RELATÓRIO TÉCNICO. Explorando a Geometria Espacial em Ambientes de Realidade Virtual e Realidade Aumentada com o uso da Ferramenta RA-Educacional

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO TÉCNICO. Explorando a Geometria Espacial em Ambientes de Realidade Virtual e Realidade Aumentada com o uso da Ferramenta RA-Educacional"

Transcrição

1 RELATÓRIO TÉCNICO Explorando a Geometria Espacial em Ambientes de Realidade Virtual e Realidade Aumentada com o uso da Ferramenta RA-Educacional 1 Francisco César de Oliveira e 2 Claudio Kirner 1 Depto Ciência da Computação, FAC (Faculdade Anhanguera de Campinas) 2 UNIFEI (Universidade Federal de Itajubá) RESUMO Processos de ensino e aprendizagem passam por notórias adaptações nas últimas décadas; a popularização dos sistemas computacionais contribuiu ainda mais para esse fim Surgem, a cada ano, inúmeros sistemas para apoiar a educação, muitos, até gratuitos O tutorial apresenta a Realidade Virtual e Realidade Aumentada como ferramentas de apoio para a geração de sólidos virtuais, os quais podem ser gerados (modelados), armazenados, visualizados, manipulados e distribuídos (rede local) através da ferramenta RA-Educacional As visualizações são possíveis de duas formas: mediante o navegador Internet Explorer e através do software ARToolKit PIRACICABA, SP 2010

2 2 SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO REALIDADE AUMENTADA REQUISITOS DAS APLICAÇÕES DE REALIDADE AUMENTADA LINGUAGEM VRML CÓDIGO VRML DE UM CUBO ARTOOLKIT REQUISITOS DO RA-EDUCACIONAL PLUGIN MARCADOR INSTALAÇÃO DO RA-EDUCACIONAL GEOMETRIA ESPACIAL COM O RA-EDUCACIONAL SIMULANDO A CRIAÇÃO DE UM CONE VISUALIZAÇÃO DO OBJETO 3D ATRAVÉS DO NAVEGADOR VISUALIZAÇÃO DO OBJETO 3D ATRAVÉS DO ARTOOLKIT EXCLUSÃO DE OBJETOS 3D INTERFACE DE COMPARTIMENTO REMOTO PROCURANDO USUÁRIOS NA REDE ALTERANDO OBJETOS REMOTOS RELATÓRIO DE ACESSOS AOS OBJETOS LOCAIS CONCLUSÕES 24 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 25

3 3 1 INTRODUÇÃO O programa RA-Educacional constitui-se em uma ferramenta para apoiar o ensino e aprendizagem de Geometria Espacial e Física, o qual foi desenvolvido como parte do trabalho de mestrado de Francisco César de Oliveira, na Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep), sob orientação do prof Dr Claudio Kirner O software faz uso da Realidade Virtual (RV) e Realidade Aumentada (RA) e tem como objetivo demonstrar a potencialidade da RA no ensino e aprendizado de algumas disciplinas fortemente dependentes da intuição, como é o caso da Geometria Espacial e alguns experimentos de Física O presente tutorial refere-se exclusivamente com as aplicações da primeira disciplina Desenvolvido com a ferramenta Delphi 7, o programa utiliza a RA e o software ARToolKit (2009) como ferramentas de apoio em processos de ensino e aprendizagem Devido às dificuldades de percepção relacionadas com essas disciplinas, a RA se mostra motivadora na medida em que o aprendizado de formatos espaciais pode ocorrer de maneira interativa e intuitiva, possibilitando ao aluno a construção e manipulação de diferentes tipos de figuras geométricas, como cubos, esferas, cilindros etc As principais funcionalidades do programa estão relacionadas com a Geometria Espacial, isto é, no contexto do programa, essas funções estão voltadas para a modelagem de figuras 3D A ferramenta RA-Educacional está disponível para download gratuito em wwwfranciscocesarcom/ra-educacional/ra-educacionalzip O link abaixo oferece um vídeo das principais aplicações do programa: Educacional/VideoB_RA-Educacionalzip 2 REALIDADE AUMENTADA Realidade Aumentada é a sobreposição de objetos virtuais no mundo real mediante algum dispositivo tecnológico, incrementando, dessa forma, a visão do usuário (BAJURA, 1995) Trata-se de um mecanismo computacional que possibilita ao usuário interagir com objetos 3D inseridos no mundo real Objetos tridimensionais gerados por sistemas computacionais geralmente apresentam vantagens quando comparados às imagens tradicionais, uma vez que causam maior interesse devido à facilidade no manuseio desses objetos, o que não é possível com imagens bidimensionais A Figura 1 ilustra algumas aplicações de RA Fig 1 Aplicações de RA: A e E (OLIVEIRA, 2006), B e C (BILLINGHURST, 2001), D (SANTIN, 2004)

4 4 Para conhecer outros projetos de RA e Realidade Virtual (RV), acesse os links wwwrealidadevirtualcombr e wwwrealidadeaumentadacombr 3 REQUISITOS DAS APLICAÇÕES DE REALIDADE AUMENTADA Aplicações básicas de RA exigem um computador de configuração doméstica, um sistema operacional (Microsoft, Linux ou Mac), uma webcam, um software de RA, que pode ser o ARToolKit e pequenas placas de papelão com desenhos em seus interiores, as quais são direcionadas para a webcam; são conhecidas como marcadores ou placas A imagem observada no monitor (chave de cano) da Figura 2 corresponde ao objeto 3D de uma aplicação típica de RA Fig 2 Hardware e softwares utilizados numa aplicação básica de RA Os objetos virtuais utilizados nas aplicações de RA geralmente são modelados na linguagem VRML, a qual é descrita a seguir 31 LINGUAGEM VRML Virtual Reality Modeling Language (VRML) é uma linguagem de programação para modelagem de objetos virtuais A linguagem é utilizada em aplicações de RV e RA Para escrever um código em VRML, basta um editor de texto, como o Bloco de Notas do Windows, embora existam outros meios mais fáceis para a modelagem dos objetos, principalmente para o usuário que não domina programação São programas sofisticados para a elaboração de mundos virtuais, os quais exigem conhecimentos de espaço, sistemas de eixos (X, Y e Z) etc Alguns desses programas são pagos, enquanto que outros, gratuitos, como o Blender 3D, Vivaty Studio, VRMLPad, além de outros Os objetos 3D são criados mediante o conceito de malhas poligonais, as quais, combinadas, dão o formato do objeto Objetos simples, como um cubo ou esfera, são modelados com apenas algumas linhas de código fonte, enquanto outros, mais complexos, exigem um empenho maior Assim, quanto mais detalhe possuir o objeto, mais extenso e complexo será o seu código fonte Além dos objetos, mediante a linguagem VRML é possível acrescentar interatividade ao cenário virtual, como som, movimentos (animação), taxa de iluminação e outros recursos que incrementam os mundos virtuais

5 5 Para entender melhor como funciona essa linguagem, é possível criar objetos simples, como um cubo Para isso, copie o código abaixo num editor de texto qualquer, como o Bloco de Notas Em seguida, salve o arquivo com a extensão "wrl" Se tiver dificuldades nesse processo, basta atribuir um nome arbitrário seguido dessa extensão no momento de salvar o arquivo, por exemplo, "cubowrl" Ao fazer isso, repare que o arquivo não levará mais o ícone típico do Bloco de Notas, aquele caderninho espiral branco de anotações Mas, para que isso ocorra, é necessário que o sistema possua um plugin, que pode ser conseguido gratuitamente na internet Para saber mais sobre plugins e sua instalação, consulte o Capítulo 5 32 CÓDIGO VRML DE UM CUBO Copie o código da Figura 3, cole num editor de texto (Bloco de Notas) e salve com a extensão wrl, por exemplo cubowrl Fig 3 Código fonte de um cubo vermelho Se o procedimento foi realizado corretamente e o sistema operacional possuir um plugin instalado, ao ser executado, o arquivo cubowrl será aberto no Internet Explorer, conforme Figura 4 Se o sistema operacional não possuir um plugin, consulte o Capítulo 51 Neste último caso, o sistema informará ao usuário sobre a falta desse programa (plugin) Fig 4 Visualização do cubo virtual, cujo código fonte é descrito na Figura 3

6 6 4 ARTOOLKIT ARToolKit (Augmented Reality Tool Kit) é uma ferramenta largamente utilizada para implementações de RA O programa RA-Educacional já vem com o ARToolKit devidamente configurado para funcionar com o marcador localizado na pasta RA-Educacional; o Capítulo 5 aborda esse assunto com detalhes A função desse programa é rastrear o marcador o tempo todo e assim fazer com que o objeto virtual, previamente modelado pelo RA-Educacional, fique atrelado a ele Para o bom funcionamento do programa, é importante destacar pelo menos duas situações que podem causar problemas Uma é que a placa deve estar dirigida para a câmara o tempo todo, pelo menos enquanto o usuário desejar visualizar o objeto Caso a imagem seja "perdida" durante a execução do programa, basta reposicionar a placa na direção da webcam Da mesma forma, se o marcador for obstruído, por exemplo, com os dedos do usuário, isso fará com que a webcam deixe de "enxergar" o desenho estampado nele, o que acarretará no desaparecimento temporário do objeto Para corrigir o problema, basta desobstruir o marcador Outra situação que pode causar algum inconveniente é a iluminação, ainda que as últimas versões do ARToolKit tenha melhorado significativamente essa questão O problema maior é o excesso de luz, e não a sua falta A última versão, inclusive, chega a operar com pouca iluminação O ideal é manter uma iluminação intermediária e assim evitar esses problemas Para saber mais sobre a ferramenta ARToolKit, acesse ou os links de Realidade Virtual e Realidade Aumentada: wwwrealidadevirtualcombr e wwwrealidadeaumentadacombr 5 REQUISITOS DO RA-EDUCACIONAL A execução do programa RA-Educacional depende dos seguintes requisitos: 1 Um computador de configuração básica 2 Sistema Operacional Windows XP SP3 ou Vista 3 Uma webcam devidamente instalada no computador 4 Um plugin instalado no Internet Explorer 5 Marcadores para a webcam 6 Uma rede Windows com dois ou mais computadores conectados Os itens 1, 2, 3 e 6 deverão estar instalados e devidamente configurados, não cabendo, para o presente tutorial, maiores detalhes quanto à suas configurações O item 6 é obrigatório somente se o usuário for trabalhar em grupo, ou seja, se desejar visualizar e manipular objetos de outros usuários do programa RA-Educacional 51 PLUGIN Geralmente são programas simples, porém com a importante função de adicionar diversos recursos a outros programas maiores, beneficiando-os com alguma funcionalidade específica No caso do plugin para VRML, um bastante utilizado é o Cortona VRML Client, que atua diretamente no navegador do sistema operacional; para mais detalhes sobre VRML, consulte o Capítulo 31

7 7 Após a instalação do plugin, os objetos virtuais serão visualizados diretamente no navegador, ou seja, no Internet Explorer, ou browser, como também é conhecido Antes de instalar o Cortona VRML Client, é conveniente saber se o teu sistema já não possui um (ou outro qualquer), e assim evitar perda de tempo Para saber isso, clique em "Meu sistema possui um plugin?", localizado no menu "Realidade Aumentada", seguido do submenu "Sobre o plugin" Se o sistema já possuir o plugin, após o clique o navegador será aberto com um cenário virtual contendo 5 figuras espaciais, conforme ilustra a Figura 5 Fig 5 Visualização de um cenário virtual quando o Internet Explorer já possuir um plugin instalado Caso o teu sistema não possua um plugin instalado, o navegador será aberto e lhe informará sobre essa situação com um pequeno texto, de maneira que, de uma forma ou de outra, você sempre saberá se existe ou não esse programa em seu computador A Figura 6 ilustra essa situação Caso necessite instalar o programa Cortona 3D Client, acesse e clique em Download para salvar o programa em seu computador Feito isso, basta executar o arquivo cortona3d e aceitar as configurações propostas Outra opção é fazer o download através do menu Realidade Aumentada Sobre o plugin Download do Cortona 3D Após o download, basta executar o arquivo cortona3d Durante a instalação, aceite todas as sugestões sugeridas pelo instalador Com isso, o sistema operacional estará apto para visualizações 3D através do RA-Educacional

8 8 Fig 6 Texto fornecido quando o Internet Explorer não possui um plugin instalado O texto da imagem da Figura 6 nada mais é que as primeiras linhas do código VRML do cenário virtual ilustrado na Figura 5 Como o sistema não encontra nenhum plugin instalado no IE, a imagem virtual não pode ser mostrada, mas seu código sim Finalmente, para aproveitar essa imagem (código VRML) do cenário não visualizado (Figura 6), o código traz consigo o texto explicativo, o qual não é processado pela linguagem VRML porque todas as suas linhas estão comentadas, o que nessa linguagem é mediante o uso de # na parte mais a esquerda 52 MARCADOR É o item fundamental nas aplicações envolvendo o RA-Educacional O primeiro passo é montar o marcador Para isso, imprima e recorte a imagem da Figura 7 Essa imagem também pode ser impressa diretamente através do arquivo marcadorjpg, localizado na pasta RA-Educacional, principal diretório do programa Depois de imprimir e recortar, consiga um pedaço de papelão, o que pode ser aproveitado de caixas de embalagem Recorte o papelão e deixe-o com a mesma medida da impressão do marcador (pontilhado) Finalmente, cole a impressão no pedaço de papelão Isso fará do marcador uma estrutura mais resistente, condição necessária para que o ARToolKit funcione corretamente, pois a imagem inserida nele não pode sofrer distorções Após sua montagem, o marcador deverá ter a aparência da placa ilustrada na Figura 8

