Expo Money São Paulo, 23 de setembro de 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Expo Money São Paulo, 23 de setembro de 2011"

Transcrição

1 Expo Money São Paulo, 23 de setembro de 2011

2 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações quando baseadas em expectativas futuras e não em fatos históricos envolvem vários riscos e incertezas. A Mills não pode garantir que tais declarações venham a ser corretas. Tais riscos e incertezas incluem fatores relativos à economia brasileira, ao mercado de capitais, aos setores de infra-estrutura, imobiliário, de óleo e gás, entre outros, e a regras governamentais, que estão sujeitos à mudança sem prévio aviso. Para obter informações adicionais sobre fatores que possam originar resultados diferentes daqueles estimados pela Companhia, favor consultar os relatórios arquivados na Comissão de Valores Mobiliários - CVM. 2

3 Agenda Conhecendo a Mills Divisões da Mills Plano de crescimento 3

4 Visão Geral da Mills Liderança de mercado incontestável no fornecimento de formas para concretagem e estruturas tubulares Uma das principais empresas em serviços industriais e equipamentos motorizados de acesso Relacionamento de longo prazo com as principais empresas do setor Capacidade técnica, escala, escopo de serviços e cobertura de mercado 4 divisões: Construção Jahu Serviços Industriais Rental 4

5 Mills Projetos marcantes Excelente histórico de desempenho, tendo participado dos maiores projetos no Brasil nos últimos 58 anos Ponte Rio - Niterói Itaipu Ponte Octávio Frias de Oliveira Brasília Cidade da Música 5

6 Mills Desempenho financeiro Mills tem um excelente histórico de desempenho financeiro com o crescimento da receita de 42% a.a. e do EBITDA de 87% a.a. nos últimos quatro anos. Receita Líquida (R$ milhões) EBITDA (R$ milhões) e Margem EBITDA(%) CAGR 07-10: 42% Aquisição Jahu Start-up Divisão Rental Venda da Divisão Eventos CAGR 07-10: 87% Margem EBITDA 16% 30% 39% 35% 35% Entrada dos fundos de Private Equity 1 2T11 LTM Últimos doze meses encerrado em 30 de junho de

7 Mills Desempenho financeiro Lucro líquido apresentou crescimento anual médio de 114% a.a. nos últimos quatro anos. Lucro líquido (R$ milhões) Dívida líquida (R$ milhões) e Dívida líquida/ebitda CAGR 07-10: 114% Dívida líquidat/ebitda 1,0x 2,1x 1,2x -0,1x 1,0x 1 2T11 LTM Últimos doze meses encerrado em 30 de junho de

8 Mills Desempenho financeiro por divisão R$ milhões Destaques financeiros do 2T11 LTM 1 por divisão 612 % Total Margem EBITDA (%) 21% 53,6% 35% 12,5% 20% 23% 212 % Total 33% 13% 23% 31% 39,6% 46,9% Total 34,6% 1 2T11 LTM Últimos doze meses encerrados em 30 de junho de

9 14/04/ /04/2010 5/7/ /05/ /05/2010 6/11/ /06/2010 7/5/ /07/ /7/2010 9/8/ /8/ /8/ /9/ /9/2010 5/10/ /10/ /10/ /11/ /11/2010 3/12/ /12/ /12/ /1/ /1/2011 2/2/ /2/ /2/ /3/ /3/2011 1/4/ /4/ /4/2011 9/5/ /5/ /5/ /6/ /6/2011 5/7/ /7/ /7/2011 8/8/ /8/ /8/2011 Mills Desempenho da ação Ticker: MILS3 3,5 3,0 Market Cap R$ bilhões Em 6 de setembro de 2011, Market Cap = R$ 2,5 bilhões 30Nov11 3,1 2,5 2,0 1,5 15Abr 10 1,4 Var. desde 15abr10 (IPO)* Mills + 73,0 % IBOVESPA - 17,0 % Small Cap + 10,8 % IMOB + 10,1 % 1,0 *Atualizado até o dia 08 de setembro,

10 Mills Estrutura Acionária % Capital Total Nacht Participações + Jeroboam 37,1 Free float 57,7 Membros do Conselho e da Diretoria 5,1 Posição: 31/08/

11 Mills Principais produtos Projeto 11

12 Mills Principais produtos Formas de concretagem 12

13 Mills Principais produtos Escoramento 13

14 14 Mills Principais produtos Acesso

15 15 Mills Principais produtos Máquinas motorizadas de acesso

16 Mills Vantagens competitivas Expertise técnica amplamente reconhecida, agilidade e pioneirismo garantiram a Mills relacionamento de longo prazo com as principais empresas brasileiras do setor. Confiabilidade Agilidade e Execução Incomparável Soluções Criativas Cobertura Nacional Projetos Customizados Portfólio Completo 16

17 Mills Vetores de crescimento Exposição para os seguintes vetores de crescimento: Investimentos no setor de infraestrutura brasileira, incluindo o PAC Investimentos no setor imobiliário brasileiro Investimentos na indústria brasileira, incluindo Óleo e Gás Investimentos para viabilizar eventos mundiais Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de

