A ENGENHARIA BIOMÉDICA E SUA INTER-RELAÇÃO COM A ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A ENGENHARIA BIOMÉDICA E SUA INTER-RELAÇÃO COM A ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO"

Transcrição

1 A ENGENHARIA BIOMÉDICA E SUA INTER-RELAÇÃO COM A ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO José Carlos da Cunha UnicenP, Curso de Engenharia da Computação Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 Campo Comprido Curitiba PR Valfredo Pilla Júnior UnicenP, Curso de Engenharia da Computação Edson Pedro Ferlin UnicenP, Curso de Engenharia da Computação Resumo: A computação está presente nas mais diversas áreas do conhecimento e uma destas vertentes é a área de engenharia biomédica, que de uma forma muito intensa e irreversível, nos últimos 30 anos tem sido completamente dominada pelas áreas de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias aplicadas à saúde e ao bem estar dos seres vivos. Este avanço foi impulsionado por duas grandes áreas tecnológicas: a eletrônica e a computação, que formam a base dos cursos de Engenharia da Computação no Brasil e em muitos países, e que em conjunto têm sido utilizadas para suprir a grande maioria das demandas tecnológicas a que a sociedade tem aspirado, sejam nas áreas de saúde, telecomunicações, segurança, entretenimento, etc. Neste sentido o curso de Engenharia da Computação vem atuando na área de Engenharia Biomédica capacitando os futuros engenheiros, com base tecnológica sólida para este desenvolvimento, por meio de disciplinas direcionadas a esta formação e por meio de diversas outras iniciativas, entre as quais podemos destacar o desenvolvimento de projetos de graduação e projetos de pesquisa em parceria com empresas. Palavras-chave: Engenharia Biomédica, Engenharia da Computação, Instrumentação, Diagnóstico. 1 INTRODUÇÃO A grande expansão tecnológica observada no século XX, principalmente na segunda metade deste século, resultou em inúmeras descobertas e desenvolvimentos científicos em praticamente todas as áreas do conhecimento. Dentre essas áreas, uma das que mais se beneficiou com este desenvolvimento foi a medicina, que a partir do desenvolvimento da física, da eletrônica e da computação pode atingir um grau de exploração, diagnóstico e terapia cada vez mais precisos e de forma cada vez menos invasiva ao paciente, aplicando novas técnicas e filosofias de trabalho com base nos equipamentos desenvolvidos (WEBSTER, 1998). 1E06-1

2 Dentro desta realidade, surge a Engenharia Biomédica, ciência e tecnologia com um caráter multidisciplinar, que aplica princípios e métodos de engenharia para compreensão, definição e resolução de problemas em biologia e medicina, tendo como prioridade o desenvolvimento de equipamentos e técnicas para o diagnóstico, a monitoração e a terapia (BRONZINO, 1998). Entre as grandes áreas de atuação do Engenheiro Biomédico podem-se destacar as áreas de engenharia médica, instrumentação biomédica, bioengenharia, engenharia clínica, engenharia de reabilitação, processamento de imagens e sinais biológicos, entre outras (SBEB, 2003). Se tradicionalmente esta era definida como a fusão entre ciências biológicas e tecnológicas, de forma multidisciplinar, atualmente o uso da computação praticamente está em todo sistema médico, como na aquisição, processamento e disponibilização de informações relacionadas aos parâmetros fisiológicos. Além disso, a Engenharia Biomédica está também presente no diagnóstico através do processamento digital de imagens, como em tomografia computadorizada, ultra-sonografia, ressonância magnética, na terapia, e bem como em sistemas de litotripcia, hemodiálise, radioterapia ou então no armazenamento, na transmissão e disponibilização destas informações médicas de forma virtual. A utilização de tecnologias de hardware e software tornou-se fundamental e criou uma grande dependência nessa e em outras áreas da sociedade, de uma forma positiva, pois muito do que se faz hoje em termos de pesquisa, diagnóstico e tratamento das mais diversas patologias era inimaginável há vinte anos atrás. Se considerarmos o Projeto Genoma Humano, cujas primeiras propostas para se mapear o genoma humano surgiram em 1985, com um grupo de cientista que pretendiam detectar mutações em homens, envolvendo uma série de instituições de pesquisa governamentais e particulares, o uso da computação tem sido fundamental no sequenciamento do DNA. Segundo Harold Morowitz, biofísico da Universidade de Yale, Estados Unidos, a Computação está para a Biologia da mesma forma que a Matemática está para a Física (CARVALHO, 2003). Seguindo a mesma linha de pesquisa, a bioinformática tem promovido benefícios para várias áreas, tais como a biologia, a bioquímica, a medicina, e a agricultura. Na medicina permite uma melhora no diagnóstico de doenças, facilitando a detecção para predisposições genéticas a doenças, possibilita a criação de medicamentos baseados em informações moleculares. Além disso, possibilita a utilização de terapias genéticas como remédios e torna possível o desenvolvimento de drogas personalizadas, baseadas no perfil gênico individual. Nos últimos anos, diversos laboratórios têm trabalhado no sequenciamento de vários genomas, tendo seqüenciado mais de 100 organismos e outros 600 estão e processo. Na área de imagens médicas, embora mais de 75% de todas as imagens médicas ainda sejam de obtidas por meio de filmes de raios-x, com o advento da Tomografia Computadorizada em 1972, o uso de computadores na medicina tem se desenvolvido bastante, mas precisa ainda progredir muito. Os computadores são utilizados principalmente na aquisição das imagens, mas o passo atual e do futuro é o uso da computação gráfica para auxiliar na quantização da imagem e tratamento para a melhor extração da informação possível, aplicando princípios físicos e matemáticos deste processo, bem como das ferramentas computacionais para a reconstrução da imagem. Infelizmente a quantização das imagens ainda está em sua infância, e o discernimento numérico de tecidos ainda não é factível na maioria dos casos (OLIVEIRA FILHO, 1999). O mesmo tem ocorrido com outras tecnologias de aquisição de imagens médicas, como em Radiologia Digital, Ressonância Magnética, Medicina Nuclear, Ultra-Sonografia, Tomografia por Emissão de Pósitrons, entre outras, na qual a utilização dos recursos da Engenharia da Computação são fundamentais e insubstituíveis. 1E06-2

