TÍTULO: AVALIAÇÃO DA ACUIDADE VISUAL PELA ENFERMAGEM: UTILIZAÇÃO DA TABELA DE SNELLEN EM CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÍTULO: AVALIAÇÃO DA ACUIDADE VISUAL PELA ENFERMAGEM: UTILIZAÇÃO DA TABELA DE SNELLEN EM CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL I"

Transcrição

1 16 TÍTULO: AVALIAÇÃO DA ACUIDADE VISUAL PELA ENFERMAGEM: UTILIZAÇÃO DA TABELA DE SNELLEN EM CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL I CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM AUTOR(ES): VERA APARECIDA MARINHO AMORIM, MAYARA CAMILA DE SOUZA KOGA, WELLINGTON GOMES GONÇALVES ORIENTADOR(ES): DANIELA DA SILVA GARCIA REGINO

2 Resumo A acuidade visual é uma capacidade dos olhos distinguir objetos, formas e contornos. A baixa acuidade visual pode interferir no desenvolvimento e aprendizado da criança em idade escolar. Esta pesquisa visa relacionar a diminuição da acuidade visual com o baixo rendimento escolar da criança de ensino fundamental. Pesquisa transversal descritiva e exploratória com abordagem quantitativa. Serão avaliados alunos, especificamente, da 1 a série em Escola Municipal do Município de Guaiçara SP. Após autorização dos pais, ou responsáveis, será realizado teste com tabela de Snellen para avaliar diminuição da acuidade visual ou acuidade visual normal. Introdução A acuidade visual é uma capacidade dos olhos distinguir objetos, formas e contornos, diferenciando através dos cones (células fotossensíveis da retina) que possibilita uma visão realística dos elementos, compreende se que nesta fase de idade escolar ocorre o aperfeiçoamento do globo ocular. A baixa acuidade visual pode interferir no desenvolvimento e aprendizado da criança, causando erros de refração necessitando de uma avaliação especializada, algumas crianças nunca tiveram um contato ou nunca realizaram algum exame ocular. Estudos sobre a saúde da criança em idade escola pré-escolar apontam a acuidade visual como um dos principais fatores no processo de aprendizagem, tendo uma grande parcela na evasão de repetência (CBO, 1999 apud LAIGNIER; CASTRO; SÁ, 2010). Segundo a OMS, "a pessoa com baixa visão é aquela que apresenta, após tratamentos e/ou correção óptica, diminuição de sua função visual e tem valores de acuidade visual menor do que 0,3 a percepção de luz ou um campo visual menor do que 10 graus de seu ponto de fixação, porém usa ou é potencialmente capaz de usar a visão para o planejamento e/ou execução de uma tarefa". Justificase o uso dessas definição pelo fato de que a maior parte da população considerada cega (por alguma definição legal) tem, na verdade, baixa visão e é, a princípio, capaz de usar sua visão para realização de tarefas. (Portaria Ministério da Saúde dezembro 2008). A escala óptica de Snellen é um exame utilizado para avaliar acuidade visual, este método aceitável indica a dificuldade visual, mediante identificação de símbolos que formam a escala chamada de optótipos, que trazem letras, números ou figuras

3 adaptadas em tamanhos diferenciados, contribuindo com a avaliação da acuidade visual, e por fim para o encaminhamento há um oftalmologista (DUKE & ELDER S, 2008). Objetivo Relacionar a diminuição da acuidade visual e sua contribuição para o baixo rendimento escolar da criança de ensino fundamental. Metodologia Pesquisa transversal, descritiva e exploratória, com abordagem quantitativa, o qual busca atender os objetivospropostos.realizada no Município de Guaiçara SP, em Escola Municipal que possua Ensino Fundamental I, mas especificamente, 1ª série. Desenvolvimento Serão utilizados comocritérios para inclusão ou exclusão dos participantes: a criança deverá estar matriculada no ensino fundamental I de escola pública citada. Deverá querer participar do exame de acuidade visual com a Tabela de Snellen; ter autorização pelo responsável para participar eestar em estabelecimento escolar no dia do exame de acuidade visual. Após as crianças serem selecionadas dentro dos procedimentos éticos, os pesquisadores realizarão teste de acuidade visual utilizando a Tabela de Snellen. Os dados serão coletados em duas fases. A primeira fase os responsáveis pela criança participante responderão um questionário embasado em estudos já realizados como de Toledo et al, (2010) que busca dados sobre a identificação da criança; histórico escolar; exames oftalmológicos; recomendação de uso de óculos e a percepção do filho quanto a própria visão. Na segunda fase, os dados coletados com o teste com a Tabela de Snellen serão registrados, em instrumento embasado em Granzoto apud Ministério da Saúde, (2003; 2013), dados como, utilização de óculo ou não no momento do teste; resultado do teste em olho esquerdo e direito, com uso de óculos e sem óculos (em crianças que fizerem uso do mesmo); data e assinatura do pesquisador. Após a coleta dos dados os mesmos serão codificados e distribuídosem planilhas. Posteriormente serão dispostos em tabelas com o uso de freqüência absoluta e

4 freqüência relativa, gráficos e realizado a análise descritiva e estatística dos resultados. Serão considerados normais a AV superior a 0,7, estabelecendo-se como déficit de AV valores iguais ou inferiores a este, segundo proposto pela OMS. Crianças que forem detectados no teste com déficit, segundo os critérios descritos, serão encaminhadas a exame oftalmológico pelo médico especialista. Resultados Preliminares Em países subdesenvolvidos as condições sócio econômicas, não permitem que grande número de crianças façam exames oftalmológicos. Esta pesquisa avaliará a acuidade visual e possíveis alterações em crianças do ensino fundamental e seu baixo rendimento escolar. Após a autorização dos pais e responsáveis, será realizado teste com a tabela de Snellen.

5 Referências ALVES, J. G. B.; CAVALCANTI, H. D. O. Acuidade visual em escolares atendidos no ambulatório do Instituto Materno Infantil de Pernambuco. Rev. do IMIP. v. 5, CAPELLINI, S.A.; TONELLOTO, J.M.F.;CIASCA,S.M. Medidas de desempenho escolar: avaliação formal e opinião de professores. Rev. Estudos de psicologia, Campinas, CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA. Campanha Veja Bem Brasil: manual de orientação. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado; GRANZOTO, J. A.et al. Avaliação da acuidade visual em escolares da 1ª série do ensino fundamental. Arq. Bras. Oftalmol., São Paulo, v. 66, n. 2, MARTIN, E. & MARCHESI, A. Desenvolvimento metacognitivo e problemas de aprendizagem In: Coll, C.; Palácios, J. & Marchesi, A. (orgs) Desenvolvimento psicológico e educação: necessidades educativas especiais e aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996 Ministério da Saúde; Ministério da Educação. Normas e manuais técnicos. Série A; 1ª ed. Disponível em <portal.saude.gov.br/portal/saúde/área.cfm?id_area=1298> Acesso em: 02 de ago de TOLEDO,C.C.; et al. Detecção precoce de deficiência visual e sua relação com o redimento escolar. Rev. Assoc. Med. Bras; 56(4): , ZAMBERLAN, F. R. R. S. Saúde ocular de escolares de 5ª a 8ª série do ensino fundamental de uma escola da periferia de Avaré-SP Brasil. Rev. Bras. Oftalm., Rio de Janeiro, 2002.

PALAVRAS-CHAVE Acuidade visual. Crianças. Tabela de Snellen.

PALAVRAS-CHAVE Acuidade visual. Crianças. Tabela de Snellen. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Projeto Olhar Brasil. Ministério da Saúde / Ministério da Educação

Projeto Olhar Brasil. Ministério da Saúde / Ministério da Educação Projeto Olhar Brasil Ministério da Saúde / Ministério da Educação Fevereiro 2007 Projeto Olhar Brasil Justificativa 30% das crianças em idade escolar e 100% dos adultos com mais de 40 anos apresentam problemas

Leia mais

A Saúde da Visão no idoso institucionalizado: Identificação de necessidades em saúde pública

A Saúde da Visão no idoso institucionalizado: Identificação de necessidades em saúde pública UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Escola Nacional de Saúde Pública A Saúde da Visão no idoso institucionalizado: Identificação de necessidades em saúde pública Carla Costa Lança (1), Ana Costa Veiga (2), Maria

Leia mais

TÍTULO: PARADOXO DO TRABALHO - DEFICIENTE VISUAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: PARADOXO DO TRABALHO - DEFICIENTE VISUAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO 16 TÍTULO: PARADOXO DO TRABALHO - DEFICIENTE VISUAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE ENIAC AUTOR(ES): WELLINGTON PEREIRA DA SILVA ORIENTADOR(ES):

Leia mais

De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade

De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade A importância da consulta oftalmológica De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade cheia de apelos visuais, em que o contato com o mundo se faz inicialmente por

Leia mais

1 - Visual 2 - Audição 3 - Saúde Mental 4 - Coordenação motora e atenção

1 - Visual 2 - Audição 3 - Saúde Mental 4 - Coordenação motora e atenção Sistema de Avaliação psicofísico computadorizado Avaliação psicofísica Unique, totalmente informatizado, desenvolvido por médicos e engenheiros de sistemas, utilizados para avaliar as condições de pessoas

Leia mais

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA 16 TÍTULO: NÍVEL DE OBESIDADE ENTRE MÃES E FILHOS ESCOLARES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO AUTOR(ES):

Leia mais

TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER

TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER TÍTULO: O IMPACTO DA INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA EM PACIENTES OSTOMIZADOS POR CÂNCER CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIÃO DAS FACULDADES DOS GRANDES

Leia mais

OPINIÕES DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO MÉDIOS E DE SEUS FAMILIARES SOBRE AS POSSIBILIDADES DE EVASÃO ESCOLAR

OPINIÕES DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO MÉDIOS E DE SEUS FAMILIARES SOBRE AS POSSIBILIDADES DE EVASÃO ESCOLAR OPINIÕES DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO MÉDIOS E DE SEUS FAMILIARES SOBRE AS POSSIBILIDADES DE EVASÃO ESCOLAR Laura Borges Juliane Aparecida de Paula Perez Campos Universidade Federal de São Carlos/Programa

