Traços fonológicos na perda da marca morfológica de plural no português

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Traços fonológicos na perda da marca morfológica de plural no português"

Transcrição

1 Traços fonológicos na perda da marca morfológica de plural no português brasileiro 6-1 Thaïs Cristófaro-Silva (UFMG-KCL) Christine Guedri (UFMG-UT) Leonardo Almeida (UFMG) Um dos traços que se observa no português brasileiro é a perda da marca de plural (Naro & Scherre (1997),(23)). No caso dos nominais observa-se que a marca morfológica de plural é preservada num referente - que é tipicamente um artigo definido ou indefinido e os substantivos e adjetivos que seguem o artigo não possuem marca de plural: ''os meninos bonitos'' e ''os menino bonito'' ou ''uns dias chuvosos'' e ''uns dia chuvoso''. A perda da marca de plural ocorre em susbtantivos e adjetivos cujo plural é regular e formado pela adição do morfema (-s) como em ''os meninos bonitos'' e ''os menino bonito'' ou nos plurais irregulares do português: metafonia (''uns dias chuvosos'' e ''uns dia chuvoso''); plural em (ão): ''os leões'' e ''os leão''; ''os irmãos'' e ''os irmão'', ''os capitães'' e ''os capitão''); L-final (''os anéis'' e ''os anel'') e R-final (''as cores'' e ''as cor'') e S-final (''os meses'' e ''os mês''). Este artigo investiga em particular a perda da marca de plural deste último grupo: S-final. Um experimento foi realizado para avaliar este fenômeno com o objetivo de se avaliar o detalhe fonético inerente à perda da marca de plural nestes casos. Mais especificamente a hipótese formulada é de que a perda de material segmental correspondente a marca morfológica de plural deixa traços fonológicos na representação lingüística. Observamos que nos casos em que o plural não ocorrreu (''os mês'') houve o alongamento da vogal tônica da palavra e a fricativa final também é alongada: [me:s:] (em oposição a forma singular [mes]). Medidas acústicas são apresentadas para corroborar a hipótese testada. Finalmente, uma proposta de avaliação dos demais casos de perda de plural nominal irregular é formulada. (1) Abordagem tradicional da natureza das representações lingüísticas: informações redundantes são excluidas das representações. Uma única representação expressa as generalizações. As formas lingüísticas que são de fato atestadas nas línguas surgem através da operacionaldiade de mecanismos lingüíticos (regras ou restrições). Representação única. (2) A sociolingüística incorpora a dimensão social observável nas comunidades de fala à análsie lingüística (Labov (1972, 1994)). Contudo, a idéia de representação única e de mecanismos lingüísticos que propiciam a alteração das representações únicas continua a ser admitidos. (3) Abordagem da Lingüística de Uso quanto a natureza das representações lingüísticas: informações redundantes estão presentes nas representações. As representações lingüísticas são múltiplas e interelacionadas em redes que conectam informações fonológicas, semânticas, morfológicas, etc. (4) A Fonologia de Uso (Bybee (21)) formula que as representações lingüísticas sejam múltiplas e interconectadas. Há grande interação entre so diversos níveis da Gramática. A categorização desempenha um papel crucial na organização do componente lingüístico ao agrupar e separar unidades de processamento. As freqüências de tipo (type) e de ocorrência (token) desempenham papel importante na categorização (Pierrehumbert (21, 23)). As representações múltiplas apresentam gradualidade fonética indicando a natureza gradual das mudanças sonoras. (5) O item léxico é a unidade de mapeamento e processamento (e também unidades lingüísticas independentes). (6) O caráter gradual da representação fonológica pode ser extendido para outros níveis da Gramática? (7) Perda da marca de plural nominal no português brasileiro (Scherre (1987, 1991, 1998, Scherre & Naro, (1995, 23)) a. os meninos bonitos > os menino bonito b. uns dias chuvosos > uns dia chuvoso c. Metafonia: os r[o]stos > os r[o]sto

2 d. ÃO>ões, ãos, ães: os leões and os leão e. L-final: os anéis > os anel f. S-final: os meses > os mes 6-2 Although a number of works looked at plural loss in different varieties of BP from a morphological and syntactic point of view, little has been said about the phonological consequences related to it. (8) Este trabalho avalia a consequencia da perda da marca de plural no continum da fala: fonologia. (9) Níveis de representação: fonética e fonologia. O caráter gradual da representação lingüística. (1) Estudo de casos do tipo (7f): S-final: os meses > os mes a. perda da marca de plural é categórica ou gradual? b. evidência oriunda do sinal acústico (11) Perspectiva teórica: a. Usage-Based Phonology (Bybee, (2), (21) (23)). b. Exemplar Models (Pierrehumbert, (21), (23)). c. Articulatory Phonology (Browman & Goldstein (1992)). d. Fonologia de Laboratório (Ladd, Beckman & Pierrehumbert (2)) (12) Experimento: a. Dados de falantes de Belo Horizonte b. 4 homens e 4 mulheres c. Idade: menos que 25 anos e mais que 4 anos d. Ensino médio concluido ou ensino superior (13) Palavras selecionadas: vogal monossílabo dissílabo i X (xis) nariz e vez chinês E dez vies a gás rapaz o Kôs arroz ç voz Queiróz u luz capuz (14) Fatores estruturais a. Monossílabou-dissílabo b. Tipo da vogal:[a,e,e, i,o,ç,u] c. estilo: elicitação, leitura de lista e leitura de texto. (15) Casos de lenição: ocorre uma (vogal alta+sibilante) como marca de plural [is] OU não ocorre a marca de plural. (16) Análise experimental: propriedades acústicas da palavra, duração da vogal tônica, duração da sibilante. (17) Acoustic analysis carried out with PRAAT. Análise estatística: Matlab.

3 6-3 (18) Os resultados indicam que a perda da marca de plural [-is] propicia a junção de duas fricatives: (mes+is > mezis > mezs). A fricative final tem caracteristicas de vozeamento e de desvozeamento. A vogal primária é mais longa quando há perda da marca de plural. (19) Dificuldade de transcrever tais dados com símbolos do IPA: meses [me:zs ] para o plural e mês [mes] para o singular? (2) Formas com lenição: 336 tokens coletados para formas de plural para três estilos de fala diferentes. (14 palavras para 8 participantes= 112 tokens x 3 estilos de fala). Total de formas com lenição é de 3.5% (11/336) dos casos examinados. (21) Distribuição da lenição em relação ao tipo da vogal: palavras com qualquer vogal do português pode ter lenição da marca de plural Vowel Monosyllable Polysyllable Total /i/ ,1% /e/ ,4% /E/ % /a/ % /ο/ ,% /ç/ ,2% /υ/ ,1% Total (22) Distribuição da lenição em relação ao estilo de fala: Reading a list Elicitation Reading in Context 17/ % 34/ % 49/ % (23) Lenição e freqüência de ocorrência: % de Token % de Lenição frequency Lenição i X(xis) 2,8 nariz 37,5 143 Token frequency e vez 33, chinês 37, E dez 25, vies 37,5 25 a gás 29, rapaz 33, o Kôs 29,2 arroz 2,8 2 ç voz 37, Queiróz 25, u luz capuz 29,2 13

4 % of Lenitição x Frequencia % of Lenição Xis Dez Kos Queiroz Arroz Vies Capuz Nariz Gas Luz Rapaz Chines Voz Vez Frequencia Acredita-se que o conhecimento do cérebro humano a respeito da frequência de ocorrência das palavras se dá de forma logarítmica(ref. Linguística Probabilística). Sendo assim, podemos agrupar a frequência das palavras utilizadas em 4 grupos diferentes: palavras inventadas, palavras com log da frequência < 1, palavras com log de frequência >= 1 e < 8 e palvras com log de frequência > Probabilidade de Lenição X Log da Frequencia.3 Probabilidade de Lenição Invented Log < 1 Log >=1 e <8 Log >= 8 Log da Frequencia (24) Gradualidade inerente as representações: Os resultados deste trabalho sugerem que a perda da marca de plural em palavras terminadas em (s) - como ''mês, luz, etc.'' é foneticamente gradual e deixa marcas ou traços na representação lingüística (sinal acústico): alongamento da vogal tônica e vozeamento parcial na fricativa final. Os símbolos fonéticos disponíveis pelo IPA não são suficientes para caracterizar tais propriedades. A seguir temos 3 espectogramas da palavra Chineses, no primeiro a marca do plural está presente, no segundo ele praticamente desapareceu e no terceiro não é mais possível identificá-la.

5 Frequency (Hz) Time (s) 5 4 Frequency (Hz) Time (s) 5 4 Frequency (Hz) Time (s) (25) Medidas relatives ao alongamento das vogais e das fricatives: T-test prova que a vogal e as fricativas das formas de plural com lenição são mais longas que vogais tônicas e fricativas das formas no singular. H: Plural vowels and fricatives are longer than singular vowels and fricatives Singular(ms) Plural(ms) p-value Vowels,177(,77),189(,6),89 Fricatives.26(.11),258(,99),99 Table - Mean values and Standard Deviation of vowels and fricatives when lenition occurs.

6 6-6 (26) Formas com e sem lenição: Difficult to characterize lenited forms with IPA symbols Segmental loss affects the whole word (in this case expressed in the lengthening of the vowel and the fricative: By bee (21)). Acoustic analysis contributes to a better understanding of gradual implementation of phonological variation and change. (27) Future Research a. Evaluate other plural losses in BP: normal plural : os patos'' and os pato the ducks metaphony: os r[o]stos and os r[o]sto the face ão-alternation: os leões and os leão the lions final-l: os anéis and os anel the rings b. Integration of theories of phonology, morphology and syntax. c. Investigation of the loss of plural markers in other Romance languages such as French and Spanish

Perda da marca de plural no português brasileiro: contribuições da Fonologia

Perda da marca de plural no português brasileiro: contribuições da Fonologia Perda da marca de plural no português brasileiro: contribuições da Fonologia Phonological traces in the loss of a plural marke in Brazilian Portuguese Abstract Thaïs Cristófaro Silva 1 Universidade Federal

Leia mais

Revista da ABRALIN Associação Brasileira de Linguística

Revista da ABRALIN Associação Brasileira de Linguística Revista da ABRALIN ---------- Associação Brasileira de Linguística R454 Revista da Abralin / Associação Brasileira de Linguística. Volume XI, Número 1 (junho de 2012 -. - Natal, RN: UFRN, 2012 ISSN 1678-1805

Leia mais

APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL. Redução/apagamento. Vogal. Dialeto mineiro. Léxico. Variação fonético-fonológica.

APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL. Redução/apagamento. Vogal. Dialeto mineiro. Léxico. Variação fonético-fonológica. APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL Maria do Carmo Viegas UFMG Alan Jardel de Oliveira UFMG RESUMO Nosso objetivo neste texto é o estudo do apagamento da vogal átona em sílaba

Leia mais

APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL

APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL Maria do Carmo VIEGAS UFMG Alan Jardel de OLIVEIRA UFMG RESUMO Nosso objetivo neste texto é o estudo do apagamento da vogal átona em sílaba

Leia mais

APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL. Redução/apagamento. Vogal. Dialeto mineiro. Léxico. Variação fonético-fonológica.

APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL. Redução/apagamento. Vogal. Dialeto mineiro. Léxico. Variação fonético-fonológica. APAGAMENTO DA VOGAL ÁTONA FINAL EM ITAÚNA/MG E ATUAÇÃO LEXICAL Maria do Carmo VIEGAS UFMG Alan Jardel de OLIVEIRA UFMG RESUMO Nosso objetivo neste texto é o estudo do apagamento da vogal átona em sílaba

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Letras Comissão de Pós-Graduação e Pesquisa DO TRATAMENTO FORMAL DA FALA CONECTADA EM FRANCÊS

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Letras Comissão de Pós-Graduação e Pesquisa DO TRATAMENTO FORMAL DA FALA CONECTADA EM FRANCÊS Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Letras Comissão de Pós-Graduação e Pesquisa DO TRATAMENTO FORMAL DA FALA CONECTADA EM FRANCÊS por RICARDO ARAUJO FERREIRA SOARES Tese de Doutorado apresentada

Leia mais

Plano de Ensino da Disciplina

Plano de Ensino da Disciplina Disciplina: Fonética Clínica Código da disciplina: LIN012 Classificação: Obrigatória (OB) Plano de Ensino da Disciplina Unidade/Departamento: Faculdade de Letras Período do Curso: 2º período N.º de créditos:

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Letras Programa de Pós-Graduação em Linguística

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Letras Programa de Pós-Graduação em Linguística Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Letras Programa de Pós-Graduação em Linguística O PLURAL DAS PALAVRAS TERMINADAS EM -ÃO: MUDANÇA OU VARIAÇÃO ESTÁVEL? Miriam Cristina Almeida Severino

Leia mais

Contribuições da fonologia de uso e da teoria dos exemplares para o estudo da monotongação 1

Contribuições da fonologia de uso e da teoria dos exemplares para o estudo da monotongação 1 Contribuições da fonologia de uso e da teoria dos exemplares para o estudo da monotongação 1 Contributions of phonology of use and the exemplar theory to the study of monophthongization Resumo Carine Haupt

Leia mais

A INTERFERÊNCIA DA FREQUÊNCIA EM FENÔMENOS LINGUÍSTICOS

A INTERFERÊNCIA DA FREQUÊNCIA EM FENÔMENOS LINGUÍSTICOS A INTERFERÊNCIA DA FREQUÊNCIA EM FENÔMENOS LINGUÍSTICOS (The interface between frequency and linguistic processes) Ana Paula HUBACK (Columbia University) Resumo: Este artigo discute efeitos de frequência

Leia mais

Fonologia. Sistemas e padrões sonoros na linguagem. Sónia Frota Universidade de Lisboa (FLUL)

Fonologia. Sistemas e padrões sonoros na linguagem. Sónia Frota Universidade de Lisboa (FLUL) Fonologia Sistemas e padrões sonoros na linguagem Sónia Frota Universidade de Lisboa (FLUL) Conteúdos Sistemas e padrões sonoros na linguagem (< propriedades fonéticas), universais e nem tanto Sistemas

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE DURAÇÃO SEGMENTAL E PERCEPÇÃO DE FRICATIVAS SURDAS E SONORAS

RELAÇÃO ENTRE DURAÇÃO SEGMENTAL E PERCEPÇÃO DE FRICATIVAS SURDAS E SONORAS 3378 RELAÇÃO ENTRE DURAÇÃO SEGMENTAL E PERCEPÇÃO DE FRICATIVAS SURDAS E SONORAS Audinéia Silva (UESB/ FAPESB) Vera PACHECO (UESB) 1) CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1) Duração segmental Em algumas línguas, como

Leia mais

Características da duração do ruído das fricativas de uma amostra do Português Brasileiro

Características da duração do ruído das fricativas de uma amostra do Português Brasileiro Estudos da Língua(gem) Características da duração do ruído das fricativas de uma amostra do Português Brasileiro Characteristics of the duration of the fricative noise of a sample of Brazilian Portuguese

Leia mais

A palavra como lócus de análise da variação fonético-fonológica

A palavra como lócus de análise da variação fonético-fonológica LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE A palavra como lócus de análise da variação fonético-fonológica The word as a locus for the analysis

Leia mais

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM

Apresentação 11 Lista de abreviações 13. Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM Sumário Apresentação 11 Lista de abreviações 13 Parte I: NATUREZA, ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA LINGUAGEM O homem, a linguagem e o conhecimento ( 1-6) O processo da comunicação humana ( 7-11) Funções da

Leia mais

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA E EMERGÊNCIA DE PADRÕES MORFOLÓGICOS: UM ESTUDO SOBRE O PLURAL DAS PALAVRAS TERMINADAS EM ÃO NO PB

VARIAÇÃO LINGUÍSTICA E EMERGÊNCIA DE PADRÕES MORFOLÓGICOS: UM ESTUDO SOBRE O PLURAL DAS PALAVRAS TERMINADAS EM ÃO NO PB VARIAÇÃO LINGUÍSTICA E EMERGÊNCIA DE PADRÕES MORFOLÓGICOS: UM ESTUDO SOBRE O PLURAL DAS PALAVRAS TERMINADAS EM ÃO NO PB Miriam Cristina Almeida Severino (UFRJ) 1 cristinasmiriams@yahoo.com.br Christina

Leia mais

Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial

Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial Aula 6 Desenvolvimento da linguagem: percepção categorial Pablo Faria HL422A Linguagem e Pensamento: teoria e prática Módulo 1: Aquisição da Linguagem IEL/UNICAMP 19 de setembro de 2016 SUMÁRIO PRELIMINARES

Leia mais

2. Corpus e metodologia

2. Corpus e metodologia 1. Introdução ACENTO SECUNDÁRIO, ATRIBUIÇÃO TONAL E ÊNFASE EM PORTUGUÊS BRASILEIRO (PB) Flaviane Romani Fernandes-Svartman flaviane@gmail.com (Unicamp) Implementação de acentos secundários (2 ários ) em

Leia mais

Linguagem, Língua, Linguística. Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN)

Linguagem, Língua, Linguística. Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN) Linguagem, Língua, Linguística Apoio Pedagógico: Estudos Linguísticos I Tutor: Frederico Cavalcante (POSLIN) e-mail: fredericoa4@gmail.com Encontro 1 Linguagem Linguagem: a capacidade humana de utilizar

Leia mais

Fonêmica. CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

Fonêmica. CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Fonêmica CRISTÓFARO SILVA, Thaïs. Fonética e fonologia do português: roteiro de estudos e guia de exercícios. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. Prof. Cecília Toledo cissa.valle@hotmail. com 1) Sali 2)

Leia mais

A epêntese no português brasileiro em uma perspectiva multirrepresentacional

A epêntese no português brasileiro em uma perspectiva multirrepresentacional A epêntese no português brasileiro em uma perspectiva multirrepresentacional Maria Mendes Cantoni a RESUMO Este trabalho trata da epêntese no português brasileiro e sua interação com o acento da palavra.

Leia mais

ESTUDO DO S EM CODA SILÁBICA: UMA PERSPECTIVA FUNCIONALISTA

ESTUDO DO S EM CODA SILÁBICA: UMA PERSPECTIVA FUNCIONALISTA ESTUDO DO S EM CODA SILÁBICA: UMA PERSPECTIVA FUNCIONALISTA Bianca Florencio RESUMO: O artigo é um estudo de investigação linguística sobre a variação do S em coda silábica na fala de informantes do município

Leia mais

Adriana Kuerten Dellagnello Raquel Carolina Souza Ferraz D'Ely Equipe Professores-Tutores Eva, Donesca, Lidiomar e Tânia

Adriana Kuerten Dellagnello Raquel Carolina Souza Ferraz D'Ely Equipe Professores-Tutores Eva, Donesca, Lidiomar e Tânia Adriana Kuerten Dellagnello Raquel Carolina Souza Ferraz D'Ely Equipe Professores-Tutores Eva, Donesca, Lidiomar e Tânia Atividade Introdutória Match Point Marta Medeiros Match point Leia o texto Match

Leia mais

VARIAÇÃO FONOLÓGICA EM VERBOS COM TERMINAÇÕES EM EAR (CHANTAGEAR) E IAR (VARIAR) 1

VARIAÇÃO FONOLÓGICA EM VERBOS COM TERMINAÇÕES EM EAR (CHANTAGEAR) E IAR (VARIAR) 1 13 VARIAÇÃO FONOLÓGICA EM VERBOS COM TERMINAÇÕES EM EAR (CHANTAGEAR) E IAR (VARIAR) 1 PHONOLOGICAL VARIATION IN VERBS ENDING IN EAR (CHANTAGEAR) AND IAR (VARIAR) Thaïs Cristófaro Silva Universidade Federal

Leia mais

REPRESENTAÇÕES MENTAIS NA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ORAL E ESCRITA

REPRESENTAÇÕES MENTAIS NA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ORAL E ESCRITA REPRESENTAÇÕES MENTAIS NA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ORAL E ESCRITA Thaís Cristófaro SILVA Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) CNPq / FAPEMIG 1 RESUMO Este artigo pretende contribuir com o debate sobre

Leia mais

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR

PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR PLANO DE ENSINO DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Nome do COMPONENTE CURRICULAR: Fonética e Fonologia da Língua Portuguesa Curso: LICENCIATURA EM LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA Período: 4 Semestre:

Leia mais

Relacionar o texto com conhecimentos anteriores. Compreender o essencial dos textos escutados e lidos.

Relacionar o texto com conhecimentos anteriores. Compreender o essencial dos textos escutados e lidos. METAS CURRICULARES 1º ANO Português ORALIDADE Respeitar regras da interação discursiva. Escutar discursos breves para aprender e construir conhecimentos. Produzir um discurso oral com correção. Produzir

Leia mais

REDUÇÃO DE VOGAIS ALTAS PRETÔNICAS NO PORTUGUÊS DE BELO HORIZONTE:

REDUÇÃO DE VOGAIS ALTAS PRETÔNICAS NO PORTUGUÊS DE BELO HORIZONTE: Ricardo Fernandes Napoleão de Souza REDUÇÃO DE VOGAIS ALTAS PRETÔNICAS NO PORTUGUÊS DE BELO HORIZONTE: UMA ABORDAGEM BASEADA NA GRADIÊNCIA Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Estudos

Leia mais

Efeitos de frequência na produção escrita de encontros consonantais

Efeitos de frequência na produção escrita de encontros consonantais Efeitos de frequência na produção escrita de encontros consonantais (Frequency effects in consonant clusters writing) Raquel Márcia Fontes Martins, 1 Daniela Mara Lima Oliveira Guimarães 2 1,2 Faculdade

Leia mais

Curso: Letras Português/Espanhol. Disciplina: Linguística. Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus

Curso: Letras Português/Espanhol. Disciplina: Linguística. Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus Curso: Letras Português/Espanhol Disciplina: Linguística Docente: Profa. Me. Viviane G. de Deus AULA 2 1ª PARTE: Tema 2 - Principais teóricos e teorias da Linguística moderna Formalismo x Funcionalismo

Leia mais

Estudo acústico das vogais tônicas em palavras paroxítonas do português falado no Rio Grande do Sul

Estudo acústico das vogais tônicas em palavras paroxítonas do português falado no Rio Grande do Sul Estudo acústico das vogais tônicas em palavras paroxítonas do português falado no Rio Grande do Sul Virgínia Andréa Garrido Meirelles (UCB) RESUMO: Este trabalho faz parte da pesquisa de doutorado que

Leia mais

A ELISÃO DA VOGAL /o/ EM FLORIANÓPOLIS-SC RESULTADOS PRELIMINARES

A ELISÃO DA VOGAL /o/ EM FLORIANÓPOLIS-SC RESULTADOS PRELIMINARES A ELISÃO DA VOGAL /o/ EM FLORIANÓPOLIS-SC RESULTADOS PRELIMINARES Letícia Cotosck Vargas (PUCRS/PIBIC- CNPq 1 ) 1. INTRODUÇÃO Esta pesquisa tem por objetivo examinar um dos processos de sândi externo verificados

Leia mais

OBSERVAÇÕES ACÚSTICAS SOBRE AS VOGAIS ORAIS DA LÍNGUA KARO

OBSERVAÇÕES ACÚSTICAS SOBRE AS VOGAIS ORAIS DA LÍNGUA KARO ARAÚJO, Fernanda Oliveira. Observações acústicas sobre as vogais orais da língua Karo. Revista Virtual de Estudos da Linguagem ReVEL. Edição especial n. 1, 2007. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br]. OBSERVAÇÕES

Leia mais

O SISTEMA DE CASOS: INTERFACE ENTRE A MORFOLOGIA E A SINTAXE Dimar Silva de Deus (Unipaulistana)

O SISTEMA DE CASOS: INTERFACE ENTRE A MORFOLOGIA E A SINTAXE Dimar Silva de Deus (Unipaulistana) O SISTEMA DE CASOS: INTERFACE ENTRE A MORFOLOGIA E A SINTAXE Dimar Silva de Deus (Unipaulistana) dimmar@gmail.com O SISTEMA DE CASOS Quando se estudam línguas que comportam morfemas de caso, como o latim,

Leia mais

REVISITANDO A VARIAÇÃO ENTRE DITONGOS NASAIS FINAIS ÁTONOS E VOGAIS ORAIS NA COMUNIDADE DE FALA DO RIO DE JANEIRO

REVISITANDO A VARIAÇÃO ENTRE DITONGOS NASAIS FINAIS ÁTONOS E VOGAIS ORAIS NA COMUNIDADE DE FALA DO RIO DE JANEIRO REVISITANDO A VARIAÇÃO ENTRE DITONGOS NASAIS FINAIS ÁTONOS E VOGAIS ORAIS NA COMUNIDADE DE FALA DO RIO DE JANEIRO REVISITING THE VARIATION BETWEEN FINAL UNSTRESSED NASAL DIPHTHONG AND ORAL VOWELS IN THE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LINGUÍSTICA CARINE HAUPT

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LINGUÍSTICA CARINE HAUPT UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LINGUÍSTICA CARINE HAUPT O FENÔMENO DA MONOTONGAÇÃO NOS DITONGOS [a,e,o,u ] NA FALA DOS FLORIANOPOLITANOS: UMA ABORDAGEM A PARTIR DA

Leia mais

UNIDADE 07 O PLURAL DOS SUBSTANTIVOS SIMPLES E COMPOSTOS (PRIMEIRA PARTE)

UNIDADE 07 O PLURAL DOS SUBSTANTIVOS SIMPLES E COMPOSTOS (PRIMEIRA PARTE) UNIDADE 07 O PLURAL DOS SUBSTANTIVOS SIMPLES E COMPOSTOS (PRIMEIRA PARTE) PLURAL DOS SUBSTANTIVOS Em português, há dois números gramaticais: O singular, que indica um ser ou um grupo de seres; O plural,

Leia mais

Aquisição dos ditongos orais decrescentes: contribuições da teoria da otimidade conexionista

Aquisição dos ditongos orais decrescentes: contribuições da teoria da otimidade conexionista LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE Aquisição dos ditongos orais decrescentes: contribuições da teoria da otimidade conexionista Giovana Ferreira Gonçalves Bonilha

Leia mais

Verbos denominais X ar no português: para além da derivação e da conversão

Verbos denominais X ar no português: para além da derivação e da conversão Rosângela de Nazareth Sousa Costa Verbos denominais X ar no português: para além da derivação e da conversão Dissertação de Mestrado Dissertação de Mestrado apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

FORMAS ALTERNANTES DO ENCONTRO CONSONANTAL TAUTOSSILÁBICO NA FALA DE CRIANÇAS

FORMAS ALTERNANTES DO ENCONTRO CONSONANTAL TAUTOSSILÁBICO NA FALA DE CRIANÇAS FORMAS ALTERNANTES DO ENCONTRO CONSONANTAL TAUTOSSILÁBICO NA FALA DE CRIANÇAS ALTERNATING FORMS OF TAUTOSYLLABIC CLUSTERS IN THE SPEECH OF CHILDREN Izabel Cristina Campolina Miranda * Thaïs Cristófaro

Leia mais

Fonologia: Contribuições para a Linguística e para a Computação

Fonologia: Contribuições para a Linguística e para a Computação Fonologia: Contribuições para a Linguística e para a Computação (Phonology: Contributions to Linguistics and Computational Science) Thaïs Cristófaro Silva 1 1 Faculdade de Letras Universidade Federal de

Leia mais

pág Anais do XVI CNLF. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2012.

pág Anais do XVI CNLF. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2012. ANÁLISE ACÚSTICA DAS VOGAIS ORAIS DA LÍNGUA IDATE 41 Maressa Xavier Alcantara (UNICAMP) maressa_xavier@hotmail.com A língua idate é falada no continente asiático na parte central do Timor Leste, na cidade

Leia mais

Fonoaudióloga Mestranda Ana Paula Ritto Profa. Dra. Claudia Regina Furquim de Andrade

Fonoaudióloga Mestranda Ana Paula Ritto Profa. Dra. Claudia Regina Furquim de Andrade Fonoaudióloga Mestranda Ana Paula Ritto Profa. Dra. Claudia Regina Furquim de Andrade Laboratório de Investigação Fonoaudiológica em Fluência, Funções da Face e Disfagia (LIF-FFFD) Departamento de Fisioterapia,

Leia mais

Análise fonológica da entoação: estudo constrastivo entre o português e. o espanhol

Análise fonológica da entoação: estudo constrastivo entre o português e. o espanhol Análise fonológica da entoação: estudo constrastivo entre o português e o espanhol Kelly Cristiane Henschel Pobbe de Carvalho (FCL/ UNESP-Assis) Introdução Este trabalho consiste na apresentação de um

Leia mais

!"#$%&'()*(!"#(+,(-,$.#/#0'(1$%'&")&$,2 )3)&.,'(+)(3$)4#056&%

!#$%&'()*(!#(+,(-,$.#/#0'(1$%'&)&$,2 )3)&.,'(+)(3$)4#056&% Vol. 6 n. 1 Junho/2010 Revista Linguí!tica 9!"#$%&'()*(!"#(+,(-,$.#/#0'(1$%'&")&$,2 )3)&.,'(+)(3$)4#056&% $%&'(&)*&'+),&-.'/0#*)1,2&'3%24567289:; Resumo: Este artigo investiga palavras do português terminadas

Leia mais

O presente capítulo visa à exposição da metodologia empregada na pesquisa: os objetivos, as hipóteses, a organização dos dados e o método de análise.

O presente capítulo visa à exposição da metodologia empregada na pesquisa: os objetivos, as hipóteses, a organização dos dados e o método de análise. 2. METODOLOGIA O presente capítulo visa à exposição da metodologia empregada na pesquisa: os objetivos, as hipóteses, a organização dos dados e o método de análise. 2.1 Objetivos 2.1.1 Objetivo geral Este

Leia mais

Alternância de vogais médias. posteriores em formas nominais de plural. no português de Belo Horizonte

Alternância de vogais médias. posteriores em formas nominais de plural. no português de Belo Horizonte Kátia Silva Tomaz Alternância de vogais médias posteriores em formas nominais de plural no português de Belo Horizonte UFMG Belo Horizonte 2006 Kátia Silva Tomaz Alternância de vogais médias posteriores

Leia mais

AQUISIÇÃO E VARIAÇÃO ESTRUTURADA DE ENCONTROS CONSONANTAIS TAUTOSSILÁBICOS

AQUISIÇÃO E VARIAÇÃO ESTRUTURADA DE ENCONTROS CONSONANTAIS TAUTOSSILÁBICOS Izabel Cristina Campolina Miranda AQUISIÇÃO E VARIAÇÃO ESTRUTURADA DE ENCONTROS CONSONANTAIS TAUTOSSILÁBICOS Belo Horizonte Faculdade de Letras - UFMG 2007 Izabel Cristina Campolina Miranda AQUISIÇÃO E

Leia mais

KEYWORDS: word-formation; deverbal noun; lexicon; morphology.

KEYWORDS: word-formation; deverbal noun; lexicon; morphology. UM MODELO TEÓRICO DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS E SUA APLICAÇÃO AOS DEVERBAIS DO PORTUGUÊS (A theoretical model of word-formation and its application in Portuguese deverbal nouns) Bruno Oliveira MARONEZE (Mestrando

Leia mais

Efeito de Wordlikeness no processamento de não-palavras por falantes do português brasileiro

Efeito de Wordlikeness no processamento de não-palavras por falantes do português brasileiro Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v.23, n.1, p. 195-210, 2015 Efeito de Wordlikeness no processamento de não-palavras por falantes do português brasileiro Effect of Wordlikeness in Processing

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE LETRAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS CAROLINE NARCIZO CARCUCHINSKI

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE LETRAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS CAROLINE NARCIZO CARCUCHINSKI PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE LETRAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS CAROLINE NARCIZO CARCUCHINSKI HARMONIZAÇÃO VOCÁLICA: FREQUÊNCIA DE USO DAS PALAVRAS Porto Alegre

Leia mais

Prefácio índice geral Lista das abreviaturas 14 Lista dos símbolos 16 Introdução geral 17

Prefácio índice geral Lista das abreviaturas 14 Lista dos símbolos 16 Introdução geral 17 índice Geral Prefácio índice geral Lista das abreviaturas 14 Lista dos símbolos 16 Introdução geral 17 Raimundo Tavares Lopes 27 Descrição isocrónica contrastiva das variedades das ilhas do Fogo e de Santiago

Leia mais

Mestrado. Disciplinas Obrigatórias. créditos: 3 CHT: 45 Modalidade: presencial. créditos: 3 CHT: 45 Modalidade: presencial

Mestrado. Disciplinas Obrigatórias. créditos: 3 CHT: 45 Modalidade: presencial. créditos: 3 CHT: 45 Modalidade: presencial Mestrado Carga horária mínima: 360 horas Disciplinas Obrigatórias LEF700 - Fonologia Bases da análise fonológica. Dados fonéticos e sua interpretação. Concepções de fonema. Fonologia estrutural e Fonologia

Leia mais

Guião 1 Anexo (v1.0) 2. Do léxico à frase 2.1. Classes de palavras e critérios para a sua identificação

Guião 1 Anexo (v1.0) 2. Do léxico à frase 2.1. Classes de palavras e critérios para a sua identificação F a c u l d a d e d e L e t r a s d a U n i v e r s i d a d e d e L i s b o a D e p a r t a m e n t o d e L i n g u í s t i c a G e r a l e R o m â n i c a E s t r u t u r a d a s F r a s e s e m P o r

Leia mais

Estudos atuais Transtorno Fonológico

Estudos atuais Transtorno Fonológico Estudos atuais Transtorno onológico Profa Dra Haydée iszbein Wertzner Profa Associada do Departamento de isioterapia, onoaudiologia e Terapia Ocupacional MUSP Wertzner, H TRANSTORNO ONOÓGICO Alteração

Leia mais

Estrura Sublexical dos Sinais a partir de suas Unidades Mínimas Distintivas

Estrura Sublexical dos Sinais a partir de suas Unidades Mínimas Distintivas Texto retirado do endereço: http://www.ines.gov.br/ines_livros/35/35_002.htm Estrura Sublexical dos Sinais a partir de suas Unidades Mínimas Distintivas A palavra ou item lexical certo, em português, é

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL

CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL MATRIZ CURRICULAR NOTURNO Fase Nº. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas 1. Leitura e produção textual I 4 60 2. Introdução a informática 4

Leia mais

Variação fonológica em verbos com terminações em ear (chatear) e iar (variar)

Variação fonológica em verbos com terminações em ear (chatear) e iar (variar) Variação fonológica em verbos com terminações em ear (chatear) e iar (variar) Thaïs Cristófaro Silva e Carlo Sandro Campos SIS Vogais maio 2009 Neste trabalho analisamos a variação entre vogais médias

Leia mais

O PORTUGUÊS BRASILEIRO CANTADO

O PORTUGUÊS BRASILEIRO CANTADO O PORTUGUÊS BRASILEIRO CANTADO Prof. Dr. Flávio Carvalho Departamento de Música e Artes Cênicas/ UFU e-mail: fcarvalho@demac.ufu.br www.demac.ufu.br Resumo: Este Grupo de Trabalho pretende consolidar os

Leia mais

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15 Capítulo1 Capítulo2 A LÍNGUA E A LINGUAGEM............................................. 9 Linguagem: aptidão inata.............................................. 10 Funções.............................................................

Leia mais

Estudo das características fonético-acústicas de consoantes em coda. silábica: um estudo de caso em E/LE

Estudo das características fonético-acústicas de consoantes em coda. silábica: um estudo de caso em E/LE Estudo das características fonético-acústicas de consoantes em coda silábica: um estudo de caso em E/LE Fernanda R. P. Allegro (Universidad de Buenos Aires/ FUNCEB) Sandra Madureira (PUC-SP) Introdução

Leia mais

O PAPEL DA FREQUÊNCIA LEXICAL NA VARIAÇÃO FONOLÓGICA CONDICIONADA MORFOLOGICAMENTE: REVISITANDO ESTUDOS PRECEDENTES

O PAPEL DA FREQUÊNCIA LEXICAL NA VARIAÇÃO FONOLÓGICA CONDICIONADA MORFOLOGICAMENTE: REVISITANDO ESTUDOS PRECEDENTES O PAPEL DA FREQUÊNCIA LEXICAL NA VARIAÇÃO FONOLÓGICA CONDICIONADA MORFOLOGICAMENTE: REVISITANDO ESTUDOS PRECEDENTES THE ROLE OF THE LEXICAL FREQUENCY IN THE PHONOLOGICAL VARIATION CONDITIONED MORPHOLOGICALLY:

Leia mais

Procura-PALavras (P-PAL):

Procura-PALavras (P-PAL): 6º Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Psicologia Experimental (APPE) I 24-25 Março, 2011 I Coimbra: Universidade de Coimbra, Portugal Procura-PALavras (P-PAL): Uma aplicação web com índices

Leia mais

SOBRE A QUEBRA DE ENCONTROS CONSONANTAIS NO PORTUGUÊS BRASILEIRO

SOBRE A QUEBRA DE ENCONTROS CONSONANTAIS NO PORTUGUÊS BRASILEIRO SOBRE A QUEBRA DE ENCONTROS CONSONANTAIS NO PORTUGUÊS BRASILEIRO Thaïs CRISTÓFARO-SILVA (UFMG) ABSTRACT: Branching onsets reduction in Brazilian Portuguese was analysed as a phonological process. The condition

Leia mais

Fonética e Fonologia: Perspectivas Complementares

Fonética e Fonologia: Perspectivas Complementares Estudos da Língua(gem) Questões de Fonética e Fonologia: uma Homenagem a Luiz Carlos Cagliari Fonética e Fonologia: Perspectivas Complementares Phonetics and Phonology: Complementary Perspectives Thaïs

Leia mais

Carmen Lúcia Matzenauer *

Carmen Lúcia Matzenauer * DOI: 10.14393/DL22-v10n2a2016-3 O mapeamento fonético-fonológico das vogais postônicas finais no português brasileiro The phonetic-phonological mapping of final unstressed vowels in Brazilian Portuguese

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 1º Ano Oralidade O1 Comprensão do oral Expressão oral Respeitar regras da interação discursiva Escutar discursos breves para aprender

Leia mais

Acento secundário, atribuição tonal e redução segmental em português brasileiro (PB)

Acento secundário, atribuição tonal e redução segmental em português brasileiro (PB) III Seminário Internacional de Fonologia 12.04.2007 Acento secundário, atribuição tonal e redução segmental em português brasileiro (PB) Maria Bernadete M. Abaurre babaurre@matrix.com.br Flaviane Romani

Leia mais

O papel do léxico no alçamento sem motivação aparente das vogais médias pretônicas do português brasileiro

O papel do léxico no alçamento sem motivação aparente das vogais médias pretônicas do português brasileiro 151 O papel do léxico no alçamento sem motivação aparente das vogais médias pretônicas do português brasileiro The role of the lexicon in pretonic mid-vowel raising without apparent motivation in Brazilian

Leia mais

AS FRICATIVAS [s],[z], [ ] E [ ] DO PORTUGUÊS BRASILEIRO

AS FRICATIVAS [s],[z], [ ] E [ ] DO PORTUGUÊS BRASILEIRO AS FRICATIVAS [s],[z], [ ] E [ ] DO PORTUGUÊS BRASILEIRO Carine Haupt Programa de Pós-Graduação em Lingüística Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. Trindade - Florianópolis - Santa Catarina - Brasil

Leia mais

6LET062 LINGUAGEM E SEUS USOS A linguagem verbal como forma de circulação de conhecimentos. Normatividade e usos da linguagem.

6LET062 LINGUAGEM E SEUS USOS A linguagem verbal como forma de circulação de conhecimentos. Normatividade e usos da linguagem. HABILITAÇÃO: BACHARELADO EM ESTUDOS LITERÁRIOS 1ª Série 6LET063 LINGUAGEM COMO MANIFESTAÇÃO ARTÍSTICA Linguagem como manifestação artística, considerando os procedimentos sócio-históricos e culturais.

Leia mais

A DITONGAÇÃO VARIÁVEL EM SÍLABAS TÔNICAS FINAIS TRAVADAS POR /S/

A DITONGAÇÃO VARIÁVEL EM SÍLABAS TÔNICAS FINAIS TRAVADAS POR /S/ A DITONGAÇÃO VARIÁVEL EM SÍLABAS TÔNICAS FINAIS TRAVADAS POR /S/ Lúcia Lovato Leiria RESUMO: This paper aims at presenting a quantitative study of diphthongization resulting from anterior glide insertion

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA Campus de Realeza Turno Noturno Fase Nº. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas Pré Requisito 1. GLA001

Leia mais

CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA EM PERÍODOS PRÉ E PÓS- ALFABETIZAÇÃO

CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA EM PERÍODOS PRÉ E PÓS- ALFABETIZAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE DE LETRAS CONSCIÊNCIA FONOLÓGICA EM PERÍODOS PRÉ E PÓS- ALFABETIZAÇÃO MARIANA CHAVES RUIZ GUEDES 2009 Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares

Leia mais

English version at the end of this document

English version at the end of this document English version at the end of this document Ano Letivo 2016-17 Unidade Curricular PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM ESCOLAR Cursos TERAPIA DA FALA (1.º ciclo) (*) (*) Curso onde a unidade curricular é opcional

Leia mais

A DISTINÇÃO ENTRE AS FALAS MASCULINA E FEMININA EM ALGUMAS LÍNGUAS DA FAMÍLIA JÊ *

A DISTINÇÃO ENTRE AS FALAS MASCULINA E FEMININA EM ALGUMAS LÍNGUAS DA FAMÍLIA JÊ * A DISTINÇÃO ENTRE AS FALAS MASCULINA E FEMININA EM ALGUMAS LÍNGUAS DA FAMÍLIA JÊ * Rodriana Dias Coelho Costa 1 Christiane Cunha de Oliveira 2 Faculdade de Letras/UFG rodrianacosta@gmail.com christiane.de.oliveira@hotmail.com

Leia mais

DISPERSÃO E HARMONIA VOCÁLICA EM DIALETOS DO PORTUGUÊS DO BRASIL DISPERSION AND VOWEL HARMONY IN BRAZILIAN PORTUGUESE DIALECTS

DISPERSÃO E HARMONIA VOCÁLICA EM DIALETOS DO PORTUGUÊS DO BRASIL DISPERSION AND VOWEL HARMONY IN BRAZILIAN PORTUGUESE DIALECTS 13 DISPERSÃO E HARMONIA VOCÁLICA EM DIALETOS DO PORTUGUÊS DO BRASIL DISPERSION AND VOWEL HARMONY IN BRAZILIAN PORTUGUESE DIALECTS Filomena Sandalo 1 Maria Bernadete M. Abaurre 2 Magnun Rochel Madruga 3

Leia mais

Aula4 TRANSCRIÇÃO FONÉTICA E FONOLÓGICA. Denise Porto Cardoso

Aula4 TRANSCRIÇÃO FONÉTICA E FONOLÓGICA. Denise Porto Cardoso Aula4 TRANSCRIÇÃO FONÉTICA E FONOLÓGICA META Apresentar os sistemas de representação tanto fonética quanto fonológica, exemplifi cando-os com fonemas do português. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS PORTUGUÊS E ESPANHOL - LICENCIATURA Campus de Chapecó Turno Noturno Fase Nº. Ordem Código COMPONENTE CURRICULAR Créditos Horas Pré Requisito 1. GLA001

Leia mais

Sumarizando: o que é uma língua. Métodos para seu estudo...44

Sumarizando: o que é uma língua. Métodos para seu estudo...44 sumário APRESENTAÇÃO...13 1. O que se entende por língua Estudando a língua portuguesa...17 1.1 O Vocabulário: nascimento e morte das palavras. Consultando um dicionário...20 1.2 A Semântica: o sentido

Leia mais

A aquisição da linguagem falada e escrita: o papel da consciência linguística

A aquisição da linguagem falada e escrita: o papel da consciência linguística LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE LETRAS DE HOJE A aquisição da linguagem falada e escrita: o papel da consciência linguística The acquisition of

Leia mais

A PESQUISA EM FONÉTICA ARTICULATÓRIA, ACÚSTICA E AUDITIVA: NOÇÕES ELEMENTARES

A PESQUISA EM FONÉTICA ARTICULATÓRIA, ACÚSTICA E AUDITIVA: NOÇÕES ELEMENTARES CDD:414 A PESQUISA EM FONÉTICA ARTICULATÓRIA, ACÚSTICA E AUDITIVA: NOÇÕES ELEMENTARES Letícia Fraga * Abstract: This research presents a discussion about some important Phonetical and Phonological concepts,

Leia mais

Aquisição do tipo silábico CV(r) no português brasileiro

Aquisição do tipo silábico CV(r) no português brasileiro Aquisição do tipo silábico CV(r) no português brasileiro Aquisição do tipo silábico CV(r) no português brasileiro Christina Abreu Gomes * Resumo Os Modelos baseados no Uso e na Lingüística Probabilística

Leia mais

6 Atributos. A dívida da empresa subiu.

6 Atributos. A dívida da empresa subiu. 6 Atributos Para buscar o sentimento de um texto automaticamente precisamos encontrar boas pistas ao longo do discurso. Uma grande variedade de palavras e expressões possui conotação positiva ou negativa,

Leia mais

LISTAGEM DOS COMPONENTES CURRICULARES COMPLEMENTARES (ELETIVOS)

LISTAGEM DOS COMPONENTES CURRICULARES COMPLEMENTARES (ELETIVOS) LISTAGEM DOS COMPONENTES CURRICULARES COMPLEMENTARES (ELETIVOS) Componente Curricular Complementar Total Teórica Prática EAD 1 Pré-requisitos 1. Alfabetização e Letramento BA000492 2. Análise de Livros

Leia mais

Variação linguística e o ensino de Língua Portuguesa Prof.ª Dr.ª Marlúcia Maria Alves 1 (UFU)

Variação linguística e o ensino de Língua Portuguesa Prof.ª Dr.ª Marlúcia Maria Alves 1 (UFU) Variação linguística e o ensino de Língua Portuguesa Prof.ª Dr.ª Marlúcia Maria Alves 1 (UFU) Resumo: O presente artigo apresenta considerações sobre a variação linguística, principalmente a fonológica,

Leia mais

User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. VARIABLES=Ano /ORDER= ANALYSIS.

User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. VARIABLES=Ano /ORDER= ANALYSIS. Frequencies Notes Missing Value Handling Syntax Definition of Missing Cases Used User-defined missing values are treated as missing. Statistics are based on all cases with valid data. FREQUENCIES VARIABLES=Ano

Leia mais

SÍNCOPE VOCÁLICA NO PORTUGUÊS BRASILEIRO

SÍNCOPE VOCÁLICA NO PORTUGUÊS BRASILEIRO Anais do 6º Encontro Celsul - Círculo de Estudos Lingüísticos do Sul SÍNCOPE VOCÁLICA NO PORTUGUÊS BRASILEIRO Marianne Pesci de MATOS (Instituto de Estudos da Linguagem - Unicamp) Profª Drª Maria Filomena

Leia mais

A CONCORDÂNCIA VERBAL: A RELEVÂNCIA DAS VARIÁVEIS LINGÜÍSTICAS E NÃO LINGÜÍSTICAS

A CONCORDÂNCIA VERBAL: A RELEVÂNCIA DAS VARIÁVEIS LINGÜÍSTICAS E NÃO LINGÜÍSTICAS 543 A CONCORDÂNCIA VERBAL: A RELEVÂNCIA DAS VARIÁVEIS LINGÜÍSTICAS E NÃO LINGÜÍSTICAS Constância Maria Borges de Souza * Introdução Os estudos da Concordância Verbal têm demonstrado que os falantes de

Leia mais

A PRODUÇÃO DA VOGAL FINAL /i/ EM DISSÍLABOS DO INGLÊS POR APRENDIZES BRASILEIROS UMA QUESTÃO DE TEMPO

A PRODUÇÃO DA VOGAL FINAL /i/ EM DISSÍLABOS DO INGLÊS POR APRENDIZES BRASILEIROS UMA QUESTÃO DE TEMPO V ERBA VOLANT Volume 3 Número 1 janeiro-junho 2012 ISSN 2178-4736 http://letras.ufpel.edu.br/verbavolant A PRODUÇÃO DA VOGAL FINAL /i/ EM DISSÍLABOS DO INGLÊS POR APRENDIZES BRASILEIROS UMA QUESTÃO DE

Leia mais

Aquisição de encontros consonantais tautossilábicos: uma abordagem multirrepresentacional

Aquisição de encontros consonantais tautossilábicos: uma abordagem multirrepresentacional MIRANDA, Izabel Cristina Campolina; SILVA, Thaïs Cristófaro. Aquisição de encontros consonantais tautossilábicos: uma abordagem multirrepresentacional. Revista Lingüística / Revista do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Professora: Jéssica Nayra Sayão de Paula

Professora: Jéssica Nayra Sayão de Paula Professora: Jéssica Nayra Sayão de Paula Conceitos básicos e importantes a serem fixados: 1- Sincronia e Diacronia; 2- Língua e Fala 3- Significante e Significado 4- Paradigma e Sintagma 5- Fonética e

Leia mais

Concordância nominal e verbal em Belo Horizonte: análise comparativa das variáveis saliência fônica e escolaridade

Concordância nominal e verbal em Belo Horizonte: análise comparativa das variáveis saliência fônica e escolaridade Concordância nominal e verbal em Belo Horizonte: análise comparativa das variáveis saliência fônica e escolaridade Ludmila Reis Pinheiro Nicolle Veronick Moreira de Faria Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: concordância; sintagma nominal; Sociolingüistica Variacionista

PALAVRAS-CHAVE: concordância; sintagma nominal; Sociolingüistica Variacionista VARIAÇÃO NO PROCESSO CONCORDÂNCIA NOMINAL: ESTUDO COMPARATIVO DAS DÉCADAS DE 70 E 90 João Carlos Tavares da Silva RESUMO: Esta pesquisa se acerca do comportamento da concordância entre os elementos flexionáveis

Leia mais

DOMÍNIOS DE Revista Eletrônica de Lingüística Ano 1, nº1 1º Semestre de 2007 ISSN

DOMÍNIOS DE Revista Eletrônica de Lingüística Ano 1, nº1 1º Semestre de 2007 ISSN ESTUDO EM TEMPO APARENTE E EM TEMPO REAL DO USO DO SUJEITO NULO NA FALA DE BELO HORIZONTE Nasle Maria Cabana RESUMO Neste artigo, analisa-se o comportamento do sujeito pronominal lexical e sujeito pronominal

Leia mais

VOCÁBULOS TERMINADOS EM DITONGO NASAL: UMA PROPOSTA DE ANÁLISE SOB A TEORIA DA MORFOLOGIA DISTRIBUÍDA

VOCÁBULOS TERMINADOS EM DITONGO NASAL: UMA PROPOSTA DE ANÁLISE SOB A TEORIA DA MORFOLOGIA DISTRIBUÍDA 3308 VOCÁBULOS TERMINADOS EM DITONGO NASAL: UMA PROPOSTA DE ANÁLISE SOB A TEORIA DA MORFOLOGIA DISTRIBUÍDA Cíntia da Costa Alcântara ( UFPel) Este trabalho tem por foco analisar a constituição de vocábulos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Departamento de Administração Escolar

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Departamento de Administração Escolar Documentação: Objetivo: Titulação: Diplomado em: Resolução 002/CUn/2007, de 02 de março de 2007 O Curso de Licenciatura em Letras/LIBRAS é uma iniciativa da Universidade Federal de Santa Catarina, com

Leia mais

Para além dos pacotes estatísticos Varbrul/ Goldvarb e Rbrul: qual A concepção de gramática? 1

Para além dos pacotes estatísticos Varbrul/ Goldvarb e Rbrul: qual A concepção de gramática? 1 Vol.14 - N. Especial - 2012 259 Para além dos pacotes estatísticos Varbrul/ Goldvarb e Rbrul: qual A concepção de gramática? 1 BEYOND THE STATISTICAL PROGRAMS VARBRUL/ GOLDVARB AND RBRUL: WHAT IS THE CONCEPT

Leia mais

Adriana Gibbon (Universidade Federal de Santa Catarina)

Adriana Gibbon (Universidade Federal de Santa Catarina) A EXPRESSÃO DO TEMPO FUTURO NA LÌNGUA FALADA DE FLORIANÓPOLIS: VARIAÇÃO (THE EXPRESSION OF FUTURE TIME IN THE SPOKEN LANGUAGE OF FLORIANÓPOLIS: VARIATION) Adriana Gibbon (Universidade Federal de Santa

Leia mais

CONCORDÂNCIA NOMINAL: ANÁLISE DA VARIAÇÃO EM MACEIÓ

CONCORDÂNCIA NOMINAL: ANÁLISE DA VARIAÇÃO EM MACEIÓ CONCORDÂNCIA NOMINAL: ANÁLISE DA VARIAÇÃO EM MACEIÓ Andressa Kaline Luna de Oliveira Marques (UFAL) andressakalineluna@hotmail.com A Sociolinguística Variacionista tem como expoente William Labov (2008)

Leia mais