Inovação para o Aumento da Competitividade da Indústria

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inovação para o Aumento da Competitividade da Indústria"

Transcrição

1 Inovação para o Aumento da Competitividade da Indústria João Emilio P. Gonçalves Gerente Executivo Política Industrial Diretoria de Desenvolvimento Industrial CNI - Confederação Nacional da Indústria

2 Competitividade COMPETITIVIDADE...é uma medida da vantagem ou desvantagem de um país em vender seus produtos no mercado internacional. (OCDE) INTRAFIRMA fatores ou condicionantes de domínio das empresas, como produtividade (segundo diversas definições e medidas), qualidade (idem), capacidade gerencial, logística interna à firma, fatores relacionados às vendas ( marketing ) e capacidade de inovação. ESTRUTURAL relacionados ao mercado, às tecnologias de produção disponíveis, à configuração da indústria e sua relação com as escalas de produção e à dinâmica específica da concorrência no mercado em que atua. EXTRAFIRMA fatores ou condicionantes macroeconômicos, domésticos e internacionais, tais como a infraestrutura e fatores logísticos externos à empresa, características do sistema financeiro, os arcabouços fiscal e político-institucional e o sistema educacional.

3 Competitividade X Produtividade Produtividade é um dos determinantes da competitividade Competitividade Preço Qualidade Produtividade Custo

4 Evolução da produtividade brasileira Indústria de Transformação ( ) Crescimento impulsionado pelo aumento da produtividade 2.Crescimento baseado no aumento do uso dos fatores de produção Fonte: Fonseca, Renato. "Produtividade e crescimento da indústria brasileira". RBCE Nr Julho-Setembro 2012

5 Produtividade do trabalho efetiva Indústria de transformação (Produto por horas trabalhadas) (Índice, 2000 = 100) Fonte: ESTUDOS ECONÔMICOS NÚMERO 1. Indústria brasileira: da perda de competitividade à recuperação?. Novembro/2015

6 A importância da inovação Economias de escala Aprendizado/ Learning by doing Crescimento da produtividade Externalidades Inovação

7 Tipo de Inovação Atividade Inovativa Dimensão da Inovação Inovação de Processo Inovação de Produto Atividades internas de P&D Aquisição externa de P&D Aquisição de outros conhecimentos externos Aquisição de máquinas, equipamentos e software Treinamento Projeto industrial e outras preparações técnicas Novo para Empresa Novo para Mercado Inovação de marketing Inovação organizacional Introdução das inovações tecnológicas no mercado Mudanças significativas nos conceitos/estratégias de marketing Novas técnicas de gestão para melhorar rotinas e práticas de trabalho Fonte: Elaboração própria a partir da Pintec

8 Determinantes da produtividade Fatores que afetaram a produtividade das empresas nos últimos cinco anos Método de gestão Qualid. e atualização tecnol. dos equip. Serviços utilizados pela empresa Escala/volume de produção Qualid. dos insumos e matérias-primas Desempenho dos fornecedores Qualidade do fornecimento de energia Qualidade dos serviços de telecom. Infraestrutura de transporte Qualidade da mão de obra Opinião dos executivos industriais Efeito Negativo Fonte: Sondagem Especial 56, Produtividade, dezembro de 2013, CNI Efeito 100 Positivo

9 Soluções ao alcance da indústria Conceito Consultoria tecnológica no chão de fábrica (120h) Porte: médias e grandes (R$ 3,6 a R$ 800 milhões/ano) Diferenciais Convergência metodológica: Lean manufacturing (manufatura enxuta) Curta duração e baixo custo: 4 a 5 meses, R$ ,00 Resultados no curto-prazo para motivar o empresário Projetos usando máquinas e pessoal já existente na empresa Melhoria contínua da operação industrial Transferência de know-how mudança cultural

10 Resultados Aumento de produtividade De 21% a 133% (42% média) Ganhos em qualidade Entre 13% e 70% (41% média) Redução de movimentação (ergonomia) De 72% a 98% (86% média) Redução de custo de produção Entre 13% e 34% (21% média) Proporção entre investimento / resultados De 8 a 108 vezes

11 Indústria 4.0 A próxima fronteira da competitividade

12 Indústria 4.0: aplicação em larga escala das tecnologias digitais na produção industrial/ sistemas ciberfísicos TECNOLOGIAS HABILITADORAS

13 Revolução dos Modelos de Produção ao Longo do Tempo Fonte: Adaptado do The Global Manufacturing Revolution, 2010

14 Impactos Esperados (exemplos) Tempo de desenvolvimento de produtos (time to market) Eficiência no Uso de Insumos (e.g. Energia) Flexibilidade (customização em massa) Qualidade/ Redução de Defeitos Produtividade

15 Indústria 4.0 Sondagem Especial 66 Amostra Período de coleta EMPRESAS das indústrias extrativa e de transformação 2016 De 4 a 13 de janeiro Realização CNI e Federações de Indústria (Sondagem Industrial)

