BOLETIM SEMANAL R$60,75 R$59,17 R$58,00

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BOLETIM SEMANAL R$60,75 R$59,17 R$58,00"

Transcrição

1 28/4 30/4 2/5 4/5 6/5 8/5 10/5 12/5 14/5 16/5 18/5 20/5 22/5 Contratos Negociados (x 1000) BOLETIM SEMANAL Soja Análise GASTOS ELEVADOS: Na última semana o Imea divulgou a estimativa para o custo de produção da soja para a temporada 2014/15. É aguardado, inicialmente, um custo total para a produção da soja transgênica de R$ 2.452,70/ha e para a soja convencional de R$ 2.437,78/ha. A despesa com os insumos (sementes, fertilizantes e defensivos) participará com mais da metade do total gasto na produção da oleaginosa, tanto na transgênica como na convencional, com a participação de 60% do total gasto com a produção. Se for considerado o custo de produção da safra 2014/15 com a produtividade aguardada em 52,5 sc/ha para o próximo ciclo, o produtor terá um custo de produção de R$ 46,72/sc. Já a relação de troca entre os insumos e o preço de paridade para março/15 está em 32 sc/ha, correspondendo a 60% da produtividade aguardada para a safra 2014/15. Atualmente, a cotação da soja disponível gira em torno de R$ 56,35/sc, ou seja, o suficiente para cobrir o custo de produção e ainda gerar cerca de R$ 10,00/sc de margem de lucro. Porém, se formos considerar o preço paridade para março de 2015, que apresenta média para maio próxima a R$ R$ 45,37/sc, este apresentase abaixo do que o produtor precisaria gastar para cobrir o custo de produção, podendo indicar uma redução na margem de lucro da próxima safra caso este cenário não se altere. Entretanto, a expectativa para a temporada 2014/15 não é muito animadora para as cotações, visto que a oferta será abundante, tanto internamente como no mercado externo. 62,00 61,00 60,00 59,00 58,00 57,00 56,00 55,00 54,00 53,00 COMPORTAMENTO DE PREÇOS DA SOJA DISPONÍVEL PRATICADOS EM MATO GROSSO (R$/sc) 16/5 19/5 20/5 21/5 22/5 23/5 R$60,75 R$59,17 R$58,00 Primavera do Leste Sinop Nova Mutum MERCADO FUTURO: O mercado internacional da soja apresentou mais uma semana de intensas volatilidades na Bolsa de Chicago. Com exceção de sextafeira, a commodity apresentou variações acima de 10 pontos em todos os pregões diários da última semana. Após uma queda de 15,5 pontos na sessão de terçafeira para o contrato de julho de 2014, na quartafeira o grão voltou a reagir e recuperou 35 pontos, voltando a ser praticado acima dos US$ 15,00/bushel para este mesmo contrato. O mercado fundamentase ainda no cenário de baixos estoques norteamericanos de soja e demanda mundial bastante aquecida, sobretudo por parte da China. O boletim de exportações semanais dos Estados Unidos, divulgado na quintafeira, confirma o vigor da demanda mundial pelos produtos norteamericanos, trazendo volume embarcado na semana acima do que o mercado esperava. Na sextafeira, o pregão encerrou com a soja cotada a US$ 15,19/bushel, apresentando queda diária de 3 pontos. MERCADO INTERNO: Os preços praticados no mercado interno matogrossense para a saca de soja disponível apresentaram elevação durante a última semana. O preço médio estadual foi de R$ 58,42 na semana, 3% superior à média semanal anterior. A elevação das cotações da commodity em Chicago, de 3,7% no comparativo com o fechamento semanal anterior, foi sentida mais fortemente pelos preços internos da oleaginosa, visto que o dólar apresentou pouca variação entre os fechamentos semanais, encerrando a semana a R$ 2,23. Em Primavera do Leste a saca da soja foi cotada a R$ 60,75 na sextafeira, variação de 4,7% em relação ao fechamento da semana anterior. Já para os municípios de Nova Mutum e Sinop os preços levantados foram de R$ 59,17 e R$ 58,00, respectivamente, com elevações de 6,1 % e 7,7% no comparativo com a sextafeira anterior CONTRATO FUTURO DE SOJA NA BOLSA DE CHICAGO JULHO/14 Fonte: CME/Chicago Elaboração: Imea Cents US$/bushel Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 1

2 10mar14 17mar14 24mar14 31mar14 7abr14 14abr14 21abr14 28abr14 5mai14 12mai14 19mai14 Milhões de toneladas Milhões de toneladas Soja Análise BOLETIM SEMANAL RELAÇÃO ESTOQUE/CONSUMO MUNDIAL DE SOJA Consumo Estoques Finais Relação Estoque/Consumo Fonte: USDA Elaboração: Imea 269,9 280,6 EXPORTAÇÃO DE SOJA EM GRÃO: As exportações nacionais de soja em abril deste ano atingiram volumes recordes de 8,3 milhões de toneladas, superando a maior marca registrada em maio de Os embarques registrados em abril deste ano em comparação com abril do ano passado registraram alta de 15%, ou um milhão de toneladas. As receitas oriundas destes embarques também apresentaram patamares históricos de US$ 4,1 bilhões. Apesar de históricas, estas receitas não acompanham a mesma evolução do volume embarcado, superando em apenas 9% as divisas geradas em abril de Com este grande volume registrado no mês passado, o país já embarcou 17 milhões de toneladas neste ano, cerca de 38% do volume de 45 milhões de toneladas que a Conab projeta ser exportado pelo Brasil na safra 2013/14. Sacas/Hectare RELAÇÃO DE TROCA INSUMO X PREÇO DA SOJA (SAFRA 2014/15) 34,00 33,00 32,00 31,00 30,00 29,00 28,00 27,00 26,00 25,00 24,00 Á vista 67,0 82,2 2013/ /2015 Paridade (março/15) 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 32,3 25,5 Relação Estoque/Consumo OFERTA E DEMANDA: As projeções do USDA para a safra 2014/15 trazem os maiores volumes de consumo e estoques finais de soja da história. Com estes dados, a relação estoque/consumo mundial para a próxima safra será de 29%, 4 p.p. superior à mesma relação para a safra 13/14, que é de 25%. A elevação deste percentual para o próximo ciclo ocorre em virtude de estimativas de crescimento dos estoques finais acima da elevação do consumo. Os estoques estão sendo projetados para se elevar em 15,2 milhões de toneladas ante a safra 13/14, enquanto o consumo foi elevado em apenas 10,7 milhões de toneladas no mesmo comparativo. Desta maneira, os preços da oleaginosa no mercado internacional para a próxima safra podem sofrer influências negativas pela elevação superior da oferta em relação à demanda da oleaginosa. 9,0 8,0 7,0 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 1,0 EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DE SOJA EM GRÃO EM VOLUME E RECEITA volume receita 0,5 Fonte: Secex Elaboração: Imea 1,9 3,8 1,0 3,5 7,2 2,8 6,2 8,3 CUSTO DE PRODUÇÃO X PREÇO DA SOJA: A expectativa inicial para o custo de produção da soja na temporada 2014/15 apresenta um cenário de despesas elevadas para o próximo ciclo. Atualmente, o preço à vista do grão praticado próximo a R$ 57,00/sc no Estado garantiria uma relação de troca de 25,5 sc/ha para cobrir as despesas com os insumos. Esta mesma relação para o preço de paridade para março de 2015 se torna maior, sendo necessária a venda de 32,3 sc/ha para cobrir os custos com os insumos. Apesar de o preço de paridade estar inferior ao preço à vista, este se apresenta maior que o paridade de março/14 no mesmo momento do ano passado. Como a expectativa do Imea é que o Estado apresente uma produtividade de 52,5 sc/ha para o próximo ciclo, a relação de troca dos insumos representaria 49% da produtividade para as vendas ao preço à vista e de 61% para o preço de paridade; os insumos correspondem a 60% do custo total. 1,4 3,1 4,1 4,5 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 Bilhões de US$ Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 2

3 Soja Estatísticas PREÇOS DE SOJA Municípios Segundafeira Terçafeira Quartafeira Quintafeira Sextafeira semanal mensal Rondonópolis R$ 61,50 R$ 61,08 R$ 62,50 R$ 63,00 R$ 62,50 1,6% 6,8% Sorriso R$ 55,50 R$ 56,00 R$ 57,50 R$ 58,00 R$ 58,25 0,4% 4,0% Sapezal R$ 58,00 R$ 58,00 R$ 59,00 R$ 59,50 R$ 57,00 3,6% 0,5% Campo Verde R$ 59,50 R$ 59,00 R$ 60,00 R$ 61,50 R$ 60,50 10,8% 15,2% Diamantino R$ 56,00 R$ 56,00 R$ 58,00 R$ 59,00 R$ 59,15 5,6% 9,0% Canarana R$ 57,00 R$ 56,00 R$ 56,50 R$ 57,00 R$ 56,50 2,6% 0,9% Paranaguá R$ 70,49 R$ 71,12 R$ 70,90 R$ 72,13 R$ 71,70 2,4% 0,4% Unidade: R$/sc, valor sem desconto de impostos semanal relação preço de sexta versus sexta anterior mensal relação preço de 23/04 /Cepea FARELO E ÓLEO DE SOJA Origem Produto Valor Farelo Óleo PREÇOS DE INSUMOS DE SOJA semanal mensal Rondonópolis R$ 995,00 0,90% 0,90% Lucas do Rio Verde R$ 950,00 1,06% 1,04% Rondonópolis R$ 2.000,00 1,01% 9,50% Lucas do Rio Verde R$ 1.750,00 2,78% 5,91% Unidade: média semanal de preços R$/t sem impostos mensal relação preço de segunda versus 21/04 PARIDADE CONTRATO CBOT VENCIMENTO H=MARÇO/2015 MATO GROSSO FRETES AO CAMINHONEIRO Origem Destino Produtos Categoria Unidade abr/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 Δ Mensal* Δ Anual** Classic Herbicida R$/l ou kg 100,31 126,47 126,37 129,74 109,83 15,34% 9,49% Glifosato 480 SL Herbicida R$/l ou kg 17,69 18,10 18,11 17,67 15,70 11,12% 11,25% Macronutriente R$/t 1.083, , , , ,75 5,12% 1,21% Valor (R$) semanal mensal Rondonópolis Paranaguá R$ 190,00 22,58% 15,15% Sorriso Rondonópolis R$ 98,00 0,00% 1,03% Sorriso Paranaguá R$ 230,00 4,17% 0,00% Sapezal Porto Velho R$ 102,00 11,30% 0,00% Canarana Santos R$ 200,00 0,00% 4,76% Unidade: média semanal de preços em R$/t sem impostos mensal relação preço de segunda versus 21/04 Municípios Segundafeira Terçafeira Quartafeira Quintafeira Sextafeira Média semanal paridade Rondonópolis R$ 48,96 R$ 48,82 R$ 49,65 R$ 50,64 R$ 51,71 R$ 49,96 Sorriso R$ 43,92 R$ 43,78 R$ 44,61 R$ 45,60 R$ 46,67 R$ 44,92 Sapezal R$ 45,36 R$ 45,22 R$ 46,05 R$ 47,04 R$ 48,11 R$ 46,36 Campo Verde R$ 46,65 R$ 46,51 R$ 47,35 R$ 48,34 R$ 49,40 R$ 47,65 Diamantino R$ 44,64 R$ 44,50 R$ 45,33 R$ 46,32 R$ 47,39 R$ 45,64 Canarana R$ 46,44 R$ 46,30 R$ 47,13 R$ 48,12 R$ 49,19 R$ 47,44 e CBOT Cloreto de Potássio Macronutriente R$/t 1.314, , , , ,61 3,81% 0,25% Super Simples Macronutriente R$/t 900,44 898,64 895,48 954,78 902,35 5,49% 0,21% * abr14/mar14 ** abr14/abr13 Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 3

4 Soja Estatísticas CUSTO DE PRODUÇÃO DE SOJA SAFRA 2014/15 MATO GROSSO ABRIL 2014 Transgênica Componentes do Custo Nordeste MédioNorte Oeste CentroSul Sudeste Mato Grosso I DESPESAS DE CUSTEIO DA LAVOURA DESPESAS COM INSUMOS R$ 1.228,62 R$ 1.513,68 R$ 1.413,89 R$ 1.403,91 R$ 1.635,55 R$ 1.467,86 Sementes R$ 203,19 R$ 254,61 R$ 212,44 R$ 159,66 R$ 222,56 R$ 226,16 Semente de Milho R$ 165,39 R$ 253,20 R$ 206,14 R$ 155,36 R$ 211,16 R$ 215,90 Semente de Cobertura R$ 37,80 R$ 1,41 R$ 6,30 R$ 4,30 R$ 11,40 R$ 10,26 Fertilizantes R$ 487,35 R$ 650,27 R$ 562,69 R$ 688,34 R$ 742,68 R$ 629,56 Corretivo de Solo R$ 53,00 R$ 44,50 R$ 50,75 R$ 41,25 R$ 85,06 R$ 54,97 Macronutriente R$ 416,65 R$ 548,38 R$ 496,57 R$ 631,61 R$ 645,37 R$ 542,99 Micronutriente R$ 17,70 R$ 57,39 R$ 15,38 R$ 15,48 R$ 12,25 R$ 31,60 Defensivos R$ 538,08 R$ 608,81 R$ 638,76 R$ 555,91 R$ 670,31 R$ 612,14 Fungicida R$ 125,59 R$ 131,82 R$ 203,19 R$ 123,43 R$ 182,92 R$ 153,71 Herbicida R$ 118,73 R$ 155,77 R$ 167,70 R$ 172,83 R$ 136,59 R$ 149,33 Inseticida R$ 272,88 R$ 293,97 R$ 241,78 R$ 214,96 R$ 316,74 R$ 280,57 Adjuvante R$ 20,88 R$ 27,25 R$ 26,08 R$ 44,68 R$ 34,07 R$ 28,53 Operação com Máquinas R$ 133,58 R$ 60,80 R$ 83,92 R$ 114,93 R$ 127,44 R$ 93,48 Manejo Pré Plantio R$ 22,74 R$ 6,90 R$ 28,93 R$ 5,50 R$ 40,98 R$ 20,24 Adubação e Plantio R$ 51,52 R$ 14,81 R$ 17,34 R$ 49,26 R$ 42,61 R$ 28,90 Aplicações com Máquinas R$ 37,98 R$ 12,17 R$ 16,81 R$ 17,98 R$ 16,79 R$ 18,41 Colheita R$ 21,34 R$ 25,19 R$ 18,43 R$ 39,62 R$ 24,67 R$ 24,16 Manejo Pós Colheita R$ 0,00 R$ 1,74 R$ 2,40 R$ 2,57 R$ 2,40 R$ 1,77 Mão de Obra R$ 149,77 R$ 63,00 R$ 57,40 R$ 55,88 R$ 81,02 R$ 78,86 TOTAL DAS DESPESAS DE CUSTEIO DA LAVOURA (A) R$ 1.511,97 R$ 1.637,49 R$ 1.555,21 R$ 1.574,72 R$ 1.844,01 R$ 1.640,20 II OUTRAS DESPESAS R$ 335,44 R$ 236,57 R$ 184,04 R$ 259,09 R$ 249,38 R$ 246,59 Assistência Técnica R$ 12,54 R$ 15,14 R$ 14,14 R$ 14,04 R$ 16,36 R$ 14,72 Transporte da Produção R$ 78,00 R$ 63,60 R$ 15,60 R$ 38,25 R$ 54,00 R$ 53,50 Beneficiamento R$ 43,68 R$ 49,29 R$ 32,76 R$ 57,12 R$ 45,36 R$ 45,08 Classificação R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 Armazenagem R$ 32,76 R$ 33,39 R$ 36,40 R$ 57,12 R$ 37,80 R$ 36,26 Despesas Administrativas R$ 168,46 R$ 75,15 R$ 85,14 R$ 92,56 R$ 95,86 R$ 97,03 Impostos R$ 92,14 R$ 91,06 R$ 89,56 R$ 87,83 R$ 97,99 R$ 92,14 Funrural R$ 55,94 R$ 54,17 R$ 53,36 R$ 52,33 R$ 60,40 R$ 55,44 Fethab R$ 32,00 R$ 32,62 R$ 32,00 R$ 31,39 R$ 33,23 R$ 32,45 Facs R$ 4,20 R$ 4,28 R$ 4,20 R$ 4,12 R$ 4,36 R$ 4,25 TOTAL DAS OUTRAS DESPESAS (B) R$ 427,58 R$ 327,63 R$ 273,60 R$ 346,92 R$ 347,36 R$ 338,73 Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 4

5 Soja Estatísticas III DESPESAS FINANCEIRAS R$ 69,60 R$ 157,26 R$ 66,75 R$ 98,89 R$ 124,94 R$ 116,51 Juros do Financiamento R$ 69,60 R$ 157,26 R$ 66,75 R$ 98,89 R$ 124,94 R$ 116,51 TOTAL DAS DESPESAS FINANCEIRAS (C) R$ 69,60 R$ 157,26 R$ 66,75 R$ 98,89 R$ 124,94 R$ 116,51 CUSTO VARIÁVEL (A+B+C=D) R$ 2.009,14 R$ 2.122,37 R$ 1.895,55 R$ 2.020,53 R$ 2.316,30 R$ 2.095,44 IV DEPRECIAÇÃO R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 R$ 0,00 Depreciações R$ 102,99 R$ 56,15 R$ 59,25 R$ 31,84 R$ 92,59 R$ 69,91 Máquinas e Implementos R$ 87,45 R$ 51,70 R$ 52,77 R$ 29,67 R$ 82,12 R$ 62,27 Benfeitorias e Instalações R$ 15,55 R$ 4,44 R$ 6,48 R$ 2,17 R$ 10,47 R$ 7,64 TOTAL DE DEPRECIAÇÕES (E) R$ 102,99 R$ 56,15 R$ 59,25 R$ 31,84 R$ 92,59 R$ 69,91 V OUTROS CUSTOS FIXOS R$ 3,18 R$ 1,56 R$ 1,65 R$ 1,09 R$ 2,63 R$ 2,02 Manutenção Periódica R$ 1,48 R$ 0,73 R$ 0,73 R$ 0,62 R$ 1,16 R$ 0,93 Seguro do Capital Fixo R$ 1,70 R$ 0,82 R$ 0,92 R$ 0,46 R$ 1,47 R$ 1,09 TOTAL DE OUTROS CUSTOS FIXOS (F) R$ 3,18 R$ 1,56 R$ 1,65 R$ 1,09 R$ 2,63 R$ 2,02 CUSTO FIXO (E+F=G) R$ 106,18 R$ 57,70 R$ 60,89 R$ 32,93 R$ 95,22 R$ 71,93 CUSTO OPERACIONAL (D+G=H) R$ 2.115,32 R$ 2.180,07 R$ 1.956,45 R$ 2.053,46 R$ 2.411,52 R$ 2.167,37 VI RENDA DE FATORES R$ 251,86 R$ 277,71 R$ 262,44 R$ 297,43 R$ 343,26 R$ 285,32 Custo da Terra R$ 251,86 R$ 277,71 R$ 262,44 R$ 297,43 R$ 343,26 R$ 285,32 TOTAL DE RENDA DE FATORES (I) R$ 251,86 R$ 277,71 R$ 262,44 R$ 297,43 R$ 343,26 R$ 285,32 CUSTO TOTAL (H+I=J) R$ 2.367,18 R$ 2.457,78 R$ 2.218,88 R$ 2.350,89 R$ 2.754,78 R$ 2.452,70 Taxa de Câmbio: R$ 2,23 Fonte: IMEA Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 5

6 Soja Estatísticas SOJA: ESTIMATIVA DE ÁREA Participação Regiões do Imea Área 10/11 Área 11/12 Área 12/13 Área 13/14* Área 14/15* % Anual Quinquenal Noroeste 6,93% ,04% 130,19% Norte 2,15% ,44% 377,72% Nordeste 15,50% ,22% 93,62% MédioNorte 35,04% ,24% 18,16% Oeste 12,52% ,60% 16,76% CentroSul 7,40% ,83% 55,31% Sudeste 20,46% ,56% 18,74% Mato Grosso 100% ,9% 35,4% Unidade: Área em hectares *Estimado SOJA: ESTIMATIVA DE PRODUTIVIDADE Regiões do Imea em relação a MT 10/11 11/12 12/13 13/14* 14/15* Anual Quinquenal Noroeste ,00% 1,96% Norte ,25% 2,83% Nordeste ,25% 2,26% MédioNorte ,77% 3,57% Oeste ,10% 5,00% CentroSul ,02% 0,94% Sudeste ,60% 1,92% Mato Grosso ,98% 0,97% Unidade: em sacas/ha *Estimado SOJA: ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO Regiões do Imea Participação % Produção 10/11 Produção 11/12 Produção 12/13 Produção 13/14* Produção 14/15* Média Anual Quinquenal Noroeste 6,93% ,04% 134,72% Norte 2,16% ,77% 376,05% Nordeste 15,56% ,40% 90,90% MédioNorte 35,07% ,21% 11,58% Oeste 12,53% ,75% 21,72% CentroSul 7,39% ,75% 54,57% Sudeste 20,36% ,69% 18,02% Mato Grosso 100% ,88% 32,78% Unidade: Produção em toneladas *Estimado Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 6

7 Soja Estatísticas SOJA: ESTIMATIVA DE COMERCIALIZAÇÃO SAFRA 13/14 Regiões do Imea Noroeste Norte Nordeste MédioNorte Oeste CentroSul Sudeste Mato Grosso Produção mai/13 9,6% 7,7% 17,2% 7,8% 13,6% 22,0% 13,7% 12,2% jun/13 13,4% 23,1% 21,9% 23,4% 18,9% 27,1% 20,4% 21,7% jul/13 20,0% 29,3% 28,6% 27,7% 19,7% 33,6 32,2% 26,7% ago/13 33,0% 32,0% 31,0% 30,0% 28,0% 35,0% 34,0% 31,2% set/13 38,0% 36,0% 37,9% 38,1% 35,2% 37,9% 42,2% 38,5% out/13 40,0% 37,0% 42,3% 41,3% 37,4% 40,1% 44,8% 41,4% nov/13 41,0% 38,0% 45,6% 45,1% 41,5% 41,7% 46,7% 44,4% dez/13 42,0% 40,0% 52,8% 48,6% 45,2% 46,1% 52,5% 48,8% jan/14 43,0% 42,0% 59,8% 57,9% 50,7% 49,3% 57,1% 55,2% fev/14 60,0% 45,0% 64,9% 63,8% 57,4% 63,3% 60,9% 61,9% mar/14 67,6% 60,0% 69,2% 73,7% 69,0% 67,2% 65,4% 69,6% abr/14 75,6% 66,0% 74,9% 79,3% 74,7% 76,0% 71,0% 75,6% mai/14 78,6% 83,0% 82,5% 83,9% 81,9% 81,4% 76,6% 81,4% mai/13 Safra 12/13 75,0% 81,0% 89,8% 88,4% 86,2% 81,5% 78,8% 83,0% (p.p) 3,6 p.p. 2,0 p.p. 7,3 p.p. 4,6 p.p. 4,3 p.p. 0,1 p.p. 2,2 p.p. 1,6 p.p. * em pontos percentuais Unidade: Produção em toneladas SOJA: ACOMPANHAMENTO DE COLHEITA POR REGIÃO SAFRA 13/14 Regiões do Imea Noroeste Norte Nordeste MédioNorte Oeste CentroSul Sudeste Mato Grosso Área 13/14 (ha) jan14 0,00% 0,00% 0,00% 1,70% 8,40% 0,80% 0,80% 1,90% 16jan14 1,40% 0,00% 1,30% 3,70% 11,30% 3,20% 4,40% 4,20% 23jan14 2,80% 0,00% 2,20% 5,20% 13,70% 5,20% 5,90% 5,80% 30jan14 11,20% 2,30% 3,50% 10,70% 20,30% 11,00% 9,80% 10,60% 06fev14 19,40% 7,30% 7,90% 22,90% 31,60% 18,00% 26,50% 21,70% 13fev14 35,00% 20,00% 13,70% 42,70% 47,80% 32,90% 37,10% 36,40% 20fev14 55,60% 28,30% 24,80% 51,40% 62,00% 39,70% 48,30% 47,30% 27fev14 65,00% 39,40% 35,70% 64,80% 70,00% 48,80% 59,10% 58,50% 06mar14 70,00% 61,40% 44,60% 80,30% 80,10% 62,00% 74,00% 71,40% 13mar14 77,00% 75,00% 56,60% 93,30% 90,90% 84,20% 88,50% 84,60% 20mar14 90,00% 90,00% 71,70% 97,90% 96,20% 91,80% 96,50% 92,50% 27mar14 96,00% 93,00% 81,80% 99,20% 98,50% 97,60% 97,60% 95,80% 3abr14 98,0% 97,0% 93,3% 99,7% 100,0% 99,6% 98,7% 98,5% 10abr14 100,0% 99,0% 99,2% 100,0% 100,0% 100,0% 99,4% 99,7% 17abr14 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 18abr13 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% entre Safra 12/13 e Safra 13/14 * em pontos percentuais Unidade: Área em hectares 0,0 p.p. 0,0 p.p. 0,0 p.p. 0,0 p.p. 0,0 p.p. 0,0 p.p. 0,0 p.p. 0,0 p.p. Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 7

8 Soja Estatísticas EXPORTAÇÃO TOTAL DE SOJA EM GRÃO MATO GROSSO Ano/mês Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro ACUMULADO Fonte: Secex Elaboração: Imea EXPORTAÇÃO TOTAL DE FARELO DE SOJA MATO GROSSO Ano/mês Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro ACUMULADO Fonte: Secex Elaboração: Imea EXPORTAÇÃO TOTAL DE ÓLEO DE SOJA MATO GROSSO Ano/mês Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Toneladas M US$ Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro ACUMULADO Fonte: Secex Elaboração: Imea Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 8

9 Soja Estatísticas ESCOAMENTO DA SOJA EM GRÃO DE MATO GROSSO POR PORTO (t) Portos Paranaguá PR Santos SP Manaus AM São F. do Sul SC Vitória ES Cáceres MT São Luís MA Santarém PA Itajaí SC Rio Grande RS Outros Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul , Ago Set Out Nov Dez Acumulado TOTAL Fonte: Secex Elaboração: Imea Ano: EXPORTAÇÕES DE SOJA EM GRÃO DE MATO GROSSO POR DESTINO (t) País Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Acumulado CHINA HOLANDA ESPANHA MALÁSIA TAILÂNDIA REINO UNIDO NORUEGA ÁRABIA SAUDITA PORTUGAL VIETNÃ COREIA DO SUL MÉXICO 0 TAIWAN OUTROS TOTAL Fonte: Secex Elaboração: Imea Ano: 2014 PRESIDENTE Rui Carlos Ottoni Prado SUPERINTENDENTE Otávio Lemos de Melo Celidonio ELABORAÇÃO Tainá Heizmann, Maísa Zambiazzi. EQUIPE TÉCNICA Analistas: Ângelo Ozelame, Daniel Ferreira, Fábio da Silva, Jéssica Brandão, José Victor Zamparini, Maísa Zambiazzi, Maria Denize Euleuterio, Pedro Sinohara, Rafael Chen, Regiane Campos, Rondiny Carneiro, Tainá Heinzmann, Talita Takahashi e Tiago Assis. Estagiários: Albert Werlang, Ana Flavia Paschoaleto, Kimberly Montagner, Rafael Barbosa, Sâmyla Sousa, Thaynara Machado e Yago Travagini. INDICADORES ATUAL ANTERIOR SELIC (ao ano) TJLP (ao ano) IPCA 04/14 Rafael Barbosa IPCA 12 meses IGPDI 04/14 Conjuntura Econ.com.br IGPDI 12 meses ,00% 5,00% 0,67% 6,28% 0,45% 8,10% 11,00% 5,00% 0,92% 6,15% 1,48% 7,55% Boletim de Soja é uma publicação semanal do Instituto MatoGrossense de Economia Agropecuária (Imea) Sugestões e críticas podem ser enviadas para o 9

BOLETIM SEMANAL R$ 61,80 R$ 61,00 R$ 1.650,00

BOLETIM SEMANAL R$ 61,80 R$ 61,00 R$ 1.650,00 3/4 5/4 7/4 9/4 11/4 13/4 15/4 17/4 19/4 21/4 23/4 25/4 27/4 29/4 1/5 3/5 Contratos Negociados Cents de US$/bu Análise Estatística de Algodão Algodão LAVOURA NOS ESTADOS UNIDOS: A semeadura nos Estados

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Soja - Análise. 08 de março de 2013 Número: 243

BOLETIM SEMANAL. Soja - Análise. 08 de março de 2013 Número: 243 Soja - Análise BOLETIM SEMANAL O PESO DO DIESEL: O aumento em janeiro de 5,4% no preço do diesel nas refinarias refletiu em acréscimo médio nas bombas do combustível em Mato Grosso. Essa elevação, de R$

Leia mais

Análise Estatística de Algodão BOLETIM SEMANAL

Análise Estatística de Algodão BOLETIM SEMANAL Análise Estatística de Algodão BOLETIM SEMANAL MUDANÇA À VISTA: Mesmo com os produtores sofrendo com as incertezas provenientes do atraso das chuvas em Mato Grosso, o mercado acredita em uma expansão significativa

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

25 de abril de 2015/ nº 012

25 de abril de 2015/ nº 012 Participação adm. e dems. total 25 de abril de 2015/ nº 012 Cenário industrial: Em março deste ano, a produção da indústria de transformação em Mato Grosso apresentou crescimento de 6,1% em relação ao

Leia mais

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA OS MERCADOS DE SOJA, MILHO E TRIGO EM 2015 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OCEPAR Curitiba (PR), 02/out/14 www.agrural.com.br A INFORMAÇÃO

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Fechamento Máxima Mínimo Variação set/13 144,45 150,00 143,95-4,05 120,60 124,25 119,35-2,85 dez/13 148,50

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Milho Período: 13 a 17/07/2015

Milho Período: 13 a 17/07/2015 Milho Período: 13 a 17/07/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,1507 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: JULHO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL PERSPECTIVAS PARA A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA NOS PRÓXIMOS 5 ANOS FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas ANDA 5º CONGRESSO BRASILEIRO DE FERTILIZANTES

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas segunda-feira, 23 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 134,55 0,00 0,00 0,00 DEZ13 117,75 121,95 121,50-1,25

Leia mais

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ

Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação - UNIJUÍ Comentários referentes ao período entre 20/07/2012 a 02/08/2012 Prof. Dr. Argemiro Luís Brum 1 Emerson Juliano

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MARÇO/2011 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

O MERCADO DE TRIGO. O balanço mundial de trigo, ao longo das safras analisadas, é visualizado na

O MERCADO DE TRIGO. O balanço mundial de trigo, ao longo das safras analisadas, é visualizado na O MERCADO DE TRIGO 1. INTRODUÇÃO O Brasil é o maior importador mundial de trigo e a sua dependência se torna acentuada à medida que os estoques públicos e privados se reduzem. A safra 2007/08 apresenta-se

Leia mais

Milho Período: 22 a 26/06/2015

Milho Período: 22 a 26/06/2015 Milho Período: 22 a 26/06/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,0885 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

Caro Leitor, Carlos Rivaci Sperotto Presidente

Caro Leitor, Carlos Rivaci Sperotto Presidente Caro Leitor, É com alegria que lhe entregamos nosso Balanço da Agropecuária em 2013 e Perspectivas para 2014. Neste resumo elaborado pela nossa Assessoria Econômica buscamos mostrar-lhe o desempenho da

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas CAFÉ CAFÉ Bolsas BM&F ICE FUTURES Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação Contrato Fechamento Máxima Mínimo Variação SET13 136,80 136,50 135,80-1,80 SET 113,50 115,70 113,25-1,45

Leia mais

Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS

Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS Acompanhamento da Safra 2012/13 no MS Circular Técnico nº 20 No acompanhamento da cultura do milho 2ª safra de Mato Grosso do Sul foram visitadas 52 propriedades entre os dias 22 e 25 de abril de 2013

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

O COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DE ALGUMAS COMMODITIES (CAFÉ, SOJA, AÇÚCAR E SUCO DE LARANJA)

O COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DE ALGUMAS COMMODITIES (CAFÉ, SOJA, AÇÚCAR E SUCO DE LARANJA) O COMPORTAMENTO DOS PREÇOS DE ALGUMAS COMMODITIES (CAFÉ, SOJA, AÇÚCAR E SUCO DE LARANJA) Ricardo Dalla Costa 1 RESUMO O presente artigo vem analisar o nível de preço e produtividade, tecnologia, comercialização

Leia mais

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO Paulo Magno Rabelo (1) A análise de desempenho da produção de trigo no mundo desperta apreensões fundamentadas quanto aos indicadores de área

Leia mais

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009.

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Para os produtores de sorgo o ano de 2008 pode ser considerado como bom. As condições climatológicas foram favoráveis durante todo o ciclo

Leia mais

Análise de Mercado do Sistema OCB

Análise de Mercado do Sistema OCB Análise de Mercado do Sistema OCB SUMÁRIO EXECUTIVO Mercado de Trigo nº 019 - Abril/2008 Equipe da Gerência de Mercados - GEMERC: Autor: Marcos Antonio Matos - Técnico de Mercado Coordenação: Evandro Scheid

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6 3. ESTIMATIVA DA ÁREA PLANTADA 6 4. ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO 7 5. INFLUÊNCIAS CLIMÁTICAS 8 6. AVALIAÇÃO DAS CULTURAS 9 6.1 Algodão 9 6.2 Arroz 10 6.3 - Canola 11

Leia mais

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História do Milho - Os primeiros registros do cultivo datam de 7.300 anos - Origem Americana: litoral do México - Nome, de origem indígena, significa "sustento

Leia mais

NOTA TÉCNICA ALERTA PARA OS PRODUTORES DE SOJA

NOTA TÉCNICA ALERTA PARA OS PRODUTORES DE SOJA NOTA TÉCNICA ALERTA PARA OS PRODUTORES DE SOJA Ainda que o consumo de Soja continue crescendo com força, puxado principalmente pela China, as produções dos EUA e também do Brasil nos últimos dois anos

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS. Novembro de 2013 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Novembro de 2013 Milho: Neste mês o mercado de milho registrou comportamento diferenciado. Em algumas localidades ocorreram quedas nos preços, caso do Paraná, e sustentação em outras,

Leia mais

SAFRA 2013/14: INTENÇÃO DE PLANTIO APONTA RETRAÇÃO DE ÁREA PLANTADA NO VERÃO

SAFRA 2013/14: INTENÇÃO DE PLANTIO APONTA RETRAÇÃO DE ÁREA PLANTADA NO VERÃO #910 29/07/2013 Ano XXXVII SAFRA 2013/14: INTENÇÃO DE PLANTIO APONTA RETRAÇÃO DE ÁREA PLANTADA NO VERÃO Por Paulo Molinari O levantamento para a Intenção de Plantio por parte do produtor brasileiro para

Leia mais

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 09 Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 1 Carlos DirceuPitol Luiz2 Broch1 Dirceu Luiz Broch Roney Simões Pedroso2 9.1. Introdução Os sistemas de produção da atividade agropecuária cada vez requerem

Leia mais

Tiago Sarmento Barata

Tiago Sarmento Barata VII JORNADAS DE ARROZ 2009 Corrientes, 3 de septiembre Oportunidades e desafios para o arroz do Mercosul no mercado internacional Tiago Sarmento Barata MERCADO GARANTIDO! CRESCIMENTO POPULACIONAL Nascimentos:

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE MÓVEIS Importação 3,3% Residenciais 67,7% Mercado interno 96,4% Escritório 16,6% INDÚSTRIA

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE CAFÉ NO ESPÍRITO SANTO HISTÓRICO:

INFORMAÇÕES SOBRE CAFÉ NO ESPÍRITO SANTO HISTÓRICO: INFORMAÇÕES SOBRE CAFÉ NO ESPÍRITO SANTO HISTÓRICO: O Estado do Espírito Santo encontra-se como o segundo maior produtor nacional de café, destacando-se o plantio das espécies Arábica e Conilon, sendo

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO PANORAMA RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO SEMANA DE 10 A 14 DE AGOSTO de 2009 Semana de nova estabilidade no preço do Boi Gordo no mercado físico do Rio Grande do Sul, fechando a semana em R$ 5,28/kg

Leia mais

Título da Palestra: O que fazer para garantir a melhor comercialização da minha soja? Palestrante: Seneri Kernbeis Paludo

Título da Palestra: O que fazer para garantir a melhor comercialização da minha soja? Palestrante: Seneri Kernbeis Paludo Título da Palestra: O que fazer para garantir a melhor comercialização da minha soja? Palestrante: Seneri Kernbeis Paludo Instituto t Mt Mato grossense de Economia Agropecuária Quem somos Um instituto

Leia mais

ENTENDENDO O MERCADO DA SOJA

ENTENDENDO O MERCADO DA SOJA ENTENDENDO O MERCADO DA SOJA 17/06/2015 ÍNDICE 1. Introdução... 1.1 O agronegócio da soja e suas utilidades... 1.1.1 Definição e características... 1.2 O mercado mundial da soja... 1.2.1 Produção... 1.2.2

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Outubro de 2012 Panorama Macroeconômico Após nova rodada de afrouxamento monetário implementado pelos Bancos Centrais dos EUA, da Europa e do Japão, os preços dos instrumentos

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa Ontem, a Bovespa não conseguiu acompanhar os mercados internacionais, com o peso das principais ações do índice - OGX, Vale e Petrobras - além de bancos e siderúrgicas. O Ibovespa encerrou

Leia mais

Café. 1. Mercado internacional. Jorge Queiroz

Café. 1. Mercado internacional. Jorge Queiroz Café Jorge Queiroz 1. Mercado internacional O United States Department of Agriculture (USDA) está projetando uma produção mundial para a safra 2014/15 de 148,67 milhões de sacas. Quanto ao consumo mundial,

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Escala horária de propaganda em rede para televisão 08/10/2010 a 29/10/2010

Escala horária de propaganda em rede para televisão 08/10/2010 a 29/10/2010 Justiça Eleitoral Página 1 de 5 Cargo: Presidente Data da propaganda: 08/10/2010 SEXTA-FEIRA PARA O BRASIL SEGUIR MUDANDO 13:00:00 13: 20:30:00 20:40:00 O Brasil Pode Mais 13: 13:20:00 20:40:00 20:50:00

Leia mais

Mercado futuro para segurar preço. Óleo diesel expõe custo de produção

Mercado futuro para segurar preço. Óleo diesel expõe custo de produção RUMOS DA SAFRA Mercado futuro para segurar preço Ainda pouco explorado pelo produtor, o mercado futuro se transforma num mecanismo cada vez mais interessante na comercialização da safra. Esse instrumento,

Leia mais

Algodão: BM&F forma novos classificadores. Simulador BM&F começa 2008 com novos contratos 15/1/2008 313 ANO 10

Algodão: BM&F forma novos classificadores. Simulador BM&F começa 2008 com novos contratos 15/1/2008 313 ANO 10 Simulador BM&F começa 2008 com novos contratos 15/1/2008 313 ANO 10 página 2 Algodão: BM&F forma novos classificadores A Bolsa de Mercadorias & Futuros realiza, de 11 de fevereiro a 17 de março, o Curso

Leia mais

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 BB Seguro Agrícola Faturamento Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 1 Mitigadores de Produção/Intempéries. 2 Mitigadores de Preço. 3 Seguro de Faturamento. Exemplos. Mitigadores de Produção/Intemp ão/intempéries

Leia mais

Destaques do Período. Resultados Financeiros

Destaques do Período. Resultados Financeiros Resultados 2T09 14 de Agosto de 2009 1 Agenda Foto: Unidade de Paulínia -SP Destaques do Período 2T09 1S09 Mercado Brasileiro de Fertilizantes Vendas e Distribuição por Cultura da Heringer LUCRO LÍQUIDO

Leia mais

Retornos % Dia % Mês % Ano PREFIXADO IDkA Pré 2A 3.117,66 0,2326 0,0484 2,2339 IPCA IDkA IPCA 2A 3.361,41 0,0303 1,1342 4,33

Retornos % Dia % Mês % Ano PREFIXADO IDkA Pré 2A 3.117,66 0,2326 0,0484 2,2339 IPCA IDkA IPCA 2A 3.361,41 0,0303 1,1342 4,33 RENDA VARÍAVEL O Ibovespa principal indicador da bolsa de valores brasileira fechou o mês de março em queda (-0,84%). A Bovespa segue bastante vulnerável em meio à desaceleração econômica e a mudança de

Leia mais

ÍNDIA ATUALIZA SUAS PERSPECTIVAS DE PRODUÇÃO E FRUSTRA RECUPERAÇÃO EM NOVA YORK E LONDRES

ÍNDIA ATUALIZA SUAS PERSPECTIVAS DE PRODUÇÃO E FRUSTRA RECUPERAÇÃO EM NOVA YORK E LONDRES Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 08/junho/2015 n. 578 ÍNDIA ATUALIZA SUAS PERSPECTIVAS DE PRODUÇÃO E FRUSTRA RECUPERAÇÃO EM NOVA YORK E LONDRES O segundo maior produtor mundial da

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Conceito de Agronegócio e a atuação do Imea 2 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 2.1 Agronegócio Soja 2.2 Agronegócio Milho 2.3 Agronegócio Algodão

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DO TRIGO BRASILEIRO DIANTE DA CONCORRÊNCIA ARGENTINA. O COMÉRCIO INTERNACIONAL E A COMPETITIVIDADE PELO CUSTO DE PRODUÇÃO

A COMPETITIVIDADE DO TRIGO BRASILEIRO DIANTE DA CONCORRÊNCIA ARGENTINA. O COMÉRCIO INTERNACIONAL E A COMPETITIVIDADE PELO CUSTO DE PRODUÇÃO A COMPETITIVIDADE DO TRIGO BRASILEIRO DIANTE DA CONCORRÊNCIA ARGENTINA. O COMÉRCIO INTERNACIONAL E A COMPETITIVIDADE PELO CUSTO DE PRODUÇÃO ARGEMIRO LUÍS BRUM / CRISTIANO DA LUZ LEMES / CLEBER VINICIOS

Leia mais

Controle de custos na agricultura: um estudo sobre a rentabilidade na cultura da soja

Controle de custos na agricultura: um estudo sobre a rentabilidade na cultura da soja 24 Controle de custos na agricultura: um estudo sobre a rentabilidade na cultura da soja Recebimento dos originais: 24/04/2012 Aceitação para publicação: 20/07/2012 Mário Geraldo Ferreira de Andrade Mestrando

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11. Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO

INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11. Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO INFORMATIVO TÉCNICO INFOTEC N 11 Brasília, 12 de fevereiro de 2008 O MERCADO DE FERTILIZANTES NO BRASIL E A SUA IMPORTÂNCIA PARA O COOPERATIVISMO Equipe da Gerência de Mercados - GEMERC: Autor: Marcos

Leia mais

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013

Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras. Boletim Anual 2.013 Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras Boletim Anual 2.013 N O T A Ressaltamos que os dados divulgados pelo BACEN, são sempre informados como preliminares nos últimos três meses e,

Leia mais

Nº13. www.castrolanda.coop.br/circular. Nº 13 Publicação Semanal da Cooperativa Castrolanda I Março, 29-2012. Políticas de Crédito Cotações

Nº13. www.castrolanda.coop.br/circular. Nº 13 Publicação Semanal da Cooperativa Castrolanda I Março, 29-2012. Políticas de Crédito Cotações www.castrolanda.coop.br/circular Nº13 Nº 13 Publicação Semanal da Cooperativa Castrolanda I Março, 29-2012 Previdência Privada Novilhas UPN Grupo de Estudos - suinocultores Políticas de Crédito Cotações

Leia mais

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Ano 5 no 43 novembro/2012 Ano 5 no 41 maio/2012 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7494 Fax: (32) 3311-7499 e-mail: sac@cnpgl.embrapa.br

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

CONJUNTURA 2013: PONTOS A PONDERAR

CONJUNTURA 2013: PONTOS A PONDERAR CONJUNTURA 2013: PONTOS A PONDERAR ELABORAÇÃO: EQUIPE MANDIOCA CEPEA/ESALQ APRESENTAÇÃO: Lucilio Rogerio Aparecido Alves Prof. Dr. da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ESALQ/USP Pesquisador

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Desafios e Oportunidades no Agronegócio

Desafios e Oportunidades no Agronegócio Departamento do Agronegócio Desafios e Oportunidades no Agronegócio Antonio Carlos P. Costa Atualmente reversão de expectativas Apesar da safra recorde em 2014/15: Entre janeiro e maio de 2015: leitura

Leia mais

VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ INTRODUÇÃO

VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ INTRODUÇÃO Página 1927 VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ Gerson Henrique da Silva 1 ; Maura Seiko Tsutsui Esperancini 2 ; Cármem Ozana de Melo 3 ; Osmar de Carvalho Bueno 4 1Unioeste Francisco Beltrão-PR,

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA A EVOLUÇÃO DOS PREÇOS AGRÍCOLAS E AS BOLSAS DE MERCADORIAS E FUTUROS: UM ESTUDO PARA O MERCADO

Leia mais

SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS. PROCAD UFMG Novembro/09

SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS. PROCAD UFMG Novembro/09 SEGURO RURAL: ASPECTOS GERAIS E PRINCIPAIS TENDÊNCIAS PROCAD UFMG Novembro/09 SEGURO RURAL Modalidades Seguro Rural Modalidades Seguro Agrícola; Seguro Pecuário; Seguro de Benfeitorias e Produtos Agropecuários;

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NO BRASIL 2012 EXPORTAÇÕES US$ 43 Bilhões (23%) 23% Ásia 22% União Europeia FATURAMENTO

Leia mais

Edição 28 (Dezembro/2013)

Edição 28 (Dezembro/2013) Edição 28 (Dezembro/2013) Cenário Econômico: O fato de maior importância que ocorreu durante essa semana foi a noticia do FED, banco central dos EUA, que declarou a diminuição dos incentivos financeiros

Leia mais

Capacidade dos Portos Brasileiros Soja e Milho

Capacidade dos Portos Brasileiros Soja e Milho CAPACIDADE DOS PORTOS BRASILEIROS Capacidade dos Portos Brasileiros Soja e Milho 1 Novembro 2012 Esse estudo pretende chegar a um volume máximo de soja, milho e derivados, que pode ser exportado, por meio

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS

O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS CICLO DE DEBATES O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS LUIZ CUSTÓDIO COTTA MARTINS PRESIDENTE ASSSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS BELO HORIZONTE - MG 29/10/2009 A CANA COMO

Leia mais

CAFÉ. Conab Companhia Nacional de Abastecimento SGAS Quadra 901, Bloco 901, Bloco A, Lote 69 70390-010 Brasília-DF Tel 61 3312 6000 www.conab.gov.

CAFÉ. Conab Companhia Nacional de Abastecimento SGAS Quadra 901, Bloco 901, Bloco A, Lote 69 70390-010 Brasília-DF Tel 61 3312 6000 www.conab.gov. CAFÉ Jorge Queiroz 1. MERCADO INTERNACIONAL Segundo o USDA, a produção mundial de café deverá atingir no ano 2009/2010, um total de 127,4 milhões de sacas. Entretanto, a OIC (Organização Internacional

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

ENTENDENDO O MERCADO DO MILHO

ENTENDENDO O MERCADO DO MILHO ENTENDENDO O MERCADO DO MILHO 01/07/2015 SUMÁRIO 1. Introdução...3 1.1 O agronegócio do milho e suas utilidades...4 1.1.1 Definição e características...4 1.2 O mercado mundial do milho...6 1.2.1 Produção...6

Leia mais

Calendário de Eventos Econômicos

Calendário de Eventos Econômicos Calendário de Eventos Econômicos Horário Eventos Previsão Comentários SegundaFeira 05/10 08:25 Bacen: Boletim Focus (semanal) 10:00 Markit: Índice PMI composto 15:00 MDIC: Balança comercial (semanal) 04:55

Leia mais

CET - Qualidade Ambiental

CET - Qualidade Ambiental CET - Qualidade Ambiental Calendário Escolar Horário (h) Dia Mês Dia Semana Manhã Tarde Tarde Sala 13-Out Segunda-feira Gestão Res Sólidos 14.00-17.00 G4-S0/02 14-Out Terça-feira Ecologia, Cons Ecoturismo

Leia mais

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul Diretoria de Planejamento Superintendência de Planejamento Comportamento de Preços Pagos aos Produtores de Leite, Frangos e Suínos da Região Sul NT 20-02 JUNHO / 20 1 1) Tendo em vista a Resolução BACEN

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 22 de junho de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Reunião do FOMC ainda com tom dovish; Preocupações com a Grécia ainda persistem e compromete

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS EDIÇÃO N o 79 Agosto/2014

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro

Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro Relatório FEBRABAN - Evolução do Crédito do Sistema Financeiro (com base na Nota do Banco Central do Brasil de 22-10-08) Edição de 27 de Outubro de 08 Crise não teve impacto significativo nas operações

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A queda das bolsas internacionais não ajudou a pressionar o mercado doméstico em dia de indicadores fracos na China e nos Estados Unidos. A aversão ao risco aumentou nos últimos dias com

Leia mais

7 º Seminário Internacional de Logística Agroindustrial. Mecanismos de redução de custos logísticos de exportação Algodão

7 º Seminário Internacional de Logística Agroindustrial. Mecanismos de redução de custos logísticos de exportação Algodão Mecanismos de redução de custos logísticos de exportação Algodão Como o algodão é exportado? Fazenda/ Terminal Algodoeira Portuário Exportação Quanto custa tudo isso? R$ 160,00 / ton R$ 20,00 / ton Fazenda/

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) 13 de Junho de 2013 MERCADOS Bolsa A Bovespa seguiu em queda ontem, desta vez influenciada pelo exercício de Ibovespa futuro e de opções sobre o Ibovespa e mau humor no mercado externo, com as bolsas norte-americanas

Leia mais

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo.

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA/ESALQ/USP 25 de maio de 2011 Volume 1, Edição 22 Açúcar: Informativo Quinzenal Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo DATA Valor

Leia mais

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros 21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo Alexandre Mendonça da Barros 20 de Outubro de 2014 Índice As transformações da economia agrícola

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais