FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE LICENÇAS FEDERATIVAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE LICENÇAS FEDERATIVAS"

Transcrição

1 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE LICENÇAS FEDERATIVAS Em Vigor desde 01 de Janeiro de 2009

2 1. Por cada Atirador regularmente inscrito na Federação Portuguesa de Tiro, será emitida e entregue uma Licença Federativa (LF), pessoal, intransmissível e numerada, válida até ao último dia do ano civil em que foi concedida. 2. Sem prejuízo do disposto no Regulamento das Provas da Federação Portuguesa de Tiro, apenas os Atiradores titulares de LF em vigor, e cujos Clubes se mostrem regularmente inscritos na FPT, se poderão inscrever e participar nas Provas Oficiais da FPT a que o seu tipo de licença garanta o acesso. Único: Para efeitos do disposto no presente regulamento, consideram-se provas oficiais, as de Clubes, Distritais, Regionais, Nacionais ou Internacionais que tenham sido reconhecidas pela Direcção da FPT, tenham sido inscritas no calendário oficial de provas da FPT para essa época e, desenvolvam-se de acordo com a regulamentação aprovada e sejam arbitradas por juízes nomeados pelo Conselho de Arbitragem. 3. As Licenças Federativas (LF) concedidas pela FPT são de quatro tipos: a) Tipo A concedida a todos os praticantes de tiro de competição, que se inscrevam pela primeira vez na Federação Portuguesa de Tiro, nos termos do Anexo A ao presente Regulamento, e que dele faz parte integrante. b) Tipo B concedida aos Atiradores, inscritos regularmente na Federação Portuguesa de Tiro, que cumpram o disposto no Anexo B ao presente Regulamento, e que dele faz parte integrante. c) Tipo C concedida aos Atiradores, inscritos regularmente na Federação Portuguesa de Tiro que cumpram o disposto no Anexo C ao presente Regulamento, e que dele faz parte integrante. d) Tipo D concedida a todos os praticantes de tiro de recreio, que se inscrevam pela primeira vez na Federação Portuguesa de Tiro, nos termos do Anexo A ao presente Regulamento, e que dele faz parte integrante. 4. As Licenças Federativas são revogadas nos casos seguintes: a) Se o seu titular for alvo de sanção disciplinar federativa por violação das regras de segurança ou por práticas antidesportivas; b) Se o seu titular, por vontade, irresponsabilidade ou manifesta incapacidade, provocar danos nas Infra-estruturas ou outros bens sob tutela ou responsabilidade da respectiva federação ou dos clubes seus filiados, ou nelas utilizar armas ou munições inadequadas; c) Se o seu titular não tiver cumprido as determinações legais relativas à sua manutenção; d) Se o seu titular cessar a actividade desportiva. 5. As licenças federativas caducam quando: a) Não sejam renovadas até à data do seu termo; b) Não seja emitida ou cesse, por qualquer motivo, a licença de tiro desportivo referida na alínea a) do artigo 3.º da Lei 42/2006 de 25 de Agosto; c) Ocorra a dissolução do clube em que o titular se mostre filiado, sem que este se transfira para um outro, dentro dos 30 dias subsequentes. 2

3 6. Sem prejuízo do disposto nos números 4 e 5 deste Regulamento, os Atiradores que interrompam temporariamente, e justificadamente, a prática regular da modalidade, mas que continuem a manter a sua situação regularizada junto da Federação Portuguesa de Tiro, manterão as respectivas qualificações. Único: A interrupção temporária não pode estender-se para além uma época desportiva, correspondente ao ano civil e o impedimento deve ser comunicado à FPT logo que ocorra. 7. Os militares, membros da Forças Militares e Forças de Segurança ou equiparados podem aceder directamente às LF tipo B e C, desde que cumpram com aproveitamento os cursos de formação das modalidades que os exijam, designadamente de tiro com pólvora preta e de tiro dinâmico. Único: A obtenção de aproveitamento num exame prévio de aptidão é sempre exigida, quando se trate de uma inscrição, pela primeira vez, na FPT. 3

4 ANEXO A AO REGULAMENTO DE LICENÇAS 1. As Licenças Federativas (LF) A e D são concedida aos atiradores que se inscrevam pela primeira vez na FPT e dependem da obtenção de aproveitamento num exame prévio de aptidão. 2. Os exames de aptidão terão uma periodicidade trimestral, e serão presididos por um elemento nomeado pela Direcção da FPT, que a representa para todos os efeitos. 2.a. Os exames de aptidão serão presididos por um elemento nomeado pela Direcção da FPT, que a representa para todos os efeitos, e realizados na 4ª semana dos meses de Fevereiro, Maio, Setembro e Novembro. 3. Os exames, a que se refere o número anterior, versarão as seguintes matérias e objectivos: a) Regime jurídico das armas e suas munições; b) Regulamentação da utilização das armas para fins desportivos; c) Segurança no manuseamento; d) Noções de balística e de balística de efeitos. 4. O processo de avaliação é composto pelas seguintes fases, sucessivas e eliminatórias: a) Teste escrito sobre a matéria constante do número 3 do presente Anexo; b) Teste prático de manuseamento, tendo o candidato de executar correctamente as operações de segurança, de carregar e descarregar uma pistola e uma carabina de calibre.22 LR, apontar numa direcção segura, colocar a arma em segurança, verificar a câmara e pousar a arma aberta e apontada igualmente numa direcção segura. c) Teste prático de execução técnica, verificando se o candidato é capaz de executar em segurança uma concentração de 10 tiros com 20 cm de diâmetro, à distância de 10 metros, usando uma pistola de ar comprimido, ou de 10 cm de diâmetro, nas mesmas condições, utilizando uma carabina de ar comprimido. 5. A instrução prévia dos candidatos, bem como a sua apresentação nos locais determinados para os exames, é da responsabilidade dos respectivos Clubes, ou da Associação de Clubes a que estes pertençam, quando seja esta a conduzir o processo. 6. As datas e local dos testes, bem como a lista dos candidatos são, nos termos da Lei, previamente comunicados à DN/PSP, que destaca um seu elemento para o local. 7. O exame escrito constará de um teste de escolha múltipla, com 16 perguntas distribuídas pelos 4 grupos, com o valor de 1,25 pontos cada, tendo o candidato de obter 15 valores, correspondentes a 75% do total. 8. A FPT emitirá um documento contendo as perguntas tipo sobre as várias matérias que os candidatos poderão encontrar nos testes de exame. 9. A LF tipo A, uma vez concedida, permite a prática do tiro desportivo de precisão, em que se utilizam revolveres, pistolas ou carabinas de ar comprimido (AC) do calibre até 5,5 mm e de revolveres, pistolas ou carabinas do calibre até.22, desde que a munição seja de percussão anelar e de velocidade standard. 10. A LF tipo D, uma vez concedida, permite a prática do tiro desportivo de recreio, em que se utilizam revolveres, pistolas ou carabinas de AC dos calibres permitidos por lei, bem como de revolveres, pistolas ou carabinas do calibre até.22, desde que a munição seja de percussão anelar, e ainda de espingardas até ao calibre 12 mm. 11. A manutenção das LF tipo A e D obriga os seus titulares a participarem em pelo menos uma prova do calendário da FPT. 4