16 Lista com 10 tipos de tecnologia digital PRODUTO DESENVOLVIMENTO PROCESSO 1. Automação digital sem sensores 2. Automação digital com sensores para controle de processo 3. Monitoramento e controle remoto da produção com sistemas do tipo MES e SCADA 4. Automação digital com sensores com identificação de produtos e condições operacionais, linhas flexíveis 5. Sistemas integrados de engenharia para desenvolvimento de produtos e manufatura de produtos 6. Manufatura aditiva, prototipagem rápida ou impressão 3D 7. Simulações/análise de modelos virtuais (Elementos Finitos, Fluidodinâmica Computacional, etc.) para projeto e comissionamento 8. Coleta, processamento e análise de grandes quantidades de dados (big data) 9. Utilização de serviços em nuvem associados ao produto 10.Incorporação de serviços digitais nos produtos ( Internet das Coisas ou Product Service Systems)

17 Conhecimento (importância) e utilização Pouco menos da metade das empresas utiliza uma das 10 tecnologias digitais listadas Baixo conhecimento é um dos entraves à utilização CONHECIMENTO (IMPORTÂNCIA) Identificação das tecnologias listadas como importante para a competitividade da indústria Percentual entre as empresas industriais (%) Identificou pelo menos uma Apenas CAD/CAM Nenhuma das listadas UTILIZAÇÃO Uso de pelo menos uma das 10 tecnologias digitais listadas Percentual entre as empresas industriais (%) 6 48 Utiliza pelo menos uma Apenas CAD/CAM Nenhuma das listadas Não sabe

18 Oportunidades: Relação entre Processo e Produto Tradicional Produto Inovador/Disruptivo Convencional 1 2 Processo

19 Desafios para o Desenvolvimento e Incorporação da Manufatura Avançada no Brasil Fonte: CNI, 2016.

20 Obrigado! João Emilio P. Gonçalves Gerente Executivo Política Industrial Diretoria de Desenvolvimento Industrial CNI - Confederação Nacional da Indústria

PRODUTIVIDADE E GESTÃO NA INDÚSTRIA BRASILEIRA

PRODUTIVIDADE E GESTÃO NA INDÚSTRIA BRASILEIRA PRODUTIVIDADE E GESTÃO NA INDÚSTRIA BRASILEIRA SEMINÁRIO PRODUTIVIDADE BRASIL OBSERVATÓRIO DA INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE/USP Renato da Fonseca Gerente Executivo de Pesquisa e Competitividade São Paulo,

Leia mais

Indústria 4.0 A nova fronteira da competitividade

Indústria 4.0 A nova fronteira da competitividade Indústria 4.0 A nova fronteira da competitividade João Emilio Gonçalves Gerente Executivo - Unidade de Política Industrial Diretoria de Desenvolvimento Industrial - DDI CNI - Confederação Nacional da Indústria

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. Indústria tocantinense e a 4 a Revolução Industrial

Confederação Nacional da Indústria. Indústria tocantinense e a 4 a Revolução Industrial Confederação Nacional da Indústria SONDAGEM INDUSTRIAL Ano 6 Número 2 Novembro de 2016 www.fieto.com.br EDIÇÃO ESPECIAL Indústria tocantinense e a 4 a Revolução Industrial O termo manufatura avançada ou

Leia mais

SIEMENS INDUSTRY SYMPOSIUM 2016 MANUFATURA AVANÇADA: O CONCEITO DA INDÚSTRIA 4.0 NA PRÁTICA

SIEMENS INDUSTRY SYMPOSIUM 2016 MANUFATURA AVANÇADA: O CONCEITO DA INDÚSTRIA 4.0 NA PRÁTICA SIEMENS INDUSTRY SYMPOSIUM 2016 MANUFATURA AVANÇADA: O CONCEITO DA INDÚSTRIA 4.0 NA PRÁTICA MANUFATURA AVANÇADA: O CONCEITO DA INDÚSTRIA 4.0 NA PRÁTICA Antonio Cabral Ari Costa Roteiro A história do projeto;

Leia mais

O desafio da produtividade

O desafio da produtividade O desafio da produtividade 21º Seminário Dia da Qualidade Caxias CIC Renato da Fonseca Caxias do Sul, RS, 20/07/2015 Roteiro 1. O estado da indústria e da economia brasileira 2. Baixa competitividade:

Leia mais

66 ESPECIAL SONDAGEM

66 ESPECIAL SONDAGEM Indicadores CNI SONDAGEM 66 ESPECIAL Indústria 4.0 Indústria 4.0: novo desafio para a indústria brasileira O uso de tecnologias digitais na indústria brasileira é pouco difundido. Entre as empresas pesquisadas,

Leia mais

Competitividade Brasil e países selecionados Determinantes macroeconômicos Renato da Fonseca

Competitividade Brasil e países selecionados Determinantes macroeconômicos Renato da Fonseca Competitividade Brasil e países selecionados Determinantes macroeconômicos Renato da Fonseca Seminários IBRE: Os Desafios da Competitividade Sessão 1: Determinantes macroeconômicos Rio de Janeiro, 28 de

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

SONDAGEM ESPECIAL INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO SONDAGEM ESPECIAL INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Ano 3 Número 4 ISSN 2317-70 dezembro de 2013 www.cni.org.br PRODUTIVIDADE Qualidade da mão de obra dificulta o aumento da produtividade das empresas entendem que

