[3,5] 1. Discuta a importância das culturas-tipo em taxonomia, ecologia e usos práticos da microbiologia do solo.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "[3,5] 1. Discuta a importância das culturas-tipo em taxonomia, ecologia e usos práticos da microbiologia do solo."

Transcrição

1 1. [3,5] 1. Discuta a importância das culturas-tipo em taxonomia, ecologia e usos práticos da microbiologia do solo. A importância de culturas-tipo em taxonomia, ecologia e usos práticos da microbiologia do solo se dá pelos seguintes fatores: Comparar características morfológicas entre uma bactéria já descrita e identidade com uma bactéria recém-isolada; Comparar a eficiência de uma bactéria, por exemplo, fixadora de nitrogênio vendida no mercado com uma nova estirpe das mesmas bactérias; Verificar a resistência de genótipos de uma planta sendo atacada por bactéria de referência; Identificar, através de estudos filogenéticos, semelhanças e/ou diferenças entre estirpes de uma bactéria identificando, por exemplo, quais fatores tornam uma estirpe mais resistente ou com melhor capacidade de fixar nitrogênio. Resposta muito superficial para doutorado, mas fala de alguns dos aspectos principais 2. [1,5] 2. Cite alguns dos principais centros de pesquisa em microbiologia do solo no Brasil, e qual a principal especialidade deles. Escola de Ensino Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) Departamento de ciências do solo. Área de pesquisa: Microbiologia. Especialidade: Indicadores microbiológicos e bioquímicos de qualidade do solo, ecologia de fungos micorrízicos, estratégias microbiológicas de recuperação de áreas degradadas. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Agrobiologia- CNPAB) Especialidade: Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) em leguminosas e em não leguminosas, Biologia Molecular (genoma e proteoma), Recuperação de Áreas Degradadas, Agricultura Orgânica, Ciclagem de Nutrientes, Diversidade de Microorganismos e Fauna do Solo e Biossegurança. Instituto agronômico de campinas (IAC) Especialidades: Fixação biológica do nitrogênio, Rizobactérias promotoras de crescimento de plantas, Micorrizas e atividade e diversidade da microbiota edáfica. Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) Especialidade: Microbiologia (fixação biológica de nitrogênio). Universidade Federal de Viçosa (UFV) Especialidades: Associações biológicas: Ecologia, fisiologia, genética, regulação de expressão gênica nas interações planta/microrganismo. Temas ligados às associações micorrízicas e à genética de fungos fitopatogênicos são abordados. Universidade Federal de Lavras (UFLA) Especialidades: Simbioses mutualístas entre plantas, bactérias (Fixação Biológica de N2) e fungos (micorrízas). Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Especialidade: Fixação biológica de nitrogênio. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Especialidades: Fixação biológica de nitrogênio, Diversidade microbiana no solo e Avaliação da atividade dos microrganismos do solo e seus efeitos nos ciclos biogeoquímicos; transformações microbianas de resíduos orgânicos dispostos no solo. Estudo das interações entre plantas e microrganismos fixadores de nitrogênio. Baseado muito de perto no livro, com o acréscimo de IPA e UFRPE. Mantem o IAC que já não tem mais peso na microbiologia do solo, e não inclui EMBRAPAs Soja e Cerrado, nem a UEL, todas com bastante peso hoje em dia. 3. [1,75] 3. Considerando as principais funções ecológicas da biologia do solo, discuta a participação de cada uma das principais classes de organismos em cada função. Bactérias: Desempenham um papel muito importante no equilíbrio do ecossistema do Planeta como decompositoras nas cadeias e teias alimentares. Destacam-se, neste caso as bactérias decompositoras ou saprófilas, que, juntamente com certos fungos, atuam na natureza

2 consumindo a matéria orgânica morta e transformando-a em matéria inorgânica simples, que pode ser reaproveitada por outros seres, especialmente as plantas. Protozoários: igualmente as bactérias e fungos, os protozoários auxiliam na decomposição de matéria orgânica. Fungos: desempenham o papel de decompositores na natureza, sendo fundamentais na manutenção do equilíbrio natural dos ecossistemas, decompondo os cadáveres e os resíduos de seres vivos (como fezes e urina), absorvendo somente uma parte para a sua nutrição. O restante dos sais minerais resultantes da decomposição fica no ambiente. Além do papel de decompositores, colaboram na reciclagem de materiais no solo e na água e exercem um papel essencial nas cadeias e teias alimentares. Alguns fungos vivem associados à algas ou à cianobactérias. Essa associação, o mutualismo, é vantajosa para ambos e recebe o nome de líquen. Na agricultura os fungos possuem um importantíssimo papel que é a formação de Micorrizas, que podem aumentar a produtividade agrícola. Líquens: produzem ácidos que degradam rochas e ajudam na formação do solo, tornandose organismos pioneiros em diversos ambientes. Esses ácidos também possuem ação citotóxica e antibiótica. Quando a associação é com uma cianobactéria, os liquens são fixadores de nitrogênio, sendo importantes fontes de nitrogênio para o solo. Não incluiu Archaea, mas o ponto de lembrar dos líquens caiu bem. Também não incluiu a fauna, que tem funções muito importantes, em particular na decomposição e estrutura do solo. 4. [1,5] 4. Discuta papeis dos organismos autotróficos em alguns ambientes do solo. Existem diversas funções dos organismos autotróficos no solo. Dentre os diversos papeis desses organismos a decomposição de rochas e matéria orgânica merece destaque, graças a associação mutualística dos liquens que povoam inicialmente as superfícies das rochas decompondo-as através da secreção de ácidos orgânicos. Com isso ocorre uma adição de biomassa e com o passar do tempo cria-se um ambiente adequado para a fixação de outros organismos autotróficos e heterotróficos. Esses outros organismos também apresentam um papel fundamental na ecologia do solo, sendo esses organismos dependentes de fontes de carbono orgânico como por exemplo bactérias fixadoras de nitrogênio de vida livre. As plantas (autotróficos) são responsáveis pela enorme produção de biomassa que servirá como fonte de energia para os demais níveis trópicos subsequentes. Além dessa alta produção de biomassa esses organismos criam ambientes no solo mais adequados aos microrganismos devido ao aumento da matéria orgânica, que por sua vez, propicia maior retenção de umidade no solo além de adicionar fontes de carbono que os organismos heterotróficos possam utilizar. Alguns organismos como os quimiolitotróficos, utilizam energia disponível da oxidação de compostos inorgânicos e são responsáveis pelo ciclo do nitrogênio, metanogênese, metabolismo do Enxofre entre outros. De uma maneira geral os organismos autotróficos são responsáveis pela criação e manutenção de um ambiente favorável a colonização de organismos não autotróficos no solo Qual a função da primeira frase mesmo? Tenho dúvidas quanto à expressão decomposição de rocha, já que usualmente decomposição é um processo orgânico. Estes pontos não se referem diretamente ao conteúdo da resposta, mas sim à necessidade de manter a especificidade da linguagem científica como um hábito a ser cultivado sempre. De resto, resposta razoavelmente ok, mas ainda superficial. Em particular, nem todos os autotróficos são plantas, como sua frase As plantas (autotróficos)... dá a entender. 5. [1.500] (IP: :04:19 21:26:12 21: ) Discuta relógios moleculares do ponto de vista de conceito, razão de ser e aplicação. Inclua a discussão sobre adequação de relógios moleculares para diferentes "níveis" de avaliação da diversidade. A variabilidade evolutiva das espécies atuais ocorreu principalmente através de mutações em seu DNA. Pois, se o DNA se autoduplicasse sem nunca se modificar, todos os organismos com o mesmo DNA seriam exatamente iguais. Algumas mutações podem ocorrer em uma taxa fixa ao longo do tempo, ou seja, um gene pode sofrer uma determinada quantidade de mudanças de base a cada período definido. Para relacionar esse tempo de alterações de bases entre duas espécies com o número de diferentes moléculas entre as sequências de DNA ou proteínas, são usados os

3 relógios moleculares, moléculas altamente conservadas, universais e que não são afetadas por mudanças climáticas. Com o uso do relógio molecular, pode-se estimar a data futura de eventos de separação de linhagens. Essa técnica também tem sido usada para investigar a origem do ser humano moderno e a data da divergência humano-chimpanzé, entre outros. Ela também pode auxiliar na possível identificação de divergência evolutiva de micro-organismos (ex. filos bacterianos), e, do ponto de vista futuro, quando uma espécie pode vir a perder uma determinada característica de interesse (diversidade funcional) ou quando novas espécies (ou linhagens) vão surgir (diversidade filogenética). na realidade não é uma taxa fixa, mas aproximadamente constante, e sempre PÓS estimada, não pré estimada como você implica. Assim, conhecendo dois organismos e uma taxa MÉDIA de ocorrência de mutações para um determinado gene, temos uma estimativa de há quanto tempo eles se diferenciaram. Um ponto importante é que existem diferentes relógios para diferentes níveis de proximidade. 6. [1.500] (IP: :26:31 21:52:30 25: ) Discuta alguns dos principais grupos filogenéticos procarióticos do ponto de vista de função agronômica e/ou econômica. O domínio Archaea possui representantes ligados ao ciclo do enxofre, que removem enxofre orgânico e inorgânico de carvão e óleo. Possui um filo de bactérias metanogênicas (Euryarchaeota), ou seja, produzem grande quantidade de metano (cerca de 74% do metano atmosférico), responsável por intensificar o efeito estufa. No entanto, estas também podem degradar resíduos ou dejetos ricos em matéria orgânica para CO2. Dentro desse filo existe um gênero redutor de sulfato (pode ser utilizado no tratamento de águas, também na biolixiviação). Existem bactérias halofilicas, só se desenvolvem na presença de sal, podem ser utilizadas na recuperação de áreas salinas e na produção de sal. Além de alguns grupos poderem ser usados na degradação de xenobióticos. O domínio Bacteria possui representantes decompositores de matéria orgânica, fixadores de nitrogênio atmosférico (que após fixa-lo o disponibilizam para a planta em formas assimiláveis), produtores de fitohormônios, solubilizadores de nutrientes. Algumas bactérias também são utilizadas na produção de antibióticos e enzimas. Podem ser versáteis nutricionalmente e degradar herbicidas, pesticidas, celulose, entre outras. As cianobactérias também fixam o nitrogênio, tem potencialidade na dieta humana e animal, purificam água, sintetizam carotenóides, polissacarídeos, antioxidantes, entre outros. Neste domínio também estão presentes transformações bioquímicas específicas: como nitrificação/desnitrificação e oxidação/redução de S. Além de ação antagônica a patógenos. Do ponto de vista agronômico e econômico, os procariotos são grupos extremamente importantes. Exemplos são bactérias fixadoras de nitrogênio que além de aumentarem a produção vegetal diminuem consideravelmente os custos. Algumas decompõem a matéria orgânica, melhorando as características físico-químicas do solo. Grupos como Streptomycetaceae são utilizada na indústria farmacêutica (o antibiótico estreptomicina). Além de bactérias metanogênicas, que aumentam as emissões de metano e bactérias desnitrificadoras que geram óxido nitroso (N2O), um importante gás do efeito estufa. Obtendo também grande importância ambiental. ok, mas um ponto importante é que Archaea não é procarioto, pela própria definição 7. [2.000] (IP: :36:17 21:33:46 57: ) Porque podemos afirmar que a microbiologia do solo é uma das principais bases da agricultura mundial? Hoje já se sabe que o solo e a planta interagem diretamente com uma microbiota amplamente diversa. Esta microbiota é responsável por diversos processos essenciais ao desenvolvimento da planta e consequentemente da agricultura. Os micro-organismos desempenham diversas funções, entre elas estão: a fixação do nitrogênio atmosférico, a solubilização de fosfato e a produção de fitohormônios de crescimento vegetal; eles também participam de diversos ciclos biogeoquímicos (ex. do carbono), decompõem a matéria orgânica, melhoram as características físico-químicas do solo e facilitam a absorção de água e nutrientes pela planta (ex. fungos micorrízicos). Como os micro-organismos, a fauna do solo também

4 desempenha diversos papéis na decomposição da matéria orgânica, a transporta vertical e horizontalmente para outras camadas do solo e melhora as sua propriedades físicas, entre outros. Assim, a microbiologia do solo é base para produção vegetal, pois além dos benefícios comentados, ela equilibra a fotossíntese através da ciclagem de nutrientes (ex. nitrificação/desnitrificação no ciclo do nitrogênio) e da modificação da estrutura do solo, gerando maior aeração e aumento no armazenamento de água. ok, mas muito superficial 8. [3.000] (IP: :04:04 21:53:12 49: ) Discuta a importância das culturas-tipo em taxonomia, ecologia e usos práticos da microbiologia do solo. Culturas-tipo ou de referência, são culturas bacterianas isoladas e depositadas em acervos de coleção. São empregadas em trabalhos taxonômicos ou estão relacionadas com avaliação de patogenicidade, aplicação no controle de pragas e doenças, testes com substâncias diversas, melhoria das condições do solo, etc. Na taxonomia elas são utilizadas com a finalidade de comparação das características morfológicas de uma bactéria recentemente isolada e outra já descrita e depositada no acervo. Proporcionando a identificação bacteriana em questão. Pode-se também utilizá-las para confrontar características de interesse, ex. comparar a solubilização de fosfato por uma nova linhagem, com uma bactéria já existente e eficiente naquela expressão. Essa comparação também pode se dar, por exemplo, em nível de patogenicidade bacteriana em plantas, dentre outras. ok, mas superficial demais para alunos de doutorado 9. [1.750] (IP: :27:39 16:05:00 37: ) Cite alguns dos principais centros de pesquisa em microbiologia do solo no Brasil, e qual a principal especialidade deles. 1) Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) 1.1 EMBRAPA AGROBIOLOGIA, estabelecida pelo Dr. Álvaro Barcelos Fagundes na década de 50, tornou-se um centro de referência mundial em Microbiologia do Solo. As pesquisas nesse centro são direcionadas para a Fixação Biológica de Nitrogênio e sua aplicação em sistemas produtivos. Atualmente os pesquisadores dessas unidade se organizam em nove linhas temáticas: Agroecologia e produção orgânica; aproveitamento de resíduos orgânicos; diversificação de sistemas de produção; insumos biológicos; sistemas de produção de grãos; cultura energéticas, pastagens; recuperação de áreas degradadas; indicadores de sustentabilidade. 1.2 EMBRAPA SOJA principal linha de pesquisa em Microbiologia do Solo é em Fixação Biológica do Nitrogênio. Através de pesquisas básicas e aplicadas relacionadas tanto com o microssimbionte como a planta hospedeira. 1.3 EMBRAPA CERRADO as principais linhas de pesquisas nessa instituição na área de Microbiologia do Solo são: Fixação Biológica de Nitrogênio, Micorrizas e Bioindicadores de Qualidade do Solo. 1.4 EMBRAPA ARROZ e FEIJÃO: pesquisas em fixação biológica de nitrogênio, principalmente na linha de pesquisa de Sistemas Agrícolas Sustentáveis. 2) Escola Superior Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ) Através do Departamento de Ciência do Solo na linha de Microbiologia do Solo tem desenvolvido pesquisas em ecologia de fungos micorrízicos, indicadores microbiológicos e bioquímicos de qualidade do solo, estratégias microbiológicas de recuperação de áreas degradadas, rizobiologia, uso de resíduos agro-industriais como fertilizantes, diversidade microbiana em ecossistemas naturais e agrícolas. 3) Instituto Agronômico de Campinas (IAC) Um dos locais pioneiros no Brasil em

5 pesquisas na área de Microbiologia do Solo, nesse instituto foi criado o primeiro Laboratório de Microbiologia Agrícola no Brasil. Principais pesquisas desenvolvidas na área de microbiologia são ligadas a: Fixação biológica de nitrogênio, fungos micorrízicos, bactérias promotoras de crescimento. 4. Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) principal linha em Microbiologia do Solo é Fixação Biológica de Nitrogênio. 5. Universidade Federal de Lavras (UFLA) - Através do Departamento de Ciência do Solo na área de concentração de Biologia, Microbiologia simbióticas e Processos Biológicos do Solo, vem realizando pesquisas sobre associações planta-microrganismos: micorrizas e fixação biológica de nitrogênio; microbiologia do solo e processos bioquímicos. 6. Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Principais pesquisas em Microbiologia do Solo estão ligadas a Fixação Biológica de Nitrogênio, e Produção de Biofertilizantes de Rochas Fosfatadas e Potássicas inoculadas com bactérias do gênero Acidithiobacillus. 7. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Através do programa de Pós Graduação em Microbiologia Agrícola e do Ambiente tem desenvolvidos pesquisas na linha de Microbiologia do Solo e Fixação biológica do Nitrogênio: com estudos da diversidade microbiana no solo e avaliação da atividade dos microrganismos do solo e seus efeitos nos ciclos biogeoquímicos; transformações microbianas de resíduos orgânicos dispostos no solo. Estudo das interações entre plantas e microrganismos fixadores de nitrogênio. 9. Universidade Federal de Viçosa (UFV) Os principais estudos dessa instituição na área de microbiologia do solo estão ligados a: genética, fisiologia e ecologia de microrganismos; processos e produtos microbiológicos. bastante bom, mas ainda incluiu o IAC que atualmente está praticamente parado em microbiologia do solo, mas não incluiu a UEL que tem sido bastante atuante. 10. [2.000] (IP: :27:55 16:06:34 38: ) Relacione os conceitos r e k com os organismos do solo, em particular considerando a diferença entre rizosfera e solo "bulk". Você esperaria que um destes grupos dominasse em um dos dois ambientes? Justifique. Os conceitos de seleção r e k, utilizados em ecologia geral, também podem ser usados para os organismos do solo, sendo essa conceituação de seleção dos organismos relacionada à disponibilidade de substrato. A seleção r ocorre em habitats com abundância de substrato; desse modo, os organismos selecionados nesses ambientes apresentam crescimento rápido, são menos eficientes no uso de substratos complexos e utilizam substratos simples e facilmente disponíveis. Enquanto, a seleção k é relacionada com locais com pouco substrato; desse modo; os organismos nesses ambientes têm geralmente taxa moderada de crescimento, e se mostram mais eficientes na utilização de substratos de maiores complexidade e diversidade. Tendo em vista, que de uma maneira geral a rizosfera é um ambiente com maior quantidade de substrato em relação ao solo, assim é de se esperar que os organismos do tipo k dominem no solo bulk, enquanto os organismos do tipo r tendem a predominar na rizosfera, por se ela um ambiente mais rico em substrato, devido principalmente a exudação de ácidos orgânicos pelas raízes e a própria atividade da microbiota. ok 11. [3.500] (IP: :32:39 16:07:42 35: ) Discuta a importância das culturas-tipo em taxonomia, ecologia e usos práticos da microbiologia do solo.

6 A importância das culturas-tipo em taxonomia, ecologia deve-se ao fato de servirem como modelos de estudos para essas áreas. No âmbito da taxonomia podem ser utilizadas para fins comparativos entre características de uma bactéria isolada e uma bactéria previamente descrita e catalogada, possibilitando assim a identificação do microrganismo em estudo. Com um acervo de culturas-tipo podem ser realizados estudos em filogenia, através da identificação de diferenças e similaridades entre linhagens de uma mesma bactéria, possibilitando por exemplo a identificação de linhagens com maior potencial de realizar a fixação biológica de nitrogênio, ou maior capacidade de promover patogenicidade. As culturas tipo e de referência também vem sendo bastante utilizadas em estudos relacionados com epidemiologia e testes como substâncias diversas. relativamente superficial 12. [2.000] (IP: :28:13 16:09:08 40: ) Discuta relógios moleculares do ponto de vista de conceito, razão de ser e aplicação. Inclua a discussão sobre adequação de relógios moleculares para diferentes "níveis" de avaliação da diversidade. Relógios ou cronômetros moleculares, consistem em moléculas universais (que ocorrem em todos os seres vivos), altamente conservadas, ou seja que apresentaram baixa taxa de mutação no decorrer do processo evolutivo, e não são afetadas por mudanças ambientais. Para Moreira e Siqueira (2006), as moléculas de RNA ribossômico, consistem nos mais úteis cronômetros moleculares, pois são grandes, de tamanhos diferenciados e apresentam uma considerável informação genética. Esses relógios moleculares tem grande importância por permitir o estabelecimento de uma relação entre o tempo de divergência entre duas espécies com o número de diferenças moleculares medidas entre as sequências de DNA e proteína. Seu conceito se fundamenta na idéia de que mutações espontâneas se acumulam a uma velocidade constante ao longo do tempo, desse modo utiliza-se o número de mutações entre duas espécies para se obter quando essas espécies divergiram. O que a torna uma importante ferramenta para estimar as datas de separação de linhagens. Tendo em vista que essas moléculas apresentam um considerável conteúdo de informação genética, elas podem ser utilizadas na identificação em diferentes níveis taxonômicos como o de gênero, e possivelmente o de espécie. Como também podem ser usados a avaliação de relações filogenéticas entre organismos em diferentes distâncias filogenéticas. Apesar de largamente utilizados, o uso relógios moleculares tem recebido críticas, em decorrência da baixa probabilidade das taxas de mutação serem constantes para linhagens tão diferentes e até mesmo para espécies próximas. muito bom

D E F G H. Qual a importância de bactérias?

D E F G H. Qual a importância de bactérias? D E F G H Questão Questão 2 Questão 3 Questão 4 Questão 5 O que é relógio molecular? Por que é importante estudar a diversidade de organismos? Qual a importância de bactérias? Compare o conceito de espécie

Leia mais

FACULDADE VÉRTICE CURSO AGRONOMIA MICROBIOLOGIA DO SOLO TEMAS: BIOTA E AGREGAÇÃO DO SOLO E OS PRINCIPAIS MICROORGANISMOS DE IMPORTÂNCIA AGRÍCOLA

FACULDADE VÉRTICE CURSO AGRONOMIA MICROBIOLOGIA DO SOLO TEMAS: BIOTA E AGREGAÇÃO DO SOLO E OS PRINCIPAIS MICROORGANISMOS DE IMPORTÂNCIA AGRÍCOLA FACULDADE VÉRTICE CURSO AGRONOMIA MICROBIOLOGIA DO SOLO TEMAS: BIOTA E AGREGAÇÃO DO SOLO E OS PRINCIPAIS MICROORGANISMOS DE IMPORTÂNCIA AGRÍCOLA PROFESSORA: MARIA LITA P. CORREA EVOLUÇÃO DO SOLOS Cianob,

Leia mais

BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA

BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA BIOPROSPECÇÃO MICROBIANA O Brasil, por sua grande diversidade de biomas e de ecossistemas, vasta extensão territorial e por estar nos trópicos onde se concentra a maior biodiversidade

Leia mais

Ciclos Biogeoquímicos

Ciclos Biogeoquímicos Ciclos Biogeoquímicos Matéria orgânica: são os restos dos seres vivos. É composta essencialmente de compostos de carbono. Decompositores: são responsáveis pela degradação da matéria orgânica e favorecem

Leia mais

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos Áreas para Submissão de Resumos (1) Microbiologia de Alimentos Trabalhos relacionados com micro-organismos associados aos alimentos: crescimento, identificação, biossíntese, controle, interação com o hospedeiro,

Leia mais

Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Antoine de Lavoisier

Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Antoine de Lavoisier Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Antoine de Lavoisier Transferência de elementos químicos entre os seres vivos e o ambiente. Ciclo da Água Ciclo do Oxigênio Ciclo do Fósforo

Leia mais

Simulado Plus 1. PAULINO, W. R. Biologia Atual. São Paulo: Ática, (SOARES, J.L. Biologia - Volume 3. São Paulo. Ed. Scipione, 2003.

Simulado Plus 1. PAULINO, W. R. Biologia Atual. São Paulo: Ática, (SOARES, J.L. Biologia - Volume 3. São Paulo. Ed. Scipione, 2003. 1. (G1 - cftsc 2008) O conhecimento das cadeias e teias alimentares é fundamental para entendermos o delicado equilíbrio que existe na natureza. Esse conhecimento nos permite propor medidas racionais de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE SERRA TALHADA PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE SERRA TALHADA PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO CURSO: Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal MODALIDADE: Presencial DISCIPLINA: Microbiologia do Solo (PPPV7310) TIPO: ( X ) OBRIGATÓRIA ( X ) OPTATIVA PRÉ-REQUISITO:

Leia mais

Ciclos biogeoquímicos

Ciclos biogeoquímicos Ciclos biogeoquímicos Conceitos Os elementos químicos essenciais à vida são aproximadamente 40. São incorporados nos seres na forma de compostos orgânicos. - ciclos sedimentares: quando o elemento circula

Leia mais

Organismos do Solo. Prof. Everlon Cid Rigobelo

Organismos do Solo. Prof. Everlon Cid Rigobelo Organismos do Solo Prof. Everlon Cid Rigobelo Atividades Microbianas Decomposição da Matéria Orgânica Produção de húmus Atividades Microbianas Ciclagem de nutrientes Atividades Microbianas Fixação Biológica

Leia mais

BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2

BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2 BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2 Conceitos Básicos ECOLOGIA Oikos =casa; logos= ciência É a ciência que estuda as relações entre os seres vivos entre si e com o ambiente onde eles vivem Estuda as formas

Leia mais

ECOLOGIA E BIODIVERSIDADE

ECOLOGIA E BIODIVERSIDADE ECOLOGIA E BIODIVERSIDADE DIEGO DANTAS AMORIM Contado: diego.dantas@ifmg.edu.br Engenheiro Agrônomo Universidade Vale do Rio Doce UNIVALE Msc. em Agricultura Tropical Universidade Federal do Espírito Santo

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS OU CICLOS DA MATÉRIA

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS OU CICLOS DA MATÉRIA CICLOS BIOGEOQUÍMICOS OU CICLOS DA MATÉRIA Conjunto dos processos biológicos, geológicos, químicos e físicos responsáveis pela circulação da matéria (entrada, transferência e reciclagem). Profº. Moisés

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Microbiologia Básica e Aplicada ao Solo Código da Disciplina: AGR260 Curso: Agronomia Semestre de oferta da disciplina: 3 período Faculdade responsável: Agronomia Programa

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS É o trânsito da matéria entre o meio físico e os seres vivos. Quando os organismos vivos realizam os processos vitais essenciais, eles incorporam moléculas de água, carbono, nitrogênio

Leia mais

CIÊNCIAS. Prof. Diângelo

CIÊNCIAS. Prof. Diângelo CIÊNCIAS Prof. Diângelo TABELA PERÍODICA Aula 18 Respiração Celular Respiração celular é o processo de conversão das ligações químicas de moléculas ricas em energia que poderão ser usadas nos processos

Leia mais

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Ecologia

Biologia. Rubens Oda (Julio Junior) Ecologia Ecologia Ecologia 1. Observe a cadeia alimentar representada no esquema abaixo. Nomeie o nível trófico no qual é encontrada a maior concentração de energia, indique a letra que o representa no esquema

Leia mais

Ciclos Biogeoquímicos. Prof. Fernando Belan - BIOLOGIA MAIS

Ciclos Biogeoquímicos. Prof. Fernando Belan - BIOLOGIA MAIS Ciclos Biogeoquímicos Prof. Fernando Belan - BIOLOGIA MAIS INTRODUÇÃO CICLO DA ÁGUA; CICLO DO CARBONO; CICLO DO OXIGÊNIO; CICLO DO NITROGÊNIO; CICLO DA ÁGUA CICLO DA ÁGUA Origens do vapor-d água: Evaporação:

Leia mais

Prof. Everlon Cid Rigobelo. Ecologia do Solo

Prof. Everlon Cid Rigobelo. Ecologia do Solo Prof. Everlon Cid Rigobelo Ecologia do Solo Ecologia do Solo Ubiquidade dos micro-organismos Versatilidade metabólica Tolerância às condições ambientais adversas Fácil dispersão Características intrínsecas

Leia mais

A experiência da Embrapa Milho e Sorgo com análises de solo cultivado com milho transgênico

A experiência da Embrapa Milho e Sorgo com análises de solo cultivado com milho transgênico A experiência da Embrapa Milho e Sorgo com análises de solo cultivado com milho transgênico Francisco Adriano de Souza Embrapa Milho e Sorgo - CNPMS Porque nos devemos zelar pela saúde do solo? 1. Nos

Leia mais

ECOSSISTEMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA

ECOSSISTEMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA ECOSSISTEMA Prof.: Dr. ORIEL HERRERA Monitores: John David & Giuliane Sampaio Fortaleza/CE Versão 2010 ECOSSISTEMA

Leia mais

Ciclagem de nutrientes (com aspectos microbiológicos)

Ciclagem de nutrientes (com aspectos microbiológicos) 3. Fluxo de nutrientes Ciclagem de nutrientes (com aspectos microbiológicos) José Miguel Reichert (Celso Aita & Sandro José Giacomini) em ecossistemas florestais Liberação de nutrientes pelas rochas (intemperismo)

Leia mais

ECOSSISTEMAS CARACTERÍSTICAS

ECOSSISTEMAS CARACTERÍSTICAS ECOSSISTEMAS COMPONENTES, ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS ECOSSISTEMA Conjunto resultante da interação entre a comunidade e o ambiente inerte (Cap 1) 1. Unidade funcional básica, composta de uma BIOCENOSE

Leia mais

INTERAÇÃO MICRO-ORGANISMOS E MEIO AMBIENTE - CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

INTERAÇÃO MICRO-ORGANISMOS E MEIO AMBIENTE - CICLOS BIOGEOQUÍMICOS INTERAÇÃO MICRO-ORGANISMOS E MEIO AMBIENTE - CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo 1 Diagrama de produção fotossintética e do consumo orgânico numa floresta, mostrando fontes, fluxos de

Leia mais

Produção de sementes Espaçamento entre as linhas (cm)

Produção de sementes Espaçamento entre as linhas (cm) Adubação Verde ADUBAÇÃO VERDE O que é adubação verde Consiste no cultivo e na incorporação ao solo de plantas (principalmente as leguminosas) que contribuem para a melhoria das condições físicas, químicas

Leia mais

A atuação profissional do graduado em Biotecnologia.

A atuação profissional do graduado em Biotecnologia. A atuação profissional do graduado em Biotecnologia. Com ênfases especialmente fortes em e Celular, e Bioinformática, o profissional em Biotecnologia formado pela UFRGS irá ocupar uma ampla lacuna existente

Leia mais

Fluxos de Energia e de Materiais nos Ecossistemas

Fluxos de Energia e de Materiais nos Ecossistemas Fluxos de Energia e de Materiais nos Ecossistemas Uma vez que o fluxo de materiais é um fluxo cíclico nos ecossistemas, é possível analisar estes fluxos usando as técnicas de balanço de materiais: [Taxa

Leia mais

Assimilação de Nutrientes Minerais

Assimilação de Nutrientes Minerais Assimilação de Nutrientes Minerais plantas são organismos fotoautoróficos: todos os compostos orgânicos necessários são formados em seu próprio corpo (macro e micro moléculas) a energia necessária para

Leia mais

CONTEÚDOS. CIÊNCIAS 7º ANO Coleção Interativa UNIDADE 1 SEU LUGAR NO AMBIENTE UNIDADE 2 ECOLOGIA: INTERAÇÃO TOTAL

CONTEÚDOS. CIÊNCIAS 7º ANO Coleção Interativa UNIDADE 1 SEU LUGAR NO AMBIENTE UNIDADE 2 ECOLOGIA: INTERAÇÃO TOTAL CONTEÚDOS UNIDADE 1 SEU LUGAR NO AMBIENTE 1. Vida, só na Terra Procurando vida no Sistema Solar Condições de vida no planeta Terra 2. Características dos seres vivos Célula Capacidade de realizar atividades

Leia mais

Degradação Bioquímica

Degradação Bioquímica Degradação de Polímeros e Corrosão Prof. Hamilton Viana Prof. Renato Altobelli Antunes 1. Introdução A degradação dos polímeros pode acontecer: Em presença de microorganismos (Biodegradação) Na ausência

Leia mais

Biodiversidade e prosperidade económica

Biodiversidade e prosperidade económica Biodiversidade e prosperidade económica Helena Castro e Helena Freitas Centro de Ecologia Funcional Universidade de Coimbra O que é a biodiversidade? Biodiversidade é a variedade de seres vivos. Aqui se

Leia mais

Introdução à Ecologia. Prof. Fernando Belan

Introdução à Ecologia. Prof. Fernando Belan Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Ecologia (oikos = casa; logos = ciência) Estuda as relações entre os seres vivos, e o ambiente em que vivem; Ecologia em destaque! Conhecer para preservar! Ciência

Leia mais

Características dos seres vivos

Características dos seres vivos Necessidades Básicas dos Seres Vivos Módulo 1 AULA 3 Professora: Andréa Rodrigues Características dos seres vivos Composição química mais complexa Organização celular Capacidade de nutrição Reação a estímulos

Leia mais

Bactérias Vírus Fungos Protozoários O QUE SÃO

Bactérias Vírus Fungos Protozoários O QUE SÃO Bactérias Vírus Fungos Protozoários RESUMO DOS PRINCIPAIS MICRORGANISMOS, O QUE SÃO MEIOS DE PROLIFERAÇÃO... Diferença entre as células Bactérias São seres muito simples, unicelulares e com célula procariótica

Leia mais

TIS. Papel do Azoto e dos micro organismos na Agricultura

TIS. Papel do Azoto e dos micro organismos na Agricultura Papel do Azoto e dos micro organismos na Agricultura 1 O Azoto O azoto ou nitrogénio, de símbolo químico N, encontramo-lo no estado gasoso e constitui cerca de 78 % do ar da atmosfera terrestre. É um gás

Leia mais

O SOLO COMO F0RNECEDOR DE NUTRIENTES

O SOLO COMO F0RNECEDOR DE NUTRIENTES O SOLO COMO F0RNECEDOR DE NUTRIENTES LIQUIDA (SOLUÇÃO DO SOLO) ÍONS INORGÂNICOS E ORGÂNICOS/MICROPOROS SÓLIDA - RESERVATORIO DE NUTRIENTES - SUPERFÍCIE QUE REGULA A CONCENTRAÇÃO DOS ELEMENTOS NA SOLUÇÃO

Leia mais

Ciclos biogeoquímicos. A energia flui. A matéria é cíclica. Esses elementos são fundamentais para os seres vivos e embora em abundancia são finitos.

Ciclos biogeoquímicos. A energia flui. A matéria é cíclica. Esses elementos são fundamentais para os seres vivos e embora em abundancia são finitos. Ciclos biogeoquímicos A energia flui. A matéria é cíclica. Esses elementos são fundamentais para os seres vivos e embora em abundancia são finitos. Ciclo da Água - O mais simples. A água não sofre transformação

Leia mais

Ciências do Ambiente. Prof. M.Sc. Alessandro de Oliveira Limas Engenheiro Químico (UNISUL ) Mestre em Engenharia de Alimentos (UFSC )

Ciências do Ambiente. Prof. M.Sc. Alessandro de Oliveira Limas Engenheiro Químico (UNISUL ) Mestre em Engenharia de Alimentos (UFSC ) Ciências do Ambiente Prof. M.Sc. Alessandro de Oliveira Limas Engenheiro Químico (UNISUL - 1995) Mestre em Engenharia de Alimentos (UFSC - 2002) Ciências Ambientais Estudo sistemático tico da natureza

Leia mais

Fundamentos de Ecologia

Fundamentos de Ecologia CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE MEIO AMBIENTE JÚNIOR PROFISSIONAL DE MEIO AMBIENTE JÚNIOR PROFISSIONAL JR - ENG. DE MEIO AMBIENTE Fundamentos de Ecologia Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS

Leia mais

DIVERSIDADE NA BIOSFERA

DIVERSIDADE NA BIOSFERA DIVERSIDADE NA BIOSFERA A BIOSFERA - Diversidade Organização biológica Extinção e conservação A CÉLULA - Unidade estrutural e funcional dos seres vivos Constituintes básicos Biologia e Geologia 10º ano

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA. Uruguaiana, maio de 2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA. Uruguaiana, maio de 2016. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA TRANSFORMAÇÕES DA MATÉRIA E QUANTIDADES LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Uruguaiana, maio de 2016. 1 Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Informações aos Encarregados de Educação do trabalho a realizar no: 5º Ano Ciências Naturais Ano Letivo 2015/2016 1. Aulas previstas: Aulas (*) 5º1ª 5º2ª 5º3ª 5º4ª 1º Período: 21 de Setembro - 17 de Dezembro