9 9 Fig 7 Arquivo marcadorjpg localizado na pasta AR-Educacional Fig 8 Marcador de RA utilizado no programa RA-Educacional 6 INSTALAÇÃO DO RA-EDUCACIONAL Acesse um dos seguintes endereços: wwwfranciscocesarcom/ra-educacional ou wwwrealidadevirtualcombr e baixe o pacote RA-Educacionalzip Descompacte-o e coloque no diretório C:\ de seu sistema operacional É importante saber que a primeira versão do programa somente funciona nesse diretório Uma vez no diretório indicado, os arquivos do programa apresentarão a estrutura descrita conforme Figura 9

10 10 Fig 9 Estrutura de diretório do programa RA-Educacional A última etapa é compartilhar a pasta compartilha do programa Para isso, clique com o botão direito sobre a pasta; uma das opções que surgirá será Compartilhamento e segurança No menu Compartilhamento marque as caixas Compartilhar esta pasta na rede e Permitir que usuários da rede alterem meus arquivos Em seguida, aceite a alteração e feche a janela Com isso, o programa está pronto para ser utilizado, bastando um clique no ícone correspondente, conforme seta indicativa da Figura 9 7 GEOMETRIA ESPACIAL COM O RA-EDUCACIONAL O atalho para abrir o programa está localizado no diretório principal (pasta RA- Educacional) Uma vez executado, o programa perguntará ao usuário se ele deseja orientações sobre a ferramenta durante a sua execução (Figura 10) Fig 10 Primeira interface do programa RA-Educacional

11 11 Caso o usuário já conheça todas as funcionalidades do sistema, deverá pressionar o botão já selecionado (Não) Entretanto, se desejar maiores informações quanto às principais funções do programa, deverá pressionar o botão Sim Essas informações são pequenas janelas com textos geralmente curtos, os quais procuram orientar o usuário sobre determinada etapa de execução do programa Por exemplo, após modelar alguma figura 3D, como recurso de feedback, o sistema retorna o texto mostrado na Figura 11 Se o usuário desejar não ter acesso a essa janela inicial, poderá alterar as configurações no menu Opções Fig 11 Primeira interface do programa RA-Educacional Clicando em Sim ou Não, a próxima e principal interface do programa é a ilustrada na Figura 12 Através do menu Opções é possível alterar duas configurações A primeira é quanto às orientações citadas anteriormente Caso o usuário não deseje mais receber as mensagens explicativas, basta utilizar essa opção A segunda diz respeito ao recurso de áudio que o programa dispõe Toda vez que uma figura é visualizada, quer seja pelo IE ou ARToolKit, um som com o nome da figura 3D acompanha a abertura desses programas Da mesma forma, se o usuário não desejar utilizar esse recurso, basta utilizar o menu ou pressionar a tecla F7; a tecla F8 faz o inverso, isto é, habilita o recurso de áudio Quanto aos demais menus, são bastante intuitivos, assim como em qualquer outro programa Fig 12 Interface principal do Programa RA-Educacional

12 12 Para a aplicação de Geometria Espacial, clique no botão correspondente ou utilize o menu Aplicações Se não existir objetos virtuais armazenados no sistema, ou seja, se o Repositório estiver sem estoque de arquivos, surgirá a tela ilustrada na Figura 13 Fig 13 Tela da aplicação Geometria Espacial com RA Entretanto, caso exista uma ou mais figuras 3D previamente armazenada(s), então o usuário visualizará uma janela intermediária alertando-o dessa situação (Figura 14) Fig 14 Alerta de figuras 3D previamente armazenadas Clicando em OK, a janela ativa volta a ser a da Figura 13 A seguir, e para dar um exemplo mais didático, vamos simular a modelagem de um cone

13 13 71 SIMULANDO A CRIAÇÃO DE UM CONE Após clicar no botão Cone, a mesma janela será acrescentada com outras informações e funções relacionadas à configuração do objeto virtual que será modelado Conforme indica a Figura 15, as características dos objetos 3D são três: medidas, cor e transparência As medidas variam de acordo com o tipo da figura Por exemplo, o cubo possui somente as arestas, bastando, para isso, uma única entrada de dados para suas medidas O mesmo acontece com as esferas, que somente possuem o raio como medida Dessa forma, para cada tipo de figura, uma combinação diferente de medidas surgirá na interface Experimente clicar em todos os botões para analisar suas diferentes medidas, conforme Tabela 1 Como nosso exemplo é a criação de um cone, seguiremos com ele Tabela 1 Figuras espaciais e suas medidas da interface Geometria Espacial Figura Medidas Cubo Arestas (1) Esfera Raio (1) Cone Raio da base e da altura (2) Cilindro Raio da base e da altura (2) Paralelepípedo Largura, altura e profundidade(3) O sistema RA-Educacional já vem com os campos das medidas preenchidas, os quais poderão sofrer alterações a qualquer momento Por exemplo, o cone da Figura 15 possui raio 20, altura 30 e transparência 0 (zero) Os campos das medidas somente aceitam valores de 0 a 999 para os inteiros e de 0 a 99 para os campos das frações O sistema possui recurso para evitar valores incoerentes, os quais poderiam ser digitados acidentalmente, como números negativos ou muito elevados Da mesma forma, esses campos não aceitam nenhum caractere que não seja número, evitando erros no sistema Assim, se o usuário acidentalmente digitar um colchete no campo raio do cone, o sistema irá alertá-lo que essa possibilidade não existe, e na sequência o cursor voltará no mesmo campo para esperar outro valor até que este seja válido Fig 15 Configuração de um cone

14 14 O campo transparência vem com o valor 0, o que significa dizer que o objeto será modelado sem nenhum grau de transparência Nesse caso, a luz não passará pelo objeto, tornando a figura 3D opaca Os valores para o campo transparência variam de 000 a 100, mas poderia suportar milhares de valores No entanto, uma divisão em 100 (cem) partes é mais que suficiente Com isso, a transparência no sistema RA- Educacional pode assumir 101 valores, onde o primeiro é 000 e o último 100, passando por 001, 002, 003 etc Se o valor 000 indica ausência de transparência (opacidade), 100 torna os objetos invisíveis A Figura 16 ilustra 5 situações de transparências para o mesmo objeto; são valores que oscilam de 000 a 090 Percebe-se que para o valor 090 o objeto está próximo da invisibilidade Fig 16 Graus de transparências de um cubo que variou de 000 a 090 Além das medidas e a transparência, é possível alterar a cor do objeto Todo objeto vem configurado com a cor azul assim que o programa é iniciado, mas o usuário poderá alterar essa condição Se a cor desejada para a nova figura espacial for azul, vermelha, verde, preta ou branca, então elas poderão ser escolhidas diretamente no painel de cores (Figuras 15 e 17) Entretanto, se a cor pretendida for outra, o usuário poderá utilizar uma tabela com os valores RGB de 456 cores Para acessar a tabela, clique no ícone colorido, logo abaixo da opção RGB A tabela oferece 456 cores (Figura 17), bastando um clique na cor desejada para que seus valores sejam transferidos para os campos da interface anterior, ou seja, a de modelagem Se a combinação de cores fosse definida de acordo com o exemplo da Figura 17, o objeto virtual assumiria a cor Aquamarine, conforme indica a tabela RGB ao lado; as cores representadas na Figura representam uma pequena parcela da tabela

