Regulamentos do Inter-Residências 2014 e das modalidades

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamentos do Inter-Residências 2014 e das modalidades"

Transcrição

1 Regulamentos do Inter-Residências 2014 e das modalidades

2 Inter-Residências 2014 Regulamento geral Artigo 1 (Preâmbulo) Assumindo-se como uma das atividades mais emblemáticas organizadas pela Direção da Associação Académica da Universidade de Aveiro, o Inter-Residências promove um espírito de competição saudável e de convívio entre os residentes. As residências universitárias representam um expoente elevado do convívio e da vida académica, marcando o percurso de quem opta por este tipo de alojamento durante a sua estada na universidade. Assim, a Direção da AAUAv deseja que esta atividade seja um sucesso ao nível da participação dos residentes, da componente desportiva e do convívio inter-residências. Artigo 2 (Inscrição) 1) O prazo para a inscrição no Inter-Residências 2014 inicia-se no dia 7 de abril e termina a 23 de abril de 2014; 2) A inscrição dos membros de cada equipa para o Inter-Residências 2014 deverá ser realizada com o preenchimento do formulário de inscrição em impresso próprio ou adquirido no pavilhão Aristides Hall, acompanhado das fotocópias do cartão de estudante e do BI/CC de cada jogador. Este formulário poderá ser digitalizado e submetido para (assunto do deve ser Inscrição Inter-Residências ) ou entregue na recepção do pavilhão Aristides Hall; 3) A inscrição apenas será considerada válida quando acompanhada do comprovativo do pagamento, a ser entregue na recepção do Pavilhão Aristides Hall ou submetido para (assunto do deve ser Pagamento Inter- Residências ); 4) O pagamento poderá ser efetuado no pavilhão Aristides Hall ou em alternativa, através de transferência bancária para o NIB: , com o envio do comprovativo. 5) O formulário e todas as informações estão disponíveis em Qualquer dúvida, contatar o departamento da Política Educativa Artigo 3 (Calendarização) 1) O Inter-Residências 2014 terá o seu início a 5 de maio de 2014 (segunda-feira) por volta das 18 horas; 2) O término do Inter-Residências 2014 será a 3 de junho de 2014 (terça-feira); 3) A cerimónia de entrega de prémios realizar-se-á dia 5 de junho de 2014 (quintafeira); 4) As modalidades recreativas serão realizadas em formato de jornada concentrada de acordo com o calendário que será comunicado. Artigo 4 (Sorteio) a) O sorteio dos grupos de equipas, irá realizar-se dia 5 de maio no Auditório da Casa do Estudante, seguindo o modelo de aleatoriedade que a organização considerar indicado; b) O sorteio é aberto ao público. Artigo 5 (Modelos Competitivos) Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 2

3 a) A organização reserva o direito de adotar o sistema competitivo que melhor enquadrar o número de equipas inscritas até à data limite e o tempo disponível para a sua realização. Artigo 6 (Sistema de Pontuação) a) O Inter-Residências 2014 utilizará um sistema de pontuação que premeia a prestação global da equipa em todas as modalidades do mesmo, isto é, consoante a classificação de cada equipa em cada modalidade será atribuído um certo número de pontos; b) Os pontos atribuídos são os presentes na tabela abaixo: Classificação Futsal Voleibol Sueca Matraquilhos Ténis de Mesa Torneio de PES 1º Lugar º Lugar º Lugar º Lugar º Lugar º Lugar º Lugar º Lugar Restantes c) Podem ser inscritas várias equipas por cada Residência, sendo que os pontos das várias equipas serão sempre atribuídos à pontuação global da Residência; d) A Residência que no final do Inter-Residências 2014 tiver o maior número de pontos será considerada a campeã do mesmo. e) Em caso de empate pontual os critérios de desempate serão os seguintes: 1. Ganha a Residência com melhor pontuação nas modalidades de pavilhão; 2. Ganha a Residência com melhor pontuação nas modalidades recreativas; 3. Ganha a Residência com mais participantes inscritos; 4. Ganha a Residência inscrita em mais modalidades. Artigo 7 (Organização) a) A organização do Inter-Residências 2014 é da inteira responsabilidade do departamento para a Política Educativa da Associação Académica da Universidade de Aveiro (AAUAv). Artigo 8 (Casos Omissos) a) Todos os casos que, inadvertidamente não estejam presentes neste regulamento, serão alvo de apreciação por parte da Organização, tomando a sua decisão de carácter definitivo, sem possibilidade de recurso; b) O(a) participante que manifestar atitudes anti-desportivas durante a realização do Inter- Residências 2014, será liminarmente excluído(a), não podendo dessa forma voltar a competir no mesmo; c) A organização não se responsabiliza por quaisquer acidentes ou lesões ocorridos durante a realização da prova. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 3

4 REGULAMENTO DE MATRAQUILHOS Capítulo I (Inscrições) Artigo 1º (Âmbito) O estipulado neste regulamento serve única e exclusivamente para a modalidade de Matraquilhos do Inter-Residências Artigo 2º (Inscrição) 1) De acordo com o Artigo 2 do Regulamento Geral do Inter-Residências Artigo 3º (Equipas) 1. Só são aceites inscrições das Residências que estão em funcionamento no presente ano letivo; 2. Cada equipa tem de ter dois(duas) jogadores(as); 3. A equipa é composta exclusivamente por elementos da própria Residência. (nota: a utilização incorreta de jogadores(as) resultará na desclassificação da equipa); 4. Cada jogador(a) apenas pode participar numa equipa. No caso de um(a) jogador(a) mudar de Residência no ano letivo 2013/2014 vigora o seguinte: a) Participa na equipa da nova residência, no caso de não ter efetuado nenhum jogo pela anterior equipa; b) Caso contrário continuará a pertencer à equipa da antiga Residência. Artigo 4º (Jogadores(as)) 1) Considera-se dois o número mínimo e máximo de jogadores(as) de uma equipa para iniciar um jogo; 2) A apresentação do cartão de estudante de cada jogador(a), na mesa, no início de cada jogo, é obrigatória; 3) Excepcionalmente, aquando da não existência do cartão de estudante, o(a) jogador(a) deverá se identificar com o bilhete de identidade/cartão de cidadão/passaporte ou carta de condução; 4) A não apresentação de qualquer de um destes documentos, impede o(a) jogador(a) de ser utilizado(a). Capítulo II (Sistema competitivo) Artigo 5º (Sistema competitivo) A Organização reserva o direito de adotar sistema competitivo que melhor enquadrar o número de equipas inscritas até à data limite e o tempo disponível para a sua realização. Artigo 6º (Jogo) 1) Para iniciar a partida sortear-se-á o campo a jogar e a posse de bola através do método de moeda ao ar, em que, aquele que adivinhar a face da moeda resultante terá o direito de escolha de um dos parâmetros acima mencionados; 2) O lançamento da bola terá de ser feito para o centro do campo e sem interferência por parte do(a) jogador(a) adversário(a). Procede-se depois ao jogo de forma normal; Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 4

5 3) Cada jogo será disputado em três séries "à melhor de 7", ou seja, a primeira equipa que marcar quatro golos em cada partida será a vencedora da partida e a primeira equipa que vencer as três séries será a vencedora do jogo; 4) Em caso de existir empate ao fim de duas séries, ou seja, 1-1, a terceira série será disputada "à melhor de 9", em que a primeira equipa a marcar cinco golos será declarada a vencedora. Artigo 7º (Boletim de jogo) 1) Todos os jogos serão registados em boletins de jogo, segundo modelo próprio da organização, que serão devidamente assinados pelos(as) capitães(ãs) das equipas e pela Organização no final; 2) Os(as) capitães(ãs) das equipas são os(as) responsáveis pelo preenchimento dos boletins de jogo, devendo apresentar os respetivos cartões de estudante (ou outro documento identificativo) dos(as) jogadores(as) da respetiva equipa; 3) O previsto na alínea n.º 2 deve ser efectuado com a antecedência de cinco minutos antes da hora prevista para início do jogo, junto da Organização; 4) Os dados exigidos pelo boletim de jogo relativamente aos(às) jogadores(as) devem estar em conformidade com a ficha de inscrição. Capítulo III Artigo 8º A pontuação atribuída a cada equipa segundo os resultados obtidos é: Vitória: 3 pontos Derrota: 1 pontos Falta de comparência: -1 2 faltas de comparência: Excluída do Inter-Residências 2014 Artigo 9º (Desempate) Em caso de empate em pontos ganha a equipa que venceu em confronto direto. Capítulo IV (Disciplina) Artigo 10º (Situações irregulares) 1) Não existe árbitro, pelo que os(as) participantes devem resolver as situações de dúvida em face deste regulamento; 2) Podem, porém, recorrer à Organização para que esta tente resolver o problema da maneira que achar mais correta e isenta. Capítulo V (Outros) Artigo 11º (Casos Omissos) 1) Todos os casos que, inadvertidamente não estejam presentes neste regulamento, serão alvo de apreciação por parte da Organização, tomando a sua decisão de carácter definitivo, sem possibilidade de recurso; Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 5

6 2) O(a) participante que manifestar atitudes anti-desportivas durante a realização do Inter-Residências 2014, será liminarmente excluído(a), não podendo dessa forma voltar a competir no mesmo; 3) A organização não se responsabiliza por quaisquer acidentes ou lesões ocorridos durante a realização da prova. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 6

7 REGULAMENTO DE TÉNIS DE MESA Capítulo I (Inscrições) Artigo 1º (Âmbito) O estipulado neste regulamento serve única e exclusivamente para modalidade de Ténis de Mesa do Inter-Residências Artigo 2º (Inscrição) 1) De acordo com o Artigo 2 do Regulamento Geral do Inter-Residências Artigo 3º (Equipas) 1) Só são aceites inscrições das Residências que estão em funcionamento no ano letivo em que decorrer o Inter-Residências 2014; 2) Cada equipa tem de ter um(a) jogador(a); 3) A equipa é composta exclusivamente por elementos da própria Residência. (nota: a utilização incorreta de jogadores(as) resultará na desclassificação da equipa); 4) Cada jogador(a) apenas pode participar numa equipa. No caso de um(a) jogador(a) mudar de Residência no ano letivo 2013/2014 vigora o seguinte: a) Participa na equipa da nova residência, no caso de não ter efetuado nenhum jogo pela anterior equipa; b) Caso contrário continuará a pertencer à equipa da antiga Residência. Artigo 4º (Jogadores(as)) 1) Considera-se um o número mínimo e máximo de jogadores(as) de uma equipa para iniciar um jogo; 2) A apresentação do cartão de estudante de cada jogador(a), na mesa, no início de cada jogo, é obrigatória; 3) Excepcionalmente, aquando da não existência do cartão de estudante, o(a) jogador(a) deverá se identificar com o bilhete de identidade/cartão de cidadão/passaporte ou carta de condução; 4) A não apresentação de qualquer de um destes documentos, impede o(a) jogador(a) de ser utilizado(a). Capítulo II (Sistema competitivo) Artigo 5º (Sistema competitivo) A Organização reserva o direito de adotar sistema competitivo que melhor enquadrar o número de equipas inscritas até à data limite e o tempo disponível para a sua realização. Artigo 6º (Jogo) 1) Cada SET será até aos 11 (onze) pontos; 2) O vencedor do SET será o(a) jogador(a) que primeiro obtiver 11 (onze) pontos, com a excepção de ambos os(as) jogadores(as) atingirem uma contagem simultânea de 10 (dez) pontos. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 7

8 Nesse caso, será vencedor do SET, o(a) jogador(a) que primeiro obtenha 2 (dois) pontos de diferença sobre o seu adversário; 3) O direito de escolher a ordem inicial do serviço, recepção e campos será decidido por lançamento de uma moeda ao ar pelo árbitro (designado pela Organização). Cabe ao(à) jogadora escolhido(a) pelo árbitro, escolher primeiramente qual das faces da moeda prefere, o(a) vencedor(a) poderá escolher servir ou receber primeiro ou começar num campo em particular; 4) O Serviço: a) O serviço começa com a bola na posse de um(a) dos(as) jogadores(as) e visível para o adversário; b) O servidor deverá então projetar a bola quase na vertical, no sentido ascendente, sem que lhe seja imprimido qualquer tipo de efeito; c) Quando a bola está na sua face descendente, o servidor deverá batê-la de maneira que ela toque primeiro no seu campo, somente uma vez, e depois, passando por cima ou em torno da rede, toque diretamente no campo do receptor; d) Desde o início do serviço até ser batida, a bola deve estar acima do nível da superfície de jogo e atrás da linha de fundo do servidor, de modo a não ficar escondida do receptor pelo servidor; e) O serviço deve ser repetido sempre que exista netball, ou seja, sempre que a bola, após bater no campo do jogador que serve, toque na rede ou nos seus suportes, a transponha, e bata no campo do adversário. Neste caso deve ser repetida a jogada; f) O serviço é feito alternadamente entre os(as) dois(duas) jogadores(as), sendo que este alterna sempre que são concretizados dois pontos. 5) Após o serviço, o(a) jogador(a) receptor(a) deve devolver a bola após esta ter batido uma vez no seu campo, de forma a que esta caia no campo do adversário, que fará nova devolução e assim sucessivamente. O(a) jogador(a) que não conseguir devolver a bola, perde o ponto para o adversário. Será conquistado um ponto pelo(a) jogador(a) sempre que: a) O seu adversário falhe a execução de um serviço; b) O seu adversário falhar a execução de uma devolução; c) Se a bola, depois de batida pelo seu adversário, sobrevoar o seu campo ou ultrapassar a sua linha de fundo sem lhes ter tocado; d) Se o adversário bater a bola duas vezes consecutivas; e) Se o adversário ou a sua raquete tocarem a superfície de jogo. Artigo 7º (Boletim de jogo) 1) Todos os jogos serão registados em boletins de jogo, segundo modelo próprio da organização, que serão devidamente assinados pelos(as) capitães(ãs) das equipas e pela Organização no final; 2) Os(as) capitães(ãs) das equipas são os(as) responsáveis pelo preenchimento dos boletins de jogo, devendo apresentar os respetivos cartões de estudante (ou outro documento identificativo) dos(as) jogadores(as) da respetiva equipa; 3) O previsto na alínea n.º 2 deve ser efetuado com a antecedência de cinco minutos antes da hora prevista para início do jogo, junto da Organização; 4) Os dados exigidos pelo boletim de jogo relativamente aos(às) jogadores(as) devem estar em conformidade com a ficha de inscrição. Capítulo III Artigo 8º A pontuação atribuída a cada equipa segundo os resultados obtidos é: Vitória: 3 pontos Derrota: 1 pontos Falta de comparência: -1 2 faltas de comparência: Excluída do Inter-Residências 2014 Artigo 9º (Desempate) Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 8

9 Em caso de empate em pontos ganha a equipa que venceu em confronto direto. Capítulo IV (Disciplina) Artigo 10º (Situações irregulares) 1) Não existe árbitro, pelo que os(as) participantes devem resolver as situações de dúvida em face deste regulamento; 2) Podem, porém, recorrer à Organização para que esta tente resolver o problema da maneira que achar mais correta e isenta. Capítulo V (Outros) Artigo 11º (Casos Omissos) 1) Todos os casos que, inadvertidamente não estejam presentes neste regulamento, serão alvo de apreciação por parte da Organização, tomando a sua decisão de carácter definitivo, sem possibilidade de recurso; 2) O(a) participante que manifestar atitudes anti-desportivas durante a realização do Inter-Residências 2014, será liminarmente excluído(a), não podendo dessa forma voltar a competir no mesmo; 3) A organização não se responsabiliza por quaisquer acidentes ou lesões ocorridos durante a realização da prova. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 9

10 REGULAMENTO DE FUTSAL Capítulo I (Inscrições) Artigo 1 (Âmbito) O estipulado neste regulamento serve única e exclusivamente para a modalidade de Futsal, masculino, feminino e misto, do Inter-Residências Artigo 2 (Inscrição) 1) De acordo com o Artigo 2 do Regulamento Geral do Inter-Residências Artigo 3 (Equipas) 1) Só são aceites inscrições das Residências que estão em funcionamento no ano letivo em que decorrer o Inter-Residências 2014; 2) Cada equipa tem de ter no mínimo sete jogadores(as); 3) A equipa é composta exclusivamente por elementos da própria Residência. (nota: a utilização incorreta de jogadores(as) resultará na desclassificação da equipa); 4) Cada jogador(a) apenas pode participar numa equipa. No caso de um(a) jogador(a) mudar de Residência no ano letivo 2013/2014 vigora o seguinte: a) Participa na equipa da nova residência, no caso de não ter efetuado nenhum jogo pela anterior equipa; b) Caso contrário continuará a pertencer à equipa da antiga Residência. 5) As equipas femininas podem ser compostas por elementos de Residências diferentes, caso essa Residência não tenha elementos para construir equipa. Artigo 4 (Jogadores(as)) 1) Considera-se cinco o número mínimo de jogadores(as) de uma equipa para iniciar um jogo; 2) A apresentação do cartão de estudante de cada jogador(a), na mesa, no início de cada jogo, é obrigatória; 3) Excepcionalmente, aquando da não existência do cartão de estudante, o jogador(a) deverá se identificar com o bilhete de identidade/cartão de cidadão/passaporte ou carta de condução; 4) A não apresentação de qualquer de um destes documentos, impede o(a) jogador(a) de ser utilizado(a). Capítulo II (Sistema competitivo) Artigo 5 (Sistema competitivo) A Organização reserva o direito de adotar sistema competitivo que melhor enquadrar o número de equipas inscritas até à data limite e o tempo disponível para a sua realização. Artigo 6º (Jogo) 1) Todos os jogos terão a duração de duas partes de quinze minutos cada, realizados com tempo corrido. Os jogos de atribuição de lugares (Finalíssima e Final de 3º e 4º lugares) serão realizados com tempo de jogo real, isto é, com vinte minutos cada parte Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 10

11 e o(a) cronometrista procederá à paragem do tempo de jogo sempre que a bola não esteja em jogo; 2) As equipas têm o direito a um período comum de aquecimento à baliza no máximo de cinco minutos, controlado pelo cronómetro do pavilhão; 3) Serão dados dez minutos de tolerância a cada equipa para começar o jogo, sendo dados apenas cinco minutos após o período de aquecimento. Após este período, é atribuída falta de comparência à equipa; 4) A uma equipa que seja atribuída falta de comparência, é também atribuída automaticamente uma derrota por 5-0, em que é atribuído um golo a cada jogador(a) do 5 titular adversário. A esta equipa será instaurado um processo disciplinar, que será avaliado pela Organização; 5) A uma equipa à qual sejam atribuídas duas faltas de comparência consecutivas ou três alternadas, a equipa será excluída da competição; 6) No caso de uma equipa ser excluída da competição por faltas de comparência, serão anulados todos os resultados obtidos por essa equipa. Artigo 7º (Boletim de jogo) 1) Todos os jogos serão registados em boletins de jogo, segundo modelo próprio da organização, que serão devidamente assinados pelos(as) capitães(ãs) das equipas e pelos(as) àrbitros no final do jogo; 2) Os(as) capitães(ãs) das equipas são os(as) responsáveis pelo preenchimento dos boletins de jogo, devendo apresentar os respetivos cartões de estudante (ou outro documento identificativo) dos(as) jogadores(as) da respetiva equipa; 3) O previsto na alínea n.º 2 deve ser efetuado com a antecedência de quinze minutos da hora prevista para início do jogo, junto dos responsáveis de mesa; 4) Os dados exigidos pelo boletim de jogo relativamente aos(às) jogadores(as) devem estar em conformidade com a ficha de inscrição. Artigo 8º (Equipamentos) 1) Quando duas equipas se apresentarem para disputar um jogo entre si e os seus equipamentos sejam de difícil distinção, serão sorteados os coletes fornecidos pela Organização. Capítulo III Artigo 9º A pontuação atribuída a cada equipa segundo os resultados obtidos é: Vitória: 3 pontos Empate: 1 ponto Derrota: 0 pontos Falta de comparência: -1 2 faltas de comparência: Excluída do Inter-residências 2014 Artigo 10º (Desempate) Em caso de empate em pontos, o desempate far-se-á da seguinte forma: i) Pela diferença de golos marcados e sofridos entre as equipas empatadas; ii) Pelo maior número de golos marcados; iii) Ganha a equipa que venceu em confronto direto; iv) Pelo menor número de golos sofridos; v) Pelo número de cartões vermelhos atribuídos a cada equipa; vi) Pelo número de cartões amarelos atribuídos a cada equipa; vii) Sorteio. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 11

12 Artigo 11º (Desempate em jogos eliminatórios) Em jogos eliminatórios que se verifique empate no final do tempo regulamentar, as equipas, depois de um intervalo de um minuto, disputarão um prolongamento de cinco minutos sem intervalo. Caso o empate se mantenha, a equipa vencedora é encontrada através da marcação de pontapés da marca de grande penalidade. Inicialmente cada equipa terá direito a uma série de cinco. Se no fim desta série as equipas continuarem empatadas, cada uma terá direito a efetuar um pontapé da marca de penalidade. Este procedimento repetir-se-á até que uma das equipas ganhe vantagem, sendo esta declarada vencedora do jogo. Artigo 12º (Interrupção de jogos) Quando qualquer jogo não tiver durado o tempo regulamentar, por ter sido suspenso pelos(as) árbitros, o resultado pode não ser considerado válido, exceto nas situações em que a suspensão tenha sido motivada por mau comportamento dos(as) atletas de alguma equipa. Capítulo IV (Disciplina) Artigo 13 (Arbitragens) 1) Os contatos com os(as) árbitros e elementos da mesa serão da responsabilidade da Organização, sendo que estes(as) serão alunos(as) da UA com experiência em arbitragem; 2) Todos(as) os(as) Árbitros deverão fazer cumprir estritamente as Leis de Futsal da Federação Portuguesa de Futebol. Artigo 14 (Disciplina) 1) Ao jogador(a) a quem seja exibido um cartão vermelho, será aplicado no mínimo um jogo de suspensão; 2) Ao jogador(a) a quem seja exibido um cartão vermelho, o relatório do(a) Árbitro é sempre analisado pela Organização; 3) É da competência da Organização a aplicação dos castigos disciplinares, em função do relatório do(a) Árbitro; 4) Qualquer elemento de uma equipa que agrida fisicamente outro elemento do Inter- Residências 2014, terá suspensão imediata do mesmo; 5) Para apresentar um protesto, deve o delegado ao jogo mencionar tal pretensão no boletim de jogo. Deve ainda apresentar uma exposição por escrito à Organização, devidamente assinada pelo(a) capitão(ã) da equipa, em ficha de própria fornecida pela Organização, até vinte e quatro horas após o fim do encontro em causa; 6) Para a Organização poder aceitar o protesto, este deverá vir acompanhado por uma caução de cinquenta euros, que será devolvida se for dado provimento ao protesto. Capítulo V (Outros) Artigo 15º (Leis do jogo) Todos os jogos serão disputados de acordo com as Leis de Futsal da Federação Portuguesa de Futebol. Artigo 16º (Casos Omissos) Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 12

13 1) Todos os casos que, inadvertidamente, não estejam presentes neste regulamento, serão alvo de apreciação por parte da Organização, tomando a sua decisão de caráter definitivo, sem possibilidade de recurso; 2) O(a) participante que manifestar atitudes anti-desportivas durante a realização do Inter-Residências 2014, será liminarmente excluído(a), não podendo dessa forma voltar a competir no mesmo; 3) A Organização não se responsabiliza por quaisquer acidentes ou lesões ocorridos durante a realização da prova. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 13

14 REGULAMENTO SUECA Capítulo I (Inscrições) Artigo 1º (Âmbito) O estipulado neste regulamento serve única e exclusivamente para a modalidade de Sueca do Inter-Residências Artigo 2 (Inscrição) 1) De acordo com o Artigo 2 do Regulamento Geral do Inter-Residências Artigo 3º (Equipas) 1) Só são aceites inscrições das Residências que estão em funcionamento no ano letivo em que decorrer o Inter-Residências 2014; 2) Cada equipa tem de ter dois(duas) jogadores(as); 3) A equipa é composta exclusivamente por elementos da própria Residência. (nota: a utilização incorreta de jogadores(as) resultará na desclassificação da equipa); 4) Cada jogador(a) apenas pode participar numa equipa. No caso de um(a) jogador(a) mudar de Residência no ano letivo 2013/2014 vigora o seguinte: a) Participa na equipa da nova residência, no caso de não ter efetuado nenhum jogo pela anterior equipa; b) Caso contrário continuará a pertencer à equipa da antiga Residência. Artigo 4º (Jogadores(as)) 1) Considera-se dois o número mínimo e máximo de jogadores(as) de uma equipa para iniciar um jogo; 2) A apresentação do cartão de estudante de cada jogador(a), na mesa, no início de cada jogo, é obrigatória; 3) Excepcionalmente, aquando da não existência do cartão de estudante, o(a) jogador(a) deverá se identificar com o bilhete de identidade/cartão de cidadão/passaporte ou carta de condução; 4) A não apresentação de qualquer de um destes documentos, impede o(a) jogador(a) de ser utilizado(a). Capítulo II (Sistema competitivo) Artigo 5º (Sistema competitivo) A Organização reserva o direito de adotar sistema competitivo que melhor enquadrar o número de equipas inscritas até à data limite e o tempo disponível para a sua realização. Artigo 6º (Jogo) 1) Para iniciar a partida sortear-se-á qual será a equipa a baralhar através de distribuição de cartas pelos quatro elemento, sendo que a menor carta corresponderá à pessoa que irá baralhar; 2) Cada jogo será disputado à melhor de quarto jogos; 3) Se a equipa adversária obtiver menos que trinta pontos corresponderá a 2 pontos para a equipa vencedora; Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 14

15 Artigo 7º (Boletim de jogo) 1) Todos os jogos serão registados em boletins de jogo, segundo modelo próprio da organização, que serão devidamente assinados pelos(as) capitães(ãs) das equipas e pela Organização no final; 2) Os(as) capitães(ãs) das equipas são os(as) responsáveis pelo preenchimento dos boletins de jogo, devendo apresentar os respetivos cartões de estudante (ou outro documento identificativo) dos(as) jogadores(as) da respetiva equipa; 3) O previsto na alínea n.º 2 deve ser efetuado com a antecedência de cinco minutos antes da hora prevista para início do jogo, junto da Organização; 4) Os dados exigidos pelo boletim de jogo relativamente aos(às) jogadores(as) devem estar em conformidade com a ficha de inscrição. Capítulo III Artigo 8º A pontuação atribuída a cada equipa segundo os resultados obtidos é: Vitória com mais de 60 pontos: 1 pontos Vitória com mais de 90 pontos: 2 pontos Derrota: 0 pontos Falta de comparência: -1 2 faltas de comparência: Excluída do Inter-Residências 2014 Capítulo IV (Disciplina) Artigo 9º (Situações irregulares) 1) Não existe árbitro, pelo que os(as) participantes devem resolver as situações de dúvida em face deste regulamento; 2) Podem, porém, recorrer à Organização para que esta tente resolver o problema da maneira que achar mais correta e isenta. Capítulo V (Outros) Artigo 10º (Casos Omissos) 1) Todos os casos que, inadvertidamente, não estejam presentes neste regulamento, serão alvo de apreciação por parte da Organização, tomando a sua decisão de caráter definitivo, sem possibilidade de recurso; 2) O(a) participante que manifestar atitudes anti-desportivas durante a realização do Inter-Residências 2014, será liminarmente excluído(a), não podendo dessa forma voltar a competir no mesmo; 3) A organização não se responsabiliza por quaisquer acidentes ou lesões ocorridos durante a realização da prova. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 15

16 REGULAMENTO VOLEIBOL Capítulo I (Inscrições) Artigo 1º (Âmbito) O estipulado neste regulamento serve única e exclusivamente para a modalidade de Voleibol do Inter-Residências Artigo 2 (Inscrição) 1) De acordo com o Artigo 2 do Regulamento Geral do Inter-Residências Artigo 3º (Equipas) 1) Só são aceites inscrições das Residências que estão em funcionamento no ano letivo em que decorrer o Inter-Residências 2014; 2) Cada equipa tem de ter no mínimo cinco jogadores(as); 3) A equipa é composta exclusivamente por elementos da própria Residência. (nota: a utilização incorreta de jogadores(as) resultará na desclassificação da equipa); 4) Cada jogador(a) apenas pode participar numa equipa. No caso de um(a) jogador(a) mudar de Residência no ano letivo 2013/2014 vigora o seguinte: a) Participa na equipa da nova residência, no caso de não ter efectuado nenhum jogo pela anterior equipa; b) Caso contrário continuará a pertencer à equipa da antiga Residência. 5) As equipas femininas e mistas podem ser compostas por elementos de Residências diferentes, caso essa Residência não tenha elementos para construir equipa. Artigo 4º (Jogadores(as)) 1) Considera-se quatro o número mínimo de jogadores(as) de uma equipa para iniciar um jogo; 2) A apresentação do cartão de estudante de cada jogador(a), na mesa, no início de cada jogo, é obrigatória; 3) Excepcionalmente, aquando da não existência do cartão de estudante, o jogador(a) deverá se identificar com o bilhete de identidade/cartão de cidadão/passaporte ou carta de condução; 4) A não apresentação de qualquer de um destes documentos, impede o(a) jogador(a) de ser utilizado(a). Capítulo II (Sistema competitivo) Artigo 5º (Sistema competitivo) A Organização reserva o direito de adotar sistema competitivo que melhor enquadrar o número de equipas inscritas até à data limite e o tempo disponível para a sua realização. Artigo 6º (Jogo) Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 16

17 1) Todos os jogos serão disputados durante trinta minutos de jogo. A equipa vencedora é que obtiver mais pontos no final do tempo estipulado, com diferença mínima de dois pontos da equipa adversária; 2) As equipas têm o direito a um período comum de aquecimento à rede no máximo de cinco minutos, controlado pelo cronómetro do pavilhão; 3) Serão dados dez minutos de tolerância a cada equipa para começar o jogo, sendo dados apenas cinco minutos após o período de aquecimento. Após este período, é atribuída falta de comparência à equipa; 4) A uma equipa que seja atribuída falta de comparência, é também atribuída automaticamente uma derrota. A esta equipa será instaurado um processo disciplinar, que será avaliado pela Organização; 5) A uma equipa à qual sejam atribuídas duas faltas de comparência consecutivas ou três alternadas, a equipa será excluída da competição; 6) No caso de uma equipa ser excluída da competição por faltas de comparência, serão anulados todos os resultados obtidos por essa equipa. Artigo 7º (Boletim de jogo) 1) Todos os jogos serão registados em boletins de jogo, segundo modelo próprio da organização, que serão devidamente assinados pelos(as) capitães(ãs) das equipas e pelos(as) àrbitros no final do jogo; 2) Os(as) capitães(ãs) das equipas são os(as) responsáveis pelo preenchimento dos boletins de jogo, devendo apresentar os respetivos cartões de estudante (ou outro documento identificativo) dos(as) jogadores(as) da respetiva equipa; 3) O previsto na alínea n.º 2 deve ser efetuado com a antecedência de quinze minutos da hora prevista para início do jogo, junto dos responsáveis de mesa; 4) Os dados exigidos pelo boletim de jogo relativamente aos(às) jogadores(as) devem estar em conformidade com a ficha de inscrição. Artigo 8º (Equipamentos) 1) Quando duas equipas se apresentarem para disputar um jogo entre si e os seus equipamentos sejam de difícil distinção, serão sorteados os coletes fornecidos pela organização. Capítulo III Artigo 9º A pontuação atribuída a cada equipa segundo os resultados obtidos é: Vitória: 3 pontos Derrota: 0 pontos Falta de comparência: -1 2 faltas de comparência: Excluída do Inter-Residências 2014 Artigo 10º (Desempate) Em caso de empate em pontos, o desempate far-se-á da seguinte forma: i) Pela diferença de pontos marcados e sofridos entre as equipas empatadas; iii) Ganha a equipa que venceu em confronto direto; iv) Pelo menor número de pontos sofridos; v) Pela existência de Conduta Incorreta de Agressão; v) Pelo número de cartões vermelhos atribuídos a cada equipa; vi) Pelo número de cartões amarelos atribuídos a cada equipa; vii) Sorteio. Artigo 11º Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 17

18 (Interrupção de jogos) Quando qualquer jogo não tiver durado o tempo regulamentar, por ter sido suspenso pelos(as) árbitros, o resultado pode não ser considerado válido, excepto nas situações em que a suspensão tenha sido motivada por mau comportamento dos(as) atletas de alguma equipa. Capítulo IV (Disciplina) Artigo 12º (Arbitragens) 1) Os contatos com os(as) árbitros e elementos da mesa serão da responsabilidade da organização, sendo que estes(as) serão alunos(as) da UA com experiência em arbitragem; 2) Todos(as) os(as) Árbitros deverão fazer cumprir estritamente as Leis de Voleibol da Federação Portuguesa de Voleibol. Artigo 13º (Disciplina) 1) Ao jogador(a) a quem seja exibido um cartão vermelho, será aplicado no mínimo um jogo de suspensão; 2) Ao jogador(a) a quem seja exibido um cartão vermelho, o relatório do(a) Árbitro é sempre analisado pela Organização; 3) É da competência da Organização a aplicação dos castigos disciplinares, em função do relatório do(a) Árbitro; 4) Qualquer elemento de uma equipa que agrida fisicamente outro elemento do Inter- Residências 2014 (Conduta Incorreta de Agressão), terá suspensão imediata do mesmo; 5) Para apresentar um protesto, deve o delegado ao jogo mencionar tal pretensão no boletim de jogo. Deve ainda apresentar uma exposição por escrito à Organização, devidamente assinada pelo(a) capitão(ã) da equipa, em ficha de própria fornecida pela organização, até vinte e quatro horas após o fim do encontro em causa; 6) Para a Organização poder aceitar o protesto, este deverá vir acompanhado por uma caução de cinquenta euros, que será devolvida se for dado provimento ao protesto. Capítulo V (Outros) Artigo 14º (Leis do jogo) Todos os jogos serão disputados de acordo com as Leis de Voleibol da Federação Portuguesa de Voleibol. Artigo 15º (Casos Omissos) 1) Todos os casos que, inadvertidamente não estejam presentes neste regulamento, serão alvo de apreciação por parte da Organização, tomando a sua decisão de carácter definitivo, sem possibilidade de recurso; 2) O(a) participante que manifestar atitudes anti-desportivas durante a realização do Inter- Residências 2014, será liminarmente excluído(a), não podendo dessa forma voltar a competir no mesmo; 3) A organização não se responsabiliza por quaisquer acidentes ou lesões ocorridos durante a realização da prova. Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 18

19 REGULAMENTO - TORNEIO DE PES Capítulo I (Inscrições) Artigo 1º (Âmbito) O estipulado neste regulamento serve única e exclusivamente para a modalidade PES do Inter- Residências Artigo 2 (Inscrição) 1) De acordo com o Artigo 2 do Regulamento Geral do Inter-Residências Artigo 3º (Equipas) 1) Só são aceites inscrições das Residências que estão em funcionamento no ano letivo em que decorrer o Inter-Residências 2014; 2) Cada equipa tem de ter um(uma) jogadores(as); 3) A equipa é composta exclusivamente por elementos da própria Residência. (nota: a utilização incorreta de jogadores(as) resultará na desclassificação da equipa); 4) Cada jogador(a) apenas pode participar numa equipa. No caso de um(a) jogador(a) mudar de Residência no ano letivo 2013/2014 vigora o seguinte: a) Participa na equipa da nova residência, no caso de não ter efetuado nenhum jogo pela anterior equipa; b) Caso contrário continuará a pertencer à equipa da antiga Residência. Artigo 4º (Jogadores(as)) 1) Considera-se um o número mínimo e máximo de jogadores(as) de uma equipa para iniciar um jogo; 2) A apresentação do cartão de estudante de cada jogador(a), na mesa, no início de cada jogo, é obrigatória; 3) Excepcionalmente, aquando da não existência do cartão de estudante, o(a) jogador(a) deverá se identificar com o bilhete de identidade/cartão de cidadão/passaporte ou carta de condução; 4) A não apresentação de qualquer de um destes documentos, impede o(a) jogador(a) de ser utilizado(a). Capítulo II (Sistema competitivo) Artigo 5 (Jogo) 1) O torneio irá disputar-se por eliminatórias, onde cada participante, por sorteio, joga contra outro participante, e passa a eliminatória seguinte o vencedor, o derrotado é eliminado do torneio; 2) As eliminatórias são disputadas a um só jogo (prolongamento e penalties ligados). As meias-finais são jogadas a duas mão (em casa e fora) com número de golos marcados fora a contar para desempate, se esta situação se verificar; 3) Caso o resultado seja igual nos dois jogos causando empate mesmo com golos fora, deverá ser jogado um terceiro jogo de 5 minutos com penalties e prolongamento ligados; 4) Escolha de equipas: Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 19

20 Poderá ser escolhida qualquer equipa ou seleção excepto equipas/selecções clássicas e equipas criadas para o jogo, que não correspondam a nenhuma equipa real. O jogador poderá trocar de equipa ao longo do torneio, no entanto, se for um jogo a duas mãos, deverá usar a mesma equipa nos dois jogos (ou três em caso de empate nos dois primeiros); 5) Condições do Jogo: Nivel de Jogo: Super-Estrela (ou equivalente - nível máximo) Duração: 10 Min. Lesões: Desligada Condição: Normal Emoções dos jogadores: Não Prolongamento: Sim (excepto meias-finais) Grandes Penalidades: Sim (excepto meias-finais) Nº máximo de substituições: 3 Não é permitido aos jogadores levarem option files. Artigo 6º (Boletim de jogo) 1) Todos os jogos serão registados em boletins de jogo, segundo modelo próprio da organização, que serão devidamente assinados pelos(as) capitães(ãs) das equipas e pela Organização no final; 2) O jogador(a) é responsável pelo preenchimento dos boletins de jogo, devendo apresentar o respetivo cartão de estudante (ou outro documento identificativo); 3) O previsto na alínea n.º 2 deve ser efetuado com a antecedência de cinco minutos antes da hora prevista para início do jogo, junto da Organização; 4) Os dados exigidos pelo boletim de jogo relativamente ao(à) jogador(a) deve estar em conformidade com a ficha de inscrição. Capítulo III Artigo 7º A pontuação atribuída a cada equipa segundo os resultados obtidos é: Vitória: 1 pontos Derrota: 0 pontos Falta de comparência: -1 2 faltas de comparência: Excluída do Inter-Residências 2014 Capítulo IV (Disciplina) Artigo 8º (Situações irregulares) 1) Não existe árbitro, pelo que os(as) participantes devem resolver as situações de dúvida em face deste regulamento; 2) Podem, porém, recorrer à Organização para que esta tente resolver o problema do modo que achar mais correto e isento. Capítulo V (Outros) Artigo 9º (Casos Omissos) Regulamentos Inter-Residências 2014 AAUAv 20

FUTSAL INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA

FUTSAL INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA 1 MODELO COMPETITIVO DO INTER CURSOS 1.1 ESTA COMPETIÇÃO SERÁ DISPUTADA ENTRE 35 EQUIPAS, DISTRIBUIDAS 12 PELA PRIMEIRA DIVISÃO, E DOIS GRUPOS NA SEGUNDA

Leia mais

Regulamento do Torneio de Sueca Arraial Académico Departamento da Cultura e Atividades Académicas

Regulamento do Torneio de Sueca Arraial Académico Departamento da Cultura e Atividades Académicas Regulamento Torneio de Sueca Arraial Académico 2015 Preâmbulo O Arraial Académico é um atividade de âmbito cultural, com ampla tradição académica que une os estudantes e oferece à cidade um convívio saudável

Leia mais

REGULAMENTO DO 1º TORNEIO DE FUTSAL MOSAICO DE PAISAGENS 2013

REGULAMENTO DO 1º TORNEIO DE FUTSAL MOSAICO DE PAISAGENS 2013 REGULAMENTO DO 1º TORNEIO DE FUTSAL MOSAICO DE PAISAGENS 2013 1. INTRODUÇÃO O 1º Torneio de Futsal Mosaico de Paisagens 2013, organizado pelo Município de Caminha, será disputado por um total máximo de

Leia mais

Regulamento Interno Liga Futsal AEISCSN 2010/2011

Regulamento Interno Liga Futsal AEISCSN 2010/2011 1 ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Organização e direcção do torneio II. ORGANIZAÇÃO DA PROVA Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Pontuação de Jogo Artigo 4º - Critérios de Desempate Artigo

Leia mais

Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO

Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO Câmara Municipal de Montemor-o-Velho Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO Montemor-o-Velho, Maio de 2014 Índice REGULAMENTO... 3 1. ORGANIZAÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS/ESCALÕES

Leia mais

CÂMARA MUNICPAL DO NORDESTE GABINETE DO DESPORTO TORNEIO DE FUTSAL INTER-FREGUESIAS DO NORDESTE 2015

CÂMARA MUNICPAL DO NORDESTE GABINETE DO DESPORTO TORNEIO DE FUTSAL INTER-FREGUESIAS DO NORDESTE 2015 CÂMARA MUNICPAL DO NORDESTE I.INTRODUÇÃO Com a organização do Torneio de Futsal Inter-Freguesias do Nordeste 2015, o gabinete do Desporto pretende proporcionar à população concelhia um espaço privilegiado

Leia mais

Regulamento Liga Futsal AEFEUP 2014/2015. Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2014/2015 1

Regulamento Liga Futsal AEFEUP 2014/2015. Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2014/2015 1 Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2014/2015 1 Regulamento Liga Futsal AEFEUP 2014/2015 Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2014/2015 2 Índice Índice...2 Artigo 1.º - Inscrições...3 Artigo 2.º - Formato da

Leia mais

3º TORNEIO PATRICIUS GRANDE ESCOLHA 2015

3º TORNEIO PATRICIUS GRANDE ESCOLHA 2015 3º TORNEIO PATRICIUS GRANDE ESCOLHA 2015 - ARTIGO 1 O 3º Torneio PATRICIUS GRANDE ESCOLHA realiza-se no Campo de 5 situado no Parque da Cidade do Porto. - ARTIGO 2 Estrutura - 1ª Fase: Um Grupo de oito

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL XIRA 2016

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL XIRA 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL XIRA 2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 ESCALÕES ETÁRIOS, TEMPO DE JOGO E BOLA... 4 2.1. ESCALÕES ETÁRIOS... 4 2.2. DURAÇÃO DOS JOGOS... 4 2.3. A BOLA... 4 REGULAMENTO DO ESCALÃO

Leia mais

1ª Liga de Futsal 2014/2015

1ª Liga de Futsal 2014/2015 1ª Liga de Futsal 2014/2015 Patrono RICARDINHO 1 I Liga Futsal 2014/2015 Regulamento Equipas Artigo 1º Esta liga de futsal encontra-se aberta a equipas de empresas devidamente certificadas, podendo ser

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013-2017

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013-2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013-2017 Índice 1. Introdução 2 2. Escalões Etários, tempo de jogo e variantes da modalidade 2 2.1. Escalões Etários 3 2.2. Tempo de Jogo e variantes da modalidade 3 2.3.

Leia mais

1.3 - A primeira jornada da liga, será sorteada numa reunião, em que a organização espera ter presentes, os representantes de todas as equipas.

1.3 - A primeira jornada da liga, será sorteada numa reunião, em que a organização espera ter presentes, os representantes de todas as equipas. Regulamento DISPOSIÇÕES GERAIS a) A Liga FutsalSport não se responsabiliza por acidentes extradesportivos, sejam eles de que natureza for, que venham a ocorrer antes e depois dos jogos. b) Em todos os

Leia mais

FUTEBOL. www.inatel.pt

FUTEBOL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS FUTEBOL www.inatel.pt FUTEBOL NORMAS ESPECIFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA CAMPEONATO NACIONAL DAS ASSOCIAÇOES MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA

REGULAMENTO DE PROVA CAMPEONATO NACIONAL DAS ASSOCIAÇOES MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FUNDADA EM 0 DE FEVEREIRO DE 200 FILIADA NA ITSF - INTERNATIONAL TABLE SOCCER FEDERATION SEDE OFICIAL AV. ENG.º ARMANDO MAGALHAES, 31 4440-505 VALONGO

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL. (Revisto em setembro 2015)

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL. (Revisto em setembro 2015) REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013 2017 (Revisto em setembro 2015) Índice 1. Introdução 2 2. Escalões Etários, tempo de jogo e variantes da modalidade 3 2.1. Escalões Etários 3 2.2. Tempo de Jogo e variantes

Leia mais

XII TORNEIO 24 HORAS FUTSAL INTER-BOMBEIROS

XII TORNEIO 24 HORAS FUTSAL INTER-BOMBEIROS XII TORNEIO 24 HORAS FUTSAL INTER-BOMBEIROS Regulamento Base 1. FINALIDADE É do interesse deste Corpo de Bombeiros fomentar a prática desportiva por parte dos bombeiros e outros agentes de proteção civil,

Leia mais

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais. Campeonato Juvenil de Goalball REGULAMENTO

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais. Campeonato Juvenil de Goalball REGULAMENTO Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais Campeonato Juvenil de Goalball REGULAMENTO Preâmbulo O Goalball é uma modalidade desportiva coletiva, originariamente concebida para pessoas com

Leia mais

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento 2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS Normas de Funcionamento Normas de Funcionamento Considerando a importância que a promoção da dinâmica desportiva assume no concelho, a Câmara Municipal da Lourinhã,

Leia mais

CLUB INTERNACIONAL DE FOOT-BALL

CLUB INTERNACIONAL DE FOOT-BALL REGULAMENTO GERAL DE PROVAS de Futebol 11 (categoria sénior) Capítulo I - Da realização dos torneios e jogos Capítulo II - Das inscrições Capítulo III - Da disciplina Capítulo IV - Da representação das

Leia mais

TAÇA CIDADE SÃO JOSÉ DE FUTSAL 2014 REGULAMENTO GERAL I - DA ORGANIZÇÃO E DIREÇÃO

TAÇA CIDADE SÃO JOSÉ DE FUTSAL 2014 REGULAMENTO GERAL I - DA ORGANIZÇÃO E DIREÇÃO TAÇA CIDADE SÃO JOSÉ DE FUTSAL 2014 REGULAMENTO GERAL I - DA ORGANIZÇÃO E DIREÇÃO Art. 1º - A organização da Taça Cidade São José de Futsal é de inteira responsabilidade da Prefeitura Municipal de São

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS. Taça Fundação INATEL

NORMAS ESPECÍFICAS. Taça Fundação INATEL NORMAS ESPECÍFICAS Taça Fundação INATEL FUTEBOL - ÉPOCA 2009-2010 Taça Fundação INATEL NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direcção Desportiva, em complemento do Código

Leia mais

I TORNEIO DE FUTSAL ASSOCIAÇÃO DE SHORINJI KEMPO DE SINTRA. Dia 3 de Julho de 2011 Escola Secundária Gama Barros - Cacém

I TORNEIO DE FUTSAL ASSOCIAÇÃO DE SHORINJI KEMPO DE SINTRA. Dia 3 de Julho de 2011 Escola Secundária Gama Barros - Cacém I TORNEIO DE FUTSAL ASSOCIAÇÃO DE SHORINJI KEMPO DE SINTRA Dia 3 de Julho de 2011 Escola Secundária Gama Barros - Cacém APRESENTAÇÃO Este torneio é o primeiro da Associação de Shorinji Kempo de Sintra

Leia mais

FUTSAL. www.inatel.pt

FUTSAL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS FUTSAL www.inatel.pt FUTSAL NORMAS ESPECIFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO TORNEIO DE FUTEBOL INFANTIL JOSÉ TORRES AMADORA 2014 FUTEBOL 7 INFANTIS COMPLEXO DESPORTIVO MUNICIPAL DO MONTE DA GALEGA 4 e 5 de outubro de 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO 01 Regras 02 Escalão etário 03 Equipas

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL 2007 2008 e 2008-2009 ÍNDICE INTRODUÇÃO.. 3 1. CONSTITUIÇÃO / IDENTIFICAÇÃO DAS EQUIPAS... 4 2. DURAÇÃO DOS JOGOS... 5 3. A BOLA.. 6 4. CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO.... 6

Leia mais

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não REGULAMENTO DO TORNEIO INTER-REGIONAL DE SEVENS FEMININO 2014/2015 Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em

Leia mais

REGULAMENTO FUTEBOL SOCIETY

REGULAMENTO FUTEBOL SOCIETY XIII JOGOS AFFEMG Associação dos Funcionários Fiscais de Minas Gerais 1- DO LOCAL REGULAMENTO FUTEBOL SOCIETY 1.1 - Os jogos acontecerão em campos de futebol society de grama sintética ou natural, aprovados

Leia mais

NORMATIVO DA LIGA MUNICIPAL DE FUTSAL DA MAIA

NORMATIVO DA LIGA MUNICIPAL DE FUTSAL DA MAIA NORMATIVO DA LIGA MUNICIPAL DE FUTSAL DA MAIA PELOURO DO DESPORTO DEPARTAMENTO DE DESPORTO Aprovado por: 11/11/2015 Página 1/7 Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE SETAS DE LISBOA REGULAMENTO 2012-2013 DARDOS ELECTRÓNICOS

ASSOCIAÇÃO DE SETAS DE LISBOA REGULAMENTO 2012-2013 DARDOS ELECTRÓNICOS ASSOCIAÇÃO DE SETAS DE LISBOA REGULAMENTO 2012-2013 DARDOS ELECTRÓNICOS REGULAMENTO 2012-2013 Ponto 1. Máquinas e distância de jogo Nas competições de dardos eletrónicos da Associação de Setas de Lisboa

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA Departamento de Lazer e Desporto para Todos NORMAS ESPECÍFICAS

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA Departamento de Lazer e Desporto para Todos NORMAS ESPECÍFICAS NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela F.P.T.M.- Departamento de Lazer e Desporto para Todos, para as provas por ela organizadas. As normas específicas aplicam-se a todos

Leia mais

2º TORNEIO KICK-OFF / WORTEN

2º TORNEIO KICK-OFF / WORTEN 2º TORNEIO KICK-OFF / WORTEN DOSSIER DO TORNEIO 1. Introdução A nossa empresa conta com alguns anos de experiência na organização de eventos desportivos, surgindo este no seguimento de outros por nós realizados.

Leia mais

Índice. Preâmbulo. Configuração da competição. Prémios. Critérios de desempate. Eliminação das equipas. Tolerância. Alterações à data do jogo

Índice. Preâmbulo. Configuração da competição. Prémios. Critérios de desempate. Eliminação das equipas. Tolerância. Alterações à data do jogo Índice Preâmbulo Configuração da competição Prémios Critérios de desempate Eliminação das equipas Tolerância Alterações à data do jogo Inscrições Regras do jogo Preâmbulo Vimos por este meio propor a realização

Leia mais

CAMPEONATO DE FUTSAL MACEIÓ 200 ANOS REGULAMENTO DE FUTSAL

CAMPEONATO DE FUTSAL MACEIÓ 200 ANOS REGULAMENTO DE FUTSAL CAMPEONATO DE FUTSAL MACEIÓ 200 ANOS REGULAMENTO DE FUTSAL 1. Os jogos de Futsal serão realizados de acordo com as Regras Oficiais, salvo o estabelecido neste Regulamento. 2. Cada equipe poderá inscrever

Leia mais

REGULAMENTO II Maratona Voleibol do Nordeste (4x4)

REGULAMENTO II Maratona Voleibol do Nordeste (4x4) REGULAMENTO II Maratona Voleibol do Nordeste (4x4) CAPÍTULO I Instalações e Materiais Terreno de Jogo - Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 metros de largura. 1) Linhas de marcação - O campo

Leia mais

Torneio de Futsal Inter-Associações de Mortágua

Torneio de Futsal Inter-Associações de Mortágua CÂMARA MUNICIPALL DE MORTTÁGUA TORNEIO DE FUTSAL DE 2015 INTER-ASSOCIAÇÕES DE MORTÁGUA TORNEIO DE FUTSAL INTER-ASSOCIAÇÕES 2015 1º ORGANIZAÇÃO 1- O Município de Mortágua será responsável pela estruturação

Leia mais

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO Campeonato Nacional Feminino 2ª Divisão 2010_11 FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO A. Clubes Apurados B. Modelo Competitivo C. Marcação de Jogos D. Arbitragem E. Inscrição das

Leia mais

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais XIX CAMPEONATO DE GOALBALL DE PORTUGAL REGULAMENTO

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais XIX CAMPEONATO DE GOALBALL DE PORTUGAL REGULAMENTO Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais XIX CAMPEONATO DE GOALBALL DE PORTUGAL REGULAMENTO Preâmbulo O Goalball é uma modalidade desportiva coletiva, originariamente concebida para a prática

Leia mais

REGULAMENTO DELEGACIA SINDICAL DE BRASÍLIA - DF IV CAMPEONATO DE FUTEBOL SOÇAITE DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL / 2011

REGULAMENTO DELEGACIA SINDICAL DE BRASÍLIA - DF IV CAMPEONATO DE FUTEBOL SOÇAITE DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL / 2011 REGULAMENTO DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES: Artigo 1 Artigo 2 Artigo 3 Artigo 4 Artigo 5 Fica instituído pela Delegacia Sindical de Brasília o IV Campeonato de Futebol Soçaite. Este regulamento é o conjunto

Leia mais

REGULAMENTO. Os representantes das equipes ficarão responsáveis pela disciplina de seus atletas.

REGULAMENTO. Os representantes das equipes ficarão responsáveis pela disciplina de seus atletas. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES: REGULAMENTO Artigo 1 Artigo 2 Artigo 3 Artigo 4 Artigo 5 Fica instituído pela Delegacia Sindical de Brasília o IV Campeonato de Futebol Soçaite. Este regulamento é o conjunto

Leia mais

Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 de largura. 13 m. Deve ser distanciado de qualquer obstáculo, se possível, pelo menos 1 (um)

Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 de largura. 13 m. Deve ser distanciado de qualquer obstáculo, se possível, pelo menos 1 (um) MINI-VOLEIBOL 2014/15 TORNEIO 4X4 Regulamento da Prova CAPÍTULO I INSTALAÇÕES E MATERIAL O Terreno de Jogo Cada campo terá 13 metros de comprimento por 6,5 de largura 13 m 6,5 m metro. Deve ser distanciado

Leia mais

REGULAMENTO_2015. Página 1

REGULAMENTO_2015. Página 1 1 - Regras 1.1 - O Sesimbra Summer Cup será disputado em conformidade com as regras da FIFA, com excepção do previsto neste regulamento. 1.2 As equipas participantes podem ser equipas federadas, equipas

Leia mais

REGULAMENTO DOS JOGOS DA SAÚDE

REGULAMENTO DOS JOGOS DA SAÚDE REGULAMENTO DOS JOGOS DA SAÚDE 2015 ÍNDICE CAPÍTULO I Da Organização...3; CAPÍTULO II Dos Objetivos...3; CAPÍTULO III Da Coordenação...3; CAPÍTULO IV Data e local...4; CAPÍTULO V Das Inscrições...4; CAPÍTULO

Leia mais

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto B O C C I A REGULAMENTAÇÃO GERAL NACIONAL 2008/2009 1 INTRODUÇÃO Todos os intervenientes em competições de zona e nacionais, acções de formação e classificação médico - desportiva, deverão reger-se pelos

Leia mais

Direção de Serviços do Desporto Escolar. Regulamento Geral de Provas

Direção de Serviços do Desporto Escolar. Regulamento Geral de Provas Direção de Serviços do Desporto Escolar Regulamento Geral de Provas Ano Letivo 2012-2013 Direção de Serviços do Desporto Escolar 1 INTRODUÇÃO O presente regulamento geral de provas, aplica-se a todos

Leia mais

Artigo Primeiro (Estrutura) 2. As equipas são de dois elementos, e cada jogador apenas poderá integrar uma equipa.

Artigo Primeiro (Estrutura) 2. As equipas são de dois elementos, e cada jogador apenas poderá integrar uma equipa. Artigo Primeiro (Estrutura) 1. O presente Regulamento estrutura as Olimpíadas de Biomédica, organizadas pelo Gabinete de Alunos de Engenharia Biomédica da Universidade do Minho. 2. As equipas são de dois

Leia mais

REGULAMENTO DO FUTSAL MASCULINO E FEMININO

REGULAMENTO DO FUTSAL MASCULINO E FEMININO REGULAMENTO DO FUTSAL MASCULINO E FEMININO I - DOS LOCAIS DOS JOGOS Art. 1º - Os jogos serão realizados nos seguintes locais: Quadras 01,02 e 03 - térreo do Prédio 80 Quadras 01,02 e 03-4º andar do Prédio

Leia mais

TORNEIO DE SUECA. CAFÉ CLASSIC Regulamento

TORNEIO DE SUECA. CAFÉ CLASSIC Regulamento TORNEIO DE SUECA CAFÉ CLASSIC Regulamento Torneio de sueca 1º O torneio será em forma de grupos. 2º Exemplo: podendo ser alteradas o número de equipas apuradas, dependendo das equipas inscritas! Grupo

Leia mais

CATEGORIA: IDADE LIVRE

CATEGORIA: IDADE LIVRE 15º CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL DE ADVOGADOS (15ª edição) 2014 CATEGORIA: IDADE LIVRE REGULAMENTO GERAL Art. 1 - Participantes: O 15º Campeonato Brasileiro de Futebol da OAB terá a participação dos

Leia mais

REGULAMENTO GERAL I COPA SOCIETY OAB/MG

REGULAMENTO GERAL I COPA SOCIETY OAB/MG BELO HORIZONTE AGOSTO DE 2014 REGULAMENTO GERAL I COPA SOCIETY OAB/MG REALIZAÇÃO Arte do Esporte www.artedoesporte.com.br I DAS FINALIDADES 3 II DA ORGANIZAÇÃO E EXECUÇÃO 3 III PERÍODO DE INSCRIÇÃO E REALIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO I TORNEIO DE FUTEBOL SOCIETY FACULDADE ESFA

REGULAMENTO GERAL DO I TORNEIO DE FUTEBOL SOCIETY FACULDADE ESFA REGULAMENTO GERAL DO I TORNEIO DE FUTEBOL SOCIETY FACULDADE ESFA Art. 1º O Torneio de Futebol Society tem por finalidade: A congregação dos graduandos, o fortalecimento dos laços de amizade e a camaradagem

Leia mais

7º JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE REGULAMENTO

7º JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE REGULAMENTO 7º JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE REGULAMENTO I - DOS OBJETIVOS Art. 01 - A 7º edição dos JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE é um evento promovido pelos Servidores da Secretaria de Estado da Saúde SES Art. 02 - O campeonato

Leia mais

IV CAMPEONATO INTERNO DE FUTEBOL SOCIETY DA ASTRIFE 2013 REGULAMENTO GERAL

IV CAMPEONATO INTERNO DE FUTEBOL SOCIETY DA ASTRIFE 2013 REGULAMENTO GERAL IV CAMPEONATO INTERNO DE FUTEBOL SOCIETY DA ASTRIFE 2013 REGULAMENTO GERAL I. DAS FINALIDADES Artigo 1 O IV CAMPEONATO INTERNO DE FUTEBOL SOCIETY, tem por finalidade congregar todas as pessoas que trabalham

Leia mais

REGULAMENTO DE FUTSAL

REGULAMENTO DE FUTSAL REGULAMENTO DE FUTSAL Capítulo I DAS FINALIDADES Art. 1º O campeonato de futsal masculino, é promovido como uma das modalidades dos VI JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA, promovido e organizado pela AMB Associação

Leia mais

www.grude6.com.br grude6@yahoo.com.br REGULAMENTO DO V TORNEIO GRUDE6 DE FUTSAL 2013.

www.grude6.com.br grude6@yahoo.com.br REGULAMENTO DO V TORNEIO GRUDE6 DE FUTSAL 2013. REGULAMENTO DO V TORNEIO GRUDE6 DE FUTSAL 2013. I - DOS OBJETIVOS: Art. 1º - O evento visa proporcionar aos servidores do Poder Judiciário Federal e instituições convidadas a integração e socialização

Leia mais

Regulamento Liga Futsal AEFEUP 2015/2016. Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2015/2016 1

Regulamento Liga Futsal AEFEUP 2015/2016. Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2015/2016 1 Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2015/2016 1 Regulamento Liga Futsal AEFEUP 2015/2016 Regulamento da Liga Futsal AEFEUP 2015/2016 2 Índice Artigo 1.º - Inscrições...3 Artigo 2.º - Formato da Liga de Futsal...4

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL

REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Os jogos internos do COLÉGIO FRACTAL (JICOF) têm por finalidade principal humanizar a prática desportiva, valorizando

Leia mais

VII TORNEIO DE FUTSAL MENORES 2015 REGULAMENTO GERAL. OBJETIVO Proporcionar à criança a integração social através do futsal.

VII TORNEIO DE FUTSAL MENORES 2015 REGULAMENTO GERAL. OBJETIVO Proporcionar à criança a integração social através do futsal. VII TORNEIO DE FUTSAL MENORES 2015 REGULAMENTO GERAL OBJETIVO Proporcionar à criança a integração social através do futsal. ORGANIZAÇÃO O torneio será organizado e dirigido por uma Comissão Organizadora

Leia mais

INTRODUÇÃO. PRINCÍPIOS ORIENTADORES (treinador e competição)

INTRODUÇÃO. PRINCÍPIOS ORIENTADORES (treinador e competição) INTRODUÇÃO Na organização de competições revela-se de vital importância organizar o sistema de provas em função das características do escalão etário a que os atletas pertencem. No caso dos mais jovens,

Leia mais

Do Cerimonial de Abertura OLIMGLOCK Da Identificação

Do Cerimonial de Abertura OLIMGLOCK Da Identificação SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E INOVAÇÃO ESCOLA DE EDUCAÇÂO BÁSICA MONSENHOR GREGÓRIO LOCKS Justificativa Olimpíadas Gregório Locks Regulamento Geral Artigo 1º - No seu Projeto Político Pedagógico,

Leia mais

Convite. Grupo Desportivo ecultural Actuais e Antigos Alunos

Convite. Grupo Desportivo ecultural Actuais e Antigos Alunos Grupo Desportivo ecultural Actuais e Antigos Alunos A.A. e Alunos Guilhabreu Contribuinte 503635758 G.P.S. N 41.292939 W 8.635334 Rua Senhora do Amparo, 4485-266 Guilhabreu, Vila do Conde Convite O Grupo

Leia mais

REGULAMENTO da TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2015 SELETIVA FASE ESTADUAL TITULO I DAS FINALIDADES

REGULAMENTO da TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2015 SELETIVA FASE ESTADUAL TITULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO da TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2015 SELETIVA FASE ESTADUAL TITULO I DAS FINALIDADES Artigo 1 - A TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2015 é promovida, organizada e dirigida pela FEDERAÇÃO UNIVERSITÁRIA

Leia mais

REGULAMENTO 2010. IV Interperíodos de Futsal Masculino e Feminino da Administração

REGULAMENTO 2010. IV Interperíodos de Futsal Masculino e Feminino da Administração REGULAMENTO 2010 IV Interperíodos de Futsal Masculino e Feminino da Administração CAPÍÍTULO II DASS DIISSPOSSIIÇÕESS PRELIIMIINARESS Art1º Art2º O IV Interperíodos de Futsal Masculino e Feminino, é uma

Leia mais

REGULAMENTO OFICIAL VI COPA DE FUTEBOL 7 UNIGUAÇU

REGULAMENTO OFICIAL VI COPA DE FUTEBOL 7 UNIGUAÇU REGULAMENTO OFICIAL VI COPA DE FUTEBOL 7 UNIGUAÇU CAP. I: AS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ART.1 - O torneio é uma Promoção do Colegiado do curso de Educação Física da Uniguaçu, apoiado pela Uniguaçu. ART.2

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO 1 A Competição de Atletismo do JIUDESC 2014 será regida pelas Regras Internacionais da IAAF e pelo que dispõe este Regulamento. 2 Cada Centro poderá inscrever, no máximo,

Leia mais

2º CAMPEONATO DE FUTSAL DA ASSOCIAÇÃO ATLÉTICO CULTURAL PAINCO REGULAMENTO GERAL

2º CAMPEONATO DE FUTSAL DA ASSOCIAÇÃO ATLÉTICO CULTURAL PAINCO REGULAMENTO GERAL 1 2º CAMPEONATO DE FUTSAL DA ASSOCIAÇÃO ATLÉTICO CULTURAL PAINCO REGULAMENTO GERAL Disposições Preliminares 1 O Campeonato de Futsal da Associação Atlético Cultural Painco de 2010 será dirigido pelo Departamento

Leia mais

3ª COPA QUIOSQUE NATUREZA DE FUTEBOL SUÍÇO INTER-ACADEMIAS.

3ª COPA QUIOSQUE NATUREZA DE FUTEBOL SUÍÇO INTER-ACADEMIAS. 3ª COPA QUIOSQUE NATUREZA DE FUTEBOL SUÍÇO INTER-ACADEMIAS. REGULAMENTO OFICIAL CAPÍTULO I OBJETIVOS ART. 1º - A 3ª Copa Quiosque Natureza de Futebol Suíço Inter-Academias, que será realizada no 2º semestre

Leia mais

Torneio de Futsal 2014 Troféu Rafael Afonso Leite

Torneio de Futsal 2014 Troféu Rafael Afonso Leite Torneio de Futsal 2014 Troféu Rafael Afonso Leite DOS OBJETIVOS: O Einstein Gol é um evento que visa aumentar sociabilizarão e integração entre todos os nossos alunos, funcionários, Corpo Docente e Direção.

Leia mais

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB 18 FUTEBOL

TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES SUB 18 FUTEBOL Rua Cônsul Dabney 9900-014 Horta TORNEIO REGIONAL INTER ASSOCIAÇÕES DATA: 21, 22 e 23 de fevereiro de 2014 LOCAL: Estádio da Alagoa/ Horta/ Faial Página Net : www.afhorta.com ÍNDICE Capitulo 1 Mensagem

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Copa do Mestre 2007 Raul de Jesus Lustosa Filho Prefeito Municipal de Palmas Danilo de Melo Souza Secretário Municipal da Educação e Cultura Zenóbio Cruz da Silva Arruda Júnior Chefe de Gabinete da Secretaria

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS UNIVERSITÁRIOS DA UNIPAMPA EDIÇÃO 2013

REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS UNIVERSITÁRIOS DA UNIPAMPA EDIÇÃO 2013 REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS UNIVERSITÁRIOS DA UNIPAMPA EDIÇÃO 2013 REGULAMENTO GERAL DOS JOGOS UNIVERSITÁRIOS DA UNIPAMPA EDIÇÃO 2013 Art. 1º- Os Jogos Universitários da UNIPAMPA serão realizados pela

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

REGULAMENTO TÉCNICO CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS REGULAMENTO TÉCNICO CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º. Este regulamento é o documento composto conjunto das disposições que regem a Campeonato Brasileiro de Handebol dos Surdos 2015, nas categorias

Leia mais

Liga de Rugby do Vale

Liga de Rugby do Vale REGULAMENTO DO TORNEIO Torneio de Rúgbi de Areia 58º Jogos Regionais de Caraguatatuba Liga de Rugby do Vale Capítulo I - Disposições Gerais Art. 1º - O Torneio de Rúgbi de Areia em Caraguatatuba, é um

Leia mais

CIRCUITO REGIONAL GIRA PRAIA

CIRCUITO REGIONAL GIRA PRAIA Associação de Voleibol do ALENTEJO e ALGARVE 2015 = REGULAMENTO = Artigo 1º Enquadramento da prova e dos atletas participantes 1 O Circuito Regional de Gira Praia é uma competição regional organizada em

Leia mais

CIF Club Internacional de Foot-Ball. Regulamento do Torneio Escada 2015

CIF Club Internacional de Foot-Ball. Regulamento do Torneio Escada 2015 CIF Club Internacional de Foot-Ball Regulamento do Torneio Escada 2015 INTRODUÇÃO 1. O Torneio Escada do CIF é aberto a sócios e não sócios do CIF. 2. O torneio é disputado em três escalões: femininos,

Leia mais

Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011

Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011 Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011 O Campeonato Nacional de Veteranos é organizado pela Federação Portuguesa de Xadrez, e conta com os apoios do Hotel Golfmar, IDP, Câmara Municipal de

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO MUNICIPAL DE 2012 CATEGORIA PRINCIPAL DIVISÃO ESPECIAL/1ª DIVISÃO/2ª DIVISÃO/3ª DIVISÃO/4ª DIVISÃO

REGULAMENTO DO CAMPEONATO MUNICIPAL DE 2012 CATEGORIA PRINCIPAL DIVISÃO ESPECIAL/1ª DIVISÃO/2ª DIVISÃO/3ª DIVISÃO/4ª DIVISÃO LIGA DE FUTEBOL DE SALÃO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO e-mail ligafutsalsbc@gmail.com ou ligafutsalsbc@uol.com.br - Data de fundação 15/08/1981 site : www.ligafutsalsaobernardo.com.br Telefones: 4122-58-85-4330-95-70

Leia mais

3º TORNEIO DE FUTSAL CDL CANOAS

3º TORNEIO DE FUTSAL CDL CANOAS 3º TORNEIO DE FUTSAL CDL CANOAS REGULAMENTO GERAL Capítulo 1 Comissão disciplinar e organizadora: O Evento será coordenado pela CDL e pela CDL Jovem Canoas, com as seguintes atribuições: a) Tomar as providências

Leia mais

PROGRAMA. 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA;

PROGRAMA. 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA; PROGRAMA 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA; 16:30h JOGO 2: AF x AF VISEU; 17:30h JOGO 3: AF BRAGANÇA x AF ; 18:30h

Leia mais

3ª OLIMPÍADA ENTRE EMPRESAS DE DOUTOR PEDRINHO 2014 3ª OLIEMDOPE

3ª OLIMPÍADA ENTRE EMPRESAS DE DOUTOR PEDRINHO 2014 3ª OLIEMDOPE 3ª OLIMPÍADA ENTRE EMPRESAS DE DOUTOR PEDRINHO 2014 3ª OLIEMDOPE 3ª OLIMPÍADA ENTRE EMPRESAS DE DOUTOR PEDRINHO 2015 3ª OLIEMDOPE REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º A Olimpíada Entre

Leia mais

APURAMENTO CAMPEÃO AFH JUNIORES A FUTSAL

APURAMENTO CAMPEÃO AFH JUNIORES A FUTSAL Rua Cônsul Dabney 9900-014 Horta APURAMENTO CAMPEÃO AFH JUNIORES A FUTSAL DATA: 06 e 07 de fevereiro de 2015 LOCAL: Pavilhão das Lajes das Flores / Lajes das Flores / Flores Página Net : www.afhorta.com

Leia mais

AS REGRAS DO VOLEIBOL

AS REGRAS DO VOLEIBOL AS REGRAS DO VOLEIBOL NÚMERO DE JOGADORES Cada equipa é composta, no máximo, por 12 jogadores inscritos no boletim de jogo. Apenas 6 jogadores ocupam o terreno de jogo ( 6 efectivos e 6 suplentes ). O

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO BASQUETE

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO BASQUETE REGULAMENTO ESPECÍFICO DO BASQUETE 1. As competições de basquete serão realizadas de acordo com as regras internacionais da FIBA e os regulamentos e normas do Novo Desporto Universitário 2012 NDU. 2. Cada

Leia mais

www.ndu.net.br Sede Social Rua Luís Góis, 2.187 Mirandópolis São Paulo SP Cep: 04043-400 Fone: (11) 7708-7429

www.ndu.net.br Sede Social Rua Luís Góis, 2.187 Mirandópolis São Paulo SP Cep: 04043-400 Fone: (11) 7708-7429 Organização, compromisso e qualidade em prol do esporte universitário paulista www.ndu.net.br Sede Social Rua Luís Góis, 2.187 Mirandópolis São Paulo SP Cep: 04043-400 Fone: (11) 7708-7429 REGULAMENTO

Leia mais

Corrida dos Campeões de Vila Real. Draft 2

Corrida dos Campeões de Vila Real. Draft 2 Corrida dos Campeões de Vila Real Draft 2 Vila Real, 12 de Novembro de 2015 Regulamento Corrida dos campeões de Vila Real e Fan Race draft 1 1. DEFINIÇÃO / GENERALIDADES 1.1. A EpicDren Lda, organiza um

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DO BANCO DO BRASIL VICE-PRESIDÊNCIA DE ESPORTES TORNEIO INTERNO I COPA MUNDO A.A.B.B. DE FUTEBOL DE CAMPO

ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DO BANCO DO BRASIL VICE-PRESIDÊNCIA DE ESPORTES TORNEIO INTERNO I COPA MUNDO A.A.B.B. DE FUTEBOL DE CAMPO TORNEIO INTERNO I COPA MUNDO A.A.B.B. DE FUTEBOL DE CAMPO REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO O Vice-Presidente de Esportes da Associação Atlética do Banco do Brasil de Belo Horizonte, usando de suas atribuições,

Leia mais

Seletiva Estadual Universitária de RUGBY SEVEN

Seletiva Estadual Universitária de RUGBY SEVEN Seletiva Estadual Universitária de RUGBY SEVEN LOCAL/ DATA/ HORÁRIO Local: Campo Federação Paulista de Rugby Parque Esportivo do Trabalhador (Antigo CERET) Rua Canuto de Abreu, s/número - Tatuapé Data:

Leia mais

REGULAMENTO GERAL GEACSB 2015

REGULAMENTO GERAL GEACSB 2015 REGULAMENTO GERAL GEACSB 2015 PARTE GERAL Art. 1º - Denomina-se Grêmio de Ex-Alunos do Colégio de São Bento ( GEACSB ) o campeonato de futebol society organizado pela ALUMNI CSB-RJ e realizado anualmente

Leia mais

CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO

CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO O Campeonato será realizado nos meses de Junho, Agosto,Outubro e a Etapa Master final do ano(local e data a confirmar),

Leia mais

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Sistema Competitivo Artigo 4º - Ordem dos Jogos Artigo 5º - Duração dos Jogos Artigo

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º- Este regulamento é o conjunto de disposições que rege os jogos internos do Colégio Facex edição 2014.

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º- Este regulamento é o conjunto de disposições que rege os jogos internos do Colégio Facex edição 2014. Página 1 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º- Este regulamento é o conjunto de disposições que rege os jogos internos do Colégio Facex edição 2014. CAPÍTULO II DA FINALIDADE Art. 2º - Os jogos internos

Leia mais

REGULAMENTO I Copa Integração de Futsal e Vôlei de Praia do IFPB Campus Sousa

REGULAMENTO I Copa Integração de Futsal e Vôlei de Praia do IFPB Campus Sousa REGULAMENTO I Copa Integração de Futsal e Vôlei de Praia do IFPB Campus Sousa Sousa, 20 de abril de 2012 CAPÍTULO I DAS INSCRIÇÕES Art. 1º. Os times interessados em participar I Copa Integração de Futsal

Leia mais

Federação Paranaense de Futebol 7 VII COPA RIC DE FUTEBOL 7 / 2015 REGULAMENTO OFICIAL

Federação Paranaense de Futebol 7 VII COPA RIC DE FUTEBOL 7 / 2015 REGULAMENTO OFICIAL Federação Paranaense de Futebol 7 VII COPA RIC DE FUTEBOL 7 / 2015 REGULAMENTO OFICIAL CAPÍTULO I - Da Finalidade Art. 01 A VII COPA RIC DE FUTEBOL 7 2015, será organizada pela Federação Paranaense de

Leia mais

INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO

INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO INMOTION 2016 REGULAMENTO DO PROJETO 2015 nemaac.net facebook.com/nem.academica geral@nemaac.net Regulamento Projeto de Voluntariado Internacional InMotion 1. Definições Gerais 1.1. Geral 1.1.1. O Departamento

Leia mais

REGULAMENTO TEMPORADA DOS CAMPEÕES 2014 FUTEBOL - TAÇA OURO SERIE A CAPÍTULO I

REGULAMENTO TEMPORADA DOS CAMPEÕES 2014 FUTEBOL - TAÇA OURO SERIE A CAPÍTULO I REGULAMENTO TEMPORADA DOS CAMPEÕES 2014 FUTEBOL - TAÇA OURO SERIE A CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º - A Temporada dos Campeões 2014 tem por finalidade promover a integração dos colaboradores das empresas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL Instituição de Utilidade Pública Pessoa Colectiva n.º 512019673 Fundada em 26.03.86 Filiada na Federação Portuguesa Atletismo RUA PINTOR DOMINGOS REBELO N.º 4 TELEFONE

Leia mais

XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 R E G U L A M E N T O

XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 R E G U L A M E N T O XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 R E G U L A M E N T O DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 é uma promoção e realização da Federação

Leia mais

CIRCUITO VERÃO SESC DE ESPORTES 2013/2014

CIRCUITO VERÃO SESC DE ESPORTES 2013/2014 CIRCUITO VERÃO SESC DE ESPORTES 2013/2014 I. DA COMPETIÇÃO II. DA COORDENAÇÃO III. DAS FASES DA COMPETIÇÃO IV. DAS INSCRIÇÕES E PARTICIPAÇÕES V. DA PREMIAÇÃO VI. DA ARBITRAGEM VII. DA IDENTIFICAÇÃO VIII.

Leia mais

Foz do Rio Lima, Viana do Castelo, em frente ao edifício Cais de Viana.

Foz do Rio Lima, Viana do Castelo, em frente ao edifício Cais de Viana. REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO DE ÁGUAS ABERTAS 1500 metros NATAÇÃO - Prova Aberta - MASS EVENT 1 - ORGANIZAÇÃO Associação de Natação do Minho (ANMinho) Federação Portuguesa de Atividades Subaquáticas (FPAS)

Leia mais

Regulamento Específico de Basquetebol

Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Basquetebol 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS / BOLA DE JOGO... 4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 4 4. MESA DE JOGO... 4 5. ARBITRAGEM... 5

Leia mais