CIRURGIAS PERIODONTAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CIRURGIAS PERIODONTAIS"

Transcrição

1 CIRURGIAS PERIODONTAIS Classificação das Técnicas Cirúrgicas empregadas em Periodontia I Quanto à área a ser atingida: - Gengivais - Periodontais - Mucogengivais II Quanto à intenção: - eliminação de bolsas - redução da profundidade de bolsas - estética - pré-protética - reconstrutiva III Quanto aos tecidos envolvidos: - Gengival - Gêngivo-periosteal - Gêngivo-mucoso - Gêngivo muco-periosteal - Ósseo CIRURGIAS RESSECTIVAS Ressecção: corte, amputação, excisão (AAP) São as técnicas cirúrgicas que visam eliminar ou reduzir por excisão ou amputação os tecidos que constituem a parede ou paredes da bolsa periodontal. Esta excisão pode incluir a remoção de tecidos gengivais, ósseos e/ou estruturas dentárias. (Duarte, 2002) Objetivos: - eliminação ou redução de bolsas periodontais. - obtenção de morfologia condizente com as demandas funcionais. - obtenção de condições anatômicas que permitam o controle do biofilme subgengival. CLASSIFICAÇÃO DOS RETALHOS São classificados de acordo com um conjunto de fatores tais como: grau de rebatimento do retalho, quantidade de tecido deslocado, tipos de incisões, posição final do retalho e tecidos moles envolvidos na manipulação cirúrgica.

2 RETALHO MUCOPERIOSTEAL Também chamado de retalho de espessura total ou retalho total. É o retalho mais comumente empregado em cirurgia periodontal. A gengiva, mas quase sempre gengiva e mucosa alveolar, são rebatidas das superfícies ósseas e radiculares. Indicada quando necessitamos acesso ao osso. Quanto à sutura final, pode ser classificado em reposicionado, deslocado apicalmente e deslocado coronariamente. RETALHO MUCOGENGIVAL Neste tipo de retalho, o periósteo da área é preservado. A incisão inclui o tecido gengival, parte do tecido conjuntivo subjacente e a mucosa alveolar, de forma que o osso permaneça coberto por uma camada de tecido conjuntivo e pelo periósteo. Nesta classificação têm-se os retalhos divididos e aqueles com a finalidade de preparo de leito para enxertos gengivais e conjuntivos. INCISÕES - HORIZONTAIS -Bisel Interno -Intra-sulcular -Interdentária - VERTICAIS - OBLÍQUAS INCISÃO EM BISEL INTERNO É a primeira a ser feita se houver quantidade suficiente de gengiva inserida. Feita apicalmente à margem gengival livre com a ponta da lâmina de bisturi tocando a margem da crista óssea. INCISÃO EM BISEL INTERNO - finalidades - Permite a remoção da parede mole da bolsa. - Possibilita a conservação suficiente de gengiva sadia. - Produz uma margem gengival afilada que assegura melhor adaptação da junção dente-osso. INCISÃO INTRA-SULCULAR É a única utilizada quando a faixa de gengiva inserida for pequena, e é a segunda quando já foi feita anteriormente a incisão em bisel interno. Feita diretamente dentro do sulco gengival com a ponta da lâmina do bisturi tocando a margem óssea. Remove EJ e ES.

3 INCISÕES RELAXANTES Preferencialmente oblíquas. Feitas em uma ou nas duas extremidades da incisão horizontal e utilizadas somente quando for necessário um melhor acesso á raiz e ao tecido ósseo subjacente ou ainda, quando houver indicação de reposicionamento. INCISÕES RELAXANTES - requisitos - Devem ultrapassar a LMG atingindo a área de mucosa alveolar. - Devem ser localizadas nas proximais dos dentes, incluindo ou excluindo totalmente a papila. - Nunca devem ser feitas no centro da papila ou na porção mediana do dente RETALHOS Definição: Libertação cirúrgica de uma porção de tecido através de incisões planejadas, com o objetivo de se ter acesso ao osso alveolar e superfícies radiculares que dele emergem. Objetivos: 1. Visão direta (condições retentivas de raízes) 2. Eliminação ou redução da profundidade de bolsa ou bolsas profundas que ultrapassem a LMG. 3. Eliminação ou redução de áreas de retenção de placa. 4. Eliminar sensibilidades radiculares. 5. Correção da morfologia gengival; minimizar efeitos estéticos. 6. Aumento de coroa clínica (trepanações, fraturas) 7. Aumentar ou criar faixa de gengiva inserida 8. Correção de defeitos ósseos. 9. Tratamento de furcas 10. Procedimentos reconstrutivos Requisitos básicos 1. O retalho deve ser grande o suficiente para expor qualquer defeito ósseo subjacente 2. A base do retalho deve ser ampla o bastante para manter um suprimento sanguíneo adequado 3. as incisões devem permitir o movimento do retalho sem tensão 4. nenhum vaso ou nervo importante deve ser danificado, ao se levantar o retalho

