LIBERDADE E POLÍTICA KARL MARX

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LIBERDADE E POLÍTICA KARL MARX"

Transcrição

1 LIBERDADE E POLÍTICA KARL MARX

2 MARX Nasceu em Tréveris (na época pertencente ao Reino da Prússia) em 5 de Maio de 1818 e morreu em Londres a 14 de Março de Foi filósofo, jornalista e revolucionário socialista. Desenvolveu estudos dialogando com as áreas da História, Filosofia, Economia e Sociologia. É considerado um dos maiores estudiosos do capitalismo. Junto com Friedrich Engels ( ), desenvolveu a teoria socialista, partindo da análise crítica e científica do próprio capitalismo

3 FILOSOFIA DA PRÁXIS Defendia que a filosofia devia estar Vinculada à ação reflexiva. Os filósofos limitaram-se à interpretar o mundo de diversas Maneiras; o que importa é modificá-lo Karl Marx O pensamento revolucionário Marxista propunha alternativas à crescente miséria o proletariado europeu no século XIX.

4 INFLUÊNCIAS DE FRIEDRICH HEGEL ( ) Idealismo alemão: Friedrich Hegel ( ). Para Hegel o conhecimento imediato da realidade é aparente. Já o conhecimento real é de natureza espiritual, ou seja, é a razão que define a realidade. Para ele tudo está em constante transformação. Dialética idealista (tese, antítese e síntese): o confronto de ideias produz a realidade e desenvolve a história, expressando o espírito absoluto. Marx incorpora a teoria no sentido inverso ao mudar o foco do idealismo para o materialismo histórico dialético. As condições materiais determinam não só o devir (vir a ser) histórico, mas a própria consciência.

5 MATERIALISMO HISTÓRICO DIALÉTICO Para garantir a sobrevivência, os homens Desenvolveram um conjunto de relações econômicas e sociais, também chamada de relações de produção. As relações de produção independem da vontade humana e a cada momento histórico se transformam e correspondem a uma superestrutura (política, religião, costumes, leis, etc) O desenvolvimento das forças produtivas modificam as relações de produção e aumenta a exploração e o antagonismos de classes. O conflito de classes gera rupturas e modifica a história. A luta de classes é o Motor da história.

6 Alienação Etimologicamente a palavra Alienação vem do latim alienare, alienus que significa que pertence a um outro. Alienar é tornar alheio, transferir para outro o que é seu.

7 Para Marx, o homem se realiza através do trabalho, pois o toma como sua criação. Entretanto, vê que a origem da alienação é impulsionada com a divisão social do trabalho que faz que o produto do trabalho humano deixe de pertencer ao seu criador e passe a pertencer a outro indivíduo que possui a propriedade privada dos meios de produção.

8 ALIENAÇÃO DO TRABLHO - CAPITALISMO

9 ALIENAÇÃO DO TRABLHO - CAPITALISMO O proletário vende sua força de trabalho em troca de salário. Ao contrário do que ocorria na produção artesanal não existe contato entre quem produz e quem consome relação intermediada pelo burguês. Marx observou que as relações dos homens entre si passam a ser mediadas pelo dinheiro, havendo forte tendência em se transformar toda atividade humana em valor de troca.

10 O dinheiro é o valor universal e autoconstituído de todas as coisas. Despojou, assim, o mundo inteiro, tanto o mundo humano como a natureza, do seu próprio valor. O dinheiro é a essência alienada do trabalho e da vida do homem, e esta essência alienígena domina-o enquanto ele a idolatrar. Marx

11 Marx analisa a alienação dos trabalhadores industriais em Manuscritos Económicos e Filosóficos (1848). A propriedade privada e o controle da produção por uma elite são causas do trabalho alienado. O trabalho alienado retira a humanidade das pessoas

12 O valor da força de trabalho e a mais-valia variam em direções opostas. É só por meio da exploração da força de trabalho que o Capital consegue reproduzir seu ciclo. Somente o trabalho humano gera valor, por isso a necessidade do capitalismo explorar o trabalho.

13 REVOLUÇÃO SOCIALISMO CIENTÍFICO (busca a ruptura das relações de produção capitalista pela via revolucionária) Para Marx os antagonismos das relações de produção desembocam na revolução proletária. Essa revolução seria resultado das próprias ações dos capitalistas, que produzirão os meios de sua destruição e seus próprios coveiros (o proletariado).

14 LIBERDADE E POLÍTICA - MARX Para Marx, a revolução seria inevitável dentro do desenvolvimento histórico do capitalismo. O homem é livre porque é dotado de práxis revolucionária (tomada de consciência de classe). A revolução possibilitaria profundas transformações socioeconômicas levando a humanidade à sua emancipação.

15 QUESTÕES 1 Qual a principal diferença entre o idealismo hegeliano e o materialismo de Marx? 2 Segundo a visão de Marx, por que os indivíduos tenderiam à revolução. 3 Segundo Marx qual a relação entre liberdade e práxis?

KARL MARX (1818-1883)

KARL MARX (1818-1883) KARL MARX (1818-1883) 1861 Biografia Nasceu em Trier, Alemanha. Pais judeus convertidos. Na adolescência militante antireligioso; A crítica da religião é o fundamento de toda crítica. Tese de doutorado

Leia mais

Sociologia. Marcos Eduardo G. de Lima Renato Garibaldi Mauri. Professor

Sociologia. Marcos Eduardo G. de Lima Renato Garibaldi Mauri. Professor Sociologia 2 Marcos Eduardo G. de Lima Renato Garibaldi Mauri Professor SUMÁRIO MÓDULO 9 Materialismo histórico............................... 2 1. Karl Marx: o revolucionário........................ 2

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS

IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS IDEOLOGIA, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA EM MARX, LUKÁCS E MÉSZÁROS Maria Teresa Buonomo de Pinho * O objetivo deste artigo é examinar o caráter de ideologia da práxis educativa e o papel relativo que

Leia mais

O HUMANISMO TEÓRICO DE CHE GUEVARA

O HUMANISMO TEÓRICO DE CHE GUEVARA 1 Resumo: A polêmica tese de Louis Althusser sobre a ruptura epistemológica na obra de Karl Marx gerou uma série de divergências entre os marxistas nas últimas décadas do século XX. Sua ideia central é

Leia mais

[Ano] Positivismo, Marxismo e Sociologia Compreensiva. Campus Virtual Cruzeiro do Sul www.cruzeirodovirtual.com.br

[Ano] Positivismo, Marxismo e Sociologia Compreensiva. Campus Virtual Cruzeiro do Sul www.cruzeirodovirtual.com.br [Ano] Positivismo, Marxismo e Sociologia Compreensiva Unidade - Positivismo, Marxismo e Sociologia Compreensiva MATERIAL TEÓRICO 2 O Positivismo e os Primeiros Movimentos Sociológicos Quando falamos em

Leia mais

O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM

O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM O HUMANISMO DE KARL MARX: O TRABALHO NA HISTÓRIA COMO MEIO DE FORMAÇÃO DO HOMEM Felipe Gustavo Soares da Silva 1 RESUMO Muitas críticas são tecidas já a algum tempo acerca da concepção do trabalho na sociedade

Leia mais

3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna)

3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna) 3. KARL MARX (e a critica à consciência moderna) Não é a consciência dos homens que determina o seu ser, mas, ao contrário, é o seu ser social que determina a sua consciência a) O Materialismo Histórico

Leia mais

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre

Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre Lista de exercícios Sociologia- 1 ano- 1 trimestre 01-O homo sapiens moderno espécie que pertencemos se constitui por meio do grupo, ou seja, sociedade. Qual das características abaixo é essencial para

Leia mais

O PENSAMENTO POLÍTICO DO SÉCULO XIX

O PENSAMENTO POLÍTICO DO SÉCULO XIX O PENSAMENTO POLÍTICO DO SÉCULO XIX AS IDEIAS SOCIAIS O século XIX foi o século da supremacia europeia sobre o resto do mundo. Foi também o século no qual a burguesia da Europa consolidou seus valores

Leia mais

SALÁRIO, LUCRO E DIVISÃO DE CLASSE RESUMO. relações sociais decorrentes dos modos de produção, sendo fator de transformação da

SALÁRIO, LUCRO E DIVISÃO DE CLASSE RESUMO. relações sociais decorrentes dos modos de produção, sendo fator de transformação da 1 SALÁRIO, LUCRO E DIVISÃO DE CLASSE Fabiane Ribeiro Caldas 1 RESUMO De acordo com o pensamento sociológico de Karl Marx, a sociedade se dá com as relações sociais decorrentes dos modos de produção, sendo

Leia mais

O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM

O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM O ESTADO E DOMINAÇÃO NOS PRESSUPOSTOS DE MARX, WEBER E DURKHEIM Silvia Jurema Leone Quaresma* 1. Estado e dominação nos pressupostos de Marx Karl Heinrich Marx (1818-1883) nasceu em Treves, capital da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO PESQUISA OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO REDE MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA ESCOLA MUNICIPAL JALLES MACHADO DE SIQUEIRA PROFESSORA BOLSISTA ROSA CRISTINA

Leia mais

A origem do cristianismo

A origem do cristianismo A origem do cristianismo KARL KAUTSKY (tradução, introdução, apêndice e notas de Luiz Alberto Moniz Bandeira) Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2010, 559p. MICHAEL LÖWY * Graças ao eminente historiador

Leia mais

1. Modo de produção e a formação da estrutura política e ética

1. Modo de produção e a formação da estrutura política e ética Ética e linguagem: uma perspectiva marxista Renato Campos Pordeus Mestrando pelo Departamento de Filosofia da UFPE 1. Modo de produção e a formação da estrutura política e ética A compreensão do homem,

Leia mais

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é:

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: Atividade extra Fascículo 3 Sociologia Unidade 5 Questão 1 Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: a. Isolamento virtual b. Isolamento físico c.

Leia mais

A ONTOLOGIA MARXIANA COMO REFERENCIAL PARA A PESQUISA SOBRE A PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL

A ONTOLOGIA MARXIANA COMO REFERENCIAL PARA A PESQUISA SOBRE A PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL 1 A ONTOLOGIA MARXIANA COMO REFERENCIAL PARA A PESQUISA SOBRE A PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL JÉSSICA OLIVEIRA MUNIZ 1 NATÁLIA AYRES DA SILVA 2 Resumo: O presente trabalho trata-se de um estudo teórico-bibliográfico

Leia mais

Direito para Durkheim: coercitivo exterior geral

Direito para Durkheim: coercitivo exterior geral Apostila 4 Revisão aula anterior: Direito para Durkheim: O objetivo principal de uma Sociologia do Direito em Durkheim é perceber a relação entre as regras morais e a elaboração das leis escritas, bem

Leia mais

Exercícios MÓD I Sociologia Organizacional Tânia Pereira

Exercícios MÓD I Sociologia Organizacional Tânia Pereira Exercícios MÓD I Sociologia Organizacional Tânia Pereira PERGUNTAS DE UM TRABALHADOR QUE LÊ. Bertold Brecht Quem construiu a Tebas de sete portas? Nos livros estão os nomes dos reis. Arrastaram eles os

Leia mais

O método como realização do conceito: monismo estrutural

O método como realização do conceito: monismo estrutural 90 O método como realização do conceito: monismo estrutural Method as accomplishment of the concept: structural monism Por Helio Aparecido Teixeira Mestrando em Teologia (Escola Superior de Teologia) Bolsista

Leia mais

178 spectrum PÓS-MODERNIDADE E FILOSOFIA DA HISTÓRIA. Introdução

178 spectrum PÓS-MODERNIDADE E FILOSOFIA DA HISTÓRIA. Introdução 178 PÓS-MODERNIDADE E FILOSOFIA DA HISTÓRIA LEDA DANTAS * Introdução A Modernidade nasce sob o signo da liberdade. O homem é livre porque não está mais à mercê do obscurantismo da religião, mas é capaz

Leia mais

SOCIOLOGIA Vestibular UFU 1ª Fase 04 Junho 2011

SOCIOLOGIA Vestibular UFU 1ª Fase 04 Junho 2011 QUESTÃO 51 A questão do método nas ciências humanas (também denominadas ciências históricas, ciências sociais, ciências do espírito, ciências da cultura) foi objeto de intenso debate entre intelectuais

Leia mais

ATIVIDADE / TEXTO MARX, DURKHEIM E WEBER

ATIVIDADE / TEXTO MARX, DURKHEIM E WEBER ATIVIDADE / TEXTO MARX, DURKHEIM E WEBER Nome: / N : / Turma: PARTE I KARL MARX (1818-1883) Sua obra A obra de Marx é resultado de um contexto sociopolítico específico, resposta aos problemas colocados

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Ms: Edson Fasano Sociedade Capitalista: Revoluções Inglesas. A Organização da Aula 1º Bloco: A Inglaterra do século XVI; 2º Bloco: - A Revolução Puritana e Gloriosa; 3º Bloco:

Leia mais

VI Seminário de Pós-Graduação em Filosofia da UFSCar 20 a 24 de setembro de 2010 A dialética entre carisma e racionalidade no pensamento de Max Weber

VI Seminário de Pós-Graduação em Filosofia da UFSCar 20 a 24 de setembro de 2010 A dialética entre carisma e racionalidade no pensamento de Max Weber A dialética entre carisma e racionalidade no pensamento de Max Weber Luis F. de Salles Roselino Programa de pós-graduação em filosofia UFSCar Agência financiadora: CAPES Resumo: Contrapondo-se à racionalização,

Leia mais

O SÉCULO XIX ENTRE COMTE E MARX: DIFERENTES CONCEPÇÕES PARA A EDUCAÇÃO THE XIX CENTURY BETWEEN MARX AND COMTE: DIFFERENT CONCEPTIONS FOR EDUCATION

O SÉCULO XIX ENTRE COMTE E MARX: DIFERENTES CONCEPÇÕES PARA A EDUCAÇÃO THE XIX CENTURY BETWEEN MARX AND COMTE: DIFFERENT CONCEPTIONS FOR EDUCATION O SÉCULO XIX ENTRE COMTE E MARX: DIFERENTES CONCEPÇÕES PARA A EDUCAÇÃO THE XIX CENTURY BETWEEN MARX AND COMTE: DIFFERENT CONCEPTIONS FOR EDUCATION RESUMO Carolina Fuzaro Bercho * Este trabalho analisa

Leia mais

:: Verinotio - Revista On-line de Educação e Ciências Humanas Nº 2, Ano I, Abril de 2005, periodicidade semestral ISSN 1981-061X.

:: Verinotio - Revista On-line de Educação e Ciências Humanas Nº 2, Ano I, Abril de 2005, periodicidade semestral ISSN 1981-061X. :: Verinotio - Revista On-line de Educação e Ciências Humanas Nº 2, Ano I, Abril de 2005, periodicidade semestral ISSN 1981-061X. O INDIVÍDUO E A SOCIABILIDADE Maria de Annunciação Madureira 1 Desde o

Leia mais

Mudança e transformação social

Mudança e transformação social 7 Mudança e transformação social Unidade Não existem sociedades sem mudanças. Há transformações maiores, que atingem toda a humanidade, e menores, que acontecem no cotidiano das pessoas. Normalmente elas

Leia mais

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles)

Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular [1999], (de Katia Lund e João Moreira Salles) FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Curso de Bacharel em Direito Turma A Unidade: Tatuapé Ana Maria Geraldo Paz Santana Johnson Pontes de Moura Análise Sociológica do Filme -Notícias de Uma Guerra Particular

Leia mais

Sociologia Organizacional. Aula 1. Contextualização. Organização da Disciplina. Aula 1. Contexto histórico do aparecimento da sociologia

Sociologia Organizacional. Aula 1. Contextualização. Organização da Disciplina. Aula 1. Contexto histórico do aparecimento da sociologia Sociologia Organizacional Aula 1 Organização da Disciplina Aula 1 Contexto histórico do aparecimento da sociologia Aula 2 Profa. Me. Anna Klamas A institucionalização da sociologia: August Comte e Emile

Leia mais

Os Clássico da Sociologia: uma análise dos conceitos de alienação, anomia e racionalização em Marx, Durkheim e Weber

Os Clássico da Sociologia: uma análise dos conceitos de alienação, anomia e racionalização em Marx, Durkheim e Weber 41 Os Clássico da Sociologia: uma análise dos conceitos de alienação, anomia e racionalização em Marx, Durkheim e Weber Antonio Cavalcante de Almeida 1 INTRODUÇÃO O estudo dos principais conceitos da teoria

Leia mais

O Estado como Ordem Jurídica: análise da Teoria Pura do Direito de Kelsen à Luz do Pensamento de Gramsci

O Estado como Ordem Jurídica: análise da Teoria Pura do Direito de Kelsen à Luz do Pensamento de Gramsci Artigos O Estado como Ordem Jurídica: análise da Teoria Pura do Direito de Kelsen à Luz do Pensamento de Gramsci Rommel Madeiro de Macedo Carneiro Advogado da União, Coordenador de Assuntos Administrativos

Leia mais

A DIVISÃO DO TRABALHO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DAS TEORIAS DE KARL MARX E EMILE DÜRKHEIM

A DIVISÃO DO TRABALHO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DAS TEORIAS DE KARL MARX E EMILE DÜRKHEIM A DIVISÃO DO TRABALHO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DAS TEORIAS DE KARL MARX E EMILE DÜRKHEIM Profa. Érika de Cássia Oliveira Caetano 1 - ÉMILE DÜRKHEIM: A DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO Assim como Auguste Comte,

Leia mais

A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO

A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO Daniele Bloot de Moura Necker Fryder Geórgia Costa Pizzatto Michele Dal Cortivo Vivian de Souza Silva Co-autora: Prof. Arilda Arboleya arildaa@hotmail.com

Leia mais

CEAP Curso de Direito Disciplina Introdução ao Direito. Aula 03. Prof. Milton Correa Filho

CEAP Curso de Direito Disciplina Introdução ao Direito. Aula 03. Prof. Milton Correa Filho CEAP Curso de Direito Disciplina Introdução ao Direito Aula 03 E Prof. Milton Correa Filho 1.Motivação: O que é o que é (Gonzaguinha) -Dialógo de Antigona 2.Apresentação dos slides 3.Tira duvidas 4.Avisos

Leia mais

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER RESUMO. do homem em sociedade. Origem de tal Capitalismo que faz do homem um ser virtual e alienador

O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER RESUMO. do homem em sociedade. Origem de tal Capitalismo que faz do homem um ser virtual e alienador O PENSAMENTO SOCIOLÓGICO DE MAX WEBER Tamires Albernaz Souto 1 Flávio Augusto Silva 2 Hewerton Luiz Pereira Santiago 3 RESUMO Max Weber mostra suas ideias fundamentais sobre o Capitalismo e a racionalização

Leia mais

As Três Fontes e as Três partes Constitutivas do Marxismo

As Três Fontes e as Três partes Constitutivas do Marxismo As Três Fontes e as Três partes Constitutivas do Marxismo V. I. Lénine Março de 1913 Fonte: The Marxists Internet Archive A doutrina de Marx suscita em todo o mundo civilizado a maior hostilidade e o maior

Leia mais

Max Weber. Sociologia Compreensiva

Max Weber. Sociologia Compreensiva Max Weber Sociologia Compreensiva Índice Max Weber: Vida e obra Uma teia de sentidos Desencantamento do mundo e racionalização Tipos puros 1. O conceito de ação social 1.1 Ação racional com relação a objetivos

Leia mais

DO ÓPIO DO POVO AO RE-ENCANTAMENTO DO MUNDO: RELIGIÃO E RELIGIOSIDADE EM MARX E WEBER

DO ÓPIO DO POVO AO RE-ENCANTAMENTO DO MUNDO: RELIGIÃO E RELIGIOSIDADE EM MARX E WEBER Revista Inter-Legere DO ÓPIO DO POVO AO RE-ENCANTAMENTO DO MUNDO: RELIGIÃO E RELIGIOSIDADE EM MARX E WEBER RELIGION AND RELIGIOSITY BY MARX AND WEBER Eduardo Mara 1 RESUMO Este artigo pretende realizar

Leia mais

Principais Sociólogos

Principais Sociólogos Principais Sociólogos 1. (Uncisal 2012) O modo de vestir determina a identidade de grupos sociais, simboliza o poder e comunica o status dos indivíduos. Seu caráter institucional assume grande importância

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE

OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE OFICINA DA PESQUISA ÉTICA, POLÍTICA E SOCIEDADE Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br A FORMAÇÃO DA MORAL OCIDENTAL A FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA

Leia mais

AS ONG(D) E A CRISE DO ESTADO SOBERANO

AS ONG(D) E A CRISE DO ESTADO SOBERANO A 350404 Rui Pedro Paula de Matos AS ONG(D) E A CRISE DO ESTADO SOBERANO UM ESTUDO DE CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS COLECÇÃO TESES Universidade Lusíada Editora Lisboa 2001 As ONGD e a crise

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA

A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO MUNDO DA TECNOLOGIA Zedequias Vieira Cavalcante¹, Mauro Luis Siqueira da Silva² RESUMO: A Revolução Industrial

Leia mais

É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com

É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com O que foi a Revolução Cultural na China? Caio Lóssio Botelho * É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com uma superfície de mais de 9.500.000 km², com a população superior a 1.180.000.000 habitantes.

Leia mais

AÇÃO SOCIAL. Exemplo de AÇÃO SOCIAL 25/3/2011 A MAX WEBER. Vida e Obra de Max Weber. Max Weber (Contexto) Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920)

AÇÃO SOCIAL. Exemplo de AÇÃO SOCIAL 25/3/2011 A MAX WEBER. Vida e Obra de Max Weber. Max Weber (Contexto) Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920) A MAX WEBER Vida e Obra de Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920) Erfurt/Alemanha (Contexto) 1830: Alemanha - país mais atrasado da Europa Origem burguesa, origem protestante e religiosa, família de comerciantes

Leia mais

A educação no Iluminismo: o ideal liberal da educação

A educação no Iluminismo: o ideal liberal da educação A educação no Iluminismo: o ideal liberal da educação Edilian Arrais * CONTEXTO HISTÓRICO As revoluções burguesas Até o século XVIII a burguesia ocupou posição secundária na estrutura da sociedade aristocrata,

Leia mais

O uso de cartilha paranaense nas Escolas do Estado do Paraná. Solange Apª de O. Collares/UEPG Drª Profª Maria Isabel Moura Nascimento/UEPG

O uso de cartilha paranaense nas Escolas do Estado do Paraná. Solange Apª de O. Collares/UEPG Drª Profª Maria Isabel Moura Nascimento/UEPG 1 O uso de cartilha paranaense nas Escolas do Estado do Paraná Solange Apª de O. Collares/UEPG Drª Profª Maria Isabel Moura Nascimento/UEPG O presente trabalho apresenta resultados preliminares de uma

Leia mais

Vejam que matéria prima escrita pelo Prof Rui da UFC em resposta aos artigos defendendo Marx dentro daquela universidade.

Vejam que matéria prima escrita pelo Prof Rui da UFC em resposta aos artigos defendendo Marx dentro daquela universidade. Vejam que matéria prima escrita pelo Prof Rui da UFC em resposta aos artigos defendendo Marx dentro daquela universidade. Uma verdadeira aula que devemos reproduzir para os alunos de todas as Escolas Militares

Leia mais

FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO FACULDADE DE ECONOMIA A TEORIA DA ALIENAÇÃO EM MARX E O CAPITALISMO ATUAL SOB A PREDOMINÂNCIA DO CAPITAL FINANCEIRO

FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO FACULDADE DE ECONOMIA A TEORIA DA ALIENAÇÃO EM MARX E O CAPITALISMO ATUAL SOB A PREDOMINÂNCIA DO CAPITAL FINANCEIRO FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO FACULDADE DE ECONOMIA A TEORIA DA ALIENAÇÃO EM MARX E O CAPITALISMO ATUAL SOB A PREDOMINÂNCIA DO CAPITAL FINANCEIRO HELOISA MARIA GERCOV PIRES Monografia de Conclusão

Leia mais

O CLASSIFICADO DE JORNAL COMO FONTE DE PESQUISA:

O CLASSIFICADO DE JORNAL COMO FONTE DE PESQUISA: O CLASSIFICADO DE JORNAL COMO FONTE DE PESQUISA: contribuição teórico-metodológica da Lingüística à História da Educação. Maria de Lurdes Almeida e Silva Lucena Mestre em Lingüística pela Unicamp Professora

Leia mais

MARXISMO E PEDAGOGIA 1

MARXISMO E PEDAGOGIA 1 MARXISMO E PEDAGOGIA 1 Dermeval Saviani 2 RESUMO: Partindo dos diferentes sentidos do verbete socialismo o artigo aborda as relações entre marxismo, educação e pedagogia para esclarecer o significado da

Leia mais

Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração

Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração Antecedentes Históricos da Administração: Os primórdios da Administração No decorrer da história da humanidade sempre existiu alguma forma simples ou complexa de administrar as organizações. O desenvolvimento

Leia mais

Tema-Problema: A CONSTRUÇÃO DO SOCIAL

Tema-Problema: A CONSTRUÇÃO DO SOCIAL Ano Lectivo 2010/2011 ÁREA DE INTEGRAÇÃO Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 10º Ano Apresentação nº 2 Tema-Problema: A CONSTRUÇÃO DO SOCIAL Pedro Bandeira Simões

Leia mais

A TEORIA DIALÉTICA DA HISTÓRIA NO JOVEM ENTRE MARCUSE E GIANNOTTI

A TEORIA DIALÉTICA DA HISTÓRIA NO JOVEM ENTRE MARCUSE E GIANNOTTI A TEORIA DIALÉTICA DA HISTÓRIA NO JOVEM MARX ENTRE MARCUSE E GIANNOTTI André de Góes Cressoni Mestrado Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Bolsista CNPq cressoni@gmail.com De início, devemos, aqui,

Leia mais

Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundadores: Marx, Weber e Durkheim; a sociologia no Brasil

Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundadores: Marx, Weber e Durkheim; a sociologia no Brasil Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundadores: Marx, Weber e Durkheim; a sociologia no Brasil Paulo Roberto de Almeida (www.pralmeida.org) Sumário: 1. Origens da disciplina:

Leia mais

História da Educação Cumprimentos

História da Educação Cumprimentos História da Educação Cumprimentos Burguesia Passagem da Idade Moderna para a Idade Contemporânea Fins do século XVIII Início do século XIX Ascensão dos ricos burgueses ao poder Burguesia Revoluções Burguesas

Leia mais

Refletir sobre a evolução do Lazer na sociedade ocidental, de uma perspectiva do tempo e atividades.

Refletir sobre a evolução do Lazer na sociedade ocidental, de uma perspectiva do tempo e atividades. HISTÓRICO DO LAZER Objetivo Refletir sobre a evolução do Lazer na sociedade ocidental, de uma perspectiva do tempo e atividades. 1. Da Grécia Antiga aos dias de hoje Os humanos sempre brincaram em toda

Leia mais

Instruções para a prova de Redação:

Instruções para a prova de Redação: Instruções Gerais: VESTIBULAR 2013 1ª Fase REDAÇÃO Grade de Correção Hoje você deverá elaborar uma Redação e responder às questões de Língua Portuguesa e de Inglês. Você terá 4 horas para realizar as três

Leia mais

Weber e o estudo da sociedade

Weber e o estudo da sociedade Max Weber o homem Maximilian Karl Emil Weber; Nasceu em Erfurt, 1864; Iniciou seus estudos na cidade de Heidelberg Alemanha; Intelectual alemão, jurista, economista e sociólogo; Casado com Marianne Weber,

Leia mais

A EXCLUSÃO PENSADA. Palavra-chave: qualificação; trabalho; desemprego; trabalhador flexível.

A EXCLUSÃO PENSADA. Palavra-chave: qualificação; trabalho; desemprego; trabalhador flexível. A EXCLUSÃO PENSADA Edson Francisco Stein 1 Resumo: Este artigo pretende sistematizar reflexões das leituras que fiz de alguns autores sobre a qualificação requerida dos trabalhadores na atual fase de desenvolvimento

Leia mais

Capítulo 2: O Pólo da Sociedade

Capítulo 2: O Pólo da Sociedade Capítulo 2: O Pólo da Sociedade A importância da sociedade na educação resulta óbvia, já que é para produzir cidadãos capacitados para viver em sociedade que, em grande medida, os sistemas educativos existem

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA DISCIPLINA DE PÓS-GRADUAÇÃO GRUPOS EXCLUÍDOS, MOVIMENTOS SOCIAIS E DIREITOS HUMANOS PROFESSOR: MARCUS ORIONE GONÇALVES CORREIA

Leia mais

V ENCONTRO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO E MARXISMO MARXISMO, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA 11, 12, 13 E 14 de abril de 2011 UFSC Florianópolis SC - Brasil

V ENCONTRO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO E MARXISMO MARXISMO, EDUCAÇÃO E EMANCIPAÇÃO HUMANA 11, 12, 13 E 14 de abril de 2011 UFSC Florianópolis SC - Brasil Emancipação e Educação em Marx: Entre a emancipação política e a emancipação humana Vilson Aparecido da Mata (Universidade Federal do Paraná) Resumo Partindo da análise de dois textos marxianos: Glosas

Leia mais

Materialismo Dialéctico, Materialismo Histórico

Materialismo Dialéctico, Materialismo Histórico Materialismo Dialéctico, Materialismo Histórico SUMÁRIO Materialismo Dialéctico, Materialismo Histórico 1- O Método Dialéctico Marxista 2- O Materialismo Filosófico 3- O Materialismo Histórico MATERIALISMO

Leia mais

Adriano Benayon. Globalização. Desenvolvimento. escrituras

Adriano Benayon. Globalização. Desenvolvimento. escrituras Adriano Benayon Globalização. Desenvolvimento escrituras São Paulo, 2005 ítndice Prefácio - Prof. J. W. Bautista Vidal 11 Prefácio - Dr. Enéas Ferreira Carneiro 15 Apresentação 19 Parte 1-0 único caminho

Leia mais

Pai. Deus. Espírito Santo. Filho

Pai. Deus. Espírito Santo. Filho Pai Deus Filho Espírito Santo Existe um único Deus que subsiste em três pessoas: O Pai, criador de todas as coisas visíveis e invisíveis; O Filho, que foi concebido por obra do Espírito Santo, e nasceu

Leia mais

Amala e Kamala encontradas em 1920, comportamento animal. Quais as diferenças entre o homem e o animal?

Amala e Kamala encontradas em 1920, comportamento animal. Quais as diferenças entre o homem e o animal? Amala e Kamala encontradas em 1920, comportamento animal. Quais as diferenças entre o homem e o animal? Os animais são capacitados para Enfrentar certas dificuldades. asas Couro peludo rapidez Armadura

Leia mais

Marxismo e metodologia da ciência social: aprendizados, limites e possibilidades

Marxismo e metodologia da ciência social: aprendizados, limites e possibilidades Anais do IV Simpósio Lutas Sociais na América Latina ISSN: 2177-9503 Imperialismo, nacionalismo e militarismo no Século XXI 14 a 17 de setembro de 2010, Londrina, UEL GT 8. Marx e marxismos latino-americanos

Leia mais

TÓPICO ESPECIAL: OS HISTORIADORES MARXISTAS BRITÂNICOS

TÓPICO ESPECIAL: OS HISTORIADORES MARXISTAS BRITÂNICOS TÓPICO ESPECIAL: OS HISTORIADORES MARXISTAS BRITÂNICOS Optativa/Carga Horária: 60hs Código: IM 1226 A disciplina analisa a produção dos historiadores oriundos do Partido Comunista Britânico e sua contribuição

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO MAX WEBER é a ÉTICA PROTESTANTE Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir 2013 A Importância da teoria sociológica de Max Weber A obra do sociólogo alemão Max Weber para análise

Leia mais

CAPÍTULO 2: MOVIMENTOS E DOUTRINAS SOCIAIS NO SÉCULO XIX.

CAPÍTULO 2: MOVIMENTOS E DOUTRINAS SOCIAIS NO SÉCULO XIX. AULA VIRTUAL DE HISTÓRIA. CAPÍTULO 2: MOVIMENTOS E DOUTRINAS SOCIAIS NO SÉCULO XIX. PROFESSOR HAROLDO TRAZÍBULO JR. Caros alunos. Procurem interpretar não apenas textos, mas também imagens, pois é uma

Leia mais

GRUPO DE PESQUISA EM TRABALHO, EDUCAÇÃO E HISTÓRIA - GETEH

GRUPO DE PESQUISA EM TRABALHO, EDUCAÇÃO E HISTÓRIA - GETEH GRUPO DE PESQUISA EM TRABALHO, EDUCAÇÃO E HISTÓRIA - GETEH MELO, Alessandro de (Orientador/UNICENTRO) BATISTA, Viviane Silveira (UNICENTRO) SIGNORI, Zenira Maria Malacarne (UNICENTRO) Trabalhos realizados

Leia mais

Teorias da Administração Conhecimentos organizados, produzidos pela experiência prática das organizações.

Teorias da Administração Conhecimentos organizados, produzidos pela experiência prática das organizações. Introdução à Teoria Geral da Administração Organização É uma combinação intencional de recursos para atingir um determinado objetivo. O que são teorias? São explicações, interpretações ou proposições sobre

Leia mais

O FUNCIONAMENTO DA SOCIEDADE CAPITALISTA NA CONCEPÇÃO DE ÉMILE DURKHEIM E KARL MARX

O FUNCIONAMENTO DA SOCIEDADE CAPITALISTA NA CONCEPÇÃO DE ÉMILE DURKHEIM E KARL MARX O FUNCIONAMENTO DA SOCIEDADE CAPITALISTA NA CONCEPÇÃO DE ÉMILE DURKHEIM E KARL MARX FERNANDES, Piedade Maria Inglês Psicóloga Graduada pela Universidade São Marcos SP; Pedagoga Graduada pela Faculdade

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 PLANO DE CURSO C U R S O D E E N G E N H A R I A D E P R O D U Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 Componente Curricular: Sociologia Código: ENGP-191 Pré-requisito: - Período Letivo:

Leia mais

AS DIMENSÕES DA CIÊNCIA DO DIREITO

AS DIMENSÕES DA CIÊNCIA DO DIREITO 1 AS DIMENSÕES DA CIÊNCIA DO DIREITO Blandina Mara de Lima Freitas* marafreitas@msn.com ÁREA SOBRE A QUAL VERSA O ARTIGO: Teoria Geral do Direito; Introdução ao Estudo do Direito; Ciência Política; Sociologia

Leia mais

SIMULADO DE SOCIOLOGIA

SIMULADO DE SOCIOLOGIA SIMULADO DE SOCIOLOGIA 1) O que é Sociologia? a) ( ) Ciência que estuda a relação do homem com a natureza. b) ( ) Ciência que estuda o meio ambiente. c) ( ) Ciência que estuda os grupos, sua organização

Leia mais

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito PLANO DE ENSINO 1. IDENTIFICAÇÃO: CURSO: Direito TURMA: 1º Semestre/Noturno DISCIPLINA: Ciência

Leia mais

ESTADO E PODER POLÍTICO EM MARX

ESTADO E PODER POLÍTICO EM MARX 1 ESTADO E PODER POLÍTICO EM MARX Walmir Barbosa * 1- Breve biografia Karl Marx nasce na província alemã do Reno, em 5 de maio de 1818, numa família da pequena burguesia judia próspera que adere ao protestantismo

Leia mais

Ensino Médio Sociologia CMJF 2012 Prof Maj Gitirana

Ensino Médio Sociologia CMJF 2012 Prof Maj Gitirana Ensino Médio Sociologia CMJF 2012 Prof Maj Gitirana As: Teoria e Teóricos da Sociologia Não existe consenso sobre quantas são as correntes sociológicas, ou quais são os clássicos fundadores de correntes

Leia mais

Sociedade da Informação

Sociedade da Informação Sociedade da Informação Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Brasília, Abril de 2008 Profa.: Lillian Alvares Sociedade da Informação Intangibilidade Conectividade

Leia mais

VII Colóquio Internacional Marx e Engels. A transição socialista e a reestruturação radical da divisão do trabalho

VII Colóquio Internacional Marx e Engels. A transição socialista e a reestruturação radical da divisão do trabalho VII Colóquio Internacional Marx e Engels A transição socialista e a reestruturação radical da divisão do trabalho Liana França Dourado Barradas (Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social

