AULA 16. Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito por ele).

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AULA 16. Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito por ele)."

Transcrição

1 Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professor: Carolina Lima Monitor: André Manso AULA 16 Dos Acionistas Tem como obrigação integralizar a quota-parte dele (aquilo que foi subscrito por ele). Essas regras serão estabelecidas no estatuto da companhia. A companhia, se não dispuser no estatuto, poderá fazê-lo no Boletim de Subscrição. Normalmente, estas regras são para dizem respeito a prazo e condições de pagamento. Se não houver disposição no estatuto nem no Boletim de Subscrição haverá a necessidade de chamamento para pagar (integralizar). Serão publicadas 3 vezes no mínimo. contar da 1ª chamada deve-se dar um prazo mínimo de 30 dias para que o chamado realize a integralização. Ex: 10/10/10, no mínimo 30 dias, logo 10/11/10. Se decorrido o prazo de 30 dias e não havendo a integralização, o acionista será chamado de remisso, podendo sofrer as seguintes consequências: A companhia poderá ingressar com ação de execução (o Boletim de Subscrição ou as suas respectivas publicações serão consideradas título executivo extrajudicial) ou Mandar vender as ações em Bolsa (leilão especial), onde serão chamados para convocação de interessados em 3 publicações com a antecedência mínima de 3 dias da realização do leilão. OBS: o legislador não previu nenhuma diferença de tratamento quanto à aplicação desasas normas para a sociedade anônima de capital aberto e a sociedade anônima de capital fechado. A FGV, em uma prova de procuradoria, entendeu que essas regras acima também se aplicam as sociedades anônimas de capital fechado. As ações alienadas na Bolsa correrão por conta do devedor. Sendo assim, se a alienação se der por preço inferior ao preço de emissão, o saldo devedor remanescente será cobrado do remisso, através de uma ação de cobrança, caso se entenda sobre a necessidade de apuração do novo valor, ou ação de execução, se ainda houver a permanência do título executivo, fazendo-se juntar a memória de cálculos. Havendo saldo positivo, o valor será restituído ao sócio remisso. Se ninguém comprar as ações:

2 A companhia declarará tais ações caducas (em suma, esgotadas as possibilidades anteriores sem sucesso, a companhia irá declarar estas ações caducas). A companhia traz para si essas ações, levando-as para a tesouraria (passam a ser da própria companhia, integralizando-as. O dinheiro sairá da reserva de capitais ou dos lucros, se houver). E se a companhia não tiver lucro ou reserva de capital? Ela tem 1 ano para tentar alienar (colocar as ações em circulação). Após o prazo, sem sucesso, haverá diminuição do capital social. O acionista remisso, além de pagar juros e correção monetária, também pagará multa, que tem de estar prevista no estatuto e não pode ser superior a 10% do valor inadimplido. Ações não integralizadas podem ser transferidas para terceiro? Sim. Se a sociedade anônima for de capital aberto, a transferência só pode ocorrer se tiver havido a integralização de 30% do preço de emissão (ou inadimplência de 70% do preço de emissão). Na sociedade anônima de capital fechado, não há nenhuma restrição legal. Quem transfere ação não integralizada ficará solidariamente responsável com o adquirente por 2 anos a contar da alienação/transferência. Direitos comuns dos acionistas, independente do tipo ou classe de ações (art. 109 da Lei 6404/76) A rt Nem o estatuto social nem a assembleia-geral poderão privar o acionista dos direitos de: I - participar dos lucros sociais; II - participar do acervo da companhia, em caso de liquidação; III - fiscalizar, na forma prevista nesta Lei, a gestão dos negócios sociais; IV - preferência para a subscrição de ações, partes beneficiárias conversíveis em ações, debêntures conversíveis em ações e bônus de subscrição, observado o disposto nos artigos 171 e 172; (Vide Lei nº , de 2013) V - retirar-se da sociedade nos casos previstos nesta Lei. São eles: Participação nos lucros (dividendos);

3 Direito ao acervo da companhia, no caso de liquidação; Direito de fiscalização; Direito de preferência em subscrever novas ações ou valor mobiliário que possam ser convertido em ações; Direito de retirada da sociedade nos casos previstos em lei e o pagamento se dará através de reembolso. Do Voto Cada ação tem direito a 1 voto, sendo vedado expressamente o voto plural. O estatuto da companhia pode limitar a quantidade de votos por acionista. Ações preferenciais podem ter direito a voto, a depender do que está estabelecido no estatuto da companhia. Os portadores de ações preferenciais sem direito a voto passarão a votar em todas as deliberações, se, no prazo previsto no estatuto, que não pode ser superior a 3 anos, se eles não receberem dividendos. As ações gravadas com clausula de usufruto, quanto ao exercício do direito de voto, deverão estar estipuladas no contrato realizado entre o proprietário e o usufrutuário. Caso não haja estipulação expressa, o voto dependerá de acordo entre estes. Do uso abusivo do direito de voto Será considerado abusivo o voto que tenha como fim causar dano a outrem ou a companhia. A responsabilidade do acionista se dará, ainda que o seu voto não tenha prevalecido. Acionista controlador Trata-se de acionista detentor da maioria dos votos com o poder de eleger a maior parte dos administradores e poder de decisão da companhia. Do acordo de acionistas Tem como fim juntar forças, geralmente de acionistas minoritários para afastar a prevalência das decisões do acionista majoritário. Trata-se de um contrato firmado entre acionistas determinados, que deverão seguir os termos do acordo. O acordo somente poderá ser oponível a companhia, se arquivados na sua sede. Nesse caso, qualquer voto contrário ao acordo, por acionista que o tenha ratificado, será desconsiderado pela assembleia. Entretanto, este acordo somente será oponível a terceiros, se devidamente averbado na Junta Comercial. O acionista signatário do acordo não poderá contrariá-lo. Nas omissões de voto, por quem faça parte do acordo, conferirá a outro acionista signatário do acordo, o direito de votar com as ações do ausente ou omisso. O acordo de acionistas poderá tratar dos seguintes assuntos: Compra e venda de ações;