18 Agenda Visão Geral da Mills Divisões da Mills Plano de crescimento 18

19 Divisão Construção Ponte Octávio Frias de Oliveira São Paulo, SP 19

20 Divisão Construção Foco em projetos de infraestrutura complexos e de grande porte Produtos: Soluções de engenharia e aluguel de equipamentos: formas de concretagem e escoramento Planejamento, projeto, supervisão técnica, equipamentos e serviços relacionados Líder de mercado Longo histórico de sucesso, com 59 anos de experiência Confiabilidade é fator crítico de sucesso Principais clientes são as maiores empreiteiras brasileiras: Metrô de São Paulo Linha Amarela Usina Hidroelétrica de Santo Antônio Viaduto Rodovia Dutra(São Paulo) 20

21 Construção Pesada - Perspectiva de mercado Investimentos em infraestrutura inigualáveis são esperados para os próximos anos reforçados por grandes eventos mundiais Investimentos no Brasil devem atingir R$ 3,3 trilhões no período de Indústria: R$ 1,0 trilhão, com crescimento de 170% em relação ao período de Infraestrutura: R$ 401 bilhões, com crescimento de 62% em relação ao período de Outros setores: R$ 1,9 trilhão Investimentos na indústria R$ billhões Investimentos em Infraestrutura R$ 401 bilhões Outros 493 Óleo & Gás 378 Rodovias 51 Portos 18 Outros 20 Energia 139 Papel & Celulose 28 Mineração 72 Siderurgia Química Ferrovias 60 Saneamento 41 Telecom 72 Fonte: BNDES Visão do Desenvolvimento, Relatório N 95, 20 de junho,

22 Copa do Mundo 2014: investimentos de R$ 103 bilhões para preparar as 12 cidades-sede Investimentos Copa 2014 Total: R$ 103 bilhões Fonte: Veja, 29 de dezembro de

23 Estádios da Copa Obras iniciam fases de fundação e instalação de pilares Manaus Arena Amazônia Roraima Amapá Recife Arena Pernambuco Fase: Instalação das bases de concreto Porcentagem da obra: 35% Cuiabá Arena Pantanal Acre Amazonas Rondônia Pará Mato Grosso Distrito Federal Goias Mato Grosso do Sul São Paulo Maranhão Ceará Rio Grande do Norte Paraiba Piaui Pernambuco Tocantins Alagoas Bahia Sergipe Minas Gerais Espirito Santo Fase: Terraplanagem e fundações Porcentagem da obra: 13% Salvador Arena Fonte Nova Parana Rio de Janeiro Santa Catarina Rio Grande do Sul Fase: Instalação dos pilares Porcentagem da obra: 20% Brasília - Mané Garrincha São Paulo - Arena Corinthians Fase: Fundações Porcentagem da obra: 18% Rio de Janeiro - Maracanã Fonte: Mills e Portal 2014 Fase: Instalação dos pilares Porcentagem da obra: 33% Fase: Fundações Porcentagem da obra: 10% Fase: Lajes e demolição do anel superior Porcentagem da obra: 20% 23

24 O pico de investimentos para os eventos esportivos no Brasil deve ocorrer em Investimentos previstos para eventos esportivos em R$ bilhões 11,9 10 8,9 9,4 8 6 Rio 2016 Copa ,0 1,7 0,8 0, Fonte: Mills e Valor 24

25 Divisão Jahu - Residencial e comercial Divisão Construção Edifício comercial no centro de São Paulo São Paulo, SP 25

26 Divisão Jahu - Residencial e comercial Foco em construções residenciais e comerciais Produtos: Soluções em engenharia e aluguel de equipamentos: formas de concretagem, andaimes e sistemas de escoramento Líder de mercado com forte marca: Jahu Negócio adquirido em 2008 Produto inovador - formas de alumínio Easy-set - para construção de habitações de baixa renda Principais clientes são as maiores empresas do setor imobiliário, tais como: 26

27 Residencial e comercial - Perspectiva de mercado Programas governamentais e maior penetração do financiamento habitacional indicam forte potencial de crescimento para a construção civil residencial e comercial Déficit habitacional de pelo menos 7,2 milhões de residências 700 mil novas unidades são necessárias para sustentar o crescimento demográfico das famílias brasileiras Financiamento habitacional aumentou 5 vezes nos últimos 5 anos, impulsionado pela disponibilidade de crédito, baixa inflação e menor taxa de juros Financiamento habitacional é muito baixo em comparação a países desenvolvidos. Em 2009, o financiamento habitacional brasileiro total /PIB foi 3%, comparado com 77% na Inglaterra, 68% nos Estados Unidos, 28% na França e 20% no Chile Em 2010, o financiamento habitacional brasileiro total/pib foi 4%, e a expectativa é atingir 11% até 2014 Minha Casa Minha Vida : programa do governo para habitação de baixa renda, com perspectivas de investimento de R$ 278 bilhões no período A escassez e maiores custos de mão de obra, atrelados à necessidade de reduzir o ciclo de construção, demandarão a aplicação de processos mais industrializados no mercado brasileiro de construção residencial e comercial. Fonte: BACEN, ABECIP A e Relatório PAC2 27

28 Crédito imobiliário continua expandindo à taxa média mensal acima de 3%, favorecendo o crescimento do mercado residencial Taxa de crescimento mensal (%) * Dados preliminares Fonte: Bacen, em 9 de setembro de

29 Em junho de 2011, foi aprovada a segunda fase do Programa Minha Casa, Minha Vida Meta de contratação de 2 milhões de unidades habitacionais até o final de 2014 Atualização dos preços máximos das habitações, com aumento 31% 1 Ampliação dos limites superiores das faixas de renda Maior abrangência do programa e maior poder de compra para indivíduos que passaram a se enquadrar numa faixa de renda mensal inferior Faixas de Renda Mensal MCMV1 MCMV2 Meta de contratação em mil unidades habitacionais Crescimento (%) Faixa salários mínimos Até R$ 1.600, Faixa 3 0% Faixa 2 Faixa salários mínimos 6-10 salários mínimos R$ 1.600,00 até R$ 3.100,00 R$ 3.100,00 até R$ 5.000, Faixa 2 Faixa 1 Total 50% 200% 100% Faixa 1: Aumento de 31% de R$ 42 mil (média) para R$ 55 mil (média) Faixa 3: Aumento de 31% de R$ 130 mil para R$ 170 mil MCMV1 MCMV2 29

30 Penetração de processos industrializados na construção civil ainda é muito baixa 89% das empresas da construção civil afirmam que a falta de trabalhador qualificado é um problema para a empresa 94% das empresas da construção civil que enfrentam a falta de trabalhador qualificado têm dificuldade de encontrar profissionais básicos ligados à obra, como pedreiros e serventes Apenas 7% das empresas da construção civil têm como ação para enfrentar a falta de trabalhador qualificado a alteração do processo construtivo na direção de uma indústria de montagem Empresa com problema de falta de trabalhador qualificado? não 11 Ações para enfrentar a falta de trabalhador qualificado % sobre total de empresas que tem problemas com falta de trabalhadores qualificados e realiza ações para enfrentar o problema 1 Desenvolve política agressiva de contratação de profissionais de outras empresas Terceiriza etapas do processo de administração Altera processo construtivo na direção de uma indústria de montagem Realiza parcerias com instituições de ensino Recruta profissionais de outras regiões do país 17 Realiza capacitação fora da empresa/obra 29 Terceriza etapas do processo de construção 43 sim 89 Fortalece política de retenção do trabalhador Realiza capacitação na própria empresa/obra Fonte: Sondagem Especial Construção Civil, abril 2011, CBIC e CNI Os percentuais não somam 100% porque cada empresário poderia assinalar até três opções 30

31 Divisão Serviços Industriais Plataforma Paul Wolff, Estaleiro Mauá Niterói, RJ 31

32 32 Divisão Serviços Industriais Foco em grandes plantas industriais, tanto na fase de construção, quanto na fase de manutenção Produtos oferecidos durante a construção e manutenção: Aluguel de estruturas de acesso e serviços de montagem e desmontagem Pintura industrial e tratamentos de superfície Isolamento térmico Venda cruzada com a divisão Construção Base de receitas recorrente e menos volátil Intensiva em mão de obra, ao invés de intensiva em capital, como as demais divisões Setores servidos: Óleo e Gás, Petroquímica, Papel e Celulose, Siderurgia, Mineração, entre outros Exposição única ao crescimento da capacidade de produção industrial brasileira e da indústria de Óleo e Gás

33 Serviços Industriais - Perspectiva de mercado Descobertas recentes de jazidas de petróleo levaram o Brasil a um novo patamar dentro da indústria, enquanto outros setores industriais devem também receber grandes investimentos Considerando as descobertas do pré-sal, as reservas de óleo e gás no Brasil tem potencial para ampliar em mais de 3 vezes, passando de 15 para 51 bilhões de boe, tornando-se o 9º país com as maiores reservas de petróleo Investimento total no setor de Óleo e Gás deve atingir R$ 378 bilhões no período de , dos quais R$ 303 bilhões, ou 80 % da Petrobras. Investimento total no setor de indústria deve atingir R$ 1,0 trilhão no período Investimento fixo no Brasil é esperado variar entre 19% e 22% do PIB nos próximos 3 anos 25% 20% 17,3% 18,7% Investimentos no Brasil % do PIB 16,8% 18,9% 19,4% 20,3% 21,4% 22,4% 15% Fonte: Departamento de Energia dos EUA, Petrobras, ANP, BNDES e Banco Central 33

34 Petrobras divulgou seu Plano de Negócios , com investimentos totalizando US$ 224,7 bilhões para o período Investimento total planejado para o período de : US$ 224,7 bilhões Investimentos no pré-sal planejado para o período de : US$ 53,4 bilhões US$ 117,7 bilhões serão investidos em E&P no Brasil, com o objetivo de aumentar a produção de 2,1 milhões bpd (Mbpd) em 2010 para 3,1 Mbpd em 2015, sendo 0,5 Mbpd referente ao pré-sal Recursos críticos necessários até 2013: 39 sondas de perfuração 54 plataformas de produção 423 barcos de apoio especiais US$ 70,6 bilhões serão investidos no segmento de Refino, dos quais 50% para ampliação do parque de refino, que incluem os projetos das refinarias Abreu e Lima (PE), Comperj (RJ) e Premium I (MA) Fonte: Petrobras - Plano de Negócios e Plano de Negócios