3 2 A ENGENHARIA BIOMÉDICA E A CONTRIBUIÇÃO DA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Como se pode constatar, a formação de profissionais habilitados para atuarem, não só no desenvolvimento, mas também em pesquisa, operação, treinamento e manutenção de sistemas biomédicos, é fundamental para o desenvolvimento científico e tecnológico neste campo de atuação. Neste sentido o curso de Engenharia da Computação vem atuando na área de Engenharia Biomédica capacitando os futuros engenheiros, com base tecnológica sólida para este desenvolvimento, por meio de disciplinas direcionadas a esta formação, além de diversas outras iniciativas, entre as quais podemos destacar o desenvolvimento de projetos de graduação e projetos de pesquisa em parceria com empresas. Ocorre, entretanto, que a formação de profissionais qualificados para atuarem na área de Engenharia Biomédica esbarra em alguns problemas relacionados ao baixo número de Instituições de Ensino (IEs) que oferecem a formação e a falta de incentivos governamentais para o desenvolvimento da indústria nacional de tecnologias aplicadas à saúde, o que acaba resultando em um número expressivo de importações na área, gerando um ciclo vicioso. Tradicionalmente, no Brasil, a formação em Engenharia Biomédica tem se dado prioritariamente em nível de pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado), o que acaba restringindo ainda mais a formação de profissionais. Dentro desta classificação encontramos importantes IEs voltadas à formação deste profissional, dentre as quais podemos citar o Centro de Engenharia Biomédica da Universidade Estadual de Campinas (CEB/UNICAMP), o Programa de Engenharia Biomédica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ), o Centro de Pós Graduação em Engenharia e Informática da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (CPGEI/UTFPR), o Grupo de Pesquisa em Engenharia Biomédica da Universidade Federal de Santa Catarina (GPEB/UFSC) entre outros tantos programas de pós-graduação espalhados pelo Brasil, perfazendo mais de 20 grupos formalmente estabelecidos, entre tantos outros informais (SBEB, 2003). Paralelamente, muitos cursos de engenharia, principalmente elétrica, eletrônica e da computação, têm se voltado ao ensino, através de disciplinas optativas de engenharia biomédica ou instrumentação biomédica, e à pesquisa em engenharia biomédica em nível de graduação, aproveitando a formação recebida por seus professores em cursos de mestrado e doutorado tanto no Brasil como no exterior, formando pequenos grupos de pesquisa que começam a aparecer de forma significativa nos congressos específicos da área. Conforme descrito em (PILLA et al., 2003), (FERLIN et al., 2003) e (FERLIN, 1999), a estrutura curricular do Curso de Engenharia da Computação do UnicenP, que é seriado, congrega as disciplinas técnicas específicas em duas grandes áreas, hardware e software, as quais são desenvolvidas simultaneamente ao longo das séries, tendo como característica a integração das disciplinas destas duas áreas, definida no contexto da aplicação de estratégias inter e multidisciplinares, o que vem a colaborar com o desenvolvimento de um trabalho consistente na área de Engenharia Biomédica. A Tabela 1 mostra as disciplinas das áreas de hardware e software que compõe a grade do Curso de Engenharia da Computação do UnicenP. A partir de 2002, depois de constatado o grande interesse que os alunos despertaram pela área, foi oferecida a disciplina optativa de Instrumentação Biomédica aos alunos da última série de graduação, com uma adesão de 100% dos alunos, fato este que se repetiu em 2003, quando a mesma foi novamente oferecida. A ementa desta disciplina, que é anual e tem carga horária total de 80 h/a, aborda os temas relacionados aos conceitos fundamentais de instrumentação biomédica, sensores e transdutores para uso em instrumentação biomédica, estudo da origem dos biopotenciais, bem como de amplificadores e sistemas de processamento de sinais biomédicos e de biopotenciais, análise e desenvolvimento de 1E06-3

4 sistemas aplicados à aquisição e processamento de parâmetros de origem biológica, entre os quais pressão sanguínea, sons de origem fisiológica, medição de fluxo e volume sanguíneo e medições no sistema respiratório, avaliação e análise das tecnologias utilizadas na aquisição e processamento de imagens médicas, bem como das aplicações das mesmas, análise e avaliação das tecnologias disponíveis para dispositivos terapêuticos e protéticos, e dos princípios de funcionamento das mesmas. Tabela 1 - Disciplinas que compõe as áreas de hardware e de software do Curso de Engenharia da Computação do UnicenP. Hardware Eletrônica; Sistemas Digitais; Arquitetura e Organização de Computadores; Teleinformática; Microprocessadores; Instrumentação Eletrônica; Processamento de Sinais. Software Algoritmos e Programação de Computadores; Fundamentos de Computação e Programação; Banco de Dados; Engenharia de Software; Sistemas Operacionais; Computação Gráfica; Inteligência Artificial. Como se pode perceber, a abordagem é ampla, principalmente se considerada a carga total de 80 h/a, entretanto, como se trata de uma disciplina optativa, esta tem por meta despertar a curiosidade e o interesse dos alunos por estudos superiores, contribuindo, em alguns casos, com a possibilidade da realização de projetos de graduação dentro da área. Outro fator que colabora com o bom aproveitamento da disciplina de instrumentação biomédica é o fato desta ser ministrada na série seguinte à da disciplina de instrumentação eletrônica, na qual muitos fundamentos tecnológicos necessários à compreensão, projeto e implementação de sistemas biomédicos, tais como amplificadores de instrumentação, filtros ativos e transdutores, entre outros temas, serem abordados de forma muito detalhada, com aspectos teóricos e práticos nessa disciplina de 160 h/a. Paralelamente à Instrumentação Biomédica, as disciplinas de Processamento de Sinais, Computação Gráfica e Inteligência Artificial, contribuem fornecendo subsídios teóricos à compreensão dos vários sistemas abordados, principalmente os relacionados aos sistemas de aquisição e processamento de imagens médicas. Como o objetivo da disciplina não é o de formar um especialista em Engenharia Biomédica, nem tampouco esgotar o tema, aspectos relacionados à fisiologia e à anatomia, necessários à compreensão dos vários tópicos abordados, são vistos de forma superficial, porém muito direcionada ao aspecto relevante da análise que se deseja realizar. Dentro deste aspecto, são abordados, principalmente, temas relacionados aos sistemas cardiovasculares e neurofisiológicos. Adicionalmente, como os alunos precisam cumprir um total de 160 h/a em disciplinas optativas e, considerando que a disciplina de Instrumentação Biomédica é de 80 h/a, estes podem buscar estas em outras áreas do conhecimento, oferecidas pelos cursos de graduação do UnicenP, tais como fisiologia básica, redes neurais, neuroanatomofisiologia, etc., garantindo desta forma uma formação mais aprofundada em ciências biomédicas, possibilitando a entrada em cursos de mestrado e doutorado em engenharia biomédica, como já ocorrido com alguns alunos egressos do UnicenP. A produção científica dentro da área de Engenharia Biomédica tem se mostrado muito promissora, pois no período de 2002 a 2005, foram publicados oito trabalhos em congressos de âmbito internacional, nacional e regional, inserindo o curso de Engenharia da Computação do UnicenP no universo de engenharia biomédica brasileiro. Isto só tem sido possível graças a 1E06-4

5 participação do corpo docente, composto por três professores com mestrado em Engenharia Biomédica (PILLA JR et al., 2003; CUNHA et al., 2004a e 2004b). 3 DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS Os primeiros esforços para a consolidação de um grupo de pesquisa e desenvolvimento em Engenharia Biomédica dentro do Curso de Engenharia da Computação do UnicenP começaram a apresentar resultados no final do ano de 2002, com o desenvolvimento de dois projetos de graduação de curso, apresentados no Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica, realizado em São José dos Campos, bem como com o término da primeira turma de Instrumentação Biomédica e o ingresso no Mestrado em Engenharia Biomédica (na UTFPR) de dois alunos que desenvolveram pesquisas na área de engenharia biomédica no Projeto de Final de Curso. Até o final de 2006, os resultados obtidos podem ser resumidos em 15 Projetos de Final de Curso, quatro projetos de pesquisa feitos em parceria com empresas privadas e o ingresso de sete alunos em cursos de mestrado em Engenharia Biomédica, mostrando claramente o potencial e a disposição destes profissionais para atuarem na área. Passados quatro anos, o desenvolvimento de Projetos de Final de Curso tem tido uma grande participação de projetos na área de engenharia biomédica e instrumentação eletrônica, como pode ser visto na Tabela 1 e na Figura 1, nas quais estão relacionadas as áreas de desenvolvimento no curso. Tabela 2 Projetos de Final de Curso desenvolvidos nas áreas de pesquisa do curso de Engenharia da Computação até Área de Pesquisa N. de proj. Porcentagem 1. Computação Reconfigurável 11 5% 2. Engenharia Biomédica 19 19% 3. Instrumentação Eletrônica e Física Experimental 19 19% 4. Reconhecimento de Padrões 13 13% 5. Outras áreas 43 44% Figura 1 Distribuição das áreas de pesquisa nos projetos de Final de Curso Uma das características mais marcantes nos trabalhos na área de Engenharia Biomédica, desenvolvidos pelo curso de Engenharia da Computação do UnicenP, é a multidisciplinaridade, pois tradicionalmente, vários pesquisadores e profissionais das áreas de 1E06-5

6 saúde e engenharia têm trabalhado em conjunto, principalmente nas áreas de medicina, fisioterapia e educação física, no desenvolvimento de projetos de pesquisa. Segundo FERLIN et al. (2003), a multidisciplinaridade propicia o aumento da motivação por parte dos pesquisadores e alunos, pois estes passam a entender a relações entre as várias áreas envolvidas no desenvolvimento de projetos que a princípio necessitariam. O mesmo princípio tem sido utilizado no desenvolvimento dos projetos de conclusão de curso, de pesquisa e de parceria tecnológica com empresas privadas. Dentro deste conceito foram desenvolvidos, nos últimos três anos, projetos envolvendo conceitos de biofeedback em recuperação de pacientes com lesão muscular, com a participação de professores do departamento de Educação Física do UnicenP, análise de tremor das mãos, para diagnóstico do Mal de Parkinson (CICHACZEWSKI & CUNHA, 2005), em conjunto com pesquisadores de neurologia da UFPR, sistema para análise do nível de consciência, com aplicações em anestesiologia (CENDON et al., 2004), sistema para auxílio na comunicação de indivíduos surdos através de um sistema computacional de tradução da língua brasileira de sinais, em conjunto com profissionais da área de educação especial, sistema para análise de marcha, para atletas, em conjunto com profissionais de educação física, entre outros. 4 CONCLUSÃO Percebe-se, em todas as pesquisas e trabalhos desenvolvidos dentro da área de Engenharia Biomédica, até o momento, a grande interação entre as áreas básicas e avançadas do curso de graduação em Engenharia da Computação do UnicenP, bem como a inter e multidisciplinaridade na solução dos problemas propostos e respectivas implementações físicas e lógicas, mostrando claramente a possibilidade e viabilidade do desenvolvimento de trabalhos com excelente nível acadêmico e tecnológico dentro do escopo da graduação e a grande relação entre a Engenharia Biomédica e a Engenharia da Computação. Fica cada dia mais evidente a dependência tecnológica das áreas de saúde com relação a novas descobertas e à utilização de tecnologias computacionais, mesmo no avanço de pesquisas clínicas e pesquisas de base, pois a viabilização destas depende em maior ou menor escala do uso de recursos, técnicas, ferramentas e métodos desenvolvidos em Engenharia da Computação e áreas afins. Fica evidente, também, que só será possível manter o avanço crescente em Engenharia Biomédica se houver uma estreita relação entre os pesquisadores e profissionais das várias áreas do conhecimento envolvidas, sejam estes biólogos, médicos, fisioterapeutas, engenheiros da computação e eletrônicos, físicos e matemáticos, como vem ocorrendo em várias áreas do conhecimento humano. 5 REFERÊNCIAS BRONZINO, J.D. (editor-in-chief) The Biomedical Engineering Handbook. Boca Raton: CRC Press/IEEE Press, CARVALHO, A. C. P. L. F., Computação Bioinspirada. Revista Eletrônica de Ciências, São Carlos, n. 22 (Outubro/ Novembro/ Dezembro), CENDON, R. V.; CUNHA, J. C.; PILLA JR, V., Sistema de Amplificação, Tratamento e Digitalização de Sinais de EEG. In: IX PIBIC - Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica CEFET-Pr/CNPq. Anais do IX PIBIC. Curitiba, 2004, p E06-6

7 CICHACZEWSKI, E.; CUNHA, J. C. Sistema Computacional de Auxílio ao Diagnóstico e Avaliação de Tremores. In: SABI XV Congreso Argentino de Bioingeniería. Anales del SABI XV Congreso Argentino de Bioingeniería. Entre Ríos, 2005, p. 38. CUNHA, J. C.; FERLIN, E. P.; PILLA JR, V. O Desenvolvimento de Pesquisas em Engenharia Biomédica no Nível de Graduação no UnicenP. In: WCETE 2004 World Conference on Engineering and Technology Education. Proceedings of the WCETE 2004 World Conference on Engineering and Technology Education. Guarujá, 2004a. CUNHA, J. ; PILLA JR, V.; FERLIN, E. P.; BOREKI, G. A Integração Entre Universidade e Empresa Através da Cooperação Científica no Curso de Engenharia da Computação do UnicenP. In: COBENGE Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia. Anais do COBENGE Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia. Brasília-DF, 2004b. FERLIN, E., P. Use of Multidiciplinary in Undergraduate Computer Engineering in the Courses of the Digital Area. In: FIE 99-29th ASEE/IEEE Frontiers in Education Conference Proceedings of the FIE 99-29th ASEE/IEEE Frontiers in Education Conference San Juan, 1999, p. 12a a9-48. FERLIN, E., P.; PILLA JR, V.; CUNHA, J. C. The Graduation Thesis in the Computer Engineering Program at UnicenP. In: FIE th ASEE/IEEE Frontiers in Education Conference. Proceedings of the 33th ASEE/IEEE Frontiers in Education Conference 2003, Boulder, p. F2F-6 - F2F-10. OLIVEIRA FILHO, K. S. O., Fundamentos de Radiodiagnóstico por Imagem. Disponível em <http://www.if.ufrgs.br/ast/med/imagens/node2.htm>. Disponível em: 29 Out Acesso em: 26 abril PILLA JR, V.; FERLIN, E. P.; CUNHA, J. C.; GONÇALVES, M. M. A Integração das Disciplinas na Linha de Hardware no Curso de Engenharia da Computação do UnicenP. In: COBENGE Congresso Brasileiro de Ensino em Engenharia. Anais do COBENGE Congresso Brasileiro de Ensino em Engenharia. Rio de Janeiro, PILLA JR, V.; FERLIN, E., P.; CUNHA, J. C.; GONÇALVES, M. M. A integração de disciplinas na Linha de Hardware no Curso de Engenharia da Computação do UnicenP. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO EM ENGENHARIA. Anais do COBENGE Congresso Brasileiro de Ensino em Engenharia. Rio de Janeiro, 14 a 17 de Setembro de SBEB - Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica. (http://www.sbeb.org.br), 24/11/2003. WEBSTER, J. G. (Ed.), Medical In-strumentation: Application and Design, 3rd edition. New York: John Wiley & Sons, E06-7

8 THE BIOMEDICAL ENGINEERING AND ITS INTERELATIONSHIP WITH THE COMPUTER ENGINEERING Abstract: The computation is present in many areas of the knowledge and one of these areas of application is the biomedical engineering. The Biomedical Engineering has been, in the last 30 years, completely dominated by the research and development areas of new technologies applied to the health and the welfare of the human beings. Two major technological fields stimulated this advance: the electronics and the computation. They are the basis of the Computer Engineering field and have been used jointly to supply many of the technological demands desired by the society as much in the area of the health as in the area of the telecommunications, security, entertainment, etc. In this direction, the Computer Engineering Program comes acting in the area of biomedical engineering, qualifying the future engineers with solid technological base for this development through courses focused in this formation and by means of diverse other initiatives among which we can point out the development of undergraduation projects and projects of research in partnership with medical equipment industry. Key-words: Biomedical Engineering, Computer Engineering, Instrumentation, Diagnostics 1E06-8

TURNO DIURNO X NOTURNO: UM ESTUDO DE CASO NA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

TURNO DIURNO X NOTURNO: UM ESTUDO DE CASO NA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO TURNO DIURNO X NOTURNO: UM ESTUDO DE CASO NA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Edson Pedro Ferlin ferlin@unicenp.br UnicenP Centro Universitário Positivo Coordenador do Curso de Engenharia da Computação Rua Prof.

Leia mais

A INTEGRAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA ATRAVÉS DA COOPERAÇÃO CIENTÍFICA NO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTACAO DO UNICENP

A INTEGRAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA ATRAVÉS DA COOPERAÇÃO CIENTÍFICA NO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTACAO DO UNICENP A INTEGRAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA ATRAVÉS DA COOPERAÇÃO CIENTÍFICA NO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTACAO DO UNICENP José Carlos da Cunha e-mail: cunha@unicenp.br Centro Universitário Positivo UnicenP,

Leia mais

A ANÁLISE DA SEGUNDA AVALIAÇÃO INTEGRADORA DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

A ANÁLISE DA SEGUNDA AVALIAÇÃO INTEGRADORA DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO A ANÁLISE DA SEGUNDA AVALIAÇÃO INTEGRADORA DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Edson Pedro Ferlin ferlin@unicenp.br Centro Universitário Positivo (UnicenP), Curso de Engenharia da Computação Rua Prof.

