AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação da Área Disciplinar de Informática Ano Lectivo 2014/2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação da Área Disciplinar de Informática Ano Lectivo 2014/2015"

Transcrição

1 Escola EB1/JI Quinta da Alegria Critérios de Avaliação da Área Disciplinar de Informática Ano Lectivo 2014/2015 Programação e Multimédia Curso Vocacional 3.º Ciclo Avaliação A metodologia a adoptar na avaliação centra-se naturalmente nas componentes, formativa e sumativa, que enquadram a generalidade dos modelos de avaliação. Apesar disso, devem ser estes procedimentos articulados com as duas vertentes fundamentais desta disciplina, conceptuais e operacionais. Nesse sentido, devem definir-se desde logo o papel dos produtos a construir e dos projetos ou propostas de resolução de problemas no cômputo final da apreciação a ser feita pelo docente, na medida em que é essa a melhor aferição que se pode fazer das aprendizagens realizadas e, sobretudo, dos perfis de desempenho que cada aluno demonstra no final das atividades lectivas. Deverão ser portanto procedimentos de carácter eminentemente prático e experimental, mesmo quando para detecção ou análise de componentes conceptuais e de conhecimento e identificação de equipamentos, processos ou modelos. Sugere-se a realização individual de tarefas nos projetos, com todas as características do modelo de avaliação a ele inerente ou a proposição de resolução de problemas operacionais, definindo as características do produto pretendido. Deve ser privilegiada ainda a observação do trabalho desenvolvido pelos alunos durante as aulas, utilizando para isso grelhas de observação com escalas bem dimensionadas que permitam registar o seu desempenho nas situações que lhe são proporcionadas, a sua evolução ao longo do ano lectivo, o interesse e a participação, a capacidade de desenvolver trabalho em grupo, a capacidade de explorar, investigar e mobilizar conceitos em diferentes situações, a qualidade do trabalho realizado e a forma como o gere, organiza e autoavalia. A avaliação é contínua, permitindo-se momentos de registo da evolução do aluno para além da apreciação aula a aula e a recuperação, em tempo útil, de qualquer dificuldade. Estão previstos momentos de avaliação sumativa, procedendo-se à realização de provas de carácter prático ou teórico-prático que permitam avaliar a consolidação dos conhecimentos adquiridos e as competências desenvolvidas ao longo do processo de ensino/aprendizagem. Grupo de Informática 1/2

2 Escola EB1/JI Quinta da Alegria Desta forma, utilizar-se-á como instrumentos de avaliação: Observação do desempenho dos alunos; Diálogo estabelecido com os alunos durante a aula; Observação do desenvolvimento da aula; Trabalhos de pesquisa; Trabalhos individuais e/ou grupo; Tecnologias: computador; Fichas de avaliação sumativa e formativa (teóricas, práticas e teórico práticas). Na avaliação serão sempre tidas em conta a progressão e regressão dos alunos, ao longo do módulo, sendo no final do ano atribuída ao aluno uma classificação que traduz o trabalho desenvolvido. Em cada módulo a classificação será calculada do seguinte modo: CONHECIMENTO (O Saber) 30% Testes CAPACIDADES (O Saber Fazer) 40% Trabalhos individuais ou de grupo (30%) Desempenho em sala de aula (10%) ATITUDES (O Saber Estar) 30% Comportamento. Cumprimento das Regras de funcionamento da aula. Participação na aula. Capacidade de organização e Autonomia. A classificação final da disciplina será a média aritmética das classificações obtidas nos módulos. O Coordenador de Disciplina (grupo 550): Paulo Torcato A Coordenadora do Departamento de Matemática e Informática: Elisabete Longo Grupo de Informática 2/2

3 Escola EB1/JI Quinta da Alegria Critérios de Avaliação de Português Curso Vocacional 3º CICLO ANO LETIVO 2014 / 2015 A avaliação tem um carácter sistemático e contínuo e incide sobre todo o trabalho desenvolvido pelo aluno ao longo de cada módulo, no âmbito das seguintes competências: 1. Compreensão de texto escrito / Expressão escrita / Operacionalização da Língua: competências avaliadas em provas ou trabalhos escritos com um peso de 50% na avaliação global. 2. Oralidade - Compreensão oral / Expressão oral: peso de 20% na avaliação global. Muito Insuficiente Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não compreende textos orais. O aluno não se exprime em Língua Portuguesa de forma muito deficiente, utilizando vocabulário muito elementar e inadequado e frases muito mal estruturadas. O aluno revela muitas dificuldades na compreensão de textos orais. O aluno exprime-se em Língua Portuguesa de forma deficiente, utilizando vocabulário muito elementar e pouco adequado e frases mal estruturadas. O aluno revela algumas dificuldades na compreensão de textos orais. O aluno exprime-se em Língua Portuguesa utilizando vocabulário simples e articulando as ideias de forma pouco apropriada. O aluno revela um bom domínio da Língua Portuguesa ao nível da compreensão e expressão orais. Compreende com facilidade textos orais, utiliza vocabulário adequado e estrutura as frases de forma apropriada. O aluno revela um domínio muito bom da Língua Portuguesa ao nível da compreensão e expressão orais. Compreende com muita facilidade textos orais, utilizando vocabulário rico e articulando correcta e fluentemente as frases. 4% 8% 12% 16% 20% 1/2

4 3. Atitudes: peso de 30% na avaliação global. - Empenho nas actividades desenvolvidas na sala de aula - Realização dos trabalhos solicitados (trabalhos de casa ou outros) - Cumprimento das regras estabelecidas - Assiduidade - Pontualidade Muito Aluno muito desinteressado e perturbador, não faz os trabalhos de casa, Insuficiente não participa nas tarefas propostas. 6% Nível intermédio 9% Insuficiente Aluno desinteressado, raramente faz os trabalhos de casa, desenvolve um trabalho muito irregular na sala de aula. 12% Nível intermédio 15% Suficiente Aluno pouco cumpridor e pouco participativo, não faz os trabalhos de casa com regularidade, desenvolve um trabalho pouco regular na sala de 18% aula. Nível intermédio 21% Bom Aluno cumpridor, empenhado e trabalhador, realiza com interesse e regularmente as tarefas propostas tanto na sala de aula como em casa. 24% Nível intermédio 27% Muito Bom Aluno muito cumpridor, empenhado e trabalhador, realiza com muito interesse e dinamismo todas as tarefas propostas, tanto na sala de aula como em casa. 30% Data da aprovação dos Critérios de Avaliação pelo ConselhoPedagógico / / A Coordenadora do Grupo de recrutamento 300: Ana Caramelo O Coordenador do Departamento de Línguas Portuguesa e Estrangeiras: Jaime Gomes 2/2

5 Escola EB1/JI Quinta da Alegria Critérios Específicos de Avaliação Disciplina: Matemática (curso vocacional 3º ciclo) Ano Letivo: 2014/2015 A avaliação da disciplina de Matemática (Curso Vocacional), em cada um dos módulos inscritos no roteiro do curso, incide sobre os seguintes itens: I Qualidade do trabalho desenvolvido: Participação organizada nas tarefas propostas Cooperação e relacionamento com os outros Comportamento Atitudes e Comportamento Autonomia Dossier: Organização e apresentação de todo o material distribuído e produzido. 25% 5% II Avaliações escritas: Trabalho realizado Realização de trabalhos individuais Realização de trabalhos de grupo Apresentação oral de trabalhos Fichas de avaliação 70% Muito Insuficiente de 0 a 5,4 Insuficiente de 5,5 a 9,4 Suficiente de 9,5 a 13,4 Bom de 13,5 a 17,4 Muito Bom de 17,5 a 20 A Coordenadora de Disciplina (grupo 500): Isabel Branco A Coordenadora do Departamento de Matemática e Informática: Elisabete Longo

6 Escola EB1/JI Quinta da Alegria Critérios de Avaliação de Inglês Curso Vocacional 3º CICLO ANO LETIVO 2014 / 2015 A avaliação tem um carácter sistemático e contínuo e incide sobre todo o trabalho desenvolvido pelo aluno ao longo de cada módulo, no âmbito das seguintes competências: 1. Compreensão de texto escrito / Expressão escrita / Operacionalização da Língua Inglesa: competências avaliadas em provas ou trabalhos escritos com um peso de 50% na avaliação global. 2. Oralidade - Compreensão oral / Expressão oral: peso de 20% na avaliação global. Muito Insuficiente Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não compreende textos orais. O aluno não se exprime em Língua Inglesa, utilizando apenas palavras soltas e construindo não-frases. O aluno revela muitas dificuldades na compreensão de textos orais. O aluno exprime-se em Língua Inglesa de forma deficiente, utilizando vocabulário muito elementar e pouco adequado e frases mal estruturadas. O aluno revela algumas dificuldades na compreensão de textos orais. O aluno exprime-se em Língua Inglesa utilizando vocabulário simples e articulando as ideias de forma pouco apropriada. O aluno revela um bom domínio da Língua Inglesa ao nível da compreensão e expressão orais. Compreende com facilidade textos orais, utiliza vocabulário adequado e estrutura as frases de forma apropriada. O aluno revela um domínio muito bom da Língua Inglesa ao nível da compreensão e expressão orais. Compreende com muita facilidade textos orais, utilizando vocabulário rico e articulando correcta e fluentemente as frases. 4% 8% 12% 16% 20% 1/2

7 3. Atitudes: peso de 30% na avaliação global. - Empenho nas actividades desenvolvidas na sala de aula - Realização dos trabalhos solicitados (trabalhos de casa ou outros) - Cumprimento das regras estabelecidas - Assiduidade - Pontualidade Muito Aluno muito desinteressado e perturbador, não faz os trabalhos de casa, Insuficiente não participa nas tarefas propostas. 6% Nível intermédio 9% Insuficiente Aluno desinteressado, raramente faz os trabalhos de casa, desenvolve um trabalho muito irregular na sala de aula. 12% Nível intermédio 15% Suficiente Aluno pouco cumpridor e pouco participativo, não faz os trabalhos de casa com regularidade, desenvolve um trabalho pouco regular na sala de 18% aula. Nível intermédio 21% Bom Aluno cumpridor, empenhado e trabalhador, realiza com interesse e regularmente as tarefas propostas tanto na sala de aula como em casa. 24% Nível intermédio 27% Muito Bom Aluno muito cumpridor, empenhado e trabalhador, realiza com muito interesse e dinamismo todas as tarefas propostas, tanto na sala de aula como em casa. 30% A Coordenadora do Grupo de recrutamento 330: Paula Andrade O Coordenador do Departamento de Línguas: António Jaime Gomes 2/2

8 Escola EB1/JI Quinta da Alegria IMAGEM E COMUNICAÇÃO - CURSO VOCACIONAL 2 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Progressão na aquisição de competências Empenho e disponibilidade para o trabalho interesse e esforço que se coloca no cumprimento das tarefas. Autonomia capacidade de um aluno sozinho desempenhar satisfatoriamente uma tarefa demonstrando iniciativa. Civismo cumprimento de regras definidas no regulamento interno. Inclui-se neste item a avaliação da Assiduidade e Pontualidade Competências reveladas: - Trabalhos práticos realizados em cada um dos Módulos 30% 70% Aferição de níveis no final de período 0 4,4 4,5 9,4 9,5 13,4 13,5 17,4 17,5 20 A atribuir excecionalmente, a alunos que não se empenhem minimamente nas tarefas propostas, que revelem um comportamento completamente desajustado relativamente às atitudes previamente definidas e que não tenham adquirido novos conhecimentos. A atribuir a alunos com fraco empenho nas tarefas propostas, que revelem um comportamento pouco ajustado relativamente às atitudes previamente definidas e que tenham adquirido conhecimentos insuficientes. A atribuir a alunos que manifestem empenho nas tarefas propostas, que revelem um comportamento ajustado relativamente às atitudes previamente definidas e que tenham adquirido pelo menos os conhecimentos essenciais. A atribuir a alunos que demonstrem grande empenho nas tarefas propostas, que revelem um comportamento ajustado relativamente às atitudes previamente definidas e que tenham adquirido bons conhecimentos. A atribuir a alunos que revelem um empenho excecional nas tarefas propostas, que revelem um comportamento ajustado relativamente às atitudes previamente definidas e que tenham adquirido um nível excelente de conhecimentos. Nomenclatura para a classificação de fichas e trabalhos práticos 0 4,4 Muito Insuficiente Nível 1 4,5 9,4 Insuficiente Nível 2 9,5 13,4 Suficiente Nível 3 13,5 17,4 Bom Nível 4 17,5 20 Muito Bom Nível 5 1