4 Classificação - TOTAL (Mucoperiósteo): é levantado por um elevador periosteal - DIVIDIDO (Mucoso ou parcial): a gengiva é dissecada a partir do periósteo subjacente que é deixado no osso. Este tipo de retalho é mais difícil de ser levantado e seu uso é restrito a situações especiais. RETALHO DE WIDMAN MODIFICADO Proposto por Ramfjord e Nissle para designar o desenho de retalho que permite acesso à raiz e favorece um contato pós-operatório mais íntimo entre os tecidos conjuntivo da gengiva sadia e as superfícies radiculares instrumentadas. TÉCNICA - três incisões: (1) bisel interno: da borda gengival em direção à crista óssea alveolar (2) Intra-sulcular: para remover em bloco o tecido excisado (3) horizontal: da base da última incisão até a superfície dentária RETALHO DESLOCADO APICALMENTE Objetivo primário: permitir o deslocamento de todo o conjunto mucoperiosteal, visando eliminar bolsas e preservar quase que totalmente a gengiva inserida, permitindo maior acesso para instrumentação radicular e cirurgia óssea. Indicações: - aumento de coroa clínica - acesso a cáries subgengivais DEFEITOS ÓSSEOS O processo de perda óssea horizontal pode ocorrer no sentido horizontal (bolsa supraóssea) ou no vertical (bolsa intra-óssea). A perda óssea vertical leva a alterações morfológicas denominadas por Goldman e Cohen como defeitos ósseos, que foram classificados de acordo com as paredes remanescentes em: 1, 2 e 3 paredes. A esta classificação Prichard acrescentou o defeito de 4 paredes ou, segundo a AAP, defeito circunferencial. CIRURGIAS ÓSSEAS - OSTEOTOMIA - OSTEOPLASTIA - REGENERAÇÃO TECIDUAL GUIADA

5 Schluger: A borda óssea em torno do dente deve apresentar a aparência de lâmina da faca; e o principal objetivo da cirurgia é criar uma arquitetura óssea compatível com a manutenção de uma arquitetura gengival fisiológica. OSTEOPLASTIA Intervenção que se processa única e exclusivamente no processo alveolar, sem remoção do osso de suporte, ou seja, não há eliminação de ligamento periodontal (LP), com a finalidade de se obter uma forma mais fisiológica. OSTEOTOMIA Quando a intervenção exige a excisão do osso de suporte (OA). Neste caso o LP é removido (decisão cuidadosa, porque em proximais de molares pode originar crateras Indicações: - exposição da coroa clínica - exposição de cáries subgengivais - dentes fortemente inclinados para mesial - rebordo ósseo espesso, tórus ou exostoses - defeitos ósseos nas áreas de furcas - crateras ósseas rasas - defeitos angulares pequenos Contra-indicações: - limitações anatômicas - limitações estéticas - níveis de inserção inadequados - situações onde existam medidas terapêuticas mais adequadas. SUTURAS Têm como função coaptar as bordas da ferida cirúrgica, levando-as o mais próximo possível de uma reparação por primeira intenção. Podem ser: - contínuas: geralmente para retalhos longos - descontínuas: para menores áreas cirúrgicas ou áreas mais amplas onde não há uniformidade na arquitetura óssea e gengival entre os dentes SUTURAS - Proximal de laço simples (circunferencial) - Proximal de laço em oito - Proximal de Colchoeiro - Suspensória interrompida (única): utilizada para adaptar o retalho em volta do dente. - Suspensória contínua: utilizada para adaptar os retalhos V e L sem atar o retalho V ao retalho L.

6 COLCHOEIRO - Vertical: para papilas mais delicadas - Horizontal: para papilas mais espessas, em especial na área posterior Vantagem: aproxima conjuntivo com conjuntivo e epitélio com epitélio, favorecendo a reparação por 1ª intenção. Complicações associadas às Cirurgias Periodontais - Hemorragia - Dor - Edema - Hematoma - Retardo na cicatrização - Reações alérgicas ao cimento

CIRURGIA PERIODONTAL

CIRURGIA PERIODONTAL Disciplina de Periodontia 5 o período CIRURGIA PERIODONTAL Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2012 Instrumentos Usados em Cirurgia Periodontal CIRURGIA PERIODONTAL INSTRUMENTAIS

Leia mais

CIRURGIA PERIODONTAL

CIRURGIA PERIODONTAL Disciplina de Periodontia 5 o período CIRURGIA PERIODONTAL Parte 1 Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2014 Tratamento completo do paciente com doença periodontal: FASES

Leia mais

CIRURGIA PERIODONTAL

CIRURGIA PERIODONTAL Disciplina de Periodontia 5 o período CIRURGIA PERIODONTAL Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2012 Tratamento completo do paciente com doença periodontal: FASES DA TERAPIA

Leia mais

Procedimentos Cirúrgicos de Interesse Protético/Restaurador - Aumento de Coroa Clínica - Prof. Luiz Augusto Wentz

Procedimentos Cirúrgicos de Interesse Protético/Restaurador - Aumento de Coroa Clínica - Prof. Luiz Augusto Wentz 1 2 3 Procedimentos Cirúrgicos de Interesse Protético/Restaurador - Aumento de Coroa Clínica - Prof. Luiz Augusto Wentz Aumento de Coroa Clínica Qualquer procedimento (cirúrgico ou não-cirúrgico) que vise

Leia mais

INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação. Disciplina de Periodontia 5 o período PERIODONTIA X OUTRAS ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS

INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação. Disciplina de Periodontia 5 o período PERIODONTIA X OUTRAS ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação Disciplina de Periodontia 5 o período PERIODONTIA X OUTRAS ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com

Leia mais

Enxerto de tecido conjuntivo com objetivo estético em prótese fixa

Enxerto de tecido conjuntivo com objetivo estético em prótese fixa Caso Selecionado Enxerto de tecido conjuntivo com objetivo estético em prótese fixa Cléverson O. Silva, Bruno César de Vasconcelos Gurgel, Fernando Rodrigues Pinto Uma vez que um dente é perdido, ocorre

