NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 16 - Dezembro/2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 16 - Dezembro/2010"

Transcrição

1 NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 16 - Dezembro/2010 Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia - Capítulo II - Infecção por HPV e Lesões HHV-Induzidas Prof. Dr. Flávio Zucchi - Formação médica: Universidade de Mogi das Cruzes (1976) - Especialidades: Ginecologia, Obstetrícia, Colposcopia, Laparoscopia - Título de Colposcopia e Patologia do Trato Genital Inferior pela FEBRASGO (1994) - Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO (1995) - Título de Mestre em Ginecologia pela UNIFESP (2000) - Laserterapia e Cirurgia de Alta Frequência no ambulatório de Imunossuprimidas da UNIFESP - Doutor em Medicina pela UNIFESP- EPM (2006) - Membro da FEBRASGO e da SOGESP - Coordenador do curso de Colposcopia do Cetrus fl Dra. Alessandra Mollo de Campos Machado - Formação Médica Santa Casa SP (1993) - Residência Médica em GO pela Santa Casa SP - Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO (1996) - Título de Qualifi cação em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia pela FEBRASGO ABG (1996) - Título de Mestre em Ginecologia e Obstetrícia pela UNIFESP EPM (2001) - Observer Fellowship Setor de Oncologia Ginecológica MGH (Massachusetts General Hospital) Harvard Medical Scholl (1999) - Professora do Curso de Colposcopia do Cetrus NEWS artigos CETRUS Dezembro/2010 Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia - Capítulo II

2 Infecção Por Hpv E Lesões Hpv Induzidas O Papilomavírus Humano (HPV) está envolvido na gênese da maior parte dos tumores epiteliais do trato genital inferior, em especial o câncer do colo uterino. Desta forma, lesões HPV induzidas podem ser consideradas precursoras do câncer cervical. Porém, nem todo epitélio infectado evolui para lesão pré maligna. A imunidade do hospedeiro, assim como a capacidade viral de induzir neoplasia são fatores fundamentais na evolução da infecção, que pode regredir espontaneamente, persistir ou progredir para neoplasia intraepitelial (NIC). Por outro lado, os denominados E 1 a E 8, de transcrição precoce, estão envolvidos diretamente na replicação viral e oncogênese. Mais especificamente, o gene E 6 bloqueia a P 53, inibindo o processo apoptótico e o E 8 ativa o gene do retinoblastoma, estimulando a proliferação viral, e desta forma, imortalizando o queratinócito. A infecção pelo HPV pode apresentar se de três maneiras: Latente, onde há a presença de DNA viral intracelular, porém, sem manifestação de doença; Sub clínica, onde há a manifestação viral e conseqüente alterações epiteliais, que somente podem ser detectadas através de propedêutica complementar, como a citologia oncologia e/ou a colposcopia. Clínica, onde existem lesões detectáveis à visão desarmada, como condilomas.

3 Condiloma clínico de vulva Condiloma perianal Condiloma de pênis

4 Condiloma de colo Após a infecção pelo HPV, a célula hospedeira pode iniciar o processo de replicação celular, com a imortalização do queratinócito, levando a um processo de neoplasia, e ocasionalmente, culminando em neoplasia intra epitelial, e mais tardiamente, no câncer invasor. Dependendo do tipo viral, imunidade do hospedeiro e outros co fatores de promoção e progressão da doença, a infecção pelo HPV pode regredir espontaneamente, persistir ou evoluir para lesão pré maligna. O diagnóstico das lesões HPV induzidas é sempre baseado na tríade citologia oncológica colposcopia anatomia patológica. O valor da citologia é o rastreamento das lesões. Tem alta especificidade, porém sensibilidade ao redor dos 60 a 70% em serviços de referência. Isso significa que achados positivos devam ser altamente valorizados, enquanto que citologias negativas não excluem doença. Já a colposcopia tem como objetivo dirigir a biópsia, ao localizar o epicentro da lesão. Por fim, a anatomia patológica analisa o produto da biópsia colposcopicamente dirigida e dá o resultado final.

5 As imagens abaixo demonstra lesões subclínicas de lesões HPV induzidas: Epitélio aceto reagente sobre epitélio endocervical, claramente iodo negativo ao teste de Schiller

6 Esta mesma paciente, ao teste de Schiller, mostrou imagens iodo claras em paredes vaginais, altamente sugestivas de lesões HPV induzidas.

7 O próximo caso mostra como a inspeção sob visão desarmada pode nos enganar: Aparentemente, á inspeção sob visão desarmada, somente mácula rubra O ácido acético a 3% mostrou franca aceto reação

8

9 A biópsia das áreas suspeitas mostrou lesão de alto grau.

10 A Imagem do Ensino. T Av. Jabaquara, 476 Vila Mariana São Paulo, SP NEWS artigos CETRUS Dezembro/2010 Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia - Capítulo II

Vírus DNA tumorais: PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) Testes inespecíficos:

Vírus DNA tumorais: PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) Testes inespecíficos: Vírus DNA tumorais: PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) Os vírus do papiloma humano são classificados na família Papillomaviridae, gênero Papilomavírus. São vírus envelopados, de simetria icosaédrica, com 72 capsômeros

Leia mais

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III?