35 Divisão Rental Equipamentos motorizados de acesso Energia Eólica de Praia Formosa Camocim, CE 35

36 36 Divisão Rental Equipamentos Motorizados Atende as outras divisões da Mills, bem como os setores automotivo, varejo, logístico, entre outros Produtos: Aluguel e venda de equipamentos motorizados de acesso, tais como plataformas aéreas e manipuladores telescópicos para elevar trabalhadores e cargas, respectivamente Líder de mercado Negócio iniciado em 2008 Venda cruzada com as demais divisões da Mills

37 Equipamentos motorizados de acesso Perspectiva de mercado Atual subutilização de equipamentos motorizados de acesso no Brasil e mudanças recentes na regulamentação indicam forte potencial de crescimento neste segmento A frota brasileira de plataformas aéreas e de manipuladores telescópicos é muito pequena em relação à dos Estados Unidos; inferior a 2% Modesta penetração do aluguel de máquinas de 15% no Brasil, enquanto os padrões globais são de aproximadamente 40% nos EUA, 60% no Japão e 80% na Inglaterra Regulamentação recente exige o uso de plataformas aéreas para o acesso de operários, aumentando a segurança e a produtividade no local de trabalho A frota brasileira deverá aumentar a uma taxa média anual de 22% nos próximos anos e atingir unidades em 2014 Fonte: Mills e Terex 37

38 Em 2010, a frota brasileira de equipamentos motorizados de acesso cresceu 40,6% em relação a Frota de equipamentos motorizados de acesso Em mil unidades +22,1% a.a. 25 Maniputaldo Manipuladores telescópicos 9% Composição Frota Brasil Total: 11,3 mil ,6% 11,3 Maniputaldo Manipuladores telescópicos 22% EUA Total: 789 mil Plataformas aéreas 91% 0 Fonte: Mills e Terex Colunas1 2014E Plataformas aéreas 78% 38

39 Agenda Visão Geral da Mills Divisões da Mills Plano de crescimento 39

40 Investiremos R$ 433 milhões em 2011, conforme plano de investimento de R$ 1,1 bilhão no período Capex em R$ milhões = +28,3% 2011 Capex Orçado Revisado (%) 1,7% = +25,1% 37,3% 5,7% = +46,3% 46,1% 9,2% 40

41 Nosso plano de expansão geográfica tem sido bem sucedido Divisão Jahu Divisão Rental 41

42 Abriremos nove novas unidades em 2011, dando continuidade ao nosso plano de expansão geográfica Número de unidades por divisão no final do período Serviços Industriais Rental Jahu - Residencial e Comercial Construção E 2012E 2013E 42

43 Estamos presentes nos estados com os maiores investimentos esperados em infraestrutura Localização unidades da Mills no final de 2010 e de 2011E Roraima Amapá Amazonas Acre Rondônia Construção Mato Grosso Pará Tocantins Distrito Federal Maranhão Piaui Bahia Ceará Rio Grande do Norte Paraiba Sergipe Pernambuco Alagoas Jahu Serviços Industriais Rental Mato Grosso do Sul Goias São Paulo Minas Gerais Espirito Santo Investimentos esperados em infraestrutura no estado E Parana Santa Catarina Rio de Janeiro (sede) Acima de 50 bilhões Entre bilhões Entre 5-20 bilhões Rio Grande do Sul Abaixo de 5 bilhões 43

44 Mills: a melhor maneira de investir no setor de infraestrutura Forte e Sólido Desempenho Financeiro Fortes Barreiras De Entrada Equipe de Gestão Experiente Condições Macroeconômicas Incomparáveis Dinâmica Setorial Atraente em todos os Segmentos Modelo de Negócio Único com fortes Vantagens competitivas 44

45 Mills - Relações com Investidores Tel.: (21)

46 Perguntas: Quanto a Mills planeja investir no período de 2010 a 2012? Qual foi a taxa de crescimento da receita da Mills nos últimos 4 anos ( )? Em quantos estágios da Copa a Mills está presente até o momento? 46

Expo Money Rio de Janeiro, 10 de novembro de 2011

Expo Money Rio de Janeiro, 10 de novembro de 2011 Expo Money Rio de Janeiro, 10 de novembro de 2011 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T10

Apresentação de Resultados 2T10 Apresentação de Resultados 2T10 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Expo Money Brasília, 17 de agosto de 2012

Expo Money Brasília, 17 de agosto de 2012 Expo Money Brasília, 17 de agosto de 2012 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Expo Money São Paulo, 20 de setembro de 2012

Expo Money São Paulo, 20 de setembro de 2012 Expo Money São Paulo, 20 de setembro de 2012 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as

Leia mais

HSBC Brazil Infrastructure and Transportation Day Maio 2011

HSBC Brazil Infrastructure and Transportation Day Maio 2011 HSBC Brazil Infrastructure and Transportation Day Maio 2011 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Agenda. Conhecendo a Mills. Unidades de negócio da Mills. Plano de crescimento

Agenda. Conhecendo a Mills. Unidades de negócio da Mills. Plano de crescimento Apresentação Mills Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações quando baseadas

Leia mais

Expo Money Porto Alegre, 28 de novembro de 2012

Expo Money Porto Alegre, 28 de novembro de 2012 Expo Money Porto Alegre, 28 de novembro de 2012 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas

Leia mais

Expo Money Belo Horizonte,18 de outubro de 2013

Expo Money Belo Horizonte,18 de outubro de 2013 Expo Money Belo Horizonte,18 de outubro de 2013 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas

Leia mais

Expo Money Brasília, 9 de agosto de 2013

Expo Money Brasília, 9 de agosto de 2013 Expo Money Brasília, 9 de agosto de 2013 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Agenda. Conhecendo a Mills. Divisões da Mills. Plano de crescimento

Agenda. Conhecendo a Mills. Divisões da Mills. Plano de crescimento Apresentação Mills Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações quando baseadas

Leia mais

Reunião pública Dezembro, 2010

Reunião pública Dezembro, 2010 Reunião pública Dezembro, 2010 Agenda Conhecendo a Mills Divisões da Mills Plano de crescimento Mills Visão geral Liderança de mercado incontestável no fornecimento de formas para concretagem e estruturas

Leia mais

Agenda. Conhecendo a Mills. Segmentos de negócios da Mills. Plano de crescimento

Agenda. Conhecendo a Mills. Segmentos de negócios da Mills. Plano de crescimento Apresentação Mills Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações quando baseadas

Leia mais

Reunião Pública de 2014

Reunião Pública de 2014 Reunião Pública de 2014 7 de novembro de 2014 Conhecendo a Mills Infraestrutura Edificações Rental Unidades de negócio Líder de mercado, com histórico de sucesso de mais de 60 anos Líder de mercado, adquirida

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T10

Apresentação de Resultados 4T10 Apresentação de Resultados 4T10 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Expo Money Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013

Expo Money Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013 Expo Money Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Você espera o melhor. A gente faz. Junho / 2015

Você espera o melhor. A gente faz. Junho / 2015 Você espera o melhor. A gente faz. Junho / 2015 SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia História de Empreendedorismo e Crescimento 2014 1993 Fundação com 16 carros 2008 PRIVATE EQUITY maior disciplina financeira

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A ACRE B1 Repouso Semanal Remunerado 18,06 0,00 18,06 0,00 B2 Feriados 4,77 0,00 4,77 0,00 B3 Auxílio - Enfermidade 0,91 0,69 0,91 0,69 B4 13º Salário 10,97 8,33 10,97 8,33 B7 Dias de Chuvas 1,68 0,00 1,68

Leia mais

Setor de Construção Pesada no Brasil. 27 de abril de 2015

Setor de Construção Pesada no Brasil. 27 de abril de 2015 Setor de Construção Pesada no Brasil 27 de abril de 2015 01. Construção: o setor tem participação importante na economia nacional Em 2013, a construção representou 8,0% do PIB e 44% dos Investimentos Detalhes

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Fevereiro/2013 (dados até Janeiro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nos Pequenos Negócios e suas

Leia mais

VISÃO DE LONGO PRAZO: INVESTIMENTOS SUSTENTÁVEIS, EM INFRAESTRUTURA E PRIVATE EQUITY

VISÃO DE LONGO PRAZO: INVESTIMENTOS SUSTENTÁVEIS, EM INFRAESTRUTURA E PRIVATE EQUITY VISÃO DE LONGO PRAZO: INVESTIMENTOS SUSTENTÁVEIS, EM INFRAESTRUTURA E PRIVATE EQUITY Maurício Marcellini Pereira Diretor de Investimentos Fundação dos Economiários Federais - FUNCEF Agenda Visão Geral

Leia mais

Apresentação da Companhia

Apresentação da Companhia Apresentação da Companhia Janeiro 2006 www.cyrela.com.br Aviso - Informações e Projeções O material exibido é uma apresentação de informações gerais de antecedentes da Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos

Leia mais

Reunião Pública 2015 Frederico Neves CFO e DRI

Reunião Pública 2015 Frederico Neves CFO e DRI Reunião Pública 2015 Frederico Neves CFO e DRI 11 de novembro de 2015 Trajetória Conhecendo nos a últimos Mills anos 2 Nossa primeira obra foi a construção da Catedral da Sé, em São Paulo 3 Temos 62 anos

Leia mais

Comunicado ao Mercado

Comunicado ao Mercado MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº 08.343.492/0001-20 NIRE 31.300.023.907 Comunicado ao Mercado Recorde histórico de geração de caixa para o 1º semestre, atingindo R$ 325 milhões. Crescimento

Leia mais

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre

mestre Clique para editar o texto Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 Clique para editar o texto mestre Clique Plano de para Negócios editar e o Gestão título mestre 2015-2019 Clique para editar o texto mestre Clique para editar o texto mestre Apresentação para Imprensa 29 de Junho de 2015 AVISOS Clique

Leia mais

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6.

