OFICINA DA PESQUISA. Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OFICINA DA PESQUISA. Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos"

Transcrição

1 OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: LÓGICA MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL APOSTILA 6 TEORIA DOS CONJUNTOS Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos

2 TEORIA DE CONJUNTOS [1] A ideia básica de conjunto é tão ou mais antiga que a noção de número. Ainda hoje existem algumas tribos não contaminadas pela civilização em que essa noção que confunde conjunto com a noção de número é clara. A matemática desses povos é extremamente simples. Por exemplo, a noção de quantidade se resume a apenas três ordens de grandeza: um, dois e muitos. O conceito de conjunto e o de elemento de um conjunto são considerados conceitos primitivos, ou seja, não são definidos. Apesar disso, os matemáticos aceitam o fato de que um conjunto fica categorizado a partir do momento em que conhecemos seus elementos.

3 TEORIA DE CONJUNTOS [2] Partindo do pressuposto que podemos afirmar que um dado objeto ou ser faz ou não parte de um determinado conjunto, temos assim um conjunto formalmente caracterizado. Assim, só podemos trabalhar com conjuntos a partir do momento em que seus elementos também possuem características que nos permita reconhece-los. Um conjunto pode ser determinado de duas maneiras: 1. Pela designação de seus elementos; 2. Pela propriedade de seus elementos.

4 TEORIA DE CONJUNTOS [3] Por exemplo, um conjunto determinado pela designação de seus elementos é aquele em que indicamos os elementos do conjunto, escrevendo eles entre chaves. Assim, o conjunto das vogais de nosso alfabeto pode ser designado pelo conjunto A = {a, e, i, o, u} Já um conjunto designado pela propriedade de seus elementos pressupõe a existência de uma propriedade que todos os elementos do conjunto, e somente eles, possuem. Assim, o conjunto {6, 7, 8, 9, 10,...} pode ser designado como um conjunto B = {x x é natural e x > 10}.

5 TEORIA DE CONJUNTOS [4]

6 CONJUNTOS NUMÉRICOS A utilização de conjuntos numéricos surgiu da necessidade de representar quantidades. Ao longo da história, surgiram necessidades como a de ordenar ou contar um certo número de objetos em diversas culturas (babilônica, romana, chinesa e indo-arábica). O sistema de numeração utilizado por nós hoje é derivado do sistema indo-arábico, que embora tenha sido inventado há cerca de 5 mil anos, só foi formalmente introduzido na Europa no século XIII. O primeiro conjunto numérico derivado dessa representação é o conjunto dos números naturais.

7 Conjunto dos Números Naturais O conjunto dos números naturais é representado pela letra N = {0, 1, 2, 3, 4,...} É um conjunto infinito e ordenado, ou seja, dados dois números naturais quaisquer, é sempre possível dizer se são iguais ou se um deles é maior ou menor que o outro. A partir do conjunto N, podemos definir o conjunto N*, como o conjunto dos números naturais não nulos. Assim: N* = {1, 2, 3, 4,...}

8 Conjunto dos Números Inteiros Relativos [1] A primeira vez que se pediu para que alguém desse o resultado da operação 1 2, não foi possível encontrar uma resposta. A solução desse problema ficou sem resposta por um bom tempo porque a subtração de dois números naturais (a-b) só era admitida quando a b. Para resolver situações desse tipo foi criado o conjunto dos números inteiros relativos, em que qualquer número negativo é menor que zero ou qualquer outro número positivo. Esse é o conjunto conhecido como Z = {..., -4, -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3, 4,...}

9 Conjunto dos Números Inteiros Relativos [2]

10 Conjunto dos Números Racionais

11 Conjunto dos Números Irracionais

12 Conjunto dos Números Reais Quando falamos em números reais, estamos falando em todos os números vistos até aqui, ou seja, o conjunto, o conjunto R dos números reais abrange o conjunto Q dos números racionais e o conjunto I rac dos números irracionais. R = Q + I rac ou R = Q U I rac. Além do conjunto dos números reais, existe ainda o conjunto dos números complexos (Conjunto C), em que R é um subconjunto de C. Todo número complexo é formado por uma par ordenado (a, b), que equivale ao valor a + b.i, em que a R e b R. No segundo termo, i é a unidade imaginária, que equivale a 1.

13 Relação entre conjuntos e seus elementos

14 Igualdade de Conjuntos Dois conjuntos são iguais se, e somente se, eles possuem os mesmos elementos. Assim, os conjuntos A e B são iguais, ou A = B, se, e somente se, x(x A x B) Exemplos: Seja A = {1, 2, 3} e B = {1, 2, 3} A = B Seja C = {a, b, c, d, e} e D = {a, b, c} A B

15 Conjunto Universo O conjunto universo U é o conjunto com todos os elementos que precisamos para trabalhar. Exemplos: Podemos definir o conjunto dos animais de um zoológico como o nosso conjunto U (Universo). Nesse caso, as espécies de aves desse zoológico seria um subconjunto de U. Podemos definir o conjunto de todos os alunos dessa faculdade como o nosso conjunto U. Nesse caso, os alunos de cada sala de aula seriam os subconjuntos de U.

16 Diagramas de Venn Seja U o conjunto de todas as letras do alfabeto. Nesse caso, as vogais seriam um subconjunto de U. Podemos usar a representação gráfica (Diagrama de Venn) para ilustrar essa situação.

17 Exemplos [1] A é um subconjunto de B, denotado por A B, se, e somente se, x(x A x B). Por exemplo: {1, 2} é um subconjunto de {1, 2, 3, 4}. {1, 2, 3, 4} é um subconjunto de {1, 2, 3, 4}.

18 Exemplos [2] Se A BeA B, então podemos dizer que A é um subconjunto próprio de B, denotado por A B. Formalmente: x(x A x B) x(x B x / A). Por exemplo: {1, 2} é um subconjunto próprio de {1, 2, 3, 4}. {1, 2, 3, 4} não é um subconjunto próprio de {1, 2, 3, 4}.

19 União de Conjuntos A união de 2 conjuntos A e B é o conjunto que contém elementos que pertençam à A ou B (ou ambos). A B={x x A x B} Exemplo 1: {1, 2, 3} {4, 5} = {1, 2, 3, 4, 5} Exemplo 2: {1, 2, 3} {3, 4} = {1, 2, 3, 4}

20 Interseção de Conjuntos A interseção de 2 conjuntos A e B é o conjunto que contém elementos que pertençam tanto à A quanto à B. A B={x (x A) (x B)} Exemplo 1: {1, 2, 3} {2, 3, 4, 5} = {2, 3} Exemplo 2: {1, 2, 3} {1, 4, 5, 6} = {1}

21 Conjuntos Disjuntos Dois conjuntos A e B são disjuntos se a interseção entre eles é vazia. Exemplo: {1, 2, 3, 4} e {5, 6, 7, 8, 9, 10} são disjuntos.