Leia mais

Introdução. Doenças periodontais

Introdução. Doenças periodontais Introdução 1 O objeto de estudo da periodontia são os tecidos que suportam os dentes, o periodonto. Fazem parte do periodonto os tecidos que circundam os dentes e os fixam na maxila e na mandíbula (lat.:

Leia mais

do alvéolo preservação

do alvéolo preservação Técnicas cirúrgicas de preservação do alvéolo Casos de reabilitação posterior Pág.2o Técnicas cirúrgicas de preservação do alvéolo em reabilitações finais com implantes Preservar o alvéolo pós-extraçào

Leia mais

CIRURGIA PERIODONTAL

CIRURGIA PERIODONTAL Disciplina de Periodontia 5 o período CIRURGIA PERIODONTAL Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2013 Tratamento completo do paciente com doença periodontal: FASES DA TERAPIA

Leia mais

Í ndice. Surge Uma Nova Era J. Schmidseder Envelhecer: permanecer jovem Aspectos da odontologia estética Entre no caminho do futuro!

Í ndice. Surge Uma Nova Era J. Schmidseder Envelhecer: permanecer jovem Aspectos da odontologia estética Entre no caminho do futuro! Í ndice Surge Uma Nova Era J. Schmidseder Envelhecer: permanecer jovem Aspectos da odontologia estética Entre no caminho do futuro! Conceito de Beleza Beleza: essência de perfeição Bases da Odontologia

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICOS: I Consulta Inicial Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica Odontolegal,diagnósticos das doenças

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA GABARITO OFICIAL APÓS ANÁLISE DE RECURSOS

COMANDO DA AERONÁUTICA GABARITO OFICIAL APÓS ANÁLISE DE RECURSOS COMANDO DA AERONÁUTICA GABARITO OFICIAL APÓS ANÁLISE DE RECURSOS CONCURSO: IE/EA CAMAR/CADAR/CAFAR 2009 CARGO: PERIODONTIA (PER) VERSÃO: A 01 D 02 C 03 D 04 A 05 B 06 A 07 D 08 A 09 B 10 B 11 C 12 C Confirma-se

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

à cirurgia periodontal

à cirurgia periodontal Introdução à cirurgia periodontal C. Marcelo S. Figueredo Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc, PhD cmfigueredo@hotmail hotmail.com www.periodontiamedica periodontiamedica.com Cirurgia periodontal

Leia mais

TABELA PLANO PRÉ-PAGAMENTO UNIODONTO VALE DO SINOS 2016/2017

TABELA PLANO PRÉ-PAGAMENTO UNIODONTO VALE DO SINOS 2016/2017 TABELA PLANO PRÉ-PAGAMENTO UNIODONTO VALE DO SINOS 2016/2017 Cód. DIAGNÓSTICO Plano 81000030 Consulta Odontológica PPP 81000049 Consulta Odontológica de Urgência PPP 81000057 Consulta Odontológica de Urgência

Leia mais

TABELA DE FRANQUIA - PLANO ODONTOLÓGICO ESSENCIAL - Nº REG. ANS: /17-7. Valor em Reais Diagnóstico

TABELA DE FRANQUIA - PLANO ODONTOLÓGICO ESSENCIAL - Nº REG. ANS: /17-7. Valor em Reais Diagnóstico Diagnóstico 81.000.065 Consulta Odontológica Inicial R$ - Emergência 81.000.049 Consulta odontológica de Urgência 81.000.057 Consulta odontológica de Urgência 24 hs 82.000.468 Controle de hemorragia com

Leia mais

INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação. Disciplina de Periodontia 5 o período PERIODONTIA X OUTRAS ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS

INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação. Disciplina de Periodontia 5 o período PERIODONTIA X OUTRAS ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação Disciplina de Periodontia 5 o período PERIODONTIA X OUTRAS ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com

Leia mais

DOS TECIDOS BUCAIS. Periodontopatias. Pulpopatias. Periapicopatias TIPOS: -INCIPIENTE -CRÔNICA -HIPERPLÁSICA. Causada pelo biofilme bacteriano

DOS TECIDOS BUCAIS. Periodontopatias. Pulpopatias. Periapicopatias TIPOS: -INCIPIENTE -CRÔNICA -HIPERPLÁSICA. Causada pelo biofilme bacteriano LESÕES INFLAMATÓRIAS DOS TECIDOS BUCAIS PERIODONTOPATIAS PERIODONTOPATIAS DOENÇAS DO PERIODONTO Periodontopatias Pulpopatias Periapicopatias Inflamação limitada aos tecidos moles que circundam os dentes(tec.peridentais).

Leia mais

Recobrimento radicular com associação de procedimentos plásticos e regenerativos relato de caso

Recobrimento radicular com associação de procedimentos plásticos e regenerativos relato de caso Caso Selecionado Recobrimento radicular com associação de procedimentos plásticos e regenerativos relato de caso Paulo Fernando Mesquita de Carvalho, Robert Carvalho da Silva, Julio Cesar Joly A Periodontia

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

OS RELACIONADOS À ESTÉTICA

OS RELACIONADOS À ESTÉTICA 73 CIRUR URGIAS PERIODONTAIS: PROCEDIMENT OCEDIMENTOS OS RELACIONADOS À ESTÉTICA ORLANDO DE MATOS ROCHA NET ETO LÚCIO DAMIM Resumo: Queixas estéticas relacionadas ao tamanho, à cor, à forma, ao posicionamento

Leia mais

CAPÍTULO SUMÁRIO. CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1. CAPÍTULO 2 Anatomia maxilar e mandibular 13