4 Preferência para aquisição; O exercício do direito de voto; Poder de controle. ano. O acordo de acionista poderá prever representação por mandato por tempo superior a 1 A assembleia poderá suspender o exercício dos direitos de acionista, por conta da prática de atos que contrariem a lei ou o estatuto, até o seu respectivo cumprimento. Ex: acionista remisso. Dos órgãos da companhia São eles: Assembleia de acionistas; Conselho de Administração (só será obrigatório nas sociedades anônimas de capital aberto, sociedade de economia mista e sociedades anônimas com capital autorizado. Esta última se trata de uma sociedade que tem no seu estatuto autorização para realizar aumento do capital social. Isso é possível tanto em sociedades anônimas de capital fechado e sociedades anônimas de capital aberto. Em regra, nas sociedades anônimas de capital fechado, o Conselho de Administração será facultativo. Porém se tiver regra estatutária prevendo que seja possível a realização do aumento do capital social, este órgão passará a ser obrigatório); e Diretoria. O Conselho de Administração trata de matérias que não são levadas a Assembleia. O Conselho de Administração e a Diretoria são órgãos administrativos. Junto com a Assembleia de acionistas atua o Conselho de Fiscalização cuja existência é obrigatória, mas o funcionamento é facultativo. Quem nomeia os membros do Conselho de Administração são os membros da Assembleia de acionistas. E os membros do Conselho de Administração nomeiam os membros da Diretoria. Caso não haja Conselho de Administração, quem nomeará os membros da Diretoria será a Assembleia de acionistas. Da Assembleia Geral Trata-se da reunião dos acionistas da companhia, para deliberação das atividades sociais. Na sociedade anônima de capital aberto, o direito de voto poderá ser realizado à distância. Compete privativamente à Assembleia deliberar sobre: Reforma do estatuto; Eleições dos conselheiros administrativos (e dos diretores, quando a companhia não tiver Conselho de Administração); Julgar anualmente as contas apresentadas pelos administradores; e Eleger os membros do Conselho Fiscal.

5

DIREITOS DOS ACIONISTAS

DIREITOS DOS ACIONISTAS DO GRUPO DE ESTUDOS DE DIREITO EMPRESARIAL FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO Mário Tavernard Martins de Carvalho Patrocinadores: 2 Direitos essenciais

Leia mais

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual.

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual. Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professor: Leandro Antunes Monitor: André Manso AULA 19 Da responsabilidade Qualquer ato praticado pelo administrador que venha a prejudicar

Leia mais

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE

PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE PARTE GERAL CONTRATO DE SOCIEDADE 1 CONTRATO DE SOCIEDADE 1 Elementos contratuais 2 Sociedades simples e empresárias 3 Sociedades não personificadas 4 Sociedade em comum 4.1 Patrimônio social e responsabilidade

Leia mais

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase

Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Empresarial Procurador Legislativo 3ª fase 1) CESPE - Proc (BACEN)/BACEN/2009 Com relação à emissão de debêntures nas sociedades anônimas, assinale a opção correta.

Leia mais

Sociedade Anônima DIREITO SOCIETÁRIO V. Características: Características: Responsabilidade dos sócios... Nome empresarial 13/11/2012

Sociedade Anônima DIREITO SOCIETÁRIO V. Características: Características: Responsabilidade dos sócios... Nome empresarial 13/11/2012 Sociedade Anônima Destinada aos grandes empreendimentos. Regida pela Lei de S/A, Lei 6.404/76 (LSA). Pessoa jurídica com objeto empresarial, de natureza capitalista, cuja responsabilidade dos sócios se

Leia mais

Direito Societário IV. Prof. Henrique Subi

Direito Societário IV. Prof. Henrique Subi Direito Societário IV Prof. Henrique Subi 1 8. Sociedades institucionais 8.1. Sociedade em comandita por ações - Tem o capital dividido em ações - Os diretores possuem responsabilidade ilimitada pelas

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM

DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM Prof. Ma Marina Zava de Faria FACE: Marina Zava INSTA: Marina Zava Periscope:@marinazava E-mail: profmarinazava@hotmail.com DIREITO EMPRESARIAL PREPARATÓRIO XXII EXAME DE ORDEM 1. CONCEITO: Modalidade

