ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA CAPÍTULO V REQUISITOS TÉCNICOS DOS EQUIPAMENTOS, PRODUTOS E SERVIÇOS.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA CAPÍTULO V REQUISITOS TÉCNICOS DOS EQUIPAMENTOS, PRODUTOS E SERVIÇOS."

Transcrição

1 ANEXO III TERMO DE REFERÊNCIA CAPÍTULO V REQUISITOS TÉCNICOS DOS EQUIPAMENTOS, PRODUTOS E SERVIÇOS Os equipamentos medidores de velocidade e os aplicativos deverão atender as condições mínimas de desempenho, características operacionais do equipamento exigidos nas especificações técnicas deste ANEXO, para medição de velocidade e registro das imagens dos veículos automotivos em excesso de velocidade Todas as especificações, condições e itens especificados a seguir fazem parte das características exigidas como obrigatórias para atendimento ao objeto do Edital, o que significa que o não atendimento a qualquer uma delas implicará na desclassificação da proposta técnica DESCRIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS: EQUIPAMENTO MEDIDOR DE VELOCIDADE AUTOMÁTICO, FIXO, DOTADO DE DISPOSITIVO REGISTRADOR DE IMAGEM RADAR FIXO Dispor de recursos que possibilitem registrar a velocidade dos veículos e, adicionalmente, identificá-los e classificá-los em, pelo menos, 4 (quatro) categorias distintas, a saber: Classe 1 (< 5 metros), Classe 2 (entre 5,01 a 10 metros), Classe 3 (entre 10,01 a 15 metros) e Classe 4 (> do que 15,01 metros) Capturar, automaticamente, as imagens digitalizadas dos veículos em velocidade superior à permitida, com o devido acréscimo de tolerância estabelecido pelo INMETRO e gerar os respectivos relatórios; As imagens no momento da captura deverão ser criptografadas e armazenadas com uma chave de no mínimo 512 bits, correspondente ao método de criptografia simétrica. No momento do envio/coleta dos arquivos Concorrência nº 006/09 - Página 1 / 46

2 para a CCOF-AGETOP deve-se utilizar a assinatura digital com uma chave assimétrica de no mínimo 512 bits, de forma que os registros gerados somente sejam visualizados por usuários autorizados que possuírem a chave pública correspondente à chave privada que assinou os documentos, garantindo, desta forma, a autenticidade da máquina que registrou a ocorrência e a integridade das informações registradas; Somente as pessoas autorizadas pela AGETOP, poderão utilizar o software de descriptografia, mediante o uso de senha pessoal e restrita O equipamento deverá funcionar plenamente tanto no período diurno como noturno, obedecendo ao plano de operação a ser estabelecido pela AGETOP O equipamento deverá possuir dispositivo registrador de imagem, cuja imagem tenha resolução mínima de 640 x 480 pixels, de forma a permitir a perfeita visualização e identificação do veículo infrator e sua posição em relação às faixas de trânsito monitoradas, capturando os veículos em ambas as faixas, com dispositivo de iluminação anti-ofuscante, preferencialmente em infravermelho O equipamento deverá possibilitar a visualização dos registros das imagens dos veículos da seguinte forma: visualização da imagem diurna deverá ser colorida e a imagem noturna ser em preto e branco; As impressões das NAIT s e NAP s serão em preto e branco Ter possibilidade de monitoramento remoto, gerando, no próprio equipamento, autodiagnósticos com informação do seu status de funcionamento para o CCOF- AGETOP; Possibilitar o acesso do CCOF - AGETOP ao equipamento, através da Internet, permitindo a visualização em tempo real de imagens das vias monitoradas, além da coleta on line dos dados estatísticos do período; O equipamento deverá possibilitar a visualização dos registros das imagens dos veículos com enquadramento panorâmico com capacidade de identificação do veículo e sua posição em relação a todas as faixas existentes no ponto da via em que estiver instalado O sistema deve permitir a captura de imagens tanto pela parte dianteira quanto pela traseira dos veículos. Sendo definida a forma de captura (traseira ou dianteira) pela AGETOP para cada ponto de implantação; Somente serão admitidos equipamentos medidores de velocidade que utilizem sensores de superfície (laços indutivos ou piezoelétricos). Os Concorrência nº 006/09 - Página 2 / 46

3 sensores de superfície serão considerados parte da infra-estrutura a ser implantada pela contratada Os equipamentos, software e serviços destinados à identificação e registro de infrações de trânsito relativas ao excesso de velocidade, deverão atender a todos os tipos de pistas (faixas de rolamento e acostamento) existentes no Estado de Goiás Os equipamentos deverão possuir obrigatoriamente a aprovação pelo INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial e obedecer aos termos da Portaria Nº. 115 de 29/06/1998 e/ou outra que a substitua; Os equipamentos deverão atender ao disposto nas Resoluções nº 146/03, Deliberação nº 52/06 e Resolução nº 214/2006 do Conselho Nacional de Trânsito CONTRAN, e adequar-se a outras resoluções eventualmente emitidas por esse órgão que venha modificá-las e/ou substituí-las Os equipamentos/sistemas na função relativa à detecção e registro de imagens de veículos, que desrespeitem a velocidade máxima permitida para o local, deverá atender a legislação do CONTRAN. Nenhum equipamento poderá entrar em operação nesta função, sem que seja aprovado pela AGETOP Os equipamentos/sistemas deverão operar (detectar e medir as velocidades) de forma completamente autônoma e registrar automaticamente as imagens dos veículos que desrespeitarem efetivamente a velocidade máxima permitida para a via fiscalizada Considera-se desrespeito efetivo à velocidade máxima permitida para o local, a passagem do veículo em velocidade acima da tolerada, fixada pela AGETOP Caso ache necessário, a AGETOP poderá, a seu critério, solicitar novas aferições ou verificações durante o período contratual. O custo dessa(s) aferição(ões) será(ão) da CONTRATADA O equipamento deverá possibilitar o registro em meio magnético ou óptico, mesmo quando não estiver em horário programado para registrar infrações, dos seguintes dados: Quantidade de veículos que transitem naquele ponto da via; Horário de passagem desses veículos com informação da data, hora e minuto; Velocidade de cada veículo; Classificação do veículo por tipo pelo menos nas seguintes categorias: 4 (quatro) categorias distintas, a saber: Classe 1 (< 5 metros), Classe 2 (entre 5,01 a 10 metros), Classe 3 (entre 10,01 a 15 metros) e Classe 4 (> do que 15,01 metros). Concorrência nº 006/09 - Página 3 / 46

4 O equipamento deverá possuir estrutura externa resistente a vandalismo e intempéries, com dispositivos de vedação que impeçam a entrada de poeira e umidade, devidamente tratada contra oxidação galvânica e eletrolítica, possuindo resistência estrutural para suportar os esforços atuantes devidos à ação de ventos; Possuir circuito eletrônico de proteção contra descargas atmosféricas no sistema de entrada de energia e nos sensores de medição de velocidade; O sistema de registro do equipamento deve ser imune a vibrações externas provenientes do tráfego intenso ou impacto, garantindo confiabilidade e segurança aos dados coletados; Possibilitar a manutenção preventiva e corretiva do equipamento sem que a via seja interrompida para a passagem dos veículos, salvo quando se tratar de manutenção nos laços indutivos instalados no pavimento Possibilitar a volta à operação normal, automaticamente, no retorno de alimentação de energia elétrica quando ocorrer o desarme por interrupção da mesma, mantendo, inclusive, a integridade dos dados e relógio interno Possibilitar a alteração, sempre que desejado, da velocidade programada do equipamento, desde que solicitada pela AGETOP. Neste caso, o reinício da operação do equipamento somente ocorrerá após nova aferição realizada pelo INMETRO; Possibilitar uso continuado, para fins de registro de infrações, durante as 24 (vinte e quatro) horas do dia O equipamento deverá ser capaz de gerar registros de imagens digitais, que possibilitem ao analista, a olho nu, identificar o veiculo infrator sem dificuldades através dos caracteres alfanuméricos da placa, sua marca e espécie, registrando na própria imagem simultaneamente a sua captura, ou seja, de forma automática e eletronicamente sem inserção posterior de dados fundamentais a emissão da NAIT e NAP, que sejam incluídas no mínimo as informações relativas a: velocidade permitida para o local (km/h); velocidades medida (Km/h); velocidade considerada (é a velocidade regulamentada acrescida das tolerâncias legais) (Km/h); tipificação da Infração, Concorrência nº 006/09 - Página 4 / 46

