Construção do Pré-Destilador Modelo UFV

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Construção do Pré-Destilador Modelo UFV"

Transcrição

1 CAPÍTULO VI Construção do Pré-Destilador Modelo UFV Juarez de Sousa e Silva Roberta Martins Nogueira Carlos Alberto Pinto Geraldo Lopes de Carvalho Filho Agora que o leitor adquiriu alguns conhecimentos sobre álcool combustível e destilação, irá entender como melhorar o funcionamento e aumentar o rendimento de uma coluna retificadora, pela adoção do prédestilador, modelo UFV, desenvolvido pelo editor deste manual. Nos capítulos anteriores foi mostrado que se pode produzir o álcool pela destilação do mosto fermentado ou vinho, colocado diretamente no evaporador da coluna de refluxo. Apesar do bom funcionamento de uma coluna, trabalhando diretamente com o vinho ou mosto fermentado, ela apresentará rendimento relativamente baixo, devido à grande quantidade de água contida no vinho (88% em média). Uma coluna retificadora deve ser submetida a controle mais apurado e ser operada continuamente para ser vantajosa; trata-se de equipamento mais sofisticado e, portanto, de valor mais elevado. Assim, quanto mais elevado for o teor de álcool da solução que entra no evaporador ou panela, maior será o rendimento da coluna. Por exemplo, se a coluna estiver produzindo 25 L/h de álcool, com a utilização do vinho, ela irá produzir o dobro se o operador introduzir, no evaporador,

2 128 Capítulo VI uma solução hidroalcoólica com 35 o GL de álcool (cabeça e cauda da produção de cachaça), ou um maior rendimento, ainda, com um prédestilado a 50 o GL. Se um pré-destilado com 35 o GL for repassado pelo novo prédestilador, ele passará a ter um teor alcoólico superior a 80%. Se esta nova solução (80%) for introduzida na coluna de retificação, esta terá um rendimento em álcool (92%) substancialmente aumentado e ao redor de 60 litros por hora. Para entender o que foi dito, com revisão do capítulo II, uma análise da Figura 6.1 mostra que para cada temperatura, em um alambique simples, a fase líquida e a fase de vapor de uma solução hidroalcoólica apresentam composições diferentes. Isso quer dizer, por exemplo, que, se uma solução com 24,5% de álcool tiver os seus vapores condensados, o líquido resultante terá concentração de álcool superior a 65% Composição do vapor Temperatura ºC Composição do líquido 76 Adaptado de: Shreve (1980). 0 24,5 47,4 Percentagem volumar (líquido) Azeotropo 85, ,6 78,2 C Figura Composição do vapor e do líquido do sistema água-álcool, a 760 mmhg, em função da temperatura. 68,2

3 Produção de álcool na fazenda e em sistema cooperativo 129 Pela Figura 6.2, pode-se concluir que, se um vinho ou mosto fermentado apresentar concentração de 12% (ponto 1) e for introduzido no alambique e submetido a 92 o C, a concentração da solução resultante da condensação de seus vapores será de 65% (pontos 2-3). Se a solução resultante for repassada pelo mesmo alambique a 84 o C (ponto 3), a solução resultante terá a concentração de 85% (pontos 4-5). Esse álcool já pode ser usado em seu veículo. Acumule boa quantidade de álcool 85% e passe-o pela coluna de retificação - o rendimento em álcool de alto grau será aumentado substancialmente. Figura Composição do vapor e do líquido de uma solução alcoólica, em função da temperatura. Para evitar grande número de passagens pelo alambique comum, ou tentar utilizar uma coluna para produzir o álcool diretamente do vinho, ou seja, produzir álcool de alto grau com baixa produtividade, pode-se

4 130 Capítulo VI usar um pré-destilador mais eficiente que um alambique comum e preparar quantidade suficiente de pré-destilado de alta graduação alcoólica para ser, posteriormente, retificado em uma coluna mais sofisticada. O novo pré-destilador (Figuras 6.3 a 6.8), de construção mais simples e com altura muito inferior se comparada à de uma coluna de retificação, tem condições de produzir pré-destilado de graduação alcoólica superior à do alambique comum; com apenas duas passagens, pode produzir álcool com graduação superior a 85 o GL, o qual pode ser usado para abastecer os veículos da propriedade. O pré-destilador, que deve ser construído em aço inoxidável e com chapas de 1,5 ou 2,0 mm, consta dos seguintes componentes: a) Panela para evaporação pode ser aquecida com calor direto ou indireto, por meio de serpentina. A panela pode ser construída em diversos tamanhos, mas com dimensões proporcionais às apresentadas na Figura 6.4 b) Pescoço deve ser construído com o mesmo material utilizado na construção da panela e é composto de cilindro principal e cone coletor (Figura 6.6), que deve ser conectado ao condensador secundário. O pescoço deve ser preenchido com bolas de gude até o nível do cone coletor. c) Condensador primário composto de cilindro, flanges, cone condensador e tubulações para entrada e saída de água de resfriamento (Figura 6.7). Opcionalmente, a água de saída do condensador primário pode ser usada para resfriar o condensador secundário. d) Condensador secundário - composto de uma carcaça cilíndrica em aço inoxidável e a serpentina em cobre ¾ com, no mínimo, 12m de comprimento de tubo (Figura 6.8).

5 Produção de álcool na fazenda e em sistema cooperativo 131 Figura Vista externa e interna do pré-destilador modelo UFV com aquecimento indireto, para 500L de capacidade. Figura Detalhes dos componentes do pré-destilador (vistas internas e externas).

6 132 Capítulo VI Figura Detalhe da panela de evaporação com serpentina. Figura Detalhes dos componentes do condensador primário e de tubo de ligação ao condensador secundário.

7 Produção de álcool na fazenda e em sistema cooperativo 133 Figura Detalhe do pescoço do pré-destilador e do coletor de condensado (deverá conter recheio de vidro) Figura Detalhes do condensador secundário.

8 134 Capítulo VI Outra opção para aqueles que desejam diversificar a produção de derivados alcoólicos de caldos adocicados e que não querem ou podem investir em vários equipamentos especiais, é utilizar um equipamento que incorpora, em uma única estrutura as funções de alambique simples, pré-destilador e coluna de retificação para álcool de alto grau (Figura 6.9). Basicamente, o equipamento possui três saídas: saída para aguardente (ponto inferior da coluna); para pré-destilado (álcool inferior a 80%), que é produzido em um ponto intermediário da coluna; e finalmente o álcool combustível que sai no topo da coluna. Portanto, o equipamento pode funcionar como alambique simples, como pré-destilador e como coluna de retificação e, ainda, produzir os três produtos segundo a seqüência operacional: 1. Adicione o vinho até o nível correspondente a 2/3 do volume da panela para que não ocorra o que é conhecido com vômito do alambique. 2. Aqueça a panela até a temperatura de 90 a 95 o C com os registros inferior e intermediário fechados e com o superior aberto para condensar em álcool de alto grau, que corresponde à cabeça da destilação (controlar a temperatura do refluxo superior a 78 o C). A quantidade desse destilado deve corresponder a 15% do álcool contido, inicialmente, no vinho; pode ser usada como álcool combustível. Quando isso ocorrer, feche o registro superior. 3. Com o registro superior fechado, abra o registro inferior, mantendo a temperatura do refluxo inferior a 70 o C, e condensar os vapores correspondentes ao coração da destilação que deve ser encaminhada para o envelhecimento. A quantidade de álcool contido no coração da destilação ou aguardente deve corresponder a 70% do álcool inicial contido no vinho. 4. Feche o registro inferior e abra o registro intermediário, mantendo a temperatura do refluxo superior abaixo de 70 o C. Continue a destilar até que o teor alcoólico do condensado, saindo do condensador, atinja valor inferior a 10 o GL. A partir desse ponto, praticamente não existira mais álcool no vinho.

9 Produção de álcool na fazenda e em sistema cooperativo Esgote o vinhoto da panela e reinicie o processo, caso haja mais vinho a ser destilado. Se o vinho já estiver pré-aquecido, o tempo da nova destilação será reduzido. 6. Caso contrário junte quantidade suficiente de destilado de cauda ou de final de destilação, coloque na panela e transforme o prédestilado em álcool combustível, mantendo os registros inferior e intermediário fechados e o controle de refluxo superior em 78 o C. 7. Toda vez que o processo de destilação deva ser interrompido por períodos superiores a um dia, deve-se lavar todo o conjunto. A lavagem deve ser feita com água, sob pressão, injetada via tubo de saída do destilado que passa pelo registro superior. 8. Quando for drenar a panela, mantenha o registro de carga aberto para evitar pressão negativa dentro do sistema. Figura Vista geral e detalhes do sistema multifuncional (alambique, pré-destilador e coluna de alto grau).

10 136 Capítulo VI Muitos dos componentes da coluna multifuncional são semelhantes e construídos com os mesmos materiais do pré-destilador visto na Figura 6.3. Por exemplo, a panela (Figura 6.5), os cones coletores para prédestilado (superior) e para aguardente (Figura 6.6) e o condensador secundário (Figura 6.8) têm as mesmas funções e dimensões que aparecem no pré-destilador. A diferença básica é que a coluna multifuncional possui dois controladores de refluxos: um superior (Figura 6.10 a), para manter a temperatura que permita a obtenção de álcool de alto grau (78 o C); e um inferior (Figura 6.10 b), para provocar a condensação dos vapores que constituem a aguardente (manter o mais frio possível). Tanto o controle inferior como o superior pode ser construído com a mesma arquitetura, ou seja, com serpentina ou com tubos. O coletor de álcool e o coletor de cachaça (opcional) são parecidos semelhantes e formados por dois troncos de cones enclausurados em um cilindro. O troco de cone superior permite que o líquido descendente seja depositado no tronco de cone inferior ou funil que, por sua vez é conectado com o condensador (figuras 6.11 a e 6.11b) Os detalhes e dimensões dos outros componentes da coluna multifuncional podem ser vistos na Figura 6.12a e Figura 6.12b. O corpo da coluna deve ser provido, na base, de uma grade ou chapa perfurada (furos retangulares) para suportar o recheio de bolinhas de gude. A área perfurada da grade deve corresponder a, no mínimo, 60% da área transversal do corpo da coluna. Para completar o sistema, o topo da coluna, em forma de uma calota, deve ser conectada, por meio de tubo inox de 25mm ou (1"), ao registro superior ou registro de saída de álcool (Figura 6.13).

11 Produção de álcool na fazenda e em sistema cooperativo 137 Figura Controladores de refluxo (a) superior e (b) inferior. Figura Detalhes internos e externos do coletor de destilados.

12 138 Capítulo VI Figura Detalhes e dimensões do corpo da coluna. Figura Detalhes do topo da coluna.

13 Produção de álcool na fazenda e em sistema cooperativo 139 Figura Detalhes das tubulações, conexões e registros do sistema.

MINI-CURSO DE PRODUÇÃO DE CACHAÇA ARTESANAL

MINI-CURSO DE PRODUÇÃO DE CACHAÇA ARTESANAL III JORNADA ACADÊMICA DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE UNIBH MINI-CURSO DE PRODUÇÃO DE CACHAÇA ARTESANAL PROFESSOR: José Guilherme

Leia mais

Noções Sobre Fermentação e Produção de Álcool na Fazenda

Noções Sobre Fermentação e Produção de Álcool na Fazenda CAPÍTULO I Noções Sobre Fermentação e Produção de Álcool na Fazenda Juarez de Sousa e Silva Julio César de Jesus Sandra Maria Couto Generalidades O álcool de cana, se considerado como uma alternativa para

Leia mais

Tecnologia solar de alta eficiência para aquecimento de água

Tecnologia solar de alta eficiência para aquecimento de água [ Ar ] [ Água ] [ Terra ] Tecnologia Solar [ Buderus ] Tecnologia solar de alta eficiência para aquecimento de água Coletores Logasol Controladores Logamatic Estação Logasol Vasos de expansão Bomba circuladora

Leia mais

FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA AGUARDENTE. Prof(a): Erika Liz

FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA AGUARDENTE. Prof(a): Erika Liz FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA AGUARDENTE Prof(a): Erika Liz Outubro - 2010 HISTÓRICO A cana-de-açúcar era conhecida e apreciada desde as mais antigas civilizações. Alexandre, o Grande, foi levada para a Pérsia,

Leia mais

ROBERTA MARTINS NOGUEIRA ANÁLISE DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL DE ÁLCOOL COMBUSTÍVEL, AGUARDENTE E LEITE, A PARTIR DA CANA-DE- AÇÚCAR.

ROBERTA MARTINS NOGUEIRA ANÁLISE DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL DE ÁLCOOL COMBUSTÍVEL, AGUARDENTE E LEITE, A PARTIR DA CANA-DE- AÇÚCAR. ROBERTA MARTINS NOGUEIRA ANÁLISE DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL DE ÁLCOOL COMBUSTÍVEL, AGUARDENTE E LEITE, A PARTIR DA CANA-DE- AÇÚCAR. Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das

Leia mais

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL

TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL TANQUES DE ARMAZENAMENTO E AQUECIMENTO DE ASFALTO E COMBUSTÍVEL A ampla linha de tanques de armazenamento e aquecimento de asfalto da Terex

Leia mais

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Química Materiais, suas propriedades e usos Estados Físicos Estado vem do latim status (posição,situação, condição,modo de estar). O estado físico

Leia mais

Introdução. Equipamentos necessários para produção de cerveja

Introdução. Equipamentos necessários para produção de cerveja Introdução O objetivo deste manual é demonstrar a construção dos equipamentos básicos para produção caseira de cerveja, sem a necessidade de ferramentas profissionais e utilizando materiais encontrados

Leia mais

COLUNA DE RETIFICAÇÃO DE ÁLCOOIS RESIDUAIS: ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO EM NEGÓCIO RENTÁVEL

COLUNA DE RETIFICAÇÃO DE ÁLCOOIS RESIDUAIS: ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO EM NEGÓCIO RENTÁVEL COLUNA DE RETIFICAÇÃO DE ÁLCOOIS RESIDUAIS: ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO EM NEGÓCIO RENTÁVEL Erika Cristina CREN (1) * ; Felipe Moreton CHOLFI (2); Cristiano de Castro LEITE (3); Rafael de Souza Leite ARDITO

Leia mais

Informações Gerais Trocadores de Calor / Chiller de Placas

Informações Gerais Trocadores de Calor / Chiller de Placas Informações Gerais Trocadores de Calor / Chiller de Placas Somos especializados em trocadores de calor e importamos desde 2009. Eles são fabricados sob a supervisão de um técnico nosso e foram adaptados

Leia mais

CARBAMATO DE ETILA EM CACHAÇAS DE ALAMBIQUE

CARBAMATO DE ETILA EM CACHAÇAS DE ALAMBIQUE CARBAMATO DE ETILA EM CACHAÇAS DE ALAMBIQUE Luciana de Freitas Tessarolo 1, Núria Angelo Gonçalves 2, Marcos Roberto Teixeira Halasz 3. 1. Mestranda em Meteorologia do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Leia mais

Lista sugerida de Equipamentos e Fornecedores para Produção de Cerveja Caseira

Lista sugerida de Equipamentos e Fornecedores para Produção de Cerveja Caseira Fogareiro médio cromado 12 caulings RG 35 cm 3 UNIDADE S Usados para aquecer as panelas durante a mostura, fervura e aquecimento da água para a lavagem/sparge. Balança digital balmak easy-5 5kg graduação

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado Fundamentos de Engenharia Solar Racine T. A. Prado Coletores Solares Um coletor solar é um tipo específico de trocador de calor que transforma energia solar radiante em calor. Duffie; Beckman Equação básica

Leia mais

Como fazer cerveja COMO FAZER 25 LITROS DE CERVEJA ALE (ALTA FERMENTAÇÃO) Malte Château Pilsen. Lúpulo Spalt Select 5,4% Ácido Alfa

Como fazer cerveja COMO FAZER 25 LITROS DE CERVEJA ALE (ALTA FERMENTAÇÃO) Malte Château Pilsen. Lúpulo Spalt Select 5,4% Ácido Alfa Início Como fazer Kit Cervejeiro 30L Kit Cervejeiro até 60L Matérias-Primas Você está em: Página inicial > Como fazer Versão para impressão Envie por e-mail Solicite informações Fale conosco Como fazer

Leia mais

Fermentação. 11º SBA Seminário Brasileiro Agroindustrial Ribeirão Preto, Outubro 2010. Henrique Amorim

Fermentação. 11º SBA Seminário Brasileiro Agroindustrial Ribeirão Preto, Outubro 2010. Henrique Amorim Fermentação 11º SBA Seminário Brasileiro Agroindustrial Ribeirão Preto, Outubro 2010 Henrique Amorim SEDE FERMENTEC SEDE FERMENTEC Nossos Serviços CONSULTORIA (TRANSFERENCIA DE TECNOLOGIA) CURSOS E TREINAMENTOS

Leia mais

Projeto de instalação para chopeiraresidencial (pre resfriador MÉDIO) - Torre Naja (Italiana) com 1 torneira + gela copos

Projeto de instalação para chopeiraresidencial (pre resfriador MÉDIO) - Torre Naja (Italiana) com 1 torneira + gela copos Projeto instalação para chopeiraresincial (pre resfriador MÉDIO) - Torre Naja (Italiana) com 1 torneira + gela copos para troca calor 2 unidas Inclusas bancada granito Vista frente gela copos embutido

Leia mais

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos F.02 Espelhos Planos e Esféricos 2º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 Lista 04 Questão 01) Obedecendo às condições de Gauss, um espelho esférico fornece, de um objeto retilíneo de

Leia mais

Sistemas para Estacionamento e Vagas de Garagem DUPLIKAR. Projetamos e desenvolvemos inúmeras soluções para estacionamentos.

Sistemas para Estacionamento e Vagas de Garagem DUPLIKAR. Projetamos e desenvolvemos inúmeras soluções para estacionamentos. A Empresa A Duplikar é representante autorizado da marca Engecass, queremos apresentar uma solução caso tenha necessidades de aumentar suas vagas de garagem. A Engecass é uma indústria Brasileira, fabricante

Leia mais

AQUECIMENTO SOLAR PISCINA RESIDENCIAL GRANDE PORTE CDT

AQUECIMENTO SOLAR PISCINA RESIDENCIAL GRANDE PORTE CDT CONHECENDO O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR CENTER SOL Componentes do Sistema de Aquecimento Reservatório de Água Fria: É o reservatório principal de água que possui uma ligação direta com o Reservatório

Leia mais

Problemas de Fluidos

Problemas de Fluidos Problemas de Fluidos DADOS: ρ água = g cm 3 γ água = 0,073 N m ρ mercúrio = 3,6 g cm 3 γ mercúrio = 0,54 N m ρ glicerina =,6 g cm 3 ρ ar =,5 kg m 3 g = 9,8 m s Densidade; Pressão; Tensão Superficial; Capilaridade

Leia mais

Sistema solar. Porquê Vaillant? Para aproveitar toda a energia do sol na sua casa. aurostep plus 150, 250 e 350. Porque o futuro é

Sistema solar. Porquê Vaillant? Para aproveitar toda a energia do sol na sua casa. aurostep plus 150, 250 e 350. Porque o futuro é Sistema solar Porquê Vaillant? Para aproveitar toda a energia do sol na sua casa aurostep plus 50, e 350 Porque o futuro é aurostep plus simples e eficaz sistema solar aurostep plus O sistema aurostep

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA INDÚSTRIA CANAVIEIRA NO SETOR DE FEREMENTAÇÃO E DESTILAÇÃO RESUMO

GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA INDÚSTRIA CANAVIEIRA NO SETOR DE FEREMENTAÇÃO E DESTILAÇÃO RESUMO GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA INDÚSTRIA CANAVIEIRA NO SETOR DE FEREMENTAÇÃO E DESTILAÇÃO Diego Pinheiro Fatarelli dpfatarelli@hotmail.com Ariane Comparetti Silva acomparetti@hotmail.com Amanda

Leia mais

ANCORAS METALICAS. Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos

ANCORAS METALICAS. Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos ANCORAS METALICAS Projetos / Aplicações / Importância / Análise de danos Conceito Âncoras / Clipes / Chumbadores Grapas Rabo de andorinha / Grampo Conceito Âncoras / Clipes / Chumbadores Grapas Rabo de

Leia mais

CRIAÇÃO DE UM TOTALMENTE NOVO

CRIAÇÃO DE UM TOTALMENTE NOVO Nós Apostamos nosso Legado na CRIAÇÃO DE UM TOTALMENTE NOVO Por aproximadamente 75 anos, a Thermo King ofereceu produtos e desempenho superiores para seus clientes. E com o Precedent estamos elevando esta

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE MELHORIAS NO PROCESSO DE TRATAMENTO TÉRMICO PARA ALÍVIO DE TENSÕES DE COMPONENTES DE COLUNA DE DIREÇÃO

IMPLEMENTAÇÃO DE MELHORIAS NO PROCESSO DE TRATAMENTO TÉRMICO PARA ALÍVIO DE TENSÕES DE COMPONENTES DE COLUNA DE DIREÇÃO ILHA SOLTEIRA XII Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 22 a 26 de agosto de 2005 - Ilha Solteira - SP Paper CRE05-TC08 IMPLEMENTAÇÃO DE MELHORIAS NO PROCESSO DE TRATAMENTO TÉRMICO

Leia mais

AQUECEDOR SOLAR ESFERICO NADO LIVRE

AQUECEDOR SOLAR ESFERICO NADO LIVRE AQUECEDOR SOLAR ESFERICO NADO LIVRE PISCINAS INDUSTRIAS E AGUA DE CONSUMO RESIDENCIAIS /COMERCIAIS /ESPORTIVAS /ACADEMIAS/INDUSTRIA ALTO RENDIMENTO/ ALTA EFICIENCIA FORMATO ESFERICO EM POLICARBONATO APROVEITAMENTO

Leia mais

COMPLEMENTARES. Desde 1950, a Hatco tem sido um líder na criação de ideias inovadoras para o sector alimentar.

COMPLEMENTARES. Desde 1950, a Hatco tem sido um líder na criação de ideias inovadoras para o sector alimentar. Desde 1950, a Hatco tem sido um líder na criação de ideias inovadoras para o sector alimentar. Produtos desenhados e construídos para lidar com as tarefas mais duras e exigentes das operações em serviços

Leia mais

Não protegido contra penetração nociva de água

Não protegido contra penetração nociva de água 1 Simbologia Significa equipamento desligado Significa equipamento ligado Este símbolo indica que o equipamento causa efeitos fisiológicos e que o usuário deve verificar o manual de instruções antes do

Leia mais

Sua solução - todos os dias

Sua solução - todos os dias Sua solução - todos os dias A produção de um leite de qualidade depende de diversos fatores, entre eles a higiene da ordenha e do tanque, a manutenção dos equipamentos, a disponibilidade de um ambiente

Leia mais

Determinação da condutividade térmica do Cobre

Determinação da condutividade térmica do Cobre Determinação da condutividade térmica do Cobre TEORIA Quando a distribuição de temperatura de um corpo não é uniforme (ou seja, diferentes pontos estão a temperaturas diferentes), dá-se expontaneamente

Leia mais

FÍSICA. Dados: Velocidade da luz no vácuo: 3,0 x 10 8 m/s Aceleração da gravidade: 10 m/s 2 1 4πε. Nm 2 /C 2

FÍSICA. Dados: Velocidade da luz no vácuo: 3,0 x 10 8 m/s Aceleração da gravidade: 10 m/s 2 1 4πε. Nm 2 /C 2 Dados: FÍSICA Velocidade da luz no vácuo: 3,0 x 10 8 m/s Aceleração da gravidade: 10 m/s 1 4πε 0 = 9,0 10 9 Nm /C Calor específico da água: 1,0 cal/g o C Calor latente de evaporação da água: 540 cal/g

Leia mais

ESQUENTADORES SENSOR GREEN

ESQUENTADORES SENSOR GREEN ESQUENTADORES SENSOR GREEN SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice A eficiência na produção de água quente em grandes quantidades 03 Aplicações e Utilizações 05 Benefícios para o Instalador 06 Líder em Tecnologia

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES FONTE DE ALIMENTAÇÃO AUTOMOTIVA USINA MODELO: SUV-14460BV Fonte Chaveada Usina 60A-14,4V Antes de Efetuar qualquer ligação em sua fonte, leia atentamente o manual de instruções. Apresentação

Leia mais

24 25 e 29 25 e 29 25 e 31 25 e 31 25 a 31 25 e 29. sim sim sim. não não sim. atmosférico. atmosférico. mural interior.

24 25 e 29 25 e 29 25 e 31 25 e 31 25 a 31 25 e 29. sim sim sim. não não sim. atmosférico. atmosférico. mural interior. a gás gama completa CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Tipo de Equipamento Potência (kw) Tipo de Combustível Aquecimento (alta temperatura) Aquecimento (baixa temperatura) AQS Instantânea AQS Acumulação Incorporada

Leia mais

Proteja a qualidade do seu leite Tanques resfriadores DeLaval

Proteja a qualidade do seu leite Tanques resfriadores DeLaval DeLaval Brasil Rodovia Campinas Mogi-Mirim - KM 133,10 - S/N Bairro Roseira - Jaguariúna/SP - CEP: 13820-000 Telefone: (19) 3514-8201 comunicacao@delaval.com www.delaval.com.br Sua revenda DeLaval Proteja

Leia mais

Introdução. 1. Generalidades. Para o aço estrutural. Definição

Introdução. 1. Generalidades. Para o aço estrutural. Definição Introdução Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil PGECIV - Mestrado Acadêmico Faculdade de Engenharia FEN/UERJ Disciplina: Tópicos Especiais em Estruturas (Chapa Dobrada) Professor: Luciano Rodrigues

Leia mais

Curso de Farmácia. Operações Unitárias em Indústria Prof.a: Msd Érica Muniz 6 /7 Período DESTILAÇÃO

Curso de Farmácia. Operações Unitárias em Indústria Prof.a: Msd Érica Muniz 6 /7 Período DESTILAÇÃO Curso de Farmácia Operações Unitárias em Indústria Prof.a: Msd Érica Muniz 6 /7 Período DESTILAÇÃO 1 Introdução A destilação como opção de um processo unitário de separação, vem sendo utilizado pela humanidade

Leia mais

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas O PERFIL DA CACHAÇA CARACTERÍSTICAS GERAIS DO SETOR No mercado de cachaça, existem dois tipos da bebida: a caninha industrial e a cachaça artesanal de alambique. A primeira possui teor alcoólico de 38%

Leia mais

Treinamento em transformadores- Programa 1

Treinamento em transformadores- Programa 1 Treinamento em transformadores- Programa 1 Módulo 1: Núcleo Caminho de passagem da energia magnética Perdas a vazio Corrente de excitação Nível de ruído Descargas parciais Gás-cromatografia Chapas de M4

Leia mais

Dobramento. e curvamento

Dobramento. e curvamento Dobramento e curvamento A UU L AL A Nesta aula você vai conhecer um pouco do processo pelo qual são produzidos objetos dobrados de aspecto cilíndrico, cônico ou em forma prismática a partir de chapas de

Leia mais

TERMO DE GARANTIA. 4 Fica automaticamente cancelada a garantia se vier a ocorrer qualquer das condições abaixo:

TERMO DE GARANTIA. 4 Fica automaticamente cancelada a garantia se vier a ocorrer qualquer das condições abaixo: SUMÁRIO TERMO DE GARANTIA...03 PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA...05 INFORMAÇÕES GERAIS...06 CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO...07 Vista detalhada...07 Painel de Controle Digital...08 Operação do Painel de Controle...09

Leia mais

EPISÓDIO 3 - CALDOS. Como preparar as diferentes bases para todos os molhos.

EPISÓDIO 3 - CALDOS. Como preparar as diferentes bases para todos os molhos. EPISÓDIO 3 - CALDOS Como preparar as diferentes bases para todos os molhos. INTRODUÇÃO Além de agregarem bastante sabor aos preparos, os caldos preparados em casa são muito mais saudáveis do que os industrializados.

Leia mais

AUMENTO DO EFEITO ESTUFA ATRAVÉS DO USO DE FILMES EM SUPERFÍCIES DE VIDRO

AUMENTO DO EFEITO ESTUFA ATRAVÉS DO USO DE FILMES EM SUPERFÍCIES DE VIDRO AUMENTO DO EFEITO ESTUFA ATRAVÉS DO USO DE FILMES EM SUPERFÍCIES DE VIDRO Silvio Romero de Melo Manoel Leonel de Oliveira Neto George Santos Marinho Programa de Pós Graduação em Engenharia Mecânica CT

Leia mais

ANALISADORES DE GASES

ANALISADORES DE GASES BGM BOMBA DE SUCÇÃO SÉRIE COMPACTA ANALISADORES DE GASES Descrição: Gera uma depressão no processo, succionando a amostra e criando a vazão exata para atender o tempo necessário de condicionamento do gás

Leia mais

Sistemas solares compactos Solar Easy AQS

Sistemas solares compactos Solar Easy AQS Solar Easy AQS Os sistemas SOLAR EASY AQS integram no mínimo espaço possível grupo hidráulico, vaso de expansão e central de regulação, totalmente ligados e cablados. A gama está composta por 14 sistemas

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções (Party Cooler s Thermomatic) Modelo: 40 litros & 77 litros Obrigado por escolher a série dos Party Cooler s da Thermomatic. Para garantir o uso correto das operações, por favor, leia

Leia mais

MANUAL: O CHOPP BEM TIRADO

MANUAL: O CHOPP BEM TIRADO MANUAL: O CHOPP BEM TIRADO No mundo inteiro, a cada dia, mais e mais pessoas se deixam seduzir pelo insuperável sabor das bebidas fermentadas, como a cerveja, e, particularmente do chopp. No Brasil, é

Leia mais

FAÇA VOCÊ MESMO UM FOGÃO SOLAR

FAÇA VOCÊ MESMO UM FOGÃO SOLAR Prepare seus alimentos com a energia do sol! FAÇA VOCÊ MESMO UM FOGÃO SOLAR www.sustentavelnapratica.net Elaborado por: Andrea Zimmermann e Fabio França FOGÃO SOLAR Características e vantagens: Uso de

Leia mais

OPERAÇÃO DE DESTILAÇÃO ETANOL-ÁGUA CONDUZIDA EM UMA COLUNA DE DESTILAÇÃO PILOTO

OPERAÇÃO DE DESTILAÇÃO ETANOL-ÁGUA CONDUZIDA EM UMA COLUNA DE DESTILAÇÃO PILOTO OPERAÇÃO DE DESTILAÇÃO ETANOL-ÁGUA CONDUZIDA EM UMA COLUNA DE DESTILAÇÃO PILOTO Willy Rodrigo de Araujo 1 ; Rivana Mabel Lucena Oliveira 2 ; Cynthia Vasconcelos de Araujo 3 ; Romildo Brito 4 ; Heleno Júnior

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO MONTAGEM E OPERAÇÃO DA FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA

MEMORIAL DESCRITIVO MONTAGEM E OPERAÇÃO DA FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA MEMORIAL DESCRITIVO MONTAGEM E OPERAÇÃO DA FOSSA SÉPTICA BIODIGESTORA 1. INTRODUÇÃO Este memorial descritivo se destina a orientar a montagem e a operação do sistema de tratamento de efluentes denominado

Leia mais

Manual de Instrucoes. Caldeirao Gas Vapor. o futuro chegou a cozinha. refrigeracao coccao linha modular exposicao distribuicao apoio

Manual de Instrucoes. Caldeirao Gas Vapor. o futuro chegou a cozinha. refrigeracao coccao linha modular exposicao distribuicao apoio Manual de Instrucoes Caldeirao Gas Vapor o futuro chegou a cozinha refrigeracao coccao linha modular exposicao distribuicao apoio Obrigado por ter adquirido Equipamentos ELVI É com satisfação que entregamos

Leia mais

Sistemas de Climatização

Sistemas de Climatização Sistemas de Climatização PROFESSOR: FÁBIO FERRAZ 1 SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO Climatizar ambientes - processo de tratamento de ar em recintos fechados, de modo a controlar simultaneamente a sua temperatura,

Leia mais

ManualdeInstruções. www.odontomega.com.br

ManualdeInstruções. www.odontomega.com.br ManualdeInstruções MotorOzBlack www.odontomega.com.br Índice 1. Introdução... 2 2. Especificações do produto... 2 3. Nomes das Partes... 3 4. Montando e utilizando o Motor OZ Black... 4 5. Sugestões de

Leia mais

Linha completa de aquecimento para banho e piscina Coletores solares Heliotek A força da nova geração

Linha completa de aquecimento para banho e piscina Coletores solares Heliotek A força da nova geração Linha completa de aquecimento para banho e piscina Coletores solares Heliotek A força da nova geração Ao contrário dos coletores comuns, que perdem a eficiência com o passar dos anos, os novos coletores

Leia mais

Sugestão de Receita American India Pale Ale

Sugestão de Receita American India Pale Ale Ingredientes 4kg de malte Pilsen 1kg de malte Munich 500g de malte Carared 200g de malte Caramunich 34 litros de água mineral 50g de lúpulo Chinook 55g de lúpulo Cascade 11,5g de levedura Fermentis US-05

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

Divisão Construção Civil PUR/PIR Av. Nações Unidas, 12551 conj. 2404 - WTC 04578-903 São Paulo - SP - Brasil Fone: +55 11 3043-7883 Fax: +55 11

Divisão Construção Civil PUR/PIR Av. Nações Unidas, 12551 conj. 2404 - WTC 04578-903 São Paulo - SP - Brasil Fone: +55 11 3043-7883 Fax: +55 11 1 Por que usar termoisolamento em PUR/PIR? 2 Soluções para canteiro de obra Danica. 3 Premissas construtivas 2.2.2 - COBERTURAS: A cobertura terá telhas termoisolantes com espessura de 30 mm com isolamento

Leia mais

Manual do Usuário. Importante Antes de usar o seu Aquecedor Solar Solquent, leia este manual. Imagem Ilustrativa

Manual do Usuário. Importante Antes de usar o seu Aquecedor Solar Solquent, leia este manual. Imagem Ilustrativa Manual do Usuário Imagem Ilustrativa Importante Antes de usar o seu Aquecedor Solar Solquent, leia este manual. * Este Manual inclui Certificado de Garantia. ÍNDICE Apresentação... 03 Instruções de Segurança...

Leia mais

Sede Rua G-Lote 51 Zona Industrial Tomar 2305-127 Asseiceira-Tomar. Tel: 249310540 Fax: 249310549/8 Correio electrónico: afrizal@afrizal.

Sede Rua G-Lote 51 Zona Industrial Tomar 2305-127 Asseiceira-Tomar. Tel: 249310540 Fax: 249310549/8 Correio electrónico: afrizal@afrizal. Colector Solar Plano FCLS Código DESRIÇÃO 05.01 Colector solar inox 05.02 Colector solar preto (galvanizado) 05.03 Colector solar inox selectivo 12.03 Litro de líquido Anti-Congelante 12.04 Garrafão de

Leia mais

DPR. Secador de Ar Comprimido por Refrigeração

DPR. Secador de Ar Comprimido por Refrigeração DPR Secador de Ar Comprimido por Refrigeração DPR Tecnologia DPR A hb ar comprimido se preocupa continuamente com o desenvolvimento e o aperfeiçoamento de seus produtos e serviços afim de superar as necessidades

Leia mais

1ªsérie 1º período Q U Í M I C A

1ªsérie 1º período Q U Í M I C A 2.1 Dados: densidades a 25 C (g/cm 3 ): polietileno = 0,91 a 0,98; água = 1,0; poliestireno = 1,04 a 1,06; policloreto de vinila = 1,5 a 1,42. QUESTÃO 1 A morte da cantora Amy Winehouse mostrou que não

Leia mais

Recuperador de Calor: Modelos: box 6 box 7 box 10 GUIA DO UTILIZADOR

Recuperador de Calor: Modelos: box 6 box 7 box 10 GUIA DO UTILIZADOR Recuperador de Calor: Modelos: box 6 box 7 box 10 GUIA DO UTILIZADOR Sumário 1 - Introdução 2 - Informação Técnica 2.1 - Considerações para o correcto funcionamento 3 - Utilização 3.1 - Acender e controlar

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO 1- INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO 1- INSTALAÇÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO 1- INSTALAÇÃO 1.1 LOCAL DE INSTALAÇÃO O local onde o equipamento será instalado deve ser coberto bem arejado e livre da ação dos raios solares, bem como distante de fogões,

Leia mais

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013. Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir.

DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013. Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir. DISCIPLINA AMB30093 TERMODINÂMICA - Aula 3 17/10/2013 Prof. Robson Alves de Oliveira robson.aoliveira@gmail.com.br robson.oliveira@unir.br Ji-Paraná - 2013 Porque a água atinge o seu ponto máximo em 3,98

Leia mais

PURIFICADOR DE AGUA MASTERFRIO

PURIFICADOR DE AGUA MASTERFRIO PURIFICADOR DE AGUA MASTERFRIO NOVA VERSÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Modelo Compressor Modelo eletrônico Prezado Cliente, A Masterfrio cumprimenta-o pela escolha feita ao comprar o nosso Purificador de Água.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Linha de Fornos a gás Modelos: S651/S652/S653/S656/S657/S658/S660/S661/S662/ S665/S666/S667/S670/S671/S672/S675/S676/S677 ATENÇÃO! - Leia e siga rigorosamente as instruções deste manual

Leia mais

Módulo I Conceitos Fundamentais e Sistemas de Unidades

Módulo I Conceitos Fundamentais e Sistemas de Unidades Módulo I Conceitos Fundamentais e Sistemas de Unidades Introdução A termodinâmica é a ciência que trata da energia. Apesar de facilmente podermos entender a energia é difícil defini-la com exatidão. Podemos

Leia mais

Posição Quantid. Descrição Preço Unit.

Posição Quantid. Descrição Preço Unit. Posição Quantid. Descrição Preço Unit. 1 MAGNA 32-12 Preço a pedido Nota! Imagem do produto pode diferir do prod. real Código: 96513625 A bomba dispõe de um rotor encamisado, ou seja, a bomba e o motor

Leia mais

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Desumidificador Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Obrigado por escolher esse produto. Por favor, leia esse manual de instrução antes de usar o aparelho. Índice: Introdução do Produto... 1 Instrução de Uso...

Leia mais

Sua água na temperatura ideal

Sua água na temperatura ideal Sua água na temperatura ideal A Pizziolo Refrigeração está instalada na cidade de Ubá, na Zona da Mata de Minas Gerais, e em 2011 celebra 40 anos de tradição. Nossa história começou em 1971, quando demos

Leia mais

Secador e filtros para ar e gases. Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção.

Secador e filtros para ar e gases. Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção. Secador e filtros para ar e gases Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção. Secador e filtros para ar e gases Garantia de ar comprimido

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 25

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 25 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 25 Segurança contra incêndio para líquidos combustíveis e inflamáveis Parte 3

Leia mais

ANTISAGTEST Norma ASTM Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros.

ANTISAGTEST Norma ASTM Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros. ANTISAGTEST Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros. APARELHO TIPO PENTE Medidor de camada úmida escalas de medição:

Leia mais

ENVELHECIMENTO DE CACHAÇA ARTESANAL EM TONÉIS DE DIVERSOS TIPOS DE MADEIRA COM 20L DE CAPACIDADE

ENVELHECIMENTO DE CACHAÇA ARTESANAL EM TONÉIS DE DIVERSOS TIPOS DE MADEIRA COM 20L DE CAPACIDADE ENVELHECIMENTO DE CACHAÇA ARTESANAL EM TONÉIS DE DIVERSOS TIPOS DE MADEIRA COM 20L DE CAPACIDADE 1 Betania V. Silva, 2 João Nunes de Vasconcelos 1 Bolsista de iniciação Científica PIBIC/CNPQ/UFAL, discente

Leia mais

Como efetuar a encomenda 1 0 1 H. 1 0 0 0 1 0 0 0 4 0 0

Como efetuar a encomenda 1 0 1 H. 1 0 0 0 1 0 0 0 4 0 0 1 Como efetuar a encomenda 1 0 1 H 1 0 0 0 1 0 0 0 4 0 0 Tipo de resistência Diâmetro (ø) H 101H Polegadas sem termopar, fios 0mm Métrico sem termopar, fios 0mm 065 6,5mm 080 8,0mm 10,0mm 0040 40mm 0050

Leia mais

WATTCRON SUA MELHOR OPÇÃO EM AQUECIMENTO INDUSTRIAL

WATTCRON SUA MELHOR OPÇÃO EM AQUECIMENTO INDUSTRIAL WATTCRON SUA MELHOR OPÇÃO EM AQUECIMENTO INDUSTRIAL SOBRE A WATTCRON Fundada em 1997 com sede própria na rua Gonçalves Dias, 69 - Catumbi - São Paulo - SP. A Wattcron tem o compromisso com a qualidade

Leia mais

V-PAD Termopares para superfície de tubos Modelo TC59-V

V-PAD Termopares para superfície de tubos Modelo TC59-V Medição Elétrica de Temperatura V-PAD Termopares para superfície de tubos Modelo TC59-V Folha de dados WIKA TE 65.59 Aplicações Indústrias Químicas Aplicações com vapor super aquecido Refinarias Fornos

Leia mais

Gamadaric. Indústria de Produtos Metálicos, Lda. Manual de utilização da Salamandra & GARANTIA

Gamadaric. Indústria de Produtos Metálicos, Lda. Manual de utilização da Salamandra & GARANTIA Gamadaric Indústria de Produtos Metálicos, Lda Manual de utilização da Salamandra & GARANTIA Manual de Utilização da Salamandra a lenha pág. 2 Introdução Antes de utilizar pela primeira vez a salamandra,

Leia mais

Caldeiras Manoel O. A. Méndez

Caldeiras Manoel O. A. Méndez Caldeiras Manoel O. A. Méndez FEAU - Faculdade de Engenharia Arquitetura e Urbanismo 12 de agosto de 2015 Manoel Méndez Caldeiras 1/24 Sumário Introdução 1 Introdução 2 Descoberta do vapor Uso do vapor

Leia mais

JOÃO ALZIRO HERZ DA JORNADA

JOÃO ALZIRO HERZ DA JORNADA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria Inmetro nº 648, de 12 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE DO INSTITUTO

Leia mais

Linha Dynabrade de Lixadeiras com Aspiração

Linha Dynabrade de Lixadeiras com Aspiração Reorder No. D08.16 Linha Dynabrade de Lixadeiras com Aspiração Alta Eficiência na Aspiração de Resíduos de Lixamento Modelos de 2", 3" e 5" de Diâmetro (51 mm, 76 mm e 127 mm) Saia de aspiração para sucção

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são

Leia mais

Catálogo geral Fancoil

Catálogo geral Fancoil Catálogo geral Fancoil 1 Catálogo Técnico de unidades Intercambiadoras de calor Índice 1- Características Construtivas 3 2- Nomenclatura 4 3- Dados Nominais 5 4- Diâmetro dos coletores 7 5- Peso dos equipamentos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO ELÉTRICO PRP-5000 E PRP-2008 E PRP-2010EN PRP-2012EN. www.progas.com.br www.braesi.com.br

MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO ELÉTRICO PRP-5000 E PRP-2008 E PRP-2010EN PRP-2012EN. www.progas.com.br www.braesi.com.br MANUAL DE INSTRUÇÕES TURBO ELÉTRICO Progás Indústria Metalúrgica Ltda. Av. Eustáquio Mascarello, Desvio Rizzo Caxias do Sul RS Brasil Fone: 000.. www.progas.com.br e mail: progas@progas.com.br Data de

Leia mais

CAPÍTULO IV SISTEMA DE PROTEÇÃO

CAPÍTULO IV SISTEMA DE PROTEÇÃO CAPÍTULO IV SISTEMA DE PROTEÇÃO PROFESSOR: SÉRGIO QUEIROZ DE ALMEIDA 1 CAPÍTULO IV SISTEMA DE PROTEÇÃO 4.1 PROTEÇÃO DE ESTRUTURAS - CONCEITOS Um Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA)

Leia mais

Collector GPRS. Manual do Usuário

Collector GPRS. Manual do Usuário Collector GPRS Manual do Usuário Contronics Automação Ltda. Rua Tenente Silveira, 225 Ed. Hércules - 10 andar Centro - Florianópolis - SC, 88010-300 Brasil Fone: (48) 2106 2222 Fax: (48) 2106 2211 E-mail:

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

Geradoras de água quente ("caldeiras") Soluções eficientes e sustentáveis para aquecimento de água, geração de vapor e cogeração

Geradoras de água quente (caldeiras) Soluções eficientes e sustentáveis para aquecimento de água, geração de vapor e cogeração Geradoras Logano e controladores Logamatic 1 Geradoras de água quente ("caldeiras") Soluções eficientes e sustentáveis para aquecimento de água, geração de vapor e cogeração 2 Geradoras Logano e controladores

Leia mais

Manual de Instalação e Manutenção. Millennium. revisão: 1 data de atualização:14/01/2009

Manual de Instalação e Manutenção. Millennium. revisão: 1 data de atualização:14/01/2009 Manual de Instalação e Manutenção Millennium revisão: 1 data de atualização:14/01/2009 Índice 1 Apresentação.............................. pg.03 2 Componentes.............................. pg.04 3 - Códigos

Leia mais

Conger S.A. Equipamentos e Processos. Departamento de Engenharia do Produto

Conger S.A. Equipamentos e Processos. Departamento de Engenharia do Produto Conger S.A. Equipamentos e Processos Departamento de Engenharia do Produto A Empresa 1962 2012 = 50 Anos Produtos -Sucroalcooleiro Produtos -Sucroalcooleiro Produtos -Sucroalcooleiro Produtos -Química/Petroquímica/Papel

Leia mais

Atividade prática Estudo das misturas: fases e componentes Parte 3

Atividade prática Estudo das misturas: fases e componentes Parte 3 Atividade prática Estudo das misturas: fases e componentes Parte 3 9º ano do Ensino Fundamental/1º ano do Ensino Médio Objetivo Vivenciar conceitos importantes sobre a classificação dos diversos tipos

Leia mais

Receitas com farinhas e sucos de frutas

Receitas com farinhas e sucos de frutas Farofa de farinha de banana verde 150 g de farinha de mandioca 150g de farinha de banana verde 4 unidades de tomates picados em quadrados pequenos 1 unidade média de abobrinha verde picada em quadrados

Leia mais

Art. 1º Os arts. 55 e 60 da Instrução Normativa SRF nº 504, de 3 de fevereiro de 2005, passam a vigorar com a seguinte redação:...

Art. 1º Os arts. 55 e 60 da Instrução Normativa SRF nº 504, de 3 de fevereiro de 2005, passam a vigorar com a seguinte redação:... MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.135, DE 18 DE MARÇO DE 2011 Altera a Instrução Normativa SRF nº 504, de 3 de fevereiro de 2005, que dispõe sobre o

Leia mais

Aula 23 Trocadores de Calor

Aula 23 Trocadores de Calor Aula 23 Trocadores de Calor UFJF/Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica Prof. Dr. Washington Orlando Irrazabal Bohorquez Definição: Trocadores de Calor Os equipamentos usados para implementar

Leia mais

Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO. Série GXG-S Série GSG-S

Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO. Série GXG-S Série GSG-S Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO Série GXG-S Série GSG-S Chiller Centrífugo Novas Séries GXG-S e GSG-S A nova série de Chiller Centrífugo de Alta Eficiência

Leia mais

DIVERGÊNCIA QUANTO O TEOR ALCOÓLICO ROTULADO EM CACHAÇAS COMERCIAIS

DIVERGÊNCIA QUANTO O TEOR ALCOÓLICO ROTULADO EM CACHAÇAS COMERCIAIS DIVERGÊNCIA QUANTO O TEOR ALCOÓLICO ROTULADO EM CACHAÇAS COMERCIAIS WLADYMYR JEFFERSON BACALHAU DE SOUZA 1 ; NORMANDO MENDES RIBEIRO FILHO 2 ; RAISSA CRISTINA SANTOS 4 ; KATILAYNE VIEIRA DE ALMEIDA 1 ;

Leia mais

7. Exemplos de Aplicação

7. Exemplos de Aplicação 7. Exemplos de Aplicação Neste parágrafo vamos procurar exemplificar o tipo de informação que é possível obter com a leitura deste manual. Pretende-se, a partir de dados típicos, dar uma ideia geral do

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO E DE INSTALAÇÃO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR

MANUAL DO USUÁRIO E DE INSTALAÇÃO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR MANUAL DO USUÁRIO E DE INSTALAÇÃO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR INTRODUÇÃO Parabéns por adquirir um Sistema de Aquecimento Solar KOMECO, desenvolvido para oferecer maior conforto e bem-estar com muito

Leia mais

754/2014-6 EMBRAMAR COMERCIO E SERVIÇOS EM GERAL LTDA ME. R$ 239,90 70.0

754/2014-6 EMBRAMAR COMERCIO E SERVIÇOS EM GERAL LTDA ME. R$ 239,90 70.0 ITEM QTDE UND DESCRICAO PAMCS Empresa Valor SALDO. Unitário 1 70.0 UN CIRCULADOR DE AR. CIRCULADOR DE AR TURBO CIRCULADOR, 45CM. POTENCIA: 150W COM 3 VELOCIDADES. INCLINAVEL: PERMITE DIRECIONAR O AR DE

Leia mais