Fábrica de vassouras, sala imensa com mesas compridas e cerca de cinquenta funcionários. Eles estão em pé montando vassouras em cima das mesas.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fábrica de vassouras, sala imensa com mesas compridas e cerca de cinquenta funcionários. Eles estão em pé montando vassouras em cima das mesas."

Transcrição

1 1. AMOR QUASE IMPOSSÍVEL Fabiano Meinerz SINOPSE: Valdemar é um rapaz de 20 anos, cabelos escuros e curtos. que trabalha na fábrica de vassouras Odim (bem próxima à nossa escola). Guilherme, o filho mais velho de Margarete, não aceitava Valdemar como pai ou padrasto. Ele achava que ele iria tirar o lugar de seu verdadeiro pai. Valdemar tenta diversas táticas para conquistar Guilherme, conversas dá presentes. Mas Guilherme é irredutível, não aceitando-o. 1. INT. FÁBRICA ODIM - DIA Fábrica de vassouras, sala imensa com mesas compridas e cerca de cinquenta funcionários. Eles estão em pé montando vassouras em cima das mesas. Valdemar está trabalhando, mas por baixo da aba do boné espia sua colega Margarete em outra mesa. Luciano que trabalha no lado direito de Valdemar percebe isso e lhe fala LUCIANO Você não tem chance. Porquê? LUCIANO Ela é separada e já tem dois filhos. Valdemar fica em silêncio e continua montando as vassouras que estavam em sua frente. 2. INT. REFEITÓRIO - DIA Refeitório da fábrica 4 mesas de aproximadamente 6 metros com bancos e muitas pessoas almoçando. Margarete senta-se ao lado de Valdemar e começa a puxar conversa. Onde você mora? Aqui no bairro mesmo. Me mudei a pouco mais de 2 semanas. E você?

2 2. Breve pausa. Moro mais para o interior com meus pais. (COM CARA DE BOBO) Você é casada? Não mais, me separei a 6 meses atrás. Tenho dois filhos o Guilherme e a Gabriela. Margarete tira do bolso a foto dos dois filhos. Enquanto Margarete mostra a foto à Valdemar. Ela pergunta. E você é casado? Não, nunca fui. Então um sinal toca. É o fim da hora do almoço. Cada um dos dois vão para seu posto de trabalho. Logo o dia acaba. 3. INT. CASA DE NOITE Casa de Margarete, na sala de estar. Dois sofás, um rack, com TV, quadro da família na parede e uma janela atrás do sofá. Margarete está brincando no chão com seus dois filhos e ao mesmo tempo falando com sua mãe Romilda. ROMILDA Margarete você nem imagina o que aconteceu! O quê? ROMILDA Seu pai levou um coice hoje... Ah... Mãe! Conheci um rapaz hoje muito legal no serviço. ROMILDA Qual o nome dele, filha?

3 3. Valdemar. ROMILDA Você tem que pensar nos seus filhos... Eu sei, mãe. Então ela resolve ir durmir. 4. INT. QUARTO DE. NOITE. Margarete deitada na cama de casal em seu quarto onde há uma poltrona e um computador. Durante a noite ela só pensava em Valdemar e se ele aceitaria seus filhos. ELA ACORDA EM SEU QUARTO E VAI PARA A COZINHA. 5. INT. COZINHA DE. DIA. Uma mesa com 4 cadeiras, uma pia e uma cristaleira. Margarete arruma a mesa para o café. 6. INT. QUARTO DOS FILHOS DE. DIA. Com duas camas de solteiro, um roupeirio e 2 janelas. Margarete dá um beijo em seus filhos. Bom dia para vocês, fiquem com Deus. A mãe vai trabalhar. 7. INT. FÁBRICA ODIM. DIA. Valdemar e Margarete chegam na fábrica de ambos. Margarete procura Valdemar. 8. EXT. FÁBRICA ODIM. DIA. Valdemar está sentado está sentado em banco de praça na frente da fábrica com um belo jardim à sua volta. Ela chega e o cumprimenta, começam a conversar. Bom dia!