Leia mais

Engenharia da Computação Universidade Positivo Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 Campo Comprido 81.280-330 - Curitiba PR

Engenharia da Computação Universidade Positivo Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 Campo Comprido 81.280-330 - Curitiba PR A ADOÇÃO DE LINHAS DE PESQUISA COMO DIRECIONADORES DOS TEMAS DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO E DE PESQUISA NO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Edson Pedro Ferlin

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.640, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

Programa do curso: Introdução à Engenharia Biomédica

Programa do curso: Introdução à Engenharia Biomédica 15 aulas: Programa do curso: Introdução à Engenharia Biomédica 12 aulas teóricas/participativas; 1 avaliação individual da teoria; 2 dias seminários: Apr:15 min + 5 min perguntas Avaliação final 1) Prova

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

OS 10 ANOS DE GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA BIOMÉDICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Francisco Nunes Navarro Gabriel Gasparini

OS 10 ANOS DE GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA BIOMÉDICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Francisco Nunes Navarro Gabriel Gasparini OS 10 ANOS DE GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA BIOMÉDICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Francisco Nunes Navarro Gabriel Gasparini Os autores Francisco Nunes Navarro Graduando em Informática Biomédica na Universidade

Leia mais

Prof. Dr. Reinaldo Gonçalves Nogueira Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Diretor

Prof. Dr. Reinaldo Gonçalves Nogueira Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Diretor À PROGRAD: Prof.ª Sandramara Matias Chaves Goiânia, 22 de Novembro de 2013 Em reunião no dia 22 de Novembro de 2013, o Conselho Diretor da EMC, aprovou a alteração do Anexo 1 da Resolução CEPEC 765/2005,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR (Currículo 2006.2) Agosto de 2010 Hodiernamente não mais se concebe que a formação do futuro profissional

Leia mais

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA

SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ CURSO PROFISSIONALIZANTE INFORMÁTICA Documento elaborado no encontro realizado de 10 a 12 de agosto de 2004. Curitiba, PR Perfil do Profissional Ao final de cada

Leia mais

ANEXO I EDITAL DE ABERTURA Nº 076/2015-UFAM

ANEXO I EDITAL DE ABERTURA Nº 076/2015-UFAM Unidade Acadêmica QUADRO II VAGAS PARA O INSTITUTO DE SAÚDE E BIOTECNOLOGIA Área de Vagas Requisito Mínimo Carga Classe/ Nº de Conhecimento para Horária Padrão Vagas negros Comunidade ÁREA I Comunidade

Leia mais

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS O documento que serviu de base para a análise a seguir é o denominado "Diretrizes Curriculares

Leia mais

EXPERIÊNCIA EM ENGENHARIA BIOMÉDICA NO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI

EXPERIÊNCIA EM ENGENHARIA BIOMÉDICA NO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI EXPERIÊNCIA EM ENGENHARIA BIOMÉDICA NO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI Maria Claudia F. de Castro mclaudia@fei.edu.br Centro Universitário da FEI Av. Humberto A. C. Branco, 3972 09850-901 São Bernardo do Campo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE TECNOLOGIA E GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 05, de

Leia mais

Introdução A Engenharia Da Computação

Introdução A Engenharia Da Computação Introdução A Engenharia Da Computação AULA I Slide 1 O Que é Engenharia? [De engenho + -aria.] Substantivo feminino 1.Arte de aplicar conhecimentos científicos e empíricos e certas habilitações específicas

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares

Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares ABEPRO Associação Brasileira de Engenharia de Produção DOCUMENTO NÃO CONCLUÍDO Engenharia de Produção: Grande área e diretrizes curriculares Documento elaborado nas reuniões do grupo de trabalho de graduação

Leia mais

CST EM RADIOLOGIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1

CST EM RADIOLOGIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CST EM RADIOLOGIA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: CST EM RADIOLOGIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

Incentivando a Realização de Projetos de Extensão Universitária Durante as Aulas de Disciplinas Curriculares

Incentivando a Realização de Projetos de Extensão Universitária Durante as Aulas de Disciplinas Curriculares Incentivando a Realização de Projetos de Extensão Universitária Durante as Aulas de Disciplinas Curriculares Adriana Cursino Thomé 1, Marcelo Mikosz Gonçalves 1, Alessandro Zimmer 1 1 Engenharia da Computação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 75/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia de do Centro

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ENGENHARIA ELÉTRICA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Elétrica tem por missão a graduação de Engenheiros Eletricistas com sólida formação técnica que

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

Engenharia Biomédica. Profissão do Presente e do Futuro

Engenharia Biomédica. Profissão do Presente e do Futuro Engenharia Biomédica Profissão do Presente e do Futuro Formada por 7 campi Campus Barueri Campus Santana Campus Monte alegre Campus Ipiranga Campus Sorocaba Campus Marques de Paranaguá O que é engenharia?

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CTS DE REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a história e a evolução

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO A B C Álgebra Linear Álgebra Linear Computacional Álgebra Linear II Algoritmos e Estrutura de Dados I Algoritmos e Estrutura de Dados II Algoritmos em Bioinformática Alteridade e Diversidade no Brasil

Leia mais

Engenharia Eletrônica

Engenharia Eletrônica Engenharia Eletrônica Contribuíram para esta apresentação: Prof. Euler de Vilhena Garcia Prof. Edson Mintsu Hung Prof. Sandro Augusto Pavlik Haddad A PARTIR DA ESTRUTURA DE DESIGN DE INSTRUMENTAÇÃO A PARTIR

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1

Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1 Aprovado no CONGRAD: 10.08.10 Vigência: ingressos a partir de 2011/1 CÓD. 207 - CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Noite - Currículo nº 06 CÓD. 2509 - CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Manhã e Noite - Currículo

Leia mais

Curso: Bacharelado em Informática. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação

Curso: Bacharelado em Informática. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Curso: Bacharelado em Informática Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Informações Básicas do Currículo Duração Ideal 8 semestres Mínima 6 semestres Máxima 14 semestres Carga Horária Aula

Leia mais

OS 10 ANOS DE GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA BIOMÉDICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

OS 10 ANOS DE GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA BIOMÉDICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO OS 10 ANOS DE GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA BIOMÉDICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Navarro F. N. Graduando em Informática Biomédica na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto & na Faculdade

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO SUPERIOR E NA PÓS- GRADUAÇÃO.

FORMAÇÃO DE PROFESSORES E A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO SUPERIOR E NA PÓS- GRADUAÇÃO. FORMAÇÃO DE PROFESSORES E A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO SUPERIOR E NA PÓS- GRADUAÇÃO. Vilma M. Marcassa Barra NIMAD/ UFPR O conceito de Educação Ambiental mais aceito hoje em dia estabelece que esta é

Leia mais

O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA SISTEMAS DIGITAIS NO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA SISTEMAS DIGITAIS NO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO O PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA SISTEMAS DIGITAIS NO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Valfredo Pilla Jr vpilla@up.edu.br Universidade Positivo, Curso de Engenharia da Computação Rua Pedro

Leia mais

Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional - NOVO

Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional - NOVO Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica

Leia mais

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81

Departamento de Enfermagem Básica (1 vaga) Processo nº 23071.004115/2009-81 Períodos de inscrições: no sítio http://www.concurso.ufjf.br a) Primeiro período: das 09h do dia 11/05/2009 até as 14h do dia 29/05/2009; b) Segundo período: das 09h do dia 22/06/2009 até as 14h do dia

Leia mais

Onde os Biomédicos atuam?

Onde os Biomédicos atuam? Onde os Biomédicos atuam? Os profissionais Biomédicos estão distribuídos por todas as esferas científicas públicas e privadas das universidades, faculdades, centros universitários, institutos de pesquisas,

Leia mais

Entre os elementos desejados no perfil dos egressos podem ser citados:

Entre os elementos desejados no perfil dos egressos podem ser citados: COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Apesar do foco do curso de Engenharia de Computação da UCDB está na área de software, o profissional formado pelo curso de Engenharia da Computação deve adquirir as seguintes

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo desde a

Leia mais

TNR.ADRIANO LIMA E SILVA

TNR.ADRIANO LIMA E SILVA TNR.ADRIANO LIMA E SILVA HISTÓRICO CRIAÇÃO DA PROFISSÃO Lei n.º 7.394/85 REGULAMENTAÇÃO Decreto n.º 92.790/86 HISTÓRICO ATÉ 1990 PRATICAMENTE INEXISTIAM ESCOLAS NO PAÍS 1 Escola Técnica no RS 1991 inicio

Leia mais

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de RESOLUÇÃO Nº 014/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Informática, da Escola Superior de Tecnologia, da Universidade do Estado do Amazonas. O REITOR, EM EXERCÍCIO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

HORÁRIO DE PROVAS 2º semestre 2013

HORÁRIO DE PROVAS 2º semestre 2013 1º PERÍODO 1ª Bimestrais 11/09 Cálculo Diferencial e Integral I 27/09 Física Experimental I 30/09 Física Geral I 2ª Bimestrais 23/10 Cálculo Diferencial e Integral I 25/10 Física Experimental I 31/10 Física

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO. COORDENADORA Iris Fabiana de Barcelos Tronto irisbarcelos@ufv.br

SISTEMA DE INFORMAÇÃO. COORDENADORA Iris Fabiana de Barcelos Tronto irisbarcelos@ufv.br SISTEMA DE INFORMAÇÃO COORDENADORA Iris Fabiana de Barcelos Tronto irisbarcelos@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2010 89 Bacharelado ATUAÇÃO Sistemas de Informação é um curso da área de Informática voltado

Leia mais

DESEMPENHO DOS ALUNOS DA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO: TURNO DIURNO X NOTURNO

DESEMPENHO DOS ALUNOS DA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO: TURNO DIURNO X NOTURNO DESEMPENHO DOS ALUNOS DA ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO: TURNO DIURNO X NOTURNO Edson Pedro Ferlin 1 Marcos José Tozzi 2 RESUMO Este artigo tem por finalidade analisar as diferenças de rendimento entre os alunos

Leia mais

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição 01. GRANDE ÁREA: CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E NATURAIS 2. Área - Probabilidade Probabilidade Aplicada (aspectos 3. Área - Estatística Fundamentos da Estatística (aspectos Modelagem Estatística Teoria da Amostragem

Leia mais

Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA. joseana@computacao.ufcg.edu.br

Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA. joseana@computacao.ufcg.edu.br Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Introdução APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Semestre 1 Semestre 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ingressantes 2008 Cálculo I 40 Cálculo II 40 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos I 80 Princípios Desenvolvimento de Algoritmos II 80 Matemática 40 Lógica Matemática 40 Probabilidade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DO TÓRAX 1. Nome do Curso e Área de Conhecimento: Curso de Especialização em Diagnóstico por Imagem do Tórax 4.01.00.00-6

Leia mais

Grade Curricular - Engenharia de Computação

Grade Curricular - Engenharia de Computação Grade Curricular - Engenharia de Computação SEMESTRE 1 - Obrigatórias FCM0101 Física I 6 0 6 FFI0180 Laboratório de Física Geral I 2 0 2 SAP0678 Desenho 2 0 2 SAP0679 Humanidades e Ciências Sociais 2 0

Leia mais

Resolução CFBM Nº 234 DE 05/12/2013

Resolução CFBM Nº 234 DE 05/12/2013 Resolução CFBM Nº 234 DE 05/12/2013 Publicado no DO em 19 dez 2013 Dispõe sobre as atribuições do biomédico habilitado na área de imagenologia, radiologia, biofísica, instrumentação médica que compõe o

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral Curso: ENGENHARIA ELÉTRICA SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar engenheiros com sólidos e atualizados conhecimentos científicos

Leia mais

Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são

Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são Há momentos na vida em que os segundos parecem horas, principalmente quando o assunto é saúde. Por isso seriedade, qualidade e agilidade são fundamentais no processo de um laboratório, levando até cada

Leia mais

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games 4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games Este Capítulo apresenta o levantamento realizado dos cursos de nível superior no Brasil voltados para a formação de Designers de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 50/2014-CONSUNIV Aprova ad referendum a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia de, Bacharelado, de oferta regular

Leia mais

PROCESSO N.º 686/04 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05

PROCESSO N.º 686/04 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05 CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR INTERESSADA: FACULDADE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA E FISIOTERAPIA DE JACAREZINHO - FAEFIJA MUNICÍPIO: JACAREZINHO

Leia mais

ANÁLISE DE DIFERENTES MODELOS DE ATRIBUIÇÃO DE NOTAS DA AVALIAÇÃO INTEGRADORA (AVIN) DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO UNICENP

ANÁLISE DE DIFERENTES MODELOS DE ATRIBUIÇÃO DE NOTAS DA AVALIAÇÃO INTEGRADORA (AVIN) DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO UNICENP ANÁLISE DE DIFERENTES MODELOS DE ATRIBUIÇÃO DE NOTAS DA AVALIAÇÃO INTEGRADORA (AVIN) DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO UNICENP Flavia Viviani Tormena ftormena@unicenp.edu.br Júlio Gomes jgomes@unicenp.edu.br

Leia mais

ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS

ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS ADRIANY DA S. CARVALHO * EDUILSON LÍVIO NEVES DA C. CARNEIRO ** Resumo. O presente trabalho se propõe, através de uma revisão

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

Nova Oportunidade para a Indústria e o Empreendedorismo com a Engenharia Biomédica

Nova Oportunidade para a Indústria e o Empreendedorismo com a Engenharia Biomédica Nova Oportunidade para a Indústria e o Empreendedorismo com a Engenharia Biomédica A. Arnóbio S. da Gama 1 Resumo Existem cerca de 2.000 estabelecimentos de saúde em Pernambuco, quase 300 são hospitais.

Leia mais

Conhecimento e Compreensão do Tema Produção Mais Limpa em Cursos de Especialização: Um Estudo de Caso

Conhecimento e Compreensão do Tema Produção Mais Limpa em Cursos de Especialização: Um Estudo de Caso Conhecimento e Compreensão do Tema Produção Mais Limpa em Cursos de Especialização: Um Estudo de Caso FRANKENBERG, C. L. C. a*, CANTELLI, M. a, DE OLIVEIRA, P. G. b a. Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO CES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia RELATOR(A):

Leia mais

ANEXO I GRUPAMENTO DE GESTÃO TOTAL 07 07 00. 01 01 00 02 40h 7.010,96 7.010,96. 01 01 00 02 40h. 01 01 00 02 40h 7.010,96

ANEXO I GRUPAMENTO DE GESTÃO TOTAL 07 07 00. 01 01 00 02 40h 7.010,96 7.010,96. 01 01 00 02 40h. 01 01 00 02 40h 7.010,96 ANEXO I EDITAL N o 01/2014 ISGH/HMSC Seleção Pública de Provas e Títulos para provimento de cargos do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar/Hospital e Maternidade do Sertão Central QUADRO DE CARGOS, HABILITAÇÃO

Leia mais

Monitor Cardíaco. Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Departamento de Eletrônica e Computação

Monitor Cardíaco. Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Departamento de Eletrônica e Computação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Departamento de Eletrônica e Computação Monitor Cardíaco Proposta de Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Giovani Baratto Santa Maria Agosto de

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Introdução à Engenharia de Controle e Automação Introdução à Engenharia de Controle e Automação O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA FACIT Renato Dourado Maia Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros Fundação Educacional Montes

Leia mais

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru

O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru O Curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia /Unesp/Bauru Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular Missão do Curso de Engenharia Elétrica da FE/Unesp/Bauru A formação continuada de Engenheiros

Leia mais

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM ANESTESIOLOGIA

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM ANESTESIOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM ANESTESIOLOGIA 1- IDENTIFICAÇÃO 1.1- Hospital: Rubens de Souza Bento Hospital Geral de Roraima. 1.2- Entidade Mantenedora: Secretaria Estadual de Saúde/SESAU-RR 1.3- Curso:

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br

Departamento de Engenharia Civil Caixa Postal 476 - CEP:88010/970 - Florianópolis, SC {lia, lapolli, franzoni}@ecv.ufsc.br O Ensino de Sensoriamento Remoto, Sistema de Informações Geográficas e Fotogramentria nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Engenharia Civil na UFSC LIA CAETANO BASTOS 1 ÉDIS MAFRA LAPOLLI 1 ANA MARIA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CENTRO DE PESQUISA CLÍNICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

REGIMENTO INTERNO CENTRO DE PESQUISA CLÍNICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS REGIMENTO INTERNO CENTRO DE PESQUISA CLÍNICA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS CAPÍTULO I DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Artigo 1º - O Centro de Pesquisas Clínicas (CPC)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 1, de 1 de março de

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 95/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

Respeito ao meio ambiente, colocando o conhecimento científico adquirido a serviço da sociedade e permitindo o desenvolvimento sustentável.

Respeito ao meio ambiente, colocando o conhecimento científico adquirido a serviço da sociedade e permitindo o desenvolvimento sustentável. Coordenação do Curso de Engenharia Química da UFPR (CCEQ) Planejamento Estratégico 2012-2017 Apresentação: O curso de Engenharia Química da UFPR foi criado em 1954 pelo Decreto-Lei nº 6.489, assim completará

Leia mais

ANEXO III. Domínios e áreas científicas

ANEXO III. Domínios e áreas científicas ANEXO III Domínios e áreas científicas Ciências da Vida e da Saúde Neurociências - Molecular e Celular Neurociências, Envelhecimento e Doenças Degenerativas Imunologia e Infeção Diagnóstico, Terapêutica

Leia mais

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Radioproteção em Dosimetria IRD/CNEN Quem é o (sico médico?

Leia mais

PROPOSTA DE PLATAFORMA DIDÁTICA PARA ENSINO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA EM CURSOS DE ENGENHARIA ELÉTRICA: IV. TUTORIAL SOBRE ELETROCARDIOGRAFIA

PROPOSTA DE PLATAFORMA DIDÁTICA PARA ENSINO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA EM CURSOS DE ENGENHARIA ELÉTRICA: IV. TUTORIAL SOBRE ELETROCARDIOGRAFIA PROPOSTA DE PLATAFORMA DIDÁTICA PARA ENSINO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA EM CURSOS DE ENGENHARIA ELÉTRICA: IV. TUTORIAL SOBRE ELETROCARDIOGRAFIA Paulo R. C. Possa - possa@ieb.ufsc.br Juliano E. Rathke - rathke@ieb.ufsc.br

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Saint Pastous Curso Superior de Tecnologia em Radiologia Médica

Faculdade de Tecnologia Saint Pastous Curso Superior de Tecnologia em Radiologia Médica Faculdade de Tecnologia Saint Pastous Curso Superior de Tecnologia em Radiologia Médica Parecer de Aprovação MEC n 3.607, de 3 de dezembro de 2003 -D.O.U 4/12/2003 Diretora da Faculdade: Profª Vera Lucia

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

MONITORAMENTO DO CURSO DE CÁLCULO ZERO" MINISTRADO AOS RECÉM-INGRESSOS NA FACULDADE ENGENHARIA CIVIL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

MONITORAMENTO DO CURSO DE CÁLCULO ZERO MINISTRADO AOS RECÉM-INGRESSOS NA FACULDADE ENGENHARIA CIVIL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ MONITORAMENTO DO CURSO DE CÁLCULO ZERO" MINISTRADO AOS RECÉM-INGRESSOS NA FACULDADE ENGENHARIA CIVIL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ Felipe Ramos de Oliveira epiliferamosoliveira@gmail.com Universidade

Leia mais

GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA APLICADA. fgv.br/vestibular

GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA APLICADA. fgv.br/vestibular GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA APLICADA fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

Profº. Emerson Siraqui

Profº. Emerson Siraqui RADIOLOGIA DIGITAL Profº. Emerson Siraqui Nome: Emerson Siraqui Formação Acadêmica: Graduação: Tecnólogo em Radiologia Médica-FASM Especialização: APRESENTAÇÃO Operacionalidade e Capacitação em aparelhos

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Resolução 012/2010 da Pró-Reitoria de Graduação CAPÍTULO I - DO CONCEITO Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

AS GRADUAÇÕES EM ENGENHARIA E EM TECNOLOGIA NOS DEPARTAMENTOS DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO

AS GRADUAÇÕES EM ENGENHARIA E EM TECNOLOGIA NOS DEPARTAMENTOS DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. ISBN 85-7515-371-4 AS GRADUAÇÕES EM ENGENHARIA E EM TECNOLOGIA NOS DEPARTAMENTOS DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE GAMA

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO A disciplina aborda o estudo da área de Informática como um todo, e dos conceitos fundamentais,

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR ESTRUTURA CURRICULAR O currículo proposto busca atender além do perfil do formando, também competências e habilidades necessárias ao profissional para garantir uma boa formação tanto teórica quanto prática

Leia mais

I. DO PROCESSO SELETIVO 1.1. O processo seletivo docente será composto de três etapas: homologação da inscrição, prova didática e entrevista.

I. DO PROCESSO SELETIVO 1.1. O processo seletivo docente será composto de três etapas: homologação da inscrição, prova didática e entrevista. Rua do Salete, 50, Barris - Salvador - Bahia. Tel: (71) 2108-8562 / 2108-8503 home page: www.cairu.br - E-mail: presidencia@fvc.br E D I T A L A FVC - Fundação Visconde de Cairu, informa a abertura das

Leia mais

PROCESSO N 988/2006 PROTOCOLO N.º 9.041.582-4 PARECER N.º 652/06 APROVADO EM 08/12/06 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ALVO

PROCESSO N 988/2006 PROTOCOLO N.º 9.041.582-4 PARECER N.º 652/06 APROVADO EM 08/12/06 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ALVO PROTOCOLO N.º 9.041.582-4 PARECER N.º 652/06 APROVADO EM 08/12/06 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ALVO MUNICÍPIO: APUCARANA ASSUNTO: Renovação do Reconhecimento do Curso

Leia mais

CONHECIMENTO TÉCNICO DO PROFISSIONAL EM INFORMÁTICA NA CIDADE DE SÃO PAULO

CONHECIMENTO TÉCNICO DO PROFISSIONAL EM INFORMÁTICA NA CIDADE DE SÃO PAULO Gestão da Organização Organizacional e Tecnológica GOOT CONHECIMENTO TÉCNICO DO PROFISSIONAL EM INFORMÁTICA NA CIDADE DE SÃO PAULO CESAR BASTA Livre-Docência e Doutorado em Ciências UNESP; Mestrado em

Leia mais

VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA

VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA PIBIC-UFU, CNPq & FAPEMIG Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA Gabriel Jara

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS PROJETO PEDAGÓGICO CAMPO LIMPO PAULISTA 2013 CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS A língua brasileira de sinais

Leia mais

EVENTOS NA ÁREA DA SAÚDE: A importância da realização de eventos científicos para a atualização da classe médica.

EVENTOS NA ÁREA DA SAÚDE: A importância da realização de eventos científicos para a atualização da classe médica. EVENTOS NA ÁREA DA SAÚDE: A importância da realização de eventos científicos para a atualização da classe médica. Manuella Borges Silveira¹ Orientador: Jonice Strozzi de Oliveira² Resumo O presente artigo

Leia mais

Bacharelado em Medicina Veterinária

Bacharelado em Medicina Veterinária Bacharelado em Medicina Veterinária INFORMAÇÕES Duração do Curso: 05 anos (10 semestres) Horário: Manhã Número de Vagas: 100 anuais Coordenador: Profº Dr. Carlos Tadeu Bandeira de Lavor O CURSO O Curso

Leia mais

CURSO: MEDICINA 1º PERÍODO Nº DE AULAS SEMANAIS AULAS. Anatomia Sistêmica e Aplicada I 04 06 200 166. Histologia 03 03 120 100

CURSO: MEDICINA 1º PERÍODO Nº DE AULAS SEMANAIS AULAS. Anatomia Sistêmica e Aplicada I 04 06 200 166. Histologia 03 03 120 100 CURSO: MEDICINA 1º PERÍODO Anatomia Sistêmica e Aplicada I 04 06 200 166 Histologia 03 03 120 100 Biologia Celular 03-60 50 Bioquímica Celular 04-80 66 Embriologia Aplicada 01 02 60 50 Iniciação á Prática

Leia mais

SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO A coordenadora do curso de Medicina, Profa. Alessandra Duarte Clarizia, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria de Graduação do

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV Fixa o currículo do Curso de Graduação em Medicina, na modalidade Bacharelado, da Universidade do Estado do Amazonas. A REITORA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE

Leia mais