Leia mais

O Futuro da Indústria e a Empregabilidade em Engenharia

O Futuro da Indústria e a Empregabilidade em Engenharia 27 de setembro de 2016 XLIV Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia - COBENGE O Futuro da Indústria e a Empregabilidade em Engenharia Zil Miranda Diretoria de Inovação-CNI Mudança de paradigma:

Leia mais

29 FIEE Impactos da indústria 4.0 no mercado industrial e o surgimento de novos modelos de negócios

29 FIEE Impactos da indústria 4.0 no mercado industrial e o surgimento de novos modelos de negócios 29 FIEE Impactos da indústria 4.0 no mercado industrial e o surgimento de novos modelos de negócios Marcelo F. Pinto 25 de julho de 2017 Sobre a PPI-Multitask Sobre a PPI-Multitask 25+ anos de experiência;

Leia mais

Qualificação para a Indústria 4.0. Uma solução da indústria para a indústria

Qualificação para a Indústria 4.0. Uma solução da indústria para a indústria Qualificação para a Indústria 4.0 Uma solução da indústria para a indústria A mudança dos paradigmas na Indústria 4.0 3.0 4.0 Terceira revolução industrial A utilização de CLP s e robôs leva a um grande

Leia mais

GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA: A GANGORRA DA COMPETITIVIDADE

GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA: A GANGORRA DA COMPETITIVIDADE ACEITAÇÃO RESISTÊNCIA DO MERCADO ()Χ UCEO Β RESULTADO COMPETÊNCIA TECNOLÓGICA MERCADO EMPRESA PERCEPÇÃO de VALOR GESTÃO da COMPETÊNCIA 1 COMPETÊNCIA TECNOLÓGICA como recurso da empresa: CAPITAL INTELECTUAL,

Leia mais

Os novos desafios da Manutenção Inteligente. Daniel E. Castro ABRESIN

Os novos desafios da Manutenção Inteligente. Daniel E. Castro ABRESIN Os novos desafios da Manutenção Inteligente Daniel E. Castro ABRESIN Evolução dos Sistemas de Produção 1800 1850 1970 2000 OPERAR CONSERTAR PREVENIR GLOBALIZAÇÃO SUSTENTABILIDADE FATORES DEMOGRÁFICOS

Leia mais

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área Visão por meio das atividades de valor) Preço Prazo Assistência Técnica Modelo de gestão Análise de aspectos políticos governamentais, econômicos e legais Planejamento estratégico Orçamento empresarial

Leia mais

A Digitalização da Manufatura. Renato Leite Desenvolvimento de Mercado Industry Symposium, November, 2016

A Digitalização da Manufatura. Renato Leite Desenvolvimento de Mercado Industry Symposium, November, 2016 A Digitalização da Manufatura Renato Leite Desenvolvimento de Mercado Industry Symposium, November, 2016 Restricted Siemens AG 2016 Realize innovation. Agenda Como Possibilitar a Inovação A Digitalização

Leia mais

INOVAÇÃO E MANUFATURA AVANÇADA

INOVAÇÃO E MANUFATURA AVANÇADA INOVAÇÃO E MANUFATURA AVANÇADA Aqui estão alguns dos benefícios gerados pelo desenvolvimento e adoção de tecnologias digitais e entrada na era da manufatura avançada: CONTROLAR PROCESSOS E AUMENTAR EFICIÊNCIA

Leia mais

Questionário Simplificado

Questionário Simplificado Contrato BNDES/FINEP/FUJB Arranjos e Sistemas Produtivos Locais e as Novas Políticas de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico Questionário Simplificado A ser aplicado nas pequenas empresas Fevereiro/2000

Leia mais

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital 12º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes - MOLDES ABM Agosto de 2014 Importância do investimento na

Leia mais

Indústria 4.0 Bosch com a Pequena e Média

Indústria 4.0 Bosch com a Pequena e Média Bosch com a Pequena e Média 4º FÁBIO FERNANDES Especialista Bosch Agenda Conceito Implementação de novas tecnologias em plantas existentes Tecnologia para a vida e Conectados pela vida IoTS Internet das

Leia mais

IPEA O desafio da produtividade na visão das empresas

IPEA O desafio da produtividade na visão das empresas IPEA O desafio da produtividade na visão das empresas Fernanda de Negri João Maria de Oliveira Brasília, Fevereiro 2014 1 Introdução Um dos principais desafios para que a economia brasileira seja capaz

Leia mais

PME INTRODUÇÃO A QUALIDADE INDÚSTRIA 4.0

PME INTRODUÇÃO A QUALIDADE INDÚSTRIA 4.0 PME3463 - INTRODUÇÃO A QUALIDADE 1 INDÚSTRIA 4.0 GRUPO 2 - TURMA 4 Nome: Arthur Yamamoto Martinez NºUSP:4651007 Nome: Emerson Soares de Almeida NºUSP: 8992005 Profº Walter Jorge Augusto Ponge Ferreira

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 9º Diálogos da MEI ESTRATÉGIA NACIONAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL JAILSON BITTENCOURT DE ANDRADE SECRETÁRIO DE POLÍTICAS E PROGRAMAS

Leia mais

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA E DE INOVAÇÃO EM SANTA CATARINA Laser Sistemas de Manufatura Eletroeletrônica Logística Ambiental Alimentos e Bebidas Têxtil, vestuário

Leia mais

4) ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA

4) ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é dotar os participantes de todos os instrumentos necessários para tomar as decisões fundamentais de investimento e inovação e levá-la à prática

Leia mais

MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS

MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS MBA em GESTÃO ESTRATÉGICA DE EMPRESAS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é dotar os participantes de todos os instrumentos necessários para tomar as decisões fundamentais de investimento e inovação e levá-

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Maio 2014 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa 2016 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de autopeças.