5 ANEXO B AO REGULAMENTO DE LICENÇAS 1. Os candidatos à LF tipo B devem preencher os seguintes requisitos: a. Geral Serem detentores de uma LF tipo A há 2 anos ou mais (2 anos civis completos); Terem participado anualmente em duas ou mais provas do calendário oficial da FPT; Não terem sido alvo de sanção federativa por violação das regras de segurança ou por práticas antidesportivas. b. Pistola Terem obtido, em provas oficiais, uma pontuação igual ou superior a 420 pontos (280 para senhoras) em PAC, ou 420 pontos em, PSpt, PStd, PV ou 400 em PL. c. Carabina Terem obtido, em provas oficiais, uma pontuação igual ou superior a 420 pontos (280 para senhoras) em CAC, ou 420 pontos em CD 50, ou 900 pontos 3x40, ou 500 pontos em CStd. 2. A LF tipo B, uma vez concedida, permite a prática das disciplinas de Tiro de Precisão em que se utilizem carabinas de calibre entre 6 e 8 mm (utilizando munições FMJ não perfurantes, não tracejantes, de perfil ogival), e.32 S&W Long Wadcutter ou.38 Special Wadcutter para pistola ou revolver, com exclusão de quaisquer outros projécteis ou cargas, mesmo de calibres inferiores, não admitidos nas competições ISSF. 3. Os detentores da LF tipo B podem também praticar o tiro com armas de antecarga (pólvora preta), desde que complementados os requisitos mencionados no Número 1 com um curso específico, ministrado por formadores credenciados pela FPT e devidamente aprovado pela sua Direcção. 5

6 ANEXO C AO REGULAMENTO DE LICENÇAS 1. Os candidatos à LF tipo C devem preencher os seguintes requisitos: a. Geral Serem detentores de uma LF tipo B há 2 anos ou mais (2 anos civis completos); Terem participado anualmente em duas ou mais provas do calendário oficial da FPT; Não terem sido alvo de sanção federativa por violação das regras de segurança ou por práticas antidesportivas. b. Pistola Terem obtido, em provas oficiais, uma pontuação igual ou superior a 450 pontos (300 para senhoras) em PAC, ou 450 pontos em PPC, PSpt, PStd, PV ou 430 pontos em PL. d. Carabina Obtenção de uma pontuação igual ou superior a 430 pontos (287 para senhoras) em CAC, ou 430 pontos em CD-50, ou 920 pontos 3x40-50, ou 520 pontos em CStd, ou 420 pontos em CD-300 ou 280 pontos em 3x A LF tipo C, uma vez concedida, permite a prática das disciplinas de Tiro de Precisão em que se utilizem carabinas de calibre entre 6 e 7,92 mm (utilizando munições FMJ não perfurantes, não tracejantes, de perfil ogival), e 7,65mm a 9mm para pistola (RN, FMJ), com exclusão de quaisquer outros projécteis ou cargas, mesmo de calibres inferiores, que não são admitidos nas competições desenvolvidas sob a égide a FPT. 4. Os detentores da LF tipo C podem também praticar tiro dinâmico utilizando os calibres até 11,4 mm para pistola (RN ou FN, FMJ) e.45 para revolveres, desde que complementados os requisitos mencionados no Número 1 com um curso específico, ministrado por formadores credenciados pela FPT e devidamente aprovado pela sua Direcção. 6

Regulamento. Licenças Federativas. Em vigor desde 01 de Janeiro de 2007

Regulamento. Licenças Federativas. Em vigor desde 01 de Janeiro de 2007 Regulamento de Licenças Federativas Em vigor desde 01 de Janeiro de 2007 1 - Por cada Atirador regularmente inscrito na Federação Portuguesa de Tiro, será emitida e entregue uma Licença Federativa (LF),

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE LICENÇAS FEDERATIVAS

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE LICENÇAS FEDERATIVAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE LICENÇAS FEDERATIVAS 14 de Janeiro de 2016 INDICE Preâmbulo 4 Capítulo I Das Licenças em Geral 4 Artigo 1º Emissão de Licença Federativa 4 Artigo 2º Dos Direitos

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE PORTUGAL COM ARMAS DE ORDENANÇA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE PORTUGAL COM ARMAS DE ORDENANÇA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE PORTUGAL COM ARMAS DE ORDENANÇA 10 DE NOVEMBRO DE 2010 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE PORTUGAL COM ARMAS DE ORDENANÇA

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS DE PISTOLA SPORT.45 ACP 10 DE NOVEMBRO DE 2010 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS DE PISTOLA SPORT.45 ACP Artigo 1º Âmbito do Regulamento