5 data (dia/mês/ano); hora/minuto/segundo; local do registro (endereço do ponto monitorado); número ou código do equipamento; número de ordem de imagem; identificação do aparelho; data de validade da verificação do aparelho pelo INMETRO identificação do órgão autuador; especificação e classificação da infração correspondente ao seu artigo no CTB; Os dados do item e seus subitens acima deverão ser registrados e anexados na imagem do veículo, no momento da sua captura pelo equipamento, de forma automática, sem necessidade e possibilidade de intervenção posterior de operador para inserção das referidas informações no corpo da imagem do veículo; O equipamento deve ainda gerar um arquivo que permita a verificação da quantidade total de infrações registradas, anulando a possibilidade de inclusão ou exclusão de imagens; A transmissão das imagens e dados: a coleta dos registros do equipamento poderá ser feita de duas maneiras: on-line: através da tecnologia de transmissão disponível, ou seja, através de redes wireless (sem fio) (Wi-Fi), modem, ADSL, fibras ópticas, rádio freqüência ou telefonia celular (GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; remota: somente equipamentos que se acham instalados em pontos onde não há condições de transmissão dos registros em tempo rela (via on-line) ou quando ocorrer problemas indisponibilidade de comunicação. A coleta deverá ser feita com periodicidade mínima de duas vezes na semana, por técnico habilitado junto ao equipamento, através de um computador portátil, copiando os registros e transmitindo-os tão seja possível para o CENTRO DE CONTROLE, OPERAÇÃO E FISCALIZAÇÃO CCOF-AGETOP. A transmissão deverá ser através tecnologia disponível próximo ao local da coleta, ou seja: através de redes wireless (sem fio), modem, ADSL, fibra Concorrência nº 006/09 - Página 5 / 46

6 óptica, rádio freqüência ou telefonia celular (GSM, GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; Os dispositivos de registro das imagens deverão possuir um controle inviolável (lacre) para melhor identificação, segurança e administração dos mesmos. No caso de extravio ou perda dos referidos dispositivos, o fato deverá ser comunicado por escrito, imediatamente à AGETOP O equipamento deverá ser capaz de efetuar medições de velocidade de no de 10 a mínimo 190 Km/h (cento e noventa quilômetros por hora), aplicadas as tolerâncias legais de aferição; O equipamento proposto deverá permitir a identificação inequívoca de qual é o veículo infrator quando for registrado mais de um veículo na mesma imagem, sem a utilização de gabaritos A CONTRATADA deverá implantar 1 (um) conjunto de sinalização vertical (de acordo com resolução do CONTRAN e determinação da AGETOP), com placas educativas de fiscalização eletrônica e de regulamentação de velocidade para cada ponto (faixa monitorada) a ser fiscalizado, bem como a sinalização horizontal nos pontos onde serão instalados os equipamentos, conforme determinado pela legislação aplicável Se houver interrupções na distribuição de energia elétrica, o sistema deverá possibilitar a volta de sua operação normal, automaticamente após o retorno da mesma, mantendo inclusive, a integridade dos dados e do relógio interno Os equipamentos de medição deverão estar aptos a funcionarem com alimentação elétrica conforme as especificações de corrente e tensão de entradas fornecidas pela CELG Os equipamentos de medição deverão ter dispositivos de proteção contra sobrecarga de tensão ou corrente na sua alimentação elétrica O equipamento deverá ser dotado de sistema que permita a manutenção do relógio interno e a recuperação dos dados e imagens quando ocorrer falta de energia elétrica por um período de no mínimo 48 (quarenta e oito) horas DA IMAGEM REGISTRADA O enquadramento das infrações de excesso à velocidade deverá ser feito conforme disposições legais vigentes no Código de Trânsito Brasileiro; Resoluções do CONTRAN, CETRAN-GO e conforme especificações da AGETOP. Concorrência nº 006/09 - Página 6 / 46

7 As imagens registradas pelo equipamento proposto deverão permitir a perfeita identificação visual da marca, modelo e placa do veículo infrator Não será aceito nenhum tipo de edição na imagem digital registrada originariamente e em suas cópias. A CONTRATADA deverá dispor de sistemas de segurança que garantam a integridade e confiabilidade das imagens originais captadas por meio digital O equipamento deverá permitir a captura de placas refletivas, nos termos das Resoluções n 231/2007; 241/2007 e 288/2008 do CONTRAN e/ou outra legislação que vier substituí-las relativa a matéria O equipamento deverá permitir o registro de imagem panorâmica para todos os tipos de infrações monitoradas, com capacidade de perfeita identificação do veículo infrator e sua posição em relação a todas as faixas existentes no ponto da via em que estiver instalado DA GERAÇÃO, ANÁLISE E DO ARQUIVAMENTO DA IMAGEM REGISTRADA As imagens originais digitais, vindas dos equipamentos das vias fiscalizadas, sofrerão análise e validação por parte da AGETOP, visando à produção dos AIT s (Auto de Infração de Transito) eletrônicos. Contudo, as imagens poderão ser classificadas em níveis de qualidade: Imagens consistentes: as imagens inicialmente aprovadas pela AGETOP; imagens inconsistentes: as imagens não aprovadas pela AGETOP por problemas diversos apresentados pelos equipamentos: tipo foco, falta de iluminação, falhas do equipamento, enquadramento das câmeras etc; imagens válidas: as imagens consistentes aprovadas pela AGETOP e que efetivamente se tornarão Autuações; imagens inválidas: as imagens consistentes, recusadas pela AGETOP, em decorrência das situações: veículos em situação de emergência, veículos com placas cobertas, sujas ou apagadas, veículos sem placas, placas adulteradas, reflexos em função do sol; A AGETOP analisará (em uma ou mais etapas) as imagens consistentes, que se tornarão imagens válidas ou imagens inválidas. As imagens válidas serão utilizadas para a elaboração dos Autos de Infração de Transito eletrônicos correspondentes A consulta às imagens (originais, back-up, válidas, inválidas, consistentes e inconsistentes) deverá possuir flexibilidade de acesso por diferentes Concorrência nº 006/09 - Página 7 / 46

8 indexadores como o número do AIT, placa do veículo, data, hora, local da infração, tipo de infração; no intuito de facilitar sua respectiva localização no banco de dados já consolidado As imagens válidas deverão possuir cópias de segurança (back-up), em CD ou mídia equivalente, devidamente indexada, para facilidade de consulta posterior e imediata localização das imagens. A forma de indexação será definida pela AGETOP A resolução das imagens digitalizadas deverá permitir uma nítida visualização da marca, modelo e placa do veículo infrator, bem como do local onde ocorreu a infração por desrespeito à velocidade máxima permitida O padrão de arquivamento das imagens deverá ser BMP, PNG ou JPG. No caso de ser outro o padrão de arquivamento utilizado pela CONTRATADA, esta deverá fazer a conversão para um dos padrões de software citados acima, com aprovação prévia da AGETOP Todas as imagens com seus respectivos arquivos de dados de infrações e as imagens back-up, deverão ser fornecidas à AGETOP, que terá a responsabilidade de armazená-las Fica vedada a reprodução das imagens, fora do previsto neste Edital e para fins de execução dos serviços contratados, tanto por meio digital, em papel ou qualquer outro meio, sem o prévio consentimento da AGETOP O software de análise da imagem registrada deverá permitir ajustes de brilho e contraste para melhorar a visualização da placa e das características do veículo infrator Além do indicado nos subitens acima, deverão ser registrados na imagem todos os dados referentes à infração cometida: a data, o local, o horário, a velocidade máxima regulamentada da via, identificação do órgão autuador, a velocidade do veículo em situação de infração (medida pelo aparelho), a identificação do equipamento que registrou a infração bem como a data de verificação (aferição), conforme estabelecido pela legislação aplicável e em vigor A CONTRATADA deverá transmitir o Arquivo de Dados de Infrações no padrão ASCII com as informações necessárias para geração dos Autos de Infração de Trânsito (AIT) eletrônicos, de acordo com as determinações do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), além dos arquivos de imagens digitalizadas dos veículos infratores, conforme estrutura de diretório a ser definida pela AGETOP. Concorrência nº 006/09 - Página 8 / 46

9 A AGETOP fornecerá o layout dos Arquivos de Dados de Infrações a serem entregues pela CONTRATADA O layout a ser fornecido poderá sofrer alterações, no decorrer da contratação, conforme julgado necessário pela AGETOP REFERENTE AO SISTEMA DE OCR INTEGRADO aos RADARES FIXOS: A licitante vencedora do certame, aqui denominado CONTRATADA deverá fornecer um sistema de detecção, medição e registro de imagens de veículos infratores de operação autônoma, de medição de velocidade e registro de imagem O equipamento oferecido deve dispor de recurso de OCR (Optical Caracter Recognition), também conhecido como LAP (Leitor Automático de Placas). Esta funcionalidade consiste na identificação, em tempo real, dos caracteres da placa dos veículos através da análise das imagens geradas pelo equipamento e consulta preferencialmente on line a um banco de dados de veículos irregulares, devendo o equipamento possuir as seguintes características: Utilizando a estrutura de captura de imagens do equipamento de fiscalização eletrônica, o sistema de reconhecimento automático de placas (OCR) deverá independente da velocidade, identificar a placa de todos os veículos que trafegarem pela via monitorada através da análise das imagens capturadas em até 1 (um) segundo; Após a identificação da placa do veículo, o sistema deverá consultar/acessar, preferencialmente on line, o banco de dados de cadastro de veículos disponibilizado pelo DETRAN-GO, através da AGETOP, para verificação da existência de irregularidades junto ao mesmo; Identificar placas com diferentes cores de fundo (cinza, vermelho, verde, azul e branca); Registrar a imagem do veículo identificado como em situação irregular; Para efeito de blitz eletrônica, o sistema de leitura automática de placas, deverá transmitir de forma on-line, a um comando policial postado a jusante do mesmo e simultaneamente ao CCOF, no mínimo com as seguintes informações: Placa do veículo; Dados cadastrais do veículo (marca, modelo, cor, placa etc.). Concorrência nº 006/09 - Página 9 / 46