4 4. O sinal toca Bom dia Margarete, como vai? Vou bem 9. INT. FÁBRICA ODIM. DIA. Os dois se olham disfarçadamente durante o expediente. Eles trabalham a poucos metros de distância. Valdemar vai até a mesa de Margarete e a convida para ir a um Baile que vai haver naquela noite, onde vai tocar, a banda Flor da Serra. 10. INT. SALÃO DE FESTAS. NOITE. Grande salão de baile com muitas pessoas e uma banda tocando. Valdemar e Margarete dançan a noite toda juntos. 11. EXT. LADO DE FORA DO SALÃO. NOITE. Margarete está correndo para o ponto de ônibus, porém chega tarde demais para pegar a última condução. Começa a chover. Valdemar se aproxima e a convida para ir a sua casa. 12. EXT. CASA DE. NOITE. A casa de Valdemar verde com branco, pátio cercado. O casal está chegando, ambos ensopados. 13. INT. QUARTO DE. NOITE. Valdemar e Margarete estão no quarto, cama de casal, 2 poltronas. Valdemar vai ao roupeiro procurar uma camiseta para emprestar à Margarete. Após achar uma, Valdemar se aproxima de Margarete e acaba lhe dando um beijo. Os dois correm para a cama e passam o resto da noite juntos. ACORDA SOZINHO, JÁ FOI EMBORA. 14. INT. FÁBRICA ODIM. INT.

5 5. Valdemar chegando na empresa com ar de contente e disposto a pedir Margarete em namoro. Porém em seguida ele descobre que a mesma faltou ao serviço. 15. INT. FÁBRICA ODIM. INT. Eles só se reencontram no outro dia, quando Margarete volta a trabalhar. Valdemar está com um ar nervoso e preocupado: Será que ela não gostou de mim? Só vão se falar na hora do almoço, para quase desespero de Valdemar. 16. INT. REFEITÓRIO DA FÁBRICA ODIM. DIA. Noite passada foi um erro. Não foi, eu te amo! Mas eu tenho dois filhos mas qual é a diferença? Eles não vão te aceitar. Vamos tentar antes de desistir. Hoje a tarde você passa lá em casa para conhecer meus filhos e meus pais. Combinado 6h e 30m eu vou estar lá! 17. EXT. CASA DE. DIA. Todos, menos os filhos de Margarete, esperam Valdemar na frente da casa de Margarete, na sombra de uma linda caneleira de cor alaranjada e branca. Todos se apresentam, conversam amigavelmente e tomam chimarrão. Chegam Guilherme e Gabriela da escola, ao mesmo tempo que Romilda traz um prato com cucas de coco. Margarete apresenta

6 6. seus filhos a Valdemar, Gabriela, 4 anos é quem sente-se a vontade com o visitante, vai no seu colo e brinca com ele. Guilherme, porém, não gosta de Valdemar. E vai logo dizendo: Você não vai namorar minha mãe! Porque não? Por que ela é minha mãe. E não quero que você tome o lugar do meu pai. Então Guilherme dá um chute no prato de cucas derrubando diversas na camisa de Valdemar. Este, envergonhado, conversa mais um pouco e vai embora. 18. INT. FÁBRICA ODIM. DIA Outro dia de trabalho e quando Margarete chega na firma já vê Valdemar sentado no banco de sempre na frente da empresa. Valdemar se aproxima sorridente à Margarete e a cumprimenta: Bom dia! Bom dia! Eu disse que não ia dar certo! Ele é meio nervoso, né? Bastante... Foi por isso que larguei o pai dele. Mas ele nunca te bateu, né? Não, nunca... Mas o que você vai fazer? Vou conquistá-lo. Como?

7 7. Deixa comigo. 19. INT. CASA DE. DIA. Valdemar chega à casa de Margarete trazendo diversos brinquedos para Guilherme. Guilherme aceita os presentes com uma cara desconfiada, mas permanece irredutível. Não aceita Valdemar nem como amigo. Valdemar vai embora arrasado. 20. INT. FÁBRICA ODIM. DIA Após 3 dias Margarete reencontra com Valdemar no mesmo banco na frente da fábrica. Acho que não tem jeito. Eu não desisti, vou continuar tentando. Não sei se vai adiantar... Não posso desistir. Eu te amo e estou com saudades! Eu também estou. Vou visitar vocês no sábado, então. Pode ser? Tá bom, mas não espere grandes coisas... Tudo bem EXT. CASA DE. DIA. No sábado vê-se Valdemar saindo de cima da sua moto na frente da casa de Margarete. Valdemar dá dois toques rápidos na buzina, avisando que chegou. Ao invés de Margarete, Guilherme o recebe. Tentando disfarçar a sua cara de surpresa:

8 8. Oi. Oi Guilherme. Tudo bem? Guilherme responde sem tirar os olhos da moto: Mais ou menos... Hummm... Você gosta de moto? Um pouco. Gostaria de dar uma volta? Sim! Já voltamos! Tá bom, cuidado hein? 22. EXT. CASA DE. DIA. Já de volta Guilherme era só sorrisos e cheio de histórias.... cruzamos a ponte a toda velocidade, os guris lá da baixada viram que era eu na moto e gritaram para mim. Só deu pra acenar de volta. Lá no campo do seu Ezequiel, no Pareci, o Valdemar deixou eu guiar a moto. Mas que perigo! Que nada mãe eu já sei dirigir! É verdade o Guilherme já sabe dirigir, só falta prática. Não é?