Leia mais

Estratégias da FINEP e seus Instrumentos de Apoio à Inovação. Prof. Oswaldo Massambani Titular da Superintendência Regional de São Paulo

Estratégias da FINEP e seus Instrumentos de Apoio à Inovação. Prof. Oswaldo Massambani Titular da Superintendência Regional de São Paulo Estratégias da FINEP e seus Instrumentos de Apoio à Inovação Prof. Oswaldo Massambani Titular da Superintendência Regional de São Paulo A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada ao MCTIC (Ministério

Leia mais

PRODUTIVIDADE DA INDÚSTRIA TOCANTINENSE. que a produtividade de sua empresa cresceu nos empresas, por meio de 67%

PRODUTIVIDADE DA INDÚSTRIA TOCANTINENSE. que a produtividade de sua empresa cresceu nos empresas, por meio de 67% Edição Especial Produtividade ondagem O termômetro da indústria tocantinense Palmas, Tocantins abril de 2014 PRODUTIVIDADE DA INDÚSTRIA TOCANTINENSE Dos empresários fazem Dos empresários afirmam 63% avaliação

Leia mais

Fatores chave na construção da empresa digital. Rui Abreu

Fatores chave na construção da empresa digital. Rui Abreu Fatores chave na construção da empresa digital Rui Abreu ESTÁ EM CURSO UMA PROFUNDA TRANSFORMAÇÃO DIGITAL SUMÁRIO FATORES CHAVE NA CONSTRUÇÃO DA EMPRESA DIGITAL Novas terminologias na indústria Mapa para

Leia mais

Graduação em Administração

Graduação em Administração Graduação em Administração Disciplina: Planejamento Estratégico Aula 7 Cadeia de Valor São José dos Campos, março de 2011 Cadeia de Valor A vantagem competitiva de uma empresa não resulta simplesmente

Leia mais

APIs para a indústria. Best Development

APIs para a indústria. Best Development APIs para a indústria Best Development Evolução do mercado de TI Modbus.dll OPC.lib MySQL.so... Bibliotecas C C++ C# Java Python... Linguagens de Programação Linguagem de máquina (01000010111010001) Evolução

Leia mais

Instituto SENAI de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica. 08 de maio de 2017

Instituto SENAI de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica. 08 de maio de 2017 Instituto SENAI de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica 08 de maio de 2017 victor.gomes@senairs.org.br v Agenda 1 2 3 Instituto SENAI de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica Apresentação

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DA INDÚSTRIA 4.0, A REDUÇÃO DA FALHA HUMANA E SUA VIABILIDADE NA INDÚSTRIA NACIONAL

TÍTULO: ESTUDO DA INDÚSTRIA 4.0, A REDUÇÃO DA FALHA HUMANA E SUA VIABILIDADE NA INDÚSTRIA NACIONAL 16 TÍTULO: ESTUDO DA INDÚSTRIA 4.0, A REDUÇÃO DA FALHA HUMANA E SUA VIABILIDADE NA INDÚSTRIA NACIONAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Prof. Me. Érico Pagotto Aula 06

Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Prof. Me. Érico Pagotto Aula 06 Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Prof. Me. Érico Pagotto Aula 06 Organizações que compõem processo da cadeia de abastecimento Organizações de Fornecimento O papel do fornecedor O que os clientes

Leia mais

BNDES Soluções Tecnológicas

BNDES Soluções Tecnológicas BNDES Soluções Tecnológicas Área de Operações Indiretas (AOI) Equipe: Edson Moret Luciana Surliuga Raphael Azeredo Breno Albuquerque Daniel Grimaldi INTRODUÇÃO 1 2 3 O SURGIMENTO DA IDÉIA... Fatores determinantes

Leia mais

Indústria do Futuro. Maria Luisa Campos Machado Leal. Diretora de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. 7º Congresso Nacional Moveleiro

Indústria do Futuro. Maria Luisa Campos Machado Leal. Diretora de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. 7º Congresso Nacional Moveleiro Indústria do Futuro Maria Luisa Campos Machado Leal Diretora de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação 7º Congresso Nacional Moveleiro Curitiba - PR Setembro 2016 Sumário ABDI Desafio da indústria Indústria

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho, Msc. Código SIGA: TMBAES*06_38 1 OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz

Leia mais

Seja bem-vindo ao nosso Portfólio Digital. A Blueway Nossos diferenciais Clientes O que fazemos Contato

Seja bem-vindo ao nosso Portfólio Digital. A Blueway Nossos diferenciais Clientes O que fazemos Contato Seja bem-vindo ao nosso Portfólio Digital 1 2 3 4 A Blueway Nossos diferenciais Clientes O que fazemos Contato 1 Blueway Nossa organização Somos a Blueway, uma consultoria que atua na transformação organizacional