15 15 Fig 17 Opção de 456 cores com o uso da tabela RGB Com medidas, transparência e cor definidas, já é possível modelar o objeto 3D Para isso, existem dois botões: Modelar sólido e Modelar aramado (Figura 15) A Figura 18 ilustra a diferença entre os dois tipos Note que o aramado é constituído somente por arestas, enquanto que uma figura sólida é totalmente preenchida Fig 18 Figuras espaciais sólidas e aramadas Ao clicar numas das opções de modelagem, o programa irá perguntar ao usuário se o objeto que acaba de ser modelado poderá ser compartilhado na rede (Figura 19-a) Em caso positivo, uma segunda pergunta é realizada, conforme indica a Figura 19-b

16 16 Caso a primeira pergunta tenha como resposta um não, a segunda não surge por conta de que objeto não compartilhado não pode ser passível de alterações por usuários remotos O compartilhamento remoto de objetos será detalhado mais adiante Na sequência, o sistema avalia a seguinte situação Se ao iniciar o programa o usuário optou pelo Não para a pergunta inicial ( Deseja orientações sobre o programa durante sua execução? ), então aparentemente nada ocorrerá, mas as figuras serão criadas e armazenadas Caso contrário (resposta sim ), surgirá uma janela para avisar ao usuário que o objeto virtual foi criado e armazenado, dando-lhe maior conforto quanto às suas expectativas Já para as demais modelagens após a execução do programa, esse e outros avisos deixam de aparecer, uma vez que o sistema entende que o usuário já os conhecem Após sua modelagem, o objeto poderá ser visualizado mediante duas formas: diretamente no navegador ou através do programa ARToolKit 72 VISUALIZAÇÃO DO OBJETO 3D ATRAVÉS DO NAVEGADOR Após clicar no botão correspondente, a figura recém modelada será visualizada através do Internet Explorer (Figura 19) O objeto virtual observado nessa Figura apresenta as seguintes características: Fig 19 Visualização de um cone através do Internet Explorer Se a imagem do cubo não surgir no navegador, provavelmente o sistema operacional não possui um plugin instalado Nesse caso, consulte o Capítulo 5 para saber como instalar o plugin Cortona VRML Client Também é provável que a imagem seja bloqueada pelo navegador Nesse caso, um texto na parte superior do programa lhe informará sobre essa situação Se desejar desbloquear definitivamente todo conteúdo

17 17 executado pelo RA-Educacional, preceda da seguinte maneira Com o Internet Explorer aberto, clique em Ferramentas, seguido de Opções da Internet Em Avançadas, entre na caixa Configurações e vá até a opção Segurança Uma das permissões dessa opção é Permitir que o conteúdo ativo seja executado em arquivos em Meu Computador Marque essa caixa, aceite as novas configurações e feche o Internet Explorer para que as novas alterações surtam efeito Depois desse procedimento o Cortona 3D não será mais bloqueado pelo Internet Explorer O plugin Cortona 3D possui diversas funções para a manipulação de objetos e cenários 3D Essas funções são acionadas por botões localizados na parte inferior da interface do Cortona 3D, conforme ilustra a Figura 19 (botões de interação) De maneira geral, esses botões manipulam a visão que o usuário tem do cenário Por exemplo, se o primeiro botão da esquerda (Walk) estiver selecionado, o usuário poderá utilizar o mouse para afastar ou se aproximar do objeto virtual, bastando, para isso, manter o botão esquerdo do mouse pressionado enquanto avança ou retrocede esse instrumento Exceção dos quatro botões da direita, os demais são operados pelo clique e arraste do mouse Para maiores esclarecimentos quanto ao uso do Cortona VRML Client, o plugin possui um sistema de ajuda que pode ser acessado mediante clique com o botão direito do mouse na logomarca Cortona 3D, situada abaixo e a direita de sua interface (Figura 19) As configurações desse programa, assim como a sua Ajuda, estão escrito no idioma inglês O plugin Cortona 3D já vem pré-configurado e apto para a maioria das aplicações 73 VISUALIZAÇÃO DO OBJETO 3D ATRAVÉS DO ARTOOLKIT O programa ARToolKit pode ser executado diretamente do RA-Educacional através do botão Visualizar no ARToolKit O arquivo executável encontra-se no diretório C:\RA-Educacional\ra\ARToolKitexe, mas não é recomendável a sua manipulação, a menos que o usuário conheça e domine esse programa Conforme mencionado no Capítulo 5 (Requisitos do RA-Educacional), o ARToolKit depende de marcadores para a visualização dos objetos De posse do marcador, direcione-o para a webcam; para a montagem do marcador, consulte o Capítulo 52 A Figura 20 corresponde a uma captura de tela (PrintSreean) da visualização do mesmo cone modelado conforme descrito em SIMULANDO A CRIAÇÃO DE UM CONE (Cap 71)

18 18 Fig 20 Visualização de um cone através do ARToolKit Para fechar o ARToolKit, basta clicar com o botão direito do mouse sobre qualquer ponto da tela responsável pela captura da imagem pela webcam, a mesma tela da Figura 20 O programa também pode ser fechado quando o RA-Educacional for encerrado; nesse caso todas as janelas e interfaces são automaticamente fechadas Outra maneira de visualizar os objetos mediante o ARToolKit é por meio da janela Repositório (Figuras 13 e 15), cujo acesso é através do botão de mesmo nome Essa função do programa é capaz de armazenar dez objetos virtuais No exemplo da Figura 21, sete objetos já foram modelados, sendo o último um paralelepípedo sólido de lados 10, 12 e 88 Além das medidas e o tipo de objeto, o programa arquiva o dia e a hora de sua criação Mais a esquerda de cada objeto descrito, um pequeno desenho do respectivo objeto é ilustrado Os desenhos têm a função de relatar de forma visual e breve a descrição dos objetos armazenados; as cores desses desenhos não correspondem às cores das figuras virtuais A lista de objetos também tem a sua direita símbolos de compartilhamento e alterações O último objeto, por exemplo, além de compartilhado, poderá sofrer alterações por usuários remotos Outro exemplo é quando o objeto é compartilhado, mas não possui autorização para alterações, como é o caso do segundo objeto da lista (Figura 21) Na parte inferior da interface são descritos os dados do objeto, sendo eles: cor, medida, transparência e distância da placa (marcador) São informações úteis que são atualizadas à medida que o usuário navega pela lista de objetos O último dado corresponde à distância da placa a parte mais próxima do objeto