22 Diferença de Conjuntos A diferença de A e B (ou o complemento de A em relação à B) é o conjunto que contém elementos de A que não estão em B. Formalmente: A B = {x x A x / B} Exemplo: {1, 2, 3, 4} {2, 3} = {1, 4}

23 Identidades de Conjuntos [1]

24 Identidades de Conjuntos [2]

25 Exercício de Fixação [1] Dado um grupo de N alunos que estão estudando para fazer um concurso, sabe-se que: 20 alunos fazem um curso preparatório 35 alunos assistem vídeo-aulas no Youtube 10 alunos fazem curso preparatório e assistem vídeoaulas no Youtube. 5 alunos estudam sozinhos Qual é o número de alunos desse grupo?

26 Resolução do Exercício de Fixação [1] Seja A o conjunto de alunos que fazem o curso preparatório, e B o conjunto de alunos que fazem vídeoaulas no Youtube. Usando o diagrama de Venn, temos:

27 Exercício de Fixação [2] Uma pesquisa de mercado com 200 clientes que fizeram degustação e compraram três tipos de queijos raros (A, B e C) revelou as seguintes informações: 10 clientes compraram apenas o queijo A; 20 clientes compraram apenas o queijo C; 90 clientes compraram o queijo A; 20 clientes compraram o queijo A e B; 25 clientes compraram o queijo B e C; 15 compraram os queijos A, B e C Quantas unidades de cada tipo de queijo foram compradas pelos clientes?

28 Resolução do Exercício de Fixação [2] Usando o diagrama de Venn, temos:

29 Exercício Proposto [1]

30 Exercício Proposto [2]

31 Exercício Proposto [3] José Carlos e Marlene são os pais de Valéria. A família quer viajar nas férias de julho. José Carlos conseguiu tirar suas férias na fábrica do dia 2 ao dia 28. Marlene obteve licença no escritório de 5 a 30. As férias de Valéria na escola vão de 1 a 25. Durante quantos dias a família poderá viajar sem faltar as suas obrigações? a) 19 b) 20 c) 21 d) 22 e) 23

32 Exercício Proposto [4] (UNESP) Numa classe de 30 alunos, 16 gostam de Matemática e 20 gostam de História. O número de alunos desta classe que gostam de Matemática e História é: a) exatamente 16 b) exatamente 10 c) no máximo 6 d) no mínimo 6 e) exatamente 18

33 Exercício Proposto [5] (PUC) Numa pesquisa de mercado, verificou-se que 15 pessoas utilizam pelo menos um dos produtos A ou B. Sabendo que 10 destas pessoas não usam o produto B e que 2 destas pessoas não usam o produto A, qual é o número de pessoas que utilizam os produtos A e B? a) 2 b) 3 c) 4 d) 5 e) 8

34 Exercício Proposto [6] (Concurso Bombeiros MG 2008) Considere que temos o conjunto A = {x Є U x satisfaz p}. Sobre A podemos afirmar: a) Se x Є U então x Є A b) Se x Aentão x U c) Se x não satisfaz p então x A d) U A e) Todas as afirmativas anteriores são falsas

35 Exercício Proposto [7] (Concurso PM Acre 2012) Sejam os conjuntos A = {1, 2, 3} e B = {2, 3, 5}, determine o conjunto A B. A) { } B) {1, 5} C) {5} D) {1} E) {2, 3}

36 Exercício Proposto [8] (Concurso PM Acre 2012) Considere o conjunto A = {1, 2, {3}} e assinale a alternativa que contém um subconjunto de A. A) {3} B) {1, 3} C) {2, 3} D) {4, {3}} E) {{3}}

37 Exercício Proposto [9] Ao final de um dia, foram feitas 100 denúncias de crimes contra os direitos humanos no site da Polícia Federal. Os crimes que podem ser denunciados são: [1] Tráfico de pessoas; [2] Exploração sexual; [3] Pornografia infantil. Após a análise de informações, constatou-se que: (A) 5 denúncias não correspondem a nenhum dos três crimes; (B) 5 denúncias correspondem aos três crimes juntos; (C) 30 denúncias correspondem apenas aos crimes [1] e [3] juntos, e 5 denúncias, aos crimes [2] e [3] juntos; (D) O número de denúncias exclusivas do crime [1] foi de 5, e de denúncias exclusivas do crime [2] foi de 20, e apenas desses dois crimes [1] e [2] juntos foi de 5; (E) O total de denúncias mais alto foi do crime [3], totalizando 65 denúncias, mas que podem estar associadas com ou outros dois tipos de crimes. Quantas foram as denúncias exclusivas do crime [3] (Pornografia infantil)?

38 Exercício Proposto [10] (Concurso PMSC 2011) Leia as afirmações a seguir: I. Os números Naturais são aqueles inteiros não positivos mais o zero. II. Os números Irracionais são aqueles que representam dízimas periódicas. III. Os números Reais representam a soma dos números Racionais com os Irracionais. Assinale a única alternativa correta: a) Somente a assertiva II está correta. b) Somente a assertiva III está correta. c) Somente a assertiva I está correta. d) Somente as assertivas II e III estão corretas. e) Todas as assertivas são incorretas

39 Exercício Proposto [11] (Concurso PM Piauí 2009) Considerando o conjunto universo U = {2, 4, 6, 8, 10} e os conjuntos não-vazios A e B, subconjuntos de U, tais que B A, A U B = {6, 8, 10} e A B = {8}, pode-se afirmar, CORRETAMENTE, que A é: a) {6,8,10} b) {4,6} c) {4,6,8} d) {2,6,10} e) {6,8}

40 Exercício Proposto [12] (Concurso PM Piauí 2009) Dados os conjuntos: A = {x R/1 x<10} B = {x R/(x+1)(x-6) < 0} C = {z R/z² = 6z} O conjunto A (C B) é: a) (-1, 7) b) {3} (5, 7) c) {0, 3} d) (5, 7) e) [1, 6]

TEORIA DOS CONJUNTOS. Professor: Marcelo Silva Natal - RN, agosto de 2013.

