Agenda. F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agenda. F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act"

Transcrição

1 Agenda F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act Panorama Geral Cronograma Questões Jurídicas no Brasil Repercussões Internacionais e Acordos Internacionais (IGA) O que fazer? 2

2 O que é o FATCA Principais Regras Aplicáveis Objetivo Como Onde O que FATCA 3 EUA conhecer/checar contas no exterior de US persons Exigindo 30% de imposto sobre renda e principal de instituição financeira estrangeira que não aderir. Imposto incidirá sobre valores recebidos dos EUA e, a partir de 2017m também de outras instituições participantes do FATCA no exterior e até no Brasil. Para evitar as retenções, instituição aderente deve identificar US person, pedir autorização para informar dados bancários e cadastrais aos EUA, reportar dados, ou deve encerrar contas/recusar-se a abrir ou ainda deve computar e reter tributo nos EUA sobre valores pagos a esses beneficiários

3 Repercussões de ser NPFFI ou LFFI Diretamente previstas na norma: Retenção de 30% sobre rendimentos fixos ou determinados periódicos auferidos em aplicações realizadas nos EUA a partir de janeiro de No futuro retenção sobre outros rendimentos, ganhos de capital e valor principal de aplicações financeiras nos EUA e sobre passthru payments. Necessidade de documentar operações realizadas com PFFI, DCFFI, USFI, inclusive quando se tratar de intermediação de operações realizadas para clientes. Decorrência da prática de mercado: Dificuldades competitivas especialmente na prestação de serviços de intermediação, colocação e/ou custódia de títulos e valores mobiliários em relação a PFFI, DCFFI, e USFI. FATCA 4

4 Cronograma FATCA 5

5 Cronograma FATCA 6 Evento Data Anterior Data Atual Evento Esperado 1 25-out abr-14 Data limite para assinatura de acordo FATCA para que número GIIN seja publicado na primeira lista em junho 2 31-dez jun-14 Data de início de validade do acordo FATCA 3 1-jan-14 1-jul-14 Corte para definir "grandfathered obligations" e respectivas garantias emitidas por fontes pagadoras dos EUA 4 dez-13 2-jun-14 Data da publicação da primeira lista mensal de GIIN para PFFI/DCFFI já registradas 5 31-dez jun-14 Corte para definir clientes antigos ou clientes novos 6 31-dez-13 1-jul-14 Novos documentos de abertura de contas e relacionamentos prontos para serem usados a partir de jul/14. Procedimentos de diligência novos clientes finalizados 7 1-jan-14 1-jul-14 Retenções sobre rendimentos fixos, determinados, anuais e periódicos (FDAP) de fontes dos EUA pagos a NPFFI 8 30-jun dez-14 Prazo para diligência de FFI e Prima Facie FFI (Classificadas como Financeiras/Fundos/Veículos de Investimento pelo Objeto Social/CNAE/Nome) 9 1-jul-14 1-jan-15 Retenções sobre EUA FDAP pagos a Prima Facie FFI, caso ainda não tenha sido completada diligência jan-15 1-jan-15 Prazo limite para obter GIIN de instituições localizadas em países com IGA Modelo dez jun-15 Diligência completa para contas de pessoa física acima de US$ 1 MM mar mar-15 Início de reportes anuais, tendo como referência dez jun-16 Diligência completa para demais contas de pessoa física dez jun-16 Diligência completa para contas de pessoa jurídica 15 mar/cada ano mar/cada ano Reportes anuais, tendo como referência do ano anterior

6 Questões Jurídicas no Brasil FATCA The Latest 7 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US

7 Obrigações das PFFI e Questões Jurídicas Identificar Clientes Pedir Quebra do Sigilo Recusar-se a Abrir Contas Possível Possível Discussões Jurídicas Classificar conta como recalcitrante Encerrar ou transferir contas recalcitrantes Reter IR em favor dos EUA quando aplicável Possível Impedimentos legais Discussões Jurídicas Possível 1a. Fase: aplicável quando PFFI Brasileira intermediar investimento nos EUA Bloquear conta, vender/transferir investimentos sujeitos ao IR Impedimentos legais Uma das obrigações da PFFI é reduzir significativamente, ao longo do tempo, o número de contas recalcitrantes. Caso a PFFI não faça isso, dá-se o evento de descumprimento contratual. FATCA 8

8 Outras Obrigações das PFFI Ao invés de encerrar contas a instituição financeira pode bloquear tais contas para novos investimentos ou alteração na composição de investimentos. Discussão acerca da necessidade de bloquear também para resgates parciais. Possibilidade de bloquear resgates parciais apenas no caso de investimentos sujeitos à retenção de IR US, quando não houver tal retenção. FATCA 9

9 Eventos de Descumprimento Acordo FFI Não obter autorização para quebra de sigilo por parte de US Persons e não fechar/transferir contas. Não reduzir, ao longo do tempo, o número de contas recalcitrantes. Não bloquear, encerrar ou transferir a conta sujeita à tributação nos EUA e deixar de reter o tributo devido. Deixar de ter ou manter um programa de governança corporativa para atender às obrigações da PFFI conforme acordo com IRS e deixar de fazer revisões periódicas do cumprimento desse programa e das respectivas obrigações. Deixar de tomar atitudes corretivas para remediar o descumprimento do programa de governança uma vez que esse descumprimento e o respectivo plano corretivo tenham sido reportados ao IRS. Deixar de fazer as certificações iniciais e periódicas exigidas pelo FATCA. Pedir reembolso indevido de retenções de tributos em benefício de terceiros. Não cooperar com os pedidos de mais informações efetuados pelo IRS ou apresentar incorretas com intuito doloso/fraudulento. Patrocinar, promover e distribuir (sem a respectiva custódia) títulos ou valores mobiliários de um fundo que é uma FFI Local. FATCA 10