CAPÍTULO SUMÁRIO. CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1. CAPÍTULO 2 Anatomia maxilar e mandibular 13 CAPÍTULO SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1 I Período antigo (a.c. a 1000 d.c.)... 1 A Localização geográfica... 1 B Materiais utilizados... 1 C

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE PÚBLICA

CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE PÚBLICA CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE PÚBLICA QUESTÃO 01 De acordo com a Lei n. 8080/1990, também denominada de Lei Orgânica da Saúde, que criou o Sistema Único de Saúde (SUS), determina que os serviços de saúde

Leia mais

UNIODONTO PORTO ALEGRE

UNIODONTO PORTO ALEGRE UNIODONTO PORTO ALEGRE CÓDIGO PROCEDIMENTO U.S. Flex 30% GRUPO Valor da US 0,32 Coeficiente 0,30 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS 72,00 R$ 6,91 CONSULTAS

Leia mais

Recobrimento radicular com enxerto gengival livre

Recobrimento radicular com enxerto gengival livre Relato de caso clínico Periodontia Recobrimento radicular com enxerto gengival livre Root coverage with free gengival graft Léo Guimarães Soares* Roberto Luiz Guaitolini* Celso Renato de Souza Resende*

Leia mais

TABELA DE DESCONTOS. Anexo I. Procedimentos %

TABELA DE DESCONTOS. Anexo I. Procedimentos % Escritório Regional - MA Secretaria : Valéria Contato: 3303 5755 / 9 9618 5792 / 9 8235 1149 Email: sãoluis@vipcartao.com.br TABELA DE DESCONTOS Anexo I CARTÃO DESCONTO - MASTER * * Procedimentos % Descontos

Leia mais

ALTERNATIVAS CIRÚRGICAS RECONSTRUTIVAS PARA ÁREAS ESTÉTICAS COM DEFICIÊNCIA TECIDUAL

ALTERNATIVAS CIRÚRGICAS RECONSTRUTIVAS PARA ÁREAS ESTÉTICAS COM DEFICIÊNCIA TECIDUAL Dr. Julio Cesar Joly Dr. Robert Carvalho da Silva Dr. Paulo Fernando Mesquita de Carvalho Duração: 3 dias Data: 12, 13 e 14 de julho de 2010 PROGRAMA DO CURSO PRIMEIRO DIA PROCEDIMENTOS RECONSTRUTIVOS

Leia mais

Doenças gengivais induzidas por placa

Doenças gengivais induzidas por placa Doenças gengivais induzidas por placa Classificação (AAP 1999) Doenças Gengivais Induzidas por placa Não induzidas por placa MODIFICADA Associada só a placa Fatores sistêmicos Medicação Má nutrição Classificação

Leia mais

Protocolos e Indicações Clínicas do Laser de Diodo Cirúrgico

Protocolos e Indicações Clínicas do Laser de Diodo Cirúrgico s e Indicações Clínicas do Laser de Diodo Cirúrgico Nu Profa. Dra. Luciana Almeida Lopes e Prof. Dr. Hermes Pretel São Carlos 2009 Visite nosso site: www.nupen.com.br Nu Melanoplastia Melanoplastia, também

Leia mais

TABELA ODONTOLÓGICA 2017

TABELA ODONTOLÓGICA 2017 TABELA ODONTOLÓGICA 2017 VIGÊNCIA A PARTIR DE 26/03/2017 Conteúdo DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO TÉCNICA... 3 URGÊNCIA/EMERGÊNCIA... 4 RADIOLOGIA... 5 TESTES E EXAMES DE LABORATÓRIO... 6 PREVENÇÃO... 7 ODONTOPEDIATRIA...

Leia mais

Suturas. Carlos Mesquita. Hospitais da Universidade de Coimbra

Suturas. Carlos Mesquita. Hospitais da Universidade de Coimbra Carlos Mesquita Hospitais da Universidade de Coimbra - classificação INTERROMPIDAS / PONTOS SEPARADOS os nós são dados e os fios cortados após uma ou duas passagens através dos tecidos cada nó é uma entidade

Leia mais

REDE CREDENCIADA ATHUS BRASIL TABELA ODONTOLÓGICA - V

REDE CREDENCIADA ATHUS BRASIL TABELA ODONTOLÓGICA - V CÓDIGO GRUPO DESCRIÇÃO VALOR GARANTIA (DIAS) 81000065 CONSULTA Consulta odontológica inicial (exame clínico e plano de tratamento) R$ 22,00 90-81000111 CIRURGIA ODONTOLÓGICA Acompanhamento de tratamento/

Leia mais

2

2 2 3 4 DESCRIÇÃO R$ DIAGNÓSTICO Consulta inicial Consulta e orientação aos idosos URGÊNCIA Procedimentos de urgência Curativo em caso de hemorragia Curativo em caso de odontalgia aguda/pulpectomia Consulta

Leia mais

Cirurgia Micrográfica de Mohs

Cirurgia Micrográfica de Mohs Cirurgia Micrográfica de Mohs O câncer de pele está cada vez mais predominante, e estima-se que cerca de 20% da população mundial desenvolverá câncer de pele em sua vida. Felizmente, o câncer de pele tem

Leia mais

TABELA DE COBERTURA 01. DIAGNÓSTICO

TABELA DE COBERTURA 01. DIAGNÓSTICO Garante a manutenção da estética de seu sorriso e a funcionalidade de sua mastigação, através de acesso a todos os tratamentos do PLANO MASTER, além de coberturas exclusivas ARM como clareamento dentário,

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA CONSULTAS 81000073 CONSULTA

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE TÉCNICAS CIRÚRGICAS PARA RECOBRIMENTO RADICULAR DE RECESSÃO CLASSE III: RELATO DE CASO