Leia mais

sociedade anônima características

sociedade anônima características sociedade anônima características capital social dividido em ações (títulos de crédito) responsabilidade limitada dos sócios denominação : SOCIEDADE ANONIMA ou S/A. no início ou no final do nome COMPANHIA

Leia mais

PARTICIPAÇÕES INDUSTRIAIS DO NORDESTE S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta ESTATUTO SOCIAL

PARTICIPAÇÕES INDUSTRIAIS DO NORDESTE S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta ESTATUTO SOCIAL PARTICIPAÇÕES INDUSTRIAIS DO NORDESTE S.A. CNPJ/MF nº 14.308.514/0001-13 NIRE nº 29.3.0000684-0 Companhia Aberta ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, PRAZO DE DURAÇÃO E OBJETO SOCIAL Artigo

Leia mais

INVESTIMENTOS BEMGE S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE

INVESTIMENTOS BEMGE S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE INVESTIMENTOS BEMGE S.A. CNPJ 01.548.981/0001-79 Companhia Aberta NIRE 35300315472 E S T A T U T O S O C I A L CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO Art. 1º - A Companhia aberta regida por este Estatuto

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL 1. A recuperação extrajudicial é uma modalidade prevista na Lei Nº 11.101/2005, e pode ser adotada pelo empresário em dificuldade e com

Leia mais

Direito Empresarial e Trabalhista

Direito Empresarial e Trabalhista Profa. Dra. Silvia Bertani Direito Empresarial e Trabalhista As sociedades organização formada por duas ou mais pessoas, por meio de um contrato com ou sem o registro, para o exercício de uma atividade

Leia mais

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ n.º / NIRE ATA DE ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 13 DE NOVEMBRO DE 2006

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ n.º / NIRE ATA DE ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 13 DE NOVEMBRO DE 2006 ATA DE ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 1. Local, data e hora: Na sede social, na Rua Pamplona, 818 Conjunto 92, às 17:00 horas, do dia 13 de novembro de 2006. 2. Convocação: Dispensada, na forma do 4º

Leia mais

NORMAS SOBRE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DA COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO - CEG

NORMAS SOBRE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DA COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO - CEG NORMAS SOBRE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DA COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO - CEG I. DO OBJETIVO 1.1. O objetivo destas normas é estabelecer uma política de divulgação de ato ou fato relevante

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL 7º Período

DIREITO EMPRESARIAL 7º Período SOCIEDADES ANÔNIMAS (Lei nº 6404/76) DIREITO EMPRESARIAL 7º Período 2014-02 RESUMO III O art. 1.088 do Código Civil conceitua S/A, prescrevendo o seguinte: Na sociedade anônima ou companhia, o capital

Leia mais

CONFAB INDUSTRIAL S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta

CONFAB INDUSTRIAL S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta CONFAB INDUSTRIAL S.A. CNPJ/MF nº 60.882.628/0001-90 NIRE 35.3.002022.7 Companhia Aberta FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA (ATENDIMENTO AO ART. 24 3º - Itens II a IV e VI a VII) Data-Base: 31.12.2009 15. Controle

Leia mais

DIREITO SOCIETÁRIO PARTE III: DA SOCIEDADE LIMITADA. Paula Freire 2012

DIREITO SOCIETÁRIO PARTE III: DA SOCIEDADE LIMITADA. Paula Freire 2012 DIREITO SOCIETÁRIO PARTE III: DA SOCIEDADE LIMITADA Paula Freire 2012 Sociedade por quotas de responsabilidade limitada e o Decreto 3.708/19 Antes da vigência do CC/2002 era regida pelo Decreto 3.708/19

Leia mais

Contabilidade Introdutória

Contabilidade Introdutória Contabilidade Introdutória Profa. Mara Jane Contrera Malacrida 1 Ö : Parte residual do patrimônio Riqueza líquida da empresa PL = Ativo Passivo Evidencia os recursos dos proprietários aplicados no empreendimento

Leia mais

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (ii)

Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (ii) Instituições de Direito Pessoas Jurídicas (ii) CAMILA VILLARD DURAN Aula anterior: conceitos trabalhados! Pessoa Jurídica! Associações! Sociedade em conta de participação! Eireli vs. Empresário individual

Leia mais

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015 1.) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

Direito Societário III. Prof. Henrique Subi

Direito Societário III. Prof. Henrique Subi Direito Societário III Prof. Henrique Subi 1 7.3. Sociedade limitada a) Responsabilidade dos sócios: é limitada à integralização do capital social b) Normas supletivas: no silêncio do contrato, serão as

Leia mais

AULA 5 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES. Prof Mestre Keilla

AULA 5 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES. Prof Mestre Keilla AULA 5 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE AÇOES Prof Mestre Keilla ATENÇÃO: MUITA COISA PARA COPIAR EM SALA!!! COMPLETANDO ALGUNS SLIDES Objetivo da aula: Importância do Mercado de Capitais para o Mercado Financeiro.