Leia mais

V FÓRUM DA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA

V FÓRUM DA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA Information Analytics Expertise 28 ABRIL 2014 V FÓRUM DA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA Automotive Business Paulo Cardamone, Managing Director, Advisory Services IHS Automotive / ALL RIGHTS RESERVED Inovar

Leia mais

Manufatura Avançada A interação dos clientes com as máquinas

Manufatura Avançada A interação dos clientes com as máquinas Manufatura Avançada A interação dos clientes com as máquinas José Borges Frias Jr. São Paulo, 24 de outubro de 27. unrestricted www.siemens.com.br Digitalização muda tudo 2? Indústria 4.0 Resposta aos

Leia mais

Manufatura Avançada COPYRIGHT 2015 Fundação CERTI

Manufatura Avançada COPYRIGHT 2015 Fundação CERTI Atuação da Fundação CERTI no contexto de Manufatura Avançada Histórico da CERTI em Automação da Manufatura Projetos Correlacionados Célula Robótica Fábrica do Futuro Confecções 2 Final 2014 - Proposição

Leia mais

Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS.

Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS. Esse é o nosso negócio. A INFORMAÇÃO DE QUE VOCÊ PRECISA. NEM MAIS, NEM MENOS. Novas demandas de mercado exigem que modelos técnicos consagrados sejam incorporadas a novas tecnologias, novos conhecimentos

Leia mais

ADM 250 capítulo 8 - Slack, Chambers e Johnston

ADM 250 capítulo 8 - Slack, Chambers e Johnston ADM 250 capítulo 8 - Slack, Chambers e Johnston 1 Perguntas que se esperam respondidas ao final do capítulo 8 Que é tecnologia de processo? ecnologia de Processo Quais são as tecnologias de processamento

Leia mais

Visão de futuro dos sistemas informatizados nas grandes empresas distribuidoras de energia

Visão de futuro dos sistemas informatizados nas grandes empresas distribuidoras de energia Soluções Tecnológicas S.A. Visão de futuro dos sistemas informatizados nas grandes empresas distribuidoras de energia Belo Horizonte, 14 de julho de 2017 Visão de futuro dos sistemas nas grandes empresas

Leia mais

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional São Paulo, 15 de Março de 2015 Agenda

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com ANTIGAMENTE... Administradores não precisam saber muito como a informação era coletada, processada

Leia mais

IV Workshop PPI -CIESP

IV Workshop PPI -CIESP IV Workshop PPI -CIESP Por dentro da Segurança 25/10/2016 Por dentro da Segurança Inteligência Competitiva com Sistemas de Câmeras Integrados aaffonso@tpsolutions.com.br 2 a2 a3 Evolução Tecnológica A

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO G5. 1º A 2016 (2 sem) Noturno. Central. Teorias da Administração. Teorias da Administração

ADMINISTRAÇÃO G5. 1º A 2016 (2 sem) Noturno. Central. Teorias da Administração. Teorias da Administração ADMINISTRAÇÃO G5 1º A 2016 (2 sem) Noturno Língua Portuguesa Matemática Teorias da Sociologia e Política Psicologia Aplicada Língua Portuguesa Matemática Teorias da Sociologia e Política Psicologia Aplicada

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL CONSTRUÇÃO CIVIL

SONDAGEM ESPECIAL CONSTRUÇÃO CIVIL SONDAGEM ESPECIAL CONSTRUÇÃO CIVIL Ano 1 Número 1 abril de 2011 www.cni.org.br Falta de Trabalhador Qualificado Falta de trabalhador qualificado reduz produtividade da construção civil civil afirmam que

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção Curso de Engenharia de Produção Apresentação 2015 Prof. Dr. Carlos Fernando Jung carlosfernandojung@gmail.com Nosso Negócio Produtividade Rentabilidade Melhoria Contínua Otimização de Produtos e Processos

Leia mais

Tendências da Digitalização da Economia

Tendências da Digitalização da Economia Seminário A Região de Lisboa e Vale do Tejo e o País, 10 anos depois do PNPOT Economia 4.0 Jaime S. Andrez / Presidente da CD do COMPETE 2020 16 maio 2017 1 Tendências da Digitalização da Economia A economia

Leia mais

Educação Profissional SENAI. Inovação. Tecnologia. Eixos de atuação. Institutos. Tecnologia e Inovação

Educação Profissional SENAI. Inovação. Tecnologia. Eixos de atuação. Institutos. Tecnologia e Inovação SENAI Há mais de 70 anos, o Senai no Paraná é referência em educação profissional para a indústria. Mas os desafios do setor inspiraram o Senai a ir além, tornando-se um dos maiores centros indutores de

Leia mais

Marcelo Ferreira. Consultor de Lean Printing Manufatura Enxuta da Indústria Gráfica

Marcelo Ferreira. Consultor de Lean Printing Manufatura Enxuta da Indústria Gráfica Especialista do Segmento Gráfico Marcelo Ferreira Consultor de Lean Printing Manufatura Enxuta da Indústria Gráfica Conhecimentos práticos e teóricos de toda a cadeia produtiva, administrativa e de custeio