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III? Microcarcinoma cervical-questões: : igual ao da NIC III? Yara Furtado Professora assistente da UNIRIO Médica do Ambulatório de Patologia Cervical do Instituto de Ginecologia da UFRJ FIGO Committee on Ginecologic

Leia mais

Nº 23 HPV NEILA MARIA DE GÓIS SPECK CNE TRATO GENITAL INFERIOR O HPV:

Nº 23 HPV NEILA MARIA DE GÓIS SPECK CNE TRATO GENITAL INFERIOR O HPV: Nº 23 HPV NEILA MARIA DE GÓIS SPECK CNE TRATO GENITAL INFERIOR O HPV: O papilomavirus humano (HPV) é um DNA vírus com forma icosaédrica, de 55 nm de diâmetro e composto por 8000 pares de base. O genoma

Leia mais

A RELAÇÃO DO VIRUS HPV COM O CANCER DE COLO DE ÚTERO

A RELAÇÃO DO VIRUS HPV COM O CANCER DE COLO DE ÚTERO A RELAÇÃO DO VIRUS HPV COM O CANCER DE COLO DE ÚTERO Adriane Policarpo Rose Guedes ¹; Priscila Trajano da Silva¹; Jeane Karla de Mendonça Mota². ¹Discente da Faculdade Maurício de Nassau, Campina Grande

Leia mais

Colpocitologia Oncótica Anormal na Gestação. O exame citopatológico da cérvice é ainda o método de rastreio por excelência

Colpocitologia Oncótica Anormal na Gestação. O exame citopatológico da cérvice é ainda o método de rastreio por excelência Colpocitologia Oncótica Anormal na Gestação José Eleutério Junior O exame citopatológico da cérvice é ainda o método de rastreio por excelência para detecção de lesões pré-malignas e malignas iniciais

Leia mais

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico O QUE É? HPV é a sigla em inglês para papilomavírus humano. É um vírus de grande relevância médica pelo fato de estar relacionado a praticamente 100% dos casos de câncer de colo do útero (um dos tipos

Leia mais

Patologia - orientações

Patologia - orientações Patologia - orientações Padronização para Patologistas e Ginecologistas Elaborado pelas Sociedades Brasileiras de Citopatologia, de Patologia, de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia, FEBRASGO,

Leia mais

TÍTULO DE QUALIFICAÇÃO EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR E COLPOSCOPIA.

TÍTULO DE QUALIFICAÇÃO EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR E COLPOSCOPIA. 1 TÍTULO DE QUALIFICAÇÃO EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR E COLPOSCOPIA. EDITAL DO CONCURSO 2015 DATA DAS PROVAS: 10 de outubro de 2015. LOCAL: Fortaleza/ CE, durante o XVIII Congresso Brasileiro

Leia mais

CA Colo uterino PROGRAMA DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE CÂNCER DE COLO DE ÚTERO. Enfa Dayse Amarílio. 3º Tipo de CA mais comum nas Mulheres

CA Colo uterino PROGRAMA DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE CÂNCER DE COLO DE ÚTERO. Enfa Dayse Amarílio. 3º Tipo de CA mais comum nas Mulheres PROGRAMA DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE CÂNCER DE COLO DE ÚTERO Enfa Dayse Amarílio CA Colo uterino 3º Tipo de CA mais comum nas Mulheres Tem início com displasias de leve a acentuada. É classificado como

Leia mais

NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 15 - Novembro/2010

NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 15 - Novembro/2010 NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 15 - Novembro/2010 Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia - Capítulo I - Prof. Dr. Flávio Zucchi - Formação médica: Universidade de Mogi das

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Neoplasias do colo do útero. Epidemiologia. Patologia

PALAVRAS-CHAVE Neoplasias do colo do útero. Epidemiologia. Patologia 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Consultar versão digital do programa. Imagem: Ad Médic PROGRAMA CIENTÍFICO

Consultar versão digital do programa. Imagem: Ad Médic PROGRAMA CIENTÍFICO Consultar versão digital do programa Imagem: Ad Médic PROGRAMA CIENTÍFICO Sexta-feira, 10 de fevereiro 13.00h Abertura do Secretariado 14.00-15.30h 14.00-14.30h 14.30-15.00h 15.00-15.30h 15.30-16.00h 16.00-16.30h

Leia mais

Yara Furtado Professora Adjunta UFRJ/UNIRIO Chefe do Ambulatório de Patologia Cervical IG/UFRJ e HUGG Presidente ABPTGIC Capítulo RJ Secretária

Yara Furtado Professora Adjunta UFRJ/UNIRIO Chefe do Ambulatório de Patologia Cervical IG/UFRJ e HUGG Presidente ABPTGIC Capítulo RJ Secretária Yara Furtado Professora Adjunta UFRJ/UNIRIO Chefe do Ambulatório de Patologia Cervical IG/UFRJ e HUGG Presidente ABPTGIC Capítulo RJ Secretária Adjunta ABPTGIC ASC-US e ASC-H Significado clínico Sistema

Leia mais

TÍTULO DE QUALIFICAÇÃO EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR E COLPOSCOPIA.

TÍTULO DE QUALIFICAÇÃO EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR E COLPOSCOPIA. 1 TÍTULO DE QUALIFICAÇÃO EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR E COLPOSCOPIA. EDITAL DO CONCURSO 2016 DATA DAS PROVAS: 5 de novembro de 2016. LOCAL: Centro de Convenções - João Pessoa - PB, durante o

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS 16 TÍTULO: REVISÃO DE CONCEITO CITOMORFOLÓGICO PARA DIAGNÓSTICO DE ADENOCARCINOMA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES

Leia mais

Papilomavirus humanos (HPV)

Papilomavirus humanos (HPV) Papilomavirus humanos (HPV) - Capsídio icosaédrico de 55-60 nm, sem envoltório - 72 capsômeros pentaméricos formados por 2 proteínas (cinco cópias de L1 fora, 1 L2 dentro) - Família Papillomaviridae, gênero