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6. Produção Brasileira de Abacaxi por Estado 2007 Pará 15.462 701.948 125.596 Paraíba 11.600 625.527 150.054 Minas Gerais 7.593 596.668 127.597 Bahia 6.430 282.634 63.185 São Paulo 3.620 271.380 76.161 Rio

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO - OBRAS DE INFRA- ESTRUTURA POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 FLUXO - OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Plano de Investimento 08 de junho de 2011

Plano de Investimento 08 de junho de 2011 Plano de Investimento 08 de junho de 2011 1 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás Capacitação da Indústria Nacional e Perspectivas de Ampliação do Fornecimento Local de Bens e Serviços para o Setor de Óleo e Gás 1 Agentes Governamentais Indústria Nacional Operadoras de P&G Missão Maximizar

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T12

Apresentação de Resultados 1T12 Apresentação de Resultados 1T12 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

ULTRAPAR ULTRAPAR. Grupo Santander Banespa Quarta Conferência Anual Junho/03

ULTRAPAR ULTRAPAR. Grupo Santander Banespa Quarta Conferência Anual Junho/03 ULTRAPAR ULTRAPAR Grupo Santander Banespa Quarta Conferência Anual Junho/03 de negócios ULTRAPAR ULTRAGAZ Distribuidora de GLP (gás de cozinha) no Brasil OXITENO Produtora de químicos e petroquímicos ULTRACARGO

Leia mais

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 V2 1 1. SETOR 2 UNIVERSO DISTRIBUIÇÃO MACRO REGIÕES SHOPPINGS EM OPERAÇÃO - UNIDADES 26 NORTE 80 NORDESTE 50 CENTRO OESTE 292 SUDESTE 520 +3,5% 538 SHOPPINGS

Leia mais

Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil

Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil João Carlos Cavalcanti Superintendente da Área de Infra-Estrutura Salvador, 16 de novembro de 2005 www.bndes.gov.br

Leia mais

Você espera o melhor. A gente faz. Junho / 2016

Você espera o melhor. A gente faz. Junho / 2016 Você espera o melhor. A gente faz. Junho / 2016 SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia História de Empreendedorismo e Crescimento 2015/16 1993 Fundação com 16 carros 2008 PRIVATE EQUITY Maior disciplina financeira

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Déficit Habitacional 2009

Déficit Habitacional 2009 Déficit Habitacional 2009 Eduardo May Zaidan 28 de outubro de 2010 Déficit habitacional: conceito O déficit habitacional é a medida das carências de moradia de uma determinada sociedade. Essas carências

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007. Brasil Brasília, novembro de 2007. Índice Páginas I Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2002/2006 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012

Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 Cenário macroeconômico e a construção civil 29/5/2012 O papel da construção no desenvolvimento sustentado Há cinco anos, o setor da construção iniciou um ciclo virtuoso de crescimento: Esse ciclo foi pavimentado

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes - 2015 Data: 18/05/2016 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de acidentes -

Leia mais

José Sergio Gabrielli de Azevedo Diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores. Julho de 2004

José Sergio Gabrielli de Azevedo Diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores. Julho de 2004 José Sergio Gabrielli de Azevedo Diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores Julho de 2004 As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas

Leia mais

Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais

Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais Complexo Industrial em Cubatão: fábrica de blocos navais Osmar Martins Luz Superintendente de Planejamento Estratégico 09/08/10 Sobre a Usiminas Mecânica 2 Estrutura Organizacional ORGANOGRAMA Diretor

Leia mais

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Crescimento chinês da construção Taxa de crescimento entre 2007 a 2012 90% 82,61% 83,30% 80% 76,70% 70% 68,07% 60% 50% 40% 41,8% 30% 20% 10% 9,95%

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15

Teleconferência de Resultados 1T15 Teleconferência de Resultados 1T15 Relações com Investidores São Paulo, 08 de maio de 2015 Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são

Leia mais

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012.

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012. O Atual Potencial Econômico do Brasil Estimativas e Análises do PIB 2011 - Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012 Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, MINERAÇÃO E ENERGIA - SEDEME. Energia Elétrica Impacto do ICMS- Visão da SEDEME

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, MINERAÇÃO E ENERGIA - SEDEME. Energia Elétrica Impacto do ICMS- Visão da SEDEME SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, MINERAÇÃO E ENERGIA - SEDEME Energia Elétrica Impacto do ICMS- Visão da SEDEME Contexto Geral do Sistema Elétrico Brasileiro O Sistema Elétrico apresenta

Leia mais

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Panorama Econômico do Rio Grande do Sul 2008 Unidade de Estudos Econômicos COMPOSIÇÃO DO PIB PIB DO RIO GRANDE DO SUL 62% 9% 29% Estamos mais sujeitos a refletir crises agrícolas que a média da economia

Leia mais

Porto de carvão de Nacala, Moçambique. Performance da Vale no 3T16

Porto de carvão de Nacala, Moçambique. Performance da Vale no 3T16 0 Porto de carvão de Nacala, Moçambique Performance da Vale no Rio de Janeiro, 27 de outubro de 206 Disclaimer Essa apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos

Leia mais

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década

Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Desafios e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural na próxima década Roberto Gonçalves Gerente Executivo da Engenharia da Petrobras 8º Encontro Nacional do Prominp 23 de Novembro-São Luis, MA

Leia mais

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Setembro 2014 07/10/2014 1 A Dinamus Somos uma empresa de consultoria e inteligência de mercado especializada no desenvolvimento de negócios

Leia mais

ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS

ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS MONTANTE DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS (em R$ milhões) Receita Estadual () BNDES Estatais Agências Financeiras União Royalties e Participações