Leia mais

CAMINHOS DA INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA GAÚCHA PRONEX PROGRAMA DE APOIO A NÚCLEOS DE EXCELÊNCIA

CAMINHOS DA INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA GAÚCHA PRONEX PROGRAMA DE APOIO A NÚCLEOS DE EXCELÊNCIA Dado que as atividades de inovação podem estar tanto reunidas como espalhadas pelas mais diversas áreas da empresa, concentramos nossa atenção em quatro áreas: (1) Desenvolvimento, (2) Operações, (3) Administração,

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Profª Esp. Mônica Suely Guimarães de Araujo Conceito Logística são os processos da cadeia de suprimentos (supply chain) que planejam, estruturam e controlam, de forma eficiente e

Leia mais

COORDENAÇÃO: Prof. DSc Luiz Carlos S. Angrisano. 2 Período - Curso de Graduação em Engenharia de Produção

COORDENAÇÃO: Prof. DSc Luiz Carlos S. Angrisano. 2 Período - Curso de Graduação em Engenharia de Produção 2 Período - Curso de Graduação em Engenharia de Produção Cálculo Diferencial e Integral I Humanidades, Ciências Sociais e Cidadania Ciência do Ambiente Estatística e Probabilidade Desenho Técnico Física

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO NO CALL CENTER

TERCEIRIZAÇÃO NO CALL CENTER TERCEIRIZAÇÃO NO CALL CENTER TERCEIRIZAÇÃO DO CALL CENTER Porque terceirizar: vantagens e desvantagens Como garantir a qualidade do serviço terceirizado Economia de custos? A importância da parceria entre

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 03: Logística Empresarial e Competitividade - Evolução da Supply Chain

GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 03: Logística Empresarial e Competitividade - Evolução da Supply Chain GST0045 GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO Aula 03: Logística Empresarial e Competitividade - Evolução da Supply Chain Conflito Marketing X Logística O aluno deverá ser capaz de: Conhecer os níveis de serviço

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ADMINISTRAÇÃO

TÓPICOS AVANÇADOS EM ADMINISTRAÇÃO TÓPICOS AVANÇADOS EM ADMINISTRAÇÃO PARADIGMAS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Dr. João Luiz de Souza Lima PARADIGMAS DA ADMINISTRAÇÃO Mudanças na era organizacional. Velhas organizações dão lugar a novas. Revolução

Leia mais

PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL

PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL PRESENCIAL E A DISTÂNCIA COMPLETA COM VOCÊ PROGRAMA PÓS-FLEX 2017 UNIVERSIDADE POSITIVO CÂMPUS SEDE - ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO ÁREA DE NEGÓCIOS, GESTÃO AMBIENTAL E ENGENHARIA

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Janeiro de 2015 Os indicadores demonstram as dificuldades que as empresas de BK vêm encontrando... 2 O acirramento da concorrência

Leia mais

Aquisição de Recursos Materiais Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva

Aquisição de Recursos Materiais Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais Martins & Alt Editora Saraiva 5 CAPÍTULO Aquisição de Recursos Materiais 1 Recursos Materiais São os itens ou componentes que uma empresa utiliza nas suas operações do dia a dia, na elaboração do seu produto final ou na consecução

Leia mais

SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS

SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS Área de Operações Indiretas Equipe: Edson Moret Luciana Surliuga Raphael Azeredo Dilson Ojeda Victor Pimenta Panorama Geral Mercado de Transferência de Tecnologia Vale da Morte da

Leia mais

MAIS DO QUE OLHAR PARA O FUTURO, AQUI VOCÊ APRENDE A CRIÁ-LO.

MAIS DO QUE OLHAR PARA O FUTURO, AQUI VOCÊ APRENDE A CRIÁ-LO. MAIS DO QUE OLHAR PARA O FUTURO, AQUI VOCÊ APRENDE A CRIÁ-LO. F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo MBA MBA Mestre em Design e Arquitetura pela USP e graduada em Arquitetura

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Design & Ilustração Aplicativos Jogos Realidade Virtual Apresentação da Empresa Nossa Proposta de Valor Entregar Soluções em Software Mobile, resolvendo problemas do mundo real ou criando novas oportunidades

Leia mais

Produtividade na economia brasileira

Produtividade na economia brasileira Produtividade na economia brasileira Prof. Hildo Meirelles de Souza Filho Extraído de: Andrade, Márcio Rodrigues de PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA BRASILEIRA ENTRE 1990 E 2002: COMPARAÇÃO ENTRE INDÚSTRIAS

Leia mais

Sistema NEWPROD. Competitividade Adaptabilidade Escalabilidade Aderência

Sistema NEWPROD. Competitividade Adaptabilidade Escalabilidade Aderência Sistema NEWPROD Competitividade Adaptabilidade Escalabilidade Aderência Competitividade Nós temos que ser melhores que as outras Empresas Este é o conceito para os próximos anos Medir NEWPROD Somente pode

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 5º Encontro - 02/03/2012 18:40 às 20:30h Prof. Adm. Sérgio David Ferreira Cruz CRA-BA N 9813 COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? 02

