unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA"

Transcrição

1 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL PROCESSO No: 00576/1998

2 O CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL DA FCT/UNESP 1. INTRODUÇÃO O uso inadequado dos recursos naturais renováveis tem enfatizado a necessidade de uma abordagem multidisciplinar que oriente a implantação de um novo modelo de desenvolvimento econômico, no qual o impacto humano sobre o ambiente seja minimizado. Nessa nova abordagem, os sistemas de produção devem buscar um equilíbrio entre a utilização dos recursos e a preservação do meio ambiente. Para isso, é preciso conhecer as interações entre os sistemas ambientais e os sistemas humanos, ou seja, o conhecimento das ciências naturais visando medir a magnitude do impacto humano sobre o sistema ambiental e o conhecimento das ciências sociais objetivando o entendimento da dinâmica humana. Nesse contexto, é necessário a atuação de um profissional capaz de propor e projetar soluções que tornem os sistemas de produção ambientalmente viáveis. Embora ainda não existam Engenheiros Ambientalistas graduados no Brasil, a Engenharia Ambiental tem sido praticada no País por engenheiros civis, sanitaristas, químicos, etc., uma vez que as agressões ao meio ambiente passaram a exigir a adoção de medidas minimizadoras e corretivas, muitas delas afetas à área de Engenharia. Porém, o entendimento de que os fenômenos ambientais são extremamente complexos e interdependentes, assim como as ações que desencadeiam efeitos adversos ao ambiente, tem evidenciado a necessidade de ampliar a atuação de profissionais especializados, de maneira a incluir as intervenções de caráter preventivo. Assim, o Engenheiro Ambientalista será, dentre os profissionais que atuam na área ambiental, seja no entendimento integrado do meio ambiente, seja na implementação de soluções, aquele que deverá possuir formação acadêmica que permita sua participação nos estudos de caracterização ambiental, na análise de suscetibilidade e vocações naturais do ambiente, na elaboração de estudos de impactos ambientais, na proposição, implementação e monitoramento de medidas mitigadoras ou de ações ambientais, tanto na área urbana quanto na rural.

3 O Engenheiro Ambientalista deverá estar apto a avaliar a dimensão (magnitude, duração, reversibilidade e natureza) das alterações ambientais causadas pelas atividades do Homem, sejam elas benéficas ou adversas, independentemente da área de influência. Pretende-se que esse profissional possua conhecimentos técnicos suficientes para adotar procedimentos capazes de minimizar os impactos indesejáveis, qualquer que seja a escala em que ocorram (local, regional, global). Especificamente, pretende-se que o profissional Engenheiro Ambientalista tenha condições de atuar na gestão do meio ambiente; no manejo e controle da qualidade da água, ar e solo; na investigação, avaliação, adaptação e implantação de sistemas de produção ambientalmente viáveis; na recuperação de áreas degradadas e na mitigação e monitoramento dos processos e impactos ambientais. 2. MERCADO DE TRABALHO Todos os Estados do País estão sujeitos à Legislação Federal sobre meioambiente, cuja aplicação exige conhecimentos técnicos específicos de nível superior. Alguns dispõem de legislação específica e de órgãos responsáveis pela sua aplicação, tais como Companhias Estatais de Economia Mista e Secretarias Estaduais de Meio Ambiente. Há, ainda, mobilização crescente em torno da criação de Comitês de Bacia, na medida em que a gestão de recursos hídricos dar-se-á por força legal, através de bacias hidrográficas. Entende-se que o Engenheiro Ambientalista encontrará excelente mercado de trabalho junto a esses órgãos e companhias, dada sua capacitação técnica específica. As empresas de consultoria que elaboram planos de uso do solo, estudos de impactos no ambiente, pareceres técnicos e projetos específicos na área ambiental, constituem, seguramente, uma das principais fontes de oferta no mercado de trabalho para este profissional.

4 As grandes empresas de extração e de transformação, bem como as de geração de energia, apresentam demanda crescente por profissionais com perfil do Engenheiro Ambientalista, notadamente em regiões que apresentam problemas de saturação de atividade e conflitos de uso dos recursos naturais. Constata-se, portanto, que o mercado de trabalho existe efetivamente e certamente será ampliado após a definição das atribuições profissionais do Engenheiro Ambientalista, pelos órgãos competentes. 3. O CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL DA FCT/UNESP Além do conteúdo básico de engenharia, o profissional formado terá conhecimento das áreas de ecologia, biologia, geologia, edafologia, climatologia, hidrologia, levantamentos topográficos, cartografia, sensoriamento remoto, fotogrametria e interpretação de imagens, geoprocessamento, recursos energéticos, conservação de recursos naturais, poluição ambiental, sistemas de tratamento de água e resíduos, saneamento e planejamento ambiental, conservação e uso do solo, saúde ambiental, direito ambiental, relação homemambiente e geopolítica. 4. NÚMERO DE VAGAS: 35 vagas por ano 5. PERÍODO - 05 anos INTEGRAL 6. REVISÃO DA ESTRUTURA CURRICULAR PROPOSTA PARA O CURSO As Diretrizes Curriculares para os Cursos de Engenharia, atualmente em tramitação no CNE, enfatizam a necessidade de se reduzir o tempo em sala de aula, de forma a permitir que haja disponibilidade de tempo para a consolidação dos conhecimentos adquiridos e para atividades complementares, objetivando uma progressiva autonomia intelectual do aluno. Nesse sentido, a carga horária em atividades didáticas foi reduzida de h/a para h/a, incluídas as horas destinadas à realização de estágios curriculares obrigatórios (180 h/a) e trabalho de graduação (180 h/a).

5 As disciplinas e conteúdos contemplados na estrutura curricular do curso foram adequados para atender às referidas Diretrizes, de modo que foram feitas algumas alterações nos conteúdos, carga horária, e mesmo na denominação de algumas disciplinas. A disciplina Comunicação e Expressão foi criada para atender uma orientação explícita dessas Diretrizes. Em atendimento também aos Princípios Norteadores dos Cursos de Graduação (Resolução UNESP ), a estrutura curricular foi ligeiramente alterada no que se refere ao encadeamento das disciplinas e conteúdos, conforme pode ser verificado na seriação recomendada para o curso de Engenharia Ambiental, apresentada no Anexo Disciplinas do Currículo A área de Engenharia Ambiental foi criada em complementação às outras seis áreas definidas na Resolução 48/76 para os currículos de Engenharia do Brasil, conforme o disposto no 1º do artigo 6º da Resolução nº 48/76-CFE. O artigo 2º dessa portaria dispõe que a matéria de Biologia fica incluída na Formação Básica da Engenharia Ambiental. Face às disposições estabelecidas na Resolução UNESP e considerando a necessidade de atender os conteúdos previstos no projeto das Diretrizes Curriculares para os cursos de engenharia, o currículo do curso de graduação em Engenharia Ambiental, passa a ser constituído por disciplinas de formação geral básica (Quadro 1), de formação específica básica (Quadro 2) e complementares (Quadro 3). QUADRO 1: DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO GERAL BÁSICA Disciplinas Número de Obrigatória/Opcional Créditos Fundamentos de Biologia 04 Obrigatória Cálculo Diferencial e Integral I 08 Obrigatória Geometria Analítica e Vetores 08 Obrigatória Cálculo Diferencial e Integral II 08 Obrigatória Álgebra Linear 04 Obrigatória Introdução à Ciência da Computação 08 Obrigatória Cálculo Numérico 04 Obrigatória

6 Probabilidade e Estatística 08 Obrigatória Física Geral e Experimental I 08 Obrigatória Física Geral e Experimental II 08 Obrigatória Fenômenos de Transporte 04 Obrigatória Resistência de Materiais 04 Obrigatória Desenho 04 Obrigatória Cultura, Ambiente e Desenvolvimento 04 Obrigatória Comunicação e Expressão 04 Obrigatória QUADRO 2: DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA BÁSICA Disciplinas Número de Obrigatória/Opcional Créditos Ecologia Geral e Aplicada 04 Obrigatória Química Geral e Inorgânica 04 Obrigatória Química Orgânica 04 Obrigatória Microbiologia Aplicada 04 Obrigatória Geologia 04 Obrigatória Geomorfologia 04 Obrigatória Solo e Vegetação 08 Obrigatória Climatologia 04 Obrigatória Hidrologia 04 Obrigatória Química Ambiental 04 Obrigatória Recursos Energéticos e Meio Ambiente 04 Obrigatória Poluição Amb. e Tratam. de Efluentes 04 Obrigatória Conservação de Recursos Naturais 04 Obrigatória Sustentabilidade Amb. e Desenv. Reg. 04 Obrigatória Caracterização de Bacias Hidrográficas 04 Obrigatória Gerenciamento de Recursos Hídricos 04 Obrigatória Gestão do Ambiente Urbano 04 Obrigatória Planej. Amb. e Elaboração de Projetos 06 Obrigatória Gerenciamento de Resíduos Sólidos 04 Obrigatória Estudos de Impactos Ambientais 04 Obrigatória Projeto de Recup. de Áreas Degradadas 06 Obrigatória Economia Aplicada 04 Obrigatória Saúde Ambiental 04 Obrigatória Direito Ambiental 08 Obrigatória Levantamentos Topográficos 08 Obrigatória Cartografia 06 Obrigatória

7 QUADRO 3: DISCIPLINAS COMPLEMENTARES Disciplinas Número de Obrigatória/Opcional Créditos Patrimônio Cultural 03 Obrigatória Cartografia Temática 04 Obrigatória Sensoriamento Remoto 04 Obrigatória Fotogrametria e Interp. de Imagens 06 Obrigatória SIG em Aplicações Ambientais 06 Obrigatória Tratamento e Análise de Imagens 04 Obrigatória Trabalho de Graduação 12 Obrigatória Estágio Supervisionado Obrigatório 12 Obrigatória O Estágio Supervisionado Obrigatório deverá perfazer um total de 12 créditos correspondentes a 180 horas e será desenvolvido junto à empresas públicas e privadas e órgãos públicos federais, estaduais e municipais que trabalhem na área de gestão ambiental e manejo de recursos hídricos. O Trabalho de Graduação terá também, um total de 12 créditos correspondentes a 180 horas, sendo que o orientador poderá ser qualquer docente vinculado ao curso com a possibilidade de co-orientação de profissionais relacionados à área de Engenharia Ambiental de outras Instituições de Ensino Superior, de empresas públicas e privadas e órgãos públicos federais, estaduais e municipais Integralização Curricular TOTAL DE CRÉDITOS DO CURSO TOTAL DE HORAS/AULA DO CURSO PRAZO MÍNIMO PARA INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR PRAZO MÁXIMO PARA INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR CARGA HORÁRIA MÁXIMA POR ANO LIMITE MÁXIMO DE CARGA HORÁRIA SEMANAL 261 créditos horas/aula 05 anos 09 anos 783 horas/aula 26,1 horas/aula

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã ção o das IFES (Açõ ções propostas em discussão) o) Objetivo Geral Consolidar e expandir os programas de formaçã ção o pós-graduada p de pessoas pelas Instituiçõ

Leia mais

SERIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL CRÉDITOS DEPARTAMENTO PRÉ REQUISITO

SERIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL CRÉDITOS DEPARTAMENTO PRÉ REQUISITO SERIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL PRIMEIRO ANO Fundamentos de Química Geral Física I Física II Cálculo Diferencial e Integral I Desenho Básico Geometria Analítica e Vetores Introdução à Ciência

Leia mais

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS PLANILHA DE PACTUAÇÃO DAS - TCG Data da Validação: 31/03/2010 Data da Homologação: 12/04/2010 Revisão Nº:001 Pedido de Revisão: 30/03/2010 Portaria: 2.846 Data da Publicação: 25/11/2008 Estado: ESPIRITO

Leia mais

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior Area Profissional: 0004 - BIBLIOTECA Area de Atuacao: 0042 - ACERVO/BIBLIOTECA Analisar e processar

Leia mais

TECNICO EM SEGURANCA DO TRABALHO. "(s15h " " PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO"

TECNICO EM SEGURANCA DO TRABALHO. (s15h   PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500560 - TECNICO EM SEGURANCA DO TRABALHO Nivel: Tecnico Area Profissional: 0044 - CONSTRUCAO CIVIL-TEC Area de Atuacao: 0395 - SEG.TRABALHO/CONSTR.CIVIL-TEC

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior Area Profissional: COMUNICACAO Area de Atuacao: EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

Universidade de Aveiro

Universidade de Aveiro Universidade de Aveiro Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Director de Curso: Prof.ª Doutora Ana Isabel Couto Miranda Objectivos: A Licenciatura em Engenharia

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000654 - TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000407 - REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000184 - SISTEMAS DE INFORMACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

Missão. Objetivos Específicos

Missão. Objetivos Específicos CURSO: Engenharia Ambiental e Sanitária Missão O Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnico científica nas áreas

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0021 - OPERACAO

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Assessoria de Inovação Tecnológica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Assessoria de Inovação Tecnológica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1983-0610 Junho, 2008 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Assessoria de Inovação Tecnológica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 01 Noções de Propriedade Intelectual

Leia mais

ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 180 Currículos dos Cursos do CCE UFV Currículo do Curso de Engenharia Engenheiro ATUAÇÃO O curso de Engenharia da UFV habilita o futuro profissional

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0122 - RELACIONAMENTO CLIENTE/COM. Planejar

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000053 - ENGENHARIA DA COMPUTACAO Nivel: Superior Area Profissional: INFORMATICA Area de Atuacao: BANCO DE DADOS/INFORMATICA Planejar, administrar,

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Atuar na manipulacao de substancias para composicao de formulas magistrais e fitoterapicas.

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Atuar na manipulacao de substancias para composicao de formulas magistrais e fitoterapicas. (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000055 - FARMACIA Nivel: Superior Area Profissional: 0014 - FARMACIA Area Atuacao: 0295 - MANIPULACAO FORMULAS/FARMACIA Atuar na manipulacao

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 198 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Ambiental ATUAÇÃO O curso de Engenharia Ambiental da UFV

Leia mais

TOTAL - FISCAL 899.545 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 899.545

TOTAL - FISCAL 899.545 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 899.545 ORGAO : 32000 - MINISTERIO DE MINAS E ENERGIA UNIDADE : 32314 - EMPRESA DE PESQUISA ENERGETICA - EPE ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0750 APOIO ADMINISTRATIVO

Leia mais

Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total

Codigo Especificacao Projetos Atividades Oper. Especiais Total Estado do Parana Programa de Trabalho Folha: 1 Orgao...: 02 GOVERNO MUNICIPAL Unidade Orcamentaria: 02.01 GABINETE DO PREFEITO 04.000.0000.0.000.000 Administracao 31.191,67 31.191,67 04.122.0000.0.000.000

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500446 - TECNICO EM INFORMATICA Nivel: Tecnico Area Profissional: 0042 - COMERCIO-TEC Area de Atuacao: 0440 - BANCO DADOS/COMERCIO-TEC

Leia mais

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária

Uma nova proposta para a Agenda Ambiental Portuária Uma nva prpsta para a Agenda Ambiental Prtuária Marcs Maia Prt Gerente de Mei Ambiente O grande desafi a tratar cm as questões ambientais prtuárias é bter um resultad equilibrad que harmnize s cnflits

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

ENGENHARIA DE SOFTWARE PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 002312 - ENGENHARIA DE SOFTWARE Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA CEST CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

FACULDADE SANTA TEREZINHA CEST CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL FACULDADE SANTA TEREZINHA CEST CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL São Luís 2015 NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais;

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 34/2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Química Industrial, Bacharelado,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 29/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Válida para os acadêmicos ingressantes a partir

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA CURSOS DE ESTATÍSTICA. Versão Final

DIRETRIZES CURRICULARES PARA CURSOS DE ESTATÍSTICA. Versão Final MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE

CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE CAPACITAÇÃO EM SIMULAÇÃO PARA O MUNDO REAL DA SAÚDE Institut Instituiçã fcada na geraçã de sluções para a implementaçã e gestã pedagógica de Núcles de Treinament e Capacitaçã de prfissinais e acadêmics

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO

POLÍTICA DE INVESTIMENTO POLÍTICA DE INVESTIMENTO Aprovada pelo Conselho Deliberativo em dezembro de 2010 Vigência: 01/01/2011 a 31/12/2011 1 ÍNDICE GERAL 1 PROPÓSITO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO 3 1.1 OBJETIVOS DA POLÍTICA DE

Leia mais

SEGUNDA REUNION DE D1RECTORES DE OFICINAS DE DERECHO DE AUTOR DE AMERICA LATINA

SEGUNDA REUNION DE D1RECTORES DE OFICINAS DE DERECHO DE AUTOR DE AMERICA LATINA OMPIIDAfEPP/OO/2 BR ORIGINAL: Portugues FECHA: Junio de 2000 5 ~indecopi e STITUTO NACIONAL DE DEFENSA DE LA COMPETENCIA Y DE LA PROTECCION DE LA PROPIEDAD INTELECTUAL ORGANIZACION MUNDIAL DE LA PROPIEDAD

Leia mais

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados.

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500702 - ELETROTECNICA - MOD. Nivel: Tecnico Area Profissional: 0047 - ELETRICA-ELETRONICA-TEC Area de Atuacao: 0349 - ASSIST.TEC./ELETR.-TEC

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( x ) Pós-graduação ( ) Curso I. Dados Identificadores Disciplina Professor

Leia mais

Estado do Ceará JARDIM GOVERNO DO JARDIM

Estado do Ceará JARDIM GOVERNO DO JARDIM GOVERNO DO DEMONSTRATIVO DA RECEITA E DA DESPESA SEGUNDO AS CATEGORIAS ECONÔMICAS Anexo I ---------------------------------------------------------------------------------------------- RECEITA DESPESA

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil

Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil Estrutura Curricular do Curso de Engenharia Civil 1º Semestre 1. Cálculo Diferencial e Integral I 2. Desenho Básico 3. Física I 4. Laboratório de Física I 1º Básica 5. Química Geral 6. Introdução a Engenharia

Leia mais

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007

LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 LEI Nº 12.780, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007 (Projeto de lei nº 749/2007, da Deputada Rita Passos - PV) Institui a Política Estadual de Educação Ambiental O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA CIVIL MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Civil do CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTACIO RADIAL DE SÃO PAULO tem por missão graduar Engenheiros Civis

Leia mais

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12 1ª ETAPA - TURMA E CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PAIE 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PAIE 3 ÉTICA E CIDADANIA I PAIE 3 FÍSICA GERAL I PAIE 3 GEOMETR ANALITICA E VETORES PAIE 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana de Parnaíba Cmpnente Curricular: Cntabilidade Cmercial Eix Tecnlógic: Gestã e Negócis Módul: II C.

Leia mais

CRIAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CRIAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CRIAÇÃO DA DISCIPLINA SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Elias S. Assayag eassayag@internext.com.br Universidade do Amazonas, Departamento de Hidráulica e Saneamento da Faculdade

Leia mais

F 5 2 90 0 300 62.480.769 2.411.730 NACIONAL F 3 2 90 0 300 2.411.730 TOTAL - FISCAL 64.892.499 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 64.892.

F 5 2 90 0 300 62.480.769 2.411.730 NACIONAL F 3 2 90 0 300 2.411.730 TOTAL - FISCAL 64.892.499 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 64.892. ORGAO : 47000 - MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, ORCAMENTO E GESTAO UNIDADE : 47101 - MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, ORCAMENTO E GESTAO ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES

Leia mais

RESOLUÇÃO. São Paulo, 24 de junho de 2010. Prof. Héctor Edmundo Huanay Escobar Presidente

RESOLUÇÃO. São Paulo, 24 de junho de 2010. Prof. Héctor Edmundo Huanay Escobar Presidente RESOLUÇÃO CONSEPE 18/2010 APROVAÇÃO DO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO, DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, DO CAMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho

Leia mais

RECOMENDAQA0 PROURB N 04/2014

RECOMENDAQA0 PROURB N 04/2014 MINISTERIO PUBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITORIOS PROMOTORIA DE JUSTIcA DE DEFESA DA ORDEM URBANISTICA RECOMENDAQA0 PROURB N 04/2014 Recomenda ao Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Distrito Federal

Leia mais

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal)

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Curso: Engenharia Agrícola e Ambiental Matriz Curricular 1 Período IB 157 Introdução à Biologia 4 (2-2) IT 103 Técnicas Computacionais em Engenharia 4 (2-2)

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Liquidado. Liquidado. Corrig SUM

Liquidado. Liquidado. Corrig SUM 2010 2011 Liquidado Liquidado Corrig SUM Corrig SUM Corrigido pelo IGP-DI 2.010 2.011 variação em milhares de reais liquidado liquidado nominal INVESTIMENTOS 13.634.464 9.479.144-4.155.319 ARACATUBA 194.227

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR ESTRUTURA CURRICULAR O currículo proposto busca atender além do perfil do formando, também competências e habilidades necessárias ao profissional para garantir uma boa formação tanto teórica quanto prática

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000025 - COMUNICACAO SOCIAL - RELACOES PUBLICAS Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000025 - COMUNICACAO SOCIAL - RELACOES PUBLICAS Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000025 - COMUNICACAO SOCIAL - RELACOES PUBLICAS Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0113 - REL.PUBLICAS/COMUNICACAO

Leia mais

Estaduais das PICs. Área Técnica de Medicinas Tradicionais, MTHPIS

Estaduais das PICs. Área Técnica de Medicinas Tradicionais, MTHPIS Encntr de Crdenadres Municipais e Estaduais das PICs Brasília, 7a9dejunh de 2011 Área Técnica de Medicinas Tradicinais, Hmepatia e Práticas Integrativas em Saúde - MTHPIS Secretaria Municipal de Saúde

Leia mais

ASSUNTO Implantação das Habilitações Bacharelado em Matemática e Biologia

ASSUNTO Implantação das Habilitações Bacharelado em Matemática e Biologia INTERESSADO/MANTENEDORA FACULDADES DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO ABC UF S ASSUNTO Implantação das Habilitações Bacharelado em Matemática e Biologia RELATOR: SR.CONS. RAULINO TRAMONTIN I - RELATÓRIO O Diretor

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

1 de 6 30/10/2015 17:02

1 de 6 30/10/2015 17:02 1 de 6 30/10/2015 17:02 GOVERNO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRACAO E DOS RECURSOS HUMANOS CONCURSO PUBLICO EDITAL N 001/2015 SEARH SEEC/RN, DE 30 DE OUTUBRO DE 2015 A Secretaria

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

Nada se perde, tudo se transforma. Gestão de Recursos Hídricos; Gestão de Recursos Sólidos; Gestão de Materiais.

Nada se perde, tudo se transforma. Gestão de Recursos Hídricos; Gestão de Recursos Sólidos; Gestão de Materiais. Nada se perde, tudo se transforma Gestão de Recursos Hídricos; Gestão de Recursos Sólidos; Gestão de Materiais. Gestão de Recursos Hídricos Água: fonte de vida. A água é tratada, com demasiada freqüência,

Leia mais

REALIDADE CANADENSE. Luiza Kent-Smith, RD, PhD Professional Leader Nutrition & Dietetics Saskatoon Health Region

REALIDADE CANADENSE. Luiza Kent-Smith, RD, PhD Professional Leader Nutrition & Dietetics Saskatoon Health Region REALIDADE CANADENSE Luiza Kent-Smith, RD, PhD Professional Leader Nutrition & Dietetics Saskatoon Health Region Provincias (10) Nova Scotia New Brusnwick Prince Edward Island Newfoundland & Labrador Quebec

Leia mais

LEI MUNICIPAL N.º 2.690, DE 21 DE MAIO 2002

LEI MUNICIPAL N.º 2.690, DE 21 DE MAIO 2002 Dispõe sobre a Política Municipal do Meio Ambiente, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE FARROUPILHA RS, FAZ SABER que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e ele sanciona a seguinte L

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

A BASE DE DADOS DO ARQUIVO FOTOGRÁFICO MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ IMPLEMENTACÁO COM BIBLIOBASE IMAGEM

A BASE DE DADOS DO ARQUIVO FOTOGRÁFICO MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ IMPLEMENTACÁO COM BIBLIOBASE IMAGEM A BASE DE DADOS DO ARQUIVO FOTOGRÁFICO MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ IMPLEMENTACÁO COM BIBLIOBASE IMAGEM Guida da Silva Cándido Arquivo Fotográfico Municipal da Figueira da Foz - Portugal APRESENTACÁO A

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL GABINETE DO GOVERNADOR PARECER Nº 14.072

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL GABINETE DO GOVERNADOR PARECER Nº 14.072 GABINETE DO GOVERNADOR PARECER Nº 14.072 Licenciatura curta. Pós-graduação lato sensu. Validade. Alteração de nível. Possibilidade. O Departamento de Recursos Humanos da Secretaria da Educação encaminha

Leia mais

Aprendizagem continuada ao longo da vida o exemplo da terceira idade

Aprendizagem continuada ao longo da vida o exemplo da terceira idade Aprendizagem continuada ao longo da vida o exemplo da terceira idade José Armando Valente * Resumo: A formacao de qualquer individuo, para viver e ser capaz de atuar na sociedade do conhecimento, nao pode

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. COORDENADOR Luciano José Minette minetti@ufv.br

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. COORDENADOR Luciano José Minette minetti@ufv.br ENGENHARIA DE PRODUÇÃO COORDENADOR Luciano José Minette minetti@ufv.br 210 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro de Produção ATUAÇÃO O Curso de Engenharia de Produção da UFV visa preparar profissionais

Leia mais

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL 1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL O Programa de Pós-Graduação em Tecnologias e Inovações Ambientais modalidade mestrado profissional

Leia mais

e-tec Brasil EDITAL N 012/2013

e-tec Brasil EDITAL N 012/2013 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAcA0, CIENCIA E TECNOLOGIA e-tec Brasil EDITAL N 012/2013 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA A SELE fao DE TUTORES VIRTUAIS, NA CONDICAO DE BOLSISTAS, PARA 0 CURSO TECNICO EM

Leia mais

1.1.3.1 Ausência de processo de monitoramento e avaliação da execução do PDTI.

1.1.3.1 Ausência de processo de monitoramento e avaliação da execução do PDTI. Cnstatações 1.1.3.1 Ausência de prcess de mnitrament e avaliaçã da execuçã d PDTI. 1.1.3.2 Cmitê de TI nã atuante e inefetiv. 1.1.3.3 Quantidade insuficiente de servidres para a gestã de TI. 1.1.3.4 Falhas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.267, DE 24 DE ABRIL DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.267, DE 24 DE ABRIL DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.267, DE 24 DE ABRIL DE 2012 Aprova Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia Civil com

Leia mais

UNIVERSIDADE ZAMBEZE GABINETE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS TABELA DESCRITIVA DOS ACORDOS DE COOPERACÃO ASSINADOS EM 2014-2015

UNIVERSIDADE ZAMBEZE GABINETE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS TABELA DESCRITIVA DOS ACORDOS DE COOPERACÃO ASSINADOS EM 2014-2015 ORDEM ACORDO/CONVENIO/MEMORANDO/PROT OCOLO ENTRE UNIZAMBEZE E OBJECTIVO/ÁREAS DE COOPERAÇÃO INSTITUIÇÕES NACIONAIS 1 Total Moçambique SARL -Realização de palestras, cursos académicos, apresentações por

Leia mais

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI?

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI? Perguntas Frequentes Quem é o aluno da UFPI? É o indivíduo que está regularmente matriculado em uma disciplina ou curso ou, ainda, que já ingressou na UFPI, embora não esteja cursando nenhuma disciplina

Leia mais

CARTA-CIRCULAR 2.826 --------------------

CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- Divulga relacao de operacoes e situacoes que podem configurar indicio de ocorrencia dos crimes previstos na Lei n. 9.613, de 03.03.98, e estabelece procedimentos

Leia mais

F 3 2 90 0 100 2.036.890 F 4 2 40 0 100 15.000.000 F 4 2 40 0 100 15.000.000 TOTAL - FISCAL 35.430.589 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 35.430.

F 3 2 90 0 100 2.036.890 F 4 2 40 0 100 15.000.000 F 4 2 40 0 100 15.000.000 TOTAL - FISCAL 35.430.589 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 35.430. ORGAO : 22000 - MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUARIA E ABASTECIMENTO UNIDADE : 22101 - MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUARIA E ABASTECIMENTO 0362 DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL DAS REGIOES PRODUTORAS DE CACAU

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Especialização em Gerência e Monitoramento Ambiental

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001836 - TECNOLOGIA EM PRODUCAO SUCROALCOOLEIRA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001836 - TECNOLOGIA EM PRODUCAO SUCROALCOOLEIRA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001836 - TECNOLOGIA EM PRODUCAO SUCROALCOOLEIRA Nivel: Superior Area Profissional: AGROPECUARIA Area de Atuacao: GESTAO AGRO-IND./AGROP.

Leia mais

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo,

AVISO. operações urbanísticas, que evoluirá até à desmaterialização total, num curto espaço de tempo, AVISO NORMAS DE INSTRUÇÃO DE PROCESSOS EM FORMATO DIGITAL A Câmara Municipal de Viseu vai iniciar, n próxim dia 5 de Janeir de 2015, a implementaçã da tramitaçã eletrónica ds prcesss de licenciament/admissã

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO/CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO/CURSO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE PRÓ- REITORIA DE ENSINO SETOR DE CONHECIMENTO: DEPARTAMENTO PROJETO PEDAGÓGICO/CURSO Guarapuava, FORMULÁRIO 1 CURSO: CAMPUS: HABILITAÇÃO/MODALIDADE TURNO DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior Area Profissional: ECONOMIA Area de Atuacao: GESTAO FINANCEIRA/ECONOMIA Administrar os

Leia mais

Gestão Sindical Eficiente

Gestão Sindical Eficiente Gestã Sindical Eficiente Apresentaçã O Agile Sindical é a sluçã para apiar a implementaçã de uma gestã estruturada das atividades sindicais. A sluçã apresenta móduls para gerenciament ds prcesss-chave

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Ministério da Educação Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD Coordenadoria de Ensino e Integração Acadêmica Núcleo Didático-Pedagógico PROJETO PEDAGÓGICO DO

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO 132 ARQUITETURA E URBANISMO COORDENADORA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Aline Werneck Barbosa de Carvalho abarbosa@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 CURRÍCULO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

Leia mais

ENGENHARIA CIVIL PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

ENGENHARIA CIVIL PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO A Faculdade de Economia e Finanças do Rio de Janeiro FEFRJ/ SUESC estabelece que sua visão de futuro determine os vetores de crescimento e de sua atuação. Neste sentido, o curso de Engenharia Civil vislumbra

Leia mais

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 MEDICINA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: MEDICINA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA IINNTTRRODDUUÇÇÃÃO I As decisões sbre a implementaçã de ações de cnvivência cm a seca exigem cnheciment básic sbre a lcalizaçã, caracterizaçã e dispnibilidade das fntes de água superficiais e subterrâneas.

Leia mais

ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Félix leobonato@ufv.br

ENGENHARIA ELÉTRICA. COORDENADOR Leonardo Bonato Félix leobonato@ufv.br ENGENHARIA ELÉTRICA COORDENADOR Leonardo Bonato Félix leobonato@ufv.br 216 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Eletricista ATUAÇÃO O curso de Engenharia Elétrica da UFV oferece a seus estudantes

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Prof. Dr. José Geraldo Pena de Andrade Diretor da FT Profa. Dra. Carmenlucia S. Giordano Penteado Coordenadora de Graduação LIMEIRA - SP MARÇO

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA

METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA 1 METODOLOGIA CIENTÍFICA ELABORANDO PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA 2 Abordagem Sistêmica

Leia mais

PLANEJAMENTO - 2012 GESTÃO 2012-2015

PLANEJAMENTO - 2012 GESTÃO 2012-2015 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia Catarinense Câmpus Santa Rsa d Sul PLANEJAMENTO - 2012 GESTÃO 2012-2015 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia Catarinense Câmpus Santa Rsa d Sul

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO - PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER Identificação de Programas. Lei Autorizativa

ESTADO DE MATO GROSSO - PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER Identificação de Programas. Lei Autorizativa CAMARA MUNICIPAL ACAO DO LEGISLATIVO Atender as necessidades do Municipio, viabilizar aprovacoes de Projetos de Leis de interesse do municipio; suporte tecnico politico. Oferecer suporte conceitual de

Leia mais

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 6.938, DE 31 DE AGOSTO DE 1981 Texto Atualizado Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL DECISÃO DO COLEGIADO DE COORDENAÇÃO DIDÁTICA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Nº 10, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013. Estabelece os critérios para seleção de candidatos para preenchimento

Leia mais

TOTAL - FISCAL 12.823.048 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 12.823.048

TOTAL - FISCAL 12.823.048 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 12.823.048 ORGAO : 14000 - JUSTICA ELEITORAL UNIDADE : 14101 - TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL 0570 GESTAO DO PROCESSO ELEITORAL 12.823.048 02 126 0570 2365 ATUALIZACAO E MANUTENCAO DO SISTEMA DE VOTACAO E APURACAO 02

Leia mais

MODELO - Planejamento Pedagógico

MODELO - Planejamento Pedagógico MODELO - Planejamento Pedagógico I. CURSO DE FORMAÇÃO DE CONDUTORES PARA OBTENÇÃO DA PERMISSÃO PARA DIRIGIR E DA AUTORIZAÇÃO PARA CONDUZIR CICLOMOTORES (CURSO TEÓRICO/TÉCNICO) 1. Curso: Teórico-Técnico

Leia mais

Programa de Capacitação em Gestão do PPA. Planos Gerenciais dos Programas do PPA

Programa de Capacitação em Gestão do PPA. Planos Gerenciais dos Programas do PPA Programa de Capacitação em Gestão do PPA Planos Gerenciais dos Programas do PPA 1 Sumário Conceitos Roteiro Sugerido Aspectos Importantes Exercício Validação e Envio do Plano 2 Conceito PLANO GERENCIAL

Leia mais