9 Escola SecundáriaPortela Escola EB1/JI Quinta da Alegria CONTEÚDOS ESPECÍFICOS - PROJETO VOCACIONAL - DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA (3º CICLO DO ENSINO BÁSICO) 2014/2015 Coordenadora do Departamento de CHS Dra. Cristina Ventura Docente da disciplina de História João Cardoso

10 Escola EB1/JI Quinta da Alegria Horas Mês Módulos Conceitos a trabalhar Conteúdos 6 SETEMBRO 8 OUTUBRO NOVEMBRO 10 4 DEZEMBRO 1.Da Humanização à Civilização 1.Da Humanização à Civilização. 2. Das primeiras civilizações urbanas aos impérios. 3. A formação do Reino de Portugal, no contexto da Reconquista Cristã. Hominização Pintura rupestre Pólis Da evolução do homem às conquistas por ele realizadas; Civilização Os grandes rios e a formação das civilizações; Viver na pólis Império Lei Os Impérios grego e romano Religião Idade Média Feudalismo Cristianismo A formação dos reinos europeus; A formação do Reino de Portugal. 8 JANEIRO 3. A formação do Reino de Portugal, no contexto da Reconquista Cristã. Islamismo Reconquista Cristã Reinados A vida quotidiana na Idade Média; As estruturas sociais medievais. 6 FEVEREIRO 4. A Expansão Marítima Portuguesa. Descobrimentos Colonialismo A passagem à Idade Moderna. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI 8 MARÇO 5. Movimentos culturais em favor do Homem. Renascimento Reforma/ Contra reforma Iluminismo Reforma/ Contra reforma Antigo Regime e Liberalismo O Mundo no limiar do século XX 6 ABRIL 5. Movimentos culturais em favor do Homem. Revolução Industrial Liberalismo Técnica Ciência O Mundo no limiar do século XX 8 MAIO 10 JUNHO 6. As Guerras Mundiais Guerras Mundiais Direitos Humanos 7.Das ditaduras à Democracia Ditadura Estado Novo Democracia O Mundo no limiar do século XX Da Grande Depressão à 2ª Guerra Mundial A Declaração Univesal dos Direitos Humanos Do segundo pós-guerra ao 25 de Abril português Do segundo pós-guerra ao 25 de Abril português

11 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Finalidades da disciplina de História - Refletir a relação passado/presente como orientadora da construção histórica que animará o nosso quotidiano, bem como o nosso futuro; - Descobrir a complexidade das civilizações históricas estudadas, observando nelas a importância e o valor da diferença, da pluralidade e da alternância; - Valorizar o sentido da mudança histórica, enquanto princípio animador do novo do inesperado e da descoberta científica e humana. - Organizar a elaboração de conceitos, a partir de referências culturais, políticas e económicas que foram animando o tempo histórico dos nossos antepassados. - Orientar os alunos para a construção de um sistema de valores assentes no respeito pelo espaço, pelo tempo, mas sobretudo pelos outros seres humanos; - Valorizar e respeitar o património histórico português no quadro do património mundial. Competências No final do 3º ciclo, o aluno terá de desenvolver competências gerais que se articulam com as competências específicas da História: 1. Tratamento de informação/ Utilização de fontes. 2. Compreensão e interpretação histórica, temporalidade, espacialidade e contextualização. 3. Comunicação em História. Instrumentos de avaliação Constituem-se como instrumentos de avaliação: grelhas de registo de intervenções orais e escritas dos alunos durante as aulas, trabalhos individuais ou de grupo, trabalhos de casa, testes e fichas escritas, relatórios, portefólios de evidências de aprendizagem individual, trabalhos práticos, questionários diversos, entre outros que sejam definidos pelos departamentos curriculares. 1. Observação de atitudes e comportamentos % - Postura na sala de aula e cumprimento do regulamento - Método e regularidade no trabalho, esforço e empenho demonstrados - Autonomia 2. Avaliação formativa e sumativa.30% - Testes - Trabalho realizado na aula, individualmente ou em grupo - Exposições orais de trabalhos - Qualidade das intervenções na aula (pertinência, criatividade, intervenções críticas) - Realização de fichas e relatórios

12 Escola EB1/JI Quinta da Alegria DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GEOGRAFIA 3º CURSO VOCACIONAL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Finalidades da disciplina: Construção de uma visão global e organizada de uma sociedade complexa, plural e em permanente mudança. Enquadrar o aluno na construção dos referenciais fundamentais em que assenta a tomada de consciência do espaço para que possa compreender criticamente a realidade em que vive e participar conscientemente na vida da comunidade. Desenvolver no aluno a capacidade de aprender: - a adquirir os métodos e técnicas próprias da Geografia; - a integrar os seus conhecimentos num sistema coerente; - a adquirir técnicas de comunicação e de expressão. Competências: Instrumentos de avaliação Peso dos instrumentos de avaliação - No final de cada módulo, o aluno deve: - Utilizar noções específicas da disciplina. - Aplicar procedimentos básicos da metodologia da disciplina. - Integrar e valorizar elementos do património geográfico. - Manifestar respeito por outros povos e outras culturas. Terá de desenvolver competências gerais que se articulam com as competências específicas da Geografia: 1- Tratamento da informação e/ou utilização de fontes variadas. 2- Compreensão geográfica. 3- Espacialidade geográfica e contextualização no tempo. 4- Comunicação em Geografia. - Testes sumativos /trabalhos práticos individuais. Trabalhos de pesquisa/investigação (individuais ou em grupo): - Realizados na aula; - Apresentação/debate dos trabalhos perante a turma. Participação do aluno no trabalho: - Realização das tarefas/atividades propostas (ex. fichas de trabalho). - Realização dos trabalhos de casa. - Realização de relatórios de visitas de estudo ou de outras atividades de complemento curricular. Participação na sala de aula 30% 40% * Atitudes e comportamento: - Interesse; - Postura na sala de aula; - Autonomia. 30% 1

13 * De acordo com a especificidade do trabalho desenvolvido na turma, em cada módulo, a totalidade da percentagem prevista para este domínio poderá incidir apenas num dos itens. A avaliação obtida em cada um dos módulos contribui, com igual peso, para a classificação final do aluno tendo em conta o nível e continuidade da progressão das aprendizagens. Material Necessário ao Normal Funcionamento das Aulas - Caderno/Dossier organizado com todos os documentos entregues na aula. - Material de escrita (esferográfica, lápis, borracha). Nota: pontualmente, dependendo do tipo de trabalho a realizar serão necessários outros materiais, como por exemplo, Lápis de cor, régua pequena (15 ou 20 cm), calculadora simples, papel milimétrico, papel vegetal (tipo arquiteto ), cartolinas ou marcadores de ponta fina. A avaliação é contínua, atendendo-se à situação particular de cada aluno e à progressão na aprendizagem consistentemente positiva ou negativa ao longo do módulo, ponderados os resultados obtidos nos testes/trabalhos de pesquisa e nos itens sujeitos a observação em sala de aula em cada período. Grupo disciplinar 420 Geografia Ano letivo 2014/ 2015 A Coordenadora de Departamento / Cristina Ventura O Coordenador de Disciplina / Armindo Bule Setembro

14 Curso Vocacional 2 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA Nível de desempenho Para o aluno se enquadrar dentro de um nível deverá cumprir todos os pressupostos JDC GIN ATLETISMO AEN DAN RAQ/PAT AF/CS Nível Elementar de Voleibol ou Andebol ou Futebol ou Basquetebol O nível Elementar da Ginástica de Solo ou o nível elementar da Ginástica Acrobática O nível elementar de Atletismo O nível elementar de uma das matérias Uma dança do nível Elementar das Danças Sociais ou das Tradicionais Portuguesas O nível elementar de Patinagem ou Raquetas A média dos testes e trabalhos situa-se entre 16,5 e 20 valores Nível O nível Introdução de outro jogo que não o seleccionado no módulo anterior O nível Introdução da Ginástica Acrobática e o nível de Introdução de outro aparelho da Ginástica Aparelhos Parte do nível elementar de Atletismo O nível Introdução de uma matéria não selecionadas no módulo anterior, das Actividades de Exploração da Natureza Outra dança do nível Introdução das Danças Sociais ou das Tradicionais Portuguesas O nível Introdução de outra matéria não seleccionada no módulo anterior A média dos testes e trabalhos situa-se entre 12,5 e 16 valores O nível Introdução de Voleibol ou Andebol ou Futebol ou Basquetebol O nível Introdução da Ginástica de Solo e o nível Introdução de um aparelho da Ginástica de Aparelhos O nível Introdução do Atletismo O nível Introdução de uma matéria das Actividades de Exploração da Natureza Uma dança do nível Introdução das Danças Sociais ou das Tradicionais Portuguesas O nível Introdução de um Desporto de Raquetas ou da Patinagem A média dos testes e trabalhos situa-se entre 8,5 e 12 valores Parte de nível introdução de Voleibol ou Andebol ou Futebol ou Basquetebol O nível introdução de ginástica de solo Parte de nível introdução de Atletismo Parte de nível introdução de uma das matérias Parte de nível introdução de uma dança social ou tradicional Parte de nível introdução de um dos desportos A média dos testes e trabalhos situa-se entre 4 e 8 valores 5-9 Não cumpre o nível acima Não cumpre o nível acima Não cumpre o nível acima Não cumpre o nível acima Não cumpre o nível acima Não cumpre o nível acima Não cumpre o nível acima 0-4

15 Elenco Modular Módulos Áreas 1 Jogos Desportivos Colectivos 2 Ginástica 3 Atletismo 4 Raquetas/ Patinagem 5 Actividades de Exploração da Natureza 6 Dança 7 Actividade Física/Contextos e saúde

16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola EB1/JI Quinta da Alegria DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS e CIÊNCIAS DA NATURAIS CURSO VOCACIONAL 2 (3º CICLO) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ATITUDES E COMPORTAMENTO - 30 % Neste parâmetro são considerados os seguintes domínios de avaliação: Postura 10% Interesse 10% Responsabilidade 10% CONHECIMENTOS 70 % Neste parâmetro serão realizadas e avaliadas algumas das seguintes atividades: Trabalho escritos (fichas de trabalho, relatório, testes) Trabalhos de pesquisa Atividades práticas e experimentais Participação na aula Outros trabalhos realizados A cada trabalho será atribuída uma classificação (de 0 a 20 valores); A classificação dos conhecimentos referentes a cada módulo será a média aritmética das classificações atribuídas a cada um dos trabalhos realizados. A classificação final atribuída em cada módulo será igual a classificação final = 0,3 * classificação (Atitudes e Comportamento) + 0,7 * classificação (Conhecimentos) 1

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE APOIO À GESTÃO DESPORTIVA

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE APOIO À GESTÃO DESPORTIVA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE APOIO À GESTÃO DESPORTIVA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Educação Física avaliação de cada módulo Ano Letivo: 2013/2014 Respeitando as orientações metodológicas relativas à avaliação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português. Ensino Secundário Curso Profissional. Ano letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português. Ensino Secundário Curso Profissional. Ano letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola Secundária da Portela Escola EB 2,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela Critérios de Avaliação

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação Ano letivo 2013/2014 Critérios de Avaliação 2013/2014 Introdução As principais orientações normativas relativas à avaliação na educação pré-escolar estão consagradas no Despacho

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português Ensino Secundário Cursos Científico-Humanísticos

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Critérios de Avaliação de Português Ensino Secundário Cursos Científico-Humanísticos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola Secundária da Portela Escola EB,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela Critérios de Avaliação

Leia mais

Departamento de Educação Física Ano Letivo 2013/14

Departamento de Educação Física Ano Letivo 2013/14 Departamento de Educação Física Ano Letivo 2013/14 AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA No que se refere à componente de formação sócio-cultural, disciplina de Educação Física, a avaliação decorre dos objectivos

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de escolas de Santa Maria dos Olivais Escola Secundária António Damásio Escola Básica 2-3 dos Olivais GRUPO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 620 EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3.º Ciclo e Ensino

Leia mais

Carga Formação Total de. Carga. horária Semanal. Tempos letivos

Carga Formação Total de. Carga. horária Semanal. Tempos letivos GERAL CURSOS VOCACIONAIS DO ENSINO BÁSICO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 1. Matriz Curricular dos Cursos (Educação Física) 1º ano 2º ano Componentes de Carga Carga Formação Total

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação Disciplinas: Educação Física (2º ciclo, 3º ciclo e Secundário)

Critérios Específicos de Avaliação Disciplinas: Educação Física (2º ciclo, 3º ciclo e Secundário) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola Secundária da Portela Escola EB 2,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela Critérios Específicos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul. Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul. Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul Escola sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 1. Enquadramento legal da avaliação - Decreto-Lei 138/2012,

Leia mais

Cursos Científico-Humanísticos. Curso de Línguas e Humanidades Disciplina de Formação Específica - Literatura Portuguesa. Ano Letivo 2012-2013

Cursos Científico-Humanísticos. Curso de Línguas e Humanidades Disciplina de Formação Específica - Literatura Portuguesa. Ano Letivo 2012-2013 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE Escola Secundária da Portela Escola EB 2,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015 Página 2 1.º Ciclo.. 05 2.º Ciclo. 09 Língua Portuguesa. Língua Inglesa.. História e Geografia de Portugal 23 Matemática... 24 Ciências da Natureza.. 25 Educação Musical...

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 I INTRODUÇÃO De acordo com a legislação em vigor, a avaliação é um elemento integrante e regulador de todo o processo de ensino aprendizagem. A avaliação visa promover

Leia mais

Escola E.B. 2/3 dos Olivais

Escola E.B. 2/3 dos Olivais Escola E.B. 2/3 dos Olivais Esta planificação foi concebida como um instrumento necessário. Os objectivos da Educação Física no ensino básico bem como os princípios de organização das actividades nas aulas,

Leia mais

GRUPO DISCIPLINAR DE INGLÊS - 330. Critérios de Avaliação. Ano letivo 2015/2016

GRUPO DISCIPLINAR DE INGLÊS - 330. Critérios de Avaliação. Ano letivo 2015/2016 GRUPO DISCIPLINAR DE INGLÊS - 330 Critérios de Avaliação Ano letivo 2015/2016 Em conformidade com os programas e respectivas orientações e processos de operacionalização da disciplina de Inglês procurou-se

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 150253 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BRAGA OESTE Sede: 343640 Escola dos 2.º e 3.º Ciclos de Cabreiros DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Ano lectivo 2015-2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO No primeiro

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico AGRUPAMENTO de ESCOLAS JOSÉ CARDOSO PIRES CÓDIGO 170719 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico PARÂMETROS GERAIS 1. MODALIDADES DA AVALIAÇÃO 1.1 Avaliação diagnóstica 1.2 Avaliação formativa 1.3 Avaliação

Leia mais

Escola Evaristo Nogueira

Escola Evaristo Nogueira Escola Evaristo Nogueira Grupo Disciplinar de Educação Física Ano Lectivo 2014 / 2015 Critérios de Avaliação Os critérios de avaliação constituem referenciais dos professores que lecionam as disciplinas

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

2014 / 2015. Agrupamento de Escolas de Pegões, Canha e Santo Isidro

2014 / 2015. Agrupamento de Escolas de Pegões, Canha e Santo Isidro 2014 / 2015 O projecto Metas de Aprendizagem insere-se na Estratégia Global de Desenvolvimento do Currículo Nacional que visa assegurar uma educação de qualidade e melhores resultados escolares nos diferentes

Leia mais

DGEstE - Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares DSRAl - Direção de Serviços da Região Algarve AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ENGº DUARTE PACHECO

DGEstE - Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares DSRAl - Direção de Serviços da Região Algarve AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ENGº DUARTE PACHECO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação incide sobre as aprendizagens e competências definidas no currículo nacional para as diversas áreas e disciplinas de cada ciclo, expressas no projecto curricular de escola

Leia mais

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA)

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO (10º, 11º e 12º anos) ENSINO SECUNDÁRIO ATITUDES E VALORES Assiduidade e Pontualidade 3% Fichas de registo de observação Responsabilidade e

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 3º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

Critérios de Avaliação. 1º Ciclo

Critérios de Avaliação. 1º Ciclo Critérios de Avaliação 1º Ciclo 2015/2016 Critérios de Avaliação do 1º ciclo Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver pelos alunos de cada ciclo de ensino têm como referência os conteúdos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALANDROAL Ano letivo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento Curricular de Matemática e Ciências Experimentais Área /Disciplina de Ciências Experimentais 2º e 3º Ciclo Indicadores/Parâmetros

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES PÓVOA DE VARZIM Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ANO LETIVO 2014/15 Rua José Régio 4490-648 Póvoa de Varzim CRITÉRIOS

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Casal do Cano 2630 Arruda dos Vinhos Tel. 263977390 Fax: 263977391 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ÁREA A - MOTOR ÁREA B COND. FÍSICA DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA ÁREA C - COGNITIVO

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 1. INTRODUÇÃO: Na lógica do Decreto-Lei 6/2001, de 18 de janeiro, a avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar

Leia mais

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS Curso de Ciências e Tecnologias Critérios de avaliação 2013/2014

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS Curso de Ciências e Tecnologias Critérios de avaliação 2013/2014 CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS Curso de Ciências e Tecnologias Critérios de avaliação 2013/2014 Disciplinas: Biologia e Geologia - 10º ano Biologia e Geologia - 11º ano Biologia 12º ano A atividade de

Leia mais

7. AVALIAÇÃO. 5º ao 9ºano Áreas Parâmetros % Aptidão Física 10% Conhecimentos

7. AVALIAÇÃO. 5º ao 9ºano Áreas Parâmetros % Aptidão Física 10% Conhecimentos 7. AVALIAÇÃO A avaliação incide sobre as aprendizagens e competências definidas no currículo nacional para as diversas áreas e disciplinas de cada ciclo, expressas no projecto curricular de escola e no

Leia mais

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Os critérios definidos pelas docentes da disciplina de História

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação Área de Formação Pessoal e social Revelar autonomia na higiene e alimentação. Demonstrar controlo de emoções, reações e atitudes.

Leia mais

Critérios de Avaliação de Educação Física. Agrupamento de Escola de Caneças

Critérios de Avaliação de Educação Física. Agrupamento de Escola de Caneças Critérios de Avaliação de Educação Física Agrupamento de Escola de Caneças 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO A avaliação dos alunos do 2º ciclo do ensino básico na disciplina de

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO

INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO 1. INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO Ano Letivo 2014-2015 O presente documento visa divulgar as caraterísticas da prova final do 3.º ciclo do ensino básico da disciplina de História,

Leia mais

Avaliação da Aprendizagem

Avaliação da Aprendizagem Avaliação da Aprendizagem A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades desenvolvidas pelo aluno. A avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO (401640) Ano Letivo 2011-2012 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3º CICLO Índice Introdução... 3 Língua Portuguesa... 3 Inglês I... 3 Francês II... 3 Espanhol... 3 Matemática...

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Ensino Secundário 10º ano Cursos Científico Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 Critérios Gerais de Avaliação O presente documento pretende materializar a execução dos princípios orientadores da avaliação

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013 Critérios de avaliação 0 MATRIZ CURRICULAR DO 1º CICLO COMPONENTES DO CURRÍCULO Áreas curriculares disciplinares de frequência obrigatória: Língua Portuguesa;

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador 1. ENQUADRAMENTO LEGAL Compete ao conselho pedagógico, enquanto órgão de gestão pedagógica da escola, definir, anualmente, os critérios gerais de avaliação e

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS Conhecimentos e Competências Saber, Saber Fazer Atitudes e Comportamentos Saber Estar 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico Ano Letivo 2013/2014 Os professores dos grupos disciplinares de línguas estrangeiras

Leia mais

Escola Secundária António Damásio

Escola Secundária António Damásio Escola Secundária António Damásio Critérios de Avaliação 3º Ciclo e Secundário Ano Letivo 2011-2012 Grupo de Recrutamento 620 Educação Física INTRODUÇÃO A avaliação é um processo contínuo e sistemático

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Escola Secundária de Cantanhede 2013-2014 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Critérios de Avaliação 1 Critérios de Avaliação ESC 2013-2014 LÍNGUAS 300 CURSO Profissionais DISCIPLINA

Leia mais

Instituto dos Pupilos do Exército

Instituto dos Pupilos do Exército Instituto dos Pupilos do Exército Critérios de Avaliação 015-016 Página 1 de 5 1. Introdução A aplicação de critérios de avaliação pretende refletir o resultado da apreciação clara, coerente e objetiva

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA EDUCAÇÃO FÍSICA _7º ANO_A Ano Letivo: 0/03. Introdução A Educação Física, enquanto área curricular estabelece um quadro de relações com as que com ela partilham

Leia mais

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR PRINCÍPIOS Caráter holístico e contextualizado do processo de desenvolvimento e aprendizagem da criança; Coerência entre os processos de avaliação e os princípios subjacentes

Leia mais

Planificação do trabalho a desenvolver com a turma do Curso Profissional de Gestão Desportiva

Planificação do trabalho a desenvolver com a turma do Curso Profissional de Gestão Desportiva Planificação do trabalho a desenvolver com a turma do Curso Profissional de Gestão Desportiva DISCIPLINA: INGLÊS Módulo 4: Os Media e a Comunicação Global: A evolução dos media; A Internet e a Comunicação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO (401640) Ano Letivo 2011-2012 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS E CURSO TECNOLÓGICO Índice Introdução... 3 Português...

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos PORTUGUÊS 2 2 2 1 Oralidade Leitura Escrita Funcionamento da Língua LITERATURA PORTUGUESA 90% Domínio do Conhecimento 3 3 Leitura Escrita Oralidade

Leia mais

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Avaliação do impacto das atividades desenvolvidas nos resultados escolares de 2014/2015 Plano estratégico para 2015/2016 (Conforme

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 151427 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 7 PLANO DE ESTUDOS DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER 0/0 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SOPHIA DE MELLO BREYNER - Código 7 ÍNDICE - Introdução...

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I BEJA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I BEJA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA 7º Ano actividades - mas apenas de algumas modalidades). EDUCAÇÃO FÍSICA 8º Ano actividades - mas apenas de algumas modalidades). EDUCAÇÃO FÍSICA 9º Ano actividades - mas apenas de algumas

Leia mais

I - CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

I - CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO I - CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Componentes a Avaliar 1. Domínio Psicomotor 2. Domínio Cognitivo 3. Domínio Sócio-Afetivo 1- REGIME GERAL DE FREQUÊNCIA Alíneas % % % Execução e aplicação dos

Leia mais

Áreas Específicas CEF Secundário 3º Ciclo e Cursos Profissionais. Atividades Físicas e Desportivas 50% 60% 50% Conhecimentos 10% 20% 20%

Áreas Específicas CEF Secundário 3º Ciclo e Cursos Profissionais. Atividades Físicas e Desportivas 50% 60% 50% Conhecimentos 10% 20% 20% Critérios de Avaliação Educação Física e 1. Ponderação da Avaliação A avaliação em Educação Física é composta por três Áreas Especificas. Áreas Específicas CEF e Cursos Profissionais Atividades Físicas

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras Inglês

Leia mais

Critérios de Avaliação Educação. Grupo Disciplinar de Educação Física 2014/2015

Critérios de Avaliação Educação. Grupo Disciplinar de Educação Física 2014/2015 Critérios de Avaliação Educação Física Cursos Regulares Grupo Disciplinar de Educação Física 2014/2015 1. Introdução Na procura da qualidade, torna-se evidente o papel essencial desempenhado pelas estruturas

Leia mais

Planificação Curricular Pré-escolar

Planificação Curricular Pré-escolar PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ciclo/ Área/ Disciplina: Pré-escolar Ano Letivo 2012/2013 Área de Formação pessoal e Social Esboço Curricular para a Educação de Infância (segundo as Orientações Curriculares

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS Grupo de Recrutamento de Biologia e Geologia