Leia mais

Aviso Importante Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. ( Restoque ou Companhia )

Aviso Importante Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. ( Restoque ou Companhia ) Aviso Importante Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. ( Restoque ou Companhia ) Esta apresentação pode conter certas declarações e informações prospectivas a respeito da Restoque Comércio e Confecções

Leia mais

Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013

Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013 Construção civil: balanço e perspectivas 2/12/2013 Balanço 2013 As expectativas eram modestas Lançamentos e vendas no mercado imobiliário voltam a crescer; Investimentos em infraestrutura crescem mais

Leia mais

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-presidente e Diretor de RI 5 de novembro de 2009 Teleconferência

Leia mais

ção: Motivaçõ ções e Metas

ção: Motivaçõ ções e Metas Equidade e Eficiência Educaçã ção: Motivaçõ ções e Metas RANKINGS REGIONAIS MOTIVOS DE EVASÃO Ranking Motivo de Evasão: TRABALHO (Demanda1) TOTAL BRASIL 1,43 0 a 17 anos 1 Minas Gerais 2,27 2 Pernambuco

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO E O INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL-PORTUGAL

DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO E O INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL-PORTUGAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA EXECUTIVA DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO E O INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL-PORTUGAL BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA

Leia mais

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014

PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 PIB PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DE RONDÔNIA 2014 A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão SEPOG/RO, através da Gerência do Observatório em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

PIB 2012 Estado do Tocantins

PIB 2012 Estado do Tocantins PIB 2012 Estado do Tocantins Parceiros: GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SANDOVAL LÔBO CARDOSO Governador do Estado TOM LYRA Vice-governador do Estado JOAQUIM CARLOS PARENTE JUNIOR Secretário JOAQUÍN EDUARDO

Leia mais

Reunião com Analistas, Investidores e Profissionais do Mercado

Reunião com Analistas, Investidores e Profissionais do Mercado Reunião com Analistas, Investidores e Profissionais do Mercado Dezembro 2005 www.cyrela.com.br Time Cyrela Brazil Realty Diretor Financeiro e de RI Luis Largman Diretor de Controle e Planej. Financeiro

Leia mais

O Desempenho do IPTU em 2010

O Desempenho do IPTU em 2010 O Desempenho do IPTU em 2010 A receita global de IPTU no exercício de 2010 teve um aumento real de 17,2% em relação ao ano de 2009, conforme se verifica abaixo: Exercício Receita Total (R$ Mil) Crescimento

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Novembro de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

COSAN DAY Ricardo Mussa

COSAN DAY Ricardo Mussa COSAN DAY 2012 Ricardo Mussa Disclaimer 2 Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

Mills: Receita cresce 28,0% e EBITDA atinge R$ 106 milhões

Mills: Receita cresce 28,0% e EBITDA atinge R$ 106 milhões BM&FBOVESPA: MILS3 Resultados da Mills no 3T13 Mills: Receita cresce 28,0% e EBITDA atinge R$ 106 milhões Rio de Janeiro, 6 de novembro de 2013 - A Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. (Mills)

Leia mais

ULTRAPAR. ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03

ULTRAPAR. ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03 ULTRAPAR ULTRAPAR Aquisição da Shell Gás - Ago/03 Este documento pode conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia. Palavras

Leia mais

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Reservas Petrolíferas do Pré-Sal Audiência Pública

Leia mais

EDP Investor Day. 5 Anos de IPO EDP no Brasil

EDP Investor Day. 5 Anos de IPO EDP no Brasil EDP Investor Day 5 Anos de IPO EDP no Brasil Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

Pesquisa Anual da Indústria da Construção. Paic /6/2012

Pesquisa Anual da Indústria da Construção. Paic /6/2012 Pesquisa Anual da Indústria da Construção Paic - 2010 15/6/2012 Características metodológicas Resultados gerais Estrutura das receitas, dos custos e despesas, e do investimento em 2007/2010 Estrutura regional

Leia mais

PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção

PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção O balanço de final do ano de 2005 já mostrará que se não foi um ano perdido, os resultados frustraram as expectativas

Leia mais

Os Valores financeiros estão em R$ Milhões, a menos que indicado de outra forma. Dados financeiros refletem a adoção do IFRS.

Os Valores financeiros estão em R$ Milhões, a menos que indicado de outra forma. Dados financeiros refletem a adoção do IFRS. Algumas declarações e estimativas contidas neste material podem representar expectativas sobre eventos ou resultados futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas ambos conhecidos e desconhecidos. Não

Leia mais

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Estimativa da Fipe e da Catho para a taxa de desemprego do décimo mês do ano é de 5,0%, 0,1 ponto percentual maior do que

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro em 2013 FEVEREIRO DE 2014 RESUMO O país criou 730.687 novos postos de trabalho em 2013, desempenho este 16% menor do que o apresentado em 2012. No

Leia mais

Saraiva Apresentação Corporativa

Saraiva Apresentação Corporativa Saraiva Apresentação Corporativa Evento Sistemas de Ensino - Banco Safra Sao Paulo 25 de setembro de 2014 Relações com Investidores Setembro 2014 2 Aviso Legal Esta apresentação contém declarações sobre