TEORIA DOS CONJUNTOS. Professor: Marcelo Silva Natal - RN, agosto de 2013. TEORIA DOS CONJUNTOS Professor: Marcelo Silva marcelo.silva@ifrn.edu.br Natal - RN, agosto de 2013. 1 INTRODUÇÃO Um funcionário do departamento de seleção de pessoal de uma indústria automobilística, analisando

Leia mais

Capítulo 2 Noções de conjuntos

Capítulo 2 Noções de conjuntos THE BRIDGEMAN/KEYSTONE Capítulo 2 Noções de conjuntos X SAIR Para representar o conjunto A formado pelos números naturais de 0 a 10, podem-se utilizar três possibilidades: 1ª forma: pela citação dos elementos.

Leia mais

RLM - PROFESSOR CARLOS EDUARDO AULA 3

RLM - PROFESSOR CARLOS EDUARDO AULA 3 AULA 3 Sucessões = sequências(numéricas) São conjuntos de números reais dispostos numa certa ordem. Uma sequência pode ser FINITA ou INFINITA. Ex: a) (3, 6, 9, 12) sequência finita P.A de razão 3 b) (5,

Leia mais

Conjuntos Numéricos Conjunto dos números naturais

Conjuntos Numéricos Conjunto dos números naturais Conjuntos Numéricos Conjunto dos números naturais É indicado por Subconjuntos de : N N e representado desta forma: N N 0,1,2,3,4,5,6,... - conjunto dos números naturais não nulos. P 0,2,4,6,8,... - conjunto

Leia mais

Matemática Discreta - 07

Matemática Discreta - 07 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Matemática Discreta - 07 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Fundamentos de Álgebra Moderna Profª Ana Paula CONJUNTOS

Fundamentos de Álgebra Moderna Profª Ana Paula CONJUNTOS Fundamentos de Álgebra Moderna Profª Ana Paula CONJUNTOS O conjunto é um conceito fundamental em todos os ramos da matemática. Intuitivamente, um conjunto é uma lista, coleção ou classe de objetods bem

Leia mais

SISTEMA DECIMAL. No sistema decimal o símbolo 0 (zero) posicionado à direita implica em multiplicar a grandeza pela base, ou seja, por 10 (dez).

SISTEMA DECIMAL. No sistema decimal o símbolo 0 (zero) posicionado à direita implica em multiplicar a grandeza pela base, ou seja, por 10 (dez). SISTEMA DECIMAL 1. Classificação dos números decimais O sistema decimal é um sistema de numeração de posição que utiliza a base dez. Os dez algarismos indo-arábicos - 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 - servem para

Leia mais

Unidade I MATEMÁTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos

Unidade I MATEMÁTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos Unidade I MATEMÁTICA Prof. Celso Ribeiro Campos Números reais Três noções básicas são consideradas primitivas, isto é, são aceitas sem a necessidade de definição. São elas: a) Conjunto. b) Elemento. c)

Leia mais

CURSO PRF 2017 MATEMÁTICA

CURSO PRF 2017 MATEMÁTICA AULA 001 1 MATEMÁTICA PROFESSOR AULA 001 MATEMÁTICA DAVIDSON VICTOR 2 AULA 01 - CONJUNTOS NUMÉRICOS CONJUNTO DOS NÚMEROS NATURAIS É o primeiro e o mais básico de todos os conjuntos numéricos. Pertencem

Leia mais

CURSO DO ZERO. Indicamos um conjunto, em geral, com uma letra maiúscula A, B, C... e um elemento com uma letra minúscula a, b, c, d, x, y,...

CURSO DO ZERO. Indicamos um conjunto, em geral, com uma letra maiúscula A, B, C... e um elemento com uma letra minúscula a, b, c, d, x, y,... ssunto: Conjunto e Conjuntos Numéricos ssunto: Teoria dos Conjuntos Conceitos primitivos. Representação e tipos de conjunto. Operação com conjuntos. Conceitos Primitivos: CURSO DO ZERO Para dar início

Leia mais

Matemática Conjuntos - Teoria

Matemática Conjuntos - Teoria Matemática Conjuntos - Teoria 1 - Conjunto: Conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. Esta forma de representar

Leia mais

Aula 1. e o conjunto dos inteiros é :

Aula 1. e o conjunto dos inteiros é : Aula 1 1. Números reais O conjunto dos números reais, R, pode ser visto como o conjunto dos pontos da linha real, que serão em geral denotados por letras minúsculas: x, y, s, t, u, etc. R é munido de quatro

Leia mais

EXERCICIOS COMPLEMENTARES OS CONJUNTOS NUMÉRICOS

EXERCICIOS COMPLEMENTARES OS CONJUNTOS NUMÉRICOS NOME: TURMA: SANTO ANDRÉ, DE DE EXERCICIOS COMPLEMENTARES OS CONJUNTOS NUMÉRICOS Conjunto dos números naturais -Representado pela letra N, este conjunto abrange todos os números inteiros positivos, incluindo

Leia mais

ÁLGEBRA. AULA 1 _ Conjuntos Professor Luciano Nóbrega. Maria Auxiliadora

ÁLGEBRA. AULA 1 _ Conjuntos Professor Luciano Nóbrega. Maria Auxiliadora 1 ÁLGEBRA AULA 1 _ Conjuntos Professor Luciano Nóbrega Maria Auxiliadora 2 Pode-se dizer que a é, em grande parte, trabalho de um único matemático: Georg Cantor (1845-1918). A noção de conjunto não é suscetível

Leia mais

Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos

Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos. Teoria dos Conjuntos Pode-se dizer que a é em grande parte trabalho de um único matemático: Georg Cantor (1845-1918). noção de conjunto não é suscetível de definição precisa a partir d noções mais simples, ou seja, é uma noção

Leia mais

Conjuntos Contáveis e Não Contáveis / Contagem

Conjuntos Contáveis e Não Contáveis / Contagem Conjuntos Contáveis e Não Contáveis / Contagem Introdução A história nos mostra que desde muito tempo o homem sempre teve a preocupação em contar objetos e ter registros numéricos. Seja através de pedras,

Leia mais

Definição: Um ou mais elementos que tenham características iguais ou atendam a uma regra que lhes permitam fazer parte de um mesmo meio.

Definição: Um ou mais elementos que tenham características iguais ou atendam a uma regra que lhes permitam fazer parte de um mesmo meio. CONJUNTOS Definição: Um ou mais elementos que tenham características iguais ou atendam a uma regra que lhes permitam fazer parte de um mesmo meio. Exemplos: A = {a, e, i, o, u} (conjunto das vogais do

Leia mais

Definição: Todo objeto parte de um conjunto é denominado elemento.

