Análise gasométrica volumétrica ou eudiométrica dos gases

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise gasométrica volumétrica ou eudiométrica dos gases"

Transcrição

1 Análise gasométrica volumétrica ou eudiométrica dos gases A análise volumétrica gasométrica também é conhecida como análise eudiométrica, devido ao aparelho utilizado neste processo que é chamado de eudiômetro. Neste processo os gases passam por uma série de recipientes que contém soluções de determinadas substâncias que absorvem gradativamente cada um dos componentes da mistura gasosa. Como conseqüência da absorção de parte dos gases da mistura o volume da mistura gasosa diminui, logo, se descobrirmos qual foi essa diminuição também saberemos qual é o volume do gás. Na maioria das análises volumétricas a mistura é submetida a uma combustão com gás oxigênio em excesso. Analisando-se os gases após a combustão pode-se descobrir a composição da mistura original. Esta combustão é feita num eudiômetro com o uso de uma faísca elétrica. Resumidamente, teremos: 1 o.) A mistura gasosa é borbulhada em uma solução de hidróxido de potássio (KOH), a qual absorve o gás carbônico (CO 2), o dióxido de enxofre (SO 2), os halogênios e os hidretos de halogênios ou halogenidretos. 2 o.) A mistura gasosa é borbulhada através de água de bromo que absorve os hidrocarbonetos insaturados (que apresentam ligações duplas e ou triplas), pois o bromo (Br 2) é adicionado às duplas ou triplas ligações dos hidrocarbonetos insaturados. 3 o.) A mistura gasosa é borbulhada através de fósforo branco sólido ou de uma solução alcalina de ácido pirogálico (pirogalol), que absorve o oxigênio contido na mistura. 4 o.) A mistura gasosa é borbulhada através de uma solução de cloreto cuproso amoniacal, que absorve o monóxido de carbono (CO) da mistura. 1

2 5 o.) Se a mistura gasosa contiver gás amônia (NH 3), utiliza-se ácido sulfúrico (H 2SO 4) diluído para absorver este gás. SOLUÇÃO ABSORVENTE GASES ABSORVIDOS KOH CO 2, SO 2, X 2, HX Br 2 Hidrocarbonetos insaturados Ácido pirogálico (1,2,3-benzenotriol) O 2 (gás oxigênio) Fósforo branco (sólido) O 2 (gás oxigênio) Cloreto cuproso amonical [Cu(NH 3) 4C l 2] CO (gás monóxido de carbono) Ácido sulfúrico diluído ( H2SO 4 ) NH 3 (gás amônia) I. Primeiro exercício resolvido Exercícios resolvidos Uma mistura gasosa é de monóxido de carbono (CO), metano (CH 4), eteno (C 2H 4) e nitrogênio (N 2) é colocada num eudiômetro. O volume inicial de mistura é de 65 ml e são acrescentados 100 ml de gás oxigênio no interior do equipamento. Provoca-se uma faísca elétrica e verifica-se que ocorre uma contração de volume de 65 ml. A mistura resultante é borbulhada através de uma solução de hidróxido de potássio (KOH) e seu volume é reduzido a 40 ml. Em seguida a mistura é borbulhada em uma solução de ácido pirogálico e o volume se reduz a 25 ml. A partir das informações dadas determine a composição da mistura gasosa original. Fazendo: Volume de CO = x Volume de CH 4 = y Volume de C 2H 4 = z Volume de N 2 = t Teremos, x + y + z + t = 65 ml ou seja, x + y + z + t = 65 (1) As equações das reações de combustão são dadas por: CO (g) + ½O 2(g) CO 2(g) x 0,5x x CH 4(g) + 2O 2(g) CO 2(g) + 2H 2O (l) y 2y y C 2H 4(g) + 3O 2(g) 2CO 2(g) + 2H 2O (l) z 3z 2z N 2(g) t Volume da mistura antes da combustão = 65 ml ml = 165 ml. Como depois da combustão ocorreu uma contração de volume de 65 ml, o volume depois da combustão será dado por 165 ml 65 ml = 100 ml. 2

3 Este volume se reduz a 40 ml depois da mistura ser passada pela solução de KOH. Logo, o volume de CO 2 absorvido é dado por 100 ml 40 ml = 60 ml. Pelas equações temos que: V(CO 2) = x + y + 2z x + y + 2z = 60 (2) Como o volume da mistura antes de passar pela solução de ácido pirogálico era de 40 ml e depois diminuiu a 25 ml, concluímos que o volume de gás oxigênio em excesso, que não entrou na reação de combustão e que foi absorvido é dado por 40 ml 25 ml = 15 ml. Como foram adicionados 100 ml de oxigênio e restaram 15 ml em excesso, podemos calcular o volume de gás oxigênio gasto na combustão: 100 ml 15 ml = 85 ml. V(O 2 gasto) = 0,5x + 2y + 3z 0,5x + 2y + 3z = 85 (3) Após ocorrer a combustão os gases restantes serão o CO 2, O 2 em excesso e N 2. Como ocorreu a absorção do CO 2 e O 2 em excesso, e o volume foi reduzido a 25 ml, conclui-se que este volume é do gás nitrogênio. V(N 2) = 25 ml t = 25 (4) A partir das equações (1), (2), (3) e (4), teremos: x + y + z + t = 65 x + y + 2z = 60 0,5x + 2y + 3z = 85 t = 25 Resolvendo o sistema, vem: x = 10; y = 10, z = 20 e t = 25. A composição da mistura original é dada por: Volume de CO = x =10 ml. Volume de CH 4 = y = 10 ml. Volume de C 2H 4 = z = 20 ml. Volume de N 2 = t = 25 ml. II. Segundo exercício resolvido Num recipiente adequado, 50 ml de éter dietílico (C 4H 10O) e propanona (acetona) (C 3H 6O) são misturados na temperatura de 120 o C e pressão de 1 atm a 250 ml de gás oxigênio. Ao produzirmos uma faísca elétrica, verificamos que ocorre um aumento no volume de 70 ml, nas mesmas condições iniciais de temperatura e de pressão. Determine a composição da mistura original e o volume de gás oxigênio (O 2) residual. 3

4 Dados: Composto TE ( o C) Éter dietílico 34 Propanona 56 De acordo com os dados fornecidos na temperatura de 120 o C e 1 atm de pressão o e éter dietílico e a propanona estão no estado gasoso, logo se trata de uma mistura gasosa. O volume da mistura gasosa é de 50 ml, então: V(éter dietílico) = x V(propanona) = y Teremos, x + y = 50 (1) As equações que representam a combustão são dadas por: C 4H 10O (g) + 6O 2(g) 4CO 2(g) + 5H 2O (g) x 6x 4x 5x C 3H 6O (g) + 4O 2(g) 3CO 2(g) + 3H 2O (g) y 4y 3y 3y Volume antes da combustão = 50 + V(O 2) Volume de O 2 = 6x + 4y Observação: o volume de gás oxigênio em excesso não altera a contração ou a expansão do volume, conseqüentemente no volume antes e depois da combustão só devemos considerar o volume de gás oxigênio gasto na combustão. Volume antes da combustão = z + 4y Volume depois da combustão = volume de CO 2 + volume de H 2O Volume de CO 2 = 4x + 3y Volume de H 2O = 5x + 3y Volume depois da combustão = 4x + 3y + 5 x + 3y Volume depois da combustão = 9x + 6y Expansão de volume = 70 Volume depois da combustão = Volume antes da combustão + Expansão de volume 9x + 6y = (50 + 6x + 4y) = 70 (2) A partir das equações (1) e (2), teremos: x + y = 50 (1) 9x + 6y = (50 + 6x + 4y) = 70 (2) Resolvendo o sistema, vem: x = 20 e y = 30 Volume de éter etílico = 20 ml. Volume de propanona = 30 ml. 4