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS Grupo de Recrutamento de Biologia e Geologia Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS Grupo de Recrutamento de Biologia e Geologia CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS- 3ºCICLO - DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA Critérios de Avaliação Matemática A 10º Ano Matemática Ano Letivo 2014/2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA Critérios de Avaliação Matemática A 10º Ano Matemática Ano Letivo 2014/2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA Critérios de Avaliação Matemática A 10º Ano Matemática Ano Letivo 2014/2015 A avaliação deve reflectir a Matemática que todos os alunos devem saber e ser capazes de

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS INGLÊS ESPANHOL FRANCÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO

Leia mais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Ano letivo 2012/2013. Critérios de Avaliação do 1º CEB

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Ano letivo 2012/2013. Critérios de Avaliação do 1º CEB Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Ano letivo 2012/2013 Critérios de Avaliação do 1º CEB 1- Introdução Tal como o disposto no nº 1 do art. 23º do Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, a avaliação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 2º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 2º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO Critérios de Avaliação 2º Ano Atitudes e Valores Conhecimentos e Capacidades Disciplina: PORTUGUÊS Domínio Parâmetros de Avaliação Instrumentos de

Leia mais

Grupo Disciplinar. de Filosofia. Relatório de análise dos resultados da Avaliação Interna e Externa à disciplina. Ano letivo de 2012/2013

Grupo Disciplinar. de Filosofia. Relatório de análise dos resultados da Avaliação Interna e Externa à disciplina. Ano letivo de 2012/2013 Grupo Disciplinar de Filosofia Relatório de análise dos resultados da Avaliação Interna e Externa à disciplina de Filosofia Ano letivo de 2012/2013 A Coordenadora de Grupo Disciplinar: Maria João Pires

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS VALOR AVALIAÇÃO 1. Durante o período de aprendizagem o aluno deverá

Leia mais

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares

Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Agrupamento de escolas de Vila Nova de Poiares Departamento da Educação Pré Escolar Avaliação na educação pré-escolar -Competências -Critérios gerais de avaliação Ano letivo 2013-2014 1 INTRODUÇÃO Para

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FRANCISCO DE HOLANDA. Regulamento geral de avaliação dos alunos

ESCOLA SECUNDÁRIA FRANCISCO DE HOLANDA. Regulamento geral de avaliação dos alunos ESCOLA SECUNDÁRIA FRANCISCO DE HOLANDA Regulamento geral de avaliação dos alunos Outubro / 2014 Índice I PRINCÍPIOS... 3 II - CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO... 4 III- IMPLEMENTAÇÃO... 4 IV - COMPETÊNCIAS A AVALIAR

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS Cód. 161007 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MEALHADA DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO Ano lectivo 2010-2011 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS A avaliação das crianças e dos alunos (de diagnóstico,

Leia mais

Critérios de avaliação 2015-2016

Critérios de avaliação 2015-2016 Agrupamento de Escolas de Amareleja 3.º ciclo Critérios de avaliação 2015-2016 Nomenclatura Co dos instrumentos de avaliação Classificação Nomenclatura 0% a 19% Fraco 20% a 49% Insuficiente 50% a 69 %

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS Grupo de Recrutamento de Biologia-Geologia

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS Grupo de Recrutamento de Biologia-Geologia Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS Grupo de Recrutamento de Biologia-Geologia CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ALUNOS- 3ºCICLO - DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

AVALIAÇÃO EFECTUADA PELO COORDENADOR DE DEPARTAMENTO. A - Preparação e organização das actividades N A

AVALIAÇÃO EFECTUADA PELO COORDENADOR DE DEPARTAMENTO. A - Preparação e organização das actividades N A AVALIAÇÃO EFECTUADA PELO COORDENADOR DE DEPARTAMENTO Nome do Docente: Período de Avaliação:200 / 2009 Grupo de Recrutamento: Departamento: A - Preparação e organização das actividades N A A.1 Correcção

Leia mais

Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico

Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico Português COMPETÊNCIAS NO DOMÍNIO COGNITIVO/MOTOR > 90% INSTRUMENTOS PESO Compreende criticamente discursos orais em diferentes variedades do Compreensão/expressão

Leia mais

Critérios de Avaliação Educação Física

Critérios de Avaliação Educação Física M. E. - GEPE Critérios de Avaliação Educação Física Grupo Disciplinar de Educação Física 2015/2016 1. Introdução Na procura da qualidade, torna-se evidente o papel essencial desempenhado pelas estruturas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de Línguas Grupos: 220; 300; 320; 330; 350 ESCOLA BÁSICA DO 2º CICLO DE PINHEL Critérios de Avaliação de Língua Portuguesa- 2º Ciclo O R A L I D A D E Componente Cognitiva

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

Aplicações Informáticas B

Aplicações Informáticas B Prova de Exame Nacional de Aplicações Informáticas B Prova 703 2008 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspecção-Geral

Leia mais

2014/2015. História da Cultura e das Artes ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. Curso Profissional de Técnico de Turismo 2º Ano

2014/2015. História da Cultura e das Artes ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. Curso Profissional de Técnico de Turismo 2º Ano . ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA História da Cultura e das Artes Curso Profissional de Técnico de Turismo 2º Ano Planificação a Médio e Longo Prazo 2014/2015 1 -FINALIDADES DA DISCIPLINA: Preservar e cultural;

Leia mais

Departamento de Matemática e Informática. Grupo de Recrutamento 550 - Informática. Critérios de Avaliação

Departamento de Matemática e Informática. Grupo de Recrutamento 550 - Informática. Critérios de Avaliação Grupo de Recrutamento 550 - Informática Critérios de Avaliação Ano Lectivo 2014/2015 Os critérios de avaliação definidos para as disciplinas de Tecnologias de Informação e Comunicação do 3º ciclo do Ensino

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação DGEstE Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Centro Agrupamento de Escolas Figueira Mar Critérios de Avaliação 1º Ciclo Ano Letivo 14/ Terminologia a utilizar na classificação

Leia mais

Projeto Clube de Inglês - PCA

Projeto Clube de Inglês - PCA Escola Básica do 1º Ciclo com Pré-escolar da Nazaré Projeto Clube de Inglês - PCA Ano letivo 2014-2015 Docente: Ana Neves Índice Págs. Introdução.. 3 Objetivos Gerais... 4 Objetivos Específicos... 5 Proposta

Leia mais

Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente 2012/2013. Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 21.03.2013

Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente 2012/2013. Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 21.03.2013 2012 2013 Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente 2012/2013 Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova 21.03.2013 1. ÂMBITO Dando cumprimento ao disposto no decreto regulamentar nº 26/2012, de 21 de

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas de Sátão 2015-2016 Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos

Leia mais

Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014. Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos

Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014. Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos Domínio das atitudes e valores Domínio Cognitivo Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014 Docente: Graça Silva Turma: 6.º A Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos Domínios de Avaliação Instrumentos

Leia mais

Protocolo de Acordo entre o Ministério da Educação e o Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Secundário

Protocolo de Acordo entre o Ministério da Educação e o Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Secundário Protocolo de Acordo entre o Ministério da Educação e o Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Secundário Secundário reconhecem que a melhoria da educação e da qualificação dos Portugueses constitui

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 Introdução A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa em

Leia mais

Realizam a prova os alunos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º139/2012, de 5 de julho.

Realizam a prova os alunos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º139/2012, de 5 de julho. Prova de equivalência à frequência INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Educação Física maio de 15 PROVA /26 15 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO REGULAMENTO ESPECÍFICO MARÇO DE 2014 ÍNDICE ENQUADRAMENTO NORMATIVO... 1 ÂMBITO E DEFINIÇÃO 1 CONDIÇÕES DE ACESSO 1 OBJETIVOS 1 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER 2 ESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO DE PS 2 AVALIAÇÃO

Leia mais

Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO. Critérios de Avaliação da Disciplina de Educação Física

Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO. Critérios de Avaliação da Disciplina de Educação Física Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Critérios de Avaliação da Disciplina de Educação Física Os alunos são avaliados em todas as atividades desenvolvidas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA ALUNOS COM PRÁTICA REGULAR DOMÍNIO COGNITIVO DOMÍNIO PSICOMOTOR ESCOLA BÁSICA 2 E 3 DE RIO TINTO ANO LETIVO 2015-2016

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA ALUNOS COM PRÁTICA REGULAR DOMÍNIO COGNITIVO DOMÍNIO PSICOMOTOR ESCOLA BÁSICA 2 E 3 DE RIO TINTO ANO LETIVO 2015-2016 Página1 ESCOLA BÁSICA 2 E 3 DE RIO TINTO ANO LETIVO 2015-2016 AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA FINALIDADES DA EDUCAÇÃO FÍSICA Na perspetiva da melhoria da qualidade de vida, da saúde e do bem-estar:

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSO VOCACIONAL 3º CICLO AMGE - Auxiliar de Manutenção e Gestão de Espaços CRITÉRIOS DE Ano Lectivo 2014/15 Coordenador do Curso: José Pedro Moutinho Critérios de Avaliação (14-15) VOCACIONAL C AMGE -

Leia mais

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS. 1 - Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais de Educação Física

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS. 1 - Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais de Educação Física CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS Os Critérios de Avaliação de Educação Física têm como base de referência os seguintes documentos: 1. Decreto-Lei nº 139 de 5 de julho de 2012 2. Currículo Nacional

Leia mais

Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial

Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial Critérios de avaliação dos alunos abrangidos pela Educação Especial ANO LETIVO 2015 / 2016 Departamento de Educação Especial Proposta para o Ano Letivo 2015 / 2016 Avaliação dos alunos com NEE de carácter

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA ESCOLA EB 2,3/ES DE S. SEBASTIÃO CRITÉRIOS GERAIS de AVALIAÇÃO do DEPARTAMENTO de LÍNGUAS LÍNGUA ESTRANGEIRA INGLÊS / FRANCÊS I. 2º Ciclo Inglês Biénio 2015/2017 Domínios

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM ARAÚJO MATRIZ DOS EXAMES DE HISTÓRIA CURSOS VOCACIONAIS DE DESIGN DE MODA e HORTOFLORICULTURA E JARDINAGEM

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM ARAÚJO MATRIZ DOS EXAMES DE HISTÓRIA CURSOS VOCACIONAIS DE DESIGN DE MODA e HORTOFLORICULTURA E JARDINAGEM AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM ARAÚJO MATRIZ DOS EXAMES DE HISTÓRIA CURSOS VOCACIONAIS DE DESIGN DE MODA e HORTOFLORICULTURA E JARDINAGEM Duração da Prova: 45 minutos (cada módulo) Módulos Categorias/Conteúdos

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EDUCAÇÃO FÍSICA AVALIAÇÃO CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO (TIPO 2)

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EDUCAÇÃO FÍSICA AVALIAÇÃO CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO (TIPO 2) DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO (TIPO 2) ENQUADRAMENTO Os programas de Educação Física não se estruturam segundo o fraccionamento de domínios/áreas da personalidade,

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo - 60% Domínio Sócio afectivo- 40% Oralidade (Compreensão do Oral e Expressão Oral) - 5%

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo - 60% Domínio Sócio afectivo- 40% Oralidade (Compreensão do Oral e Expressão Oral) - 5% Domínio Cognitivo - Domínio Sócio afectivo- Componente geral Português Oralidade (Compreensão do Oral e Expressão Oral) - 5% Testes de (30%) Gramática - 5% Leitura e Escrita - 20% Organização do material

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos PORTUGUÊS 10º ano 2015-16 5% Oralidade e Educação Literária Leitura e Educação Literária Escrita e Educação Literária Educação Literária Gramática

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO Competências de comunicação Pesos Instrumentos Parâmetros

Leia mais

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma*

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Glória Macedo, PQND do 4º Grupo do 2º Ciclo do EB e Formadora do CFAE Calvet de Magalhães, Lisboa A Reorganização Curricular do Ensino Básico

Leia mais

CIRCULAR. Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar

CIRCULAR. Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar CIRCULAR Data: 11/04/2011 Circular nº.: 4 /DGIDC/DSDC/2011 Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar Para: Inspecção-Geral de Educação Direcções Regionais de Educação Secretaria Regional Ed. da Madeira

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Critérios de Avaliação, 1º Ciclo - Ano Letivo 2014-15 Página 1 de 10 1. Domínios de avaliação: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º

Leia mais