Leia mais

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM LEITURA E ESCRITA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO: ESTRATÉGIAS E DIFICULDADES DOS PROFESSORES

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM LEITURA E ESCRITA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO: ESTRATÉGIAS E DIFICULDADES DOS PROFESSORES DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM LEITURA E ESCRITA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO: ESTRATÉGIAS E DIFICULDADES DOS PROFESSORES Glaucea Valéria Batista Vitor (PIBIC//UENP) glauceacp95@hotmail.com

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN PLANEJAMENTO DE ENSINO E DESENVOLVIMENTO GLOBAL DE UMA CRIANÇA COM DEFICIENCIA AUDITIVA INCLUIDA EM ESCOLA REGULAR Angela Vicente Alonso; Regina Keiko Kato Miura; Joseléia Fernandes- Departamento de Educação

Leia mais

Desempenho visual na correção de miopia com óculos e lentes de contato gelatinosas

Desempenho visual na correção de miopia com óculos e lentes de contato gelatinosas BRENO BARTH AMARAL DE ANDRADE Desempenho visual na correção de miopia com óculos e lentes de contato gelatinosas Tese apresentada ao Departamento de Oftalmologia e Otorrinolaringologia da Faculdade de

Leia mais

A AVALIAÇÃO DA ACUIDADE VISUAL DO ESCOLAR NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA: PROPOSTA DE VÍDEO PARA ORIENTAÇÃO DOCENTE

A AVALIAÇÃO DA ACUIDADE VISUAL DO ESCOLAR NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA: PROPOSTA DE VÍDEO PARA ORIENTAÇÃO DOCENTE A AVALIAÇÃO DA ACUIDADE VISUAL DO ESCOLAR NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA: PROPOSTA DE VÍDEO PARA ORIENTAÇÃO DOCENTE ASSESSMENT OF VISUAL ACUITY IN THE SCHOOL HEALTH PROGRAM: VIDEO FOR TEACHERS GUIDANCE Mariana

Leia mais

O TRABALHO DA ENFERMAGEM NA DETECÇÃO DE PROBLEMAS VISUAIS EM CRIAN- ÇAS/ADOLESCENTES

O TRABALHO DA ENFERMAGEM NA DETECÇÃO DE PROBLEMAS VISUAIS EM CRIAN- ÇAS/ADOLESCENTES 55 O TRABALHO DA ENFERMAGEM NA DETECÇÃO DE PROBLEMAS VISUAIS EM CRIAN- ÇAS/ADOLESCENTES DETENTION OF VISUAL PROBLEMS IN SCHOOL CHILDREN AND ADOLESCENTS EL TRABAJO DE ENFERMERÍA EN LA DETECCIÓN DE PROBLEMAS

Leia mais

MAURO CORRÊA DE ALBUQUERQUE 1,4 ; FRANASSIS BARBOSA DE OLIVEIRA 2,4 ; ALANA PARREIRA COSTA 3,4. GOIÂNIA, UEG.

MAURO CORRÊA DE ALBUQUERQUE 1,4 ; FRANASSIS BARBOSA DE OLIVEIRA 2,4 ; ALANA PARREIRA COSTA 3,4. GOIÂNIA, UEG. RESULTADOS INICIAIS DA IMPLANTAÇÃO DE UM LABORATÓRIO DE MOBILIDADE OCULAR EXTRÍNSECA ORTÓPTICA PARA CAPACITAÇÃO E ATUAÇÃO NA ÁREA DE FISIOTERAPIA OCULAR NA CLÍNICA ESCOLA DA ESEFFEGO EM GOIÂNIA, GOIÁS,

Leia mais

Ação de Formação: Dificuldades de Aprendizagem Específicas Carga Horária: 25 horas Docente: Mestre Jorge Humberto Nogueira

Ação de Formação: Dificuldades de Aprendizagem Específicas Carga Horária: 25 horas Docente: Mestre Jorge Humberto Nogueira Ação de Formação: Dificuldades de Aprendizagem Específicas Carga Horária: 25 horas Docente: Mestre Jorge Humberto Nogueira PROGRAMA Sinopse: Abordagem histórica dos diferentes conceitos de Dificuldades

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094)

NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460) E DO PROJETO INTERDISCIPLINAR (30-094) UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES DEPARTAMENTO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO A - TCC (30-460)

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem.

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Competências dos Ortoptistas no Rastreio Visual Infantil

Competências dos Ortoptistas no Rastreio Visual Infantil Competências dos Ortoptistas no Rastreio Visual Infantil Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa IPL Carla Costa Lança carla.costa@estesl.ipl.pt 2010 Introdução As competências profissionais no

Leia mais

PROGRAMA VI CURSO DE IMERSÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE VISÃO SUBNORMAL

PROGRAMA VI CURSO DE IMERSÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE VISÃO SUBNORMAL PROGRAMA VI CURSO DE IMERSÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE VISÃO SUBNORMAL EXCELENCIA NA PRESCRIÇÃO DE AUXÍLIOS ÓPTICOS E CONDUTAS OFTALMOLÓGICAS NA BAIXA VISÃO ORGANIZAÇÃO: DIRETORIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO TÍTULO: DESENVOLVIMENTO E ACEITABILIDADE DE UMA BEBIDA A BASE DE FRUTA ENRIQUECIDA COM FERRO QUELATO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Página 2 em diante devem estar contemplados os seguintes itens:

Página 2 em diante devem estar contemplados os seguintes itens: 1 TEMPLATE - Projeto de pesquisa FORMATAÇÃO Fonte: Texto: Arial ou Times New Roman, tamanho 12. Títulos: Arial ou Times New Roman, tamanho 14, negrito Espaço: duplo Margens: 2,5 cm em todas as margens

Leia mais

A avaliação de projetos pelo públicoalvo: um estudo exploratório de uma instituição universitária. Marilda Angioni

A avaliação de projetos pelo públicoalvo: um estudo exploratório de uma instituição universitária. Marilda Angioni A avaliação de projetos pelo públicoalvo: um estudo exploratório de uma instituição universitária Marilda Angioni Roteiro Avaliação Universidade Extensão Universitária Delimitação do Estudo Resultados

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 1503 / 1504 / Licenciatura em Matemática. Ênfase

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 1503 / 1504 / Licenciatura em Matemática. Ênfase Curso 1503 / 1504 /1505 - Licenciatura em Matemática Ênfase Identificação Disciplina 0007216A - Psicologia da Educação Docente(s) Antonio Francisco Marques Unidade Faculdade de Ciências Departamento Departamento

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO DO FUMO DE MASCAR NAS CARACTERÍSTICAS SALIVARES E CONDIÇÃO PERIODONTAL

TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO DO FUMO DE MASCAR NAS CARACTERÍSTICAS SALIVARES E CONDIÇÃO PERIODONTAL Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO DO FUMO DE MASCAR NAS CARACTERÍSTICAS SALIVARES E CONDIÇÃO PERIODONTAL CATEGORIA:

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Patricia de Campos Couto MS/SCTIE/DECIT/CGPC

Patricia de Campos Couto MS/SCTIE/DECIT/CGPC Patricia de Campos Couto MS/SCTIE/DECIT/CGPC AVALIAÇÃO DOS PROJETOS Diligências/informações INSTITUIÇÕES Projeto SE Credenciamento Distribuição SECRETARIAS Análise Parecer conclusivo SECRETARIAS Acompanhamento

Leia mais

Nos primeiros e segundos anos das séries iniciais não haverá reprovação, observando os aspectos qualitativos obtidos durante o ano letivo.

Nos primeiros e segundos anos das séries iniciais não haverá reprovação, observando os aspectos qualitativos obtidos durante o ano letivo. Metodologia de Avaliação Ensino Fundamental 1º ao 5º ano 1 Da avaliação para os primeiros e segundos anos Ensino Fundamental A avaliação do processo de aprendizagem no Ensino Fundamental terá o aproveitamento

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E EDUCAÇÃO INCLUSIVA: ANÁLISE DOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UEMS

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E EDUCAÇÃO INCLUSIVA: ANÁLISE DOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UEMS FORMAÇÃO DE PROFESSORES E EDUCAÇÃO INCLUSIVA: ANÁLISE DOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UEMS Silvia da Silva Félix 1 ; Celi Correa Neres 2 Área Temática: Educação Especial Resumo O

Leia mais

TÍTULO: OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REGIÃO MÉDIO PARAÍBA

TÍTULO: OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REGIÃO MÉDIO PARAÍBA TÍTULO: OS DESAFIOS DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REGIÃO MÉDIO PARAÍBA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO

Leia mais

Fundamentos e Práticas de Braille II

Fundamentos e Práticas de Braille II Fundamentos e Práticas de Braille II Aula 13 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA E/OU PROJETO INFORMAÇÕES. Enviar com a cópia impressa, uma em CD ou online para o e-mail: projetos.proex@uepg.

PROPOSTA DE PROGRAMA E/OU PROJETO INFORMAÇÕES. Enviar com a cópia impressa, uma em CD ou online para o e-mail: projetos.proex@uepg. PROPOSTA DE PROGRAMA E/OU PROJETO INFORMAÇÕES Enviar com a cópia impressa, uma em CD ou online para o e-mail: projetos.proex@uepg.br As propostas (novas ou reedição) deverão ser protocoladas, com no mínimo,

Leia mais

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE

Leia mais

IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS

IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS Autor(es): LEIVAS, Vanessa Isquierdo; GONÇALVES, Juliana Macedo;

Leia mais

TÍTULO: ASSISTÊNCIA BÁSICA NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS CRÔNICAS ATRAVÉS DO PAPANICOLAU

TÍTULO: ASSISTÊNCIA BÁSICA NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS CRÔNICAS ATRAVÉS DO PAPANICOLAU Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ASSISTÊNCIA BÁSICA NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS CRÔNICAS ATRAVÉS DO PAPANICOLAU CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCADZMT1 IMPORTÂNCIA DA MONITORIA NA DISCIPLINA DE NUTRIÇÃO ANIMAL PARA O PROFISSIONAL ZOOTECNISTA Aldivan Rodrigues Alves (1), Ariosvaldo Nunes de Medeiros (2), Ludmila da Paz Gomes da Silva (3) Centro