19 19 Fig 21 Interface do Repositório de figuras virtuais A interface Repositório também permite visualizar os objetos cadastrados através do navegador ou ARToolKit Para isso, basta escolher o objeto desejado e clicar numa dessas opções Se, durante a visualização de uma figura, o usuário desejar o acesso de outro objeto, basta seguir as instruções acima sem a necessidade de fechar o ARToolKit, pois o programa (RA-Educacional) faz isso de forma automática Para encerrar as visualizações do ARToolKit e do Repositório, basta fechar esta última janela 74 EXCLUSÃO DE OBJETOS 3D Outra possibilidade dessa interface é a exclusão de objetos Para excluir um objeto, clique no botão correspondente Nesse caso, será excluído o último objeto modelado, independentemente da seleção Por exemplo, mesmo que o primeiro objeto esteja selecionado (Figura 21), o último é que será excluído (Figura 22) Fig 22 Exclusão do último objeto da lista Para a exclusão de todos os objetos armazenados, basta clicar no botão correspondente Com isso, todo o processo de cadastramento de figuras espaciais será

20 20 reiniciado Tal procedimento deve ser realizado com cautela, uma vez que ocasiona a perda definitiva de todos os objetos (Figura 23) Assim, a partir da décima figura virtual, o sistema não conseguirá mais modelar, a menos que o usuário aceite apagar um ou mais objetos virtuais Fig 23 Exclusão de todos os objetos da lista Ao optar por Sim (Figura 23), o usuário assume a condição de zerar o Repositório, dando início à possibilidade de modelar outros dez objetos Uma vez esgotada a capacidade de armazenar figuras, e caso o usuário tente modelar mais objetos, receberá uma tela de aviso alertando-o dessa situação (Figura 24) Fig 24 Alerta informativo sobre o limite de objetos atingido 75 INTERFACE DE COMPARTILHAMENTO REMOTO Essa interface é acessada através da janela anterior ou diretamente do menu principal É semelhante à interface Repositório, tendo basicamente três diferenças Possui um campo denominado Status, o qual recebe constantemente informações úteis quanto ao programa sobre mapeamento de computadores remotos, dados de objetos, dentre outras Mais a direita possuem os ícones que determinam se o objeto pode ou não ser alterado Por fim, possui o campo de dados (Dados do objeto) mais completo, já que armazena os dados anterior e posterior em relação as alterações realizadas de forma remota A Figura 25 mostra a interface logo após sua abertura

21 21 Fig 25 Interface de compartilhamento remoto 751 PROCURANDO USUÁRIOS NA REDE Quando solicitada, a função Mapear rede disponibiliza uma pequena janela, cujo objetivo é procurar grupos de trabalho e seus respectivos usuários (Figura 26) A ação de procurar grupos normalmente é rápida, levando frações de segundo, embora possa demorar algum tempo, a depender das condições de tráfego da rede Fig 26 Procurando usuários do RA-Educacional na rede local A Figura 26 mostra as três etapas para acessar os objetos de outro usuário Da esquerda para a direita, o primeiro passo é procurar os grupos, seguido da escolha de um que se encontre na lista Depois é só clicar uma única vez em algum usuário da lista Esse procedimento transporta o nome do usuário para o campo Nome do computador Como último passo, basta clicar no botão Conectar Fechando a interface de

22 22 mapeamento de rede, o usuário volta na tela anterior, agora com a lista de objetos preenchida Após a conexão, a interface é preenchida com informações dos objetos remotos, caso eles existam, conforme ilustra a Figura 27 Fig 27 Objetos compartilhados do usuário PC-CAROLINA A Figura acima descreve seis objetos remotos, dos quais um não está compartilhado (item 3) O primeiro e quinto objeto estão compartilhados, mas não podem sofrer alterações pelo usuário local Por outro lado, os objetos 2, 4 e 6 têm essa permissão Outras informações úteis são disponibilizadas na interface, como data e hora de conexão e as características do objeto Assim como no Repositório, aqui o usuário também pode visualizar as figuras através do IE ou ARToolKit 752 ALTERANDO OBJETOS REMOTOS Os objetos remotos são alterados através do botão Alterar objeto (Figura 27) A pequena interface que se abre possibilita alterações da medida, transparência e cor do objeto remoto A Figura 28 mostra essa interface, a qual está executando alterações no objeto 2, ou seja, a esfera sólida que inicialmente possuía raio 78,54

23 23 Fig 28 Alteração das características do objeto remoto número 2 A Figura 29 ilustra a interface de compartilhamento remoto com algumas alterações pelo usuário PCCHICO Fig 29 Visão do usuário que altera objetos de outro sistema remoto Note que a última alteração ocorreu com o objeto 6 O campo Dados do objeto armazena alguns valores, como as medidas anterior e posterior, transparências anterior e posterior, a distância da placa, assim como a cor do objeto Logo que uma figura é alterada, sua descrição passa a notificar essa situação com o complemento modificado por, seguido do nome do computador remoto; note na Figura acima os itens 2, 4 e 6 8 RELATÓRIO DE ACESSOS AOS OBJETOS LOCAIS Mediante a tecla F9, ou correspondentes atalhos situados nos menus Aplicações da janela principal, assim como na do Repositório, é possível abrir uma aplicação que informa quanto aos acessos dos objetos locais O informe inclui todas as visualizações ocorridas para cada um dos objetos De acordo com o exemplo da Figura 30, até aquele momento foram modelados cinco figuras espaciais; observe que esse informe corresponde justamente a quinta figura, a qual representa um paralelepípedo aramado Além do nome, é mostrado a data de criação (modelagem), a última alteração, a última visualização, assim como o total de acessos para o referido objeto Mais a direita, o quadro informa o nome dos computadores que acessaram a figura, assim como a quantidade de acessos que cada um deles efetuaram O Relatório de acessos tem por objetivo levantar uma estatística de cada objeto, assim como de todos os usuários participantes da rede, tarefa que pode ser útil, por exemplo, quando algum usuário (professor) deseje analisar as participações de outros usuários (alunos) ou objeto