Definição: Todo objeto parte de um conjunto é denominado elemento. 1. CONJUNTOS 1.1. TEORIA DE CONJUNTOS 1.1.1. DEFINIÇÃO DE CONJUNTO Definição: Conjunto é toda coleção de objetos. Uma coleção de números é um conjunto. Uma coleção de letras é um conjunto. Uma coleção

Leia mais

Professor conteudista: Renato Zanini

Professor conteudista: Renato Zanini Matemática Professor conteudista: Renato Zanini Sumário Matemática Unidade I 1 OS NÚMEROS REAIS: REPRESENTAÇÕES E OPERAÇÕES... EXPRESSÕES LITERAIS E SUAS OPERAÇÕES...6 3 RESOLVENDO EQUAÇÕES...7 4 RESOLVENDO

Leia mais

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 05

Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET  RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 05 RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 05 NÚMEROS NATURAIS O sistema aceito, universalmente, e utilizado é o sistema decimal, e o registro é o indo-arábico. A contagem que fazemos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, e assim

Leia mais

Geometria Analítica. Geometria Analítica Geometria É importante compreender a geometria, para dar resposta a questões como: 15/08/2012

Geometria Analítica. Geometria Analítica Geometria É importante compreender a geometria, para dar resposta a questões como: 15/08/2012 Prof. Luiz Antonio do Nascimento luiz.anascimento@sp.senac.br www.lnascimento.com.br Geometria A Geometria é um ramo da matemática preocupado com questões de forma, tamanho e posição relativa de figuras

Leia mais

Chama-se conjunto dos números naturais símbolo N o conjunto formado pelos números. OBS: De um modo geral, se A é um conjunto numérico qualquer, tem-se

Chama-se conjunto dos números naturais símbolo N o conjunto formado pelos números. OBS: De um modo geral, se A é um conjunto numérico qualquer, tem-se UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Conjuntos Numéricos Prof.:

Leia mais

Colégio Avanço de Ensino Programado

Colégio Avanço de Ensino Programado α Colégio Avanço de Ensino Programado Trabalho Bimestral 1º Semestre - 1º Bim. /2016 Nota: Professor (a): Lúcia Disciplina: Matemática Turma: 1ª Série E. Médio Nome: Nº: Atividade deverá ser entregue em

Leia mais

Interruptores e Conjuntos

Interruptores e Conjuntos aula 03 (Lógica) Sistemas Dicotômicos, Interruptores e Conjuntos Professor: Renê Furtado Felix E-mail: rffelix70@yahoo.com.br Site: http://www.renecomputer.net/pdflog.html Sistemas Dicotômicos Aula de

Leia mais

Curso de Matemática Aplicada.

Curso de Matemática Aplicada. Aula 1 p.1/25 Curso de Matemática Aplicada. Margarete Oliveira Domingues PGMET/INPE Sistema de números reais e complexos Aula 1 p.2/25 Aula 1 p.3/25 Conjuntos Conjunto, classe e coleção de objetos possuindo

Leia mais

2 - Explicite os conjuntos indicados: (1) { x N x 5 } (3) { x N x 2 < 5 } (2) { x N x 2 = 4 } (4) { x Z x 2 < 5 }

2 - Explicite os conjuntos indicados: (1) { x N x 5 } (3) { x N x 2 < 5 } (2) { x N x 2 = 4 } (4) { x Z x 2 < 5 } Lista de Conjuntos Numéricos Revisão para o Simulado Nacional Rumoaoita (Ciclo Zero) 1 - Considere os conjuntos: A - conjunto dos números pares positivos; B - conjunto dos números ímpares positivos; C

Leia mais

Segmento: Pré-vestibular. Coleção: Alfa, Beta e Gama. Disciplina: Matemática. Unidade 1: Série 17. Conjuntos

Segmento: Pré-vestibular. Coleção: Alfa, Beta e Gama. Disciplina: Matemática. Unidade 1: Série 17. Conjuntos Segmento: Pré-vestibular Coleção: Alfa, Beta e Gama Disciplina: Matemática Volume: 1 Unidade 1: Série 17 Resoluções Conjuntos 1. A = {1, } O Conjunto A possui dois elementos: 1 e. O total de subconjuntos

Leia mais

Conjuntos e sua Representação

Conjuntos e sua Representação Conjuntos e sua Representação Professor: Nuno Rocha nuno.ahcor@gmail.com Conjuntos Um conjunto é o agrupamento de vários elementos que possuem características semelhantes. Exemplos de conjuntos: Países

Leia mais

III) se deste número n subtrairmos o número 3816, obteremos um número formado pelos mesmos algarismos do número n, mas na ordem contrária.

III) se deste número n subtrairmos o número 3816, obteremos um número formado pelos mesmos algarismos do número n, mas na ordem contrária. 1 Projeto Jovem Nota 10 1. (Fuvest 2000) Um número inteiro positivo n de 4 algarismos decimais satisfaz às seguintes condições: I) a soma dos quadrados dos 1 e 4 algarismos é 58; II) a soma dos quadrados

Leia mais

Os números foram criados para quantificar algo, seja pela proporção ou medida (comprimento, área, volume, tempo, peso, etc.).

Os números foram criados para quantificar algo, seja pela proporção ou medida (comprimento, área, volume, tempo, peso, etc.). PEDREIRA, Sinvaldo Martins [1] [2] PEDREIRA, Sinvaldo Martins. O valor dos números. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 1, Vol.8. pp.5-16, setembro de 2016. ISSN.2448-0959 RESUMO

Leia mais

MANT _ EJA I. Aula 01. 1º Bimestre. Teoria dos Conjuntos Professor Luciano Nóbrega. DEUS criou os números naturais. O resto é obra dos homens.

MANT _ EJA I. Aula 01. 1º Bimestre. Teoria dos Conjuntos Professor Luciano Nóbrega. DEUS criou os números naturais. O resto é obra dos homens. MANT _ EJA I DEUS criou os números naturais. O resto é obra dos homens. Aula 01 Teoria dos Conjuntos Professor Luciano Nóbrega Leopold Kronecker (Matemático Alemão) 1 1º Bimestre 2 Observe a foto de um

Leia mais

Hewlett-Packard CONJUNTOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz

Hewlett-Packard CONJUNTOS. Aulas 01 a 06. Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Hewlett-Packard CONJUNTOS Aulas 01 a 06 Elson Rodrigues, Gabriel Carvalho e Paulo Luiz Ano 2016 Sumário CONJUNTOS... 2 CONCEITOS PRIMITIVOS... 2 REPRESENTAÇÃO DE UM CONJUNTO... 2 RELAÇÃO DE PERTINÊNCIA...