10 O sistema deverá permitir a transmissão on-line também da imagem do veículo, a qual além de ser mostrada em tela, deverá poder ser impressa no local onde está localizado o comando policial O sistema deve permitir a inclusão do tipo de irregularidade detectada no ato da leitura da placa, bem como possibilitar relatório de demais infrações verificadas pelo comando policial da blitz (Ex: Ausência de equipamento obrigatório, pneus lisos, extintor vencido, etc.) Possibilitar a conexão em rede com os computadores com o CCOF e a transmissão das imagens reconhecidas; Deverá possuir impressora para emissão de extrato de veículo irregular, simultaneamente a identificação do mesmo, indicando a placa, data, hora, irregularidade e demais dados cadastrados O sistema de identificação/reconhecimento automático de placas de veículos (OCR) deverá estar totalmente integrado ao funcionamento do equipamento registrador de excesso de velocidade (RADAR) e funcionar e integrado com sistema de operacionalização dos serviços; Caso algum veículo identificado pelo sistema de reconhecimento automático de placas de veículos (OCR) faça parte do banco de dados de irregularidades, o sistema deverá, através de alarmes luminosos e sonoros indicar ao CCOF e ao operador no posto policial jusante ao equipamento, a situação de irregularidade; O sistema (OCR) deverá manter em seu visor os últimos 5 (cinco) veículos capturados, destacando os que estiverem em situação irregular; O sistema deve permitir a captura de imagens tanto pela parte dianteira quanto pela traseira dos veículos, sendo definida a forma de captura (traseira ou dianteira) pela AGETOP para cada ponto de implantação; O equipamento deve possibilitar, sempre que a AGETOP desejar, a entrada em funcionamento em horário programado; Cada equipamento deverá ser acompanhado de seu respectivo Manual de Operação; O dispositivo automático de registro da imagem do veículo infrator deverá ser do tipo digital O equipamento deverá permitir a perfeita identificação do veículo infrator (marca, cor, modelo e placa), no local onde foi cometida a infração. Concorrência nº 006/09 - Página 10 / 46

11 A transmissão de imagens e dados: a coleta dos registros do equipamento poderá ser feita de duas maneiras: on-line: através da tecnologia de transmissão disponível, ou seja, através de redes wireless (sem fio) (Wi-Fi), modem, ADSL, fibras ópticas, rádio freqüência ou telefonia celular (GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; remota: somente equipamentos que se acham instalados em pontos onde não há condições de transmissão dos registros em tempo rela (via on-line) ou quando ocorrer problemas indisponibilidade de comunicação. A coleta deverá ser feita com periodicidade mínima de duas vezes na semana, por técnico habilitado junto ao equipamento, através de um computador portátil, copiando os registros e transmitindo-os tão seja possível para o CENTRO DE CONTROLE, OPERAÇÃO E FISCALIZAÇÃO CCOF-AGETOP. A transmissão deverá ser através tecnologia disponível próximo ao local da coleta, ou seja: através de redes wireless (sem fio), modem, ADSL, fibras ópticas, rádio freqüência ou telefonia celular (GSM, GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; Os dispositivos de registro das imagens deverão possuir um controle inviolável (lacre) para melhor identificação, segurança e administração dos mesmos. No caso de extravio ou perda dos referidos dispositivos, o fato deverá ser comunicado por escrito, imediatamente à AGETOP EQUIPAMENTO DE MONITORAMENTO ELETRÔNICO DE CONTROLE DE VELOCIDADE RADAR ESTÁTICO Os equipamentos de medição de velocidade propostos deverão ser do tipo estático e deverão ser instalados em locais pré-determinados diariamente pela AGETOP Os equipamentos/sistemas radares estáticos não poderão usar tecnologia que dependa de instalação de sensores físicos no pavimento; Dispor de recursos que possibilitem registrar a velocidade e permitir a captura de imagens e armazenar todas as informações no banco de dados dos equipamentos Capturar, automaticamente, as imagens digitalizadas dos veículos em velocidade superior à permitida, com o devido acréscimo de tolerância estabelecido pelo INMETRO e gerar os respectivos relatórios; Concorrência nº 006/09 - Página 11 / 46

12 A detecção das velocidades medidas e os registros das imagens geradas pelo equipamento devem ser obtidos de forma automática, sem intervenção do operador; Os equipamentos deverão possuir dispositivo registrador de imagem, cuja imagem tenha resolução mínima de 640 x 480 pixels, com enquadramento traseiro e/ou frontal, no mesmo compartimento medidor, com capacidade para identificação do veículo capturando os veículos, por aproximação ou afastamento, com dispositivo de iluminação anti-ofuscante O sistema deverá possibilitar a visualização dos registros das imagens dos veículos da seguinte forma: visualização da imagem diurna deverá ser colorida e a imagem noturna ser em preto e branco As impressões das NAIT s e NAP s deverão ser em preto e branco O sistema deve permitir a captura de imagens tanto pela parte dianteira quanto pela traseira dos veículos, sendo definida a forma de captura (traseira ou dianteira) pela AGETOP para cada ponto de implantação; Os equipamentos devem ter instrumento para medição de velocidade de veículos automotivos, do tipo estático, com princípio de funcionamento na tecnologia do tipo LIDAR (medição por feixe de LASER Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation), ou por similaridade funcional baseado em efeito Doppler (Radio Detection and Range RADAR), controlando no mínimo 2 (duas) faixas de trânsito Os equipamentos devem ser constituídos por dispositivos de medição, de processamento e armazenamento (com porta de comunicação para utilização de periféricos e transmissão de dados) e registrador; Os equipamentos deverão possuir obrigatoriamente a aprovação pelo INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial e obedecer aos termos da Portaria nº 115 de 29/06/1998 ou outra que venha substituí-la Os equipamentos/sistemas radares estáticos deverão atender ao disposto nas Resoluções nº 146/03, nº 214/2006 e Deliberação nº 52/06, do Conselho Nacional de Trânsito CONTRAN, e adequar-se a outras resoluções eventualmente emitidas por esse órgão O equipamento e/ou sistema e demais itens agregados ao radar estático, que em razão de determinação legal, sejam fiscalizados pela Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL, o Licitante deverá apresentar o certificado e/ou homologação desse órgão. Concorrência nº 006/09 - Página 12 / 46

13 Caso o equipamento ofertado não dependa de homologação da ANATEL, deverá ser apresentado documento emitido por aquele órgão comprobatório da isenção alegada (oficio ou portaria ou resolução ou certidão etc.) Os algoritmos de criptografia utilizados deverão ser reconhecidos por laudo de instituições públicas, privadas ou de pesquisa reconhecidas por órgãos oficiais e apresentados junto à proposta técnica Os equipamentos deverão ser entregues pela licitante vencedores já verificados pelo INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Os equipamentos/sistemas na função relativa à detecção e registro de imagens de veículos, que desrespeitem a velocidade máxima permitida para o local, deverão atender as disposições do CONTRAN. Nenhum dos equipamentos poderá entrar em operação nesta função, sem que seja aprovado pela AGETOP O equipamento proposto deverá permitir a identificação inequívoca de qual é o veículo infrator quando for registrado mais de um veículo na mesma imagem, sem a utilização de gabaritos O equipamento deverá ser capaz de gerar imagens digitais que possibilitem ao analista, a olho nu, identificar o veículo infrator sem dificuldades através dos caracteres alfanuméricos da placa, sua marca e espécie, registrando na própria imagem simultaneamente à sua captura, ou seja, sem inserção posterior, no mínimo, os seguintes dados fundamentais à emissão do AIT/ NIT, exigidos pelo Código de Trânsito Brasileiro e legislação vigente, relativos à infração cometida: Identificação do órgão autuador; Local monitorado (endereço do local monitorado ou código da via); Data da infração (dia, mês e ano); Hora da infração (hora, minutos e segundos); Código do enquadramento da infração; Código do equipamento ou do selo de certificação; Número seqüencial do registro (Código de controle de registro da infração); Velocidade máxima permitida para a via (em km/h); Concorrência nº 006/09 - Página 13 / 46