5 Volume de O 2 gasto na combustão = 6x + 4Y = 6 x x 30 = 240 ml. Logo, Volume de O 2 residual = = 10 ml. III. Terceiro exercício resolvido Sob 1 atm e 110 o C, 200 ml de gás oxigênio (O 2) são adicionados a 50 ml de uma mistura de metano (CH 4), etino (C 2H 2) e propeno (C 3H 6). A mistura é submetida a uma combustão e verificase que não ocorre contração nem expansão de volume. Sabendo que o volume de gás oxigênio em excesso é de 40 ml, calcule a composição da mistura inicial. Volume de CH 4 = x Volume de C 2H 4 = y Volume de C 3H 6 = z x + y + z = 50 (1) As equações que representam as combustões são dadas por: CH 4(g) + 2O 2(g) CO 2(g) + 2H 2O (g) x 2x x 2x C 2H 2(g) + 2,5O 2(g) 2CO 2(g) + H 2O (g) y 2,5y 2y y C 2H 6(g) + 4,5O 2(g) 3CO 2(g) + 3H 2O (g) z 4,5z 3z 3z Volume de O 2 gasto na combustão = = 160 ml A partir das equações de combustão, temos: Volume de O 2 gasto na combustão = 2x + 2,5y + 4,5z 2x + 2,5y + 4,5z = 160 (2) Volume antes da combustão = = 250 ml Volume depois da combustão = Volume de CO 2 + Volume de H 2O + Volume de O 2 em excesso Volume de CO 2 = x + 2y + 3z Volume de H 2O = 2x + y + 3z Volume de O 2 em excesso = 40 ml Volume após a combustão = (x + 2y + 3z) + (2x + y + 3z) + 40 Como o volume antes e depois da combustão não sofre alteração, temos: (x + 2y + 3z) + (2x + y + 3z) + 40 = 250 (3) A partir das equações (1), (2) e (3) vem o seguinte sistema: x + y + z = 50 5

6 2x + 2,5y + 4,5z = 160 (x + 2y + 3z) + (2x + y + 3z) + 40 = 250 Resolvendo teremos: x = 10, y = 20 e z = 20 A composição da mistura inicial é dada por: Volume de CH 4 = x = 10 ml. Volume de C 2H 4 = y = 20 ml. Volume de C 3H 6 = z = 20 ml. IV. Quarto exercício resolvido 40 ml de gás oxigênio e 5 ml de um hidrocarboneto desconhecido sofrem combustão por faísca elétrica em um recipiente apropriado. Depois da faísca elétrica o volume da mistura é de 35 ml. A mistura é borbulhada em solução de hidróxido de potássio (KOH) e o volume é reduzido a 25 ml. Determine a fórmula molecular do hidrocarboneto. Supomos a fórmula do hidrocarboneto: C xh 2y. A reação de combustão será dada por: C xh 2y + (2x + y)/2 O 2 xco 2 + yh 2O Volume do hidrocarboneto = 5 ml Volume de oxigênio gasto na combustão = 5(2x + y)/2 Volume de oxigênio em excesso = 25 ml Volume de oxigênio gasto na combustão = = 15 ml 5(2x + y)/2 = 15 (1) Volume de CO 2 = 5x Volume de CO 2 = = 10 ml Logo, 5x = 10 x = 2 Substituindo o valor de x na equação (1), vem: Y = 2, logo a fórmula do hidrocarboneto será dada por C xh 2y que equivale a C 2H 4. V. Quinto exercício resolvido 15 ml de uma alcano são misturados a 150 ml de gás oxigênio e provoca-se a combustão. Após a combustão 75 ml dos gases são absorvidos por fósforo branco. Determine a fórmula do alcano. A fórmula geral de um alcano é: C nh 2n + 2. A equação de combustão do alcano será dada por: C nh 2n (3n + 1)/2 O 2 nco 2 + nh 2O 6

7 Volume do alcano = 15 ml Volume de oxigênio gasto na combustão = 15(3n + 1)/2 Volume de oxigênio em excesso = 75 ml Volume de oxigênio gasto na combustão = = 75 ml 15(3n + 1)/2 = 75 n = 3 A fórmula do alcano (C nh 2n + 2) será C 3H 8. VI. Sexto exercício resolvido 10 ml de um alceno ou alqueno são misturados com 100 ml de gás oxigênio a 150 o C e 1 atm de pressão. Provoca-se a combustão e o volume permanece constante nas mesmas condições de pressão e de temperatura. Determine a fórmula molecular do alceno e o volume de gás oxigênio residual. A fórmula geral de um alceno é: C nh 2n. A equação de combustão do alcano será dada por: C nh 2n + 3n/2 O 2 nco 2 + nh 2O Volume do alceno = 10 ml Volume de oxigênio gasto = 10(3n/2) = 15n Volume antes da combustão = n Volume de CO 2 = 10n Volume de H 2O = 10n Volume depois da combustão = 10n + 10n = 20n Como o volume permanece constante, teremos: Volume antes = Volume depois n = 20n n = 2 a fórmula do alceno (C nh 2n) será C 2H 4. Volume de oxigênio gasto = 15 n = 15 x 2 = 30 ml Volume de oxigênio residual = = 70 ml. VII. Sétimo exercício resolvido 20 ml de um alcino são adicionados a 80 ml de gás oxigênio, ambos a 120 o C e 1 atm, e a mistura é submetida à combustão. Depois da combustão o volume passa a 90 ml nas mesmas condições de pressão e de temperatura. Determine a fórmula do alcino e o volume de gás oxigênio residual. A fórmula geral de um alcino é: C nh 2n -2. A equação de combustão do alcano será dada por: C nh 2n (3n 1)/2 O 2 nco 2 + (n 1)H 2O O volume inicial é de = 100 ml e o volume final é de 90 ml, logo houve uma contração de volume de 10 ml. Volume do alcino = 20 ml 7