Leia mais

TRABALHO COLABORATIVO DE UMA PROFESSORA ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA ESCOLA COM EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL

TRABALHO COLABORATIVO DE UMA PROFESSORA ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA ESCOLA COM EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL TRABALHO COLABORATIVO DE UMA PROFESSORA ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EM UMA ESCOLA COM EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL Josemaris Aparecida Martinelli - Universidade Estadual de Londrina Josemaris2012@gmail.com

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Contabilidade

Leia mais

TÍTULO: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM ÚLCERA VENOSA: ORIENTAÇÕES PARA CICATRIZAÇÃO E PREVENÇÃO DE RECIDIVAS

TÍTULO: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM ÚLCERA VENOSA: ORIENTAÇÕES PARA CICATRIZAÇÃO E PREVENÇÃO DE RECIDIVAS TÍTULO: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM ÚLCERA VENOSA: ORIENTAÇÕES PARA CICATRIZAÇÃO E PREVENÇÃO DE RECIDIVAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ENFERMAGEM INSTITUIÇÃO:

Leia mais

Produção de projeto de pesquisa na Blossom Educação em Terapia Floral

Produção de projeto de pesquisa na Blossom Educação em Terapia Floral Produção de projeto de pesquisa na Blossom Educação em Terapia Floral Dra. Léia Salles Coordenadora de pesquisa leia.salles@blossomedu.com.br As etapas de uma pesquisa são: Planejamento, execução, divulgação

Leia mais

PLANO DE CURSO. Código: FIS09 Carga Horária: 60 Créditos: 03 Pré-requisito: Período: IV Ano:

PLANO DE CURSO. Código: FIS09 Carga Horária: 60 Créditos: 03 Pré-requisito: Período: IV Ano: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Educação Física Disciplina: Educação Física na Infância Professor: Gilson Pereira Souza E-mail: professorgilsonpereira@gmail.com Código:

Leia mais

AS INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS PARA O ALUNO COM TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO

AS INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS PARA O ALUNO COM TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO II ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA AS INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS PARA O ALUNO COM TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO Ilse Silva Matos Dantas 1 Neire Abreu Mota Profiro 2 1. INTRODUÇÃO Espectro do autismo

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO ERGONÔMICO DA POSTURA SENTADA EM COLABORADORAS DE UMA INDÚSTRIA DE CONFECÇÃO.

TÍTULO: ESTUDO ERGONÔMICO DA POSTURA SENTADA EM COLABORADORAS DE UMA INDÚSTRIA DE CONFECÇÃO. TÍTULO: ESTUDO ERGONÔMICO DA POSTURA SENTADA EM COLABORADORAS DE UMA INDÚSTRIA DE CONFECÇÃO. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

TÍTULO: DIDÁTICA EM AÇÃO: ADAPTAÇÃO DOS CONTOS INFANTIS NAS AULAS DE YOGA PARA CRIANÇAS

TÍTULO: DIDÁTICA EM AÇÃO: ADAPTAÇÃO DOS CONTOS INFANTIS NAS AULAS DE YOGA PARA CRIANÇAS TÍTULO: DIDÁTICA EM AÇÃO: ADAPTAÇÃO DOS CONTOS INFANTIS NAS AULAS DE YOGA PARA CRIANÇAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA ANGÉLICA CRISTINA DE SOUZA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA ANGÉLICA CRISTINA DE SOUZA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA ANGÉLICA CRISTINA DE SOUZA AVALIAÇÃO DA ACUIDADE VISUAL DE CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE CORONEL

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12)

FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12) FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12) GURUPI TO MÊS, ANO. MODELO DE FOLHA DE ROSTO NOME DO ALUNO (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL EM OSASCO: DAS CLASSES ESPECIAIS AO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO

EDUCAÇÃO ESPECIAL EM OSASCO: DAS CLASSES ESPECIAIS AO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO EDUCAÇÃO ESPECIAL EM OSASCO: DAS CLASSES ESPECIAIS AO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO Edivaldo Félix Gonçalves 1 As primeiras classes especiais para alunos com deficiência intelectual foram criadas

Leia mais

O DALTONISMO E SUAS LIMITAÇÕES VISUAIS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE QUEIMADAS-PB

O DALTONISMO E SUAS LIMITAÇÕES VISUAIS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE QUEIMADAS-PB O DALTONISMO E SUAS LIMITAÇÕES VISUAIS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE QUEIMADAS-PB Joseane Tavares Barbosa 1 ; Michelly Arruda Menezes 2 ; Matheus Silva Ferreira 3 ; Nehemias Nazaré Lourenço 4 1234 Universidade