Leia mais

Campeonato. Portugal. Pistola Sport 9mm

Campeonato. Portugal. Pistola Sport 9mm Campeonato de Portugal de Pistola Sport 9mm Em vigor desde 01 de Janeiro de 2005 INTRODUÇÃO O Campeonato de Portugal com Armas de Ordenança perdeu as suas características próprias, as de um campeonato

Leia mais

Lei n.º 42/2006 de 25 de Agosto Publicado no DR 164, Série I de

Lei n.º 42/2006 de 25 de Agosto Publicado no DR 164, Série I de ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 42/2006 de 25 de Agosto Publicado no DR 164, Série I de 2006-08-25 Estabelece o regime especial de aquisição, detenção, uso e porte de armas de fogo e suas munições e acessórios

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO. Regulamento de Provas de Pistola Sport 9mm

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO. Regulamento de Provas de Pistola Sport 9mm FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929 Instituição de Utilidade Pública Desportiva (D.R. 288 de 11/12/1993) Oficial da Ordem Militar de Cristo Medalha de

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO. Regulamento da Carreira de Juiz Árbitro de Tiro Desportivo. Capítulo I Disposições gerais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO. Regulamento da Carreira de Juiz Árbitro de Tiro Desportivo. Capítulo I Disposições gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929 Instituição de Utilidade Pública Desportiva (D.R. 288 de 11/12/1993) Oficial da Ordem Militar de Cristo Medalha de

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS ISSF

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS ISSF FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS ISSF 24 DE MAIO DE 2017 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929 Instituição de Utilidade Pública Desportiva

Leia mais

REGULAMENTO CAMPEONATO NACIONAL DE TIRO COM ARMAS DE PÓLVORA PRETA

REGULAMENTO CAMPEONATO NACIONAL DE TIRO COM ARMAS DE PÓLVORA PRETA REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE TIRO COM ARMAS DE PÓLVORA PRETA 1 Fórmula do Campeonato Artigo 1º O Campeonato Nacional de Pólvora Preta será disputado anualmente, numa única mão, em data a indicar

Leia mais

Regulamento do Campeonato de Portugal com Armas de Ordenança

Regulamento do Campeonato de Portugal com Armas de Ordenança FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929 Instituição de Utilidade Pública Desportiva (D.R. 288 de 11/12/1993) Oficial da Ordem Militar de Cristo Medalha de

Leia mais

6192 Diário da República, 1. a série N. o de Agosto de 2006

6192 Diário da República, 1. a série N. o de Agosto de 2006 6192 Diário da República, 1. a série N. o 164 25 de Agosto de 2006 Artigo 8. o Regulamentação 1 Compete ao Governo, através dos Ministérios da Administração Interna e da Economia e da Inovação, regulamentar

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 231/X

PROJECTO DE LEI N.º 231/X PROJECTO DE LEI N.º 231/X ESTABELECE O REGIME ESPECIAL DE AQUISIÇÃO, DETENÇÃO, USO E PORTE DE ARMAS DE FOGO E SUAS MUNIÇÕES E ACESSÓRIOS, DESTINADAS A PRÁTICAS DESPORTIVAS E DE COLECCIONISMO HISTÓRICO-CULTURAL

Leia mais

Regulamento Campeonato Regional Ar Comprimido Centro 2008

Regulamento Campeonato Regional Ar Comprimido Centro 2008 Regulamento Campeonato Regional Ar Comprimido Centro 2008 1º. Por delegação da FPT, o Campeonato Regional de Ar Comprimido Centro 2008, é organizado pela Associação Desportiva, Recreativa e Cultural da

Leia mais

Regulamento. Tiro. com. Armas de Pólvora Preta

Regulamento. Tiro. com. Armas de Pólvora Preta Regulamento de Tiro com Armas de Pólvora Preta Em vigor desde 01 de Janeiro de 2007 1 Regulamentos Aplicáveis Artigo 1º As competições de Tiro com Armas de Pólvora Preta desenvolvem-se, tecnicamente, de

Leia mais

Instalações: Carreira de Tiro do Complexo Desportivo de Rates ( CTCDR ) Intervenientes : Ass. de Fuzileiros / Sociedade de Tiro do Porto

Instalações: Carreira de Tiro do Complexo Desportivo de Rates ( CTCDR ) Intervenientes : Ass. de Fuzileiros / Sociedade de Tiro do Porto ASSOCIAÇÃO DE FUZILEIROS Sede: R. Miguel Paes,n.º 25 2830-356 BARREIRO afuzileiros@netvisao.pt afuzileiros.desporto@gmail.com Tlf. 21 206 00 79 Fax. 210884156 Fundada em 29 de Março de 1977 Assunto: Acordo

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVAS ISSF

REGULAMENTO DE PROVAS ISSF REGULAMENTO DE PROVAS ISSF 19 DE MARÇO DE 2010 REGULAMENTO DE PROVAS ISSF Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. As provas ISSF são conduzidas por Juízes Árbitros nomeados pelo Conselho de Arbitragem

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS DE TIRO COM CARABINA DE CANO ARTICULADO. Capitulo I Âmbito. Art.º 1º Âmbito

REGULAMENTO DAS PROVAS DE TIRO COM CARABINA DE CANO ARTICULADO. Capitulo I Âmbito. Art.º 1º Âmbito REGULAMENTO DAS PROVAS DE TIRO COM CARABINA DE CANO ARTICULADO Capitulo I Âmbito Art.º 1º Âmbito 1.O presente Regulamento estabelece as regras aplicáveis às provas de carabina de cano articulado do calendário

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS MLAIC TIRO COM ARMAS HISTÓRICAS DE PÓLVORA PRETA 19 DE DEZEMBRO DE 2016 REGULAMENTO DE PROVAS MLAIC TIRO COM ARMAS HISTÓRICAS DE PÓLVORA PRETA Capítulo

Leia mais

REGULAMENTO PROVAS DE TIRO DE PRECISÃO

REGULAMENTO PROVAS DE TIRO DE PRECISÃO REGULAMENTO PROVAS DE TIRO DE PRECISÃO Introdução Este regulamento tem por objetivo padronizar e normatizar as provas de tiro de precisão, em suas diversas modalidades, no âmbito da Associação Brasileira