8 Volume de oxigênio gasto = 20(3n 1)/2 = (30n 10) Volume antes da combustão = 20 + (30n 10) = 30n + 10 Volume de CO 2 = 20n Volume de H 2O = 20(n 1) = 20n 20 Volume depois da combustão = 20n + (20n 20) = 40n 20 Contração de volume = 10 ml (30n + 10) (40n 20) = 10 n = 2 A fórmula do alcino (C nh 2n - 2) será C 2H 2. Volume de oxigênio gasto = 30n 10 = 50 Volume de oxigênio residual = = 30 ml. Exercícios - Série Uma mistura gasosa é formada por eteno (C 2H 4) e propano (C 3H 8). 25 ml dessa mistura são adicionados a gás oxigênio em excesso. Posteriormente a mistura é submetida a uma combustão e verifica-se que ocorre uma contração de 65 ml no volume. Determine a composição centesimal em volume da mistura. 02. A combustão total de uma certa quantidade de metano (CH 4) e de etano (C 2H 6) produz 40 ml de gás carbônico e 65 ml de vapor de água, medidos nas mesmas condições de pressão e de temperatura. Determine a composição percentual em volume da mistura ml de um hidrocarboneto gasoso é adicionado a 100 ml de gás oxigênio num eudiômetro. Após provocarmos uma faísca elétrica observamos um volume de 80 ml. O volume obtido é borbulhado em uma solução de hidróxido de potássio (KOH) e verifica-se que 30 ml são absorvidos. Qual é a fórmula do hidrocarboneto? 04. Uma mistura de 100 ml de gás oxigênio e de 20 ml de um hidrocarboneto é submetida à combustão. Ocorre uma contração de volume equivalente a 50 ml e 30 ml dos gases formados na combustão são absorvidos por ácido pirogálico em solução alcalina. Determine a fórmula do hidrocarboneto. 05. Provoca-se faísca em uma mistura de 5 ml de um hidrocarboneto e 40 ml de gás oxigênio. Verifica-se, posteriormente, que o volume da mistura é de 35 ml. Borbulhando-se os produtos obtidos numa solução de hidróxido de potássio (KOH) verificamos que o volume da mistura passa a 25 ml. Determine a fórmula do hidrocarboneto ml de um alcano (C nh 2n+2) são queimados na presença de 150 ml de gás oxigênio. Após a combustão, verifica-se que 75 ml dos gases são absorvidos por fósforo branco. Determine a fórmula do alcano ml de gás oxigênio são adicionados a 20 ml de um Alcino (C nh 2n-2). Provoca-se a combustão da mistura a 120 o C e 1 atm de pressão. Verifica-se que após a combustão o volume medido é de 90 ml, nas mesma condições de pressão e temperatura anteriores. Determine: a) A fórmula molecular do Alcino. b) O volume residual de gás oxigênio. 08. Numa experiência de laboratório foram anotadas as seguintes observações: 1 o.) 100 ml de uma mistura de CO 2, CO, CS 2 (vapor), CH 4 e N 2 são reduzidos a 80 ml ao atravessarem uma solução de hidróxido de potássio (KOH) e posteriormente são reduzidos a 60 ml ao atravessarem uma solução de cloreto cuproso amoniacal. 2 o.) Os 60 ml resultantes são misturados a 200 ml de gás oxigênio e provoca-se a combustão. 3 o.) Após a combustão os gases resultantes são borbulhados em uma solução de hidróxido de 8

9 potássio (KOH) e o volume sofre uma contração de volume de 80 ml. 4 o.) Os gases resultantes passam em uma solução de pirogalol e sofrem uma contração de volume de 100 ml e verifica-se, no final do processo, que o volume se reduz a 20 ml. A partir das informações dadas, calcule a composição da mistura original. 09. Uma mistura de vapor de dissulfeto de carbono (CS 2), metano (CH 4) e gás hidrogênio (H 2) que apresenta 40 ml de volume é queimada na presença de 100 ml de gás oxigênio (O 2). Após a combustão o volume obtido é de 80 ml. A mistura gasosa resultante é borbulhada em uma solução de hidróxido de potássio (KOH) e verifica-se que 40 ml são absorvidos. Determine a composição da mistura inicial. 10. Uma mistura de NO e NO 2 de volume 20 ml é adicionada a 40 ml de gás oxigênio (O 2). Após a mistura atravessar uma solução de hidróxido de potássio (KOH) o volume se reduz a 32 ml. Determine a composição da mistura. Respostas dos Exercícios - Série % de C 3H 8 e 40 % de C 2H % de CH 4 e 60 % de C 2H C 3H C 2H C 2H C 3H a) C 2H 2. b) 30 ml ml de cada componente. 09. V(CS 2) = 10 ml; V(CH 4) = 10 ml e V(H 2) = 20 ml. 10. V(NO) = 16 ml e V(NO 2) = 4 ml. Exercícios - Série ml de uma mistura gasosa de Cl 2O e ClO 2 são aquecidos e verifica-se que ocorre a decomposição total dos seus componentes. Os gases são borbulhados em uma solução de hidróxido de potássio (KOH) e o volume se reduz a 20 ml. Determine a composição da mistura original. 02. A 127 o C e pressão de 1 atm, 22 ml de uma mistura de etino (C 2H 2) e etano (C 2H 6) são colocados na presença de gás oxigênio em excesso. Provoca-se a combustão da mistura e verificase uma expansão de volume de 1 ml nas mesmas condições de pressão e de temperatura iniciais. Determine a composição, em volume, da mistura inicial ml de gás oxigênio são adicionados a uma mistura de etano (C 2H 4), propano (C 3H 8), buteno (C 4H 8) e gás nitrogênio (N 2). Provoca-se a combustão da mistura e verifica-se uma contração de volume de 80 ml. Os gases provenientes da combustão são borbulhados em uma solução de hidróxido de potássio (KOH) e ocorre uma nova contração de volume de 90 ml. A seguir a mistura atravessa uma solução alcalina de ácido pirogálico que absorve 60 ml de gás e o volume se reduz a 10 ml. Determine a composição percentual em volume da mistura original. 04. Uma mistura de etanol (C 2H 6O) e acetona (C 3H 6O) é queimada na presença de 100 ml de gás oxigênio. Após a combustão verifica-se uma expansão de volume de 20 ml. Os gases resultantes da combustão são borbulhados em uma solução de KOH e o volume se reduz a 30 ml. Supondo que as condições de temperatura e pressão (127 o C e 1 atm) sejam mantidas constantes durante todo o processo, determine a composição, em volume, da mistura original. 9

10 Dados: Composto TE ( o C); 1 atm Álcool etílico 78 Acetona Submete-se à combustão uma mistura de etino (C 2H 2) e etano (C 2H 6) com excesso de gás oxigênio. Verifica-se que o volume permanece constante, quando medido acima de 100 o C, e mantida constante a pressão em 1 atm. Determine a composição centesimal da mistura original. Observação: se necessário, considere 100 ml de mistura original. 06. Verifica-se que uma mistura de metano (CH 4) e etino (C 2H 2) submetida a uma combustão sofre uma contração de volume equivalente a 9/16 do volume inicial. Calcule a composição percentual em volume da mistura. 07. Verifica-se que uma mistura de etano (C 2H 6) e de propano (C 3H 8) é submetida a uma combustão e sofre uma expansão de volume equivalente a 5/33 do volume inicial na temperatura de ebulição da água. Calcule a composição volumétrica da mistura. Observação: se necessário, considere 100 ml de mistura original ml de uma hidrocarboneto são adicionados a excesso de gás oxigênio a 7 o C e 1 atm de pressão. Provoca-se uma faísca elétrica e verifica-se que a mistura ocupa um volume de 95 ml a 107 o C e pressão de 1 atm. Este valor de volume se reduz a 50 ml quando a temperatura é reduzida, novamente, a 7 o C e a pressão é mantida em 1 atm. Os 50 ml de gás passam a 20 ml depois de passarem por uma solução de KOH. Determine a fórmula molecular do hidrocarboneto ml de um hidrocarboneto são queimados com 50 ml de gás oxigênio. Ocorre uma contração de volume de 30 ml. Os gases resultantes atravessam uma solução de hidróxido de potássio (KOH) e o volume passa a 20 ml. Determine a fórmula do molecular do hidrocarboneto. 10. (Ita) Determinar a porcentagem em volume de álcool etílico (C 2H 5OH) em octano (C 8H 10) sabendo-se que 10,0 ml da mistura gasosa queimados completamente fornecem 56,0 ml de gás carbônico. Todos os volumes gasosos foram medidos nas mesmas condições de temperatura e pressão. Respostas dos Exercícios - Série V(Cl 2O) = 20 ml e V(ClO 2) = 10 ml. 02. V(C 2H 2) = 10 ml e V(C 2H 6) = 12 ml % de cada componente. 04. V(álcool etílico) = 10 ml e V(acetona) = 10 ml (127 o C e 1 atm) % de C 2H 2 e 50 % de C 2H % de CH 4 e 40 % de C 2H ,67 % de C 3H 8 e 33,33 % de C 2H C 3H CH ,66 %. 10

1ª Parte: Questões resolvidas

1ª Parte: Questões resolvidas ANÁLISE ELEMENTAR QUANTITATIVA DISCIPLINA: QUÍMICA GERAL / TURMA: 1º ano Ensino Médio 1ª Parte: Questões resolvidas Nota: A massa molecular de um composto, pode ser calculada em função da densidade de

Leia mais

QUÍMICA Prof. Alison Cosme Souza Gomes. Funções Orgânicas Resumo UERJ

QUÍMICA Prof. Alison Cosme Souza Gomes. Funções Orgânicas Resumo UERJ QUÍMICA Prof. Alison Cosme Souza Gomes Funções Orgânicas Resumo UERJ A Química Orgânica é a parte da química que estuda os diversos compostos de carbonos existentes. São compostos com sua base nos átomos

Leia mais

Professor Marcus Ennes. -Estequiometria

Professor Marcus Ennes. -Estequiometria Professor Marcus Ennes -Estequiometria - RELAÇÕES FUNDAMENTAIS RAZÃO E PROPORÇÃO 1) Um formigueiro é composto por 2.000 formigas. Cada formiga consome por dia, 1.500 moléculas de glicose (C 6 H 12 O 6

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 15/09/2012

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 15/09/2012 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 15/09/01 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a,5 a,5 3 a,5 a,5 Total 10,0 Dados R = 0,081 atm L mol -1 K -1 T (K) = T ( C) + 73,15

Leia mais

NOME: ANO: 2º ENSINO: MÉDIO TURMA: DATA: / / PROF(ª).: Luciano Raposo Freitas EXERCÍCIOS TERMOQUÍMICA QUÍMICA II (2º BIM)

NOME: ANO: 2º ENSINO: MÉDIO TURMA: DATA: / / PROF(ª).: Luciano Raposo Freitas EXERCÍCIOS TERMOQUÍMICA QUÍMICA II (2º BIM) NOME: ANO: 2º ENSINO: MÉDIO TURMA: DATA: / / PROF(ª).: Luciano Raposo Freitas EXERCÍCIOS TERMOQUÍMICA QUÍMICA II (2º BIM) 1. Nos motores de explosão existentes hoje em dia utiliza-se uma mistura de gasolina

Leia mais

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO

REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO REVISIONAL DE QUÍMICA 1º ANO PROF. RICARDO 1- Um aluno de química, ao investigar as propriedades de gases, colocou uma garrafa plástica (PET), contendo ar e devidamente fechada, em um freezer e observou

Leia mais

Fuvest 2009 (Questão 1 a 8)

Fuvest 2009 (Questão 1 a 8) (Questão 1 a 8) 1. Água pode ser eletrolisada com a finalidade de se demonstrar sua composição. A figura representa uma aparelhagem em que foi feita a eletrólise da água, usando eletrodos inertes de platina.

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional)

Olimpíada Brasileira de Química Fase III (Etapa 1 nacional) Page 1 of 5 Olimpíada Brasileira de Química - 2001 Fase III (Etapa 1 nacional) Questão 1 (48 th Chemistry Olympiad - Final National Competition - 2001 - Estonia) Exame aplicado em 01.09.2001 Os compostos

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO QUESTÕES. Escolha 12 exercícios dos mostrados abaixo e responda-os.

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO QUESTÕES. Escolha 12 exercícios dos mostrados abaixo e responda-os. 3º EM Química A Wesley Av. Dissertativa 19/10/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

L E I S D A S R E A Ç Õ E S Q U Í M I C A S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 >

L E I S D A S R E A Ç Õ E S Q U Í M I C A S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 > L E I S D A S R E A Ç Õ E S Q U Í M I C A S PROF. AGAMENON ROBERTO < 2011 > Prof. Agamenon Roberto LEIS DAS REAÇÕES QUÍMICAS www.agamenonquimica.com 2 LEIS DAS REAÇÕES QUÍMICAS Um trabalho muito complicado

Leia mais

IME º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

IME º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR IME - 2003 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Uma fonte de vanádio é o mineral vanadinita, cuja fórmula é Pb 5 (VO 4 ) 3 Cl. DETERMINE: A) A porcentagem em massa de vanádio

Leia mais

COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR

COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR ASSESSORIA TÉCNICA Processo Avaliativo Recuperação - 3º Bimestre/2015 Disciplina: QUÍMICA 3ª série EM A/B Nome do aluno Nº Turma A Recuperação deve ser entregue no dia 08/09/2015.

Leia mais

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação:

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação: 3ª Série / Vestibular 01. I _ 2SO 2(g) + O 2(g) 2SO 3(g) II _ SO 3(g) + H 2O(l) H 2SO 4(ag) As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar

Leia mais

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran FCAV/UNESP ASSUNTO: Forças Intermoleculares Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran 1 2 FLUXOGRAMA PARA RECONHECER OS PRINCIPAIS TIPOS DE FORÇAS INTERMOLECULARES 3 ENERGIA TÍPICA REQUERIDA PARA O ROMPIMENTO

Leia mais

SIMULADO DE QUÍMICA INSTRUÇÕES QUÍMICA

SIMULADO DE QUÍMICA INSTRUÇÕES QUÍMICA PROVA DISCURSIVA SIMULADO DE QUÍMICA INSTRUÇÕES Verifique se esse Caderno contém 4 questões discursivas de: QUÍMICA Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura,

Leia mais

LISTA DAS FUNÇÕES ORGÂNICAS

LISTA DAS FUNÇÕES ORGÂNICAS Orgânica Na pré-história, o ser humano se limitava a usar materiais que encontrava na natureza, sem provocar neles grandes modificações. A descoberta do fogo trouxe ao ser humano a primeira maneira efetiva

Leia mais

Balanceamento de equações

Balanceamento de equações Balanceamento de equações Química Geral Prof. Edson Nossol Uberlândia, 26/08/2016 Equações químicas Lavoisier: a massa é conservada em uma reação química. Equações químicas: descrições de reações químicas.

Leia mais

02)Numa reação endotérmica, há [1] de calor, a entalpia final (produtos) é [2] que a entalpia inicial (reagentes) e a

02)Numa reação endotérmica, há [1] de calor, a entalpia final (produtos) é [2] que a entalpia inicial (reagentes) e a 01)Numa reação exotérmica, há [1] de calor, a entalpia final (produtos) é [2] que a entalpia inicial (reagentes) e a variação de entalpia é [3] que zero. Completa-se corretamente essa frase substituindo-se

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL 2016 INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: C11 Nº Professora: Lúcia Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

Atividade complementar. Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos

Atividade complementar. Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos Atividade complementar Substâncias e transformações químicas, entendendo os aspectos quantitativos Esta atividade tem como objetivo complementar e aprofundar os estudos sobre as transformações químicas,

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: Aguarde a ORDEM do fiscal para abrir este caderno de provas. Não será permitida a saída do candidato antes de esgotado o prazo mínimo de 60 minutos. Este caderno

Leia mais

TERMOQUÍMICA- 3C13. As transformações físicas também são acompanhadas de calor, como ocorre na mudanda de estados físicos da matéria.