9 9. É sim. Mãe posso andar semana que vem de novo? Se tu cuidar e o Valdemar não se importar, por mim não tem problema... Vai ser divertido. Oba! 23. EXT. CASA DE. DIA. Estão Valdemar e Margarete abraçados embaixo da caneleira, enquanto Gabriela e Guilherme brincam faceiros. FIM

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta Copyright Betina Toledo e Thuany Motta Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 MERGULHO FADE IN: CENA 1 PRAIA DIA Fotografia de

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht Efêmera (título provisório) Por Ana Julia Travia e Mari Brecht anaju.travia@gmail.com mari.brecht@gmail.com INT. SALA DE - DIA. VÍDEO DE Números no canto da tela: 00 horas Vídeo na TV., 22, com seus cabelos

Leia mais

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva O Convite Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e Gisele Christine Cassini Silva FADE OUT PARA: Int./Loja de sapatos/dia Uma loja de sapatos ampla, com vitrines bem elaboradas., UMA SENHORA DE MEIA IDADE,

Leia mais

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA DIANA + 3 INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA Pablo, rapaz gordinho, 20 anos, está sentado na areia da praia ao lado de Dino, magrinho, de óculos, 18 anos. Pablo tem um violão no colo.

Leia mais

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli DIANA + 3 Roteiro de Henry Grazinoli EXT. CALÇADA DO PORTINHO DIA Sombra de Pablo e Dino caminhando pela calçada do portinho de Cabo Frio. A calçada típica da cidade, com suas ondinhas e peixes desenhados.

Leia mais

RUA SAUDADE. Roteiro de Curta-Metragem EXT. CALÇADA/EM FRENTE AO PORTÃO DA CASA DE DOLORES DIA

RUA SAUDADE. Roteiro de Curta-Metragem EXT. CALÇADA/EM FRENTE AO PORTÃO DA CASA DE DOLORES DIA RUA SAUDADE Roteiro de Curta-Metragem São as últimas horas da madrugada., senhora viúva com mais de setenta anos, passa pelo portão da rua de sua casa no Bexiga. Carrega um carrinho de feira consigo. Sai

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com Antônio, Sara, Vânia e César. Sala da casa de Antônio e Sara. 1 Um longo silêncio. ANTÔNIO. Vai me deixar falando sozinho? Sara o fita e fica

Leia mais

O LUGAR ONDE VIVO. Um roteiro de Ingredy Galvão

O LUGAR ONDE VIVO. Um roteiro de Ingredy Galvão O LUGAR ONDE VIVO Um roteiro de Ingredy Galvão FADE IN: 01 EXT. CASA DO GUARÁ DIA O caminhão da mudança chega à casa de, menina de 12 anos, magra, morena, estatura mediana, filha carinhosa. Ela tem em

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização:

Apoio: Patrocínio: Realização: 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 CINDERELA 3 CINDERELA Cinderela era uma moça muito bonita, boa, inteligente e triste. Os pais tinham morrido e ela morava num castelo. A dona do castelo era uma mulher

Leia mais

TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA

TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA TRANSCRIÇÃO SAMBA DE QUADRA letreiro 1: Sem o modernismo dos tempos atuais, o samba sertanejo era uma espécie de baile rústico, que ia noite à dentro até o raiar do dia, com seus matutos dançando e entoando

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

MUDANÇA DE IMAGEM. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br

MUDANÇA DE IMAGEM. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br MUDANÇA DE IMAGEM Os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Isto porque eu não tinha a quem relatar o que me havia acontecido. Eu estava com medo de sair do meu corpo novamente, mas também não

Leia mais

Na Internet Gramática: atividades

Na Internet Gramática: atividades Na Internet Gramática: atividades Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia os documentos Modo subjuntivo geral e Presente do subjuntivo, no Banco de Gramática. 1. No trecho a seguir, extraído da

Leia mais

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA LENDA DA COBRA GRANDE Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA CRUZEIRO DO SUL, ACRE, 30 DE ABRIL DE 2012. OUTLINE Cena 1 Externa;

Leia mais

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons.

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons. Olá, você esta acessando um dos materiais vencedores no concurso InternÉtica 2011, realizado pela SaferNet Brasil e o Instituto Childhood Brasil. Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet

Leia mais

Olhos de Mistério. São Paulo. Márcia Reis Grillo. Primeira Edição

Olhos de Mistério. São Paulo. Márcia Reis Grillo. Primeira Edição 1 Olhos de Mistério Márcia Reis Grillo Primeira Edição São Paulo 2013 1 2 Ao Olhos de Mistério, onde quer que ele esteja. 2 3 Prólogo P rocurei um lugar em meio à multidão de pessoas sentadas. A cerimônia

Leia mais

UM SOL ALARANJADO. Vemos de cima uma pequena vila de subúrbio com suas casas baixas. Amanhece, e pessoas começam a sair das casas.

UM SOL ALARANJADO. Vemos de cima uma pequena vila de subúrbio com suas casas baixas. Amanhece, e pessoas começam a sair das casas. SEQUÊNCIA 1 - EXTERIOR - DIA VILA UM SOL ALARANJADO Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. Vemos de cima uma pequena vila de subúrbio com suas casas baixas.

Leia mais

RIO DE JANEIRO. Edição do Autor. O conteúdo desta obra é de

RIO DE JANEIRO. Edição do Autor. O conteúdo desta obra é de Antônio Carlos ALÉM DO AMOR JANEIRO RIO DE Edição do Autor 2013 O conteúdo desta obra é de responsabilida de do autor. Edição do Autor Impressão e encadernação: Portal PerSe (www.perse.com.br) Uma jovem

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos)

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos) I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. Hoje. domingo e o tempo. bom. Por isso nós. todos fora de casa.. a passear à beira-mar.. agradável passar um pouco de tempo

Leia mais

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 Roteiro de Alcir Nicolau Pereira Versão de NOVEMBRO DE 2012. 1 A DOMÉSTICA (FILME-CURTA) --------------------------------------------------------------- PERSONAGENS Empregada

Leia mais

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA UM SOL ALARANJADO Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. Por uma janela, vemos o sol nascendo ao fundo de uma série de casas

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates

Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates Respostas dos alunos para perguntas do Ciclo de Debates 1º ano do Ensino Fundamental I O que você gosta de fazer junto com a sua mã e? - Dançar e jogar um jogo de tabuleiro. - Eu gosto de jogar futebol

Leia mais

Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima. A Boneca da Imaginação. Biblioteca Popular de Afogados BPA Recife - PE

Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima. A Boneca da Imaginação. Biblioteca Popular de Afogados BPA Recife - PE Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima A Boneca da Imaginação Biblioteca Popular de Afogados BPA Recife - PE Amanda Pereira de Farias Fernandes Lima Capa e pesquisa de imagens Amanda P. F. Lima A Boneca

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros s de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 14 por completo

Leia mais

Keyla Ferrari. Cada um pensa em mudar a humanidade, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo. Leon Tolstoi. ilustrado por: Maria Isabel Vaz Guimarães

Keyla Ferrari. Cada um pensa em mudar a humanidade, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo. Leon Tolstoi. ilustrado por: Maria Isabel Vaz Guimarães Cada um pensa em mudar a humanidade, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo. Leon Tolstoi Keyla Ferrari ilustrado por: Maria Isabel Vaz Guimarães Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto.

Leia mais

CASA DE FAMÍLIA intervenção dos Vira-Latas sob o signo do sangue a ser realizada na Praça da Matriz / Largo da Freguesia do Ó

CASA DE FAMÍLIA intervenção dos Vira-Latas sob o signo do sangue a ser realizada na Praça da Matriz / Largo da Freguesia do Ó CASA DE FAMÍLIA intervenção dos Vira-Latas sob o signo do sangue a ser realizada na Praça da Matriz / Largo da Freguesia do Ó Uma sala de jantar de uma casa. A mesa está coberta com toalha vermelha. Cadeiras,

Leia mais

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da 19º Plano de Aula 1-Citação as Semana: Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. 2-Meditação da Semana: Ajudar o próximo 5 47 3-História da Semana: Uma lição a aprender 4-Música da Semana:

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre

Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre 1 Do meio das árvores secas da floresta escura emer giu o maníaco com a máscara de pele humana. Motosserra em mãos, desceu-a entre as pernas do pobre paraplégico, cortando-o ao meio, assim como a sua cadeira

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 19 por

Leia mais

Curso Intermediário de LIBRAS

Curso Intermediário de LIBRAS Curso Intermediário de LIBRAS 1 Curso Intermediário de LIBRAS 2 Unidade 2 Fazer as compras Sábado foi dia de ir ao Tok Stok. Nós, casal, fomos passear e dar uma voltada para olhar os moveis e objetos.

