REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO)"

Transcrição

1 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO)

2 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO A prática do desporto para todos é uma divisa de essência social e democrática, comprometedora e responsabilizadora do Estado e do poder instituído, como garante da aceitabilidade e moralidade dos processos distributivos. Corporiza um postulado ético e um imperativo social, no sentido de que cada cidadão deve ter acesso a uma prática desportiva que corresponda à sua situação social e financeira, às suas disponibilidades temporais, aos seus interesses e motivações,.. CAPÍTULO I PROPRIEDADES E FINS ARTIGO 1º - As instalações do pavilhão desportivo municipal de Vila Praia de Âncora constituem parte integrante do património municipal e tem como objectivo contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos munícipes em geral e para o desenvolvimento desportivo do concelho em particular ARTIGO 2º - O presente regulamento pretende constituir-se apenas como instrumento de regulação dos diversos tipos de utilização compatíveis com aquela infra-estrutura municipal. CAPÍTULO II INSTALAÇÕES ARTIGO 3º - As instalações destinam-se à prática de actividades de carácter formativo, recreativo ou competitivo. ARTIGO 4º - Mediante o pagamento das taxas constantes da tabela anexa ao presente regulamento, as instalações podem ser utilizadas por inteiro ou por terços: a) Regularmente, de 2ª a 6ª feira, das 8H00 às 22H30, e aos sábados das 8H30 às 12H30. b) Pontualmente, aos sábados à tarde e ao domingo, em horários a definir pela entidade responsável. Único Os horários estabelecidos poderão sofrer ligeiras alterações ou ajustamentos em função dos horários escolares e dos calendários de actividades de complemento curricular, definidos pelos estabelecimentos de ensino para cada ano escolar. ARTIGO 5º - As instalações apenas podem ser utilizadas pelas entidades a quem tenham sido cedidas. ARTIGO 6º - É vedado o acesso à área de jogo e, ou, de apoio (balneários e corredor de acesso) a todos aqueles cujo destino não seja a utilização da área de jogo. ARTIGO 7º - Nos termos do disposto no Decreto-Lei n.º 134/77, é proibido fumar dentro das instalações. 2

3 CAPÍTULO III GESTÃO DAS INSTALAÇÕES ARTIGO 8º - As instalações serão geridas pela Câmara Municipal de Caminha Pelouro do Deporto (Entidade Responsável), sendo suas atribuições: a) Execução de todos os procedimentos administrativos inerentes ao normal funcionamento das instalações. b) Receber de 1 a 15 de Setembro de cada ano todos os pedidos de cedência regular das instalações para o período compreendido entre as 8H00 e 22H30 de segunda a sexta-feira, e, das 8H30 às 12H30, aos sábados. c) Analisar todos os pedidos recebidos e ordená-los conforme as prioridades estabelecidas. d) Comunicar até 30 de Setembro, por ofício, aos interessados, e divulgar através de edital a afixar nas instalações, os horários e espaços cedidos. e) Analisar e decidir sobre novos pedidos de utilização. CAPÍTULO IV CEDÊNCIA DAS INSTALAÇÕES (CONSIDERA-SE O PERÍODO DE DECORRÊNCIA DO ANO LECTIVO E DESPORTIVO) ARTIGO 9º - Consideram-se dois tipos de cedência: a) REGULAR que prevê a utilização das instalações ao longo da época, em horários e espaços definidos. b) PONTUAL que implica o uso esporádico das instalações. ARTIGO 10º - As entidades interessadas na cedência regular das instalações deverão formular os seus pedidos de cativação na Secretaria da Câmara Municipal no período referido em b), do artigo 8º, na alínea b) do CAPÍTULO III, indicando objectivamente: a) Espaços (terços), horas e dias pretendidos; b) Datas de início e término das actividades; c) Número aproximado de praticantes e escalões etários; d) Nome do responsável pela actividade; e) Objectivo ou fim das actividades desportivas a desenvolver: formação, recreação ou competição. ARTIGO 11º - Os pedidos de cativação regular, formalizados para além do prazo, serão considerados para efeitos de elaboração de uma eventual lista de espera. ARTIGO 12º - Os pedidos de cedência pontual das instalações devem ser formulados com pelo menos 5 dias úteis de antecedência e fazendo deles constar os elementos previstos no artigo 10º. ARTIGO 13º - Autorizada a utilização das instalações e pretendendo o utente dela desistir, deve comunicá-lo por escrito à Entidade Responsável até 20 dias ou 5 dias antes da data fixada, tratandose de utilização regular ou pontual, respectivamente. 3

4 ARTIGO 14º - Qualquer cedência pode ser suspensa, caso a Entidade Responsável, necessite das instalações para a realização de actividades, que entenda prioritárias, competindo-lhe para isso, comunicar tal facto aos utentes abrangidos, com uma antecedência superior a 72 horas. Único Exceptuam-se as cedências referentes a provas dos quadros competitivos oficiais. CAPÍTULO V PRIORIDADE NA CEDÊNCIA DAS INSTALAÇÕES ARTIGO 15º - Tendo em conta o tipo de actividade a cedência das instalações será feita prioritariamente a: 1. ACTIVIDADES REGULARES a) Das 8H00 às 18H00 de 2ª a 6ª feira: 1º - Escolas do concelho dos 2º e 3º ciclo do ensino básico e secundário para actividade curriculares de Educação Física. 2º - Actividades de complemento curricular, desenvolvidas de forma organizada, pelas escolas do concelho daqueles graus de ensino. 3º - Escolas do concelho do 1º ciclo do ensino básico com actividades de Educação Física organizadas. 4º - Actividades desenvolvidas por clubes ou associações do concelho legalmente constituídas. b) Aos sábados das 8H00 às 12H30: 1º - Actividades de complemento curricular, desenvolvidas de forma organizada, pelas escolas do concelho do 2º e 3º ciclos do ensino básico e secundário. 2º - Clubes ou associações do concelho, legalmente constituídas, com actividades formativas organizadas. 3º - Clubes ou associações do concelho, legalmente constituídas, com equipas a participar em provas do quadro competitivo oficial. 4º - Clubes ou associações do concelho, legalmente constituídas, com actividades de recreação. 5º - Clubes ou associações de freguesia limítrofes do concelho de Caminha, legalmente constituídas, com equipas a participar em provas do quadro competitivo oficial. c) Das 18H30 às 22H30, de 2ª a 6ª feira: 1º - Clubes ou associações do concelho, legalmente constituídas, com actividades formativas organizadas. 2º - Clubes ou associações do concelho, legalmente constituídas, com equipas a participar em provas do quadro competitivo oficial. 3º - Clubes ou associações do concelho, legalmente constituídas, com actividades de recreação. 4º - Clubes ou associações de freguesia limítrofes do concelho de Caminha, legalmente constituídas, com equipas a participar em provas do quadro competitivo oficial. Único Será concedida prioridade aos utentes que possuam uma prática desportiva mais regular e que tenham um maior índice de assiduidade. 4