Leia mais

Prazo legal para realização da Assembleia Geral Ordinária após o término do exercício social

Prazo legal para realização da Assembleia Geral Ordinária após o término do exercício social Prazo legal para realização da Assembleia Geral Ordinária após o término do exercício social Belo Horizonte, 24 de Abril de 2014 1. Introdução Atualmente, nos meios jurídico-empresariais, surge debates

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA SUMÁRIO Capítulo I Objeto do Regimento Interno... 3 Capítulo II Missão da Diretoria... 3 Capítulo III Competência... 3 Capítulo

Leia mais

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta)

FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF / NIRE (Companhia Aberta) FERROVIA CENTRO ATLÂNTICA S.A. CNPJ/MF 00.924.429/0001-75 NIRE 313001187-9 (Companhia Aberta) ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 11 DE OUTUBRO DE 2016 1. DATA, HORA E LOCAL: Realizada

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL CAPÍTULO I DA CONCEITUAÇÃO E DA FINALIDADE Art. 1º. O Conselho Fiscal é o órgão de fiscalização dos atos dos administradores da ATIVOS S.A. Companhia Securitizadora

Leia mais

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº / Companhia Aberta

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº / Companhia Aberta BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 Companhia Aberta ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, REALIZADA EM 27 DE FEVEREIRO DE 2008. 1. Data, Hora e Local: No dia 27 de fevereiro

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização

DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização DIREITO EMPRESARIAL II - CCJ0027 DIREITO EMPRESARIAL II (22/07/2014) Contextualização O Direito Societário, dentro do sistema jurídico brasileiro, está distribuído em duas etapas: a Teoria Geral do Direito

Leia mais

Sociedades Anônimas. Disciplina: Direito Empresarial (Sociedades Anônimas). Professor: Ricardo Henrique e Silva Guerra 2º Semestre/2016

Sociedades Anônimas. Disciplina: Direito Empresarial (Sociedades Anônimas). Professor: Ricardo Henrique e Silva Guerra 2º Semestre/2016 Sociedades Anônimas Disciplina: Direito Empresarial (Sociedades Anônimas). Professor: Ricardo Henrique e Silva Guerra 2º Semestre/2016 VALORES MOBILIÁRIOS VALORES MOBILIÁRIOS O que veremos na aula de hoje...

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO EMPRESARIAL QUESTÃO 1 - Sobre a disciplina do direito empresarial no Brasil: 1. O adquirente de um estabelecimento comercial jamais responderá pelo

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. Versão 1.0 Página 1 de 10 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. 1. OBJETIVO 1.1. A presente Política de Negociação de Valores Mobiliários tem como

Leia mais

DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL

DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL (cap 4) Prof. Renê Coppe Pimentel Material e conteúdo padronizados elaborados por professores da FEA/USP 1 SITUAÇÃO ECONÔMICA Lucro - todo lucro obtido pela empresa pertence

Leia mais

VI PLANO DE OPÇÃO PARA SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES

VI PLANO DE OPÇÃO PARA SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES VI PLANO DE OPÇÃO PARA SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES CLÁUSULA PRIMEIRA DOS OBJETIVOS DO PLANO 1.1. O presente Plano de Opção para Subscrição de Ações (o Plano ), instituído nos termos do art. 168, 3º da Lei nº 6.404/76,

Leia mais

NATURA COSMÉTICOS S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO PRÓPRIA

NATURA COSMÉTICOS S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO PRÓPRIA NATURA COSMÉTICOS S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO PRÓPRIA SUMÁRIO Página 1. NORMAS GERAIS... 3 1.1. Definições... 3 2. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO

Leia mais

SOCIEDADE LIMITADA HISTÓRICO

SOCIEDADE LIMITADA HISTÓRICO SOCIEDADE LIMITADA HISTÓRICO Decreto-lei nº 3.078/19: em princípio, era regulada por este decreto, mas foi revogada. Código Civil, arts. 1.052 e 1087: atual regulamentação Antes possuía o nome de sociedade

Leia mais

Eletrobrás Participações S.A. - ELETROPAR. Estatuto Social

Eletrobrás Participações S.A. - ELETROPAR. Estatuto Social Eletrobrás Participações S.A. - ELETROPAR Estatuto Social Capítulo I Da Denominação, Organização, Sede, Duração e Objeto Art. 1 o - A Eletrobrás Participações S.A. ELETROPAR, que usará a abreviatura ELETROPAR,

Leia mais

Securities of the Company (Portuguese)

Securities of the Company (Portuguese) Securities of the Company (Portuguese) I - Objetivo e Abragência II - Administração da Política III - Vedações à Negociação IV - Plano Individual de Negociação V - Obrigação de Indenizar VI - Disposições

Leia mais

Estatuto Social consolidado em vista das deliberações da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária de 29 de abril de 2013 CAPÍTULO I

Estatuto Social consolidado em vista das deliberações da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária de 29 de abril de 2013 CAPÍTULO I Unipar Participações S.A. Página 1 de 19 Estatuto Social consolidado em vista das deliberações da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária de 29 de abril de 2013 CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, OBJETO, SEDE

Leia mais

KLABIN S.A. PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL DE LONGO PRAZO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

KLABIN S.A. PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL DE LONGO PRAZO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS 1 KLABIN S.A. PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL DE LONGO PRAZO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º Os objetivos do Plano da companhia são os seguintes. a) estimular a expansão da Companhia e o atingimento das