Leia mais

HPV E SUA INFLUÊNCIA NO CÂNCER DE COLO DE ÚTERO

HPV E SUA INFLUÊNCIA NO CÂNCER DE COLO DE ÚTERO HPV E SUA INFLUÊNCIA NO CÂNCER DE COLO DE ÚTERO Jader Iury de Souza Mercante Graduando em Fisioterapia, Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Rafaela Giuzeppe Rodrigues Graduanda em Fisioterapia,

Leia mais

Papilomavirus Humano (HPV)

Papilomavirus Humano (HPV) Papilomavirus Humano (HPV) Introdução O HPV é uma doença infecciosa, de transmissão freqüentemente sexual, cujo agente etiológico é um vírus DNA não cultivável do grupo papovírus. Atualmente são conhecidos

Leia mais

Patrícia Savio de A. Souza

Patrícia Savio de A. Souza BIOMARCADORES EM PATOLOGIA CERVICAL Patrícia Savio de A. Souza Departamento de Imunobiologia/ UFF Programa de Biologia Celular/ INCA Câncer Colo Uterino (CCU) Consequência da evolução de lesões precursoras

Leia mais

PRÁ-SABER DIGITAL: Informações de Interesse à Saúde SISCOLO Porto Alegre 2007

PRÁ-SABER DIGITAL: Informações de Interesse à Saúde SISCOLO Porto Alegre 2007 1 SISCOLO RELATÓRIO 2007 2 Prefeitura Municipal de Porto Alegre Prefeito José Fogaça Secretaria Municipal da Saúde Secretário Eliseu Santos Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde Coordenador José Ângelo

Leia mais

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Ser Humano e Saúde 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 11.2 Conteúdo Doenças Sexualmente Transmissíveis

Leia mais

Lesão de baixo grau conduta. Profª.Filomena Aste Silveira IG UFRJ Faculdade de Medicina de Valença

Lesão de baixo grau conduta. Profª.Filomena Aste Silveira IG UFRJ Faculdade de Medicina de Valença Lesão de baixo grau conduta Profª.Filomena Aste Silveira IG UFRJ Faculdade de Medicina de Valença Lesão Intra Epitelial de Baixo Grau REGREDIR PERSISTIR PROGREDIR Taxas de regressão espontânea verificadas

Leia mais

Carcinoma de Colo Uterino: um Relato de Caso

Carcinoma de Colo Uterino: um Relato de Caso Revista de Medicina e Saúde de Brasília RELATO DE CASO : um Relato de Caso Cervical Carcinoma: a Case Report Yasmin Furtado Faro 1, Ana Carolina Andrade Canut 1, Leonardo Wanderley Juliani 1, Gleim Dias

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse

Declaração de Conflitos de Interesse Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. Elias Fernando Miziara - DF MR A biologia viral na indução do câncer por HPV Epidemiologia no Brasil Dr. Elias Fernando Miziara Lesâo provocada por

Leia mais

CÂNCER DE COLO DO UTERO: O Mérito da Prevenção

CÂNCER DE COLO DO UTERO: O Mérito da Prevenção CÂNCER DE COLO DO UTERO: O Mérito da Prevenção Franciellen Almeida Fialho Graduanda em Fisioterapia, Faculdades Integradas de Três Lagoas - FITL/AEMS Deigilam Cestari Esteves Biomédica, Mestre em Meio

Leia mais

1º CURSO TEÓRICO-PRÁTICO DE COLPOSCOPIA

1º CURSO TEÓRICO-PRÁTICO DE COLPOSCOPIA 1º CURSO TEÓRICO-PRÁTICO DE COLPOSCOPIA ENTIDADE RESPONSÁVEL: Secção de Portuguesa de Colposcopia e Patologia Cervico-Vulvo-Vaginal (SPCPCV) da Sociedade Portuguesa de Ginecologia COORDENAÇÃO DO CURSO

Leia mais

Perfil das mulheres que realizaram a coleta de citologia oncótica no 1ºsem na Clínica da Unaerp.

Perfil das mulheres que realizaram a coleta de citologia oncótica no 1ºsem na Clínica da Unaerp. SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ Perfil das mulheres que realizaram a coleta de citologia oncótica no 1ºsem. 2011 na Clínica da Unaerp. Kelly Cristina do Nascimento

Leia mais

Cervicites: facilitando o diagnóstico

Cervicites: facilitando o diagnóstico TROCANDO IDÉIAS XIV DESAFIOS EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR Cervicites: facilitando o diagnóstico PROF. RENATO DE SOUZA BRAVO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTÔNIO PEDRO

Leia mais

Câncer do colo uterino HPV FRR

Câncer do colo uterino HPV FRR Câncer do colo uterino HPV FRR Introdução 2ª neoplasia mais comum nas mulheres no mundo É a mais comum nos países pobres No Brasil: é o mais frequente do aparelho genital Em 2010 (no mundo): 500.000 casos

Leia mais

Papilomavírus Humanos (HPV) Virologia MIP Instituto Biomédico Universidade Federal Fluminense

Papilomavírus Humanos (HPV) Virologia MIP Instituto Biomédico Universidade Federal Fluminense Papilomavírus Humanos (HPV) Virologia MIP Instituto Biomédico Universidade Federal Fluminense Características principais Agente etiológico das verrugas (tumores epiteliais benignos) Infectam epitélio de

Leia mais

Módulo: Câncer de Colo de Útero

Módulo: Câncer de Colo de Útero Módulo: Câncer de Colo de Útero Caso 1 TR, 32 anos, médica, sem comorbidades Paciente casada sem filhos Abril/13 Citologia Útero- Negativo para células neoplásicas Abril/14 - Citologia uterina- Lesão alto

Leia mais

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se!