Leia mais

Professor conteudista: Renato Zanini

Professor conteudista: Renato Zanini Matemática Básica Professor conteudista: Renato Zanini Sumário Matemática Básica Unidade I 1 OS NÚMEROS REAIS: REPRESENTAÇÕES E OPERAÇÕES... EXPRESSÕES LITERAIS E SUAS OPERAÇÕES...6 3 RESOLVENDO EQUAÇÕES...7

Leia mais

I. Conjunto Elemento Pertinência

I. Conjunto Elemento Pertinência TEORI DOS CONJUNTOS I. Conjunto Elemento Pertinência Conjunto, elemento e pertinência são três noções aceitas sem definição, ou seja, são noções primitivas. idéia de conjunto é praticamente a mesma que

Leia mais

Matemática I Capítulo 11 Função Modular

Matemática I Capítulo 11 Função Modular Nome: Nº Curso: Mecânica Integrado Disciplina: Matemática I 1 Ano Prof. Leonardo Data: / /016 Matemática I Capítulo 11 Função Modular 11.1 - Módulo O módulo, ou valor absoluto, de um número real x representado

Leia mais

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Números Irracionais e Reais. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente

Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas. Números Irracionais e Reais. Oitavo Ano. Prof. Ulisses Lima Parente Material Teórico - Módulo de Potenciação e Dízimas Periódicas Números Irracionais e Reais Oitavo Ano Prof. Ulisses Lima Parente 1 Os números irracionais Ao longo deste módulo, vimos que a representação

Leia mais

Matemática Instrumental Prof.: Luiz Gonzaga Damasceno

Matemática Instrumental Prof.: Luiz Gonzaga Damasceno 1 Matemática Instrumental 2008.1 Aula 1 Introdução Hoje em dia temos a educação presencial, semi-presencial e educação a distância. A presencial é a dos cursos regulares, onde professores e alunos se encontram

Leia mais

8º ANO. Lista extra de exercícios

8º ANO. Lista extra de exercícios 8º ANO Lista extra de exercícios . Determine os valores de x que tornam as equações a seguir verdadeiras. a) (x + 4)(x ) = 0 b) (x + 6)(x ) = 0 c) (x + )(6x 9) = 0 d) 4x(x ) = 0 e) 7x(x ) = 0. Determine

Leia mais

Lista de Exercícios - Conjuntos

Lista de Exercícios - Conjuntos 01) (UFE) e e são dois conjuntos não vazios e é o conjunto vazio, é verdade que, das afirmações: I. = { } II. ( ) ( ) = ( ) ( ) III. { } = {} {} IV. {,, } são verdadeiras somente: a) I e II d) III e IV

Leia mais

Obviamente não poderíamos ter um número negativo de livros. Também não poderíamos imaginar alguém falando: Tenho 3,4231 livros na minha estante.

Obviamente não poderíamos ter um número negativo de livros. Também não poderíamos imaginar alguém falando: Tenho 3,4231 livros na minha estante. Conjunto dos Números Naturais A noção de um número natural surge com a pura contagem de objetos. Ao contar, por exemplo, os livros de uma estante, temos como resultado um número do tipo: N = {0,1,2,3 }

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SUBPROJETO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO CERES CURSO DE MATEMÁTICA INTRODUÇÃO

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SUBPROJETO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO CERES CURSO DE MATEMÁTICA INTRODUÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID SUBPROJETO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO CERES CURSO DE MATEMÁTICA APOSTILA 1 ARITMÉTICA PARTE I INTRODUÇÃO Durante muitos períodos da história

Leia mais

2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }.

2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. ASSUNTO DE MATEMATICA=CONJUNTOS REAIS E ETC. 2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. Esta forma

Leia mais

MAT Laboratório de Matemática I - Diurno Profa. Martha Salerno Monteiro

MAT Laboratório de Matemática I - Diurno Profa. Martha Salerno Monteiro MAT 1511 - Laboratório de Matemática I - Diurno - 2005 Profa. Martha Salerno Monteiro Representações decimais de números reais Um número real pode ser representado de várias maneiras, sendo a representação

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO INDIVIDUAL DE ESTUDO PARA ATENDIMENTO DA PROGRESSÃO PARCIAL ESTUDOS INDEPENDENTES- 1º

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO INDIVIDUAL DE ESTUDO PARA ATENDIMENTO DA PROGRESSÃO PARCIAL ESTUDOS INDEPENDENTES- 1º ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO INDIVIDUAL DE ESTUDO PARA ATENDIMENTO DA PROGRESSÃO PARCIAL ESTUDOS INDEPENDENTES- 1º e º SEMESTRE RESOLUÇÃO SEE Nº.197, DE 6 DE OUTUBRO DE 01 ANO 01 PROFESSOR

Leia mais

Definimos como conjunto uma coleção qualquer de elementos.

Definimos como conjunto uma coleção qualquer de elementos. Conjuntos Numéricos Conjunto Definimos como conjunto uma coleção qualquer de elementos. Exemplos: Conjunto dos números naturais pares; Conjunto formado por meninas da 6ª série do ensino fundamental de

Leia mais

Sistemas de equações lineares

Sistemas de equações lineares Módulo 1 Unidade 10 Sistemas de equações lineares Para Início de conversa... Já falamos anteriormente em funções. Dissemos que são relações entre variáveis independentes e dependentes. Às vezes, precisamos

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A):

QUERIDO(A) ALUNO(A): 1 QUERIDO(A) ALUNO(A): SEJA BEM-VINDO AO CURSO LIVRE MATEMÁTICA PARA CONCURSOS I. ESTE CURSO OBJETIVA PRIORITARIAMENTE QUE VOCÊ DESENVOLVA COMPETÊNCIAS SIGNIFICATIVAS ATRAVÉS DOS TEMAS ABORDADOS PARA USO

Leia mais

Soluções de Questões de Matemática do Colégio Militar do Rio de Janeiro CMRJ

Soluções de Questões de Matemática do Colégio Militar do Rio de Janeiro CMRJ Soluções de Questões de Matemática do Colégio Militar do Rio de Janeiro CMRJ. Questão Funções Sendo D e D, respectivamente, domínios das funções reais f e g, definidas por f ( x) = x e g ( x) de x no intervalo:,