Leia mais

AULA 7 BALANÇO PATRIMONIAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO

AULA 7 BALANÇO PATRIMONIAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO AULA 7 BALANÇO PATRIMONIAL O, CONFORME JÁ EXPLICADO NAS AULAS INICIAIS, REPRESENTA APENAS A DIFERENÇA ENTRE OS BENS E DIREITOS CLASSIFICADOS NO ATIVO E AS OBRIGAÇÕES PARA COM TERCEIROS CLASSIFICADAS NO

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Objeto e Duração

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Objeto e Duração ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Objeto e Duração Artigo 1º - A Cemig Participações Minoritárias S.A. (a Sociedade ) é uma sociedade anônima de capital fechado, subsidiária integral, que

Leia mais

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94

ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 ANEXO I Circular SUSEP nº 07/94 1. Sociedades Seguradoras Nacionais, Sociedades de Capitalização e Sociedades de Previdência Privada Aberta com fins lucrativos. 1.1- ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA - AGE

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO I - DEFINIÇÕES E ADESÃO 1.1 - As definições utilizadas na presente Política de Divulgação têm os significados que lhes são

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA OURO FINO SAÚDE ANIMAL PARTICIPAÇÕES S.A. 1 PROPÓSITO A presente Política de Negociação de Valores Mobiliários tem como propósito estabelecer

Leia mais

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015 1.) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

1) Não personificada * Doutrina DE FATO (contrato verbal) IRREGULAR (contrato escrito sem registro)

1) Não personificada * Doutrina DE FATO (contrato verbal) IRREGULAR (contrato escrito sem registro) 1 DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: SOC. EM COMUM; CONTA DE PARTICIPAÇÃO; EM COMANDITA SIMPLES E POR AÇÕES; PONTO 2: SOCIEDADE LIMITADA PONTO 3: SOCIEDADE ANÔNIMA SOCIEDADE EM COMUM: 1) Não personificada *

Leia mais

Petrobras Natureza Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras uma sociedade de economia mista, sob controle da União com prazo

Petrobras Natureza Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras uma sociedade de economia mista, sob controle da União com prazo Petrobras Natureza A Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras é uma sociedade de economia mista, sob controle da União com prazo de duração indeterminado, regida pelas normas da Lei das Sociedades por Ações

Leia mais

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.3.0028519-9 FATO RELEVANTE (resumido conforme disposto no 4º do Art. 3º da Instrução CVM nº 358/02) Em atendimento às

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL POR SUBSCRIÇÃO PRIVADA DELIBERADA PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM

AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL POR SUBSCRIÇÃO PRIVADA DELIBERADA PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM CNPJ 97.837.181/0001-47 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL POR SUBSCRIÇÃO PRIVADA DELIBERADA PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 12.02.2016 (ANEXO 30-XXXII DA ICVM 480/09) 1. Informar

Leia mais

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº / NIRE PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.3.0028519-9 FATO RELEVANTE (resumido conforme disposto no 4º do Art. 3º da Instrução CVM nº 358/02) Em atendimento às

Leia mais

ÉVORA SA CNPJ nº / NIRE Capital Aberto. Ata de Reunião do Conselho de Administração

ÉVORA SA CNPJ nº / NIRE Capital Aberto. Ata de Reunião do Conselho de Administração ÉVORA SA CNPJ nº 91.820.068/0001-72 NIRE 43.300.028.593 Capital Aberto Ata de Reunião do Conselho de Administração Data, hora e local: aos 3 dias do mês de fevereiro do ano de 2016, às 17:00 horas, na

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO EM AGE DE CAPÍTULO I. Denominação, Sede, Objeto e Duração

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO EM AGE DE CAPÍTULO I. Denominação, Sede, Objeto e Duração ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO EM AGE DE 29-04-2005 CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração Art. 1º - A Companhia Tecidos Santanense, sociedade anônima de capital autorizado constituída aos 23 (vinte

Leia mais

A Proposta de Reforma do Estatuto Social segue anexa.

A Proposta de Reforma do Estatuto Social segue anexa. Senhores Acionistas da Companhia Siderúrgica Nacional A Administração da Companhia Siderúrgica Nacional submete à deliberação dos Srs. Acionistas proposta de reforma do Estatuto Social com o objetivo de

Leia mais

MARISOL S.A. CNPJ Nº / EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO

MARISOL S.A. CNPJ Nº / EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO MARISOL S.A. CNPJ Nº 84.429.752/0001-62 EMPRESA DE CAPITAL ABERTO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO, PRAZO DE DURAÇÃO Artigo 1º: A MARISOL S.A. é uma Sociedade Anônima de capital aberto,

Leia mais

Tipos de Sociedades. Código Civil (Lei 10406/2002) prevê vários tipos. Os tipos mais relevantes. Sociedade Limitada (Ltda.) Sociedade Anônima (S.A.

Tipos de Sociedades. Código Civil (Lei 10406/2002) prevê vários tipos. Os tipos mais relevantes. Sociedade Limitada (Ltda.) Sociedade Anônima (S.A. INVESTIR NO BRASIL Os Modelos Societários no Sistema Jurídico Brasileiro e a sua Regulamentação 12 de Abril de 2012 Marco Ferreira Orlandi Sócio BOCCUZZI Advogados Tipos de Sociedades Código Civil (Lei

Leia mais

Sul América S.A. POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS

Sul América S.A. POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS Sul América S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CVM nº21121 CNPJ/MF 29.978.814/0001-87 NIRE 3330003299-1 POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS - abril de 2012 - Este documento, de caráter meramente

Leia mais

ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO

ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO 2. PESSOAS SUJEITAS À POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E FORMA DE ADESÃO 3. DEVERES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº 15.413.826/0001-50 NIRE 54.300.000.566 Companhia Aberta Campo Grande - MS, 04 de outubro de 2010. Aos Srs. Acionistas da ENERSUL. PROPOSTA

Leia mais

AZEVEDO & TRAVASSOS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE N

AZEVEDO & TRAVASSOS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE N AZEVEDO & TRAVASSOS S.A. CNPJ/MF Nº 61.351.532/0001-68 NIRE N 35.300.052.463 COMPANHIA ABERTA ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 LOCAL, DATA E HORA - Na sede social à Rua

Leia mais

MANUAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE

MANUAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE MANUAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 7 DE JANEIRO DE 2016 ÍNDICE 1. Glossário, Abreviaturas e Termos Definidos 3 2. Introdução 5 3. Edital de Convocação 6 4. Instruções 8 5. Proposta da Administração

Leia mais

COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidida pelo Diretor Presidente da Companhia, Sr. Luis Fernando Memoria Porto, e secretariada pelo Sr. Marco Aurélio Ferreira.

COMPOSIÇÃO DA MESA: Presidida pelo Diretor Presidente da Companhia, Sr. Luis Fernando Memoria Porto, e secretariada pelo Sr. Marco Aurélio Ferreira. ATA DA ASSEMBLEIA DE DEBENTURISTAS DA PRIMEIRA EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, COM GARANTIA REAL E FIDEJUSSÓRIA DA COMPANHIA DE LOCAÇÃO DAS AMÉRICAS, REALIZADA NO DIA

Leia mais

LITHO FORMAS, S.A. Contrato de Sociedade. CAPÍTULO I Denominação social, forma e duração

LITHO FORMAS, S.A. Contrato de Sociedade. CAPÍTULO I Denominação social, forma e duração LITHO FORMAS, S.A. Contrato de Sociedade CAPÍTULO I Denominação social, forma e duração Artigo 1º 1. A sociedade tem a denominação de Litho Formas, S.A., e teve o seu início em 5 de Dezembro de 1966. 2.

Leia mais

BANCO ABC BRASIL S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº / NIRE

BANCO ABC BRASIL S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº / NIRE BANCO ABC BRASIL S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº 28.195.667/0001-06 NIRE 35.300.138.023 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 12 DE ABRIL DE 2.010 1 - DATA, HORA E LOCAL: Aos 12 dias

Leia mais

BANCO INDUSVAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

BANCO INDUSVAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS BANCO INDUSVAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ nº 61.024.352/0001-71 NIRE 353.000.242-90 AVISO AOS ACIONISTAS Comunicamos aos senhores acionistas que em Assembleia Geral Extraordinária

Leia mais

COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO COMPANHIA ABERTA DE CAPITAL AUTORIZADO CNPJ/MF nº /

COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO COMPANHIA ABERTA DE CAPITAL AUTORIZADO CNPJ/MF nº / COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO COMPANHIA ABERTA DE CAPITAL AUTORIZADO CNPJ/MF nº 47.508.411/0001-56 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 18 DE JUNHO DE 2009 1. DATA, HORA e LOCAL:

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LINX S.A. I. PROPÓSITO

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LINX S.A. I. PROPÓSITO POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA LINX S.A. I. PROPÓSITO Esta Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da LINX S.A. ( Companhia ), nos termos da Instrução CVM

Leia mais

ANEXO I DA ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ENERGISA MATO GROSSO DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S.A., REALIZADA EM 26 DE ABRIL DE 2016

ANEXO I DA ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ENERGISA MATO GROSSO DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S.A., REALIZADA EM 26 DE ABRIL DE 2016 ANEXO I DA ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ENERGISA MATO GROSSO DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S.A., REALIZADA EM 26 DE ABRIL DE 2016 ESTATUTO SOCIAL ENERGISA MATO GROSSO DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S.A.

Leia mais

Aula 2 Capital Social: Função, Composição, Aumento e Redução, Capital Autorizado. Prof. Manoel de Queiroz Pereira Calças

Aula 2 Capital Social: Função, Composição, Aumento e Redução, Capital Autorizado. Prof. Manoel de Queiroz Pereira Calças Aula 2 Capital Social: Função, Composição, Aumento e Redução, Capital Autorizado Prof. Manoel de Queiroz Pereira Calças 1 AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL O capital social é um valor formal e estático; constitui

Leia mais

- Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores.

- Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores. - Constituição de Empresas o capital de empresas, sejam individuais ou sociedades é constituído pela entrega de bens e ou valores por seus fundadores. - Sociedade Limitada Na Sociedade Limitada o capital

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL API HOLDING S.A.