TERMOQUÍMICA- 3C13. As transformações físicas também são acompanhadas de calor, como ocorre na mudanda de estados físicos da matéria. TERMOQUÍMICA- 3C13 As transformações físicas e as reações químicas quase sempre estão envolvidas em perda ou ganho de calor. O calor é uma das formas de energia mais comum que se conhece. A Termoquimica

Leia mais

PAGQuímica 2011/1 Exercícios de Equilíbrio Químico

PAGQuímica 2011/1 Exercícios de Equilíbrio Químico PAGQuímica 2011/1 Exercícios de Equilíbrio Químico 1. Para o equilíbrio gasoso entre NO e O 2 formando NO 2 (2 NO (g) + O 2 (g) 2 NO 2 (g)), a constante de equilíbrio é Kc = 6,45 x 10 5. a) em que concentração

Leia mais

1. (Fuvest modificado) Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação representada pela equação química:

1. (Fuvest modificado) Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação representada pela equação química: Química Avaliação Mensal 3 os anos Décio e Vivian mar/12 Nome: Nº: Turma: GABARITO PROVA MENSAL 1º BIMESTRE 1. (Fuvest 2012 - modificado) Ao misturar acetona com bromo, na presença de ácido, ocorre a transformação

Leia mais

A B EQUILÍBRIO QUÍMICO. H 2 + 2ICl I 2 + 2HCl. % Ach

A B EQUILÍBRIO QUÍMICO. H 2 + 2ICl I 2 + 2HCl. % Ach A B EQUILÍBRIO QUÍMICO H 2 + 2ICl I 2 + 2HCl!. % % Ach. Ac 1 Equilíbrio Químico - Reversibilidade de reações químicas A B Exemplo: N 2 (g) + 3H 2 (g) 2NH 3 (g) equilíbrio dinâmico aa + bb yy + zz Constante

Leia mais

Estequiometria. Priscila Milani

Estequiometria. Priscila Milani Estequiometria Priscila Milani Cálculo de massa para amostras impuras: Reagentes impuros, principalmente em reações industriais, ou porque eles são mais baratos ou porque eles já são encontrados na Natureza

Leia mais

Cinética e Eq. Químico Folha 10 João Roberto Fortes Mazzei

Cinética e Eq. Químico Folha 10 João Roberto Fortes Mazzei 01. Em um recipiente de 500 ml, encontram-se, em condições de equilíbrio, 10 mol/l de H 2 (g) e 0,01 mol/l de I 2 (g). Qual é a concentração do HI(g), sabendo-se que, nas condições do experimento, a constante

Leia mais

Lista de exercícios 2 QB70D

Lista de exercícios 2 QB70D Lista de exercícios 2 QB70D 1) Suponha que você jogue uma bola de tênis para o alto. (a) A energia cinética da bola aumenta ou diminui à medida que ela ganha altitude? (b) O que acontece com a energia

Leia mais

Exercícios: gases (2)

Exercícios: gases (2) Química Ficha 8 2 os anos Rodrigo abril/12 Nome: Nº: Turma: Exercícios: gases (2) 1) (Unicamp) Após a limpeza do banheiro, Rango foi à sala e removeu todos os móveis e, de tão feliz e apaixonado, começou

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA SEGUNDA ETAPA DO VESTIBULAR 99 DA UFMG

PROVA DE QUÍMICA SEGUNDA ETAPA DO VESTIBULAR 99 DA UFMG PROVA DE QUÍMICA SEGUNDA ETAPA DO VESTIBULAR 99 DA UFMG QUESTÃO 01 A queima do enxofre produz um dos seus óxidos, SO 2 (g) ou SO 3 (g). A identificação de qual dos dois é, realmente, produzido pode ser

Leia mais

Um dos grandes problemas mundiais é constante necessidade de geração de energia.

Um dos grandes problemas mundiais é constante necessidade de geração de energia. Termoquímica 1 2 Introdução Um dos grandes problemas mundiais é constante necessidade de geração de energia. A Termoquímica possibilita uma solução viável (econômica e ecológica) para esta crescente demanda.

Leia mais

Revisão Específicas. Química Monitores: Luciana Lima e Rafael França 16-21/11/2015. Material de Apoio para Monitoria

Revisão Específicas. Química Monitores: Luciana Lima e Rafael França 16-21/11/2015. Material de Apoio para Monitoria Revisão Específicas 1. (Ufpr) Considere as soluções I, II e III, descritas a seguir. I - Solução obtida pela adição de 9,80 g de H2SO4 (massa molar = 98,0 g) em água suficiente para completar o volume

Leia mais

a) 0,60 M e 0,20 M b) 0,45 M e 0,15 M c) 0,51 M e 0,17 M d) 0,75 M e 0,25 M

a) 0,60 M e 0,20 M b) 0,45 M e 0,15 M c) 0,51 M e 0,17 M d) 0,75 M e 0,25 M ª série E.M. - APE 1. (Vunesp) Medicamentos, na forma de preparados injetáveis, devem ser soluções isotônicas com relação aos fluidos celulares. O soro fisiológico, por exemplo, apresenta concentração

Leia mais

química química na abordagem do cotidiano

química química na abordagem do cotidiano Capítulo Lei de Hess e entalpias-padrão Respostas dos exercícios essenciais H C H 35 kj H total 60 kj B H 5 kj A H X H 3 0 kj Y H 4 40 kj H total 60 kj Z 3 H T H 6 30 kj U H 5 60 kj H total 30 kj S 5 a)

Leia mais

Prof. Vanderlei I Paula -

Prof. Vanderlei I Paula - Centro Universitário Anchieta Engenharia Química Físico Química I Prof. Vanderlei I Paula Gabarito 3 a lista de exercícios 01 Alimentos desidratados apresentam maior durabilidade e mantêm a maioria das

Leia mais

1.1. A partir de 10 mol de ácido nítrico qual é a massa de nitrato de amónio que se obtém?

1.1. A partir de 10 mol de ácido nítrico qual é a massa de nitrato de amónio que se obtém? Escola Secundária de Lagoa Física e Química A 11º Ano Turma A Paula Melo Silva Ficha de Trabalho 5 Cálculos estequiométricos 1. O ácido nítrico é uma das mais importantes substâncias inorgânicas industriais.

Leia mais

b) Tendo em conta a conclusão de Avogadro, selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. Em condições PTN,...

b) Tendo em conta a conclusão de Avogadro, selecione a opção que completa corretamente a frase seguinte. Em condições PTN,... QUESTÕES DE EXAME 4 Física e Química A Questões de provas nacionais realizadas entre 2008 e 2014 organizados por subdomínio e por secção, por ordem cronológica. Os itens estão identificados por data e

Leia mais

H 2 C OCH 3 H 2 C OH EXERCÍCIOS DE CLASSE

H 2 C OCH 3 H 2 C OH EXERCÍCIOS DE CLASSE EXERCÍCIOS DE CLASSE 1- De um modo geral, o ponto de ebulição dos compostos orgânicos cresce com o aumento do peso molecular, o que não acontece com os compostos do quadro abaixo: COMPOSTO PESO MOLECULAR

Leia mais

Sinopse das funções orgânicas

Sinopse das funções orgânicas Sinopse das funções orgânicas - Funções orgânicas oxigenadas: Álcoois - 7ª Aula- E.M. 1 1- Propriedades Físicas dos Álcoois Os álcoois possuem pontos de ebulição muito mais altos que éteres ou hidrocarbonetos

Leia mais

QUESTÕES DE EXAME 4. Física e Química A. Domínio 2 - Propriedades e transformações da matéria. 2.2 Gases e dispersões