Leia mais

TÍTULO: PERFIL DE UTILIZAÇÃO DE ANTI INFLAMATORIOS NÃO ESTEROIDAIS DE UMA DROGARIA DE AGUAÍ-SP

TÍTULO: PERFIL DE UTILIZAÇÃO DE ANTI INFLAMATORIOS NÃO ESTEROIDAIS DE UMA DROGARIA DE AGUAÍ-SP 16 TÍTULO: PERFIL DE UTILIZAÇÃO DE ANTI INFLAMATORIOS NÃO ESTEROIDAIS DE UMA DROGARIA DE AGUAÍ-SP CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS

Leia mais

O ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO PARA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS. Lilian Rinaldi Ibanhez Psicopedagoga UNIFEOB ORGANIZAÇÃO

O ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO PARA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS. Lilian Rinaldi Ibanhez Psicopedagoga UNIFEOB ORGANIZAÇÃO O ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO PARA ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS Lilian Rinaldi Ibanhez Psicopedagoga UNIFEOB ORGANIZAÇÃO Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos - UNIFEOB São João da Boa

Leia mais

Variação sociolinguistica e aquisição semântica: um estudo sobre o perfil lexical pelo teste ABFW numa amostra de crianças em Salvador-BA

Variação sociolinguistica e aquisição semântica: um estudo sobre o perfil lexical pelo teste ABFW numa amostra de crianças em Salvador-BA Variação sociolinguistica e aquisição semântica: um estudo sobre o perfil lexical pelo teste ABFW numa amostra de crianças em Salvador-BA Palavras-chave: Desenvolvimento Infantil; Linguagem; Sociedades.

Leia mais

Cole o cartaz em uma parede vazia, sem janelas, a aproximadamente 1,5 metro do chão.

Cole o cartaz em uma parede vazia, sem janelas, a aproximadamente 1,5 metro do chão. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Descubra como está a sua visão por conta própria. Este teste não substitui o exame completo de visão

Leia mais

TUTORIAL Submissão de Projetos de Pesquisa

TUTORIAL Submissão de Projetos de Pesquisa TUTORIAL Submissão de Projetos de Pesquisa Página1 Submissão de Projeto de Pesquisa Plataforma Brasil Submissão de pesquisa. 1- Para acessar a Plataforma Brasil, basta acrescentar a seguinte URL www.saude.gov.br/plataformabrasil;

Leia mais

REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA

REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA Liziane Batista Souza Universidade Federal de Santa Maria -UFSM liziane.souza6@gmail.com Danieli Martins Ambrós Universidade Federal de Santa Maria -UFSM danieliambros@yahoo.com.br

Leia mais

NÚCLEOS DE ENSINO Convite 2011

NÚCLEOS DE ENSINO Convite 2011 A Reitoria, por intermédio da Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD, torna público e CONVIDA os professores da UNESP, interessados em Educação, a apresentarem propostas para obtenção de financiamento de projetos

Leia mais

TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE CAMPEONATO REGIONAL DE JUDÔ CATEGORIA: CONCLUÍDO

TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE CAMPEONATO REGIONAL DE JUDÔ CATEGORIA: CONCLUÍDO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ANALISE DA INCIDÊNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE EM JUDOCAS INFANTO-JUVENIL PARTICIPANTES DE

Leia mais

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de 6 7 2009 Dispõe sobre a Terminalidade Escolar Específica de alunos com necessidades educacionais especiais na área da deficiência mental, das escolas da rede estadual

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais IV Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Propostas e ações inclusivas: impasses e avanços Belo Horizonte 17 a 20 de outubro de 2006 Sessões

Leia mais

EDITAL CA nº 01/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/NOVAUNESC

EDITAL CA nº 01/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/NOVAUNESC EDITAL CA nº 01/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/NOVAUNESC A Diretoria da Faculdade São Gabriel e as Coordenações de Cursos comunicam aos interessados que estarão abertas

Leia mais

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1

Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 Prova Brasil e SAEB (Sistema de Avaliação do Ensino Básico) - Parte 1 INEP Ana Djéssika Silva Cruz Vidal Abril 2012 UFJF (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 10 Introdução Sistema de Avaliação

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO Capítulo I Das disposições preliminares Art. 1º Este Regulamento tem por finalidade regulamentar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I,II E III

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I,II E III ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I,II E III DIAMANTINA 2010 ORIENTAÇÕES SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II e III O Estágio Supervisionado do Curso de Licenciatura da Educação Física da Universidade

Leia mais

Daltonismo. Daltonismo. Daltonismo

Daltonismo. Daltonismo. Daltonismo O daltonismo (também chamado de discromatopsia ou discromopsia) é uma perturbação da percepção visual caracterizada pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores, manifestando-se muitas vezes

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO FUNCIONAL DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS Cristina Marques de Almeida Holanda¹, Michele Alexandre da Silva². Universidade Federal da Paraíba - UFPB cristinamahd@gmail.com¹, michelebr@live.com

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica PREVALÊNCIA DE ESTRABISMO NO LABORATÓRIO DE MOTILIDADE OCULAR EXTRÍNSECA ORTÓPTICA PARA CAPACITAÇÃO E ATUAÇÃO NA ÁREA DE FISIOTERAPIA OCULAR NA CLÍNICA ESCOLA DA ESEFFEGO EM GOIÂNIA, GOIÁS, BRASIL. MAURO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 022/2012-CONSU/UEAP