5 2. ACTIVIDADES PONTUAIS 1º - Clubes ou associações do concelho, legalmente constituídas, com equipas a participar em provas do quadro competitivo oficial. 2º - Clubes ou associações de freguesia limítrofes do concelho de Caminha, legalmente constituídas, com equipas a participar em provas do quadro competitivo oficial. 3º - Realizações desportivas de âmbito concelhio. 4º - Actividades de grupos organizados com um mínimo de 10 elementos. CAPÍTULO VI MATERIAL DAS INSTALAÇÕES ARTIGO 16º - O material de apetrechamento das instalações e outro material de uso comum, propriedade da autarquia, pode ser utilizado racionalmente por todos os utentes. ARTIGO 17º - O material pertencente aos utentes e arrecadado nas instalações, só por estes poderá ser utilizado. ARTIGO 18º - Os danos causados ao material das instalações, de forma involuntária ou dolosa, pelos utentes, no decorrer da utilização implicam sempre a reparação dos bens danificados, no seu estado inicial ou no pagamento da importância relativa ao valor dos danos causados, no prazo que a Entidade Responsável fixar para o efeito. CAPÍTULO VII DO PESSOAL ARTIGO 19º - O pessoal encarregado das instalações, a sua manutenção e higiene, é da responsabilidade da Câmara Municipal, e dela depende exclusivamente. São suas atribuições: a) Abrir as instalações nos horários previamente definidos pela entidade responsável; b) Controlar a utilização dos espaços e horas atribuídas; c) Proceder ao registo diário das utilizações, em mapa adequado a indicar pela entidade responsável; d) Proceder à cobrança das taxas devidas pela utilização das instalações; e) Zelar pelo bom funcionamento das instalações; f) Participar à entidade responsável todas as ocorrências. CAPÍTULO VIII FORMA DE PAGAMENTO ARTIGO 20º - Actividades regulares. Os utentes regulares procederão ao pagamento das taxas devidas pela utilização das instalações até ao último dia útil de cada mês. ARTIGO 21º - Actividades pontuais. Os utentes pontuais procederão ao pagamento das taxas antes da utilização das instalações. 5

6 CAPÍTULO IX FISCALIZAÇÃO ARTIGO 22º - A fiscalização é da competência da Câmara Municipal de Caminha Pelouro do Desporto, e poderá ser feita directamente ou através dos seus agentes, credenciados para o efeito. CAPÍTULO X PENALIDADES ARTIGO 23º - A cedência das instalações por uma entidade a outra, sem autorização prévia da entidade responsável, implica a suspensão imediata do direito da sua utilização às entidades envolvidas sem prejuízo do pagamento das taxas devidas pela entidade cedente. ARTIGO 24º - O não pagamento, nos prazos estipulados, das taxas devidas implica a suspensão da utilização das instalações até à data da liquidação das importâncias em dívida sem prejuízo de eventual perca de prioridades. ARTIGO 25º - O incumprimento dos prazos previstos no artigo 13º obriga ao pagamento das taxas que seriam devidas se não houvesse desistência. ARTIGO 26º - O incumprimento do estipulado no artigo 19º acarreta a suspensão temporária ou definitiva da utilização das instalações consoante se trate de danos involuntários ou dolosos, respectivamente. CAPÍTULO XI DISPOSIÇÕES DIVERSAS ARTIGO 27º - A utilização das instalações por estabelecimentos escolares do 1º ciclo do ensino básico está dispensada do pagamento de qualquer taxa. ARTIGO 28º - Considera-se período de utilização diurno o que decorre até às 18H00. ARTIGO 29º - Considera-se período de utilização nocturno o que decorre a partir das 18H00. ARTIGO 30º - Para efeitos deste regulamento considera-se hora um período de 55 minutos. CAPÍTULO XII DISPOSIÇÃO FINAL ARTIGO 31º - A resolução dos casos omissos ao presente regulamento será da responsabilidade da entidade responsável. 6

7 Pelouro do Desporto TABELA ANEXA AO REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA, PREVISTA NO ARTIGO 4º. TAXAS DE UTILIZAÇÃO POR HORA ACTIVIDADES ACTIVIDADES DE TREINO, FORMAÇÃO OU ENSINO DESPORTIVO ACTIVIDADES DE CARÁCTER COMPETITIVO SEM ENTRADAS PAGAS ACTIVIDADES DE CARÁCTER COMPETITIVO COM ENTRADAS PAGAS PERÍODO DIURNO PERÍODO NOCTURNO 1/3 2/3 3/3 1/3 2/3 3/3 400$00 800$ $00 600$ $ $00 600$ $ $00 800$ $ $ $ $ $ $ $ $00 7

CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE MONSERRATE

CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE MONSERRATE CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO CASTELO REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE MONSERRATE I - INSTALAÇÕES II - GESTÃO III - CEDÊNCIAS IV - PRIORIDADES V - MATERIAL VI - PESSOAL

Leia mais

Regulamento da Piscina Municipal Coberta. Preâmbulo

Regulamento da Piscina Municipal Coberta. Preâmbulo Regulamento da Piscina Municipal Coberta Preâmbulo O exercício de actividades físicas e desportivas constitui um factor indispensável no desenvolvimento das condições de saúde e bem estar dos cidadãos,

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL O desporto e a actividade física são elementos que contribuem para o bem-estar, para a saúde e para a qualidade de vida dos cidadãos. Assim,

Leia mais

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DA GANDRA

NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DA GANDRA NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DA GANDRA ÍNDICE Capitulo I - Instalações... 2 Capitulo II Gestão e Administração das Instalações... 3 Capítulo III Cedência das Instalações... 5 Capitulo IV Prioridades

Leia mais

Regulamento de Utilização do Campo Municipal de Jogos de Sobral de Monte Agraço

Regulamento de Utilização do Campo Municipal de Jogos de Sobral de Monte Agraço Regulamento de Utilização do Campo Municipal de Jogos de Sobral de Monte Agraço Reunião de Câmara (aprovação do projeto) 20/04/2015 Edital (apreciação pública) 29/2015, de 05/05/2015 Publicado (projeto)

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA

CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art.l - O Pavilhão Desportivo Municipal de Peso da Régua fica

Leia mais

REGULAMENTO CAPITULO I Das Disposições Gerais Artº 1º (Leis Habilitantes) Artº 2º (Condições Gerais) Artº 3º (Utilização)

REGULAMENTO CAPITULO I Das Disposições Gerais Artº 1º (Leis Habilitantes) Artº 2º (Condições Gerais) Artº 3º (Utilização) REGULAMENTO CAPITULO I Das Disposições Gerais Artº 1º (Leis Habilitantes) O presente Regulamento tem como leis habilitantes: - O artº 64º, nº 2, alínea f), conjugado com o nº 7, alínea a) do mesmo artigo,

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CAMPO DE FUTEBOL SINTÉTICO DO PARQUE URBANO 25 DE ABRIL DE 1974 DE CASAL DE CAMBRA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CAMPO DE FUTEBOL SINTÉTICO DO PARQUE URBANO 25 DE ABRIL DE 1974 DE CASAL DE CAMBRA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CAMPO DE FUTEBOL SINTÉTICO DO PARQUE URBANO 25 DE ABRIL DE 1974 DE CASAL DE CAMBRA Proposta Regulamento de Utilização do Campo de Futebol Nota Justificativa A Junta de Freguesia

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA

CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA CÂMARA MUNICIPAL DE PESO DA RÉGUA UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art.l - O Pavilhão Desportivo Municipal de Peso da Régua fica

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO SALÃO POLIVALENTE

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO SALÃO POLIVALENTE Junta de Freguesia da Brandoa REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO SALÃO POLIVALENTE Ao abrigo da competência regulamentar das Autarquias Locais consagrada no artigo 241.º da Constituição da República Portuguesa,

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS PREÂMBULO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS PREÂMBULO NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS PREÂMBULO NOTA JUSTIFICATIVA O Pavilhão Municipal de Desportos de Santiago do Cacém, propriedade do Município de Santiago do

Leia mais

Normas de utilização do Pavilhão Desportivo

Normas de utilização do Pavilhão Desportivo CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO Normas de utilização do Pavilhão Desportivo CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO, DO FUNCIONAMENTO, DA UTILIZAÇÃO E DA CEDÊNCIA Artigo 1º. O Pavilhão Desportivo é um meio que tem como

Leia mais

CAPÍTULO I CAPÍTULO II

CAPÍTULO I CAPÍTULO II CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto 1. O campo de jogos do campus do IST no Taguspark é propriedade do Instituto Superior Técnico e a sua utilização está acessível a alunos, docentes e funcionários,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DE PAVILHÕES ESCOLARES/MUNICIPAIS

CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DE PAVILHÕES ESCOLARES/MUNICIPAIS CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DE PAVILHÕES ESCOLARES/MUNICIPAIS I DISPOSIÇÕES GERAIS 1. O presente Regulamento estabelece as normas gerais e as condições de utilização

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA

CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA REGULAMENTO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO E ANEXOS INTRODUÇÃO 1. O Pavilhão Gimnodesportivo é um local destinado unicamente à prática desportiva, ao serviço das populações, sendo as

Leia mais

PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL REGULAMENTO GERAL

PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL REGULAMENTO GERAL PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO MUNICIPAL REGULAMENTO GERAL INTRODUÇÃO 1º O Desporto constitui importante factor de equilíbrio, bem estar e desenvolvimento dos cidadãos, contribuindo de uma forma decisiva para

Leia mais

Regulamento Municipal do Pavilhão Desportivo de Macedo de Cavaleiros. Nota Justificativa

Regulamento Municipal do Pavilhão Desportivo de Macedo de Cavaleiros. Nota Justificativa Regulamento Municipal do Pavilhão Desportivo de Macedo de Cavaleiros Nota Justificativa O Regulamento Municipal que disciplina a utilização do pavilhão desportivo, localizado no complexo escolar da cidade

Leia mais

Projecto de Regulamento Municipal de Gestão, Utilização e Cedência. SKATE PARQUE _ Margem Sul _ Alcácer do Sal

Projecto de Regulamento Municipal de Gestão, Utilização e Cedência. SKATE PARQUE _ Margem Sul _ Alcácer do Sal Projecto de Regulamento Municipal de Gestão, Utilização e Cedência SKATE PARQUE _ Margem Sul _ Alcácer do Sal Regulamento Municipal de Gestão, Utilização e Cedência do Skate Parque Artigo 1.º (Lei habilitante)