ESTATUTO SOCIAL API HOLDING S.A. ESTATUTO SOCIAL API HOLDING S.A. CAPITULO I DAS CARACTERÍSTICAS DA SOCIEDADE Art. 1 API HOLDING S.A. é uma sociedade anônima de capital fechado, regida pelo presente Estatuto Social, nos termos da Lei

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA

Leia mais

Fundo de Investimento em Participações FIP

Fundo de Investimento em Participações FIP Renda Variável Fundo de Investimento em Participações FIP Fundo de Investimento em Participações O produto O Fundo de Investimento em Participações (FIP) é uma comunhão de recursos destinados à aplicação

Leia mais

LPS BRASIL - CONSULTORIA DE IMÓVEIS S/A

LPS BRASIL - CONSULTORIA DE IMÓVEIS S/A LPS BRASIL - CONSULTORIA DE IMÓVEIS S/A CNPJ/MF 08.078.847/0001-09 NIRE 35.300.331.494 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28 DE JULHO DE 2014 Data, Hora e Local: 28 de julho de 2014,

Leia mais

Roteiro de Aula- Introdução ao Direito Empresarial

Roteiro de Aula- Introdução ao Direito Empresarial 5. Sociedades empresárias 5.1. Sociedade em nome coletivo (art. 1039 a 1044, CC) Característica dos sócios: São obrigatoriamente pessoas físicas que respondem solidaria e ilimitadamente pelas obrigações

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 PLANO PARA OUTORGA DE OPÇÕES DE AÇÕES 1. OBJETIVO E DIRETRIZES DO PLANO O Itaú Unibanco Holding S.A. ("ITAÚ UNIBANCO")

Leia mais

USINA TÉRMICA IPATINGA S. A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

USINA TÉRMICA IPATINGA S. A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração USINA TÉRMICA IPATINGA S. A. O presente Estatuto Social é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 11-08-2000 - arquivada na JUCEMG em 16-08-2000, sob o nº 3130001496-7,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA HIDROVIAS DO BRASIL S.A.

ESTATUTO SOCIAL DA HIDROVIAS DO BRASIL S.A. ESTATUTO SOCIAL DA HIDROVIAS DO BRASIL S.A. Nome e Duração Artigo 1 - HIDROVIAS DO BRASIL S.A. ( Companhia ) é uma sociedade por ações, com prazo de duração indeterminado, regida por este Estatuto Social

Leia mais

Modificações na Lei 6.404/76 com a edição da Lei /11

Modificações na Lei 6.404/76 com a edição da Lei /11 Modificações na Lei 6.404/76 com a edição da Lei 12.431/11 Francisco Antunes Maciel Müssnich Francisco Antunes Maciel Müssnich 1 A Lei Societária como suporte legal para o desenvolvimento de novas operações

Leia mais

CPFL ENERGIAS RENOVÁVEIS S.A. NIRE CVM CNPJ/MF nº /

CPFL ENERGIAS RENOVÁVEIS S.A. NIRE CVM CNPJ/MF nº / CPFL ENERGIAS RENOVÁVEIS S.A. NIRE 3530033581-3 CVM 20540 CNPJ/MF nº 08.439.659/0001-50 Ata de Reunião do Conselho de Administração DATA E HORÁRIO E LOCAL: 28 de fevereiro de 2014, às 9:00 horas, na sede

Leia mais

RODONORTE CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS INTEGRADAS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº COMPANHIA ABERTA

RODONORTE CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS INTEGRADAS S.A. CNPJ/MF Nº / NIRE Nº COMPANHIA ABERTA - ANEXO II - ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 16 DE DEZEMBRO DE 2016 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO Art. 1º - A RODONORTE - CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL BRASIL TELECOM S.A.

ESTATUTO SOCIAL BRASIL TELECOM S.A. ESTATUTO SOCIAL BRASIL TELECOM S.A. CAPÍTULO I REGIME JURÍDICO Art. 1º - A Brasil Telecom S.A é uma sociedade por ações, de capital aberto, que se rege pelo presente Estatuto e legislação aplicável. Art.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 1 de 20 Índice 1. Objeto 4 2. Missão do Conselho de Administração 5 3. Composição Mandato e Investidura 6 4. Comitês do Conselho de Administração 7 5. Escopo

Leia mais

RANDON S.A. Implementos e Participações Companhia Aberta CNPJ / NIRE ESTATUTO SOCIAL

RANDON S.A. Implementos e Participações Companhia Aberta CNPJ / NIRE ESTATUTO SOCIAL RANDON S.A. Implementos e Participações Companhia Aberta CNPJ 89.086.144/0001-16 NIRE 43300032680 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO Artigo 1º. RANDON S.A. Implementos e Participações

Leia mais

PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES LUPATECH S.A. 19 DE ABRIL DE Text_SP v2 6227/1

PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES LUPATECH S.A. 19 DE ABRIL DE Text_SP v2 6227/1 PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES LUPATECH S.A. 19 DE ABRIL DE 2006 LUPATECH S.A. CNPJ/MF 89.463.822/0001-12 - NIRE 43300028534 PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES Este plano de outorga

Leia mais

JEREISSATI PARTICIPAÇÕES S.A. ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO PRIMEIRO - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO

JEREISSATI PARTICIPAÇÕES S.A. ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO PRIMEIRO - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO JEREISSATI PARTICIPAÇÕES S.A. ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO PRIMEIRO - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO ARTIGO PRIMEIRO: Sob a denominação de JEREISSATI PARTICIPAÇÕES S.A., reger-se-á esta sociedade anônima

Leia mais

ENERGISA S/A Companhia Aberta CNPJ/MF n.º / Praça Rui Babosa, 80 (parte), Cataguases/MG CEP

ENERGISA S/A Companhia Aberta CNPJ/MF n.º / Praça Rui Babosa, 80 (parte), Cataguases/MG CEP ENERGISA S/A Companhia Aberta CNPJ/MF n.º 00.864.214/0001-06 Praça Rui Babosa, 80 (parte), Cataguases/MG CEP 36.770-901 AVISO AOS ACIONISTAS Comunicamos aos Senhores Acionistas que a ( Companhia ), observadas

Leia mais

IDEIASNET S.A. CNPJ/MF n.º / NIRE Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS

IDEIASNET S.A. CNPJ/MF n.º / NIRE Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS IDEIASNET S.A. CNPJ/MF n.º 02.365.069/0001 44 NIRE 3330016719 6 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração da Ideiasnet S.A. 1.

Leia mais

Analista e Auditor da Receita

Analista e Auditor da Receita Analista e Auditor da Receita Contabilidade Geral Básica Com o Professor Eugenio Montoto Site: www.eugenio.pro.br www.youtube.com/eugeniomontoto Email: professoreugeniomontoto@gmail.com 21/02/2016 1 Módulo

Leia mais

Concurso Prof. Cid Roberto

Concurso Prof. Cid Roberto Prof. Cid Roberto Concurso 2013 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij O mercado de capitais é o conjunto de mercados, instituições e ativos que viabiliza a transferência de recursos

Leia mais

ANEXO II ESTATUTO SOCIAL DA NORTEC QUÍMICA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO

ANEXO II ESTATUTO SOCIAL DA NORTEC QUÍMICA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO ANEXO II ESTATUTO SOCIAL DA NORTEC QUÍMICA S.A. CNPJ/MF nº 29.950.060/0001-57 NIRE nº 3330027095-7 CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO Art. 1º NORTEC QUÍMICA S.A. é uma sociedade anônima que

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO Art. 1º - Este Regulamento disciplina os procedimentos que regem as eleições previstas no artigo 69 do Estatuto Social da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO

Leia mais

HAGA S.A. Indústria e Comércio. COMPANHIA ABERTA CNPJ / NIRE ESTATUTO SOCIAL

HAGA S.A. Indústria e Comércio. COMPANHIA ABERTA CNPJ / NIRE ESTATUTO SOCIAL HAGA S.A. Indústria e Comércio. COMPANHIA ABERTA CNPJ 30.540.991/0001-66 - NIRE 333.0014610-5 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO E DURAÇÃO - Artigo 1 - HAGA S.A. Indústria e Comércio

Leia mais

3. Mesa: Srs. Gilberto Mifano - Presidente e Sra. Nora Rachman - Secretária.

3. Mesa: Srs. Gilberto Mifano - Presidente e Sra. Nora Rachman - Secretária. BM&F BOVESPA S.A. - BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS CNPJ n 09.346.601/0001-25 NIRE 35.300.351.452 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 14 DE ABRIL DE 2009 1. Data, Hora e Local:

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da Estácio Participações S.A. 1. Propósito Esta Política visa a consolidar as regras e procedimentos que devem ser observados pelos (i) Administradores

Leia mais

1. Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social:

1. Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo conselho de administração (conforme Anexo 30-XXXII da ICVM 480) 1. Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE COMPANHIA ABERTA

CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE COMPANHIA ABERTA CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A. CNPJ/MF nº 42.771.949/0001-35 NIRE 31.300.096.246 COMPANHIA ABERTA ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 20 DE MARÇO DE 2017 Data, Horário e Local:

Leia mais

PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA OU SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES(Portuguese only)

PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA OU SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES(Portuguese only) PLANO DE OUTORGA DE OPÇÃO DE COMPRA OU SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES(Portuguese only) MARCOPOLO S.A. CNPJ nº 88.611.835/0001-29 NIRE nº 43300007235 Companhia Aberta ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA

Leia mais

Unidade III CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA. Prof. Carlos Barretto

Unidade III CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA. Prof. Carlos Barretto Unidade III CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA Prof. Carlos Barretto Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: enfatizar a consciência ética

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS

AVISO AOS ACIONISTAS COMPANHIA VALE DO RIO DOCE COMPANHIA ABERTA CNPJ 33.592.510/0001-54 CAEMI MINERAÇÃO E METALURGIA S.A COMPANHIA ABERTA CNPJ 31.865.728/0001-00 AVISO AOS ACIONISTAS As administrações da COMPANHIA VALE DO

Leia mais

Política de Negociação POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA AES TIETÊ S.A ( POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO )

Política de Negociação POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA AES TIETÊ S.A ( POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO ) Política de Negociação POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA AES TIETÊ S.A ( POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO ) I - OBJETIVO 1.1. A presente Política de Negociação tem por finalidade registrar

Leia mais