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 022/2012-CONSU/UEAP UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N 022/2012-CONSU/UEAP Aprova a matriz curricular do Curso de Especialização em Educação Especial. A Presidente do Conselho Superior

Leia mais

Elementos Pré-textuais. Elementos Textuais. O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais. Elementos Pré-textuais

Elementos Pré-textuais. Elementos Textuais. O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais. Elementos Pré-textuais ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO Elementos Pré-textuais O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais Profª. Drª. Berenice Gonçalves Hackmann Elementos Pré-textuais

Leia mais

IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS: AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA

IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS: AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS: AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA Cristina Marques de Almeida Holanda 1, Michele Alexandre da Silva 2 cristinamahd@gmail.com 1, michelebr@live.com 2 Universidade Federal

Leia mais

REGULAMENTO GERAL CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL Capítulo I Da Finalidade. Capítulo II Das Disposições Preliminares

REGULAMENTO GERAL CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL Capítulo I Da Finalidade. Capítulo II Das Disposições Preliminares REGULAMENTO GERAL CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL - 2016 Capítulo I Da Finalidade Art. 1º - O Concurso Nacional de Cartões de Natal tem por finalidade escolher 10 (dez) trabalhos para ilustração de Cartões

Leia mais

ATENÇÃO PRIMÁRIA AMBIENTAL: O CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO QUE ATUA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA *

ATENÇÃO PRIMÁRIA AMBIENTAL: O CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO QUE ATUA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA * ATENÇÃO PRIMÁRIA AMBIENTAL: O CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO QUE ATUA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA * Andréia Centenaro 1 Elizabeth Maria Lazzarotto 2 INTRODUÇÃO: O presente estudo é centrado na atenção

Leia mais

CARATERIZAÇÃO DAS GESTANTES DE UMA UNIDADE DE SAÚDE DE PONTA GROSSA PR

CARATERIZAÇÃO DAS GESTANTES DE UMA UNIDADE DE SAÚDE DE PONTA GROSSA PR 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CARATERIZAÇÃO

Leia mais

Metodologia de Dissertação II. Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ

Metodologia de Dissertação II. Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ Metodologia de Dissertação II Renata Lèbre La Rovere IE/UFRJ Definição Análise de Conteúdo Análise de Conteúdo se define como um "conjunto de técnicas de análise das comunicações e aposta no rigor do método

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO O Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem do Centro Universitário do Cerrado - Patrocínio (UNICERP) fundamenta a ação pedagógica, a ser desenvolvida junto aos alunos, na

Leia mais

Saúde Ocular do Idoso

Saúde Ocular do Idoso Saúde Ocular do Idoso Norma Helen Medina Centro de Oftalmologia Sanitária CVE CCD/SES SP dvoftal@saude.sp.gov.br Classificação de deficiência visual Organização Mundial da Saúde CID 10 Cegueira Acuidade

Leia mais

CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL REGULAMENTO

CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL REGULAMENTO CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL REGULAMENTO REGULAMENTO CONCURSO DE CARTÕES DE NATAL 2017/2018 Capítulo I Da Finalidade Art. 1º - O Concurso Nacional de Cartões de Natal tem por finalidade escolher 01 (um)

Leia mais

Fases da Pesquisa. c. Organização da Pesquisa

Fases da Pesquisa. c. Organização da Pesquisa Fases da Pesquisa 1ª Fase Fase exploratória c. determinação do problema Seleção do assunto área de concentração/ problema amplo Definição e formulação do problema recorte do problema a ser analisado c.

Leia mais

ETEC ALBERT EINSTEIN ORIENTAÇÕES DE TCC

ETEC ALBERT EINSTEIN ORIENTAÇÕES DE TCC ETEC ALBERT EINSTEIN ORIENTAÇÕES DE TCC CEETEPS ORIENTAÇÕES DE TCC NORMAS GERAIS Página 1 DESENVOLVIMENTO DO TCC 1. ESTRUTURA DO TRABALHO 1.1 Referencial Teórico 1.2 Metodologia 1.3 Resultados 1.4 Conclusão

Leia mais

Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP. Proposta Pedagógica. Uma nova visão

Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP. Proposta Pedagógica. Uma nova visão Escola SENAI Antônio Souza Noschese Santos -SP Proposta Pedagógica Uma nova visão Nossa Proposta Pedagógica é a tradução do nosso compromisso com o desenvolvimento das pessoas, da sociedade e da indústria

Leia mais

FATEC-CARAPICUÍBA. Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FATEC-CARAPICUÍBA. Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FATEC-CARAPICUÍBA Doc. 1 REGIMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO ASTI (Jogos, Segurança, Bacharel, SI) CURSO ADS (Análise e Desenvolvimento de Sistemas) 2 1. DA NATUREZA DO ESTÁGIO 1.1 O estágio curricular

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 1 DOU 31 de dezembro de 2012 [Página ]

Diário Oficial da União Seção 1 DOU 31 de dezembro de 2012 [Página ] *Este texto não substitui o publicado do Diário Oficial da União* Diário Oficial da União Seção 1 DOU 31 de dezembro de 2012 [Página 249-250] INSTRUÇÃO NORMATIVA N 5, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 Dispõe sobre

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Matemática Componente Curricular: Matemática Série: 1ª Eixo Tecnológico:

Leia mais

Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes Perguntas Frequentes 1. Qual é a data para entrega de novos projetos? Você pode submeter seu projeto através da Plataforma Brasil a qualquer dia e horário da semana 2. O CEP receberá o projeto se faltarem

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Art.1 o Trabalho de Conclusão de Curso é elemento obrigatório à formação dos alunos regularmente matriculados no Curso de Fisioterapia,

Leia mais

Psicofisiologia da visão

Psicofisiologia da visão Psicologia Percepção Visual 1º Ano, Design de Comunicação 1º Ano, Imagem Animada Psicofisiologia da visão O olho A retina O nervo óptico O núcleo geniculado lateral O córtex visual Dos neurónios à percepção

Leia mais

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE OCULAR DE CRIANÇAS ATENDIDAS NO CENTRO DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE OCULAR DE CRIANÇAS ATENDIDAS NO CENTRO DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE OCULAR DE CRIANÇAS ATENDIDAS NO CENTRO DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Luísa Salles de Moura Mendonça 1, Marcos Pereira de Ávila 2, Lais Leão

Leia mais

Palavras-chave: Educação Especial, Educação Infantil, Autismo, Interação. 1. Introdução

Palavras-chave: Educação Especial, Educação Infantil, Autismo, Interação. 1. Introdução HABILIDADES DE INTERAÇÃO DE ALUNOS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO DO AUTISMO NA ESCOLA Bianca Sampaio Fiorini Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Campus de Marília. Débora Deliberato Universidade

Leia mais

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem Prof. Alejandro Martins DELINEAMENTO DA PESQUISA Conceituação Refere-se ao planejamento da pesquisa em sua dimensão mais ampla O elemento mais importante para

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Monitoria, mantido pela Faculdade de Medicina de Itajubá,

Leia mais

Pesquisa com células tronco para tratamento de doenças da retina

Pesquisa com células tronco para tratamento de doenças da retina Pesquisa com células tronco para tratamento de doenças da retina O Setor de Retina da Divisão de Oftalmologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto- USP(HCRP-FMRP-USP) está

Leia mais

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN

Anais do Conic-Semesp. Volume 1, Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: A INFLUÊNCIA DE SER UM PRODUTO DE EMPRESA CONSIDERADA ECOLOGICAMENTE CORRETA, NA DECISÃO DE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico 333 Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso Etec :Paulino Botelho Código:091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem

Leia mais

Tarefa Formativa 01. Descrição do Trabalho a ser desenvolvido (I. Chamovitz, 21/10/2008)

Tarefa Formativa 01. Descrição do Trabalho a ser desenvolvido (I. Chamovitz, 21/10/2008) Tarefa Formativa 01 Descrição do Trabalho a ser desenvolvido (I. Chamovitz, 21/10/2008) Esta fase da tarefa 01 consiste em avaliar mensagens geradas por vocês ao longo das últimas semanas em 5 fóruns de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Graduação Av. dos Estados, 5001 Bairro Santa Terezinha Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4996.7983 gabinete.prograd@ufabc.edu.br

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESPECIAL/ESPORTE ADAPTADO (EGRESSOS DA ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL DEFICIÊNCIA MENTAL) Hugo Mauricio Yamasaki 1 Rosangela Marques Busto 2 Maria Cristina

Leia mais

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS TÍTULO: PREVALÊNCIA DE LESÕES EM CORREDORES DOS 10 KM TRIBUNA FM-UNILUS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA AUTOR(ES):

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS EM EDITAIS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO. 1 Edital Institucional de Extensão Pró-reitoria de Extensão

ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS EM EDITAIS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO. 1 Edital Institucional de Extensão Pró-reitoria de Extensão ORIENTAÇÕES SOBRE PROCEDIMENTOS EM EDITAIS 1 Edital Institucional de Extensão Pró-reitoria de Extensão a. Abertura de processo com o protocolo de documento oficial (memorando) encaminhado ao Gabinete contendo

Leia mais

SESSÃO SOBRE TECNOLOGIAS DE APOIO PARA A BAIXA VISÃO

SESSÃO SOBRE TECNOLOGIAS DE APOIO PARA A BAIXA VISÃO CENTRO DE RECURSOS T I C PARA A EDUCAÇÃO ESPECIAL DE POMBAL SESSÃO SOBRE TECNOLOGIAS DE APOIO PARA A BAIXA VISÃO 1 9 D E N O V E M B R O A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D R. B I S S A Y A B A R

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Colo do Útero, Anticoncepcionais, Teste de Papanicolaou.

PALAVRAS-CHAVE Colo do Útero, Anticoncepcionais, Teste de Papanicolaou. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem ISSN: Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil

Escola Anna Nery Revista de Enfermagem ISSN: Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil Escola Anna Nery Revista de Enfermagem ISSN: 1414-8145 annaneryrevista@gmail.com Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil Rabello Laignier, Mariana; Almeida Castro, Marlúcia de; Santos Cabral de Sá,

Leia mais