Leia mais

61 ESPECIAL SONDAGEM

61 ESPECIAL SONDAGEM Indicadores CNI SONDAGEM 1 ESPECIAL Emprego na indústrias extrativa e de transformação Redução da produção e dificuldades financeiras afetaram trabalhadores de 0% da indústria As dificuldades enfrentadas

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização da

Leia mais

Engenharia de Processos Oscar F. T Paulino

Engenharia de Processos Oscar F. T Paulino 17 Seminário Brasileiro Industrial 27/10/2016 Engenharia de Processos Oscar F. T Paulino Engenharia de Processos - Conceitos Campo de atividades que utiliza os conhecimentos das Ciências básicas (Matemática,

Leia mais

Tecnologia Empresarial Ltda

Tecnologia Empresarial Ltda tecém Tecnologia Empresarial Ltda www.tecem.com.br tecem@tecem.com.br Júlio Nascif 31-9 9108 8109 2017 RESULTADOS 21 anos GAP Aumento da produtividade ~ 30% resultados, competitividade Empresas Excelentes

Leia mais

Inovação e difusão tecnológica:

Inovação e difusão tecnológica: GESTÃO DA INOVAÇÃO PROF. ME. ÉRICO PAGOTTO Inovação e difusão tecnológica: inove ou morra 1 O que é mais importante: inovação ou difusão? inovação Inovação e difusão são processos complementares Uma inovação

Leia mais

FAHOR - FACULDADE HORIZONTINA

FAHOR - FACULDADE HORIZONTINA Ciências Econômicas - 1º Semestre de 2017 - Noturno EC2014 0096 - Economia Industrial 0094 - Economia Internacional II 0094 - Economia Internacional II 0093 - Econometria 0093 - Econometria 0097 - Trabalho

Leia mais

Modelo SENAI de Prospecção

Modelo SENAI de Prospecção Modelo SENAI de Prospecção Prospectiva Organizacional São Paulo, 20/3/17 UNIEPRO/DIRET Modelo SENAI de Prospecção Justificativa É longo o ciclo entre captar a demanda, transformar em desenho curricular,

Leia mais

1º PERÍODO. Carga Horária e Creditação. Total (50') Física I 80 66, Laboratório de Física I 40 33,

1º PERÍODO. Carga Horária e Creditação. Total (50') Física I 80 66, Laboratório de Física I 40 33, 1º PERÍODO Física I 80 66,67 4 4 0 Laboratório de Física I 40 33,33 2 1 1 Laboratório de Computação 40 33,33 2 0 2 Introdução a Engenharia de Produção 60 50 3 3 0 Geometria Analítica 60 50 3 3 0 Química

Leia mais

FAHOR - FACULDADE HORIZONTINA

FAHOR - FACULDADE HORIZONTINA Ciências Econômicas - 1º Semestre de 2017 - Noturno EC2014 0096 - Economia Industrial 0094 - Economia Internacional II 0094 - Economia Internacional II 0093 - Econometria 0093 - Econometria 0097 - Trabalho

Leia mais

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014

Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES. ABIMAQ fevereiro de 2014 Apresentação Institucional Departamento de Bens de Capital - BNDES ABIMAQ fevereiro de 2014 Prioridades BNDES Infraestrutura logística e energética Infraestrutura urbana de saneamento e mobilidade. Modernização

Leia mais

Inovação e Produtividade

Inovação e Produtividade Aula 11 Inovação e Produtividade Glauco Arbix Depto de Sociologia USP Curso de Pós 2º sem. 2016 Manufatura nos anos 90 Manufatura: cerca de 30% do PIB (para países OCDE) Taxas de produtividade 2 vezes

Leia mais

Conjunto de regras entre o que é certo e errado; um modelo ou padrão que define o comportamento das pessoas.

Conjunto de regras entre o que é certo e errado; um modelo ou padrão que define o comportamento das pessoas. disciplina FUNDAMENTOS DE GESTÃO TERCEIRIZAÇÃO Paradigmas - Definições Conjunto de regras entre o que é certo e errado; um modelo ou padrão que define o comportamento das pessoas. Velhos Paradigmas: burocracia,

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

SOBRE A POLLUX AUTOMATION

SOBRE A POLLUX AUTOMATION SOBRE A POLLUX AUTOMATION 15 anos de sólida experiência em engenharia de automação Fornecimento da solução completa turn-key Mais de 700 sistemas instalados com sucesso para mais de 200 clientes 80 profissionais

Leia mais

Economias de escala e concorrência imperfeita

Economias de escala e concorrência imperfeita v. 01 Economias de escala e concorrência imperfeita Reinaldo Gonçalves Professor titular UFRJ reinaldogoncalves1@gmail.com 1 Sumário 1. Economias de escala 2. Concorrência imperfeita 3. Diferenciação de

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Principia é uma plataforma de integração e gestão inteligente de estoques para e-commerce. 1. A SOLUÇÃO PRINCIPIA A Plataforma Principia integra ERPs a Plataformas de E-Commerce

Leia mais

Produtividade do Trabalho na Indústria Brasileira

Produtividade do Trabalho na Indústria Brasileira Produtividade do Trabalho na Indústria Brasileira Renato da Fonseca Mesa Redonda Evolução da Produtividade do Trabalho e o Crescimento do Custo da Mão de Obra na Bahia e no Brasil FIEB Salvador 3 de maio