24 24 Fig 30 Relatório de informe quanto aos acessos dos objetos locais Quando todas as figuras do Repositório local são excluídas, o Relatório de acessos é zerado e, consequentemente, sua abertura se torna desnecessária, situação ilustrada na Figura 31 No caso de exclusão de somente uma figura, a lista do Relatório de acessos é automaticamente atualizada Fig 31 Mensagem indicativa de que o Repositório local foi zerado (sem figuras armazenada) 9 CONCLUSÕES O surgimento de novas tecnologias, associado com a popularização dos sistemas computacionais, têm incentivado o desenvolvimento de muitos programas voltados para o ensino As principais atividades pedagógicas atuais são do tipo presencial Por outro lado, é crescente as modalidades de ensino a distância (EaD), assim como é grande a tendência de trabalhos colaborativos Dentre as diversas inovações tecnológicas, a RA se apresenta como ambiente diferenciado, pois oferece recursos não suportados por outras ferramentas, como interatividade e alto grau de percepção por quem a pratica Existem diversos sistemas que utilizam a RA para promover aplicações educacionais, como o Studierstube e o Construct3D (SCHMALSTIEG, 2002) No entanto, apesar de se mostrarem eficientes, são ferramentas que exigem equipamentos diferenciados e geralmente caros, como canetas virtuais, dispositivos móveis, dentre outros Para mais detalhes sobre essas técnicas e ferramentas, assim como trabalhos colaborativos e tendências educacionais atuais, favor consultar o material Desenvolvimento de Aplicações Educacionais Interativas e Colaborativas com

25 25 Realidade Aumentada (dissertação do mesmo autor), disponível em: O presente relatório descreve uma ferramenta de fácil manejo por qualquer pessoa capaz de operar um computador A principal função do aplicativo está relacionada com a modelagem de formas geométricas, capacitando o usuário a modelar figuras 3D básicas, como cubos, esferas etc Mais que criar tais formas, o sistema, em conjunto com o ARToolKit, permite que os objetos sejam manipulados pelo próprio usuário, despertando maior interesse e motivação em processos de ensino Como é capaz de compartilhar conteúdo tridimensional, a ferramenta fomenta modalidades distribuídas de aprendizado, uma vez que os usuários podem cooperar entre si, por exemplo, na construção de volumes sólidos com posterior compartilhamento do conteúdo por meio de uma LAN Para o futuro, espera-se aumentar o número de objetos suportados pelo sistema, que atualmente é dez Melhorias também podem ser feitas a nível de segurança, já que a primeira versão do aplicativo trabalha com compartilhamento de diretórios, enquanto que, mais adequado, seria um sistema de banco de dados para armazenar as figuras geradas pelo sistema Com alterações devidas, a ferramenta também poderia atuar num servidor web, estendendo o raio físico de atuação das aplicações Por fim, o projeto inicial do RA-Educacional é voltado para plataformas Windows com IE instalado Outros sistemas operacionais não foram testados, mas é uma possibilidade que deixa margem para futuras adaptações Como contribuição, espera-se que a ferramenta sirva de aliada a disciplinas com temas relacionados com a geometria espacial, volumes sólidos, noções de medidas e espaço tridimensional Como trabalha com conteúdo compartilhado, abre frente para aplicações distribuídas, recurso utilizado cada vez mais em processos de ensino Por fim, diferente de outros ambientes de RA, a ferramenta exige um computador básico com uma webcam e, para casos de compartilhamento de objetos, também uma rede local REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARTOOLKIT Acesso em: 19/10/2009 BAJURA, M NEUMANN, U Dynamic Registration Correction in Video-based Augmented Reality Systems In: Computer Graphics and Applications, IEEE Volume 15, Issue 5, Sep 1995, Pages: 52 60, 1995 BLENDER Home Page Acesso em 21/12/2009 CORTONA 3D Home Page Vieweraspx Acesso em: 11/09/2009 CORTONA 3D Home Page Acesso em: 11/09/2009 KIRNER, C, SISCOUTTO, R (a) Realidade Virtual e Aumentada: Conceitos, Projeto e Aplicações In: VII Symposium on Virtual Reality, Livro do Pré-Simposio, Cap1, pág5-7-10, Petropolis-RJ, 2007 MAGIC BOOCK e Acesso em 25/10/2009

26 26 OLIVEIRA, F Desenvolvimento de Aplicações Educacionais Interativas e Colaborativas com Realidade Aumentada 115p Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação) Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba 2010 OLIVEIRA, F; KIRNER, C Projeto LIRA Livro Interativo com Realidade Aumentada In: WARV 05 - Workshop de Aplicações de Realidade Virtual, 2005, Uberlândia Anais do WARV 05, 2005 v 01 SANTIN, R Sistema de Autoria Em Ambiente Colaborativo com Realidade Aumentada 125 p Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação) Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba 2008 SANTIN, R et al Ações Interativas em Ambientes de Realidade Aumentada com ARToolkit, VII Symposium on Virtual Reality, SBC, 2004, p REALIDADE AUMENTADA Acesso em: 19/12/2009 REALIDADE VIRTUAL Home Page Acesso em: 19/12/2009 SCHMALSTIEG, D et al The Studierstube Augmented Reality Project PRESENCE - Teleoperators and Virtual Environments, Vol 11, No 1, pp 32-54, MIT Press, February 2002 VIVATY STUDIO Home Page Acesso em 21/12/2009 VRMLPAD Home Page Acesso em 23/12/2009

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

Utilizando o correio eletrônico da UFJF com Thunderbird e IMAP

Utilizando o correio eletrônico da UFJF com Thunderbird e IMAP Utilizando o correio eletrônico da UFJF com Thunderbird e IMAP O cliente de e-mail web utilizado pela UFJF é um projeto OpenSource que não é desenvolvido pela universidade. Por isso, pode ocorrer que alguns

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line)

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Criamos, desenvolvemos e aperfeiçoamos ferramentas que tragam a nossos parceiros e clientes grandes oportunidades

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Instruções para instalação, configuração e execução do ARToolKit - versão 2.65, usando a aplicação "simplevrml"

Instruções para instalação, configuração e execução do ARToolKit - versão 2.65, usando a aplicação simplevrml Instruções para instalação, configuração e execução do ARToolKit - versão 2.65, usando a aplicação "simplevrml" Claudio Kirner - 2007 1. Baixando, preparando e tentando executar o ARToolKit Inicialmente,

Leia mais

Esse tutorial visa apresentar as principais funcionalidades do Editor de Roteiro de Aprendizagem do Portal Clickideia.

Esse tutorial visa apresentar as principais funcionalidades do Editor de Roteiro de Aprendizagem do Portal Clickideia. Sumário Introdução... 1 Objetivos... 1 Instruções para utilização do Tutorial... 1 Metodologia... 2 Apresentação do Editor de Roteiro de Aprendizagem... 2 Inserir Roteiro de Aprendizagem... 3 Meus Roteiros...

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

Tutorial 5 Questionários

Tutorial 5 Questionários Tutorial 5 Questionários A atividade Questionário no Moodle pode ter várias aplicações, tais como: atividades de autoavaliação, lista de exercícios para verificação de aprendizagem, teste rápido ou ainda

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:48 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:48 Leite Júnior ÍNDICE MICROSOFT INTERNET EXPLORER 6 SP2 (IE6 SP2)...2 JANELA PRINCIPAL...2 PARTES DA JANELA...2 OS MENUS DO IE6...3 MENU ARQUIVO...3 MENU EDITAR...3 MENU EXIBIR...3 MENU FAVORITOS...4 MENU FERRAMENTAS...4

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO Diretoria de Vigilância Epidemiológica/SES/SC 2006 1 Módulo 04 - Exportação e Importação de Dados Manual do SINASC Módulo Exportador Importador Introdução O Sistema SINASC

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Visão Geral sobre o tutorial de Utilização de

Visão Geral sobre o tutorial de Utilização de Tutorial de Utilização de Impressoras Não Fiscais no NFC-e Visão Geral sobre o tutorial de Utilização de Impressoras Não Fiscais no NFC-e O intuito deste tutorial é descrever com detalhes técnicos como

Leia mais

Instruções para download e instalação da atualização de Mapa GPS (v3)

Instruções para download e instalação da atualização de Mapa GPS (v3) Instruções para download e instalação da atualização de Mapa GPS (v3) Antes de iniciar o processo, você precisará um pen drive USB com uma capacidade de 2 GB ou maior. Em caso de dúvida ou dificuldade

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle No INSEP, o ambiente virtual de aprendizagem oferecido ao acadêmico é o MOODLE. A utilização dessa ferramenta é fundamental para o sucesso das atividades em EAD,

Leia mais

O computador. Sistema Operacional

O computador. Sistema Operacional O computador O computador é uma máquina desenvolvida para facilitar a vida do ser humano, principalmente nos trabalhos do dia-a-dia. É composto basicamente por duas partes o hardware e o software. Uma

Leia mais

Instalação do e-token do Governo federal para acesso ao Siapenet e SIAPE.

Instalação do e-token do Governo federal para acesso ao Siapenet e SIAPE. Instalação do e-token do Governo federal para acesso ao Siapenet e SIAPE. 25/07/2013 - pág. 1 Instalação e-token do Governo Federal para acesso ao SIAPE. Baixe os arquivos de instalação de leitura do e-token

Leia mais

Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO

Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO Índice Hyperlinks Descanse o mouse na frase, aperte sem largar o botão Ctrl do seu teclado e click com o botão esquerdo do mouse para confirmar. Introdução

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

Atualizaça o do Playlist Digital

Atualizaça o do Playlist Digital Atualizaça o do Playlist Digital Prezados Clientes, Nós da Playlist Software Solutions empresa líder de mercado no desenvolvimento de software para automação de rádios - primamos pela qualidade de nossos

Leia mais

Microsoft Office PowerPoint 2007

Microsoft Office PowerPoint 2007 INTRODUÇÃO AO MICROSOFT POWERPOINT 2007 O Microsoft Office PowerPoint 2007 é um programa destinado à criação de apresentação através de Slides. A apresentação é um conjunto de Sides que são exibidos em

Leia mais

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL Núcleo IFRS Manual do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 3 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 3 Procedimentos para Download

Leia mais

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Use o Google Drive para armazenar e acessar arquivos, pastas e documentos do Google Docs onde quer que você esteja. Quando você altera um arquivo na web, no

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 1 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 1 Procedimentos para Download e Instalação do NVDA... 2 Iniciando

Leia mais

EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM

EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM EMANNUELLE GOUVEIA ROLIM Bacharel em Ciência da Computação, especialista em Gerência de Projetos e em Criptografia e Segurança da Informação. Servidora Publica. Atua na área acadêmica em cursos de Graduação

Leia mais

GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL

GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL Ambiente Virtual de Aprendizagem - MOODLE GUIA BÁSICO DA SALA VIRTUAL http://salavirtual.faculdadesaoluiz.edu.br SUMÁRIO 1. Acessando Turmas 4 2. Inserindo Material 4 3. Enviando Mensagem aos Alunos 6

Leia mais

TUTORIAL AUTODESK 360 COLABORAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE ARQUIVOS

TUTORIAL AUTODESK 360 COLABORAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE ARQUIVOS TUTORIAL AUTODESK 360 COLABORAÇÃO E ARMAZENAMENTO DE ARQUIVOS Autodesk 360 é a nuvem da Autodesk, podendo ser acessada pela sua conta da Autodesk Education Community (estudantes) ou Autodesk Academic Resource

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região DIMI - Divisão de Microinformática e Redes Índice: O que é a Internet? 3 O que são Intranets? 3 Sobre o Nestcape Navigator 3 Para iniciar o

Leia mais

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Informática - Básico Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Índice Apresentação...06 Quais são as características do Windows?...07 Instalando o Windows...08 Aspectos Básicos...09 O que há na tela do Windows...10

Leia mais

FAQ Perguntas Frequentes

FAQ Perguntas Frequentes FAQ Perguntas Frequentes 1. COMO ACESSO A PLATAFORMA DE ENSINO?... 2 2. NÃO CONSIGO REALIZAR O MEU CADASTRO NO AMBIENTE VIRTUAL DO MMA.... 4 3. FIZ MEU CADASTRO NO SITE E NÃO RECEBI O E-MAIL DE CONFIRMAÇÃO

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Ambiente Virtual de Aprendizagem (Moodle) - - Atualizado em 29/07/20 ÍNDICE DE FIGURAS Figura Página de acesso ao SIGRA... 7 Figura 2 Portal de Cursos... 8

Leia mais

INTRODUÇÃO AO WINDOWS

INTRODUÇÃO AO WINDOWS INTRODUÇÃO AO WINDOWS Paulo José De Fazzio Júnior 1 Noções de Windows INICIANDO O WINDOWS...3 ÍCONES...4 BARRA DE TAREFAS...5 BOTÃO...5 ÁREA DE NOTIFICAÇÃO...5 BOTÃO INICIAR...6 INICIANDO PROGRAMAS...7

Leia mais

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH!

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES (EACH) TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! Autoria e revisão por: PET Sistemas

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Você acessa seu DISCO Virtual do mesmo modo como faz para seu HD, através de:

Você acessa seu DISCO Virtual do mesmo modo como faz para seu HD, através de: Manual DISCO VIRTUAL Gemelo Backup Online DESKTOP É um Disco que se encontra em seu PC junto às unidades de discos locais. A informação aqui existente é a mesma que você efetuou backup com sua Agenda ou

Leia mais

Atualizaça o do Maker

Atualizaça o do Maker Atualizaça o do Maker Prezados Clientes, Nós da Playlist Software Solutions empresa líder de mercado no desenvolvimento de software para automação de rádios - primamos pela qualidade de nossos produtos,

Leia mais

Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0

Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0 Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0 Importante: as instruções contidas neste guia só serão aplicáveis se seu armazenamento de mensagens for Avaya Message Storage Server (MSS)

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1 - Área de trabalho e personalizando o sistema... 3 A área de trabalho... 3 Partes da área de trabalho.... 4 O Menu Iniciar:...