10 Como implementar FATCA no mercado brasileiro? Obrigações de rejeitar investimentos, encerrar contas ou bloquear investimentos. Caso especial dos fundos. Dilema dos títulos e valores mobiliários negociados no mercado de bolsa e balcão organizado. Resolução 2.689/00. FATCA 11

11 Repercussões Internacionais & IGA FATCA The Latest 12 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US 2011 Baker & McKenzie 12

12 Tratados Internacionais Para mitigar conflitos jurídicos e estimular a troca bilateral de informações vários países demonstraram interesse em firmar, com os EUA, acordos de troca de informação. EUA divulgaram 3 modelos de tratados internacionais: Intergovernmental Agreement to Improve Tax Compliance and Implement FATCA (IGA) Modelo 1A Recíproco (TIEA/DTC pré-existente ou não) Modelo 1B Não Recíproco (TIEA/DTC pré-existente ou não) Modelo 2 (TIEA/DTC pré-existente ou não)

13 Tratados Internacionais Países que firmaram IGA Modelo 1: Dinamarca Alemanha Irlanda México Noruega Espanha Reino Unido Cayman Países que firmaram IGA Modelo 2: Japão Suíça

14 Tratados Internacionais Países em estágio avançado de negociação de IGA: Finlândia, França, Holanda, Itália, Canadá, Guernsey, Jersey, Isle of Man. Países que iniciaram negociação sobre IGA: Argentina, Austrália, Bélgica, Bermuda, Brasil, BVI, Chile, Cyprus, República Tcheca, Estônia, Hungria, Índia, Israel, Líbano, Liechtenstein, Luxemburgo, Malásia, Malta, Nova Zelândia, România, Rússia, Seychelles, Singapura, África do Sul, Coréia do Sul, Suécia

15 Efeitos do IGA Modelo 1 FATCA 16 Atividade Com IGA Sem IGA Diligência de PF e PJ Sim Sim Diligência de investidor e contraparte estrangeiros Sim Sim Diligência de instituições financeiras brasileiras Simplificada Completa Ajuste em relações interbancárias/interfinanceiras / serviços a fundos/mercado de capitais Seguirá legislação brasileira Quebra de sigilo financeiro Observar LC 105. Presunção de constitucionalidade do IGA/TIEA Necessário negociar bilateralmente Necessária autorização expressa da contraparte Segurança jurídica Maior Inexistente

16 O que fazer? FATCA The Latest 17 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US 2011 Baker & McKenzie 17

17 Falso FATCA The Latest 18 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US 2011 Baker & McKenzie 18

18 Minha instituição financeira não será afetada pois não investe nos EUA. Se o Brasil assinar IGA, não teremos que fazer nada em relação ao FATCA. Não posso implantar o FATCA por problemas jurídicos no Brasil.

19 Verdadeiro FATCA The Latest 20 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US 2011 Baker & McKenzie 20

20 O que fazer em 2013 e primeiro semestre 2014? Decisão estratégica (aderir ou não aderir) Formação de equipe FATCA e indicação de FATCA Officer Implantação de programa geral de compliance e treinamento para certificação FATCA Implantação de processos específicos para adequação FATCA Identificação de produtos/contratos sujeitos à revisão de procedimentos FATCA (interface com clientes, correspondentes e instituições financeiras em operações de captação ou derivativos e prestação de serviços a fundos). Análise, classificação e preparação de entidades Revisão de onboarding pessoa física e pessoa jurídica residentes Revisão de onboarding não residentes Revisão de cadastro de instituição financeira (estrangeira e brasileira) Revisão e preparação da estrutura de negócios (e de contratos) e de entidades na área de fundos (em parte a implantação pode ser em 2014) Planejamento de produtos/contratos de operações de tesouraria, com correspondentes, distribuidores, agentes, operações interbancárias (em parte a implantação fica em 2014) Criação de procedimentos para FATCA e monitoramento de contas e relacionamentos Estabelecimento de cronograma e macro-processos para diligência de contas e relacionamentos Estrutura de sistemas e repositório de dados para reporte (2014) FATCA 21

21 Glossário FATCA The Latest 22 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US 2011 Baker & McKenzie 22

22 EAG A expressão EAG significa uma ou mais entidades vinculada(s) pelo controle societário ou patrimonial direto ou indireto comum de uma terceira empresa controladora comum. Fica caracterizado o EAG quando: (i) um grupo de empresas for direta ou indiretamente substancialmente detido por uma sociedade controladora comum e (ii) individualmente, passem pelo teste de titularidade de 50%, o que ocorre se as outras entidades do grupo, junto com a sociedade controladora, detiverem direta ou indiretamente mais de - 50% do poder de voto na entidade considerada e - 50% do valor patrimonial total dessa entidade individualmente considerada. Uma carteira fiduciária, associação ou qualquer outra entidade (que não uma pessoa jurídica com sócios ou acionistas) também deverá ser tratada como membro de um grupo afiliado expandido se as outras entidades do grupo detiverem, direta ou indiretamente, mais de 50% de ações preferenciais ou dos direitos de distribuição nessa entidade. FATCA 23

23 US Person A expressão ''pessoa dos EUA'' (US Person) significa: Um cidadão norte-americano, que, em geral, atende às seguintes características: Um indivíduo que nasceu em qualquer lugar dos EUA ou de seus territórios, Indivíduos da Samoa americana ou das Ilhas Swain também são considerados cidadãos norte-americanos. Um indivíduo que nasceu em outro país e a quem foi concedida cidadania norte-americana através de processo de naturalização também é um cidadão norte-americano. Há pessoas que possuem cidadania derivada que é baseada na cidadania norte-americana de seus pais. Se um indivíduo nasceu no exterior e ao menos um dos pais biológicos era um cidadão nascido norte-americano no momento do nascimento da criança e tinha morado nos EUA a qualquer momento antes do nascimento, o indivíduo possui cidadania derivada. Um indivíduo nascido no exterior também possui cidadania derivada quando ambos os pais são naturalizados para a cidadania norte-americana antes de a criança atingir os 18 anos de idade. FATCA 24

24 US Person Um residente fiscal nos EUA, que é em geral: Teste do green card: qualquer pessoa que possua um green card (cartão de registro de estrangeiro, Formulário I-551), desde o ano no qual tal pessoa se tornar um Residente Permanente Legal. Teste de presença substancial: uma pessoa pode se tornar residente nos EUA para fins tributários a qualquer momento do ano se atender ao teste de presença substancial para aquele ano estando fisicamente presente nos EUA por pelo menos: 31 dias durante o ano corrente, e 183 dias durante o triênio que inclui o ano corrente e os dois imediatamente anteriores, contando: todos os dias em que a pessoa esteve presente no ano corrente, 1/3 dos dias em que a pessoa esteve presente no primeiro ano anterior ao corrente, e 1/6 dos dias em que a pessoa esteve presente no segundo ano anterior ao corrente. Há algumas exceções para o teste de presença substancial: pessoas que apresentaram formulário específico requerendo exceções na contagem de dias e que são indivíduos relacionados a governos estrangeiros; professores, trainees ou estudantes com vistos F, J, M, ou Q ; atletas profissionais estrangeiros em eventos esportivos de caridade. Indivíduos que optaram por ser tratados como residentes nos EUA. FATCA 25

25 FATCA 26 Instituições Financeiras Excetuadas e Presumidamente Aderentes (DCFFI)

26 Conceito de Instituição Financeira Administrada profissionalmente para desenvolver atividade financeira, de seguros e serviços de gestão e administração de recursos. Empresas de compensação de pagamentos que não custodiem investimentos ou realizem depósitos e empréstimos não são instituições financeiras. Situação das empresas de acquire e interchange na indústria de cartões. Gestores de investimento são instituições financeiras de investimento. Exemplo inclui até consultoria de investimentos! 5 tipos: Entidades de Depósito Entidades de Custódia (20% ou mais do lucro bruto advém dessa atividade) Entidades de Investimento (50% ou mais do lucro advém dessa atividade) Seguradoras e suas Holdings Holding Companies e Treasury Centers que são parte de um grupo financeiro FATCA 27

27 Nova Exceção ao Conceito de FFI São NFFE e não FFI: Entidades sem fins lucrativos. Entidades que não exerceram atividades financeiras e que estejam em fase de liquidação ou falência. Seguradoras que não administrem planos de pensão, não ofereçam seguros com reserva matemática ou investimentos atrelados (cash value insurances) ou não ofereçam seguros com anuidades. Entidades passivas que fazem parte de grupos financeiros mas não possuem atividades operacionais relevantes, captam recursos apenas com empresas do grupo e aplicam também apenas com empresas do grupo. Não intermedeiam investimentos para terceiros e outras instituições financeiras. Não se comprometem a cumprir FATCA por conta de de terceiros. FATCA 28

28 Novas Categorias de FFI Isenta Qualquer entidade detida exclusivamente por FFI Isentas. Governos e organismos internacionais, desde que não realizem atividades com cunho comercial. Os fundos de pensão que se beneficiam da isenção do FATCA foram ampliados: Fundos abertos com público amplo (comunidade em geral atendidas algumas condições específicas quanto ao fundo) Fundos com público restrito (comunidade de empregados) Entidades que se assemelhem aos fundos incentivados nos EUA (IRC Seção 401(a)) Pagamentos a FFI Isentas ou DCFFI deverão submeter-se a diligência FATCA sempre que tal entidade estiver atuando como intermediária em benefício de terceiro para realização de investimentos nos EUA. A PFFI deverá receber as informações do terceiro para fins de diligência e reporte FATCA. FATCA 29

29 Escopo Antigo x Novo DCFFI DCFFI Registradas Instituições locais Membros de EAG Resumo de condições Operações locais. Titulares locais. Retêm tributos no local. Não operam com NPFFI, NFFE, não residentes. 98% das contas são de residentes no local. Local = País ou UE. Obrigação de boa diligência e transferência de NPFFI e pessoas dos EUA para outra PFFI ou USFI do mesmo grupo em 90 dias de sua identificação. Veículos Qualificados Quotistas PFFI, DCFFI, entidades isentas ou excetuadas do FATCA. Fundos restritos Cooperação FATCA Entidades Patrocinadas Distribuídos por PFFI, DCFFI. Vedação expressa para a venda de cotas a pessoas dos EUA, NPFFI, NFFE passivas não excetuadas do FATCA. Expulsão de irregulares. França, Inglaterra, Alemanha, Espanha e Itália, outros que venham a firmar acordo Modelo 1 ou 2 Podem ser fundos de investimento e outras FFI de investimento, com poucos quotistas/titulares ou não, bem como subsidiárias integrais. DCFFI Certificadas Bancos locais Previdência Caridade Operações locais. Ativos totais do banco < US$ 175 MM. Ativos EAG < US$ 500 MM. Somente empregadores/empregados/governos. Contribuições referenciadas à remuneração. Concentração um só indivíduo < 5%. Comunidade de empregados, exempregados e beneficiários indicados. Isenção fiscal na carteira do plano. Conceito brasileiro atende à definição. Instituições pequenas Contas do EAG < US$ 50 mil. Ativos do EAG < US$ 50 MM Titular Documentado FATCA 30 Sem FFI afiliada. Títulos de dívida < US$ 50 mil. Acordo com PFFI para reportar titulares.