Leia mais

Pavilhão Desportivo Municipal de Alijó

Pavilhão Desportivo Municipal de Alijó Pavilhão Desportivo Municipal de Alijó POSTURA DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto A presente postura estabelece as normas gerais e as condições de cedência e de utilização

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO

CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO Normas de utilização do Pavilhão Desportivo CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO, DO FUNCIONAMENTO, DA UTILIZAÇÃO E DA CEDÊNCIA Artigo 1º. O Pavilhão Desportivo é um meio que tem como

Leia mais

Regulamento de Utilização do Estádio Municipal de Fornelos (Campo de Futebol 11 Sintético) Lei Habilitante

Regulamento de Utilização do Estádio Municipal de Fornelos (Campo de Futebol 11 Sintético) Lei Habilitante Regulamento de Utilização do Estádio Municipal de Fornelos (Campo de Futebol 11 Sintético) Lei Habilitante A utilização dos equipamentos municipais carece de regulamentação. A Câmara Municipal de Resende,

Leia mais

Regulamento dos Campos de Ténis e do Campo de Jogos Dr. Amado Aguilar

Regulamento dos Campos de Ténis e do Campo de Jogos Dr. Amado Aguilar Regulamento dos Campos de Ténis e do Campo de Jogos Dr. Amado Aguilar Nota justificativa O desporto encerra em si um vasto conjunto de valores universais que ao longo dos tempos vem contribuindo de forma

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS CAMPOS DE TÉNIS JORGE HUMBERTO - LUSO

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS CAMPOS DE TÉNIS JORGE HUMBERTO - LUSO M U N I C Í P I O D E M E A L H A D A C Â M A R A M U N I C I P A L REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS CAMPOS DE TÉNIS JORGE HUMBERTO - LUSO O presente regulamento é elaborado ao abrigo do Artº 241 da Constituição

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS. Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS. Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DE EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS Preâmbulo Uma das funções da Câmara Municipal é garantir, no âmbito das suas atribuições e competências, a generalização da prática da actividade física

Leia mais

Regulamento de utilização / Normas de utilização do Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Básica e Secundária Vale do Tamel

Regulamento de utilização / Normas de utilização do Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Básica e Secundária Vale do Tamel Agrupamento de Escolas Vale Tamel SEDE: Escola Básica e Secundária Vale Tamel www.aevt.pt Tel. 253808170 Regulamento de utilização / Normas de utilização do Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Básica e

Leia mais

REGULAMENTO UTILIZAÇÃO DAS VIATURAS DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS. 1 de 5. site

REGULAMENTO UTILIZAÇÃO DAS VIATURAS DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS. 1 de 5. site Artigo 1.º Lei habilitante O presente Regulamento é elaborado no uso da competência prevista pelos artigos 112º e 241º da Constituição da República Portuguesa e ao abrigo dos artigos 64º, nº 6, alínea

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO MUNICIPAL JOSÉ CAEIRO CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º

PROJECTO DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO MUNICIPAL JOSÉ CAEIRO CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º PROJECTO DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO E UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO MUNICIPAL JOSÉ CAEIRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente regulamento visa estabelecer as normas de

Leia mais

Capitulo I Disposições Gerais

Capitulo I Disposições Gerais REGULAMENTO SOBRE AS CONDIÇÕES DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DO ESTÁDIO POLIVALENTE DOS ASSENTOS E ESTÁDIO MUNICIPAL DE PORTALEGRE NOTA JUSTIFICATIVA Considerando que o Desporto é indispensável ao funcionamento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ÍNDICE Capítulo I página 3 Participação na Selecção Distrital Artigo 1º - Principio geral Artigo 2º - Participação na Selecção

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO DO CAMPUS ESCOLAR DA SERRA DO PILAR

REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO DO CAMPUS ESCOLAR DA SERRA DO PILAR REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO DO CAMPUS ESCOLAR DA SERRA DO PILAR NOTA JUSTIFICATIVA As instalações desportivas assumem-se como elementos fundamentais para a democratização

Leia mais

Projeto Regulamento Campo Futebol de Dr. Eduardo Ralha PREÂMBULO

Projeto Regulamento Campo Futebol de Dr. Eduardo Ralha PREÂMBULO Projeto Regulamento Campo Futebol de Dr. Eduardo Ralha PREÂMBULO O Município de Arganil, nos termos do disposto na alínea f) do n.º, do artigo 23.º da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, que estabelece

Leia mais

DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO DESPORTO ESCOLAR

DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO DESPORTO ESCOLAR DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO DESPORTO ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO O Desporto Escolar (DE) tem de ser entendido como uma responsabilidade da comunidade escolar e é à escola, que compete criar as condições necessárias

Leia mais

Município de Vila Nova de Poiares Natal em Atividade. MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo

Município de Vila Nova de Poiares Natal em Atividade. MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo MUNICÍPIO DE VILA NOVA DE POIARES CÂMARA MUNICIPAL DAG Desporto, Juventude e Associativismo NATAL EM ATIVIDADE NORMAS GERAIS DE FUNCIONAMENTO Nota introdutória A Câmara Municipal pretende desenvolver programas

Leia mais

Município de Viana do Alentejo NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Município de Viana do Alentejo  NORMAS DE PARTICIPAÇÃO NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Feira D Aires Norma 1 Âmbito de Aplicação As presentes normas aplicam-se aos participantes na Feira D Aires que se realiza anualmente em Viana do Alentejo e é organizada pelo Município

Leia mais

Decreto-Lei n.º 334/91 de 6 de Setembro

Decreto-Lei n.º 334/91 de 6 de Setembro Decreto-Lei n.º 334/91 de 6 de Setembro Gestão das instalações desportivas...2 Ordem de preferência na utilização...2 Cedência das instalações...3 Utilização das instalações...3 Intransmissibilidade das

