais

(ANÁMNESIS) ATUALIZAÇÃO DA GRAÇA - SETENÁRIO SACRAMENTAL

(ANÁMNESIS) ATUALIZAÇÃO DA GRAÇA - SETENÁRIO SACRAMENTAL SACRAMENTOS - III (ANÁMNESIS) ATUALIZAÇÃO DA GRAÇA - SETENÁRIO SACRAMENTAL - 1 COMO OS SACRAMENTOS ATUALIZAM A GRAÇA NAS DIVERSAS SITUAÇÕES DA VIDA 2 1. O QUE ACONTECE NO BATISMO? 3 NO BATISMO, A PESSOA

Leia mais

Documentos sobre o diálogo inter-religioso

Documentos sobre o diálogo inter-religioso 4 2017 Documentos sobre o diálogo inter-religioso D. Miguel Ángel Ayuso Guixot, MCCJ Secretário do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso Caros irmãos no episcopado, Agradeço a oportunidade

Leia mais

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério

Propedêutica Bíblica. 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério Propedêutica Bíblica 20 de Janeiro de 2014 Bíblia e Magistério ORAÇÃO Hebreus 1 Muitas vezes e de muitos modos, falou Deus aos nossos pais, nos tempos antigos, por meio dos profetas. 2 Nestes dias, que

Leia mais

DIRETÓRIO DA PASTORAL FAMILIAR doc

DIRETÓRIO DA PASTORAL FAMILIAR doc DIRETÓRIO DA PASTORAL FAMILIAR doc 79-2004 O trabalho da PF é amplo e abrangente; principal enfoque é PROMOVER, FORTALECER e EVANGELIZAR a família. Uma das principais ações: UNIR ESFORÇOS PARA QUE A FAMÍLIA

Leia mais

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado UMA TENTATIVA RESUMO Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado SÍNTESE Mostra e revela as relações entre elementos

Leia mais

A Declaração de Jerusalém

A Declaração de Jerusalém A Declaração de Jerusalém Introdução Preocupados em estabelecer fundamentos sobre os quais a igreja deve buscar a expansão do cristianismo, representantes anglicanos de todo o mundo firmaram princípios

Leia mais

Calendário Janeiro. Fevereiro. São Paulo da Cruz - Calvário 20/02 qui 14h00 Equipe Regional de Comunicação Região Sé

Calendário Janeiro. Fevereiro. São Paulo da Cruz - Calvário 20/02 qui 14h00 Equipe Regional de Comunicação Região Sé Calendário 2014 Janeiro 01/01 qua Confraternização Universal 01/01 qua Solenidade da Santa Mãe de Deus 22 a 24 --- Triduo para a Festa de São Paulo Catedral da Sé 25/01 sáb 09h00 Celebração da Festa de

Leia mais

sobre o serviço da caridade

sobre o serviço da caridade BENTO XVI Carta Apostólica sob a forma de Motu Proprio sobre o serviço da caridade Proémio «A natureza íntima da Igreja exprime-se num tríplice dever: anúncio da Palavra de Deus (kerygma-martyria), celebração

Leia mais

AÇÃO DE ANULAÇÃO DE CASAMENTO PELO DIREITO CANÔNICO

AÇÃO DE ANULAÇÃO DE CASAMENTO PELO DIREITO CANÔNICO AÇÃO DE ANULAÇÃO DE CASAMENTO PELO DIREITO CANÔNICO Jaqueline de Oliveira BEIJAMIM 1 RESUMO: O presente artigo analisou o aspecto do matrimônio no Direito Canônico, onde foi definido seu conceito. Proporcionou

Leia mais

* Apostila Nr. 01 O VERDADEIRO SENTIDO DO DIZIMO. DIOCESE DE JOINVILLE SC PASTORAL DO DIZIMO Pe. Ivanor Macieski

* Apostila Nr. 01 O VERDADEIRO SENTIDO DO DIZIMO. DIOCESE DE JOINVILLE SC PASTORAL DO DIZIMO Pe. Ivanor Macieski Apostila Nr. 01 O VERDADEIRO SENTIDO DO DIZIMO DIOCESE DE JOINVILLE SC PASTORAL DO DIZIMO Pe. Ivanor Macieski Introdução Neste primeiro volume da Apostila da Pastoral do dizimo, desejamos aprofundar o

Leia mais

CNLB. Conselho Nacional do Laicato do Brasil

CNLB. Conselho Nacional do Laicato do Brasil CNLB Conselho Nacional do Laicato do Brasil Somos leigos e leigas... - Marcados pelo batismo, a maior parcela do Povo de Deus = Igreja - Corresponsáveis pela missão de Jesus = Igreja - De maneira singular,

Leia mais

Onde Situar a Catequese hoje?

Onde Situar a Catequese hoje? Onde Situar a Catequese hoje? Qual é o nosso conceito de catequese? Conceito amplo Itinerário amplo Conceito estrito Limitado ao momento do encontro A CATEQUESE É UMA AÇÃO ESSENCIALMENTE EDUCATIVA AÇÃO

Leia mais

A Santa Sé CONSTITUIÇÃO APOSTÓLICA DO SUMO PONTÍFICE JOÃO PAULO II FIDEI DEPOSITUM

A Santa Sé CONSTITUIÇÃO APOSTÓLICA DO SUMO PONTÍFICE JOÃO PAULO II FIDEI DEPOSITUM A Santa Sé CONSTITUIÇÃO APOSTÓLICA DO SUMO PONTÍFICE JOÃO PAULO II FIDEI DEPOSITUM PARA A PUBLICAÇÃO DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA REDIGIDO DEPOIS DO CONCÍLIO VATICANO II Aos veneráveis Irmãos Cardeais.

Leia mais

Introdução. Quem deseja o episcopado, boa obra deseja. Curso Básico Preparatório de Obreiros

Introdução. Quem deseja o episcopado, boa obra deseja. Curso Básico Preparatório de Obreiros Curso Básico Preparatório de Obreiros Então disse aos seus discípulos: A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua seara. Mateus

Leia mais

A Igreja e seus ministros. Uma teologia do ministério ordenado

A Igreja e seus ministros. Uma teologia do ministério ordenado ISSN 1676-3742 A Igreja e seus ministros. Uma teologia do ministério ordenado Taborda, F., São Paulo, Paulus, 2011 (325 páginas) Mario de França Miranda Esta obra representa sem dúvida um importante subsídio

Leia mais

EJA 4ª FASE PROF. LUIS CLAÚDIO

EJA 4ª FASE PROF. LUIS CLAÚDIO EJA 4ª FASE PROF. LUIS CLAÚDIO CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Unidade II As tradições religiosas e os textos sagrados. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 049-PROEC/UNICENTRO, DE 27 DE MARÇO DE 2014. Altera o anexo I E II da Resolução nº035- PROEC/UNICENTRO, de 06 de maio de 2013 e aprova o Relatório Final. O PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO E CULTURA

Leia mais

Brunner, Emil. Equívoco sobre a Igreja, trad. Paulo Arantes. São Paulo: Editora Cristã Novo Século, 2ª impressão, 2004, 142pp

Brunner, Emil. Equívoco sobre a Igreja, trad. Paulo Arantes. São Paulo: Editora Cristã Novo Século, 2ª impressão, 2004, 142pp Brunner, Emil. Equívoco sobre a Igreja, trad. Paulo Arantes. São Paulo: Editora Cristã Novo Século, 2ª impressão, 2004, 142pp Júlio Fontana Desde os dias da Reforma até os nossos dias, nunca esteve claro

Leia mais

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Deus nos alerta pela profecia de Oséias de que o Povo dele se perde por falta de conhecimento. Cf. Os 4,6 1ª Tm 4,14 Porque meu povo se perde

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE E REFORMA CATÓLICA VISÃO PANORÂMICA

REFORMA PROTESTANTE E REFORMA CATÓLICA VISÃO PANORÂMICA REFORMA PROTESTANTE E REFORMA CATÓLICA VISÃO PANORÂMICA Martinho Lutero ( 1483-1546 ) 1505 Entra para ordem dos Agostinianos 1507 Ordenado Sacerdote 1513 Professor na Universidade de Wittenberg Constante

Leia mais

CATECISMO do Século XXI

CATECISMO do Século XXI CATECISMO do Século XXI IGREJA ANGLICANA REFORMADA DO BRASIL IGREJA ANGLICANA REFORMADA DO BRASIL Sumário Introdução 1 Prefácio 3 A Chamada de Deus 7 A Fé Cristã 11 A Obediência Cristã 17 O Crescimento

Leia mais

Judaísmo A mais antiga religião monoteísta. Ana Paula N. Guimarães

Judaísmo A mais antiga religião monoteísta. Ana Paula N. Guimarães Judaísmo A mais antiga religião monoteísta Ana Paula N. Guimarães O que é o judaísmo? A mais antiga religião das três principais e maiores religiões monoteístas Judaísmo Cristianismo (maior em quantidade

Leia mais

IGREJA. Sua Natureza

IGREJA. Sua Natureza IGREJA Sua Natureza A igreja é a comunidade de todos os cristãos de todos os tempos. Wayne Grudem A igreja é o novo Israel de Deus que revela nesse tempo Sua glória Thiessen A igreja é a a assembléia dos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A INICIAÇÃO CRISTÃ DAS CRIANÇAS E DOS ADOLESCENTES EM IDADE DE CATEQUESE

ORIENTAÇÕES PARA A INICIAÇÃO CRISTÃ DAS CRIANÇAS E DOS ADOLESCENTES EM IDADE DE CATEQUESE ORIENTAÇÕES PARA A INICIAÇÃO CRISTÃ DAS CRIANÇAS E DOS ADOLESCENTES EM IDADE DE CATEQUESE Preâmbulo 1. A iniciação cristã das crianças e adolescentes pelo catecumenado constitui uma realidade relevante

Leia mais

CURSO FORMANDO DIÁCONO

CURSO FORMANDO DIÁCONO CURSO FORMANDO DIÁCONO Apresentação Apresentamos a você o curso Formando Diácono. Com um vasto estudo sobre as estruturas fundamentais do cristianismo, o curso Formando Diácono faz uma explanação sobre

Leia mais

Projeto Pastoral Diocesano CONSTRUINDO COMUNHÃO

Projeto Pastoral Diocesano CONSTRUINDO COMUNHÃO Projeto Pastoral Diocesano CONSTRUINDO COMUNHÃO 3 Mensagem do Bispo diocesano...5 Introdução...7 Justificativa...7 Objetivo geral...7 Objetivos específicos...7 Temáticas a serem desenvolvidas...8 Âmbitos

Leia mais

MARCO SITUACIONAL - DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES

MARCO SITUACIONAL - DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES MARCO SITUACIONAL - DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES MARCO SITUACIONAL - DIOCESE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM - ES V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e Caribe Aparecida, 13 a 31 de

Leia mais

Procurar o modelo na Virgem Mãe de Deus e nos Santos

Procurar o modelo na Virgem Mãe de Deus e nos Santos A evangelização e, portanto, a Nova Evangelização comporta também o anúncio e a proposta moral. O próprio Jesus, precisamente ao pregar o Reino de Deus e o seu amor salvífico, fez apelo à fé e à conversão

Leia mais

Tabela de Taxas e Tributos

Tabela de Taxas e Tributos Tabela de Taxas e Tributos Decreto Em conformidade com os cânones 1264 e 952 do Código de Direito Canónico, tendo obtido a necessária aprovação da Santa Sé (Prot. N. 20081178 da Congregação para o Clero,

Leia mais

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português 1º Ano Paroquial e CNE Escutismo Católico Português JESUS GOSTA DE MIM Proporcionar às crianças um bom acolhimento eclesial, pelos catequistas e por toda a comunidade cristã (cf CT 16 e 24). Ajudá-las

Leia mais

Paróquia missionária. O novo povo de Deus em forma de missão que participa da caminhada junto à humanidade.

Paróquia missionária. O novo povo de Deus em forma de missão que participa da caminhada junto à humanidade. Paróquia missionária O novo povo de Deus em forma de missão que participa da caminhada junto à humanidade. Renovação das paróquias As paróquias são células vivas da Igreja e o lugar privilegiado no qual

Leia mais

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15

Sumário. Prefácio, 13. Primeira parte - Fundamentação, 15 Sumário Prefácio, 13 Primeira parte - Fundamentação, 15 I. A teologia fundamental como ciência teológica básica, 17 1 Teologia como "fala de Deus", 17 1.1 Tipos básicos de teologia, 17 a) A teologia como

Leia mais