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! O que é AIDS? Existem várias doenças que são transmissíveis através das relações sexuais e por isso são chamadas DSTs (doenças sexualmente transmissíveis). As mais conhecidas

Leia mais

Diagnóstico e Conduta nas Lesões Intraepiteliais Cervicais de Alto Grau

Diagnóstico e Conduta nas Lesões Intraepiteliais Cervicais de Alto Grau Diagnóstico e Conduta nas Lesões Intraepiteliais Cervicais de Alto Grau Curso de Atualização em PTGI 20/06/09 Instituto de Ginecologia - UFRJ Susana Aidé História natural da NIC Progressão Progressão Regressão

Leia mais

TROCANDO IDÉIAS XX 16 e 17 de junho de 2016 Windsor Flórida Hotel - Rio de Janeiro - RJ

TROCANDO IDÉIAS XX 16 e 17 de junho de 2016 Windsor Flórida Hotel - Rio de Janeiro - RJ TROCANDO IDÉIAS XX 16 e 17 de junho de 2016 Windsor Flórida Hotel - Rio de Janeiro - RJ Susana Aidé Profª Adjunto de Ginecologia Universidade Federal Fluminense Hospital Universitário Antônio Pedro Carta

Leia mais

Tumores Ginecológicos. Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein

Tumores Ginecológicos. Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein Tumores Ginecológicos Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein Tumores Ginecológicos Colo de útero Endométrio Ovário Sarcomas do corpo uterino Câncer de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Colo do Útero, Anticoncepcionais, Teste de Papanicolaou.

PALAVRAS-CHAVE Colo do Útero, Anticoncepcionais, Teste de Papanicolaou. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

CURSO DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA ONCOLOGIA CUTÂNEA

CURSO DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA ONCOLOGIA CUTÂNEA CURSO DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA ONCOLOGIA CUTÂNEA Período de Seleção 31 de outubro a 04 de dezembro de 2016 Taxa de Inscrição R$ 250,00 Taxa de Matrícula R$ 450,00 Mensalidade R$ 950,00 Forma(s)

Leia mais

1983 Membro da Ordem dos Médicos, portador da Cédula Profissional nº

1983 Membro da Ordem dos Médicos, portador da Cédula Profissional nº Paulo Ferraz, Dr. Qualificações Académicas 1983 Membro da Ordem dos Médicos, portador da Cédula Profissional nº 27290. 1977-1983 Licenciatura em Medicina com a classificação final de 13 valores em 20,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE ANATOMIA PATOLÓGICA CITOPATOLOGIA IMUNOPATOLOGIA Anatomia patológica é uma especialidade da medicina que tem como objetivo fazer diagnóstico das doenças através

Leia mais

Revista de Biotecnologia & Ciência A ASSOCIAÇÃO ENTRE O VÍRUS HPV E O DESENVOLVIMENTO DO CARCINOMA DE COLO UTERINO RESUMO ABSTRACT

Revista de Biotecnologia & Ciência A ASSOCIAÇÃO ENTRE O VÍRUS HPV E O DESENVOLVIMENTO DO CARCINOMA DE COLO UTERINO RESUMO ABSTRACT Revista de Biotecnologia & Ciência Vol. 2, Nº. 1, Ano 2012 A ASSOCIAÇÃO ENTRE O VÍRUS HPV E O DESENVOLVIMENTO DO CARCINOMA DE COLO UTERINO RESUMO MARIANA PATRÍCIO DE OLIVEIRA UNIVERSIDADE PAULISTA -GO

Leia mais

PREVENÇÃO E TRANSMISSÃO DA INFECÇÃO POR HPV. UNITAU-SP SETOR DE GENITOSCOPIA Prof. Dr André Luis F Santos

PREVENÇÃO E TRANSMISSÃO DA INFECÇÃO POR HPV. UNITAU-SP SETOR DE GENITOSCOPIA Prof. Dr André Luis F Santos PREVENÇÃO E TRANSMISSÃO DA INFECÇÃO POR HPV UNITAU-SP SETOR DE GENITOSCOPIA Prof. Dr André Luis F Santos 2010 DÚVIDAS MAIS FREQUENTES A transmissão pelo HPV é só sexual? Peguei do meu parceiro? Quando?

Leia mais

INSTITUCIONAL HISTÓRIA

INSTITUCIONAL HISTÓRIA 2011 INSTITUCIONAL HISTÓRIA O Centro de Diagnóstico do Câncer foi fundado em 1998 e está localizado na cidade de João Pessoa, sendo considerado uma referência estadual para a detecção precoce do câncer

Leia mais

Diga não ao cancro do colo do utéro. Pense em se vacinar. Fale com o seu médico.

Diga não ao cancro do colo do utéro. Pense em se vacinar. Fale com o seu médico. NÃ Diga não ao cancro do colo do utéro. Pense em se vacinar. Fale com o seu médico. Qual é a frequência do cancro do colo do útero? - A nível mundial, o cancro do colo do útero é muito frequente nas mulheres;

Leia mais

MÉTODOS MOLECULARES PARA IDENTIFICAÇÃO DO HPV COLO UTERINO. Dra Rejane Santana R3 Orientadora: Dra Vera Fonseca

MÉTODOS MOLECULARES PARA IDENTIFICAÇÃO DO HPV COLO UTERINO. Dra Rejane Santana R3 Orientadora: Dra Vera Fonseca UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO SERVIÇO DE GINECOLOGIA MÉTODOS MOLECULARES PARA IDENTIFICAÇÃO DO HPV NO RASTREIO DO CÂNCER DE COLO UTERINO Dra Rejane

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA CHRISTINE MIRANDA CORRÊA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA CHRISTINE MIRANDA CORRÊA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA CHRISTINE MIRANDA CORRÊA PREVALÊNCIA E MULTIPLICIDADE DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) NA CÉRVICE UTERINA DE MULHERES INFECTADAS PELO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA

Leia mais

Causas de câncer de colo uterino em clientes de um centro de referência em oncologia do Acre

Causas de câncer de colo uterino em clientes de um centro de referência em oncologia do Acre ISSN: 1676-4285 Causas de câncer de colo uterino em clientes de um centro de referência em oncologia do Acre Emerson Marques Pessoa¹, Lucinete Souza Fernandes¹, Sandreya Maia Mendes¹, Creso Machado Lopes¹

Leia mais

NEWS artigos CETRUS Ano III - Edição 17 - Janeiro/2011

NEWS artigos CETRUS Ano III - Edição 17 - Janeiro/2011 NEWS artigos CETRUS Ano III - Edição 17 - Janeiro/2011 Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia - Capítulo III - MÉTODOS DIAGNÓSTICOS Prof. Dr. Flávio Zucchi - Formação médica:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ NÚCLEO DE MEDICINA TROPICAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS TROPICAIS WALÉRIA DA SILVA PLÁCIDO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ NÚCLEO DE MEDICINA TROPICAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS TROPICAIS WALÉRIA DA SILVA PLÁCIDO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ NÚCLEO DE MEDICINA TROPICAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS TROPICAIS WALÉRIA DA SILVA PLÁCIDO EPIDEMIOLOGIA DA INFECÇÃO GENITAL PELO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) EM POPULAÇÃO

Leia mais

Hemorragia Genital na Pós-Menopausa

Hemorragia Genital na Pós-Menopausa Curso de Pós-Graduação em Geriatria Hemorragia Genital na Pós-Menopausa Avaliação e orientação diagnóstica Pedro Viana Pinto Introdução 5% motivos de consulta em Ginecologia Maioria dos casos têm etiologias

Leia mais

ASC-US e ASC-H: abordagem simplificada

ASC-US e ASC-H: abordagem simplificada ASC-US e ASC-H: abordagem simplificada Trocando Idéias XIV 27-29 de agosto de 2009 Rio de Janeiro Fábio Russomano Nomenclatura SISTEMA BETHESDA (1988) SISTEMA BETHESDA (1991) SISTEMA BETHESDA (2001) Nomenclatura

Leia mais

CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DO EXAME CITOPATOLÓGICO NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO DAS MULHERES USUÁRIAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DO EXAME CITOPATOLÓGICO NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO DAS MULHERES USUÁRIAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DO EXAME CITOPATOLÓGICO NA DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO DAS MULHERES USUÁRIAS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE GARCIA, Thaynara Soares 1 ; MAGALHÃES, Juliana Cristina; AMARAL, Rita

Leia mais

Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CANCEROLOGIA PEDIÁTRICA Instituída pelo Decreto nº 80.281, de 5 de setembro de 1977,

Leia mais

Validade da citologia cervicovaginal na detecção de lesões pré-neoplásicas e neoplásicas de colo de útero

Validade da citologia cervicovaginal na detecção de lesões pré-neoplásicas e neoplásicas de colo de útero ARTIGO ORIGINAL 0RIGINAL PAPER Validade da citologia cervicovaginal na detecção de lesões pré-neoplásicas e neoplásicas de colo de útero Recebido em 14/05/01 Aceito para publicação em 25/04/02 Validity

Leia mais

Patologia do colo uterino I-Citopatologia Profa. Sônia Maria Neumann Cupolilo Dra. em Patologia FIOCRUZ/RJ Especialista em Patologia SBP Especialista em Citopatologia SBC HPV Objetivos Conhecer o Programa

Leia mais

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia?

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? TROCANDO IDÉIAS XX MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? Gutemberg Almeida ISSVD UFRJ ABPTGIC Carcinoma Microinvasor IA1 - Invasão do estroma < 3 mm em profundidade e < 7 mm em extensão IA2 - Invasão

Leia mais

Evidências científicas da efetividade da detecção e tratamento das lesões precursoras para a prevenção do câncer do colo do útero

Evidências científicas da efetividade da detecção e tratamento das lesões precursoras para a prevenção do câncer do colo do útero Evidências científicas da efetividade da detecção e tratamento das lesões precursoras para a prevenção do câncer do colo do útero Fábio Russomano Instituto Fernandes Figueira FIOCRUZ 25 A 28 DE ABRIL DE

Leia mais

Vacinação no homem. Prof Dr Luiz Carlos Zeferino Professor Titular em Ginecologia UNICAMP. Rio de Janeiro Junho 2016 UNICAMP

Vacinação no homem. Prof Dr Luiz Carlos Zeferino Professor Titular em Ginecologia UNICAMP. Rio de Janeiro Junho 2016 UNICAMP Vacinação no homem Prof Dr Luiz Carlos Zeferino Professor Titular em Ginecologia UNICAMP Clique para editar o estilo do subtítulo mestre Rio de Janeiro Junho 2016 UNICAMP Número médio annual de novos casos

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 Altera a Lei nº 11.664, de 29 de abril de 2008, para incluir a pesquisa de biomarcadores entre as ações destinadas à detecção precoce das neoplasias malignas de mama

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE O RESULTADO DO EXAME PAPANICOLAOU E A REPRESENTATIVIDADE DA JUNÇÃO ESCAMO-COLUNAR

RELAÇÃO ENTRE O RESULTADO DO EXAME PAPANICOLAOU E A REPRESENTATIVIDADE DA JUNÇÃO ESCAMO-COLUNAR RELAÇÃO ENTRE O RESULTADO DO EXAME PAPANICOLAOU E A REPRESENTATIVIDADE DA JUNÇÃO ESCAMOCOLUNAR CERBARO, Kamila 1 ; ROSA, Jéssica 2 ; CORADINI, Lidiane 3 ; COSER, Janaina 4 ; HANSEN, Dinara 4 ; GARCES,

Leia mais

PROTOCOLO DA SAÚDE DA MULHER

PROTOCOLO DA SAÚDE DA MULHER PROTOCOLO DA SAÚDE DA MULHER SUMÁRIO 1. Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero... 4 2. Atenção Primária à Saúde... 6 2.1. Periodicidade... 7 3. Adolescentes e Mulheres Jovens...