30 FATCA 31 NFFE

31 NFFE Qualquer entidade que não exerça atividade de instituição financeira profissionalmente será considerada não financeira, podendo consistir em empresa ativamente engajada em atividade mercantil ou de prestação de serviços ou entidade passiva. Em princípio, NFFE Passiva é aquela que investe mais de 50% de seus ativos ou aufere mais de 50% de seu lucro bruto em atividades de aplicação financeira, royalties e aluguéis exceto no caso das empresas que exploram ativamente direitos autorais e imóveis com uso de funcionários, etc. Eyeball test: possível identificar instituições financeiras e não financeiras pelo CNAE, cadastros internos da instituição financeira. Quando a entidade que for necessariamente transparente para fins tributários nos EUA, a obrigação da PFFI é fazer a diligência como se fosse dos sócios (PF ou PJ) Na realidade do Brasil, é o caso das partnerships investidoras em Resolução 2.689/00 e outros tipos de sociedade brasileira cuja responsabilidade não seja limitada ao valor do capital investido. FATCA 32

32 NFFE Excetuadas Escopo sem Alteração Entidades sem fins lucrativos; Empresas puras de gestão de investimento, "holding que façam parte de grupos não financeiros; Empresas dedicadas à gestão de caixa, financiamento e hedging para empresas do mesmo grupo econômico não financeiro; Entidades sob procedimento de falência, reestruturação judicial ou administrativa, concordata, ou empresas que estão se recuperando desses procedimentos e que não tenham exercido atividade financeira; Entidades no início de suas atividades; Entidades que já estavam isentas ou não sujeitas à tributação F.A.T.C.A., incluindo aquelas NFFE localizadas em territórios e possessões dos E.U.A., aquelas cujos TVM são negociados regularmente em mercados organizados e as empresas do mesmo EAG das entidades cujos TVM são negociados regularmente em mercados organizados; Novo conceito de regularmente negociadas em mercados organizados: (i) mais de 50% do direito de voto ou do capital listado em bolsa/mercado organizado, negociações em 60 dias no ano-calendário anterior, volume negociado > 10% volume listado; ou (ii) listada em bolsa/mercado organizado dos EUA; ou (iii) com distribuidor market maker. Entidades ativamente engajadas no comércio de bens ou na prestação de serviços, definidas como aquelas que possuam menos de 50% de seus ativos ou de seu lucro bruto no ano anterior provenientes de aplicações financeiras, de anuidades, ou ainda de investimentos imobiliários ou propriedade intelectual, nesses dois últimos casos quando detidos de forma passiva, ou seja, sem que o envolvimento de seus empregados seja essencial para a geração da renda; WP e WT, que serão tratadas para fins de F.A.T.C.A. como FFI. Condição: empresas excetuadas não podem ser sócias de instituições financeiras e veículos de investimento não excetuados do F.A.T.C.A. FATCA 33

33 FATCA 34 Conceito de Contas Novas ou Antigas

34 Contas novas ou antigas Classificação por relacionamento/cliente e não por conta/produto Se um mesmo cliente já for cliente da PFFI em , qualquer conta ou investimento do cliente será tratada como uma obrigação antiga, ainda que sejam abertas novas contas ou feitos novos investimentos posteriormente. Tal conceito pode estender-se a contas dentro do mesmo EAG ou ainda entre a PFFI e as entidades patrocinadas (Sponsored FFI), incluindo por exemplo os fundos patrocinados para fins de FATCA pela PFFI. Algumas condições que precisam ser atendidas. FATCA 35

35 Contas novas ou antigas - condições Condições que precisam ser atendidas para usar o conceito de conta nova ou antiga pela consolidação de todas as contas e investimentos: A PFFI deve calcular os valores das contas (US$ 50 mil, US$ 250 mil ou US$ 1 milhão), para fins de diligência, pela soma de todas as contas/investimentos. O procedimento de acompanhamento de dados e indícios deve capturar os dados cadastrais de todas as contas/investimentos e inclusive os documentos de todas as contas quando necessário. As informações cadastrais e os documentos de diligência devem ser compartilhados entre todas as contas/investimentos devendo haver um sistema comum/compartilhado para acompanhamento e armazenagem de dados. Os profissionais responsáveis pelo acompanhamento das contas devem ter acesso fácil às informações cadastrais das demais contas via sistema e os profissionais responsáveis pelo cadastro devem poder cadastrar dados no sistema e informar indícios localizados. Se o IRS solicitar, as informações de diligência devem ser informadas a ele, considerando todas as contas consolidadas. FATCA 36

36 Contatos e Informações sobre Trench, Rossi e Watanabe FATCA The Latest 37 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US

37 FATCA Contato no Brasil Lavinia Moraes de Almeida Nogueira Junqueira FATCA 38

38 FATCA 39 Este material consiste em um sumário não exaustivo e meramente informativo que visa contextualizar as principais regras trazidas pela regulamentação final do F.A.T.C.A. expedida pelo IRS em janeiro de 2013 em relação às informações anteriormente disponíveis na proposta de regulamentação. Nos termos dos requisitos sobre práticas perante o IRS, as informações aqui não refletem uma opinião legal ou tributária. Assim, o presente material não poderá ser usado com o fim de evitar penalidades impostas pela legislação dos Estados Unidos ou para promoção ou recomendação para qualquer instituição financeira relacionada a uma situação fática. As regras F.A.T.C.A. atuais e seus conceitos são amplos. O resumo apresentado neste material pode não coincidir com o entendimento da autoridade competente e não vincula o seu posicionamento ou decisão. O conteúdo deste material estará sujeito a alteração posterior por informações publicamente disponíveis acerca do entendimento de qualquer autoridade competente ou de uma nova legislação. Não assumimos o compromisso de atualizar este material específico face às futuras alterações de lei ou entendimento. O presente material foi preparado para conhecimento de FEBRABAN e bancos associados. As instituições financeiras associadas à FEBRABAN não devem adotar o conteúdo deste material sem antes obter assessoria legal e de governança específica para sua situação.

FATCA Próximos Passos

FATCA Próximos Passos FATCA Próximos Passos Falso FATCA The Latest 2 News on FATCA and Voluntary Disclosure Rules in the US 2011 Baker & McKenzie 2 Qual o impacto do FATCA? Minha instituição financeira não será afetada pois

Leia mais

FATCA - Foreign Account Tax Compliance Act

FATCA - Foreign Account Tax Compliance Act FATCA - Foreign Account Tax Compliance Act CARTILHA PARA CLIENTES Julho de 2014 Breve descrição sobre a legislação norte-americana denominada FATCA (Foreign Account Tax Compliance Act) formulada para combater

Leia mais

F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act Apresentação à ABBC

F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act Apresentação à ABBC F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act Apresentação à ABBC Fevereiro/2013 OVERVIEW: HISTÓRICO, FFIS, IMPOSTO NA FONTE, US PERSONS. HISTÓRICO ALVO: FAT CATS. Resposta aos escândalos, envolvendo diversos

Leia mais

F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act

F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act F.A.T.C.A. Foreign Account Tax Compliance Act Apresentação à ABBC Março, 2012 Agenda Questões Jurídicas - FATCA Panorama FATCA Balanço de Novidades e Cronograma Novo Escopo FATCA Alterações nos Procedimentos

Leia mais

ATO DE CONFORMIDADE FISCAL DE CONTAS ESTRANGEIRAS (FATCA)

ATO DE CONFORMIDADE FISCAL DE CONTAS ESTRANGEIRAS (FATCA) ATO DE CONFORMIDADE FISCAL DE CONTAS ESTRANGEIRAS (FATCA) ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Declaração de Entidade Não Financeira Ativa Uso exclusivo do banco Cliente: CNPJ: Endereço do Cliente: Pela presente,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2689. I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução;

RESOLUÇÃO Nº 2689. I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução; RESOLUÇÃO Nº 2689 Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais.

Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. RESOLUCAO 2.689 --------------- Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro

Leia mais

ConJur - Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados

ConJur - Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados Página 1 de 5 CONTAS NO EXTERIOR Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados 3 de setembro de 2015, 15h54 Por Brenno Grillo As trocas automáticas de informações financeiras entre os

Leia mais

MENSAGEM N 36, DE 2015

MENSAGEM N 36, DE 2015 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N 36, DE 2015 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo entre o Governo da República Federativa do

Leia mais

Compra de Imóvel nos EUA por Estrangeiro

Compra de Imóvel nos EUA por Estrangeiro 01.15.2015 Por Pieter A. Weyts e Jackson Hwu 1 Compra de Imóvel nos EUA por Estrangeiro Acontece diariamente em Miami e nos Estados Unidos: um residente estrangeiro pronto para fechar a compra de seu primeiro

Leia mais

Expatriados. Como lidar com os aspectos fiscais. Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil (CCIJB) Elisabeth Lewandowski Libertuci

Expatriados. Como lidar com os aspectos fiscais. Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil (CCIJB) Elisabeth Lewandowski Libertuci Expatriados Como lidar com os aspectos fiscais Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil (CCIJB) Elisabeth Lewandowski Libertuci 1 Residência Fiscal 2 Caracterização de Residência Fiscal Art. 2

Leia mais

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS)

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) África do Sul: Taxa predominante cobrada pelos bancos de contas garantidas prime. Alemanha: Taxa sobre crédito de conta-corrente de

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG S IMOBILIÁRIOS Luis Fellipe Maia Advogado Formado pela UFMG Sócio da Vivá Capital Membro do Conselho Diretor da Júnior Achievement/MG

Leia mais

PROTEÇÃO DE ATIVOS NUMA PLATAFORMA INTERNACIONAL & SUCESSÃO

PROTEÇÃO DE ATIVOS NUMA PLATAFORMA INTERNACIONAL & SUCESSÃO PROTEÇÃO DE ATIVOS NUMA PLATAFORMA INTERNACIONAL & SUCESSÃO FICÇÃO OU REALIDADE Louis Vuittonn Dior Givenchy Moet Chandon Veuve Clicquot Bulgari Etc = 28,1 bilhão NS Bernard Arnault dono da LVMH criou

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS

INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS IBCPF INSTITUTO BRASILEIRO DE CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS FINANCEIROS PORTO ALEGRE 09/04/2014 O CONTEÚDO DESTA APRESENTAÇÃO NÃO TEM O OBJETIVO

Leia mais

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS.

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS. CATEGORIA E RENDIMENTOS DE CAPITAIS Definem-se rendimentos de capitais, todos os frutos e demais vantagens económicas, qualquer que seja a sua natureza ou denominação, pecuniários ou em espécie, procedentes,

Leia mais

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Completa a transposição da Diretiva n.º 2003/49/CE, do Conselho, de 3 de junho de 2003, relativa a um regime fiscal comum aplicável aos pagamentos de juros e royalties efetuados entre sociedades associadas

Leia mais

Foreign Account Tax Compliance Act ( FATCA )

Foreign Account Tax Compliance Act ( FATCA ) Foreign Account Tax Compliance Act ( FATCA ) Atuação preventiva e detectiva das instituições financeiras no Brasil. Consultoria de Riscos Empresarias 07/2013 Visão Geral 1 Visão Geral 2 Algumas definições

Leia mais

Ficha Cadastral Pessoa Física

Ficha Cadastral Pessoa Física 1 - Identificação do Cliente CPF: Endereço Residencial: Número: Complemento Endereço Correspondência/Carnê Número: Complemento RG: Data de Expedição: UF: Órgão Emissor: Naturalidade: Data Nascimento: /

Leia mais

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO O QUE É? No Brasil um fundo de investimento possui a sua organização jurídica na forma de um condomínio de investidores, portanto o fundo de investimento possui um registro na Receita Federal (CNPJ) pois

Leia mais

RESOLUCAO 2.689. Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e capitais.

RESOLUCAO 2.689. Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e capitais. RESOLUCAO 2.689 Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9. da Lei n. 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO TRIBUTAÇÃO As informações apresentadas abaixo constituem um resumo das principais considerações fiscais da legislação brasileira que afetam o Fundo e seus investidores e não têm o propósito de ser uma

Leia mais

FATCA Foreign Account Tax Compliance Act. Junho de 2013

FATCA Foreign Account Tax Compliance Act. Junho de 2013 FATCA Foreign Account Tax Compliance Act Junho de 2013 Aprovação e objectivos Aspectos introdutórios Aprovado pelo Governo norte-americano a 18 de Março de 2010, como parte integrante do Hiring Incentives

Leia mais

FICHA CADASTRAL MIRAE ASSET

FICHA CADASTRAL MIRAE ASSET Código do cliente: FICHA CADASTRAL MIRAE ASSET Assessor: PESSOA JURÍDICA F.P07.003.06 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CLIENTE Razão Social Completa (sem abreviações) CNPJ Inscrição Estadual Nº Registro e Órgão

Leia mais

Como funcionam os fundos de investimentos

Como funcionam os fundos de investimentos Como funcionam os fundos de investimentos Fundos de Investimentos: são como condomínios, que reúnem recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS

TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS Lei (alterada) do Imposto sobre os Rendimentos de 2005 Lei (alterada) da Contribuição Especial para a Defesa de 2004 Lei (alterada)

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

FICHA CADASTRAL DE CLIENTE PESSOA FÍSICA

FICHA CADASTRAL DE CLIENTE PESSOA FÍSICA Código do Distribuidor (uso interno): FICHA CADASTRAL DE CLIENTE PESSOA FÍSICA Código do Cliente (uso interno): Parte I Dados do Titular (1) Nome do Investidor: Data de Nascimento: Nacionalidade: Local

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em fevereiro de 2009 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário Aplicação no mercado imobiliário sem investir diretamente em imóveis O produto O Fundo de Investimento

Leia mais

PwC Brasil FATCA Newsalert

PwC Brasil FATCA Newsalert www.pwc.com.br 19 de julho de 2012 Como a regulamentação proposta do FATCA afeta os asset managers? Em 8 de fevereiro de 2012, foi divulgada a tão esperada regulamentação proposta sobre o Foreign Account

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

Regulação de Fundos de Investimento

Regulação de Fundos de Investimento Regulação de Fundos de Investimento Reações à crise de 2008, novidades e desafios Francisco Santos Superintendente de Relações com Investidores Institucionais 6º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01.

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01. Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : 100 110 111 111.01 111.02 111.03 111.04 111.05 111.06 111.07 111.08 111.90 111.90.01 111.91 111.91.01 111.91.02 111.91.03 111.91.04 111.91.05 111.91.06 111.91.07

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010 Fundos de Investimento Imobiliário 09 de abril de 2010 Introdução Histórico No Brasil, os fundos imobiliários foram inspirados nos Real Estate Investment Trusts americanos, tendo sido constituídos na forma

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) EURO IMPOSTO Em todas as Bolsas 12,00 IVA

CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) EURO IMPOSTO Em todas as Bolsas 12,00 IVA 1. CONTAS DE TÍTULOS CUSTÓDIA (POR SEMESTRE OU NA DATA DA LIQUIDAÇÃO DA CONTA TÍTULO) (*) Em todas as Bolsas 12,00 (*) - Aplicável a todas as Contas Títulos com saldo médio diário superior a zero unidades

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

Incentivos Fiscais na Emissão de Debêntures - Lei nº 12.431/2011. Fernando Tonanni. 16 de Agosto de 2011

Incentivos Fiscais na Emissão de Debêntures - Lei nº 12.431/2011. Fernando Tonanni. 16 de Agosto de 2011 Incentivos Fiscais na Emissão de Debêntures - Lei nº 12.431/2011 Fernando Tonanni 16 de Agosto de 2011 1 A Lei nº 12.431/2011 Publicada em 27 de junho de 2011; conversão em Lei da Medida Provisória nº

Leia mais

Workshop Requisitos Normativos

Workshop Requisitos Normativos Workshop Requisitos Normativos BM&FBOVESPA Supervisão de Mercados (BSM) Diretoria de Autorregulação 28 e 29 de maio de 2012 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO: CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO X

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Endereço do Administrador do COTISTA (Rua, Avenida, Praça, etc.) Número Complemento Bairro CEP

Endereço do Administrador do COTISTA (Rua, Avenida, Praça, etc.) Número Complemento Bairro CEP Cadastro Novo Alteração Cadastral Renovação Cadastral DADOS CADASTRAIS DO FUNDO DE INVESTIMENTO (COTISTA) Nome do COTISTA do COTISTA Razão Social do Administrador do COTISTA do Administrador do COTISTA

Leia mais

E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS

E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS No último dia 3, a Receita Federal do Brasil ("RFB") expediu a Instrução Normativa ("IN/RFB") nº 1.571/2015, instituindo a

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL JANEO 2013 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL MEDIDA PROVISÓRIA 601/2012: BENEFÍCIOS FISCAIS DE FIDCS DE PROJETOS DE INVESTIMENTO (INCLUSIVE INFRAESTRUTURA) A. Introdução 1. A fim de aprimorar os

Leia mais

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE)

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) 1. O depósito criado pela Resolução 3.692/09 do CMN é um RDB (Recibo de Depósito Bancário) ou um CDB (Certificado de Depósito Bancário)? R. É um Depósito

Leia mais

INSS Diretoria de Benefícios

INSS Diretoria de Benefícios IV CONFERÊNCIA BRASILEIROS NO MUNDO INSS Diretoria de Benefícios Praia do Forte, 20 de novembro de 2013 ACORDOS INTERNACIONAIS Globalização Principais objetivos ou finalidades dos Acordos Internacionais

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL Valdery Albuquerque 2ª Conferência Internacional de Crédito Imobiliário De 17 a 19 de março de 2010 Índice 1. Conceitos e Características

Leia mais

La Supervisión de los Custodios en Brasil. Aspectos Legales

La Supervisión de los Custodios en Brasil. Aspectos Legales La Supervisión de los Custodios en Brasil Aspectos Legales CVM Competência Legal Lei nº 6.385/76 - Dispõe sobre o Mercado de Valores Mobiliários e Cria a Comissão de Valores Mobiliários. Art. 1º Serão

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO CAPITAL SEGURO ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

FATCA - PERGUNTAS FREQUENTES JULHO DE 2014

FATCA - PERGUNTAS FREQUENTES JULHO DE 2014 Generali Portugal FATCA - PERGUNTAS FREQUENTES JULHO DE 2014 DIRECÇÃO DE CONTROLO INTERNO, GESTÃO DE RISCOS E COMPLIANCE generali.com FATCA - Perguntas Frequentes 2 ÍNDICE FATCA Perguntas Frequentes...

Leia mais

p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e

p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e Confiança Global A Trident Trust é um dos principais fornecedores independentes de serviços corporativos, de trust e de fundos

Leia mais

a) Prova da inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica; b) Certidão negativa de débitos junto à Seguridade social; 1

a) Prova da inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica; b) Certidão negativa de débitos junto à Seguridade social; 1 Regulamento para Cadastramento de Instituições Financeiras e similares, sociedade corretoras e Distribuidoras, Gestoras e Administradoras de Títulos e Valores Mobiliários junto à ORGANIZAÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

RESOLUÇÃO 3.922 -------------------------

RESOLUÇÃO 3.922 ------------------------- RESOLUÇÃO 3.922 ------------------------- Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central

Leia mais

Transparência Fiscal TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS

Transparência Fiscal TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS Transparência Fiscal TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS Troca automática de informações Uma verdadeira revolução está em curso relativamente à troca de informações financeiras em matéria fiscal.

Leia mais

Regulatory Practice Insurance News

Regulatory Practice Insurance News kpmg Agosto 2005 SUSEP SETOR DE APOIO REGULAMENTAR (SAR) Regulatory Practice Insurance News FINANCIAL SERVICES Destaque do mês Aplicação de recursos Resolução CMN 3.308, de 31.08.2005 Alteração A Resolução

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários Instrumento de captação de recursos e de investimentos no mercado imobiliário O produto O Certificado

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Pilar 3

Gerenciamento de Riscos Pilar 3 Gerenciamento de Riscos Pilar 3 2º Trimestre de 2014 ÍNDICE I - INTRODUÇÃO 3 II OBJETIVO 3 III PERFIL CORPORATIVO 3 IV GOVERNANÇA CORPORATIVA 4 V RISCO DE CRÉDITO 4 VI RISCO DE MERCADO 5 VII RISCO DE LIQUIDEZ

Leia mais

Capital/Bolsa Capital/ Balcão. Mesmas informações para os 2 últimos exercícios

Capital/Bolsa Capital/ Balcão. Mesmas informações para os 2 últimos exercícios Identificação das pessoas responsáveis pelo formulário Capital/Bolsa Capital/ Balcão Declaração do Presidente e do Diretor de Relação com Investidores Dívida / Investimento Coletivo IAN Apenas informações

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) Março 2011 GLOSSÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

15 Impostos ぜ い き ん 1 Impostos Nacionais Residentes e Não residentes

15 Impostos ぜ い き ん 1 Impostos Nacionais Residentes e Não residentes 15.Impostos ぜい きん 税 金 Os residentes no Japão por período superior a 1 ano, mesmo os de nacionalidade estrangeira, são obrigados a recolher impostos da mesma forma que os cidadãos japoneses caso recebam

Leia mais

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Julho/2008 Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Principal instrumento de captação de recursos de médio e longo prazos, a debênture representa para muitas companhias a porta de entrada no mercado

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Cotas de Fundos de Investimento em Ações - FIA Mais uma alternativa na diversificação da carteira de investimento em ações O produto O Fundo

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS. Pilar III Basiléia

GERENCIAMENTO DE RISCOS. Pilar III Basiléia GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III Basiléia 3º Trimestre 2015 ÍNDICE I - INTRODUÇÃO 3 II OBJETIVO 3 III PERFIL CORPORATIVO 3 IV GOVERNANÇA CORPORATIVA 4 V RISCO DE CRÉDITO 4 VI RISCO DE MERCADO 5 VII RISCO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Mercado de Capitais 18/08/2015

Mercado de Capitais 18/08/2015 Mercado de Capitais 18/08/2015 O que é Cetip? CTIP3; Novo Mercado; Integradora do mercado financeiro; Utiliza a tecnologia para oferecer serviços de infraestrutura; Maior depositária de títulos de renda

Leia mais

FICHA PROPOSTA DE ABERTURA DE CONTA E ADESÃO A PRODUTOS E SERVIÇOS PESSOA JURÍDICA

FICHA PROPOSTA DE ABERTURA DE CONTA E ADESÃO A PRODUTOS E SERVIÇOS PESSOA JURÍDICA FICHA PROPOSTA DE ABERTURA DE CONTA E ADESÃO A PRODUTOS E SERVIÇOS PESSOA JURÍDICA AGÊNCIA NÚMERO DA CONTA NÚMERO REFERENCIAL RESPONSÁVEL PELA CONTA PEP (PESSOA EXPOSTA POLITICAMENTE) NOME EMPRESARIAL

Leia mais

Depósito Centralizado, Custódia e Escrituração As novas regras vigentes a partir de julho 2014

Depósito Centralizado, Custódia e Escrituração As novas regras vigentes a partir de julho 2014 Depósito Centralizado, Custódia e Escrituração As novas regras vigentes a partir de julho 2014 Novas regras para depósito centralizado, custódia e escrituração Em 20/12/2013 a CVM editou as Instruções

Leia mais

COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS

COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS Uma verdadeira revolução está em curso relativamente à troca de informações financeiras em matéria fiscal. Até há muito

Leia mais

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A.

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA COMPANHIA EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 27 de abril de 2012

Leia mais

Política Institucional

Política Institucional ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DIRETRIZES E PRINCIPIOS... 2 4. PROCEDIMENTOS RELATIVOS A POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE... 3 5. PROCESSO DECISÓRIO DE VOTO... 3 6. MATÉRIAS OBRIGATÓRIAS...

Leia mais

Apresentação. Apresentação. Adesão ao Nível 1 de Governança Corporativa. Requisitos para Adesão ao Nível 1

Apresentação. Apresentação. Adesão ao Nível 1 de Governança Corporativa. Requisitos para Adesão ao Nível 1 Apresentação Apresentação Implantados em dezembro de 2000 pela Bolsa de Valores de São Paulo BOVESPA, o Novo Mercado e os Níveis Diferenciados de Governança Corporativa Nível 1 e Nível 2 são segmentos

Leia mais

PwC Brasil FATCA Newsalert

PwC Brasil FATCA Newsalert www.pwc.com.br A nova regulamentação proposta do FATCA: visão geral 19 de julho de 2012 Em 27 de outubro de 2009, membros do U.S. Senate Finance Committee e do U.S. Ways and Means Committee da Câmara de

Leia mais

IRPJ. Lucro Presumido

IRPJ. Lucro Presumido IRPJ Lucro Presumido 1 Características Forma simplificada; Antecipação de Receita; PJ não está obrigada ao lucro real; Opção: pagamento da primeira cota ou cota única trimestral; Trimestral; Nada impede

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015

Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015 Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015 As opiniões aqui expostas são de exclusiva responsabilidade do apresentador,

Leia mais

p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e

p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e Nossos Serviços A Trident Fund Services uma divisão do Grupo Trident Trust oferece aos patrocinadores de fundos um serviço de apoio

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS I DENOMINAÇÃO E OBJETIVO ARTIGO 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes grupos: as ações ordinárias e as ações preferenciais. As

Leia mais

Regra de Governança Corporativa da NYSE para Emissoras Norte-Americanas. Abordagem da Vale

Regra de Governança Corporativa da NYSE para Emissoras Norte-Americanas. Abordagem da Vale Comparação das práticas de governança corporativa adotadas pela VALE com aquelas adotadas pelas companhias norte-americanas em cumprimento às exigências da Bolsa de Valores de Nova Iorque De acordo com

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO Daniel Sposito Pastore Membro do Comitê de Assuntos Jurídicos da ANBIMA. I Estrutura Normativa CVM Contexto Regulatório Brasileiro Atual

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

Calendário fiscal 2014

Calendário fiscal 2014 www.pwc.pt/tax Uma compilação das principais obrigações fiscais e parafiscais de periodicidade regular das pessoas coletivas e das pessoas singulares A PwC Os conteúdos aqui apresentados são de natureza

Leia mais

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo)

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo) 1. Contexto operacional A Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), por força do disposto no regulamento anexo à Resolução no. 2.690, de 28 de janeiro de 2000, do Conselho Monetário Nacional, mantinha um

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CRI - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

MANUAL DE NORMAS CRI - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS MANUAL DE NORMAS - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS VERSÃO: 01/7/2008 2 / 11 MANUAL DE NORMAS - CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS

Leia mais

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO VERSÃO: 31/3/2011 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Certificado de Recebíveis do Agronegócio Instrumento de captação de recursos e de investimento no agronegócio O produto O Certificado de

Leia mais

Avaliação de Investimentos em Participações Societárias

Avaliação de Investimentos em Participações Societárias Avaliação de Investimentos em Participações Societárias CONTABILIDADE AVANÇADA I 7º Termo de Ciências Contábeis Profª MSc. Maria Cecilia Palácio Soares Regulamentação do Método da Equivalência Patrimonial

Leia mais

Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários. RB Capital DTVM

Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários. RB Capital DTVM Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários RB Capital DTVM Junho 2011 Objetivo Este instrumento normativo contém os procedimentos e controles internos da RB

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais