2- Cadeia Produtiva do Frango de corte no Brasil e na Bahia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2- Cadeia Produtiva do Frango de corte no Brasil e na Bahia"

Transcrição

1 ANÁLISE COMPARATIVA DA CADEIA PRODUTIVA DO FRANGO DE CORTE DA BAHIA *Méd.Vet.Guilherme Augusto Vieira 1 1- Introdução O principal objetivo deste artigo é analisar a estrutura da cadeia produtiva do frango de corte do Estado da Bahia. Para isto, é necessário considerar as particularidades que a cadeia apresenta, suas inter-relações com os aspectos regionais, sociais e econômicos que reflete diretamente na composição e competitividade do setor no Estado. De acordo com Zanata et al (2002), desenvolver uma análise sobre a competitividade de uma cadeia agroindustrial requer uma abordagem sistêmica que considere ao mesmo tempo os aspectos específicos dos agentes e suas inter-relações em níveis organizacionais e tecnológicos. Sendo assim, o artigo procurou evidenciar os principais aspectos e as especificidades da cadeia do frango na Bahia, além de compará-la com a cadeia produtiva de outro estado. 2- Cadeia Produtiva do Frango de corte no Brasil e na Bahia De acordo com Martinelli e Souza (2005), A avicultura industrial brasileira notabilizou-se por profundas mudanças nos últimos anos. O bom desempenho nos mercados (interno e externo) enfatiza os autores, pôde ser alcançado por meio de duas estratégias: a redução do 1 Médico Veterinário,MSc professor dos Cursos de Administração em Agronegócios da Faculdade Visconde Cairú e do Curso de Medicina Veterinária da UNIME em Salvador Bahia.Secretário Executivo da ABA;

2 custo das matérias-primas e o atendimento das necessidades específicas dos consumidores (em ambos os mercados). O sistema de integração promovido pela agroindústria pode ser considerado um dos grandes fatores de sucesso da avicultura nacional. O modelo concilia a eficiência de milhares de pequenos avicultores e a enorme capacidade de produção em escala e distribuição das empresas processadoras de carne. As atividades são divididas de maneira que os avicultores canalizem esforços somente para a produção, mais especificamente a criação (SOUZA,2004); MARTINELLI E SOUZA,2004). O grau de articulação entre os diferentes elos do complexo agroindustrial avícola de corte é um dos mais elevados no agro-negócio nacional, tendo como fatores impulsionadores do processo a criação intensiva, (passando a absorver inovações nas fases de criação e engorda), avanços ocorridos na sanidade e nutrição, fluxos contínuos de produção, transportes. Possui um sistema de coordenação vertical representados pelos integrados e outros fatores (MARTINELLI E SOUZA, 2004).. Conforme o relatório da UBA ( ) O Brasil é o maior exportador de frangos do mundo. Em 2009, a avicultura brasileira produziu 11,5 milhões de toneladas de carne de frango, 350 mil toneladas de carne de peru e 24,6 bilhões de unidades de ovos, além de carnes e produtos de outras espécies avícolas. Foram exportados 3,9 milhões de toneladas de carne de frango para 142 países, um aumento. A receita de exportação alcançou US$ 5,6 bilhões, correspondendo a um crescimento de 44% na mesma comparação. O país detém 42,8% do mercado mundial de carne de frango (UBA 2005/6). Na Bahia, segundo dados da ABA (2009) há um alojamento de aproximadamente de pintos por mês, com uma produção anual de 100 milhões de aves totalizando uma produção de 230 mil toneladas de carne de frango. No ano de 2009 a Bahia representou aproximadamente 2 % da produção nacional de carne de frango(uba 2005/6).

3 Observa-se que a participação da produção de frangos da Bahia em relação ao cenário nacional ainda é pequena. Entretanto é a segunda maior do Nordeste, produzindo no ano de milhões de frangos ( 2,01 % da produção nacional), com aproximadamente 230 milhões de toneladas de carne produzidas, sendo que 75% é de produção integrada (SIE, SIF)e 25% oriunda de produção independente ( ABA,2009). Segundo o relatório BahiaInvest(2006), a atividade avícola representa 2,3% entre as atividades agropecuárias no estado da Bahia. Quatro grandes grupos respondem por cerca de 80% do mercado baiano de aves: Perdigão, Avigro, Gujão e Capebi (BahiaInvest, 2006). Há também outros abatedouros com capacidade de abate entre e frangos/dia como a Avinor (Vitória da Conquista), Avigran( Santo Antônio de Jesus), Chico do Galeto ( Valença). Recentemente, foram implantados dois grandes projetos de integração na Região oeste da Bahia, aproveitando o grande potencial produtivo de grãos. As empresas Mauricéia e Frango de Ouro pretendem até o final de 2009 abater frangos/dia, com a introdução de 200 integrados em seus projetos produtivos. Estes projetos darão um grande impacto na estrutura produtiva da Bahia. A Perdigão, principal indústria avícola do Estado, abate frangos por dia, contando com cerca de 800 integrados. A Gujão, segunda maior indústria, abate cerca de frangos/dia, sendo que ainda comercializa um volume de frangos vivos, contando com 300 integrados. Em terceiro vem a Avigro com abate de 50 mil aves/dia e produção anual de 21 mil toneladas enquanto o grupo Capebi que trabalha apenas com frangos vivos, com produção de cerca de 10 mil toneladas/ano (BAHIAINVEST 2010). 3. Aspectos da cadeia produtiva do frango de corte na Bahia A atividade de avicultura de corte no estado da Bahia concentra-se na região do Recôncavo Sul, sendo que 05 municípios destacam-se na atividade: Conceição de Feira, São Gonçalo dos Campos (região do Paraguaçú), Cachoeira, Muritiba e Cruz das Almas (região do

4 Recôncavo Sul). A região fica próxima do município de Feira de Santana (região do Paraguaçú), que por sua proximidade exerce influências socioeconômicas nos demais municípios em foco por concentrar empresas de produção especializada, empresas fornecedoras, empresas prestadoras de serviço, instituições de ensino e instituições públicas e privadas de suporte fundamental para a atividade avícola (SOUZA, 2004). De acordo com o autor, a estrutura fundiária da região é caracterizada por pequenas propriedades sendo que 79,2% das propriedades rurais têm menos de 10 hectares, o que facilita o desenvolvimento da atividade. Na região produtora de frango de corte na Bahia, existem dois sistemas de produção: O sistema integrado e o sistema independente. O sistema de integração é realizado pelos grandes grupos responsáveis pela maior parte do abate no estado, sendo também estimulado por pequenos grupos em crescimento (SOUZA, 2004). No Brasil, segundo Martinelli e Souza (2005), a predominância no Brasil é o sistema de produção integrada. Segundo relatos da Associação Baiana de Avicultura (2005), a produção de frangos de corte na Bahia não apresenta discrepâncias em relação as demais regiões produtoras do Brasil no que se refere à sanidade, conversão alimentar, produtividade e demais aspectos produtivos e econômicos, destacando o grande fluxo de movimentações de produtos acabados, insumos, maquinários, qualidade e segurança alimentar. Souza (2004), considera o aspecto produtivo regional do Recôncavo Sul como um avanço para o que se denomina um Cluster regional, onde todas as atividades produtivas da região gira em torno da atividade : avicultura de corte.

5 4. Aspectos comparativos da cadeia produtiva de frango de corte da Bahia De acordo com Batalha (2000) e Souza (2004), o desenho de uma cadeia produtiva evidencia as inter-relações entre os vários segmentos e as diversas fases por que passa o produto, iniciando nos insumos até ao consumidor final. Analisando a cadeia produtiva do frango de corte na região do Rio Grande do Sul, precisamente da região produtora da serra gaúcha, observam-se vários segmentos que a compõe. A figura 1 mostra a estrutura da cadeia produtiva do RS.

6 Figura 1. Cadeia Produtiva do Frango no RS Serra Gaúcha Adaptado por Triches et al ( 2004). A figura 1 permite visualizar a cadeia produtiva da carne de frango da Serra Gaúcha. Observa-se que o segmento principal é constituído inicialmente pelos elos de criação de linhagens, de avozeiro e de matrizeiro. Enquanto que a segunda parte da cadeia agrupa os aviários (propriedades rurais),o setor responsável pela elaboração e fornecimento de rações e as empresas frigoríficas ou a agroindústria. Observa-se ainda a existência de um segmento auxiliar da cadeia que tem a função de fornecer os insumos e demais necessidades à cadeia principal, como pesquisa e desenvolvimento genético, medicamentos, fabrica de rações premix, equipamentos e produção de soja, milho e derivados. A coordenação central ou controle de toda a cadeia fica a cargo da agroindústria (TRICHES et al, 2004).

7 Já na Bahia, a cadeia produtiva de frango de corte apresenta algumas peculiaridades, conforme demonstra a figura 2 Figura 2 Cadeia Produtiva Frango de Corte - Bahia Adaptado por Souza (2004) Analisando a figura 2, evidenciam-se praticamente os mesmos segmentos presentes tanto na cadeia gaúcha quanto na cadeia baiana. O fator diferenciador presente na estrutura baiana é a presença dos criadores de frango que além de comercializar seus produtos para

8 os frigoríficos ou participar de programas de integração, destinam parte de sua produção (frangos vivos) aos abatedouros (avícolas e pequenos abatedouros) mostrado no item 1. De acordo com Souza (2004), do total de frangos comercializados no Estado da Bahia, 25% é comercializado vivo e 75% é de forma industrializada apresentando uma forte tendência de aumento de consumo desta última modalidade, provavelmente motivada pelo incremento de novos empreendimentos avícolas e mudanças de hábitos do consumidor baiano. Conforme a Associação Baiana de Avicultores, a comercialização de frangos vivos apresenta uma importância econômica e social significativa no mercado baiano, movimentando todos os elos da cadeia produtiva. Estima-se que a atividade movimenta cerca de aves / ano que se destinam os distribuidores e pequenos abatedouros de bairro, situados em municípios espalhados por todo o estado, com um número de aproximadamente 800 estabelecimentos, números que evidenciam a sua importância econômica e social. A atividade emprega boa parte de colaboradores que trabalham na atividade avícola do estado, estimado em pessoas (empregos diretos e indiretos presentes em todos os elos). 5 - Considerações Finais Conforme demonstrado a cadeia produtiva da avicultura de corte apresenta peculiaridades em relação a outros estados, como a comercialização de frangos vivos destinados a pequenos abatedouros e avícolas, setor da atividade que tem uma importância significativa no segmento, no que tange os aspectos sociais, econômicos e regionais. Em comparação a grande parte do Brasil, em que há predominância de uma produção integrada entre os avicultores de corte, o Estado da Bahia apresenta dois tipos de produção integrada e independente o que se evidencia um desenho diferenciado em sua cadeia, embora tenha 75% de sua produção industrializada. Quanto ao aspecto da comercialização

9 do frango vivo, considera-se um forte apelo regional e cultural quanto aos hábitos de consumo por parte da população. 6 - Referências ABA, Associação Baiana de Avicultura, Relatórios Estatísticos, Conceição de Feira, 2009; APINCO, Relatório Anual, São Paulo, 2006; BAHIAINVEST. Avicultura. Disponível em: <http://www.bahiainvest.com.br>. Acesso em: Julho, 2006; BATALHA, M.O.(Org.)- Gestão Agroindustrial, Editora:Atlas, 2000 MARTINELLI, O.;SOUZA,J.M. Relatório Setorial : Carne de Frango, BNDES:RJ, Agosto de 2005; SOUZA, W.A.- Competitividade da Cadeia Agroindustrial do Frango de Corte do Recôncavo Sul da Bahia, Revista Bahia Análise & Dados, V.13,n4,p , Março de 2005; TRICHES, D. et Al, A Cadeia Produtiva da Carne de Frango da Região da Serra Gaúcha: Uma Análise da Estrutura de Produção e Mercado, disponível em : <http//:www.hermes.ucs.br/ccea/ipês>; UBA, União Brasileira de Avicultura, Relatório Anual 2009/2010, Brasil, ZANATTA, A.F. et, Al,- Análise da cadeia agroindustrial de carne de frango de corte no Estado do Paraná.Curitiba:IPARDES,2002,230p.

Guilherme Augusto Vieira,MV,MSc

Guilherme Augusto Vieira,MV,MSc Guilherme Augusto Vieira,MV,MSc Doutorando História das Ciências UFBA,UEFS ABA QUALYAGRO PEC NORDESTE 2013 Guilherme Augusto Vieira gavet@uol.com.br Agronegócio Contexto Pessoal Início trabalhos com Agronegócio

Leia mais

Sistema de integração na avicultura de corte: um estudo de caso na região de Viçosa MG

Sistema de integração na avicultura de corte: um estudo de caso na região de Viçosa MG SISTEMA DE INTEGRAÇÃO NA AVICULTURA DE CORTE: UM ESTUDO DE CASO NA REGIÃO DE VIÇOSA MG ANA PAULA WENDLING GOMES; ADRIANO PROVEZANO GOMES; UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA VIÇOSA - MG - BRASIL apgomes@ufv.br

Leia mais

Levantamentos do custo de produção da avicultura e suas repercussões

Levantamentos do custo de produção da avicultura e suas repercussões Levantamentos do custo de produção da avicultura e suas repercussões Celso F. D. Doliveira Médico Veterinário DTE - FAEP Brasília - 2012 1 "QUEM NÃO SABE QUANTO GASTA, NÃO SABE QUANTO GANHA" 2 Parceria

Leia mais

ASPECTOS DA MENSURAÇÃO CONTÁBIL NA AVICULTURA NO SISTEMA DE PARCERIA

ASPECTOS DA MENSURAÇÃO CONTÁBIL NA AVICULTURA NO SISTEMA DE PARCERIA ASPECTOS DA MENSURAÇÃO CONTÁBIL NA AVICULTURA NO SISTEMA DE PARCERIA AUTORA JOSIANE BRIGHENTI Universidade Comunitária da Região de Chapecó ANTONIO ZANIN Universidade Comunitária da Região de Chapecó VILMAR

Leia mais

XIII SIMPEP Bauru, SP, Brasil, 6 a 8 de Novembro de 2006

XIII SIMPEP Bauru, SP, Brasil, 6 a 8 de Novembro de 2006 A gestão logística integrada ao sistema de planejamento e controle da produção (PCP) na cadeia de carne de frango, na empresas A e B, na região noroeste do paraná Flávia Morini Garcia (UEM) flavia.morini@polinutri.com.br

Leia mais

fls. 776 Se impresso, para conferncia acesse o site http://esaj.tjsc.jus.br/esaj, informe o processo 0300287-79.2015.8.24.0175 e o cdigo 353F682.

fls. 776 Se impresso, para conferncia acesse o site http://esaj.tjsc.jus.br/esaj, informe o processo 0300287-79.2015.8.24.0175 e o cdigo 353F682. fls. 776 fls. 777 fls. 778 fls. 779 fls. 780 fls. 781 fls. 782 fls. 783 1/107 LAUDODEAVALIAÇÃO ECONÔMICA fls. 784 2/107 Códigodoimóvel NomedoImóvel Endereço Bairro Cidade UF Proprietário Documento RegistrodeImóveis

Leia mais

A cadeia de carne de frango: uma análise dos mercados brasileiro e mundial de 2002 a 2010

A cadeia de carne de frango: uma análise dos mercados brasileiro e mundial de 2002 a 2010 IPES Texto para Discussão Publicação do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais A cadeia de carne de frango: uma análise dos mercados brasileiro e mundial de 2002 a 2010 Márcia Voilà CECI/UCS Divanildo

Leia mais

UniSoma Computação Ltda

UniSoma Computação Ltda Projeto Frango Ótimo Este projeto envolveu, no período de novembro de 2003 a dezembro de 2004, a implantação de Módulos do Sistema PIPA nos vários frigoríficos de abate de frangos da Perdigão S.A. Descrição

Leia mais

CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS PARANÁ

CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS PARANÁ CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS PARANÁ Curitiba, 2007 ÍNDICE CUSTO DE PRODUÇÃO DE FRANGO DE CORTE... 1 I CARACTERÍSTICAS DA PROPRIEDADE... 1 II CARACTERÍSTICAS DA EXPLORAÇÃO... 1 III CONSTRUÇÕES...

Leia mais

negócios agroindustriais

negócios agroindustriais graduação administração linha de formação específica negócios agroindustriais Características gerais A Linha de Formação Específica de Negócios Agroindustriais da Univates visa ao desenvolvimento de competências

Leia mais

Desenvolvimento Rural e Cadeias Produtivas

Desenvolvimento Rural e Cadeias Produtivas Desenvolvimento Rural e Cadeias Produtivas Larissa Bueno Ambrosini Carlos Alberto Oliveira de Oliveira Pesquisadores Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária Porto Alegre, 21 de novembro de 2012. O debate

Leia mais

Mercado futuro para segurar preço. Óleo diesel expõe custo de produção

Mercado futuro para segurar preço. Óleo diesel expõe custo de produção RUMOS DA SAFRA Mercado futuro para segurar preço Ainda pouco explorado pelo produtor, o mercado futuro se transforma num mecanismo cada vez mais interessante na comercialização da safra. Esse instrumento,

Leia mais

SUSTENTABILIDADE TECNOLÓGICA EM CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA DE CORTE, ATRAVÉS DA TECNOLOGIA RFID. Resumo

SUSTENTABILIDADE TECNOLÓGICA EM CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA DE CORTE, ATRAVÉS DA TECNOLOGIA RFID. Resumo SUSTENTABILIDADE TECNOLÓGICA EM CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA DE CORTE, ATRAVÉS DA TECNOLOGIA RFID Área de Temática: Tecnologia e Produção Regina Barwaldt¹ Diana Francisca Adamatti; Felipe Bittencourt; Gilberto

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DA AVICULTURA DE CORTE BRASILEIRA E PERSPECTIVAS FRENTE À INFLUENZA AVIÁRIA

DESENVOLVIMENTO DA AVICULTURA DE CORTE BRASILEIRA E PERSPECTIVAS FRENTE À INFLUENZA AVIÁRIA DESENVOLVIMENTO DA AVICULTURA DE CORTE BRASILEIRA E PERSPECTIVAS FRENTE À INFLUENZA AVIÁRIA Desenvolvimento da avicultura de corte brasileira... 79 Brazilian broiler market development: trends and perspectives

Leia mais

Serviço Público Federal Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Pró-Reitoria de Ensino

Serviço Público Federal Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense Pró-Reitoria de Ensino DISCIPLINA: Consórcios Zoofrutícola (Aves e Apicultura) Vigência: a partir de 2011/2 Período Letivo: 1º ano Carga horária Total: 60 h Código: VG_TEC032 E Ementa: Discussões e análises criteriosas das principais

Leia mais

AGROINDÚSTRIA. Milho BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO E ÁREA PLANTADA

AGROINDÚSTRIA. Milho BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO E ÁREA PLANTADA AGROINDÚSTRIA BNDES FINAME BNDESPAR ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 INTRODUÇÃO Milho O milho é, hoje, a segunda maior cultura no mundo, perdendo apenas para o trigo. A produção do milho

Leia mais

financeira na ovinocultura de corte

financeira na ovinocultura de corte Gestão e análise financeira na ovinocultura de corte Djalma de Freitas Zootecnista Doutor em Produção Animal Diretor Técnico PlanGesPec ProOvinos SENAR/FAMASUL Campo Grande/MS junho/2012 Objetivos Pensar

Leia mais

Município: CEP: UF: Endereço eletrônico: 4. Atuação do Estabelecimento Área: Atividade: Classificação: Característica Adicional:

Município: CEP: UF: Endereço eletrônico: 4. Atuação do Estabelecimento Área: Atividade: Classificação: Característica Adicional: ANEXO I DO DECRETO Nº 13.064, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2010. FICHA DE CADASTRO DE ESTABELECIMENTOS AVÍCOLAS 1. Dados Gerais do Estabelecimento CNPJ/CPF: Inscrição Estadual ou Cadastro de Produtor: Número do

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002

EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002 EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002 Senhores Acionistas, A conjuntura política nacional continuou gerando turbulências no mercado, aumentando significativamente o risco do

Leia mais

Mitos e Verdades Sobre o Consumo de Carne de Frango e Ovos

Mitos e Verdades Sobre o Consumo de Carne de Frango e Ovos Informativo Técnico N 03/Ano 03 março de 2012 Mitos e Verdades Sobre o Consumo de Carne de Frango e Ovos * Rita Dulac Domingues 1, Gustavo Nogueira Diehl 2 INTRODUÇÃO A avicultura tem se mostrado ser um

Leia mais

APURAÇÃO E CONTROLE DE CUSTOS: UM ESTUDO NO SETOR AVÍCOLA DO MUNICÍPIO DE SÃO BENTO DO UNA PE

APURAÇÃO E CONTROLE DE CUSTOS: UM ESTUDO NO SETOR AVÍCOLA DO MUNICÍPIO DE SÃO BENTO DO UNA PE APURAÇÃO E CONTROLE DE CUSTOS: UM ESTUDO NO SETOR AVÍCOLA DO MUNICÍPIO DE SÃO BENTO DO UNA PE ALEXANDRE BARROS FONSÊCA; REGINALDO JOSÉ CARLINI JUNIOR; ANDRE QUEIROZ DOURADO; FACULDADE BOA VIAGEM (FBV)

Leia mais

A cadeia da carne de frango: tensões, desafios e oportunidades

A cadeia da carne de frango: tensões, desafios e oportunidades Biblioteca Digital A cadeia da carne de frango: tensões, desafios e oportunidades Celso de Jesus Junior Sergio Roberto Lima de Paula Jose Geraldo Pacheco Ormond Natália Mesquita Braga http://www.bndes.gov.br/bibliotecadigital

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

superior aos produtos existentes, cuja performance zootécnica tenha sustentabilidade no longo prazo.

superior aos produtos existentes, cuja performance zootécnica tenha sustentabilidade no longo prazo. DEZEMBRO/2012 Resultados do frango AP91 chamam a atenção no Brasil superior aos produtos existentes, cuja performance zootécnica tenha sustentabilidade no longo prazo. O objetivo foi claro: oferecer um

Leia mais

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio

2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Edição 08 - Janeiro de 2015 2014: Um ano de vitórias para o agronegócio Esta edição do Boletim do Agronegócio Internacional dedica atenção especial à análise do comércio exterior do setor em 2014. A agricultura

Leia mais

The Role of Interfirm Exchange on Performance in the Brazilian Poultry Supply Chain.

The Role of Interfirm Exchange on Performance in the Brazilian Poultry Supply Chain. 21 The Role of Interfirm Exchange on Performance in the Brazilian Poultry Supply Chain. Juliana Matos de Meira Mestre em Contabilidade pela UnB/UFPB/UFPE/UFRN Instituição: Universidade Federal da Paraíba

Leia mais

Palmeiras de Goiás. 13º Lugar. População: 21.199 hab. Área do Município: 1.539,68 km² Localização: Região Oeste Goiano PIB (2005):

Palmeiras de Goiás. 13º Lugar. População: 21.199 hab. Área do Município: 1.539,68 km² Localização: Região Oeste Goiano PIB (2005): Palmeiras de Goiás População: 21.199 hab. Área do Município: 1.539,68 km² Localização: Região Oeste Goiano PIB (2005): R$ 209,1 milhões PIB per capita: R$ 11.260,00 Principais distâncias: Goiânia: 76 km

Leia mais

CENÁRIO DA CADEIA PRODUTIVA DO OVO NO ESTADO DE SÃO PAULO

CENÁRIO DA CADEIA PRODUTIVA DO OVO NO ESTADO DE SÃO PAULO CENÁRIO DA CADEIA PRODUTIVA DO OVO NO ESTADO DE SÃO PAULO sergio kenji Kakimoto (UFSCar ) sergiokakimoto@gmail.com Hildo Meirelles de Souza Filho (UFSCar ) hildo@power.ufscar.br O Brasil é o sétimo maior

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE.

DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE. PRODUTOR RURAL: fale com o gerente do seu banco e saiba como ter acesso aos créditos e benefícios do Plano Agrícola e Pecuário 2014/2015. DO OUTRO, O AGRONEGÓCIO PRODUZ UM PAÍS CADA VEZ MAIS FORTE. Para

Leia mais

SEARA ALIMENTOS S.A. Outubro 2009

SEARA ALIMENTOS S.A. Outubro 2009 SEARA ALIMENTOS S.A. Outubro 2009 HISTÓRICO SEARA ALIMENTOS S.A. HISTÓRIA DA SEARA ALIMENTOS S.A. 1956 Fundação do Frigorífico Seara 1975 Primeira Exportação para o Kuwait (240 tons de frango) 1980 Aquisição

Leia mais

Recebido em: 12/04/2014 Aprovado em: 27/05/2014 Publicado em: 01/07/2014

Recebido em: 12/04/2014 Aprovado em: 27/05/2014 Publicado em: 01/07/2014 EVOLUÇÃO DA AVICULTURA DE CORTE NO BRASIL Wesley Osvaldo Pradella Rodrigues 1, Rodrigo Garófallo Garcia 2, Irenilza de Alencar Nääs 3, Carolina Obregão da Rosa 1, Carlos Eduardo Caldarelli 2 1.Mestrandos

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

A PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO NO BRASIL BRUNO DE JESUS ANDRADE DIRETOR EXECUTIVO DA ASSOCON

A PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO NO BRASIL BRUNO DE JESUS ANDRADE DIRETOR EXECUTIVO DA ASSOCON A PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO NO BRASIL BRUNO DE JESUS ANDRADE DIRETOR EXECUTIVO DA ASSOCON ASSOCON Associação Nacional dos Confinadores Entidade nacional com 85 membros 21% do volume confinado

Leia mais

REQUERIMENTO (Do Sr. Homero Pereira) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO (Do Sr. Homero Pereira) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Homero Pereira) Requer o envio de Indicação ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, no sentido de implantar um Programa de Redução de Perdas de Produtos Agrícolas. Senhor

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA - SALVADOR - 5 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - VITÓRIA DA CONQUISTA - 4

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA - SALVADOR - 5 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - VITÓRIA DA CONQUISTA - 4 ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - ILHÉUS - 3 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - BOM JESUS DA LAPA - 3 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - GUANAMBI - 3 UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - SALVADOR

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução 5. Avicultura 7. Bovinocultura de Corte 14. Bovinocultura de Leite 23. Citricultura 32. Sojicultura 42.

SUMÁRIO. Introdução 5. Avicultura 7. Bovinocultura de Corte 14. Bovinocultura de Leite 23. Citricultura 32. Sojicultura 42. Relatório Final Fevereiro de 2012 SUMÁRIO Apresentação 3 PARTE 1: Pesquisa de Experiências Anteriores Introdução 5 Avicultura 7 Bovinocultura de Corte 14 Bovinocultura de Leite 23 Citricultura 32 Sojicultura

Leia mais

A trilha de um Sertanejo

A trilha de um Sertanejo M E M O R I A L Francisco Salles Marques A trilha de um Sertanejo 01 - INICIO DA TRILHA Na fazenda Solidade município de Queimadas, região semi-árida do estado da Bahia, em 29 de janeiro de 1955, nasce

Leia mais

MARKETING. Marketing # Vendas MARKETING. Vendas. Marketing 26/02/2013 MARKETING ESTRATÉGICO MARKETING OPERACIONAL.

MARKETING. Marketing # Vendas MARKETING. Vendas. Marketing 26/02/2013 MARKETING ESTRATÉGICO MARKETING OPERACIONAL. Material Didático Disciplina: Comercialização Agroindustrial # Vendas Prof. responsável: José Matheus Yalenti Perosa Vendas Objeto Produtos Necessidade dos consumidores Atividade humana ou processo social,

Leia mais

PERDIGÃO. Redesenhando a Operação Logística de sua cadeia de suprimentos

PERDIGÃO. Redesenhando a Operação Logística de sua cadeia de suprimentos Ce ntr a l d e Ca se s ESPM / EX AM E CASE Nº 016 Case-Study PERDIGÃO Redesenhando a Operação Logística de sua cadeia de suprimentos Este case descreve o processo de adaptação de uma grande indústria de

Leia mais

4.1 CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA

4.1 CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA 393 4.1 CADEIA PRODUTIVA AVÍCOLA João M. de S. Alves * Celso L. Weydmann ** A indústria avícola catarinense tem sido considerada um setor de destaque em âmbito nacional e internacional. Ao longo das últimas

Leia mais

"Se quer paz, prepara-se para guerra. Med. Vet. GUILHERME H. F. MARQUES, MSc Fiscal Federal Agropecuário. rio Departamento de Saúde Animal, Diretor

Se quer paz, prepara-se para guerra. Med. Vet. GUILHERME H. F. MARQUES, MSc Fiscal Federal Agropecuário. rio Departamento de Saúde Animal, Diretor "Se quer paz, prepara-se para guerra Med. Vet. GUILHERME H. F. MARQUES, MSc Fiscal Federal Agropecuário rio Departamento de Saúde Animal, Diretor 8.514.876 km 2 202.828.531 habitantes 27 Unidades da Federação

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS

CENTRO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR VICE-REITOR CENTRO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E ADMINISTRATIVAS INSTITUTO DE PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS DIRETOR PROFESSORES PESQUISADORES AUXILIAR ADMINISTRATIVO

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001836 - TECNOLOGIA EM PRODUCAO SUCROALCOOLEIRA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001836 - TECNOLOGIA EM PRODUCAO SUCROALCOOLEIRA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001836 - TECNOLOGIA EM PRODUCAO SUCROALCOOLEIRA Nivel: Superior Area Profissional: AGROPECUARIA Area de Atuacao: GESTAO AGRO-IND./AGROP.

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frango RELATÓRIO ANUAL 2003

Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frango RELATÓRIO ANUAL 2003 Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frango RELATÓRIO ANUAL 2003 Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frango Brazilian Chicken Producers and Exporters Association Índice

Leia mais

O DESEMPENHO DE UMA EQUIPE DE TRABALHO E SUA INFLUÊNCIA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: O CASO DA UNIDADE AVÍCOLA DE PASSOS

O DESEMPENHO DE UMA EQUIPE DE TRABALHO E SUA INFLUÊNCIA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: O CASO DA UNIDADE AVÍCOLA DE PASSOS recebido em 032006 - aprovado em 042006 O DESEMPENHO DE UMA EQUIPE DE TRABALHO E SUA INFLUÊNCIA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: O CASO DA UNIDADE AVÍCOLA DE PASSOS THE INFLUENCE OF A TEAM S PERFORMANCE

Leia mais

Transformações Estruturais na Agricultura e Políticas de Comercialização

Transformações Estruturais na Agricultura e Políticas de Comercialização Conab- Companhia Brasileira de Abastecimento Encontro Técnico de Política Agrícola Brasília, 9 e 10 de Feveiro de 2006 Transformações Estruturais na Agricultura e Políticas de Comercialização Antônio Márcio

Leia mais

Mudanças tecnológicas em cadeias agroindustriais: uma análise dos elos de processamento da pecuária de corte, avicultura de corte e suinocultura.

Mudanças tecnológicas em cadeias agroindustriais: uma análise dos elos de processamento da pecuária de corte, avicultura de corte e suinocultura. Mudanças tecnológicas em cadeias agroindustriais: uma análise dos elos de processamento da pecuária de corte, avicultura de corte e suinocultura. 1 Giuliana Aparecida Santini Hildo Meirelles de Souza Filho

Leia mais

Potencial Agropecuário da

Potencial Agropecuário da Potencial Agropecuário da região Centro Norte de MT Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. CARACTERIZAÇÃO DA REGIÃO... 3 2.1 CARACTERIZAÇÃO DAS ÁREAS E PRODUÇÃO DA REGIÃO... 5 2.2 IMPORTÂNCIA ECONÔMICA... 7 B Geração

Leia mais

AGRICULTURA PROFESSOR YOMAR

AGRICULTURA PROFESSOR YOMAR I. DEFINIÇÃO Atividade econômica responsável pelo cultivo dos vegetais. II. OBJETIVOS Alimentação humana e de animais; Produção de matéria prima para as indústrias. III. FOME Causas - o problema da fome

Leia mais

ABPA Associação Brasileira de Proteína Animal

ABPA Associação Brasileira de Proteína Animal ABPA Associação Brasileira de Proteína Animal Unificação das associações em uma nova entidade José Perboyre Diretor Financeiro e Administrativo Coordenador do Grupo Permanente de Logística A UBABEF Entidades

Leia mais

O SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO DE FRANGO DE CORTE EM MINAS GERAIS: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DA ECT

O SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO DE FRANGO DE CORTE EM MINAS GERAIS: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DA ECT O SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO DE FRANGO DE CORTE EM MINAS GERAIS: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DA ECT Alceu Richetti Antônio Carlos dos Santos RESUMO: Pelo presente trabalho tem-se por objetivo fazer uma

Leia mais

Cadeias de Suprimentos: considerações sobre o modelo de gestão e de avaliação de desempenho de uma cadeia de frango de corte no Brasil

Cadeias de Suprimentos: considerações sobre o modelo de gestão e de avaliação de desempenho de uma cadeia de frango de corte no Brasil Cadeias de Suprimentos: considerações sobre o modelo de gestão e de avaliação de desempenho de uma cadeia de frango de corte no Brasil Autoria: Susana Carla Farias Pereira, João Mário Csillag Resumo Enquanto

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. RAÇAS PARA FRANGO DE CORTE

1. INTRODUÇÃO 2. RAÇAS PARA FRANGO DE CORTE Produção de Frango de Corte Miryelle Freire Sarcinelli 1 (e-mail: miryelle@hotmail.com) Katiani Silva Venturini 1 (e-mail: katiani_sv@hotmail.com) Luís César da Silva 2 (website: www.agais.com) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Revisando... Segmentos antes da porteira: Insumos agropecuários Serviços agropecuários

Revisando... Segmentos antes da porteira: Insumos agropecuários Serviços agropecuários Revisando... Segmentos antes da porteira: Insumos agropecuários Serviços agropecuários Segmentos dentro da porteira: Produção agrícola Produção pecuária Segmentos depois da porteira: Agroindústria Canais

Leia mais

Integração Agricultura - Pecuária. Produção de Carne em Confinamento

Integração Agricultura - Pecuária. Produção de Carne em Confinamento Integração Agricultura - Pecuária Produção de Carne em Confinamento Integração Agricultura Pecuária. Agricultor Pecuarista. Agricultura 1990 2006 IBGE, Elaboração MB Agro IBGE, Elaboração MB Agro Porque

Leia mais

PROPOSTA DE MÓDULO DE FINANCIAMENTO, CONTRATOS, COMERCIALIZAÇÃO E ASSOCIATIVISMO PARA O SNPA

PROPOSTA DE MÓDULO DE FINANCIAMENTO, CONTRATOS, COMERCIALIZAÇÃO E ASSOCIATIVISMO PARA O SNPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária PROPOSTA DE MÓDULO DE FINANCIAMENTO, CONTRATOS, COMERCIALIZAÇÃO E ASSOCIATIVISMO PARA O SNPA (Coordenação de Agropecuária) E DA GEPAD (Gerência de Planejamento,

Leia mais

Palavras-chave: estratégia agroindústria avícola - competitividade

Palavras-chave: estratégia agroindústria avícola - competitividade A ESTRATÉGIA DE PRODUÇÃO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA NA AGROINDÚSTRIA: O CASO DE UMA AGROINDÚSTRIA AVÍCOLA Vania de Fátima B. Estivalete Heron S. M. Begnis Tania Nunes da Silva Eugênio Ávila Pedrozo

Leia mais

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Prof. Adriano Alves Fernandes DCAB - Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas CEUNES - Universidade Federal do Espírito Santo 1- Introdução Uma grande

Leia mais

INSTITUTO MAYTENUS. Relatório de Atividades ... Ano 2002. Uma organização de interesse público. Julho/2003.

INSTITUTO MAYTENUS. Relatório de Atividades ... Ano 2002. Uma organização de interesse público. Julho/2003. INSTITUTO MAYTENUS Relatório de Atividades Ano 2002 Uma organização de interesse público. Julho/2003........... Apresentação O presente relatório descreve as ações realizadas pelo INSTITUTO MAYTENUS para

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Este documento está disponível no site: www.uba.org.br E-mail: ubasp@uba.org.br Telefone / Fax: 11 3812-7666

Este documento está disponível no site: www.uba.org.br E-mail: ubasp@uba.org.br Telefone / Fax: 11 3812-7666 Este documento está disponível no site: www.uba.org.br E-mail: ubasp@uba.org.br Telefone / Fax: 11 3812-7666 P967 Norma Técnica de Produção Integrada de Frango / Coordenadores Ariel Antônio Mendes e Ibiara

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 OTIMIZAÇÃO DA EFETIVIDADE DE HEDGE NA COMPRA DE MILHO POR MEIO DE CONTRATOS FUTUROS PARA PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE RESUMO GUSTAVO DE SOUZA CAMPOS BADARÓ 1, RENATO ELIAS FONTES 2 ; TARCISIO GONÇALVES

Leia mais

Art. 2o Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. GABRIEL ALVES MACIEL ANEXO

Art. 2o Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. GABRIEL ALVES MACIEL ANEXO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 17, DE 7 DE ABRIL DE 2006 (PUBLICADA NA EDIÇÃO Nº 69, DE 10 DE ABRIL DE 2006, DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO) O SECRETÁRIO

Leia mais

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL

INTEGRAÇÃO CONTRATUAL INTEGRAÇÃO CONTRATUAL Uma Estratégia de Acesso ao Mercado Internacional Pedro Viana Borges Esp. Pol. Públicas P e Gestão Governamental Internacionalização de Cooperativas Integração Regional no Mercosul

Leia mais

TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES NAS CADEIAS DE CARNES SUÍNA E DE AVES

TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES NAS CADEIAS DE CARNES SUÍNA E DE AVES INOVA 2005 Fortaleza, CE, Brasil, 05 a 07 de julho de 2005. TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES NAS CADEIAS DE CARNES SUÍNA E DE AVES Cláudio Bellaver (Embrapa Suínos e Aves, CEP 89700-000 Concórdia SC, e-mail: bellaver@cnpsa.embrapa.br)

Leia mais

Protocolo de Boas Práticas de Produção de Frangos

Protocolo de Boas Práticas de Produção de Frangos Protocolo de Boas Práticas de Produção de Frangos Junho / 2008 2 Este documento esta disponível no site: http://www.uba.org.br E-mail: ubasp@uba.org.br Telefone: 11 3812-7666 Fax: 11 3815-5964 UBA -, 2008

Leia mais

SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR Mudanças trazidas para a. Manuel Bonduki

SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR Mudanças trazidas para a. Manuel Bonduki SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR Mudanças trazidas para a agricultura familiar pela lei 11.947/09 Manuel Bonduki AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR PNAE Programa Nacional de Alimentação Escolar

Leia mais

ASPECTOS SOCIAIS DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL. Elmer Ferreira Luiz de Almeida. Introdução

ASPECTOS SOCIAIS DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL. Elmer Ferreira Luiz de Almeida. Introdução Capítulo 9 - Aspectos sociais da produção de leite no Brasil ASPECTOS SOCIAIS DA PRODUÇÃO DE LEITE NO BRASIL Elmer Ferreira Luiz de Almeida Introdução O agronegócio Leite no Brasil tem passado por mudanças

Leia mais

FRANGO DE CORTE Integração Produtor/ Indústria

FRANGO DE CORTE Integração Produtor/ Indústria Referência modular FRANGO DE CORTE Integração Produtor/ Indústria Uma renda bimensal estável e a produção de composto orgânico na propriedade Sérgio Luiz Carneiro Antônio Carlos Ulbrich Tomás Falkowski

Leia mais

Atividade de gestão do Médico Veterinário no âmbito de sua atuação profissional

Atividade de gestão do Médico Veterinário no âmbito de sua atuação profissional XVII Seminário Nacional de Ensino da Medicina Veterinária Atividade de gestão do Médico Veterinário no âmbito de sua atuação profissional Gabriel Jorge Neto Médico Veterinário Gabrieljorge@biocamp.com.br

Leia mais

FAZENDA SÃO JOÃO: Exportação brasileira de frangos para o mercado muçulmano. www.espm.br/centraldecases

FAZENDA SÃO JOÃO: Exportação brasileira de frangos para o mercado muçulmano. www.espm.br/centraldecases FAZENDA SÃO JOÃO: Exportação brasileira de frangos para o mercado muçulmano. www.espm.br/centraldecases FAZENDA SÃO JOÃO: Exportação brasileira de frangos para o mercado muçulmano. Preparado por Neusa

Leia mais

LUCRO DA PERDIGÃO CRESCE 174% EM 2007. Novos negócios respaldaram o bom desempenho operacional da empresa

LUCRO DA PERDIGÃO CRESCE 174% EM 2007. Novos negócios respaldaram o bom desempenho operacional da empresa LUCRO DA PERDIGÃO CRESCE 174% EM 2007 Novos negócios respaldaram o bom desempenho operacional da empresa A Perdigão encerrou 2007 com faturamento bruto de R$ 7,8 bilhões, valor 27,6% superior ao registrado

Leia mais

Potencialidades e desafios do AGRONEGÓCIO PARANAENSE

Potencialidades e desafios do AGRONEGÓCIO PARANAENSE Potencialidades e desafios do AGRONEGÓCIO PARANAENSE NORBERTO ANACLETO ORTIGARA SECRETÁRIO DE ESTADO JOSÉ TARCISO FIALHO ASSESSOR TÉCNICO 03/09/2012 Principal Estado Agrícola do BRASIL 2,3% do território

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Técnico n.o 06064/2006/RJ COGAM/SEAE/MF Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de 2006 Referência: Ofício n 394/2006/SDE/GAB de 30 de janeiro

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural

DERAL - Departamento de Economia Rural SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural ANÁLISE DE CONJUNTURA AGROPECUÁRIA AVICULTURA DE POSTURA 2012/2013 PANORAMA MUNDIAL Segundo a FAO (Anualpec

Leia mais

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios Você é nosso convidado para participar

Leia mais

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste

Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste O que é FCO? O Fundo de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) é um fundo de crédito criado pela Constituição Federal de 1988 com o objetivo de promover

Leia mais

Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor CATEGORIA:

Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor CATEGORIA: Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor VENCEDOR NACIONAL CATEGORIA: Região SUL Município de Chapecó SC Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor VENCEDOR NACIONAL CATEGORIA: Região

Leia mais

Investimentos privados em agricultura urbana em Nairóbi, Quênia

Investimentos privados em agricultura urbana em Nairóbi, Quênia Investimentos privados em agricultura urbana em Nairóbi, Quênia Caleb Mireri - calebmireri@avu.org Deptº de Planejamento e Gerenciamento Ambiental, Universidade Kenyatta, Nairóbi, Quênia Foto 1: C. Mireri

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CIDADE E DO MUNICÍPIO DE AMÉLIA RODRIGUES NA DINÂMICA ESPACIAL DO RECÔNCAVO BAIANO.

A IMPORTÂNCIA DA CIDADE E DO MUNICÍPIO DE AMÉLIA RODRIGUES NA DINÂMICA ESPACIAL DO RECÔNCAVO BAIANO. A IMPORTÂNCIA DA CIDADE E DO MUNICÍPIO DE AMÉLIA RODRIGUES NA DINÂMICA ESPACIAL DO RECÔNCAVO BAIANO. Joseval Santos Oliveira Bolsista FAPESB, Graduando em Licenciatura e Bacharelado em Geografia, Universidade

Leia mais

Comercialização no agronegócio. Aulas 1 e 2

Comercialização no agronegócio. Aulas 1 e 2 Comercialização no agronegócio Aulas 1 e 2 Principais itens da cadeia produtiva Produtos finais disponíveis ao consumidor; Elos a MONTANTE e a JUSANTE da agropecuária; Transações entre os segmentos;

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 014/2007 - GEDSA

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 014/2007 - GEDSA INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 014/2007 - GEDSA Considerando, a importância da avicultura catarinense para a economia do estado; Considerando a necessidade de controle sanitário para evitar a reintrodução da

Leia mais

A AVICULTURA COMO ATIVIDADE SATISFATÓRIA PARA PEQUENOS PRODUTORES COM O SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO EM UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ

A AVICULTURA COMO ATIVIDADE SATISFATÓRIA PARA PEQUENOS PRODUTORES COM O SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO EM UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ A AVICULTURA COMO ATIVIDADE SATISFATÓRIA PARA PEQUENOS PRODUTORES COM O SISTEMA INTEGRADO DE PRODUÇÃO EM UM MUNICÍPIO DO NORTE DO PARANÁ LAÍS CALIXTO LUCAS TORRES DIAS OLIVEIRA CORNÉLIO PROCÓPIO, PARANÁ

Leia mais

Mercado do Boi Gordo

Mercado do Boi Gordo Mercado do Boi Gordo Perspectivas para os próximos anos SIC Esteio - RS Agosto 2006 Fabiano R. Tito Rosa Scot Consultoria Índice 1. Brasil: país pecuário 2. Comportamento dos preços internos 3. Perspectivas

Leia mais

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007 SOFTWARE PARA DETERMINAÇÃO DE CUSTOS DE IMPLANTAÇÃO DE UMA GRANJA PARA CRIAÇÃO DE FRANGOS DE CORTE 1 FLÁVIO A. DAMASCENO 1 ; LEONARDO SCHIASSI 2 ; TADAYUKI YANAGI JR 3 ; GLEICE C. A. SILVA 2 ; VALCIMAR

Leia mais

DEMANDA DE SOFTWARE PELA AGRICULTURA FAMILIAR: ENTRAVES E POTENCIAIS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DESENVOLVEDORAS DE SOFTWARE

DEMANDA DE SOFTWARE PELA AGRICULTURA FAMILIAR: ENTRAVES E POTENCIAIS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DESENVOLVEDORAS DE SOFTWARE DEMANDA DE SOFTWARE PELA AGRICULTURA FAMILIAR: ENTRAVES E POTENCIAIS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DESENVOLVEDORAS DE SOFTWARE MATHEUS AUGUSTO SOUZA DE MORAES 1 CÁSSIA ISABEL COSTA MENDES 2 LAURIMAR GONÇALVES

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Conceito de Agronegócio e a atuação do Imea 2 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 2.1 Agronegócio Soja 2.2 Agronegócio Milho 2.3 Agronegócio Algodão

Leia mais

Crédito Agro Principais Linhas de Crédito. Fortaleza (CE), maio de 2014

Crédito Agro Principais Linhas de Crédito. Fortaleza (CE), maio de 2014 Crédito Agro Principais Linhas de Crédito Fortaleza (CE), maio de 2014 Agricultura Familiar Principais Linhas de Crédito Pronaf Custeio - Beneficiários: Agricultores familiares, exceto dos grupos A e B;

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA ATER SEAGRI/SUAF Nº 001/2012

CHAMADA PÚBLICA ATER SEAGRI/SUAF Nº 001/2012 GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE AGRICULTURA, IRRIGAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA - SEAGRI Superintendência da Agricultura Familiar - SUAF Diretoria de Apoio ao Desenvolvimento Territorial Coordenação

Leia mais

Simpósio Latino Americano da Associação Internacional para a Proteção de Alimentos -IAFP -

Simpósio Latino Americano da Associação Internacional para a Proteção de Alimentos -IAFP - Simpósio Latino Americano da Associação Internacional para a Proteção de Alimentos -IAFP - VII Simpósio Associação Brasileira de Proteção dos Alimentos ABRAPA - Melhorando a inocuidade da carne de aves

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Notas sobre mudanças tecnológicas na produção e agroindústria de aves na região da Amrec, SC

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Notas sobre mudanças tecnológicas na produção e agroindústria de aves na região da Amrec, SC PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Notas sobre mudanças tecnológicas na produção e agroindústria de aves na região da Amrec, SC Miguelangelo Gianezini 1, Lucas Nesi Destro 2, Júlio

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia Universidade Federal de Uberlândia Relatório Visita técnica Embrapa Gado de Corte-MS Grupo de estudos e pesquisa em forragicultra UFU GEPFOR Guilherme Amorim Soares da Silva Zootecnia Uberlândia 2014 I

Leia mais

INOVAGRO. Inovação para Sustentabilidade e Produtividade. Seminário Boas Práticas de Bem-estar Animal em Sistemas Sustentáveis na Produção de Suínos

INOVAGRO. Inovação para Sustentabilidade e Produtividade. Seminário Boas Práticas de Bem-estar Animal em Sistemas Sustentáveis na Produção de Suínos INOVAGRO Inovação para Sustentabilidade e Produtividade Seminário Boas Práticas de Bem-estar Animal em Sistemas Sustentáveis na Produção de Suínos José Guilherme Tollstadius Leal SDC/MAPA A Agricultura

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

Programa BB Aqüicultura e Pesca

Programa BB Aqüicultura e Pesca Programa BB Aqüicultura e Pesca O Banco do Brasil é o maior parceiro dos empreendedores brasileiros, sejam grandes ou pequenos produtores. Isso vale, também, para a aqüicultura e pesca. Assim, com o objetivo

Leia mais

PLANEJAMENTO E GESTÃO DE SISTEMAS INTENSIVOS DE PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO

PLANEJAMENTO E GESTÃO DE SISTEMAS INTENSIVOS DE PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO PLANEJAMENTO E GESTÃO DE SISTEMAS INTENSIVOS DE PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA EM CONFINAMENTO RODRIGO OTÁVIO SPENGLER BEEF TEC - Consultoria Pecuária Campo Grande/MS rodrigospengler@beeftec.com.br 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Vitor Augusto Ozaki Andreia C. O. Adami

Vitor Augusto Ozaki Andreia C. O. Adami 1 Novos contratos brasileiros de Seguro Faturamento Vitor Augusto Ozaki Andreia C. O. Adami 27/11/2013 2 Estrutura Introdução Metodologia Resultados Considerações finais 3 Introdução Importância Agronegócio

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO PROFISSIONAL DO AGRONEGÓCIO PARA GERAÇÃO DE RIQUEZAS.

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO PROFISSIONAL DO AGRONEGÓCIO PARA GERAÇÃO DE RIQUEZAS. A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO PROFISSIONAL DO AGRONEGÓCIO PARA GERAÇÃO DE RIQUEZAS. Rodrigo Bernardi 1 Sérgio Cintra Feijó 2 RESUMO: O presente estudo tem o objetivo quebra dos paradigma da gestão profissional

Leia mais