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 Componente Curricular: Citologia e Histologia Código: -- Pré-requisito: -- Período

Leia mais

Programa de Residência Médica CITOPATOLOGIA R4. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Residência Médica CITOPATOLOGIA R4. Comissão de Residência Médica COREME Programa de Residência Médica CITOPATOLOGIA R4 Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer,

Leia mais

PREVALÊNCIA DE CITÓLISE EM PREPARADOS CERVICOVAGINAIS NO EXAME PAPANICOLAOU

PREVALÊNCIA DE CITÓLISE EM PREPARADOS CERVICOVAGINAIS NO EXAME PAPANICOLAOU 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Biologia da célula neoplásica e interacção com o hospedeiro (I)

Biologia da célula neoplásica e interacção com o hospedeiro (I) Biologia da célula neoplásica e interacção com o hospedeiro (I) Rui Henrique Departamento de Patologia e Imunologia Molecular Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar Universidade do Porto & Serviço

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA ANA VIRGÍNIA EVANGELISTA DE MENDONÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA ANA VIRGÍNIA EVANGELISTA DE MENDONÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA ANA VIRGÍNIA EVANGELISTA DE MENDONÇA PLANO DE INTERVENÇÃO PARA SENSIBILIZAÇÃO DE MULHERES QUANTO À IMPORTÂNCIA DA REALIZAÇÃO DO PAPANICOLAU FLORIANÓPOLIS (SC) 2014

Leia mais

folder_saude_da_mulher.pdf 1 19/07/16 16:48 VIVER BEM ADRIANA JUSSARA EM A MULHER QUE VALIA POR MUITAS CMY SAÚDE DA MULHER

folder_saude_da_mulher.pdf 1 19/07/16 16:48 VIVER BEM ADRIANA JUSSARA EM A MULHER QUE VALIA POR MUITAS CMY SAÚDE DA MULHER folder_saude_da_mulher.pdf 1 19/07/16 16:48 VIVER BE ADRIANA JUSSARA E A ULHER QUE VALIA POR UITAS SAÚDE DA ULHER folder_saude_da_mulher.pdf 2 19/07/16 16:48 Leia o código e assista a história de Adriana

Leia mais

Nomenclatura Brasileira. Norma Imperio DIPAT

Nomenclatura Brasileira. Norma Imperio DIPAT Nomenclatura Brasileira Norma Imperio DIPAT O momento mais eletrizante de minha carreira foi quando descobri que era capaz de observar células cancerosas num colo do útero através do esfregaço George Nicholas

Leia mais

Lesão intraepitelial escamosa de baixo grau (LSIL)- em que situações está indicado o tratamento

Lesão intraepitelial escamosa de baixo grau (LSIL)- em que situações está indicado o tratamento Lesão intraepitelial escamosa de baixo grau ()- em que situações está indicado o tratamento TROCANDO IDÉIAS XX 16 e 17 de junho de 2016 Windsor Flórida Hotel - Rio de Janeiro - RJ Susana Aidé Profª Adjunto

Leia mais

Redações vencedoras IV Concurso de Redação. Finalistas. HPV: É possível escapar?

Redações vencedoras IV Concurso de Redação. Finalistas. HPV: É possível escapar? Redações vencedoras IV Concurso de Redação Finalistas 1º Lugar Aluno: Fábio Eduardo Belavenuto Silva Professora: Maria Rita Rodrigues de Souza Unidade Escolar: Escola Estadual Salustiano Lemos Cidade:

Leia mais

Câncer de Colo Uterino

Câncer de Colo Uterino Câncer de Colo Uterino Câncer de Colo Uterino Aspectos conceituais Câncer é o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões

Leia mais

GABARITO PROVA TEÓRICA QUESTÕES DISSERTATIVAS

GABARITO PROVA TEÓRICA QUESTÕES DISSERTATIVAS CONCURSO PARA TÍTULO DE ESPECIALISTA EM PATOLOGIA Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo SÃO PAULO/SP Departamento de Patologia, 1º andar, sala 1154 20 e 21 de MAIO DE 2016 GABARITO PROVA TEÓRICA

Leia mais

Capítulo 4. Introdução à colposcopia: indicações, instrumental, princípios e documentação dos achados

Capítulo 4. Introdução à colposcopia: indicações, instrumental, princípios e documentação dos achados Introdução à colposcopia: indicações, instrumental, princípios e documentação dos achados Um colposcópio é um microscópio de campo estereoscópico, binocular, de baixa resolução, com uma fonte de iluminação

Leia mais

Relatório de Dados do Processo

Relatório de Dados do Processo Relatório de Dados do Processo Dados da Instituição Instituição: CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ - CESUPA UF Instituição: PA Tipo do Processo: Credenciamento Provisório Tipo do Programa ESPECIALIDADE

