A Administração Pública Direta e Indireta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Administração Pública Direta e Indireta"

Transcrição

1 A Administração Pública Direta e Indireta Augusto Antônio Fontanive Leal e Poliana Borges Costa 1 Resumo: Definir Administração Pública e expor suas atribuições. Explanar sobre serviços públicos e suas formas de realização de forma a diferenciar a Administração Pública Direta e Indireta. Estabelecer a divisão da Administração Pública em Direta e Indireta por meio dos fenômenos da desconcentração e da descentralização. Palavras-chave: Direito administrativo; Administração Pública Direta; Administração Pública Indireta; serviços públicos; desconcentração; descentralização. Abstract: Define Public Administration and expose their assignments. Explain about public services and their embodiments in order to differentiate the Direct and Indirect Public Administration. Establish the division in the Public Administration between Direct and Indirect through the phenomena of deconcentration and decentralization. Keywords: Administrative Law; Direct Public Administration; Indirect Public Administration; public services; deconcentration; decentralization. 1 Introdução Frente às evoluções que o direito administrativo vem tendo, conjuntamente com todo o direito, é preciso estabelecer cada vez melhor os limites da atividade estatal e como esta pode ser exercida sem que se tenha por feridos os princípios que a regem. Por isso, tem por finalidade o presente artigo estabelecer, dentro do direito administrativo, os conceitos de Administração Pública Direta e Indireta. Para tanto, faz-se necessário expor os próprios conceitos e significados do que é a Administração Pública e qual sua real atividade. 2 A Administração Pública Direta e Indireta 1 Alunos da Graduação em Direito da Universidade de Caxias do Sul 1

2 É importante, ao se estabelecer os pontos e diretrizes que definem e diferenciam a atividade da Administração Pública entre direta e indireta, trazer informações que antes caracterizem a própria Administração Pública e suas atribuições. Isso porque é da atividade e do conceito de Administração Pública que vão se formar então as hipóteses de atuação do órgão executivo, esta que pode ser realizada, como adiante se verá, de forma direta ou indireta. Para tanto, podemos trazer a definição de Maria Sylvia Zanella Di Pietro, como sendo a Administração Pública o ramo do direito público que tem por objeto os órgãos, agentes e pessoas jurídicas administrativas que integram a Administração Pública, a atividade jurídica não contenciosa que exerce e os bens de que se utiliza para a consecução de seus fins, de natureza pública. 2 Dentro desse conceito, pode-se usar para elucidar uma das atividades da Administração Pública, referindo-se à consecução dos seus fins, como fornecedora de serviços públicos. O conceito apresentado entra em consonância com o trazido por Hely Lopes Meirelles, que também torna a estabelecer a realização de serviços como objetivo da Administração Pública. Para tanto, afirma que numa visão global, a Administração é, pois, todo o aparelhamento do Estado preordenado à realização de serviços, visando à satisfação das necessidades coletivas. 3 Os serviços públicos não são apenas os que venham a ser utilizados diretamente pelo administrado, como é o caso dos serviços de transportes e de energia elétrica. Trata-se também de serviços administrativos que o Estado possa gerar 2 DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 24 Ed. São Paulo: Atlas, 2011, p MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 32 Ed. São Paulo: Malheiros, 2006, p

3 internamente, os quais não irão ser direta e instantaneamente utilizados pela coletividade, como é o caso de algum serviço prestado no exterior por diplomacia. Cabe dizer também que os serviços públicos estão estabelecidos na Constituição Federal 4, em seu art. 21, incisos X, XI, XII, XV e XXIII e também no seu art. 25, 2º, isso faz com que se exclua a possibilidade de distinguir, mediante critérios objetivos, o serviço público da atividade privada; esta permanecerá como tal enquanto o Estado não a assumir como própria 5, tudo isso devido à retratada taxatividade encontrada na lei. Sendo assim, doutrina Maria Sylvia Zanella Di Pietro que serviço público é toda a atividade material que a lei atribui ao Estado para que a exerça diretamente ou por meio de seus delegados, com o objetivo de satisfazer concretamente às necessidades coletivas, sob regime jurídico total ou parcialmente público. 6 Nesse conceito, onde a doutrinadora citada ilustra a sua definição do que é o serviço público, podemos destacar a expressão que o define como sendo uma atividade material do Estado, que pode ser realizada por ele diretamente ou, de forma indireta, por meio de seus delegados. Para Hely Lopes Meirelles, serviço público é todo aquele prestado pela Administração ou por seus delegados, sob normas e controles estatais, para satisfazer necessidades essenciais ou secundárias da coletividade ou simples conveniências do Estado. 7 Confirma-se então a possibilidade dos serviços públicos serem prestados pela Administração Pública ou então por seus delegados ainda na condição de que satisfaçam a coletividade, inserindo-se um diferencial na doutrina de Meirelles, quanto 4 BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado; DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 24 Ed. São Paulo: Atlas, 2011, p Idem. 7 MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 32 Ed. São Paulo: Malheiros, 2006, p

4 à satisfação das conveniências do Estado. Porém, é relevante explicar que as conveniências do Estado deverão prezar pela indisponibilidade do interesse público e dessa forma voltando-se sempre para a já citada coletividade. É nesse viés que determina a doutrinadora Maria Sylvia Zanella Di Pietro que a atividade atribuída ao Estado permite que este o faça diretamente (por meio dos próprios órgãos que compõem a Administração Pública centralizada da União, Estado e Municípios) ou indiretamente, por meio de concessão ou permissão, ou de pessoas jurídicas criadas pelo Estado com essa finalidade. 8 Com isso, a partir das definições da Administração Pública e de suas atribuições, chegamos ao ponto em questão da diferenciação entre a atividade realizada pelo Estado diretamente ou, por meio de delegações, indiretamente. Isso porque, para que se satisfaça a necessidade coletiva, por vezes é necessário ao órgão Executivo se valer da não exclusividade para a efetuação de alguma atividade pela qual assumiu dever de prestar. Nesses casos, segundo Hely Lopes Meirelles, ocorrem os serviços impróprios do Estado como sendo os que não afetam substancialmente as necessidades da comunidade, mas satisfazem interesses comuns de seus membros, e, por isso, a Administração os presta remuneradamente, por seus órgãos ou entidades descentralizadas (autarquias, empresas públicas, sociedade de economia mista, fundações governamentais) ou delega sua prestação a concessionários, permissionários ou autorizatários. Esses serviços, normalmente, são rentáveis e podem ser realizados com ou sem privilégio (não confundir com 8 DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 24 Ed. São Paulo: Atlas, 2011, p

5 monopólio), mas sempre sob regulamentação e controle do Poder Público competente. 9 É por isso que surgem dois sentidos para a expressão Administração Pública, o sentido subjetivo e o sentido objetivo. O sentido subjetivo designa os entes que exercem a atividade administrativa; compreende pessoas jurídicas, órgãos e agentes públicos, incumbidos de exercer uma das funções em que se triparte a atividade estatal: a função administrativa 10, enquanto que o sentido objetivo designa a natureza da atividade exercida pelos referidos entes; nesse sentido, a Administração Pública é a própria função administrativa que incumbe, predominantemente, ao Poder Executivo. 11 A Administração Pública Direta é exercida de forma a poder ser chamada de centralizada, realizada então pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios, caracterizando por si só a própria função da administração. Essas atribuições da Administração Pública que são realizadas por ela diretamente podem ser efetuadas por meio de órgãos, muito embora sem perder o sentido do exercício direto da atividade. Isso porque os órgãos são partições da própria estrutura do ente federado, não perdendo sua identidade, sem ter uma personalidade jurídica própria. Há que se dizer então em desconcentração, no âmbito da Administração Direta, quando uma entidade estatal, devido ao seu grande volume de atribuições, cria órgãos públicos por meio de uma repartição interna, facilitando o exercício de todas as suas funções. 9 MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 32 Ed. São Paulo: Malheiros, 2006, p DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 24 Ed. São Paulo: Atlas, 2011, p Idem. 5

6 Assim, desconcentração não gera desorganização entre o órgão público e a entidade estatal, pois há uma hierarquia existente entre eles, sendo uma forma segura e harmônica de desenvolver a Administração Pública Direta, considerando-se a atribuição do Estado de realizar o serviço por ele mesmo, isto é, diretamente. É nessa esteira que tem entendimento a jurisprudência, quando ao julgar a ilegitimidade passiva da Defensoria Pública para em juízo, por ser esta um órgão pertencente ao poder Executivo, como refere o acórdão, é cediço que a Defensoria Pública não tem personalidade jurídica, por constituir órgão despersonalizado da Administração Pública Direta, atrelado ao Poder Executivo 12. Os órgãos públicos estão integrados em pessoas jurídicas, cuja vontade produzem e exteriorizam. Cabe examinar, então, os sujeitos de direito que exercitam função administrativa. No atual cenário brasileiro, temos na Administração Direta a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, sendo que cada um possui personalidade jurídica própria. Assim, Administração Pública Direta é o conjunto de órgãos que integram as pessoas políticas do Estado. Ainda, quanto à classificação dos órgãos, segundo posição estatal podem ser: independentes quando se originam na Constituição; autônomos, se participam das tomadas de decisão do governo; superiores, compostos de órgãos de comando e direção, não possuidores de autonomia administrativa e financeira e que executam, planejam e buscam soluções técnicas; ou subalternos, subordinados aos órgãos superiores com função de execução. Em sua estrutura podem ser simples quando formados por um único centro de competência ou compostos se constituídos de vários órgãos menores. 12 Apelação e Reexame Necessário Nº , Terceira Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Matilde Chabar Maia, julgado em 25/04/

7 Quanto à atuação funcional são singulares os órgãos que tem apenas um agente que decide por eles ou colegiados quando integrado por vários agentes. Na Administração Indireta, podem ser estabelecidas diferenças quanto a sua personalidade jurídica, que pode ser de direito público, neste caso as autarquias, fundações de direito público e consórcio de direito público; ou de direito privado, como as empresas públicas sociedades de economia mista, fundações públicas, consórcios públicos privados e sociedades controladas, conforme o decreto-lei 200/ Por esse viés que disporemos sobre as entidades da Administração Indireta, originadas por meio do fenômeno da descentralização que é a distribuição de competências de um ou mais entes federados para outra pessoa jurídica. A autarquia é a pessoa jurídica de direito público, possuidora de prerrogativas e sujeições similares da Administração Direta e, segundo entendimento de Maria Sylvia Zanella di Pietro, que difere da União, Estados e Municípios pessoas públicas políticas por não ter capacidade política, ou seja, o poder de criar o próprio direito; é pessoa pública administrativa, porque tem apenas o poder de autoadministração, nos limites estabelecidos em lei. 14 A fundação, por sua vez, pode ter patrimônio público total ou parcial, sendo quando tem personalidade pública, o seu regime jurídico é idêntico ao das autarquias, sendo, por isso mesmo, chamada de autarquia fundacional, em oposição à autarquia corporativa; 13 BRASIL. Decreto-lei n. 200, de 25 de fevereiro de Dispõe sobre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 de março de DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 24 Ed. São Paulo: Atlas, 2011, p

8 (...); as fundações de direito privado regem-se pelo Direito Civil em tudo o que não for derrogado pelo direito público. 15 O consórcio público possui personalidade jurídica de direito público ou privado, podendo ser criado por no mínimo dois entes federativos para gerir determinados serviços públicos. Possuindo personalidade de direito público será inserida na categoria de autarquia, quando de direito privado, reger-se-á pelo Código Civil. A expressão empresa estatal abrangerá as próximas três entidades. A sociedade de economia mista tem sua personalidade como de direito privado, com forma de sociedade anônima, tem seu capital dividido entre público e privado e executa atividades econômicas, algumas delas próprias da iniciativa privada (...) e outras assumidas pelo Estado como serviços públicos (...). 16 A empresa pública tem personalidade jurídica privada e capital especificamente público, com possibilidade de ser organizada em qualquer uma das formas admitidas em direito. Sociedades controladas ou empresa sob controle acionário do Estado tem personalidade jurídica de direito privado e presta atividade econômica (pública ou privada), mas a que falta um dos requisitos essenciais para que seja considerada empresa pública ou sociedade de economia mista; em geral, presta serviços públicos comerciais e industriais do Estado, atuando, em muitos casos, como empresa concessionária de serviços públicos (...) Idem. 16 Id, p Ibidem. 8

9 A jurisprudência, segundo entendimento do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, no âmbito em que trata da autarquia como sendo pessoa jurídica de direito público, julga ser ilegítimo o município para compor polo passivo de causa, pois como a legitimidade para a causa guarda relação com a titularidade do direito material discutido na ação, sendo responsabilidade do PREVIRG o pagamento do benefício pleiteado, somente este deve figurar no pólo passivo da presente demanda. 18 No caso em tela, a PREVIRG é uma autarquia, possuidora de personalidade jurídica própria, em decorrência de sua descentralização, fazendo parte da Administração Pública Indireta. Assim, resta explanado a respeito da atividade da Administração Pública, dividida em Direta e Indireta, com as especificações da forma de execução do exercício a ela atribuído. É possível também vislumbrar o amplo rol de possibilidades para que esta execute seus fins. 3 Conclusão Pode-se notar a importância da delimitação das atividades da Administração Pública, frente às constantes evoluções pelas quais o direito passa, pois dessa forma é que se pode ter uma atividade justa e correta da própria Administração. Assim, do alto número de serviços que devem ser prestados pela Administração, surgem as soluções no seu exercício, podendo ser realizado de maneira direta ou então indireta, propiciando um amplo leque de execuções e uma completa efetuação das atividades de maneira que não seria possível se não houvessem 18 Apelação Cível Nº , Segunda Câmara Cível, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Arno Werlang, julgado em 11/09/2013) 9

10 determinadas divisões na estrutura da Administração, as denominadas desconcentração e descentralização. 4 - Referências BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado; BRASIL. Decreto-lei n. 200, de 25 de fevereiro de Dispõe sobre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 de março de CARVALHO FILHO, José dos Santos. Manual de direito administrativo. 20 Ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 24 Ed. São Paulo: Atlas, MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 32 Ed. São Paulo: Malheiros, MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de direito administrativo. 15 Ed. São Paulo: Malheiros,

TRANSFERÊNCIA DE POSSE, SEM TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO

TRANSFERÊNCIA DE POSSE, SEM TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO TRANSFERÊNCIA DE POSSE, SEM TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO O presente estudo tem o intuito de analisar e diferenciar brevemente os institutos da cessão de uso, concessão de uso e concessão de direito real de

Leia mais

Terminais Alfandegados à Luz do Direito Administrativo

Terminais Alfandegados à Luz do Direito Administrativo Terminais Alfandegados à Luz do Direito Administrativo LEONARDO COSTA SCHÜLER Consultor Legislativo da Área VIII Administração Pública ABRIL/2013 Leonardo Costa Schüler 2 SUMÁRIO O presente trabalho aborda

Leia mais

Aos Estados-membros é assegurada autonomia consistente na capacidade de autoadministração, autolegislação, autogoverno e auto-organização.

Aos Estados-membros é assegurada autonomia consistente na capacidade de autoadministração, autolegislação, autogoverno e auto-organização. Organização do Estado e da Administração Pública Noções introdutórias Gustavo Justino de Oliveira* A Constituição da República trata, em seu Título III, da Organização do Estado, precisamente, do artigo

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br A responsabilidade administrativa no Direito Ambiental por Carolina Yassim Saddi * Uma data que merece reflexão foi comemorada no dia 5 de junho do corrente ano: Dia Mundial do Meio

Leia mais

AULA 01. Esses três primeiros livros se destacam por serem atualizados pelos próprios autores.

AULA 01. Esses três primeiros livros se destacam por serem atualizados pelos próprios autores. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Direito Administrativo / Aula 01 Professora: Luiz Oliveira Castro Jungstedt Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 01 CONTEÚDO DA AULA: Estado Gerencial brasileiro.introdução1

Leia mais

PROCESSO - TC-2938/2005 INTERESSADO - SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE ALEGRE ASSUNTO - CONSULTA

PROCESSO - TC-2938/2005 INTERESSADO - SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE ALEGRE ASSUNTO - CONSULTA PROCESSO - TC-2938/2005 INTERESSADO - SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE ALEGRE ASSUNTO - CONSULTA REPASSE DE RECURSOS FINANCEIROS POR AUTARQUIA MUNICIPAL À PREFEITURA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE SUA

Leia mais

ENTIDADES PARAESTATAIS

ENTIDADES PARAESTATAIS ENTIDADES PARAESTATAIS I) CONCEITO Embora não empregada na atual Constituição Federal, entidade paraestatal é expressão que se encontra não só na doutrina e na jurisprudência, como também em leis ordinárias

Leia mais

Brasília (DF), 14 de outubro de 2004. REF.: LEI N.º 8.955, DE 15.12.94. PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO ART. 9º. ENTIDADE

Brasília (DF), 14 de outubro de 2004. REF.: LEI N.º 8.955, DE 15.12.94. PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO ART. 9º. ENTIDADE Brasília (DF), 14 de outubro de 2004. À FEDERAÇÃO NACIONAL DOS AUDITORES-FISCAIS DA PREVIDENCIÁRIA SOCIAL - FENAFISP, A/C do Ilustríssimo Dr. LUÍS RONALDO MARTINS ANGOTI, Digníssimo DIRETOR JURÍDICO. REF.:

Leia mais

LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS UniCEUB Centro Universitário de Brasília FAJS Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais Curso de Direito Turno: Vespertino Disciplina: Direito Administrativo I Professor: Hédel Torres LICITAÇÕES E CONTRATOS

Leia mais

Controle da Administração Pública

Controle da Administração Pública Noções introdutórias Gustavo Justino de Oliveira* Segundo denominação dada por José dos Santos Carvalho Filho, tem-se por controle da Administração Pública o conjunto de mecanismos jurídicos e administrativos

Leia mais

Convênios, contrato de repasse e termo de cooperação. Considerações iniciais acerca do convênio

Convênios, contrato de repasse e termo de cooperação. Considerações iniciais acerca do convênio Convênios, contrato de repasse e termo de cooperação Gustavo Justino de Oliveira* Considerações iniciais acerca do convênio Nos termos do artigo 1.º, 1.º, inciso I, do Decreto 6.170/2007, considera- -se

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. (Do Deputado Robério Negreiros) ~1.. ::J ".,,.",

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL. (Do Deputado Robério Negreiros) ~1.. ::J .,,., CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL EMENDA N 1 /2015 (MODIFICATIVA) (Do Deputado Robério Negreiros) Ao Projeto de Lei no 145 de 2015 que "Dispõe sobre a publicação mensal, em diário oficial e outros

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO UMA SÍNTESE SOBRE CONTRATO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO UMA SÍNTESE SOBRE CONTRATO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO UMA SÍNTESE SOBRE CONTRATO ADMINISTRATIVO Introdução O Direito Administrativo reservou a expressão contrato administrativo para designar os ajustes que a Administração Pública celebra

Leia mais

Administração Pública e Terceiro Setor

Administração Pública e Terceiro Setor CAPÍTULO II Administração Pública e Terceiro Setor Sumário 1. Administração Pública: 1.1 Noções gerais; 1.2 Concentração e desconcentração. Centralização e descentralização; 1.3 Administração Direta: 1.3.1

Leia mais

PROCESSO - TC-2216/2003 INTERESSADO - CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA TERESA ASSUNTO - CONSULTA

PROCESSO - TC-2216/2003 INTERESSADO - CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA TERESA ASSUNTO - CONSULTA PROCESSO - TC-2216/2003 INTERESSADO - CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA TERESA ASSUNTO - CONSULTA TELEFONIA CELULAR CONTRATAÇÃO PELO PODER LEGISLATIVO DE OPERADORA PARA ATENDER AOS VEREADORES, SERVIDORES E SEUS

Leia mais

O Princípio da Eficiência na Administração Pública

O Princípio da Eficiência na Administração Pública O Princípio da Eficiência na Administração Pública Cristiane Fortes Nunes Martins 1 1. Introdução A Administração Pública é regida por princípios que se encontram discriminados na Constituição Federal

Leia mais

Direito Administrativo 4º semestre Professora Ilza Facundes. Introdução ao. Direito Administrativo

Direito Administrativo 4º semestre Professora Ilza Facundes. Introdução ao. Direito Administrativo 4º semestre Professora Ilza Facundes Introdução ao Direito Administrativo NOÇÕES GERAIS O estudo do Direito Administrativo, no Brasil, torna- se um pouco penoso pela falta de um código, uma legislação

Leia mais

Tropa de Elite - Batalha Final Direito Constitucional Administração Pública Giuliano Menezes

Tropa de Elite - Batalha Final Direito Constitucional Administração Pública Giuliano Menezes Tropa de Elite - Batalha Final Direito Constitucional Administração Pública Giuliano Menezes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento/CEFOR Especialização em Instituições e processos Políticos do Legislativo

Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento/CEFOR Especialização em Instituições e processos Políticos do Legislativo Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento/CEFOR Especialização em Instituições e processos Políticos do Legislativo Maria Amélia da Silva Castro A função controle exercida pelo parlamento: o papel

Leia mais

FACULDADES DEL REY A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS POR MEIO DO INSTITUTO DA AUTORIZAÇÃO

FACULDADES DEL REY A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS POR MEIO DO INSTITUTO DA AUTORIZAÇÃO FACULDADES DEL REY A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS POR MEIO DO INSTITUTO DA AUTORIZAÇÃO Iúlian Miranda 1 Gustavo Rocha Uchiyama 2 Belo Horizonte 2012 1 Mestrando em Direito Administrativo pela Faculdade

Leia mais

ARTIGO: DA IMPOSSIBILIDADE DA APLICAÇÃO DO ENUNCIADO 331 DO TST EM CONTRATO DE CONVÊNIO COM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.

ARTIGO: DA IMPOSSIBILIDADE DA APLICAÇÃO DO ENUNCIADO 331 DO TST EM CONTRATO DE CONVÊNIO COM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. ARTIGO: DA IMPOSSIBILIDADE DA APLICAÇÃO DO ENUNCIADO 331 DO TST EM CONTRATO DE CONVÊNIO COM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Autores: SANDRA CRISTINA FLORIANO PEREIRA DE OLIVEIRA SANCHES, bacharel em direito pela

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC CARGOS: Técnico do INSS www.beabadoconcurso.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. - 1 - APOSTILA ESQUEMATIZADA SUMÁRIO UNIDADE 1 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n 8.112/90) 1.1

Leia mais

3º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (CESPE) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

3º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (CESPE) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ Quadro de Avisos: Informo o lançamento dos seguintes cursos aqui no Ponto dos Concursos: Lei nº 8.112/90 em Exercícios (CESPE); Lei nº 8.429/92 em Exercícios (CESPE); Lei nº 8.666/93 em Exercícios (CESPE);

Leia mais

PARCERIAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PARCERIAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Maria Sylvia Zanella Di Pietro PARCERIAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Concessão, Permissão, Franquia, Terceirização, Parceria Público-Privada e outras Formas loª Edição SÃO PAULO EDITORA ATLAS S.A. - 2015

Leia mais

FORMAÇÃO DE CONSÓRCIO ESCOLHA DE PARCEIRO POR EMPRESA ESTADUAL DESNECESSIDADE DE LICITAÇÃO

FORMAÇÃO DE CONSÓRCIO ESCOLHA DE PARCEIRO POR EMPRESA ESTADUAL DESNECESSIDADE DE LICITAÇÃO Número 12 março de 2002 Salvador Bahia Brasil FORMAÇÃO DE CONSÓRCIO ESCOLHA DE PARCEIRO POR EMPRESA ESTADUAL DESNECESSIDADE DE LICITAÇÃO Prof. Antônio Carlos Cintra do Amaral Advogado em São Paulo. Consultor

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. 2 o. SEMESTRE/2009

MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. 2 o. SEMESTRE/2009 INTENSIVO REGULAR DE SÁBADO Disciplina: Direito Administrativo Profª.: Daniela Mello Datas: 03.10.2009 Aula n 01 MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Noções Gerais das Licitações

Noções Gerais das Licitações Noções Gerais das Licitações Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Administrativo I Publicação no semestre 2014.1 do curso de Direito. Autor: Albérico Santos Fonseca

Leia mais

D OBJETIVOS E IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA PARA A FORMAÇÃO DO EGRESSO

D OBJETIVOS E IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA PARA A FORMAÇÃO DO EGRESSO 27/07/2015 Página 1 de 5 PLANO DE ENSINO - CURSO SEMESTRAL Disciplina DIREITO ADMINISTRATIVO III Curso Graduação Período 8º período Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional Turmas A, B e D Código

Leia mais

200 Questões Fundamentadas do Ministério Público

200 Questões Fundamentadas do Ministério Público 1 Para adquirir a apostila digital de 200 Questões Fundamentadas acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br S U M Á R I O Apresentação...3 Questões...4 Respostas...59 Bibliografia...101 2 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Prof. Rafael Oliveira. www.professorrafaeloliveira.com.br SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA CONCURSOS PÚBLICOS CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO

Prof. Rafael Oliveira. www.professorrafaeloliveira.com.br SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA CONCURSOS PÚBLICOS CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA CONCURSOS PÚBLICOS CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO PROF. RAFAEL OLIVEIRA 1) BIBLIOGRAFIA BÁSICA: OLIVEIRA, Rafael Carvalho Rezende. Curso de Direito Administrativo, 3ª ed.,

Leia mais

TREINAMENTO AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE RORAIMA. Módulo: Administração de Folha de Pagamento e Gestão de Pessoas

TREINAMENTO AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE RORAIMA. Módulo: Administração de Folha de Pagamento e Gestão de Pessoas TREINAMENTO AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE RORAIMA Módulo: Administração de Folha de Pagamento e Gestão de Pessoas Instrutor: Aurisfran Feitosa de Oliveira Auditor-Fiscal de Contas UNIVIRR, fevereiro/2013

Leia mais

RETROCESSÃO: QUAL SERÁ REALMENTE SUA NATUREZA JURÍDICA?

RETROCESSÃO: QUAL SERÁ REALMENTE SUA NATUREZA JURÍDICA? RETROCESSÃO: QUAL SERÁ REALMENTE SUA NATUREZA JURÍDICA? Por Carlos Augusto F. S. Ahringsmann BREVÍSSIMAS CONSIDERAÇÕES INICIAIS Antes de tecer qualquer consideração acerca da natureza jurídica do instituto

Leia mais

PF 04 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PF 04 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CONCEITO: É a atividade desenvolvida pelo Estado ou seus delegados, sob o regime de Direito Público, destinada a atender de modo direto e imediato, necessidades concretas da coletividade.

Leia mais

Tipos de Licitação 1. Introdução

Tipos de Licitação 1. Introdução 1 Tipos de Licitação José Carlos de Oliveira Professor de Direito Administrativo na graduaçãoe no Programa de Pós- Graduação em Direito da Faculdade deciências Humanas e Sociais da Unesp/Franca 1. Introdução

Leia mais

TÍTULO: ESTABILIDADE E ESTÁGIO PROBATÓRIO, INSTITUTOS DIFERENTES

TÍTULO: ESTABILIDADE E ESTÁGIO PROBATÓRIO, INSTITUTOS DIFERENTES Página93 TÍTULO: DIFERENTES Denis Lopes Franco 1 SUMÁRIO: INTRODUÇÃO; 1. CONCEITO DE ESTABILIDADE; 1.1. REQUISITOS PARA AQUISIÇÃO DA ESTABILIDADE; 1.2. ESTABILIDADE NÃO SE CONFUNDE COM EFETIVIDADE OU VITALICIEDADE;

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2011

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2011 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2011 Disciplina: Direito Administrativo I Departamento IV Direito do Estado Docente Responsável: Prof. José Pedro Zaccariotto Carga Horária Anual: 100 horas/aula Tipo:

Leia mais

Procuradoria do Domínio Público Estadual PARECER Nº 13.553

Procuradoria do Domínio Público Estadual PARECER Nº 13.553 Procuradoria do Domínio Público Estadual Proc. Adm. nº 1199-1204/01-3 PARECER Nº 13.553 LICITAÇÃO. Contratação direta motivada na singularidade do serviço e na inviabilidade de competição. Hipótese de

Leia mais

Administração Direta. Empresas Estatais

Administração Direta. Empresas Estatais Ordem Social Ordem Econômica Administração Indireta Administração Direta Autarquia Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Consórcio Público

Leia mais

OS LIMITES DO PODER DISCRICIONÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

OS LIMITES DO PODER DISCRICIONÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA OS LIMITES DO PODER DISCRICIONÁRIO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A Administração Pública, no exercício de suas funções, dispõe de poderes que visam garantir a prevalência do interesse público sobre o particular.

Leia mais

Aims and limitations of State intervention in the economy from the perspective of Brazilian Constitution of 1988

Aims and limitations of State intervention in the economy from the perspective of Brazilian Constitution of 1988 ISSN 2179-345X Licenciado sob uma Licença Creative Commons [T] Finalidades e limitações da intervenção do Estado na economia sob a ótica da Constituição da República de 1988 [I] Aims and limitations of

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/1 DISCIPLINA: DIREITO CONSTITUCIONAL II PROFESSOR: SERGIO ROBERTO LEAL DOS SANTOS TURMA: 4º

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária SEMANAL MENSAL D-43tc 7º 04 04 60 Turma Nome da Disciplina - Curso 2009.2 DIREITO ADMINISTRATIVO II - DIREITO PRÉ-REQUISITO D.36 DIREITO ADMINISTRATIVO I(MATRIZ

Leia mais

DELIBERAÇÃO CEE Nº 302, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2006. I. Pessoas Físicas e Jurídicas; Associações e Fundações

DELIBERAÇÃO CEE Nº 302, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2006. I. Pessoas Físicas e Jurídicas; Associações e Fundações Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LEGISLAÇÃO E NORMAS DELIBERAÇÃO CEE Nº 302, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2006. Estabelece

Leia mais

As Agências Reguladoras da Saúde e os Direitos Sociais

As Agências Reguladoras da Saúde e os Direitos Sociais As Agências Reguladoras da Saúde e os Direitos Sociais Roberto Passos Nogueira* As agências reguladoras 1 foram criadas, a partir de 1996, como resultado de uma confluência ocorrida entre a reforma do

Leia mais

LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO

LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO Capítulo

Leia mais

2.6.2. Entidades fundacionais as fundações públicas 2.6.2.1. Conceito

2.6.2. Entidades fundacionais as fundações públicas 2.6.2.1. Conceito Esses consórcios, a fim de poder assumir obrigações e exercer seus direitos perante terceiros, precisam de personalidade jurídica, assim, a citada lei dispôs que eles serão pessoas jurídicas de direito

Leia mais

2º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (CESGRANRIO) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

2º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (CESGRANRIO) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ Prezados(as) concurseiros(as), Tudo bem com vocês? Prontos(as) para mais um simulado? QUADRO DE AVISOS: Informo o lançamento dos seguintes cursos aqui no Ponto: Direito Administrativo em Exercícios (ESAF)

Leia mais

A APLICAÇÃO RETROATIVA DA LEI 11.334/2006, QUE REDUZIU MULTAS DE TRÂNSITO POR EXCESSO DE VELOCIDADE

A APLICAÇÃO RETROATIVA DA LEI 11.334/2006, QUE REDUZIU MULTAS DE TRÂNSITO POR EXCESSO DE VELOCIDADE A APLICAÇÃO RETROATIVA DA LEI 11.334/2006, QUE REDUZIU MULTAS DE TRÂNSITO POR EXCESSO DE VELOCIDADE Miguel Teixeira Filho Advogado em Joinville/SC www.teixeirafilho.com.br 1. Introdução O presente artigo

Leia mais

DISPENSA COM JUSTA CAUSA DO EMPREGADO PÚBLICO DE SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA UMA INTERPRETAÇÃO ANALÓGICA 1

DISPENSA COM JUSTA CAUSA DO EMPREGADO PÚBLICO DE SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA UMA INTERPRETAÇÃO ANALÓGICA 1 DISPENSA COM JUSTA CAUSA DO EMPREGADO PÚBLICO DE SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA UMA INTERPRETAÇÃO ANALÓGICA 1 Cristian Ribeiro Porto 2 RESUMO: O objetivo deste estudo é analisar o ordenamento jurídico pátrio,

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Parte 1 Carlos Barbosa Advogado e Consultor Jurídico em ; Professor de Direito, especialista em Aperfeiçoamento em Direito pela Faculdade de Direito Damásio de Jesus - São Paulo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 817.534 - MG (2006/0025288-1) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES RECORRENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS RECORRIDO : EMPRESA DE TRANSPORTE E TRÂNSITO DE BELO

Leia mais

1º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (CESPE) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. Quadro de Avisos:

1º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (CESPE) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. Quadro de Avisos: Quadro de Avisos: Informo o lançamento dos seguintes cursos aqui no Ponto dos Concursos: Lei nº 8.112/90 em Exercícios (CESPE); Lei nº 8.666/93 em Exercícios (CESPE); Direito Administrativo - PACOTE DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO

APRESENTAÇÃO DO CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO APRESENTAÇÃO DO CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Salve salve mais uma vez meus amigos concurseiros! O Curso de Direito Administrativo que terá início na primeira semana de julho (08/07) voltará sua atenção

Leia mais

1. DEFINIÇÕES NA DOUTRINA.

1. DEFINIÇÕES NA DOUTRINA. 1. DEFINIÇÕES NA DOUTRINA. CARGO: São as mais simples e indivisíveis unidades de competência a serem expressadas por um agente, previstas em número certo, com denominação própria (...) Celso A. Bandeira

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 8.031, DE 12 DE ABRIL DE 1990. Revogada pela Lei. nº 9.491, de 1997 Cria o Programa Nacional de Desestatização, e dá outras

Leia mais

20/03/2014 PLENÁRIO : MIN. MARCO AURÉLIO

20/03/2014 PLENÁRIO : MIN. MARCO AURÉLIO Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 20/03/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 784.682 MINAS GERAIS RELATOR : MIN. MARCO AURÉLIO RECTE.(S)

Leia mais

QUESTÕES CONTROVERTIDAS SOBRE AS DIÁRIAS PREVISTAS NA LEI Nº 8.112/1990

QUESTÕES CONTROVERTIDAS SOBRE AS DIÁRIAS PREVISTAS NA LEI Nº 8.112/1990 1 QUESTÕES CONTROVERTIDAS SOBRE AS DIÁRIAS PREVISTAS NA LEI Nº 8.112/1990 Francisco José de Andrade Pereira 1 Sumário: I - Introdução; II - Natureza jurídica; III - Questões controvertidas sobre o pagamento

Leia mais

APLICABILIDADE DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR AOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

APLICABILIDADE DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR AOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS APLICABILIDADE DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR AOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS Jatir Batista da Cunha 1 No processo nº TC-015.972/1999-2 do TCU, debateu-se a questão da aplicabilidade do Código de Defesa

Leia mais

AÇAO DIRETA DE INCONSTITUCIONAL IDADE DE LEI

AÇAO DIRETA DE INCONSTITUCIONAL IDADE DE LEI PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Acórdão Vistos, relatados e discutidos estes autos de AÇAO DIRETA DE INCONSTITUCIONAL IDADE DE LEI n 060.217-0/0-00, da Comarca de SÃO PAULO,

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Administrativo II

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Administrativo II COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Administrativo II Código: DIR-369-b Pré-requisito: Direito Administrativo I Período

Leia mais

-nptir;frit4 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

-nptir;frit4 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES 1. - rebsp."-:" -nptir;frit4 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 041.2001.000.557-1/001 Juizo da Vara Única da Comarca de Alhandra.

Leia mais

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll

i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll sajfâu PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 397 ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SAC>PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii uni uni mil uni mil mil mil llll llll Vistos,

Leia mais

Teoria do órgão, classificação e Poderes do Estado

Teoria do órgão, classificação e Poderes do Estado Teoria do órgão, classificação e Poderes do Estado Órgão público Várias teorias tentam explicar a natureza do órgão público e identificar suas atribuições ao Estado. Os órgãos públicos são meros centros

Leia mais

Vitória, 22 de abril de 2008. Mensagem n º 84 / 2008. Senhor Presidente:

Vitória, 22 de abril de 2008. Mensagem n º 84 / 2008. Senhor Presidente: Vitória, 22 de abril de 2008. Mensagem n º 84 / 2008 Senhor Presidente: Comunico a V. Exa. que, amparado nos artigos 66, 2 e 9, IV da Constituição Estadual, decidi vetar totalmente por inconstitucionalidade

Leia mais

Princípios Constitucionais do Direito Administrativo

Princípios Constitucionais do Direito Administrativo 1 Princípios Constitucionais do Direito Administrativo Maria Bernadete Miranda Mestre em Direito das Relações Sociais, sub-área Direito Empresarial, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo,

Leia mais

DIOGO VITOR PINHEIRO PLANO DE GESTÃO PARA COBRANÇA DA DIVIDA ATIVA

DIOGO VITOR PINHEIRO PLANO DE GESTÃO PARA COBRANÇA DA DIVIDA ATIVA DIOGO VITOR PINHEIRO PLANO DE GESTÃO PARA COBRANÇA DA DIVIDA ATIVA ITAJAÍ 2007 PLANO DE GESTÃO PARA COBRANÇA DA DIVIDA ATIVA DIOGO VITOR PINHEIRO, Advogado, Pós Graduado em Administração Pública, sócio

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO 1 DIREITO ADMINISTRATIVO TEORIA, DICAS, MACETES E POR ASSUNTO. Walber Siqueira Vieira E-mail: drwalber@yahoo.com.br ORKUT: walber siqueira TWITTER:DRWALBER MATERIAL DE DEMONSTRAÇÃO - Alguns tópicos da

Leia mais

NATUREZA JURÍDICA DA ATIVIDADE EXERCIDA PELOS DELEGADOS DE POLÍCIA

NATUREZA JURÍDICA DA ATIVIDADE EXERCIDA PELOS DELEGADOS DE POLÍCIA NATUREZA JURÍDICA DA ATIVIDADE EXERCIDA PELOS DELEGADOS DE POLÍCIA Mário Leite de Barros Filho Delegado de Polícia do Estado de São Paulo, professor universitário, autor de quatro obras na área do Direito

Leia mais

Auto-executoriedade na regulação sanitária. Nina Laporte Bomfim

Auto-executoriedade na regulação sanitária. Nina Laporte Bomfim Auto-executoriedade na regulação sanitária Nina Laporte Bomfim Definição Qualidade pela qual o Poder Público pode compelir materialmente o administrado, sem precisar buscar previamente as vias judiciais,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2011.0000154119 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9144977-64.2002.8.26.0000, da Comarca de Mairiporã, em que são

Leia mais

Ref.: Impugnação aos termos do Edital de Pregão Presencial nº 01-2015

Ref.: Impugnação aos termos do Edital de Pregão Presencial nº 01-2015 Ilmo. Sr. Pregoeiro do Conselho Regional de Administração de Goiás Ref.: Impugnação aos termos do Edital de Pregão Presencial nº 01-2015 Oi Móvel S.A., com sede no Setor Comercial Norte, quadra 03, Bloco

Leia mais

Atos administrativos Parte 1

Atos administrativos Parte 1 Parte 1 Todos os direitos reservados. A comercialização não autorizada desta obra, por qualquer meio, eletrônico ou reprográfico, ainda que parcial, constitui ato ilícito, respondendo os infratores nos

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 92 - Data 2 de abril de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS FUNDAÇÕES PÚBLICAS. DISPENSA DE APRESENTAÇÃO DA EFD-CONTRIBUIÇÕES.

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE FORNECIMENTO DE DADOS. MUNICÍPIO

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE FORNECIMENTO DE DADOS. MUNICÍPIO APELAÇÃO CÍVEL Nº 805914-5, DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA 3ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA, FALÊNCIAS E RECUPERAÇÃO JUDICIAL APELANTE : MUNICÍPIO DE CURITIBA APELADO 1 : BRASIL

Leia mais

LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO

LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO LEIS EXTRAVAGANTES DE DIREITO ADMINISTRATIVO SUMÁRIO UNIDADE 1 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n 8.112/90) 1.1 Provimento 1.2 Vacância 1.3 Regime Disciplinar UNIDADE 2 Processo

Leia mais

OS SERVIÇOS SOCIAIS AUTÔNOMOS E A NECESSIDADE DE LICITAR

OS SERVIÇOS SOCIAIS AUTÔNOMOS E A NECESSIDADE DE LICITAR OS SERVIÇOS SOCIAIS AUTÔNOMOS E A NECESSIDADE DE LICITAR Gina Copola Α (setembro/2.011) 1. O conceito dos serviços sociais autônomos Os atualizadores da obra de Hely Lopes Meirelles 1 entendem que Serviços

Leia mais

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 48434/2011 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 48434/2011 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL APELAÇÃO Nº 48434/2011 CLASSE CNJ 198 COMARCA CAPITAL Fls. APELANTE: MILTON CAMPOS ARRUDA APELADO: INSTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES DE CUIABÁ CUIABÁPREV Número do Protocolo: 48434/2011

Leia mais

Gestão de Contratos. Noções

Gestão de Contratos. Noções Gestão de Contratos Noções Contrato - Conceito Contrato é todo acordo de vontades, celebrado para criar, modificar ou extinguir direitos e obrigações de índole patrimonial entre as partes (Direito Civil).

Leia mais

Questões Fundamentadas Da Administração Pública Arts. 37 ao 43 da CF

Questões Fundamentadas Da Administração Pública Arts. 37 ao 43 da CF 1 Para adquirir a apostila de 300 Questões Comentadas Da Administração Pública - Art. 37 ao 43 da CF acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br SUMÁRIO Apresentação...3 Questões...4 Respostas...105

Leia mais

Nº 70030334460 COMARCA DE PORTO ALEGRE A C Ó R D Ã O

Nº 70030334460 COMARCA DE PORTO ALEGRE A C Ó R D Ã O ADIN. LEI MUNICIPAL. INCONSTITUCIONALIDADE FORMAL E MATERIAL. MATÉRIA DE COMPETÊNCIA DO ESTADO. CAPINA QUÍMICA. Padece de inconstitucionalidade formal, por vício material e formal dos artigos 8º e 251,

Leia mais

MÓDULO ESPECIAL DE CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO Disciplina: DIREITO ADMINISTRATIVO Tema: Serviços Públicos Prof.: Flávia Cristina Data: 09/05/07

MÓDULO ESPECIAL DE CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO Disciplina: DIREITO ADMINISTRATIVO Tema: Serviços Públicos Prof.: Flávia Cristina Data: 09/05/07 MATERIAL DE APOIO 1.Serviço público 1.1 Definição: Maria Silvia di Pietro: toda atividade material que a lei atribui ao estado para que exerça diretamente ou por meios de seus delegados com o objetivo

Leia mais

PODER DE POLÍCIA AMBIENTAL E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA POLICE POWER OF ENVIRONMENTAL AND PUBLIC ADMINISTRATION

PODER DE POLÍCIA AMBIENTAL E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA POLICE POWER OF ENVIRONMENTAL AND PUBLIC ADMINISTRATION PODER DE POLÍCIA AMBIENTAL E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA POLICE POWER OF ENVIRONMENTAL AND PUBLIC ADMINISTRATION Recebido para publicação em junho de 2010. RESUMO: O presente texto tem como objetivo analisar

Leia mais

BIBLIOTECA - UNIDADE LONDRINA RELAÇÃO DE OBRAS

BIBLIOTECA - UNIDADE LONDRINA RELAÇÃO DE OBRAS BIBLIOTECA - UNIDADE LONDRINA RELAÇÃO DE OBRAS DIREITO ADMINISTRATIVO TÍTULO: CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO 25ª/2ª TIRAGEM AUTOR: CELSO ANTÔNIO BANDEIRA DE MELLO ANO: 2008 TÍTULO: DIREITO ADMINISTRATIVO

Leia mais

O SILÊNCIO DA LEI NA ESFERA ADMINISTRATIVA

O SILÊNCIO DA LEI NA ESFERA ADMINISTRATIVA 71 O SILÊNCIO DA LEI NA ESFERA ADMINISTRATIVA Camilla Mendonça Martins Acadêmica do 2º ano do curso de Direito das FITL AEMS Mariana Ineah Fernandes Acadêmica do 2º ano do curso de Direito das FITL AEMS

Leia mais

TÓPICOS PARA ESTUDOS AULA 7: SISTEMA DE PESSOAL NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Prof. Antonio Dourado Vasconcelos

TÓPICOS PARA ESTUDOS AULA 7: SISTEMA DE PESSOAL NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Prof. Antonio Dourado Vasconcelos TÓPICOS PARA ESTUDOS AULA 7: SISTEMA DE PESSOAL NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Prof. Antonio CONCEITO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Numa visão global, a Administração Pública é, pois, todo o aparelhamento

Leia mais

AS CARREIRAS DE ESTADO

AS CARREIRAS DE ESTADO AS CARREIRAS DE ESTADO Ultimamente, muito se tem falado sobre as Carreiras Típicas de Estado. Mas o que vem a ser exatamente uma Carreira Típica de Estado? Imaginemos um modelo mínimo de administração

Leia mais

Torna obrigatória a contratação do serviço de Inspeção de Segurança Veicular mediante processo de licitação pública.

Torna obrigatória a contratação do serviço de Inspeção de Segurança Veicular mediante processo de licitação pública. PROJETO DE LEI N 3005 DE 2008 Business Online Comunicação de Dados Torna obrigatória a contratação do serviço de Inspeção de Segurança Veicular mediante processo de licitação pública. Autor: Regis de Oliveira

Leia mais

Juros - Aspectos Econômicos e Jurídicos

Juros - Aspectos Econômicos e Jurídicos 128 Juros - Aspectos Econômicos e Jurídicos Marcelo Mondego de Carvalho Lima 1 Não se pode iniciar este trabalho sem fazer alusão aos d. palestrantes que, em várias semanas, tornaram simples uma matéria,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL NORDESTE. 2.ª Fase. Prova Prático-Profissional

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL NORDESTE. 2.ª Fase. Prova Prático-Profissional ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL NORDESTE EXAME DE ORDEM 2004 2.ª Fase Prova Prático-Profissional DIREITO ADMINISTRATIVO PEÇA PROFISSIONAL A União pretende desapropriar um imóvel situado na Rua X, n.º 2 004,

Leia mais

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA N 05/2013

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA N 05/2013 RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA N 05/2013 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, pelo Promotor de Justiça que esta subscreve, no exercício das atribuições conferidas pelo inc. II do art. 129 da Constituição

Leia mais

BRUNO PENA & ADVOGADOS ASSOCIADOS S/S

BRUNO PENA & ADVOGADOS ASSOCIADOS S/S PARECER Interessado: Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás - SINPOL. SERVIDOR PÚBLICO. INGRESSO EM 2004. APOSENTADORIA. PARIDADE. INTEGRALIDADE DE PROVENTOS. RELATÓRIO Trata-se de consulta feita

Leia mais

SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR

SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR Consiste na forma como as diferentes Pessoas Jurídicas atuam no desenvolvimento de atividades econômicas e sociais no âmbito da sociedade. De acordo com o

Leia mais

O terreno de marinha, conforme se verá, é de propriedade da União por força da Constituição Federal de 1988 e de Leis infraconstitucionais.

O terreno de marinha, conforme se verá, é de propriedade da União por força da Constituição Federal de 1988 e de Leis infraconstitucionais. União pode dispor do domínio útil de terreno da marinha Por Rodrigo Passos Pinheiro Fonte: Consultor Jurídico 18/06/12 A questão apresentada envolve conhecimento específico da legislação sobre terrenos

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A criação de área de proteção ambiental e o dever estatal de indenizar Bruno Quiquinato Ribeiro* A partir de um exemplo prático de intervenção estatal na propriedade, qual seja a

Leia mais

A NATUREZA JURÍDICA DA REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E COLETA DE ESGOTO-TAXA OU PREÇO PÚBLICO?

A NATUREZA JURÍDICA DA REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E COLETA DE ESGOTO-TAXA OU PREÇO PÚBLICO? A NATUREZA JURÍDICA DA REMUNERAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E COLETA DE ESGOTO-TAXA OU PREÇO PÚBLICO? CARLA ADRIANA BASSETO DA SILVA A autora é advogada, do SERVIÇO MUNICIPAL DE SANEAMENTO

Leia mais

I. Da natureza jurídica da assinatura telefônica.

I. Da natureza jurídica da assinatura telefônica. DA COMPETÊNCIA, NAS AÇÕES CONTRA A COBRANÇA DE ASSINATURA TELEFÔNICA. I. Da natureza jurídica da assinatura telefônica. A cobrança da tarifa de assinatura telefônica surgiu em 1966, em plena época da ditadura

Leia mais

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL UNAFE, pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, associação civil

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA DIREITO ADMINISTRATIVO Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes e organização; natureza, fins e princípios. Direito Administrativo: conceito, fontes e princípios. Organização

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Decisão sobre Repercussão Geral DJe 23/10/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 11 30/08/2012 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 684.169 RIO GRANDE DO SUL RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S)

Leia mais

Atividades-meio, atividades-fim e a terceirização de serviços pelo Poder Público CONSULTA N. 783.098

Atividades-meio, atividades-fim e a terceirização de serviços pelo Poder Público CONSULTA N. 783.098 Atividades-meio, atividades-fim e a terceirização de serviços pelo Poder Público CONSULTA N. 783.098 EMENTA: Consulta Município I. Definição de atividades-meio e atividades-fim Atividades-fim consubstanciam

Leia mais