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 2 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Ivo Barcelos Assumpção, nasci dia 13 do doze de 1954 em Rezende, Estado do Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu estudei engenharia química na UFRJ, entrei

Leia mais

O Renal é um ser humano como todos e tem seu direito de ser respeitado e não ter vergonha de ser renal. Jaderson

O Renal é um ser humano como todos e tem seu direito de ser respeitado e não ter vergonha de ser renal. Jaderson Jaderson é um garoto de 11 anos, portador de insuficiência renal crônica, paciente do Serviço de Hemodiálise Pediátrica do Hospital Roberto Santos em Salvador-BA. É uma criança muito inteligente e talentosa,

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

HINÁRIO. Glauco O CHAVEIRÃO. www.hinarios.org. Glauco Villas Boas 1 01 HÓSPEDE

HINÁRIO. Glauco O CHAVEIRÃO. www.hinarios.org. Glauco Villas Boas 1 01 HÓSPEDE HINÁRIO O CHAVEIRÃO Tema 2012: Flora Brasileira Allamanda blanchetii Glauco Glauco Villas Boas 1 www.hinarios.org 2 01 HÓSPEDE Padrinho Eduardo - Marcha Eu convidei no meu sonho Meu mestre vamos passear

Leia mais

ENTRE FRALDAS E CADERNOS

ENTRE FRALDAS E CADERNOS ENTRE FRALDAS E CADERNOS Entre Fraldas e Cadernos Proposta metodológica: Bem TV Educação e Comunicação Coordenação do projeto: Márcia Correa e Castro Consultoria Técnica: Cláudia Regina Ribeiro Assistente

Leia mais

Prova Escrita de Português Língua Não Materna

Prova Escrita de Português Língua Não Materna EXAME NACIONAL DO ENSINO BÁSICO E DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova 28 2.ª Chamada / 739 2.ª Fase / 2010 Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de Janeiro, e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março A PREENCHER PELO ESTUDANTE

Leia mais

trou - de deitar. A escrita sempre foi uma descarga de qual vou naquela tarde. Curava feridas velhas como... Suspirou.

trou - de deitar. A escrita sempre foi uma descarga de qual vou naquela tarde. Curava feridas velhas como... Suspirou. ENTRE O AMOR E O SILÊNCIO Capítulo 1 trou de deitar. A escrita sempre foi uma descarga de qual nov vou naquela tarde. Curava feridas velhas como... Suspirou. es ensoparem o rosto, o traves infantilidade.

Leia mais

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos.

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos. Contos Místicos 1 Contos luca mac doiss Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12 Prefácio A história: esta história foi contada por um velho pescador de Mongaguá conhecido como vô Erson. A origem:

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

HINÁRIO A ARTE DE AMAR

HINÁRIO A ARTE DE AMAR HINÁRIO A ARTE DE AMAR Tema 2012: Flora Brasileira Algodão do Cerrado (Cochlospermum vitifolium) CARLOS STRAZZER Carlos Augusto Strazzer 1 www.hinarios.org 2 I FÉ NA VIRGEM MARIA Oferecido por Isabela

Leia mais

DIVAS CAPÍTULO 11 PÁG.: 0 1 DIVAS. Novela de RÔMULO GUILHERME. Criada e escrita por RÔMULO GUILHERME. Personagens deste capítulo: BERNARDO

DIVAS CAPÍTULO 11 PÁG.: 0 1 DIVAS. Novela de RÔMULO GUILHERME. Criada e escrita por RÔMULO GUILHERME. Personagens deste capítulo: BERNARDO DIVAS CAPÍTULO 11 PÁG.: 0 1 DIVAS Novela de RÔMULO GUILHERME Criada e escrita por RÔMULO GUILHERME Personagens deste capítulo: BERNARDO BRITNEY PHELIPE ARRUDA ISABELA WHITNEY KENEDY NATASHA COLODATO REGINALDO

Leia mais

No dia 21 de setembro as aulas iniciaram e eu estava super emocionada!

No dia 21 de setembro as aulas iniciaram e eu estava super emocionada! No dia 21 de setembro as aulas iniciaram e eu estava super emocionada! Hoje já não me dou conta mas foi assim era uma nova escola, novos colegas, novos desafios e, para desafio, tinha de estar cheia de

Leia mais

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho alternativo, onde encontra com um sujeito estranho.

Leia mais

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br

Por Carol Alvarenga, em 17 de junho de 2014, 15h Esquemaria.com.br Esquemaria.com.br / Dicas de estudos / 4 mitos sobre estudos: saiba mais como evitar estes erros Talvez você conheça estes mitos sobre estudos, mas você sabe a verdade por trás deles? Hoje eu trago um

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

SOL E MAR. Escrita por Henrique Sebastian. Supervisão de Texto: Édy Dutra. Capítulo 10

SOL E MAR. Escrita por Henrique Sebastian. Supervisão de Texto: Édy Dutra. Capítulo 10 SOL E MAR Escrita por Henrique Sebastian Supervisão de Texto: Édy Dutra Capítulo 10 CENA 01 POWER SPORT. SALA ADALBERTO.INT/DIA Continuação do capítulo anterior. Adalberto e Marcone conversam. MARCONE:

Leia mais

Guia de dona Hermínia sobre como criar os filhos. EU TAVA AGORA VENDO um programa na TV que é um

Guia de dona Hermínia sobre como criar os filhos. EU TAVA AGORA VENDO um programa na TV que é um 1. Guia de dona Hermínia sobre como criar os filhos EU TAVA AGORA VENDO um programa na TV que é um absurdo. Uma babá dizendo como é que se cria filha dos outros. Uma tal de superbabá. Super o quê? Babá

Leia mais

Gaspar e o bebé Naquele dia, os pais do Gaspar pareciam um pouco atrapalhados. O que teriam eles? - perguntava-se o nosso amigo, vendo que o pai estava sempre a andar de um lado para o outro e que a mãe

Leia mais

ESTE É O MEU ESQUADRÃO!

ESTE É O MEU ESQUADRÃO! CRIAÇÃO E EXECUÇÃO: AV PRODUÇÕES E EVENTOS ESTE É O MEU ESQUADRÃO! O GRANDALHÃO É MEU PAI. E ESTE É O ALVO DE MINHA MISSÃO: A MINHA IRMÃ. A PREOCUPADA É MINHA MÃE. O AGENTE MAIS SECRETO É ESSE AQUI: EU

Leia mais

"INSOLÚVEL" SEGUNDO RASCUNHO. Escrito por: Luís Eduardo E. Ribeiro

INSOLÚVEL SEGUNDO RASCUNHO. Escrito por: Luís Eduardo E. Ribeiro "INSOLÚVEL" SEGUNDO RASCUNHO Escrito por: Luís Eduardo E. Ribeiro Rua Faustolo, 371 São Paulo SP CEP 05041-000 (11) 9272-4021 1 INSOLÚVEL FADE IN: INT. CASA DO MENINO MANHÃ MENINO de 12-13 anos acorda.

Leia mais

Os descendentes do agitado Clube Clássicos

Os descendentes do agitado Clube Clássicos Os descendentes do agitado Clube Clássicos Era domingo quando fui convidado para sair por Chitanda. Ela disse que queria me ver fora da escola, que contava comigo para marcar onde nos encontraríamos, como

Leia mais

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI)

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) II 1 Indicadores Desqualificação Não poder fazer nada do que preciso, quero fazer as coisas e não posso ; eu senti-me velho com 80 anos. Aí é que eu já

Leia mais

Copyright. Le Livros. http://lelivros.com

Copyright. Le Livros. http://lelivros.com Copyright Esta obra foi postada pela equipe Le Livros para proporcionar, de maneira totalmente gratuita, o benefício de sua leitura a àqueles que não podem comprála, ou aos que pretendem verificar sua

Leia mais

Olá, o meu nome é Vanessa. Neste trabalho que vou desenvolver, tentarei contar para você, amigo leitor, um pouco da minha vida e de toda a trajetória

Olá, o meu nome é Vanessa. Neste trabalho que vou desenvolver, tentarei contar para você, amigo leitor, um pouco da minha vida e de toda a trajetória Olá, o meu nome é Vanessa. Neste trabalho que vou desenvolver, tentarei contar para você, amigo leitor, um pouco da minha vida e de toda a trajetória que eu percorri até a entrada na Universidade Federal

Leia mais

Testemunho. Ricardo. www.revistaperitia.org Todos os direitos reservados Reprodução proibida sem permissão do editor

Testemunho. Ricardo. www.revistaperitia.org Todos os direitos reservados Reprodução proibida sem permissão do editor 1 Testemunho Ricardo Este testemunho faz todo o sentido para mim porque acho que é com a experiência de cada um e com os nossos próprios erros que se aprende, por vezes a muito custo. Falo por mim, pois

Leia mais

ROTEIRO- Hoje é festa de São João

ROTEIRO- Hoje é festa de São João ROTEIRO- Hoje é festa de São João INT. CASA DE MARIA - QUARTO - NOITE A cidade de Campina Grande estar em festa, é noite de São João. Da janela do quarto, MARIA uma mulher sonhadora, humilde, recém-chegada

Leia mais

VENDA PROIBIDA. Sandra Aymone

VENDA PROIBIDA. Sandra Aymone VENDA PROIBIDA Sandra Aymone Autora Sandra Aymone Coordenação editorial Sílnia N. Martins Prado Preparação e revisão Katia Rossini Ilustração Pierre Trabbold Felipe Rostodella Projeto gráfico Linea Creativa

Leia mais

Crônicas de Noritvy Livro II: Filhos

Crônicas de Noritvy Livro II: Filhos Crônicas de Noritvy Livro II: Filhos Lucas Giacobbo Crônicas de Noritvy Livro II: Filhos 1ª Edição POD KBR Petrópolis 2014 Edição de texto Noga Sklar Editoração KBR Capa KBR Ilustrações Nikolas Guilbor

Leia mais

Trecho do livro Nora Webster (Companhia das Letras), de Colm Tóibín Tradução de Rubens Figueiredo. Capítulo Um

Trecho do livro Nora Webster (Companhia das Letras), de Colm Tóibín Tradução de Rubens Figueiredo. Capítulo Um Trecho do livro Nora Webster (Companhia das Letras), de Colm Tóibín Tradução de Rubens Figueiredo Capítulo Um Você deve estar de saco cheio deles. Será que nunca vão parar de vir aqui? Tom O Connor, seu

Leia mais

para ajudar você a descobrir que o Natal é para a vida

para ajudar você a descobrir que o Natal é para a vida para ajudar você a descobrir que o Natal é para a vida O Fabinho está na igreja, no primeiro banco. Com o queixo apoiado nas mãos, ele está olhando o presépio. Um presépio grande como se montava antigamente.

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Rio de Janeiro, 18 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 18 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 18 de junho de 2008 Meu nome é João Almeida Gonçalves, nasci em Macaé em12 de novembro de 1960. INGRESSO NA PETROBRAS Ingressei na Petrobras, antes de trabalhar na Petrobras.

Leia mais

PROJETO CONEXÕES www.conexoes.org.br todos os direitos reservados FLOR DA PELE. Mariana Marteleto DIREITOS AUTORAIS

PROJETO CONEXÕES www.conexoes.org.br todos os direitos reservados FLOR DA PELE. Mariana Marteleto DIREITOS AUTORAIS FLOR DA PELE Mariana Marteleto DIREITOS AUTORAIS Este texto foi escrito especialmente para as escolas participantes do Projeto Conexões Teatro Jovem e fez parte do seu portfólio no ano de 2012. Qualquer

Leia mais

O conto da rosa. Por. Antonio Carlos Junior. Argumento: Janssem Cardoso Oitavo tratamento

O conto da rosa. Por. Antonio Carlos Junior. Argumento: Janssem Cardoso Oitavo tratamento O conto da rosa Por Antonio Carlos Junior Argumento: Janssem Cardoso Oitavo tratamento EXTERNA/PONTO DE ÔNIBUS/DIA Créditos iniciais.uma rosa é desenhada no papel. A rosa se transforma em animação gráfica.

Leia mais

Regras de Convivência Documentos Básicos (Última Revisão em agosto de 2009)

Regras de Convivência Documentos Básicos (Última Revisão em agosto de 2009) Regras de Convivência Documentos Básicos (Última Revisão em agosto de 2009) Rua Capistrano de Abreu, 29 Botafogo 2538-3231 Rua Conde de Irajá, 224 Botafogo 2538-3231 Rua Marques, 19 Humaitá 2538-3232 www.sapereira.com.br

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

Paes?! Você está procurando é foto de mulher pelada!

Paes?! Você está procurando é foto de mulher pelada! Eduardo, 28, webdesigner Ricardo, 26, músico Ernani, 22, estudante de educação física Zuleika, 24, dono(a) de uma sauna gay FADE IN: INT. - SALA DE ESTAR DO APARTAMENTO NOITE está num canto do cômodo,

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL

1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL 1-PORTO SEGURO-BAHIA-BRASIL LUGAR: EUNÁPOLIS(BA) DATA: 05/11/2008 ESTILO: VANEIRÃO TOM: G+ (SOL MAIOR) GRAVADO:16/10/10 PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL VOCÊ É O BERÇO DO NOSSO PAIS. PORTO SEGURO BAHIA-BRASIL

Leia mais

Erros Críticos. 11 Erros Que Você Está Provavelmente Cometendo Nos Seus Estudos...

Erros Críticos. 11 Erros Que Você Está Provavelmente Cometendo Nos Seus Estudos... Erros Críticos 11 Erros Que Você Está Provavelmente Cometendo Nos Seus Estudos......E Como Você Pode Evitá-Los, Para Aprender Qualquer Idioma Em Meses E Não Em Anos. Olá, meu nome é Frank Florida, gringo

Leia mais

A Sociedade dos Espiões Invisíveis

A Sociedade dos Espiões Invisíveis A Sociedade dos Espiões Invisíveis Tem dias em que tudo o que mais quero é embarcar na minha rede mágica e viajar para bem longe! Talvez, em algum outro lugar, não me sinta tão, tão... diferente! Eu sei

Leia mais

REVISTA SENAC - ENTREVISTA COM ESPEDITO SELEIRO. Com trabalhos que aliam tradição e modernidade, inovação e manutenção dos

REVISTA SENAC - ENTREVISTA COM ESPEDITO SELEIRO. Com trabalhos que aliam tradição e modernidade, inovação e manutenção dos REVISTA SENAC - ENTREVISTA COM ESPEDITO SELEIRO Valeska Zuim 1 Com trabalhos que aliam tradição e modernidade, inovação e manutenção dos traços culturais, Espedito Veloso de Carvalho, mais conhecido como

Leia mais

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE TALVEZ TE ENCONTRE Vivaldo Terres Itajaí /SC Talvez algum dia eu te encontre querida Para renovarmos momentos felizes, Já que o nosso passado foi um passado lindo, Tão lindo que não posso esquecer Anseio

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação.

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação. O Led Zeppelin sempre foi complicado. Esse era o problema inicial deles. Os shows deles sempre tinham violência masculina. Isso foi um desvio nos anos 1970, que foi uma época muito estranha. Era uma anarquia

Leia mais

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1 CELIORHEIS Página 1 A Abduzida um romance que pretende trazer algumas mensagens Mensagens estas que estarão ora explícitas ora implícitas, dependendo da ótica do leitor e do contexto em que ela se apresentar.

Leia mais

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha um verde que saía da metade do casco e se espalhava manso até a beirada. Viviam dizendo que ela era lerda, preguiçosa até. É preciso reconhecer

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Adorei lhe conhecer, anote esse número, pois ele vai ser importante para você. Ricardo.

Adorei lhe conhecer, anote esse número, pois ele vai ser importante para você. Ricardo. Capítulo 1 Manual do SMS A Abertura. Depois de alguns anos de experiência no mundo da sedução, evoluindo e ajudando homens a se socializar com as mulheres, percebi o quão importante uma mensagem de celular

Leia mais

HINOS DE DESPACHO. www.hinarios.org 01 O DAIME É O DAIME. O Daime é o Daime Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana

HINOS DE DESPACHO. www.hinarios.org 01 O DAIME É O DAIME. O Daime é o Daime Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana HINOS DE DESPACHO Tema 2012: Flora Brasileira Estrela D Alva www.hinarios.org 1 2 01 O DAIME É O DAIME O é o Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana O é o O professor dos professores

Leia mais

E não é respondeu o Rei. Você esquece que a Rainha é completamente

E não é respondeu o Rei. Você esquece que a Rainha é completamente A Aula da Rainha gora Vossas Majestades se convenceram de que é preciso dar logo esse baile, não é? perguntou Heloísa, depois que todos saíram. O Rei, a Rainha e a Formiga estranharam muito aquela pressa:

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

VERMELHO PROFUNDO. Adriano Henrique Cândido. Argumento de. Larissa Alvanhan. Oitavo Tratamento

VERMELHO PROFUNDO. Adriano Henrique Cândido. Argumento de. Larissa Alvanhan. Oitavo Tratamento VERMELHO PROFUNDO de Adriano Henrique Cândido Argumento de Larissa Alvanhan Oitavo Tratamento Copyright 2013 by Adriano Henrique Cândido e Larissa Alvanhan. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. CENA 01 - EXT.

Leia mais

Poética & Filosofia Cultural - Carlos Drummond de Andrade

Poética & Filosofia Cultural - Carlos Drummond de Andrade Page 1 of 5 1. Amar Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Poética

Leia mais

DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC

DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC DOC 1 PROGRAMA DE ESTUDOS DO PORTUGUÊS POPULAR FALADO DE SALVADOR PEPP INQ Nº 08 MULHER idade: 46 anos Escolaridade: 2 grau DOCUMENTADORES: Constância Souza e Norma Lopes DATA: 01/10/1998 TRANSCRIÇÃO: Alessandra

Leia mais

Ir à conservatória é surpreender cada vez, sempre.

Ir à conservatória é surpreender cada vez, sempre. Ir à conservatória é surpreender cada vez, sempre. Uma de minhas amigas de Natal que detesta exposição na net, não tem nem face, twiter, nada, ficou encantada e disse que ouvir carinhoso em plena comunhão

Leia mais