ASSOCIAÇÃO DE TÉCNICAS CIRÚRGICAS PARA RECOBRIMENTO RADICULAR DE RECESSÃO CLASSE III: RELATO DE CASO 99 Relato de Caso ASSOCIAÇÃO DE TÉCNICAS CIRÚRGICAS PARA RECOBRIMENTO RADICULAR DE RECESSÃO CLASSE III: RELATO DE CASO Diogo Andrade Bezerra 1, Karina Gomes Da Silva 1, Renato Lopes de Sousa 2, Rachel

Leia mais

COBERTURA DO PLANO PLENO

COBERTURA DO PLANO PLENO COBERTURA DO PLANO PLENO TUSS PROCEDIMENTOS ROL Pleno 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA SIM S 81000065 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL SIM S 81000014 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA SIM S 87000032 CONDICIONAMENTO

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DOS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO RADIOGRÁFICO DOS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO RADIOGRÁFICO DOS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentários (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS 31) Sob o ponto de vista histológico, pode-se afirmar que a gengiva é composta do epitélio escamoso estratificado. Em relação ao epitélio, marque a alternativa correta. a)

Leia mais

ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS DA UNIODONTO CATARINENSE MARFIM EMPRESARIAL

ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS DA UNIODONTO CATARINENSE MARFIM EMPRESARIAL ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS DA UNIODONTO CATARINENSE MARFIM EMPRESARIAL Produto Nº 463.787/11-9 Edição outubro/2011 - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS) Essa tabela é

Leia mais

Cirurgia de Dentes Inclusos

Cirurgia de Dentes Inclusos Pós-Graduação Cirurgia de Dentes Inclusos 16ª Edição Coordenação 2017-00 Prof. Doutor Francisco Salvado Prof. Doutor Paulo Maia Pós-Graduação Cirurgia de Dentes Inclusos A frequência de retenções dentárias

Leia mais

I e e. C C '-- ANGELA GRAF TIEPO. Ej) RELAÇÃO PERIODONTLk DENTiSTICA

I e e. C C '-- ANGELA GRAF TIEPO. Ej) RELAÇÃO PERIODONTLk DENTiSTICA I11111111 8e e. C C '-- ANGELA GRAF TIEPO Ej) RELAÇÃO PERIODONTLk DENTiSTICA FLORIANÓPOLIS 2002 ANGELA GRAF TIEPO RELAÇÃO PERIODONTIA-DENTÍSTICA Monografia apresentada ao Curso de Especialização em Dentistica

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

MARINHA 2015 Questões

MARINHA 2015 Questões MARINHA 2015 Questões Periodontia 1 "A altura das suas realizações será igual à profundidade das suas convicções." (William F. Scolavino) MCA concursos - PAIXÃO PELO SEU FUTURO! 1 CURSO DE QUESTÕES MARINHA

Leia mais

Soraia Alice da Costa Teixeira

Soraia Alice da Costa Teixeira Soraia Alice da Costa Teixeira ENXERTO DE TECIDO CONJUNTIVO Universidade Fernando Pessoa Faculdade Ciências da Saúde Porto, 2013 Soraia Alice da Costa Teixeira ENXERTO DE TECIDO CONJUNTIVO Universidade

Leia mais

CONTRATO DE COBERTURA DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA PESSOA FÍSICA A DENTAL 50 NE WEB CÓDIGO DO PROCEDIMENTO PROCEDIMENTO

CONTRATO DE COBERTURA DE ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA PESSOA FÍSICA A DENTAL 50 NE WEB CÓDIGO DO PROCEDIMENTO PROCEDIMENTO A Amil Dental oferece uma ampla Rede Credenciada composta por dentistas, serviços de radiologia e clínicas de urgência. Conheça abaixo os procedimentos cobertos pelo plano Amil Dental D 50 NE: 85100242

Leia mais

TABELA DE PROCEDIMENTOS UNIODONTO - Catarinense Produto ANS nº: e BRILHANTE INTEGRAL OPERACIONAL

TABELA DE PROCEDIMENTOS UNIODONTO - Catarinense Produto ANS nº: e BRILHANTE INTEGRAL OPERACIONAL TABELA DE PROCEDIMENTOS UNIODONTO - Catarinense Produto ANS nº: 463.788.11.7 e 463.720.11.8 BRILHANTE INTEGRAL OPERACIONAL Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição janeiro/2014 - Terminologia Unificada da

Leia mais

TABELA DE CÓDIGOS E NOMENCLATURA BONFANTE DENTAL CLINIC

TABELA DE CÓDIGOS E NOMENCLATURA BONFANTE DENTAL CLINIC TABELA DE CÓDIGOS E NOMENCLATURA BONFANTE DENTAL CLINIC 01 CONSULTA A1.01.01.02 A1.01.01.03 A1.01.01.05 A1.01.01.06 Consulta de medicina dentária 35 Consulta para apresentação e discussão de plano de tratamento

Leia mais

TABELA DE MEDICINA DENTÁRIA ANEXO I

TABELA DE MEDICINA DENTÁRIA ANEXO I TABELA DE MEDICINA DENTÁRIA ANEXO I PROTOCOLO - INATEL TRATAMENTOS PARTICULAR INATEL Consulta 30,00 20,00 DENTISTERIA Restauração amálgama e compósitos Em cavidade c/ compromisso de 1 só face 60,00 25,00

