Arbitragem Internacional

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arbitragem Internacional"

Transcrição

1 Arbitragem Internacional Tânia Cascais Lisboa, 18 de Novembro de 2009

2 O que é a Arbitragem? É um dos modos alternativos de resolução de litígios. Mais concretamente, consiste num modo de resolução jurisdicional de controvérsias em que, por vontade das partes, a decisão é confiada a um ou mais terceiros ("árbitros" ou tribunal arbitral").

3 O que é uma cláusula compromissória? Qualquer litígio emergente do presente contrato ou com ele relacionado será definitivamente resolvido através de arbitragem, em conformidade com as regras da [Regulamento de Arbitragem]. O número de árbitros será de [...]. O lugar da arbitragem será [...]. A(s) língua(s) a utilizar será(ão) [...].

4 A Escolha entre Arbitragem e Justiça Estadual Celeridade e Custos Frequentemente a arbitragem é mais célere que a justiça estadual Os custos são variáveis (nem sempre a arbitragem é economicamente mais barata) Disponibilidade, Neutralidade e Exequibilidade No comércio internacional, a arbitragem é um modo de resolução de litígios que garante maior disponibilidade (do foro), neutralidade (dos árbitros) e exequibilidade (da decisão arbitral).

5 A Escolha entre Arbitragem e Justiça Estadual Previsibilidade do Resultado Árbitros (escolhidos pelas partes) vs. Juízes (não escolhidos pelas partes) Em arbitragem as partes podem renunciar ao seu direito de recurso Porém, em arbitragem o risco de obter uma sentença salomónica (50-50) é maior

6 Escolher entre Arbitragem e Justiça Estatal Questões Processuais Existe maior privacidade / confidencialidade na arbitragem que na justiça estadual Porém, a apensação de processos é mais frequente na justiça estadual que na arbitragem As regras sobre produção de prova e apresentação de documentos são menos claras em arbitragem

7 Tipos de Arbitragem Arbitragem Interna vs. Arbitragem Internacional Arbitragem Ad Hoc vs. Arbitragem Institucionalizada

8 Arbitragem Ad Hoc UNCITRAL / CNUDCI A Comissão das Nações Unidas para o Direito do Comércio Internacional (UNCITRAL ou CNUDCI) foi criada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em O objectivo da UNCITRAL é a harmonização e unificação do direito do comércio internacional. Regulamento UNCITRAL Adoptado pela UNCITRAL em 28 de Abril de 1976, o Regulamento de Arbitragem da UNCITRAL estabelece um conjunto abrangente de regras processuais que podem ser escolhidas pelas partes para reger eventuais procedimentos arbitrais emergentes das suas relações comerciais e são frequentemente utilizadas em arbitragens ad hoc, mas também em arbitragens institucionalizadas.

9 Arbitragem Comercial Institucionalizada Tribunal Internacional de Arbitragem CCI O Tribunal Internacional de Arbitragem ("Tribunal") da Câmara de Comércio Internacional ("CCI") foi criado em 1923 e é o tribunal de arbitragem acoplado à CCI. Os membros do Tribunal são nomeados pelo Conselho Mundial da CCI. A função do Tribunal é a de promover a resolução de litígios comerciais por via arbitral em conformidade com um regulamento próprio: o Regulamento de Arbitragem da Câmara de Comércio Internacional. O Tribunal é assistido por um Secretariado. Regulamento de Arbitragem da CCI O actual Regulamento de Arbitragem da Câmara de Comércio Internacional entrou em vigor em 1 de Janeiro de 1998 e inclui a tabela de custas em vigor desde 1 de Janeiro de 2008.

10 Procedimento Arbitral Nomeação do(s) Árbitro(s) Pelas partes ou por uma terceira entidade (appointing authority) Troca de Peças Processuais P.I., Contestação, Reconvenção, etc. Produção de prova documental Audiências Depoimento de testemunhas e peritos Decisão Arbitral Decisão Parcial / Decisão Final Execução da Decisão Arbitral

11 Execução de Sentenças Arbitrais Convenção de Nova Iorque de 1958 sobre o Reconhecimento e a Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras A Convenção foi preparado pela Organização das Nações Unidas e adoptado por uma conferência diplomática, em 10 de Junho de A Convenção entrou em vigor em 7 de Junho de A Convenção foi, até à data, ratificada por 142 países (Angola ainda não é parte). Ao abrigo da Convenção os tribunais dos Estados Contratantes devem (i) reconhecer a eficácia de uma convenção de arbitragem sempre que junto dos mesmos seja proposta uma acção cujo objecto seja abrangido pela mesma e (ii) reconhecer e executar decisões arbitrais proferidas noutros Estados, salvo um conjunto limitado de excepções. Código de Processo Civil Angolano

12 Obrigada

13

Noções de Arbitragem

Noções de Arbitragem Noções de Arbitragem Conceito A arbitragem é a instituição pela qual um terceiro resolve o litígio que opõem duas ou mais partes, exercendo a missão jurisdicional que lhe é conferida pelas partes. (Charles

Leia mais

Reunião Técnica ANEFAC

Reunião Técnica ANEFAC Reunião Técnica ANEFAC ARBITRAGEM INTERNACIONAL: CONCEITOS, PROCEDIMENTO E A IMPORTÂNCIA DA SEDE Palestrante: Ramon Alberto dos Santos ramonlas@usp.br Arbitragem - Introdução Forma alternativa de solução

Leia mais

CONVENÇÃO SOBRE O RECONHECIMENTO E A EXECUÇÃO DE SENTENÇAS ARBITRAIS ESTRANGEIRAS, CELEBRADA EM NOVA IORQUE AOS 10 DE JUNHO DE 1958

CONVENÇÃO SOBRE O RECONHECIMENTO E A EXECUÇÃO DE SENTENÇAS ARBITRAIS ESTRANGEIRAS, CELEBRADA EM NOVA IORQUE AOS 10 DE JUNHO DE 1958 CONVENÇÃO SOBRE O RECONHECIMENTO E A EXECUÇÃO DE SENTENÇAS ARBITRAIS ESTRANGEIRAS, CELEBRADA EM NOVA IORQUE AOS 10 DE JUNHO DE 1958 Artigo I 1 A presente Convenção aplica-se ao reconhecimento e à execução

Leia mais

Arbitragem Institucionalizada: o melhor modelo para a resolução de litígios comerciais e de investimento. José Miguel Júdice

Arbitragem Institucionalizada: o melhor modelo para a resolução de litígios comerciais e de investimento. José Miguel Júdice Arbitragem Institucionalizada: o melhor modelo para a resolução de litígios comerciais e de investimento. José Miguel Júdice jmj@plmj.pt Sócio Fundador de PLMJ, Professor Associado Convidado da Faculdade

Leia mais

A importância da escolha do árbitro e da instituição arbitral. Palestrante: Alvaro de Carvalho Pinto Pupo

A importância da escolha do árbitro e da instituição arbitral. Palestrante: Alvaro de Carvalho Pinto Pupo A importância da escolha do árbitro e da instituição arbitral Palestrante: Alvaro de Carvalho Pinto Pupo Convenção de arbitragem Convenção de arbitragem Cláusula compromissório Compromisso arbitral Convenção

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Introdução 1.1 Introdução aos meios alternativos de resolução de disputas 1.2 Breve histórico 1.3 Bibliografia recomendada

SUMÁRIO. 1 Introdução 1.1 Introdução aos meios alternativos de resolução de disputas 1.2 Breve histórico 1.3 Bibliografia recomendada Livro: Curso de Arbitragem, 2ª edição Professor Francisco José Cahali SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 Introdução 1.1 Introdução aos meios alternativos de resolução de disputas 1.2 Breve histórico 1.3 Bibliografia

Leia mais

A ARBITRAGEM COMO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

A ARBITRAGEM COMO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS CURSO DE POS-GRADUAÇÃO Luanda Universidade Agostinho Neto 12 a 17 de Março de 2012 A ARBITRAGEM COMO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS José Miguel Júdice josemiguel.judice@plmj.pt www.josemigueljudice-arbitration.com

Leia mais

FRANCISCO JOSÉ CAHALI CURSO DE ARBITRAGEM. LivroAS pdf corrigido indb 3 26/07/ :14:50

FRANCISCO JOSÉ CAHALI CURSO DE ARBITRAGEM. LivroAS pdf corrigido indb 3 26/07/ :14:50 FRANCISCO JOSÉ CAHALI CURSO DE ARBITRAGEM LivroAS 7073 - pdf corrigido - 26.07.2011.indb 3 26/07/2011 15:14:50 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 9 1 INTRODUÇÃO... 19 1.1 Introdução aos meios alternativos de resolução

Leia mais

III PÓS-GRADUAÇÃO EM ARBITRAGEM PLANO DE ESTUDOS

III PÓS-GRADUAÇÃO EM ARBITRAGEM PLANO DE ESTUDOS 1º MÓDULO 6 horas 6 e 8 de Janeiro 2010 Profª Mariana França Gouveia Dr. José Vasconcelos e Sousa III PÓS-GRADUAÇÃO EM ARBITRAGEM PLANO DE ESTUDOS 1. A ARBITRAGEM E RESOLUÇÃO ALTERNATIVA DE LITÍGIOS 0,5

Leia mais

CURSO DE ARBITRAGEM EMPRESARIAL

CURSO DE ARBITRAGEM EMPRESARIAL CURSO DE ARBITRAGEM EMPRESARIAL Princípios (Texto aprovado na reunião ordinária de 24 de abril de 1999) I. O Árbitro é o privilegiamento da autonomia da vontade das partes, que o elegem para dirimir uma

Leia mais

CENTRO DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE LISBOA

CENTRO DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE LISBOA REGULAMENTO DO TRIBUNAL ARBITRAL DO CENTRO DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO DE LISBOA No quadro da Lei nº 31/86, de 29 de Agosto * e do Decreto-Lei nº425/86, de 27 de Dezembro, a Câmara Municipal

Leia mais

ARBITRAGEM nos CONTRATOS DE ENGENHARIA com a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Dr. Pablo Raúl Masud Blanco & Masud Advogados Buenos Aires República Argentina

ARBITRAGEM nos CONTRATOS DE ENGENHARIA com a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Dr. Pablo Raúl Masud Blanco & Masud Advogados Buenos Aires República Argentina ARBITRAGEM nos CONTRATOS DE ENGENHARIA com a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Dr. Pablo Raúl Masud Blanco & Masud Advogados Buenos Aires República Argentina ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA ARGENTINA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

www.momentoarbitragem.com.br www.youtube.com/momentoarbitragem A Jurisprudência do STJ A Reforma da Lei de Arbitragem Lei n. 13.129/2015 CAPÍTULO IV-A Lei 9.307/96 alterada pela Lei 13.129/2015 DAS TUTELAS

Leia mais

Visão geral da arbitragem no Brasil. Giovanni Ettore Nanni

Visão geral da arbitragem no Brasil. Giovanni Ettore Nanni Visão geral da arbitragem no Brasil Giovanni Ettore Nanni gnanni@tozzinifreire.com.br Visão Geral da Arbitragem no Brasil Arbitrabilidade Arbitragem Doméstica e Internacional Cláusula Compromissória Compromisso

Leia mais

Arbitragem Internacional. Renato Leite Monteiro

Arbitragem Internacional. Renato Leite Monteiro Arbitragem Internacional Renato Leite Monteiro Conceito É o mecanismo de solução de litígios pelo qual as partes decidem submeter um conflito a um ou mais especialistas em certo tema, que não pertencem

Leia mais

Resumo da intervenção Miguel Romão Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Resumo da intervenção Miguel Romão Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Luanda, 8 de Abril de 2014 GLOBALIZAÇÃO E COOPERAÇÃO EM MATÉRIA CIVIL E COMERCIAL ENTRE SISTEMAS DE JUSTIÇA Resumo da intervenção Miguel Romão Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Leia mais

A MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM NOS MERCADOS DA CPLP

A MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM NOS MERCADOS DA CPLP A MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM NOS MERCADOS DA CPLP A utilização dos Meios de Resolução Extrajudicial de Conflitos (REC) se reveste de crucial significado para o estímulo de um conceito amplo de Justiça que promova

Leia mais

O RECONHECIMENTO E EXECUÇÃO DE SENTENÇAS ARBITRAIS EM ANGOLA E A CONVENÇÃO DE NOVA YORK. Manuel Gonçalves Advogados Associados

O RECONHECIMENTO E EXECUÇÃO DE SENTENÇAS ARBITRAIS EM ANGOLA E A CONVENÇÃO DE NOVA YORK. Manuel Gonçalves Advogados Associados O RECONHECIMENTO E EXECUÇÃO DE SENTENÇAS ARBITRAIS EM ANGOLA E A CONVENÇÃO DE NOVA YORK Manuel Gonçalves Advogados Associados mg@mgadvogados.org Agenda 1. Principais indicadores macroeconómicos VS tráfico

Leia mais

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL (LEI DE 2015)

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL (LEI DE 2015) BASE LEGAL LEI 9.307 DE 1996 LEI 13.129 DE 2015 DECRETO 8.465 DE 2015 NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL (LEI 13.105 DE 2015) VANTAGENS PROPORCIONADAS PELA ARBITRAGEM Base legal eficiente: o Brasil possui leis

Leia mais

PAINEL 2 PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NO CNPC, CMCA E NO CONGRESSO NACIONAL

PAINEL 2 PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NO CNPC, CMCA E NO CONGRESSO NACIONAL PAINEL 2 PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NO CNPC, CMCA E NO CONGRESSO NACIONAL DANILO RIBEIRO MIRANDA MARTINS Procurador Federal da AGU em exercício na PREVIC, Especialista em Direito Previdenciário, Gestão Previdenciária

Leia mais

A ARBITRAGEM NA ACÇÃO EXECUTIVA

A ARBITRAGEM NA ACÇÃO EXECUTIVA 2.º CONFERÊNCIA INTERNACIONAL PROMOVER A EFICÁCIA DAS EXECUÇÕES E WORKSHOP BOAS PRÁTICAS NA ACTIVIDADE DO AGENTE DE EXECUÇÃO A ARBITRAGEM NA ACÇÃO EXECUTIVA ANA CABRAL DIA 24 DE SETEMBRO DE 2011 SUMÁRIO

Leia mais

O recurso à Arbitragem e as suas vantagens

O recurso à Arbitragem e as suas vantagens O recurso à Arbitragem e as suas vantagens Modo de resolução jurisdicional de controvérsias em que, com base na vontade das partes, a decisão é confiada a um terceiro. Para este efeito, considera-se terceiro

Leia mais

CONVENÇÃO ARBITRAL TÁCITA? CISG, ART. 9º (2) Eduardo Talamini

CONVENÇÃO ARBITRAL TÁCITA? CISG, ART. 9º (2) Eduardo Talamini CONVENÇÃO ARBITRAL TÁCITA? CISG, ART. 9º (2) Eduardo Talamini 1 Introdução CISG, Artigo 9º (1) As partes se vincularão pelos usos e costumes em que tiverem consentido e pelas práticas que tiverem estabelecido

Leia mais

A aquisição de bens com o resultado de infrações penais.

A aquisição de bens com o resultado de infrações penais. Para se pensar em termos de responsabilidades A aquisição de bens com o resultado de infrações penais. Balanços auditados 1 Lei 12.683/2012 Crimes de "lavagem" ou ocultação de bens, direitos e valores;

Leia mais

A ATUAÇÃO DO CONTADOR NA ARBITRAGEM

A ATUAÇÃO DO CONTADOR NA ARBITRAGEM A ATUAÇÃO DO CONTADOR NA ARBITRAGEM Bianca Ferreira Oliveira 1 ; Zilane Maria Sousa de Carvalho Silva 1 ; Adriano Barreira de Andrade 2 ; Marli Terezinha Vieira 3 1 Aluno do Curso de Ciências Contábeis;

Leia mais

Procedimento de Arbitragem e Mediação da OMPI como alternativa. José Eduardo de V. Pieri

Procedimento de Arbitragem e Mediação da OMPI como alternativa. José Eduardo de V. Pieri Procedimento de Arbitragem e Mediação da OMPI como alternativa José Eduardo de V. Pieri pieri@bmapi.com.br Setembro 2011 OMPI Organização Mundial da Propriedade Intelectual Missão Promover a proteção internacional

Leia mais

CIMACE -Centro de Informação, Mediação e Arbitragem do Comércio Electrónico

CIMACE -Centro de Informação, Mediação e Arbitragem do Comércio Electrónico CIMACE -Centro de Informação, Mediação e Arbitragem do Comércio Electrónico 1 ADAPTAÇÃO DOS MEIOS DE RESOLUÇÃO ALTERNATIVA DE LITÍGIOS AOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO MAIS EFICAZES 2 ADAPTAÇÃO PROCESSUAL E TECNOLÓGICA

Leia mais

PROTOCOLO DE CRIAÇÃO. 10 de Maio de 2006

PROTOCOLO DE CRIAÇÃO. 10 de Maio de 2006 PROTOCOLO DE CRIAÇÃO 10 de Maio de 2006 Quem é parte no Protocolo? A criação do Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Dívidas Hospitalares CIMADH é iniciada através de um Protocolo promovido pelo

Leia mais

Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul

Câmara de Mediação e Arbitragem do Conselho Regional de Administração do Rio Grande do Sul CÓDGO DE ÉTCA PARA OS ÁRBTROS PREÂMBULO. O Árbitro é um elemento neutro escolhido de comum acordo entre as Partes, tem por função empregar uma série de habilidades e técnicas para proferir uma Sentença

Leia mais

Regulamento de Arbitragem. Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve

Regulamento de Arbitragem. Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve Regulamento de Arbitragem Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve Capítulo 1 Objeto, natureza e âmbito geográfico Artigo 1.º Objeto O Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Conflitos

Leia mais

Administração Pública no século XXI. Modelos de organização administrativa e vinculação ao Direito ORGANIZAÇÃO DOS TRIBUNAIS

Administração Pública no século XXI. Modelos de organização administrativa e vinculação ao Direito ORGANIZAÇÃO DOS TRIBUNAIS Administração Pública no século XXI Modelos de organização administrativa e vinculação ao Direito ORGANIZAÇÃO DOS TRIBUNAIS Síntese Comparativa Local: Universidade Católica de Angola Data: 18 de Setembro

Leia mais

A VIABILIDADE DA ARBITRAGEM NO PLANO INTERNACIONAL

A VIABILIDADE DA ARBITRAGEM NO PLANO INTERNACIONAL A VIABILIDADE DA ARBITRAGEM NO PLANO INTERNACIONAL Camila Nogueira Cardozo, 5º período A arbitragem, ao longo dos períodos históricos, era conhecida como uma das únicas formas de jurisdição, pela qual

Leia mais

Câmara de Arbitragem do Mercado

Câmara de Arbitragem do Mercado Câmara de Arbitragem do Mercado O canal mais rápido e econômico para a solução de conflitos societários e do mercado de capitais. A Câmara de Arbitragem do Mercado (CAM) é o foro adequado para resolver

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE INFORMAÇÃO DE CONSUMO E ARBITRAGEM DO PORTO

REGULAMENTO DO CENTRO DE INFORMAÇÃO DE CONSUMO E ARBITRAGEM DO PORTO REGULAMENTO DO CENTRO DE INFORMAÇÃO DE CONSUMO E ARBITRAGEM DO PORTO REGULAMENTO DO CENTRO DE INFORMAÇÃO DE CONSUMO E ARBITRAGEM DO PORTO No quadro da Lei nº 31/86, de 29 de Agosto, e do Decreto-Lei nº

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical A EXECUÇÃO DA SENTENÇA NACIONAL E ESTRANGEIRA E SUAS PECULIARIDADES. Inez Balbino Petterle Advogada

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical A EXECUÇÃO DA SENTENÇA NACIONAL E ESTRANGEIRA E SUAS PECULIARIDADES. Inez Balbino Petterle Advogada TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical A EXECUÇÃO DA SENTENÇA NACIONAL E ESTRANGEIRA E SUAS PECULIARIDADES Inez Balbino Petterle Advogada Área do Direito: Arbitragem, Processual, Civil. Palavras-chave: Arbitragem,

Leia mais

I CONGRESSO INTERNACIONAL CBMA DE ARBITRAGEM ARBITRAGEM ENVOLVENDO A ACTIVIDADE PÚBLICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA

I CONGRESSO INTERNACIONAL CBMA DE ARBITRAGEM ARBITRAGEM ENVOLVENDO A ACTIVIDADE PÚBLICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA I CONGRESSO INTERNACIONAL CBMA DE ARBITRAGEM ARBITRAGEM ENVOLVENDO A ACTIVIDADE PÚBLICA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A EXPERIÊNCIA PORTUGUESA Pedro Leite Alves Jardim, Sampaio, Magalhães e Silva e Associados

Leia mais

ANEXO I TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS ÁRBITROS

ANEXO I TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS ÁRBITROS ANEXO I TABELA DE CUSTAS E HONORÁRIOS DOS ÁRBITROS Consoante dispõe o Regulamento de Arbitragem, doravante denominado simplesmente Regulamento, os custos dos procedimentos arbitrais comportam 1 : 1. TAXA

Leia mais

aware ANGOLAN DESK ARBITRAGEM Fevereiro 2011 N.2

aware ANGOLAN DESK ARBITRAGEM Fevereiro 2011 N.2 ANGOLAN DESK ARBITRAGEM Fevereiro 2011 N.2 em parceria: Apresentação/debate: Veículos de investimento em Angola : Organizado pela Câmara de Comércio Luso-Belga-Luxemburguesa em Parceria com a Abreu Advogados

Leia mais

Regulamento do Centro de Informação de Consumo e Arbitragem do Porto. Capítulo 1 Objeto, natureza e âmbito geográfico. Artigo 1.

Regulamento do Centro de Informação de Consumo e Arbitragem do Porto. Capítulo 1 Objeto, natureza e âmbito geográfico. Artigo 1. Regulamento do Centro de Informação de Consumo e Arbitragem do Porto Capítulo 1 Objeto, natureza e âmbito geográfico Artigo 1.º Objeto O Centro de Informação de Consumo e Arbitragem do Porto/Tribunal Arbitral

Leia mais

(Sumário da Relatora)

(Sumário da Relatora) Acórdãos TRL Acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa Processo: 243/10.9YRLSB-7 Relator: DINA MONTEIRO Descritores: EXECUÇÃO DE DECISÃO ARBITRAL SENTENÇA ARBITRAL ESTRANGEIRA Nº do Documento: RL Data do

Leia mais

O título executivo europeu. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org

O título executivo europeu. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org O título executivo europeu Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org Objectivos do Regulamento (CE) nº 805/2004 de 21.4.2004 NOÇÃO DE CONSUMIDOR: O CONTRIBUTO DADO PELA JURISPRUDÊNCIA DO TJUE

Leia mais

FLUXOGRAMA DO PROCEDIMENTO ARBITRAL 3 ÁRBITROS

FLUXOGRAMA DO PROCEDIMENTO ARBITRAL 3 ÁRBITROS FLUXOGRAMA DO PROCEDIMENTO ARBITRAL 3 ÁRBITROS 1 Requerimento de Instauração de Arbitragem protocolado na Câmara. - Checar eventuais particularidades da cláusula compromissória para adaptação dos prazos

Leia mais

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS

QUESTÃO 1 ASPECTOS MACROESTRUTURAIS QUESITOS AVALIADOS QUESTÃO 2. Foro competente (ECA, art. 209) 0.75 2.2 Legitimidade para a propositura da ação civil pública (ECA, art. 20) 0.75 2.3 Cabimento da ação mandamental / objetivo da ação (ECA, art. 22) 0.75 QUESTÃO

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE

COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE COMPROMISSO DE CONFIDENCIALIDADE Considerando que a,s.a. ( Sociedade Interessada ) tem interesse em analisar a eventual participação no projecto de da sociedade ( Promotora ), vem a Sociedade Interessada

Leia mais

ATUALIDADES SOBRE ARBITRAGEM E O MERCADO

ATUALIDADES SOBRE ARBITRAGEM E O MERCADO ATUALIDADES SOBRE ARBITRAGEM E O MERCADO DE INFRAESTRUTURA IV FÓRUM NACIONAL DE INFRAESTRUTURA 6 e 7 de Dezembro de 2016 IBEJI / CREA-SP Flávia Bittar Neves Presidente do CBAr INTRODUÇÃO Para oferecer

Leia mais

Meios de solução de controvérsias nas relações de consumo de seguros GUSTAVO DA ROCHA SCHMIDT

Meios de solução de controvérsias nas relações de consumo de seguros GUSTAVO DA ROCHA SCHMIDT Meios de solução de controvérsias nas relações de consumo de seguros GUSTAVO DA ROCHA SCHMIDT Em razão do volume exorbitante de demandas, o Judiciário brasileiro torna-se, naturalmente, incapaz de pacificar

Leia mais

Conselho de Segurança, Corte Internacional de Justiça e o Direito Internacional Público. Projeto Universitários pela Paz- UFRJ e UNIC-ONU

Conselho de Segurança, Corte Internacional de Justiça e o Direito Internacional Público. Projeto Universitários pela Paz- UFRJ e UNIC-ONU Conselho de Segurança, Corte Internacional de Justiça e o Direito Internacional Público Projeto Universitários pela Paz- UFRJ e UNIC-ONU Apresentação- Resumo I- Conselho de Segurança II- Corte Internacional

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015 UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa Ano lectivo de 2014/2015 DIREITO PROCESSUAL CIVIL I (Disciplina anual do 3.º ano) Responsável pela regência:

Leia mais

01 JULHO 2014 LISBOA GJ AIP-CCI

01 JULHO 2014 LISBOA GJ AIP-CCI 01 JULHO 2014 LISBOA GJ AIP-CCI 1 CENTRO DE MEDIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM 2 PONTOS DA INTERVENÇÃO: SOBRE O CENTRO DE ARBITRAGEM PROPRIAMENTE DITO: GÉNESE LEGAL DESTE CENTRO ESTRUTURA ORGÂNICA ÂMBITO

Leia mais

2. Arbitragem na atividade portuária visão do terminal;

2. Arbitragem na atividade portuária visão do terminal; ARBRITRAGEM NA ATIVIDADE PORTUÁRIA TEMAS PARA DISCUSSÃO 1. Métodos de solução de controvérsias; 2. Arbitragem na atividade portuária visão do terminal; 3. Reforma da Lei dos Portos arbitragem em controvérsia

Leia mais

Ofício nº 177 (SF) Brasília, em 11 de fevereiro de 2014.

Ofício nº 177 (SF) Brasília, em 11 de fevereiro de 2014. Ofício nº 177 (SF) Brasília, em 11 de fevereiro de 2014. A Sua Excelência o Senhor Deputado Marcio Bittar Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados Assunto: Projeto de Lei do Senado à revisão. Senhor

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL CIVIL DECLARATIVO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL CIVIL DECLARATIVO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO PROCESSUAL CIVIL DECLARATIVO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Solicitadoria 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO

Leia mais

A Arbitragem Internacional

A Arbitragem Internacional A Arbitragem Internacional Eliana Calmon Ministra do Superior Tribunal de Justiça N a era da globalização, quando caem as fronteiras estatais, unem-se as nações em blocos econômicos para fortalecerem-se

Leia mais

índice INTRODUÇÃO Abreviaturas... 9 Nota à 5ª edição Nota à 4" edição Nota à 3" edição Nota à 2" edição e sumário)...

índice INTRODUÇÃO Abreviaturas... 9 Nota à 5ª edição Nota à 4 edição Nota à 3 edição Nota à 2 edição e sumário)... índice Abreviaturas... 9 Nota à 5ª edição...... 25 Nota à 4" edição... 27 Nota à 3" edição......... 31 Nota à 2" edição... 33 INTRODUÇÃO 1. O chamado "processo de conhecimento"... 35 2. Do "processo de

Leia mais

Regulamento do Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve CIMAAL

Regulamento do Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve CIMAAL Regulamento do Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve CIMAAL CIMAAL Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve Edifício Ninho

Leia mais

Processo de arbitragem. Sentença

Processo de arbitragem. Sentença Processo de arbitragem Demandante: A Demandada: B Árbitro único: Jorge Morais Carvalho Sentença I Processo 1. O processo correu os seus termos em conformidade com o Regulamento do Centro Nacional de Informação

Leia mais

FASE DE FORMAÇÃO INICIAL - PROGRAMA DE PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL I I - ACESSO AO DIREITO II - ACTOS PROCESSUAIS DAS PARTES

FASE DE FORMAÇÃO INICIAL - PROGRAMA DE PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL I I - ACESSO AO DIREITO II - ACTOS PROCESSUAIS DAS PARTES Prática Processual Civil I FASE DE FORMAÇÃO INICIAL - PROGRAMA DE PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL I I - ACESSO AO DIREITO Modalidades do acesso ao direito e à justiça. O conceito de insuficiência económica. Revogação

Leia mais

O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org (obra no domínio público)

O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU. Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org (obra no domínio público) O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU Jogo de damas - Abel Manta 1927 Fonte: Wilkipédia.org (obra no domínio público) O REGULAMENTO (CE) Nº 805/2004 DE 21.4.2004 QUE CRIA O TÍTULO EXECUTIVO EUROPEU O contributo dado

Leia mais

JURISTEP

JURISTEP Lei n.º 9/2006, de 2 de Novembro Lei de Arbitragem Voluntária Este texto tem carácter meramente informativo e não dispensa a consulta do diploma original, conforme publicado no Diário da República. Quanto

Leia mais

Prática Processual Civil. Programa

Prática Processual Civil. Programa ORDEM DOS ADVOGADOS COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I - A CONSULTA JURÍDICA 1.1 - A consulta ao cliente 1.2 - Tentativa de resolução amigável 1.3 - A gestão do

Leia mais

Apresentação. Histórico

Apresentação. Histórico Apresentação Em resposta aos anseios da população e da comunidade empresarial que reclamavam uma alternativa mais eficaz para a solução de seus conflitos, a Associação Comercial da Bahia criou, em outubro

Leia mais

Regulamento do Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra

Regulamento do Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra Regulamento do Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito de Coimbra Capítulo 1 Objeto, natureza e âmbito geográfico Artigo 1.º Objeto O Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Distrito

Leia mais

A perícia contábil é de competência exclusiva de contador em situação regular perante o Conselho Regional de Contabilidade de sua jurisdição.

A perícia contábil é de competência exclusiva de contador em situação regular perante o Conselho Regional de Contabilidade de sua jurisdição. Uma função que necessita constante aprimoramento, a Perícia Contábil vem atraindo cada vez mais a atenção dos profissionais de contabilidade. O perito contábil, contratado pelas partes ou indicado pelo

Leia mais

Lei n.º 14/2006 de 26 de Abril

Lei n.º 14/2006 de 26 de Abril Lei n.º 14/2006 de 26 de Abril Altera o Código de Processo Civil, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 44129, de 28 de Dezembro de 1961, designadamente procedendo à introdução da regra de competência territorial

Leia mais

Arbitragem administrativa: potencialidades por explorar

Arbitragem administrativa: potencialidades por explorar Arbitragem administrativa: potencialidades por explorar Arbitragem administrativa: um desafio lançado ao contencioso administrativo português Instituto de Ciências Jurídico Políticas/Faculdade de Direito

Leia mais

Inovações legislativas e aspectos práticos no uso da Mediação em Propriedade Intelectual. Daniela Monteiro Gabbay

Inovações legislativas e aspectos práticos no uso da Mediação em Propriedade Intelectual. Daniela Monteiro Gabbay Inovações legislativas e aspectos práticos no uso da Mediação em Propriedade Intelectual Daniela Monteiro Gabbay 30.08.2016 Escolha da mediação: arte ou ciência? Como escolher a porta mais adequada de

Leia mais

Informação essencial e complementar às normas de procedimento do Centro, considerando o disposto na Lei n.º 144/2015, de 8 de Setembro

Informação essencial e complementar às normas de procedimento do Centro, considerando o disposto na Lei n.º 144/2015, de 8 de Setembro Informação essencial e complementar às normas de procedimento do Centro, considerando o disposto na Lei n.º 144/2015, de 8 de Setembro A Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro (Lei RAL), cria a Rede de Arbitragem

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS LIVRO VERDE

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS LIVRO VERDE COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 21.4.2009 COM(2009) 175 final LIVRO VERDE SOBRE A REVISÃO DO REGULAMENTO (CE) N. 44/2001 DO CONSELHO, RELATIVO À COMPETÊNCIA JUDICIÁRIA, AO RECONHECIMENTO E

Leia mais

Estratégias para famílias empresárias

Estratégias para famílias empresárias Estratégias para famílias empresárias Ordem dos Economistas do Brasil MÉTODOS EXTRAJUDICIAIS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS: a nova tendência no Brasil e no mundo Direitos reservados proibida a reprodução 23.06.2010

Leia mais

Manual de Negociação

Manual de Negociação Disciplina: Processo Decisório Prof. Gustavo Nogueira Manual de Negociação Organizador: Gilberto Sarfati 1º Edição 2010 Clarissa Brandão Clarissa Brandão é advogada, mestre em Direito Internacional e Integração

Leia mais

1 Sentença da Audiência Provincial (SAP) de Madrid de (Seção 18). Revista de la Corte

1 Sentença da Audiência Provincial (SAP) de Madrid de (Seção 18). Revista de la Corte Limites da Sentença Arbitral e seu Controle Jurisdicional, debatedora do Prof. Candido Rangel Dinamarco, Seminário Arbitragem Solução de Conflitos Comerciais, 11 de junho de 2003, São Paulo, organizado

Leia mais

CONVENÇÃO SOBRE OS ACORDOS DE ELEIÇÃO DO FORO

CONVENÇÃO SOBRE OS ACORDOS DE ELEIÇÃO DO FORO CONVENÇÃO SOBRE OS ACORDOS DE ELEIÇÃO DO FORO Os Estados Partes na presente Convenção, Desejosos de promover o comércio e os investimentos internacionais graças a uma maior cooperação judiciária, Convictos

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

Em dez anos, arbitragem amadurece e vira saída para solução de conflitos na construção

Em dez anos, arbitragem amadurece e vira saída para solução de conflitos na construção Litígios Fórum privilegiado Em dez anos, arbitragem amadurece e vira saída para solução de conflitos na construção A arbitragem, meio extrajudicial para solução de conflitos, oferece tudo aquilo que o

Leia mais

Lei n.º 63/2011 de 14 de Dezembro Aprova a Lei da Arbitragem Voluntária

Lei n.º 63/2011 de 14 de Dezembro Aprova a Lei da Arbitragem Voluntária Lei n.º 63/2011 de 14 de Dezembro Aprova a Lei da Arbitragem Voluntária A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.º Objecto 1 É aprovada

Leia mais

ONU ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS

ONU ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS 1. A Antecessora da ONU Sociedade das Nações A Sociedade das Nações era também conhecida como Liga das Nações Foi idealizada a partir dos 14 Pontos de Wilson Foi criada na

Leia mais

Arbitragem nos Contratos de Seguro e Resseguro. Marcia Cicarelli Barbosa de Oliveira

Arbitragem nos Contratos de Seguro e Resseguro. Marcia Cicarelli Barbosa de Oliveira Arbitragem nos Contratos de Seguro e Resseguro Marcia Cicarelli Barbosa de Oliveira Agenda Formas alternativas de resolução de conflitos (ADR) Noções Gerais de Mediação Noções gerais de Arbitragem Arbitragem

Leia mais

OS TERCEIROS INTERESSADOS E A HOMOLOGAÇÃO DE SENTENÇA ARBITRAL ESTRANGEIRA

OS TERCEIROS INTERESSADOS E A HOMOLOGAÇÃO DE SENTENÇA ARBITRAL ESTRANGEIRA OS TERCEIROS INTERESSADOS E A HOMOLOGAÇÃO DE SENTENÇA ARBITRAL ESTRANGEIRA Helder Corrêa Marcellino 1 RESUMO Os litígios transnacionais requerem sistema jurídico que dê suporte necessário para assegurar

Leia mais

O PARADIGMA DO BOM ÁRBITRO

O PARADIGMA DO BOM ÁRBITRO O PARADIGMA DO BOM ÁRBITRO Organização Centro de Mediação e Arbitragem da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil Mattos Filho Advogados São Paulo, 3/11/2010 José Miguel Júdice Sócio Fundador de PLMJ e

Leia mais

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa. Isabel Morais Mendes Cabeçadas

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa. Isabel Morais Mendes Cabeçadas Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa Isabel Morais Mendes Cabeçadas CONFERÊNCIA Crise - Meios Alternativos de Resolução de Conflitos Lisboa, 17, 18 e 19 de Junho de 2009 Conflito Processo

Leia mais

Registrado no 4º. Registro de Títulos e Documentos sob no de 04 de Julho de Câmara Arbitral constituida em 21 de novembro de 2003.

Registrado no 4º. Registro de Títulos e Documentos sob no de 04 de Julho de Câmara Arbitral constituida em 21 de novembro de 2003. Regulamento e Normas de Funcionamento da Mediação e Arbitragem no TNA CAMARA NACIONAL DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM CNPJ/MF n o.06.152.354/0001-38 Registrado no 4º. Registro de Títulos e Documentos sob no.

Leia mais

CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGUESA / ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE LISBOA CENTRO DE ARBITRAGEM COMERCIAL. Regulamento de Arbitragem 1

CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGUESA / ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE LISBOA CENTRO DE ARBITRAGEM COMERCIAL. Regulamento de Arbitragem 1 1 Regulamento de Arbitragem 1 ARTIGO 1.º 1 Qualquer litígio de carácter económico, público ou privado, interno ou internacional, que por lei especial não esteja submetido exclusivamente a tribunal judicial

Leia mais

Direito Processual Civil Executivo. Programa

Direito Processual Civil Executivo. Programa Direito Processual Civil Executivo Programa Rui Pinto Duarte 2010/2011 I Aspectos Gerais 1. Noção de acção executiva 2. O princípio do dispositivo na acção executiva (3.º, 810 e 675-A) 3. Execução individual

Leia mais

Decreto n.º 23/95 Acordo de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos entre a República Portuguesa e a República do Peru

Decreto n.º 23/95 Acordo de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos entre a República Portuguesa e a República do Peru Decreto n.º 23/95 Acordo de Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos entre a República Portuguesa e a República do Peru Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo

Leia mais

www.momentoarbitragem.com.br www.youtube.com/momentoarbitragem REFORMA DA LEI DE ARBITRAGEM Lei 13.129/2015 REFORMA DA LEI DE ARBITRAGEM Lei 13.129/2015 Lei de Arbitragem 9.307/96 Art. 1º As pessoas capazes

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2012.0000111145 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 0260447-87.2011.8.26.0000, da Comarca de, em que são agravantes DENISSON MOURA DE FREITAS e MARIA

Leia mais

A RESOLUÇÃO ALTERNATIVA DE LITÍGIOS DE CONSUMO

A RESOLUÇÃO ALTERNATIVA DE LITÍGIOS DE CONSUMO A RESOLUÇÃO ALTERNATIVA DE LITÍGIOS DE CONSUMO Uma justiça simples, acessível e rápida: Mediação Conciliação Arbitragem O que é a resolução alternativa de litígios de consumo? A resolução alternativa de

Leia mais

TEMA DA AULA TEMAS DO SEMINÁRIO ALUNOS. 1. Arbitragem internacional: O que isso significa? Aspectos normativos, técnicos e sociológicos.

TEMA DA AULA TEMAS DO SEMINÁRIO ALUNOS. 1. Arbitragem internacional: O que isso significa? Aspectos normativos, técnicos e sociológicos. DISCIPLINA DPC 5870-1 (1º SEM/2015) ARBITRAGEM NO BRASIL, NA ITÁLIA, E NA FRANÇA: PERSPECTIVA DE DIREITO PRIVADO (I) Material disponibilizado no Moodle: (i) programa; e (ii) textos para leitura prévia.

Leia mais

IV JORNADAS DO IAD SISTEMA DE ACESSO AO DIREITO E AOS TRIBUNAIS - UM MODELO DE CIDADANA VISEU

IV JORNADAS DO IAD SISTEMA DE ACESSO AO DIREITO E AOS TRIBUNAIS - UM MODELO DE CIDADANA VISEU IV JORNADAS DO IAD SISTEMA DE ACESSO AO DIREITO E AOS TRIBUNAIS - UM MODELO DE CIDADANA VISEU 27.09.2014 I. LEGISLAÇÃO RELEVANTE Lei n.º 34/2004, de 29 de Julho Artigo 1.º (Finalidades) Artigo 1.º 1 -

Leia mais

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º do REGULAMENTO NACIONAL DE ESTÁGIO (Regulamento nº 913 A/2015) A segunda

Leia mais

Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades P R O T O CO L O

Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades P R O T O CO L O P R O T O CO L O Primeira Outorgante Zurich Companhia de Seguros, S.A., com sede na Rua Barata Salgueiro, 41, 1269-058 em Lisboa, Pessoa Colectiva nº 500 528 586, matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

ARBITRAGEM E OUTROS MEIOS DE RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE LITÍGIOS NO DIREITO MOÇAMBICANO

ARBITRAGEM E OUTROS MEIOS DE RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE LITÍGIOS NO DIREITO MOÇAMBICANO ARBITRAGEM E OUTROS MEIOS DE RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE LITÍGIOS NO DIREITO MOÇAMBICANO Dário Moura Vicente Professor da Faculdade de Direito de Lisboa I Vamos ocupar-nos nesta exposição da arbitragem

Leia mais

Os direitos da criança - No contexto internacional. Director do ILPI Njal Hostmaelingen MJDH, workshop interno, Luanda, 27 de Junho 2016

Os direitos da criança - No contexto internacional. Director do ILPI Njal Hostmaelingen MJDH, workshop interno, Luanda, 27 de Junho 2016 Os direitos da criança - No contexto internacional Director do ILPI Njal Hostmaelingen MJDH, workshop interno, Luanda, 27 de Junho 2016 Programa História e enquadramento legal Desenvolvimentos internacionais

Leia mais

É uma forma judicial e alternativa de

É uma forma judicial e alternativa de Av. D N. 354 St. Oeste Goiânia-GOGO CEP 74160-140140 Fone/Fax (62) 32390801 Parceria e convênio com a Ordem dos Advogados do Brasil Seção de Goiás (OAB-GO) O que é Arbitragem? É uma forma judicial e alternativa

Leia mais

Projeto de Lei nº 3.006/2008 Deputado Walter Brito

Projeto de Lei nº 3.006/2008 Deputado Walter Brito Projeto de Lei nº 3.006/2008 Deputado Walter Brito O espírito deste Projeto de Lei, pelo que se pode entender, e salvo melhor juízo, é, além de alertar as partes litigantes pela possibilidade de solução

Leia mais

Direito Internacional Público

Direito Internacional Público 128 - MEIOS POLÍTICOS - ATUAÇÃO da ONU ASSEMBLÉIA GERAL CONSELHO DE SEGURANÇA DEVE SER UTILIZADA APENAS CONFLITOS GRAVES AMEAÇA A PAZ 129 - MEIOS POLÍTICOS - ATUAÇÃO da ONU PROVOCADA PELOS LITIGANTES OU

Leia mais

SISTEMA DE MEDIAÇÃO FAMILIAR

SISTEMA DE MEDIAÇÃO FAMILIAR SISTEMA DE MEDIAÇÃO FAMILIAR MEDIAÇÃO FAMILIAR EM MAIS LOCAIS, PARA RESOLVER MAIS CONFLITOS, DE FORMA MAIS SIMPLES E FLEXÍVEL 1. Que novidades são introduzidas em matéria de mediação familiar? São introduzidas

Leia mais

ACORDO SOBRE ARBITRAGEM COMERCIAL INTERNACIONAL ENTRE O MERCOSUL, A REPÚBLICA DA BOLÍVIA E A REPÚBLICA DO CHILE

ACORDO SOBRE ARBITRAGEM COMERCIAL INTERNACIONAL ENTRE O MERCOSUL, A REPÚBLICA DA BOLÍVIA E A REPÚBLICA DO CHILE MERCOSUL/CMC/DEC Nº 4/98 ACORDO SOBRE ARBITRAGEM COMERCIAL INTERNACIONAL ENTRE O MERCOSUL, A REPÚBLICA DA BOLÍVIA E A REPÚBLICA DO CHILE TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto,

Leia mais

INTRODUÇÃO À ARBITRAGEM, CONVENÇÃO ARBITRAL, CONSTITUIÇÃO DO TRIBUNAL ARBITRAL

INTRODUÇÃO À ARBITRAGEM, CONVENÇÃO ARBITRAL, CONSTITUIÇÃO DO TRIBUNAL ARBITRAL INTRODUÇÃO À ARBITRAGEM, CONVENÇÃO ARBITRAL, CONSTITUIÇÃO DO TRIBUNAL ARBITRAL Curso de Resolução Alternativa de Litígios Universidade Nova, 27 de Novembro 2010 José Miguel Júdice A. INTRODUÇÃO À ARBITRAGEM

Leia mais