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DAS ESCOLAS DE TIRO 13 DE ABRIL DE 2010 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DAS ESCOLAS DE TIRO As Escolas de Tiro Desportivo são um pilar essencial no desenvolvimento

Leia mais

Torneio de Tiro de Precisão

Torneio de Tiro de Precisão Torneio de Tiro de Precisão REGRAS GERAIS: Armas: Qualquer tipo de arma com mira aberta, desde que não seja dióptro de qualquer tipo, ou seja com ou sem lente. Não poderá ser usado nenhum tipo de mira

Leia mais

REGULAMENTO CIRCUITO NACIONAL ANDEBOL DE PRAIA 2011

REGULAMENTO CIRCUITO NACIONAL ANDEBOL DE PRAIA 2011 REGULAMENTO CIRCUITO NACIONAL ANDEBOL DE PRAIA 2011 I COMPETIÇÃO Art.º 1.º - A competição Circuito Nacional de Andebol de Praia deverá compreender os Circuitos Regionais de Andebol de Praia (da responsabilidade

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE ALTO RENDIMENTO SELECÇÕES NACIONAIS E RANKING

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE ALTO RENDIMENTO SELECÇÕES NACIONAIS E RANKING FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE ALTO RENDIMENTO SELECÇÕES NACIONAIS E RANKING 06 DE DEZEMBRO DE 2016 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE AR 50 22 DE JANEIRO DE 2016 Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929 Instituição de Utilidade Pública Desportiva (DR 288, de 11/12/93) Renovação

Leia mais

V - Torneio Interno de Tiro de Precisão do Clube de Tiro Barra Bonita 2017

V - Torneio Interno de Tiro de Precisão do Clube de Tiro Barra Bonita 2017 V - Torneio Interno de Tiro de Precisão do Clube de Tiro Barra Bonita 2017 Finalidade - Implementar a realização de prova de carabina Mira Aberta (fogo central e circular), de Ar comprimido (4.5 e 5.5

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM 18 DE JANEIRO DE 2011 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Conselho

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE GOLFE

REGULAMENTO DESPORTIVO DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE GOLFE REGULAMENTO DESPORTIVO DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE GOLFE Regulamento Desportivo da Federação Portuguesa de Golfe CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS SECÇÃO I REGIME DE INSCRIÇÃO DE PRATICANTES CAPÍTULO II DISPOSIÇÕES

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DAS ESCOLAS DE TIRO DESPORTIVO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DAS ESCOLAS DE TIRO DESPORTIVO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DAS ESCOLAS DE TIRO DESPORTIVO 16 DE DEZEMBRO DE 2011 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929 Instituição de Utilidade

Leia mais

PORTARIA Nº COLOG, DE 26 DE AGOSTO DE 2009

PORTARIA Nº COLOG, DE 26 DE AGOSTO DE 2009 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO LOGÍSTICO PORTARIA Nº 012 - COLOG, DE 26 DE AGOSTO DE 2009 Regulamenta os art. 2º e 4º da Portaria Normativa nº 1.811/MD, de 18 de dezembro de 2006, sobre

Leia mais

MANUAL DE FORMAÇÃO PARA O EXAME DE ACESSO ÀS LICENÇAS FEDERATIVAS E DE TIRO DESPORTIVO

MANUAL DE FORMAÇÃO PARA O EXAME DE ACESSO ÀS LICENÇAS FEDERATIVAS E DE TIRO DESPORTIVO MANUAL DE FORMAÇÃO PARA O EXAME DE ACESSO ÀS LICENÇAS FEDERATIVAS E DE TIRO DESPORTIVO Autorizada a publicação deste manual pelo seu autor: Adalberto de Almeida Fernandes GENERALIDADES Este manual destina-se

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE XADREZ DO DISTRITO DE SETÚBAL REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES

ASSOCIAÇÃO DE XADREZ DO DISTRITO DE SETÚBAL REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES ASSOCIAÇÃO DE XADREZ DO DISTRITO DE SETÚBAL REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES Aprovado em Assembleia Geral de 13 de Outubro de 2014 PRIMEIRA PARTE Disposições Gerais Artigo 1 (Âmbito de Aplicação) 1. O presente

Leia mais

REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITE

REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITE REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITE REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITE I. Clubes Satélites Artigo 1.º Norma habilitante O presente Regulamento é adotado ao abrigo

Leia mais

NORMAS E TAXAS A APLICAR PELA UTILIZAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA DE TIRO

NORMAS E TAXAS A APLICAR PELA UTILIZAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA DE TIRO NORMAS E TAXAS A APLICAR PELA UTILIZAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA DE TIRO VILA VERDE - BRAGA 2017 NORMAS DE UTILIZAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA DE TIRO Coordenação da utilização das Infra-estruturas de tiro da STB

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES (Fase de Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1- Normas Gerais 1.1.1 A participação nas provas coletivas organizadas pela FPA é reservada aos clubes portugueses que tenham

Leia mais

TAÇA DE PROMOÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA

TAÇA DE PROMOÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA ÉPOCA 2014-2015 TAÇA DE PROMOÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA REGULAMENTO Regulamento da Taça de Promoção da Associação de Futebol da Guarda Época 2014-2015 Artigo 1.º Objeto 1. O presente Regulamento

Leia mais

Regras. Tiro Rápido de Precisão (TRP)

Regras. Tiro Rápido de Precisão (TRP) Regras Tiro Rápido de Precisão (TRP) Atualização de Abril de 2015 Regulamento de Tiro Rápido de Precisão Atualização de Abril de 2015 1 - DA ARMA a. O comprimento do cano não deverá exceder a 6" (seis

Leia mais

REGULAMENTO DE ANDEBOL DE PRAIA DA FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL E ASSOCIAÇÕES * CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA REGULAMENTO DA PROVA

REGULAMENTO DE ANDEBOL DE PRAIA DA FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL E ASSOCIAÇÕES * CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA REGULAMENTO DA PROVA REGULAMENTO DE ANDEBOL DE PRAIA DA FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL E ASSOCIAÇÕES * CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA REGULAMENTO DA PROVA Art.º 1 Objeto 1. O presente regulamento estabelece as regras

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO TIRO DE PISTOLA

REGULAMENTO ESPECÍFICO TIRO DE PISTOLA REGULAMENTO ESPECÍFICO TIRO DE PISTOLA I - DA FINALIDADE E DA PARTICIPAÇÃO Art. 1º - As regras aplicadas nodo I Jogos Nacionais de Integração dos PRF/2015, para as competição do Tiro Pistola será realizada

Leia mais

Regulamento Tiro IPSC

Regulamento Tiro IPSC Regulamento de Tiro IPSC REGIÃO IPSC - PORTUGAL INTERNATIONAL PRACTICAL SHOOTING CONFEDERATION Página 2 de 15 Capítulo I Disposições Gerais Artº 1º Modalidade IPSC O Tiro IPSC constitui uma modalidade

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ORIENTAÇÃO REGULAMENTO DE CARTOGRAFIA. I Parte Âmbito e competências

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ORIENTAÇÃO REGULAMENTO DE CARTOGRAFIA. I Parte Âmbito e competências FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ORIENTAÇÃO REGULAMENTO DE CARTOGRAFIA I Parte Âmbito e competências Art.º 1.º (Âmbito) Nos termos do art.º 49.º, alínea p), dos Estatutos da FPO, são aprovadas as presentes normas,

Leia mais

PROPOSTA REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE XADREZ

PROPOSTA REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE XADREZ PROPOSTA DE ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE XADREZ DE BEJA REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE XADREZ Artigo 1º Ano das Eleições 1. As Eleições para a Assembleia Geral e Órgãos Sociais da Federação

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Page 1 of 6 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Calendário 00 - Nacional e Internacional 1º Semestre Jan Prova-Actividade Organização - CT Obs F 1 6 1 0 Fev 3 10 Hell Open Air Gun 00 1 - Trondheim - Noruega E

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS PREÂMBULO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS PREÂMBULO NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS PREÂMBULO NOTA JUSTIFICATIVA O Pavilhão Municipal de Desportos de Santiago do Cacém, propriedade do Município de Santiago do

Leia mais

PROVA DE LICENCIAMENTO DE JOGADORES, TREINADORES E ENQUADRAMENTO HUMANO

PROVA DE LICENCIAMENTO DE JOGADORES, TREINADORES E ENQUADRAMENTO HUMANO COMUNICADO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM COMUNICADO Nº 09 ÉPOCA: 2015/2016 DATA: 16/09/2015 Para conhecimento geral, a seguir se informa: PROVA DE LICENCIAMENTO DE JOGADORES, TREINADORES E ENQUADRAMENTO HUMANO

Leia mais

REGULAMENTO JUÍZES DE PROVA DANÇA DESPORTIVA

REGULAMENTO JUÍZES DE PROVA DANÇA DESPORTIVA REGULAMENTO JUÍZES DE PROVA DANÇA DESPORTIVA Aprovado em reunião de Direção a 30 de dezembro de 2016 Em vigor a partir de 1 de janeiro de 2017 CAPITULO I TUTELA E ÂMBITO Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento

Leia mais

FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL

FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL REGULAMENTO DESPORTIVO CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA 2012 Art.º 1 OBJETO 1. O presente regulamento estabelece as regras e normas aplicáveis ao Andebol de Praia

Leia mais

REGULAMENTO GERAL JOGOS NACIONAIS SALESIANOS

REGULAMENTO GERAL JOGOS NACIONAIS SALESIANOS REGULAMENTO GERAL JOGOS NACIONAIS SALESIANOS ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CAPÍTULO I... 4 QUALIFICAÇÃO DOS PRATICANTES DESPORTIVOS SALESIANOS... 4 CAPÍTULO II... 5 IDENTIFICAÇÃO DOS PRATICANTES DO JOGO / PROVA...

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VELA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VELA Artigo 1º Objecto O presente Regulamento visa a adopção de medidas preventivas ao caso de manifestações de violência associadas à Vela, com vista a garantir a existência de condições de segurança em recintos

Leia mais

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS (Documento aprovado na 7ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da ESTBarreiro/IPS, de 20 de Outubro de 2010) CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS

REGULAMENTO DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS REGULAMENTO DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS Regulamento de Certificação de Entidades Formadoras Página 1 de 16 Índice Capítulo I Disposições gerais... 4 Artigo 1.º Norma habilitante... 4 Artigo

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVAS MLAIC. Capítulo I Disposições Gerais

REGULAMENTO DE PROVAS MLAIC. Capítulo I Disposições Gerais REGULAMENTO DE PROVAS MLAIC Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º As provas regidas pelo MLAIC são conduzidas por Juízes Árbitros nomeados pelo Conselho de Arbitragem e desenvolvem-se de acordo com o

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 1

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 COMUNICADO OFICIAL N.º 1 Quadros Competitivos 1 BAMBIS / MINIS (misto) 1.1 Calendarização Propõe-se assim a realização de 8 Encontros / Festand s, distribuídos por toda a época desportiva, nas seguintes

Leia mais

REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITES ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VIANA DO CASTELO

REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITES ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VIANA DO CASTELO REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITES ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VIANA DO CASTELO APROVADO EM ASSEMBLEIA GERAL DE 31.01.2014 REGULAMENTO DE ACORDOS DE PATROCÍNIO COM CLUBES SATÉLITE I.

Leia mais

Regulamento das Entidades Formadoras

Regulamento das Entidades Formadoras Regulamento das Entidades Formadoras Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Norma habilitante O presente Regulamento é adotado ao abrigo do disposto no artigo 10.º e nas alíneas a) e c) do número 2 do

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BRIDGE

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BRIDGE FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BRIDGE REGULAMENTO DE CERTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE PROFESSORES Em vigor a partir de 13 de Setembro de 2013-1 - PARTE 0 PREÂMBULO 0.1 Introdução Uma das principais finalidades

Leia mais

REGULAMENTO DO COLÉGIO DA ESPECIALIDADE DE CONTABILIDADE FINANCEIRA. CAPÍTULO I Da constituição e objectivos

REGULAMENTO DO COLÉGIO DA ESPECIALIDADE DE CONTABILIDADE FINANCEIRA. CAPÍTULO I Da constituição e objectivos REGULAMENTO DO COLÉGIO DA ESPECIALIDADE DE CONTABILIDADE FINANCEIRA CAPÍTULO I Da constituição e objectivos Artigo 1.º O presente regulamento respeita ao Colégio da Especialidade de Contabilidade Financeira

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

O Circuito será realizado em dois escalões etários (rapazes e raparigas juntos).

O Circuito será realizado em dois escalões etários (rapazes e raparigas juntos). Época 2010 Regras de Jogo Serão Realizadas: 10 Etapas. A inscrição da prova na ATPorto será obrigatória, Taxa de 25,00 Valor de Inscrição na Etapa será de 8,00. Os participantes deverão ter licença FPT

Leia mais

CLUBE DESPORTIVO ESTRELA A. Tavares

CLUBE DESPORTIVO ESTRELA A. Tavares 4º Grande Prémio do CLUBE DESPORTIVO ESTRELA A. Tavares REGULAMENTO REGULAMENTO O Clube Desportivo Estrela realiza no próximo dia 11 de junho de 2017, entre as 09:30 e as 12:30, o 4º GP do Clube Desportivo

Leia mais

REGULAMENTO TREINADORES DANÇA DESPORTIVA

REGULAMENTO TREINADORES DANÇA DESPORTIVA REGULAMENTO TREINADORES DANÇA DESPORTIVA Aprovado em reunião de Direção a 1 de outubro de 2014 Em vigor a partir de 5 de outubro de 2014 CAPITULO I TUTELA E ÂMBITO Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento

Leia mais

Fuzil Militar de Combate

Fuzil Militar de Combate Regulamento de Prova de Tiro Numero 4/2013 Fuzil Militar de Combate FINALIDADE Regulamentar a Prova de Tiro Fuzil Militar de Combate no âmbito do Estande de Tiro do 2º Batalhão de Policia do Exercito.

Leia mais

DESPACHO N. GR.03/05/2011

DESPACHO N. GR.03/05/2011 DESPACHO N. GR.03/05/2011 Regulamento Estatuto de Trabalhador-Estudante da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos Estatutos da Universidade

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS ISSF. Capítulo I Disposições Gerais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO REGULAMENTO DE PROVAS ISSF. Capítulo I Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Instituição de Utilidade Pública por Decreto de 14/10/1929 Instituição de Utilidade Pública Desportiva (D.R. 288 de 11/12/1993) Oficial da Ordem Militar de Cristo Medalha de

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL REGULAMENTO DE EXAMES N.: 187 DATA: ASSUNTO: ARBITRAGEM

COMUNICADO OFICIAL REGULAMENTO DE EXAMES N.: 187 DATA: ASSUNTO: ARBITRAGEM COMUNICADO OFICIAL N.: 187 DATA: 2005.11.24 ASSUNTO: ARBITRAGEM REGULAMENTO DE EXAMES Para conhecimento geral, divulga-se em anexo, o Regulamento de Exames, recentemente aprovado. Pel A Direcção da F.P.F.

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL ARBITRAGEM REGULAMENTO DE EXAMES N.: 324 DATA:

COMUNICADO OFICIAL ARBITRAGEM REGULAMENTO DE EXAMES N.: 324 DATA: COMUNICADO OFICIAL N.: 324 DATA: 2007.03.15 ARBITRAGEM REGULAMENTO DE EXAMES Para conhecimento geral, divulga-se em anexo, o Regulamento de Exames, recentemente aprovado. Pel A Direcção da FPF 1/26 CONSELHO

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO SANÇÕES DESPORTIVAS APENSO AO REGULAMENTO DE PROVAS PÓLO AQUÁTICO

REGULAMENTO ESPECÍFICO SANÇÕES DESPORTIVAS APENSO AO REGULAMENTO DE PROVAS PÓLO AQUÁTICO REGULAMENTO ESPECÍFICO DE SANÇÕES DESPORTIVAS APENSO AO REGULAMENTO DE PROVAS DE PÓLO AQUÁTICO Aprovado em Assembleia Geral de 17Nov06 1 CAPITULO I Artigo 1º 1- O presente documento aplica-se a todas as

Leia mais

REGULAMENTO DE TAXAS

REGULAMENTO DE TAXAS REGULAMENTO DE TAXAS (Aprovado em Reunião de Direcção de 19 de Julho de 2017) Filiada: Federação Mundial de Karate (WKF) Federação Europeia de Karate (EKF) Confederação do Desporto de Portugal (CDP) Comité

Leia mais

Diploma. Estabelece os modelos de licenças, alvarás, certificados e outras autorizações a emitir pela Polícia de Segurança Pública

Diploma. Estabelece os modelos de licenças, alvarás, certificados e outras autorizações a emitir pela Polícia de Segurança Pública Diploma Estabelece os modelos de licenças, alvarás, certificados e outras autorizações a emitir pela Polícia de Segurança Pública Portaria n.º 931/2006 de 8 de Setembro O novo regime jurídico das armas

Leia mais

Junta de Freguesia de Ançã

Junta de Freguesia de Ançã III TORNEIO FUTSAL INTER-FREGUESIAS DO CONCELHO DE CANTANHEDE REGULAMENTO 1. INTRODUÇÃO 1.1 O presente regulamento aplica-se ao III Torneio de Futsal Inter-Freguesias do concelho de Cantanhede. 1.2. A

Leia mais

FEDERAÇÃO MARANHENSE DE TIRO ESPORTIVO - FMTE REGULAMENTO DE BENCHREST

FEDERAÇÃO MARANHENSE DE TIRO ESPORTIVO - FMTE REGULAMENTO DE BENCHREST FEDERAÇÃO MARANHENSE DE TIRO ESPORTIVO - FMTE REGULAMENTO DE BENCHREST São Luís MA Fevereiro de 2010 Federação Maranhense de Tiro Esportivo - FMTE REGULAMENTO DE BENCHREST CAPÍTULO I DAS MODALIDADES DE

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Formadora - Magda Sousa MÓDULO 1 NORMATIVOS LEGAIS OBJECTIVO Interpretar e aplicar a legislação, regulamentos

Leia mais

AGUAS ABERTAS EM LISBOA

AGUAS ABERTAS EM LISBOA AGUAS ABERTAS EM LISBOA TEJO 2016 Regulamento Prova Curta 25. Setembro.2016 1. ORGANIZAÇÃO Câmara Municipal de Lisboa Coorganização da ANL 2. APOIOS Câmara Municipal de Lisboa IPDJ Instituto de gestão

Leia mais

REGULAMENTO DE FILIAÇÕES E INSCRIÇÕES. Federação Portuguesa de Xadrez (FPX)

REGULAMENTO DE FILIAÇÕES E INSCRIÇÕES. Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) REGULAMENTO DE FILIAÇÕES E INSCRIÇÕES Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) (Aprovado em Reunião de Direcção em 14 de Outubro de 2010) 1 REGULAMENTO DE FILIAÇÕES E INSCRIÇÕES DA FPX (aprovado em Reunião

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Nos termos do disposto no artº 10º da Portaria nº 401/2007, de 5 de Abril, é aprovado o Regulamento dos

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VELA PLANO FORMAÇÃO DE TREINADORES

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VELA PLANO FORMAÇÃO DE TREINADORES PLANO FORMAÇÃO DE TREINADORES 1 Curso de 40 horas Estágio + Relatório Instrutor 1 Ano de actividade instrutor + praticante competição Curso de 80 horas Treinador de 3º grau 1 ano de actividade treinador

Leia mais

Associação de Futebol do Porto

Associação de Futebol do Porto RUA ANTÓNIO PINTO MACHADO, 96 4100. PORTO COMUNICADO OFICIAL Circular n.º 215 = 2016/2076= Para o conhecimento e orientação dos Clubes Filiados, SAD s, SDUQ s, Árbitros, Órgãos de Comunicação Social e

Leia mais

Comentários à Proposta de Lei n.º 119/XII

Comentários à Proposta de Lei n.º 119/XII Comentários à Proposta de Lei n.º 119/XII 1- Pensamos que a proposta de alteração que nos merece uma análise crítica é a estabelecida no artigo 3º, nº 3. Esta, refere: O valor amortizável do direito de

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO BOCCIA

REGULAMENTO ESPECÍFICO BOCCIA REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BOCCIA 2009 2013 (Reformulado 2011 Dez) ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 CAPÍTULO I - Qualificação dos praticantes desportivos escolares 3 CAPÍTULO II - Identificação dos praticantes do jogo

Leia mais

COMUNICADO Nº 11/2017

COMUNICADO Nº 11/2017 COMUNICADO Nº 11/2017 Exmos. Senhores, Para vosso conhecimento e como único aviso oficial, informamos V. Exas. do seguinte: SUMÁRIO Pág. 1 HÓQUEI EM PATINS 1.1 41º Torneio Inter-Regiões Páscoa 2017 1 1.2

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE MATRAQUILHOS AV. ENG.º ARMANDO MAGALHÃES, VALONGO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE MATRAQUILHOS AV. ENG.º ARMANDO MAGALHÃES, VALONGO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE MATRAQUILHOS AV. ENG.º ARMANDO MAGALHÃES, 371 4440-505 VALONGO TLF/FAX. 22 422 87 58 geral@fpm.pt www.fpm.pt LIGA DE CLUBES 2010 CLUBS LEAGUE 2010 0 REGULAMENTO DE PROVA ÉPOCA 2010

Leia mais

Associação de Futebol de Lisboa

Associação de Futebol de Lisboa Associação de Futebol de Lisboa Conselho de Arbitragem FUTSAL NORMAS REGULAMENTARES PARA CRONOMETRISTAS EDIÇÃO - 2010 INDICE 5 / 00. TEMAS NOMEAÇÃO PARA JOGOS 01 TESTES ESCRITOS 02 ASSIDUIDADE E COLABORAÇÃO

Leia mais

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte:

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: COMUNICADO OFICIAL Nº.: 213 DATA: 2016-02-10 Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DE PREVENÇÃO E CONTROLO DA VIOLÊNCIA

REGULAMENTO DE PREVENÇÃO E CONTROLO DA VIOLÊNCIA REGULAMENTO DE PREVENÇÃO E CONTROLO DA VIOLÊNCIA Federação Portuguesa de Damas Aprovado em reunião de Direcção realizada em 05 Abril de 2010 Homologado em Assembleia Geral a 25 de Fevereiro de 2012 CAPÍTULO

Leia mais

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte:

Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: Para conhecimento de todos os nossos filiados, Conselho de Arbitragem, Órgãos de Comunicação Social e demais interessados, comunicamos o seguinte: ALTERAÇÃO REGULAMENTO PROVAS OFICIAIS (Art.º 102.05, Art.º

Leia mais

Regulamento de Organização de Provas no âmbito da FPT

Regulamento de Organização de Provas no âmbito da FPT Regulamento de Organização de Provas no âmbito da FPT Preâmbulo O Calendário Oficial de Provas da FPT permite definir, em cada época desportiva, o quadro competitivo que melhor serve os interesses da FPT

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento)

CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento) CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES EM PISTA COBERTA (Fase Apuramento) 1. NORMAS REGULAMENTARES 1.1. Normas Gerais 1.1.1. A participação nas provas colectivas organizadas pela FPA é reservada aos Clubes Portugueses

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REALIZAÇÃO DE LEILÕES

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REALIZAÇÃO DE LEILÕES REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REALIZAÇÃO DE LEILÕES (Aprovado na 24ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 16 de Dezembro de 2003, na 2ª Reunião da 5ª Sessão Ordinária de Assembleia Municipal,

Leia mais

TEXTO FINAL. Projeto de Lei n.º 507/XIII/2.ª (PSD) Defesa da transparência e da integridade nas competições desportivas. Artigo 1.