Leia mais

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado.

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado. 1 Área de trabalho O Windows XP é um software da Microsoft (programa principal que faz o Computador funcionar), classificado como Sistema Operacional. Abra o Bloco de Notas para digitar e participar da

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

Manual do Sistema de Cadastro de Cultivares Locais, Tradicionais e Crioulas

Manual do Sistema de Cadastro de Cultivares Locais, Tradicionais e Crioulas Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria da Agricultura Familiar Departamento de Financiamento e Proteção da Produção Seguro da Agricultura Familiar Manual do Sistema de Cadastro de Cultivares

Leia mais

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR Novell Teaming - Guia de início rápido Novell Teaming 1.0 Julho de 2007 INTRODUÇÃO RÁPIDA www.novell.com Novell Teaming O termo Novell Teaming neste documento se aplica a todas as versões do Novell Teaming,

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

Manual do Painel Administrativo

Manual do Painel Administrativo Manual do Painel Administrativo versão 1.0 Autores César A Miggiolaro Marcos J Lazarin Índice Índice... 2 Figuras... 3 Inicio... 5 Funcionalidades... 7 Analytics... 9 Cidades... 9 Conteúdo... 10 Referência...

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Millennium... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento

Leia mais

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL ATENÇÃO! Para utilizar este tutorial não se esqueça: Onde estiver escrito seusite.com.br substitua pelo ENDEREÇO do seu site (domínio). Ex.: Se o endereço do seu site é casadecarnessilva.net

Leia mais

Manual. Rev 2 - junho/07

Manual. Rev 2 - junho/07 Manual 1.Desbloquear o software ------------------------------------------------------------------02 2.Botões do programa- --------------------------------------------------------------------- 02 3. Configurações

Leia mais

Como Gerar documento em PDF com várias Imagens

Como Gerar documento em PDF com várias Imagens Como Gerar documento em PDF com várias Imagens Para Gerar documento em PDF com várias Imagens, temos que seguir dois passos: 1. Inserir Imagens no Word 2. Gerar PDF a partir de documento do Word 1- Inserir

Leia mais

Manual Instalação Pedido Eletrônico

Manual Instalação Pedido Eletrônico Manual Instalação Pedido Eletrônico 1 Cliente que não utiliza o Boomerang, mas possui um sistema compatível. 1.1 Instalação do Boomerang Inserir o CD no drive do computador, clicar no botão INICIAR e em

Leia mais

Esse tutorial visa apresentar as principais funcionalidades do Editor de Roteiro de Aprendizagem do Portal Clickideia.

Esse tutorial visa apresentar as principais funcionalidades do Editor de Roteiro de Aprendizagem do Portal Clickideia. 1 Introdução Esse tutorial mostrará as funções básicas e metodologia do Editor de Roteiro de Aprendizagem do Portal Educacional Clickideia. Ele foi elaborado para auxiliar professores e alunos nas atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM Manual DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRGTI 2015 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessando o serviço...

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM...

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM... 1 de 30 INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 3.1. ONDE SE DEVE INSTALAR O SERVIDOR BAM?... 4 3.2. ONDE SE DEVE INSTALAR O PROGRAMADOR REMOTO BAM?... 4 3.3. COMO FAZER

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

Manual de Atualização Versão 3.6.4.

Manual de Atualização Versão 3.6.4. Manual de Atualização Versão 3.6.4. Sumário 1. AVISO... 1 2. INTRODUÇÃO... 2 3. PREPARAÇÃO PARA ATUALIZAÇÃO... 3 4. ATUALIZANDO GVCOLLEGE E BASE DE DADOS... 7 5. HABILITANDO NOVAS VERSÕES DO SISTEMA....

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

Tutorial Plone 4. Manutenção de Sites. Universidade Federal de São Carlos Departamento de Sistemas Web Todos os direitos reservados

Tutorial Plone 4. Manutenção de Sites. Universidade Federal de São Carlos Departamento de Sistemas Web Todos os direitos reservados Tutorial Plone 4 Manutenção de Sites Universidade Federal de São Carlos Departamento de Sistemas Web Todos os direitos reservados Sumário Introdução 1 Como fazer a autenticação do usuário 1.1 Através do

Leia mais

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Vivo 2013 http://vivosync.com.br 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 Vivo Sync... 5 3 Vivo Sync Web... 6 3.1 Página Inicial... 6 3.1.1 Novo Contato... 7 3.1.2 Editar Contato...

Leia mais

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II)

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) A seguir vamos ao estudo das ferramentas e aplicativos para utilização do correio

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó Sistema Operacional

Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó Sistema Operacional Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó Sistema Operacional Elaboração: Prof. Éverton Loreto everton@uffs.edu.br 2010 Objetivo Conhecer as características e recursos do Sistema Operacional

Leia mais

SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS

SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS SUMÁRIO 1. ACESSO À PÁGINA DO AMBIENTE VIRTUAL 2. CONTATANDO O SUPORTE 3. ATUALIZAR PERFIL 4. COMO ACESSAR AS DISCIPLINAS 5. PARTICIPANTES DA DISCIPLINA 6. ENVIAR MENSAGENS 7. PARTICIPAÇÃO NO FÓRUM 8.

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais

Sumário. 1 Tutorial: Blogs no Clickideia

Sumário. 1 Tutorial: Blogs no Clickideia 1 Tutorial: Blogs no Clickideia Sumário Introdução... 2 Objetivos... 2 Instruções para utilização do Tutorial... 2 Acesso ao Portal e a Home Blog... 3 Página Inicial da área do Blog... 4 Apresentação da

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

Google Drive. Passos. Configurando o Google Drive

Google Drive. Passos. Configurando o Google Drive Google Drive um sistema de armazenagem de arquivos ligado à sua conta Google e acessível via Internet, desta forma você pode acessar seus arquivos a partir de qualquer dispositivo que tenha acesso à Internet.

Leia mais

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados.

Qlik Sense Cloud. Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik Sense Cloud Qlik Sense 2.0.2 Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Copyright 1993-2015 QlikTech International AB. Todos os direitos reservados. Qlik, QlikTech,

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

Manual de configuração do sistema

Manual de configuração do sistema Manual de configuração do sistema (v.1.5.x Beta) Rua México, 119 Sala 2004 Centro Rio de Janeiro, RJ www.doctors-solution.com.br www.simdoctor.com.br contato@simdoctor.com.br Sumário 1. Fazendo seu primeiro

Leia mais