Leia mais

RUMO PRÉ VESTIBULAR Apostila 1 Biologia B. Ecologia. Prof.ª Carol

RUMO PRÉ VESTIBULAR Apostila 1 Biologia B. Ecologia. Prof.ª Carol RUMO PRÉ VESTIBULAR Apostila 1 Biologia B Ecologia Prof.ª Carol Aula 2 Ambiente e energia Dentro de um ecossistema, as espécies se comportam como produtoras, consumidoras ou decompositoras. PRODUTORES:

Leia mais

Professora Leonilda Brandão da Silva

Professora Leonilda Brandão da Silva COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com http://professoraleonilda.wordpress.com/ Leitura do texto: Mudanças

Leia mais

Isolamento, Seleção e Cultivo de Bactérias Produtoras de Enzimas para Aplicação na Produção mais Limpa de Couros

Isolamento, Seleção e Cultivo de Bactérias Produtoras de Enzimas para Aplicação na Produção mais Limpa de Couros Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química Departamento de Engenharia Química Laboratório de Estudos em Couro e Meio Ambiente Isolamento, Seleção e Cultivo

Leia mais

Ciclos Biogeoquímicos

Ciclos Biogeoquímicos Ciclos Biogeoquímicos DEFINIÇÃO Trata-se de movimentos cíclicos que envolvem elementos químicos presentes no meio biológico e o ambiente geológico; Elementos que são necessários ao desenvolvimento dos

Leia mais

Importância e objetivos do melhoramento de plantas

Importância e objetivos do melhoramento de plantas Universidade Federal de Rondônia Curso de Eng. Florestal Melhoramento genético Florestal Importância e objetivos do melhoramento de plantas Emanuel Maia emanuel@unir.br www.lahorta.acagea.net Introdução

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DOS SERES VIVOS

CARACTERÍSTICAS DOS SERES VIVOS CARACTERÍSTICAS DOS SERES VIVOS Composição química muito complexa; Organização celular; Capacidade de nutrição; Reação a estímulos do ambiente; Capacidade de manter o seu meio interno em condições adequadas,

Leia mais

Atividade extra. Fascículo 7 Biologia Unidade 16. Exercício 1 Cecierj Exercício 2 Cecierj

Atividade extra. Fascículo 7 Biologia Unidade 16. Exercício 1 Cecierj Exercício 2 Cecierj Atividade extra Fascículo 7 Biologia Unidade 16 Exercício 1 Cecierj - 2013 É um sistema natural onde interagem entre si os seres vivos (fatores chamados de bióticos) e o ambiente (fatores abióticos, como

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Biotecnologia

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Cerrados Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Biotecnologia Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Biotecnologia estado da arte e aplicações na agropecuária Editores Técnicos Fábio Gelape Faleiro Solange

Leia mais

Nutrição bacteriana: macronutrientes; micronutrientes; fatores de crescimento; necessidades nutricionais;

Nutrição bacteriana: macronutrientes; micronutrientes; fatores de crescimento; necessidades nutricionais; Nutrição bacteriana: macronutrientes; micronutrientes; fatores de crescimento; necessidades nutricionais; Classificação dos microrganismos quanto à nutrição, crescimento e metabolismo microbiano. Nutrientes

Leia mais

Ecossistemas Interações seres vivos - ambiente FATORES DO AMBIENTE FATORES BIÓTICOS FATORES ABIÓTICOS Relações que os seres vivos estabelecem entre si. Fatores do ambiente que influenciam os seres vivos.

Leia mais

Citologia Exercícios Dissertativos. (a) A afirmação apresentada pode ou não ser considerada válida? (b) Justifique sua resposta.

Citologia Exercícios Dissertativos. (a) A afirmação apresentada pode ou não ser considerada válida? (b) Justifique sua resposta. Exercícios Dissertativos 1. (2002) Devido ao fato de serem muito simples em termos de organização, podemos afirmar que os vírus provavelmente tiveram sua origem antes do surgimento das primeiras células

Leia mais

Quando os colonizadores portugueses iniciaram as primeiras plantações no território brasileiro, usaram conhecimentos dos índios para obter sucesso

Quando os colonizadores portugueses iniciaram as primeiras plantações no território brasileiro, usaram conhecimentos dos índios para obter sucesso SUCESSÃO ECOLÓGICA Quando os colonizadores portugueses iniciaram as primeiras plantações no território brasileiro, usaram conhecimentos dos índios para obter sucesso nas colheitas. A maioria das tribos

Leia mais

ECOSSISTEMAS E ENERGIA. Profº Júlio César Arrué dos Santos

ECOSSISTEMAS E ENERGIA. Profº Júlio César Arrué dos Santos ECOSSISTEMAS E ENERGIA Profº Júlio César Arrué dos Santos Componentes Bióticos dos ecossistemas Todos ecossistemas são constituídos por componentes abióticos (parte física e química sem vida) e bióticos

Leia mais

FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA

FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA Especialização Latu Sensu em Agroecologia 2017-1 FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA Professor: Roberto Akitoshi Komatsu roberto.komatsu@ifsc.edu.br (49) 9.9152-9081 FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA - Transferência

Leia mais

Dicas para o ENEM 2015 BIOLOGIA. Professora Priscila F Binatto

Dicas para o ENEM 2015 BIOLOGIA. Professora Priscila F Binatto Dicas para o ENEM 2015 BIOLOGIA Professora Priscila F Binatto TEMAS MAIS FREQUENTES Questões ambientais: temas atuais, como sustentabilidade, desmatamento, poluição, preservação e uso dos recursos hídricos,

Leia mais

Os representantes e sua importância

Os representantes e sua importância Os representantes e sua importância Bactéria(do grego bakteria = bastão), foram observadas pela primeira vez por Antonie van Leeuwenhoek(1632-1723), final do século XVI ; O reino é formado por Bactérias

Leia mais

Características dos Fungos. Unicelulares ou Pluricelulares (filamentosos) em sua maioria

Características dos Fungos. Unicelulares ou Pluricelulares (filamentosos) em sua maioria Reino Fungi Reino Fungi Fungos NÃO são plantas Mais de 70 000 espécies Essencialmente terrestres Número estimado de espécies = 1,5 milhão O maior organismo vivo na Terra é um fungo Armillaria ostoyeae

Leia mais

Ciências Naturais 8. o ano de escolaridade

Ciências Naturais 8. o ano de escolaridade Ciências Naturais 8. o ano de escolaridade SUBDOMÍNIO Sistema Terra: da célula à biodiversidade OBJETIVO: 3. Compreender a célula como a unidade básica da biodiversidade existente na Terra Qual é a unidade

Leia mais

Clima(s) CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL. Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical.

Clima(s) CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL. Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical. CLIMAS - SOLOS E AGRICULTURA TROPICAL Mestrado em Direito à Alimentação e Desenvolvimento Rural UC: Agricultura Tropical Óscar Crispim Machado (omachado@esac.pt) ESAC, abril de 2012 Clima(s) Aula 5 Zonas

Leia mais

Prof. Oriel Herrera Bonilla Monitores: Giuliane Sampaio John David

Prof. Oriel Herrera Bonilla Monitores: Giuliane Sampaio John David UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA Prof. Oriel Herrera Bonilla Monitores: Giuliane Sampaio John David Fortaleza - CE Versão 2010 Ecossistemas Duas fontes

Leia mais

01/03/2013 FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA. A matéria obedece a um ciclo FLUXO CÍCLICO PRODUTORES CONSUMIDORES. MATÉRIA INORGÂNICA pobre em energia química

01/03/2013 FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA. A matéria obedece a um ciclo FLUXO CÍCLICO PRODUTORES CONSUMIDORES. MATÉRIA INORGÂNICA pobre em energia química ECOLOGIA Prof. Gassem ECOSSISTEMAS FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA A matéria obedece a um ciclo FLUXO CÍCLICO PRODUTORES MATÉRIA INORGÂNICA pobre em energia química MATÉRIA ORGÂNICA rica em energia química

Leia mais

CURSO: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS EM ECOLOGIA PROFª LUCIANA GIACOMINI

CURSO: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS EM ECOLOGIA PROFª LUCIANA GIACOMINI CENTRO UNIVERSITÁRIO NOSSA SENHORA DO PATROCÍNIO CURSO: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS EM ECOLOGIA PROFª LUCIANA GIACOMINI CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Os elementos químicos que os organismos necessitam

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CULTURA DA SOJA E A INOCULAÇÃO JUNTO À FIXAÇÃO BIOLÓGICA DE NITROGÊNIO ATMOSFÉRICO

A IMPORTÂNCIA DA CULTURA DA SOJA E A INOCULAÇÃO JUNTO À FIXAÇÃO BIOLÓGICA DE NITROGÊNIO ATMOSFÉRICO A IMPORTÂNCIA DA CULTURA DA SOJA E A INOCULAÇÃO JUNTO À FIXAÇÃO BIOLÓGICA DE NITROGÊNIO ATMOSFÉRICO Admir Bortoleti Junior Graduando em Agronomia, Edipo Silva Freitas Graduando em Agronomia, Jeferson Raposo

Leia mais

Fisiologia e Crescimento Bacteriano

Fisiologia e Crescimento Bacteriano UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA Fisiologia e Crescimento Bacteriano Professora: Vânia Silva Composição macromolecular de uma célula procariótica

Leia mais

Especial Universidades Ecologia

Especial Universidades Ecologia Especial Universidades Ecologia Material de Apoio para Monitoria 1. (PUC - SP-2008) ( ) Como se não bastasse a sujeira no ar, os chineses convivem com outra praga ecológica, a poluição das águas por algas

Leia mais

SERES VIVOS, AMBIENTE E ENERGIA

SERES VIVOS, AMBIENTE E ENERGIA SERES VIVOS, AMBIENTE E ENERGIA Prof. Bruno Barboza de Oliveira OBJETIVO Analisar as relações entre seres vivos e energia Seres Vivos Energia??? 1 ENERGIA Energia Do grego: trabalho Conceito reducionista!!!

Leia mais

Fluxo de energia e ciclo da matéria - Introdução. Hélder Giroto Paiva - EPL

Fluxo de energia e ciclo da matéria - Introdução. Hélder Giroto Paiva - EPL Fluxo de energia e ciclo da matéria - Introdução EPL Hélder Giroto Paiva - EPL 2 Os ecossistemas estão em constante alteração, mesmo que à primeira vista pareçam estáticos e imutáveis. 3 As condições abióticas,

Leia mais

E E N R E GI G A E e x mplo d e t r t a r nsf s o f rm r açã ç o d e e nerg r ia

E E N R E GI G A E e x mplo d e t r t a r nsf s o f rm r açã ç o d e e nerg r ia Profª Priscila Binatto Energia ENERGIA Capacidade de executar trabalho Primeira Lei da Termodinâmica (Conservação) A energia pode ser transformada, mas não criada ou destruída Segunda Lei da Termodinâmica

Leia mais

Componentes Estruturais. A Ecologia e sua Importância. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem

Componentes Estruturais. A Ecologia e sua Importância. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Interferência Humana provoca desequilíbrios ecológicos Ecossistema

Leia mais

Fluxo de energia e ciclos de matéria

Fluxo de energia e ciclos de matéria Fluxo de energia e ciclos de matéria Transferência de matéria e energia num ecossistema Praticamente toda a energia necessária à vida na Terra provém do Sol. Este é por isso a principal fonte de energia

Leia mais

Cadeia Produtiva da Silvicultura

Cadeia Produtiva da Silvicultura Cadeia Produtiva da Silvicultura Silvicultura É a atividade que se ocupa do estabelecimento, do desenvolvimento e da reprodução de florestas, visando a múltiplas aplicações, tais como: a produção de madeira,

Leia mais

1º ano. Unidade 1: Os seres vivos e uma relação de interdependência entre os seres e os elementos da natureza: Biodiversidade

1º ano. Unidade 1: Os seres vivos e uma relação de interdependência entre os seres e os elementos da natureza: Biodiversidade Unidade 1: Os seres vivos e uma relação de interdependência entre os seres e os elementos da natureza: Biodiversidade Seres vivos e a organização biológica Características dos seres vivos Livro 2- Unidade

Leia mais

UNIDADE 2 Vírus, bactérias, protistas e fungos

UNIDADE 2 Vírus, bactérias, protistas e fungos UNIDADE 2 Vírus, bactérias, protistas e fungos A descoberta do Vírus pág. 45 Em 1892, o cientista russo Dimitri Ivanovski descobriu que existia algo menor do que uma bactéria atacando as folhas do tabaco.

Leia mais

PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert;

PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert; PLANO DE AULA Nutrição das Plantas Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert; 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nível de Ensino: Ensino Médio Ano/Série: 1º ano Disciplina: Biologia 2. TEMA

Leia mais

Ecossistema. Ecossistema. Componentes Abióticos. A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais

Ecossistema. Ecossistema. Componentes Abióticos. A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Interferência Humana provoca desequilíbrios ecológicos Ecossistema

Leia mais

RELAÇÕES Todos os seres vivos estabelecem algum tipo de relação: habitat (local que vivem), alimentação, reprodução, proteção, etc.

RELAÇÕES Todos os seres vivos estabelecem algum tipo de relação: habitat (local que vivem), alimentação, reprodução, proteção, etc. Ecologia RELAÇÕES Todos os seres vivos estabelecem algum tipo de relação: habitat (local que vivem), alimentação, reprodução, proteção, etc. SER VIVO SER VIVO SER VIVO MEIO AMBIENTE RELAÇÕES Dentre essas

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Ciências 7 o ano Unidade 4 5 Unidade 4 Nome: Data: 1. Em 1928, Alexander Fleming isolou a penicilina com base em culturas de fungos do gênero Penicilium. Primeiro antibiótico

Leia mais

BIOQUÍMICA DOS ALIMENTOS: AMIDO RESISTENTE E FIBRAS (aula 2) Patricia Cintra

BIOQUÍMICA DOS ALIMENTOS: AMIDO RESISTENTE E FIBRAS (aula 2) Patricia Cintra BIOQUÍMICA DOS ALIMENTOS: AMIDO RESISTENTE E FIBRAS (aula 2) Patricia Cintra Fibra alimentar - definição No Brasil, o Ministério da Saúde, pela portaria 41 de 14 de janeiro de 1998, da Agência Nacional

Leia mais

BIOLOGIA BIO = VIDA LOGOS = ESTUDO

BIOLOGIA BIO = VIDA LOGOS = ESTUDO Biologia Prof. Rogério 2016 BIOLOGIA BIO = VIDA LOGOS = ESTUDO Professor Rogério Imagens meramente ilustrativas, domínio público sites diversos/internet Biologia Prof. Rogério 2016 O QUE CARACTERIZA UM

Leia mais

ECOLOGIA. Conceitos fundamentais e relações alimentares

ECOLOGIA. Conceitos fundamentais e relações alimentares ECOLOGIA Conceitos fundamentais e relações alimentares A ECOLOGIA estuda as relações dos seres vivos entre si e deles com o ambiente onde vivem. Assunto da atualidade: crescimento exagerado da população

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo)

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo) (2º ciclo) 5º ano Compreender a como um planeta especial. Compreender que o solo é um material terrestre de suporte de vida. Compreender a importância das rochas e dos minerais. Compreender a importância

Leia mais

MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo

MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (MOS) Fertilidade do Solo Prof. Josinaldo 1 ASPECTOS GERAIS - MOS todos os compostos orgânicos do solo - Influência os atributos do solo - Teor no solo amplamente variável (0,5

Leia mais

Troca de materiais entre os componentes bióticos e abióticos dos ecossistemas.

Troca de materiais entre os componentes bióticos e abióticos dos ecossistemas. Troca de materiais entre os componentes bióticos e abióticos dos ecossistemas. CICLO do FÓSFORO CICLO SEDIMENTAR APATITA Ca 3 (PO 4 ) 2 erosão de rochas fosfatadas CICLO RÁPIDO CICLO LENTO PICO DO FÓSFORO

Leia mais

1. 1) Relacione a variabilidade e abundância de microhabitats com o efeito de microorganismos no macrohabitat, e sua importância na ecologia.

1. 1) Relacione a variabilidade e abundância de microhabitats com o efeito de microorganismos no macrohabitat, e sua importância na ecologia. 1. 1) Relacione a variabilidade e abundância de microhabitats com o efeito de microorganismos no macrohabitat, e sua importância na ecologia. A variabilidade e abundância de microhabitats proporcionam

Leia mais

Biologia. Cadeias e Teias Alimentares / Pirâmides Ecológicas. Professor Enrico Blota.

Biologia. Cadeias e Teias Alimentares / Pirâmides Ecológicas. Professor Enrico Blota. Biologia Cadeias e Teias Alimentares / Pirâmides Ecológicas Professor Enrico Blota www.acasadoconcurseiro.com.br Biologia ECOLOGIA E CIÊNCIAS AMBIENTAIS- TEIAS ALIMENTARES, FLUXO DE ENERGIA E PIRÂMIDES

Leia mais

A função da água e sais minerais dentro da célula

A função da água e sais minerais dentro da célula A QUÍMICA DA VIDA A função da água e sais minerais dentro da célula Eles tem a ver com o metabolismo das mitocôndrias na qual a principal função seria de não parar a que sustenta, vejamos isso entre água

Leia mais

Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura

Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura Biofábricas: o potencial de uso de microrganismos em agricultura Eng. Agr. Solon C. de Araujo Consultor da ANPII Apresentado no V Simpósio Brasileiro de Microbiologia Aplicada. UFRGS, setembro 2011 Biofábricas

Leia mais

TRABALHO DE BIOLOGIA QUÍMICA DA VIDA

TRABALHO DE BIOLOGIA QUÍMICA DA VIDA TRABALHO DE BIOLOGIA QUÍMICA DA VIDA Água Sais minerais Vitaminas Carboidratos Lipídios Proteínas Enzimas Ácidos Núcleos Arthur Renan Doebber, Eduardo Grehs Água A água é uma substância química composta

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Ciências 7 o ano Unidade 2 5 Unidade 2 Nome: Data: 1. As cores das flores e o período do dia em que elas abrem são duas adaptações importantes das plantas e que facilitam a sua

Leia mais

Corretivos Adubos e Adubações. Prof. ELOIR MISSIO

Corretivos Adubos e Adubações. Prof. ELOIR MISSIO Corretivos Adubos e Adubações Prof. ELOIR MISSIO ADUBAÇÃO ORGÂNICA Fertilidade dos solos e manejo da adubação de culturas. Carlos A. Bissani; Clesio Gianello; Marino J. Tedesco; Flávio A. O. Camargo. Porto

Leia mais

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas

Adubação do Milho Safrinha. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Adubação do Milho Safrinha Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico (IAC), Campinas Produtividade, kg/ha Área (milhões ha) AUMENTO DA ÁREA E PRODUTIVIDADE 8000,0 7000,0 6000,0 Total MT 7.012 5000,0

Leia mais

Microbiologia do Ambiente. Sistemas aquáticos

Microbiologia do Ambiente. Sistemas aquáticos Microbiologia do Ambiente Sistemas aquáticos Ciclo da Água Precipitaçã o Evaporaçã o Infiltração Escorrênci a Classificação das águas Águas atmosféricas Águas superficiais doces Águas subterrâneas Águas

Leia mais

-ECOLOGIA APLICADA. Espécies símbolos. Prevenção da Poluição. Conservação de áreas. Preservação da diversidade genética bbbb

-ECOLOGIA APLICADA. Espécies símbolos. Prevenção da Poluição. Conservação de áreas. Preservação da diversidade genética bbbb -ECOLOGIA APLICADA * É o estudo dos efeitos causados pelo homem nos sistemas ecológicos, e o consequente manejo desses sistemas e recursos em benefício da sociedade. Espécies símbolos Questões Prevenção

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ECOLOGIA. Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo

FUNDAMENTOS DE ECOLOGIA. Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo FUNDAMENTOS DE ECOLOGIA Profa. Dra. Vivian C. C. Hyodo Produtividade primária Energia solar Produtores Fotossíntese Compostos orgânicos Produtividade primária Produtividade bruta quantidade de material

Leia mais

Microorganismos de ambientes extremos: sua relação com a Terra primitiva e as condições de surgimento de vida na Terra

Microorganismos de ambientes extremos: sua relação com a Terra primitiva e as condições de surgimento de vida na Terra Microorganismos de ambientes extremos: sua relação com a Terra primitiva e as condições de surgimento de vida na Terra Prof. Marcelo Nocelle de Almeida O que é vida? De onde surgiu? Como surgiu? Em que

Leia mais

Curso Técnico em Análises Químicas Disciplina: Microbiologia. Aula 3.1 Bactérias

Curso Técnico em Análises Químicas Disciplina: Microbiologia. Aula 3.1 Bactérias Curso Técnico em Análises Químicas Disciplina: Microbiologia Aula 3.1 Bactérias CLASSIFICAÇÃO: Bactérias Quanto a respiração: Aeróbicas: crescem apenas na presença de O 2. Anaeróbicas: crescem em ausência

Leia mais

REINO MONERA (Procariontes)

REINO MONERA (Procariontes) REINO MONERA (Procariontes) REINO MONERA (Procariontes) São as células mais simples, chamadas PROCARIONTES. São desprovidas de carioteca e da maioria das organelas (possuem apenas ribossomo). CAPSULA CITOPLASMA

Leia mais

ECOSSISTEMA. inseparavelmente ligados. Organismos vivos + Ambiente (abiótico) interagem entre si

ECOSSISTEMA. inseparavelmente ligados. Organismos vivos + Ambiente (abiótico) interagem entre si ECOSSISTEMA inseparavelmente ligados Organismos vivos + Ambiente (abiótico) interagem entre si Ciclos de Diversidade Estrutura Materiais Biótica Trófica Troca de materiais vivos e não vivos Componente

Leia mais