Leia mais

PREVALÊNCIA DO VÍRUS HPV NO CÂNCER DE COLO UTERINO

PREVALÊNCIA DO VÍRUS HPV NO CÂNCER DE COLO UTERINO PREVALÊNCIA DO VÍRUS HPV NO CÂNCER DE COLO UTERINO Mayara Nascimento Majevski 1 Juliana Ollé Mendes da Silva 2 RESUMO Introdução: O câncer de colo uterino é o tipo mais comum nos países em desenvolvimento

Leia mais

ESTUDO DOS RESULTADOS DOS EXAMES CITOPATOLÓGICOS, COLPOSCÓPICOS E HISTOLÓGICOS CERVICAIS EM MULHERES PORTADORAS DO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA

ESTUDO DOS RESULTADOS DOS EXAMES CITOPATOLÓGICOS, COLPOSCÓPICOS E HISTOLÓGICOS CERVICAIS EM MULHERES PORTADORAS DO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DAS CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE ESTUDO DOS RESULTADOS DOS EXAMES CITOPATOLÓGICOS, COLPOSCÓPICOS E HISTOLÓGICOS CERVICAIS EM MULHERES

Leia mais

Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero: reconhecendo ganhos e consolidando práticas

Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero: reconhecendo ganhos e consolidando práticas Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero: reconhecendo ganhos e consolidando práticas Fábio Russomano - IFF/Fiocruz Maio de 2016 Fortalecimento do rastreamento organizado na

Leia mais

Câncer de Endométrio Hereditário

Câncer de Endométrio Hereditário Disciplina de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo Coordenador do Serviço de Cirurgia Oncológica I Disciplina Eletiva de Fundamentos da Cirurgia Oncológica Professor Afiliado Abner Jorge Jácome Barrozo

Leia mais

Programa de Aperfeiçoamento MASTOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME

Programa de Aperfeiçoamento MASTOLOGIA. Comissão de Residência Médica COREME Comissão de Residência Médica COREME A.C.CAMARGO CANCER CENTER O sonho do Prof. Dr. Antônio Prudente de oferecer assistência integrada a pacientes com câncer, formar profissionais especialistas e disseminar

Leia mais

PLANO DE CURSO. MÓDULO: Saúde Materno Infantil I CARGA HORÁRIA: 140 horas/aula CRÉDITOS: 07 6º PERÍODO - SEMESTRE:

PLANO DE CURSO. MÓDULO: Saúde Materno Infantil I CARGA HORÁRIA: 140 horas/aula CRÉDITOS: 07 6º PERÍODO - SEMESTRE: 1 FACULDADE DE MEDICINA NOVA ESPERANÇA Reconhecida pelo MEC: Portaria nº 1.084, de 28 de dezembro 2007, publicada no DOU de 31 de dezembro de 2007, página 36, seção 1. PLANO DE CURSO MÓDULO: Saúde Materno

Leia mais

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae.

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Chamado de HPV, aparece na forma de doenças como condiloma acuminado, verruga genital ou crista de galo. -Há mais de 200 subtipos do

Leia mais

PAPANICOLAU E BIÓPSIAS EM MULHERES DE TRÊS LAGOAS/MS: Resultados

PAPANICOLAU E BIÓPSIAS EM MULHERES DE TRÊS LAGOAS/MS: Resultados PAPANICOLAU E BIÓPSIAS EM MULHERES DE TRÊS LAGOAS/MS: Resultados Everaldo Garcia Santos Júnior Graduando em Biomedicina Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Maicon Henrique Nogueira Graduando

Leia mais

O Desempenho da Colposcopia Através do Índice de Reid

O Desempenho da Colposcopia Através do Índice de Reid ATUALIZAÇÃO O Desempenho da Colposcopia Através do Índice de Reid The Colposcopic Performance Through Reid s Index Renata Robial* Cristina Helena Rama** Cecília M Roteli-Martins*** *Acadêmica da Faculdade

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA E EFETIVIDADE DA TERMOCOAGULAÇÃO NO TRATAMENTO DA NEOPLASIA INTRAEPITELIAL CERVICAL DE ALTO GRAU

FACULDADE DE MEDICINA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA E EFETIVIDADE DA TERMOCOAGULAÇÃO NO TRATAMENTO DA NEOPLASIA INTRAEPITELIAL CERVICAL DE ALTO GRAU UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA: CIÊNCIAS MÉDICAS AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA E EFETIVIDADE DA TERMOCOAGULAÇÃO NO TRATAMENTO DA NEOPLASIA

Leia mais

Pró-Diretoria de Extensão, Aperfeiçoamento e Especialização Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu

Pró-Diretoria de Extensão, Aperfeiçoamento e Especialização Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu 1. Curso de Especialização: Dermatologia 2. Objetivo do Curso: Desenvolver conteúdo prático e teórico para a formação de especialistas em Dermatologia 3. Ementa das disciplinas: Alergia e imunologia, metodologia

Leia mais

CITOLOGIA E HISTOPATOLOGIA DE PACIENTES ASSISTIDAS EM UM CENTRO DE SAÚDE DA MULHER

CITOLOGIA E HISTOPATOLOGIA DE PACIENTES ASSISTIDAS EM UM CENTRO DE SAÚDE DA MULHER CITOLOGIA E HISTOPATOLOGIA DE PACIENTES ASSISTIDAS EM UM CENTRO DE SAÚDE DA MULHER Yulla Klinger Pereira de Carvalho 1 Flávia Samara Freitas de Andrade 2 Maria Acelina Martins de Carvalho 3 Gerson Tavares

Leia mais

Atendimento ginecológico de mulheres submetidas a transplante de células tronco hematopoéticas