Leia mais

PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS. Regulamento de Publicidade

PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS. Regulamento de Publicidade PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS Regulamento de Publicidade 1 REGULAMENTO DE PUBLICIDADE PARA O PAVILHÃO MUNICIPAL DE DESPORTOS PREÂMBULO NOTA JUSTIFICATIVA O Pavilhão Municipal de Desportos é uma infra-estrutura

Leia mais

Desenvolvimento Económico REGULAMENTO PARA A ALIENAÇÃO DE LOTES PARA EMPRESAS DE I&D COM BASE TECNOLÓGICA NOTA JUSTIFICATIVA

Desenvolvimento Económico REGULAMENTO PARA A ALIENAÇÃO DE LOTES PARA EMPRESAS DE I&D COM BASE TECNOLÓGICA NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO PARA A ALIENAÇÃO DE LOTES PARA EMPRESAS DE I&D COM BASE TECNOLÓGICA NOTA JUSTIFICATIVA O licenciamento da localização, construção e instalação dos estabelecimentos será feito em conformidade

Leia mais

Regulamento Municipal de Utilização e Funcionamento dos Pavilhões Municipais situados no Concelho de Estarreja

Regulamento Municipal de Utilização e Funcionamento dos Pavilhões Municipais situados no Concelho de Estarreja Regulamento Municipal de Utilização e Funcionamento dos Pavilhões Municipais situados no Concelho de Estarreja Regulamento n.º _1_/ 2010 Data de Publicação em D.R. (se aplicável): / / Aprovado em Reunião

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS DO COMPLEXO DE APOIO ÀS ACTIVIDADES DESPORTIVAS

REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS DO COMPLEXO DE APOIO ÀS ACTIVIDADES DESPORTIVAS COMPLEXO DE APOIO ÀS ACTIVIDADES DESPORTIVAS (CAAD) REGULAMENTO GERAL DE UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS DO COMPLEXO DE APOIO ÀS ACTIVIDADES DESPORTIVAS Portaria n.º 455/2000 de 21 de Julho (Alterada

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS PAVILHÕES DESPORTIVOS SOB GESTÃO MUNICIPAL

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS PAVILHÕES DESPORTIVOS SOB GESTÃO MUNICIPAL REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS PAVILHÕES DESPORTIVOS SOB GESTÃO MUNICIPAL Ano VIII - N.º 19 30 de Outubro de 2007 - Anexo Preâmbulo Considerando que foram celebrados três Acordos de Colaboração entre o

Leia mais

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS (Documento aprovado na 7ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da ESTBarreiro/IPS, de 20 de Outubro de 2010) CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA DOMUS MUNICIPALIS. CAPÍTULO I Utilização

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA DOMUS MUNICIPALIS. CAPÍTULO I Utilização REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA DOMUS MUNICIPALIS Foi celebrado um protocolo entre a Câmara Municipal de Bragança e o Instituto Português do Património Arqueológico e Arquitectónico, transferindo

Leia mais

Normas de utilização das Piscinas Municipais

Normas de utilização das Piscinas Municipais CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO Normas de utilização das Piscinas Municipais Artigo 1º A Administração das Piscinas Municipais será exercida pela Câmara Municipal Artigo 2º 2.1. As Piscinas manter-se-ão abertas

Leia mais

REGULAMENTO DA PISTA DE ATLETISMO DO MUNICÍPIO DE ESTARREJA ELOI DE ALMEIDA

REGULAMENTO DA PISTA DE ATLETISMO DO MUNICÍPIO DE ESTARREJA ELOI DE ALMEIDA REGULAMENTO DA PISTA DE ATLETISMO DO MUNICÍPIO DE ESTARREJA ELOI DE ALMEIDA Regulamento n.º 1/ 2009 Data de Publicação em D.R. (se aplicável): / / Aprovado em Assembleia Municipal a 27/2/2009 ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Regulamento Ser Cientista

Regulamento Ser Cientista Regulamento Ser Cientista 1- Objetivos 1.1 - "Ser Cientista" é um programa que tem por objetivo proporcionar aos alunos do ensino secundário uma aproximação à realidade da investigação científica pela

Leia mais

LIVRO IX REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE AUTOCARROS MUNICIPAIS E VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS. Nota Justificativa

LIVRO IX REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE AUTOCARROS MUNICIPAIS E VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS. Nota Justificativa LIVRO IX REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE AUTOCARROS MUNICIPAIS E VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Nota Justificativa O Regulamento Municipal de Cedência de Viaturas data de 10/08/83. Decorridos que foram

Leia mais

18º TORNEIO CONCELHIO DE FUTSAL SUB-13 GONDOMAR 2015

18º TORNEIO CONCELHIO DE FUTSAL SUB-13 GONDOMAR 2015 A Escola Desportiva e Cultural de Gondomar vai, uma vez mais e pelo 18º ano consecutivo, em colaboração com a Câmara Municipal de Gondomar, levar a efeito o 18º. Torneio Concelhio de Futsal Sub-13 (Jovens

Leia mais

Regulamento de Apoio às Entidades e Agentes Desportivos do Concelho da Praia da Vitória. Atividade de treino e competição nos escalões de formação

Regulamento de Apoio às Entidades e Agentes Desportivos do Concelho da Praia da Vitória. Atividade de treino e competição nos escalões de formação Regulamento de Apoio às Entidades e Agentes Desportivos do Concelho da Praia da Vitória Atividade de treino e competição nos escalões de formação Preâmbulo O presente regulamento estabelece as normas de

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA Preâmbulo A atividade física e desportiva é, no quotidiano, um fator primordial na formação do ser humano enquanto indivíduo que busca a integração plena na sociedade contemporânea.

Leia mais

ANEXO IV NORMAS DOS TRANSPORTES ESCOLARES

ANEXO IV NORMAS DOS TRANSPORTES ESCOLARES ANEXO IV NORMAS DOS TRANSPORTES ESCOLARES CAPÍTULO I Disposições Gerais I (Disposição Introdutória) Em cumprimento do disposto no Decreto-Lei nº 299/84, de 5 de setembro, alterado pelo Decreto- Lei nº

Leia mais

Estádio Municipal de Arcos de Valdevez. Regulamento de Utilização

Estádio Municipal de Arcos de Valdevez. Regulamento de Utilização Estádio Municipal de Arcos de Valdevez Regulamento de Utilização Nota Justificativa Pela importância que o Estádio Municipal de Arcos de Valdevez assume como estrutura vocacionada para proporcionar o acesso

Leia mais

PISCINA MUNICIPAL DOS ASSENTOS

PISCINA MUNICIPAL DOS ASSENTOS CÂMARA MUNICIPAL DE PORTALEGRE DIVISÃO DE DESPORTO JUVENTUDE E TEMPOS LIVRES GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS DESPORTIVAS REGULAMENTOS ESPECÍFICOS PISCINA MUNICIPAL DOS ASSENTOS Ano 2004 INDÍCE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ-UEAP PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2016- PROEXT

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ-UEAP PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2016- PROEXT GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ-UEAP PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2016- PROEXT Dispõe sobre as normas para o acesso à quadra poliesportiva da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO E CARRINHA DE NOVE LUGARES Preâmbulo Tendo em conta a nova realidade politica administrativa existente no território da União

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ (A.E.S.A.)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ (A.E.S.A.) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ (A.E.S.A.) Regulamento Específico de Utilização das Instalações Desportivas da Escola Secundária de Santo André (E.S.S.A.) Objeto O presente Regulamento estabelece

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE A UTILIZAÇÃO DA EMBARCAÇÃO ESTOU PARA VER. A embarcação Estou Para Ver foi adquirida pelo Município de Cascais em

REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE A UTILIZAÇÃO DA EMBARCAÇÃO ESTOU PARA VER. A embarcação Estou Para Ver foi adquirida pelo Município de Cascais em REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE A UTILIZAÇÃO DA EMBARCAÇÃO ESTOU PARA VER NOTA JUSTIFICATIVA A embarcação Estou Para Ver foi adquirida pelo Município de Cascais em Junho de 2003, com verbas provenientes da

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO DESPORTIVO JOSÉ ROSA PEREIRA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO DESPORTIVO JOSÉ ROSA PEREIRA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO DESPORTIVO JOSÉ ROSA PEREIRA PREÂMBULO A prática de actividades desportivas constitui um importante factor de equilíbrio, bem-estar e desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO /

REGULAMENTO INTERNO / REGULAMENTO INTERNO 91 349 8992 / 96 272 1222 geral@astuciasaber.com www.astuciasaber.com 1 Índice Objectivos... 3 Funcionamento APOIO ESCOLAR... 3 Funcionamento EXPLICAÇÕES... 3 Actividades Extra... 3

Leia mais

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS PREÂMBULO No uso da competência prevista pelos artigos 112º, n.º. 8, e 241º da Constituição da República Portuguesa, e conferida pela

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA TABELA DE PREÇOS DO MUNICÍPIO DE MEALHADA

CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA TABELA DE PREÇOS DO MUNICÍPIO DE MEALHADA CÂMARA MUNICIPAL DE MEALHADA TABELA DE PREÇOS DO MUNICÍPIO DE MEALHADA Dezembro de 2009 Índice I PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS... 3 II ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS REVOGADO CONSULTAR

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO E MONTELAVAR

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO E MONTELAVAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO E MONTELAVAR ANO DE 2013 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO

Leia mais

REGULAMENTO, CONSTITUIÇÃO E CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DO DESPORTO PREÂMBULO

REGULAMENTO, CONSTITUIÇÃO E CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DO DESPORTO PREÂMBULO REGULAMENTO, CONSTITUIÇÃO E CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DO DESPORTO PREÂMBULO As Autarquias, devido à sua proximidade com a população, são os órgãos de poder que mais facilmente poderão desenvolver condições

Leia mais

MUNICÍPIO DO CADAVAL Serviço de Desporto

MUNICÍPIO DO CADAVAL Serviço de Desporto MUNICÍPIO DO CADAVAL Serviço de Desporto MUNICÍPIO DO CADAVAL Serviço de Desporto 5º CAMPEONATO CONCELHIO DE FUTSAL 2009/10 (Seniores Masculinos) Normas de Participação 1- PARTICIPAÇÃO 1.1- Todas Associações

Leia mais

Deve ser nomeado um Coordenador de Estágio, de preferência o Diretor do Curso, neste caso o Professor José Barros.

Deve ser nomeado um Coordenador de Estágio, de preferência o Diretor do Curso, neste caso o Professor José Barros. REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DE GRAU I (Resumo) 1. Carga Horária O Curso de Treinadores de Atletismo de Grau I passa a englobar na sua componente curricular, para além das matérias gerais do treino desportivo

Leia mais

REGULAMENTO RESPEITANTE AO FUNCIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DE VELHARIAS E ANTIGUIDADES DE BRAGA. Artigo 1º. Lei Habilitante

REGULAMENTO RESPEITANTE AO FUNCIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DE VELHARIAS E ANTIGUIDADES DE BRAGA. Artigo 1º. Lei Habilitante REGULAMENTO RESPEITANTE AO FUNCIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DE VELHARIAS E ANTIGUIDADES DE BRAGA Artigo 1º Lei Habilitante O presente Regulamento é elaborado ao abrigo do disposto na alínea a) do n. 0 2 do art.

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO CAMPO DE FUTEBOL MUNICIPAL (Proposta)

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO CAMPO DE FUTEBOL MUNICIPAL (Proposta) REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO CAMPO DE FUTEBOL MUNICIPAL (Proposta) PREÂMBULO A prática de actividades desportivas constitui um importante factor de equilíbrio, bem-estar e desenvolvimento

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 13 NOTA JUSTIFICATIVA Sendo o Pavilhão Polidesportivo de Condeixa-a-Nova um equipamento suscetível de uma multiplicidade de utilizadores de natureza desportiva, lúdica e competitiva, destinado

Leia mais

DEFINIÇÃO DE COMPETÊNCIAS

DEFINIÇÃO DE COMPETÊNCIAS REGULAMENTO NOTA JUSTIFICATIVA A promoção e generalização da prática desportiva junto da população é um fator essencial de melhoria da qualidade de vida e de formação pessoal, social e desportiva. Neste

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE ALPIARÇA O presente documento tem por objecto a regulamentação

Leia mais

Município de Viana do Alentejo NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

Município de Viana do Alentejo  NORMAS DE PARTICIPAÇÃO NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Feira do Chocalho Norma 1 Âmbito de Aplicação As presentes normas aplicam-se aos participantes na Feira do Chocalho que se realiza anualmente em Alcáçovas e é organizada pelo Município

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO CULTURAL

REGULAMENTO CENTRO CULTURAL REGULAMENTO CENTRO CULTURAL Capítulo I Funcionamento e Gestão Artigo 1.º O Centro Cultural é um espaço da A.T.C. Artigo 2.º Compete à Direcção da A.T.C. decidir da forma e modelo de gestão do Centro Cultural.

Leia mais

Câmara Municipal de Penacova

Câmara Municipal de Penacova Câmara Municipal de Penacova Pen@cova Net.ureza Normas de utilização e funcionamento I Disposições Gerais Norma 1 Definição 1. O Espaço Internet de Penacova define-se como local destinado aos cidadãos

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo O Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares aos Alunos do 1º CEB e a Componente de Apoio à Família (CAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO COMPLEXO DESPORTIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO DO SUL

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO COMPLEXO DESPORTIVO MUNICIPAL MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO DO SUL MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO DO SUL DIVISÃO DE CULTURA DESPORTO E AÇÃO SOCIAL GABINETE DE DESPORTO REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO COMPLEXO DESPORTIVO MUNICIPAL (APROVADO EM ASSEMBLEIA MUNICIPAL EM 10/12/2012)

Leia mais

Normativo da Festa da Broa 2016

Normativo da Festa da Broa 2016 ARTIGO 1º (Objeto e Âmbito) O presente Normativo tem por objetivo a definição das condições de realização da 29ª edição da Festa da Broa. ARTIGO 2º (Organização e Fins) 1. A organização da Festa da Broa

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA CASA DA PRAIA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA CASA DA PRAIA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DA CASA DA PRAIA O presente regulamento visa disciplinar a utilização do espaço acima referido, bem como dos equipamentos e serviços a ele adjacentes, visando o melhor aproveitamento

Leia mais

Regulamento Municipal para a Utilização e Cedência dos Veículos Automóveis de Transporte Colectivo de Passageiros da Câmara Municipal de Ílhavo

Regulamento Municipal para a Utilização e Cedência dos Veículos Automóveis de Transporte Colectivo de Passageiros da Câmara Municipal de Ílhavo Regulamento Municipal para a Utilização e Cedência dos Veículos Automóveis de Transporte Colectivo de Passageiros da Câmara Municipal de Ílhavo Artigo 1.º Lei habilitante O presente Regulamento Municipal

Leia mais

Regulamento de utilização do Parque de Estacionamento do. Centro Comercial a Céu Aberto

Regulamento de utilização do Parque de Estacionamento do. Centro Comercial a Céu Aberto Regulamento de utilização do Parque de Estacionamento do Centro Comercial a Céu Aberto Com a revisão da política de estacionamento e com o desenvolvimento do Centro Comercial a Céu Aberto, urge a necessidade

Leia mais

Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras

Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras 1 NOTA JUSTIFICATIVA O Município de Chaves entende como sendo de interesse

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE O LICENCIAMENTO E FUNCIONAMENTO DAS ESPLANADAS

REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE O LICENCIAMENTO E FUNCIONAMENTO DAS ESPLANADAS REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE O LICENCIAMENTO E FUNCIONAMENTO DAS ESPLANADAS Num concelho e numa cidade com reconhecidas aptidões para a actividade turística como é Macedo de Cavaleiros, a existência de

Leia mais

Secretarias Regionais de Educação e das Finanças e Administração Pública

Secretarias Regionais de Educação e das Finanças e Administração Pública Secretarias Regionais de Educação e das Finanças e Administração Pública Regime de aplicação de taxas pela utilização de infraestruturas desportivas sob tutela da Secretaria Regional de Educação A existência

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SENHORA DA HORA REGULAMENTO VISITAS DE ESTUDO/ATIVIDADES 2014/2018

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SENHORA DA HORA REGULAMENTO VISITAS DE ESTUDO/ATIVIDADES 2014/2018 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA SENHORA DA HORA REGULAMENTO DE VISITAS DE ESTUDO/ATIVIDADES 2014/2018 0/6 Definição 1. Visita de estudo é uma atividade curricular, organizada por professores para alunos, realizada

Leia mais

Regulamento de utilização e exploração das instalações desportivas do Complexo Desportivo da Lapa (IDCDLP)

Regulamento de utilização e exploração das instalações desportivas do Complexo Desportivo da Lapa (IDCDLP) Regulamento de utilização e exploração das instalações desportivas do Complexo Desportivo da Lapa (IDCDLP) Regulamento n.º 27/2004 (Publicado no Diário da República, IIª Série, n.º 148, de 25.06.2004,

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo Considerando que nas últimas décadas temos vindo a assistir ao aumento dos índices de envelhecimento e de dependência das pessoas idosas entre

Leia mais

Regulamento para Atribuição de Transportes Escolares do Município de Mafra NOTA JUSTIFICATIVA

Regulamento para Atribuição de Transportes Escolares do Município de Mafra NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Dando cumprimento às atribuições do Município no domínio da Educação, conforme previsto nas alíneas d) do n.º 1 do artigo 13.º e a) do n.º 3 do artigo 19.º da Lei n.º 159/99, de 14 de

Leia mais

Artigo 1.º. Objecto. Artigo 2.º. Regime geral de funcionamento

Artigo 1.º. Objecto. Artigo 2.º. Regime geral de funcionamento REGULAMENTO DOS PERIODOS DE ABERTURA E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE VENDA AO PÚBLICO E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO O Governo da República definiu, através de diploma

Leia mais

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares Município de São Pedro do Sul Regulamento de 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares O presente regulamento tem como objectivo regulamentar e uniformizar procedimentos para a atribuição de auxílios

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBILIOTECA DO ISLA-LEIRIA

REGULAMENTO DA BIBILIOTECA DO ISLA-LEIRIA CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objetivo e âmbito O presente documento regulamenta o funcionamento da Biblioteca do Instituto Superior de Gestão e Administração de Leiria (ISLA-Leiria), tendo

Leia mais

Regulamento Programa AnimaSénior

Regulamento Programa AnimaSénior Nota Justificativa O Município de Vouzela, ao longo dos anos, tem vindo a implementar programas e atividades destinados à população sénior residente no concelho, no âmbito do programa AnimaSénior, tendo

Leia mais

Junta de Freguesia de Ançã

Junta de Freguesia de Ançã III TORNEIO FUTSAL INTER-FREGUESIAS DO CONCELHO DE CANTANHEDE REGULAMENTO 1. INTRODUÇÃO 1.1 O presente regulamento aplica-se ao III Torneio de Futsal Inter-Freguesias do concelho de Cantanhede. 1.2. A

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS REFEITÓRIOS DOS SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE Artigo 1º O presente Regulamento aplica-se a todos os Refeitórios dos Serviços de Acção Social

Leia mais

REGULAMENTO E TAXAS DE UTILIZAÇÃO DAS PISCINAS MUNICIPAIS DE BOTICAS. Nota Justificativa

REGULAMENTO E TAXAS DE UTILIZAÇÃO DAS PISCINAS MUNICIPAIS DE BOTICAS. Nota Justificativa REGULAMENTO E TAXAS DE UTILIZAÇÃO DAS PISCINAS MUNICIPAIS DE BOTICAS Nota Justificativa Ao abrigo das atribuições que cabem ao Município de Boticas, no âmbito dos Tempos Livres e Desporto previstas na

Leia mais

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO CLUBE JOVEM DO LUMIAR 1 Capitulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito 1 - O presente regulamento enuncia as normas regulamentares de funcionamento do Centro de Apoio ao Estudo

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS. PONTO I Objeto

CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS. PONTO I Objeto CONDIÇÕES ESPECIFICAS DE PARTICIPAÇÃO VIVER O VERÃO 2016 OTL CRIANÇAS PONTO I Objeto 1) O OTL Viver o Verão 2016 é promovido pelo Serviço de Juventude e Desporto da Câmara Municipal de Lagos, durante os

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA, ARRENDAMENTO E ALUGUER DOS ESPAÇOS FÍSICOS E DE EQUIPAMENTOS

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA, ARRENDAMENTO E ALUGUER DOS ESPAÇOS FÍSICOS E DE EQUIPAMENTOS APROVADO 10 de janeiro de 2012 O Presidente, ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO DE CEDÊNCIA, ARRENDAMENTO E ALUGUER DOS ESPAÇOS FÍSICOS E DE EQUIPAMENTOS Artigo 1.º Âmbito

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DE TEMPOS LIVRES DE VERÃO. Preâmbulo

PROJECTO DE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DE TEMPOS LIVRES DE VERÃO. Preâmbulo 1 PROJECTO DE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE OCUPAÇÃO DE TEMPOS LIVRES DE VERÃO Preâmbulo A criação de um programa de ocupação de tempos livres para as crianças da Freguesia de Chamusca e Pinheiro Grande,

Leia mais

REGULAMENTO DE OCUPAÇÃO MUNICIPAL TEMPORÁRIA DE JOVENS

REGULAMENTO DE OCUPAÇÃO MUNICIPAL TEMPORÁRIA DE JOVENS REGULAMENTO DE OCUPAÇÃO MUNICIPAL TEMPORÁRIA DE JOVENS Preâmbulo A criação de um programa de ocupação temporária de jovens contribui, substancialmente, para a sua formação, afastando-os dos perigos que

Leia mais

F R E G U E S I A DE T O R R Ã O REGULAMENTO DE INVENTÁRIO E CADASTRO DO PATRIMÓNIO

F R E G U E S I A DE T O R R Ã O REGULAMENTO DE INVENTÁRIO E CADASTRO DO PATRIMÓNIO F R E G U E S I A DE T O R R Ã O REGULAMENTO DE INVENTÁRIO E CADASTRO DO PATRIMÓNIO Preâmbulo Para cumprimento do disposto na alínea e) do n.º 1 do artigo 16º da Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, e tendo

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DO SOBRALINHO

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DO SOBRALINHO REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DO SOBRALINHO FICHA INFORMATIVA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO PAVILHÃO MUNICIPAL DO SOBRALINHO Legislação Habilitante Lei

Leia mais

Campos de Férias Parque dos Monges. Regulamento Interno

Campos de Férias Parque dos Monges. Regulamento Interno Fundo Desenvol vimento Europeu de Regional Campos de Férias Parque dos Monges Regulamento Interno O presente Regulamento Interno do Campo de Férias Não Residencial do Parque dos Monges, visa definir todos

Leia mais