Leia mais

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional CAIXA Segmento Petróleo e Gás Reunião da Diretoria do SINAVAL Antonio Gil Silveira Gerente Regional Rio de Janeiro, 15 de Fevereiro de 2012 AGENDA CAIXA Resultados 2011 Experiência CAIXA Estratégia CAIXA

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T12

Apresentação de Resultados 2T12 Apresentação de Resultados 2T12 Aviso Geral Algumas afirmações nesta apresentação podem ser projeções ou afirmações sobre expectativas futuras. Tais afirmações estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos

Leia mais

APIMEC Nordeste Março, 2016

APIMEC Nordeste Março, 2016 Título Aqui Título Aqui APIMEC Nordeste Março, 2016 Agenda 1. Perfil Corporativo 2. Informações Financeiras 3. Perspectivas Futuras 4. Governança Corporativa e Mercado de Capitais 2 Perfil Corporativo

Leia mais

SONDAGEM SOBRE HÁBITOS DE LEITURA E DE PESQUISA JURÍDICA ASSOCIADOS AASP. Q1 Sexo. Respondidas: Ignoradas: 36

SONDAGEM SOBRE HÁBITOS DE LEITURA E DE PESQUISA JURÍDICA ASSOCIADOS AASP. Q1 Sexo. Respondidas: Ignoradas: 36 Q1 Sexo Respondidas: 5.469 Ignoradas: 36 Feminino Masculino Feminino Masculino 36,83% 2.014 63,17% 3.455 Total 5.469 1 / 14 Q2 Faixa etária Respondidas: 5.485 Ignoradas: 20 Até 25 anos 26 a 35 anos 36

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

A CONCENTRAÇÃO DO PIB MEDIDA PELO ÍNDICE HERFINDAHL- HIRSCHMAN: O CASO DAS MESORREGIÕES GEOGRÁFICAS BRASILEIRAS NO PERÍODO DE 1985 A 2010

A CONCENTRAÇÃO DO PIB MEDIDA PELO ÍNDICE HERFINDAHL- HIRSCHMAN: O CASO DAS MESORREGIÕES GEOGRÁFICAS BRASILEIRAS NO PERÍODO DE 1985 A 2010 A CONCENTRAÇÃO DO PIB MEDIDA PELO ÍNDICE HERFINDAHL- HIRSCHMAN: O CASO DAS MESORREGIÕES GEOGRÁFICAS BRASILEIRAS NO PERÍODO DE 1985 A 2010 Iniciação Científica Karoline Almeida Cavalcanti Universidade Estadual

Leia mais

Visão de Futuro para o Sistema Financeiro Nacional

Visão de Futuro para o Sistema Financeiro Nacional Visão de Futuro para o Sistema Financeiro Nacional Sumário Financeirização da Economia Financiamento de Longo Prazo Desafios e Reflexões USD Milhões Capitalização de Mercado 2005-2009 70000000 60000000

Leia mais

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 24 fevereiro de 2015

Leia mais

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Preços ao consumidor do etanol hidratado e Relatório da gasolina, semanal por semana, de preços praticados ao consumidor no Brasil Semana de 22/11/2015 a 28/11/2015 Semana de 02/07/2017 a 08/07/2017 Os

Leia mais

Comunicado ao Mercado

Comunicado ao Mercado MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF nº 08.343.492/0001-20 NIRE 31.300.023.907 Comunicado ao Mercado Recorde de vendas contratadas atingindo R$ 6,0 bilhões em 2014 Em 2014 os lançamentos atingiram

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T16

Teleconferência de Resultados 2T16 Teleconferência de Resultados 2T16 Relações com Investidores São Paulo, 5 de Agosto de 2016 RESSALVA SOBRE DECLARAÇÕES FUTURAS Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são

Leia mais

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades Workshop sobre o Marco Regulatório do Pré-Sal CNI 01.10.2009 Mensagem Inicial Pré-sal: Grande oportunidade para o Brasil Investimentos pré-sal:

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente

MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente MILTON LUIZ DE MELO SANTOS Diretor Presidente Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015.

III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015. III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasilia, 7 a 9 de abril de 2015. Apoio Específico aos Municípios Linha de Financiamento para Modernização

Leia mais

O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste

O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste Cláudio Pitta crpitta@chesf.gov.br Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL CONSTRUÇÃO CIVIL

SONDAGEM ESPECIAL CONSTRUÇÃO CIVIL SONDAGEM ESPECIAL CONSTRUÇÃO CIVIL Ano 1 Número 1 abril de 2011 www.cni.org.br Falta de Trabalhador Qualificado Falta de trabalhador qualificado reduz produtividade da construção civil civil afirmam que

Leia mais

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES e o Apoio ao Setor de P&G André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave

Leia mais

CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013

CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013 CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013 ECONOMIA MUNDIAL / CRESCIMENTO DO PIB Área geográfica Mundo 2005 4,8 2006 5,1 2007 5,0 2008 2,8 2009-0,6 2010 4,8 2011 4,2 Estados Unidos 3,1 2,8 2,0 0,0-2,6

Leia mais

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 ApresentAção A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 apresenta a visão do empresário do transporte rodoviário

Leia mais