QUESTÕES DE EXAME 4. Física e Química A. Domínio 2 - Propriedades e transformações da matéria. 2.2 Gases e dispersões QUESTÕES DE EXAME 4 Física e Química A Questões de provas nacionais realizadas entre 2008 e 2014 organizados por subdomínio e por secção, por ordem cronológica. Os itens estão identificados por data e

Leia mais

Equilíbrio Químico Folha 2.1 Prof.: João Roberto Mazzei

Equilíbrio Químico Folha 2.1 Prof.: João Roberto Mazzei 01. A cisteína é um aminoácido que contém enxofre e é encontrada na feijoada, devido às proteínas da carne e derivados. A reação de conversão da cisteína em cistina ocorre de acordo com a seguinte equação

Leia mais

AULA 10 ESTEQUIOMETRIA

AULA 10 ESTEQUIOMETRIA AULA 10 ESTEQUIOMETRIA Cálculo estequiométrico ou estequiometria é o cálculo de quantidades de substâncias que interagem, pode ser do reagente consumido ou do produto formado. Baseia-se nas proporções

Leia mais

Atividade de Autoavaliação Recuperação 2 os anos Rodrigo ago/09

Atividade de Autoavaliação Recuperação 2 os anos Rodrigo ago/09 Química Atividade de Autoavaliação Recuperação 2 os anos Rodrigo ago/09 Re Resolução 1. O carbeto de cálcio CaC 2 (s) (massa molar = 64 g mol 1 ), também conhecido como carbureto, pode ser obtido aquecendo-se

Leia mais

Lista de Exercícios - Professor facebook.com/profrodrigoartuso. Grandezas Químicas e Estequiometria

Lista de Exercícios - Professor facebook.com/profrodrigoartuso. Grandezas Químicas e Estequiometria Grandezas Químicas e Estequiometria Criando base 1 - Em 100 gramas de alumínio, quantos átomos deste elemento estão presentes? Dados: M(Al) = 27 g/mol 1 mol = 6,02 x 10 23 átomos a) 3,7 x 10 23 b) 27 x

Leia mais

EXPERIÊNCIA 9 PRINCÍPIO DE LE CHATELIER E EQUILÍBRIO QUÍMICO

EXPERIÊNCIA 9 PRINCÍPIO DE LE CHATELIER E EQUILÍBRIO QUÍMICO EXPERIÊNCIA 9 PRINCÍPIO DE LE CHATELIER E EQUILÍBRIO QUÍMICO 1. OBJETIVOS No final desta experiência o aluno deverá ser capaz de: Dada a equação química de um equilíbrio, escrever a expressão para a constante

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano Aula 26 Temperatura Adiabatica de Chama Calor de Reacção Combustão completa nos sistemas C/H/N/O Combustão completa de sistema H/N/O Temperatura Adiabática Da Chama

Leia mais

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Profª Simone Noremberg Kunz 2 Mol Medidas em química analítica É a quantidade de uma espécie química que contém 6,02x10 23 partículas

Leia mais

CONSTANTE DE EQUILÍBRIO

CONSTANTE DE EQUILÍBRIO EQUILÍBRIO QUÍMICO CONSTANTE DE EQUILÍBRIO A maneira de descrever a posição de equilíbrio de uma reação química é dar as concentrações de equilíbrio dos reagentes e produtos. A expressão da constante de

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE Como pode cair no enem (UFF) O cloreto de alumínio é um reagente muito utilizado em processos industriais que pode ser obtido por meio da

Leia mais

FÍSICO QUÍMICA AULA 2 - OXIDO- REDUÇÃO. Parte 2 Reações e conceitos

FÍSICO QUÍMICA AULA 2 - OXIDO- REDUÇÃO. Parte 2 Reações e conceitos FÍSICO QUÍMICA AULA 2 - OXIDO- REDUÇÃO Parte 2 Reações e conceitos Vimos anteriormente que oxidação é o processo no qual um átomo perde elétrons, tendo um aumento no N ox, enquanto na redução ganham-se

Leia mais

PAG Química Equilíbrio Químico 1. Para o equilíbrio gasoso entre NO e O 2 formando NO 2 (2 NO (g) + O 2 (g) 2 NO 2 (g)), a constante de equilíbrio é

PAG Química Equilíbrio Químico 1. Para o equilíbrio gasoso entre NO e O 2 formando NO 2 (2 NO (g) + O 2 (g) 2 NO 2 (g)), a constante de equilíbrio é 1. Para o equilíbrio gasoso entre NO e O 2 formando NO 2 (2 NO (g) + O 2 (g) 2 NO 2 (g)), a constante de equilíbrio é Kc = 6,45 x 10 5. a) em que concentração de O 2 as concentrações de NO 2 e de NO são

Leia mais

Em meio aquoso sofrem dissociação liberando íons na água, o que torna o meio condutor de corrente elétrica.

Em meio aquoso sofrem dissociação liberando íons na água, o que torna o meio condutor de corrente elétrica. Aula 7 Funções Inorgânicas (sais e óxidos) Sal Os sais são compostos que possuem um cátion qualquer (só não pode ser exclusivamente o H +, senão será um ácido) e um ânion qualquer(só não pode ser exclusivamente

Leia mais

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES. VERIFIQUE SE ESTÁ COMPLETO. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES. VERIFIQUE SE ESTÁ COMPLETO. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES. VERIFIQUE SE ESTÁ COMPLETO. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS A correção de uma questão será restrita somente ao que estiver apresentado no espaço correspondente,

Leia mais

Abreviaturas:(s) = sólido; ( l) = líquido; (g) = gás;(aq) = aquoso; (conc) = concentrado; [A] = concentração de A em mol/l.

Abreviaturas:(s) = sólido; ( l) = líquido; (g) = gás;(aq) = aquoso; (conc) = concentrado; [A] = concentração de A em mol/l. Química Abreviaturas:(s) = sóido; ( ) = íquido; (g) = gás;(aq) = aquoso; (conc) = concentrado; [A] = concentração de A em mo/l. 7. Sabendo-se que - a amônia (NH ) é constituída por moécuas poares e apresenta

Leia mais

Resolução UNIFESP 2015

Resolução UNIFESP 2015 Resolução UNIFESP 2015 1-Utilizando o aparato indicado na figura, certo volume de solução aquosa de sulfato de cobre(ii) hidratado foi colocado dentro do béquer. Quando o plugue foi conectado à tomada

Leia mais

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares e Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares e Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran FCAV/UNESP ASSUNTO: Forças Intermoleculares e Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran 1 FORÇAS INTERMOLECULARES Fonte: BARBOSA, 2004. 2 FORÇAS INTERMOLECULARES 1.

Leia mais

EB: QUÍMICA GERAL/ EQB: QUÍMICA GERAL I

EB: QUÍMICA GERAL/ EQB: QUÍMICA GERAL I EB: QUÍMICA GERAL/ EQB: QUÍMICA GERAL I Capítulo 6. Termoquímica Ficha de exercícios 1. Uma amostra de azoto gasoso expande-se do seu volume inicial de 1.6 L para 5.4 L, a temperatura constante. Calcule

Leia mais

2 NH 3 (g) + CO 2 (g)

2 NH 3 (g) + CO 2 (g) PROCESSO SELETIVO 2007 1 O DIA GABARITO 4 7 QUÍMICA QUESTÕES DE 16 A 30 16. O equilíbrio de ionização da água pura é dado pela equação abaixo, cuja constante do produto iônico é 2,5x10-14, a 37 o C. H

Leia mais

ESTEQUIOMETRIA Folha 01 João Roberto Mazzei

ESTEQUIOMETRIA Folha 01 João Roberto Mazzei 01. (UFC 2009) O principal componente da cal, importante produto industrial fabricado no Ceará, é o óxido de cálcio (CaO). A produção de CaO se processa de acordo com a seguinte reação química: CaCO 3(s)

Leia mais

PROVA 3 conhecimentos específicos

PROVA 3 conhecimentos específicos PROVA 3 conhecimentos específicos QUÍMICA QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE QUÍMICA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado GABARITO

Leia mais

Massa molar (g.mol -1 )

Massa molar (g.mol -1 ) 01.DETERMINAÇÃO DE FÓRMULAS MOLECULARES 01. A clorofila a, que é o pigmento responsável pela cor verde da maioria das plantas, tem fórmula molecular C 55 H 72 MgN 4 O 5. Calcule a composição percentual

Leia mais

RESOLUÇÃO DA LISTA COMPLEMENTAR INTERAÇÕES INTERMOLECULARES E SUA ASSOCIAÇÃO COM PROPRIEDADES FÍSICAS DAS SUBSTÂNCIAS

RESOLUÇÃO DA LISTA COMPLEMENTAR INTERAÇÕES INTERMOLECULARES E SUA ASSOCIAÇÃO COM PROPRIEDADES FÍSICAS DAS SUBSTÂNCIAS RESOLUÇÃO DA LISTA COMPLEMENTAR INTERAÇÕES INTERMOLECULARES E SUA ASSOCIAÇÃO COM PROPRIEDADES FÍSICAS DAS SUBSTÂNCIAS 1 E Molécula A: apesar de essa molécula apresentar somente ligações polares (entre

Leia mais

Gabarito-R Profº Jaqueline Química. a) Dados: Solubilidade do KOH em etanol a 25 C

Gabarito-R Profº Jaqueline Química. a) Dados: Solubilidade do KOH em etanol a 25 C 1: a) Dados: Solubilidade do KOH em etanol a 25 C 40 g em 100 ml. Adicionou-se 1,5 g de KOH a 35 ml de etanol, agitando-se continuamente a mistura. 100 ml (etanol) 40 g (KOH) 35 ml (etanol) mkoh mkoh 14

Leia mais

Texto para as questões 31 e 32.

Texto para as questões 31 e 32. QUÍMICA Texto para as questões 31 e 32. Um sinal de que o bico do queimador do fogão está entupido é o aparecimento de chama amarela, quando o fogo é aceso. Nessa situação, ocorre a formação de carbono

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA PINHAL DO REI Domínio 2 Propriedades e transformações da matéria Nome: 10º/ nro:

ESCOLA SECUNDÁRIA PINHAL DO REI Domínio 2 Propriedades e transformações da matéria Nome: 10º/ nro: Ano Letivo 2016/2017 ESCOLA SECUNDÁRIA PINHAL DO REI Domínio 2 Propriedades e transformações da matéria Nome: 10º/ nro: Física e Química A Volume molar. Troposfera 1. A atmosfera que herdámos é não só

Leia mais

- Exotérmico: ocorre com liberação de calor - Endotérmico: ocorre com absorção de calor

- Exotérmico: ocorre com liberação de calor - Endotérmico: ocorre com absorção de calor Fala gás nobre! Tudo bem? Hoje vamos para mais um assunto de química: A termoquímica. Você sabia que as reações químicas absorvem ou liberam calor, e desta forma, ocorre uma troca de energia? Pois é, a

Leia mais

Oficina de CNII/EM. Compostos orgânicos e representação química (web aula)

Oficina de CNII/EM. Compostos orgânicos e representação química (web aula) Compostos orgânicos e representação química (web aula) Oficina de CNII/EM Caro monitor, Nesta oficina Compostos orgânicos e Representação Química faremos uma introdução ao estudo dos compostos orgânicos.

Leia mais

TERMOQUÍMICA EXERCÍCIOS PARA TREINO

TERMOQUÍMICA EXERCÍCIOS PARA TREINO TERMOQUÍMICA EXERCÍCIOS PARA TREINO 1 - Considere a seguinte reação termoquímica: 2NO(g) + O 2 (g) 2NO 2 (g) H = -13,5 kcal / mol de NO e assinale a alternativa falsa. a) A reação é exotérmica. b) São

Leia mais

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA

QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA QUÍMICA PRIMEIRA ETAPA - 1998 QUESTÃO 01 Uma mistura de hidrogênio, H 2 (g), e oxigênio, O 2 (g), reage, num recipiente hermeticamente fechado, em alta temperatura e em presença de um catalisador, produzindo

Leia mais

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v QUÍMICA 1ª QUESTÃO Umas das reações possíveis para obtenção do anidrido sulfúrico é a oxidação do anidrido sulfuroso por um agente oxidante forte em meio aquoso ácido, como segue a reação. Anidrido sulfuroso

Leia mais

EXERCÍCIOS SUBSTÂNCIAS E MISTURAS

EXERCÍCIOS SUBSTÂNCIAS E MISTURAS EXERCÍCIOS SUBSTÂNCIAS E MISTURAS 1- Considere o sistema e responda as questões: A) Quantos átomos estão representados? B) Quantos elementos químicos há no sistema? C) Quantas moléculas estão representadas

Leia mais

PROVA 3 conhecimentos específicos

PROVA 3 conhecimentos específicos PROVA 3 conhecimentos específicos QUÍMICA QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE QUÍMICA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado GABARITO

Leia mais

DIAGRAMA DE FASES. 4) (ITA) Considere as seguintes afirmações relativas aos sistemas descritos a seguir, sob

DIAGRAMA DE FASES. 4) (ITA) Considere as seguintes afirmações relativas aos sistemas descritos a seguir, sob DIAGRAMA DE FASES 1) O gráfico abaixo apresenta a variação das pressões de vapor do sulfeto de carbono, metanol, etanol e água em função da temperatura. De acordo com o gráfico, assinale a afirmativa INCORRETA.

Leia mais

FCAV/UNESP. DISCIPLINA: Química Orgânica. ASSUNTO: Introdução à Química Orgânica

FCAV/UNESP. DISCIPLINA: Química Orgânica. ASSUNTO: Introdução à Química Orgânica FCAV/UNESP DISCIPLINA: Química Orgânica ASSUNTO: Introdução à Química Orgânica QUÍMICA ORGÂNICA Química Orgânica é a área da Química que estuda os compostos que contêm carbono, chamados de compostos orgânicos.