14 Velocidade máxima com tolerância (considerada) para a via (em km/h) Velocidade medida pelo equipamento (em km/h); Data da última verificação do equipamento pelo órgão competente (dia, mês e ano) Os equipamentos deverão operar com a unidade de medida de Km/h (quilômetros por hora); Os equipamentos deverão ser capazes de efetuar medições de velocidade de 10 a no mínimo 190 Km/h (de dez a no mínimo cento e noventa quilômetros por hora), aplicadas às tolerâncias legais de aferição; Os equipamentos deverão possuir alimentação elétrica autônoma (independentes de fornecimento de ponto de energia elétrica); Nenhum dos equipamentos poderá entrar em operação, sem que seja apresentado à AGETOP o Laudo de Verificação Metrológica (aferição individual) do medidor de velocidade a ser utilizado no período de vigência do contrato. Somente serão aceitos certificados e laudos de aferição emitidos pelo INMETRO ou entidades por ele credenciadas Se considerar necessário A AGETOP poderá, a seu critério, solicitar novas aferições ou verificações durante o período contratual. O custo dessa(s) aferição(ões) será(ão) da CONTRATADA Os equipamentos deverão ser fabricados com materiais leves e resistentes, permitindo seu fácil transporte, montagem e manuseio; O equipamento deverá possibilitar a conexão de um mostrador digital, que deverá informar à velocidade que o veículo está empreendendo no momento de sua passagem pelo ponto de medição podendo assim, o equipamento ser utilizado para fins educativos O equipamento deverá possuir banco de dados para registro de endereços ou locais de operação; A regulagem da velocidade para registro de imagens deverá ser de forma automática e programável diretamente no equipamento. O sistema de registro de imagem deverá possibilitar sua ativação ou desativação (programável) em qualquer período do dia, mantendo inalteradas as funções de monitoramento e estatística. Concorrência nº 006/09 - Página 14 / 46

15 O equipamento deverá ser dotado de um sistema GPS (Global Positioning System), ou sistema equivalente, com precisão de até 30 (trinta) metros, onde as coordenadas de latitude e longitude são convertidas para logradouros previamente definidos Deve ser disponibilizado software compatível com plataforma Windows XP, para cadastramento de logradouros e coordenadas de latitude e longitude, além disso deve possibilitar a exportação do banco de dados ou cadastro gerado para o equipamento Deverá haver uma conversão automática do horário fornecido pelo GPS, ou sistema similar, para o horário de Brasília, já considerando eventual vigência de horário de verão Os equipamentos deverão possuir sistema de segurança de forma a evitar o acesso de pessoal não autorizado às funcionalidades do equipamento Os equipamentos deverão possuir mecanismos alfanuméricos que possibilitem a inserção de funções especificas para a operacionalização do monitoramento, visando à entrada de informações referentes: local da operação, data/hora, velocidade máxima regulamentada e código do operador; zoom - para permissão de visualização de detalhes de veículos que excederam a velocidade permitida na via; O programa de computador da unidade de processamento deverá permitir a inserção, dos seguintes dados: (a) identificação do veículo; (b) código de infração, segundo o Código de Trânsito Brasileiro (c) local da medição, (d) dados do condutor, (e) dados do proprietário do veículo e (f) dados do agente/ operador A imagem registrada pelo equipamento proposto deverá permitir a perfeita identificação visual da marca, modelo e placa do veículo infrator O equipamento deverá permitir a captura de placas refletivas, nos termos das Resoluções n s 231/2007; 241/2007 e 288/2008 do CONTRAN e/ou outra legislação que vier substituí-las relativamente a matéria Além do indicado no subitem anterior, deverão ser registrados na imagem todos os dados referentes à infração cometida: a data, o local, o horário, a velocidade máxima regulamentada da via, identificação do órgão autuador, a velocidade do veículo em situação de infração (medida pelo aparelho), a identificação do equipamento que registrou a infração bem como sua data de Concorrência nº 006/09 - Página 15 / 46

16 verificação (aferição), conforme estabelecido pela legislação aplicável e em vigor As imagens e dados devem ser criptografados no momento da captura com algoritmo de no mínimo 512 bits, impossibilitando, desta forma, a sua visualização por pessoal não autorizado; As imagens no momento da captura deverão ser criptografadas e armazenadas com uma chave de no mínimo 512 bits, correspondente ao método de criptografia simétrica. No momento do envio/coleta dos arquivos para a CCOF-AGETOP deve-se utilizar a assinatura digital com uma chave assimétrica de no mínimo 512 bits, de forma que os registros gerados somente sejam visualizados por usuários autorizados que possuírem a chave pública correspondente à chave privada que assinou os documentos, garantindo, desta forma, a autenticidade da máquina que registrou a ocorrência e a integridade das informações registradas Para proteção e integridade dos dados, todos os registros deverão ser criptografados imediatamente no tempo de registro da infração. As imagens coletadas em campo somente poderão ser visualizadas após o processo de descriptografia, o qual deverá ocorrer nas dependências da AGETOP. Somente os computadores destinados ao processamento e consistência das imagens deverão possuir o respectivo software de descriptografia. Não será permitida a instalação deste software nos equipamentos que se encontrarem em campo Somente as pessoas autorizadas da AGETOP, poderão utilizar o software de descriptografia, mediante o uso de senha pessoal e restrita Não será aceito nenhum tipo de edição na imagem digital registrada originariamente e em suas cópias. A CONTRATADA deverá dispor de sistemas de segurança que garantam a integridade e confiabilidade das imagens originais captadas por meio digital O layout dos arquivos de dados de Infrações, a serem entregues pela CONTRATADA, deverá ser fornecido pela AGETOP O layout fornecido poderá sofrer alterações, no decorrer da contratação, conforme julgado necessário pela AGETOP Os dispositivos de registro das imagens deverão possuir um controle inviolável (lacre) para melhor identificação, segurança e administração dos mesmos. No caso de extravio ou perda dos referidos dispositivos, o fato deverá ser comunicado por escrito, imediatamente à AGETOP. Concorrência nº 006/09 - Página 16 / 46

17 O enquadramento das infrações de excesso à velocidade deverá ser feito conforme disposições legais vigentes no Código de Trânsito Brasileiro (art. 218) Os equipamentos deverão possuir estrutura externa resistente a vandalismo e intempéries, com dispositivos de vedação que impeçam a entrada de poeira e umidade, devidamente tratada contra oxidação galvânica e eletrolítica; DA GERAÇÃO, ANÁLISE E DO ARQUIVAMENTO DA IMAGEM REGISTRADA: As imagens originais digitais, vindas dos equipamentos das vias fiscalizadas, sofrerão análise e validação por parte da AGETOP, visando à produção dos AIT s eletrônicos. Contudo, poderão existir 4 (quatro) tipos de imagens: Imagens consistentes: as imagens inicialmente aprovadas pela AGETOP; Imagens inconsistentes: as imagens não aprovadas pela AGETOP por problemas diversos apresentados pelos equipamentos: tipo, foco, falta de iluminação, falhas do equipamento, enquadramento das câmeras, etc.; Imagens válidas: as imagens consistentes aprovadas pela AGETOP e que efetivamente se tornarão Autuações; imagens inválidas: as imagens consistentes, recusadas pela AGETOP, em decorrência das situações: veículos em situação de emergência, veículos com placas cobertas, sujas ou apagadas, veículos sem placas, placas adulteradas, reflexos em função do sol); As imagens válidas deverão possuir cópias de segurança (back-up), em CD ou mídia equivalente, devidamente indexado, para facilidade de consulta posterior e imediata localização das imagens. A forma de indexação será definida pela AGETOP A AGETOP analisará (em uma ou mais etapas) as imagens consistentes, que se tornarão imagens válidas ou imagens inválidas. As imagens válidas serão utilizadas para a elaboração dos Autos de Infração eletrônicos correspondentes A consulta às imagens (originais, back-up, válidas, inválidas, consistentes e inconsistentes) deverá possuir flexibilidade de acesso por diferentes indexadores como o número do Auto de Infração de Trânsito (AIT), placa do veículo, data, hora, local da infração, tipo de infração etc., no intuito de facilitar sua respectiva localização no banco de dados já consolidado. Concorrência nº 006/09 - Página 17 / 46

18 A resolução das imagens digitalizadas deverá permitir uma nítida visualização da marca, cor, modelo e placa do veículo infrator bem como do local onde ocorreu a infração por desrespeito à velocidade máxima permitida Todas as imagens válidas, com seus respectivos arquivos de dados de infrações e as imagens back-up, deverão ser fornecidas à AGETOP, que terá a responsabilidade de armazená-las A CONTRATADA fica vedada de fazer a reprodução das imagens, fora do previsto neste Edital e para os fins de execução dos serviços contratados, tanto por meio digital, em papel ou qualquer outro meio, sem o prévio consentimento da AGETOP O padrão de arquivamento das imagens deverá ser BMP, PNG ou JPG. No caso de ser outro o padrão de arquivamento utilizado pela CONTRATADA, esta deverá fazer a conversão para um dos padrões de software citados acima, com aprovação prévia da AGETOP O software de análise da imagem registrada deverá permitir ajustes de brilho e contraste para melhorar a visualização da placa e das características do veículo infrator A operação dos equipamentos será de inteira responsabilidade da CONTRATADA, contudo, deverá ser sempre acompanhada por Agentes de Trânsito da AGETOP Para a operação dos equipamentos, a CONTRATADA deverá estar à disposição da AGETOP, em todos os dias da semana em regime de escala. (carros, manutenção, responsabilidades por abastecimento dos veículos, fornecimento de material de apoio etc.) A transmissão de imagens e dados: a coleta dos registros do equipamento poderá ser feita de duas maneiras: on-line: através da tecnologia de transmissão disponível, ou seja, através de redes wireless (sem fio) (Wi-Fi), modem, ADSL, fibras ópticas, rádio freqüência ou telefonia celular (GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; remota: somente equipamentos que se acham instalados em pontos onde não há condições de transmissão dos registros em tempo rela (via on-line) ou quando ocorrer problemas indisponibilidade de comunicação. A coleta deverá ser feita com periodicidade mínima de duas vezes na semana, por técnico habilitado junto ao equipamento, através de um computador portátil, copiando os registros e transmitindo-os tão seja possível para o CENTRO Concorrência nº 006/09 - Página 18 / 46