Leia mais

INTRODUÇÃO À TEORIA DOS CONJUNTOS1

INTRODUÇÃO À TEORIA DOS CONJUNTOS1 INTRODUÇÃO À TEORIA DOS CONJUNTOS1 TÓPICO Gil da Costa Marques 1.1 Elementos da Teoria dos Conjuntos 1.2 Introdução 1.3 Conceitos Básicos 1.4 Subconjuntos e Intervalos 1.5 Conjuntos Numéricos 1.5.1 O Conjunto

Leia mais

LÓGICA I ANDRÉ PONTES

LÓGICA I ANDRÉ PONTES LÓGICA I ANDRÉ PONTES 3. Introdução à Teoria dos Conjuntos Um conjunto é uma coleção ou um agregado de objetos. Introduzindo Conjuntos Ex.: O conjunto das vogais; O conjuntos de pessoas na sala; O conjunto

Leia mais

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA 1 PROF. ILYDIO SÁ UNIDADE 1: OS NÚMEROS REAIS

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA 1 PROF. ILYDIO SÁ UNIDADE 1: OS NÚMEROS REAIS 1 UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA 1 PROF. ILYDIO SÁ UNIDADE 1: OS NÚMEROS REAIS Para esta primeira unidade de nosso curso, que adaptamos a partir de material utilizado em curso de

Leia mais

MATEMÁTICA. a) 30 b) 150 c) 180 d) 200 e) 210

MATEMÁTICA. a) 30 b) 150 c) 180 d) 200 e) 210 1. Considere os conjuntos A = {0, 1, 2, 3}, B= {1, 3, 4, 6}, C= {2, 3, 6, 7} Pede-se: a) A B = b) A C = c) B C = d) A B = MATEMÁTICA 7. Das 40 crianças de uma creche 26 foram vacinadas contra poliomielite

Leia mais

Planificação De Uma Aula Usando História da Matemática. Liliana Carolina Vieira Pinho

Planificação De Uma Aula Usando História da Matemática. Liliana Carolina Vieira Pinho ãomm aoed Planificação De Uma Aula Usando História da Matemática Liliana Carolina Vieira Pinho Planificação De Uma Aula Usando História da Matemática Liliana Carolina Vieira Pinho Trabalho elaborado no

Leia mais

Posição Relativa. 1. Quatro pontos distintos e não coplanares determinam exatamente: (A) 1 plano (B) 2 planos (C) 3 planos (D) 4 planos (E) 5 planos.

Posição Relativa. 1. Quatro pontos distintos e não coplanares determinam exatamente: (A) 1 plano (B) 2 planos (C) 3 planos (D) 4 planos (E) 5 planos. SEI Ensina MILITAR Matemática Posição Relativa 1. Quatro pontos distintos e não coplanares determinam exatamente: (A) 1 plano (B) 2 planos (C) 3 planos (D) 4 planos (E) 5 planos. 2. Considere as seguintes

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO. Curso Superior de Tecnologia. Aula 02 TEORIA DOS CONJUNTOS

RACIOCÍNIO LÓGICO. Curso Superior de Tecnologia. Aula 02 TEORIA DOS CONJUNTOS Aula 02 TEORIA DOS CONJUNTOS 1. Definição de Conjuntos 2. Como se representa um Conjunto 3. Subconjunto, Pertinência e Continência 4. Conjunto das Partes 5. Operação com Conjuntos 1. União ou Reunião (Conjunção)

Leia mais

ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE ARCOS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE ARCOS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE ARCOS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE ARCOS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE ARCOS AULA ESCRITA EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE ARCOS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO E0176 Calcule o seno de 345º. RESOLUÇÃO CONJUNTOS AULA ESCRITA EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO EXERCÍCIOS

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS

CONCEITOS FUNDAMENTAIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (UNIRIO-RJ) O átomo X é isóbaro do 40 Ca e isótopo do 36 Ar. Assinale o número de nêutrons do átomo X. Dados: Número atômicos: Ar = 18; Ca = 20 a) 4 b)

Leia mais

Introdução: Um pouco de História

Introdução: Um pouco de História Números Complexos Introdução: Um pouco de História Houve um momento na História da Matemática em que a necessidade de expressar a raiz de um número negativo se tornou fundamental. Em equações quadráticas

Leia mais

A construção do Sistema de Numeração Decimal SND e Testagem com criança de 6 a 9 anos

A construção do Sistema de Numeração Decimal SND e Testagem com criança de 6 a 9 anos A construção do Sistema de Numeração Decimal SND e Testagem com criança de 6 a 9 anos *as idades são referências, podem variar conforme o contexto Curso Construção de jogos, materiais e atividades de Matemática

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR MUNICIPAL II MATEMÁTICA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR MUNICIPAL II MATEMÁTICA 17 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROFESSOR MUNICIPAL II MATEMÁTICA QUESTÃO 21 De todos os empregados de uma firma, 40% optaram por um plano de assistência médica. A firma tem a matriz na capital e

Leia mais

FUNDAMENTOS DA INFORMÁTICA. Sistemas de Numeração

FUNDAMENTOS DA INFORMÁTICA. Sistemas de Numeração FUNDAMENTOS DA INFORMÁTICA Sistemas de Numeração OBJETIVOS DA AULA Conhecer os sistemas de numeração antigos; Entender, compreender e usar um Sistema de Numeração; Relacionar os Sistemas de Numeração com

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC

FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC FACULDADE PITÁGORAS PRONATEC DISCIPLINA: ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos Ao final desta apostila,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTOS R: = 320 A B R: = 120 R: = 140 R: = 280

RESOLUÇÃO CONJUNTOS R: = 320 A B R: = 120 R: = 140 R: = 280 RESOLUÇÃO CONJUNTOS Em um clube com quadra de futebol e vôlei, sabe-se que: 100 rapazes jogam vôlei e futebol 130 rapazes jogam vôlei, mas não jogam futebol. 170 rapazes jogam futebol e não jogam vôlei.

Leia mais

Aula 4: Bases Numéricas

Aula 4: Bases Numéricas Aula 4: Bases Numéricas Diego Passos Universidade Federal Fluminense Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Diego Passos (UFF) Bases Numéricas FAC 1 / 36 Introdução e Justificativa Diego Passos (UFF)

Leia mais

Introdução à Matemática

Introdução à Matemática Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Ciências Sócio-Econômicas e Humanas de Anápolis Introdução à Matemática Conjuntos e Conjuntos Numéricos Introdução A noção de conjunto Propriedades,

Leia mais

Resumo. Parte 2 Introdução à Teoria da Probabilidade. Ramiro Brito Willmersdorf Introdução.

Resumo. Parte 2 Introdução à Teoria da Probabilidade. Ramiro Brito Willmersdorf Introdução. Parte 2 Introdução à Teoria da Probabilidade Ramiro Brito Willmersdorf ramiro@willmersdorf.net Departamento de Engenharia Mecânica Universidade Federal de Pernambuco 2011.2 Resumo 1 Introdução 2 Espaço

Leia mais

Exercícios de provas nacionais e testes intermédios

Exercícios de provas nacionais e testes intermédios Exercícios de provas nacionais e testes intermédios 1. Considera o conjunto A = [ π[ Qual é o menor número inteiro que pertence ao conjunto A (A) 3 (B) 4 (C) π (D) π 1 2. Qual dos conjuntos seguintes é

Leia mais

2 a Lista de Exercícios 2001/I

2 a Lista de Exercícios 2001/I 1 Universidade Federal de Viçosa Departamento de Matemática MAT 131 Introdução à Álgebra a Lista de xercícios 001/I Tópico: onjuntos e elementos 1) Definir, pela enumeração dos seus elementos, cada um

Leia mais

Calendarização da Componente Letiva Ano Letivo 2016/2017

Calendarização da Componente Letiva Ano Letivo 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANDRÉ SOARES (150952) Calendarização da Componente Letiva Ano Letivo 2016/2017 8º Ano Matemática Períodos 1º Período 2º Período 3º Período Número de aulas previstas (45 minutos)

Leia mais

BIMESTRAL - MATEMÁTICA - 1ºBIMESTRE

BIMESTRAL - MATEMÁTICA - 1ºBIMESTRE BIMESTRAL - MATEMÁTICA - 1ºBIMESTRE Série: 3ªEM Gabarito 1- : (PUC-RIO 2010) Sejam x e y números tais que os conjuntos {0, 7, 1} e {x, y, 1} são iguais. Então, podemos afirmar que: x = 0 e y = 5 x + y

Leia mais

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c Números Reais Víctor Arturo Martínez León (victor.leon@unila.edu.br) 1 Os números racionais Os números racionais são os números da forma a, sendo a e b inteiros e b 0; o conjunto b dos números racionais

Leia mais

LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014

LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 LISTA 01 RACIOCÍNIO LÓGICO TRIBUNAIS 2014 1) Determinar o valor verdade da proposição (p q) r, sabendo-se que AL (p) =, AL (q) = e AL (r) =. Proposições são afirmações que podem ser julgadas como verdadeira

Leia mais

Concurso Público Conteúdo

Concurso Público Conteúdo Concurso Público 2016 Conteúdo 1ª parte Números inteiros e racionais: operações (adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação); expressões numéricas; múltiplos e divisores de números naturais;

Leia mais

a) 10 b) 7 c) 0 d) 3 e) 4 6. (G1 - cftmg 2013) A soma das raízes da equação a) 7. b) 4. c) 3. d) 5.

a) 10 b) 7 c) 0 d) 3 e) 4 6. (G1 - cftmg 2013) A soma das raízes da equação a) 7. b) 4. c) 3. d) 5. Equações Modulares 1. (Espcex (Aman) 015) O número de soluções da equação 1 x x = x, no conjunto, é a) 1. b). c). d) 4. e) 5.. (Ufsc 014) Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). x 1 01) O domínio da

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO DE ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO ANO 015 PROFESSOR (a) DISCIPLINA Aline Heloisa Matemática ALUNO (a) SÉRIE 1º Ano do Ensino Médio 1. OBJETIVO Quanto

Leia mais

CONJUNTOS EXERCÍCIOS DE CONCURSOS

CONJUNTOS EXERCÍCIOS DE CONCURSOS CONJUNTOS EXERCÍCIOS DE CONCURSOS E0626 (IBEG Merendeira Prefeitura de Uruaçu GO). Sendo os conjuntos A = {2, 4, 6, 8, 10, 12}; B = {1, 3, 5, 7, 9, 11}; C = {1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12}. I A

Leia mais

Instruções para a realização da Prova Leia com muita atenção!

Instruções para a realização da Prova Leia com muita atenção! Nível 3 Instruções para a realização da Prova Leia com muita atenção! Prova da segunda fase Caro Aluno, Parabéns pela sua participação na décima segunda edição da Olimpíada de Matemática de São José do

Leia mais

Uma história muito antiga. Uma história muito antiga. Uma história muito antiga 05/03/2016

Uma história muito antiga. Uma história muito antiga. Uma história muito antiga 05/03/2016 Uma história muito antiga Há muito, muito tempo... Para saber quantas ovelhas tinha, um pastor separava uma pedrinha para cada ovelha, quando as soltava para pastar. Uma história muito antiga Uma história

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Introdução à Computação EXERCÍCIOS

Leia mais

Números irracionais. Dinâmica 3. 1ª Série 1º Bimestre DISCIPLINA SÉRIE CAMPO CONCEITO

Números irracionais. Dinâmica 3. 1ª Série 1º Bimestre DISCIPLINA SÉRIE CAMPO CONCEITO Reforço escolar M ate mática Números irracionais Dinâmica 3 1ª Série 1º Bimestre DISCIPLINA SÉRIE CAMPO CONCEITO Matemática 1ª do Ensino Médio Numérico Aritmético Números Irracionais Aluno Primeira Etapa

Leia mais

Exercícios de Matemática Funções Função Bijetora

Exercícios de Matemática Funções Função Bijetora Exercícios de Matemática Funções Função Bijetora 1. (Ufpe) Sejam A e B conjuntos com m e n elementos respectivamente. Analise as seguintes afirmativas: ( ) Se f:aëb é uma função injetora então m n. ( )

Leia mais

II Olimpíada Brasileira de Raciocínio Lógico Nível II Fase I 2015

II Olimpíada Brasileira de Raciocínio Lógico Nível II Fase I 2015 1 2 Questão 1 Artur é muito bom em problemas matemáticos e sempre propõe desafios aos seus colegas. Desta vez, Artur criou uma sequência infinita de letras, juntando as palavras que formavam o nome de

Leia mais

Sugestões de materiais e atividades para promover a construção do Sistema de Numeração Decimal pela criança

Sugestões de materiais e atividades para promover a construção do Sistema de Numeração Decimal pela criança Sugestões de materiais e atividades para promover a construção do Sistema de Numeração Decimal pela criança Curso Construção de jogos, materiais e atividades de Matemática para as séries iniciais Querido(a)

Leia mais

FUNÇÃO DO 2 GRAU TERÇA FEIRA

FUNÇÃO DO 2 GRAU TERÇA FEIRA FUNÇÃO DO GRAU TERÇA FEIRA 1. (G1 - cftmg 016) Dadas as funções reais f e g, definidas por correto afirmar que 1 a) f(x) g 0, 4 para todo x. b) f(x) 0, para todo x. f(x) 3x e g(x) 4x 1, é c) f(x) g(x),