Leia mais

Curso de Extensão Universitária A Precariedade do Trabalho no Capitalismo Global

Curso de Extensão Universitária A Precariedade do Trabalho no Capitalismo Global Individualidade pessoal de classe e genericidade humana Notas teórico criticas Nosso objetivo é esclarecer (e desenvolver) alguns elementos categoriais utilizados na aula 5 a análise crítica do filme Morte

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DISCIPLINA: UNIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO: 2015-2016 1 A PESSOA HUMANA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA

Leia mais

Autora: Gisele Leite. Apresenta: Artigos Jurídicos

Autora: Gisele Leite. Apresenta: Artigos Jurídicos Apresenta: Artigos Jurídicos Autora: Gisele Leite Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha programática e ideológica da Editora Letras Jurídicas. 2 A Influência de

Leia mais

24 de Janeiro de 2010

24 de Janeiro de 2010 Pontifícia Universidade Católica do Paraná Concurso Público da Companhia Paranaense de Energia - COPEL 24 de Janeiro de 2010 CARGO Nº 21 ANALISTA SOCIOAMBIENTAL JÚNIOR N.º DO CARTÃO NOME (LETRA DE FORMA)

Leia mais

Faculdade de Economia Economia Política I 1º Semestre de 2011 (março/julho de 2011)

Faculdade de Economia Economia Política I 1º Semestre de 2011 (março/julho de 2011) Faculdade de Economia Economia Política I 1º Semestre de 2011 (março/julho de 2011) Professores: José Trindade/Gilberto Marques e-mail: jrtrindade@uol.com.br Aulas: seg-qua, 10:30-12:30hs Conhecimento

Leia mais

Max Weber e Karl Marx: Questão social, História e Marxismo 1.

Max Weber e Karl Marx: Questão social, História e Marxismo 1. Max Weber e Karl Marx: Questão social, História e Marxismo 1. Daniela Oliveira Ramos do Passos 2 Introdução O campo de investigação tanto de Karl Marx quanto de Max Weber é o mesmo, ou seja, ambos estudam

Leia mais

O Manifesto Comunista e o sentido da ação revolucionária

O Manifesto Comunista e o sentido da ação revolucionária O Manifesto Comunista e o sentido da ação revolucionária Félix Ruiz Sánchez* Resumo: Com a publicação do Manifesto, Marx e Engels elaboraram pela primeira vez um discurso fundador da ação revolucionária

Leia mais

A PROPÓSITO DE GLOSAS CRÍTICAS

A PROPÓSITO DE GLOSAS CRÍTICAS A PROPÓSITO DE GLOSAS CRÍTICAS IVO TONET * Ode l844, no jornal alemão, de tendência democrática, Vorwaerts (Avante!). objetivo do presente é fazer a apresentação de um texto muito pouco conhecido, de Marx,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»SOCIOLOGIA«21. Max Weber percebe a sociedade através do conceito de ação social, a qual se materializa através da interação entre os homens em prol de uma dominação social. Que

Leia mais

QUESTÕES DOUTRINAS SOCIAIS

QUESTÕES DOUTRINAS SOCIAIS QUESTÕES DOUTRINAS SOCIAIS 1. Leon Trotski argumentava em 1904 que a tese política defendida por Lênin poderia "conduzir a organização do partido a substituir o partido, o Comitê central a substituir a

Leia mais

Unic Sorriso Economia

Unic Sorriso Economia Professor FÁBIO TAVARES LOBATO Economista(UFRGS) MBA Gestão em Agribusiness(FGV) MBA Gestão Empresarial(UFRJ) MBA Finanças Empresariais (UNIC) MBA Liderança e Coaching (UNIC) 3. Evolução do Pensamento

Leia mais

ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO

ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO Instituto de Educação infantil e juvenil Outono, 2013. Londrina, de. Nome: Ano: Tempo Início: término: total: Edição IX MMXIII texto Grupo A ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO Há alguns meses estamos trabalhando

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO - IED AULAS ABRIL E MAIO

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO - IED AULAS ABRIL E MAIO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO - IED AULAS ABRIL E MAIO Docente: TIAGO CLEMENTE SOUZA E-mail: tiago_csouza@hotmail.com 2. Direito como objeto de conhecimento. Conforme pudemos observar nas aulas iniciais

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A QUESTÃO SOCIAL

REFLEXÕES SOBRE A QUESTÃO SOCIAL TEORIA MARXISTA NA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE CAPITALISTA Disciplina: QUESTÃO E SERVIÇO Professora: Maria da Graça Maurer Gomes Türck Fonte: AS Maria da Graça Türck 1 Que elementos são constitutivos importantes

Leia mais

CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE

CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE CAROLINE OLIVEIRA JUNG * RESUMO Neste trabalho discute-se a questão da liberdade, o que é ser livre no século XVI e XVII, em específico dentro da Revolução

Leia mais

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Filosofia

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Filosofia CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Filosofia Código: DIR-112 Pré-requisito: Filosofia Geral Período Letivo: 2013.2 Professor: Ana Paula

Leia mais

Anna Catharinna 1 Ao contrário da palavra romântico, o termo realista vai nos lembrar alguém de espírito prático, voltado para a realidade, bem distante da fantasia da vida. Anna Catharinna 2 A arte parece

Leia mais

Sociologia Organizacional

Sociologia Organizacional DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL Sociologia Organizacional Tânia Pereira da Gama e Paula Módulo I Professora: Tânia Pereira da Gama e Paula Disciplina: Sociologia Organizacional Carga Horária: 60 ha SUMÁRIO Mensagem

Leia mais