Atendimento ginecológico de mulheres submetidas a transplante de células tronco hematopoéticas Atendimento ginecológico de mulheres submetidas a transplante de células tronco hematopoéticas INTRODUÇÃO O transplante de células tronco hematopoéticas (TCTH) é indicado para tratamento de doenças hematológicas

Leia mais

Foi-me solicitado, pelos editores, prefaciar a obra... [Prefácio]

Foi-me solicitado, pelos editores, prefaciar a obra... [Prefácio] Universidade de São Paulo Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI Departamento de Patologia - FMVZ/VPT Livros e Capítulos de Livros - FMVZ/VPT 2014 Foi-me solicitado, pelos editores, prefaciar

Leia mais

Colposcopia na Gravidez

Colposcopia na Gravidez Colposcopia na Gravidez José Eleutério Junior A colposcopia é um método de excelência, associado ao Papanicolaou, no rastreio de lesões intra-epiteliais escamosas e neoplásicas, sendo usada para identificar

Leia mais

LINHAS DE CUIDADO EM CÂNCER

LINHAS DE CUIDADO EM CÂNCER LINHAS DE CUIDADO EM CÂNCER A organização da rede de atenção oncológica no Município do Rio de Janeiro segue as diretrizes a Política Nacional de Atenção oncológica, sendo a atenção básica a porta de entrada

Leia mais

Prevenção do Câncer do Colo do Útero. Laboratórios

Prevenção do Câncer do Colo do Útero. Laboratórios Prevenção do Câncer do Colo do Útero Manual Técnico Laboratórios Ministério da Saúde Brasília, 2002 Apresentação Um dos graves problemas de saúde pública que estamos combatendo ao longo dos anos é o câncer

Leia mais

Centro de Estudos Gov. Geraldo Alckmin do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí

Centro de Estudos Gov. Geraldo Alckmin do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí Centro de Estudos Gov. Geraldo Alckmin do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí VI SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DO CENTRO DE ESTUDOS GOV. GERALDO ALCKMIN

Leia mais

ORGANIZADOR. Página 1 de 6

ORGANIZADOR. Página 1 de 6 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 Página de 6 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA ) Mulher de 6 anos, com prole constituída, optou por método contraceptivo cirúrgico. Após avaliar o caso, o médico

Leia mais

Papilomavírus Humano HPV

Papilomavírus Humano HPV Papilomavírus Humano HPV -BIOLOGIA- Alunos: André Aroeira, Antonio Lopes, Carlos Eduardo Rozário, João Marcos Fagundes, João Paulo Sobral e Hélio Gastão Prof.: Fragoso 1º Ano E.M. T. 13 Agente Causador

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROGRAMA "VIVA MULHER" NO CONTROLE DO CÂNCER CÉRVICO-UTERINO NO ESTADO DE MINAS GERAIS 1

AVALIAÇÃO DO PROGRAMA VIVA MULHER NO CONTROLE DO CÂNCER CÉRVICO-UTERINO NO ESTADO DE MINAS GERAIS 1 AVALIAÇÃO DO PROGRAMA "VIVA MULHER" NO CONTROLE DO CÂNCER CÉRVICO-UTERINO NO ESTADO DE MINAS GERAIS 1 EVALUATION OF THE "VIVA MULHER" PROGRAM FOR THE CONTROL OF CERVICAL CANCER IN THE STATE OF MINAS GERAIS,

Leia mais

. Vacinas contra papillomavírus, vacinas contra HPV, prevenção de câncer de colo uterino

. Vacinas contra papillomavírus, vacinas contra HPV, prevenção de câncer de colo uterino VACINA PAPILOMAVÍRUS HUMANO RECOMBINANTE: CARACTERÍSTICAS GERAIS AUTORES Silvana Oliveira Costa Wagner Fernando Xavier Larissa Cristina de Carvalho Pena Discente da União das Faculdades dos Grandes Lagos

Leia mais

LINHAS DE CUIDADO EM CÂNCER

LINHAS DE CUIDADO EM CÂNCER LINHAS DE CUIDADO EM CÂNCER A organização da rede de atenção oncológica no Município do Rio de Janeiro segue as diretrizes a Política Nacional de Atenção oncológica, sendo a atenção básica a porta de entrada

Leia mais

FATORES ASSOCIADOS AO DIAGNÓSTICO TARDIO DE CÂNCER DE COLO DE ÚTERO EM UMA UNIDADE DE REFERÊNCIA PARA INVESTIGAÇÃO PELO SUS

FATORES ASSOCIADOS AO DIAGNÓSTICO TARDIO DE CÂNCER DE COLO DE ÚTERO EM UMA UNIDADE DE REFERÊNCIA PARA INVESTIGAÇÃO PELO SUS FATORES ASSOCIADOS AO DIAGNÓSTICO TARDIO DE CÂNCER DE COLO DE ÚTERO EM UMA UNIDADE DE REFERÊNCIA PARA INVESTIGAÇÃO PELO SUS Camila Rafaela Cavaglier¹, Maíra Oliveira Panão², Carolina Correia Billoti³,

Leia mais

LESÃO INTRA-EPITELIAL ESCAMOSA DE BAIXO GRAU (LSIL) NIC 1 - DL

LESÃO INTRA-EPITELIAL ESCAMOSA DE BAIXO GRAU (LSIL) NIC 1 - DL LESÃO INTRA-EPITELIAL ESCAMOSA DE BAIXO GRAU (LSIL) NIC 1 - DL Predominância de alterações discarióticas em células intermediárias e superficiais Aumento nuclear, variação na forma Bi/multinucleação Rabelo,S.H./UFG

Leia mais