TEXTO FINAL. Projeto de Lei n.º 507/XIII/2.ª (PSD) Defesa da transparência e da integridade nas competições desportivas. Artigo 1. TEXTO FINAL Projeto de Lei n.º 507/XIII/2.ª (PSD) Defesa da transparência e da integridade nas competições desportivas Artigo 1.º Objeto A presente lei procede à criação de deveres de transparência relativos

Leia mais

Associação de Basquetebol de Lisboa

Associação de Basquetebol de Lisboa Associação de Basquetebol de Lisboa ORGÃOS SOCIAIS GABINETE TÉCNICO DIRECÇÃO Sel.Distritais Comissão Formação CONSELHO DISCIPLINA Disciplina Reuniões Inquéritos ASSEMBLEIA GERAL Minibasquete Sorteios CONS.JURISDICIONAL

Leia mais

REGULAMENTO Campeonato Nacional de Futebol de Praia

REGULAMENTO Campeonato Nacional de Futebol de Praia REGULAMENTO Campeonato Nacional de Futebol de Praia 1 Artigo 1º Organização 1.1. A FPF organiza a competição designada: Campeonato Nacional de Futebol de Praia, para a categoria sénior. 1.2. O Campeonato

Leia mais

Regulamento Taça dos Campeonatos Académicos do Porto

Regulamento Taça dos Campeonatos Académicos do Porto Regulamento Taça dos Campeonatos Académicos do Porto I. Disposições Iniciais Artigo 1º (Âmbito) O presente regulamento estabelece o funcionamento da Taça dos Campeonatos Académicos do Porto, organizados

Leia mais

REGULAMENTO DAS NORMAS RELATIVAS AO POLICIAMENTO DE ESPETÁCULOS DESPORTIVOS DE VOLEIBOL

REGULAMENTO DAS NORMAS RELATIVAS AO POLICIAMENTO DE ESPETÁCULOS DESPORTIVOS DE VOLEIBOL REGULAMENTO DAS NORMAS RELATIVAS AO POLICIAMENTO DE ESPETÁCULOS DESPORTIVOS DE VOLEIBOL Com a aprovação do Decreto-Lei n.º 216/2012, de 9 de Outubro e de acordo com o respectivo artigo 2.º n.º 1, o policiamento

Leia mais

Federação de Ju-Jitsu e Disciplinas Associadas de Portugal Fundada em Regulamento de Arbitragem

Federação de Ju-Jitsu e Disciplinas Associadas de Portugal Fundada em Regulamento de Arbitragem Federação de Ju-Jitsu e Disciplinas Associadas de Portugal Fundada em 18-04-2001 Regulamento de Arbitragem Regulamento de Arbitragem Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1.º As presentes normas aplicam-se

Leia mais

Regras Tiro Rápido de Precisão - TRP (Valido para as Provas On-Line)

Regras Tiro Rápido de Precisão - TRP (Valido para as Provas On-Line) Regras Tiro Rápido de Precisão - TRP (Valido para as Provas On-Line) Revisão 19/02/2016 Revisado por: Demetrius Oliveira Presidente CBTP Jose Carlos Belino Diretor de Arbitragem CBTP/NROI Maria Rita Assistente

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO BOCCIA

REGULAMENTO ESPECÍFICO BOCCIA REGULAMENTO ESPECÍFICO BOCCIA 2013-2017 Atualizado em outubro de 2014 Índice 1. Introdução 2 2. Condições Gerais 2 2.1. Participação 2 2.2. Divisões/Categorias 3 3. Regulamento Técnico-Pedagógico 4 3.1.

Leia mais

REGULAMENTO III DUATLO POLICIAL DA POLÍCIA JUDICIÁRIA

REGULAMENTO III DUATLO POLICIAL DA POLÍCIA JUDICIÁRIA REGULAMENTO III DUATLO POLICIAL DA POLÍCIA JUDICIÁRIA Artigo 1º Objeto A Associação Desportiva Cultural e Recreativa da Polícia Judiciária (ADCRPJ) em parceria com a Escola de Polícia Judiciária (EPJ)

Leia mais

PROJECTO LEI N.º 320/X. Combate à corrupção e defesa da verdade desportiva

PROJECTO LEI N.º 320/X. Combate à corrupção e defesa da verdade desportiva PROJECTO LEI N.º 320/X Combate à corrupção e defesa da verdade desportiva O fenómeno desportivo granjeia hoje na sociedade portuguesa um indiscutível lugar de destaque e concita sobre si o interesse e

Leia mais

FRENTE MARFUNCHAL SWIM I Prova de Mar Frente MarFunchal Regulamento Específico sábado, 24 de Setembro de 2016

FRENTE MARFUNCHAL SWIM I Prova de Mar Frente MarFunchal Regulamento Específico sábado, 24 de Setembro de 2016 FRENTE MARFUNCHAL SWIM I Prova de Mar Frente MarFunchal Regulamento Específico sábado, 24 de Setembro de 2016 1. ENQUADRAMENTO No âmbito da realização das provas de Águas Abertas na Madeira em 2016, realizase

Leia mais

REGULAMENTO COMPETIÇÕES OFICIAIS DE TIRO ÀS HÉLICES CAPÍTULO I COMPETIÇÕES OFICIAIS

REGULAMENTO COMPETIÇÕES OFICIAIS DE TIRO ÀS HÉLICES CAPÍTULO I COMPETIÇÕES OFICIAIS REGULAMENTO COMPETIÇÕES OFICIAIS DE TIRO ÀS HÉLICES CAPÍTULO I COMPETIÇÕES OFICIAIS 1.- O presente regulamento será obrigatoriamente aplicado em todas as provas oficiais da disciplina de Tiro às Hélices

Leia mais