Leia mais

Qui. Semana. Allan Rodrigues Gabriel Pereira (Renan Micha)

Qui. Semana. Allan Rodrigues Gabriel Pereira (Renan Micha) Semana 4 Allan Rodrigues Gabriel Pereira (Renan Micha) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

Leia mais

9ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS 1 a. Lei da Termodinâmica

9ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS 1 a. Lei da Termodinâmica Pg. 1/5 1 a Questão Na combustão completa de 1,00 L de gás natural, a 25,0 C e pressão constante de 1,00 atm, houve liberação de 43,6 kj de calor. Sabendo que este gás é uma mistura contendo metano, CH

Leia mais

Ciências Físico-Químicas 9ºAno Prof. Carla Bastos

Ciências Físico-Químicas 9ºAno Prof. Carla Bastos Ciências Físico-Químicas 9ºAno Prof. Carla Bastos O que são? Compostos orgânicos Compostos que contêm carbono e hidrogénio, podendo ainda conter outros elementos. Isómeros Compostos com a mesma fórmula

Leia mais

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS Os cálculos estequiométricos correspondem aos cálculos de massa, de quantidade de matéria e em alguns casos, de volumes das substâncias envolvidas

Leia mais

44. Com relação aos compostos representados abaixo, é INCORRETO afirmar que: N(CH 2 CH 3 ) 3 CH 3 CO 2 H ClCH 2 CO 2 H I II III

44. Com relação aos compostos representados abaixo, é INCORRETO afirmar que: N(CH 2 CH 3 ) 3 CH 3 CO 2 H ClCH 2 CO 2 H I II III 22 GABARITO 1 1º DIA 2º Processo Seletivo/2004 44. Com relação aos compostos representados abaixo, é INCORRETO afirmar que: N(CH 2 CH 3 ) 3 CH 3 CO 2 H ClCH 2 CO 2 H I II III a) o composto III é um ácido

Leia mais

VII Olimpíada Catarinense de Química Etapa I - Colégios

VII Olimpíada Catarinense de Química Etapa I - Colégios VII Olimpíada Catarinense de Química 2011 Etapa I - Colégios Fonte: Chemistryland Segunda Série 1 01 200 ml de uma solução de hidróxido de alumínio são diluídos em água destilada até a sua concentração

Leia mais

Colégio Estadual Professor Ernesto Faria. Subprojeto Pibid - Química UERJ. Termoquímica

Colégio Estadual Professor Ernesto Faria. Subprojeto Pibid - Química UERJ. Termoquímica Colégio Estadual Professor Ernesto Faria Subprojeto Pibid - Química UERJ Termoquímica REAÇÕES ENDOTÉRMICAS E EXOTÉRMICAS Processo Exotérmico Libera calor para ambiente (vizinhança) Transmite sensação de

Leia mais

QUÍMICA. 16. Os elementos químicos A, B e C apresentam para seu átomo, no estado fundamental, a seguinte configuração eletrônica:

QUÍMICA. 16. Os elementos químicos A, B e C apresentam para seu átomo, no estado fundamental, a seguinte configuração eletrônica: QUÍMICA 16. Os elementos químicos A, B e C apresentam para seu átomo, no estado fundamental, a seguinte configuração eletrônica: A 1s 2 2s 2 2p 6 3s 2 3p 5 B 1s 2 2s 2 2p 6 3s 2 3p 6 4s 2 3d 5 C 1s 2 2s

Leia mais

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa.

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa. ALUNO(a): Nº: SÉRIE: ª TURMA: UNIDADE: VV JC JP PC DATA: / /06 Obs.: Esta lista deve ser entregue apenas ao professor no dia da aula de Recuperação Valor: 5,0. Uma solução contendo 4 g de cloreto de sódio

Leia mais

06) Considere a aparelhagem desenhada a seguir, empregada para testes de condutividade elétrica. O teste deu positivo com qual dos líquidos?

06) Considere a aparelhagem desenhada a seguir, empregada para testes de condutividade elétrica. O teste deu positivo com qual dos líquidos? TEORIA DE ARRHENIUS 01) (Puc-SP) Dados os compostos A: CH 3 COONa (Sal: acetato de sódio) B: CH 3 COOH (ácido acético) C: CH 3 CH 2 OH (álcool etílico) D: C 6 H 12 O 6 (glicose) Pede-se: a) Quais os que

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo J

PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo J PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo J 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Num recipiente de 3,0 L de capacidade, as seguintes pressões parciais foram medidas: N 2 = 0,500 atm; H 2 = 0,400 atm;

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 T (K) =

Leia mais

FCAV/UNESP. DISCIPLINA: Química Orgânica. ASSUNTO: Introdução à Química Orgânica

FCAV/UNESP. DISCIPLINA: Química Orgânica. ASSUNTO: Introdução à Química Orgânica FCAV/UNESP DISCIPLINA: Química Orgânica ASSUNTO: Introdução à Química Orgânica 1 QUÍMICA ORGÂNICA Química Orgânica é a área da Química que estuda os compostos que contêm carbono, chamados de compostos

Leia mais

Ocorrência de reações

Ocorrência de reações Ocorrência de reações Dados: Força de ácidos e bases Classificação dos hidrácidos mais conhecidos: Regra prática para a classificação dos oxiácidos Determine a diferença (D) entre a quantidade de átomos

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 10/09/05

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 10/09/05 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 10/09/05 Nome: Nº de Matrícula: Gabarito Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R 0,0821 atm L mol -1 K -1 K C + 273,15

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA DE AUXILIAR DE QUÍMICA. Na vidraria apresentada abaixo, você reconhece da esquerda para a direita:

PROVA ESPECÍFICA DE AUXILIAR DE QUÍMICA. Na vidraria apresentada abaixo, você reconhece da esquerda para a direita: 12 PROVA ESPECÍFICA DE AUXILIAR DE QUÍMICA QUESTÃO 41: Na vidraria apresentada abaixo, você reconhece da esquerda para a direita: a) pipeta graduada, funil de decantação, erlenmeyer, bureta e balão volumétrico.

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS PROCESSO SELETIVO 2016/2 - CPS PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA INSTRUÇÕES: 1. Só abra a prova quando autorizado. 2. Veja se este caderno contém 5 (cinco)

Leia mais

Polimerização e Reações Orgânicas

Polimerização e Reações Orgânicas Polimerização e Reações Orgânicas Material de Apoio para Monitoria 1. (FATEC-SP) A polimerização por adição consiste na reação entre moléculas de uma mesma substância, na qual em sua estrutura, ocorre

Leia mais

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36

1ª QUESTÃO Valor 1,0 = 1. Dados: índice de refração do ar: n 2. massa específica da cortiça: 200 kg/m 3. 1 of :36 1ª QUESTÃO Valor 1,0 Uma lâmpada é colocada no fundo de um recipiente com líquido, diretamente abaixo do centro de um cubo de cortiça de 10 cm de lado que flutua no líquido. Sabendo que o índice de refração

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE MONSERRATE

ESCOLA SECUNDÁRIA DE MONSERRATE ESCOLA SECUNDÁRIA DE MONSERRATE F.Q. A 2º ANO EQUILÍBRIO QUÍMICO 1. Para ocorrer uma situação de equilíbrio num sistema são necessárias, pelo menos, duas das condições seguintes: A Todos os reagentes se

Leia mais

Fotossíntese das plantas, o sol fornece energia

Fotossíntese das plantas, o sol fornece energia Unidade 6 - Conteúdo 13 - Termoquímica As transformações físicas e as reações químicas quase sempre estão envolvidas em perda ou ganho de calor. O calor é uma das formas de energia mais comum que se conhece.

Leia mais

Qui. Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira)

Qui. Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira) Semana 15 Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. 23

Leia mais

GABARITO - QUÍMICA - Grupo A

GABARITO - QUÍMICA - Grupo A GABARITO - QUÍMICA - Grupo A 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor O teor do íon Cl - existente nos fluidos corporais pode ser determinado através de uma analise volumétrica do íon Cl - com o íon

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINONA E MUCURI PROVA DE QUÍMICA Questão 01 Um recipiente de volume desconhecido V contém um gás ideal sob pressão de 760 torr. Uma válvula reguladora é aberta, permitindo

Leia mais

A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas.

A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas. A Termoquímica tem como objetivo o estudo das variações de energia que acompanham as reações químicas. Não há reação química que ocorra sem variação de energia! A energia é conservativa. Não pode ser criada

Leia mais