Leia mais

PROGRAMA DE NIVELAMENTO 2011 MATEMÁTICA

PROGRAMA DE NIVELAMENTO 2011 MATEMÁTICA PROGRAMA DE NIVELAMENTO 0 MATEMÁTICA I - CONJUNTOS NUMÉRICOS Z {..., -, -, -, 0,,,,...} Não há números inteiros em fração ou decimais Q Racionais São os números que representam partes inteiras ou divisões,

Leia mais

MÓDULO 2 POTÊNCIA. Capítulos do módulo:

MÓDULO 2 POTÊNCIA. Capítulos do módulo: MÓDULO 2 POTÊNCIA Sabendo que as potências tem grande importância no mundo da lógica matemática, nosso curso terá por objetivo demonstrar onde podemos utilizar esses conceitos no nosso cotidiano e vida

Leia mais

TEORIA DOS CONJUNTOS Símbolos

TEORIA DOS CONJUNTOS Símbolos 1 MATERIAL DE APOIO MATEMÁTICA Turmas 1º AS e 1º PD Profº Carlos Roberto da Silva A Matemática apresenta invenções tão sutis que poderão servir não só para satisfazer os curiosos como, também para auxiliar

Leia mais

Escola Secundária de Lousada

Escola Secundária de Lousada Escola Secundária de Lousada Ficha de Trabalho de Matemática do 9º ano N.º Assunto: Números reais e inequações-exercícios de exames nacionais e testes intermédios Lições nº e Data: /02 /2012 1 Qual das

Leia mais

PLANIFICAÇÃO-2016/2017

PLANIFICAÇÃO-2016/2017 PLANIFICAÇÃO-2016/2017 ENSINO BÁSICO - PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA - 1ºPERÍODO 8º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS UNIDADE 1 Conjunto dos números reais -Dízimas finitas e infinitas

Leia mais

A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há

A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há 1 Produto Cartesiano Par Ordenado A ordem em que os elementos se apresentam em um conjunto não é levada em consideração. Há casos entretanto em que a ordem é importante. Daí a necessidade de se introduzir

Leia mais

= = 9 6 = 3 2

= = 9 6 = 3 2 MATEMÁTICA Prof. Rodrigo Pandolfi RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS CONJUNTOS NUMÉRICOS (PÁG. 162 APOSTILA 2) PRATICANDO (PÁG. 166) 01 (UFF) O número π - 2 pertence ao intervalo: a)[1, 3 2 ] c) [3 2, 2] e) [ 3 2,

Leia mais

MÓDULO 5 aula 41 (vetores) FERA, o segmento de reta orientado utilizado para caracterizar uma grandeza vetorial é chamado de vetor:

MÓDULO 5 aula 41 (vetores) FERA, o segmento de reta orientado utilizado para caracterizar uma grandeza vetorial é chamado de vetor: MÓDULO 5 aula 41 (vetores) FERA, o segmento de reta orientado utilizado para caracterizar uma grandeza vetorial é chamado de vetor: Simbologia: B AB a vetor a AB a módulo do vetor a A O segmento orientado

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA DISCIPLINA: Matemática (8º Ano) METAS CURRICULARES/CONTEÚDOS ANO LETIVO 2016/

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA DISCIPLINA: Matemática (8º Ano) METAS CURRICULARES/CONTEÚDOS ANO LETIVO 2016/ DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA DISCIPLINA: Matemática (8º Ano) METAS CURRICULARES/CONTEÚDOS ANO LETIVO 2016/2017... 1º Período Metas/ Objetivos Conceitos/ Conteúdos Aulas Previstas Geometria

Leia mais

MÓDULO 9. Conjuntos. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA

MÓDULO 9. Conjuntos. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA MÓDULO 9 Conjuntos 1. (ITA) Considere as seguintes afirmações sobre o conjunto U = 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9}: I. Ø U e n(u) = 10. II.

Leia mais

MATEMÁTICA Prof.: Alexsandro de Sousa

MATEMÁTICA Prof.: Alexsandro de Sousa E. E. DONA ANTÔNIA VALADARES MATEMÁTICA Prof.: Alexsandro de Sousa Introdução ao conceito de funções FERNANDO FAVORETTO/CID A ideia de função no cotidiano Relação entre duas grandezas Quantidade de pães

Leia mais

= 0,333 = 0, = 0,4343 = 0, = 1,0222 = 1,02

= 0,333 = 0, = 0,4343 = 0, = 1,0222 = 1,02 1 1.1 Conjuntos Numéricos Neste capítulo, serão apresentados conjuntos cujos elementos são números e, por isso, são denominados conjuntos numéricos. 1.1.1 Números Naturais (N) O conjunto dos números naturais

Leia mais

Equipe de Matemática MATEMÁTICA. Matrizes

Equipe de Matemática MATEMÁTICA. Matrizes Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 14B Ensino Médio Equipe de Matemática Data: MATEMÁTICA Matrizes Introdução O crescente uso dos computadores tem feito com que a teoria das matrizes seja cada vez mais

Leia mais

IN={0, 1, 2, 3, 4, 5,...}

IN={0, 1, 2, 3, 4, 5,...} ALUNO(A) AULA 001 MATEMÁTICA DATA 18 / 10 /2013 PROFESSOR: Paulo Roberto Weissheimer AULA 001 - DE MATEMÁTICA Conjunto dos números naturais (IN) IN={0, 1, 2, 3, 4, 5,...} CONJUNTOS NUMÉRICOS Um subconjunto

Leia mais

Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos. Considere incialmente o conjunto dos números naturais :

Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos. Considere incialmente o conjunto dos números naturais : Introdução: A necessidade de ampliação dos conjuntos Numéricos Considere incialmente o conjunto dos números naturais : Neste conjunto podemos resolver uma infinidade de equações do tipo A solução pertence

Leia mais

O conceito de número foi evoluindo ao longo dos tempos, tendo-se criado novos números para responder a problemas entretanto surgidos.

O conceito de número foi evoluindo ao longo dos tempos, tendo-se criado novos números para responder a problemas entretanto surgidos. CONJUNTOS NUMÉRICOS CONJUNTOS NUMÉRICOS O conceito de número foi evoluindo ao longo dos tempos, tendo-se criado novos números para responder a problemas entretanto surgidos. CONJUNTOS NUMÉRICOS NATURAIS

Leia mais