Leia mais

Consumer Goods. Cadeia de abastecimento Produção Eficiente (MES)

Consumer Goods. Cadeia de abastecimento Produção Eficiente (MES) Consumer Goods Cadeia de abastecimento Produção Eficiente (MES) Anticipatingcustomers needs in a changingenvironment Consumer Goods Supply Chain - Efficient Manufacturing (MES) Objetivo / Desafio Os fabricantes

Leia mais

Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza

Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza Gestão efetiva de mercado em tempos de incerteza Data e Local Turma 1: 07 e 08/10/2016 FDC, Campus RJ Turma 2: 2017 FDC, Campus SP Carga horária 16 horas Investimento R$ 3.500,00 Público-alvo Executivos

Leia mais

Fonte : sistemaerp.org

Fonte : sistemaerp.org Fonte : sistemaerp.org O QUE É SISTEMA ERP? ERP- ENTERPRISE RESOURCE PLANNING É um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais

Leia mais

Gestão da inovação. Conceitos e tipos de inovação. Prof. Diego Fernandes diegofernandes.weebly.

Gestão da inovação. Conceitos e tipos de inovação. Prof. Diego Fernandes diegofernandes.weebly. Gestão da inovação Conceitos e tipos de inovação 1 Referência Aula montada com base no capítulo 1 da referência abaixo. CARVALHO, Hélio Gomes de; REIS, Dálcio Roberto dos; CAVALCANTE, Márcia Beatriz. Gestão

Leia mais

EDUCAÇÃO E A INDÚSTRIA 4.0 SISTEMA FIEP

EDUCAÇÃO E A INDÚSTRIA 4.0 SISTEMA FIEP EDUCAÇÃO E A INDÚSTRIA 4.0 SISTEMA FIEP Indústria 4.0 Não é uma revolução, mas sim uma evolução Mundo digital + Mundo da manufatura Produção flexível, personalizada e com automação integrada Processo com

Leia mais

CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS º PERÍODO CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO CÁLCULO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE FÍSICA DISCIPLINA: REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DISCIPLINA:

Leia mais

Soluções Corporativas Eduardo Pitombo

Soluções Corporativas Eduardo Pitombo Soluções Corporativas Eduardo Pitombo Nossa Missão Desenvolver soluções de educação customizadas para empresas públicas e privadas, que contribuam diretamente para a melhoria das competências de seus funcionários

Leia mais

REUNIÃO MENSAL ABIMDE

REUNIÃO MENSAL ABIMDE Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras REUNIÃO MENSAL ABIMDE 16-05-2017 Credenciada MCTI/SEPIN Lei de Informática Credenciada O SISTEMA CERTI Criado em 1984 com a missão de apoiar empresas no

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL 71% 79% 88% 80% possuem Sistema de Gestão Ambiental 67% 84% Maioria das indústrias faz gestão ambiental MEIO AMBIENTE

SONDAGEM ESPECIAL 71% 79% 88% 80% possuem Sistema de Gestão Ambiental 67% 84% Maioria das indústrias faz gestão ambiental MEIO AMBIENTE SONDAGEM ESPECIAL Ano 8 Número 2 setembro de 2010 www.cni.org.br MEIO AMBIENTE Maioria das indústrias faz gestão ambiental 71% 79% das empresas adotam procedimentos gerenciais associados à gestão ambiental.

Leia mais

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado INOVAR PARA CRESCER QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo. Atua como banco de desenvolvimento apoiando financeiramente às iniciativas que estimulam o crescimento

Leia mais

SENAI Departamento Regional Rio Grande do Sul. Dr. Eng. Victor Gomes Diretor do ISI em Soluções Integradas em Metalmecânica

SENAI Departamento Regional Rio Grande do Sul. Dr. Eng. Victor Gomes Diretor do ISI em Soluções Integradas em Metalmecânica SENAI Departamento Regional Rio Grande do Sul Dr. Eng. Victor Gomes Diretor do ISI em Soluções Integradas em Metalmecânica Indústria 4.0 Me. Eng. João Alvarez Peixoto Doutorando em Automação e Controle

Leia mais

PROPOSTA DE UM FRAMEWORK PARA DEFINIÇÃO DE REQUISITOS DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE VISÃO NO CONTEXTO DA INDÚSTRIA 4.0

PROPOSTA DE UM FRAMEWORK PARA DEFINIÇÃO DE REQUISITOS DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE VISÃO NO CONTEXTO DA INDÚSTRIA 4.0 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC - 2017 (MARCELO RUDEK) PROPOSTA DE UM FRAMEWORK PARA DEFINIÇÃO

Leia mais

BENS DE CONSUMO. Tudo para que a sua empresa tenha uma gestão completa, flexível e integrada, e conquiste resultados ainda melhores.

BENS DE CONSUMO. Tudo para que a sua empresa tenha uma gestão completa, flexível e integrada, e conquiste resultados ainda melhores. Segmento MANUFATURA BENS DE CONSUMO Para o subsegmento de bens de consumo, as soluções de software de gestão da TOTVS produzem resultados em série. Um conjunto de funcionalidades que atuam na essência

Leia mais