Leia mais

TÉCNICAS CIRÚRGICAS DE RECONSTRUCAO DA PAPILA INTERDENTAL

TÉCNICAS CIRÚRGICAS DE RECONSTRUCAO DA PAPILA INTERDENTAL UPS C Biblioteca Setorsat 6 8-0 2 CARLOS ALEXANDRE JUN NAKANO TÉCNICAS CIRÚRGICAS DE RECONSTRUCAO DA PAPILA INTERDENTAL Monografia apresentada como requisito parcial para a obtenção do titulo de especialista

Leia mais

PLANEJAMENTO DAS PRÓTESES UNITÁRIAS, FIXAS E SOBRE IMPLANTES NAS REABILITAÇÕES ORAIS

PLANEJAMENTO DAS PRÓTESES UNITÁRIAS, FIXAS E SOBRE IMPLANTES NAS REABILITAÇÕES ORAIS UNITÁRIAS, FIXAS E SOBRE IMPLANTES NAS REABILITAÇÕES ORAIS Dr. Dario Adolfi Data: 03 de setembro de 2010 Valor: R$ 200,00 a vista até 27/08/2010 R$ 250,00 a vista de 27/08/2010 até a data do evento Uma

Leia mais

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca!

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Periodontite. Sua saúde começa pela boca! ODONTOLOGIA PREVENTIVA Saúde Bucal Periodontite. Sua saúde começa pela boca! O que é doença periodontal ou periodontite? ESMALTE DENTINA GENGIVAS POLPA PERIODONTITE OSSO ALVEOLAR CEMENTO NERVOS E VASOS

Leia mais

CIRURGIA MUCOGENGIVAL CICATRIZAÇÃO DE ENXERTOS DE TECIDO CONJUNTIVO PARA RECOBRIMENTO RADICULAR

CIRURGIA MUCOGENGIVAL CICATRIZAÇÃO DE ENXERTOS DE TECIDO CONJUNTIVO PARA RECOBRIMENTO RADICULAR UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CIRURGIA MUCOGENGIVAL CICATRIZAÇÃO DE ENXERTOS DE TECIDO CONJUNTIVO PARA RECOBRIMENTO RADICULAR Mariana Henriques Martins Calado Ribeiro MESTRADO INTEGRADO

Leia mais

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS TABELA DE S ODONTOLÓGICOS VALOR Dente ou Região Dente/face/ Região Raio-X Periodicidade AutorizaçãoEspecial 81000030 Consulta odontológica R$ 29,58 R ASAI N 6 MESES N N N 81000065 81000073 81000111 81000138

Leia mais

O MANUAL DA DOR DE DENTE

O MANUAL DA DOR DE DENTE E S C R I T O P E L A D R A. C R I S T I N A S H I D O M I O MANUAL DA DOR DE DENTE Vamos conhecer melhor as estruturas dos dentes, assim podemos entender porque ocorre a sensação incômoda da dor de dente,

Leia mais

ODONTOLOGIA. Baumer. Líder no Brasil. Forte no mundo. Enxertos Ósseos e Barreiras Biológicas LINHA DE ENXERTOS ÓSSEOS. SOLUÇÃO PARA: Odontologia

ODONTOLOGIA. Baumer. Líder no Brasil. Forte no mundo. Enxertos Ósseos e Barreiras Biológicas LINHA DE ENXERTOS ÓSSEOS. SOLUÇÃO PARA: Odontologia Enxertos Ósseos e Barreiras Biológicas SOLUÇÃO PARA: Odontologia ODONTOLOGIA TECNOLOGIA PARA: Implantodontia, Periodontia, Endodontia e Bucomaxilo. Vista Aérea - Parque Industrial Baumer - Mogi Mirim -

Leia mais

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos ANEXO I Rol de Procedimentos Odontológicos Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICO: I Consulta inicial II Exame histopatológico Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica odontolegal,

Leia mais

17/10/2016 ANATOMIA DO REPRODUTOR DE CANINO CIRURGIAS DO APARELHO REPRODUTOR MASCULINO ANATOMIA DO REPRODUTOR DE FELINO ANATOMIA DO REPRODUTOR

17/10/2016 ANATOMIA DO REPRODUTOR DE CANINO CIRURGIAS DO APARELHO REPRODUTOR MASCULINO ANATOMIA DO REPRODUTOR DE FELINO ANATOMIA DO REPRODUTOR ANATOMIA DO REPRODUTOR DE CANINO CIRURGIAS DO APARELHO REPRODUTOR MASCULINO Profº Ms. Paula R. Galbiati Terçariol ANATOMIA DO REPRODUTOR DE FELINO ANATOMIA DO REPRODUTOR Os testículos são órgãos ovóides

Leia mais

TAXA IMPLANTAÇÃO - PAGA NO ATO : R$ 20,00

TAXA IMPLANTAÇÃO - PAGA NO ATO : R$ 20,00 AMPLO R$ 39,00 Por Pessoa PLENO (Com Ortodontia) R$ 120,00 Por Pessoa Familiar 02 Vidas R$ 190,00 / 03 Vidas R$ 290,00 04 Vidas R$ 390,00 / 05 Vidas R$ 500,00 TAXA IMPLANTAÇÃO - PAGA NO ATO : R$ 20,00

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICOS: I Consulta Inicial Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica Odontolegal, diagnósticos das doenças

Leia mais

Capítulo 2 Aspectos Histológicos

Capítulo 2 Aspectos Histológicos 5 Capítulo 2 Aspectos Histológicos Alguns conceitos básicos sobre histologia humana, a caracterização dos tecidos, a regeneração e reparação dos mesmos em lesões e a cicatrização de feridas são aspectos

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS

CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS PERIODONTIA CONHECIMENTOS ESPECIALIZADOS 31) A cirurgia óssea pode ser definida, segundo Sims & Ammons Jr. (2007), como o procedimento pelo qual alterações no osso alveolar podem ser realizadas para eliminar

Leia mais

SIMPLES E EFICIENTES PROCEDIMENTOS PARA AS REABILITAÇÕES ORAIS SOBRE DENTES NATURAIS E IMPLANTES

SIMPLES E EFICIENTES PROCEDIMENTOS PARA AS REABILITAÇÕES ORAIS SOBRE DENTES NATURAIS E IMPLANTES PARA AS REABILITAÇÕES ORAIS SOBRE Data: 14 à 18 de setembro de 2015 Saiba como planejar uma reabilitação total e mostrar ao paciente todas as suas possibilidades. Importância das diversas técnicas de preparo

Leia mais

Informações para o paciente referente à prótese de disco intervertebral Prodisc-L para a coluna lombar.

Informações para o paciente referente à prótese de disco intervertebral Prodisc-L para a coluna lombar. Informações para o paciente referente à prótese de disco intervertebral Prodisc-L para a coluna lombar. Tarefas e funções da coluna vertebral Estabilidade A coluna vertebral provê estabilidade para a cabeça

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS, DENTISTAS E FARMACÊUTICOS DA AERONÁUTICA. (CCC 2009)

COMANDO DA AERONÁUTICA EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS, DENTISTAS E FARMACÊUTICOS DA AERONÁUTICA. (CCC 2009) VERSÃO A COMANDO DA AERONÁUTICA EXAME DE ADMISSÃO AO CURSO DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS, DENTISTAS E FARMACÊUTICOS DA AERONÁUTICA. (CCC 2009) ESPECIALIDADE: PERIODONTIA (PER) LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES

Leia mais

Apresentação clínica e histológica da utilização do substituto ósseo sintético Gen Phos ( ßTCP) em odontologia.

Apresentação clínica e histológica da utilização do substituto ósseo sintético Gen Phos ( ßTCP) em odontologia. Apresentação clínica e histológica da utilização do substituto ósseo sintético Gen Phos ( ßTCP) em odontologia. Resumo: Este estudo tem como objetivo apresentar o comportamento do substituto ósseo sintético

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CENTRO DE ENSINO E PESQUISA EM IMPLANTES DENTÁRIOS MANIPULAÇÃO DO TECIDO MOLE PERI-IMPLANTAR DURANTE 0 SEGUNDO ESTÁGIO CIRÚRGICO

Leia mais

Coparticipações que cabem no bolso, facilitando o acesso ao tratamento que você e sua família precisam!

Coparticipações que cabem no bolso, facilitando o acesso ao tratamento que você e sua família precisam! COMPARE E COMPROVE SIM! Coparticipações que cabem no bolso, facilitando o acesso ao tratamento que você e sua família precisam! Especialidade: CIRURGIA 82000034 ALVEOLOPLASTIA R$ 498,33 R$ 2 82000050 AMPUTAÇÃO

Leia mais

COD DESCRIÇÃO Us Local Us Interc Critérios Técnicos e Observações

COD DESCRIÇÃO Us Local Us Interc Critérios Técnicos e Observações UNIODONTO ARARAQUARA COOPERATIVA DE TRABALHO ODONTOLÓGICO TABELA UNIODONTO TUSS 01 de Julho de 2013 COD DESCRIÇÃO Us Us Interc Critérios Técnicos e Observações DIAGNÓSTICO - ATIVIDADES 81000030 Consulta

Leia mais

INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA

INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA Aplicação do t Manual INSTRUMENTAL E INSTRUMENTAÇÃO EM PERIODONTIA Classificação Geral Identificação dos instrumentos t SONDAS PERIODONTAIS EXPLORADORES CURETAS ENXADAS FOICES LIMAS Instrumentos Exploradores

Leia mais

U.C. I 7ª e 8ª Aulas. DentaScan Joaquim Agostinho - Unidade Clinica I 1

U.C. I 7ª e 8ª Aulas. DentaScan Joaquim Agostinho - Unidade Clinica I 1 U.C. I 7ª e 8ª Aulas DentaScan 15-11-2012 Joaquim Agostinho - Unidade Clinica I 1 História para corresponder aos anseios dos doentes, de substituição de dentes em falta, por próteses funcional e estéticamente

Leia mais

Prótese parcial fixa em metalo cerâmica. Prótese parcial fixa em metalo plástica. Paciente com grande perda de estrutura dentária.

Prótese parcial fixa em metalo cerâmica. Prótese parcial fixa em metalo plástica. Paciente com grande perda de estrutura dentária. Resumo de especialidades: Plano PLUS, Prótese parcial fixa em metalo cerâmica As coroas e próteses em metalocerâmica são uma opção para pessoas que perderam um ou mais dentes. Prótese parcial fixa em metalo

Leia mais

gustavo cosenza botelho nogueira mauro luiz matheus

gustavo cosenza botelho nogueira mauro luiz matheus gustavo cosenza botelho nogueira mauro luiz matheus 2006 ÍNDICE Grampos de Retenção...3 Confecção do Grampo Adams...4 Acrilização...7 Hawley...8 Hawley Modificado...9 Expansor Móvel...10 Grade Móvel...11

Leia mais

ANATOMIA DO PERIODONTO

ANATOMIA DO PERIODONTO INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação DISCIPLINA DE PERIODONTIA ANATOMIA DO PERIODONTO Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2012 PERIODONTO DE SUSTENTAÇÃO Ligamento

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA. Curso: Odontologia Período de oferta da disciplina: 2 o P.

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA. Curso: Odontologia Período de oferta da disciplina: 2 o P. UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: HISTOLOGIA BUCO DENTAL Código da Disciplina: ODO110 Curso: Odontologia Período de oferta da disciplina: 2 o P. Faculdade

Leia mais

AMPUTAÇÃO E RECONSTRUÇÃO NAS DOENÇAS VASCULARES E NO PÉ DIABÉTICO

AMPUTAÇÃO E RECONSTRUÇÃO NAS DOENÇAS VASCULARES E NO PÉ DIABÉTICO livro: AMPUTAÇÃO E RECONSTRUÇÃO NAS DOENÇAS VASCULARES E NO PÉ DIABÉTICO autor: Nelson De Luccia editora Revinter - 2005, São Paulo CPAM - CENTRO DE PRESERVAÇÃO E APAPTAÇÃO DE MEMBROS AV. SÃO GUALTER,

Leia mais

Traumatologia Infantil. O Esqueleto da Criança Não É O Esqueleto do Adulto em Miniatura

Traumatologia Infantil. O Esqueleto da Criança Não É O Esqueleto do Adulto em Miniatura O Esqueleto da Criança Não É O Esqueleto do Adulto em Miniatura Formação do Osso e Ossificação Esboço Cartilaginoso Pontos de Ossificação Primária Pontos de Ossificação Secundária Formação da Epífise

Leia mais

CIRURGIAS RESPIRATÓRIO CICATRIZAÇÃO RESPIRATORIO CRIPTORQUIDECTOMIA

CIRURGIAS RESPIRATÓRIO CICATRIZAÇÃO RESPIRATORIO CRIPTORQUIDECTOMIA CIRURGIAS RESPIRATÓRIO CICATRIZAÇÃO RESPIRATORIO CRIPTORQUIDECTOMIA Prof. Esp. Walderson Zuza 1 CIRURGIA DO TRATO RESPIRATÓRIO EM EQUINOS 2 TRAQUEOSTOMIA Pode ser realizada de urgência ou eletiva. As situações

Leia mais

Bem-vindo Revista Periodontia Março-2001

Bem-vindo Revista Periodontia Março-2001 Bem-vindo Revista Periodontia Março-2001 REPARAÇÃO PERIODONTAL APÓS CIRURGIA DE AUMENTO DE COROA CLÍNICA POR MEIO DE INSTRUMENTOS MANUAIS E ROTATÓRIOS: Estudo biométrico em humanos Sinopse João Carlos

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

Regeneração tecidual guiada e cirurgia mucogengival no tratamento da retração gengival

Regeneração tecidual guiada e cirurgia mucogengival no tratamento da retração gengival Regeneração tecidual guiada e cirurgia mucogengival no tratamento da retração gengival Arildo Saulo Costa COUZZI 1 Lenize Zanotti Soares DIAS 2 RESUMO O elemento dentário com retração gengival tem a superfície

Leia mais

POSIÇÃO DO ÁPICE DENTÁRIO EM RELAÇÃO AO PROCESSO ALVEOLAR DO OSSO MAXILAR. ESTUDO EM TOMOGRAFIAS DE CONE-BEAM

POSIÇÃO DO ÁPICE DENTÁRIO EM RELAÇÃO AO PROCESSO ALVEOLAR DO OSSO MAXILAR. ESTUDO EM TOMOGRAFIAS DE CONE-BEAM POSIÇÃO DO ÁPICE DENTÁRIO EM RELAÇÃO AO PROCESSO ALVEOLAR DO OSSO MAXILAR. ESTUDO EM TOMOGRAFIAS DE CONE-BEAM Sabrina Vieira Botelho(PIBIC/CNPq-FA/UEM), Cléverson de Oliveira e Silva (Orientador) e Maurício

Leia mais

Patologia Buco Dental Prof. Dr. Renato Rossi Jr.

Patologia Buco Dental Prof. Dr. Renato Rossi Jr. Cistos Odontogênicos Introdução Os cistos derivados dos tecidos odontogênicos são caracterizados como lesões de extraordinária variedade. O complexo desenvolvimento das estruturas dentárias é refletido

Leia mais

TABELA CABESP DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

TABELA CABESP DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS TABELA CABESP DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS VIGÊNCIA: PARA GUIAS ABERTAS À PARTIR DE 01 DE JULHO DE 2017 Fluxo do Atendimento Odontológico Passo a Passo Siga os passos a seguir: 1. Após o exame clínico

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE

UNIVERSIDADE PAULISTA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE UNIVERSIDADE PAULISTA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE Brasilia UNIP Prof. Dr. Ricardo F. Paulin ANÁLISE FACIAL ð Interdependência Beleza Facial x Oclusão ð Inadequação do padrão dento-esquelético na avaliação

Leia mais

DINÂMICA DE GRUPO. Exercícios de fixação

DINÂMICA DE GRUPO. Exercícios de fixação DINÂMICA DE GRUPO Exercícios de fixação COMO AS ARTICULAÇÕES PODEM SER DIVIDIDAS? a) Fibrosas, suturas e cartilaginosas. b) Fibrosas, Cartilaginosas e Sinoviais. c) Anfiartrose, Diartrose e Sincondrose.

Leia mais

CURSOS ICMDS PROSTODONTIA

CURSOS ICMDS PROSTODONTIA CURSOS ICMDS PROSTODONTIA OBJECTIVOS Aprimorar a prática clínica dos profissionais que praticam Prostodontia no seu dia-a-dia e buscam a exelência no planeamento Estético, Mock up, Metal Free, nos Preparos

Leia mais