19 DE CONTROLE, OPERAÇÃO E FISCALIZAÇÃO CCOF-AGETOP. A transmissão deverá ser através tecnologia disponível próximo ao local da coleta, ou seja: através de redes wireless (sem fio), modem, ADSL, fibras ópticas, rádio freqüência ou telefonia celular (GSM, GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; DO EQUIPAMENTO DE DETECÇÃO: O equipamento para Detecção de Infração e Registro de Imagem deverá atender no mínimo, as seguintes características: Circuitos de controle protegidos contra intempéries e qualquer tipo de interferências eletrostáticas ou eletromagnéticas; Dispositivos de iluminação artificial que auxiliem na identificação dos veículos infratores no período noturno O equipamento deverá permitir a configuração de diferentes intervalos de velocidade a partir de 10 Km/h. (dez quilômetros) O equipamento deverá possibilitar a medição da velocidade nos dois sentidos APROXIMAÇÃO/AFASTAMENTO e esta informação deverá estar contida na imagem do veículo infrator O equipamento deverá ser portátil, leve, compacto e de fácil transporte, portanto, incluindo o tripé, bateria e flash, não poderá exceder o peso máximo de 50 (cinqüenta) kg O equipamento deverá possibilitar que seja montado e posto em operação no prazo máximo de até 10 (dez) minutos; O equipamento deverá ser alimentado por bateria recarregável acoplada ao mesmo equipamento, que possibilite a operação em campo de maneira contínua pelo prazo mínimo de 6 (seis) horas sem a sua troca O equipamento deverá realizar levantamento estatístico e volumétrico de todos os veículos que passarem por sua área de abrangência, devendo este levantamento conter as seguintes informações: data, hora, velocidade aferida, sentido do tráfego, distância, local de operação, velocidade permitida e matricula do agente de trânsito da AGETOP REFERENTE AO SISTEMA DE OCR INTEGRADO AOS RADARES ESTATICOS: Concorrência nº 006/09 - Página 19 / 46

20 A licitante vencedora do certame, aqui denominada CONTRATADA deverá fornecer um sistema de detecção, medição e registro de imagens de veículos infratores de operação autônoma, de medição de velocidade e registro de imagem O equipamento oferecido deve dispor de recurso de OCR (Optical Caracter Recognition), também conhecido como LAP (Leitor Automático de Placas). Esta funcionalidade consiste na identificação em tempo real dos caracteres da placa dos veículos através da análise das imagens geradas pelo equipamento e consulta preferencialmente on line a um banco de dados de veículos irregulares; O equipamento deverá permitir a realização de operação com sistema OCR nos radares estáticos em locais nas rodovias estaduais onde ainda não haja a possibilidade de transmissão das imagens e dados on line (tempo real). Neste caso, a transmissão das imagens e dados coletados pelo equipamento para o CCOF deverá ser feita no modo remoto, descrito no item , deste ANEXO III O sistema de identificação/reconhecimento automático de placas de veículos (OCR) deverá estar integrado ao funcionamento do equipamento registrador de excesso de velocidade (RADAR Estático) e funcionar e integrado com sistema de operacionalização dos serviços (CCOF-AGETOP); Utilizando a estrutura de captura de imagens do equipamento de fiscalização eletrônica, o sistema de reconhecimento automático de placas (OCR) deverá independente da velocidade, identificar a placa dos veículos que trafegarem pela via monitorada através da análise das imagens capturadas em até 1 (um) segundo; Após a identificação da placa do veículo, o sistema deverá consultar/acessar, preferencialmente on line, o banco de dados de cadastro de veículos disponibilizado pelo DETRAN-GO, através da AGETOP, para verificação da existência de irregularidades junto ao mesmo Caso algum veículo identificado pelo sistema de reconhecimento automático de placas de veículos (OCR) faça parte do banco de dados de irregularidades, o sistema deverá, através de alarmes luminosos e sonoros, indicar ao CCOF e ao operador/agente de trânsito que o está operando, os dados do veículo e qual é a irregularidade, devendo o operador fazer contato com o Posto Policial mais próximo para a abordagem do veículo; O sistema (OCR) deverá no CCOF e no Posto Policial manter em seu visor no mínimo os últimos 05 (cinco) registros dos veículos capturados, destacando os que estiverem em situação irregular; Concorrência nº 006/09 - Página 20 / 46

21 O sistema deve permitir a captura de imagens e conseqüente reconhecimento dos caracteres tanto pela parte dianteira quanto pela traseira dos veículos. Sendo definida a forma de captura (traseira ou dianteira) pela AGETOP para cada ponto de implantação; Deverá possuir impressora, acoplada ao equipamento, para emissão de extrato de veículo irregular, simultaneamente a identificação do mesmo, indicando a placa, data, hora, irregularidade e demais dados cadastrados ou extrato da operação, a impressora deve ser obrigatoriamente do tipo térmica; Cada equipamento deverá ser acompanhado de seu respectivo Manual de Operação, em português; Cada equipamento citado acima, deverá fiscalizar no mínimo 2 (duas) faixas de trânsito O dispositivo automático de registro da imagem do veículo infrator deverá ser do tipo digital O equipamento deverá permitir a perfeita identificação do veículo infrator (marca, cor, modelo e placa), no local onde foi cometida a infração Identificar placas com diferentes cores de fundo (cinza, vermelho, verde, azul e branca); Para efeito de blitz eletrônica, o sistema de leitura automática de placas, deverá transmitir de forma on-line, a um comando policial postado a jusante do mesmo e simultaneamente ao CCOF, no mínimo com as seguintes informações: Placa do veículo; Dados cadastrais do veículo (marca, modelo, cor etc.) Tipo de irregularidade detectada no ato da leitura da placa, bem como possibilitar relatório de demais infrações verificadas pelo comando policial da blitz (Ex: Ausência de equipamento obrigatório, pneus lisos, extintor vencido, etc.) O sistema deverá permitir a transmissão on-line também da imagem do veículo, a qual além de ser mostrada em tela, deverá poder ser impressa no local onde está localizado o comando policial; Concorrência nº 006/09 - Página 21 / 46

22 Possibilitar a conexão em rede com o CCOF para a transmissão das imagens reconhecidas; A transmissão de imagens e dados: a coleta dos registros do equipamento poderá ser feita de duas maneiras: on-line: através da tecnologia de transmissão disponível, ou seja, através de redes wireless (sem fio) (Wi-Fi), modem, ADSL, fibras ópticas, rádio freqüência ou telefonia celular (GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; remota: somente equipamentos que se acham instalados em pontos onde não há condições de transmissão dos registros via on-line ou quando ocorrer problemas indisponibilidade de comunicação, com periodicidade mínima de duas vezes na semana. A coleta deverá ser feita por técnico habilitado junto ao equipamento, através de um computador portátil, copiando os registros e transmitindo-os tão seja possível para o CENTRO DE CONTROLE, OPERAÇÃO E FISCALIZAÇÃO CCOF-AGETOP. A transmissão deverá ser através tecnologia disponível próximo ao local da coleta, ou seja: através de redes wireless (sem fio), modem, ADSL, fibras ópticas, rádio freqüência ou telefonia celular (GSM, GPRS ou EDGE) ou outros sistemas que atendam as necessidades da AGETOP; Os dispositivos de registro das imagens deverão possuir um controle inviolável (lacre) para melhor identificação, segurança e administração dos mesmos. No caso de extravio ou perda dos referidos dispositivos, o fato deverá ser comunicado por escrito, imediatamente à AGETOP EQUIPAMENTO FIXO MEDIDOR DE VELOCIDADE E REGISTRADOR DE AVANÇO DE SINAL VERMELHO E PARADA SOBRE A FAIXA DE PEDESTRE RADAR MISTO com OCR SISTEMA E EQUIPAMENTOS Ser apto a funcionar com alimentação elétrica de 110/220 Volts, 60Hz, com variações previstas na regulamentação vigente; Possuir dispositivo de proteção contra sobrecarga de tensão e/ou corrente, na sua alimentação, bem como descargas eletrostáticas de toda sorte; Ser capaz de retornar automaticamente à operação quando do retorno da energia elétrica, no caso desta ter faltado; Concorrência nº 006/09 - Página 22 / 46

23 Possuir sensores adequados à sua finalidade, com sensibilidade para detecção de pelo menos, 4 (quatro) categorias distintas, a saber: Classe 1 (< 5 metros), Classe 2 (entre 5,01 a 10 metros), Classe 3 (entre 10,01 a 15 metros) e Classe 4 (> do que 15,01 metros).e armazenar todas as informações no banco de dados dos equipamentos; Deverá permitir a eliminação da presença do agente de trânsito ou qualquer pessoal de controle para operar o sistema; O equipamento deverá possuir estrutura externa resistente a vandalismo e intempéries, com dispositivos de vedação que impeçam a entrada de poeira e umidade, devidamente tratada contra oxidação galvânica e eletrolítica, possuindo resistência estrutural para suportar os esforços atuantes devidos à ação de ventos; Fiscalizar a obediência à sinalização semafórica, registrando os veículos automotores que venham a praticar invasão de sinal vermelho e parada sobre faixa de pedestres e excesso de velocidade permitida na via; O equipamento deverá ser capaz de registrar no mínimo 2 (dois) registros de infração por segundo; Possuir sistema óptico independente para cada faixa de tráfego; Possuir capacidade de registrar imagem panorâmica para todos os tipos de infrações monitoradas (entendem-se como imagens panorâmicas, aquelas que permitem a perfeita identificação do local de infração e da faixa de trânsito); Para as infrações de parada sobre faixa e avanço de sinal vermelho deverá registrar o tempo em segundos transcorrido do sinal vermelho; Deverá registrar a infração cometida por parar sobre a faixa de pedestres, com tempo programável para o registro da ocorrência, possibilitando executar a captura 10 (dez) segundos após o sinal vermelho; Deverá registrar a infração cometida por avanço de sinal vermelho com tolerância configurável; Ser capaz de manter o relógio interno funcionando e manter as imagens e os dados captados armazenados de forma a não serem afetados por eventuais falhas de energia elétrica na rede de alimentação dos equipamentos, mesmo que estas falhas perdurem até 48 (quarenta e oito) horas consecutivas; Concorrência nº 006/09 - Página 23 / 46

SISTEMA DE FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA DE VEÍCULOS. Especificações Técnicas

SISTEMA DE FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA DE VEÍCULOS. Especificações Técnicas SISTEMA DE FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA DE VEÍCULOS Características Gerais Especificações Técnicas. Ser de fácil transporte, acondicionado em estrutura resistente a sua condução, formada pelo conjunto dos elementos

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS/SISTEMAS EM CAMPO TESTE EM ESCALA REAL

AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS/SISTEMAS EM CAMPO TESTE EM ESCALA REAL ANEXO 4 AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS/SISTEMAS EM CAMPO TESTE EM ESCALA REAL CONCORRÊNCIA Nº 02/2012 ANEXO 4 - FL. 2 DA AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS A empresa LICITANTE detentora da melhor proposta, deverá

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003

DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003 DELIBERAÇÃO Nº 38, DE 11 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade, de avanço de sinal vermelho e da parada sobre a faixa de pedestres de veículos automotores,

Leia mais

PORTARIA N 1279, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010

PORTARIA N 1279, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010 PORTARIA N 1279, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 19 da Lei nº. 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 007, de 11 de janeiro de 2007.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06)

RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06) RESOLUÇÃO Nº 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 (com as alterações das Resoluções nº 165/04, nº 202/06 e nº 214/06) Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores,

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 131, DE 02 DE ABRIL DE 2002

RESOLUÇÃO N.º 131, DE 02 DE ABRIL DE 2002 RESOLUÇÃO N.º 131, DE 02 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para fiscalização da velocidade de veículos automotores, elétricos, reboques e semi-reboques, conforme o Código de Trânsito

Leia mais

c Publicada no DOU de 2-9-2003.

c Publicada no DOU de 2-9-2003. RESOLUÇÃO DO CONTRAN N o 146, DE 27 DE AGOSTO DE 2003 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, reboques e semirreboques, conforme o Código de

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 223, de 18 de dezembro de 1996. O Diretor

Leia mais

ANEXO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

ANEXO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ANEXO CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1. Com a utilização desses sistemas multifuncionais é possível exercer o controle de velocidade com processamento de infrações e envio das informações para autoridade competente,

Leia mais

Especificações Técnicas e Funcionais

Especificações Técnicas e Funcionais Introdução Especificações Técnicas e Funcionais A presente Especificação, elaborada pela São Paulo Transporte S.A. SPTrans, tem como objetivo estabelecer os requisitos técnicos, operacionais e funcionais

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.287, DE 2015 (Do Sr. Veneziano Vital do Rêgo)

PROJETO DE LEI N.º 1.287, DE 2015 (Do Sr. Veneziano Vital do Rêgo) *C0052969A* C0052969A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.287, DE 2015 (Do Sr. Veneziano Vital do Rêgo) Altera a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro,

Leia mais

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego;

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Características Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Poderá ser utilizado por empresas autorizadas por convenção ou acordo coletivo a usar sistemas

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Radares de Velocidade. Número de vias 49. Número de pontos com infra-estrutura 137. Número de pontos com equipamento em operação (rodízio)

Radares de Velocidade. Número de vias 49. Número de pontos com infra-estrutura 137. Número de pontos com equipamento em operação (rodízio) A multifuncionalidade apresentada na utilização dos equipamentos eletrônicos nas vias de Campinas. José Vieira de Carvalho; Atílio André Pereira; Jeany Lúcia da Silva Oliveira. EMDEC Empresa Municipal

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO CENTRAIS DE ALARMES O presente memorial tem por objetivo descrever as instalações do sistema de proteção

Leia mais

NOVO SISTEMA E NOVAS REGRAS PARA O REGISTRO DE MARCAÇÃO DE PONTO ELETRÔNICO AUTOR: José Adeildo Nicolau da Costa*

NOVO SISTEMA E NOVAS REGRAS PARA O REGISTRO DE MARCAÇÃO DE PONTO ELETRÔNICO AUTOR: José Adeildo Nicolau da Costa* NOVO SISTEMA E NOVAS REGRAS PARA O REGISTRO DE MARCAÇÃO DE PONTO ELETRÔNICO AUTOR: José Adeildo Nicolau da Costa* O que é o novo registro de ponto? É o Sistema de Registro Eletrônico de Ponto - SREP -

Leia mais

Modelo Tecnologia de Identificação Display Impressora. Gráfico; Gráfico; Alfanumérico; Gráfico; Alfanumérico; Alfanumérico; Alfanumérico;

Modelo Tecnologia de Identificação Display Impressora. Gráfico; Gráfico; Alfanumérico; Gráfico; Alfanumérico; Alfanumérico; Alfanumérico; O Velti Ponto está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em 10 modelos que se diferenciam pela tecnologia de identificação (leitores), tipo de display

Leia mais

Relógio de Ponto Hexa - HENRY

Relógio de Ponto Hexa - HENRY Relógio de Ponto Hexa - HENRY Visão Geral Equipamento Homologado pelo Ministério do Trabalho e Certificado pelo Inmetro. Trabalha com vários tipos de comunicação, tornando-se um equipamento moldável e

Leia mais

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego;

Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Características Baseado na portaria n 373 de 25 de fevereiro de 2011 do Ministério do Trabalho e Emprego; Poderá ser utilizado por empresas autorizadas por convenção ou acordo coletivo a usar sistemas

Leia mais

MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA

MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA Central de Coleta e Armazenamento de Dados (Especificação) A Central de Coleta e Armazenamento de Dados deverá apresentar as seguintes características: 1. Receber, de forma contínua,

Leia mais

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS - SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS I - Aspectos gerais: 1. Sistema eletrônico para gestão e rastreamento do enxoval hospitalar, composto por etiquetas dotadas

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 135, de 18 de agosto de 2005.

Leia mais

PNCV MINUTA DO GUIA PRÁTICO (INSTRUÇÕES OPERACIONAIS) CONTROLE DE VELOCIDADE. Barreira Eletrônica. Avanço de Sinal e Parada Sobre Faixa.

PNCV MINUTA DO GUIA PRÁTICO (INSTRUÇÕES OPERACIONAIS) CONTROLE DE VELOCIDADE. Barreira Eletrônica. Avanço de Sinal e Parada Sobre Faixa. 2011 Diretoria de Infraestrutura Rodoviária CONTROLE DE VELOCIDADE Barreira Eletrônica Coordenação Geral de Operações Rodoviárias Coordenação de Operações Laços detetores PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE

Leia mais

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DA ERRATA Nº 1 ITEM 18 (PÁG:7/9)

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DA ERRATA Nº 1 ITEM 18 (PÁG:7/9) Mediante solicitação do TCE, estamos encaminhando, as informações complementares ao item 18 da ERRATA nº 1 (pág: 7/9): Software aplicativo de controle e gerenciamento de tráfego compatível com todos os

Leia mais

PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados

PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados PORTARIA n.º 06/10 SMT.GAB Fixa as especificações técnicas e funcionais a serem exigidas dos equipamentos embarcados, denominados AVL s (Automatic Vehicle Location), nos veículos das empresas que realizam

Leia mais

Capacidade de gerenciamento de até 15.000 colaboradores na Memória de Trabalho (MT);

Capacidade de gerenciamento de até 15.000 colaboradores na Memória de Trabalho (MT); Características Registrador eletrônico de ponto que atende a Portaria 1.510/09 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), e os requisitos da Portaria 595/13 do Inmetro, que determina novos padrões de segurança

Leia mais

RESOLUÇÃO N, 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO N, 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO N, 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, reboques e semirreboques, conforme o Código de Trânsito Brasileiro.

Leia mais

RESOLUÇÃO N 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO N 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO N 396 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, reboques e semirreboques, conforme o Código de Trânsito Brasileiro.

Leia mais

DISPOSITIVO PARA RASTREAMENTO DE VEÍCULOS, COLETA, TRANSMISSÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS EM TEMPO REAL APRESENTAÇÃO

DISPOSITIVO PARA RASTREAMENTO DE VEÍCULOS, COLETA, TRANSMISSÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS EM TEMPO REAL APRESENTAÇÃO DISPOSITIVO PARA RASTREAMENTO DE VEÍCULOS, COLETA, TRANSMISSÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS EM TEMPO REAL APRESENTAÇÃO Luiz Carlos Miller Araras, outubro de 2010 DA LOCALIZAÇÃO DO DISPOSITIVO: O GPTD captura

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Velti Ponto (REP) O Velti Ponto está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em 10 modelos que se diferenciam pela tecnologia de identificação (leitores),

Leia mais

RESOLUÇAO 212, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006, DO CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN Dispõe sobre a implantação do Sistema de Identificação Automática

RESOLUÇAO 212, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006, DO CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN Dispõe sobre a implantação do Sistema de Identificação Automática RESOLUÇAO 212, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006, DO CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN Dispõe sobre a implantação do Sistema de Identificação Automática de Veículos SINIAV em todo o território nacional. O

Leia mais

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA 1 OBJETO O objeto da presente licitação é a Seleção de empresa especializada para Execução de Serviços Técnicos de Vídeo Registro da Rede Rodoviária Federal Pavimentada com

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 115, de 29 de junho de 1998 O Presidente do Instituto Nacional

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais: 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais (opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Os dados são gravados em um cartucho USB. Este modo de gravação oferece total proteção contra a perda

Leia mais

Capítulo I Das Disposições Gerais

Capítulo I Das Disposições Gerais PLANO GERAL DE METAS DA QUALIDADE PARA O SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1º Este Plano estabelece as metas de qualidade a serem cumpridas pelas prestadoras do Serviço

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Exclusivo sistema de hibernação quando o equipamento encontra-se sem energia vinda da rede elétrica, o

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional); Características Fabricada em aço-carbono, com pintura em epóxi preto; Tratamento anticorrosivo; Acabamento em aço inox; Fechadura para acesso aos componentes eletrônicos; Iluminação frontal, com chave

Leia mais

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 Estabelece os padrões e critérios para a instalação de faixa elevada para travessia de pedestres em vias públicas. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República Polo em Petrolina/Juazeiro

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República Polo em Petrolina/Juazeiro Ref.: Inquérito Civil Público n.º 1.26.001.000170/2013-45 PROMOÇÃO DE ARQUIVAMENTO EGRÉGIA 1ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Trata-se de Representação formulada em desfavor

Leia mais

O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos:

O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos: Características O equipamento está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 MTE, disponível em 7 modelos: --Prisma E - Display alfa numérico (biometria + código de barras); --Prisma F - Display

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL- INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 094, de 24 de setembro de 1999.

Leia mais

SpinCom Telecom & Informática

SpinCom Telecom & Informática Rastreador GPS/GSM modelo Com as fortes demandas por segurança e gestão de frota, a SpinCom, acaba de lançar o rastreador GPS/GSM modelo. O rastreador é indicado para aplicações de rastreamento de automóveis,

Leia mais

Especificação técnica de Videodetecção ECD/DAI

Especificação técnica de Videodetecção ECD/DAI Especificação técnica de Videodetecção ECD/DAI 1. Esta Especificação destina se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e de cada aplicação,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 084, de 06 de junho de 2006.

Leia mais

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008

PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 PORTARIA Nº 102, DE 30 DE OUTUBRO DE 2008 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 19, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro

Leia mais

Ministério da Indústria e do Comércio. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO

Ministério da Indústria e do Comércio. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO Ministério da Indústria e do Comércio Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO Portaria nº 023 de 25 de fevereiro de 1985 O Presidente do Instituto Nacional de Metrologia,

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER

MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER 1 MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER 2 TERMO DE CONFIDENCIALIDADE As informações contidas neste documento são confidenciais e se constituem em propriedade da BLOCKSAT SISTEMAS DE SEGURANÇA LTDA

Leia mais

PORTARIA MTE nº 1510/2009 NOVAS REGRAS SOBRE O CONTROLE ELETRÔNICO DE PONTO

PORTARIA MTE nº 1510/2009 NOVAS REGRAS SOBRE O CONTROLE ELETRÔNICO DE PONTO PORTARIA MTE nº 1510/2009 NOVAS REGRAS SOBRE O CONTROLE ELETRÔNICO DE PONTO Neste fascículo de Uma entrevista com o Advogado, apresentamos o conteúdo de artigo enviado pelo Ministério do Trabalho e Emprego

Leia mais

Pergunta 1: Um datalogger poderá comunicar-se com mais de uma VRP?

Pergunta 1: Um datalogger poderá comunicar-se com mais de uma VRP? PREGÃO ELETRÔNICO N. 2014/262 PROTOCOLO N. 2014/72.368 OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE IMPLANTAÇÃO DE ESTRUTURAS REDUTORAS DE PRESSÃO, COM CONTROLE AUTOMÁTICO DE PRESSÃO, NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS, COM

Leia mais

Características. Hexa Controle de ponto

Características. Hexa Controle de ponto Características Os modelos são: o HEXA A - BIOMETRIA/CÓDIGO DE BARRAS/PROXIMIDADE/MIFARE o HEXA B - BIOMETRIA/PROXIMIDADE o HEXA C - BIOMETRIA/CÓDIGO DE BARRAS o HEXA D - BIOMETRIA/MIFARE o HEXA E - CÓDIGO

Leia mais

FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA DE TRÂNSITO

FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA DE TRÂNSITO FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA DE TRÂNSITO Sun Hsien Ming * 1 APRESENTAÇÃO Com o uso crescente de veículos automotores, o controle de tráfego torna-se cada vez mais complexo. Os veículos, ao se movimentarem,

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO - MICT INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 075, de 16 de maio de 1995. O Diretor

Leia mais

ESTACIONAMENTO ROTATIVO PÚBLICO

ESTACIONAMENTO ROTATIVO PÚBLICO PROBLEMAS SOLUÇÕES Crescente número de veículos Vagas restritas Cobrança ilegal do estacionamento (Flanelinhas) Falta de controle de gestão (vagas, arrecadação, tempo, infrações, etc...) Sinalização Falta

Leia mais

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS

MONITORAMENTO WIRELESS EM TEMPERATURA, UMIDADE, PRESSÃO & GPS 1 AR AUTOMAÇÃO EMPRESA & SOLUÇÕES A AR Automação é uma empresa especializada no desenvolvimento de sistemas wireless (sem fios) que atualmente, negocia comercialmente seus produtos e sistemas para diferentes

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL n.º 167, de 05 de dezembro de 2000. O

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 913 R E S O L V E U:

RESOLUÇÃO Nº 913 R E S O L V E U: 1 RESOLUÇÃO Nº 913 O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31.12.64, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL, em sessão realizada em 04.04.84, tendo em vista o disposto

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE SUMARÉ PROJETO DE LEI Nº, de 30 de Novembro de 2010 Obriga a sinalização de fiscalização eletrônica de velocidade fixa efetuada por meio de radar nas vias urbanas do Município de Sumaré e proíbe sua instalação

Leia mais

Departamento Estadual de Trânsito DETRAN

Departamento Estadual de Trânsito DETRAN Assessoria de Comunicação Social Departamento Estadual de Trânsito DETRAN Salvador, Bahia Quarta-Feira 17 de dezembro de 2014 Ano XCIX N o 21.598 Extrato de Portarias de 16 de dezembro de 2014 Diretoria

Leia mais

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil Características - Único com este conceito no mercado e com preços atraentes; Iluminação frontal, com chave liga/desliga, em quatro opções de cores (azul, verde, vermelho e amarelo); - Possui sistema de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007 Regulamenta os artigos 231, X e 323 do Código Trânsito Brasileiro, fixa metodologia de aferição de peso de veículos, estabelece percentuais de tolerância e dá outras

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO O veículo estacionado, afastado da guia da calçada (meio fio) a mais de um metro, faz do seu condutor um infrator cuja punição será: 1 retenção do veículo e multa, infração média. 2 apreensão do veículo

Leia mais

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo

Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo Especificação técnica do Software de Gerenciamento de Vídeo 1. Esta Especificação destina-se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

Portaria Inmetro/Dimel n.º 0218, de 21 de novembro de 2014. Considerando o constante do processo Inmetro nº 52600.018970/2014, resolve:

Portaria Inmetro/Dimel n.º 0218, de 21 de novembro de 2014. Considerando o constante do processo Inmetro nº 52600.018970/2014, resolve: Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA INMETRO Portaria Inmetro/Dimel n.º 0218, de 21 de novembro

Leia mais

1. Apresentação. Fig. 1 - Rastreador Portátil OnixMiniSpy. Led indicativo de Sinal GSM/GPRS e GPS. LED indicativo de recarga de bateria

1. Apresentação. Fig. 1 - Rastreador Portátil OnixMiniSpy. Led indicativo de Sinal GSM/GPRS e GPS. LED indicativo de recarga de bateria 1. Apresentação O OnixMiniSpy é um rastreador portátil que utiliza a tecnologia de comunicação de dados GPRS (mesma tecnologia de telefone celular) para conectar-se com a central de rastreamento e efetuar

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1. Registro de Preços para eventual aquisição de Coletor de Dados para inventário de equipamentos e materiais através de código de barra do produto. 2. ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

DAS CARACTERÍSTICAS MÍNIMAS

DAS CARACTERÍSTICAS MÍNIMAS TERMO DE REFERÊNCIA DO OBJETO Contratação de empresa especializada para elaboração de projeto, fornecimento de materiais e instalação de Circuito Fechado de TV (CFTV) para o Museu da Língua Portuguesa.

Leia mais

ANEXO II SISTEMA DE PAINÉIS DE MENSAGENS VARIÁVEIS FIXOS. 1. Os painéis de mensagem variável - fixos deverão:

ANEXO II SISTEMA DE PAINÉIS DE MENSAGENS VARIÁVEIS FIXOS. 1. Os painéis de mensagem variável - fixos deverão: ANEXO II SISTEMA DE PAINÉIS DE MENSAGENS VARIÁVEIS FIXOS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1. Os painéis de mensagem variável - fixos deverão: a) Ser projetados para implantação externa junto às vias de tráfego,

Leia mais

PERMISSÃO DE USO PARA IDENTIFICAÇÃO, INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE ESPAÇOS PUBLICITÁRIOS NOS TERRENOS E PRÉDIOS DA TRENSURB

PERMISSÃO DE USO PARA IDENTIFICAÇÃO, INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE ESPAÇOS PUBLICITÁRIOS NOS TERRENOS E PRÉDIOS DA TRENSURB PROJETO BÁSICO Nº 11/13 Data 01/08/2013 UO GECOM SSituação Autorizado Objeto PERMISSÃO DE USO PARA IDENTIFICAÇÃO, INSTALAÇÃO E EXPLORAÇÃO DE ESPAÇOS PUBLICITÁRIOS NOS TERRENOS E PRÉDIOS DA TRENSURB Texto

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Órgão: Agência Goiana de Transportes e Obras - AGETOP. Auditório Engº Hélio Martins Ribeiro, situado na sede da AGETOP.

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Órgão: Agência Goiana de Transportes e Obras - AGETOP. Auditório Engº Hélio Martins Ribeiro, situado na sede da AGETOP. 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA Órgão: Agência Goiana de Transportes e Obras - AGETOP Data: 04 de maio de 2009. Horário: 14 horas Local: Auditório Engº Hélio Martins Ribeiro, situado na sede da AGETOP. Finalidade:

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 065, de 18 de maio de 2000.

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 3, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011

PORTARIA NORMATIVA N 3, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011 PORTARIA NORMATIVA N 3, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011 Cria o Assentamento Funcional Digital - AFD e estabelece orientação aos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Publica

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL- INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 116, de 27 de outubro de 1999.

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS (TABLET)

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS (TABLET) ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS (TABLET) IplanRio Empresa Municipal de Informática Janeiro 2012 1. OBJETO Registro de preço para aquisição de Dispositivos Móveis do tipo,

Leia mais

CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m

CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m A P Ê N D I C E E CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m 2 7 / 0 5 / 1 2 NOTA DO AUTOR: este capítulo traz dicas resumidas acerca da fiscalização de veículos e combinações que ultrapassam

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

Portaria Inmetro/Dimel n.º 0247, de 10 de dezembro de 2012.

Portaria Inmetro/Dimel n.º 0247, de 10 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA INMETRO Portaria Inmetro/Dimel n.º 0247, de 10 de dezembro

Leia mais

Considerando o que consta do Processo nº 80000.038562/2009-10;

Considerando o que consta do Processo nº 80000.038562/2009-10; RESOLUÇAO N o 412 DE 09 DE AGOSTO DE 2012 Dispõe sobre a implantação do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos SINIAV em todo o território nacional. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO, no

Leia mais

Madis Rodbel Lança equipamento de ponto que atende a portaria 1510 do MTE

Madis Rodbel Lança equipamento de ponto que atende a portaria 1510 do MTE No dia 21 de agosto de 2009, o Ministério do Trabalho e Emprego assinou a Portaria 1510, que regulamenta o Registro Eletrônico de Ponto - REP e a utilização do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto -

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos esse manual, significa que você adquiriu um certificado digital AC Link. Manual do Usuário 1 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?...

Leia mais

SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO

SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO 1 SISTEMA DE RASTREIO ÓPTICO VISÃO GERAL O Sistema de Rastreio Óptico, ou simplesmente SISROT, foi desenvolvido com o objetivo de rastrear foguetes nos primeiros instantes de

Leia mais

Altera o art. 3º e o Anexo I, acrescenta o art. 5º-A e o Anexo IV na Resolução CONTRAN nº 146/03 e dá outras providências.

Altera o art. 3º e o Anexo I, acrescenta o art. 5º-A e o Anexo IV na Resolução CONTRAN nº 146/03 e dá outras providências. RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 214, de 13/11/2006 Altera o art. 3º e o Anexo I, acrescenta o art. 5º-A e o Anexo IV na Resolução CONTRAN nº 146/03 e dá outras providências. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO - CONTRAN,

Leia mais

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB

ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB ANEXO I T E R M O DE R E F E R Ê N C I A EDITAL DE PREGÃO Nº 05/2015 CREMEB 1 -DO OBJETO O objeto do Pregão Presencial é a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de rádio-táxi

Leia mais

Projeto de Lei nº 106/2010

Projeto de Lei nº 106/2010 Projeto de Lei nº 106/2010 Estabelece diretrizes para o controle da poluição sonora na cidade de São Paulo e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Paulo DECRETA: Art. 1º Esta Lei estabelece

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Sistema F20 - Controle de acesso biométrico A série F20 foi desenvolvida para substituir os sistemas com chave comum em residências, apartamentos, comércios, escolas, fábricas, hotéis e etc. em ambientes

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Pág. 1/8 CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÃO SMS Pág. 2/8 Equipe Responsável Elaboração Assinatura Data Divisão de Padrões de Tecnologia DIPT Aprovação Assinatura Data Departamento de Arquitetura Técnica DEAT Pág.

Leia mais

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP

ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP ESTADO DO AMAPÁ CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS PORTARIA Nº 011 /05/CAT-CBMAP Aprova a Norma Técnica nº 010/2005-CBMAP, sobre atividades eventuais no Estado do Amapá,

Leia mais

DECRETO Nº 254 DE 16 DE MARÇO DE 2015

DECRETO Nº 254 DE 16 DE MARÇO DE 2015 DECRETO Nº 254 DE 16 DE MARÇO DE 2015 Institui e regulamenta o Sistema de Estacionamento Rotativo Pago, nas vias e logradouros públicos do Município de Rio Branco e dá outras providências. O PREFEITO DO

Leia mais

Sistemas informatizados para a guarda do prontuário médico - Resolução: 1639 de 10/7/2002

Sistemas informatizados para a guarda do prontuário médico - Resolução: 1639 de 10/7/2002 Sistemas informatizados para a guarda do prontuário médico - Resolução: 1639 de 10/7/2002 Ementa: Aprova as "Normas Técnicas para o Uso de Sistemas Informatizados para a Guarda e Manuseio do Prontuário

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

Manual do Aplicativo de Configurações

Manual do Aplicativo de Configurações Registrador Eletrônico de Ponto Manual do Aplicativo de Configurações Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis Código Postal 83.322-010 Pinhais - Paraná

Leia mais

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA 1) - Normas Gerais de Circulação e Conduta: a)- Trânsito é a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação,

Leia mais

2 As placas dos veículos oficiais, deverão conter, gravados nas tarjetas ou, em espaço correspondente, na própria placa, os seguintes caracteres:

2 As placas dos veículos oficiais, deverão conter, gravados nas tarjetas ou, em espaço correspondente, na própria placa, os seguintes caracteres: RESOLUÇÃO Nº 45/98 Estabelece o Sistema de Placas de Identificação de Veículos, disciplinado pelos artigos 115 e 221 do Código de Trânsito Brasileiro O CONSELHO, NACIONAL DE TRÂNSITO - CONTRAN, usando

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Página1 Certificado Digital e-cpf Manual do Usuário Página2 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?... 03 Instalando o Certificado... 04 Conteúdo do Certificado... 07 Utilização, guarda

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL

ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL ESTADO DO MARANHÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COMANDO GERAL Resolução nº 002 de 09 de maio de 2011. O Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Maranhão, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais